Page 1

Jornal Bimestral da Câmara de Dirigentes Lojistas - Ano V, nº 21, janeiro de 2013

Crescimento do Comércio de Bairro PÁGINAS 01,02 e 03

Ganhadores do Natal Iluminado de Prêmios da CDL PÁGINAS 04 e 05

Entrevista com o Superintendente da Caixa José Ronaldo PÁGINA 08

Veja as Edições anteriores no site Acesse: www.cdlvca.com

Crescimento do Comércio de Bairro O comércio que antes era concentrado no Centro, agora também avança para os bairros. Este é um processo de transição natural de cidades em desenvolvimento.

Comércio nos bairros ganha força: Candeias, Patagônia e Alto Maron

Pode-se perceber o crescimento e o desenvolvimento de Vitória da Conquista de diversas maneiras, uma delas é a descentralização do comércio, ou seja, o comércio que antes era concentrado no Centro, agora também avança para os bairros, e este é um processo de transição natural de cidades em desenvolvimento. O exemplo mais evidente é o comércio forte do Bairro Brasil que, com quatro agências bancárias e mais de 1.100 estabelecimentos comerciais (boa parte deles funcionando de domingo a domingo), atrai consumidores de diversos bairros de Conquista e região. Outros bairros também estão seguindo esta tendência, como o Candeias, Alto Maron, Patagônia, Vila Serrana, Urbis VI..., locais onde o comércio tem crescido, se consolidado, contribuído para a geração de empregos e proporcionado mais comodidade aos seus moradores. De acordo com a lojista do Alto Maron, Alane Rocha Caires, o comércio de bairro oferece mais comodidade aos consumidores, pois estes não precisam se deslocar para fazer suas compras, e também para os lojistas que buscam um ponto comercial mais ‘em conta’. Segundo o corretor de imóveis, Pascoal Viana, todo o setor imobiliário da cidade está aquecido. No entanto, apesar do desenvolvimento do comércio nos bairros, os pontos comercias no Centro da cidade ainda são os mais procurados e, por isso, os mais caros. “O Centro é o coração de Conquista e este coração é caríssimo. Por exemplo, o metro quadrado de um ponto comercial na Olívia Flores [no bairro Candeias] custa em média de R$ 1.500 a 2 mil reais, e na Avenida Lauro de Freitas [no Centro] custa de R$ 6 mil a 10 mil reais. Mas, de um modo geral, os pontos comerciais na cidade estão bastante aquecidos tanto para comprar quanto para alugar”, revela Pascoal. Esta edição o Informe CDL vai abordar o tema da descentralização do comércio para os bairros Candeias, Alto Maron e Patagônia.

Continua nas páginas 2 e 3


O Charme do Bairro Candeias O alto investimento do Supermercado Santo Antônio tem embasamento no crescimento da cidade para o lado leste.

O desenvolvimento do comércio deve-se ao rápido crescimento do bairro Candeias.

O Bairro Candeias está em constante valorização. O charme revelado em suas amplas avenidas tem atraído novos moradores a cada dia e o desenvolvimento do comércio deve-se ao rápido crescimento do bairro. O alto padrão de construção dos novos condomínios, casas e prédios, além da existência de faculdades, escolas, restaurantes, supermercados e principalmente agências bancárias fazem com que o comércio do Candeias seja promissor. Para o presidente da CDL, Marcos Alberto de Oliveira, a presença de agências bancárias neste bairro é o fator predominante para a

consolidação do comércio que já conta com, aproximadamente, 570 empresas. Contudo, de acordo com a responsável pelo Departamento Comercial da CDL, Menaí Ribeiro, grande parte destas empresas tem o CNPJ cadastrado, mas não são empresas físicas. “Muitas dessas empresas no Candeias funcionam em residências, ou são empresas virtuais, há ainda aquelas em que os empresários exercem outras atividades paralelas ao seu comércio, inclusive algumas delas possui um público direcionado”, explica Menaí. Para a empresária Valéria Correia, uma das sócias do recém inaugurado Supermercado

Santo Antônio, o alto investimento tem embasamento no crescimento da cidade para o lado leste. “Escolhemos o bairro pelo crescimento e desenvolvimento da cidade para este lado e para fugir um pouco do trânsito do Centro da cidade, visando mais comodidade ao cliente. Acredito que cada vez menos há necessidade de as pessoas se deslocarem ao Centro da cidade”, a empresária também ressalta que outro importante fator para a consolidação do comércio é o grande fluxo de pessoas àquele bairro diariamente por conta das faculdades, cursos de pós-graduação, escolas e cursinhos.

Pontos comerciais do Centro são os mais valorizados de Conquista O Centro da cidade é local mais valorizado (e concorrido!) de Conquista. É excelente referência de compras para conquistenses e visitantes, a despeito da situação caótica do trânsito, da falta de rotatividade nas vagas de estacionamento, da ‘novela’ da Feira do Paraguai e Praça da Bandeira, e da (já) desacreditada construção do Shopping Popular*. A maior prova é o alto valor dos imóveis no bairro e a alta procura para comprar e alugar. De acordo com um dos corretores de imóveis mais experientes de Conquista, Pascoal Viana, todo o Centro tem grande valorização. Mas há também outros locais tão valorizados quanto o Centro para pontos comerciais. “As Avenidas Brumado, Frei Benjamim (e ruas transversais) e Olivia Flores são alguns exemplos. Porém a Avenida Lauro de Freitas, Rua Francisco Santos, a Alameda Ramiro Santos, Praça Nove de Novembro e Rua Monsenhor Olímpio são locais

2

diferenciados no Centro. Estes sempre foram super valorizados por serem considerados o ‘coração da cidade’ e, os valores caríssimos desse ‘coração’, nenhum local acompanha”. Praça da Bandeira e Francisco Santos, alguns dos pontos comerciais mais valorizados da cidade

*A CDL tem abordado estes assuntos em diversas edições do Jornal Informe CDL e na mídia da cidade, bem como cobrado uma solução das autoridades. No entanto, até o momento, nenhuma solução efetiva foi tomada pelos órgãos competentes.


O Potencial do Comércio do Alto Maron O bairro tem o comércio bastante

Com o atual crescidiversificado atraindo empreendedores de vários ramos. mento e dinamismo Na foto Avenida Presidente Vargas. econômico de Vitória da Conquista, a cidade passa por um processo natural das grandes cidades: a descentralização do comércio. O bairro Alto Maron está vivenciando este novo perfil comercial. Com cerca de 420 estabelecimentos comerciais, o bairro tem o comércio bastante diversificado e tem atraído empreendedores de vários ramos, como é o caso do empresário Diogo Luz Ribeiro que há se a nossa vizinhança melhora, automaticamente seis anos abriu a distribuidora de sorvetes Pollar. a gente também se beneficia. A polícia tem dado “Estou muito satisfeito com o meu comércio aqui um bom suporte aqui para o bairro. As viaturas no bairro, e o comércio aqui ainda tem muito po- estão sempre fazendo a ronda, e já percebemos tencial. Temos excelentes pizzarias, restaurantes que os assaltos diminuíram bastante”. e diversas opções de barzinhos e lanchonetes”, A lojista, Alane Caires, proprietária da Belasac ressalta o empresário, que afirma ainda que um Modas que sempre morou no Alto Maron, condos fatores do desenvolvimento do bairro está re- firma, com propriedade, as mudanças ocorridas lacionado à Segurança Pública. “Temos uma Base no bairro ao longo dos anos. “As ruas estão Comunitária de Segurança que atende aos bairros asfaltadas, a segurança tem melhorado muito, Nova Cidade, Pedrinhas e aqui no Alto Maron, e as viaturas estão sempre passando, o comércio

vem crescendo. Eu acreditei no crescimento do bairro e vejo que há muita gente investindo aqui também. Não vejo necessidade de as pessoas irem fazer compras em outros locais, nem mesmo por conta dos preços. Mesmo porque o valor do aluguel do imóvel aqui está muito mais ‘em conta’ em relação a outros bairros, o que faz com que a gente possa trabalhar com

“Eu acreditei no crescimento do bairro e vejo que há muita gente investindo aqui também”, diz Alane Caires.

um preço mais acessível”, diz Alane. “O que falta é o investimento de alguns lojistas de valorizar o seu próprio negócio, talvez até por falta de visão empreendedora para atrair novos clientes. Mas percebemos que o bairro tem ainda muito potencial”, finaliza Diogo.

A variedade do comércio da Patagônia Um dos Bairros mais populosos de Conquista, a Patagônia tem um dos comércios de bairro mais variados, com cerca de 600 estabelecimentos comerciais. A Avenida Frei Benjamim é um dos principais locais de comércio no bairro onde há a grande variedade de lojas: confecções, calçados, assessórios, supermercados, material de construção, produtos químicos, além da feira (que funciona todos os dias), lotéricas, lanchonetes, sorveterias, padarias, farmácias, salões... Há dez anos no bairro, a lojista, Leila Dantas, proprietária da Trilha Calçados ressalta que uma boa característica do comércio de bairro é fidelização do cliente através da venda a crediário. “A gente traba-

A Avenida Frei Benjamim é um dos principais locais de comércio no bairro onde há grande variedade de lojas.

lha muito com crediário e a nossa clientela é predominantemente da-

qui do bairro e bairros adjacentes como: Kadija, Coveima I e II, os

bairros ao redor do aeroporto...”. Leila também percebe que, apesar de o comércio ter melhorado, há alguns fatores que impossibilitam o seu crescimento como, por exemplo, a falta de agências bancárias e de Correio e investimento em ornamentação em épocas festivas. “Acredito que o comércio melhoraria bastante com bancos e Correio, pois evitaria que as pessoas se desloquem a outros bairros, pois quando elas vão a outros bairros acabam fazendo as compras por lá. Investimento por parte do poder público nas ornamentações em épocas festivas como São João e Natal também daria mais vida ao comércio. Por isso o comércio daqui não é mais forte”, lamenta.

3


CDL entrega premiação para o “Natal iluminado de Prêmios é A

CDL entregou os 21 prêmios do “Natal iluminado de Prêmios é no Comércio de Conquista”, sábado (19 de janeiro), para os sorteados no dia 12. A festa de entrega foi realizada na Praça 9 de Novembro e a maior premiação, o GRAD SIENA 0km, foi entregue à sortuda Lívia Cerqueira Soares pelo lojista George Pereira, proprietário da Elétrica Sol, loja onde a ganhadora fez suas compras. Lívia começou o ano com o pé direito: foi sorteada no sábado (12), recebeu a carteira da OAB na segunda-feira, no sábado seguinte já estava com a chave de seu Grand Siena em mãos e ainda fez aniversário na mesma semana! “Coloquei quatro os cupons na urna com fé. Mas foi uma surpresa ganhar. Foi muito presente para um mês só!” revela a sortuda! LÍVIA CERQUEIRA SOARES COMPROU NA ELÉTRICA SOL

4

JÉ CO

PERCÍLIA DE SOUZA CORDEIRO COMPROU NA TINA MODAS

FE CO

RENAN CLEBES DE OLIVEIRA SILVA COMPROU NA ELÉTRICA SOL

RA CO

MARIZETE FEREIRA SANTOS COMPROU NA NN COMÉRCIO DE DOCES

BE FA


a os ganhadores da campanha s é no Comércio de Conquista”

JÉSSIKA TAVARES DA SILVA COMPROU NA EVOLUTION FASHION

GILDASIO OLIVEIRA COQUEIRO COMPROU NA METRÓPOLIS KIDS

HELOÍSA ROSA DA SILVA COMPROU NA SKALA TECIDOS

VALÉRIA ALVES ROCHA COMPROU NA MALHARIA CATARINENSE

O

FERNANDA OLIVEIRA SILVA COMPROU NA NACIONAL

DANIEL MESSIAS OLIVEIRA NEVES COMPROU NA PROL NET Computadores

ANA SERGIANA M. LIMA COMPROU NA DOCE FESTA

ISABEL VIEIRA CAMPOS COMPROU NA FALCÃO CALÇADOS

VA

RAFAEL SARAIVA AGUIAR COMPROU NO TEIXEIRÃO

MARIO MEIRA ROCHA COMPROU NA MALHARIA CATARINENSE

EDMILSON ROBERTO DA SILVA COMPROU NA ALUMINIO E CIA

INGRID THAINÁ SANTOS SILVA COMPROU NA PÉ QUENTE

DEMAIS GANHADORES: CLEUZA RIBEIRO DOS SANTOS COMPROU NA SIGA CALÇADOS. AURISMARCIA LIMA COUTO COMPROU NA NACIONAL.

BEATRIZ PALES COMPROU NA FARMÁCIA MELHOR PREÇO

AGNO XAVIER SILVA COMPROU EVOLUTION FASHION

DINALVA A. DE ALMEIDA COMPROU NO SPAÇO XIS

5


Inadimplência diminui em Vitória da Conquista O comércio de Conquista tem uma das menores taxas de inadimplência do estado da Bahia. E os números estão caindo! Segundo dados da Câmara Dirigentes Lojistas (CDL), o número de inadimplentes com restrição no Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) e SERASA na cidade, em 2012, diminuiu 8% em relação ao ano de 2011. No Brasil, a inadimplência aumentou. O valor somou 7,9% em dezembro. No acumulado de 2012, a inadimplência de pessoas físicas subiu 0,5 ponto percentual em relação a 2011. Do total de inadimplentes em Conquista, 90% devem até R$500 reais. Ainda segundo os dados, a faixa etária da maior

Imagem Google

parte dos inadimplentes está entre 30 e 40 anos e cerca de 57% é do sexo feminino. No entanto, esses números são considerados dentro da normalidade pela CDL. Segundo o presidente da CDL, Marcos Alberto, as possíveis causas da inadimplência são: o desemprego, o aumento do consumo pelas classes C, D e E, a

Perfil da Inadimplência no Brasil SPC Brasil revela que 41% dos brasileiros já tiveram nome “sujo” Um estudo encomendado pelo SPC Brasil à Universidade Federal de Minas Gerais revelou que 41% dos brasileiros têm ou já tiveram restrição ao crédito. Os brasileiros que mais sofrem com a inadimplência pertencem as classes C e D. Segundo o estudo, os principais motivos são a dificuldade de avaliação do quanto eles pagam de juros quando fazem compras parceladas e a falta de planejamento financeiro. A pesquisa revela que, quanto menor a renda, menor o

6

interesse da pessoa em obter informações sobre taxas de juros embutidos nos financiamentos. No entanto, o economista do SPC Brasil, Nelson Barrizzelli, ressalta que os melhores pagadores são justamente as pessoas das classes C, D e E, pois elas sabem que perder o crédito lhe gera um problema extremamente complexo, logo, procuram eliminar essas restrições o mais rápido possível. Com informações da Revista Dirigente Lojista – outubro/2012

falta de planejamento financeiro e as compras parceladas. A CDL ainda faz um alerta para que o consumidor não empreste o nome a terceiros. É importante ressaltar que a inclusão do nome do consumidor no SPC ou Serasa é o último recurso utilizado pelos lojistas, que estão sempre dispostos a tentar uma negociação da dívida da melhor forma possível. Para evitar constrangimentos antes da compra, a CDL recomenda que o consumidor verifique se o seu nome consta no SPC ou Serasa, e para fazer a consulta basta se dirigir à sede da entidade* com o CPF em mãos. *Rua do Triunfo, 176, Centro

A CDL deseja boas vindas aos novos associados dos meses de dezembro e janeiro Pontal Confecções Inove Comunicação Visual Navê Confecções Glamour Colection Mercadinho Flor do Bairro Óticas Veneza Óticas Lemont Óticas Gênesis Dolce Moda Íntima Ney Som Shalom Music ATS informática Cantinho do Cristão Andrade Shoes CPS Consultoria Input Docepan Alcântara Copiadora Ana Luiza Mat. de Construção Alumaço Farmácia Ruy Barbosa JC Pneus Cia Digital


Ação Social do Sicoob Credcoop H Texto e fotos: Sicoob Credcoop

á oito anos o SICOOB CREDCOOP promove junto aos seus associados, colaboradores e diretores, o natal das crianças da creche municipal denominada Criança Esperança, localizada no Bairro Alto Marom. Esse ano, com a ajuda de com um grupo de voluntários sociais, o SICOOB presenteou 210 crianças com brinquedos, café da manhã, doces e brincadeiras que fizeram a alegria da criançada.

7


CAIXA amplia atendimento em Conquista e Região Com seis agências, 24 lotéricas, 23 correspondentes bancários e 8 terminais de atendimento, a CAIXA é o banco com maior rede de atendimento em Vitória da Conquista. Em entrevista ao Jornal Informe CDL, o Superintendente Regional da Caixa, José Ronaldo

Informe CDL - Quantas agências, posto de atendimento e casas lotéricas da CAIXA existem atualmente em Vitória da Conquista? José Ronaldo -Temos seis agências: a agência Central, a Mongoiós, a do Bairro Brasil (que em breve vai para o novo prédio), a da Juracy Magalhães, a agência da Justiça do Trabalho e a agência do Bairro Candeias (a mais recente, que está funcionando provisoriamente no Av. Jorge Teixeira, e vai funcionar definitivamente na Av. Olívia Flores). São 24 lotéricas, sendo seis inauguradas em 2012. E, para dar um maior conforto ao caminhoneiro, estamos abrindo mais uma no Posto São Jorge, que fica na BR 116. Ainda temos 23 correspondentes bancários, e mais 8 terminais de atendimento externo. Informe CDL - Nesta edição do Jornal informe CDL, demos ênfase ao desenvolvimento do comércio em alguns bairros da cidade, e um dos fatores determinantes para o crescimento do comércio, são as agências bancárias. Quais são os próximos bairros que receberão agências da Caixa ou postos de atendimento? José Ronaldo - Já inauguramos todas as agências que estavam no planejamento. Na Patagônia, atendendo a um pedido da comunidade, colocamos uma segunda loteria. A economia está dinâmica e a CAIXA tem com uma proposta de ampliar cada vez mais sua rede, não fechamos a possibilidade de fazermos um estudo. Vamos inaugurar uma sala de autoatendimento na Av. Lauro de Freitas e um quiosque da CAIXA na Av. Brumado. Ou seja, estamos descentralizando os serviços para que as pessoas tenham mais conforto e sem precisar se deslocar de um bairro para outro ou vir para o Centro. Informe CDL - A Caixa inaugurou agências em Caculé, Candido Sales, Guanam-

8

Cunha Maia, fala sobre a descentralização dos serviços do banco (seguindo a tendência do comércio que está se fortalecendo nos bairros, gerando mais comodidade para o cliente), os programas direcionados ao comércio e ainda os planos para 2013. Confira!

riais de construção, e indicamos aos nossos clientes essas lojas que são conveniadas) e o MOVEISCARD (um produto em que credenciamos as lojas de móveis e eletrodomésticos para que possam vender e receber o recurso desta venda à vista, e também indicamos essas lojas credenciadas aos nossos clientes).

Superintendente Regional da Caixa, José Ronaldo Cunha Maia

bi... Quais são as próximas cidades da região que receberão agências da Caixa em 2013? José Ronaldo – Abrimos, no ano de 2012, oito agências da CAIXA na região. Saímos de 10 para 18 agências. Até o mês de março, abriremos mais quatro: Na Barra do Choça, Paramirim, Palmas de Monte Alto e Carinhanha. Ou seja, saímos de 10 agências, desde a inauguração da Superintendência, e vamos para 22. Informe CDL - A CAIXA tem algum programa direcionado aos lojistas? Alguma taxa de juros ou crédito diferenciados para Microempreendedor e Microempresa? José Ronaldo - As taxas praticadas pela CAIXA são na média as menores do mercado, até porque foi a CAIXA que começou a ação da queda da taxa de juros entre março e abril do ano passado. Então temos taxas bastante competitivas. Temos uma linha de crédito voltada para o Microempreendedor Individual, com taxas a partir de 0,64% ao mês e são prazos de 3 a 48 meses. Temos ainda dois produtos que podem contribuir muito com o lojista: o CONSTRUCARD (um convênio que fazemos com as lojas de mate-

Informe CDL - A CAIXA é o principal agente financeiro das políticas públicas do Governo Federal, como por exemplo, o Programa Minha Casa Minha Vida... Este programa gera emprego, principalmente no setor de construção civil, e renda para a cidade, beneficiando diretamente o comércio. O senhor saberia estimar o valor do investimento deste programa em Conquista? José Ronaldo - Só no ano de 2012, nós contratamos aproximadamente 500 milhões de reais em financiamento imobiliário. Isso gera emprego, renda, e o comércio fica aquecido. Para este ano, temos em contratação cerca de 140 milhões de reais, isso mostra uma economia dinâmica e a atuação da CAIXA neste segmento traz recursos para o comércio de Conquista e Região. Muito nos alegra contribuir para o crescimento da cidade. Informe CDL - Este ano a CDL e a CAIXA começaram uma parceria. Em sua opinião, qual é a importância desta parceria? José Ronaldo - Em minha opinião, é mais que uma obrigação da CAIXA firmar uma parceria com a CDL. São dois segmentos que um não vive sem o outro. Acredito que em 2013, podemos ampliar esta parceria, pois a CDL é uma intuição séria, e muito nos honra ter esta parceria. Particularmente sou defensor do associativismo, e acho que os empresários, de um modo geral, devem ser associados à CDL, Associação Comercial... e principalmente que participem pois, quando há participação, fica mais fácil superar as dificuldades.

Jornal Bimestral Informe CDL  

Jornal Bimestral da Câmara de Dirigentes Lojistas de Vitória da Conquista - BA

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you