Issuu on Google+

A ARQUITECTURA ROMÂNTICA NA EUROPA E EM PORTUGAL


A ARQUITECTURA DO ROMANTISMO 

A arquitectura romântica caracteriza-se : - pela irregularidade; - pelo organicismo das formas;

- pelos efeitos de luz; - pelo movimento dos planos ; - pelo pitoresco da decoração .  A arquitectura devia de provocar emoções; motivar estados de

espírito; transmitir ideias.


 As primeiras manifestações do romantismo aparecem nos

jardins que desde os finais do século XVIII misturam: 

as características do jardim francês( organizado , simétrico);

 com as características do jardim inglês ( natural, selvagem,

semeado de pavilhões e falsas ruínas).  Os arquitectos do romantismo utilizavam como materiais:

- o vidro e o tijolo vidrado( por vezes deixando as estruturas à vista e a decoração ); - e os materiais naturais.


 A arquitectura romântica caracteriza-se essencialmente:

- pela recuperação e reprodução de estilos do passado, destacando-se o período medieval ; 

assim como pela utilização de elementos das culturas exóticas (orientais e do Norte de África ). - A Idade Médiaf oi a época de eleição para os primeiros revivalismos,;

 e teve como teorizadores em Inglaterra, August Pugin ( arquitecto )

e Jonh Ruskin ( crítico de arte); 

e na França, Chateaubriant e Viollet – le- Duc. ( página 120)


 Edifícios que representam esta tendência revivalista:

- Palácio do Parlamento, em Londres;  Recuperação das Muralhas de Carcassonne, em França;  Assim como as obras de restauro nas catedrais góticas de

Notre Dame; Amiens; Reims e Chartres.

 Na Alemanha a construção do Castelo de Neuschwanstein,

mandado edificar por Luís da Baviera, nos Alpes Bávaros.


Casas do Parlamento - Edif铆cio Neog贸tico

Casas do Parlamento - Londres


CASAS DO PARLAMENTO, Charles Barry e August Pugin


Big Ben


PAGODE CHINÊS, Jardim de Kew de William Chambers Edifício Exótico


CASTELO DE NEAUCHWENSTEIN, George van Dollman Edif铆cio Neog贸tico


Interior do Castelo de Newschvanstein


Muralhas de Carcassonne - restauro de um monumento medieval


Carcassonne


 Ao longo do século XIX, a forte tendência historicista originou a

proliferação de outros revivalismos: - NEO-ROMÂNICO - NEO-RENASCENTISTA - NEOBIZANTINO - NEOBARROCO  Também apareceram os ECLETISMOS que consiste em combinar vários

estilos num mesmo edifícios como: - ÓPERA DE PARIS, de Charles Garnier


ÓPERA DE PARIS, Charles Garnier Características neoclássicas e barrocas


EDIFÍCIOS EXÓTICOS

 O Romântico alimenta a paixão pelas viagens, logo é atraído pelas

civilizações exóticas e pela excentricidade.

 O primeiro exemplo deste gosto surge em Inglaterra, com o

Pavilhão Real de Brighton, de John Nash , em estilo indomuçulmano.


PAVILHテグ REAL DE BRIGHTON, Jonh Nash Edifテュcio exテウtico


ARQUITECTURA REVIVALISTA ROMÂNTICA EM PORTUGAL, manifestou-se ao longo do século XIX e prolongou-se em alguns casos pelo XX. Caracterizou-se:

PELO RENOVADO INTERESSE PELA NATUREZA, PELA PAISAGEM E PELA VIDA NO CAMPO PELA EXALTAÇÃO NACIONALISTA


PELA DEFESA INTRANSIGENTE DA CULTURA NACIONAL E PELO CULTO DO PASSADO HISTÓRICO. Porquê?

PELA GLORIFICAÇÃO DO ESTILO MANUELINO, QUE PASSOU A SER CONSIDERADO O ESTILO NACIONAL


PELO INTERESSE MANIFESTADO AO NÍVEL DO RESTAURO E CONSERVAÇÃO DOS MONUMENTOS NACIONAIS, principalmente os que se reportavam ao GÓTICO

A CASA DOS BICOS; TORRE DE BELÉM; MOSTEIRO DOS JERÓNIMOS; CONVENTO DE CRISTO em Tomar, foram restaurados.

D. FERNANDO DE SAXE COBURGO GOTTA, marido de D:MARIAII, torna-se o exemplo do homem romântico ao mandar construir o PALÁCIO DA PENA


DE INFLUÊNCIA NEOMANUELINA temos:

PALÁCIO DA PENA. Barão Eschevega

PALÁCIO DA REGALEIRA, Luigi Manini

RESTAURO DOS GERÓNIMOS, Cinatti

A ESTAÇÃO DO ROSSIO de Luís Monteiro

PALÁCIO DO BUÇACO , de Luigi Manini


NO SÉCULO XIX TAMBÉM SE MANIFESTOU EM PORTUGAL UM REVIVALISMO DE INFLUÊNCIA FRANCESA TRAZIDO PELOS ARQUITECTOS QUE ESTAGIAVAM EM FRANÇA.

EX: HOTEL AVENIDA PALACE

O NEOGÓTICO , encontra-se muito representado em MORADIAS PARTICULARES, JAZIGOS E IGREJAS

O S EXOTISMOS manifestaram-se na PRAÇA DE TOUROS DO CAMPO PEQUENO, no PALÁCIO DE MONSERRATE


PALテ,IO NACIONAL DA PENA


PALテ,IO DA PENA


PALÁCIO NACIONAL DA PENA : algumas questões 1. Quem o mandou construir? 2. Quem foi o autor do projecto? 3. Que vestígios existiam no local?

4. Como se caracteriza sob o ponto de vista arquitectónico? 5. Identifica os estilos que se encontram representados no Palácio da Pena. 6. Quais os edifícios que lhe serviram de referência?


RESPOSTAS 1. D. Fernando de Saxe-Coburgo Gotta, marido de D. Maria II. 2. O Barão de Eschevege , de origem alemão e o príncipe consorte D. Fernando que foi dando imensas sugestões. 3. As ruínas do antigo convento de frades Jerónimos, erguido no reinado de D.João II e que tinha sido transformado por D. Manuel. Devido ao terramoto de 1755, o convento focou muito arruinado. D. Fernando mandou reconstruir o convento e ordenou a construção do Palácio que se destinava a residência de Verão da família real portuguesa. 4- Edifício eclético, onde se podem encontrar uma grande mistura de estilos como: neo-gótico; neo-manuelino, neo-islâmico; neorenascentista…e indu. 5- Vestígios medievais : ponte levadiça; torre do relógio; ameias; arcos góticos; Influências exóticas: pátio mourisco; azulejos neo-hispânicos-árabes; no interior a sala indiana; a sala árabe (…)


 Influências manuelino: nos elementos decorativos como :cordas,

conchas , elementos marinhos, esferas armilares (…)  Características românticas: interiores exóticos; espaços

confortáveis e intimistas; trabalhos em estuque, materiais fingidos; pinturas murais em trompe loeil, gosto pelo bricabraque e pelo coleccionismo; aproveitamento das antigas ruínas do convento que foram deixadas a descoberto.  6- Influências mouriscas e mudéjares espanholas; dos edifícios

manuelinos dos quais se destaca a Torre de Belém; o Mosteiro dos Jerónimos; Casa dos Bicos; janela do convento de Cristo de Tomar ; o do Palácio da Vila. 

Jardins à inglesa: com pontes, grutas, bancos de jardim, fontes, lagos, espécies vegetais de todo o mundo misturadas, que dão um aspecto exuberante à paisagem. Construção de pavilhões de caça, estufas e viveiros com plantas.


QUINTA DA REGALEIRA- Luigi Manini, edifĂ­cio neo -manuelino


QUINTA DA REGALEIRA 1- Elabora um pequeno texto sobre a história deste edifício.

2- Indica o arquitecto escolhido por Carvalho Monteiro para a sua execução. 3- Que estilos estão representados neste edifício? TÓPICOS DE RESPOSTA 1- 1892 foi adquirida por António Augusto Carvalho, o Monteiro dos Milhões.

Este tinha enriquecido no Brasil devido ao monopólio do comércio do café e pedras preciosas, e adquiriu a propriedade a uma família de comerciantes do Porto. Após várias vicissitudes, a quinta foi adquirida em 1997, pela câmara de Sintra. Tendo tirado o curso de Leis, na Universidade de Coimbra, Carvalho Monteiro tinha vários interesses , entre eles o coleccionismo.


2- O arquitecto escolhido para a concepção da Regaleira, foi o arquitecto, pintor e cenógrafo Luigi Manini, que trabalhou no teatro de S . Carlos.

Manini tinha trabalhado no Scala de Milão e no Palácio do Buçaco.

 3- Este edifício apresenta características neo-manuelinas, pela

utilização de ornamentos como cordas, elementos vegetais, esferas armilares e elementos animais.  Utiliza símbolos esotéricos, assim como elementos góticos, visíveis

nas formas ogivais das abóbadas e arcos, pináculos, capitéis.


 Predomina no espaço envolvente da quinta, uma abundante

vegetação, assim como, grutas, subterrâneos, passagens secretas, estátuas, recantos, lagos, torres e terraços.  Os jardins são construídos sob socalcos onde abundam espécies

vegetais trazidas dos mais variados sítios do Mundo.

 Nos jardins tem-se acesso a um poço, construído como se tratasse

de uma torre invertida, que no fundo dá acesso a uma série de grutas labirínticas.

 Na Capela da Santíssima Trindade podem-se observar elementos

neo-manuelinos e góticos.


•No interior do edifício podem-se observar características rococó, na pintura das paredes e tectos;

• Elementos clássicas; •Influências barrocas e decoração rococó nas paredes; •assim como episódios referentes à história de Portugal (exemplo sala dos reis).


PALテ,IO DE MONSERRATE, James Knowles Edifテュcio Exテウtico


Palacete de Monserrate, 1863 - Sintra


Monserrate, Sintra


PRAÇA DE TOUROS DO CAMPO PEQUENO


Jazigo do Visconde de Valmor – Adães Bermudes


A arquitectura romântica na Europa e em Portugal