Page 42

Caderno

Crítico

Breve história da literatura basca por Fábio Aristimunho Vargas

1. Literatura basca A literatura basca é definida como o conjunto da produção literária em língua basca ou euskara. Tal como ocorre na definição tradicional da nacionalidade basca, em que o indivíduo se identifica como euskaldun, que significa, literalmente, “aquele que tem a língua basca”, o critério que importa para a definição desta literatura é o idioma, e não a territorialidade (jus solis) ou a ancestralidade (jus sanguinis) do autor. Por tal critério, os autores que em território basco (seja no País Basco peninsular ou espanhol, chamado Hegoalde, seja no País Basco continental ou francês, chamado Iparralde) escreveram em outras línguas, sobretudo em castelhano e em francês, inscrevem-se na tradição literária dessas línguas, sendo portanto considerados parte da literatura basca apenas os autores que escreveram em basco. O primeiro fato destacável desta literatura é o seu tardio surgimento como modalidade escrita em comparação às demais literaturas da Europa Ocidental. O primeiro livro publicado data de 1545. No entanto, a forte tradição de cultura oral do povo basco permitiu a subsistência de formas literárias medievais até sua impressão em época tardia, a partir do século XVI, ainda que quase sempre de maneira fragmentária. Ilustrativo disso é a preservação de canções medievais tais como Bereterretxeren kantorea (A canção de Bereterretxe), Milia Lasturkoren Eresia (Canto fúnebre de Mília de Lastur) e Beotibarreco gudua (A batalha de Beotibar), entre muitas outras. Essa tradição oral (Ahozko tradizioa) se mantém viva até os dias de hoje, sobretudo na arte do bertsolarismo, expressão literária cantada e repentista de grande popularidade. Existem registros escritos da língua basca anteriores a 1545, embora muito escassos e reduzidos, tais como as inscrições aquitanas encontradas em epitáfios datados do século II d.C., frases em basco que aparecem nas Glosas Emilianenses, conjunto de pequenas anotações manuscritas à margem de um códice latino, que remontam ao século X e que são consideradas os primeiros registros escritos não epigráficos da língua, além de um breve vocabulário basco elaborado por Aimerich Picaud para os peregrinos de Santiago de Compostela, datado do século XII. Tais registros, no entanto, não chegam a conformar o marco inicial da literatura basca. 42 Celuzlose 06 - Setembro 2010

Celuzlose 06  

Revista Literária

Celuzlose 06  

Revista Literária

Advertisement