Page 1

E OD S ÇÃ A EDI ÁGIN P 16

MomentoE Espírita Jornal do Centro Espírita Amor e Caridade - Ano II - Número 21 - Setembro / 2011 / Bauru-SP

Editora CEAC lança obra de autores bauruenses Carlos Eduardo Luz, membro da diretoria do Centro Espírita Amor e Caridade, e Wellington Balbo, autor de oito obras e participante do programa de rádio Diálogos Espíritas, do CEAC, se uniram para redigir um belíssimo romance fundamentado na Doutrina Espírita. Trata-se da obra “O caminho de Cícera”, que a Editora CEAC lança neste mês pelo Clube do Livro( Pág 13). Em entrevista exclusiva ao jornal Momento Espírita, os autores revelam um pouco mais sobre a obra nas páginas 8, 9.

Jovens espíritas da região se reúnem em Bauru Nos dias 10 e 11 de setembro, 130 jovens das Mocidades Espíritas de Bauru, Lençóis Paulista, Pirajuí, Lins e Promissão vão se reunir em Bauru para promover um grupo de estudos da doutrina. O 13º Encontro Anual de Jovens Espíritas será realizado no Centro Espírita Vicente de Paulo e Centro Espírita Amor e Caridade (CEAC). Na ocasião o tema discutido será “Estar no mundo sem ser do mundo” que aborda o contraste entre vida material e espiritual e como chegar a um equilíbrio. Pág.4

Campanha de fraldas geriátricas O grupo Irmã Sheilla distribui uma média de 1.100 fraldas geriátricas no Hospital de Base e no Pronto Socorro a cada mês, graças ao trabalho dos voluntários carinhosamente chamados de 'amarelinhos' (devido ao jaleco). No entanto, o estoque de fraldas está baixo, com risco de suspensão do apoio aos internados. Não vamos deixar que isso aconteça! Pág. 5

Reportagem Especial: Projeto Gestar

Gestantes aprendem a responsabilidade da maternidade

O Projeto Gestar – Grupo Anália Franco - continua com sua campanha para arrecadação de fraldas de pano. Nesta edição, trazemos uma reportagem especial para você conhecer como funciona o Projeto, de que maneira as gestantes carentes são orientadas e como o voluntariado desempenha um papel fundamental na eficiência do atendimento. Pág. 3

Campanhas do Dia das Crianças

Alegria das crianças custa pouco

Os núcleos de assistência a crianças solicitam a solidariedade de todos em favor dos nossos pequenos tutelados. O Dia das Crianças está chegando, e nada brilha mais o olhinho delas do que um belo e colorido brinquedo! O Projeto Girassol arrecada brinquedos, a Creche Nova Esperança, verba para alugar tobogã e pula-pula. Vamos colaborar! Pág. 5

Paulo Neto vem a Bauru Confirmada a vinda do médium de cura Paulo Neto a Bauru em outubro próximo. Neste mês de setembro, no entanto, já acontecem os passes preparatórios. Faça já sua inscrição na Secretaria do CEAC. Pág.5

Artigos doutrinários “Dissertando a respeito das categorias dos mundos habitados, o Espírito Santo Agostinho discorre a respeito daquela em que a Terra se enquadra, juntamente com uma miríade de outros globos no espaço sem fim...” Leia mais na pág.6 O lenitivo da fé raciocinada - Rubens Chinali Canarim “Como podemos perceber que estamos realizando a transição de mundo de provas e expiação para mundo regenerador?” Leia mais na pag.6 Quero Saber - Nazil Canarim Jr “A senhora encontrou-se com Chico Xavier na rua. Ficou muito feliz. Após alguns minutos de batepapo amigo, o médium convidou: “Vamos tomar um cafezinho no

bar...”. Leia mais na pág.7 Vira um lar - Richard Simonetti “Nosso Lar é uma colônia espiritual, isto é, um local onde se reúnem e vivem espíritos que deixaram o corpo físico através do fenômeno natural da morte. O autor do livro é um espírito que se chama André Luiz...”. Leia mais na pág.7 Nosso Lar - 1º. Resenha das Obras de André Luiz - Aylton Paiva “Analisaremos, no presente artigo, aquelas (questões) que tratam do tema pertinente à escolha das provas por que passará o Espírito em sua próxima reencarnação...”. Leia mais na pág.10 O imprescindível regresso - Renato Chinali Canarim “Uma das maiores dificuldades,

e pedra de tropeço em nossos relacionamentos, são as expectativas que criamos com relação às pessoas...”. Leia mais na página 10 Expectativas - Adeilson Salles “A paternidade e maternidade são sagradas missões que recebemos para desempenhar na Terra. No entanto, muitas vezes não nos damos conta disto...”. Leia mais na pág.11 Tr a b a l h o d e p e s q u i s a d o r e s demonstra que crianças educam os pais - Wellington Balbo “Aquele que violar um destes mandamentos, por menor que seja, e ensinar assim aos homens, será declarado o menor no reino dos céus” – Mateus 5:19- ...”. Leia mais na pág.11 Luzes do Evangelho – Sidney Francez Fernandes


Editorial Ainda que tarde no mundo Desde os primórdios do Cristianismo os cristãos esperam pelo Reino Divino prometido por Jesus, em que a paz e a concórdia se instalarão na Terra, tornando todos felizes para sempre. Periodicamente, emprestando características mágicas aos números inteiros, marcando o início de séculos ou milênios, imagina-se que o Reino está chegando – 100, 500, 1000, 2000… Também os rugidos da Natureza, quando se tornam mais frequentes e intensos, são tomados à conta de sinais de advento do Reino, o que ocorre na atualidade com o suceder de terremotos, tsunamis, tufões, secas, enchentes, deslizamentos de terras, fenômenos que provocam grandes estragos e matam muita gente. Não obstante, seria interessante atentar às afirmativas de Jesus (Lucas, 17:20-21): E, interrogado pelos fariseus sobre quando havia de vir o Reino de Deus, respondeu-lhes, e disse: O Reino de Deus não vem com aparência exterior. Nem dirão: Ei-lo aqui, ou: Eilo ali; porque eis que o Reino de Deus está entre vós.

O mestre sinaliza que, independente do passar do tempo ou dos fenômenos naturais, o Reino é um estado de espírito. Portanto, é fundamental que o Reino se instale no coração humano, a fim de que a bandeira divina tremule na Terra. *** Coletivamente estamos longe de semelhante realização. Basta observar o panorama desolador deste Mundo em permanente conflito, envolvendo indivíduos e coletividades, orientados pelo egoísmo, o grande inimigo do Reino. Mas nada nos impede de instalar o reino em nós, a partir do empenho por exercitar a caridade, a poderosa exterminadora do egoísmo. É essa a orientação da Doutrina Espírita. É para favorecer nossa vitória nesse embate decisivo que o CEAC multiplica-se em atividades no campo da solidariedade, oferecendo-nos a oportunidade de exercitar a caridade em seus departamentos assistenciais, em suas iniciativas no campo do Bem. Assim, como ensina Jesus, estaremos no Reino desde agora, ainda que ele tarde no mundo.

COLABORE COM AS ATIVIDADES DO CEAC DOAÇÕES PARA BANCO DO BRASIL AGÊNCIA 0037-X CC 438.888-7 Expediente Presidente: Mauro Sebastião Pompílio 1º Vice-Presidente: Richard Simonetti 2º Vice-Presidente: Uriel de Almeida Diretor Administrativo: José Silvio Turini Secretário: Carlos Eduardo Noronha Luz Diretor de Divulgação: Leopoldo Zanardi 1º Tesoureiro: Nélson da Silva Bastos 2º Tesoureiro: Munir Zalaf Filho Diretor de Patrimônio: Luiz Aldo Tezani Diretores Auxiliares: Sidney Francez Fernandes, Mônica Bueno de Araújo Dabus Conselho Fiscal: Leda do Carmo Mussel Bastos, Anunciata dos Santos Crepaldi, Ivana Pereira de Sousa Gallo Conselho Fiscal substituto: Márcio Augusto Lopes de Campos, Nazil Canarim Junior, Nelson Sonoda Jini

Momento Espírita Coordenação: Leopoldo Zanardi Editora: Ângela Moraes Reportagens: Lina Martins Giacheti, Mariane Bovoloni e Ana Claudia Tripoloni Projeto Gráfico: Rafael de A. Franqueira Impressão: Fullgraphics Articulistas: Richard Simonetti, Wellington Balbo, Rubens Chinali Canarim, Adeilson Salles, Sidney F. Fernandes, Nazil Canarim Júnior, Renato Chinali Canarim e Aylton Paiva Colaboração: Alcides Fernando Ferreira. Distribuição gratuita Tiragem 3.000 exemplares R. 7 de Setembro, 8-30, Bauru-SP CEP 17015-031. Tel. (14) 3366-3232 - www.ceac.org.br

Pág. 2 - Momento Espírita - Setembro de 2011

Agenda Setembro 05/09 - segunda-feira – 20h 07/09 - quarta-feira – 20h Pinga-fogo com Richard Simonetti ***** Dias 25/09 – domingo – 9h 26/09 - segunda-feira – 20h 28/09 - quarta-feira – 20h Palestras da Yara R. Zalaf Tema: Dias de Luta

Programação do CineClube Amor e Luz Todas às quintas, uma obra especial para reflexão com entrada gratuita para você. Compareça! CIDADE DOS ANJOS: Como pode existir um amor tão grande a ponto de alguém deixar a “eternidade” para ficar com a pessoa amada? O filme mostra o amor incondicional e que vale a pena abandonar-se pela pessoa amada. Título original: City of Angels, com: Nicolas Cage, Meg Ryan, ano de lançamento: Estados Unidos, 1998, Gênero: romance espírita, duração: 114 min, direção: Brad Silberling, indicado ao Globo de Ouro.3 indicações ao Grammy Dia 1 de setembro, quinta-feira, 19h45min. Nota pessoal: Cidade dos Anjos é a refilmagem americana de Asas do Desejo, filme alemão lançado pelo diretor Wim Wenders em 1987. A MORADA DA SEXTA FELICIDADE: Gladys Aylward (Ingrid Bergman), contra o conselho de praticamente todos, não desiste de sua viagem para uma pobre e remota localidade chinesa. Tem um romance com Lin Nan (Curd Jürgens), oficial do exército chinês, mas logo é interrompido, pois Gladys se vê obrigada a guiar crianças chinesas até um local seguro quando o país é invadido pelos japoneses. Neste momento ela descobre seu verdadeiro destino de missionária. Título original: The Inn of the Sixth Happiness, com Ingrid Bergman, ano de lançamento: Estados Unidos, 1958. Gênero: drama. Duração: 158 min. Direção: Mark Robson. Dia 8, quinta-feira, 19h30min. GRANDE MENINA, PEQUENA MULHER: Molly (Brittany Murphy) é uma jovem mimada que vive da fortuna deixada por seu pai, um astro do rock já falecido. Após ter toda sua herança roubada pelo seu contador, ela é obrigada a deixar as regalias de lado e procurar emprego. Molly começa então a trabalhar como babá de Ray (Dakota Fanning), uma precoce garota de 8 anos com quem passa a aprender muito sobre a vida. Com Brittany Murphy, Dakota Fanning, título original: Uptown Girls, ano de lançamento: Estados Unidos, 2003. Gênero: comédia, duração: 94 min. Direção: Boaz Yakin. Dia 15, quinta-feira, 19h30min. O ORFANATO: Laura, 30 anos depois, retorna ao orfanato que viveu. Ela deseja restaurar e reabrir o orfanato, abandonado há vários anos. O local logo desperta a imaginação de Simón, seu filho de 7 anos, que passa a criar contos fantásticos. Entretanto à medida que os contos ficam mais estranhos Laura começa a desconfiar que há algo à espreita na casa. Com Belén Rueda, Geraldine Chaplin, título original: El Orfanato, ano de lançamento: Espanha, 2007.Gênero: drama espírita, duração: 100 min. Direção: Juan Antonio Bayona. 7 GOYA (principal prêmio do cinema da Europa). Dia 22, quinta-feira, 19h30min. E SE FOSSE VERDADE...: David Abbott (Mark Ruffalo) aluga um belo apartamento em San Francisco. Surge Elizabeth (Reese Whiterspoon), que diz que o apartamento é seu e que está convencida de que ainda está viva...Com Reese Whitersponn/Mark Ruffalo. Título original: Just Like Haven, ano de lançamento: EUA, 2005, gênero: comédia espírita. Duração: 95 min, direção: Mark Waters. Dia 29, quinta-feira, 19h30min.


Reportagem Especial Por Lina Giacheti

Grupo Anália Franco faz campanha para arrecadação de fraldas para o Projeto Gestar

Fraldas doadas para o programa

Conhecimento é tudo

O grupo de atendimento a gestantes precisa de fraldas de pano para completar os enxovais que são fornecidos a aproximadamente 500 grávidas que participam do curso de atendimento e orientação do Centro Espírita Amor e Caridade (CEAC). A coordenadora do Grupo, Sheila Ghedine Ribeiro, solicita doação no valor de R$ 10,00 ou dois pacotes de fraldas. Os interessados em ajudar devem procurar Sonia Moreno na secretaria da instituição, à Rua Sete de Setembro 830. O Projeto Gestar – Grupo Anália Franco é uma atividade mantida pelo CEAC com objetivo de acolher e orientar gestantes carentes fornecendo cursos informativos para as mamães e enxovais para os recém-nascidos. Foi fundado por um grupo de voluntárias em 1977 que

detectaram significativo número de gestantes carentes, sendo muitas sem apoio familiar, na periferia de Bauru. De acordo com a responsável pela equipe de treinamento, Rosa Cristina Sasso Perea Martins, a proposta de trabalho conta com aulas presenciais semanais, com duração de duas horas, que fala sobre aparelho genital masculino e feminino; sinais e sintomas da gestação, mudanças físicas e psicológicas; desenvolvimento do bebê, ações maléficas das drogas na gestação; tipos de partos e higiene pessoal pósparto; importância do aleitamento materno, relação pais e filhos; cuidados com recém-nascido, testes e vacinas; planejamento familiar; e hábitos sadios na prevenção das doenças transmissíveis sexualmente.

Grupo Anália Franco

As gestantes que participam das atividades se mostram interessadas nas informações. “Foi uma amiga que me falou do curso e que também doavam enxovais. Achei interessante a orientação. A gente pensa que sabe tudo e não é verdade. Tem muita doença que a gente pensa que não nos atinge e aqui a gente aprende a se cuidar. Tive aulas sobre como o bebê se desenvolve na barriga da mãe e coisas que achava que não tinha explicação e no final acabei entendendo”, contou Clara Pereira Bispo, 29 anos, grávida de sete meses do terceiro filho. Lucia Helena Fernandes, 39 anos, grávida de cinco meses do sexto filho conta que “aprendi muita coisa que pensei que já sabia. Uma delas foi como desenvolvem os bebês na gestação. A informação mais curiosa que descobri é que a partir do quinto mês os bebês dormem, acordam e até sonham dentro da nossa barriga!” Ana Paula Pedro Pereira, 22 anos, grávida de quatro meses do primeiro filho disse, por sua vez, achar muito importante saber como se cuidar durante a gravidez e como cuidar do bebê depois que nascer. “Eu já sabia do serviço. Minha irmã participou do grupo quando engravidou e disse que tinha gostado muito”, frisou.

O programa também faz entrega de um enxoval básico no final do curso que contém um casaco de lã, uma manta, quatro pares de sapatinho, dois macacões, dois conjuntos de camiseta e mijão, cinco fraldas de tecido, dez fraldas descartáveis, um sabonete, dois pares de meias, uma banheira, um travesseiro, um jogo de lençol e fronha e uma toalha de banho. Além disso, faz um acompanhamento pós-nascimento da criança e incentiva a mãe a fazer planejamento familiar e controle de doenças.

Kit bebê pronto para ser entregue

A coordenadora Sheila Ghedine Ribeiro e voluntária na confecção de roupinhas Cristina esclarece que o programa objetiva estimular a aceitação da gestação corrente pela mãe, já que muitas delas engravidaram sem um planejamento prévio. Acrescenta que o acolhimento e a orientação estimulam também os cuidados materno e infantil, o que previne complicações como o aborto, a violência doméstica e abandono. As aulas de orientação e informação são ministradas por 12 voluntárias de diversas áreas profissionais nos núcleos Nova Esperança, Fortunato Rocha Lima, Vila São Paulo, Jardim Ferraz, Ferradura Mirim e na Sede do Ceac. O relatório do

ano passado informa que foram feitas 330 matrículas e entregues 450 enxovais confeccionados por 30 voluntárias.

Voluntárias tricotam peças

Momento Espírita - Setembro de 2011 - Pág. 3


Acontece em Bauru Por Lina Giacheti

Mocidades Espíritas da região fazem encontro este mês em Bauru

Confraternização entre os jovens do último encontro

Nos dias 10 e 11 de setembro, 130 jovens das Mocidades Espírita de Bauru, Lençóis Paulista, Pirajuí, Lins e

Promissão vão se reunir em Bauru para promover um grupo de estudos da doutrina. O 13º Encontro Anual de Jovens Espíritas será realizado no Centro Espírita Vicente de Paulo e Centro Espírita Amor e Caridade (CEAC) no sábado das 13 horas às 22 horas e no domingo das 8 horas às 12h30. Na ocasião o tema discutido será “Estar no mundo sem ser do mundo” que aborda o contraste entre vida material e espiritual e como chegar a um equilíbrio. Nélli Bocca, responsável pela divulgação das atividades do grupo de jovens, explicou que o evento tem o objetivo unir as mocidades espíritas das cidades da regional de Bauru e promover

Precisa-se de voluntários! Na sede: - Para organizar doações no Bazar de móveis; Professor de reforço escolar - No Projeto Crescer (Parque das Nações – horário a combinar); - Na Creche Nova Esperança (horário a combinar) - No Projeto Crianças em Ação (Jardim Ferraz – horário a combinar) Evangelização infantil - Na sede do CEAC (segundas, quartas e sextas); - No Projeto Girassol (domingo); - No Projeto Seara de Luz (mais detalhes nesta página) Monitoria - Para Projeto Gestar (curso de gestantes) na Creche Nova Esperança; - No Projeto Crianças em Ação; - Nos Hospitais de Base, Maternidade Santa Izabel e no Manoel de Abreu. Manicure, cabeleireira, artesãs e costureiras - Para o Hospital Lauro de Souza Lima. Aula de tear - Projeto Girassol (quintas-feiras às 10 horas) Aula de música - Projeto Girassol (qualquer dia da semana). - Projeto Crescer – 2 voluntários Aula de Dança - Projeto Crescer – 2 voluntários Psicologia - Projeto Crescer – 2 vagas (horários a combinar).

Evangelizadores Projeto Seara de Luz O Projeto Seara de Luz, do Núcleo Ferradura Mirim, precisa de voluntários para a evangelização infantil. O trabalho será na sede do projeto, com crianças a partir de cinco anos de idade e não exige experiência anterior. A evangelização ocorre todos os

sábados, das 13h30 às 16 horas. Os interessados devem comparecer na sede do Núcleo, na Avenida Santa Beatriz da Silva, 6-16, no horário da evangelização. Para mais informação entrar em contato com seu José Dinardi pelo telefone (14) 9729-2986 ou com Ulisses (14) 97119381.

Pág. 4 - Momento Espírita - Setembro de 2011

o estudo de temas da atualidade sob a luz da doutrina. O tema escolhido para este ano tem a finalidade de estimular o participante a compreender-se como ser imortal encarnado no planeta Terra com a missão de evoluir espiritualmente. Este ano, os jovens que vêem de outras cidades terão pouso e café da manhã nas casas de famílias espíritas de Bauru denominados “Anfitriões Fraternos”, que estão convidados a participar do jantar no sábado à noite. Os estudos começam no sábado à tarde e à noite haverá um jantar de confraternização com apresentações artísticas. No domingo, os estudos são retomados às 8 horas, das 10 às 10h15 haverá um coffee break,

depois mais um bloco de estudos e por final o encerramento e um almoço. Nélli convida a todos os adolescentes que quiserem conhecer o movimento da Juventude Espírita a comparecerem ao CEAC aos sábados, das 17 às 18h30. “É só conversar com um dos monitores presentes e pode frequentar o grupo”, frisou ela. Para quem quiser saber mais sobre o movimento, acesse: http://www.meacbauru.com.br/blog/ ou pelo Twitter em www.twitter.com/meacbauru. A turma tem página no Orkut e no Facebook. E-mail: meacbauru@gmail.com


Acontece em Bauru Por Lina Giacheti

E vem aí... O Dia das Crianças!!! Ainda estamos em setembro, mas como se diz, “o tempo voa!”. No dia 12, segunda quarta-feira do mês de outubro, comemora-se o Dia das Crianças. E, é claro, muitos destes pequeninos esperam a data com ansiedade. É por isso que os núcleos do Centro Espírita já estão se preparando e contam com sua ajuda para oferecer às crianças uma feliz comemoração. O Projeto Girassol, no Núcleo Fortunato Rocha Lima, continua a campanha para arrecadação de brinquedos novos. São 200 crianças entre cinco e 14 anos de idade (100 meninos e 100 meninas) de um dos bairros mais carentes de Bauru. As doações podem ser feitas no próprio Núcleo, a Rua João Prudente Sobrinho.

Mais informações pelo telefone (14) 3238-7383. Já a Creche Nova Esperança pede dinheiro para o aluguel de um tobogã e de um pula-pula. Quem não puder doar dinheiro, mas puder doar doces, sorvetes, será muito bem-vindo! Além disso, a creche pede produtos para primeiros socorros (curativos, desinfeccionantes...). As doações podem ser feitas à Rua Sargento José dos Santos 2-71. Mais informação pelo telefone (14) 3238-1361. Todas essas doações também podem ser feitas no CEAC, à Rua Sete de Setembro 8-30. Mas não se esqueça de identificar o nome do Núcleo para o qual está sendo feita a doação. Telefone do CEAC (14) 3366-3232. Vamos fazer essas crianças felizes!!

Grupo Irmã Sheilla (amarelinhos) faz campanha para arrecadação de fraldas geriátricas

Voluntárias do Grupo Irmã Scheilla com seus tradicionais coletes amarelinhos

Crianças aguardam ansiosas pelos presentes de Dia das Crianças

Médium de cura retorna O médium de cura Paulo Neto estará no Centro Espírita Amor e Caridade (CEAC) em Bauru, no mês de outubro, dia 07 (sexta-feira) às 20 horas e dia 08 (sábado) às 9 horas e 20 horas. Os interessados em tomar os passes de cura física deverão participar dos passes preparatórios dados pelos passistas do CEAC nos dias 23 e 30 de setembro, às 20 horas, no CEAC. Paulo Neto, visita Bauru, uma vez por ano e atende adultos e crianças. Para menores de 12 anos de idade haverá uma sessão especial, no sábado, às 9 horas. Os interessados deverão fazer inscrição e receber mais orientações com a Rosa, na secretaria do CEAC.

A coordenadora geral do Grupo Irmã Sheilla, Rosa Angela Toniato Puls, está lançando uma campanha para arrecadar fraldas geriátricas para pacientes do Hospital de Base e Pronto Socorro. “Nosso estoque de fraldas está muito baixo e em pouco tempo estaremos sem poder auxiliar pacientes carentes do Hospital de Base e Pronto Socorro. Quem puder nos ajudar, por favor, encaminhe fraldas geriátricas tamanhos G ou único para a secretaria do CEAC aos cuidados de Rosa”, solicitou a coordenadora do Grupo. O grupo Irmã Sheilla distribui uma média de 1.100 fraldas mensais apenas nestas duas instituições.

O grupo teve início em abril de 1996 prestando serviços de atendimento simples como dar banho, trocar de roupa, alimentar adultos que não movem os braços e alimentar crianças e outros enfermos do Sistema Único de Saúde (SUS) que não tinham acompanhantes no Hospital de Base (HB) de Bauru. Hoje, além do atendimento, o grupo já conta com Casas de Apoio que fornecem alimentação e voluntários em todos os hospitais da cidade. É uma prestação de serviço material e espiritual observada em grupos já existentes em diversos hospitais do mundo.

Reunião de dirigentes mediúnicos Na quarta-feira, 3 de setembro, será realizada a Reunião de Dirigentes de Grupos Mediúnicos, que acontecerá no CEAC, a partir das 9h. Serão discutidos assuntos relacionados às atividades dos grupos e é essencial a presença dos dirigentes. Os outros membros também estão convidados a participar e contribuir com sugestões de assuntos a serem discutidos, enriquecendo o encontro.

Momento Espírita - Setembro de 2011 - Pág. 5


Artigos Quero saber

O Lenitivo da fé raciocinada

Nazil Canarim Junior

Rubens Chinali Canarim Dissertando a respeito das categorias dos mundos habitados, o Espírito Santo Agostinho discorre a respeito daquela em que a Terra se enquadra, juntamente com uma miríade de outros globos no espaço sem fim: a de expiações e provas (ESE, III, 13). Em primeiro lugar, seria valioso ressaltar que a divisão adotada pelo Codificador (ESE, III, 4) não representa uma discretização de quatro estados distintos de condição evolutiva, mas sim um contínuo de evolução incessante. Da mesma forma como poderíamos dividir a encarnação na raça humana em infância, adolescência, maturidade e senectude, com base em uma faixa etária, Kardec dividiu os mundos em quatro categorias: primitivos, de expiações e provas, regeneradores e felizes (LE, 100). É bom que não nos esqueçamos de que “nada se opera na Natureza por brusca transição” (LE, 609). Uma das características dos mundos de expiações e provas é o desenvolvimento da inteligência, “atributo essencial do Espírito” (LE, 24), indicativo claro de que já houve algum progresso de seus habitantes. Da mesma forma que possuímos certo conhecimento a respeito daquilo que nos cerca, ainda que circunscrito muitas vezes à esfera material, nos mostramos propensos a uma grande quantidade de vícios, que atestam claramente a inferioridade moral (ESE, V, 19). A fim de alcançar a perfeição, sempre relativa já que o Criador é a única perfeição absoluta, Deus impõe ao Espírito o sofrer quantas vezes forem necessárias as provas da vida corporal, por intermédio da reencarnação (LE, 171), sem a qual não haveria justiça (LE, 167). Muitas vezes, esclarecem-nos os Espíritos Superiores, somos nós mesmos que, na erraticidade, rogamos nos sejam concedidos determinados gêneros de situações às quais estaremos submetidos, de maneira a provar que vencendo-os reunamos condições de dar um passo adiante na senda evolutiva (LE, 258). Todavia, nada ocorre sem a permissão de Deus (LE, 258a). As lentes opacas da matéria nos levam a matizar as provas

apenas com o colorido tétrico da miséria e da dor. Quando libertos dos liames da reencarnação grosseira, como a que ocorre em mundos primitivos e de expiações e provas, constatamos que as dificuldades são sofrimentos passageiros e úteis para nossa evolução, em vista à felicidade espiritual tanto almejada (LE, 266). Santo Agostinho afirma, na mensagem intitulada “O mal e o remédio” (ESE, V, 19), que não podemos delimitar nossas vistas ao ponto de vista presente. Lançando os olhos para além dos véus da morte, instruídos pelos Espíritos que ditaram “O livro dos Espíritos”, monumento de racionalidade e lucidez, saberemos calar os murmúrios frente às adversidades. Agradecendo Àquele a quem tudo devemos, aplicaremos o remédio da fé raciocinada, a fé robusta que “dá a perseverança, a energia e os recursos que fazem se vençam os obstáculos, assim nas pequenas coisas, que nas grandes” (ESE, XIX, 2). Não percamos o nosso tempo, pois, aflitos no emaranhado dos poucos dias brumosos do presente, diante dos quais o horizonte do infinito surge desvelado pela fé inabalável, a única que “pode encarar de frente a razão, em todas as épocas da Humanidade” (ESE, XIX, 7). Esclarecidos pelos Espíritos Superiores, cônscios da origem e finalidade dos sofrimentos da presente existência (de natureza expiatória ou provacional), saibamos resguardar-nos no lenitivo da fé, já que “aquele que duvida um instante de sua eficácia é imediatamente punido, porque logo sente as pungitivas angústias da aflição” (ESE, V, 19). As dores mais fortes preludiarão as alegrias porvindouras, se as suportarmos com resignação. Em marcha, pois, aqueles que sofrem e choram, já que proveniente do Criador, nada pode haver diferente do Bem e da Justiça perfeitos. Notas explicativas: ESE - Evangelho segundo o espiritismo. LE - O livro dos Espíritos

Cantinho Amor Perfeito Artesanato em tecidos, linha, lã, gesso, cerâmica, madeira, resina, entre outros

DIÁLOGOS ESPÍRITAS

CEAC no Ar Sábado das 11h às 12h 1161 kHz Rádio Bandeirantes

Pág. 6 - Momento Espírita - Setembro de 2011

Lindas peças decorativas para ter e presentear Terça-feira à Sábado: à tarde Segunda, Terça e quarta-feira: à noite Domingo: das 9h às 11h

Como podemos perceber que estamos realizando a transição de mundo de provas e expiação para mundo regenerador? Partindo do pressuposto de que "o mundo espírita é o mundo normal, primitivo, eterno, preexistente e sobrevivente a tudo" e de que os mundos corporais são secundários, poderiam deixar de existir ou não ter jamais existido, "sem que por isso se alterasse a essência do mundo espírita", como descrito no item VI da Introdução de "O Livro dos Espíritos", vamos encontrar Allan Kardec - em múltiplas oportunidades - ocupado em abordar o tema de maneira lúcida. Assim é que, em "O Evangelho segundo o Espiritismo", no capítulo III, item 4, depois de destacar não ser possível elaborar uma classificação absoluta a respeito dos diversos mundos, anima-se em apresentar uma divisão "em virtude do estado em que se acham e da destinação que trazem, tomando por base os matizes mais salientes", assim expressa: 1) primitivos - destinados às primeiras encarnações da alma; 2) de expiação e provas - onde domina o mal; 3) de regeneração - nos quais as almas que ainda têm o que expiar haurem novas forças, repousando das fadigas da luta; 4) ditosos - onde o bem sobrepuja o mal; 5) celestes ou divinos - habitações de Espíritos depurados, onde exclusivamente reina o bem. A Terra, como elucida o Codificador, pertence à categoria dos mundos de expiação e provas, razão por que os Espíritos reencarnados vivem em meio a tantas misérias. No entanto, "como os mundos também estão sujeitos à lei do progresso" (O livro dos Espíritos, questão 185), a Terra e os que a habitam haverão de evoluir muito mais do que já o fizeram. Quais os sinais de que o estágio de regeneração está sendo atingido? Algumas pistas podem ser encontradas em "A gênese", capítulo XVIII, e isto porque, através da ação e sob a orientação de Espíritos mais compromissados com a prática do Bem: a) foram e estão sendo permanentemente fundadas instituições protetoras, civilizadoras e emancipadoras; b) as leis penais estão sendo impregnadas de sentimentos mais humanos; c) os preconceitos de raça se enfraquecerão até que os povos se considerem membros de uma grande família; d) a uniformidade e facilidade dos meios de se realizarem as transações permitirão que as barreiras que separavam as pessoas sejam suprimidas. A transição, como se constata, vem ocorrendo. O homem, com a sua inteligência, já proporcionou bem-estar material inigualável, que infelizmente ainda não chegou a todos. E não chegou porque não nos anima, como deveria, o bem-estar moral, capaz de permitir a extensão e a consolidação da caridade, da fraternidade e da solidariedade entre todos.

Café Ceac Café, Sucos, Lanches e Salgados

Visite nossa lanchonete Tel.:14 3366-3213 Segunda á Sexta das 13h às 22h Sábado das 10h às 12h Domingo das 8h às 12h

Receba com carinho nossa ligação. Tel.:14 3366-3204


Artigos Vira um Lar Richard Simonetti A senhora encontrou-se com Chico Xavier na rua. Ficou muito feliz. Após alguns minutos de batepapo amigo, o médium convidou: – Vamos tomar um cafezinho no bar. Ela estranhou, cogitando, intimamente: “Logo num bar? O ambiente ali deve ser péssimo.” – Chico, vamos à minha casa. Fica perto. Lá estaremos à vontade. Ao que o grande discípulo do Cristo, demonstrando ter lido seu pensamento, respondeu bemhumorado: – Minha filha, quando um espírita entra num bar, ele vira um lar. Como sempre, temos um ensinamento profundo na observação de Chico, apresentado na simplicidade de suas expressões. Frequentemente ouvimos pessoas a reclamar que enfrentam problemas sérios de influências espirituais, em face de contaminação em ambientes por onde andam. Médiuns insipientes, sem

controle sobre suas emoções, afirmam: – Não entro em locais profanos, como bares, restaurantes, lanchonetes… Vibrações deletérias… No ambiente profissional: – Não suporto o ambiente no local de meu trabalho profissional. Muita fofoca, palavrões, conversa fiada, gente mal orientada… Até na atividade religiosa: – Vai mal o Centro. Infindáveis discussões e divergências. O pessoal não se entende. Se levarmos às últimas consequências essa postura, o ideal será mudar de planeta. Segundo nos informam os mentores espirituais, a Terra é um mundo de provas e expiações, habitado por Espíritos orientados pelo egoísmo, cujas vibrações mentais são tão densas que todo o planeta é circundado pela escuridão. No livro Renúncia, psicografia de Francisco Cândido Xavier, Emmanuel reporta-se à Terra como a região das faixas negras.

Valha-nos Deus! *** Imperioso considerar, amigo leitor, que mais importante do que o ambiente por onde transitamos é o ambiente que cultivamos. Se estivermos bem psiquicamente, nenhuma vibração, nenhuma densidade fluídica, nenhuma influência espiritual nos afetará. Pelo contrário, nós influenciaremos o ambiente e as pessoas, porquanto é elementar que a luz sempre espanta as trevas. Nossa estabilidade íntima, nosso equilíbrio emocional, não podem, portanto, estar condicionados aos ambientes da Terra. Devem ser resguardados pelo exercício da oração e de todas as virtudes preconizadas e exemplificadas por Jesus ao longo de seu abençoado apostolado. ***

discípulos quanto ao seu procedimento na divulgação da Boa Nova, em que haveriam de enfrentar a hostilidade de inimigos gratuitos. O Mestre recomendava (Mateus, 10:12-13): E, quando entrardes nalguma casa, saudai-a; E, se a casa for digna, desça sobre ela a vossa paz; mas, se não for digna, torne para vós a vossa paz. Está aí, caro leitor, uma boa medida, capaz de nos preservar em qualquer lugar por onde transitemos. Saudemos as pessoas desejando: – A paz esteja com todos! Obviamente, façamos isso em pensamento, a fim de que não nos confundam com delirante pregador evangélico. Se os que ali se encontram forem receptivos às nossas vibrações, ótimo, depuraremos o ambiente. Se não nos receberem bem, ainda assim teremos o melhor – a paz não nos deixará.

Em inúmeras oportunidades, Jesus transmitiu orientações aos

Nosso Lar Aylton Paiva Nosso Lar (1) é uma colônia espiritual, isto é, um local onde se reúnem e vivem espíritos que deixaram o corpo físico através do fenômeno natural da morte. O autor do livro é um espírito que se chama André Luiz, ou melhor, que usa esse nome. Na verdade André Luiz é um médico que viveu na cidade do Rio de Janeiro. Ao trazer os seus relatos e informações reveladoras ele usa esse nome para proteger e respeitar a tranqüilidade da família ainda vivendo no mundo material. Ele relata as suas primeiras impressões da vida além da dimensão física e constata a possibilidade da vida após a vida, ou seja, a continuidade da vida espiritual quando cessa a vida material. Mais voltado às questões das ciências, especificamente, as ligadas à medicina e, como diz ele, lendo sem maiores responsabilidades o Evangelho de Jesus ele se surpreende com essa continuidade da vida. De início sente

muita dificuldade em compreender o que está acontecendo. Passa algum tempo em conflitos pessoais e revolta. Em um determinado momento, quando, pelo sofrimento, diminui o seu orgulho e vaidade, ele se lembra do menino que orava junto da mãezinha e em lágrimas volta ao aconchego da oração. Em meio ao nevoeiro da revolta e do desespero que ante a luz da prece se dissipam, um emissário do céu se faz visível para ele. - “ Um velhinho simpático me sorriu paternalmente, inclinou-se, fixou nos meus os grandes olhos lúcidos e falou: - Coragem, meu filho! O senhor não te desampara”. Ele é socorrido e amparado. Clarêncio indica o destino: - “Vamos sem demora. Preciso atingir “Nosso Lar” com a presteza possível”. Já devidamente acolhido, André Luiz interpela o seu acompanhante: - “Amigos, por quem sois,

explicai-me em que novo mundo me encontro... De que estrela me vem, agora, esta luz confortadora e brilhante? - Estamos nas esferas espirituais vizinhas da Terra e o Sol que nos ilumina, neste momento, é o mesmo que nos vivificava o corpo físico.” Estas são as primeiras noções que André Luiz tem sobre a sua nova morada. Com o decorrer do tempo tomará conhecimento da admirável organização dessa cidade espiritual regida por normas que refletem sempre a justiça e o amor. As surpresas são grandes e admiráveis na nova dimensão de vida em que se encontra. No entanto, André Luiz, não se esquece dos familiares que deixou no mundo físico: a esposa e os filhos passam a ser o seu pensamento constante. De imediato não tem autorização para retornar ao antigo lar terrestre. Por diversas formas procura ter informações sobre a amada esposa e

queridos filhinhos. As informações não o satisfazem. De forma direta ou indireta recebe esclarecimentos sobre as formas de manifestação do amor, especialmente entre os casais. Vai sentindo que algo estranho acontece. Porque não ter acesso direto e imediato ao sonhado lar? Como estaria a dedicada esposa? E os filhos, após terem passados tantos anos? Decorreu, mais ou menos, um ano para que André Luiz pudesse ter as respostas a tais íntimas indagações. Muitas surpresas o aguardavam. Momentos de dor e sofrimento e, também, de extrema alegria e euforia. Finalmente seria um cidadão em Nosso Lar. Os relatos de André Luiz foram transmitidos pela mediunidade missionária de Francisco Cândido Xavier. Bibliografia: (1) NOSSO LAR, André Luiz/F.C.Xavier – Ed. FEB

Momento Espírita - Setembro de 2011 - Pág. 7


Editora CEAC Por Ângela Moraes

EDITORA CEAC lança obra de autores bauruenses Carlos Eduardo Luz, membro da diretoria do Centro Espírita Amor e Caridade, e Wellington Balbo, autor de oito obras e participante do programa de rádio Diálogos Espíritas, do CEAC, se uniram para redigir um belíssimo romance fundamentado na Doutrina Espírita. Trata-se da obra “O caminho de Cícera”, que a Editora CEAC lança neste mês pelo Clube do Livro. Escrita em parceria, a história evidencia o poder de nossas escolhas ao longo da vida, e principalmente, como a espiritualidade nos assessora em todos os momentos. Em entrevista exclusiva ao jornal Momento Espírita, os autores revelam um pouco mais sobre a obra:

[ME] O livro "Caminho de Cícera" foi escrito em parceria. Como isso se deu? [Luz] A proposta partiu do Wellington e em uma conversa delineamos a história. Combinamos que os diálogos dos personagens físicos seriam escritos por ele enquanto que os dos personagens do plano espiritual seriam de minha lavra. Porém podemos dizer que os personagens, que os autores sabem que tem vida e vontade própria, “se rebelaram” com este planejamento. Assim, com o texto já em andamento, definiu-se que o livro seria escrito a quatro mãos. Como consta do prefácio, Wellington é o “senhor do destino” dos personagens que cria as situações. Quanto a mim, ajusto o texto descrevendo as reações e reflexões dos mesmos sem retirar nenhum dos fatos que ele criou. [Balbo] Como Carlos disse, as coisas foram acontecendo naturalmente e assim podemos dizer que O caminho de

Cícera tem dois pais. [ME] Qual foi o maior desafio deste trabalho? [Luz] No meu entendimento, escrever é como a arte de fazer muros de pedra de cantaria. Lascamos cada bloco de modo que se ajuste com esmero. Assim me vejo martelando para tirar lascas, pondo e tirando letras para que cada frase se delineie com um minimalismo de palavras que melhor contenha a idéia. Deste modo, fazer isto em parceria traz o ganho do paralelismo no trabalho, porém nos exige um máximo cuidado no respeito à criatividade do “sócio”, que felizmente aconteceu. [Balbo] Acrescento às palavras de Carlos que o maior desafio do trabalho em parceria é exercitar a humildade de respeitar as idéias do seu companheiro de empreitada. Aprendi muito na elaboração deste livro. [ME] Qual a mensagem principal da obra? [Luz] O texto, como nos “road movies” clássicos, trata da metáfora da busca do significado da vida no qual a estrada se correlaciona ao tempo. Assim, a parceria com o Wellington nos permite olhares privilegiados desta mesma estrada. Ele, jovem do terceiro milênio, projeta nos personagens esta sua ótica, enquanto que eu, jovem dos anos 60, faço neles reflexões neste contexto. Deste modo, o texto do livro “O Caminho de Cícera” se ajusta a muitas situações de vivências reais de leitores de todas as idades frente aos desafios da vida atual. [ME]

De

onde

veio

Colaborou: Mariane Bovoloni

Carlos Eduardo Luz Carlos Eduardo Noronha Luz nasceu em Itajubá, no Estado de Minas Gerais. No entanto, desde 1971 vive em Bauru, onde se formou em tecnólogo em sistemas elétricos pela Fundação Educacional de Bauru (FEB), encampada pela UNESP. Na mesma universidade, também trabalhou como professor de Telefonia, na Faculdade de Engenharia e Tecnologia e é especialista em Gestão Empresarial pela Instituição Toledo de Ensino, de Bauru. Na seara espírita, foi consultor técnico do Instituto Brasileiro de Pesquisas Psicobiofísicas (IBPP) e palestrante de TCI Transcomunicação Instrumental - ligado à pesquisa de Acústica e Fonética. Durante seus trabalhos, conviveu muitos anos com o pesquisador Hernani Guimarães Andrade e escreveu o prefácio de um de seus livros, “Morte: Uma Luz no Fim do Túnel”. Há anos ele se dedica às pesquisas na área do Espiritismo Científico e é membro da Diretoria do Centro Espírita Amor e Caridade.

Pág. 8 - Momento Espírita - Setembro de 2011

a


inspiração para a personagem Cícera? [Luz] Os personagens quase todos foram criados pelo Wellington. Como já foi referido, o meu trabalho foi o de acrescentar reflexões a eles frente às situações postas. [Balbo] Cícera é o nome de uma de minhas tias. Quis prestar a ela, que se encontra alojada em uma cama há 27 anos, uma homenagem, pois na atual encarnação a referida tia está sem poder decidir os rumos de seu destino, cabendo a ela tão somente resignar-se às vontades do Pai. Quanto à essência da personagem, Cícera foi uma jovem que conheci quando residi em ImperatrizMA. Tinha o sonho de vir para São Paulo, estudar e trabalhar. Não conseguiu chegar em São Paulo, porém, parou na capital Federal, onde obteve êxito em seus objetivos de estudar e trabalhar. A jovem em questão tem o mesmo nome de umas das personagens da trama: Nazaré. [ME] No livro, percebemos que praticamente em todos os momentos da vida das personagens, intensa movimentação acontecia no plano astral. Assim ocorre com todos nós? [Luz] No mundo espiritual estão os nossos protetores desencarnados, bem como os nossos “cobradores” também desencarnados. Todos os nossos pensamentos, palavras e atos geram ressonâncias nos pensamentos deles que, assim evocados, se fazem presentes influindo muito em nossas vidas, como nos ensinaram os Espíritos da Codificação. [ME] Vocês acreditam que os encontros e desencontros que

passamos, assim como com Cícera, tem sempre um planejamento da espiritualidade envolvido? [Luz] A literatura espírita descreve inúmeros casos de planejamento reencarnatório individualizado no qual é proposto ao reencarnante interações e cenários adequados ao seu progresso moral e intelectual. Cabe a ele, no entanto, quando encarnado não fugir ao cumprimento destas programações, visto que após o renascimento a memória consciente não tem estes registros. [ME] No livro, vocês usam a expressão “protetores espirituais de Cícera”, em diversas passagens. Então, nosso anjo guardião não seria apenas um, como na crença popular? [Luz] As questões 490 e seguintes de “O Livro dos Espíritos” nos diz que O Espírito protetor, pertencente a uma ordem elevada e que tem por missão ser um pai com relação aos filhos, ou seja, deve guiar o seu protegido pela senda do bem, auxiliá-lo com seus conselhos, consolá-lo nas suas aflições, levantar-lhe o ânimo nas provas da vida desde o nascimento dele até a sua morte. Muitas vezes acompanha o seu protegido na vida espiritual e mesmo através de muitas existências corpóreas. Os Espíritos familiares são os que auxiliam as pessoas dentro do limites do poder de que dispõem. Mesmo sendo bons, tem limitações e por isso só atuam sob a coordenação de Espíritos protetores, que são mais evoluídos que eles em moralidade e inteligência. Espíritos simpáticos são os que se ligam a nós por semelhança de pensamentos e

sentimentos, tanto para o bem quanto para o mal. [ME] O administrador de empresas Ribamar contradiz o conceito de competitividade de mercado, alegando que a empresa teve mais lucro quando baseada nos preceitos cristãos. Como isso poderia se dar nas empresas modernas? [Luz] Podemos analisar o perfil de Ribamar como administrador como sendo aquele que tem o foco em servir o cliente. Sendo assim o lucro vem por conseqüência do bom atendimento ao mesmo. No entanto, devemos estender a palavra “cliente”, segundo o pensamento em administração mais avançado da atualidade, aos funcionários, denominados “colaboradores”, aos acionistas e aos fornecedores. Assim sendo, o resumo da mensagem evangélica definida na frase “Devemos fazer ao próximo o bem que desejaríamos que ele nos fizesse”, está aí expresso na filosofia administrativa de Ribamar, não esquecendo ainda a responsabilidade ambiental e social da empresa. [Balbo] Deixo junto às palavras de Carlos a sugestão ao leitor para se aprofundar na obra de dois baluartes da ciência da Administração, cuja essência de pensamento converge para o ideal cristão sem desprezar o objetivo da empresa de gerar lucro: Peter Drucker e Peter Senge. [ME] A personagem acaba tendo uma gravidez precoce, ainda jovem e solteira. Ela teria apressado o seu planejamento reencarnatório ou a espiritualidade pode induzir a uma

gravidez indesejada? [Luz] A Espiritualidade Maior nunca emprega meios ilícitos visando qualquer finalidade. Assim sendo, o que pode ocorrer é alteração indevida no planejamento reencarnatório, como no caso do personagem que antecipou a gravidez. [ME] Considerações finais [Luz] A nossa proposta foi a de contar uma história que interessasse o leitor por seu conteúdo humano e que também fosse precisa e atual em seu conteúdo espírita. Trabalhamos buscando interpretar o ensinamento de Jesus na dinâmica de transformação cultural de nossos dias e sob a luz do espiritismo. Assim, resumindo podemos dizer que “O Caminho de Cícera” é o caminho de todos nós, espíritos imortais que somos em trajetória para a perfeição e por consequência para a felicidade perene. [Balbo] Eu aproveito a oportunidade apenas para agradecer ao Carlos, este amigo tão querido que a D i v i n a Pr o v i d ê n c i a m e d e u a oportunidade de conhecer tornando-me seu parceiro e amigo. Estendo, também, à Editora CEAC e aos Espíritos amigos que nos envolveram na elaboração do livro meus votos de sincero agradecimento. [Luz] Concordo e agradeço as considerações do Wellington e faço recíproca a sua referência ao meu nome. Agradeço também aos Espíritos amigos desta “Casa a Beira do Caminho” que é o CEAC, à sua direção e às pessoas que com seu trabalho e confiança em nós, permitiram trazer a lume esta história de vida.

Wellington Balbo nasceu em 8 de março de 1976 em Cafelândia, interior de São Paulo. Wellington entrou em contato com a doutrina espírita em 1999, quando sofreu com o desencarne de sua mãe, vítima de um acidente vascular cerebral – AVC. Foi nesse momento de desconsolo que ele conheceu o Centro Espírita Joana D'Arc, de Bauru, e desde então, participa e contribui para a divulgação do espiritismo através de palestras e da literatura. Wellington publicou seis livros: “Lições da História Humana”; “Reflexões sobre o mundo contemporâneo”; “Espiritismo atual e educador”; “Arena de conflitos”, em parceria com Orson Peter Carrara; “Quem semeia ventos...”, em parceria com Arlindo Rodrigues; e “Memórias do Holocausto”, em que faz uma colaboração especial. Fora a literatura, Wellington escreve artigos e textos para jornais e sites espíritas, além de ser locutor e editor do programa “Diálogo Espírita”, produzido pelo Centro Espírita Amor e Caridade – CEAC –, transmitido pela Rádio Bandeirantes aos sábados, das 11h às 12h30.

Colaborou: Ana Paula Tripoloni

Wellington Balbo

Momento Espírita - Setembro de 2011 - Pág. 9


Artigos Expectativas Adeilson Salles Uma das maiores dificuldades, e pedra de tropeço em nossos relacionamentos, são as expectativas que criamos com relação às pessoas. Invariavelmente, acabamos por nos decepcionar com os outros, e os outros também se decepcionam conosco. Na verdade, existem dois tipos de personagens em nossas vidas, as pessoas reais que são como são, e as pessoas elaboradas por nossa mente fértil e invigilante. Quando desejamos impressionar, ou conquistar alguém, mostramos nossa melhor face, de preferência, aquela que mais vá agradar a pessoa de nosso interesse. Mas o tempo passa, e mais dia, menos dia, nos mostramos tais quais somos, as máscaras caem e as pessoas acabam por se decepcionar conosco. Da mesma forma os papéis se

invertem, pois alimentamos expectativas sobre as pessoas e elas terminam por nos decepcionar. Esses comportamentos ocorrem em todos os relacionamentos humanos, seja em família, seja no circulo social onde transitamos. Somos seres muito preocupados com nossa imagem, pois raramente dizemos não para as pessoas ou para a vida. E quando a vida diz não para nós, revoltamo-nos como crianças mimadas. A preocupação constante em agradar a todos gera uma violência íntima e os desajustes se instalam. É preciso dizer com mais intensidade, “sim” para si mesmo e “não” para o mundo. A auto violência, a falta de caridade para com as próprias falhas, a cobrança incessante pelo progresso moral e espiritual, são fatores decepcionantes que levam a

criatura encarnada a graves conflitos íntimos. É importante compreender que existem situações, que nem o próprio Deus espera que correspondamos. Criar expectativas, sobre tudo, sobre todos, é elaborar decepções profundas voluntariamente, pois o que esperar em um mundo onde somos todos “obsessores em progresso”? Aceitar as pessoas como elas são, acabar com o desejo de modifica-las, é medida salutar que preserva o nosso equilíbrio. Tentar de todas as formas, obrigar as pessoas a corresponderem as nossas exigências, é passo seguro para o tormento interior. Estamos sempre buscando moldar as pessoas conforme nossos conceitos, seja no campo da fé, ou em outras áreas da atividade humana. Pais desejam mudar os filhos,

filhos querem mudar os pais. Esposas querem mudar maridos, maridos desejam modificar as esposas. Cada ser é como é. O único período em que o espírito encarnado está sujeito a realizar mudanças profundas e agregar novos valores a sua vida é na infância. Basta analisar a questão 383 de O Livro dos Espíritos. Isso quando os pais entendem e corroboram pra que isso aconteça. Fora esse período, a única pessoa que podemos efetivamente modificar é a nós próprios. Por isso, podemos afirmar com certa contundência: “Toda expectativa que criamos com relação aos outros, é de nossa inteira responsabilidade”. Aceitar as pessoas como elas são, antes de tudo, é prevenir-se contra decepções amargas. Seja feliz!

Trabalho de pesquisadores demonstra que crianças educam os pais Wellington Balbo A paternidade e maternidade são sagradas missões que recebemos para desempenhar na Terra. No entanto, muitas vezes não nos damos conta disto e relegamos a educação, principalmente a educação moral que dá a base e o sustentáculo ao indivíduo para ser um homem de bem a segundo plano. Com isso a sociedade recebe cidadãos inteiramente focados no imediatismo, ignorantes de que são seres espirituais apenas de passagem por aqui. Muitos sequer arrumam as malas para o momento de partida, e quando a velha morte chega, partem de bagagem vazia, levando quase nada para o além. Podemos depositar isto, por exemplo, na falta de educação para a morte. Se julgarmos o nome muito forte, chamemolo como quisermos, mas não deixa de ser falta de educação. Se debruçarmo-nos com interesse nas questões de O Livro dos Espíritos, principalmente na questão 208, na qual os imortais falam-nos da importância de receber um espírito que renasce neste planeta para educá-lo nos caminhos do bem e da verdade, veremos que ser pai ou mãe neste planeta de provas e expiações não é brinquedo não. Por isso educar é preciso, Mais do que isso: fundamental. No entanto, são vários os aspectos educacionais que poderíamos discorrer neste singelo texto, entretanto, queremos aprofundar a questão educação sob um ponto de vista um tanto quanto distante dos padrões comumente utilizados. Obviamente explicarei com maiores detalhes o ponto onde quero chegar. É sabido que é em tenra idade que o espírito está mais acessível as impressões que recebe na formação de toda a sua estrutura como Ser que aqui renasce. Seja em casa ou na escola os exemplos bons ou ruins repercutirão na alma infantil e possivelmente influenciarão suas atitudes quando a

idade adulta o atingir, pois o tempo é inexorável para todos os filhos de Deus. Como dizia minha mãe: Não somos apenas nós que envelhecemos, o relógio biológico também é fatal para com as crianças, elas também fazem aniversário. Mas não quero aqui ser prolixo e vou direto ao ponto. A revista FAPESP (para quem desconhece, a sigla significa Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) de julho de 2011 traz interessante matéria que versa justamente na inversão dos papéis educacionais em algumas ocasiões. Ao invés de pais educarem os filhos, no caso da pesquisa realizada foram os filhos que educaram os pais. A cardiologista Luciana Savoy do Incor (Instituto do Coração) que integra a equipe do médico Bruno Caramelli também do Incor, resolveram estudar como as atitudes dos filhos podem influenciar os pais. O tema trabalhado assim está descrito “ A educação dos filhos como instrumento terapêutico na redução do risco cardiovascular dos pais” Foram escolhidos dois grupos de uma escola em Jundiaí. No primeiro grupo os pais tiveram acesso apenas a folhetos falando da alimentação saudável e atividades físicas e sua importância na prevenção de doenças cardiovasculares. Já no segundo grupo além de os pais receberem os folhetos os filhos tiveram treinamento sobre a alimentação e o impacto em uma vida saudável. Portanto aprenderam sobre como se alimentar adequadamente, tiveram aula de educação física, fisioterapia, passeios ciclísticos e peças de teatro para reforçar a relevância dos alimentos e o estilo de vida e suas relações com as doenças cardiovasculares. Como parâmetro para verificar as diferenças entre os dois grupos que citamos acima, repetindo: os pais que

Pág. 10 - Momento Espírita - Setembro de 2011

apenas receberam folhetos e os que além dos folhetos as crianças foram educadas sob o aspecto estilo de vida e doenças cardiovasculares, foi utilizado a escala de Framingham, largamente usada em todo mundo como referência para saber se o indivíduo terá risco de desenvolver doenças cardiovasculares nos próximos 10 anos. Os resultados mostraram que a educação é sempre alternativa viável para prevenir os males desta vida. Cerca de 91% dos pais pertencentes ao grupo em que os filhos participaram das atividades educacionais tiveram uma redução nos riscos de desenvolver doenças cardiovasculares, enquanto o outro grupo apenas 13% obtiveram sucesso. As crianças que participaram do estudo passaram a cobrar os pais sobre a questão que envolve alimentação saudável, vida sedentária, tabagismo e etc. Começaram, inclusive, a interferir nas compras de supermercado e trocar as sobremesas por frutas. Alguns pais tinham o hábito de consumir pizza três vezes por semana, as crianças cortaram o péssimo costume dos marmanjos. Pizza apenas aos sábados e olhe lá. Em outras palavras, educaram ao pais e modificaram absurdamente os hábitos da família o que redundou em ganho na qualidade de vida. Parabéns ao doutor Bruno Caramelli e sua equipe pelo projeto que se chama “A educação dos filhos como instrumento terapêutico na redução do risco cardiovascular dos pais”. Mas, projetos à parte, observemos como a educação é uma via que trafega em duas mãos: se ensinamos as crianças hoje a maneira correta de proceder perante a vida sob os mais variados aspectos, teremos resultados positivos muito antes desses pequenos atingirem a idade adulta. Antigamente dizíamos que educar o filho hoje equivaleria a transformá-lo em adulto consciente no amanhã.

A coisa mudou um pouco de figura: Educar adequadamente as crianças de hoje as transformam automaticamente em crianças conscientes. Nem é preciso mais cogitar do amanhã, pois com a educação ele – o amanhã – está mais próximo, acontecendo em tempo real, agora. Esta pesquisa demonstra que as crianças de hoje, se bem educadas em padrões de criatividade e inovação, fazendo-as participar dos acontecimentos como agentes ativos de transformação, têm muito a nos ensinar. Eis, portanto, que a educação se faz com a participação da criança no processo educativo. Percebemos que este tipo de processo deixam-nas de antenas ligadas e por isso cobram dos pais o que eles devem oferecer como condutores desses Espíritos em evolução, ou seja, EXEMPLOS. Atualmente em um mundo dinâmico e milionário em informações apenas as palavras não bastam. Ou nós como pais e educadores ensinamos pelos exemplos e façamos, também, com que a criança participe desse processo, ou não atingiremos os patamares de uma educação eficaz, que prepara a criança de hoje para viver de forma coerente com os padrões de educação propostos pelo Cristo. Pensemos seriamente nos tópicos que envolvem a educação e, principalmente, aprendamos a aprender com as crianças. Mas para isso é preciso humildade. Será que a temos o suficiente? Referência: CARAMELLI, BRUNO. A educação dos filhos como instrumento terapêutico na redução do risco cardiovascular dos pais. FAPESP. São Paulo. Número 185. Julho/2011.


Artigos O imprescindível regresso Renato Chinali Canarim Em "O Livro dos Espíritos", no capítulo VI de sua Parte Segunda, o Codificador, com a sua lucidez habitual, formula aos Espíritos uma série de questões a respeito da vida no mundo espiritual. Analisaremos, no presente artigo, aquelas que tratam do tema pertinente à escolha das provas por que passará o Espírito em sua próxima reencarnação. O Espírito, no começo de sua trajetória evolutiva, ou seja, quando é assinalada a individualidade ao princípio inteligente, sendo este, então, dotado de consciência, é ainda simples e ignorante; não tem condições de escolher, com conhecimento de causa, as provas necessárias ao seu progresso. Deus, então, lhe supre a inexperiência. Paulatinamente, conforme o seu livrearbítrio se desenvolve, torna-se senhor de optar quanto ao que passará na Terra. O livre-arbítrio se manifesta, destarte, com a escolha do gênero de provas que comporão a encarnação do Espírito. Notemos bem: o gênero. De tal informação, podemos extrair duas consequências. A primeira é que, por tal opção,

somente os acontecimentos principais, capazes de influir no destino, é que são previstos e planejados. Suponhamos um Espírito que deseje se superar através de eliminar a tendência à prática de roubos. Pedirá, então, uma existência em que se encontrará entre aqueles que têm hábitos criminosos, para que, resistindo à tentação, possa se elevar, vencendo a prova. A segunda é que não opta nem prevê o Espírito tudo aquilo que lhe sucederá no mundo, até as mínimas coisas. Não. Não está tudo "escrito". Os acontecimentos secundários da existência ocorrem por conta da posição em que este se pôs. Quer dizer: das próprias circunstâncias e da força mesma das coisas, graças às suas próprias ações. Não é necessário que passe por todas as tentações da matéria, que possam lhe excitar, por exemplo, o orgulho, a inveja, a sensualidade, a avareza. Se, desde o começo, ele toma o caminho do bem, exime-se, de tal forma, de muitas provas. O progresso depende do esforço que ele empreender em permanecer e perseverar na senda

do bem. Deus deixa ao Espírito que se reencarna a responsabilidade dos atos e das consequências que estes produzirem. Tanto o caminho do bem como o do mal se lhe acham abertos, podendo decidir-se sobre qual trilhar. Portanto, concluímos que quem queira se elevar mais celeremente na escala espírita escolhe, de acordo com a natureza de suas faltas, as provas que o levem à expiação destas, ajustando-se com a própria consciência perante a Lei Divina. Se vier a sucumbir nas provas optadas, pois pode ocorrer de que tenha escolhido uma que estava além das suas forças, diz-nos, então, a consoladora Doutrina Espírita: nem tudo está perdido. A bondade divina sempre oferece a abençoada oportunidade para recomeço em uma nova existência. Daí ressaltar Emmanuel, em sua o b r a " Re l i g i ã o d o s E s p í r i t o s " , psicografada por Francisco Cândido Xavier, ao estudar o tema presente, especificamente a questão 260 do LE, que, após a desencarnação, a reta justiça espera, infalível, além da morte,

pelo Espírito que traga a consciência enodoada com o ferrete da culpa, por mais que suas faltas tenham passadas despercebidas aos olhares do mundo. E é então que, com mais ampla lucidez, pedirá o regresso ao mundo carnal, no seio da família, que se configurará tanto como o templo de carinho em que suas forças serão reabastecidas, como também a rude escola da regeneração, retornando ao convívio dos antigos adversários que ele próprio criou, que ressurgem, agora, na forma de aversões instintivas e desafetos ocultos. O Espírito, agora reencarnado, será levado, então, ao exercício da renúncia e do sacrifício, perdoando e ajudando, compreendendo e amparando sem descansar. Deverá se elevar, com extrema devoção ao dever, por mais inquietante que se afigure a experiência no educandário terrestre. Pois "somente aquele que se engrandeceu, entre as quatro paredes da própria casa, é que pode, em verdade, servir à obra de Deus no campo vasto do mundo".

Luzes do Evangelho Sidney F. Fernandes

“Aquele que violar um destes mandamentos, por menor que seja, e ensinar assim aos homens, será declarado o menor no reino dos céus” – Mateus 5:19 Qualquer pessoa preocupada com sua responsabilidade evolutiva, periodicamente estabelece parâmetros comparativos entre o seu comporta-mento e o dos demais habitantes da terra. –Será que se Deus me chamasse hoje eu estaria no meio dos escolhidos? A dúvida não é destituída de razão. Jesus, G o v e r n a d o r m o r a l d a Te r r a , naturalmente traçou planos muito seguros para a evolução do planeta. Deve ter estabelecido metas e planejamentos organizacionais que levam em conta nossos esforços e progressos espirituais. Em “O Evangelho Segundo o Espiritismo”, cap.III, item 17, Allan Kardec nos acena com os agradáveis mundos regeneradores, aonde encontraremos transição para os mundos felizes com calma e repouso,

até que acabemos de nos depurar. A notícia fica ainda mais interessante quando nos deparamos, na Revista Espírita de 1866, com “Instruções dos Espíritos” afirmando que a Terra, a nossa moradia atual, vai elevar-se na hierarquia dos mundos. Uma parte dos espíritos aqui encarnados não mais nela (na Terra) se encarnarão. Essa exclusão atingirá apenas os espíritos fundamentalmente rebeldes, os que teimam em ficar surdos à voz do bem e da razão. Evidentemente, diante do estado de convulsão social em que nos encontramos na atualidade, tudo leva a crer que uma eventual “promoção” para mundo regenerador requer uma série de transformações morais, das quais nós e o resto do mundo ainda estamos distantes. “Se queres mudar o mundo, muda-te a ti mesmo.” – Ghandi.

Sozinhos, iremos para lugar algum. Todos estamos no mesmo barco. Ociosa a pretensão de nos enquadrarmos no conceito de grande, e os demais que se virem com o conceito de menores, usando os conceitos do evangelista Mateus, no Sermão da Montanha. Entendo que esse árduo caminho de esforço e progressos espirituais, bem como manter-se atento à voz do bem e da razão, exigem constante preocupação em nos diferenciarmos. Não no sentido material, na desesperada procura de poder, fama e dinheiro. Mas sim, no conhecimento e mudança de nós mesmos. E essa transformação, infelizmente somente acontece pelo caminho da resignação. É o sofrimento, e só o sofrimento, que abre no homem a compreensão interior (Ghandi). Doutor Dráuzio Varella conta a

situação de um paciente de sete anos com leucemia aguda. Após aplicar na criança seis dolorosas injeções intradérmicas no seu antebraço, ao invés de choro ou queixas, ouviu um comovente “muito obrigado doutor”. Poucos de nós estamos nesse estágio de compreensão e resignação. Queremos sinceramente um dia fazer parte desse seleto mundo mencionado por Jesus e Kardec? Aonde não mais há dor, predomina o amor e não mais existe o egoísmo? Indispensável melhorar o mundo através da nossa mudança. Fundamental ouvir a voz do bem e da razão. Somente abandonando definitivamente a tendência à rebeldia é que nos habilitaremos à evolução, individual e coletiva.

Momento Espírita - Setembro de 2011 - Pág. 11


Especial Inauguração do Novo Albergue II O CEAC agradece o apoio de todos no evento de inauguração do novo prédio do Albergue, em 1º de junho de 2011

André Dabus, Mônica Dabus e Fernando Duque

Sidney Fernandes, Mônica Dabus, Sônia Rossi, Leda Bastos e Moisés Rossi

Mauro Pompílio e Darlene Tendolo

Uriel de Almeida

Ivana Gallo

Leopoldo Zanardi, Moisés Rossi e Sidney Fernandes

Sílvio de Godoy

Pág. 12 - Momento Espírita - Setembro de 2011

Diretores do CEAC com colaboradores

André Dabus, Rodrigo Agostinho e Mauro Pompílio

Nélson Bastos, Sidney Fernandes, Mauro Pompílio, Mônica Dabus e Luiz Aldo Tezani

Colaboradores do CEAC com Mauro Pompílio

Carlos Luz e André Dabus com policiais militares


Especial Inauguração do Novo Albergue II

Luiz Aldo, Richard Simonetti e Tânia Simonetti

André Dabus, filhos e o Prefeito Rodrigo Agostinho

Hélsio Bíscaro, Reinaldo Cafeo e Irineu Bastos

Pedro Machado, Estela Almagro, Leopoldo Zanardi e Maria José Zanardi

Foto panorâmica com os convidados

Nilza Oshiro

Cozinheiras do Albergue com Jandira Gândara

Adeilson Salles

Leda Bastos, Lúcia Turini e Edvaldo Tuschi

Nélson Bastos e Estela Almagro

Momento Espírita - Setembro de 2011 - Pág. 13


Educação Espírita Por Alcides Fernando Ferreira

ENQUETE!!!

Qual o limite da minha liberdade?

"Continuar fazendo amigos para manter minha vida boa!" Isadora Pizzigatti Marques Jasinevicius, 10 anos

Entrevistas: Lina Giacheti

"Se saio para brincar aviso minha mãe. Na escola não brigo com ninguém. Brinco sem fazer brincadeira bruta." Andre Luiz Romani Castelhano, 11 anos

"Quando alguém estã triste, eu canto." Lucas Pelegrino Rios, 6 anos Pág. 14 - Momento Espírita - Setembro de 2011


Livraria SUPER OFERTA

Clube do Livro

O Livro dos Espíritos IDE ed. econômica

R$

Livro: O Caminho de Cícera Autores: Wellington Balbo e Carlos Eduardo Luz Gênero: romance Editora: CEAC

4,00

(oferta limitada ao estoque)

RTA OFE

O Caminho de Cícera nos leva, pelas mãos de seus personagens, a conhecer e refletir sobre os acontecimentos e decisões deles, bem como as influências de entidades espirituais em suas vidas. Vivendo dilemas frente a separações, amores e ambições, os personagens, sem perder a fidelidade aos ensinamentos de Kardec e do Evangelho, demonstramnos, em suas vivências, simulações de situações vivenciadas por nós em nosso mundo real. Ler, pois, este livro é sentir a satisfação em apreciar uma história de vida e, ao mesmo tempo, abastecer-se de valioso conhecimento espírita.

Preço do livro:

R$ 26,00 Mensalidade do Clube:

R$ 17,00 Não-sócios:

R$ 20,00

Conjunto Vivendo o Evangelho vol. 1 O Evangelho segundo o Espiritismo IDE ed. econômica

De R$ 28,00 À Luz do Eterno recomeço (científico)

(oferta limitada ao estoque)

O Fotógrafo dos Espíritos (científico)

As Mães de Chico Xavier (dissertações)

R$ 24,00

R$ 39,00

OFER TÃO

Vivendo o Evangelho vol. 2

De R$ 24,00

por R$15,00 (oferta limitada ao estoque)

LIVRARIA Conectada em você Fone (14) 3366-3212 Pague com

débito ou crédito

Estante Espírita

R$ 29,00

Memórias de um Toxicômano (vida no além)

Paulo, um Homem em Cristo (biográfico)

R$ 33,00

R$ 30,00

Parábolas de Jesus (evangélico)

R$ 30,00

Bellinha e a Lagarta Bernadete (infantil)

A Lâmpada Mágica (infantil)

R$ 13,00

R$ 13,00

Nenhum Amor é em Vão (romance)

R$ 24,50

Por entre as Flores do Perdão (romance)

R$ 20,00

Mamãe de Barriga... Mamãe de Coração (infantil)

R$ 13,00

Ofertas limitadas ao estoque

por R$15,00

Momento Espírita - Setembro de 2011 - Pág. 15


Centro Espírita Amor e Caridade Sta. Cruz do Rio Pardo

Bauru Shopping

am ire s

Av. No ss a

Av. G et

úlio Varg as Aeroporto

R

ôni Lam aro Álv . r .D

Jardim Ferraz

Sra . de

Fát ima Praça Portugal

so Cardo rinho heco R . Ma is Pac ra Mo . José f e r P R.

Av .C

Piratininga

Centro Espírita Amor e Caridade s

Av .N aç õe sU ni da s

axia ue de C Av. Duq

bro de Setem R. Sete

Alves rigues Av. Rod

Albergue Noturno

Jaú

R. A

cia nfidên R. Inco Assis Av. Nuno de

Rod .M

Nova Esperança

alta gílio M R. Vir

don echal Ron Rod. Mar

Praça Vitória Régia

ura Ferrad Mirim

Parque das Nações

ca

a zete T. Lim R. Pe. Doni

Mo nse nh or R

R.

R. Hermes C. Batisita

Br an co

R.

as te lo

Ch arl es Hu gh s

São Paulo

R. J oão nto P. S nia obr Rav inh ane o lli C osta

P. M Av.

Fortunato Rocha Lima l ina arg M . Av

are cha l Ro ndo n

Iacanga R

ta tis Ba r za ta al .B

Vila São Paulo

Rua 6 R. S eba stiã o

do acha R.

es rigu Rod rio Má

. old R. S R. S gt Sã o. oS Jo eb sé as do tiã sS o an to s

Marília

Marília

Atividades Filantrópicas

Núcleo Parque das Nações Projeto Crescer Av. José Vicente Aiello, 8-20 / Fone: (14) 3214-4769

Núcleo Nova Esperança - Projeto Esperança Rua Sargento José dos Santos, 2-71 / Fone: (14) 3238-1361

Núcleo Jardim Ferraz - Projeto Crianças em Ação Rua Padre Donizete Tavares de Lima, 3-31 / Fone: (14) 3236-6116

Núcleo Vila São Paulo Projeto Colmeia Rua Baltazar Batista, 3-74 / Fone: (14) 3239-0225 / 3237 6082

Núcleo Fortunato Rocha Lima Projeto Girassol Rua João Prudente Sobrinho, s/nº/ Fone: (14) 3238-7383

Núcleo Ferradura Mirim Projeto Seara de Luz Avenida Santa Beatriz da Silva, 6-16 / Fone: (14) 3281-2879

COLABORE COM AS ATIVIDADES DO CEAC DOAÇÕES PARA BANCO DO BRASIL AGÊNCIA 0037-X CC 438.888-7

3ª e 5ª - 15h Oradores: Moisés Rossi, Célia Paiva Lima, César Esteves Moron, José Eduardo Fogonholo, Munir Zalaf, Nélson da Silva Bastos, Paulo Estevão e Leila. Domingo - 9h Oradores: Nazil Canarim Júnior, Yara R. Zalaf, Paulo Estevão, Leila, Jorge Salomão e Wellignton Balbo.

• Evangelização infanto juvenil 2ª e 4ª - 20h - Domingo - 9h

Figu eire do

Creche Berçário Nova Esperança Rua Soldado Mario Rodrigues, 1-60 / Fone: (14) 3238-1361

• Palestras Públicas 2ª e 4ª - 20h Oradores: Richard Simonetti, Sidney F. Fernandes, Yara R. Zalaf e Moisés Rossi.

• MEAC - Mocidade Espírita Amor e Caridade Reunião - Sábado - 17h

Lins

Albergue Noturno Serviço de Acolhimento Institucional para Adultos e Famílias - Casa de Passagem Rua Inconfidência, 7-18 Fone: (14) 3222-4881

Reuniões Doutrinárias

Projeto Comini - Assistência a famílias de presidiários e/ou egressos do sistema penitenciário. Contato: Silvia - Assistente Social Fone: 3223-0988

Assistência a hospitais Grupo Irmã Sheila Atendimento a hospitalizados e acompanhantes - Casa de apoio. Contato: Rosa - Tel.: (14) 3236-1363

Passes para crianças Sábado - 9h Reuniões para vibração 3ª - 18h30 Atendimento Fraterno: 1h antes das palestras Fluidoterapia: Após as palestras públicas

Atividades na sede • Coral Amor e Luz Ensaio: 4ª e 6ª - 19h30

Assistência fraternal a enfermos Serviços de fuidoterapia em domícilio para acamados. Contato: Zuleika Tel.: (14) 3223-6269

Visite nosso novo site www.ceac.org.br

• Assistência a gestante - Grupo Gestar Anália Franco Curso para gestantes e confecções de enxovais para bebê. Contato: Sheila / Tel.: (14) 3223-7059 • Sala de costura Adélia Simonetti Reparo de doações e confecções de peças para o serviço assistencial Contato: Anunciata /tel. 3223-8247 • Campanha Nota Fiscal Paulista Contato: Mônica E-mail:monicadabus@uol.com.br ou Escritório do CEAC / Tel.: (14) 3366-3209

JME - Setembro  

Jornal Momento Espírita mês de setembro

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you