Page 1

CARAVANA, Julho de 2003

Página 1

A CARAVANA Julho 2003 Fundado em 01/12/1966

NÚMERO 411 – ANO XXXV http://meuwebsite.com.br/Cenmc

e-mail: cenmc@hotmail.com INFORMATIVO DO CENTRO ESPÍRITA NAIR MONTEZ DE CASTRO Rua Vilela Tavares 173 - Lins Rio de Janeiro/RJ - Telefone 2595-5462

CURA-TE A TI MESMO A cura da alma depende das reformas que se processam na sua intimidade, sem que falte o amor, razão de vida capaz de alicerçar as colunas da felicidade. Todos os sofrimentos vistos como tal nascem da ignorância. O afeto é virtude divina, que comanda o ambiente de harmonia, de onde desaparecem os contrários da alegria, distribuindo a paz interior. O homem que começa a despertar os valores transcendentais da vida passa a nascer de novo, encontrando um novo mundo, onde pode encontrar as portas que dão acesso à felicidade; compreendese daí que não há tranqüilidade de consciência sem harmonia no coração. A cura do corpo, senão da alma, vem somente do próprio doente; é pelas transformações que o próprio se faz consciente, e as forças invisíveis não lhe faltarão, ajudando-o a instalar o céu nos pontos sensíveis de sua vida. Precisamos, pois, mais de afeição de uns para com outros, do que mesmo de alimento para o corpo, notadamente. Somos artífices da saúde e da paz, quando buscamos o que a natureza nos oferta. As leis de Deus são imutáveis, e todas elas vibram em conexão com o amor, que compreendemos ser o hálito

do Senhor, dando vida e alimentando vidas em todos os departamentos da criação. Tornamos a falar que a nossa cura depende de nós, com a presença mais visível de Deus na consciência, estabelecendo, assim, plena harmonia em todos os corpos, que nos ajudam a crescer. Por quê não fazemos amizades com tudo o que vemos, tocamos e sentimos? Daí é que nasce uma fervorosa fonte de simpatia, entrelaçando-se com as forças universais, que o amor comanda. Nós somos os médicos de nós mesmos. Jesus não se esqueceu de dizer para a humanidade que o céu está dentro dela, dependendo dos seus esforços para despertar esses valores e transforma-los em dons, para que a vida se multiplique, expressando o amor, em eterna doação, sem nenhuma exigência. Estuda a natureza com atenção, e encontrarás os caminhos para a verdadeira paz na mente, de modo a viver feliz, por saber viver com Deus e Cristo por dentro. A Doutrina Espírita, inspirada na vida do Mestr, é capaz de nos ajudar a compreender a vida, ensinando-nos como se respira o amor.

que somente alegra, que somente beneficia. A nossa cura é, pois, demorada, mas, permanece para sempre, porque se fundamenta na profundidade do afeto divino. Enquanto procuramos a cura dos males somente na condição física, permaneceremos enfermos até despertarmos para a luz do Espírito. A humanidade se encontra distante da felicidade, por não ter conhecimento dela mesmo; prefere as coisas do mundo, esquecendo as de Deus. Procura entender o que é caridade, e busca praticá-la, consubstanciada no Evangelho do Cristo, para que Ele passe a habitar em nós, para sermos motivo de glória e canais permanentes do amor. O “cura-te a ti mesmo” ensina que tu somente podes processar essa cura amando, sob a inspiração do Cristo. João Nunes Maia (pelo Espírito Miramez) Livro “Cura-te a ti mesmo” Editora Espírita Fonte Viva

Podes exercitar o amor onde estiveres e com quem estiveres, mas aquele amor que nos ensina o desprendimento, aquele que somente ajuda, que somente dá,

OUÇA A RÁDIO RIO DE JANEIRO - 1400KHz AM - A EMISSORA DOS ESPÍRITAS


CARAVANA, Julho de 2003

C E N T R O

E S P Í R I T A N A I R M O N T E Z PÁGINA DE REFLEXÃO

D E

Página 2

C A S T R O

ENQUANTO HOUVER AMIZADE (Em homenagem ao Dia do Amigo) Um professor perguntou, certa vez, a um de seus alunos qual era o significado da palavra amigo. O menino não soube, de pronto, responder. Ficou, por alguns momentos, em silêncio e, por fim, repetiu a palavra amigo separando devagar as sílabas. O professor, porém, insistiu: Vamos! Responda-me. Que significa a palavra amigo? Ao fim de dois ou três minutos, então, o jovem respondeu: - Penso que amiga é uma pessoa que nos conhece perfeitamente, sabe da nossa vida e, apesar de tudo, ainda nos quer muito bem! - Bravo! - exclamou o mestre - eis uma resposta que me parece simples e perfeita! Um dos tesouros mais preciosos na vida é a boa amizade! – terminou dizendo ele com vibração. "A amizade redobra as alegrias e reparte as penas em duas metades. A amizade é um raio de sol que ilumina a vida. Não há rosto por mais imperfeito, nem espírito por mais sofredor, que um relâmpago da verdadeira amizade não possa tornar encantador. A amizade é um sentimento raro; só são capazes de senti-lo aqueles que são capazes de inspirá-lo”. Eis as palavras do escritor Malba Tahan, elevando à sublimidade este laço bendito que nos une ao próximo. Talvez apenas a arte, tocada pelo condão da espiritualidade, consiga trazer em versos pronunciáveis, o que a amizade significa para o espírito. Eis um poema de autor desconhecido: “Pode ser que um dia deixemos de nos falar. Mas enquanto houver amizade, faremos as pazes de novo. Pode ser que um dia o tempo passe. Mas, se a amizade permanecer, um do outro há de se lembrar. Pode ser que um dia nos afastemos. Mas, se formos amigos de verdade, a amizade nos reaproximará. Pode ser que um dia não mais existamos. Mas, se ainda sobrar amizade, nasceremos de novo, um para o outro. Pode ser que um dia tudo acabe. Mas, com a amizade construiremos tudo novamente, cada vez de uma forma diferente, sendo único e inesquecível cada momento que juntos viveremos, e nos lembraremos para sempre." A dádiva de um coração amigo é sempre acolhida com benevolência. Ter amizade é ter coração que ama e esclarece, que compreende e perdoa, nas horas mais amargas da vida. A amizade pura é uma flor que nunca fenece. Talvez tenha sido por isso que o filósofo francês Voltaire disse: “Todas as glórias deste mundo não valem um amigo fiel”. Texto do Momento Espírita, com base no cap. "Amigo", do livro Lendas do Céu e da Terra de Malba Tahan e no Poema "Enquanto houver amizade" de autor desconhecido.

ORAÇÃO PARA QUEM ESTÁ ENVELHECENDO (EM HOMENAGEM AO DIA DAS AVÓS) Senhor, tu sabes que estou envelhecendo. Ajuda-me a pensar que não sou uma peça imprestável, no movimento da vida. Reconheço que não tenho mais as mesmas capacidades físicas, que me animaram a juventude, nem os mesmos reflexos e disposição. Contudo, auxilia-me a não desanimar, e muito menos pedir aposentadoria indevida das lides do mundo. Não me deixes emurchecer, como flor queimada pelo sol. Não permitas que eu tenha a idéia fixa de falar de mim o tempo todo. Impede-me de repetir detalhes infindáveis. Dá-me rapidez para que eu seja objetivo. Fecha a minha boca quando eu estiver propenso a falar de minhas dores e de meus sofrimentos. Eles estão aumentando com o passar dos anos, e meu desejo de falar deles aumenta a cada dia. Ensina-me a dialogar, sem me fazer excessivamente falador, a fim de não causar indisposição nos demais. Não me permitas conceber limitações desnecessárias. Coloca as minhas mãos no trabalho a fim de que eu elabore ainda criações no campo da música, da pintura, da jardinagem, da cerâmica. Ensina-me a melhor ocupação para o tempo que disponho. Um tempo que, desde os dias da juventude, reclamava não ter. Permita que eu me levante a cada dia disposto a aprender alguma coisa mais. Pode ser uma forma diferente de usar o pincel, uma breve poesia, um ensinamento, uma receita surpreendente. Desejo ser jovial sem parecer tolo e imprudente. Torna-me solícito, mas não abelhudo. Prestativo, mas não dominador. Desejo ser um avô que possa contribuir com a educação dos meus netos e não os deseducar, com a única finalidade de que apreciem sair comigo, nas tardes de primavera. Ensina-me, ainda, a gloriosa lição de que, às vezes, posso estar errado. Aprendi muito, guardo experiências preciosas, mas não tenho o direito de desprezar os avanços da modernidade e da ciência. Depois de ter adquirido uma enorme bagagem de sabedoria e experiência, parece uma pena eu não poder usá-la totalmente, sem criar embaraços aos demais. Se a dependência física se tornar necessária, ajuda-me Deus, a ter paciência comigo mesmo, suportando o corpo que tanto me serviu até aqui. Com ele eu dancei, cantei, viajei, vivi doçuras, momentos bons e maus. Auxilia-me a continuar a amá-lo. Tu sabes que precisarei não ser inconveniente, a fim de não incomodar tanto aos demais. Por isso, te peço que me ensines a pensar duas vezes, antes de reclamar, insistir e exigir o que quer que seja, a quem tenha que cuidar de mim. Se eu tiver que experimentar a viuvez, dá-me tua mão, quando a da minha esposa já não estiver por perto. Afinal, Senhor, foram tantos anos em que despertei ao toque suave do carinho dela. Não me permitas secar a fonte das lágrimas. Precisarei delas, com certeza, nas horas de tristeza, para desafogar o coração cansado. Entretanto, não me deixes tornar um ser melancólico e chorão. Permite-me gozar do calor do sol e da bênção da chuva, com o mesmo entusiasmo de sempre. E, finalmente, Senhor, o meu desejo final é ter sempre alguns amigos. Esses seres abençoados que, no mar imenso da vida, qual jangada preciosa, remaram firmemente ao meu lado. Muitos deles poderão partir antes de mim, mas permite que alguns permaneçam a fim de que nunca desapareça de vista a expectativa das suas presenças. Enfim, Senhor, torna-me um ancião nobre, que demonstre a sabedoria do envelhecimento digno. A vida é constituída de muitas fases. Aprenda a viver cada uma delas, com todo o entusiasmo porque a infância, a adolescência, a juventude, a madureza e a velhice têm cada qual o seu encanto particular. Não se permita viver sem descobri-lo para jamais se sentir infeliz por passar de uma fase para outra. O segredo da felicidade é viver cada dia em plenitude. Texto do Momento Espírita com base no cap. “Uma oração para quem está envelhecendo”, do livro Histórias para o Coração da Mulher, organizado por Alice Gray, ed. United Press e cap. 2 do livro Vereda Familiar, do Espírito Thereza de Brito, psicografado por Raul Teixeira, Editora Fráter.

Participe das atividades da nossa casa. Sua presença é muito importante!


A CARAVANA julho de 2003

C. E. Nair Montez de Castro

Página 3

LIVRO DO MÊS

COORDENAÇÃO ATIVIDADES ASSISTENCIAIS Distribuição de Alimentos 1º domingo do mês Campanha do Quilo 2º Domingo do mês Sopa de Rua 3º Sábado do mês Sopa das quartas-feiras Todas as quartas-feiras Ambulatório Médico Todas as quartas, às 14:00 horas. Terceiro sábado, de 09:00 às 12:00 hs. Distribuição de Enxovais - Gestantes e Bebês Mensal, última segunda do mês, às 14:00 horas. Sala de Costura Todas as segundas-feiras, às 14:00 horas. Oficina de Trabalhos Manuais com Assistidos Todos os sábados Evangelização para crianças de 6 a 11 anos Todos os sábados, de 09:15 às 10:30 horas. Distribuição de Leite - Crianças até três Anos Todas as segundas-feiras, às 14:00 horas. Recolhimento, Prensa e Troca de Latas. Horário em aberto Centro de Recreação Teresa de Jesus Segundas, quartas e sextas-feiras, às 08:00 horas. Distribuição de Roupas e Calçados Usados Todas as segundas-feiras, às 14:00 horas. COORDENAÇÃO ASSUNTOS DOUTRINÁRIOS Estudo do Evangelho (p/ trabalhadores da Casa) Segundas-feiras, às 16:00 horas. Disciplina Mediúnica Terças e quartas, às 20:00 horas. Sábados, às 14:00 horas. ESDE - Estudo Sistemático da Doutrina Espírita Quintas-feiras, às 16:30 horas. Sextas-feiras, às 20:00 horas. Sábados, às 16:30 horas. Estudo do Livro dos Médiuns Sábados, às 16:30 horas. Juventude Sábados, às 16:30 horas. Evangelização Sábados, às 09:15 e 16:30 horas. Reuniões Públicas Segundas-feiras, às 20:00 horas. Quintas-feiras, às 14:30 horas. Sextas-feiras, às 20:00 horas. Sábados, às 15:00 horas. Tardes Fraternas Sextas-feiras, das 14:00 às 16:00 horas.

AJUDE-NOS A AJUDAR TORNANDO-SE SÓCIO DO C. E. N. M. C.

NOSSO LAR Francisco Cândido Xavier Pelo Espírito André Luiz

DIA DO AMIGO – 20/07/2003 DIA DA VOVÓ – 27/07/2003 Eu tenho um grande amigo, comigo a todo instante, Falar seu nome me traz, presença reconfortante... Amigo que compreende, dá-me força e esperança... Ampara-me se eu tropeço, como se eu fosse criança... É aquele amigo que escuta, que nunca me disse “não”... Comigo está na alegria, e não sinto solidão. Com ele não sinto medo, sou forte e destemido, Pois me mostra a todo dia, que o amor dá vida e sentido. Meu amigo há tantos anos... O conforto que eu preciso, Pois faz-me ter a certeza, quando me sinto indeciso... Amigo assim não existe, dá amor sem nada exigir. Quando estou desanimado, ensina-me a reagir. Feliz eu sou com este amigo, não existe outro assim... Amor leal e profundo, capaz de morrer por mim... Esse amigo tão querido, todo feito de luz, É Pai, Irmão, Mestre e Amigo, cujo nome é JESUS!

CAMPANHAS EM ANDAMENTO ÓLEO, MACARRÃO FARINHA DE MESA, FUBÁ LATAS DE ALUMÍNIO LATAS DE LEITE OU NESCAU VAZIAS

OBRIGADO PELA

DÊ SUA SUGESTÃO, TRAGA SUA COLABORAÇÃO, FALE CONOSCO! GRUPO DE DIVULGAÇÃO: José Carlos e Marcelo.

Terça-feira, das 20:00 às 22:00 hs – José Carlos.

COLABORAÇÃO!


A CARAVANA julho de 2003

Página 4

PROGRAMAÇÃO DE JULHO DE 2003 • Reunião das Segundas - 20:00 Hs DIA 07 14 21 28

TEMA

PSICANÁLISE E ESPIRITISMO JESUS – ENSINOS E AÇÕES A LUTA PELA CONQUISTA DA PAZ A NECESSIDADE DA VIDA SOCIAL

• Reunião das Quintas - 14:30 Hs DIA 03 10 17 24 31

JESUS – ENSINOS E AÇÕES A LUTA PELA CONQUISTA DA PAZ A NECESSIDADE DA VIDA SOCIAL CUIDAR DO CORPO E DO ESPÍRITO A LEI DA DESTRUIÇÃO E A VIOLÊNCIA ATUAL

• Reunião das Sextas - 20:00 Hs DIA 04 11 18 25

TEMA

JESUS – ENSINOS E AÇÕES A LUTA PELA CONQUISTA DA PAZ A NECESSIDADE DA VIDA SOCIAL CUIDAR DO CORPO E DO ESPÍRITO

• Reunião dos Sábados - 15:00 Hs DIA 05 12 19 26

TEMA

TEMA

JESUS – ENSINOS E AÇÕES A LUTA PELA CONQUISTA DA PAZ A NECESSIDADE DA VIDA SOCIAL CUIDAR DO CORPO E DO ESPÍRITO

Quem pergunta quer saber 254. E a fadiga, a necessidade de repouso, experimentam-nas? “Não podem sentir a fadiga, como a entendeis; conseguintemente, não precisam de descanso corporal, como vós, pois que não possuem órgãos cujas forças devam ser reparadas. O Espírito, entretanto, repousa, no sentido de não estar em constante atividade. Ele não atua materialmente. Sua ação é toda intelectual e inteiramente moral o seu repouso. Quer isto dizer que momentos há em que o seu pensamento deixa de ser tão ativo quanto de ordinário e não se fixa em qualquer objeto determinado. É um verdadeiro repouso, mas de nenhum modo comparável ao do corpo. A espécie de fadiga que os Espíritos são suscetíveis de sentir guarda relação com a inferioridade deles. Quanto mais elevados sejam, tanto menos precisarão repousar”. 255. Quando um Espírito diz que sofre, de que natureza é seu sofrimento? “Angústias morais, que o torturam mais dolorosamente do que todos os sofrimentos físicos”. 256. Como é então que alguns Espíritos se têm queixado de sofrer frio ou calor? “É reminiscência do que padecem durante a vida, reminiscência não raro tão aflitiva quanto à realidade. Muitas vezes, no que eles assim dizem apenas há uma comparação mediante a qual, em falta de coisa melhor, procuram exprimir a situação em que se acham. Quando se lembram do corpo que revestiram, têm impressão semelhante à de uma pessoa que, havendo tirado o manto que a envolvia, julga, passando algum tempo, que ainda o traz sobre os ombros”.

C. E. NAIR MONTEZ DE CASTRO Livro dos Espíritos, página 164. Presidente: Teresinha C. Maranhão 1º Vice-Presidente: Aldo M. Coutinho 2º Vice-Presidente: Walmir P. Leão. Rua Vilela Tavares, 173 - Lins de Vasconcelos C.G.C. 34.037.010/0001-13 Inscrição Estadual: 345.856.00

A Caravana - Julho 2003  

Informativo mensal do Centro Espírita Nair Montez de Castro

A Caravana - Julho 2003  

Informativo mensal do Centro Espírita Nair Montez de Castro

Advertisement