Issuu on Google+

GEORGES SEURAT E O NEO-IMPRESSIONISMO


• A contribuição dos pintores impressionistas criação dos movimentos posteriores.

foi decisiva para a

• O impressionismo iniciou o movimento das vanguardas que se desenvolverão nos finais do século XIX e início do século XX.

Estas vanguardas ligaram-se e misturaram-se entre si antes de se difundirem e criarem o seu próprio programa teórico e estético


• A maior parte dos pintores de vanguarda pós-impressionista passaram por este movimento. • Assim temos dentro das vanguardas: -

o Neo - Impressionismo o Pós - Impressionismo; o Fauvismo ; o Simbolismo; o Expressionismo; o Cubismo; o Surrealismo.


O NEO-IMPRESSIONISMO • O termo neo-impressionismo foi criado em 1886 por um crítico de arte chamado Félix Fénelon, para designar um momento da pintura francesa que , se por um lado dava continuidade ao impressionismo , por outro era uma reacção contra ele. •

Aspectos que aproximam este movimento do impressionismo

• • • •

Pintura ao ar livre Temas do quotidiano Paleta de cores claras Preocupação com a representação da luz e da cor


• Aspectos em que se distanciou do impressionismo: - a técnica intuitiva da justaposição de tons na paleta foi substituída pelo método da “ divisão da cor” baseada em estudos científicos da relação entre a cor e a luz; - a desmaterialização da pintura a que havia conduzido o impressionismo, foi substituída por uma composição estruturada com o máximo rigor e as personagens submetidas a uma rigorosa geometria.


O Passeio, Mulher com Sombrinha, 1875, Claude Monet

Jovem a Empoar-se, 18881890, Georges Seurat


A partir da observação das imagens indica: a) o nome dos seus autores ; b) o movimento artístico em que se integram; c) temática;

d) características que as diferenciam;


A partir da observação do “ Campo de Papoilas” de Monet, e dos “ Banhistas em Asniéres” de Seurat, sintetiza as diferentes abordagens destes pintores em relação ao tema paisagem.


IMPRESSIONISMO / NEO-IMPRESSIONISMO • Segunda metade do século XIX, em Paris.

• Segunda metade século XIX, em Paris.

• Pintura intuitiva, espontânea, realizada perante o motivo.

• Esboços ao ar livre, sendo a obra final executada em atelier.

• Temas do quotidiano.

• Os artistas pretendiam captar a luz e os seus efeitos sobre as pessoas e os objectos, em determinado momento.

• Temas do quotidiano. • A obra deixava de ser a representação fugaz do momento, para se tornar numa sólida construção de cores, formas e linhas.


IMPRESSIONISMO

/ NEO-IMPRESSIONISMO

• Foram influenciados pelas descobertas cientificas da cor , da luz e da percepção, resultantes dos estudos de Isacc Newton, Chevreul, e Thomas Young. • Aplicavam nas suas obras a lei do contraste simultâneo das cores, pela qual, quando duas cores complementares eram postas em contraste valorizavam-se mutuamente.

• Georges Seurat também foi influenciado por estas descobertas e mostrou-se muito receptivo às teorias de Chevreul, sobre o “ contraste simultâneo das cores”.

• Para além disso, estudou afincadamente a obra de Charles Blanc, Ogden Rood . • Formulou a sua própria teoria baseada na harmonia cromática ( à base do uso exclusivo das cores complementares) e


IMPRESSIONISMO

/

• Procuravam harmonizar nas suas obras os efeitos de “ cor/luz”, colocando sobre a tela pinceladas justapostas de cor pura.

• A tinta era aplicada em pinceladas curtas, rápidas e impulsivas, de um modo intuitivo.

NEO-IMPRESSIONISMO no valor das linhas construtivas (ascendentes, descendentes e horizontais). • A técnica intuitiva da justaposição de tons sobre a tela praticada pelos impressionistas, foi substituída pela aplicação de pequenos pontos de tons complementares juntos uns dos outros ( técnica Pontilhista). • A divisão dos tons era feita na paleta ( Divisionismo) .


IMPRESSIONISMO / NEO-IMPRESSIONISMO • A percepção da cor resultava da mistura de tons de corpigmento sobre a tela.

Cabia à cor definir o espaço e a fronteira entre as imagens, que deixavam de ser limitadas pela linha do contorno.

Principais representantes: Monet, Degas, Renoir, Sisley, Pissarro, Berthe Morisot…

O objectivo deste processo era que a leitura da cor resultasse da mistura óptica desses tons na retina .

As figuras apresentavam-se geometrizadas e com contornos bem definidos.

• Principais Georges Pissarro

representantes: Seurat, Signac,


CIRCULO CROMÁTICO Cores complementares são cores que se encontram no lado oposto do círculo cromático. Exemplo: a cor complementar do vermelho é o verde, a do amarelo é o violeta.


GEORGES SEURAT • Foi o principal representante deste movimento.

•Dedicou-se exaustivamente aos estudos científicos da cor e da luz.

•Ingressou na Escola de Belas Artes, foi aluno de Henri Lehman, discipulo de Ingres. Inspirou-se na obra de Delacroix e na dos artistas de Barbizon. •Desenvolveu um método que consistia na justaposição , sobre a tela, de pequenos pontos de cor pura, que observados a uma certa distância, se misturavam na retina. •A sua 1ª grande obra foi “ Banhistas em Asnières”, que serviu de preparação à obra “ Domingo à tarde na Ilha da Grande Jatte”, onde verdadeiramente aplica a técnica Pontilhista. •Esta obra foi apresentada em 1886, na última exposição impressionista, e valeu a Seurat o reconhecimento como um dos lideres desta vanguarda artística.


• Das suas obras destacam-se: “ Um Domingo à Tarde na Ilha da Grande Jatte “; “ Os Modelos” e “ O Circo”. •Nos seus quadros nada era deixado ao acaso , à ideia artística espontânea ou à inspiração. • As obras finais de Seurat eram precedidas de um trabalho exaustivo de esboços e apontamentos que executava do natural, sendo as suas • obras realizadas em atelier. •Seurat morreu prematuramente aos 31 anos de idade.


ALGUMAS DAS OBRAS MAIS REPRESENTATIVAS DE GEORGES SEURAT( 1859-1891)


Banhistas em Asniéres, 1883-1884 Este quadro não foi aceite no Salão oficial, e como tal Seurat enviou-o ao Salão dos Independentes. É um quadro de grandes dimensões (2x3m) ; o pintor enalteceu o motivo impressionista da cena do banho. O local situa-se na margem esquerda do Sena. As figuras permanecem imóveis e a luz e as cores do quadro facilitam a impressão de uma tarde quente de Verão.


Banhistas em Asniéres foi o primeiro quadro de Seurat que foi preparado com imensos estudos e croquis

Giz Conté sobre papel e Óleo sobre tela


Domingo Ă  tarde na Ilha da Grande Jatte, 1884-1886


• Obra monumental, 2,05x3,04 ( página 155 do manual) •

Seurat trabalhou neste quadro durante dois anos .

• Fez 72 estudos preparatórios, a óleo.

• Foi exibida na última exposição impressionista em 1886, e fez furor quer pela novidade do tema modernista, quer pela técnica inovadora que apresentava , e pela aplicação pormenorizada e precisa dos minúsculos pontos de tinta. • Esta obra foi também fortemente criticada pelos pintores, críticos e público em geral, devido à técnica inovadora que nela era aplicada.


• Representa parisienses gozando um dia de sol na Ilha da Grande Jatte. • Nela podemos observar: os barcos no Sena;

• pessoas de várias classes sociais sozinhas ou em grupo; • várias pessoas estão representadas de perfil, reflectindo a influência do Antigo Egípcio, que Seurat estudava na altura; • a moda de 1880


• A tinta é aplicada de formas variadas: as manchas de tinta são cruzadas para obter o verde da relva, enquanto são aplicadas em camadas horizontais para a água. • As cores são reduzidas aos tons básicos; • As linhas são criadas na pintura pela limitação das áreas de cor ou pela obtenção de contrastes. • Resalta a poderosa estrutura do quadro , apoiada numa forte teorização . Notam-se as linhas horizontais e verticais. • A moldura que envolve o quadro também é feita com a mesma técnica.


Modelos, 1887-88 Este quadro surge como consequência das criticas que censuravam Seurat por a sua técnica pontilhista só ser aplicável às paisagens e provocar uma grande rigidez nas figuras. Seurat começa a fazer estudos de figura e surge este quadro onde ele reinterpretou o tema clássico das Três Graças.


Os Modelos, 1886-1888 Nesta vers達o Seurat optou por acentuar mais as cores. Os pontos s達o maiores e colocados de forma irregular o que confere maior vivacidade e proximidade com a realidade.


Todos os quadros de Seurat sĂŁo precedidos de inĂşmeros estudos como se Pode ver mais uma vez, nas imagens.


Sobre os quadros Modelos… • As figuras nuas, estão colocadas num espaço fechado. • Antes da aplicação Pontilhista o quadro teve uma imprimadura ocre. • No colorido predomina o violeta-vermelho que unifica a tonalidade do quadro e que está particularmente presente no fundo.

• Para dar um maior equilíbrio o pintor juntou ao corpo dos modelos pontos laranjas e amarelos.

• Este quadro surgiu na sequência de uma crítica que lhe foi feita, de que o Pontilhismo só podia ser aplicado à paisagem.


O CIRCO, 1890-1891 Esta obra sobre a temática do circo ficou incompleta devido à morte prematura de Seurat, aos 31 anos. Nesta obra usou 4 cores fundamentais: vermelho, amarelo e azul e 8 cores intermédias. Tomou como referência a ambiência e os artistas do Circo Médrano. Neste quadro o efeito do espaço é reforçado pelo declive do parapeito branco, pela redução da perspectiva do cavalo e da artista e sobretudo pela figura do palhaço, que sobressai pelo tamanho e pelo colorido.


• Para a concretização deste quadro, estudou o movimento dos palhaços, dançarinas e apresentadores.

• O tema do espectáculo foi bastante utilizado pelos impressionistas, neo-impressionistas e pós-impressionistas.

• A acrobata em cima do cavalo simboliza a dinâmica do movimento.

• Linhas em ziguezague, diagonais, e linhas horizontais conferem uma grande dinâmica ao quadro.


OUTROS PINTORES QUE ADERIRAM AO PONTILHISMO: PAUL SIGNAC E CAMILLE PISSARRO


Paul Signac: Port St. Tropez, ( 1899)


Palรกcio dos Papas, Paul Signac


Camille Pissarro


Neo- Impressionismo