Page 1

NÚMERO 02 - DEZEMBRO DE 2013

SOMOS

6 MIL

COLABORADORES Com 23 empresas nas áreas de concessão, logística, serviços e porto, Grupo EcoRodovias alcança número recorde no quadro funcional


MENSAGEM

NA CASA DOS MILHARES O último trimestre de 2013 está sendo especial para o Grupo EcoRodovias. Pela primeira vez superamos a marca dos 6 mil colaboradores, espalhados em nossas 23 unidades nas regiões Sul e Sudeste. Esse cenário concretizou-se por causa dos mais de 200 postos abertos na etapa inicial de contratação na Eco101 – um motivo de muito orgulho. Há 15 anos, quando começamos nossas atividades, o número era pouco superior a uma centena. Essa marca significa mais que um número. É o retrato de uma política de planejamento bastante ousada, inteligente e determinada ao crescimento. Para o colaborador é a materialização do discurso em prática. Mais ainda, é um panorama de muitas oportunidades pela frente.

Com o intuito de dar suporte a uma gestão que possa preparar nossos profissionais a assumirem os desafios de atendimento no dia a dia e também a ficarem atentos às oportunidades, estamos intensificando esforços na política de relacionamento humano. Não é de hoje que somos reconhecidos como uma das melhores empresas para se trabalhar no Brasil. A fim de nos mantermos entre as melhores, precisamos continuar voltados ao nosso público interno. No início deste ano iniciamos com um novo formato – corporativo – nos Recursos Humanos, com a criação da Direção de Gestão de Pessoas (DGP). A área tem o desafio de conduzir nossos negócios sinergicamente, para que possamos nos ajudar mutuamente como

PARA O COLABORADOR É A MATERIALIZAÇÃO DO DISCURSO EM PRÁTICA. MAIS AINDA, É UM PANORAMA DE MUITAS OPORTUNIDADES PELA FRENTE.

colaboradores, trabalhando como um só time. Esse trabalho de unificação é fundamental para os próximos anos. Temos a perspectiva de adquirir novos negócios em todos os setores de atuação. Nosso objetivo é ser o mais importante grupo de infraestrutura e logística integrada do Brasil e, com um quadro funcional cada vez mais preparado, não tenho dúvida de que alcançaremos mais essa marca em um curto espaço de tempo. Neste segundo número da revista Em Pauta, que faz parte do projeto Por Dentro da EcoRodovias, apresentamos um conteúdo que explica um pouco de nossos negócios em todas as áreas, dentre outros assuntos corporativos. Certamente vai ajudá-lo a ficar ainda mais por dentro de tudo o que realizamos nas diferentes unidades. Boa leitura! Marcelino Rafart de Seras Diretor Presidente do Grupo EcoRodovias

CHARGE

Aprendizado e compartilhamento de informações geram maior preparo para as oportunidades.

02

em pauta - dezembro/2013


ÍNDICE

06

CONCESSÕES

APRESENTAÇÃO

POR DENTRO DA ECORODOVIAS

Como funcionam as concessionárias de rodovias do Grupo?

Nos últimos meses, colaboradores das 23 unidades do Grupo EcoRodovias têm recebido inúmeras informações sobre os negócios da empresa. Isso porque o projeto, que leva o mesmo nome da companhia, está a todo vapor.

10

18

PORTO

FÉRIAS Um roteiro por Pelotas-RS

Importação e exportação passam pela EcoRodovias

12

ELOG

Clientes têm mercadorias acompanhadas do Porto a Porta

17

INTEGRAÇÃO

Prática esportiva é incentivada em todas as unidades de negócios

EXPEDIENTE Em Pauta é uma revista produzida para o projeto Por Dentro da EcoRodovias, que tem a coordenação da Gerência de Comunicação Interna e Endomarketing do Grupo EcoRodovias – Direção de Gestão de Pessoas (DGP). Redação, produção e edição: Everson Mizga – ZIGG Comunicação Corporativa. Fotos: Vania Delpoio, Valtecir Santos, Paulo Uras e Gabriela Mazza. Projeto Gráfico e Diagramação: Celso Arimateia. Revisão de texto: Christina Binato. Charge: Cesar Coelho – Campo 4 Desenhos Animados. Tiragem: 6.500 exemplares distribuídos aos colaboradores do Grupo EcoRodovias. Impressão: Gráfica Radial.

14

SUSTENTABILIDADE

Por que a EcoRodovias é reconhecida como empresa socialmente responsável?

Entre os canais mais populares, está o hot site, que pode ser acessado via intranet corporativa. Nele, notícias sobre as unidades de negócios, galeria de fotos, vídeos e promoções caíram no gosto dos profissionais. Também virou um espaço democrático em que todos podem compartilhar informações. Ainda nesta edição da revista Em Pauta, o colaborador confere mais detalhes de como funciona uma concessão de rodovias. São negócios sinérgicos, mas não iguais. Cada empresa tem um desafio particular, porém todas com um único objetivo: atender com qualidade a seu público de relacionamento. Esse é apenas um dos destaques. No Índice, há informações de todos os temas abordados ao longo das 20 páginas. Esperamos que goste e que continue participando das ações do Projeto Por Dentro da EcoRodovias.

em pauta - dezembro/2013

03


ORGULHO DE PERTENCER

PARA MIM, ECORODOVIAS É ...

Empre sa valoriz que a segura a nça dos s colabo eus radore s. Da Esqueda para a Direita: Maria Carla, Daniel Holanda, Rogerio Paulino, Fabricio Anderson, Silvana Donizeti, José Antonio, Tatiane Araujo e Fabiano Paes (Comissão da CIPA Elog Alphaville)

VÁRIAS EMPRESAS E UMA ÚNICA IDENTIDADE. Rodrigo de Oliveira, controlador de CCO (Ecopistas-SP)

Uma empresa que permite crescimento profissional. Coreli Azevedo, analista administrativa (Ecoporto Santos)

Respeito aos clientes e aos usuários. Sandra Regina de Lima , assistente de ouvidoria (Ecopistas - SP)

UMA COMPANHIA ONDE SE ADQUIRE MUITO APRENDIZADO E HÁ O COMPARTILHAMENTO DE INFORMAÇÕES. Josiane Lima e Tania Maria, auxiliares de serviços gerais (Ecoporto Santos)

04

em pauta - dezembro/2013


EM VIAGEM

QUEM:

Rita de Cassia Camargo

O QUE FAZ Coordenadora de Recrutamento e Seleção da ECS em São Bernardo do Campo-SP QUEM:

Artur da Paixão Filho

O QUE FAZ Gerente da Elog Campinas-SP

PARA ONDE Ecovia, em São José dos Pinhais-PR PARA QUÊ Participar de integração com o departamento de Recursos Humanos local

PARA ONDE Unidade de Alphaville-SP PARA QUÊ Participar de uma reunião com a direção operacional

QUEM:

Vinicius Aleixo Dias

O QUE FAZ Estagiário da unidade da Elog Campinas-SP

PARA ONDE Unidade de Alphaville-SP PARA QUÊ Aprender mais sobre programação e planejamento

QUEM:

Natalia de Matos Assunção

O QUE FAZ Assistente Administrativa na Ecovias em São Bernardo do Campo-SP

PARA ONDE Ecopistas, Itaquaquecetuba-SP PARA QUÊ Reunião com a área de receitas acessórias

Rafael Sabino, Dunya Markiz, Fabiano Alves, Vanessa Fiscalchin, Fabricio Yokomi, Ellen Raia e Elaine Brito

QUEM:

O QUE FAZEM Atuam na área de faturamento nas unidades de Campinas, Porto Seco e Imigrantes, em São Paulo

PARA ONDE Unidade de Alphaville-SP PARA QUÊ Participar de treinamento

em pauta - dezembro/2013

05


RODOVIAS

A DINÂMICA DAS CONCESSÕES

DE ESTRADAS Em 2012, as cinco concessionárias administradas pelo Grupo EcoRodovias atenderam juntas mais de 572 mil ocorrências nos 1.450 quilômetros de estradas espalhadas pelos estados do Sul e Sudeste. Isso significa que, a cada minuto do ano um auxílio foi prestado por profissionais da empresa em plena estrada. Entre os serviços estão socorros médico e mecânico, guincho e inspeção de tráfego. A tendência é que os números de auxílio continuem aumentando, uma vez que, em 2014, entrará em operação total a Eco101, trecho entre o Espírito Santo e a Bahia. Serão mais 475,9 quilômetros de estradas sob responsabilidade da EcoRodovias. As concessões rodoviárias são um dos pilares de crescimento do Grupo para os próximos anos. Com seu conhe-

cimento, a companhia sente-se confortável em administrar outros trechos de rodovias, por ser altamente capacitada em prestar essa espécie de serviços à sociedade. Dois fatores contribuem diretamente para isso. O primeiro é o pioneirismo no setor. O segundo é a tecnologia avançada, utilizada para a prestação dos serviços. Elementos aliados a uma administração de ponta, com corpo colaborativo capacitado. A tecnologia empregada nas estradas proporciona segurança ao usuário e agilidade ao atendimento. No Centro de Controle Operacional (CCO) da Ecovias dos Imigrantes-SP, por exemplo, o maior do Grupo, as câmeras retratam tudo o que acontece nas pistas 24 horas do dia. “Tudo é registrado nesse espaço. É no CCO que se con-

CURIOSIDADES CONCESSÃO OU PRIVATIZAÇÃO? O TERMO CORRETO É CONCESSÃO CONCESSÃO. O GOVERNO ENTREGA À INICIATIVA PRIVADA A ADMINISTRAÇÃO DO TRECHO DE ESTRADA POR UM DETERMINADO PERÍODO. NO SISTEMA DE PRIVATIZAÇÃO, O BEM É COLOCADO À VENDA. POR QUE USUÁRIO? TODAS AS PESSOAS QUE UTILIZAM AS RODOVIAS USUFRUEM DE SUA ESTRUTURA. ELAS SÃO USUÁRIAS DE DETERMINADA ESTRADA. PAGANDO OU NÃO A TARIFA, ELA TERÁ O DIREITO DE SER ATENDIDA.

06

em pauta - dezembro/2013

GRUPO TEM CINCO CONCESSIONÁRIAS EM OPERAÇÃO E OUTRA INICIA OS TRABALHOS EM 2014. OBJETIVO É ADQUIRIR NOVOS LOTES PELO BRASIL centram as informações de todo o sistema. Também é dele que são encaminhados os recursos necessários para cada caso. Nesse sentido, a tecnologia agiliza exponencialmente o atendimento ao usuário”, explica o coordenador de tráfego da Ecovias, Raul Boff. Engenharia Se, por um lado, a administração operacional atende diretamente ao usuário, são as obras de engenharia que dão


suporte para que as estradas estejam adequadas para serem usadas. São elas que permitem uma operação avançada, focada na agilidade e segurança dos motoristas. O setor de engenharia das concessionárias é responsável pelos projetos estruturais, como a construção ou a duplicação de uma estrada. Diariamente, os engenheiros se debruçam em projetos que vão posicionar o melhor local para inserir uma nova ponte ou

Raul Bof f no Centro de Controle Operacional da Ecovias

em pauta - dezembro/2013

07


RODOVIAS

viaduto, repaginar a sinalização e/ou programar o cronograma de manutenção da estrada. “É uma via de mão dupla. Ao mesmo tempo em que transportamos a rodovia para dentro do setor, levamos a área para o dia a dia das pistas. Com esse conhecimento nascem os melhores projetos, avaliam-se os impactos e é decidido o período mais adequado à realização das obras”, afirma o Diretor da Regional Sul da EcoRodovias, Evandro Couto Vianna. As obras de engenharia e conservação de estradas são previstas em contrato, porém, algumas delas podem ser negociadas pelo poder concedente (órgão responsável por fiscalizar as concessões), dependendo da demanda de determinada região, enquanto outras obras podem ser realizadas ao longo da vigência de um contrato, mediante prévia negociação. Contrato As empresas do Grupo também têm áreas específicas que cuidam do contrato assinado com o poder concedente. O órgão responsável pela fiscalização dos serviços muda de estado para estado, podendo ser federal ou estadual. Nesse documento está especificado tudo o que deve ser realizado ao longo dos anos de concessão. No entanto, existem casos em que as companhias precisam realizar obras e/ou serviços extras para absorver a demanda na rodovia. Nesses casos, o

DESAFIOS DOS NEGÓCIOS AS CONCESSIONÁRIAS DO GRUPO ECORODOVIAS TÊM EM COMUM O FATO DE ATENDEREM COM QUALIDADE E AGILIDADE ÀS DEMANDAS DOS USUÁRIOS. PORÉM OS DESAFIOS MUDAM DE EMPRESA PARA EMPRESA E DE REGIÃO PARA REGIÃO. A REPORTAGEM DO PROJETO POR DENTRO DA ECORODOVIAS CONVERSOU COM OS SUPERINTENDENTES DAS SEIS CONCESSIONÁRIAS.

CONFIRA OS DESAFIOS ESPECÍFICOS DE CADA UMA DAS UNIDADES DE NEGÓCIOS. serviço e/ou obra precisa ser negociado previamente. “Um dos fatores que ajudou a fortalecer a marca do Grupo no mercado, nos últimos anos, é o cumprimento rigoroso dos contratos de concessões. Isso nos credencia a ampliar nossa atuação neste setor”, destaca o presidente da EcoRodovias, Marcelino Rafart de Seras. A holding está participando dos leilões de novos trechos de rodovias pelo Brasil. Saindo-se vencedor, um novo desafio será lançado, pois os novos contratos serão distintos dos vigentes. “Nosso foco são os principais corredores de importação e exportação, uma vez que vai consolidar ainda mais nossa posição de uma das mais importantes instituições de infraestrutura e logística do país”, avalia Seras.

FIQUE POR DENTRO

CONHEÇA ALGUNS TERMOS UTILIZADOS NAS EMPRESAS DE CONCESSÕES E SERVIÇOS DO GRUPO ECORODOVIAS: Pista de Rolamento: Faixa onde circulam os veículos. Fresagem: obra de engenharia de reparo asfáltico. Lindeiro: morador vizinho à estrada. Barra New Jersey: muro de proteção entre as pistas. Rodovias de oferta: que recebem manutenção mas não tem operação. Poder Concedente: órgão que fiscaliza a concessão. Órgão regulador: que regulamenta as regras de administração. Obra de Arte Especial: pontes, viadutos, túneis que fazem parte da estrutura e paisagem de uma estrada.

8

em pauta - dezembro/2013

Ecocataratas: em atuação desde 2008.

Administra mais de 387 quilômetros de estradas. Atua na BR-277, entre Guarapuava e Foz do Iguaçu-PR. Diretor superintendente: Jeancarlo Mezzomo. “É o principal eixo rodoviário de desenvolvimento do oeste paranaense. Nossa maior demanda, hoje, é colocar em prática a duplicação de trechos da BR-277 onde há grande fluxo de veículos. Já tivemos boas vitórias com a entrega de mais de 14,4 quilômetros de duplicação em 2013, porém ainda há outros trechos que aguardam uma definição do poder concedente para que iniciemos as obras.”

Ecosul:

em atuação desde 1998

Administra 623 quilômetros de estradas. Atuação no Polo Rodoviário de Pelotas-RS Diretor superintendente: José de Lima Palermo Filho. “É a maior empresa em extensão do Grupo EcoRodovias. Administrar a diversidade regional por onde passa é um desafio constante. Manter equipes entrosadas em todas as áreas gera unidade no atendimento e, consequentemente, satisfação do usuário. Essa é a nossa busca constante.”


Ecopistas:

em atuação desde 2009.

Administra 134,9 quilômetros de estradas. Atua no corredor rodoviário Ayrton Senna/Carvalho Pinto-SP.

Eco101:

criada em 2012. Começa a operação total em 2014.

Diretor superintendente: Alberto Lodi. Até o último mês de outubro quem estava na direção era Flavio Freitas (foto) que assumiu a direção da Regional Sudeste da EcoRodovias.

Responsável por 475,9 quilômetros de estradas. Atua entre os estados do Espírito Santo e da Bahia. Diretor superintendente: Paulo Hanke. “Nosso desafio, neste momento, é implantar todo o processo de operação na rodovia. No mês de maio de 2014, quando a companhia estiver funcionando em sua totalidade teremos um termômetro social. As regiões do Espírito Santo e da Bahia ainda não têm tradição em concessões rodoviárias. É nosso papel, agora, mostrar que o negócio agrega valor a economia local.”

“Aparece como uma das melhores no índice CNT. O fluxo de veículos aumenta constantemente, mesmo com uma via paralela e concorrente ao negócio. Para manter esse nível de aceitação, um dos nossos desafios, hoje, é tirar do papel o projeto de prolongamento de 8.6 quilômetros da rodovia Carvalho Pinto até o município de Oswaldo Cruz na região de Taubaté-SP. Mas sabemos que, quando a obra estiver pronta, a satisfação do usuário será ainda maior”, frisa Freitas.

ESPÍRITO SANTO SÃO PAULO

Ecovias:

em atuação desde 1998.

Administra 176,8 quilômetros de estradas. Atua entre a Grande São Paulo e o complexo industrial do ABCD, Santos, Cubatão e o acesso às principais vias que levam ao litoral do estado.

PARANÁ

Diretor superintendente: José Carlos Cassaniga. “A Ecovias está entre as melhores rodovias do Brasil, segundo a Confederação Nacional dos Transportes (CNT), que avalia uma série de itens até se chegar a esse resultado. O desafio, hoje, é atender com equilíbrio à diversidade de usuários que usam o Sistema. Para isso é necessário se reinventar a todo o momento, antecipando-se as demandas de seu público, a fim de manter um grau de satisfação elevado.”

RIO GRANDE DO SUL

Ecovia:

em atuação desde 1997.

Administra 175 quilômetros de estradas, incluindo rodovias de oferta. Atua na BR-277 (principal eixo), que liga a capital Curitiba ao litoral do Paraná. Diretor superintendente: Davi Guedes Terna. “Com 16 anos de atuação, a Ecovia é uma das pioneiras no Brasil na administração de rodovias. Com o passar dos anos, as demandas de engenharia e atendimento mudam devido ao crescimento das cidades do entorno. O desafio é manter um bom entendimento com o poder concedente, negociando novas obras e/ou serviços que vão agregar na segurança do usuário.”

em pauta - dezembro/2013

9


PORTO

COMÉRCIO EXTERIOR BRASILEIRO PASSA PELO GRUPO ECORODOVIAS OPERAÇÃO PORTUÁRIA TEM PAPEL FUNDAMENTAL NOS NEGÓCIOS DE IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO REALIZADOS NO PAÍS

Dados consolidados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), demonstram que nos nove primeiros meses de 2013, as exportações brasileiras superaram os US$ 188,5 bilhões, enquanto as importações bateram na casa dos US$ 187,622 bilhões. Esses números, apesar de menores em relação ao ano anterior, mantém o país entre os maiores mercados do globo. A circulação de produtos dentro e fora do Brasil é acompanhada de perto pelo Grupo EcoRodovias. A explicação está no Ecoporto Santos, um dos negócios da empresa, que trabalha diretamente com comércio exterior. Diante do aumento do potencial brasileiro, a empresa busca fidelizar os clientes, em grande parte donos de navios, conhecidos como armadores, e, ao mesmo tempo, diversificar a carteira de negócios para que a operação portuária esteja preenchida durante todo o ano.

10

em pauta - dezembro/2013


RECEPTIVIDADE

Antes da atracação dos navios, um detalhado trabalho é realizado por dezenas de colaboradores do Ecoporto Santos. No Pátio I, contêineres para expor tação são separados em grandes pilhas, por quadra. Cada quadra representa o porto de destino da carga. Isso também define em qual posicionamento a carga de cada porto será colocada dentro da embarcação – trabalho de operadores de grandes guindastes que movimentam o contêiner até o ponto exato dentro do navio. Tudo anteriormente programado no plano de operação. As cargas que são descarregadas obedecem ao mesmo processo. Porém, por se tratar de importados, passam pelos trâmites burocráticos antes de iniciar o processo de circulação dentro do país.

rém, o contato com os armadores que desejam atracar nesse ponto inicia com pelo menos uma semana de antecedência. O primeiro passo é apresentar o quadro de janelas, em que é possível visualizar quais dias e horários estão disponíveis no terminal. “Além disso, o cliente avalia a capacidade de movimentos ofertados. No caso do Ecoporto Santos são, em média, 50 movimentos por hora e capacidade total para três navios simultaneamente”, reforça o supervisor de planejamento. Definida a data de entrada, começa a análise da programação do navio, qual o tipo da carga e quanto tempo irá levar o processo de embarque ou desembarque. Dessa segunda etapa resulta o plano de operações, sempre com a participação dos representantes dos armadores que estão dentro do navio. “É um momento importante, pois todo o processo consta nesse documento. A língua oficial dessa discussão é a inglesa, e a comunicação deve fluir sem ruído para não haver erros futuros”, esclarece Maragliano.

FIQUE POR DENTRO Conheça os termos utilizados na operação portuária. Muitos têm origem na língua inglesa, a mais usada para a realização de atividades ligadas ao comércio exterior e que agora fazem parte também do glossário da EcoRodovias. Praticagem: empresa responsável por organizar a manobra de entrada e saída

Edivaldo Silva, Felipe Penas, Carlos Castro, Valdinei Josw Iack e Gerson Roberto – Operação Por tuária (Ecopor to Santos)

do navio dentro de um porto. Barra: local onde o navio aguarda para iniciar o processo de manobra até o cais. Full Speead: velocidade máxima de um

Uma das estratégias utilizadas pelo Ecoporto Santos para obter os resultados projetados é a flexibilidade no momento da negociação, fruto do conhecimento sobre os negócios portuários e também do relacionamento com o contratante do serviço. “Quando conhecemos a real necessidade de quem utiliza nossos serviços, conseguimos antecipar algumas demandas. Essa é uma flexibilidade controlada que gera satisfação ao cliente, mas que não onera a cadeia de atendimento de outros ou mesmo da equipe interna”, explica André Maragliano, gerente de operações portuárias.

Relógio suíço Para o supervisor de planejamento, Marcelo Nascimento, do Ecoporto Santos, a operação portuária é um dos fatores que mais impactam na satisfação do cliente. “Quem contrata quer agilidade na entrega e por isso a operação precisa funcionar como um relógio suíço. Se ocorre atraso, o efeito é em cascata, afetando as atividades dentro do terminal e o cronograma do cliente”, destaca Nascimento. O Pátio I do Ecoporto Santos, onde ocorrem as transações de importação e exportação, funciona 24 horas. Po-

navio. Terno: grupo de trabalhadores que fazem a operação de embarque e desembarque de um navio. Portainer: equipamento utilizado para colocar contêineres dentro do navio. Estivador: função mais conhecida para designar a atividade de trabalho na operação de um navio. Armador: dono de navio. Joint Services: grupo de armadores. Berth Window: janela de atracação. Bay: porão, um dos possíveis locais onde serão colocados os contêineres dentro da embarcação.

em pauta - dezembro/2013

11


LOGÍSTICA

PLURALIDADE DA ECORODOVIAS É ELOG LANÇA O ‘PORTO A PORTA’, SERVIÇOS INTEGRADOS DISPONÍVEIS NAS EMPRESAS DO GRUPO O Brasil está experimentando um dos maiores crescimentos econômicos das últimas décadas. Para que a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) continue em escalada, dois pontos são fundamentais. Primeiro: a oferta de infraestrutura logística, que inclui portos, aeroportos, estradas, hidrovias e ferrovias. Segundo: o suporte logístico para que os produtos tenham vazão, tanto na entrada quando na saída do país. É nesse cenário que o Grupo EcoRodovias está atuando e planejando suas estratégias de crescimento para os próximos anos. Considerandose a demanda nacional, a empresa é uma das poucas no país que oferece serviços integrados com infraestrutura de ponta. O Grupo administra estradas que ligam os principais portos brasileiros nas regiões Sul e Sudeste, pos-

FIQUE POR DENTRO

QUEM VISITA UNIDADES DA ELOG SE DEPARA COM TERMOS UTILIZADOS NO COTIDIANO DOS SEUS COLABORADORES, CONHEÇA ALGUNS. Desembaraço: processo de nacionalização de uma carga vinda do exterior. Doca: local de entrada e saída de produtos. Carga paletizada: produtos que chegam embalados em palet. Palet: compartimento para acoplar diferentes produtos. CD: Centro de Distribuição. Redex: local especial para cargas em processo de exportação. Depot: espaço destinado a contêineres vazios.

12

em pauta - dezembro/2013

Robson Pereira Carriel, operador de empilhadeira, Elog Sudeste, Alphaville-SP


DIFERENCIAL NO MERCADO sui um importante retroporto dentro da cidade de Santos-SP – permitindo negociações diretas com armadores e conta com 15 unidades logísticas que ofertam serviços integrados. “São negócios sinérgicos que se encontram em determinado momento da cadeia logística. Some-se a isso a disposição de todas as empresas nos diferentes negócios em atender com qualidade e agilidade às demandas do cliente”, explica José Victor Mamede, gerente de planejamento logístico do Grupo EcoRodovias. Com o suporte da cadeia sinérgica do Grupo, a Elog colocou em prática, neste ano, o projeto Porto a Porta, com o intuito de expandir ainda mais seus negócios. O programa une a pluralidade de seus serviços, ao oferecer aos clientes a possibilidade de fazer a gestão da cadeia logística concentrados em uma única companhia – a Elog. “Esse valor agregado reduz custos, centraliza informações em um único fornecedor, aponta relatórios qualificados, permite acompanhamento logístico apurado e promove ganho de tempo para o cliente”, detalha Jeferson Satyro, gerente comercial corporativo da Elog. De acordo com Satyro, a EcoRodovias utilizou sua inteligência de mercado e as forças existentes na Elog para formatar um produto singular e diferenciado. “Dificilmente outra empresa conseguirá fazer isso no Brasil. A multiplicidade de serviços logísticos sinérgicos do Grupo é o grande diferencial, colocando a Elog à frente no mercado”, ressalta. Por que dá certo? As atividades realizadas nas unidades da Elog espalhadas pelas regiões Sul e Sudeste são semelhantes, porém não iguais. Isso abre um leque de pos-

CLIA Agilidade no processo de entrada e saída de produtos no país, seja aéreo ou marítimo.

COMEX Infraestrutura complet a para importação e expor tação de produtos

TR ANSPORTE Independente da etapa, serviços de transpor tes são ofertados aos cliente

PORTO SECO Logística preparada para desafogar o f luxo de portos, aeropor tos e zonas de fronteiras

CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO Recebimento, armazenagem, separação e expedição de produtos.

GRIS Controle e rastreabilidade das mercadorias, combate a fraudes, prevenção de perdas e desenvolvimento de ações preventivas e corretivas.

Fonte: Elog

sibilidades ao cliente. Por exemplo: em determinado momento, a demanda pode passar por um porto seco de fronteira no Rio Grande do Sul e/ou Foz do Iguaçu, no Paraná, e a Elog estará pronta para prestar os serviços necessários para agilizar o processo de entrada e saída dos produtos do Brasil. Em outro momento, o cliente pode precisar de espaço adequado para armazenagem de sua carga com intuito de nacionalizar e, posteriormente, fazer a distribuição ao mercado. Nesse caso, os serviços da Elog nos armazéns e nos centros de distribuição estão à disposição. Nesses espaços também é

TRANSPORTE Independente da etapa, serviços de transportes são ofer tados aos clientes

CLIENTE FINAL O processo pode f inalizar aqui quando o cliente recebe o produto no prazo, ou pode iniciar neste ponto quando o cliente quer ex por tar o produto.

possível agregar serviços ao produto, como fracionamento – embalagens por quantidade – ou junção de diferentes produtos de um único cliente. No Estado de São Paulo há, ainda, outros diferenciais nas plataformas intermodais. Os espaços gigantes concentram serviços de todos os segmentos de transporte de mercadorias em exportação e importação em um único local. “Agilidade e qualidade na entrega do produto são dois itens muito valorizados pelos clientes que contratam serviços logísticos. É nesse quesito que queremos nos diferenciar”, afirma Satyro.

QUEM USA, APROVA A multinacional alemã Einhell, organização que há 50 anos desenvolve e comercializa máquinas e ferramentas elétricas para grandes magazines de construção e uma das primeiras a contratar os serviços de logística integrada Porto a Porta, comemora os resultados e destaca como pontos positivos a redução de custos e a satisfação de seus clientes. O modelo de operações foi desenhado com base nas necessidades da multinacional, que recebe grande parte dos produtos da China via marítima. O Porto a Porta para a companhia alemã inicia-se no desembaraço das cargas no Ecoporto Santos, quando necessário, passa por um dos por tos secos da Elog, para nacionalização, segue para centros de distribuição e, por fim, a carga é transpor tada para o cliente final. “Anteriormente, precisávamos contratar três ou até mais pessoas até descobrir de onde vinha o problema logístico de nossas cargas, para depois o resolvermos. Com a nova prestação de serviço, quando há dúvidas, já sabemos a quem procurar”, comemora o gerente administrativo e operacional da Einhell, David Marcel Levy.

em pauta - dezembro/2013

13


SUSTENTABILIDADE

REFERÊNCIA NO MERCADO AÇÕES SUSTENTÁVEIS DO GRUPO ECORODOVIAS SÃO RECONHECIDAS NACIONALMENTE

Viveiro da Ecovias já produziu mais de 500 mil mudas de reflorestamento nos últimos cinco anos

Alaíde Aparecida e Claudison de Almeida, mesmo vivendo a milhares de quilômetros de distância e sem se conhecer, são o retrato de que ações sociais transformam a vida de pessoas. Eles têm, em comum, a participação com êxito em programas sustentáveis promovidos por unidades de negócios do Grupo EcoRodovias.

Na cidade de Cascavel, no Paraná, Alaíde, 38 anos, passou de aluna aplicada no projeto Reinventar, desenvolvido pela concessionária Ecocataratas, a responsável pelo programa em sua comunidade. Pelas mãos dela e de sua equipe passam anualmente mais de 2 mil toneladas de lonas tiradas de painéis publicitários ao longo das estradas

ou doadas por empresas parceiras. Tudo é transformado em bolsas de passeio, de maternidade e esportiva, necessaires, aventais, lixeira, entre outros produtos. Em Eldorado, município do Estado de São Paulo, Almeida, 37 anos, esbanja sorrisos por ter conquistado, há um ano, uma vaga de operador de pedá-

LINHA DO TEMPO 2000/ 2001 Cer tif icações ISO 9001 e ISO 14001 na Ecovias dos Imigrantes

14

2001 a 2005 Aquisição e certificação das novas concessionárias Amadurecimento dos sistemas

em pauta - dezembro/2013

2005 Doações Apoios Patrocínios Indicadores Ethos

2006 Projeto Ecoviver Indicadores Ethos Comitês de RS em cada unidade Política de Responsabilidade Social

2007 Migração dos indicadores Ethos para os indicadores GRI (Global Reporting Initiative)

2008 Propostas e projetos de melhoria dos indicadores GRI Monitoramento da melhoria de indicadores


gio na Ecovias dos Imigrantes, depois de ter participado do Capacitar, programa que treina gratuitamente moradores de comunidades vizinhas para futuras seleções de vagas na concessionária. Alaíde e Claudison são apenas dois exemplos das muitas pessoas que são beneficiadas pelos projetos sustentáveis promovidos pelo Grupo Ecorodovias nas regiões Sul e Sudeste. Para manutenção e crescimento da sustentabilidade empresarial, o Grupo trabalha há anos com políticas que possam resultar em atividades consistentes, voltadas para o bem comum e que fortaleçam a marca como socialmente responsável. “A empresa leva em suas iniciais o prefixo ECO, sinal de responsabilidade com o meio ambiente. Foi onde tudo começou, ganhou espaço e, hoje, multiplicam-se as ações a nosso público de relacionamento”, afirma o assessor de Sustentabilidade do Grupo EcoRodovias, Artaet Martins.

Negócios Companhias que praticam a sustentabilidade são reconhecidas pelo mercado, atraem bons colaboradores e fazem a diferença na sociedade. “Essas ações fortalecem a marca, pois gera credibilidade e admiração”, explica Martins, lembrando que, hoje, as atividades do Grupo não se restringem mais ao meio ambiente. (Veja no quadro ao lado os segmentos sustentáveis que a EcoRodovias atua). A empresa prima pelo crescimento sustentável dos negócios, pela transparência de informações em relação ao público de relacionamento, pela saúde financeira e pela valorização de seus profissionais. Esse conjunto faz da organização uma das mais reconhecidas do país quando o tema é sustentabilidade. O Grupo é reconhecido como empresa-modelo pelo Guia de Sustentabilidade da revista Exame e também é uma das poucas no país a ter seu nome na lista do Índice de Sustentabilidade Empresarial da BM&FBovespa (ISE).

FIQUE POR DENTRO A cada 12 meses, o Grupo divulga o seu Relatório Anual de Sustentabilidade. O modelo adotado é o GRI, que envolve um grande número de itens divulgados. Hoje o relatório recebe a avaliação A+, ou seja, um atestado de qualidade nas informações repassadas. No mundo dos negócios, o ISE busca criar um ambiente de investimento compatível com as demandas de desenvolvimento sustentável da sociedade contemporânea e estimula a responsabilidade ética das corporações, sendo usado por vários bancos como referência para fundos de investimento.

A ASSESSORIA DE SUSTENTABILIDADE DO GRUPO ECORODOVIAS AGREGA OS SEGUINTES SEGMENTOS: Qualidade Gestão por processos Ouvidoria Meio ambiente Mudanças climáticas Responsabilidade social Segurança no trabalho Carga Anvisa

INTERATIVIDADE

Conheça detalhes dos programas de sustentabilidade do Grupo EcoRodovias. Acesse o link “Por Dentro da EcoRodovias” no endereço <intranet.ecorodovias.com.br>. Confira entrevista com Rosemagda Cid (Ecocataratas) e Leandro Almeida (Ecovias), que contam como funcionam os projetos Reinventar e Capacitar, respectivamente.

2009

Inclusão da Sustentabilidade no Planejamento Estratégico do Grupo Aumento do nível do Relatório de Sustentabilidade GRI

2011 2010

OHSAS 18001 IPO - Bolsa Valores

Entrada no Índice de Sustentabilidade da BM&F Bovespa (ISE) Elaboração das Diretrizes de Sustentabilidade EcoRodovias Teste de materialidade presencial com diversos stakeholders

2012

Manutenção da empresa no ISE Evolução do Relatório GRI: Nível C para B Entrada no ranking da CDP (Carbon Disclosure Project) Entrada no Guia Exame de Sustentabilidade

2013

Relatório GRI: Evolução do nível B para A+ Estamos inserindo as práticas de sustentabilidade nas novas empresas do Grupo (Elog e Ecoporto) Manutenção da empresa no Guia Exame de Sustentabilidade

em pauta - dezembro/2013

15


ORIENTAÇÃO ÀS PESSOAS

RECRUTAMENTO OU PROMOÇÃO? Nos últimos cinco anos, o Grupo EcoRodovias quase triplicou o número de colaboradores, saltando de 2 mil para 6 mil, espalhados nas suas 23 unidades. Com as perspectivas de crescimento nos próximos anos, as oportunidades também se multiplicam, e as movimentações de profissionais entre as diversas áreas são uma constante. Uma regra do Grupo é dar oportunidade àqueles que já estão no quadro. Para que as migrações ocorram de maneira transparente a todos os interessados, elas são feitas por recrutamento interno ou promoção. No caso do recrutamento, quando uma vaga é aberta em uma das unidades de negócio, a área local dos Recursos Humanos anuncia a vaga por meio de canais internos, a fim de que os interessados possam participar do processo seletivo. Caso a vaga seja corporativa e comporte uma movimentação financeira entre unidades, o anuncio ocorre dentro do Grupo, seguindo os mesmos critérios de seleção. Já a promoção costuma acontecer quando há oportunidades nas mesmas áreas de atuação. Nesse caso, se o profissional atende aos requisitos do PADE e tem o perfil desejado pelo setor, seu líder direto pode convidá-lo a assumir

Quanto mais você souber sobre os negócios da sua unidade e/ou do Grupo, mais fácil será para aproveitar as oportunidades. O horizonte se abre a novos desafios.

COM A PERSPECTIVA DE CRESCIMENTO, GRUPO ECORODOVIAS DISPONIBILIZA SÉRIE DE ATIVIDADES QUE PERMITEM O DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL Perceba o que diz a sua liderança e procure aplicar os conceitos em suas atividades no dia a dia. Seja curioso e busque saber mais sobre os assuntos da companhia e compartilhe com os colegas.

o posto. “Esse processo não acontece do dia para noite. A liderança é estimulada a dar feedback constante à equipe e, com isso, preparar profissionais para assumirem possíveis vagas”, explica Kenia Haither, analista de Recrutamento do Grupo EcoRodovias.

É NECESSÁRIO ESTAR PREPARADA, PARA AS NOVAS OPORTUNIDADES. Lucielma Pereira, auxiliar administrativa, Ecovia-PR

16

em pauta - dezembro/2013

Colaborador Quem recebe o feedback precisa transformá-lo em ação. Participar de treinamentos e procurar saber mais sobre os negócios da unidade e do Grupo são atitudes que ajudam em um futuro processo de recrutamento e/ou promoção. Foi dessa maneira que a colaboradora Lucielma Pereira, da unidade Ecovia-PR, conseguiu uma nova colocação dentro da empresa. Após atuar por três anos na área de arrecadação, ela ficou atenta as novas oportunidades. “Meu foco era a área administrativa. Então comecei a fazer cursos de informática, e-learning e conversar muito com os colegas que atuavam na administração da empresa. Para saber um pouco mais sobre o recrutamento, participei de um, no meu próprio setor. Mesmo não sendo aprovada, aproveitei a análise e o feedback e investi em alguns pontos. Foi certeiro. Em setembro surgiu uma vaga para a recepção, fiz o teste e fui aprovada”, comemora Lucielma. Na Ecocataratas, outra unidade no Paraná, o caminho que o colaborador José Vanderlei Simão percorreu para assumir a coordenação de sistema rodoviário – onde coordena 175 pessoas, há um ano foi a promoção. “O processo de promoção ou recrutamento está diretamente ligado ao aprendizado. Aproveite a cultura de compartilhamento ofertada pelo Grupo, busque um foco e se prepare para assumir novos desafios”, orienta o coordenador.

Cursos, comitês e treinamentos são uma constante na EcoRodovias. Os colaboradores somaram juntos mais de 90 mil horas de atividades em 2012. Aproveite para se reciclar e aprender.


INTEGRAÇÃO

O ESPORTE QUE APROXIMA Basta um giro pelas 23 unidades do Grupo EcoRodovias para se deparar com equipes prontas a praticar atividades físicas e esportivas. Engana-se quem acredita que somente a paixão nacional, o futebol, reina absoluta nas unidades de negócios. A modalidade varia conforme a empresa, e o popular pode ser pingue-pongue, tênis, peteca, corridas ao ar livre ou as academias corporativas. Tudo ao gosto do público local. “Encontrar maneiras de incentivar a prática de atividades físicas ajuda em diversos sentidos: faz bem a saúde, aumenta a autoestima e promove a interação entre as diferentes áreas”, explica Adriana Vasconcellos, coordenadora de Recursos Humanos da EcoRodovias Concessões – Regional Sul. “Com programas voltados a saúde do colaborador, desenvolvidos pelas unidades de negócios, é possível identificar a necessidade do incentivo e direcionar atividades voltadas ao combate do sedentarismo, do sobrepeso entre outros fatores. As unidades ofertam os recursos, mas a prática é voluntária”, observa Adriana. Marcelo Barion, operador de CCO da Ecovias dos Imigrantes, em São Paulo, aproveitou essa onda de estímulo e, há dois anos, mudou seu estilo de vida. “Trabalhava no período da noite e sempre achava um motivo para não praticar esportes. Mas sempre via os colegas correndo ao ar livre, malhando na

INTERATIVIDADE

Acesse o link “Por Dentro da EcoRodovias” no endereço <intranet.ecorodovias.com.br> e confira os melhores lances dos Jogos de Integração da EcoRodovias realizados no mês de novembro em São Bernardo do Campo-SP

NO GRUPO ECORODOVIAS, INCENTIVO A ATIVIDADES FÍSICAS ULTRAPASSA O LEMA “SAÚDE EM DIA” E GANHA CONTORNOS DE INTEGRAÇÃO ENTRE AS EMPRESAS academia logo após o expediente. Então decidi que iria encontrar minha tribo”, conta. Barion começou a fazer exercícios em academia de ginástica, aproximouse do kick-boxing e não largou mais o gosto pela vida saudável. “Em dois anos, passei de 130 kg a 89 kg. Além disso, minha disposição mudou significativamente em relação a me exercitar”, revela. Hoje, o colaborador é a inspiração dos colegas e um incen-

tivador de atividades físicas e esportivas, em geral, como forma de qualidade de vida. “Ele é um exemplo. Vendo os resultados positivos do Barion, também resolvi participar dos Jogos de Integração na concessionária e, recentemente, fiz matrícula na academia daqui da empresa”, relata Evandro Maganini, colega de Barion no CCO da Ecovias.

Marcelo Barion, aproveitou o incentivo da empresa para melhorar a condição física

PAIXÃO NACIONAL Anualmente, os campeonatos regionais de futebol mobilizam os profissionais das concessionárias do Grupo. Entre os meses de junho e outubro, centenas homens e mulheres vestem a camisa e mostram suas habilidades com a bola. Ecosul, Ecovia, Ecocatatas, ECS e Ecovias têm os próprios campeonatos. Em 2014, os melhores em campo se encontraram na sede da ECS-SP para uma disputa dos Jogos de Integração EcoRodovias. Além de belos lances, muitos momentos de descontração e amizade ocorreram entre as empresas participantes. “A iniciativa inédita é mais um incentivo para que a prática espor tiva se perpetue entre os colaboradores. A intenção é realizar este evento anualmente inserindo-o na agenda de integração do Grupo EcoRodovias”, diz Cintia Guimarães, gerente de Comunicação Interna e Endomarketing. Colaboradoras da Ecovia-PR na preparação da Copa de Futebol 2013. Maryse Osni, Josiane Ferreira e Valquiria Xavier da Silva.

em pauta - dezembro/2013

17


ESTOU DE FÉRIAS

UM ROTEIRO POR PELOTAS A dica de viagem desta edição da revista Em Pauta, vem de Pelotas, no Rio Grande do Sul, cidade onde o Grupo EcoRodovias está representado pela concessionária Ecosul. Caminhar pelas ruas da cidade é como fazer uma viagem no tempo. O presente

Rota das Charqueadas Um passeio imperdível é navegar pelas águas calmas do Arroio Pelotas e se deslumbrar com as belas edificações que compõem a Rota das Charqueadas. Algumas delas oferecem visita guiada, passeio de barco e até hospedagem. Na Charqueada São João, por exemplo, o espaço é muito procurado pelos turistas. É lá que foram gravados a minissérie da Rede Globo ‘A Casa das 7 Mulheres’ e o recém lançado filme ‘O Tempo e o Vento’.

e o passado estão entrelaçados por todos os cantos. A história do sal e do açúcar estão nas belezas arquitetônicas, na origem gastronômica, no roteiro das charqueadas, nas receitas adocicadas das Doçarias e também na hospitalidade de seu povo.

Quem dá as dicas deste fascinante espaço de nosso país é a colaboradora da Ecosul, Lídia Fonseca Brum, assistente administrativa, nasceu e mora na cidade. Se você está programando a sua próxima viagem, veja as dicas abaixo e escolha Pelotas como destino.

Centro Histórico É parada obrigatória para os turistas. A Praça Coronel Pedro Osório é o coração desse roteiro. Lá está a Fonte das Nereidas, um chafariz impor tado da França por volta de 1873. No seu entorno estão diversos prédios históricos, numa mescla de traços, nuances e história: a Prefeitura (1880), a Bibliotheca Pública (1875) e o Grande Hotel (1928), que recebeu hóspedes até o f inal da década de 80.

Lídia Fonseca Brum (sentada) em um passeio de barco, que saiu da Charqueada Boa Vista

Pelotas Colonial Para quem gosta do contato direto com a natureza, a dica é também percorrer o roteiro colonial, com visitas a colônias e sítios, com deslumbrantes paisagens verdes e cascatas.

Praia do Laranjal No fim de semana o passeio é concorrido seja no verão ou mesmo no inverno. A praia, localizada há cerca de 12 quilômetros da cidade, é ponto de encontro entre os gaúchos. Bom para um bate-papo e para tomar aquele tradicional chimarrão.

INTERATIVIDADE

Confira outras imagens do roteiro em Pelotas acessando o link Por Dentro da EcoRodovias no endereço <intranet.ecorodovias.com.br>

18

em pauta - dezembro/2013

Doçarias Na área central também é possível fazer aquela paradinha para conhecer os dotes culinários da capital do doce, que se revelam em cada esquina da cidade. É praticamente impossível passar pelo município gaúcho e não experimentar dessas delícias. Entre os lugares indicados estão: a Confeitaria Otto, Pelotense, Baronesa, Pérolas Doces finos e Márcia Aquino. Você não irá se arrepender.


PROMOÇÃO

COLABORADORES PARTICIPAM DA PROMOÇÃO ‘CONHEÇA UNIDADES DO GRUPO ECORODOVIAS’

Camila Cristina, operador logístico II – Elog Sudeste Cajamar dá uma espiada nos títulos disponíveis na Biblioteca Apoena, na ECS. “Uma fonte de aprendizado”, resume. No roteiro cultural, um passeio de bonde pelas ruas históricas de Santos-SP.

Josivan da Silva, operador de empilhadeira – Elog Sudeste Alphaville conhece uma das bases operacionais da Ecocataratas na BR 277 entre Foz do Iguaçu e Cascavel. No Parque das Aves faz pose para foto com arara adestrada. “O Grupo é bem heterogêneo”, conclui Josivan.

CASCAVEL FOZ DO IGUAÇU

Jefferson Araújo, auxiliar de cadastro – Elog Sul Foz do Iguaçu, conhece as estruturas do Ecoporto Santos. “Fascinante a operação portuária realizada pelo Grupo”. No roteiro cultural, uma pausa para apreciar o mais antigo aquário do Brasil que fica em Santos-SP.

Gabriela Vasconcellos, operadora rodoviária – Ecosul circula pelas instalações da Elog de Foz do Iguaçu com a encarregada operacional da unidade, Carla Blum. No roteiro cultural, uma pausa para a foto tradicional frente as Cataratas do Iguaçu. “Uma maratona de muito conhecimento”, avalia Gabriela.

SÃO BERNARDO DO CAMPO

SANTOS

em pauta - dezembro/2013

19


Fique atualizado diariamente sobre tudo o que acontece nas unidades de neg贸cios de um dos mais importantes grupos de infraestrutura e log铆stica brasileiro.


Revista em pauta 02 dezembro 2013  

Revista em Pauta Ecorodovias

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you