Page 1

EDIÇÃO 06 • MARÇO • ABRIL • MAIO • 2018

empreendedoras: negócios de mãe para filha CERTIFICADO DIGITAL SERÁ OBRIGATÓRIO PARA PESSOAS FÍSICAS

CAMPANHA LIQUIDA TERESINA 2018 TRAZ NOVIDADES

NOVO PRODUTO DA CDL PARA EVITAR FRAUDES, BIOMETRIA FACIAL


''''' SISTEMA CNDL

Carta ao Leitor Interação, tecnologia, conhecimento e inspiração. Essas foram as palavras que motivaram a 6ª edição da revista O Lojista, que traz como capa as empresárias Cláudia e Danielle Claudino, destacando o empreendedorismo de mãe para filha e as expectativas para os negócios, ainda mostrando a força da mulher à frente de empresas e as dificuldades ao ser mãe e estarem à frente de grandes empreendimentos. Nas próximas páginas você também irá encontrar dicas para aumentar suas vendas através das redes sociais e como os novos produtos do SPC Brasil poderão ajudar sua empresa a realizar transações de forma mais segura. O novo produto que já está sendo comercializado pela entidade é a Biometria Facial, que o lojista pode consultar um consumidor através do banco de dados do SPC Brasil e conferir se o nome apresentado é realmente o da pessoa que está realizando a compra, evitando, assim, fraudes. Na 6ª edição, também destacamos as novidades da quinta edição da campanha Liquida Teresina 2018, que esse ano acontece no primeiro semestre e traz inovações na hora de realizar o cadastro de participação e aumento de prêmios para os consumidores. Ainda nessa edição, apresentamos os benefícios da Certificação Digital e como o lojista pode se beneficiar e facilitar suas transações bancárias, com segurança e inovação. Vale destacar que essa edição também conta com o artigo do presidente eleito da CNDL, José César da Costa, e uma matéria sobre sua posse, que ocorreu em Brasília e reuniu grandes autoridades, além da posse do presidente da FCDL-PI, Sávio Normando, como membro integrante do Conselho de Representantes da CNDL para o triênio 2018/2021. Esperamos que goste da leitura! LANA RIOS - EDITORA

DIRETORIA DA CDL DE TERESINA TRIÊNIO 2015 • 2017 PRESIDENTE: Evandro Cosme Soares de Oliveira DIRETORIA:

1º VICE-PRESIDENTE: Pedro Evangelista Coelho 2º VICE-PRESIDENTE: Jimmy Napoleão Alves 3º VICE-PRESIDENTE: Paulo Sérgio Muniz Nery 1º SECRETÁRIO: Eduardo Cosme de Oliveira 2º SECRETÁRIO: Luis Soares Moura 3º SECRETÁRIO: Reginaldo Moura de Carvalho 1º TESOUREIRO: Ulysses Gonçalves Nunes de Moraes 2º TESOUREIRO: Eldon T. Evangelista Sousa 3º TESOUREIRO: Reginaldo Rufino Leal DIR. DE RELAÇÕES PÚBLICAS: José Airton Soares DIR. DE RELAÇÕES PÚBLICAS: Nícolas Araújo Tajra DIR. DE RELAÇÕES PÚBLICAS: Patrícia Carvalho Freitas DIRETORIA SOCIAL: Alda Fortes Caddah DIRETORIA SOCIAL: Eline Reverdosa Castro Serra DIRETOR CONSELHEIRO: Jesus Elias Tajra Filho DIRETOR EXTRAORDINÁRIO: Severino Ramos Brasil DIRETOR EXTRAORDINÁRIO: Antônio Ferreira Filho DIRETOR EXTRAORDINÁRIO: Luis Mamede Castro CONSELHO ESPECIAL: Marco Antônio Carvalho Pinto Simião Evandro M. da Costa José Alves de Sousa Neto Maria Neiva Tajra CONSELHO FISCAL: Domingos Sávio Almeida Normando José Elias Tajra Sobrinho Danuta Coelho de Oliveira Soares CONSELHO CONSULTIVO DO SPC: Luis Antônio Veloso Inácio de Carvalho Pinto Ana Paula Lacerda de Melo

ASSINATURA E SERVIÇO AO ASSINANTE: www.cdlteresina.com.br cdlsecretaria@cdlteresina.com.br (86) 3221-3313

PROJETO GRÁFICO E DIAGRAMAÇÃO: Elaine Guimarães DIRETOR: Adala Carnib COORDENADORA DE JORNALISMO: Lana Rios JORNALISTA: Maria Luiza Barreto FOTO DA CAPA: Nayara Vieira A revista O LOJISTA é produzida e dirigida pela Verbo Comunicação e CDL de Teresina SEDE: Rua Desembargador Freitas, Nº 977 Centro/Norte • Teresina - PI


Palavra do

Presidente

Mais uma vez fico muito feliz com o lançamento da nossa revista em que trata dos assuntos importantes que vivem os lojistas do Piauí. Neste primeiro momento, é preciso que a gente faça uma reflexão sobre o primeiro trimestre, que foi muito difícil no qual fatos políticos e tensões sociais tomaram a cena da vida nacional e trouxe reflexos para o varejo, mas vencemos esse primeiro trimestre. Estamos trabalhando com a perspectiva do dia das mães, trabalhando também com a Liquida Teresina 2018, então, nesse segundo trimestre, teremos duas grandes datas para alavancar vendas, realizar negócios e, unindo esforços do varejo todo, poderemos realizar um bom semestre de vendas, ainda há tempo para isso e estamos trabalhando muito para levar motivação para as vendas.

Evandro Cosme Soares de Oliveira PRESIDENTE DA CDL TERESINA

Temos também nessa edição duas personalidades da maior importância, a Cláudia Claudino e a Lucy Feitosa. Essas duas mulheres fazem depoimentos importantes como empresárias e mães, sendo importante para a reflexão, para conhecimento que cerca o empreendedorismo feminino. É importante vermos histórias de pessoas que marcaram sua vida lutando no balcão, no varejo, viabilizando suas vidas pessoais e viabilizando também suas atividades empresariais. Portanto, entregamos mais esse número da revista O Lojista querendo que essa edição, a exemplo das outras, possa trazer informações de qualidade e motivação para as atividades comerciais.


Nesta

Edição

LIQUIDA TERESINA É APRESENTADA PARA AUTORIDADES E PATROCINADORES

06

APRENDA COMO USAR REDES SOCIAIS PARA AUMENTAR SUAS VENDAS

09

EXPANDIR A MARCA E ABRIR MAIS LOJAS SÃO OS PROJETOS DE MÃE PARA FILHA

19

SISTEMA DE BIOMETRIA FACIAL JÁ ESTÁ DISPONÍVEL PARA LOJISTAS DO PIAUÍ

19

LIVRO “HISTÓRIA DO COMÉRCIO E DESENVOLVIMENTO DO PIAUÍ” É ADOTADO PARA PESQUISAS ESCOLARES

23

ALUNOS DE ADMINISTRAÇÃO VISITAM CDL E PARTICIPAM DE BATE-PAPO COM LOJISTAS

24


Nesta

Edição

LOJISTA DEVE CONHECER A FUNDO NOVAS LEIS DA REFORMA TRABALHISTA

SÁVIO NORMANDO TOMA POSSE COMO DIRETOR DA CNDL, EM BRASÍLIA.

12

25

LÍDER E EMPREENDEDORA, CLÁUDIA CLAUDINO PREPARA NOVA GERAÇÃO PARA ASSUMIR EMPRESA

16

FCDL-PI RECEBE DIRETORIA DA CDL DE FLORIANO E CAMPO MAIOR

29

MAIORIA DOS PACIENTES QUE SE SUBMETE À LIPO VOLTA AO CONSULTÓRIO UM ANO DEPOIS.

31


MOVIMENTO DO VAREJO LIQUIDA TERESINA SE MANTÉM COMO MAIOR EVENTO PROMOCIONAL DO VAREJO Campanha chega à 5ª edição e deve movimentar R$ 76 milhões em vendas

O maior evento do varejo local, a Liquida Teresina, chega à sua 5ª edição em 2018. Realização da CDL Teresina, a campanha deste ano ocorre em junho e vai abranger 1.500 mil pontos de venda entre lojas do Centro, shoppings e bairros de Teresina. A expectativa da CDL Teresina é de uma movimentação em vendas superior a R$ 76 milhões durante a campanha. Os descontos são variáveis de acordo com a loja e o item, e cada lojista tem autonomia para promover os descontos, chegando até 70% do valor.

Para o coordenador da Liquida Teresina, Bernardo Carvalho, o sucesso da ação é explicado pela credibilidade do projeto ao longo desses cinco anos, pelo apoio dos parceiros, e pela adesão de consumidores e lojistas. “O mercado abraçou a Liquida Teresina, é um êxito coletivo. Agradecemos a participação e estamos confiantes que vamos repetir a performance dos anos anteriores com uma campanha bonita e movimentada nos dez dias”, diz Carvalho. Nesta edição comemorativa de cinco anos, a Liquida Teresina vai sortear um carro Creta 0km, uma moto e 4 televisores. Esse ano o vendedor do cupom premiado ganhará 1.000 reais. Para concorrer aos prêmios, o consumidor tem direito a um cupom a cada R$ 40,00 em compras em qualquer loja participante. Para compras feitas com cartões de crédito da bandeira REDE, as chances dobram, com dois cupons para cada R$ 40 em compras. A participação do consumidor está condicionada ao preenchimento de cadastro, em que são requeridos dados como nome completo, CPF, RG e endereço. O preenchimento do cupom será feito de forma eletrônica. Precisa também responder à pergunta “Qual é a maior promoção de comércio de Teresina?”. A resposta correta é “Liquida Teresina 2018”. Entre os patrocinadores dessa edição estão Sebrae-PI, Governo do Estado do Piauí, Prefeitura Municipal de Teresina, Caixa Econômica Federal, Banco do Nordeste, Sindilojas-PI e Rede.

“Chegamos à quinta edição dessa que é a maior liquidação do varejo, que se tornou uma marca reconhecida e valorizada pelos lojistas e consumidores. É uma satisfação entregar à cidade uma ação de grande porte, que permite uma economia real para os consumidores, aumento do fluxo nas lojas e uma movimentação significativa na economia local”, comemorou Evandro Cosme, presidente da CDL Teresina.

BERNARDO CARVALHO COMEMORA O SUCESSO DAS EDIÇÕES ANTERIORES.

"O MERCADO ABRAÇOU A LIQUIDA TERESINA, É UM ÊXITO COLETIVO" LIQUIDA TERESINA 2018 APRESENTA INOVAÇÕES

6 | Revista O LOJISTA • Edição 06


PRESIDENTE DA CDL, EVANDRO COSME, COMEMORA SUCESSO DE EDIÇÕES ANTERIORES.

CDL DE TERESINA APRESENTA CAMPANHA LIQUIDA TERESINA PARA PATROCINADORES E APOIADORES A Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Teresina apresentou a 5ª edição da campanha Liquida Teresina 2018 para autoridades, patrocinadores, apoiadores, diretores e representantes de shoppings. No encontro, o presidente da CDL, Evandro Cosme, falou sobre o sucesso das edições anteriores e a parcerias que ao longo das campanhas se fortaleceram, levando mais vantagens para consumidores e para o varejo teresinense.

PATROCINADORES E APOIADORES CONHECEM PEÇAS PUBLICITÁRIAS DA LIQUIDA TERESINA 2018.

“Estamos na 5ª edição da maior campanha do varejo teresinense e só temos o que comemorar. A cada ano essa campanha se torna mais esperada pelos nossos lojistas, que passam a se programar com bastante antecedência e estão cada vez mais otimistas com a Liquida Teresina”, comemorou Cosme. Para o empresário Luís Antônio, essa é a terceira maior data do varejo, perdendo apenas para o Natal e dia das Mães. “Todo ano nos preparamos com mídias para as vitrines, cartazes por toda a loja e produtos em destaque com os descontos”, disse. Na oportunidade, os participantes conheceram as peças de campanha que serão enviadas aos lojistas que aderirem a Liquida, premiação e regulamento, além das datas que serão realizadas a campanha, sorteio e entrega de prêmios.

A MAIOR CAMPANHA DO VAREJO ACONTECERÁ AINDA NO PRIMEIRO SEMESTRE.

Revista O LOJISTA • Edição 06 | 7


TECNOLOGIA

COMO USAR REDES SOCIAIS PARA AUMENTAR AS VENDAS?

A internet tornou a pesquisa para os clientes muito mais agradável: eles podem visitar o site para analisar os produtos, ler releases sobre determinado item, assim como saber mais sobre seu negócio. Enfim, podem se aproximar mais das empresas, melhorando o processo de decisão da compra. As redes sociais se inserem nesse contexto e costumam ser avaliadas pelos clientes durante essa tomada de decisão.

Redes sociais como o Facebook, o YouTube, o Instagram, o Whatsapp e o Snapchat, por exemplo, oferecem plataformas de vídeo e são algumas das redes mais utilizadas no Brasil.

Mas como começar a utilizar desses recursos para aumentar as vendas de sua empresa? Em quais mídias sociais apostar? Redes sociais como o Facebook, o YouTube, o Instagram, o Whatsapp e o Snapchat, por exemplo, oferecem plataformas de vídeo e são algumas das redes mais utilizadas no Brasil. Só o Facebook tem aproximadamente 83% dos usuários brasileiros e o Whatsapp 58%. Fique de olho nestas plataformas e invista no marketing da sua empresa! Além de utilizar essas redes para vender, você ainda conquista um canal no qual pode conversar diretamente com os clientes.

O marketing digital trouxe muitas ferramentas interessantes para as empresas, não é mesmo? Cada uma delas tem funções e aplicações diferentes, mas, no final das contas, você pode utilizar a maioria delas com o objetivo de vender mais. E com as redes sociais não é diferente! O Facebook, Instagram, Twitter, WhatsApp e até o Snapchat são utilizados por diversas empresas para gerar receita.

8 | Revista O LOJISTA • Edição 06

Isso torna seu negócio mais aberto, transparente e confiável. Também permite que você receba feedback sobre seus produtos e serviços, auxiliando na melhora dos processos comerciais. Mas, então, como aumentar as vendas utilizando mídias sociais?


AS REDES SOCIAIS SE INSEREM NESSE CONTEXTO E COSTUMAM SER AVALIADAS PELOS CLIENTES DURANTE ESSA TOMADA DE DECISÃO.

CRIE CONTAS SOCIAIS Para começar, você deve criar contas pelo menos no Facebook, Twitter e Google+ — esse por causa do Google My Business. Registre o nome de seu negócio, sua marca e preencha todas as informações necessárias. Garanta que todas as informações estão corretas e são verdadeiras, principalmente informações de contato como telefone e e-mail, que serão formas frequentes de contato por parte de seus clientes. CONSTRUA SUA AUDIÊNCIA A forma mais simples de construir sua audiência é através de uma estratégia de marketing bem estruturada. Produzir marketing de conteúdo de qualidade, com as ações corretas de promoção de conteúdo, irá organicamente construir uma audiência para suas mídias sociais. Não se esqueça também de convidar sua base de clientes para curtir e seguir suas páginas. POSTE CONTEÚDO COM FREQUÊNCIA Varie no tipo, mídia — imagem, blog post, e-books, vídeos — e mantenha uma frequência mínima, que esteja de acordo com sua estratégia de marketing. Com isso, você gerará interesse em sua

audiência e conseguirá aumentar a interação dos clientes com sua empresa. O passo seguinte natural é aumentar as vendas. AUMENTE A EXPOSIÇÃO UTILIZANDO OS BOTÕES DAS MÍDIAS SOCIAIS Utilize os botões das mídias sociais em que sua empresa está presente no seu website. Esses botões vão alertar o público do site de que você está presente também nas redes sociais e eles poderão lhe acompanhar por lá. Verifique-se de que eles estejam visíveis. Para incentivar ainda mais as conversões de clientes originários das redes sociais, crie condições exclusivas na sua loja para que eles realizem a compra, tenham vantagens em futuras compras ou comprem mais produtos. Atrair os seguidores das redes sociais da sua empresa para as lojas físicas é um desafio, mas um desafio que pode ser alcançado com uma boa coordenação de diferentes estratégias para atrair esse possível cliente, reforçar a presença da sua marca na mente dele, criar relacionamentos e, finalmente, aumentar as vendas da sua loja! Revista O LOJISTA • Edição 06 | 9


10 | Revista O LOJISTA • Edição 06


Revista O LOJISTA • Edição 06 | 11


LEI TRABALHISTA

LOJISTA DEVE CONHECER A FUNDO NOVAS LEIS DA REFORMA TRABALHISTA A reforma trouxe ainda mudanças significativas para as regras sobre a rescisão do contrato de trabalho

Muito se tem falado sobre a Reforma Trabalhista, contudo, é importante que se receba com bons olhos a evolução das antigas leis trabalhistas, que modifica pelo menos 10 pontos da Consolidação das Leis do Trabalho - CLT, que, apesar das polêmicas, devem trazer influência positiva para o mercado de trabalho. Para o lojista e empregador, é importante conhecer as novidades a fundo e quais seus principais impactos para empresas e trabalhadores como as regras da jornada de trabalho, férias e planos de carreira, além da inserção e regulamentação de

12 | Revista O LOJISTA • Edição 06

novas modalidades de trabalho, como o home office (trabalho remoto) e o trabalho intermitente. A reforma trouxe ainda mudanças significativas para as regras sobre a rescisão do contrato de trabalho, especialmente quanto ao prazo para pagamento das verbas rescisórias, à necessidade de homologação sindical da rescisão contratual, bem como a possibilidade de uma demissão consensual. A Revista da CDL conversou com a advogada, especialista em direito trabalhista, Érica Feitosa Coelho Marinho de Andrade, para esclarecer algumas questões sobre este ponto da Reforma Trabalhista, que já está em vigor, no Brasil. 1. Como funciona a nova demissão criada com a reforma trabalhista? Érica Andrade - Buscando legalizar a prática comum do acordo entre empregador e empregado, a Lei 13.467/2017 inovou criando mais uma forma de extinção das relações de trabalho. Além do pedido de demissão do trabalhador, da demissão por justa causa e da demissão imotivada, há agora a possibilidade da rescisão do contrato em comum acordo entre as partes. Nesse caso, o empregado que deseja se desligar da empresa em consenso com o empregador, terá direito a sacar 80% do FGTS, receberá metade do aviso prévio e a multa da empresa com relação ao valor depositado no fundo cai pela metade, representando apenas o valor de 20%. Cabe ressaltar, entretanto, que o trabalhador não terá direito ao seguro desemprego e que a nova regra não se aplica para casos de demissão por justa


causa, tendo em vista esta ser uma prerrogativa do empregador. A possibilidade do distrato amigável pode ser usufruída pelos trabalhadores contratados sob o antigo ou o novo regime. 2. Com a entrada em vigor da reforma trabalhista, independentemente da modalidade do aviso prévio, o empregador tem um único prazo para pagamento das verbas rescisórias, quais são os prazos, se o lojista perder o novo prazo, e o que deve fazer? Érica Andrade - A nova lei alterou o art. 477 da CLT, estabelecendo que, independentemente do tipo de aviso prévio (trabalhado ou indenizado) ou de quem o concedeu (empregado ou empregador), o prazo para homologação (entrega ao empregado de documentos que comprovem a comunicação da extinção contratual), bem como para pagamento dos valores devidos na rescisão contratual, será de até 10 dias contados a partir do término do contrato e computados em dias corridos, excluindose o dia do começo e incluindo-se o do vencimento. Caso o lojista desobedeça ao prazo e efetue a quitação das verbas após os 10 dias, deverá pagar uma multa em favor do empregado no valor equivalente ao seu salário, conforme prevê o § 8º do art. 477 da CLT.

o empresário deve sempre anotar o fato na CTPS do trabalhador e realizar a comunicação à autoridade competente (Ministério do Trabalho e Emprego), obedecer o prazo de 10 dias, entregando ao empregado a comprovação de que fez essa comunicação e a quitação das verbas rescisórias, evitando, assim, a multa do artigo 477, § 8º da CLT. É necessário que o empregador se atenha ao fato de que o TRCT (Termo de Rescisão do Contrato de Trabalho) deve especificar a natureza de cada parcela paga ao empregado e discrimine o seu valor, sendo válida a quitação, apenas, relativamente às mesmas parcelas.

3. Ainda ocorre a obrigatoriedade de homologação da rescisão contratual junto ao Sindicato da categoria do empregado? Érica Andrade - Anteriormente, de acordo com a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), caso o funcionário tivesse passado um ano ou mais na empresa, quando ocorresse o seu desligamento, era obrigatório a homologação da rescisão junto ao Sindicato da classe para garantir que os valores a receber estivessem corretos. A reforma eliminou um trecho da CLT que proibia a cobrança de taxa pela homologação e permitiu expressamente que ela seja feita na empresa diretamente com os empregadores, não havendo a necessidade de o sindicato da categoria ou o Ministério do Trabalho revisar as rescisões de trabalhadores, independentemente do período de duração do vínculo empregatício. Buscando minimizar os questionamentos de pagamentos indevidos frente à Justiça do Trabalho, é importante que o empresário esclareça todos os cálculos das verbas rescisórias e eventuais dúvidas do empregado, permitindo, inclusive, que ele seja acompanhado por seu advogado ou contador no ato da rescisão. 4. O que um empresário nunca deve esquecer ao realizar uma rescisão de trabalho? Érica Andrade - Ao realizar a rescisão de um contrato de trabalho,

ÉRICA ANDRADE AVALIA NOVAS LEIS DA REFORMA TRABALHISTA. Revista O LOJISTA • Edição 06 | 13


14 | Revista O LOJISTA • Edição 06


Revista O LOJISTA • Edição 06 | 15


ENTREVISTA

CLÁUDIA CLAUDINO TEM COMO PRINCIPAL PROJETO DENTRO DA EMPRESA PREPARAR AQUELES QUE ESTARÃO À FRENTE DO NEGÓCIO DA FAMÍLIA, NOS PRÓXIMOS 60 ANOS.

LÍDER E EMPREENDEDORA, CLÁUDIA CLAUDINO PREPARA NOVA GERAÇÃO PARA ASSUMIR EMPRESA Mãe de Danielle, José Cláudio e Lívia, e com 30 anos de carreira, Cláudia Claudino já passou por várias etapas dentro do Grupo Claudino e agora tem como principal projeto dentro da empresa preparar aqueles que estarão à frente do negócio da família, colaboradores e assessores, nos próximos 60 anos. A missão não parece árdua, quando se trabalha ao lado da filha Danielle e da sobrinha Marina. “Trocamos experiências, elas me ensinam bastante e eu diariamente tento passar minha experiência e meu posicionamento, dando a elas mais autonomia e segurança para tomar decisões. Temos uma responsabilidade muito grande”, destacou a empresária. Os outros dois filhos de Cláudia, José Claudio e Lívia, residem em São Paulo, e Lívia já exerce sua profissão em uma empresa paulista que não está ligada ao grupo da família. “Apesar de ser uma família que nasceu dentro do comércio, não há uma pressão para trabalhar no Grupo. Todos são livres para escolherem onde vão atuar como profissionais e tiveram a oportunidade de conhecer vários mercados”, contou Cláudia. 16 | Revista O LOJISTA • Edição 06

Em um bate papo descontraído, conhecemos um pouco sobre essas mulheres que estão à frente da Guadalajara Indústria de Roupas e do Armazém Paraíba. Cláudia destacou a troca de experiências diárias que possui com a filha e a sobrinha e as jovens revelaram em como se inspiram na diretora das empresas para tomarem decisões. Sobre como conciliar a maternidade com a carreira, Cláudia afirma que é possível sim, se houver equilíbrio nas relações. “Nunca levei trabalho para casa, nem quando meus filhos eram crianças e nem hoje. O que for do trabalho, resolvo no trabalho. É possível realizar as duas funções, mas sempre buscando o equilíbrio, pois temos que cuidar também da nossa saúde, física e mental. Se não há equilíbrio e organização de tempo e tarefas, alguma parte vai ser sacrificada e descompensar”. CDL – É cada vez maior o número de mulheres à frente de empresas. Como você vê a atuação da mulher no mercado de trabalho? Cláudia - A mulher vem crescendo muito no mercado de trabalho, é cada vez mais comum elas assumirem o papel de chefes de família e também trabalharem para complementar a renda familiar. De quando iniciei para os dias de hoje, é nítido como a mulher conquistou mais espaço no ambiente de trabalho. Antigamente, a mulher não tinha tanto destaque como hoje, os cargos de chefia já eram designados para homens. Hoje, estamos mais em pé de igualdade, e alguns cargos específicos


se destinam mais a mulher. CDL – Até chegar ao cargo de diretoria você passou por quais etapas? Cláudia - Minha experiência dentro da empresa passou por todas as etapas e desafios. Iniciei no Armazém Paraíba, comecei sem setor definido e fui conhecendo todos. Passei pela área de vendas, estoque, caixa, conferência, depósito, jurídico, compras, vendo exatamente como a empresa funciona, até eu me definir em qual setor eu mais me identificava, que foi a parte comercial. Sempre gostei de trabalhar e nunca pensei em desistir de fazer o que gosto. CDL – Como é a relação do Grupo com os colaboradores? O Grupo desenvolve algum projeto social? Cláudia - Fazemos muito projetos internos com os nossos colaboradores. Atualmente o Grupo Claudino possui 13 mil empregados, 600 deles estão aqui na Guadalajara. Implantamos o Movimento Mudança que promove capacitação e motivação para os colaboradores. Estamos sempre agregando conhecimento a nossa equipe. Temos também o Banco de Leite Materno que é uma ação muito importante para as lactantes. Além disso, fundamos também o Instituto Ciranda do Bem, que já atua há 10 anos junto às comunidades, realizando projetos sociais com prestação de serviços e promovemos também ação de incentivo à doação de sangue junto aos colaboradores . CDL – Como as mães podem inspirar seus filhos?

Cláudia – O exemplo inspira mais do que a própria palavra. Mães que têm uma atividade fora da atividade de casa é uma forma de motivar os filhos para eles terem uma profissão, a sua vida profissional. CDL – Ser mãe pode ser uma vantagem para um empreendedor? Cláudia – Eu acredito que ser mulher já traz muitas vantagens para quem vai empreender. Mulheres e homens possuem características distintas, e essas diferenças na personalidade ajudam a mulher que vai assumir postos de liderança no mercado de trabalho, como a multivisão, a sensibilidade. Conseguimos fazer mais coisas ao mesmo tempo, somos mais compreensivas e pacientes, então eu acredito que essas nuances femininas ajudam bastante a profissional. CDL- Como é a sua relação com filha e sobrinha dentro da empresa? Cláudia – Tentamos separar o ambiente de trabalho com o familiar. Às vezes, como mãe, quero proteger, mas estou sempre incentivando, tanto a Danielle como a Marina a tomarem decisões. A Danielle às vezes me pergunta uma opinião e eu devolvo com outra pergunta: O que você pensa disso? E ela sempre já tem a resposta, mas sei que ainda precisa dividir a responsabilidade da decisão comigo. A Marina iniciou faz pouco tempo no marketing da empresa e está fazendo um grande trabalho. Já temos uma revista toda feita aqui, fotos, diagramação e conteúdo, que não está voltada apenas para

COM 30 ANOS DE CARREIRA CLÁUDIA É PRINCIPAL FONTE DE INSPIRAÇÃO PARA A FILHA DANIELLE E A SOBRINHA MARINA. Revista O LOJISTA • Edição 06 | 17


ENTREVISTA

vender o produto, mas também para levar informação de moda para nossas consumidoras. Aprendo muito com elas. Para mim, são uma fonte de informações constantes. Estão sempre bastante antenadas. Tento sempre me policiar na relação de trabalho, pois é natural eu, como mãe, ter o sentido de proteção, mas respeito a área que elas atuam e incentivo para que elas ajam com mais autonomia. CDL – Para você, quais são os pilares que sustentam uma empresa de sucesso? Cláudia – Em primeiro lugar, amar o que faz; em segundo, trabalho, muito trabalho, determinação e dedicação. Além disso, é necessário foco, organização e planejamento.

"NOVA GERAÇÃO BUSCA INSPIRAÇÃO E CONHECIMENTO DIÁRIOS"

Com 32 anos, Danielle Claudino está na empresa da família há 10 anos. Hoje, é diretora de criação da Guadalajara, onde atua na coordenação dos estilistas e no departamento de compras de insumos - “Fico mais ligada ao setor de aviação e estilistas, mas se surgir algo a mais, eu faço”. Ela também é criadora de mais duas marcas, a Pink Yellow que é voltada para mulher mais contemporânea e a Metal Chic que é a linha feminina da Ônix Jeans. As duas marcas criadas por Danielle completam o time de marcas próprias do grupo: Win, Vizzual, Mp, Opcion e Kids e Kid, Miss Vizzual, Vizzual Jr. Assim, como a mãe, Danielle, também trabalhou em todos os setores do Armazém Paraíba e também na Socimol e conta que, desde os 13 anos, já nas férias, gostava de vender e empacotar presentes nas lojas. Para ela, estar na empresa foi um processo natural. “Cresci aqui dentro, nunca me vi em outro lugar. Muitas pessoas dependem dessa empresa, geramos emprego e renda para famílias. Não paro para pensar na responsabilidade, para mim é algo natural. Não houve pressão da família em ter que assumir algo no grupo. A gente pode tentar na empresa e se não quiser tudo bem. Temos um primo que faz medicina. Minha irmã, Lívia, trabalha em outra empresa”. Para Danielle, Claudia é uma fonte de inspiração diária. “ Ela é uma grande líder, além de uma grande mulher e grande mãe, é uma fonte de inspiração diária, mesmo em pequenas decisões. Quando ela está conversando com a equipe eu sempre a observo, pois ela tem um jeito de falar que não é autoritário, nem exigente, mas que você entende que aquilo é importante ser feito da forma que ela está falando. Firme nas colocações dela. Ela sabe o que tá falando”, frisou. 18 | Revista O LOJISTA • Edição 06

DANIELLE CLAUDINO É CRIADORA DE MAIS DUAS MARCAS, A PINK YELLOW QUE É VOLTADA PARA MULHER MAIS CONTEMPORÂNEA E A METAL CHIC QUE É A LINHA FEMININA DA ÔNIX JEANS.

Assim como a prima, Marina Claudino Dantas também gosta de observar Cláudia trabalhando e a forma que ela age diante das pessoas. Diretora do Marketing, a jovem formada em Publicidade, e com pós-graduação em São Paulo, está na empresa da família há pouco mais de um ano e já começou a deixar sua marca no grupo com a revista mensal “Guia de Estilo” que traz conteúdo de moda para as consumidoras da marca. “Me encontrei mais na parte do marketing digital que mais me identifico. Fiz uma pós-graduação em São Paulo e entrei na empresa por escolha minha. Gosto muito de observar o jeito que a tia Cláudia fala cm as outras pessoas, tudo ainda é muito novo para mim e estou em constante aprendizado”.


ENTREVISTA

LUCY E LAYSA FEITOSA COMANDAM HOJE AO LADO DO IRMÃO LÁZARO UMA DAS MAIORES REDES DE MODA DO ESTADO.

DE MÃE PARA FILHA: EXPANDIR MARCA E INVESTIR EM PESSOAS

De vendedora da joalheria Matos à empresária do ramo de confecções: Lucy Feitosa é mãe de Laysa, Laércio e Lázaro e começou a revender blusas para ter uma renda extra para a família. Hoje possui uma rede de lojas, sendo quatro em Teresina, três lojas em São Luís e com projetos de inaugurar até o final deste ano uma loja em Belém, no Pará e outra em Palmas, Tocantins. A marca comandada pela família Feitosa, passou por alguns ajustes desde a sua fundação, há 20 anos, e de B&L se transformou em LA VERTU, que, com pouco mais de cinco anos de existência, já está consolidada no mercado da moda piauiense. A mudança veio através dos filhos, Laysa e Lázaro, que, após uma crise financeira na empresa, iniciou um novo projeto: ao invés de produzir para revendedores, começou a fabricar e comercializar para o público final.

Diretora comercial e de marketing da La Vertu, Laysa Feitosa supervisiona as ações das lojas em Teresina e São Luís e é mãe de Arthur e Luciana. A jovem empresária que cresceu em meio a aviamentos, linhas, tecidos, conta que sempre foi apaixonada pelo trabalho da família e que sua ideia junto ao irmão, Lázaro Feitosa, de mudar o modelo de negócio da empresa, veio em um momento crucial. “O Lázaro sempre teve uma visão aguçada para produto. Então, eu e ele ficamos responsáveis pela La Vertu. Fui fazer desenvolvimento de marca, planejamento de loja, layout de sacolas, marketing e ele a pesquisa de produto: o que a gente ia vender, como é que ia ser o consumidor. No início, eu e Lázaro geríamos a La Vertu. Mamãe e Laércio continuaram gerindo a B&L. No primeiro mês da nova marca, a venda em relação a B&L foi exponencialmente muito grande e chamou atenção de todos. A partir daí começamos a trabalhar em conjunto para fazer a migração das lojas para La VERTU e tirando a B&L do mercado, que atualmente não é mais produzida”, relembrou Laysa. Trabalhando lado a lado com os filhos, Lucy Feitosa passa toda a sua expertise para a produção de novas peças. Lázaro continua no estilo e criação das roupas e Laércio, que trabalhou por muito tempo na parte financeira da empresa, agora possui novos projetos profissionais e está alçando novos voos na carreira A revista da CDL conversou com essas duas mulheres e mães Revista O LOJISTA • Edição 06 | 19


ENTREVISTA

empreendedoras para saber um pouco mais sobre a história e missão da La Vertu.

CDL - Como é conciliar a vida de mãe e empresária? Lucy Feitosa – Quando comecei, tive sorte, porque tinha uma irmã que morava comigo, então ela dava bastante assistência para os meus três filhos, ela quem cuidava dos meninos para eu ter tempo de criar, cortar, fabricar e vender. Ela foi meu suporte. Meus filhos eram pequenos. Se eu voltasse atrás no tempo eu teria mais tempo para os meus filhos, que eu não tive. Eu corri atrás de dar para eles o que eu não tive, mas não tive tão presente. A minha irmã, meu esposo, estiveram mais presentes na vida deles. O meu trabalho consumia muito tempo. Hoje, como eles trabalham na empresa, acabamos ficando mais tempo juntos e agora existe essa compensação. Laysa Feitosa - Quando comecei, há 8 anos, não separava trabalho e filhos. Não tinha horário definido, trabalhava de manhã, tarde e noite, finais de semana. Tive que pagar psicólogos para os meus filhos, porque eles davam trabalho na escola. Eu não tinha tempo, não conseguia conciliar as duas coisas. A partir do momento que fui fazendo cursos e adquirindo experiência profissional, fui começando a delegar mais e dar importância o que tem importância, então hoje, consigo equilibrar o lado profissional, o lado família e o lado mulher. Hoje consigo almoçar com meus filhos, passar o fim de semana com eles. Tirar um dia, durante a semana, sem trabalhar para estar na companhia deles. CDL - Como vê a atuação da mulher no mercado de trabalho? Lucy Feitosa - A mulher está deixando sua casa e seus filhos para trabalhar, e isso é importante, mas temos que ter um tempo balanceado para tudo. A mulher, quando quer fazer algo, faz mais bem feito que o homem, porque ela faz com o coração. A mulher só trabalha no que verdadeiramente ela ama fazer. Se 20 | Revista O LOJISTA • Edição 06

Fotos: CDL Teresina

CDL – Como você pensou em montar seu próprio negócio? Lucy Feitosa - Comprava blusas de malha para revender de um senhor que trazia peças do Rio de Janeiro. No início vendia no meu próprio ambiente de trabalho e, com o passar do tempo, saí da empresa e montei o meu próprio negócio. Minha primeira loja foi na casa onde eu morava, no bairro Cabral. Com o desejo de crescer ainda mais, senti necessidade de colocar a loja no Centro de Teresina, foi quando surgiu o ponto na rua 13 de maio. No dia a dia do comércio, percebi que podia fabricar as roupas que vendia. Comprei duas máquinas semi-industriais, eu e minha cunhada fazíamos as peças. O meu produto, quando eu colocava na loja, vendia mais que o produto que eu comprava fora, porque o que fabricava eu vendia mais barato, então, com o tempo, eu deixei de comprar as peças e montei minha própria marca, voltado para revendedoras, tudo fabricação própria. Eu e meu esposo, Benedito Feitosa, trabalhamos diariamente. Eu fazia as peças e Benedito viajava para o interior do Piauí, Maranhão, Ceará, mostrando o produto para os lojistas.

A LA VERTU TEM A MISSÃO DE GERAR EMPREGO E AJUDAR O PRÓXIMO.

você faz algo que você gosta, que você tem prazer, o resultado é que vai dar certo. Você trabalha sem ver o tempo passar . CDL -Ser mãe pode ser uma vantagem para uma empreendedora? Laysa Feitosa: Quando você é mãe, você desenvolve algo chamado empatia. A gente consegue se colocar no lugar do outro. Começa a ver detalhes e dar valor a pequenas ações que antes você não dava ou não via com tanta facilidade e isso, para uma empreendedora, é muito peculiar. Você consegue cobrar e também se colocar no lugar do colaborador. A gente percebe e procura saber quando um funcionário está com o desempenho baixo. A mãe empreendedora desenvolve esse outro olhar. CDL - Sua empresa acredita que a responsabilidade social é uma premissa do empreendedor. Em quais causas e como a La Vertu atua? Lucy Feitosa - Nós acreditamos que todo empresário tem que ter uma missão. A La Vertu tem a missão de gerar emprego e ajudar o próximo. Investimos em pessoas. Não basta eu ser empresária, ter prosperidade, ganhar dinheiro se eu não olhar para o meu próximo. Eu posso contribuir para que o mundo que eu vivo seja melhor. Se cada um fizer a sua parte, nós podemos sim ter um mundo melhor. Cabe a nós fazer essa mudança.


LUCY FEITOSA AFIRMA QUE A BASE FAMILIAR É MUITO IMPORTANTE E QUE TEM APRENDIDO A INVESTIR EM PESSOAS.

Laysa Feitosa - Nós já distribuímos cestas básicas, há algum tempo, e queremos aumentar o número de doações. Além disso, estamos desenvolvendo um trabalho de ressocialização de mendigas, ex-presidiárias e dependentes químicas, em que estamos ensinando o ofício da costura para que elas saiam capacitadas para ter seu próprio emprego. Algumas delas serão contratadas para trabalharem na nossa linha de produção. Temos outros projetos para capacitar essas mulheres, não só através do corte e costura, mas também na área da beleza e fazemos também o trabalho de evangelização que a gente acredita que é muito importante para trabalhar o emocional e a reestruturação psicológica delas.

CDL -Quais são os pilares que fazem o negócio de sucesso? Lucy Feitosa - É você amar aquilo que você faz. A base familiar é muito importante e eu tenho aprendido a investir em pessoas. Para uma empresa crescer tem que investir nas pessoas, ter um relacionamento com os colaboradores.

CDL- Como as mães podem inspirar seus filhos? Lucy Feitosa: Com o valor da mulher, do exemplo. Falar é uma coisa, fazer é outra. Se o filho cresce vendo aquele valor ele se inspira. Ele quer ser aquilo. O exemplo é que move.

Laysa Feitosa - Planejamento é o grande diferencial para uma empresa ser bem- sucedida ou não. Cerca de 80% das empresas fecham em até 2 anos por falta de planejamento. Planejar a abertura, capital de giro, escoamento de mercadoria, capacitação de funcionários, capacitação de clientes, marketing. Tudo isso é primordial. Em segundo lugar, acho que é necessário ter humildade para receber feed back e saber quando não está indo de forma correta. Muitos empresários fecham as portas por vaidade ou prepotência, ficam achando que está tudo muito bem, a empresa está ótima e não procuram ouvir feed back e melhorar. Então, temos que estar abertos a ouvir sugestões e feed back, tanto de clientes como dos colaboradores.

Laysa Feitosa: Através do comportamento. Falar não tem embasamento nenhum na formação de caráter. Como você age, faz com que transforme, modele o perfil do seu filho. Acredito que não é o diferencial apenas como mãe e filho, mas como ser humano. Se você quer inspirar as pessoas, você deve agir de acordo com o que você acredita

Em terceiro lugar acredito que ter uma missão por trás, ter valores. Teus colaboradores não vão trabalhar apenas por questões salariais, mas também pela missão da tua empresa, e o cliente vai consumir também porque eles compram a missão do teu negócio. Se você consegue transparecer a sua missão, a probabilidade de ter sucesso é bem maior. Revista O LOJISTA • Edição 06 | 21


ASSOCIE-SE AO SINDILOJAS/PI A associação sindical é a forma mais legí ma de representação dos interesses cole vos da classe econômica do comércio varejista. Atuamos na defesa dos direitos e bene cios da sua empresa. Sua empresa também é parte no processo de desenvolvimento do nosso Estado.

SINDILOJAS / PI

Associe-se e par cipe! Seja mais um associado ao SINDILOJAS/PI e tenha acesso a nossos serviços como: Assessorias: Jurídica - tributária - contábil - trabalhista - cível - consumeristas; ● Assistência em Acordos individuais e Convenções Cole vas de Trabalho; ● Defesa de interesse dos empresários junto aos órgãos públicos; ● Plano de saúde UNIMED; ● Medicina do trabalho. ● Convênios: - Ticket Alimentação, - Clínica Ba sta, - Faculdade Camilo Filho, - Faculdade Adelmar Rosado, - Faculdade FAETE. ●

SINDILOJAS/PI

Rua Desembargador Freitas, 990, 2º andar, Teresina-PI ● Funcionamento diário das 8h às 17h30 Fone: 86 3301.6686 ● sindilojaspiaui@gmail.com www.sindilojaspiaui.com.br ● www.sindilojas-pi.sicomercio.org.br Fanpage: /sindilojaspi ● Instagram: @sindilojaspiaui 22 | Revista O LOJISTA • Edição 06


EDUCAÇÃO

LIVRO “HISTÓRIA DO COMÉRCIO E DESENVOLVIMENTO DO PIAUÍ” É ADOTADO PARA PESQUISAS ESCOLARES A iniciativa partiu de um trabalho escolar para a disciplina de história onde os alunos buscavam conhecer mais sobre o comércio local

Os alunos do 3º ano das turmas da manhã e tarde do Instituto Dom Barreto conheceram um pouco mais sobre o comércio piauiense através do livro “História do Comércio e Desenvolvimento do Piauí”, com a escritora da obra Martha Tajra. A iniciativa partiu de um trabalho escolar para a disciplina de história, em que o aluno Henrique Cosme buscou conhecer a evolução do comércio e teve como fonte de pesquisa o livro desenvolvido pela CDL de Teresina. Durante a palestra, a escritora destacou o farto material fotográfico com depoimentos de empresários que entraram

OS ALUNOS TAMBÉM RECEBERAM LIVROS SOBRE A HISTÓRIA DO COMÉRCIO.

para a história do comércio da capital. “O livro mostra o quanto o comércio e seus atores foram e continuam sendo peças fundamentais para o progresso da nossa cidade”, disse. Para a autora, o comércio está presente na economia de Teresina desde os seus primórdios e sua evolução acompanha os fatos mais marcantes da cidade, como a própria mudança da capital e o uso do rio Parnaíba como principal via de acesso às mercadorias comercializadas, a construção de uma infraestrutura bancada pelos primeiros comerciantes vindos de Caxias (MA), a instalação da energia elétrica, a abertura do crediário e, logo depois das primeiras agências bancárias, o início das grandes redes de varejo, e mais recentemente o surgimento de shoppings centers e outras inovações tecnológicas.

OLHOS ATENTOS A CADA EXPLICAÇÃO DA HISTORIADORA.

Na oportunidade, os alunos ainda puderam conhecer peças do museu do comércio, como antigas caixas registradoras, máquinas de escrever, rádio e máquinas de calcular. E, ao final da palestra, houve sorteio de livros. Revista O LOJISTA • Edição 06 | 23


VISITA

OS ALUNOS CONHECERAM AS INSTALAÇÕES E SERVIÇOS DA CDL.

ALUNOS DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA UNINOVAFAPI VISITAM CDL E PARTICIPAM DE BATEPAPO COM LOJISTAS Em um bate-papo entre diretores da CDL de Teresina e professores, os alunos do curso de administração da UniNovafapi conheceram mais sobre as atividades das entidades lojistas. Participaram os presidentes da CDL de Teresina, Evandro Cosme, e da FCDL-PI, Sávio Normando, o diretor Marco Pinto e as professoras Vanessa Alencar, Celina Tourinho e Adriana Graça. Os alunos conheceram mais sobre a história do comércio, da consolidação do SPC no Piauí e a trajetória das entidades lojistas. Durante todo o 24 | Revista O LOJISTA • Edição 06

bate-papo, os estudantes foram questionados sobre a troca de informações do aprendizado em sala de aula e o mundo corporativo no qual está inserido a entidade lojista. “Receber esses estudantes e poder contar a nossa história, mostrando o crescimento e fortalecimento da nossa entidade é sempre gratificante”, disse Evandro Cosme, presidente da CDL de Teresina. Sempre atentos às explicações dos presidentes, diretores e lojistas, os alunos não ficaram para trás quando puderam perguntar sobre o comércio, empreendimentos e participações de lojistas junto às entidades de classe. “Levar essa experiência para os alunos, verificando a necessidade de uma maior aproximação entre o ambiente acadêmico e o mundo corporativo, buscando incentivar o espirito empreendedor e a ampliação das redes de relacionamento”, enfatiza Sávio Normando, presidente da FCDL-PI. Os estudantes ainda conheceram as instalações da entidade, serviços e produtos oferecidos.


FCDL-PI

CNDL REALIZOU UM WORKSHOP PARA QUE CADA LIDERANÇA REGIONAL PUDESSE EXPRESSAR SUAS EXPECTATIVAS.

SÁVIO NORMANDO TOMA POSSE COMO DIRETOR DA CNDL, EM BRASÍLIA O novo corpo de dirigentes da Confederação promete atuar em conjunto em prol das pautas do comércio e serviços O presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Teresina, Evandro Cosme e o presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas (FCDL) do Piauí, Sávio Normando, estiveram presentes na solenidade de posse do novo presidente da Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas – CNDL, José César da Costa. O evento aconteceu no dia 06 de março, no hotel Royal Tulip Alvorada, em Brasília. Durante a solenidade, Sávio Normando foi empossado como diretor da CNDL para o triênio 2018 – 2021. Para

Sávio Normando, juntamente com o cargo de diretor da CNDL vem a responsabilidade de trabalhar para fortalecer o segmento lojista e dar continuidade aos trabalhos desenvolvidos pela Confederação, agindo de forma a unir institucionalmente os serviços. “O evento é bastante significativo para o movimento lojista do Piauí, pois ter na diretoria da CNDL um representando é muito importante. Nos próximos anos, os projetos empreendidos serão realizados no sentido de fortalecer ações para que o comércio tenha a sua importância reconhecida, tanto por parte dos consumidores como entre a classe. Todas nossas atividades serão coerentes com as ações que a Confederação pretende realizar”, destacou o diretor. A CNDL realizou um workshop para que cada liderança regional pudesse expressar suas expectativas às sugestões de trabalho: “Tudo isso foi condensado e elencado, sendo que aquelas que tiveram maior relevância, como ações de política, de comunicação e do trabalho de desenvolvimento das lideranças foram prioritárias. Várias ações serão trabalhadas Revista O LOJISTA • Edição 06 | 25


EDIÇÃO VI

das pautas do comércio e serviços, em parceria com as frentes parlamentares da Micro e Pequena Empresa e do Comércio, Serviços e Empreendedorismo, bem como da UNECS.

GERENTES DA CDL DE TERESINA PARTICIPAM DE EVENTO DO SPC BRASIL EM SÃO PAULO

SÁVIO NORMANDO FOI EMPOSSADO COMO DIRETOR DA CNDL, PARA O TRIÊNIO 2018 – 2021.

com esse propósito”, revelou Normando. Entre os projetos para este novo triênio está a implementação do cadastro positivo, a regulamentação de feiras itinerantes e a derrubada do veto ao Refis das micro e pequenas empresas. Durante a cerimônia de posse, o novo presidente, José Cesar da Costa, anunciou a assinatura de um Acordo de Cooperação Técnica com o Banco Central para a promoção da cidadania financeira, em que será utilizada a capilaridade do sistema da entidade, para que as ações do Banco Central sejam aplicadas em prol do aquecimento da economia e cheguem até a rede de associados e empresários. A cerimônia foi bastante prestigiada pela classe política. Os ministros Alexandre Baldy (Cidades) e Marcos Jorge Lima (Indústria, Comércio Exterior e Serviços), além do governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, deram boas-vindas ao novo presidente. O novo corpo de dirigentes da Confederação promete atuar em conjunto em prol 26 | Revista O LOJISTA • Edição 06

B u s ca n d o s e m p re a tu a l i za r n o s s o s colaboradores, a diretora da CDL Teresina Eline Castro, o gerente de negócios e relacionamentos, Brunno Rosal, a gerente do departamento de cobrança, Maria das Dores, e a gerente do setor de pós-vendas, Gláucia Gonçalves participaram, em São Paulo, do primeiro encontro do GDNP (Grupo de Desenvolvimento de Negócios e Produtos) realizado pelo SPC Brasil. O encontro reuniu as maiores entidades em faturamento e teve como objetivo discutir melhorias nos produtos e desempenho das CDL’s de todo o Brasil. Entre os palestrantes do evento estiveram Ronaldo Guimarães, Michel Felix, Elaine Malta, Priscila Pardim e Adriana Ribeiro. Durante o evento também foi apresentado o desempenho de cada entidade e metas que devem alcançar ao longo de 2018.

O ENCONTRO REUNIU AS MAIORES ENTIDADES EM FATURAMENTO DO SPC.


Revista O LOJISTA • Edição 06 | 27


NOVO PRODUTO CDL

SISTEMA DE BIOMETRIA FACIAL JÁ ESTÁ DISPONÍVEL PARA LOJISTAS DO PIAUÍ A solução foi desenvolvida a partir da demanda dos associados do SPC BRASIL que registrava muito prejuízo com fraudes A cena é mais comum do que você imagina. Uma senhora simpática, de nome Carla está no setor de crediário da loja para parcelar suas compras de eletrodomésticos, seu CPF e nome conferem na base de dados da Receita Federal e seu score de crédito está perfeito, porém existe um problema, Carla, na verdade se chama Maria que nunca pagou o crediário e não vai pagar a nova compra. Onde está o erro? Acertou quem disse que era a foto. “O problema não é o CPF, mas as informações de quem o está portando, informações que a partir de agora os associados ao SPC Brasil tem, através da conferência da Biometria Facial”, explica Brunno Rosal, gerente de vendas da CDL de Teresina. 28 | Revista O LOJISTA • Edição 06

“Os criminosos hoje já produzem documentos com papéis originais e usam CPFs, RGs e nomes verdadeiros sem problema de negativação de crédito. Mas substituem a foto do dono pela foto do fraudador, sabemos que constantemente que o varejo tem que inovar as formas de análise de crédito e a mudança de comportamento dos clientes está sendo de forma rápida, trabalhamos intensamente para oferecer um crédito com menor risco e maior assertividade para os associados da CDL, a Biometria Facial já presente no crédito e já é uma realidade em equipamentos de telefonia e cada dia vai ficar mais usada no nosso dia dia”, diz o gerente. Com o a biometria facial, novo serviço disponibilizado pela entidade, o lojista pode realizar pode realizar leitura dos traços do rosto para confirmação de identidade. Através de uma foto simples, o equipamento identifica o cliente com um nível de acerto de 99,75%, afirma Brunno Rosal. A solução foi criada a partir da demanda de uma rede de varejo que registrava muito prejuízo com fraudes. Entre as empresas que já utilizam o sistema estão: Renner, Magazine Luiza, Riachuelo e Marisa e ainda os Bancos e em empresas de outros setores. Em Teresina, lojas como Noroeste, Pintos já estão usando o equipamento e já conseguem observar a maior segurança nas vendas e tem melhorado a qualidade de concessão de crédito.


CDL'S

FCDL-PI RECEBE DIRETORIA DA CDL DE FLORIANO E CAMPO MAIOR PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE FORTALECIMENTO DA CLASSE A Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas (FCDL) do Piauí, através da sua diretoria, recebeu, no mês de março, as diretorias das CDL’s de Floriano e CDL de Campo Maior, que tem como presidentes respectivamente os empresários Edilberto Martins dos Reis e Francisco Marin. Na oportunidade, os lojistas conheceram os serviços como a Certificação Digital e novos produtos do SPC Brasil.

O presidente da FCDL-PI, Sávio Normando, falou sobre as novas oportunidades de negócios para as regiões e o fortalecimento das entidades para 2018. Entre as ações que devem ser desenvolvidas entre as entidades estão, um encontro regional com lideranças, lojistas e autoridades na busca para o crescimento e novas ideias para a categoria varejista.

Fotos: CDL Teresina

DIRETORES DA CDL DE FLORIANO VISITAM FCDL-PI.

Edilberto Martins já está com novos projetos para o seu mandato. “Hoje estamos dispostos a prestar o melhor serviço para nossa classe através de um novo formato, estamos aqui exatamente para buscar novas ideias para nossos lojistas. Em dois anos, pretendemos lançar a campanha ‘juros zero’, em que poderemos levar ao consumidor que ele pode quitar seu débito sem se preocupar com os juros, trazendo mais consumidores de voltas às compras”, disse o gestor. Durante a visita, os diretores ainda puderam receber informações sobre produtos do SPC Brasil. Revista O LOJISTA • Edição 06 | 29


CERTIFICADO DIGITAL

OBRIGATORIEDADE: CERTIFICADO DIGITAL PASSARÁ A SER IMPRESCINDÍVEL PARA PESSOA FÍSICA O certificado digital é muito comum no âmbito empresarial, usado por pessoas jurídicas. Porém não é um documento que beneficia somente as empresas. O certificado digital pode e deve ser utilizado também por pessoas físicas em diferentes situações.

Além de ser adquirido no formato digital, o certificado para pessoa física pode ser obtido através de token, tipo A, que é o mais comum, usado para assinar documentos digitalmente. “Processo eletrônico de assinatura, baseado em sistema criptográfico assimétrico, que permite que o usuário use sua chave privada para declarar a autoria do documento eletrônico que será entregue a cartórios ou qualquer outro órgão, garantindo a integridade do conteúdo”, complementou. Para realizar Certificação Digital, a pessoa deve portar a identidade, carteira de motorista ou qualquer documento com foto.

Foto: CDL Teresina

Através da certificação uma pessoa física poderá identificar-se e assinar digitalmente um documento de qualquer parte do mundo, com plena segurança e maior agilidade na resolução dos seus negócios.

Segundo Rosenburg Nóbrega, supervisor da Certificação Digital da CDL de Teresina, a ferramenta garante ao seu proprietário total segurança contra fraudes em suas transações efetivadas digitalmente por meio da internet. “É uma solução moderna disponível para qualquer pessoa que deseje proteger suas informações e assegurar sua autenticidade, confidencialidade e integridade”, disse.

ROSENBURG NÓBREGA, SUPERVISOR DA CERTIFICAÇÃO DIGITAL DA CDL DE TERESINA, AFIRMA QUE FERRAMENTA GARANTE AO SEU PROPRIETÁRIO TOTAL SEGURANÇA CONTRA FRAUDES. 30 | Revista O LOJISTA • Edição 06


ANÚNCIO REDE

Revista O LOJISTA • Edição 06 | 31


SAÚDE

MAIORIA DE PACIENTES QUE SE SUBMETE À LIPO VOLTA AO CONSULTÓRIO UM ANO DEPOIS A cirurgia é indicada para retirada de excesso de gordura, que não se consegue eliminar com dietas balanceadas e prática de atividade física. Segundo dados de um levantamento clínico, cerca de 60 % dos pacientes submetidos à lipoaspiração não mantém os resultados da cirurgia por muito tempo. O estudo revela ainda que 30% dos que se submetem à lipo retornam ao consultório para um novo procedimento cerca de um ano depois, muitas vezes, no mesmo lugar do corpo. De acordo com o cirurgião plástico Davis Barbosa, é comum o paciente buscar a lipo como forma de emagrecimento, mas, para manter os resultados do procedimento, é necessário mudar hábitos. “A cirurgia é indicada para retirada de excesso de gordura, que não se consegue eliminar com dietas balanceadas e prática de atividade física. Apesar de ser uma cirurgia realizada frequentemente, como toda e qualquer cirurgia, há riscos”. O médico sinaliza, ainda, que é importante fazer um planejamento para se submeter à cirurgia. Em muitos casos, segundo ele, quem procura a lipoaspiração é orientado a perder peso. “As pessoas, na maioria das vezes, marcam a consulta querendo operar na semana seguinte. Mas, além do tempo necessário aos exames pré-operatórios, pacientes com sobrepeso precisam emagrecer, pois uma lipoaspiração segura retira, no máximo, cinco ou seis quilos. A cirurgia prevê um limite de volume aspirado determinado por resolução dos Conselhos de Medicina. O volume aspirado não deve ultrapassar 5% a 7% do peso corporal”, afirma o médico. 32 | Revista O LOJISTA • Edição 06

DAVIS BARBOSA RESSALTA QUE É POSSÍVEL, MAS NÃO É DESEJÁVEL, SUBMETERSE A UMA NOVA LIPOASPIRAÇÃO EM UM OU DOIS ANOS.

Davis Barbosa ressalta que é possível, mas não é desejável, submeter-se a uma nova lipoaspiração em um ou dois anos. Na sua avaliação, o principal impacto é emocional. “A cirurgia é um investimento grande na vida do paciente: financeiro, de tempo e de saúde. Há grande frustração quando, pouco tempo depois, ele se vê novamente com a gordura que retirou. Então, deve haver uma consciência de mudança de hábitos para manter o resultado”. Além disso, o médico faz o alerta para que as pessoas façam o procedimento apenas com médicos cirurgiões plásticos e registrados na Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. “Para segurança do paciente, a lipoaspiração só deve ser realizada em centro cirúrgico, em hospital com estrutura para uma eventual emergência. É necessário treinamento específico para a sua execução, além de ter habilitação prévia em área cirúrgica geral e em cirurgia plástica”. Cuidados após a lipo devem ser seguidos. O pós-operatório correto é essencial para uma boa recuperação e bom resultado. “O paciente precisa usar cinta modeladora e fazer repouso, além de manter boa hidratação e alimentação. A drenagem linfática é essencial para ajudar a desinchar e evitar a formação de fibrose”, finalizou.


ARTIGO

NOVO CADASTRO POSITIVO VAI BENEFICIAR CONSUMIDORES E EMPRESAS

Diariamente, a cena se repete Brasil afora. Consumidores e pequenos empresários que se sentam à frente de um gerente de banco, em busca de um empréstimo, encaram uma verdadeira via-crúcis de exigências e juros difíceis de pagar. Vemos no noticiário a taxa básica Selic fixada em 6,5% ao ano, mas esse percentual passa longe de quem efetivamente precisa de crédito, na ponta. Uma das principais dificuldades para cidadãos e empresas pequenas acessarem linhas de financiamento e empréstimos é a burocracia de bancos e instituições financeiras, causada pela falta de informação. Quem empresta não sabe se quem está pedindo empréstimo é um bom ou mau pagador. Sendo assim, partem da perspectiva pessimista ao realizar suas avaliações. O novo Cadastro Positivo ajudará a mudar esse quadro de burocracia, falta de flexibilidade dos prazos para pagamentos e juros altos. As propostas para alterar o atual sistema estão contidas no Projeto de Lei Complementar 441/17, que tramita no Congresso Nacional. A principal mudança é que todos os portadores de CPF e CNPJ do país terão seus históricos de pagamento inseridos nesse cadastro. Atualmente, é preciso autorizar a entrada no banco de dados que conta com apenas oito milhões de inscritos. Aprovado o projeto, a expectativa é que aproximadamente 130 milhões de brasileiros integrem o cadastro. Quem não quiser permanecer deve solicitar a exclusão, gratuitamente, até 30 dias após ser comunicado da inclusão. O novo Cadastro Positivo reunirá também informações sobre crediário e pagamento de contas de luz e água, por exemplo. 34 | Revista O LOJISTA • Edição 06

JOSÉ CÉSAR DA COSTA, PRESIDENTE DA CONFEDERAÇÃO NACIONAL DOS DIRIGENTES LOJISTAS.

Assim, alguém sem relacionamento com bancos poderá ter seu perfil financeiro identificado pelo mercado e, se for um bom pagador, será beneficiado com taxas de juros mais atraentes e melhor negociação se precisar de crédito nas instituições financeiras. A privacidade do consumidor e seu sigilo bancário estão garantidos. O que ele comprou e onde não podem constar no Cadastro e ele terá acesso gratuito às suas informações. Será uma lei positiva e benéfica, que atende a um direito do consumidor. A experiência internacional mostra que o Cadastro Positivo é uma ferramenta que aumentou o acesso ao crédito e reduziu a taxa de juros nos países onde foi implementado. As mudanças serão positivas para todos, consumidores e empresários, democratizando o acesso às instituições financeiras, a bancarização e impulsionando a economia do país.


Revista Revista O LOJISTA O LOJISTA • Edição • Edição 05 06 | 35| 35


36 | Revista O LOJISTA • Edição 06

Revista O Lojista 06  

Empreendedoras: Negócios de mãe para filha

Revista O Lojista 06  

Empreendedoras: Negócios de mãe para filha

Advertisement