Issuu on Google+

O FAUVISMO E O EXPRESSIONISMO ALEMテグ O Percurso Artテュstico de Kandinsky


O FAUVISMO  O termo “ fauvismo” deriva de “Fauve- fera” .  Foi utilizado pela primeira vez por Louis Vauxcelles, quando da exposição de

pintura no Salão de Outono de 1905, em Paris.  Foi considerado o primeiro movimento de renovação da pintura francesa

depois do Impressionismo.

INFLUÊNCIAS:  As obras dos pós-impressionistas que foram apresentadas em retrospectiva

neste período: Van Gogh em 1901 e em 1905; Paul Cézanne em 1904 e 1906; e também a obra de Paul Gauguin.


CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS E FORMAIS  Este movimento pretendia anular toda a teorização na arte.  A pintura devia transmitir ao espectador emoções estéticas 

 

 

profundas através da exaltação das cores. Estas eram aplicadas em tons puros, fortes e contrastantes, directamente na tela, sem modelado e sem profundidade. As formas apresentavam-se simplificadas e planificadas e o tratamento do espaço era intuitivo, livre e bidimensional. A expressão é dada pela linhas e pelas cores, aplicadas ora lisas e finas, ora texturadas, em pinceladas directas e emotivas. A construção do espaço pictórico resultava do emprego da cor e não do desenho. As sombras eram fortemente contrastadas e o conhecimento da teoria das complementares estava presentes na maior parte das obras dos fauves. As cores eram antinaturalistas.


A TEMÁTICA

 Não era importante para estes pintores.  A maior parte destes artistas destacou-se pelo individualismo, e as

suas obras não apresentavam conotações políticas, sociais ou outras. REPRESENTANTES  O fauvismo não foi um movimento uniforme, foi uma tendência

plástica que uniu pintores como:

HENRI MATISSE ANDRÉ DERAIN MAURICE VLAMINK ALBERT MARQUET entre outros.


 Cerca

de 1908 o fauvismo extinguiu-se por experimentalismo abrindo caminho a novos percursos.

excesso

de

 Enquanto MATISSE aprofundou as suas pesquisas em torno da

autonomia da cor, criando obras cada vez mais decorativas e abstractas, BRAQUE e DERAIN evoluíram para a construção de formas que os conduziram ao CUBISMO, VLAMINK E ROUALT integraram o EXPRESSIONISMO.


HENRI MATISSE


HENRI MATISSE

 Líder do fauvismo é considerado um dos artistas mais influentes do

século XX.  Abandonou a profissão de advogado para se dedicar à pintura.

 Entrou para a escola de Belas Artes de Paris onde recebeu

formação académica. 

Juntamente com Albert Marquet , foi admitido no atelier do pintor simbolista Gustave Moureau, começando a interessar-se pela pintura da época, assim como pela obra dos pintores impressionistas e pós-impressionistas.

São manifestas as influências de Gauguin, Cézanne e de Van Gogh , na sua obra.


 Mais tarde leu o tratado de Signac e experimentou o Pontilhismo,

embora sem aceitar a minuciosa técnica pontilhista , nem a justaposição matemática dos pontos de cor.  Posteriormente os seus trabalhos denunciam uma nova tendência que

valoriza as curvas e o arabesco e exalta a cor pura e vibrante, à margem da realidade.  As pinceladas são espontâneas, as cores planas e rejeita a perspectiva

clássica.  A autonomia da cor é valorizada.


Influ|encia de Signac


MULHER DE CHAPÉU , 1905 e RETRATO COM RISCA VERDE( SENHORA MATISSE), 1905


Matisse, retrato de Derain


 Em 1905, expõe no Salão de Outono, com os artistas que vão constituir

o denominado grupo fauve.  As suas oras , essencialmente retratos, naturezas mortas, paisagens,

consistem em quadros optimistas, alegres e harmoniosos.


 EM 1906 partiu para a ARGÉLIA, onde visitou o oásis de Biskra. Daí

trouxe várias peças de cerâmica e tecidos, cujos motivos decorativos passaram a fazer parte do s seus quadros.  A arte islâmica tornou-se uma referência na sua pintura. O objectivo

que pretendia alcançar era obter o máximo esplendor com o mínimo esforço, e o método preferido era o ornamento gracioso do arabesco.  Os tapetes orientais também lhe serviram de inspiração.  O Quadro “ Mesa Posta, (harmonia vermelha), é exemplo desse

interesse.


MATISSE MESA POSTA ( HARMONIA VERMELHA), 1908


Esta obra “ a Dança” assim como “ a Música”, resultou de uma encomenda feita pelo seu mecenas S. Chtschoukine, para decorar as paredes da sua casa, e são inspiradas nas cerâmicas e miniaturas persas que até ao séc. XVIII, utilizavam o vermelho, o verde e o azul nas peças ornamentais.


“ A Música”- Nesta obra cada figura está isolada e ordenada como as notas musicais.


 Em 1906 também conheceu Picasso, com quem compartilhava o gosto

pela escultura africana.  Embora nunca se tenha associado aos cubistas , foi influenciado pelas

obras destes pintores. 

Banhistas à Margem de um Rio,1917


 Em 1918 estabeleceu-se em Nice e Vence, na Riviera Francesa , onde

produziu em abundância , desenhos , estampas, ilustrações de livros, esculturas.  Interessou-se pelo espaço e profundidade e parte das suas obras desta

altura são sensuais e luxuriosas e nelas continuam a predominar os efeitos decorativos.


ODALISCA COM CALÇA VERMELHA, 1924/1925 FIGURA DECORATIVA SOBRE FUNDO ORNAMENTAL, 1925


 Entre 1949 a 1951, Matisse executou a decoração dos vitrais da Capela

de Santa Maria do Rosário em Vince.  Nos últimos anos de vida , cortou papéis coloridos e arranjando as

formas segundo padrões abstractos. “ Os recortes de papel , permitem-me desenhar directamente na cor. Em vez de desenhar o contorno e preenchê-lo de cor (…) desenho directamente na cor.”


DERAIN, explorou os contrastes cromĂĄticos em paisagens e retratos de cores antinaturalistas Ă  maneira de Gauguin.


Derain, Catedral de s. Paul


VLAMINCK, pintor de expressão exagerada e dinâmica que à maneira de Van Gogh pintou telas de um cromatismo gritante.


Marquet, Nu Fauve


MARQUET. Pintou sobretudo retratos e nus, de grande qualidade no desenho. Após o período fauve dedicou-se exclusivamente à paisagem e a sua expressão tornou-se mais suave e espiritual.


 O Expressionismo Alemão: contextualização histórica, influências,

características dos movimentos “ Die BrucKe” e “ Der Blaue Reiter” e representantes.  O percurso artístico de Kandinsky.


EXPRESSIONISMO ALEMÂO DIE BRUCKE- A PONTE  Designa-se por Expressionismo uma corrente artística que

surgiu na Alemanha na 1ª metade do século XX, em simultâneo com o Fauvismo em França.

 Teve uma maior duração (1905-1930) e foi mais abrangente.  O seu programa estendeu-se a vários domínios da actividade

artística como escultura, pintura, arquitectura, literatura, teatro, música e cinema.

 Os pintores expressionistas alemães organizaram-se em dois

movimentos: “ Die Bruke- A Ponte”e “ Der Blaue Reiter”ou Cavaleiro Azul.

 Este movimento foi o reflexo dos tempos conturbados que


antecederam e acompanharam a 1ª Grande Guerra e do situação política, económica e social da Alemanha antes da guerra. - aceleração industrial e tecnológica; - grande crescimento urbano; - tensões sociais e políticas; - aceleração do consumo; - desenraizamento das populações; - agressividade alemã no que respeita ao armamento e à criação de um espaço vital.


INFLUÊNCIAS

 Dos pintores pós-impressionistas, principalmente Van Gogh.  Da obra de Munch ( cujos temas eram emocionais, subjectivos,

    

enigmáticos e de grande dramatismo, reflectindo uma obsessão mórbida pela angústia, solidão e desespero). De James Ensor ( pintor de máscaras e do macabro, onde sobressaem fisionomias deformadas e caricaturas, de cores vibrantes e de grande sentido satírico). Da Filosofia negativista de Nietzche, Da obra de Kafka Das teorias de Husserl, Bergson, Worringer Da Teoria psicanalítica de Freud Dos Simbolistas e Românticos


 Da arte negra e tribal, cuja expressão era considerada genuína.  Das imagens arcaicas e infantis, simplificadas e deformadas e

portanto isentas de quaisquer influências da arte moderna.


EDVARD MUNCH- A MELANCOLIA Pintor Sueco (1863-1944); Inegável precursor do expressionismo, e à semelhança de Van Gogh e Gauguin, um importante pioneiro da pintura moderna.  Dedicou-se à exploração do sentimento trágico do homem.  Em 1885, visitou Paris e descobriu a pintura impressionista;  Mais tarde entusiasmou-se pela obra de Gauguin, Van Gogh e ToulouseLautrec.  

Os seus temas mais recorrentes consistem na abordagem negativista da angústia, da morte, recorrendo sempre a imagens de um intenso dramatismo.

O GRITO constitui a obra que, através de uma contínua curvatura na aplicação da cor, melhor projecta o terror individual e psíquico, além de consistir no exemplo perfeito para explicar a força expressiva de uma criatividade que provocará grande impacto, nos artistas alemães.


O Grito, Munch


JAMES ENSOR Pintor e desenhador Belga, a sua originalidade e desconcertante produção, coloca-o como um dos precursores da pintura contemporânea do século XX, abrindo caminho ao expressionismo e ao surrealismo. A temática deste pintor é peculiar, subjectiva e simbólica e na qual abundam , a partir de 1883, as figuras com máscaras, como símbolos significativos e satíricos da hipocrisia social, acompanhados de imagens fantásticas, tétricas, mortuárias, como esqueletos e ataudes. Os seus temas são sobretudo religiosos, não sem algumas referências à sexualidade.


O Banquete


CARACTERÍSTICAS TEMÁTICAS E FORMAIS DO MOVIMENTO “DIE BRUCKE”.  Surgiu em 1905 na cidade de Dresden. 

Foi fundado por: Kirschner Erich Heckel Schmidt- Rottluff Emil Nolde, entre outros

 Para os pintores expressionistas a obra passa a ser o veículo do

universo subjectivo do artista.


 Estes pretendiam expressar os sentimentos e as angústias da alma

humana, através de cores intensas, ora violentas e contrastadas ,ora sombrias, aplicadas com pinceladas bruscas, por vezes matéricas e texturadas.

 As

figuras apresentavam-se propositadamente deformadas contornadas por linhas a negro, com traços angulosos e rígidos, acentuando a ideia de dramatismo, angústia e até violência.

 A execução era espontânea e temperamental, originando que por

vezes as obras parecessem esboços toscos e inacabados, com espaços da tela por pintar.

 A obra pretendia ser a evocação do drama humano ou uma

interpretação da relação do Homem com o Mundo.


A aplicação dos processos técnicos da xilogravura e da gravura sobre metal, usados por Kirchner e Nolde, permitiram-lhes inovar em termos artísticos, pois souberam aproveitar as suas potencialidades expressivas  . 

TEMÁTICA

     

Sexualidade, erotismo, Cenas de rua ou de cafés e cabarés Mundo da prostituição e da miséria urbana Retratos e auto-retratos Vida burguesa e marginalidade Os temas eram figurativos, retirados da realidade e com fortes conotações sociais e políticas.


 De 1905 a 1913 o grupo Die BruKe fez várias exposições.  A 1ª Guerra provocou a dispersão do grupo e o desaparecimento de

alguns artistas.  Após a 1ª guerra o expressionismo “Die Brucke” renasceu em moldes

diferentes, reflectindo o desespero, o delírio e a desordem sentidos pelo povo alemão após o conflito.  Este

novo movimento expressionista chamou-se “ NOVA OBJECTIVIDADE” e teve como representantes Otto Dix, Georges Grosz, Max Beckmann.


PERCURSO ARTÍSTICO DE ERNST KIRCHNER

• Nasceu na Alemanha em 1880 e morreu na Suiça em 1938.

• Foi um dos fundadores do Expressionismo Alemão,

formando o grupo “Die Bruke”, em Dresden, em conjunto com outros três estudantes de arquitectura. • Pretendia libertar a arte dos seus valores formais e tradicionais . • Utilizou frequentemente a técnica da xilogravura. • Em 1911, vai para Berlim, época durante a qual o pintor explorou até ao limite a capacidade expressiva da cor, a deformação das linhas e a acentuação dos contrastes cromáticos, em temas urbanos onde prevalecem as vistas da cidade, paisagens, retratos de companheiros, corpo humano nu, cenas de circo e de music-hall.


• Estas temáticas inscrevem-se num registo de critica social,

num sentido irónico , grotesco ou dramático da condição humana. • Quando se declara a 1ª Guerra Mundial, Kirchner transmitiu para

o seu trabalho as suas perturbações. A destruição da figura humana foi uma das características desta época.

• As suas inquietações, abrem caminho às formas de arte que seriam

mais tarde consideradas pelos nazis como “ arte degenerada


GRUPO QUE COMPUNHA DIE BRUCkE


KIRCHNER


XILOGRAVURAS de KIRCHNER


KARL SCHMIDT-ROTTLUFF


Rottluff


EMIL NOLDE


NOLDE


ERICH HECKEL


Rapariga com Boneca


 Após a primeira guerra mundial, o grupo Die Brucke dissolveu-se,

mas influenciou a fundação do movimento “ Nova Objectividade”. 

Fundada por Otto Dix e George Grosz, foi marcada pelo pessimismo existencial decorrente dos horrores da guerra, e caracterizou-se por uma atitude irónica e cínica perante a sociedade.

Este período do Expressionismo transformou-se em movimento internacional, podendo-se perceber a influência dos alemães no trabalho de artistas de várias partes do mundo, entre eles, os austríacos Oskar Kokoschka e Egon Schiele, os franceses Georges Rouault, Chaïm Soutine, o búlgaro nacionalizado francês Jules Pascin e o norteamericano Max Weber .

 Em 1933, foram acusados pelos nazis de promoverem uma “ arte

degenerada”


ALGUNS EXEMPLOS DA CHAMADA “ ARTE DEGENERADA” MAX BECKMANN


OTTO DIX


GEORG GROZ


DER BLAUE REITER- O CAVALEIRO AZUL  Surgiu em Munique em 1910.  Foi fundado por Kandinsky a que se juntou August Macke, Franz

Marc e Paul Klee.

 O objectivo do grupo era unir sob um mesmo ideal artístico

criadores de várias nacionalidades e de diferentes expressões , ultrapassando as barreiras culturais e ideológicas.

 Visavam a criação de uma arte livre, não dirigida a um público

especial, que nascesse da meditação e da “necessidade interior” Kandinsky), de cada artista, na procura da harmonia espiritual.

 Estes artistas difundiram as suas ideias em várias revistas e no

almanaque do grupo” O Cavaleiro Azul”, criado em 1911


e cujo 1º exemplar saiu em 1912.

 Também em 1912, a obra “ Do Espiritual da Arte” de

Kandinsky, compilou a filosofia do movimento, comparando a linguagem plástica com a musical, e definindo a obra como resultado de uma “necessidade interior”, à qual se acede através da “ intuição “ ou “empatia”. 

Também foram realizadas duas exposições.


CARACTERÍSTICAS TEMÁTICAS E TÉCNICAS  Preferência por temáticas naturalistas, de sentido algo

irreal e alegórico, como paisagens naturais e urbanas, por vezes com cenas sociais incluídas e cenas da vida animal.  Execução reflectida e pensada ( processo de criação/execução

menos intuitiva e menos imediata que do grupo Die Brucke), aliada a uma simplificação dos meios utilizados;  Simplificação e geometrização das formas, com tendência

para uma crescente abstraccionismo dos motivos; valorização da mancha cromática na construção das formas; utilização das cores antinaturais, arbitrárias, mas claras e líricas, com sentido de complementaridade;


 Composições equilibradas, orientadas muitas vezes por linhas

circulares e sinuosas, segundo ritmos musicais;  Uma expressividade que incide no lirismo, na emotividade,

na tranquilidade e na paz, explorando o sentido mágico e místico dos conteúdos, de onde se depreende uma certa musicalidade.  Este grupo reflecte a influência de pintores como Cézanne ( na

busca da autonomia do quadro em relação à natureza e no tratamento do espaço), e Matisse ( pelo tratamento mágico e lírico da cor).


Franz Marc


FRANZ MARC


TRÊS GATOS


A VACA AMARELA e VEADOS NA FLORESTA


KANDINSKY, Improvisação


Kandinsky, Composição


PAUL KLEE


O PERCURSO ARTÍSTICO DE KANDINSKY

 Wassily Kandinsky nasceu em Moscovo. ( 1866-1944)  A sua educação abrangeu o estudo do desenho, da música e

aprendeu a tocar piano e violoncelo.  Licenciou-se

em Direito Universidade de Moscovo.

e

Economia

Política

na

 Em 1889 viajou pela Rússia, onde contactou com os hábitos e

cultura das comunidades camponesas, que mais tarde influenciaram os seus primeiros trabalhos.


“Cidade Antiga” – 1902


“Cena russa” – 1904


 Viveu em Paris um ano, onde foi influenciado pelas artes

aplicadas e gráficas, pelo Fauvismo e pela obra de Monet.  Sempre fascinado pela pintura e pela música empenhou-se ao

longo do seu percurso artístico em relacioná-las entre si.  Aos 30 anos mudou-se para Munique, onde conheceu Paul Klee

, músico de formação e que comunga com ele ideias semelhantes sobre a arte.  Fundou várias associações de artistas, entre elas a “ Phalanx”

em 1901; depois em 1909 , a “ Nova Associação de Artistas de Munique”, da qual sairia o núcleo principal do grupo expressionista Der Blauer Reiter.


 Em Munique, Kandinsky começa a eliminar das suas obras o

elemento figurativo num processo que o conduziria à abstracção.  A partir dessa altura inicia uma reflexão teórica sobre o

conceito de abstracção, enquanto expressão de uma necessidade interior.  Não repudiava completamente a representação , mas afirmava

que o artista “puro”devia expressar somente sentimentos “ interiores e essenciais”, e ignorar o que fosse superficial e fortuito.


KANDINSKY, Primeira Aguarela Abstracta


 Em 1910 apresentou as ideias síntese na obra que viria a ser

conhecida como “ O Espiritual da Arte”, e pintou a sua primeira obra não figurativa, uma aguarela abstracta.  No “ Espiritual da Arte”,

defende o conceito de arte como “uma necessidade interior”; e propõe um conjunto de significados para os elementos da linguagem plástica: linhas, formas e cores, passam a ter um valor e um significado próprios.

 Assim:  as formas sugerem drama e movimento;

as cores intensas criam o sentido do espaço;  as linhas conferem à pintura ritmo e dinâmica. 


 Ele atribui às cores não valores ópticos – perceptivos, mas valores

espirituais. Por exemplo, enquanto o amarelo é cor terrena, o turquesa é cor celeste.

Estabelece antíteses fundamentais: as cores frias e as cores quentes, o branco e o preto; as cores que se aproximam de quem as observa, como o amarelo e, mais ainda, o laranja; as cores que se afastam, como o turquesa e o violeta;

 – O vermelho que tem movimento próprio e denota imobilidade

em relação ao observador.


 Numa analogia com a música, organiza a tela como se fosse um

composição musical.  Desde 1909, começou a dividir os seus quadros em três grupos,

Impressões; Improvisações; Composições.  A ordem que utiliza não é sequencial


A Identidade Música-Pintura na obra de Kandinsky  Kandinsky afirma que, “ de uma forma geral, a cor é o meio de

exercer uma influência directa na alma. A cor é a tecla. O olhar é o martelo. A alma é um piano de muitas cordas”. Se é certo que “o som musical tem um aceso directo à alma, e aí encontra de imediato uma ressonância, porque o Homem tem a música em si mesmo”, quem pode negar por isso que também pode ser válido para a pintura? (…)  Por isso Kandinsky recorreu largamente ao modelo da música(…). As manchas pictóricas, justapostas com violência que é, ao mesmo tempo, de um extremo requinte, ecoam como notas de uma sinfonia de fortes contrastes. Não é por acaso que, a partir de 1910, as obras de Kandinsky se intitulam na sua maioria, “improvisações”, “composições”, e “impressões”, e são numeradas como os trechos musicais.  Sprocati, Guia de História de Arte, Editorial Presença


a) IMPRESSÕES ( género de pintura que representava as ” impressões directas da natureza exterior sob uma forma desenhada e pintada);


b) IMPROVISAÇÕES ( género de pintura que pretendia reflectir emoções espontâneas, de natureza interior);


c)COMPOSIÇÕES ( trabalhos mais elaborados, objectos de muitos estudos preparatórios, que o artista vai realizando demoradamente


 Em 1911, formou a segunda vanguarda expressionista, em

Munique, denominada Der Blauer Reiter, e constituída por Kandinsky, Franz Marc, Auguste Macke , Jawlensky e Paul Klee.

 Em Outubro de 1912 é também publicado o Almanaque do

Cavaleiro Azul, (composto por um conjunto de ideias e ilustrações, que abrangiam desenhos infantis, gravuras medievais, arte primitiva e arte moderna, associadas a canções de Schonberg e de outros compositores), e que foram o ponto de partida para a arte do século XX e à arte abstracta.


 Com o deflagrar da 1ª Guerra, Kandinsky parte para Moscovo

e durante os anos de 1918 a 1921, colaborou com o regime bolchevique no programa de renovação cultural, fundando museus, organizando Academias, publicando obras.  Foi o responsável pela organização e gestão do Instituto de

Cultura Artística de Moscovo, no qual o ensino artístico se baseava nas suas ideias.  Em 1921, Walter Gropius convidou-o a leccionar na Bauhaus,

em Weimar.


 Alguns dos seus trabalhos dos anos 20 apresentam:  uma combinação de formas livres e elementos circulares,

como em Círculos num Círculo (1923 ),  e elementos geométricos, como em “ Amarelo, Vermelho e Azul”

(1925), derivando para um gosto acentuado pela diagonal e pela cor viva.


“Vermelho – Amarelo - Azul” – 1923


Composição VIII, 1923; Alguns Círculos, 1926


Swinging, 1925


 Após 1922, caíra em desgraça na URSS, devido às ideias

bolcheviques preconizarem uma arte mais virada para o “Realismo Socialista”.  Os seus quadros foram retirados dos museus e a sua obra

deixou de ser apresentada na URSS.  A sua passagem pela Bauhaus também reflectiu o percurso

acidentado desta escola. Quando esta se deslocou para Dessau, Kandinky e Paul Klee, pediram a Gropius para introduzir aulas de pintura livre, a fim de poderem continuar as suas pesquisas sobre pintura.


 Em 1926, em Munique, foi apresentado o 2º trabalho teórico de

Kandinky, “ Ponto e Linha em Relação à Superfície”.  Com a demissão de Gropius a Bauhaus vive tempos conturbados,

acabando por ser encerrada pelos nazis em 1932.  Em 1933, Kandinky parte para Paris, acabando por se naturalizar

francês . Aí desenvolve uma linguagem abstracta com um estilo próximo de Miró.  Morreu em 1944 em Neuilly-sur-Seine, aos 78 anos de idade.


CĂŠu Azul, 1940


O Composto Simples, 1939


O Fauvismo e o expressionismo