Issuu on Google+

Iv secção

sabes implementar

sistema Progresso ? Criado pelos representantes do 15º Ciclo Cenáculo Nacional FEVEREIRO de 2017


etapas de progresso “As etapas de progresso têm o mesmo nome das quatro dimensões do Caminheirismo, embora sejam coisas distintas. Em cada etapa deve valorizar-se cada uma dessas dimensões, mas as outras não devem ser deixadas para trás, abandonadas ou esquecidas.” em Manual do Dirigente A proposta de progresso assenta em Conhecimentos, Competências e Atitudes, com base nas 3 vertentes do saber: o saber saber, o saber fazer e o saber ser. A dinâmica de progresso decorre em volta das 6 áreas de desenvolvimento: Físico, Afetivo, Caráter, Espiritual, Intelectual e Social. Cada uma destas áreas de desenvolvimento tem entre 6 a 8 objetivos. Para progredir, o Caminheiro tem de escolher, em cada uma das etapas de progresso da secção, vários objetivos a atingir, contemplando todas as áreas de desenvolvimento. Assim sendo, um Caminheiro constrói cada etapa de progresso selecionando 2 a 3 objetivos educativos de cada uma das diferentes áreas de desenvolvimento. Nota: todos os conteúdos presentes em ambas as páginas, foram retirados de Manual do Dirigente, Flor de Lís, Site do CNE

ADESÃO Caminho Quando chegam ao Clã, os noviços e aspirantes iniciam a Etapa Caminho (adesão). O objetivo da adesão é o de valorizar a tomada de consciência individual do noviço/aspirante sobre como funciona o Clã, como se vive o dia-a-dia das atividades típicas, qual é a mística, a simbologia, o patrono e quais são os compromissos que se esperam de um Caminheiro. Esta fase culmina com a Promessa, momento em que o noviço ou aspirante toma, por si, a decisão de aderir ao Clã.


partida Esta é uma etapa em que o Caminheiro vive no Clã e para o Clã, mas que cada vez mais deve viver para os outros, para fora do Clã e do próprio CNE, de forma a que possa dizer com verdade que caminha para o Homem-Novo e que o seu exemplo é exemplo a seguir. Para além disto, esta é a etapa em que se deve preparar, mais intensivamente, para receber a Cerimónia da Partida. É, também aqui que deve realizar o seu Desafio.

3 ETAPA

serviço O serviço aparece naturalmente nesta fase do percurso. Aparece como uma vontade de fazer mais e ser melhor, com uma dinâmica de descoberta vivida numa ideia de “receber, dando-se em troca”. A dinâmica do serviço deve ser vivida individualmente, em Tribo e em Clã, em ações que sejam mais do que um serviço esporádico, onde se denote uma vontade de compromisso.

2 ETAPA

Comunidade Depois de o Caminheiro fazer a sua promessa, assume que quer pertencer ao Clã e também ser ativo na sua Tribo. É feito um apelo às Bem-Aventuranças, que dão sentido a um caminho conjunto feito pelo Clã.

1 ETAPA


implementação

integração

.

IV Secção

Atividade de integração dos noviços, antes da passagem de secção Adesão Informal

.

Atividade de Clã para a realização do Diagnóstico Inicial, de um modo mais natural e informal;

.

+

. .

. .

Apresentação gradual da mística, simbologia e patronos aos novos elementos, inserindo na dinâmica das atividades ao longo do ano; Apadrinhamento dos novos elementos, pelos Caminheiros mais velhos, de modo a que haja um acompanhamento mais individualizado.

.

individual Diagnóstico Inicial com classificação dos OEF’s com “Aplico: Sempre, Às vezes ou Nunca.”; Atividades direcionadas à reflexão pessoal, de modo a potenciar a autocrítica e, consequentemente, a criar o PPV; Criação de um modelo prático de PPV, de modo a que não fique esquecido (p.e. um cartão pequeno ou desdobrável); Partilha do desenvolvimento e evolução pessoal em momentos específicos de Tribo e de Clã; Escolha de uma pessoa (dentro e/ou fora do Clã) que acompanhe o desenvolvimento pessoal e ajude a ultrapassar desafios.


implementação

. . .

.

em clã

Elaboração da Carta de Clã, como junção de todas as intenções pessoais expressas nos PPV, inclusive das áreas de progresso; Painel de Progresso, com todos os elementos do Clã, onde devem ser visíveis os objetivos feitos e propostos; Divisão de elementos, consoante objetivos: - Criação de equipas de trabalho no desenvolvimento de atividades, com áreas a desenvolver em comum; - Interajuda entre elementos que já têm objetivos feitos e os que se propõem. - Dirigente como orientador dos vários grupos de trabalho e a acompanhar o desenvolvimento pessoal de cada elemento. Avaliação do desenvolvimento individual e do Clã ao longo da Caminhada, em momentos específios como Conselhos de Guias, de Clã ou atividades.

partida

. .. . ..

PARTIDA Estar informado sobre o que é a etapa da Partida através dos recursos disponibilizados pelo CNE; Propor a Partida ao Clã; Utilização do Cerimonial da Partida, já existente, e adaptá-lo à realidade pessoal de quem vai partir.

DESAFIO Procurar aquilo que a comunidade precisa; Sair da zona de conforto; Fazer um testemunho final, como modo de incentivo a outros Caminheiros (por exemplo, em formato de vídeo).


etapas de progresso “As etapas de progresso têm o mesmo nome das quatro dimensões do Caminheirismo, embora sejam coisas distintas. Em cada etapa deve valorizar-se cada uma dessas dimensões, mas as outras não devem ser deixadas para trás, abandonadas ou esquecidas.” em Manual do Dirigente A proposta de progresso assenta em Conhecimentos, Competências e Atitudes, com base nas 3 vertentes do saber: o saber saber, o saber fazer e o saber ser. A dinâmica de progresso decorre em volta das 6 áreas de desenvolvimento: Físico, Afetivo, Caráter, Espiritual, Intelectual e Social. Cada uma destas áreas de desenvolvimento tem entre 6 a 8 objetivos. Para progredir, o Caminheiro tem de escolher, em cada uma das etapas de progresso da secção, vários objetivos a atingir, contemplando todas as áreas de desenvolvimento. Assim sendo, um Caminheiro constrói cada etapa de progresso selecionando 2 a 3 objetivos educativos de cada uma das diferentes áreas de desenvolvimento. Nota: todos os conteúdos presentes em ambas as páginas, foram retirados de Manual do Dirigente, Flor de Lís, Site do CNE

ADESÃO Caminho Quando chegam ao Clã, os noviços e aspirantes iniciam a Etapa Caminho (adesão). O objetivo da adesão é o de valorizar a tomada de consciência individual do noviço/aspirante sobre como funciona o Clã, como se vive o dia-a-dia das atividades típicas, qual é a mística, a simbologia, o patrono e quais são os compromissos que se esperam de um Caminheiro. Esta fase culmina com a Promessa, momento em que o noviço ou aspirante toma, por si, a decisão de aderir ao Clã.


partida Esta é uma etapa em que o Caminheiro vive no Clã e para o Clã, mas que cada vez mais deve viver para os outros, para fora do Clã e do próprio CNE, de forma a que possa dizer com verdade que caminha para o Homem-Novo e que o seu exemplo é exemplo a seguir. Para além disto, esta é a etapa em que se deve preparar, mais intensivamente, para receber a Cerimónia da Partida. É, também aqui que deve realizar o seu Desafio.

3 ETAPA

serviço O serviço aparece naturalmente nesta fase do percurso. Aparece como uma vontade de fazer mais e ser melhor, com uma dinâmica de descoberta vivida numa ideia de “receber, dando-se em troca”. A dinâmica do serviço deve ser vivida individualmente, em Tribo e em Clã, em ações que sejam mais do que um serviço esporádico, onde se denote uma vontade de compromisso.

2 ETAPA

Comunidade Depois de o Caminheiro fazer a sua promessa, assume que quer pertencer ao Clã e também ser ativo na sua Tribo. É feito um apelo às Bem-Aventuranças, que dão sentido a um caminho conjunto feito pelo Clã.

1 ETAPA


O Sistema de Progresso, que procura envolver – de forma consciente – cada criança e jovem no seu próprio desenvolvimento, é a principal ferramenta de suporte à progressão pessoal. em Programa Educativo

Os conteúdos presentes neste desdobrável foram desenvolvidos pelos representantes do 15º Ciclo de Cenáculo Nacional, no 1º encontro, cujos conteúdos mais aprofundados estarão disponíveis na Cyarta do 15ºCiclo. Aqui poderás encontrar exemplos de dinâmicas e ideias de implementação do Sistema de Progresso Pessoal. O objetivo é que este desdobrável seja utilizado como uma ferramenta auxiliar na vivência diária de qualquer Caminheiro e no próprio Clã. Nota: Sempre que mencionado Clã, Caminheiro, Tribo e Caminhada, considere-se também Comunidade, Companheiro, Companha e Campanha, respectivamente.


Desdobrável Sistema de Progresso