Page 1

Prefeito Rafael Greca relata seus desafios na prefeitura de Curitiba e projetos inerentes as Políticas Públicas na Educação para o Município Página 11

Entrevista com a Secretária de Educação do Estado do Paraná Ana Seres Trento Comin Página 08

CURITIBA | PARANÁ Distribuição Gratuita nos bairros: • Batel • Bigorrilho • Ecoville • Seminário • Centro • Ano 15 Setembro | 2017

194

Especial Educação

ecial Jóias:

Entrevista com joalheiros e designers da área

Hilda Dias Machado dá dicas sobre o mercado das pedras preciosas

Receita do Caldo Tucupi Com os Chefs Juliane Mercer e Cristiano Moretini do Restaurante O Amazônico

Construção de 1906 sendo inaugurado em 01 de fevereiro de 1907 como Casa Escolar Cruz Machado, quando funcionou como estabeleci mento de ensino das séries iniciais e em 1923 passou a ser denominado Grupo Escolar Cruz Machado até o ano de 1925 e após sendo transferido para o Grupo Escolar Deze nove de Dezembro. Desativado em 1928 com a Inauguração do Colégio Estadual Dom Pedro II. O prédio passou a ser repartição pública sendo uma delas a Inspetoria de Ensino e Delegacia. Hoje funciona o Museu da Escola Paranaense, possui arquivos dos edifícios e acervos das memórias e histórias por meio do trabalho museológico, como as exposições e as interações com o público. Localizada na Avenida Bispo Dom José, n.º 2006. Página 09


Setembro | 2017

FOLHA DO BATEL

Página 02

Educação dos filhos à luz da Palavra de Deus

Editorial

"Herança do Senhor são os filhos; o fruto do ventre seu galardão." (Salmos 127:3)

Educação no Brasil O presidente da República, Michel Temer, e o ministro da Educação, Mendonça Filho, anunciaram o Novo Ensino Médio, a maior mudança na educação nos últimos 20 anos, desde a Lei de Diretrizes e Base da Educação. Com foco na aprendizagem do aluno, na manutenção dos jovens na escola e na oferta de uma proposta curricular que atenda não apenas às necessidades individuais dos estudantes, a proposta também oferece oportunidades iguais aos principais países do mundo. O Governo anunciou, também, que vai investir R$ 1,5 bilhão em políticas de escolas em tempo integral, para atender a 500 mil novos estudantes de ensino médio nesse regime até 2018. "As crianças e os jovens do Brasil têm pressa. A educação precisa avançar", afirmou o ministro Mendonça Filho, ao apresentar a proposta. Um dos principais pontos do Novo Ensino Médio é a flexibilização do currículo. Serão ofertadas quatro áreas de estudo - linguagens, matemática, ciências da natureza e ciências sociais e humanas. O modelo trará, ainda, a formação técnica e profissional dentro da carga horária do ensino regular. "Hoje, cerca de 80% dos nossos jovens que terminam o ensino médio não entram na faculdade e saem sem formação para o mundo do trabalho. Precisamos dar oportunidade para esses jovens", ressaltou o ministro. Entre os objetivos que ainda precisam ser cumpridos, está a garantia de matrícula para todas as crianças entre quatro e cinco anos de idade. A estimativa é de que pelo menos 500 mil delas ainda estejam fora da escola, o que reforça a responsabilidade dos gestores municipais, aos quais cabe encontrar soluções imediatas. Crianças sem atenção nessa faixa de idade tendem a enfrentar mais dificuldade para se alfabetizar e, em consequência, para assimilar novos conteúdos. Quando isso acontece, ficam mais expostas aos riscos de evasão escolar, prejudicando inclusive seu futuro profissional. É hora de o país rever tudo na área educacional, unindo esforços dos municípios, dos Estados e da União, para fazer do ensino um instrumento efetivo de crescimento. Esse é um debate que precisa envolver toda a sociedade, não apenas o setor público, conhecido pela falta de eficiência e pelo mau uso do dinheiro dos contribuintes.

Amados em Cristo, como está hoje o seu relacionamento com a família? Com seus filhos? Com seu esposo (a)? Qual o tempo que você tem dedicado ao Senhor e ao estudo da palavra de Deus? Qual o significado da palavra de Deus em sua vida? Qual o modelo você tem sido para seus filhos? Como você tem ensinado os seus filhos? Todos nascemos em pecado, e a criança não vem ao mundo com a vontade de amar, de ajudar, de fazer o bem. "Eu nasci na iniqüidade, e em pecado me concebeu minha mãe". (Salmos 51:5). Por isso, é dever dos pais, ensinarem com amor, os filhos nos caminhos do Senhor: "Ensina a criança no caminho em que deve andar, e ainda que for velho não se desviará dele." (Provérbios 22:6). A mãe do falecido cantor Cazuza, deu uma entrevista à Revista Veja em 26.04.1989, sobre a vida de seu filho. Ela se arrepende de não tê-lo educado e o repreendido quando criança e adolescente. Ela o deixou livre, e o final de sua vida, foi decorrente a falta de correção e disciplina. Como sabemos, Cazuza faleceu aos 31 anos com o vírus da AIDS. "O que retém a vara aborrece a seu filho, mas o que o ama, cedo o disciplina". (Provérbios 13:24). Como diz as escrituras, os filhos que não são criados no caminho do Senhor, só vem a envergonhar a sua mãe. "A vara e a disciplina dão sabedoria, mas a criança entregue a si mesma vem a envergonhar a sua mãe." (Provérbios 29:15). Ninguém é perfeito, temos falhas e defeitos, mas a palavra de Deus nos foi deixada para isso; para buscarmos ser semelhantes a Cristo e andarmos no seu caminho que é a verdade e a vida. Os pais não devem transferir o dever de ensinar a palavra de Deus aos filhos, à igreja, a escola, a babá, etc. Estes podem ajudar e colaborar no ensino, mas a missão é dos pais. Segundo a palavra de Deus, os pais devem: 1. Ensinar a salvação aos filhos. Ganhar o coração de seu filho para Jesus. No que vamos nos basear? Na palavra de Deus. A Bíblia é autoridade inquestionável. É o único caminho para nós. A palavra de Deus não volta vazia. "Ensinai-as a vossos filhos, falando delas assentados em vossa casa, e andando pelo caminho, e deitando-vos, e levantando-vos." (Deuteronômio 11:19); "E que desde a infância sabes as sagradas letras que podem tornarte sábio para a salvação pela fé em Cristo Jesus." (II Timóteo 3:15). 2. Os pais devem ser modelo para os filhos. A palavra de Deus deve ser o nosso estilo de vida 24 horas por dia, todos os dias; vivendo na simplicidade e no amor de Cristo. Jesus é o nosso exemplo de vida e assim devemos ser para com os nossos filhos. "Porque eu vos dei o exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também". (João 13:15) 3. Ensinar aos filhos a andar humildemente com Deus e praticar a justiça uns para com os outros; a amar uns aos outros, ajudar e ser bom uns para com os outros. Como já comentamos, a criança não vem ao mundo boa; e com amor, partindo do principio que a criança não sabe o que é bom e agradável aos olhos do Senhor, ensiná-la a palavra de Deus. "Ele te declarou, ó homem, o que é bom; e que é o que o Senhor pede de ti, senão que pratiques a justiça e ames a misericór-

Expediente Jornalista Profissional: Celina S. P. Ribello - CRTE /PR | Habilitação: 8221 Diretora Executiva: Celina S. P. Ribello Rua Paulo Gorski, 181 CNPJ: 07478063/0001-05 Fone: 3274- 0104 - Fax: 3402-3721 www.jornalfolhadobatel.com.br | contato@jornalfolhadobatel.com.br. | Diagramação: Tatiana Carla de Souza Distribuição: Dirigida e Gratuita | Periodicidade: Mensal As matérias assinadas não expressam, necessariamente, a opinião do jornal.

dia, e andes humildemente com o teu Deus?" (Miquéias 6:8). 4. Orar pelos filhos. A oração é muito importante, pois o Senhor nos ouve e tudo o que pedimos dentro da sua vontade, Ele realiza. "E a Salomão, meu filho, dá coração integro para guardar os teus mandamentos, os teus testemunhos e os teus estatutos, fazendo tudo para edificar este palácio para o qual providenciei." (I Crônicas 29:19). Também é importante levá-los desde cedo a casa do Senhor para fazer parte da família de Deus: "Havendo-o desmamado, levou-o consigo, com um novilho de três anos, um efa de farinha e um odre de vinho, e o apresentou à casa do Senhor, a Silo. Era o menino ainda muito criança." (I Samuel 1:24). Portanto, é através do ensino da palavra, da oração e do modelo dos pais que a criança vai andar no caminho da verdade. Segundo a psicóloga Cidinha Aquino, especialista em educação de pais e filhos, é comprovado que os pais que educam os seus filhos na palavra de Deus, são modelo para eles e oram por eles, usam menos correção. E a palavra de Deus assim nos confirma: "Corrige o teu filho, e te dará descanso, dará delícias à tua alma". (Provérbios 29:17).O mundo em que vivemos jaz no maligno, por isso é preciso ensinar, exortar e corrigir nossos filhos para que não tropecem nos caminhos deste mundo mal. O mundo é egoísta, enganoso, trapaceiro, corrupto, mal... e vai contra os ensinamentos do Senhor. "Buscamos o ter e não o de ser uma nova criatura". (Cidinha Aquino). Há um tempo atrás , saiu um noticiário sobre as "pulseiras do sexo", uma nova moda entre crianças e adolescentes, nas quais cada cor representava algo, que vai desde um abraço até a relação sexual. Então de acordo com o que a criança usava , pedófilos e pessoas más estão atentos para realizar essas maldades com as crianças. Uma menina que usava as tais "pulseiras", acabou sendo estuprada por três rapazes, que arrebentaram a pulseira e também devido a cor da mesma. A sociedade de psicólogos está com a campanha: Criança não namora. A Criança se relaciona com os amiguinhos e eles são simplesmente amigos. Amizade é o nome. Insistir em namoro na infância é adultizar as crianças, incentivar a erotização precoce. A indústria de brinquedos, roupas e cosméticos já investe tanto na adultização infantil! Não vamos fazer o mesmo. Não é engraçadinho incentivar beijinhos de namoro ou declarações de amor entre as crianças. É nosso papel separar o mundo adulto do mundo infantil. Misturar os dois mundos é cair no erro da erotização precoce. A infância precisa de proteção e não de adultos que afastam a criança daquilo que é próprio pra idade dela. A televisão e a internet também são meios de comunicação que os pais devem se atentar. Como têm boas informações, também têm coisas ruins; e como essas manias correm em alta velocidade e fazem a cabeça das crianças... Se for da moda, todos querem estar dentro para serem aceitos. Muitas crianças criam perfis nas redes sociais e passam a conversar com pessoas mais velhas e até mesmo a marcarem encontros. Pais, cuidem dos seus filhos. Com a correria do dia a dia, o traba-

lho, o cansaço, etc., muitas vezes deixamos nossos filhos de lado, não conversarmos, não exortamos, não corrigimos, não explicamos sobre os acontecimentos e não falamos da palavra de Deus que é o único caminho para salvação; pois o caminho do mundo só nos leva a perdição e a morte. "E vós, pais, não provoqueis vossos filhos à ira, mas criai-os na disciplina e na admoestação do Senhor." (Efésios 6:4). Dicas para criação dos filhos à luz da palavra de Deus: - Procurem realizar as refeições sempre em família, agradecendo a Deus por toda sua provisão. Ensinar os filhos desde cedo a serem gratos e a louvarem ao Senhor por tudo o que Ele tem feito. - Ore junto com seus filhos e com toda a família. Como diz a palavra de Deus: orai sem cessar. Ore sempre pelos seus filhos, pedindo que Deus os guie no seu caminho. - Estude a bíblia junto com os filhos. Pode se escrever cartões com os versículos e os incentivar a decorar a palavra. Como diz a palavra de Deus, todo o momento é tempo para ensinar a palavra. Ensine ao seu filho sobre a salvação, sobre o amor a Deus e ao próximo, e a seguir os passos de Jesus Cristo. Sempre falar da palavra de Deus aos filhos em todas as circunstancias. Num dia de passeio, momentos em casa, ao acordar, ao se deitar, etc., contando as histórias da bíblia, a salvação por meio de Cristo e como aplicar e cumprir os ensinamentos de Deus todos os dias. Crianças gostam de fantoches, histórias, teatro, música, brincadeiras. Procure usar esses recursos nos ensinamentos. - Ir a igreja com toda família. Procurar incentivar os filhos a participarem dos encontros na igreja, acampamentos, excursões, reuniões em casa. Assim aprenderão desde cedo a viver em comunhão com a família de Deus. - Acompanhe e converse sempre com os seus filhos. Pergunte como foi na escola, procure saber tudo o que se passa em sua vida. As amizades, os afazeres, o que tem assistido e pesquisado na internet. Faça parte da vida do seu filho. Não o abandone. - Seja sempre um modelo para seus filhos. As crianças tendem a copiar e a imitar o que elas vêem. Através do modelo de Jesus, seja o modelo para seus filhos dentro da palavra. - Corrija seu filho quando este fizer algo errado. A palavra de Deus nos ensina a proceder assim para o bem deles e para o nosso também. "E que governe bem a sua própria casa, criando os filhos sob disciplina, com todo respeito." (I Timóteo 3:4). Seguindo a palavra de Deus que é nosso guia de vida infalível, teremos a certeza de poder descansar no Senhor, pois sua palavra é fiel. "Filho meu, não te esqueças dos meus ensinos, e o teu coração guarde os meus mandamentos; porque eles aumentarão os teus dias e te acrescentarão anos de vida e paz". (Provérbios 3:1 e 2). Amém!


Setembro | 2017

COLUNA TIOM KIM

FOLHA DO BATEL

O fotógrafo Enéas Gomez captou a energia do roqueiro Alice Cooper na Live Curitiba. Um show que encantou os curitibanos. Com realização da Hits Entretenimento e Like Entretenimento, a escala na capital paranaense foi um dos pontos altos da passagem de Manuela Godoi e Dariane Alves Cooper no Brasil aproveitaram a sexta no Taco El Pancho. Foto Moises Chileider

Chá com Chapéu, encontro realizado na Zuleika Bisacchi Galeria de Arte no Patio Batel. Em cena Celso Coppio o anfitrião e a galerista Zuleika Bisacchi Lente de Marcelo Elias

A avant premier do filme Alex Camera 10 aconteceu na última segunda feira no Cinepolis do Pátio Batel, em Curitiba. Com direção executiva de Adriano Rattmann e cinematográfica de Cauê Serur. O documentário de 97 minutos retrata a história do craque Alex, um dos maiores camisas 10 do futebol brasileiro. Foto: Thiago Parmalat O mestre da fotografia Chico Nogueira fez o clic que transformou o ator Johnny Leal no personagem Toby Dammit vivido no cinema por Terence Stamp. Uma cena autoral recriada do filme 'Histórias Extraordinárias", que trazia num dos episódios a direção de Federico Fellini. Produção visual da Vimax Art Hair Beauty. O ensaio foi produzido no palco do Guairinha e faz parte do projeto O Fotograma Revisitado.

A artista visual Janete Mehl e a empresária Marli Corleto na inauguração da escultura em homenagem a Campo Largo. Uma escultura de grandes proporções em formato de coração feita com tambores de freio de ônibus reciclados de diversos tamanhos e criada pela artista visual curitibana Janete Mehl foi inaugurada em Campo Largo, com as presenças do prefeito Marcelo Puppi e da empresária Marli Corleto, proprietária da empresa Transportes Coletivos Nossa Senhora da Piedade, que encomendou a obra. Foto Neni Glock

Página 03

Da esquerda para direita, o arquiteto, paisagista e coordenador técnico do projeto, Marcelo Calixto, a arquiteta e coordenadora técnica do projeto, Rose Guazzi, o jornalista Reinaldo Bessa, a analista de marketing do Shopping Mueller, Natalia Amend, e o coordenador de marketing do mall, Ciro Gonçalves.O Shopping Mueller recebeu no dia 21 de setembro, no restaurante Babilônia, localizado no piso L4 do mall, convidados para a oficialização do lançamento do Projeto Mueller Ecodesign Social, edição 2017. Lente de Kelly Knevels

Ieda Godoy, Alexandra Gil, Victor Sálvaro e Dayana Zonin, evento de exposição de fotos : Mulheres Notáveis no Dizzy Café, dia 19 de setembro, coordenação do produtor de moda Victor Sálvaro e da fotógrafa Luciana Sálvaro . Foto : Ale Maya


FOLHA DO BATEL

Página 04

Setembro | 2017

SETEMBR O AMAREL O SETEMBRO AMARELO

Taxa de suicídio é maior em idosos com mais de 70 anos Dados inéditos do Ministério da Saúde apontam ainda que suicídio é a quarta causa de morte entre jovens. Diagnóstico orientará qualificação e expansão da rede de atenção à saúde mental Em alusão ao setembro amarelo, mês de conscientização sobre a importância da prevenção do suicídio, o Ministério da Saúde divulgou no dia 21 de setembro, o primeiro Boletim Epidemiológico de Tentativas e Óbitos por Suicídio no Brasil. Um dos alertas é a alta taxa de suicídio entre idosos com mais de 70 anos. Nessa faixa etária, foram registradas a média de 8,9 mortes por 100 mil nos últimos seis anos. A média nacional é 5,5 por 100 mil. Também chamam atenção o alto índice entre jovens, principalmente homens, e indígenas. O diagnóstico inédito vai orientar a expansão e qualificação da assistência em saúde mental no país. O Ministério da Saúde, com base nos dados do boletim, lança uma agenda estratégica para atingir meta da Organização Mundial da Saúde (OMS) de redução de 10% dos óbitos por suicídio até 2020. Entre as ações, destacam-se a capacitação de profissionais, orientação para a população e jornalistas, a expansão da rede de assistência em saúde mental nas áreas de maior risco e o monitoramento anual dos casos no país e a criação de um Plano Nacional de Prevenção do Suicídio. Desde 2011, a notificação de tentativas e óbitos é obrigatória no país em até 24h.

"Temos o compromisso de reforçar agora toda nossa rede de atenção psicossocial junto aos gestores locais, visando fortalecer e ampliar a assistência a todos os indivíduos que necessitam de atenção e cuidado neste momento", afirmou o Secretário de Vigilância em Saúde, Adeilson Cavalcante. O diagnóstico registrou entre 2011 e 2016, 62.804 mortes por suicídio, a maioria (62%) por enforcamento. Os homens concretizaram o ato mais do que as mulheres, correspondendo a 79% do total de óbitos registrados. Os solteiros, viúvos e divorciados, foram os que mais morreram por suicídio (60,4%). Na comparação entre raça/cor, a maior incidência é na população indígena. A taxa de mortalidade entre os índios é quase três vezes maior (15,2) do que o registrado entre os brancos (5,9) e negros (4,7). "A reúne esforços entre as áreas de vigilância e assistência em saúde com programas de prevenção e cuidado da saúde mental para diminuir a mortalidade por suicídio", ressaltou Quirino Cordeiro Junior, coordenador geral de Saúde Mental, álcool e outras drogas do Ministério da Saúde. Entre os jovens de 15 a 29 anos, o suicídio é maior entre os homens, cuja taxa é de 9 mortes por 100 mil habitantes. Entre as mulheres, o índice é quase quatro vezes menor (2,4 por 100 mil). Na população indígena, a faixa etária de 10 a 19 anos concentra 44,8% dos óbitos. "A no-

tificação de casos é muito importante para que consigamos visualizar onde se encontram as regiões com maiores indicadores e reunir esforços para diminuir as taxas de suicídio. Já trabalhamos com ações de prevenção nos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) que, em breve, devem chegar nas áreas de maior incidência", enfatizou Maria de Fátima Marinho, Diretora do Departamento de Doenças e Agravos Não-Transmissíveis do Ministério da Saúde. O documento apresenta ainda que, entre os anos de 2011 e 2016, ocorreram 48.204 tentativas de suicídio. Ao contrário da mortalidade, foram as mulheres que atentaram mais contra própria vida, 69% do total registrado. Entre elas, 1/3 fez isso mais de uma vez. Por raça/cor, a população branca (53,2%) registrou maior taxa. Do total de tentativas no sexo masculino, 31,1% tinham entre 20 e 29 anos. Além disso, 58% dos homens e mulheres que tentaram suicídio utilizaram substâncias que provocaram envenenamento ou intoxicação. Entre os fatores de risco para

o suicídio estão transtornos mentais, como depressão, alcoolismo, esquizofrenia; questões sociodemográficas, como isolamento social; psicológicos, como perdas recentes; e condições clínicas incapacitantes, como lesões desfigurantes, dor crônica, neoplasias malignas. No entanto, tais aspectos não podem ser considerados de forma isolada e cada caso deve ser tratado no Sistema Único de Saúde conforme um projeto terapêutico individual. ASSISTÊNCIA É FATOR DE PROTEÇÃO Os serviços de assistência psicossocial tem papel fundamental na prevenção do suicídio. O Boletim apontou que nos locais onde existem Centros de Apoio Psicossocial (CAPS), uma iniciativa do SUS, o risco de suicídio reduz em até 14%. Existem no país, 2.463 CAPS e, no último ano, foram habilitadas 146 unidades, com custeio anual de R$ 69,5 milhões do Ministério da Saúde. Por isso, a agenda estratégia prevê a expansão dessas unidades nas regiões de maior risco.

Outro ponto para ampliar o atendimento é a parceria com o Centro de Valorização da Vida (CVV). O Ministério da Saúde tornou gratuito a ligação para a instituição que faz o apoio emocional por para prevenção de suicídios. A partir do dia 30/09, além do Rio do Grande do Sul, o 188 ficará disponível sem custo de ligação para mais oito estados: MS, SC, PI, RR, AC, AP, RO e RJ. A expansão beneficiará 21% da população brasileira. Para se ter idéia do impacto da medida, no Rio Grande do Sul, onde já funciona desde setembro, número de atendimento aumento em treze vezes: de 4.500 ligações em setembro de 2015 para 58.800 em agosto deste ano. Além disso, a entidade também presta assistência pessoalmente, via e-mail ou chat. A representante do CVV, Leila Herédia, ressalta a importância da gratuidade das ligações para o aumento dos atendimentos. "O custo das ligações era um fator impeditivo na hora das pessoas procurarem ajuda. No momento de angústia, as pessoas querem ser ouvidas, querem conversar. A medida vai facilitar o acesso da população aos serviços do CVV", afirmou. Também está previsto materiais de orientação para ampliar a comunicação social e qualificar a informação aos jornalistas, profissionais de saúde e a população. Por isso, o Ministério lançou um folheto informativo para os jornalistas, com sugestões sobre como abordar o tema. Para

a população, foi feito um folder com foco na identificação de sinais de alerta, como o que fazer e o que não fazer diante de uma pessoa com risco de suicídio. Já para profissionais de saúde, foi feito documento sobre a importância da notificação compulsória da tentativa de suicídio em até 24h e que traz informações técnicas sobre acolhimento na rede do SUS. Todos os documentos estão disponíveis para download no Portal da Saúde (www.saude.gov.br). Já para a Educação Permanente dos profissionais de saúde na prevenção do suicídio, o Ministério da Saúde oferta, em parceria com a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), um curso à distância sobre Crise e Urgência em Saúde Mental. Desde 2014, já foram capacitados 1.994 profissionais. A próxima turma, prevista para 2018, capacitará outros 1.500 profissionais da RAPS, com capítulo sobre suicídio. Outra capacitação prevista é a Oficina Nacional de Qualificação das Ações de prevenção suicídio entre povos indígenas, que será realizada em novembro. Também para os índios, ainda nesta ano, haverá a implantação das linhas de cuidados de prevenção do suicídio com capacitações em 16 DSEI prioritários e formação de jovens indígenas multiplicadores em estratégias de valorização da vida nas regiões com maior incidência de suicídio. Por Victor Maciel, da Agência Saúde


Setembro | 2017

Caputo Neto anuncia construção de nova unidade de saúde na Ceasa O secretário estadual da Saúde, Michele Caputo Neto, anunciou , em Curitiba, a construção de uma nova unidade de saúde para atender a população que trabalha ou mora nos arredores da Ceasa, no bairro Tatuquara. O investimento será de quase R$ 2 milhões em recursos do Governo do Estado. Também foi garantido o repasse de R$ 115 mil para compra de mobiliário e equipamentos. O anúncio foi feito durante as atividades da campanha "Agosto Azul", que levou uma série de serviços gratuitos de saúde às instalações da Ceasa, na capital. "Atendendo a uma reivindicação que recebemos da comunidade, vamos investir recursos próprios para que esta obra saia do papel. O objetivo é construir uma estrutura que esteja à altura da demanda da região", declarou o secretário. Para Caputo Neto, a área de abrangência da Ceasa deve ser tratada como se fosse uma verdadeira cidade. "Temos que dar uma atenção especial a este lugar. Mais de 15 mil pessoas circulam por aqui todos os dias, um volume superior à população de diversos municípios paranaenses", ressaltou. A comunidade da Ceasa já conta com uma unidade de saúde à disposição. Contudo, o pré-

dio é modesto e não tem espaço adequado para suportar a demanda local. Além disso, também não é viável ampliar a atual estrutura devido a dificuldades no projeto. Segundo a secretária de Saúde de Curitiba, Márcia Cecília Huçulak, a nova unidade ficará dentro da Ceasa, em um terreno cedido pela administração à prefeitura. "Esta parceria com o Governo do Estado tem sido essencial para resgatarmos o sistema de saúde da capital. A liberação desta obra é mais uma prova disso", relatou. Desde 2011, o Estado já destinou mais de R$ 525 milhões para fortalecer a retaguarda de atendimento de saúde em Curitiba. Destaque para obras em unidades de saúde, melhorias em hospitais estratégicos, repasse de incentivos de custeio para serviços de referência, compra

Página 05

FOLHA DO BATEL

de ambulâncias, entre outros investimentos. EXAMES - Dentro das ações do Agosto Azul na Ceasa, foram realizados 1199 procedimentos, entre testes rápidos de HIV, sífilis e hepatites B e C, teste de glicemia, aferição de pressão arterial, vacinação, avaliação de saúde bucal e orientações de saúde. No total, 264 pessoas participaram dos vários serviços gratuitos de saúde realizados na sede do Sindicato dos Permissionários da Ceasa Curitiba - Sindaruc. A ação foi coordenada pelas equipes de saúde do Distrito Sanitário do Tatuquara, da secretaria municipal de saúde de Curitiba, com profissionais da secretaria estadual,, tendo ainda apoio da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento, da Ceasa Paraná, e do Sindaruc.

Paraná é bicampeão dos Jogos Escolares da Juventude Pelo segundo ano consecutivo a delegação do Paraná conquistou os Jogos Escolares da Juventude - etapa 12 a 14 anos, que foi disputada em Curitiba de 12 e 21 de setembro. Foram 32 medalhas de ouro, 64 no total e pódios em 11 das 13 modalidades esportivas da competição. A competição contou com recorde de participação, com 4.043 atletas de 26 estados, além de delegações de Curitiba e do Distrito Federal. Participaram dos jogos jovens revelações de 1.401 escolas públicas e privadas de 475 municípios brasileiros, bem como 523 técnicos, 166 dirigentes, 412 árbitros e 500 integrantes da organização e voluntários. Além de incentivar a prática esportiva, revelar novos talentos e ajudar na divulgação de diferentes modalidades, os Jogos Escolares da Juventude também ajudaram a aquecer a economia do município. As competições trouxeram aproximadamente R$ 7 milhões em investimentos por meio de serviços, hospedagens, transporte e alimentação. Esta foi a segunda vez que Curitiba recebeu o evento. A primeira foi em 2011, com a etapa para atletas de 15 a 17 anos. Maior competição esporti-

va estudantil da América do Sul, os Jogos Escolares da Juventude são organizados e realizados pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB), correalizados pelo Ministério do Esporte e Grupo Globo, com patrocínio da Coca-Cola e apoio da Estácio, Prefeitura de Curitiba e Governo do Paraná. Outro destaque da competição foi o desempenho da delegação de Curitiba, que conquistou 13 medalhas, sendo campeão na dupla feminina de badminton, geral por equipes na ginástica rítmica, judô feminino e basquete feminino. "É uma emoção muito grande poder representar a cidade e conquistar uma medalha em uma competição tão importante. É uma lembrança que levaremos para o resto da vida", destacou Maria Eduarda Mello West, de 14 anos e atleta da equipe de basquete

de Curitiba. Por não representar um Estado, e desta forma não poder entrar na disputa geral da Categoria Especial, a delegação da cidade-sede participa dos Jogos Escolares com os estados que disputam a divisão de acesso da competição. "Ficamos contentes com o desempenho da delegação de Curitiba, que conquistou medalhas, batalhou em cada partida e teve a oportunidade de interagir com outros atletas e competir em nível de igualdade com delegações estaduais", disse o secretário municipal do Esporte, Lazer e Juventude, Marcello Richa. A segunda etapa dos Jogos Escolares da Juventude, destinada a atletas de 15 a 17 anos, será de 16 e 25 de novembro, em Brasília.


FOLHA DO BATEL

Página 06

Como despertar o interesse dos alunos na aprendizagem? A aprendizagem é influenciada por diversos fatores, e o estado emocional e afetivo dos alunos é um desses fatores. A motivação para ampliar os conhecimentos é como um gatilho que impulsiona a aprendizagem e estabelece as condições nas quais ela ocorre. Segundo a literatura acadêmica, um desses fatores - e talvez o mais determinante para o progresso na vida escolar - é o interesse. Despertar o interesse do aluno, seja ele uma criança nos primeiros anos da vida escolar ou um adolescente do Ensino Médio, é a chave para garantir um aprendizado eficaz. O interesse é uma sensação ou sentimento que origina a tendência para agir em relação a alguma área, evento, atividade ou estímulo. Tipicamente, o interesse é considerado como algo inerente à pessoa. O aluno terá interesse nas coisas que melhoram sua autoimagem e sobre as quais possui algum tipo de controle. Por exemplo, se uma pessoa sente que não sabe dançar muito bem, que é desajeitada, não terá muito interesse em ir a bailes, discotecas ou forrós. Se ninguém incentivá-la, isso será um problema por toda a vida. Se um aluno sente que não consegue aprender Matemática (frequentemente isso decorre de um erro de percepção da parte do aluno), não somente perderá o interesse, mas, provavelmente, vai desenvolver uma aversão à Matemática. O interesse é uma variável de muita importância nas tarefas escolares e na aprendizagem em geral. Quando as pessoas se interessam por um assunto, tendem a aprendê-lo mais rapidamente e com maior profundidade. Isso ocorre porque focalizam melhor sua atenção e porque desenvolvem mais elementos nas estruturas mentais existentes no cérebro, com as quais relacionam as novas informações. Basta observar

o quanto os alunos sabem a respeito de assuntos que lhes interessam, como no caso de esportes, videogames, redes sociais, música etc. A falta de interesse dos alunos é uma das principais preocupações de pais, professores e educadores em geral. O papel dos pais no desenvolvimento de interesses é fundamental. Os alunos são muito influenciados por seus pais e, em menor grau, por seus professores, com os quais passam várias horas do dia. O papel do professor é mais direto do que o papel dos pais, porque lhe cabe dirigir a atenção e interesse dos alunos para conteúdos específicos de aprendizagem. Existe uma elevada correlação entre o êxito dos alunos no Ensino Médio e o grau de compromisso real e de interesse expresso dos professores pelas matérias que lecionam. Quando o professor demonstra interesse e entusiasmo pela matéria que leciona, os alunos aprendem mais. Os temas, as atividades, as competências e os conhecimentos que ajudam o aluno a sentir que é capaz de fazer as coisas, resolver problemas e perceber que pode controlar melhor seu ambiente, sua aprendizagem e seu desempenho acabam tornando-se, de alguma forma, seus temas prediletos. Quanto mais sucesso obtém, mais interesse o estudante terá nesses temas. Há diversas circunstâncias em que o professor pode influenciar o interesse dos alunos. A principal consiste em descobrir quais são os interesses de suas turmas. Felizmente, isso não é difícil: basta perguntar, observar, escutar. Frequentemente, os professores ficam tão absorvidos em "dar o programa de ensino" que se esquecem de observar os interesses de seus alunos. Dois passos fundamentais para descobrir os interesses dos alunos o Verificar se aquilo que o aluno estuda é interessante para a vida dele ou se não está muito afastado de seu cotidiano. De outra forma, é possível que a maioria dos alunos vá desinteressar-se ou ficar aborrecida. A escolha dos temas da aula, dos exemplos apre-

sentados, das ilustrações propostas, tudo isso pode ajudar a conectar melhor o que se está aprendendo com elementos típicos da vida cotidiana de um estudante. Para isso, o professor precisa conhecer bem seus alunos e saber propor conexões adequadas. o Reconhecer, estimular e reforçar expressões positivas de interesse por parte dos alunos. Quando um aluno ou um grupo de alunos demonstram interesse num determinado tema, quando se entusiasmam com um exemplo, uma história ou uma leitura, o professor deve elogiálos, congratulá-los e ajudá-los a conhecer ou aproximar-se de outros temas parecidos. Isso fará com que o interesse não se perca. 15 dicas para fazer seu filho gostar de estudar Patrícia Zwipp A pedagoga Maria Angela Barbato, professora da Faculdade de Educação da Pontifícia Universidade Católica (PUC/ SP), afirma que as razões para as crianças não se entusiasmarem muito para acordar e ir à escola, todos os dias, podem ser variadas. "A criança pode não ter entendido a matéria; passa muito tempo só fazendo a atividade sem ter horário para brincar; a maneira como a lição foi passada é desinteressante", enumera. A solução, seja qual for o caso, é orientar e estimular o filho, e nunca fazer a tarefa por ele. Confira algumas dicas para afastar a preocupação com o aprendizado da garotada: 1.Fale sobre a importância de aprender; 2.Se ainda tiver, mostre seus cadernos de escola; 3.Se a criança não quiser fazer a lição, converse e descubra o motivo, já que pode ser

Setembro | 2017

Como reconhecer a perda auditiva

por não ter entendido a matéria; 4.Estabeleça horários para estudar em casa. É importante que a garotada tenha tempo para brincar e fazer outras atividades que goste; 5.Escolha um ambiente tranqüilo, sem barulho de televisão ou rádio, por exemplo. Assim, o seu filho fica mais concentrado; 6.Se ele não entender um exercício sobre desenho geométrico, por exemplo, busque objetos que estão ao seu redor para explicar; 7.Monte teatrinhos sobre os assuntos estudados ou acrescente músicas explicativas na hora de auxiliar na lição; 8.Faça experiências para mostrar na prática algum assunto que tenha aprendido na escola; 9.Não fique o tempo todo ao lado da criança, para que não se habitue a fazer a lição apenas na companhia dos pais; 10.Oriente seu filho sobre onde e como pode buscar informações sobre o assunto que tem de pesquisar. Mas deixe que ele se interesse e procure pelo tema sozinho; 11.Dê preferência, na hora da pesquisa, por sites, livros ou outros materiais de fácil entendimento e voltados para crianças; 12.Alerte para que a criança não copie o conteúdo da pesquisa, mas escreva o que entendeu; 13.Se possível, leve os filhos a museus ou a outros espaços educativos, principalmente aos com opções interativas, onde possam aprender de forma diferente e divertida; 14.Não estimule a memorização dos temas estudados. Peça sempre para explicar o que entendeu; 15.Se não souber responder à uma dúvida da criança, anote e transfira a questão para a professora.

Milhões de pessoas no mundo todo sofrem de algum grau de perda de audição e não sabem reconhecê-la. Outros milhões de pessoas estão perigosamente expostas a níveis elevados de ruídos. Níveis de deficiência auditiva Variam de uma perda leve a uma perda total da audição e a maioria das pessoas que sofre desse mal são os idosos. Porém, cada vez mais os jovens estão sofrendo com a perda de audição devido à alta exposição ao ruído na cidade, assim como, o volume alto dos fones de ouvido, das balada e também dos shows. Uma pesquisa para reconhecer perda auditiva entre os jovens revelou que 1 entre 4 adolescentes pode estar sofrendo perda de audição. A maioria dos casos de perda auditiva se desenvolve gradualmente, uma vez que os sintomas são difíceis de serem identificados. O primeiro passo a ser tomado para o tratamento é a vítima reconhecer que sofre de perda de audição, o que normalmente leva um certo tempo para a pessoa aceitar isso. Sintoma de perda auditiva Se você já experimentou alguns dos sintomas descritos abaixo é recomendável contatar um especialista para fazer um teste auditivo. As pessoas falam como se estivessem resmungando. Ouve com dificuldade a televisão e as pessoas reclamam que o som de sua tv está muito alto. Escuta com dificuldade quando é chamado por uma pessoa que não está à sua frente ou que se encontra noutro compartimento. Comunica-se com dificuldade em pequeno grupo ou numa reunião. Dificuldade de comunicar-se em ambientes ruidosos , por exemplo, no carro , ônibus ou em festa. Pede sempre as pessoas para repetirem o que disseram. Não escuta o tic-tac do relógio, o som das águas nem o canto dos pássaros. Ouve com dificuldade o toque de campainha e telefone. A família, colegas e amigos comentam que você deve estar sofrendo de perda auditiva. Faz uso da leitura labial durante uma conversa. Sente que tem que se concentrar muito para entender o que as pessoas falam ou cochicham. Se você sofre de perda auditiva saiba que sua vida social também é afetada, em detrimento da dificuldade de comunicarse. Portanto, sempre que possível, evite aglomeração e situações sociais em que corra o risco de não entender o que as outras pessoas falam. Procure um otorrinolaringologista.


Setembro | 2017

Página 07

FOLHA DO BATEL

Hepatite C: O beijo pode transmitir? Entre os sintomas estão fatiga, perda de peso, náusea, sintomas semelhantes aos da gripe, dificuldade de concentração, dores abdominais e icterícia. O que é Hepatite C? Hepatite C é uma doença viral que leva à inflamação do fígado e raramente desperta sintomas. Na verdade, a maioria das pessoas não sabe que tem hepatite C, muitas vezes descobre através de uma doação de sangue ou pela realização de exames de rotina, ou quando aparecem os sintomas de doença avançada do fígado, o que geralmente acontece décadas depois. Hepatite C é um dos três tipos mais comuns de hepatite e é considerado o pior deles. De acordo com o Fundo Mundial para a Hepatite da Organização das Nações Unidas, cerca de 500 milhões de pessoas no mundo está infectada com os vírus para hepatite B e C, e apenas 5% delas sabem que tem a doença. No Brasil, existem cerca de 1,5 milhão de pessoas infectadas pela hepatite C, doença responsável por 70% das hepatites crônicas e 40% dos casos de cirrose, segundo dados do Ministério da Saúde.

Causas A hepatite C é causada pelo vírus C, sua transmissão ocorre por meio do contato com sangue contaminado, seja por transfusão de sangue, acidentes com material contaminado, no caso de trabalhadores na área da saúde, ou por meio de drogas injetáveis. A transmissão de mãe para filho é rara, cerca de 5%, ocorre no momento do parto. A maioria dos estudos não conseguiu comprovar a transmissão da hepatite C por contato sexual. Fatores de risco Alguns fatores contribuem para a contaminação por hepatite C. Estão dentro do grupo de risco para a doença as pessoas que: Estiveram em diálise renal por muito tempo Têm contato regular com sangue no trabalho (por exemplo, profissionais da área de saúde) Injetam drogas ilícitas e compartilham agulhas com alguém que tem hepatite C Receberam transfusão de sangue antes de julho de 1992 Fizeram uma tatuagem ou acupuntura com instrumentos contaminados. Receberam sangue ou ór-

gãos de um doador que tem hepatite C. A hepatite C também pode ser transmitida pela via sexual, apesar do risco ser mais baixo do que o da hepatite B, HIV ou outras DST Se pela via sexual o HIV é mais contagioso, pelo contato sanguíneo, o vírus C é bem mais perigoso. Orienta-se inclusive a não se partilhar escova de dentes ou aparelhos de barbear pelo risco de transmissão com pequenos volumes de sangue. Outras vias de transmissão menos comuns são através do transplante de órgãos de doadores infectados, hemodiálise , acidentes em ambientes hospitalares, tatuagem, body piercing e transmissão perinatal. Sintomas de Hepatite C Hepatite C tem formas aguda e crônica. A maioria das pessoas que está infectada com o vírus tem hepatite C crônica, pois a doença geralmente não manifesta sintomas em sua fase inicial. Os seguintes sintomas podem ocorrer com a infecção por hepatite C, e são decorrentes da doença do fígado avançada: Dor abdominal, Inchaço abdominal, Sangramento no esôfago ou no estômago, Urina

escura Fadiga, Febre, Coceira, Icterícia, Perda de apetite, Náusea e vômitos. Beijo pode transmitir hepatite C', diz estudo Os cientistas advertiram a população a não compartilhar escovas de dente. O vírus da hepatite C, que pode levar à morte, pode ser passado através do beijo ou escovas de dente usadas, diz um estudo publicado nos Estados Unidos. Os pesquisadores afirmam ter encontrado traços do vírus na saliva das pessoas com hepatite C.Eles acreditam que a saliva pode ser contagiosa e que as pessoas com o vírus podem passá-lo para outras.Falando durante o evento Interscience Conference on Antimicrobial Agents em Chicago, eles disseram que pessoas com problemas na gengiva podem correr maiores riscos. Um em cada cinco doentes consegue se livrar do vírus naturalmente dentro de um período de seis meses.Para os restantes, a hepatite C pode ser uma infecção crônica que permanece por décadas, podendo levar à morte. Os pesquisadores da Uni-

versidade de Washington, em Seattle, fizeram testes com a saliva de 12 pessoas infectadas com o vírus da hepatite C diariamente durante 21 dias consecutivos. Das 248 amostras, 52, ou uma em cada cinco, continham o vírus. Traços do vírus foram detectados na saliva de sete entre os 12 voluntários. Entretanto, nenhum deles apresentou testes positivos durante os 21 dias consecutivos. Na média, eles apresentaram o vírus sete vezes durante as três semanas de testes. Os doentes com maior probabilidade de apresentar traços do vírus em sua saliva foram aqueles que continham índices relativamente altos do vírus no organismo. Também foi mais fácil detectar o vírus na saliva de pacientes com problemas na gengiva. Os cientistas disseram que isso pode ocorrer porque o sangramento na gengiva deixa gotas minúsculas de sangue na saliva do paciente. Segundo os cientistas, a pesquisa pode ter implicações para as pessoas infectadas com o vírus. "Esse estudo indica que a

saliva dos indivíduos infectados com a hepatite C pode ser contagiosa", eles disseram. "Quantidades microscópicas de sangue na saliva devido a problemas de gengiva podem ser as responsáveis." "Advertimos as pessoas com o vírus da hepatite C a não compartilhar escovas de dente com outras pessoas da casa."A pesquisa também sugere que o vírus da hepatite C pode ser transmitido através do beijo. Entretanto, Basil Williams, do National Hepatitis C Resource Centre, na Grã-Bretanha, disse que são necessários mais estudos para determinar se é mesmo possível contrair o vírus pelo beijo."Ainda não há um consenso entre os médicos sobre o nível de risco apresentado pelo beijo", disse Williams "É tecnicamente possível pegar a hepatite C através do beijo, mas o risco parece ser muito pequeno." Fonte: BBC


FOLHA DO BATEL

Página 08

Setembro | 2017

Educação no Brasil e no Paraná

Entrevista com a Secretária de Educação Ana Seres Trento Comin Ana Seres Trento Comin é mestre em Educação pela Universidade Internacional de Lisboa, com o tema Educação em Tempo Integral; especialista em Fundamentos da Matemática e Pedagogia para o Ensino Religioso e professora Licenciada em Matemática pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Entre diversas atividades, atuou como docente em cursos de capacitação e aperfeiçoamento para professores do ensino fundamental das redes estadual e municipal durante entre 1989 e 1996. Ainda foi Secretária Municipal de Educação, Cultura, Esporte e Lazer na Prefeitura de Pato Branco de 1997 a 2000. Atuou como consultora na área da educação integral para os governos de Sergipe e do Distrito Federal e também atuou como secretária parlamentar no período de 2009 a 2010. FB- Comente sobre a educação no Brasil, em especial no Paraná, começando pela mudança no Ensino Médio, proposta pelo governo federal. Ana Seres Trento CominA reforma do Ensino Médio é uma iniciativa do Governo Federal, porém avaliações internacionais e nacionais vem apresentando uma estagnação

nos resultados de aprendizagem dos alunos no Ensino Médio. Além disso, as taxas de abandono e de evasão vem aumentando. Esse quadro demonstra que a atual proposta de Ensino Médio não está atraindo os jovens brasileiros por ser muito rígida em termos de estrutura e não propiciar a eles escolhas relacionadas aos seus interesses. Uma mudança se faz necessária. A reforma do ensino médio depende da homologação da Base Nacional Comum Curricular do Ensino Médio (BNCC). Somente após essa definição é que o estado do Paraná iniciará o trabalho de discussão com diversas instituições vinculadas à reforma e, principalmente com a comunidade escolar, com o objetivo de encontrarmos as melhores possibilidades para sua implantação. Aqui no Paraná, o debate antes é fundamental. Durante o primeiro ano letivo após a homologação, a Secretaria da Educação do Paraná irá estabelecer um cronograma de implantação das alterações da reforma, que terão início a partir do ano letivo seguinte. Ou seja, as mudanças no ensino médio, provavelmente, começam a ser implantadas a

partir de 2019. FB- Como é feito o planejamento educacional para as escolas estaduais? Quais as políticas educacionais atualmente priorizadas no Estado do Paraná? Ana Seres Trento CominEm 2015 foi aprovado e sancionado como lei o Plano Estadual de Educação do Paraná, que estabelece as diretrizes educacionais do Estado pelos próximos 10 anos: I - superação do analfabetismo; II - universalização do atendimento escolar; III - superação das desigualdades educacionais, com ênfase na promoção da cidadania e na erradicação de todas as formas de discriminação; IV - melhoria da qualidade da educação; V - formação para o trabalho e para a cidadania, com ênfase nos valores morais e éticos em que se fundamenta a sociedade; VI - promoção do princípio da gestão democrática da educação pública; VII - promoção humanística, científica, cultural e tecnológica do País; VIII - garantia de aumento da meta de aplicação de re-

cursos públicos em educação pública, anualmente em manutenção e desenvolvimento do ensino, considerando para tanto a receita líquida de impostos, em educação básica e ensino superior, que assegure atendimento às necessidades de expansão, com padrão de qualidade e equidade, sempre atendidas às determinações da Lei Complementar Federal nº 101, de 4 de maio de 2000. IX - valorização dos profissionais da educação; X - promoção dos princípios do respeito aos direitos humanos, à diversidade e à sustentabilidade socioambiental; e XI - desenvolvimento e difusão da Cultura da Paz. FB- Quais os projetos desenvolvidos na Secretaria de Educação? Relate os principais. Ana Seres Trento CominEm 2015, durante os 40 dias que atuei como superintendente da Educação do Paraná, criei o programa Minha Escola Tem Ação (META), que serve como o carro-chefe da pasta na área pedagógica. Ele possui dois objetivos principais: fortalecer a gestão escolar visando a melhoria da qualidade do ensino da educação básica; e reduzir as taxas de abandono, reprovação,

aprovação por conselho de classe e distorção idade ano. Para atingir esses objetivos, o META possui sete ações: 1 - Projeto político pedagógico e plano de ação: consolidação e monitoramento; 2 - Práticas pedagógicas: proposta curricular e trabalho docente. 3 - Formação continuada para todos os profissionais da educação, alinhada ao plano de ação; 4 - Acompanhamento da ampliação da jornada escolar; 5 - Mobilização contínua e participação da comunidade escolar nas ações da escola e fortalecimento das instâncias escolares; 6 - Tecnologia educacional: práticas pedagógicas e gestão escolar; 7 - Monitoramento e avaliação contínua do desempenho da gestão escolar. Todas as atividades da SEED são guiadas pelos objetivos e ações do META, tendo como exemplos recentes: - Lançamento do aplicativo Escola Paraná. Pelo smartphone, estudantes, pais e familiares podem fazer consulta de notas, grade de aulas, eventos escolares (jogos, palestras, reuniões) e até interação com

professores e colegas, via mensagens. - Expansão do Projeto Conectados 2.0, que oferece capacitação e equipamentos para escolas desenvolverem atividades na área de tecnologia educacional com seus estudantes. - Prêmio de Gestão Escolar, criado para promover e fortalecer a participação da comunidade no cotidiano pedagógico e financeiro das escolas paranaenses. Para participar do projeto as escolas precisam passar por 12 critérios, incluindo a entrega das prestações de contas em dia, cumprimento dos prazos, manutenção da rede física das escolas, além de projetos inovadores que reflitam na qualidade do processo de ensino e aprendizado. As escolas também precisam apresentar bons resultados no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). Atualmente estão sendo entregues os prêmios nos Núcleos Regionais de Educação participantes.


Setembro | 2017

Página 09

FOLHA DO BATEL

MUSEU DA ESCOLA PARANAENSE - MEP

Professor e Coordenador do MEP Claudio Luis Nascimento Ogliari

mas é no passado que encontramos respostas para os contextos atuais. A história é a vitrine dos acontecimentos e o marcador do tempo, do que se foi e do que virá. O museu como um dos espaços de memória, trabalha a educação através de um acervo, material e imaterial.É nesse sentido que vamos trabalhar com um plano de ação deste museu junto com as Escolas Públicas do Paraná, para que tenha realmente uma ação voltada à memória e a guarda desse acervo. A Educação Patrimonial será o carro chefe desta ação, com projetos específicos, onde teremos parceiros capazes de dar subsídios à parte técnica de restauração, arquivamento e higienização. FB- Quais projetos educacionais serão desenvolvidos? Cláudio Ogliari- O Museu da Escola Paranaense - MEP desenvolverá vários projetos de Educação Patrimonial voltados para diretores e professores, com o objetivo de que esse conhecimento chegue à sala de aula.Com isso nossos alunos terão o sentido de pertencimento da memória e da conservação do nosso patrimônio público. Os Centros de Memória das Escolas Pública do Paraná tem como finalidade resguardar esse acervo "confinado".Porém é de vital importância que os gestores tenham esse interesse de pertencimento, pois essa memória faz parte da história da educação e do Estado do Paraná. FB- Como funciona os Centros de Memórias nas escolas? Cláudio Ogliari- A memória resguardada nos centros de memória fará e mostrará à história do Paraná dentro das escolas e poderá ser objeto de investigação e de pesquisa. A partir do relatório das visitas técnicas, elaborado pela equipe do MEP, constatou-se que, todas as escolas tem como memória uma diversidade de objetos compostos por peças, documentos, pinturas, esculturas, ferramentas, vestuários, mobiliários, peças ornamentais, fragmentos arqueológicos, enfim os saberes e os fazeres do homem. Ressaltamos que esta memória deverá ser resguardada nas escolas. Os museus fo-

ram construídos ao longo do tempo, e passaram a ser um testemunho da história do homem no tempo e no espaço com um novo significado e função. A proposta é de transformar e construir o nosso olhar para o patrimônio público O objeto a ser analisado pode ser ressignificado, despertando o interesse para uma leitura, estimulando o sentido para um determinado contexto cultural e histórico, transformando e construindo desta maneira um novo olhar. A contemplação de um objeto já é um modo de leitura seja ela de admiração ou de angústia, mas vai, muito mais além. Os objetos do acervo das escolas deverão ficar nesse espaço de memória, porque fazem parte desse contexto histórico, a sua função primária e específica , o seu significado original, como uma cadeira, uma mesa, um uniforme, um sino, etc., cuja função foi o uso e agora terá um novo significado de contemplação. FB- Como é esse resgate histórico e como a comunidade pode participar? Cláudio Ogliari- A memória requer traduções, porque é plural, é seletiva. O sentimento afetivo nos faz guardar. Quando este sentimento está ausente,desprezamos, esquecemos.". Os museus podem contribuir para o desenvolvimento da capacidade individual e coletiva do cidadão, permitindo receber informações sobre o passado, a compreender, a valorizar a memória entendendo a importância do elo entre passado e presente. Permite que as pessoas conheçam sua origem e passem a valorizar a preservação desse patrimônio cultural. Trabalhar a educação patrimonial no Museu da Escola Paranaense tem como finalidade mostrar à qualidade e diversidade do acervo das escolas públicas do Paraná, a memória dos feitos, as pesquisas históricas, os objetos que revelam existências, de tempo, espaço e funções. Os objetos e documentos comprovam que houve histórias cuja função original foi utilitária, e que passam a se ressignificadas em objetos de memória, apreciação e de reconhecimento. A memória resguardada nos centros de memória fará e mostrará à história do Paraná dentro das escolas e poderá ser objeto de investigação e de pesquisa.

FOLHA DO BATEL Anuncie! Fone: 3274- 0104 www.jornalfolhadobatel.com.br

Antigo prédio do Batel,que sediava a "Narcóticos" volta para o setor de educação e abriga o Museu da Escola , acervo de colégios do PR. Entre 1906 e 1927, o local - uma requintada construção neoclássica abrigou o Grupo Escolar Cruz Machado, um dos primeiros da cidade, criado para atender os filhos dos operários de fábricas da região. A construção de 1906 foi inaugurada em 01 de fevereiro de 1907 como Casa Escolar Cruz Machado, quando funcionou como Estabelecimento de Ensino das séries iniciais e em 1923 passou a ser denominado Grupo Escolar Cruz Machado até o ano de 1925 e após sendo transferido para o Grupo Escolar Dezenove de Dezembro e desativado em 1928 com a Inauguração do Colégio Estadual Dom Pedro II. O prédio passou a ser repartição pública sendo uma delas a Inspetoria de Ensino e Delegacia passando a ser sede do MEP em 2014. A formação é coordenada pelo Museu da Escola Paranaense visa assessorar as escolas para a construção e resgate da memória da educação pública paranaense. "A nossa função é dar o embasamento teórico e o acompanhamento prático, aliado à proposta pedagógica, para a criação dos centros de memória das escolas da rede estadual", disse o coordenador do museu, Cláudio Ogliari. Confira a Entrevista com o Professor e Coordenador do MEP Claudio Ogliari FB- Fale sobre o MEP e como surgiu? Cláudio Ogliari -O Museu da Escola Paranaense (MEP) é uma instituição que tem como propósito conceitual resgatar, preservar a história e a memória das Escolas da rede pública estadual de ensino do Estado do Paraná. Essa preservação possui um caráter pedagógico e tem como objetivo promover a noção de pertencimento e resgate da memória escolar. Para isso, surgiu em 2016 o projeto da formação de Centros de Memória. Seu intuito é o de sensibilizar e despertar nos gestores das escolas públicas, professores, alunos e a comunidade escolar como um todo a terem um olhar mais atento aos assuntos ligados à memória e ao patrimônio histórico e cultural da rede estadual de ensino, bem como dar orientação museológica e pedagógica na criação de Centros de Memória. Essa ação ganhou destaque com a comemoração dos 70 Anos da Seed, momento importante de valorização da história da Educação no Paraná. O MEP é parte integrante da Secretaria de Estado da Educação do Paraná (Seed-PR) sob a Coordenação da Superintendência da Educação (Sued). FB- Qual a importância do MEP para a comunidade? Cláudio Ogliari- A importância de sua preservação e a compreensão de que a memória se refaz no dia adia,

Falar sobre coleções acervos:-Livros; -Moedas; -Medalhas; -Indumentária militar e civil e colegial; -Papéis Cartas, documentos históricos, fotos e cartões. É necessário que nós trabalhadores do museu, e todos os gestores das escolas não pensem esse museu como um espaço somente de memória apenas, mas como espaço de vida, de pertencimento, com uma política de comunicação voltada para a comunidade. Cada Centro de Memória terá um caráter pessoal que está intrinsecamente ligado ao seu acervo e as suas ações culturais e educativas e que deverão estar ligadas aos interesses de preservação memória pela importância cultural e histórica que lhe é devida. É antiga e restrita compreensão da instituição museu como um depósito de velharias, detentor de uma memória perdida no tempo e no espaço, se desfaz dentro dessa perspectiva. O museu de hoje se constitui em um recurso ao qual a comunidade recorre cada vez com mais frequência, pois passou a assumir mais funções das quais tradicionalmente lhe eram atribuídas, como recolher, estudar e conservar determinado patrimônio. A estas funções junta-se agora a contribuição fundamental dos serviços educativo e da educação patrimonial, que se apresentam nos espaços museológicos e nos centros de memória, criando e recriando novas relações de proximidade com o público. Inclusive deixo aqui um apelo e questionamento para quem passou pelos tempos de outrora , nós da coordenação estamos em constante pesquisas e recebemos depoimentos , materiais, arquivistas, documental ou fotos de antigos estudantes que queiram contribuir para o nosso patrimônio publico. A sede do Museu da Escola Paranaense está localizada na Avenida Bispo Dom José, n.º 2006, bairro Batel. O MEP não está aberto no momento para visitação, pois o prédio está passando por reformas. No entanto, caso seja necessário ir até o Museu da Escola por motivos educacionais, entre em contato pelos telefones O horário de funcionamento é de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h às 18h. Telefones para contato: (41) 3243-7484/3243-5171 e 3244-4607. E-mail: museudaescola@seed.pr.gov.br

Em 2013 pelo Dec. N º 8242 cria o Museu da Escola Paranaense - MEP no âmbito da Secretaria de Estado da Educação - SEED e em outubro de 2014 passa a ser oficialmente a Sede do Museu da Escola Paranaense. Este prédio que era sede do Antigo Grupo Escolar Cruz Machado foi tombado em 2012 pela Coordenadoria do Patrimônio Cultural - CPC da Secretaria de Estado da Cultura - SEEC.

Exposição do Museu da Escola Paranaense no Teatro Guaíra, em Curitiba (05 de setembro de 2017). Evento que integrou o Festival Seed 70 Anos.

Foto do projeto Desvendando Contextos: Educação Patrimonial na Pequena Infância promovido pelo Museu da Escola Paranaense (SUED/SEED) em novembro de 2016.


Página 10

FOLHA DO BATEL

Setembro Abril/Maio| 2017 2017

As plataformas e as famosas "rasteirinhas" tomaram as passarelas Fashion Week em SP.

Dicas de Moda TENDÊNCIAS SUMMER 2017/18 Por Vitoria Ciruelos Após uma semana intensa em São Paulo acompanhando o evento Fashion Week, fui colocar em prática algumas tendências Summer 17/18 que vi nos desfiles, Miami e Nova Iorque foram meu destino! Usei vários looks super casuais acompanhados de maxibrincos e as novas e famosas "bijounettes" ( foto 3) que fazem toda a diferença num look! Os meus são da Mix de Luxo by Leticia Sarabia Acessórios, brincos super leves com um brilho maravilhoso que combinam em qualquer ocasião! Tecidos leves (linho, malhas, algodão, seda, tencel, etc ), estampas de elementos da natureza, transparência e tons de rose, verde menta, azul marinho, verde militar e branco são a aposta para esse Verão! Uma proposta bacana super tendência são as misturas de estampas! E digo bem fácil de combinar. Basta apenas as duas estampas terem pelo menos uma cor igual!

Biquíni e shorts CIA MARÍTIMA)

Saias de todos os tamanhos fazem parte desse Verão! Principalmente saídas de praia longas e com muito movimento! O desfile da Água de Coco foi o mais esperado da semana de moda! Nela se encontram as tendências mais fortes e certeiras para arrasar nesse verão ! A marca foi buscar na riqueza natural e cultural da floresta amazônica tanto na área que abrange o Brasil, como a do Peru e Colômbia a referência para a coleção: estampas de folhagem, vitórias régias, casas coloniais colombianas, frutas e sementes da região e até um print fotográfico de onça pintada (em p&b), apostou em bordados e recursos artesanais para criar brilhos e texturas nos maiôs, biquínis e roupas." Diz Liana Thomaz para site da UOL (http:// ffw.uol.com.br/desfiles/sao-paulo/verao-2017rtw/agua-de-coco/1582921/ )


Setembro | 2017

FOLHA DO BATEL

Página 11

No oitavo mês de sua gestão o Prefeito Rafael Greca relata seus desafios na prefeitura de Curitiba e projetos inerentes as Políticas Públicas na Educação para o Município FB- Prefeito Rafael Greca quais foram os maiores desafios do início da sua gestão ? Rafael Greca- Herdei uma Prefeitura desmontada, com servidores desanimados, com muita cobrança na melhoria da qualidade dos serviços. A herança repassada por Gustavo Fruet foi dívidas e o desmonte da maquina administrativa, algo que nenhum prefeito anterior fez. O resultado é que a Prefeitura de Curitiba está assim: cobre aqui, descobre dali. Nos últimos quatro anos a arrecadação subiu 28% para uma folha de pagamento que subiu 70%. A conta não fechava. Foi preciso fazer grandes ajustes administrativo e fiscal. O número de secretárias foi reduzido, houve menos nomeações em cargos em comissão e também em funções gratificadas (que são os cargos de comissão do funcionalismo). Também houve renegociação dos alugueis, economizando 600 mil reais por mês. O resultado é que Curitiba, ao contrário de muitas capitais brasileiras, está mantendo salários em dia e honrando pagamentos e melhorando os serviços públicos. Mas ainda há muito por fazer. FB- Na Educação, quais são os projetos? Rafael Greca- Um dos projetos que temos muito orgulho é o Linhas do Conhecimento, que está sendo levado às escolas e creches da prefeitura, aos estudantes da educação de jovens e adultos e aos de inclusão. Queremos que as crianças e os adolescentes de Curitiba conheçam a cidade cada vez mais, descubram a cidade, explorem e amem Curitiba. Hoje, temos também o projeto Transformando Realidades: Equidade na Educação, uma ampliação do antigo projeto Equidade. O Transformando Realidades trouxe novos princípios metodológicos com indicadores de acesso e de sucesso para unidades da rede municipal de ensino. Neste ano, o projeto beneficia escolas e centros municipais de educação infantil. Diversos projetos e programas da área são mantidos ao longo do tempo. Este é o caso do Mama Nenê, de incentivo ao aleitamento materno nas creches, as atividades de robótica nas escolas, projeto de excelência que desperta muito interesse dos participantes. A próxima novidade será o projeto experimental que disponibilizará, em breve, nos faróis do saber, impressoras 3D e corte a laser, transformando os faróis em espaços de aprendizagem criativa. FB- O que está sendo realizado pela atual gestão da secretaria municipal de Educação que merece ter continuidade? O que é preciso mudar de imediato? Rafael Greca- A manutenção e melhoria do

o IDEB, o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica, criado pelo Inep e que mede a qualidade do aprendizado, é uma das principais metas. Curitiba se destaca pelos resultados das unidades neste índice. Para isto, a Prefeitura de Curitiba oferece formação continuada ao longo do ano. De fevereiro a agosto, mais de 7 mil profissionais da educação fizeram cursos de formação. Foram oferecidos 191 cursos. Também fazemos as semanas de estudos pedagógicos, totalizamos mais de 17 mil participações. Os profissionais da educação de Curitiba são concursados e costumam permanecer na rede municipal em sua carreira. Outro dado importante é o total de professores com mestrado ou doutorado, cerca de 300. FB- Quanto à cultura e aos jovens, quais ações estão sendo implantadas? Rafael Greca- A Prefeitura tem buscado ampliar sua atuação com a juventude de Curitiba, que representa cerca de 27% da população. Para isso, estamos realizando as Audiências Públicas da Juventude, em que destacamos o papel do jovem frente aos desafios locais e protagonismo juvenil para a transformação social, abrindo espaço para o debate e troca de idéias para que eles apresentem suas demandas, sugestões e participem ativamente da construção das políticas públicas no município. Já foram realizadas três audiências e até o final do ano esta ação será realizada em todas as regionais. Especificamente na área da cultura e esporte, a Secretaria Municipal do Esporte, Lazer e Juventude realiza nas dez regionais a ação Talento Jovem. Cada edição conta com palco para apresentações musicais e de grupos de dança formado por jovens, bem como espaço para exposições, competições esportivas e serviços de diversos órgãos públicos e entidades, que in-

cluem oficinas, palestras, ônibus da saúde, estandes com informações e dicas para e ntrevistas de emprego, agendamento para emissão da carteira de trabalho e orientações para buscas por vagas de emprego. Outra ação que começou este ano foi o ID Jovem, programa que permite acesso aos jovens de baixa renda a meia-entrada em eventos culturais, esportivos e de lazer, além de reservar duas vagas gratuitas e duas com desconto nos veículos do sistema de transporte coletivo interestadual. A estimativa é que aproximadamente 52 mil jovens estejam dentro dos requisitos do programa A Prefeitura também oferta os cursos gratuitos do programa Viva Jovem em todas as regionais administrativas, que incluem oficinas de break dance, fotografia, graffiti, mestre de cerimônias (MC) e skate. O objetivo é buscar atividades que sejam atraentes para o jovem e possam contribuir tanto para o seu desenvolvimento social como também criar uma oportunidade de carreira. FB- E na área social, quais são as iniciativas? A Fundação de Ação Social (FAS) também desenvolve atividades sócio-educativas e de recreação para crianças e adolescentes, de 6 a 17 anos, no contra turno escolar. Essas atividades fazem parte do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos e acontecem nos 45 Centros de Referência da Ass istência Social (Cras) existentes em Curitiba e em 16 entidades sociais conveniadas. Atualmente, temos aproximadamente 2.700 crianças e adolescentes participando de grupos de convivência, que têm carga horária de 12 horas semanais, em média, e se reúnem nos períodos da manhã ou tarde, conforme o turno da freqüência escolar do participante, e são ofertados também no período das férias escolares. O objetivo do serviço é fortalecer vínculos e prevenir ocorrência de situações de exclusão social e de risco. São trabalhados temas por meio de atividades sócio educativas, adequadas a cada faixa etária. Conforme as normativas federais, as atividades seguem os eixos estruturantes básicos do SCFV para crianças e adolescentes: convivência social, participação e mundo do trabalho (para adolescentes a partir de 14 anos). São trabalhados também temas transversais como: saúde, drogadição, meio ambiente, cultura, esporte, lazer, ludicidade e brincadeiras; e temas da atualidade, como território, trabalho e direitos humanos.


Página 12

FOLHA DO BATEL

APOLOGIA AO CRIME

O que é certo e o que é errado? Estamos acompanhando uma novela que está expondo a tranquilidade com que os marginais circulam livremente, armados com fuzis, pistolas e outros tipos de armas, e só quando a personagem policial tem que aparecer é mostrado uma intervenção da polícia nos morros. Esta é a realidade nua e crua, onde os policiais que diuturnamente colocam suas vidas em risco não são valorizados, enquanto que os marginais são enaltecidos e seguidos por adolescentes, alguns, vítimas das circunstâncias e outros por simplesmente gostarem do mundo marginal e por uma busca por dinheiro fácil, mesmo que esse dinheiro represente a morte de inocentes. Vivemos um momento triste em nossa sociedade, onde quase que diariamente vemos, policiais mortos, principalmente os policiais militares que estão sendo regularmente executados. E se acham que essa violência está restrita ao Rio de Janeiro, estão errados, pois a violência está em todos os lo-

cais, até mesmo nos pequenos municípios que até a pouco tempo eram lugares tranquilos. O crime organizado está cada dia mais presente em todos os ambientes, e o Estado não consegue fazer nada, perdendo a cada dia uma "luta" contra os marginais. E como sempre digo, não adianta querer achar um culpado, que quase sempre essa culpa é colocada na polícia, pois os policiais são apenas cidadãos comuns, que usam uma farda para proteger os demais cidadãos. Enquanto vemos marginais cometendo crimes, matando e mesmo que presos em flagrante, saírem rindo da delegacia e dando "tchauzinho" para as câmeras de televisão, e debochando da sociedade, nada irá mudar. E o que fazer? Simples! A população tem que escolher melhor seus representantes, e não sair trocando voto por uma cesta básica ou uma promessa de emprego, que geralmente é, para apenas receber o salário e não trabalhar, colaborando ainda mais com a cor-

rupção em nosso país. Vemos e ficarmos calados, enquanto algumas pessoas saem descaradamente em defesa dos marginais, mas em contrapartida não nos posicionamos quando um cidadão de bem é morto, a violência e a nossa segurança e de nossos entes queridos, estará cada vez mais em risco. E como diz a frase de Martin Luther King "O que me preocupa, não é o grito dos maus, mas o silêncio dos bons" Para tirar dúvidas mandem e-mail para coronelcosta181@gmail.com

Setembro | 2017

Clube Curitibano é campeão da Maratona Aquática de Curitiba Com um total de 27km400m percorridos, a equipe de natação Clube Curitibano A consagrou-se campeã da 13ª edição da Maratona Aquática de Curitiba, disputada no dia 23 de setembro, na Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR). A segunda posição ficou com a PUC Competições e em terceiro a equipe CPM A/Escolinha de Triathlon. Promovida pela Secretaria Municipal do Esporte, Lazer e Juventude (Smelj) e disputada durante seis horas ininterruptas, a Maratona Aquática de Curitiba contou com a participação de 39 equipes e 732 nadadores, que realizaram revezamento a cada 15 ou 30 minutos. A edição deste ano quebrou recorde de distância percorrida, com o somatório das equipes totalizando 792km350m nadados. O valor das inscrições por equipe foi a doação de, no mínimo, 200 kg de alimentos não perecíveis. No total o evento arrecadou quase 10 toneladas de alimentos, que serão repassados para o Provopar Estadual. "Além de ser a principal competição de natação de longa duração de Curitiba, a Maratona Aquática possui um caráter solidário muito importante, sendo o maior evento de contrapartida social da Lei Municipal de Incentivo ao Esporte", destacou o diretor de Incentivo ao Esporte da Smelj, Thiago Soares. Participação Ana Vanessa Muraro, 29 anos e integrante da equipe Gustavo Borges - Mercês, destacou que a Maratona Aquática é muito acessível e permite aos nadadores treinarem, competirem

ou apenas se divertirem enquanto ajudam uma causa social. "É uma grande festa, onde formamos equipes com nossos amigos e familiares, praticamos o esporte que tanto gostamos e ainda ajudamos uma boa causa com a doação de alimentos", disse Ana Vanessa Muraro. O atleta de triathlon beneficiário da Lei Municipal de Incentivo ao Esporte, Pedro Henrique da Silva, de 16 anos, não escondeu a alegria de nadar novamente na Maratona. "Tinha 14 anos quando participei pela primeira da Maratona Aquática e foi um momento importante para decidir seguir para o alto rendimento. Fico muito feliz de participar e ajudar a divulgar esse evento, que incentiva a prática saudável e a solidariedade." Confira o a classificação final da 13ª Maratona Aquática de Curitiba 1- Clube Curitibano A - 27km400m 2- PUC Competições - 25km650m 3- CPM A/Escolinha de Triathlon 25km600m 4- Swimex - 24km850m 5- ATN - 24km450m


Setembro | 2017

FOLHA DO BATEL

Pรกgina 13


Pรกgina 14

FOLHA DO BATEL

Setembro | 2017


Setembro | 2017

FOLHA DO BATEL

Página 15

Livros sobre Educação mais vendidos SOCORRO, MEU FILHO NAO ESTUDA! Autor: BENTO, ROBERTA O livro nasceu da idéia de levar aos pais dicas de como exercer o papel único e fundamental na vida de seus filhos, de despertar neles o gosto por aprender a aprender. As mudanças no dia a dia das famílias resultaram em mudanças no aluno que vai para a escola nos dias de hoje. Concentração, paciência, senso de responsabilidade e diversas outras habilidades, que antes eram aprendidas de forma natural como resultado da velocidade e dinâmica da vida há alguns anos atrás, hoje precisam ser ensinadas para os filhos, desde a primeira infância. "Socorro, meu filho não estuda!" traz para o leitor a chance de ajudar seu filho a gostar de aprender e descobrir que estudar pode sim ser prazeroso e gratificante. VOCÊ SABE ESTUDAR? por Claudio de Moura Castro Você precisa aprender de forma mais eficaz? Tem problemas de concentração? Aprende e depois não lembra? Não consegue administrar seu tempo de estudo? Claudio de Moura Castro, reconhecido especialista em educação, apresenta técnicas para desenvolver bons hábitos de estudo e conquistar uma aprendizagem duradoura. O autor vasculha o funcionamento da mente humana para ensinar o leitor a usar a memória a seu favor com o método de estudo ativo e mostra que estudar é coisa que se aprende. Com este livro, você aprenderá: - Como obter melhores resultados em testes, provas e trabalhos - Como entender melhor assuntos difíceis - Como não esquecer o conteúdo estudado - Como fazer anotações, resumos e mapas mentais - Como administrar melhor o seu tempo - Como ler um livro. NEUROCIÊNCIA E EDUCAÇÃO - COMO O CÉREBRO APRENDE Em Neurociência e educação - como o cérebro aprende (Artmed, 2011), de Ramon M. Cosenza e Leonor B. Guerra, os autores trazem uma visão sobre o funcionamento do cérebro, abordando temas como memória, neuroplasticidade, atenção e emoção e outros aspectos neurológicos envolvidos no processo de ensino-aprendizagem. Cosenza explica de que modo o cérebro vem se adaptando às novidades e quais devem ser os limites

de utilização das tecnologias. "Os brinquedos tradicionais não só continuam a ser importantes, como também devem ser incentivados" O cérebro é responsável pela forma como processamos as informações, armazenamos o conhecimento e selecionamos nosso comportamento, dessa forma compreender seu funcionamento, seu potencial e as melhores estratégias de favorecer seu pleno desenvolvimento é foco principal de estudo e trabalho tanto dos profissionais da saúde mental como da educação. PEDAGOGIA DA AUTONOMIA Na Pedagogia da autonomia. de 1996. Paulo Freire nos apresenta uma reflexão sobre a relação entre educadores e educandos e elabora propostas de práticas pedagógicas. orientadas por uma ética universal. que desenvolvem a autonomia. a capacidade crítica e a valorização da cultura e conhecimentos empíricos de uns e outros. Criando os fundamentos para a implementação e consolidação desse diálogo político-pedagógico e sintetizando questões fundamentais para a formação dos educadores e para uma prática educativo-progressiva. Paulo Freire estabelece neste livro novas relações e condições para a tarefa da educação. QUEM AMA EDUCA Lançado em 2012, o livro, na época, tornou-se o maior bestseller brasileiro sobre educação e ficou na lista dos livros mais vendidos. Içami Tiba é psiquiatra e propõe que os pais deixem de lados os padrões que ele considera repetitivos na educação, para adaptarem-se ao novo mundo, que está cheio de estímulos novos. Além disso, o autor ainda indica quais são os caminhos possíveis para formar futuros cidadãos éticos, competentes e felizes através da educação e dos valores recebidos em casa. LIMITES SEM TRAUMAS, DE TANIA ZAGURY Tania Zagury é filósofa e mestre em educação, além de ser uma das pioneiras em trabalhar com o conceito de ética como um princípio para conduzir a educação tanto de crianças quanto de adolescentes. Neste livro, a autora apresenta sua tese de que a "liberdade total" para a educação dos filhos pode acabar tornandose prejudicial para o convívio deles em sociedade e, até mesmo, para sua felicidade.


Pรกgina 16

FOLHA DO BATEL

Setembro | 2017

Folhadobatel194  

Especial Educação, Rafael Greca entrevista, Ana Seres Trento Comin, Secretaria de Educação Pr, Dom Bosco, Hepatite C, Setembro Amarelo, Prob...

Advertisement