Page 1

Publicação interna com notícias do Grupo INAL | Nº 81 | 2018

CEMA também em Guarulhos

3 Pág.

Plano de expansão leva a nossa excelência médica para a maior cidade paulista, além da capital

RESIDÊNCIA MÉDICA

FAZENDO ESCOLA

CEMA É TRICAMPEÃO

Dr. Andy Vicente assume a gestão da residência do curso de Otorrinolaringologia, com foco no aproveitamento dos alunos

Conduzida por pedagogos, a Brinquedoteca do CEMA vem se destacando como exemplo em faculdades

Equipe de Catarata e Cirurgia Refrativa ganha prêmio em Congresso Internacional por três anos consecutivos


Editorial

A capacidade de olhar para o futuro Fiel ao compromisso de estar cada vez mais perto dos clientes, o CEMA inaugurou em junho mais uma unidade, desta vez em Guarulhos. A escolha do município levou em conta vários fatores, sendo três os mais importantes: 1) o potencial da cidade, que detém o quarto maior PIB e é o segundo município mais populoso do Estado, com mais de 1,3 milhão de habitantes, dos quais 65% possuem planos de saúde; 2) sua localização geográfica, que permite dar acesso ao atendimento especializado a mais quatro importantes municípios da região metropolitana: Arujá, Mairiporã, Nazaré Paulista e Santa Isabel; e 3) o mais importante: havia uma demanda recorrente dos nossos usuários residentes nessas cidades, que solicitavam essa maior proximidade. Ou seja, estamos literalmente "dando ouvidos" a um pedido antigo dos nossos próprios clientes. O plano de expansão por meio de unidades externas já alcançou as cinco regiões da capital e está chegando cada vez mais longe. Atualmente, há dez

delas em funcionamento e quatro outras em andamento, com inaugurações previstas até fevereiro de 2019. É um desafio de fôlego, como são todos os projetos do CEMA. A capacidade do Grupo INAL de olhar para o futuro está por trás de boa parte do seu sucesso. Com essa mesma visão que antecipa soluções, a Residência Médica de Otorrinolaringologia ganhou, recentemente, um novo coordenador: o Dr. Andy Vicente, exresidente do CEMA, assumiu o posto com o objetivo de dinamizar o atendimento. Sua relação com o Hospital repete a experiência de muitos médicos que passaram pela nossa Residência e trabalham atualmente na Instituição: aqui, encontraram espaço para crescer e se sentem em família. Ainda nesta edição, você irá conhecer um pouco mais do funcionamento da Brinquedoteca e saber por que ela tem se tornado exemplo para estudantes de Pedagogia. É o CEMA chegando cada vez mais longe. Boa leitura!

O que eu estou lendo Técnica de Enfermagem do Centro Cirúrgico, Lívia Moreira Lima sugere dois livros que são um verdadeiro mergulho na cultura chinesa

Histórias de superação sempre chamam a atenção das pessoas. Foi uma delas que inspirou e comoveu Lívia Moreira Lima, técnica de Enfermagem do Centro Cirúrgico. “Adeus, China – O Último Bailarino de Mao”, de LiCunxin, tornou-se um de seus livros favoritos. Obra com caráter autobiográfico, o livro conta a história de LiCunxin, um camponês que viu na dança a oportunidade de fugir da fome e da miséria na China, na época do regime comunista de Mao TséTung, que governou a China de1949 a 1976. “Além de ser uma linda história de superação, é também uma ótima forma de conhecer melhor a cultura e a história chinesas”, detalha Lívia, que está no CEMA há 13

meses. Sexto, do sétimo filho da família Li, todos do sexo masculino, Cunxin é escolhido pelo regime de Mao para estudar dança e torna-se um bailarino famoso, mas precisa ficar longe da família por anos, tendo que lidar com a saudade de casa e a adaptação a um país novo, os Estados Unidos. “Outro livro que eu indico – e que é o meu preferido – é 'Memórias de uma Gueixa', de Arthur Golden, pois ele retrata o universo das gueixas em profundidade. Elas formam uma espécie de comunidade secreta, o que torna o livro ainda mais interessante”, resume Lívia. Duas leituras comoventes, por isso vale separar uns lencinhos antes de embarcar nos romances.

Expediente O CEMA News é uma publicação interna do Grupo INAL, distribuída a todos os colaboradores do Hospital CEMA, Instituto CEMA e amigos da instituição; Conselho Editorial: Dr. Roberto Aquino, Albano Luz, Celso Campello Jr., Jacqueline Teixeira, Carina Alexandre Burriel e Jéssica Minoda Monteiro; Diretor Responsável: Dr. Roberto Aquino; Editor: Celso Campello Jr. (Mtb 19.390); Redação e Revisão: Agência NB Comunicação; Secretária Editorial: Jacqueline Teixeira; Fotos: Jéssica Minoda Monteiro, Marco Aurélio Soares, Wesley Cavalcante e arquivo pessoal; Design Gráfico: Albano Luz e Carina Alexandre Burriel; Tiragem: 1.500 exemplares. Contato: celso@cemahospital.com.br | www.cemahospital.com.br | www.facebook.com/hospitalcema | Instagram: @cemahospital

2


Expansão

Guarulhos já pode contar com a excelência do CEMA Nona unidade externa é inaugurada no Internacional Shopping Guarulhos, para atender a segunda maior cidade do Estado

ansiosos por essa inauguração, pois a região de Guarulhos é carente em Oftalmologia. A previsão é de que a nova unidade tenha grande movimento, principalmente por que o paciente contará com um serviço de excelência e humanizado”, afirma. A abertura da unidade em Guarulhos faz parte do plano de expansão do Hospital, iniciado em 2008. Atualmente, Fádua (à frente, de lenço) e equipe: entusiasmados com a inauguração da unidade Guarulhos moradores das cinco regiões da Capital e do ABC já podem contar com a lassificada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e excelência do CEMA, sem precisar se deslocar muito Estatística (IBGE) como a maior “cidade não capital” do além de onde residem ou trabalham. Elas estão Brasil, Guarulhos é a segunda mais populosa do Estado localizadas sempre próximo ou dentro do principal de São Paulo e a 13ª do País, com cerca de 1,35 milhão shopping center da região, para aumentar a segurança e de pessoas. No dia 11/6, o município ganhou mais um serviço de saúde de qualidade, com a inauguração da 9ª a facilidade de acesso, por ônibus ou metrô. São elas, unidade ambulatorial do CEMA, dentro do Internacional Santana e Tucuruvi, na Zona Norte; Aricanduva e Itaquera, na Leste; Interlagos, na Sul; Eldorado, na Shopping Guarulhos. “A escolha por Guarulhos deveuse, principalmente, ao potencial da cidade, à localização Centro-Sul, e West Plaza, na Oeste; e em São Bernardo geográfica, que dá oportunidade de acesso da população do Campo, no ABC paulista. O plano prevê ainda a inauguração de três novas de cidades vizinhas, como Arujá, Mairiporã, Nazaré unidades externas até o fim do ano: São Miguel Paulista, Paulista e Santa Isabel, e - o mais importante - é que em outubro; Mooca, em novembro, e Osasco, em estamos atendendo a uma solicitação recorrente de dezembro. Para 2019, já há uma unidade em nossos pacientes”, explica o gerente de Marketing do negociação, para atender os moradores e clientes de CEMA, Albano Luz. Taboão da Serra. Além das consultas regulares, os pacientes podem fazer exames para diagnóstico e tratamento de suas doenças de olhos, ouvidos, nariz e garganta – todos utilizando equipamentos de alta precisão e de última geração. Apenas os casos cirúrgicos são encaminhados ao Hospital CEMA. Tanto os pacientes de planos de saúde quanto particulares podem ter acesso aos serviços, por meio de consultas com hora marcada ou prontoatendimento. A supervisora da nova unidade, Fádua Regina Cury (foto), diz que a chegada do CEMA à cidade irá suprir uma demanda antiga dos moradores. “Nós estávamos 3

C


Aconteceu

4

O apresentador Luciano Faccioli esteve no CEMA para consulta oftalmológica, no dia 16/3, e foi recebido pelo diretor Guido Aquino. Ex-Record TV, Band e Rede TV!, ele está agora à frente do programa Papo em Dia, na Rede Brasil TV.

A unidade CEMA Eldorado recebeu a visita do cantor Belo, no dia 18/4. Ele foi verificar como anda a saúde dos olhos, com a Dra. Maria Luiza Fink, e dos ouvidos, nariz e garganta, com a Dra. Silvana Salles (foto), antes de iniciar a próxima maratona de shows.

O Prefeito Bruno Covas e o Prefeito Regional da Mooca, Paulo Sergio Criscuolo, estiveram no CEMA, no dia 18/5, para uma visita de cortesia. Almoçaram com a diretoria e conheceram a estrutura do Hospital, fazendo apresentação no auditório.

O CEMA recebeu uma visita animada, no dia 16/5. Pascoal da Conceição, mais conhecido como Dr. Abobrinha, do Castelo Rá-Tim-Bum, acompanhou seu pai em consulta oftalmológica, para a alegria das atendentes do setor.

No sábado, 26/5, o CEMA In Company participou do 5º Circuito Interno de Saúde – Qualivida, do Clube Paineiras do Morumby. Na foto, José Sant´Ana, gerente de Relações Institucionais do CEMA, e Nelson da Silva Villares, 2º vice-presidente do Clube.

Relacionamento Interpessoal foi o tema do treinamento realizado pela equipe de RH, no dia 7/6. Com foco no respeito às diferenças, o curso encerrou a programação do primeiro semestre.


#somosCEMA Representando nosso quadro de colaboradores, agradecemos não só a eles, mas a cada um dos integrantes da Família CEMA pela dedicação e comprometimento. Alex Ruan Oliveira Santos Auxiliar de Exames - CEMA São Bernardo No CEMA desde 25/07/2016

Cícero da Silva Dourado Estagiário de Administração No CEMA desde 18/12/2017

Bruna Alburquerque Lira Auxiliar Administrativo - CEMA Interlagos No CEMA desde 17/07/2017

Vagner Mota Santana Enfermeiro No CEMA desde 19/03/2007

Hugo Augusto de Franco Batista Auxiliar de Exames - Instituto CEMA No CEMA desde 04/08/2014 Andreza Gama Toste Borges Supervisora de Enfermagem - CEMA West Plaza No CEMA desde 04/09/2017

5


Institucional

Residência de Otorrinolaringologia tem novo coordenador O programa, que já existe há 35 anos e formou 192 especialistas, ganha agora mais um nome de peso na sua direção

Quando se fala em Residência Médica no CEMA, um dos nomes mais lembrados é o de Andy Vicente. Há mais de 20 anos na instituição, o otorrinolaringologista sempre auxiliou na Residência. Agora, assume um novo desafio na área: a coordenação. “Estou muito contente com a oportunidade que o Hospital me deu. Meu principal objetivo é que a modalidade cresça cada dia mais”, afirma. Atualmente, o programa forma 10 profissionais por ano, uma marca que deixa o CEMA no topo entre as instituições que mais admitem residentes de otorrinolaringologia. O projeto, que tem todo

apoio da diretoria, conta com um planejamento anual e avaliações regulares. Há ainda cursos preparatórios para alunos do último ano, aulas mensais com professores convidados e toda a expertise do corpo clínico. “Nós conseguimos quase triplicar a quantidade de aulas. A ideia é justamente formar bons especialistas, que integrem equipes fortes. O grande objetivo é que todos os residentes consigam o título de otorrinolaringologista, e que isso seja apenas a consequência de um bom trabalho”, declara. Segundo ele, a expectativa é de que nos próximos anos as aprovações aumentem ainda mais. “Estamos com uma equipe muito boa”, garante. Natural de São Francisco do Sul - SC, o Dr. Andy Vicente é referência na Residência Médica, principalmente por ser um pesquisador nato. Graças a essa curiosidade científica, ele conseguiu, recentemente, integrar uma importante publicação médica, com detalhes de sua linha de pesquisa sobre otosclerose (veja box). Atualmente, o Dr. Andy divide-se entre a medicina, gestão e vida acadêmica. Relembra os anos em que era aluno, nas salas de aula: “Apostei todas as minhas fichas aqui. O CEMA é como uma família para mim; por isso, trabalho para que o Hospital cresça cada vez mais”.

Pesquisa do Dr. Andy integra importante livro sobre otosclerose Por trás de toda inovação médica existe uma vasta pesquisa. E cada uma dessas linhas de estudo é fruto da iniciativa e expertise de pessoas preocupadas em melhorar a qualidade de vida dos pacientes. É o caso do Dr. Andy Vicente. Mais de 20 anos de investigações na área resultaram no que o médico considera como a “Bíblia da Otosclerose”. A publicação “Otosclerosis and Stapes Surgery”, de Adrien A. Eshraghi e Fred F. Telischi, foi lançada este ano e conta com a contribuição do especialista. O livro traz um detalhamento sem precedentes sobre a doença. “Essa obra é só uma amostra do que foi o trabalho de parceria com a Escola Paulista de Medicina, e é um estudo que uso todos os dias na minha prática clínica”, diz o Dr. Andy.

6


Institucional Há alguns anos, o diagnóstico dessa disfunção era feito, basicamente, por meio de avaliação clínica e audiométrica, com pouca precisão na identificação da otosclerose. A linha de pesquisa da qual o Dr. Andy faz parte veio justamente para melhorar a condução clínica, por meio de exames mais detalhados. “Quando eu comecei, não se pedia tomografia, nesses casos. Foi nosso grupo que difundiu no Brasil a identificação da doença por meio de imagens. Com isso, conseguimos ver antes o que é possível fazer, traçar um planejamento para tratar o paciente da maneira mais adequada”, explica. A otosclerose é uma disfunção que acomete o osso do ouvido, e pode resultar em perda auditiva. É como se fosse uma espécie de osteoporose, pois provoca uma anormalidade no tecido ósseo local, impedindo a correta condução das vibrações sonoras. A principal causa é genética e a manifestação da doença acontece precocemente, entre 20 e 30 anos. Cerca de 1% da população sofre com o problema. Desse total, de 5% a 9% das pessoas com perda auditiva são portadoras de otosclerose.

Diretor-Clínico do CEMA começou como residente Há 20 anos, o médico Leandro

nomeação como Diretor-Clínico, há 10 anos, ele acumulava as Franchi não imaginava que o funções de delegado do Hospital onde fez Residência se Conselho Regional de Medicina transformaria em uma segunda do Estado de SP (CREMESP), casa, um lugar onde construiria onde ficou por 10 anos. sólida carreira. Assim como seu Na parte clínica, a sua colega, Andy Vicente, atual subespecialidade é a rinologia, coordenador do curso de área da otorrinolaringologia que Residência Médica de cuida das vias aéreas superiores, otorrinolaringologia do CEMA, a como nariz e os seios da face. trajetória do Dr. Leandro está “Tive a oportunidade de após ligada à da instituição. Nosso terminar minha residência fazer Diretor-Clínico viu muita coisa fellowship, por dois anos, com mudar nesse tempo, mas a um dos maiores nomes da área, certeza de “estar em casa” é uma que é o Dr. Alexandre Filippo”, constante, há algum tempo. conta. Hoje, o Dr. Leandro se “Minha história inteira passei divide entre gestão e clínica, aqui. Tanto que não considero um embora a primeira ocupe mais o segundo lar, concorre com o seu tempo. primeiro”, brinca. “Minha principal recomendação Foi na época que atuou como Ele começou no CEMA como para os residentes é que residente que ele conheceu o Dr. residente, em 1997. Em 2001, tenham muita calma, pois o Andy. “Eu estava aqui há 1 ano, veio a nomeação para gerente conhecimento leva tempo”. quando o Andy chegou. Desde o operacional de início, mostrou ser um profissional muito dedicado Otorrinolaringologia e, em 2008, foi eleito Diretore inteligente”. Ambos traçaram um longo caminho Clínico. Em todo esse tempo, o único período que passou longe do Hospital foi quando teve que atuar até aqui, cada um a seu modo, mas com uma como médico, em Rondônia – onde ficou por 1 ano mesma convicção: “O CEMA dá oportunidade para que o residente cresça. Aqui realmente temos um - em razão do alistamento militar obrigatório. Atualmente, Dr. Leandro exerce funções de gestão e plano de carreira. Basta ter paciência, qualidade e determinação”. orienta também a parte jurídica. Na época da 7


Unidades CEMA CEMA Tucuruvi

Cada vez mais próximo do cliente Unidades externas levam a excelência do CEMA para as cinco regiões da cidade e municípios vizinhos, facilitando a vida de quem dele precisa Para conferir endereços e horários de funcionamento de cada unidade acesse: www.cemahospital.com.br/outras-unidades

CEMA Santana CEMA West Plaza

CEMA Eldorado

OSASCO SÃO PAULO TABOÃO DA SERRA

CEMA Taboão*

CEMA Osasco*

CEMA Interlagos


Unidades CEMA

CEMA Guarulhos

GUARULHOS CEMA São Miguel*

CEMA Aricanduva

CEMA Itaquera

Hospital CEMA (Belém)*

CEMA Mooca

CEMA São Bernardo


Há mais de uma década Organização e empatia: habilidades de uma líder de Internação O dia de uma líder de Internação passa em modo acelerado. Acolher os pacientes, gerenciar a agenda dos médicos, organizar a rotina dos funcionários: as tarefas são muitas. No CEMA, esse trabalho é feito, em uma parte do tempo, pela Silmara Santos do Nascimento. Há 11 anos no Hospital, Silmara começou na Central de Atendimento, em 2007. Lá ficou por 2 anos, quando mudou para o setor de Internação, para exercer a função de recepcionista, tendo uma oportunidade de breve período no setor de Guias. “Gosto muito do que faço. É um cargo que exige humanidade e muita empatia. Nós temos que sempre tentar entender o lado das pessoas, o quanto elas estão sensíveis no momento da internação. Além da empatia, o bom humor é essencial para tornar o dia dos pacientes

“Aqui cresci como profissional e também pessoalmente. Sou grata pelas oportunidades e reconhecimento daqueles que me apoiaram e confiaram em meu trabalho” mais confortável”, resume. Mãe do Pietro, de 5 anos, e da Ana Clara, de 4, Silmara pensa em se aprimorar ainda mais, porém o foco principal hoje é continuar exercendo um bom trabalho como líder de Internação e cuidar dos filhos – atividades tão desafiadoras quanto a profissão que exerce. Sobre o CEMA, Silmara é só agradecimento: “Tudo que aprendi profissionalmente devo ao Hospital e à minha força de vontade. Minha mentalidade mudou, fiz amigos, aqui passei praticamente uma vida”.

Uma carreira construída no CEMA É muito comum encontrar médico residente que consolida a carreira dentro do CEMA. Porém, existem alguns que não somente trilham um caminho profissional de sucesso, mas formam uma família. Quem vê a oftalmologista Gisele Giglio, talvez nem imagine que ela já está no Hospital há 23 anos. O ponto de partida foi a Residência Médica que, duas décadas atrás, não era como nos moldes atuais – embora as exigências fossem altas, como hoje. Formada pela Faculdade de Medicina da Fundação ABC, em 1994, Gisele assumiu por 10 anos a chefia do ProntoAtendimento, onde fazia o gerenciamento do setor. Desse período, guarda muitas histórias e a experiência de lidar com os desafios e a rotina de um P.A. Nesse meio tempo, ela foi também preceptora de Glaucoma, na Residência – subespecialidade em que ainda atua –, ensinando tanto a parte clínica, quanto cirúrgica. Hoje, ela se divide para atender os inúmeros pacientes que conquistou nesses anos todos trabalhando no CEMA, e cuidar do ambulatório geral da unidade de São Bernardo. A paixão pela oftalmologia continua a mesma do início. Tanto que a filha, Giovanna, de 20 anos, que

10

“Eu mudei muito nesse tempo, mas posso dizer que esta é a minha casa, onde cresci. Devo tudo que tenho ao Hospital” está no quarto ano de Medicina, enveredou para o mesmo caminho. “Ela ainda está em dúvidas se faz Oftalmologia ou Otorrinolaringologia. Mas tem muita gente que já escolheu por ela”, brinca.


Fique por dentro! Brinquedoteca vira case para estudantes de Pedagogia

Tatiane (de rosa): levando a expertise do CEMA para universidades

C

ada vez com mais frequência, a pedagoga Tatiane Batista do Nascimento, assistente de Hospitalidade da Brinquedoteca, tem sido convidada para dar palestras sobre a metodologia aplicada às crianças no Hospital CEMA. Como elas são recebidas e acalmadas, antes de passar por consultas ou cirurgias? “As pessoas não

imaginam que, no CEMA, esse trabalho é feito por pedagogos. A maioria dos hospitais usa psicólogos para essa função”, comenta Tatiane. No último dia 15/5, Tatiane esteve na Universidade Anhembi Morumbi, palestrando sobre educação hospitalar para 86 alunos dos cursos de Pedagogia e Pós-graduação em Psicopedagogia. Tema da palestra: Brinquedoteca Hospitalar. “O interesse dos alunos é muito grande, porque temos uma experiência consolidada para compartilhar”, afirma. A Brinquedoteca está presente no PA de Otorrinolaringologia. O espaço é exclusivo para crianças de 18 meses a 10 anos. “Utilizamos brinquedos, livros, desenhos, lousa e jogos, para entreter as crianças. O ambiente é decorado com temas culturais, por exemplo, Dia do Índio. Também atuamos dentro do centro cirúrgico, antes da cirurgia. Lá, trabalhamos com filmes, desenhos e brinquedos. O objetivo é ganhar a confiança do menor”. Após, as crianças são visitadas nos quartos, onde recebem o “Certificado de Coragem”. A Brinquedoteca atua em parceria com a Enfermagem, Qualidade e Nutrição. Atualmente, a equipe é composta de 1 pedagoga e 5 estagiárias, estudantes de Pedagogia.

Cirurgias ganham agilidade com novo processo de confirmação Todo mês, cerca de 1.700 cirurgias são realizadas no Hospital CEMA. Para cada uma delas, é necessário observar uma série de procedimentos que, se não forem seguidos, impedem a sua realização. Quando isso acontece, o nível de insatisfação é grande. Para diminuir esse problema, em março foi implantado um novo processo: a colaboradora Gabriella Veras Martins faz a organização do check-in com os pacientes. Passa o preparo para a cirurgia, pergunta sobre remédios, pressão alta, diabetes, alergias e vacinas, orienta sobre o estacionamento, onde se dirigir ao chegar ao Hospital. Principalmente, fala do horário, do jejum e da necessidade de trazer a guia de internação autorizada pelo convênio, nos casos em que o plano exige que o próprio paciente pegue esse documento. “Começo o contato uma semana antes da cirurgia e reforço por e-mail. Quando o paciente não tem e-mail, ligo novamente, dois dias antes, para relembrar”, diz Gabriella. Para a supervisora de Internação Renata Lima, o impacto do novo procedimento na organização do

O gerente de Atendimento André Paupério, com Renata Lima e Gabriella Veras (à dir.): Melhorias na internação

fluxo de cirurgias é evidente. “Hoje, conseguimos saber se o convênio autorizou e o horário que o paciente vem. O índice de queixas caiu para menos de 1%, além da otimização do uso dos leitos”, diz ela.

11


Fique por dentro!

Agora, somos tricampeões! Liderados pelo Dr. Guido Aquino Júnior, médicos do CEMA são premiados em Congresso Internacional, pela terceira vez consecutiva

As cirurgias de catarata estão cada vez mais avançadas, no entanto, como todo procedimento médico, envolve muito cuidado. Quando é necessário substituir a lente, por exemplo, é preciso muita perícia para fazer a troca, sem prejudicar a visão. Pois foi o que aconteceu com um paciente de aproximadamente 72 anos, operado pela equipe do Dr. Guido Aquino Júnior. “Após 18 meses da cirurgia, constatamos que a lente intraocular havia opacificado”, diz a oftalmologista Marina Falcão de Abreu Araújo, uma das três médicas que cuidaram do caso – as outras são Carolina Tomé Alves e Giovana Guzzatti – sob a orientação do Dr. Guido Júnior. Segundo a Dra. Marina, a lente apresentou uma opacidade entre as duas lentes, criando um depósito de cálcio. A equipe precisou agir rápido e com muita presteza, para explantar a lente comprometida e colocar uma nova, sem danificar a visão do cliente. “O planejamento da cirurgia teve que mudar, mas o paciente hoje está com boa visão, satisfeito com o resultado”, comenta a médica. A lente opacificada foi devolvida para o fabricante, na Alemanha, e o parecer técnico é que se tratou de um caso isolado. Documentado, esse trabalho científico foi premiado no XVIII Congresso Internacional de Catarata e Cirurgia Refrativa, realizado em São Paulo, entre os dias 16 e 19 de maio. Ele concorreu com quatro outros casos clínicos. Esse é o terceiro ano consecutivo que os médicos do CEMA recebem essa premiação, reconhecida como uma das mais importantes da especialidade. O Congresso sempre inova ao trazer casos científicos, que oferecem uma oportunidade de aprendizado e troca de experiências para os cirurgiões de catarata e refrativa dos vários países participantes. 12

Equipe de Catarata e Refrativa do CEMA no Congresso Internacional de Oftalmologia: excelência premiada

Os casos avaliados no Congresso são sempre submetidos, antes do início do evento, à uma comissão, que julga a relevância e aprova (ou não) a participação do trabalho. Neste ano, todos os casos apresentados pela equipe do Dr. Guido Júnior foram aprovados.

O Congresso Internacional de Catarata e Cirurgia Refrativa é realizado pela Associação Brasileira de Catarata e Cirurgia Refrativa (ABCCR/BRASCR). É o terceiro maior congresso da subespecialidade no mundo e o maior do hemisfério Sul. Conta com dezenas de convidados internacionais, mais de 250 palestrantes brasileiros, premiações e laboratórios. O evento está em sua 18º edição e acontece anualmente, sempre em uma cidade diferente.


#CEMAinCompany

CEMA In Company: cuidando da saúde, com toda a comodidade O programa que leva a excelência do CEMA para empresas, prefeituras, clubes e entidades de classe completa 10 anos de muito sucesso

José Augusto Sant´Ana (dir.) e o Prefeito Regional da Sé, Eduardo Odloak

Já há algum tempo, o CEMA expandiu seu alcance para além dos limites da Mooca. As unidades ambulatoriais instaladas em várias regiões da cidade e até fora dela são um exemplo, mas há outro serviço que leva a excelência diagnóstica do Hospital para perto de quem precisa dela: o CEMA In Company. Criado há 10 anos, o programa tem raízes na parceria com a prefeitura regional da Sé, para marcar o Dia Mundial da Saúde, realizado há 15 anos no Pátio do Colégio, em conjunto com a Associação Comercial de São Paulo (foto). Atualmente, as empresas públicas e privadas, associações de classe, clubes, e prefeituras interessadas solicitam o programa na aba “CEMA In Company” do site do Hospital. Durante a ação, os participantes passam por uma pré-consulta, medindo a pressão intraocular, grau de refração, grau dos óculos, e outros, todos com a ajuda de aparelhos específicos, e passam por uma triagem feita pela equipe de enfermagem, para aferir a pressão arterial e os níveis de glicemia.

“Por envolver uma logística que demanda escala de médicos, técnicos, enfermeiros, equipe de apoio e equipamentos, além da contratação de transporte e visitas técnicas, temos, atualmente, capacidade para realizar de 2 a 3 eventos mensais”, explica o coordenador de Relações Institucionais do Hospital e Instituto CEMA, José Augusto de Sant'Ana. Segundo ele, quando são encontrados casos mais complicados e que demandam avaliação mais detalhada, o participante do programa é orientado a procurar o Hospital ou as unidades, para receber atendimento especializado. A boa prática médica – que orienta a prevenir, ao invés de remediar – está por trás do sucesso que programas como o CEMA In Company. “É do conhecimento de todos que a saúde é um componente essencial para o bem-estar da população. Programas como esse ajudam os colaboradores no diagnóstico de doenças oculares e otorrinolaringológicas antes que elas se manifestem, o que propicia aos responsáveis pela gestão de saúde nas empresas reduzir os seus índices de absenteísmo, bem como despertar em seus colaboradores uma cultura de conscientização para participação em eventos dessa natureza”, resume Sant'Ana.

Dia Mundial da Saúde: parceria há mais de 15 anos com a Regional da Sé e a Associação Comercial

13


Qualidade de Vida

Seus olhos estão mesmo saudáveis? Alguns sintomas podem indicar que não

Os olhos são uma estrutura complexa, que vai além de retina, pupila e córneas. E a lista de doenças que podem atingi-los é extensa. Quando há alguma coisa errada, os olhos dão sinais: coceira, lacrimejamento, vermelhidão, dor. “Qualquer desses sinais indica uma visita ao médico, pois muitas patologias oculares começam dessa forma e, se não forem diagnosticadas rapidamente, podem trazer prejuízos à visão”, alerta o oftalmologista Omar Assae. Conheça os principais sintomas de problemas nos olhos e o que eles podem significar: Olhos vermelhos – Ocorre quando há uma dilatação dos vasos sanguíneos, em decorrência de uma infecção ou irritação. A irritação pode ser causada por alergia a cosméticos, produtos químicos, poeira, fumaça ou a presença de corpos estranhos. A inflamação pode indicar ainda uma conjuntivite ou algo mais grave, como uveítes e infecções intraoculares – doenças que podem causar perda da visão. Se a vermelhidão persistir por mais de 5 dias, e vem acompanhada de secreções amareladas ou esverdeadas e sintomas paralelos, como náuseas e vômitos é necessária uma investigação mais detalhada. Coceira nos olhos – Quando eles começam a coçar, pode ser sinal de irritação ou alergia. Pessoas com rinite, sinusite e outras alergias tendem a enfrentar mais esse problema, principalmente nos períodos de crise. Cosméticos e até mesmo o uso inadequado de lentes de contato podem provocar coceira. Em alguns casos, a presença de corpos estranhos causa essa sensação, bem como alguma inflamação, como conjuntivite. Coceiras ocasionais não costumam ser preocupantes, mas quando persistentes e acompanhadas de outros sintomas devem ser avaliadas por um especialista, pois podem indicar algo mais sério. Olhos lacrimejando – As lágrimas são essenciais para os olhos: cheias de água e sais, elas ajudam a mantê-los

14

lubrificados e livres de agentes estranhos. No entanto, muitos problemas podem levar a um lacrimejamento exagerado. É o caso da conjuntivite, que além de vermelhidão, coceira e dor, provoca esse quadro. A exposição a produtos químicos e a fotofobia também podem causar aumento da produção lacrimal. Porém, o mais comum é que seja decorrente de um mau funcionamento na drenagem das lágrimas, que é feita pelas glândulas lacrimais. Geralmente, o tratamento é simples. Quando há uma anormalidade ou obstrução do canal lacrimal, o médico pode indicar cirurgia para resolver a situação. Olho seco – Enquanto algumas pessoas sofrem com o excesso de lágrimas, outras podem enfrentar a falta delas. E como não há lubrificação, os olhos ficam secos. A exposição à poluição, ao vento, ao sol, ou ficar em ambientes com ar-condicionado e ficar muito tempo na frente das telas, como TV, Smartphones e computadores, podem ressecar os olhos. Alguns anti-histamínicos, antidepressivos e diuréticos também podem causar esse sintoma, bem como a menopausa e uso inadequado de lentes de contato. Existe ainda a Síndrome do Olho Seco, que provoca ressecamento na superfície ocular, devido ao mau funcionamento nas glândulas que produzem as lágrimas. O olho seco pode ainda significar outras enfermidades, como doenças reumáticas.


A minha dica é.... Você gosta de viagens e passeios? Outros colaboradores também gostam – alguns tanto, que se declaram “viciados” nestas atividades. Perguntamos a dois desses colegas quais destinos de turismo ou lazer recomendariam e por que. Nesta edição do CEMA NEWS, eles responderam. Nas próximas, pode ser você. Acompanhe as dicas e divirta-se!

Por Ingrid Fernandes, auxiliar de cobrança, Tesouraria Uma boa dica de viagem é Barra Grande, na Bahia, a 130 km de Ilhéus. É uma ilha charmosa, bem rústica e cheia de personalidade, com praias paradisíacas. Os nativos são super acolhedores, vale muito a pena ir. Estive lá esse ano pela quarta vez, com meu noivo e meus pais. Visitamos Taipu de Fora, um lugar com piscinas naturais de águas claras, areias brancas e coqueirais, ideal para mergulho. Assistir o pôr de sol de Barra Grande ao lado das pessoas que você ama é inesquecível.

Você sabia?

Barra Grande está localizada na Península do Maraú, na chamada Costa do Dendê, Sul da Bahia. O aeroporto mais próximo é o de Ilhéus, de onde é possível reservar um traslado para ir até as praias da Península. Partindo de Salvador, o melhor é seguir de ferry-boat até o porto de Camamu, onde existem opções para Barra Grande e Taipu de Fora em barcos comuns e lanchas rápidas, entre 6 da manhã e 5h da tarde.

Por Jaqueline Lica Correia, Recepcionista CEMA Itaquera Quer passar um dia divertido, bem pertinho da cidade? Vá ao Wet´n Wild. É um parque aquático incrível, com piscinas e tobogãs gigantes, a apenas 30 minutos da Capital. Uma combinação perfeita para quem gosta de água e um pouquinho de adrenalina, como eu. A sensação de liberdade, ao descer o escorregador com a boia em forma de cone, é indescritível. A piscina de ondas também proporciona momentos felizes. E o mais legal é que a água fica aquecida, no inverno. Fui apenas uma vez, e quero voltar!

#ficaadica O Wet´n Wild é um dos maiores parques temáticos do Brasil. Possui 25 atrações para todas as idades, distribuídas em 160 mil m². Crianças acompanhadas podem se divertir com a família em piscinas seguras, enquanto os fãs de aventuras radicais encontram a alegria em tobogãs como o Rally, com altura equivalente a um prédio de 6 andares. O parque fica na Rodovia dos Bandeirantes, km 72, em Itupeva. Mais informações: www.wetnwild.com.br

15


Novo Hospital CEMA

Ambientes modernos, climatizados e mais confortáveis

Humanização no atendimento, hospitalidade, fazer o paciente sentir-se acolhido e confortável ajudando a diminuir a tensão natural que acompanha uma consulta médica. No novo Hospital CEMA, esses princípios estarão presentes desde a recepção. E o projeto arquitetônico foi pensado em todos os detalhes. Desde a altura do pé direito – com 7,5 m no lobby de entrada – até a cor dos revestimentos em tom madeira e bege, a disposição das luminárias, as paredes de vidro que integram as

recepções do térreo ao 1º andar e que permitem a entrada de luz natural; a escolha dos móveis, o video wall com múltiplas telas de TV agrupadas, a climatização do ar em todos os ambientes, escadas rolantes para facilitar a locomoção – tudo, enfim, foi pensado para garantir o máximo conforto aos clientes e acompanhantes, assim como aos colaboradores. Por enquanto, você pode ter uma ideia por meio das imagens do projeto 3D. Logo, você poderá experimentar essa sensação no dia a dia do novo prédio.

Viadu to Gu ad ala jar a

Como chegar a pé e do Metrô Belém:

Av. Ra dial L este

Metrô Belém Av. Al cântara Mach ado Nº 33

3

Av. Ra dial L este

Rua Padr e Ad elino

RRuuaa SSeerrrraa

ddee Ja Jairiréé

Rua Padr e Ad elino

Passarela do Metrô Belém

Sam’s Club

O Hospital CEMA estará a 300m e 5 minutos a pé do Metrô Belém. 16

CEMA News Nº 81  

Publicação interna com notícias do Grupo INAL.

CEMA News Nº 81  

Publicação interna com notícias do Grupo INAL.

Advertisement