Issuu on Google+

PREOCUPAÇÃO

GRANDES NOMES

Soledade Landin e a invasão de Aurora

Pequi pode desaparecer no Cariri

11

9

O periódico do Cariri independente

REGIÃO DO CARIRI l DE 01 A 07 DE MAIO DE 2012 l ANO XIV

l

NÚMERO 2532 R$ 1,50

ESTIAGEM

Preço da cesta básica dispara com a seca Samuel Macedo

JUAZEIRO

ELEÇÕES 2012

Dez bairros concentram maior número de casos de dengue

POLÍTICA

CULTURA

Diálogo avança entre Manuel Santana e o vice Roberto Celestino

4

A estiagem não afeta apenas a rotina de subsistência de quem vive no campo. A crise com a falta de chuva no Cariri prejudicou também o bolso de quem mora em centros urbanos da região. Estudo da Urca aponta que valor final da cesta básica cobrada na região disparou. Feijão e tomate lideram a alta produtos. Há expectativa de novos aumentos. 5

Grupos de tradição popular juntos na Terreirada 10

Arnon ainda acredita em candidatura

MOTO E CIDADANIA

Acidentes de moto matam quase 300 pessoas por ano no Cariri

Caixas d’água não vedadas corretamente, entre outros recipientes, podem se transformar em focos de dengue com o acúmulo de água. Se a população colaborar, tomando os devidos cuidados, seguindo as orientações dos agentes de endemias, o combate à doença se torna mais fácil.

APOIO:

Não é preciso ser nenhum perito para constatar que a combinação de moto com bebida mata. Ainda mais se estiver atrelada a não utilização de capacete. Os números são alarmantes. Em 2011, no Cariri, 295 pessoas morreram em acidentes de moto. Todos os anos, segundo o Instituto Médico Legal (IML) de Juazeiro do Norte, que age em 25 municípios do Cariri, 90% das mortes no trânsito estão ligados à motos.

12

8 SEM ESPERANÇA

Falta incentivo para produção de rapadura 9 CRATO

Crato tem 632 casos confirmados de dengue em 2012

MOTIVAÇÃO

Sushi causa intoxicação de Mulheres 30 pessoas no Crato 8 discutem questões de autoestima No próximo dia 5 de maio, será realizado pela primeira vez na região uma palestra exclusiva para as mulheres do Cariri. O evento “Os Caminhos das Poderosas” acontecerá sob o comando de Nelma Penteado, conhecida em todo o país.

7

Para o coordenador de endemias do Crato, Marcos Aurélio, os números preocupam, mas o sistema de saúde publica municipal está tomando todas as medidas preventivas de combate ao Aedes Aegypti e, até o próximo mês, a cadeia de transmissão da doença será quebrada.

8

SAÚDE

4


Opinião 2

REGIÃO DO CARIRI(CE), DE 01 A 07 DE MAIO DE 2012

Editorial SECA: UMA INDÚSTRIA BEM-SUCEDIDA

A seca é uma tragédia nordestina. Desde os tempos imemoriais, ela faz parte da realidade de nossa região. Os versos de Luiz Gonzaga, “só deixo o meu Cariri no último pau-de-arara”, são emblemáticos de uma particular relação do caririense com sua terra: só em último caso ele abandona a terra, “a vida aqui só é ruim/Quando não chove no chão/Mas se chover dá de tudo/Fartura tem de montão”. O que não se pode admitir, em pleno século XXI, com a pujança econômica do Brasil e com o crescimento do Nordeste com padrões “chineses”, que a seca ainda cause tamanho transtorno para o Cariri. É uma vergonha a falência das políticas públicas, o sentimento de autocomplacência dos políticos e dos Governos, a falta de planejamento técnico e econômico para se preparar para esse fenômeno climático tão antigo quanto conhecido de todos. Como não se prever a seca? Como não se preparar para ela? Como se conviver, nos dias de hoje, com tantos avanços tecnológicos, com a perda de lavouras, a fome e a desesperança? A única explicação é que há pessoas, grupos e blocos políticos que não admitem que a seca deixe de ser um

problema. Eles são como bois cevados com ração de primeira, esperando pela seca como uma grande empresa aguarda um pedido de grandes proporções para limpar seus estoques. Esses facínoras da desgraça humana, esses eloquentes vendilhões da dignidade humana frequentam a História do Nordeste desde antes de nossos avós haverem nascido. São os parasitas do flagelo e da desgraça que a seca traz consigo. O aumento do custo de vida, o crescimento exponencial dos valores da cesta básica e a redução na oferta de alimentos, que o Jornal do Cariri apresenta nesta edição, serão sentidos na casa do trabalhador, do homem da classe proletária ou do agricultor. Os aproveitadores da miséria e do flagelo da seca, no Cariri ou em Fortaleza ou em Brasília, nada sentirão. Aliás, sentirão alegria... pois recursos serão destinados para atender “emergencialmente” o problema gerado pelo clima. Na verdade, esse dinheiro será usado para os mesmos fins de sempre. Jamais reverterão em políticas definitivas de combate à seca ou de adaptação da economia local à mudança climática. Esses recursos, quando muito, servirão para compra de ali-

mentos de péssima qualidade, com distribuição precária e com desvios ainda mais gritantes. A indignação jamais será ouvida. Os atingidos não têm voz ou vez nos grandes veículos de comunicação. As pessoas que perderam suas lavouras lutarão para não perder sua dignidade. As imagens de crianças esquálidas e famintas, tal qual apareciam nas televisões brasileiras dos anos 1980, à semelhança dos etíopes, atingidos pela seca em África, talvez não surjam este ano. Mas, o descalabro e a miséria estão aí, rondando nossas casas e nossas vidas. Toda e qualquer justificativa para a inércia de tantos e por tantos anos é inútil. Falaciosa e ultrajante, para ser bastante direto e realista. A presidente Dilma deveria vir ao Ceará ou mandar seu “ministro” da Integração Nacional, o pernambucano Fernando Bezerra, ver o quão eficiente ele tem sido no cumprimento de seus deveres de Estado. Esse é mais um desalento para todo nordestino, que se vê humilhado pelos demais componentes da federação, como o eterno pedinte de recursos dos Estados ricos. Também pudera, com homens públicos desse jaez, nada realmente mudou ou mudará.

CHARGE

SOCIEDADE E MEIO AMBIENTE

SEMÁFORO À FRENTE Antes tarde do que nunca. Mais uma vez essa frase é citada para dar ênfase a um tema muito importante. Dessa vez o assunto é sobre semáforos, ou seja, semáforo à frente. Dispositivo conhecido popularmente como sinal de trânsito, sinaleira e farol ou sinal luminoso. Instrumento esse utilizado para controlar o tráfego de veículos e pedestres nas cidades de médio e grande porte do nosso Brasil. Feitas as considerações iniciais, a população de toda região metropolitana do cariri já acompanhou ou sentiu na pele a problemática que era os constantes acidentes que aconteciam em alguns trechos das avenidas Padre Cícero e Leão Sampaio. Inicialmente vieram as sinalizações vertical e horizontal dos retornos e cruzamentos da Avenida Padre Cícero (Juazeiro/Crato), principalmente a abertura do retorno e a instalação do semáforo defronte a Regional do DETRAN e próximo do Atacadão. Depois vieram as melhorias através da implementação de sinalização horizontal vertical de alguns locais de grande

tráfego de veículos na avenida Leão Sampaio (Juazeiro/Barbalha), ou seja, os dois trechos principais, sendo o cruzamento em frente à churrascaria La Favorita e o outro ao lado do Senai. Sendo que nos dois pontos, a instalação dos semáforos estão contribuindo para a boa fluidez e a segurança do trânsito tanto para os veículos automotores como também para os pedestres. Onde a sua função primordial é disciplinar a passagem, o momento de alerta e a vez de parar os veículos. Para que o nosso leitor possa saber mais sobre os semáforos, eis aqui algumas curiosidades: cor verde indica que o cruzamento está livre para passagem. Cor amarela indica que a passagem está prestes a ser fechada. Cor vermelha indica que a passagem pelo cruzamento está momentaneamente impedida. O primeiro semáforo do mundo foi instalado em Boston, Estados Unidos, em 1840. Existe também uma infração es-

Valdir Medeiros Sindicalista e Educador de Trânsito

Tempos em tempos, a natureza dá resposta de que precisa de cuidados, para minimizar (evitar) os impactos causados ao meio ambiente pela humanidade. A natureza carece de atitudes como: plantar árvores (reflorestar), facilitar o trabalho de coleta seletiva, selecionando os resíduos domiciliar. Mais do que falar bonito, o meio ambiente clama por ações enérgicas. Assim, empresas do pólo Cerâmico do Caririense retiram o material que precisa, sem muito agredir o meio ambiente; cria-se o tijolo ecológico e realiza-se o manejo sustentável das áreas exploradas. A Universidade Regional do Cariri (Urca) gerencia o projeto Geopark, e tem feito descobertas surpreendentes de sítios arqueológicos de grande valor científico para os estudos da paleontologia na Chapada do Araripe. “Às vezes tudo é lindo”, porém “às vezes tudo engana”. Os espaços residenciais antes reservados para o cultivo de plantas em jardins particulares, deixam de existir, e dão lugar a garagem para guardar os veículos. A crônica jornalística diz que o “pulmão do Brasil” está ameaçado por destruição das árvores. A biodiversidade Brasileira, existente na Amazônia é cobiçada por outros países, que estão de olho na riqueza do potencial bio-vegetal do Brasil, e até afirmam que a Amazônia é patrimônio deles (Internacional).

Andson Andrade da Silva Licenciando em LETRAS pela URCA

CARTA

SEXTILHA O FRIO DA INDIFERENÇA COM A INCOMPREENSÃO O QUEIXUME CONTUDENTE NA VIDA DE RELAÇÃO É UM ESPINHO QUE FURA E PROVOCA A SEPARAÇÃO! Welington Costa

Expediente:

pecifica de avançar o sinal vermelho que é: avançar o sinal vermelho do semáforo ou o de parada obrigatória, ou seja, infração gravíssima e penalidade multa, conforme o art. 208 do CTB – Código de Trânsito Brasileiro. Por fim, mesmo sabendo da atitude corretíssima do órgão de trânsito competente DER – Departamento de Estradas e Rodagens com a devida autorização do governo estadual no tocante aos semáforos, faz-se necessário melhorar outros pontos críticos já identificados pela nossa população. Como por exemplo, a rotatória da praça do triangulo Crajubar, visto que mesmo existindo a sinalização horizontal “dê a preferência”, ainda gera grande confusão entre os condutores.

Como anda a relação da sociedade com a preservação do meio ambiente? No cotidiano, precisamos observar que o ato de poluir, desmatar, ainda persiste. De grosso modo, a produção do lixo, tem sido um grande problema para a administração das cidades. O aterro sanitário para a região do Cariri, que se firmaria de suma importância no processo da “usinagem” e reciclagem do lixo, está em processo. Enquanto isso, quem tem dado exemplo de preocupação com a reciclagem, são as empresas que se instalaram no Cariri, para coletar resíduos hospitalares e resíduos oriundos da Construção Civil. A propósito, a responsabilidade com o meio ambiente não é apenas da “governabilidade”, mas sim, de toda a sociedade. Por ocasião da realização do 1º Seminário Araripense de Prevenção e Combate a Desertificação no Crato em setembro de 1999, nesta época, observou-se a preocupação dos ambientalistas, para a aplicação de práticas ecologicamente corretas no entorno da área da Chapada do Araripe. Nesse evento ouvi falar pela primeira vez do Projeto “Agrofloresta”, que, ao ser implantado no Cariri pela Associação Cristã de Base (ACB), ensina as comunidades da agricultura familiar, a retirar seu sustento da floresta sem agredir o meio ambiente. Passados 13 anos, constata-se que as ações transformaram o cenário do “eco-bio-desenvolvimento” do vale do Cariri. O agricultor, antes explorador da terra, hoje tem a missão de ser o guardião e co-responsável pela preservação Ambiental, do seu “torrão natal”.

Sou agricultor e nunca tinha visto seca tão braba por esse meu Cariri. Eu e meus companheiros perdemos tudo. Do milho mesmo não sobrou nada. Só vai escapar um pouquinho da mandioca, que plantamos ainda no ano passado e pegou alguma chuva. Mas a semente que foi pra terra esse ano ficou tão envergonhada com a falta de chuva que ficou por lá.

Raimundo Filho, Salitre

Envie sua carta para jornaldocariri@jornaldocariri.com.br e dê sua opinião faça sua sugestão, uma crítica. Esse espaço é aberto para você, caro leitor. Diretor-presidente: Luzenor de Oliveira Diretora de Jornalismo: Jaqueline Freitas

Diretor de Conteúdo: Donizete Arruda Editor-chefe: Márcio Dornelles

Diretoria Jurídica: Vicente Aquino

Conselho Editorial: Geraldo Menezes Barbosa | Francisco Huberto Esmeraldo Cabral | Napoleão Tavares Neves e Monsenhor Gonçalo Farias Filho

O periódico do Cariri independente Fundado em 5 de setembro de 1997 O Jornal do Cariri é uma publicação da Editora e Gráfica Cearasat Comunicação Ltda CNPJ: 34.957.332/0001-80

Fale conosco

Administração e Redação: Rua Pio X, 448 - Bairro Salesianos - CEP: 63050-020 - Juazeiro do Norte – Ceará - Fone (88) 3511.2457 Sucursal Fortaleza: Rua Coronel Alves Teixeira, 1905, sala 05, Telefone: 085.3462.2607 - Celular: 085.9161.7466 Sucursal Brasília: Edifício Empire Center, Setor Comercial Sul, Sala 307, Brasília-DF Os artigos assinados são de responsabilidade dos seus autores

Redação w cidades@jornaldocariri.com.br w policia@jornaldocariri.com.br w politica@jornaldocariri.com.br w redacao@jornaldocariri.com.br Departamento Comercial w comercial@jornaldocariri.com.br | Geral w jornaldocariri@jornaldocariri.com.br


Publicidade Política REGIÃO DO CARIRI(CE), DE 01 A 07 DE MAIO DE 2012

Para não ter suspense você precisa de mais ação. Uma campanha da Prefeitura de Juazeiro do Norte contra o vilão da Dengue.

3


Política 4

REGIÃO DO CARIRI(CE), DE 01 A 07 DE MAIO DE 2012

DONIZETE ARRUDA

Política

Salviano tenta chapa de calouros

Depois de ter desistido de concorrer à prefeitura de Juazeiro, Manoel Salviano lançou a pré-candidatura do seu filho Samuel Salviano. Rápido, Samuel já escolheu até o seu vice: o também jovem Nelinho Cordeiro, filho do prefeito de Russas, Raimundinho Cordeiro. A dobradinha não durou nem 24 horas. Nelinho tem problemas de dupla filiação e é inelegível. Na verdade, Samuel pode acabar mesmo é como vice de Manoel Santana.

Ciro trabalha para ajudar Santana

O fim das brigas entre o prefeito Manoel Santana com o seu vice, Roberto Celestino, é obra do ex-ministro Ciro Gomes. O detalhe desse acordo de pacto é que ele foi formalizado também com o respaldo do governador Cid Gomes. Cid e Ciro juntamente com o deputado José Guimarães estimularam que Santana e Celestino esquecessem as divergências e abrissem caminhos para uma reaproximação. Os dois estão bem, mas quem não gostou desse união foi o vereador Roberto Sampaio. Apesar dele, o PSB pode apoiar a reeleição de Santana.

Frente ampla contra Zé Leite

Depois de idas e vindas, o ex-prefeito Romel Feijó sustenta que agora a frente de oposição tem as condições necessárias para lançar um candidato único com dez partidos em Barbalha. Satisfeito com os rumos das articulações, Romel disse estar disposto a apoiar a candidatura do ex-prefeito João Hilário, do PMDB. “Temos conversado”. O lançamento do nome de João Hilário coloca em sério risco à reeleição do prefeito Zé Leite. Assustado, Zé Leite quer a interferência do secretário Camilo Santana junto ao governador Cid Gomes para convencer o senador Eunício Oliveira a barrar a candidatura de João Hilário. Perderá tempo se tentar esse movimento político. Caso queira ser candidato, João Hilário terá o apoio integral do senador Eunício Oliveira.

Guimarães tenta unir PT a PSB

Começou no final de semana o esforço do deputado José Guimarães para levar o PT do Crato a apoiar a candidatura do deputado Sineval Roque. Guimarães atende a um pedido de Ciro Gomes. Todas as alas petistas compareceram ao encontro, e até o précandidato Marcos Cunha não criará embaraços para a aliança. Apenas avisou que se o partido decidir fechar com Sineval, ele não aceita ser vice. Defende a candidatura própria para o PT. Quem já se lançou para a vaga de companheiro de chapa de Sineval foi Amadeu Freitas, um dos mais influentes petistas no Crato.

Ronaldo fica isolado no Crato

Após a visita de Ciro Gomes ao Cariri, o empresário Ronaldo Matos ficou impressionado com o impulso dado a candidatura de Sineval Roque. Assustado, temeu ter que sua candidatura fosse retirada numa decisão de cúpula. Decidiu ir a Brasilia conversar pessoalmente na semana que passou com o senador Eunício Oliveira. Na bagagem, levou muita preocupação com o que tinha escutado de Ciro em diversas declarações. Temia mesmo perder a legenda do PMDB. Regressou tranquilo: terá partido para concorrer em outubro, porém foi instruído a buscar as lideranças políticas do Crato para construir uma ampla aliança para se contrapor as candidaturas do deputado Sineval Roque e do secretário Cicinho, apoiado pelo prefeito Samuel Araripe.

Chique da moda chega ao Cariri

Ousado, jovem e empreendedor. É assim Mauro Macedo que sem se intimidar e sem se importar com o preconceito, vence desafios e se impõe como um empresário de sucesso. Inaugurou no último díia 27 a Mrs. Rob, uma loja que por suntuosidade já está sendo conhecida como a Daslu do Cariri. Mais um empreendimento do grupo JDMM que tem a frente Mauro Macedo, filho do deputado federal Raimundo Macedo. Essa loja é um investimento próprio de alguns milhões de reais. O próximo empreendimento a ser entregue será o shopping center.

Disse me disse... • A repercussão negativa de que tinha discriminado Juazeiro do Norte obrigou a um recuo do deputado Raimundo Macedo. • Raimundão deu R$ 4 milhões de suas emendas individuais para o município de Parambu, na região dos Inhamuns. • E resolveu incluir Juazeiro com R$ 1 milhão para a saúde. Deveria ser o inverso. Bastava Raimundão usar o critério de onde ele teve mais votos. • Romel Feijó está em campanha para retornar à Câmara dos Deputados em 2014. Não decidiu ainda por qual partido. Está analisando a sigla que irá se filiar. • Carlos Macedo desafiando Ciro Gomes. Mesmo sem ser eleitor de Juazeiro ando declarando que o PSB jamais se unirá novamente ao PT • A disposição de Ciro Gomes é fechar o acordo para que os socialistas apoiem a reeleição de Manoel Santana. Quanto a Carlos Macedo, o conselho: não percam tempo com esse senhor. • Desculpe a ignorância, o prefeito Manoel Santana e o vice Roberto Celestino serão agora amigos para sempre?

ELEIÇÕES 2012

Santana: “Decisão de aliança passa por Roberto Celestino” Mirelly Morais

“A

decisão de compor com o PT passa por Roberto Celestino e ninguém mais. É ele o líder maior do partido em Juazeiro”. A declaração é do prefeito Manoel Santana (PT) ao responder sobre novamente estar articulando a dobradinha com Roberto Celestino, seu vice, com quem tenta uma reaproximação após rompimento. Por uma conversa acontecida entre os dois, na última semana, chegou-se a afirmar uma ‘reconciliação’, o que representaria novamente a dobradinha PT-PSB. O fato movimentou o diretório do Partido que foi a público negar a renovação da aliança. O presidente municipal do PSB, vereador Roberto Sampaio engrossou o discurso afirmando que retiraria o direito de legenda partidária de Celestino, caso optasse por novamente apoiar Santana. “Não há a menor possibilidade de aliança com PT novamente, sendo Santana o candidato. O Partido não vai repetir uma aliança que não deu certo”, diz Roberto Sampaio. Ele entende que o vice-prefeito não deve mais compor chapa com Santana, mas deixa claro que aliança ainda pode existir entre as legendas desde que em

n O atual prefeito, Manoel Santana, e o vice, Roberto Celestino, ensaiam acordo, mas ainda não fecharam união PT-PSB

outras circunstâncias. “Essa dobradinha só se repetirá se for o PT apoiando o nome do PSB”. Já Santana diz ter procurado Celestino por acreditar que “fazer política é além do compromisso com a luta permanente pelo bem estar coletivo, a arte de harmonizar e superar conflitos”. O prefeito afirma que tem como princípios constantes corrigir o que está errado, melhorar o que está certo e inovar. Sendo assim “procurei o Zé Roberto na casa dele para superar as nossas divergências e colo-

car os interesses da cidade acima de qualquer coisa, revela Santana. Segundo ele o governador Cid Gomes, presidente estadual do PSB disse que “Zé Roberto é a liderança do seu partido aqui e é pré-candidato a prefeito”, comenta. Mas isso, de acordo com Santana, não impede que haja entre eles um dialogo civilizado. Santana acrescenta estar trabalhando para compor um amplo arco de aliança e pretende conversar com personalidades e partidos. “Pois há casos aqui em Juazeiro que algumas lideran-

ças são maiores que os partidos”, afirmou. Ele, porém, reconhece que “obviamente essa é uma via que tem que haver interesses de ambas as partes”. Sendo assim, Celestino continua como pré-candidato e encurralado entre um diálogo, que lhe garantiria novamente a vaga de vice na chapa do PT e insistir, como quer o diretório municipal do seu Partido, em ser cabeça de chapa, mesmo sabendo das dificuldades em buscar outros apoios ao seu nome para fazê-lo forte.

Arnon vê circulo se fechar, mas ainda acredita O deputado Arnon Bezerra (PTB) continua se articulando em busca de garantir apoios que o possibilitem disputar a prefeitura de Juazeiro do Norte no pleito que se aproxima. Arnon é aberto a maioria dos atuais concorrentes, fechando as portas somente para o prefeito Santana (PT), para quem já declarou não haver acordo político de aliança. Porém apesar de já ter mantido diálogos com o também deputado Raimundo Macedo (PMDB) e com o deputado Manoel Salviano (PSD) que inclusive manifestou abertamente apoiar o nome de Arnon, ele sabe que nada está definido e reconhece as dificuldades em agregar forças em um único projeto. Arnon até tentou ser uma ponte de união entre os outros dois deputados, construindo uma imprová-

n O deputado federal Arnon Bezerra (PTB) alimenta sonho de candidatura

vel aliança entre os três. Mas, com Raimundão admite que essa possibilidade inexiste. “O deputado Raimundo Ma-

cedo não tem intenções de desistir da sua candidatura”. E até o deputado Salviano, que também se lançou pré-

-candidato, agora articula o lançamento da candidatura de seu filho, Samuel Salviano, dando a entender que Arnon já não seria prioridade. Arnon Bezerra diz que sua conversa é sempre aberta, e ainda acredita no crescimento do seu nome, “sabemos quando estamos retraídos e quando estamos em ascensão”. O deputado acredita ser a sua vez e afirma que não desistirá de tentar convencer aliados. Mas tem consciência de ter que trabalhar uma candidatura sustentável, viável. “Temos o pé no chão para evitar forçar uma situação que seja inacessível”, declara. É diante desse difícil quadro atual que Arnon Bezerra terá que decidir se há realmente a viabilidade política para continuar sonhando em ser prefeito de Juazeiro.

Plebiscitos não devem acontecer nas eleições 2012 A Assembléia Legislativa do Ceará está fazendo um novo desenho do Estado, um mapeamento georeferencial dos municípios. E de acordo com o presidente Roberto Cláudio (PSB) a meta estabelecida pela Mesa Diretora para o término dos trabalhos seria até outubro para que plebiscitos fossem realizados juntamente com as eleições municipais. Outra questão que a Assembléia tenta resolver é a emancipação de distritos, alguns deles no Cariri. Os esforços da AL eram para que as duas situações estivessem resolvidas até outubro para que as populações pudessem ser consultadas juntamente com a escolha dos prefeitos e vereadores. “Assim pouparíamos dinheiro e trabalho”,

afirma Roberto Cláudio. Porém, ele não acredita que haja tempo hábil para que isto ocorra, pois a questão da emancipação de distritos foi barrada pelo Tribunal Regional Eleitoral (TER) que entendeu não caber a Assembléia legislar esta causa. Roberto Cláudio explica que esse é um processo antigo, inclusive com a modificação da Constituição Estadual que permite agora que a Assembléia realize parte desse processo, recebendo a solicitação de uma associação que pleiteia a emancipação, seguido por uma avaliação técnica dos critérios, se estão ou não de acordo com a Lei. Em seguida, aprovado os critérios, o processo é distribuído para um parlamentar relatar e saber se mesmo estando com

os critérios em dia a Assembléia aprova ou não a realização de um plebiscito. “Até aí a Assembléia cumpriu todos os critérios”, afirma Roberto Cláudio “e temos hoje 30 distritos em condições de realizarem os plebiscitos de emancipação, entretanto o plebiscito em si, o Tribunal de Contas dos Municípios (TRE) entendeu que a AL não pode realizar porque dependeria de uma Lei Federal”, lamenta. Mas, a Procuradoria da Assembléia tem uma percepção diferente da visão do TRE e, por isso, apresentou recurso ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para avaliar se a AL deve ou não realizar os plebiscitos. Já a questão do Georeferenciamento este está sendo barrado pelos próprios

gestores municipais que em muitos casos não conseguem acordo. No Cariri, Brejo Santo Abaiara e Barbalha discordam do novo mapeamento e não dão sinais de acordo. Ele diz que neste caso a AL tem previsão legal para legislar e definir os limites intermunicipais, o que está havendo agora é uma discussão técnica entre os municípios, questões de ordem geográfica de saber o que é definitivamente o limite e o que é legitimidade social. . Os estudos são realizados por uma Comissão formada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Instituto de Pesquisa Estratégica e Econômica do Ceará (Ipece) e pelo Instituto de Desenvolvimento Agrário do Ceará (Idace).


Cidades 5

REGIÃO DO CARIRI(CE), DE 01 A 07 DE MAIO DE 2012

URCA

Seca deixa cesta básica 18,5% mais cara em nove municípios Márcio Dornelles

U

m pai de família mais desatento pode não dar muita atenção à seca que devasta o Ceará, principalmente as regiões do Cariri e Sertão Central, mas a estiagem ignorada por muitas pessoas que residem na zona urbana tem reflexos diretos no bolso do consumidor. Um estudo desenvolvido por estudantes da Universidade Regional do Cariri (Urca), sob coor-

denação do professor do departamento de Economia, Áydano Ribeiro Leite, comprova que a escassez de chuva faz doer não apenas o coração do agricultor, que vê suas plantações murcharem, mas o bolso e a conta bancária de muita gente. Então, um homem passa diante da última capa do Jornal do Cariri, alertando para os prejuízos da seca, dá de ombros como se a realidade fosse muito distante, e segue ao supermercado para comprar os alimentos

Samuel Macedo

que nunca faltam à mesa do brasileiro. O primeiro deles, e que sofreu a maior alta, foi o feijão. É possível que também se faça desatento para a diferença de centavos, mas no final do mês faz falta ao orçamento familiar. O estudo é desenvolvido por 50 acadêmicos em uma pesquisa de extensão, seguindo os mesmos critérios de avaliação do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). Nove municípios são acompanhados pelo grupo de estudantes: Juazeiro, Crato, Barbalha, Missão Velha, Jardim, Caririaçu, Nova Olinda, Farias Brito e Santana do Cariri. Em janeiro deste ano, a cesta básica composta por 12 alimentos custava R$ 175,38. No mês seguinte, fevereiro, passou para R$ 197,79 e fechou março ao preço de R$ 207,54. O crescimento, ao longo dos três meses, foi de 18,5%. “Os vilôes desse aumento da cesta bási ca, entre fevereiro e março, foram o feijão e a tomate, que são produtos que tem relação direta com problemas climáticos, principalmente com a escassez da chuva”, explica o professor Áydano Ribeiro.

Mais caros

O estudo aponta um aumento de 11% do feijão e 15% da tomate, os principais produtos afetados pela seca. “Dado esse problema climático que a gente tá tendo de irregularidade de chuva, de escassez mesmo, a produção diminui, então o preço vai aumentar”, conta Áydano, acrescentando que nenhum dos 12 produtos pesquisados teve redução, “nenhum sofreu variação de queda”.

n O feijão pesou no valor final de cesta básica, assim como a tomate, os mais caros

O coordenador da pesquisa também avisa que a projeção para os próximos meses não é boa, já que a estiagem continua, a chuva não vem e o agricultor se desespera. “A expectativa é que para os próximos meses o valor da cesta continue a subir em função desse problema. Já é um problema que não é só da nossa região, é de todo o Ceará, infelizmente”, comenta.

Números

Avaliando por município, a cesta básica mais cara está em Farias Brito, custando R$ 216,37, valor de março. Em seguida vem Juazeiro, com R$ 216,29 e Barbalha, R$ 212,77. A cesta mais barata é encontrada em Jardim, R$ 152,71, logo atrás Nova Olinda, R$ 166,20, e Caririaçu, R$ 176,75.

Produtos

O produto mais caro da cesta básica continua sendo a carne. Em fevereiro custava R$ 26,59 e no mês seguinte R$ 27,90. Mesmo assim, o feijão continua no topo, passando de R$ 9,90 para R$ 10,97. A tomate foi de R$ 10,00 para R$ 11,64. Se a estiagem persistir e a terra continuar seca, os preços vão continuar subindo.

FONTE DAS GUARIBAS

Moradores sem água e meio ambiente prejudicado Serena Morais Questões relacionadas à utilização da água são debatidas com mais frenquência a cada dia em todo o mundo e apesar da preocupação sobre o futuro desse bem tão precioso, para grande parte da população a ficha ainda não caiu. Enquanto uns desperdiçam água outros lutam para tê-la. Na região do Cariri, onde as nascentes ainda são abundantes, é possível encontrar tais contrariedades. A fonte das Guaribas, localizada na Chapada do Araripe, virou cenário de uma briga judicial. A comunidade próxima à fonte, pedindo para ter acesso à água (bem de domínio público) em debate com o proprietário das terras, justificando que a intervenção traria prejuízo ao meio ambiente. Duas partes lutando por seus direitos, cada uma em seu grau de importância. Segundo Cícero Luciano Ferreira Alves, ex-vice-presidente da Associação de Moradores do Sítio Guaribas, a comunidade foi a primeira da

região a receber a outorga de direito de uso de água do estado, mas a distribuição nunca aconteceu. A comunidade teve o apoio da Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh), que realizou o estudo dos impactos ambientais no local. Como a avaliação apontou que não haveria impacto, um projeto para fazer a captação e distribuição para distribuir a água da fonte aos moradores em torno foi criado, dentro das leis ambientais.

do assim eles perderam o prazo e o dinheiro teve que ser devolvido ao projeto. O ex-vice fala com pesar sobre o desgaste de lutar sem apoio dos maiores interessados, as pessoas da comunidade. Atualmente, a água que os moradores da área consomem é adquirida de duas formas. Quem tem condições, cava uma cacimba, mas os que não têm são obrigados a buscar água diretamente na fonte e carregá-la em baldes.

Outros meios

Conservação

A associação buscou ainda outros métodos para conseguir água para a comunidade, como foi o caso do Projeto São José, conseguido por eles em 2001. No ano seguinte eles cavaram o poço profundo, mas o resultado foi um reservatório seco. A ideia era utilizar parte do dinheiro do projeto para puxar a água da fonte para uma caixa d’água no alto da comunidade e fazer a distribuição somente por gravidade. Luciano conta que isso não aconteceu pois houve desinteresse da comunidade em organizar a ação, sen-

O proprietário da terra, Jário Duarte, optou por não falar sobre o assunto. A única coisa que deixou clara é que ele não impede os moradores de buscarem água no local e até lavarem suas roupas na fonte. O problema, nesse caso, passa a ser a falta de consciência de algumas pessoas da comunidade, que usam a fonte dessa forma, pois estão poluindo a própria água que utilizam. O local está repleto de lixo, muita sujeira e é possível notar, em alguns pontos a presença de sabão. Luciano fala que a as-

sociação tentou fazer um trabalho de reeducação com as pessoas, mas que não obteve sucesso e mais uma vez cita a dificuldade de conseguir a compreensão de algumas pessoas da comunidade, que acabam por aumentar os problemas durante as tentativas de conseguir a água. O caso da fonte das Guaribas dura há anos e hoje encontra-se parado, pela falta de uma sentença final das autoridades responsáveis pela ação na época. Atualmente, a comunidade não tem água encanada da fonte e nem o meio ambiente é preservado. A luta das duas partes pode ser considerada uma derrota, em ambas, até que um novo movimento seja iniciado. Por enquanto, resta torcer para que a fonte das Guaribas, uma das mais procuradas da região, não fique totalmente poluída, dada a rapidez com que é maltratada. Além de locais onde a água está praticamente branca pelo uso de sabão nas lavagens de roupa, a equipe de reportagem observou pacotes de biscoito e garrafas d’água

Serena Morais

n Pacotes de biscoito e garrafas d’água espalhados na fonte das Guaribas

em vários trechos, emprestando ao cenário um ar de tristeza e depredação. O proprietário de terra prefe-

re ignorar a discussão, enquanto os moradores continuam fazendo mal uso da fonte.


Publicidade 6

REGIテグ DO CARIRI(CE), DE 01 A 07 DE MAIO DE 2012


Cidades Política 7

REGIÃO DO CARIRI(CE), DE 01 A 07 DE MAIO DE 2012

MULHERES

Sai violência, entra autoestima Ingrid Monteiro

P

alestras, debates, livros abordam, cada vez mais, a questão da autoestima, sentimento que contribui para a sensação de felicidade e realização pessoal de grande parte da população. Muito se fala sobre autoestima, mas poucas pessoas entendem o seu verdadeiro significado. Psicólogos afirmam que cuidar deste sentimento, que na maioria das vezes está associado à figura da mulher, vai além da preocupação com o corpo, pois ele consiste no valor interno que se atribui e não tem relação com o externo, com o físico. A autoestima surge através de relações positivas e negativas presentes desde o nascimento de cada pessoa, com isso, especialistas afirmam que quanto mais a criança se sentir amada e segura, maior será a chance dela se tornar um adulto confiante. No entanto, se a mesma cresce ouvindo que não é desejada, há uma grande possibilidade dela se tornar um adulto inseguro com sérios problemas psicológicos e afetivos. Muitos são os sinais de baixa autoestima, como a necessidade de aprovação, dependência financeira e emocional, insegurança, depressão, ansiedade, agressividade, sentimento de inferioridade. Pesquisas apontam que o maior índice destes sintomas está presente entre as mulheres que sofrem violência, seja física ou psicológica. De acordo com a assistente social do Centro de Referência Regional da Mulher de Juazeiro do Norte (CRRM), Tinciane Medeiros, o maior número de mulheres que são atendidas sofre violência psicológica, geralmente praticada pelos seus companheiros, em sua própria casa. “Muitas relatam histórico de ameaças, injúrias, difamações, isto tudo afeta diretamente a sua autoestima”, explica Tinciane. Inaugurado em agosto de 2011, o Centro atende as mulheres vítimas de violência, que podem contar com serviço de psicologia, assistência social e advocacia.

Evento

Com o objetivo de discutir sobre a autoestima feminina na região do Cariri, será realizada, no próximo dia 5 de maio, uma palestra com Nelma Penteado, conhecida pelo trabalho desenvolvido principalmente com as mulheres, por meio do estudo da área comportamental e neurolinguística. O evento, denominado “O Caminho das Poderosas”, acontece no Hotel Verdes Vale, em Juazeiro do Norte. Conhecida como a “Diva da autoestima”, Nelma abordará temas como, a importância de adquirir mais força e confiança diante dos desafios, conhecer dicas para intensificar seu poder feminino, aumentar sua confiança e autoestima e transformar sua vida para melhor e ser feliz. “O que me move para continuar esse trabalho sobre a autoestima é a ideia

de que através do meu dom, que Deus me deu, eu continue levando alegria e felicidade às pessoas e seus relacionamentos. Estou ansiosa para chegar ao Cariri. Já ouvi falar que é terra de gente guerreira!”, diz Nelma Penteado.

Triste realidade

A região do Cariri, principalmente Juazeiro, Crato e Barbalha, apresenta números preocupantes de violência doméstica,

onde a vítima é a mulher. O Sul cearense carrega esta triste cicatriz, embora seja considerada terra de gente de fé e acolhedora. Em fevereiro, apenas para ilustrar, 81 boletins de ocorrência foram lavrados na Delegacia de Polícia Civil do Crato. No mês seguinte, março, quatro mulheres foram mortas no Cariri, elevando para 10 o número de vítimas em 2012. A lamentável mar-

ca já passa de 200 em dez anos. Enquanto os índices seguem crescendo, as mulheres se fortalecem e brigam por mais conscientização e ações dos governos Federal e Estadual para coibir a prática. Mas as discussões esbarram na falta de coragem de muitas mulheres em denunciar seus próprios companheiros. Temem represálias e mais violência dentro de casa. Dentro deste cenário

assustador, ações para elevar a autoestima feminina servem de alento e recarregam as energias de mulheres guerreiras.

AGORA É LEI: CIGARRO TEM PREÇO MÍNIMO. NINGUÉM PODE VENDER CIGARROS ABAIXO DE R$ 3,00. O não cumprimento da lei traz ao varejista sanções que incluem a apreensão do produto e proibição do direito de vender cigarro por um prazo de 5 anos.

PARCERIA:


Cidades 8

REGIÃO DO CARIRI(CE), DE 01 A 07 DE MAIO DE 2012

CONTAMINAÇÃO

Intoxicação de 30 pessoas por sushi exige maior fiscalização

P

rimeiro oito pessoas se sentiram mal e foram internadas com suspeita de intoxicação após o consumo de sushi na filial do Crato do grupo Mercadinhos São Luiz. Em poucas horas o número duplicou e dois dias depois já chegava a 30. O número redondo e assustador foi confirmado pelo coordenador da Vigilância Sanitária do Crato, Assilon Lindoval Freitas, após o acompanhamento de clientes que também apresentaram sintomas como dor de cabeça, náuseas, febre, dores abdominais e vômito. As pessoas foram internadas nos hospitais São Miguel e São Francisco de Assis, no Crato, e em outras unidades de saúde de Juazeiro. Todas sustentavam que consumiram sushi entre segunda e terça-feira (24). A notícia, publicada com exclusividade pelo portal de notícias Ceará Agora, ganhou repercussão nacional, e reacendeu a preocupação com o cuidado no preparo de alimentos. O alimento já foi recolhido e passa por estudos no Laboratório Central (Lacen). Para Assilon, o número de intoxicados pode ser ainda maior, já que muitas pessoas se trataram em casa e preferiram não prestar

queixa. E a baixa quantidade de denúncias na área alimentar é o ponto-chave da discussão. Por comodidade, muitos clientes esquecem de denunciar estabelecimentos comerciais, principalmente quando se recuperam do mal estar. “Infelizmente a maior parte de reclamações se refere a esgotos, terrenos baldios, criatório de animais e animais soltos na cidade. Pode ter certeza que de cada dez denúncias, nove são desse tipo”, garante Assilon Freitas.

Denúncias

A epidemiologista Marina Vasconcelos, da Vigilância Sanitária de Juazeiro do Norte, informa que um monitoramente mais rigoroso deste tipo de comércio é feito desde o início do ano, mas avisa que a reclamação do cliente é fundamental para ajudar nas fiscalizações. “O consumidor tem que ficar atento para o alvará sanitário do estabelecimento, se ele está certinho, na data correta”, diz. Marina também explica como é feita a vistoria durante uma visita da equipe epidemiológica. “Vamos na cozinha, averiguar o estoque da produção, que alimento foi consumido, que horas a pessoa comeu, o que exatamente foi, com que tempero.

Samuel Macedo

Verificamos matéria-prima, armazenamento, tempo de exposição, quando foi preparado, tudo. Qualquer falha pode ser fatal para as pessoas adoecerem”, completa.

Explicações

Um dos proprietários do grupo, Fernando Ramalho, confirmou que houve “algum problema” e interrompeu a venda de sushi ainda no dia 23. “Mesmo antes de Vigilância Sanitária, suspendemos a produção. Mandamos a nossa gerente de qualidade para entender o que aconteceu e em momento algum vamos nos omitir do fato”, disse. Ramalho garante que foi um fato isolado, sem referência ao padrão de qualidade empregado nas lojas. A gerente de qualidade do grupo, Vancy Maria, responsável pelos 12 estabelecimentos, desembarcou no Cariri para investigar o fato. Ela afirma que está apurou tudo, desde câmaras refrigeradas, temperaturas, valida- n O sushi que intoxicou 30 pessoas foi vendido no Mercadinho São Luiz do Crato. Laboratório Central inspeciona alimento des, até do estado de saúde dos funcionários, se apresentam alguma virose que possa de produto, tudo é des- tipo de alimento consumido Qualquer irregularidade em ter contaminado o alimento. cartado, porque não tem e reclamar quando perceber Juazeiro do Norte deve ser “Não há certeza do que acon- como manter esse produto algo errado. O episódio, que denunciada à Vigilância teceu. Estamos considerando ainda aguarda desfecho, serve Sanitária no telefone (88) 3511.2657 ou na rua Tabelião que o produto pode ter pro- Alerta de alerta para intensificar as João Machado, bairro Santa blema. Verifiquei instalação, Os consumidores pre- fiscalizações e impedir novos Teresa. salmão, arroz. Não há sobra cisam estar sempre atentos ao casos de intoxicação alimentar.

Combate à dengue requer mobilização das secretarias municipais de Saúde Samuel Macedo

Wilson Rodrigues Dos cratenses, 25% trabalham em Juazeiro do Norte. Mais da metade desse percentual teve dengue no ano passado. Isto fez com que o Crato iniciasse 2012 registrando casos importados da doença. A declaração é do coordenador de endemias do Crato, Marcos Aurélio. Ele informou que hoje o município tem 921 notificações de dengue, 632 casos confirmados – dois dos quais hemorrágicos e um de alta complexidade –, alem de 231 exames no Laboratório Central (Lacen) à espera de diagnóstico. O coordenador admitiu que não há barreira física para o controle da dengue no Cariri e é necessário que todos os municípios façam sua parte. Até o final de abril, segundo ele, a doença estará sob

n O combate ao foco do mosquito da dengue precisa começar em casa

controle no Crato, a exemplo de 2011, quando o município chegou a 0,65 % de casos de dengue, número muito abaixo do que é preconizado pelo Ministério da Saúde, que é de 1 %. Para o coordenador, fica muito difícil o Crato manter o controle de transmissibilidade se Juazeiro e Barbalha não priorizarem o combate do mosquito transmissor, o Aedes Aegypti, que é transportado nos automóveis, devido o grande fluxo de veículos entre as cidades do Crajubar. Marcos Aurélio informou também que 90 % dos focos de dengue no Crato em 2012 foram encontrados em residências, predominantemente em tanques, baldes, filtros, cisternas e caixas d’água, porque esses depósitos não foram inspecionados frequentemente por seus proprietários. Para ele, o descui-

do da população, em não verificar esses ambientes, é fatal para o surgimento de focos e poderá colocar em risco todo o processo preventivo feito pelo setor de endemias. Neste ano, foram registrados casos de dengue em 19 Bairros do Crato. O maior percentual está na Vilalta, com 15 % das 632 notificações. O Parque Recreio vem em segundo lugar, com 13 %. O restante está distribuído nas comunidades do Seminário, Alto da Penha, São Miguel, Pinto Madeira, Zacarias Gonçalves, Parque Grangeiro e Ossian Araripe. Marcos Aurélio informou que é intenção, até o mês de junho, quebrar a cadeia de transmissão da doença em toda a cidade. Aguarda, para isso, a chegada dos recursos (100 mil reais) solicitados pela Secretaria Municipal de Saúde ao Ministério da Saúde.

Residências sustentam 95% dos focos de dengue em Juazeiro Chagas Lima Apesar das constantes campanhas realizadas, com objetivo de conscientizar a população quanto à necessidade de se reduzir casos de dengue no município de Juazeiro do Norte, a impressão que se tem é que não tem surtido muito efeito. “Iniciamos 2012 com um princípio de epidemia, sendo preciso o apoio do governo do estado, que enviou oito carros fumacê, combatendo o mosquito transmis-

sor da doença. Não atingiu ainda o índice preconizado pelo Ministério da Saúde, ou seja, índice de infestação de 1%. Entre 1% e 3% é médio e, acima disso, considerado caso grave”, diz o supervisor de endemias de Juazeiro, José Valter Ferreira Bonfim. Segundo ele, equipes do Departamento de Endemias utilizam dois carros fumacê, desenvolvendo ações onde existe suspeita de transmissão da dengue. Acrescenta que o ano de 2012 começou com 1,4% de

infestação (situação média), mas mesmo com o trabalho emergencial que foi realizado, observa-se que não houve uma redução dos casos de dengue como se imaginava. Pelo contrário, houve um avanço. Atualmente, os bairros que apresentam maior número de infestação são: Aeroporto (20 casos confirmados); Pirajá (32); Franciscanos (42); Centro (12); Parque Triângulo (38); Parque Antônio Vieira (57); Romeirão (21); Salesianos (75); São Miguel

(47); Tiradentes (45). “Hoje temos na zona urbana 1.625 casos de dengue confirmados e 608 notificados. Já algumas localidades da zona rural, como Vila Padre Cícero (Palmeirinha), Vila Marrocos, Sítios São Gonçalo, Catolé, Chumbada, Leite, registram um total de 626 casos, conforme o setor de epidemiologia”, relata José. O aumento dos casos de dengue este ano em Juazeiro do Norte, deve-se às chuvas registradas no mês de dezembro de 2011. “Na-

quela ocasião, já prevíamos que poderia ocorrer um aumento de casos de dengue. E foi exatamente o que aconteceu. É que os ovos do mosquito Aedes Aegypti permanecem em depósitos vazios que podem acumular água, até durante um ano ou mais. Então, em muitos desses depósitos houve a eclosão de mosquitos aumentando os casos de dengue”, explica o supervisor de endemias. Segundo José Valter, 95% dos focos de dengue

são encontrados dentro dos domicílios, ou seja, de dentro de casa para o quintal, principalmente em caixas d’ água e outros depósitos que não são vedadas corretamente. “Todos os depósitos devem ser mantidos vedados e não apenas tampados, porque não adianta ter uma caixa d’ água apenas coberta. Tem que ser colocada também uma tela, porque somente tomando esses e outros cuidados é que poderemos diminuir a dengue”, apela.


Cidades 9

REGIÃO DO CARIRI(CE), DE 01 A 07 DE MAIO DE 2012

PREJUÍZOS

Falta de incentivos e chuvas ameaça produção de rapadura no Cariri

Samuel Macedo

Aglécio Dias

A

os poucos eles vão chegando. Já passa das dez da manhã, um pouco tarde para começar o trabalho, principalmente por causa do calor. Mas os trabalhadores não precisam chegar tão cedo, conseguem dar conta da tarefa do dia antes que o sol se esconda atrás da serra. O trabalho é pesado, mas os funcionários do engenho Santa Terezinha, em Barbalha, assim como a máquina de moagem, centenária, conseguem produzir os dois mil quilos diários de um dos alimentos mais tradicionais do Ceará: a rapadura. A produção de rapadura no Nordeste é secular. Inicio-se junto com o Ciclo do Açúcar, ainda no tempo do império e fez do Ceará o maior fabricante do produto no país, tendo o Cariri como destaque nessa produção.

Mas, ao longo dos anos, a região e o Estado viram essa cultura definhar, ao ponto de quase desaparecer. Para se ter uma ideia, no inicio do século passado, somente na cidade de Barbalha, existiam mais de 126 engenhos de rapadura, segundo os atuais proprietários de engenhos, e hoje esse número não passa de seis ou sete, ainda em funcionamento. Filho de uma família tradicional de “senhores de engenho”, o dono do Sitio Santa Terezinha, Antônio Sampaio se emociona quando fala dos tempos em que os engenhos tinham vida, onde os trabalhadores realizavam suas funções com alegria e a comercialização das rapaduras e batidas ultrapassavam o continente. Seu Antonio, que recebeu o engenho de seu pai, já não acredita na sobrevivência dos engenhos na região. Os motivos para essa descrença são muitos. Falta

incentivo do governo, falta interesse dos empresários, faltam empregados e, principalmente, falta de chuva. “Tá chegando o momento em que não poderemos mais sobreviver dos engenhos de rapadura. A cana-de-açúcar tá falida na região. Isso sem falar que não vem nenhum incentivo da parte governamental”, lamenta. O declínio da produção já era um problema, mas uma decisão da Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace) trouxe ainda mais preocupação para os agricultores. É que o órgão notificou os produtores de cana de açúcar e de rapadura para regularizarem seus engenhos, que, de acordo com uma normativa do Conselho do Meio Ambiente, devem se enquadrar como indústria, não mais como produtores agrícolas ou artesanais. A notícia pegou de surpresa os

n Além da falta de chuva, os produtores reclamam da ausência de incentivo dos governos Federal e Estadual

produtores, que entendem o engenho como sendo apenas um processador de cana de açúcar, e não usina como determina o Conselho Estadual. “Isso foi novidade para gente, pois não sabíamos que estávamos enquadrados

como indústria. Até porque, os engenhos tem estrutura arcaica, que é do tempo do império”, comentou João Averardo de Albuquerque Sampaio, produtor de cana-de-açúcar no Sítio São Pedro em Barbalha.

Para os produtores, a informação pode ser o tiro de misericórdia para os engenhos, pois a situação que já estava complicada, agora ficou pior, principalmente porque terão que investir para se regularizarem.

Cultura do pequi pode desaparecer Chagas Lima A cultura do pequizeiro corre o risco de desaparecer não só na região do Cariri, mas em todo o Nordeste, tendo em vista que os recursos naturais, tanto a flora quanto a fauna, como a água, vêm sendo muito depredados e não conservados. Tanto por quem vive na zona rural como na zona urbana dos diversos municípios, onde os pequizeiros são cultivados, provocando constantes desmatamentos que agridem negativamente o meio a ambiente. “O desmatamento indiscriminado faz com que o solo fique desnudo. Em conseqüência disso, muitas vezes a fauna fica desprotegida. Muitos roedores naturais, que antigamente existiam e funcionavam como propagadores das sementes de árvo-

res, não existem mais”, diz o engenheiro agrônomo Adonias Sobreira. Segundo ele, associado a esse fato, as queimadas indiscriminadas na região do Cariri, reduz a cobertura florística, não somente do topo da Chapada do Araripe, mas também de sua encosta, principalmente, no terço superior. Lamentavelmente, conforme Adonias, não temos uma política consistente e duradoura para que todos os municípios do Cariri tivessem um horto florestal. Por esta razão, espera-se que trabalhos de pesquisa e assistência técnica desenvolvidos pelas universidades e outras instituições venham melhorar o nível educacional, tanto das pessoas residentes na zona rural como na zona urbana. Fazendo com que não somente os pequi-

Samuel Macedo

va florestal, é que dá recarga de água aos nossos aqüíferos, principalmente, para algumas cidades, como é o caso de Juazeiro. Cada vez mais estamos observando que esse nível freático está baixando”, afirma o engenheiro agrônomo.

Pequi

n Os pés de pequi estão cada vez mais raros

zeiros, mas diversas outras árvores, que estão cada vez mais difíceis de encontrar na região do Cariri sejam recu-

peradas adequadamente. “Sabemos que o todo da Serra do Araripe, com seus 38 mil hectares de reser-

De acordo com Adonias Sobreira, o pequizeiro é uma planta que não possui um percentual de germinação com muita facilidade. “O caroço do pequi tem um tegumento que o envolve, necessitando, muitas vezes, de ter a sua membrana quebrada para que a umidade entre na semente e venha a germinar”, explica. Acrescenta que a cidade do Crato tem um horto florestal que há muitos anos vem produzindo mudas de pequi. Mas isso

não é suficiente para suprir todo o Cariri. As prefeituras de outros municípios têm de produzir mais mudas, para que toda a região volte a ter muitos pequizeiros novos. Com relação às mudas de pequi que estão sendo replantadas na região do Cariri, Adonias Sobreira diz desconhecer que existe enxerto em pequi. “Quando a gente sabe que se tem uma planta enxertada, ela reduz o tempo em termo de produção. Mas de uma forma generalizada, o pequizeiro começa a produzir frutos a partir do quarto ou quinto ano, pelo fato de não ter um crescimento tão rápido. Mas isso varia muito, porque depende também da quadra invernosa. Quanto tem chuva, as plantas crescem com maior rapidez”, comenta.

Lar do Ancião Feliz Dona Dondon fecha as portas Ingrid Monteiro Nascer, crescer, amadurecer, envelhecer e morrer são mudanças que fazem parte do ciclo da vida, que agem independente da vontade humana. Torna-se preciso aprender a conviver com estas transformações impostas pelo tempo, sobretudo em relação à terceira idade. Mas como defini-la? De acordo com a Lei Federal nº 8.842/94, o idoso é a pessoa que possui mais de 60 anos de idade. A região do Cariri conta com dezenas de instituições como estas, que atendem as necessidades desse segmento etário, por meio do trabalho de funcionários

capacitados. Em Juazeiro do Norte, ao longo dos últimos anos, muitos abrigos foram construídos sob a coordenação de pessoas que identificaram na cidade a grande demanda para este serviço. É o caso da enfermeira aposentada Francisca Benício, que possui uma história marcada pelo seu empenho em ajudar idosos que precisam de acolhimento. Desde a mocidade, Francisca sonhava em construir o seu próprio lar para idosos, onde pudesse acolher e cuidar da maior parte de pessoas possível. “Trabalhei por muito tempo em hospitais em Fortaleza, mas quando vinha a Juazeiro e via

aqueles velhinhos doentes, pedindo esmolas nas ruas da cidade, sentia que precisava fazer algo por eles”, explica. Após muitas orações e pedidos, Francisca Benício alcançou seu grande desejo por meio da ajuda do seu amigo Francisco Cornélio, que lhe ofereceu uma casa para a Fundação do Lar do Ancião Feliz Dona Dondon, inaugurado ainda na década de 80. Hoje, depois de 25 anos de atividade, a instituição fecha as suas portas. No entanto, a aposentada, hoje com 74 anos, garante que continuará a cuidar dos idosos, que serão transferidos para o núcleo de sua propriedade, localizado no

bairro Tiradentes. A sua instituição atende aproximadamente 25 pessoas e consegue se manter através de doações e solidariedade de pessoas como a professora Tereza Neuma, que não deixa de fazer as suas doações todos os anos. “Fiquei emocionada em saber que o Lar do ancião estava fechando, mas fiquei sabendo da existência dessa casa coordenada pela Francisca Benício, que desenvolve um trabalho lindo ao acolher todos esses idosos”, declara. “Ajudar a estas pessoas é muito importante, pois o sentimento de partilha é bastante gratificante”, finaliza emocionada. De acordo com os dados do censo 2010, divulga-

ALFARMA, a primeira farmácia de manipulação genuinamente Cratense. Diretora Técnica

Drª Fabiana Pereira Rodovalho Alencar Gomes O periódico do Cariri independente

Ligue e anuncie (88)3511 2457

Rua Senador Pompeu, Nº 429 - Centro - Crato-CE Fone/Fax (88) 3253.1080

dos pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a expectativa de vida do brasileiro está maior, ou seja, nos últimos anos, o número de idosos está aumentando. Segundo projeções, a população idosa brasileira deverá triplicar nas próximas quatro décadas, aproximadamente 20 milhões, em 2010, para cerca de 65 milhões, em 2050. Dado significativo que desperta o interesse de diferentes áreas da sociedade. O envelhecimento da população representa não só uma profunda transformação demográfica, mas também socioeconômica. Na maioria das vezes, a pessoa idosa necessita de cuidados

especiais, mas nem sempre os familiares conseguem atendê-los devidamente por conta dos compromissos profissionais ou até mesmo condições financeiras. Desta forma, o serviço oferecido pelas instituições de longa permanência (abrigo, asilo, lar, casa de repouso, clínica geriátrica) é considerado uma boa possibilidade para atender de forma integral os seus entes queridos. Estes estabelecimentos, particulares ou públicos, proporcionam desde a alimentação até o atendimento médico, psicológico, fisioterapeuta, além do acolhimento necessário por meio do convívio social e atividades recreativas.

ANTONIO M. LACERDA – ME CNPJ: 10.658.608/0001-61 Torna público que recebeu à Superintendência Estadual do Meio Ambiente – SEMACE Licença de Operação para Comercio Varejista de Madeira e Artefatos, na Rua. Monsenhor Rocha, Nº 73, Bairro Centro no Município de Potengi – CE. Foi determinado o cumprimento das exigências contidas nas Normas e Instruções de Licenciamento da SEMACE.


Social

Cultura

10

REGIÃO DO CARIRI(CE), DE 01 A 07 DE MAIO DE 2012

POR WALESKA MARROCOS

AGRADECIMENTO ESPECIAL

Sociedade em Foco PARABÉNS!!!

waleskamarrocos@jornaldocariri.com.br

21 ANOS DE CARREIRA

Foi nos salões do Crato Tenis Clube que Hugo Linard comemorou os seus 65 anos de vida. Em um agradecimento especial, ele escreveu a nossa coluna: “Com enorme gratidão me dirijo a todas as pessoas que proporcionaram a comemoração dos meus 65 anos, 60 dos quais dedicados à música. Agradeço em especial a Deus, presente na minha fé; a amiga Socorro Moreira, idealizadora e organizadora do evento; aos amigos músicos que contribuiram com suas talentosas participações, incluindo os integrantes da orquestra Azes do Ritmo; a diretoria do Crato Tênis Clube; aos meus familiares e todas as pessoas que com suas presenças e alegria prestigiaram a festa”. Uma noite inesquecível para um artista maravilhoso. Parabens!

Com uma linda festa, Cely Martins e Daniel Alencar comemoraram o aniversario de seis anos de Daniel Filho. Daniel brincou muito com seu irmão Mateus e todos os coleguinhas que se divertiram a noite toda... Parabéns!!!!

Meu querido DJ Jorjão comemora seus 21 anos de carreira com um super CD. É musica pra dançar a noite inteira... Adorei.

FASHION

COQUETEL- DESFILE

LINDO!

Belas e sofisticadas. Assim são minhas queridas amigas Sally e Kamily. Na foto com a linda Giullia, que segue os passos da tia quando o assunto é moda. Bom gosto!

A empresária Roberta Sampaio reuniu a mais fina sociedade caririense para a inauguração de sua loja na cidade de Juazeiro. Os convidados conferiram os lançamentos em um desfile. A recepção foi inpecável. A loja é a expressão do bom gosto, sofisticação e glamour. Na foto, Roberta com seu filho Miguel e seu esposo Mauro Filho.

Quem esteve visitando nossa região foi o ex-BBB Jonas Sulzbach. Muito gentil e cortez, ele atendeu todos os pedidos de fotos e autógrafos. Lindo!

BRINCANTES

Terreirada reúne grupos de tradição popular Raphael Barros Primeiro é preciso uma mangueira para regar todo o terreiro, método utilizado para que a poeira não suba durante a apresentação. Depois de tudo pronto, grupos de diversas tradições populares do Cariri entram em cena. É a terreirada. A iniciativa desta vez contou com três dias de festa (sábado, domingo e segunda), montada pela ONG Base Educultural de Ação e Trabalho de Organização Social (Beatos), com sede no Crato. De uma linhagem brincante herdada da vó e da mãe, Mestra Wanda comanda a Lapinha Santa Clara, que este ano vai completar cem anos. A apresentação do grupo, com-

posto por 34 crianças, revive o nascimento do menino Jesus e a posterior fuga da família (Jesus, Maria e José) para o Egito. “Esse tipo de evento é muito importante, porque a gente está tentando ser reconhecido, a gente mal sai de Juazeiro do Norte. Quando tem um evento fora da cidade, as meninas do grupo ficam entusiasmadas para se apresentar”, se emociona Wanda. Para o produtor musical e músico, Betão Aguiar, a Beatos surge no Cariri como um novo espaço onde os grupos tradicionais podem se apresentar como antigamente, nos terreiros das casas. “São as matrizes culturais do nosso país. Isso influenciou Luiz Gonzaga,

Gilberto Gil, Alceu Valença e Fagner. Perceber que esses movimentos tem influência direta na música de artistas passados e contemporâneos é importante para entendermos nossa identidade cultural” explica. Segundo a sócia fundadora da Beatos, Dane de Jade, a ONG vem trabalhando com o intuito de fomentar as manifestações da cultura popular que são tão presentes na região. As terreiradas agregam todos os grupos em forma de festa. “Mas vai para além disso, antes do evento, tem toda uma ação proposta dentro do espaço, como oficinas para confecção das vestimentas dos grupos”, conclui Dane. Samuel Macedo


Grandes Nomes 11

REGIÃO DO CARIRI(CE), DE 01 A 07 DE MAIO DE 2012

MARIA DA SOLEDADE LANDIN, A MARICA MACEDO DO TIPI Ela ficou conhecida como uma das matriarcas do Cariri, mulheres valentes que desafiaram a sociedade da época, igualando-se aos homens em poder, coragem e capacidade de lutar. Mas, Dona Marica Macedo passou à história também por sua relação com um dos episódios mais controversos do Cariri: a invasão de Aurora.

M

aria da Soledade Landin nasceu em 1865, mas há dúvidas sobre o local exato onde isso ocorreu. Segundo a professora Glória Maria do Ramos Tavares em seu artigo “Papel das Mulheres na sociedade”, publicado em http:// www.aurora.ce.gov.br/cultura/texto. asp?id=84, ela teria nascido em Aurora, mais precisamente no Distrito de Tipi. Já o texto baseado na pesquisa “Matriarcas do Ceará”, de autoria de Rachel de Queiroz e Heloísa Buarque de Hollanda, apoiado nas informações de Joaryvar Macedo em “A estirpe de Santa Tereza” e postado por Jonas Klebio Landim Santana, no site http://familiavasqueslandim.blogspot. com.br/2011_08_01_archive.html,explica que ela teria nascido “em Missão Velha, no Sítio Gameleira, logo mudando-se para Aurora, onde se casou com José Antônio Macedo, ou Cazuza Macedo dos Terésios”. Deixando de lado a questão do local de nascimento, o estudo “Matriarcas do Ceará” narra que o marido de Dona Marica morreu cedo, “deixando-a com cerca de dez filhos ainda pequenos, nove homens e uma mulher, Joana da Soledade, a preferida de Dona Marica”. Mas, ela não ficou só por muito tempo. Voltou a casar-se, apesar da oposição dos filhos, com Antônio Abel, oriundo de Barbalha, junto à Serra do Araripe. Ele, também viúvo, conhecido por sua burrice incomum, sua tolice sem tamanho e sua grande ingenuidade. Quando os filhos alegaram junto à mãe a imbecilidade do padrasto, ouviram esta resposta ríspida: -”Não quero saber se é besta, não quero saber de nada. Quero saber que ele me dê o que eu quero”. Segundo o estudo, “a cerimônia do casamento de Marica foi uma verdadeira apologia ao entrelaçamento de famílias. Casaram-se, conjuntamente, seu irmão, Manoel Inácio da Cruz (Sobrinho-Neto de seu homônimo, sendo este homônimo pai do Major Liberato Manoel da Cruz pg 1093), com Maria Abel, filha de Antônio, e Raimundo Macedo, o Mundoca, filho de Marica, com a prima, filha de Manoel Inácio da Cruz. A festa realizou-se no dia 3 de janeiro de 1903, em Lavras”.

Contemporânea de outra matriarca caririense, Dona Federalina, historiadores ressaltam que as duas tinham uma espécie de aliança de defesa mútua que ia desde a ajuda com cabras, em determinadas questões, até o acobertamento de parentes que tivessem cometido crimes.

Embora lideranças reconhecidas em seus territórios, elas não alimentaram nenhuma rivalidade. Tinham em comum, inclusive, muitos traços de personalidade. De acordo com o perfil traçado em “Matriarcas do Ceará”, “ambas eram situacionistas ferrenhas, sempre no partido do governo, e exerciam com grande violência o seu matriarcado”. A notoriedade de Marica, no entanto, está diretamente ligada à “Questão de 1908”. Para se entender melhor o que aconteceu, é preciso uma explicação que está em outra postagem de Jonas Klebio Landim Santana , no site http://familiavasqueslandim.blogspot.com. br/2011/09/d-marica-macedo-e-invasao-de-aurora.html , em texto extraído do livro “Aurora – História e Folclore”, do escritor Amarílio Gonçalves Tavares e Capturado de: http://www. aurora.ce.gov.br/cultura/texto.asp?id=93 em 10 de setembro de 2011.“Em 1908, exercia a Intendência Municipal de Aurora o ‘coronel’ Antônio Leite Teixeira Netto, vulgo Totonho Leite. Totonho havia substituído o seu sobrinho Antônio Leite de Oliveira, grande amigo de José Antônio Macedo, finado marido de Dona Marica. Até então, Dona Marica Macedo e o Coronel Totonho eram correligionários no âmbito estadual, de vez que apoiavam a mesma facção política, que era a de Nogueira Acioli, presidente do Estado, mas adversários a nível municipal, pois havia disputa pela chefia do município”. O próprio Amarílio Gonçalves Tavares reconhece que era de estranhar que houvessem divergências entre Dona Marica e o Coronel. Totonho, “pois havia estreitos laços de parentesco entre os dois: Ana Isabel de Macedo, Naninha, esposa de Totonho Leite, era sobrinha de José Antônio de Macedo, primeiro marido de Dona Marica, e a única filha mulher de Dona Marica, Joaninha, era casada com Vicente Leite, filho do mesmo Totonho Leite”. “O município de Aurora limitava-se com o de Milagres, no sítio Taveira. Ali viviam os Santos, que pertenciam ao rebanho eleitoral do Coronel Domingos Furtado. As autoridades de Aurora, que eram Antônio Leite Teixeira Netto (Intendente Mu-

nicipal), Manuel Gonçalves Ferreira (1º Suplente de Juiz) e Róseo Torquato Gonçalves (Delegado), já faziam planos de atacar o Taveira, tendo em vista a prática, por pessoas dali de agressões, ora às pessoas, ora ao patrimônio de correligionários do Coronel Totonho. Estas autoridades não tinham mais o que esperar, diante do esbulho causado pela demarcação do Coxá”. O texto prossegue: “Um grave incidente foi o espancamento de um correligionário do Coronel Totonho, de nome José Gonçalves Pescoço, praticado por dois filhos de Dona Idalina Santos, cunhada de Seu Cândido do Pavão, revidando agressão sofrida tempos atrás por Joaquim dos Santos. Ante a queixa apresentada por Gonçalves Pescoço, o delegado Róseo Torquato fez o processo e tratou de prender os Paulinos. O Coronel Cândido transferiu os sobrinhos para o sítio Taveira, onde o “coronel.” Domingos os garantiria”. “Em dezembro de 1908, observou-se movimentação de jagunços na faixa Taveira Coxá, em vista do trabalho de demarcação coordenado por Floro Bartolomeu. Por esse tempo, correram rumores de que os homens reunidos no Taveira preparavam-se para atacar Aurora, em represália à ofensa causada a Joaquim dos Santos”. “Manuel Gonçalves chamou Róseo Torquato e lhe disse:-“Antes que eles venham almoçar aqui, vamos tomar o café lá”. O número de capangas a serviço de Totonho Leite era insignificante. Sem um número de guarda-costas com os quais pudesse enfrentar um inimigo que se sabia ser extraordinariamente forte, Teixeira Netto pediu e conseguiu do presidente Nogueira Acioli a vinda dos destacamentos policias de Iguatu e Lavras, num total de 60 praças sob comando do tenente Florêncio. A pretensão do coronel Totonho era capturar os homens que haviam espancado seu correligionário Gonçalves Pescoço e que se achavam refugiados no Taveira, em casa do Capitão José dos Santos”.

Como explica o escritor Amarílio Gonçalves Tavares, “Dona Marica Macedo – peça chave do episódio – foi avisada pela filha Joaninha de que a sua propriedade Tipi seria atacada. A fim de pedir apoio ao Cel. Antônio de Santana e a João Raimundo de Macedo (Joça do Brejão), seus parentes, ela retirou-se com a família, a cavalo, para Missão Velha, indo pernoitar no Taveira, exatamente de 16 para 17 de dezembro de 1908”.

Segundo o texto, quando a força policial chegou ao Taveira, na madrugada de 17 de dezembro, foi recebida a bala. Houve um tiroteio que durou das três horas da manhã até uma da tarde. Quando os tiros começaram, todo mundo cuidou de correr para dentro de casa. “José Antônio, de 14 anos, filho de Dona Marica, lembrou-se do cavalo que estava amarrado num pé de juá, e correu para soltá-lo. Não deu tempo, e o rapaz, estando do lado de fora, foi mortalmente atingido por uma bala”. Marica não se deixou abalar. Aos filhos que choravam a morte do irmão disse: “Não, deixa disso. Encosta ele num pé de parede e vamos lutar”. E ela mesma levou o filho até a parede, retornando à briga. Ainda de acordo informações de Amarílio Gonçalves Tavares, a morte do filho, naquelas circunstâncias, desencadeou a fúria de Dona Marica Macedo, que, incontinente, foi se valer de Doutor Floro Bartolomeu, que se encontrava nas ime-

diações. “Doutor Floro foi com Dona. Marica até a presença de Domingos Furtado, e este, sob as alegações de Floro, redigiu um telegrama, para o presidente Nogueira Acioli, pedindo a retirada da tropa estacionada em Aurora. No referido telegrama, que foi assinado por Domingos Furtado, José Inácio e Antônio Joaquim de Santana, e opropósito era destruir a sede do município. Imediatamente, - na mais evidente demonstração de pusilanimidade, Nogueira Acioli – apelido de Babaquara, ordenou a saída do contingente policial”. Por sua vez, Marica Macedo contava com o apoio dos seus parentes Antônio Joaquim de Santana e João Raimundo de Macedo, bem como dos amigos Domingos Leite Furtado e Zé Inácio do Barro, junto aos quais instou para que atacassem Aurora e derrubassem da chefia municipal o Coronel Teixeira Neto devendo, para esse fim, reunir o maior número possível de homens armados. Assim sendo, na véspera do ataque à Aurora, estavam concentrados no Barro cerca de 600 homens armados – do cabra ao cangaceiro – vindos, a saber, de Milagres (Domingos Furtado), Missão Velha (Antônio Joaquim de Santana), Barbalha (João Raimundo de Macedo), Barro (José Inácio de Souza), Juazeiro (Floro Bartolomeu), Brejo dos Santos (Chico Chicote), Porteiras (Raimundo Cardoso dos Santos), Santana do Cariri (Felinto da Cruz Neves), Lavras (Gustavo Augusto Lima) e Caririaçu (Padre Augusto Barbosa de Menezes). Por ordem do presidente Acioli, a tropa foi evacuada na manhã do dia 23 de dezembro, de modo que, às 4 horas da tarde, um verdadeiro exército de bandoleiros pôde entrar na sede municipal, sob o comando do “major” José Inácio. A jagunçada entrou em Aurora sem encontrar qualquer resistência porque embora a vila de Aurora tivesse uma população de pouco mais de mil pessoas, no dia da invasão estava vazia. A maior parte da população retirou-se para os sítios e fazendas. Quem não fugiu sofreu as mais terríveis violências, com perseguições aos parentes e amigos de Totonho Leite e Manuel Gonçalves. “Houve assaltos a residências e casas comerciais, cujas portas foram arrombadas a coices de rifles e a golpes de machado, valendo salientar que os roubos se estenderam às propriedades rurais, onde foram depredadas, pilhadas e varridas por incêndios, nada menos de vinte e cinco fazendas, em cujo número, se incluíam todas as propriedades do Coronel Totonho”. Depois de ter conseguido reunir seu exército de cabras, Marica Macedo ganhou o respeito do povo e dos coronéis, tendo sido uma das únicas mulheres, senão a única na época, a ocupar um cargo de decisão. Quando seu filho, Antônio Macedoesteve à frente da prefeitura, de 1919 a 1921,o município foi dividido em partes para ser melhor administrado. Coube uma dessas áreas, a que se estendia em direção à Paraíba, à Marica, que aliás foi excelente administradora.

Magra, rosto fino, onde se destacava um nariz grande, comprido e afilado, estatura mediana, tinha uma riqueza apoiada no tripé engenho/agricultura/pecuária, que orientava a produção de suas propriedades. Fez do Tipi um famoso coito de cangaceiros, esconderijo perfeito para o espaço ocioso entre uma pilhagem e outra; com eles Marica mantinha ótimo relacionamento, tendo-os à disposição sempre que precisasse.

A matriarca dos Macedo teve estranha morte, no dia 6 de janeiro de 1924. Muito religiosa,Marica rezava todos os dias, e em suas preces diárias, pedia que Deus lhe concedesse a graça de jamais ver a morte de outro filho. Certo dia foram chamá-la às pressas no Tipi, pois Joana estava muito doente. As preces de Marica não foram em vão: quando entrou no quarto da filha, foi acometida de estranho ataque que a levou à morte instantânea. Não viu morrer a filha, que só veio a falecer três ou seis dias depois. Quando foi feita a exumação dos ossos de Marica, encontraram sua dentadura na altura das costelas. Acredita-se que morreu asfixiada após engolir os dentes postiços.

PESQUISA:

http://familiavasqueslandim.blogspot.com.br/2011/08/maricamacedo-do-tipi.html http://familiavasqueslandim.blogspot.com.br/2011/09/dmarica-macedo-e-invasao-de-aurora.html

http://cariricangaco.blogspot.com.br/2010/05/cariri-cangacovisita-o-tipi-de-marica.html http://www.aurora.ce.gov.br/cultura/texto.asp?id=84


Esporte/Cidades 12

REGIÃO DO CARIRI(CE), DE 01 A 07 DE MAIO DE 2012

TOQUE DE PRIMEIRA CÍCERO NICÁSSIO ESTACA ZERO O Guarani está acéfalo após a

renúncia do presidente José Moura. O vice, Cícero Davi, assumiu o time. Mas diante de tantas dificuldades financeiras, o vice também renunciou. A torcida leonina aguarda com ansiedade que o Conselho Deliberativo marque as eleições. O nome mais cotado é de Luciano Basílio, que já dirigiu o clube há cinco anos. A próxima diretoria do Guarani precisa de muita habilidade para mudar rapidamente esse momento de transição, onde tudo parte da estaca zero.

PAULISTÃO

Jogar com o regulamento embaixo do braço. Essa frase é muito usada por alguns comentaristas de futebol. O Corinthians, na fase classificatória, somou mais pontos do que a Ponte Preta. A vantagem do Timão era jogar em casa, mas o tiro saiu pela culatra e a Macaca, depois de alguns anos, chegou na semifinal do Paulistão.

ERRO PRIMÁRIO

Imperdoável o erro cometido pela supervisão do time do Crateús. Contagem de cartões é uma coisa primária no futebol. Dizem que tudo acontece com o Ferroviário em termos negativos, mas nesse momento a torcida do Ferrim comemora a permanência do time na primeira divisão. No tapetão, o nocauteado ganhou a luta.

CONTRATAÇÕES

A torcida do Icasa aguarda com ansiedade as novas contratações para a série C. O treinador Tarcisio deverá apontar alguns jogadores da sua confiança para formar um elenco de qualidade. A diretoria do Verdão trouxe de volta Ocilio Guru para auxiliar nas contratações, já que Guru tem trânsito livre em vários clubes do futebol brasileiro.

CALENDÁRIO

O futebol cearense tem um ótimo calendário para o segundo semestre. O Ceará trouxe de volta o treinador P.C. Gusmão, que deu uma nova cara para o time. O Fortaleza, pela estrutura que tem, pode voltar para a série B, o treinador Nedo Xavier pode ajudar muito pela experiência que tem. O Icasa, além da queda para série C, fez um péssimo campeonato cearense. A exemplo do Verdão, o Guarany de Sobral não ficou atrás e fez uma campanha vergonhosa no estadual. O time do Horizonte pela base que tem, poderá surpreender na série D.

n SEGURANÇA ELETRÔNICA

n ZELADORIA

n PORTARIA

n TERCEIRIZAÇÃO DE SERVIÇOS

Travessa Slino Duda, 59 - Bairro Santa Teresa - Juazeiro do Norte - CE

Peça já seu orçamento sem compromisso

A Rádio Mais Popular do Brasil www.somzoom.com.br

• Cargas e Encomendas Urgentes para o Sertão Central, Cariri, Baixo Cariri e Chapada do Araripe, DIARIAMENTE. • Filiais: Quixadá, Quixeramobim, Senador Pompeu, Mombaça, Acopiara, Iguatu, Várzea-Alegre e Juazeiro do Norte.

Fortaleza-CE 85.3295.7878 Avenida Padre Cícero, 2200 Galpoes 4 e 5 - Triangulo Juazeiro do Norte-CE

88.3512.7164 / 3512.8980

w w w. b i rd e x p re s s . c o m . b r

AUTOMÁTICOS, CERCA ELÉTRICA, PORTEIRO E VIDEO PORTEIRO, INTERFONE, PABX, CFTV. TUDO EM ATÉ 10X NO CARTÃO VISA SEM JUROS CHEQUE E CARNÊ. RUA DELMIRO GOLVEIA, 942 - SALESIANOS FONE/FAX: (88) 3512-1100

TRAGÉDIA

Motos causam 90% dos acidentes de trânsito no Cariri Raphael Barros

T

udo começou em 19 de abril de 2002, APOIO: quando a mulher de um colega morreu e ele guardou o convite da missa de sétimo dia dela, conhecido também como santinho. Outras pessoas foram morrendo e ele não parou de guardar os santinhos, virou uma coleção. Roberto Brito, 44, taxista há 18 anos, tem mais de cinco mil desses convites, dos quais mais de mil são de pessoas que morreram em acidentes de moto. Mas esses não são números corretos, porque nem sempre é possível ir a todas as missas. “Às vezes, eu passo na casa da pessoa para uma visita de condolência e pego um santinho, às vezes, as pessoas me procuram para entregar, porque sabem que eu coleciono. Tem gente que vai para missa n Álcool e imprudências matam e joga o santinho no lixo. Eu não, eu guardo. Quando Indenização alguém me procura no posO seguro chamado Dato de táxi onde trabalho, na nos Pessoais Causados por Praça Cristo Rei, no Crato, e Veículos Automotores de Via não me encontra, deixa com Terrestre (DPVAT) serve para algum colega meu”, explica o indenizar vítimas de acidente taxista. de trânsito. O número total Este ano, Roberto já de mortes registradas no Norpegou muitos santinhos de deste por acidente de motocigente que morreu em aci- cletas chega a 4.500, em 2011, dente de moto. “É uma fre- com gasto avaliado pelo seguquência grande, todo dia tem ro de R$ 65.394.717 gente morrendo por causa de Existem três tipos de moto. Até agora, abril, tenho cobertura do DPVAT: morte, uns 50. Quase todos os aci- invalidez permanente e dadentes que eu tenho notícia nos (reembolso de despesas estão ligados ao consumo de médicas hospitalares). No álcool e ao não uso de capa- caso de morte, o valor da incete”, lamenta. denização é R$13.500 por vítima (o dinheiro é entregue aos Dados herdeiros legais); o prazo para Segundo levantamento pedir o seguro é de três anos, feito pelo Departamento de a contar da data do acidenTrânsito do Ceará (Detran/ te. Com relação à invalidez, CE), de 2002 a 2011, 4.106 mo- o valor é de até R$13.500, de tociclistas morreram em aci- acordo com o grau da sequedentes de trânsito no estado. la da vítima. Já a cobertura de As vítimas não fatais, no mes- reembolso de despesas mémo período, foram 46.193. Os dicas serve para indenizar as números são alarmantes e vítimas com relação a gastos estão ligados diretamente ao com medicamentos, tratamenconsumo de bebida alcoólica to médico, consultas, exames, e a não utilização de capacete. podendo ser pedido o valor de A principal infração registra- até R$2.700, de acordo com as da pelo Núcleo de Planeja- notas fiscais apresentadas. mento e Controle do Detran Qualquer pessoa que é a condução de motocicletas tem veículo é obrigada a pagar sem o uso de capacete. Em o seguro, sendo beneficiados 2010, foram 7.847 autuações. todos os cidadãos. Por exemJá em 2011, 23.040. Com o plo: se sou um pedestre, estou aumento da fiscalização, o na rua e sou atropelado, mesnúmero de autuação também mo não sendo proprietário de cresce e evitam-se mortes. veículo e sem pagar o seguro, Em números mais es- tenho o direito à indenização. pecíficos para a região do O seguro DPVAT conCariri, foram 295 mortes em tribui com a manutenção da 2011, resultado dos 402 aci- saúde pública e a política nadentes com moto registra- cional de trânsito. Do total ardos pela regional do Detran recadado pelo Seguro DPVAT, em Juazeiro do Norte. Até 45% são destinados ao Funo mês de março deste ano, do Nacional de Saúde (FNS), o Instituto Médico Legal para custeio da assistência (IML) de Juazeiro do Norte, médico-hospitalar dos seguque tem ação em 25 municí- rados vitimados em acidentes pios do Cariri, computou 62 de trânsito; e 5% ao Departamortes de motociclistas. Da- mento Nacional de Trânsito dos do IML informam que (DENATRAN), para aplica90% das mortes com relação ção em programas destinados a acidentes de trânsito estão à prevenção de acidentes de ligadas à moto. trânsito.


Jornal do Cariri - 01 a 07 de maio de 2012