Page 1

O LOJISTA

Ano XXXVIII | www.cdlniteroi.com.br

Edição 560 | Dezembro 2016

Então é Natal!

Lojistas se preparam para a data mais importante do varejo

Crescer Sem Medo

Projeto traz novas diretrizes para o empresariado

Empreendedorismo feminino Niteroienses criam projeto que incentiva o empreendedorismo

NITEROI

CDL

Câmara de Dirigentes Lojistas de Niterói


EDITORIAL

De Utilidade Pública: Estadual, Lei no 5579/65 / Municipal, deliberação no 2539/65 CONSELHO SUPERIOR Presidente: Joaquim Manuel de Sequeira Pinto Vice-presidente: Ademir Antunes Carvalho MEMBROS DO CONSELHO SUPERIOR Antonio Carlos Costa Pires, Domingos de Carvalho Rodrigue, Elida Gervásio Gouvêa, Ithamar Torres Mancen, José Dornas Maciel, Lúcio Ferreira de Azevedo, Manoel Alves Junior, Orlando Cerveira Francisco, Roberto Mauricio Rocha, Salomão Guerchon. Suplentes: Gentil Moreira de Sousa e Marina Espósito Haddad. DIRETORIA ADMINISTRATIVA Presidente: Fabiano Gonçalves Vice-presidente: Luiz Vieira Diretores: Fausto Regis de Oliveira Reis, Graciele Davince Pereira, Jorge Gentile, Mauricio Nassib Moita Zarife, Oswaldo Rodrigues Vieira, Rogerio Rosetti Mendes, Ruan Carlos Teixeira de Oliveira, Sidney Moyses Vianna Freire Suplentes: Alberto Guilherme Magalhães Ducan e Felipe Reis de Almeida Gerente geral: Walter Monnerat CONSELHO EDITORIAL Fabiano Gonçalves, Joaquim Pinto e Walter Monnerat

O LOJISTA

NITEROI

SERVIÇOS DA CDL Serviço de Proteção ao Crédito, Serviço de Relações com Usuários, Central de Informações, Central de Cadastro, Central de Processamento de Dados, Assessoria Técnica, Consultoria Jurídica, Serviço de Documentação e Divulgação e Serviço de Administração

Editora e Coordenação: Kelly Goldoni - MTE: 34527/RJ e Lene Costa Redação: Goldoni Comunicação Diagramação: Alyne Gama Jornalistas: Mariana Navarro e Lene Costa Fotos: Divulgação CDL Niterói Foto capa: Art Nit Papelaria/Ulisses Franceschi

Publicação dirigida da CÂMARA DE DIRIGENTES LOJISTAS DE NITERÓI, contendo legislação, índices econômicos e condensado de notícias e informações de interesses do comércio lojista. Distribuição: Câmaras de Dirigentes Lojistas, Associações Comerciais, Federações do Comércio, Sindicatos e demais entidades de classe do País, identificadas com as atividades do comércio, bem como empresários e executivos especialmente cadastrados. O LOJISTA utiliza as seguintes fontes para editar o condensado de notícias: O Globo, Jornal do Commercio, A Tribuna, O Fluminense e Diários Oficiais. Os índices, estatísticas e projeções são cuidadosamente compilados, de acordo com os últimos dados disponíveis no fechamento da edição. O uso dessas informações para fins comerciais e de investimentos é de exclusiva responsabilidade e risco dos seus usuários. IMPORTANTE: As matérias assinadas são de respnsabilidade de seus autores. ENDEREÇO PARA CORRESPONDÊNCIA Rua General Andrade Neves, 31, Centro, Niterói, RJ CEP: 24210-000 / Tel.Fax: (21) 2621-9919

Natal: tempo de reflexão e

Finalmente chegamos à época mais bonita do ano, o Natal. E com ele o tempo de confraternização, das deliciosas ceias, dos abraços e da troca de presentes. Para nós, que fazemos parte do imenso mercado varejista, essa que é uma das datas mais festejadas, porque representa, principalmente em um ano com condições econômicas tão adversas, a recuperação das vendas, dando um fôlego nos caixas. E para o comércio de Niterói não será diferente. Entendendo o quanto essa data é significativa, os empresários lojistas estão respondendo às expectativas com muito otimismo. E é exatamente esse espírito positivo que nós, da CDL Niterói, queremos semear para esse período. Afinal, somos e sempre seremos otimistas quanto ao caminhar do comércio. No entanto, tão importante quanto estabelecer estratégias para aquecer as vendas de fim de ano é planejar nossas ações futuras. Para tanto, é preciso aproveitar este momento, que traz em sua essência o sopro da renovação, para contabilizar conquistas e fazer um balanço do que passou, abrindo espaço a um novo ciclo para os negócios em 2017. Aproveito a oportunidade para agradecer ao vice-presidente da CDL Niterói, Luiz Vieira, por sua dedicação a nossa entidade durante a minha ausência. Enfim, acredito que mesmo diante de algumas projeções negativas, munidos de muita criatividade, inovação e planejamento, sejamos capazes de obter bons resultados neste novo ciclo. Mas principalmente, espero que a nossa classe permaneça unida e mostrando nossa força para lutar por melhorias que o nosso segmento tanto necessita. Que o próximo ano seja inteiro de boas notícias, bons negócios e muita paz.

união

Feliz Natal!

Fabiano Gonçalves

Presidente

Impressão Gráfica Primil (21) 3078-4300 Circulação Mensal Nacional | Tiragem: 7.000 Exemplares

CDL NITERÓI 3


EDIÇÃO 560

ÍNDICE 06

CAPA

CAFÉ

EMPRESARIAL

Novidade

10

Curtas Jurídica

Em vez de cortar custos, corte desperdícios

18

11

12

Olho Vivo CDL em ação

13

16

17

Cidade Curtas

20

21

Leis tributárias Cidade

23

Fique atento Em alta

25

24

Comércio exterior 4 O LOJISTA n dezembro 2016

08

Eu quero, eu posso!

26


Art Nit Papelaria | Ulisses Franceschi

CAPA

O Natal da esperança para o comércio de Niterói

F

altando apenas algumas semanas para o Natal, as lojas de Niterói já estão em total clima natalino. Na verdade, desde os primeiros dias do mês de novembro, os enfeites típicos da celebração mais amada por todos os brasileiros ganharam as vitrines. E lado a lado às bolas decorativas e às cores verde e vermelho, predominantes nessa época do ano, cresce o otimismo dos lojistas, que esperam um aumento significativo nas vendas. Das decorações tradicionais às mais modernas, tudo nos estabelecimentos é pensado para inspirar e chamar a atenção daqueles que por ali passam. E nas três lojas da Arte Nit Papelaria, localizadas no Centro, em Icaraí e no Plaza Shopping, não é diferente. Com o intuito de encantar e atrair os clientes, tanto as vitrines quanto o interior do local retratam toda a magia do Natal. Por estar entre as datas que mais movimentam o comércio de acordo com os quatro sócios: o casal José Carlos 6 O LOJISTA n dezembro 2016

e Riva e seus dois filhos, Janine e Hugo, é importante fazer com que a loja se sobressaia frente à concorrência. A expectativa da Art Nit para as festas de fim de ano é tão positiva que o estabelecimento investiu em uma linda vitrine temática. “Estamos muito animados! É uma época especial e nossas lojas estão estrategicamente localizadas nos mais importantes centros comerciais de Niterói. Além disso, acreditamos estar muito bem preparados para atender as demandas próprias para a celebração com uma extensa variedade de presentes, brinquedos e artigos de decoração com preços justos e compatíveis com a realidade do mercado atual”, completou Hugo. Para o presidente da CDL Niterói, Fabiano Gonçalves, o período natalino é conhecido como sendo a época em que todas as lojas conseguem elevar suas vendas, no entanto, as vendas deste fim de ano entram na história como um


CAPA

dos piores para o varejo brasileiro. E este ano, mesmo com a crise pesando no bolso, não vai faltar criatividade por parte dos consumidores na hora de presentear no Natal. “Com relação às vendas de Natal para o ano de 2016, que entra para a história como um dos piores anos vividos pelo comércio de varejo do Brasil, não é muito diferente das outras datas que tivemos. O cenário é de crise e de desemprego, juros altos, pouco crédito, mas eu quero deixar isso um pouco de lado e ressaltar o espírito do Natal. Então na falta de dinheiro, sobrará criatividade. Acredito que as pessoas irão às compras quando receberem a 2ª parcela do 13º, já que a 1ª parcela está bem comprometida com dívidas”, acrescentou Fabiano.

"O cenário é de crise e de desemprego, juros altos, pouco crédito. Acredito que as pessoas irão às compras quando receberem a 2a parcela do 13o, já que a 1a parcela está bem comprometida com dívidas", Fabiano Gonçalves

Tempo de semear felicidade

Sempre o que Natal se aproxima, a vontade de fazer o bem para o próximo se intensifica. De norte a sul, de leste a oeste, o desejo que o “Papai Noel” traga um Natal de felicidade é comum para todos. E aqui, em Niterói, não é diferente. Entendendo a importância desse período, a Associação de Pais e Amigos de Deficientes Auditivos (Apada) de Niterói, em parceria com o Niterói Shopping, inaugurou, no 3º piso, o Cantinho do Artesão. “A direção do Niterói Shopping nos doou uma loja no terceiro piso até final de dezembro. Reunimos 20 artesãs de nossa cidade, que estão aguardando a visita de todos com o intuito de nos prestigiar”, disse a diretora social da Apada Niterói, Sonia Andrade. A diretora social também ressaltou a importância do conhecimento dos projetos e dos serviços que a instituição oferece por parte dos niteroienses. Isso porque, para Sonia, essa compreensão cria um pensamento que garante parcerias que contribuem para a captação de recursos tão importantes para a continuidade do trabalho da Apada. Além da abertura da loja, a associação fará um evento interno em sua creche, que assiste 73 crianças com idade de 0 até 7 anos. “Nossos eventos de final de ano são realizados internamente. As professoras, sob a coordenação da diretora Eliana, se dedicam para dar às crianças surdas e ouvintes, momentos de muita alegria junto a seus familiares. O deste ano acontecerá trazendo felicidade e, se Deus quiser, conseguiremos mais brinquedos e uma linda festa natalina”, contou a diretora.

CDL NITERÓI 7


CAfÉ empresarial

Eu quero, eu posso!

C

om a casa cheia, a CDL Niterói recebeu o palestrante, consultor do Sebrae-RJ e sócio da empresa Arqueiros, Alessandro Mendes, para o tradicional encontro entre empresários em mais uma edição do Café Empresarial. O palestrante iniciou sua apresentação trazendo um dado que aponta que 70% dos empresários não planejam seus negócios, ocasionando prejuízos que nem sempre são possíveis contabilizar. E diante dessa informação tão alarmante e para ajudar os lojistas presentes, Alessandro proferiu algumas técnicas de negociação. Com uma apresentação ilustrativa, ele explicou que o processo de negociação começa a partir de três pensamentos: eu quero! Eu posso! Eu necessito! O passo a seguir começa com uma análise dos custos, passa por uma revisão consciente de preços, promoções, bonificações e metas, e termina no cuidado com a credibilidade e a comunicação.

8 O LOJISTA n dezembro 2016

A palestra que abordou o tema técnicas de negociação reuniu diversos empresários na sede no Café Empresarial de novembro

Mas para que a negociação transcorra de maneira eficaz, de acordo com Alessandro, deve-se levar em conta a linguagem corporal (55%), a voz (38%) e as palavras (7%). O palestrante apontou ainda que para alcançar o êxito nos negócios é necessário também um balanceamento fundamental entre despesa e faturamento. “O equilíbrio de um negócio de sucesso é o descolamento entre o faturamento e o gasto. A diferença é o que faz um negócio dar certo. E na maior parte das vezes, isso está na negociação”, disse o palestrante. Para o proprietário da Hidrobombas, Francisvaldo Barbosa, a palestra foi importante, pois a partir dela o empresário poderá se orientar, provendo mais desenvolvimento e crescimento para a empresa. O Café Empresarial de novembro foi patrocinado pelas empresas parceiras: Nextel, Viggiano Festas e Unimed Leste Fluminense.


CAfÉ empresarial

Sobre os patrocinadores Nextel

Presente no Brasil desde 1997, a Nextel tem mais de 3 mil colaboradores no país. Com cobertura nacional para voz e dados na tecnologia 3G e ofertando 4G no Rio de Janeiro, a empresa possui uma base de 4 milhões de clientes. Lançou um modelo inovador de relacionamento com o consumidor, oferecendo planos totalmente flexíveis, com pacotes de dados e voz nos tamanhos P, M e G, que possuem o melhor custo-benefício do mercado. A Nextel, em parceria com a CDL Niterói oferece condições especiais para os associados. Site: www.nextel.com.br Telefones: (21) 96467-3000 (Mario Filhagosa) / 96456-8600 (Adrianno Madruga) / 96462-5896 (Carlos Nascimento) E-mail: marcus.silva@nextel.com.br (Marcus Amancio)

Viggiano Festas

Uma empresa de Buffet em domicílio, a Viggiano Festas é especializada em atender, com muito requinte e sofisticação, a todos os tipos de eventos, desde aniversários

até casamentos. Planejando com cuidado e levando em conta nosso profissionalismo sua festa tem tudo para ser inesquecível! Rua Georgina da Conceição, 190, Itaipu – Niterói – RJ Telefones: 2608-8044 / 986877302 Facebook e Instagram: Viggiano Festas

Unimed Leste Fluminense presente na vida da sua região

Com 45 anos de história, a Unimed Leste Fluminense, líder no mercado, oferece uma ampla rede de medicina e diagnóstico para a população de Niterói, São Gonçalo, Maricá, Itaboraí, Tanguá, Rio Bonito e Silva Jardim. Com mais de 200 mil clientes, hoje a empresa tem quatro unidades próprias e conta com aproximadamente 1,5 mil médicos cooperados, uma rede de prestadores de serviços de excelência, entre clínicas especializadas e laboratórios e 1000 colaboradores. Telefone da Central de Marcação de Exames: 0800 079 7200 / 4020-7200

CDL NITERÓI 9


NOVIDADE

Agora já podemos “Crescer Sem Medo”

A

pesar das dificuldades estabelecidas pela crise econômica do Brasil, o ano de 2016 se despede com grandes novidades para os empresários. Uma delas é a sanção do Projeto de Lei Complementar (PLC 125/2015), chamado “Crescer Sem Medo”. Além de alterar as regras do Simples Nacional para empresas de pequeno porte, a aprovação do projeto trouxe inúmeras vantagens, sobretudo, por estimular o crescimento dos empresários, que no passado não se sentiam motivados, por conta da carga tributária, a expandir seus negócios. O projeto batizado pelo presidente do Sebrae Nacional, Guilherme Afif Domingos, foi aprovado pelo Congresso Nacional e transformou-se na Lei Complementar 155/2016, que é uma atualização da Lei Complementar 123/06, conhecida por Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas. A emenda é de autoria do deputado Barbosa Neto (PSB/GO) e sua aprovação traz uma série de benefícios aos pequenos negócios. De acordo com o diretor de desenvolvimento do Sebrae/RJ, Evandro Peçanha, a lei chegou para beneficiar as micro e pequenas empresas. “O dono de uma MPE optante pelo Simples, por exemplo, tinha receio de faturar mais que o teto do regime tributário em razão do limite estabelecido para o rendimento bruto anual, uma vez que ultrapassado, a empresa automaticamente saía do regime simplificado e passava a ter que recolher seus impostos pelo regime normal de tributação (lucro presumido ou lucro real). Isso era um freio no crescimento dos negócios”, esclarece o diretor.

Evandro Peçanha, diretor de desenvolvimento do Sebrae/RJ Entre os destaques da lei aprovada, está a inclusão dos pequenos negócios no segmento de bebidas como cervejarias, vinícolas e produtores de cachaça e licores no Simples Nacional. Além disso, a medida prevê, a partir de 2018, o registro desses produtores no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, bem como a obediência às normas de Vigilância Sanitária e da Receita Federal. O parcelamento das dívidas entra em vigor ainda em 2016. Outras questões passam a valer em 2017, e as alterações tributárias em 2018. “Com o ‘Crescer Sem Medo’, a partir de 2018, será criada uma faixa de transição de até R$ 4,8 milhões de faturamento anual para as empresas que ultrapassarem o teto de R$ 3,6 milhões. Além disso, o teto anual de faturamento do Microempreendedor Individual (MEI) subirá de R$ 60 mil para R$ 81 mil”, disse o diretor. O presidente da CDL Niterói, Fabiano Gonçalves, que esteve em Brasília na solenidade de sanção do projeto, comemorou a aprovação da lei. Para ele, o “Crescer Sem Medo” é importante porque traz mudanças para micros e pequenos empresários. “Estive em Brasília e pude presenciar um momento de grande esperança para o empresariado brasileiro, principalmente os micros e pequenos empresários. Entre elas, destaco alguns pontos importantes da medida como a ampliação do prazo de parcelamento de dívidas tributárias de micro e pequenas empresas e o advento da Lei do Salão Parceiro”, concluiu Fabiano.

Entre os destaques da lei aprovada, está a inclusão dos pequenos negócios no segmento de bebidas como cervejarias, vinícolas e produtores de cachaça e licores no Simples Nacional

10 O LOJISTA n dezembro 2016

7


curtas

Inadimplência cresce em outubro

O

número de inadimplentes em outubro cresceu, apontando 0,21% em comparação ao mesmo mês em 2015. Pelo menos esse é o indicador do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL). Esse é o menor avanço observado em relação a outubro desde 2011. Hoje, 58,7 milhões de consumidores estão com o CPF negativado. De acordo com o SPC Brasil, a região Sudeste concentra o maior número de inadimplentes do país, 24,6 milhões de pessoas. No geral, o setor que apresentou maior crescimento de negativados foi o de serviços básicos, como água e luz, 2,97%. Ainda segundo o órgão, as empresas estão agindo com cautela e sendo mais rigorosas nos processos de concessão de crédito. A previsão é que a inadimplência desacelere mais em 2017 em virtude do crédito mais escasso.

Atenção para as mudanças Desde o dia 1º de novembro, os passageiros da CCR Barcas precisaram ficar atentos às mudanças no horário de funcionamento do transporte. Segundo a concessionária, a ação visa readequar a operação em todas as linhas em horários em que há baixa demanda de usuários. A medida tomada, após levantamento realizado pela empresa e autorizada pela Secretaria de Estado de Transportes, constatou que a iniciativa serve para racionalizar os custos operacionais e reduzir futuros aumentos nas tarifas. O ajuste nos horários dos trajetos opera em caráter experimental e preserva a rotina de 99,1% dos passageiros. Mas, com o objetivo de minimizar eventuais impactos causados aos usuários, as linhas de ônibus, com tarifas inferiores às barcas, aumentaram os efetivos das frotas nos horários extintos.

Conheça os novos associados da CDL Niterói a Exclusivo Empreendimentos Imob. Ltda. a Miramar Imóveis Limitada Me a Joel da Silva Ferreira a Cláudio José de Mesquita a GRP Consultoria e Negócios Ltda. a Bazar Ama Ltda. Me a MR Cariello e Fernandes Ind. Com. Ltda. a MFB Factoring Fomento Comercial Ltda. a C D E S Produtos Odontológicos Ltda. a Paulo Cesar Roque a M F Lima Estética e Depilação Ltda. a Lafite Consultoria Comércio Ltda. a Condomínio Residencial Bairro Chic a Comércio Baterias Oceânica Ltda.

CDL NITERÓI 11


JURÍDICA

Determinadas técnicas motivacionais podem ensejar dano moral Por Alexandre Andrade Assessor Jurídico CDL Niterói www.pereiradeandrade.adv.br

O

título da matéria desta edição talvez seja um verdadeiro bálsamo para as pessoas que se sentirão representadas pelo autor do processo que, se dizendo ofendido na sua honra, procurou a justiça pedindo indenização por danos morais após ser obrigado, pelo patrão, a participar de reuniões onde foram aplicadas técnicas motivacionais. Muitos encaram esse tipo de reunião como algo trivial, já outros sofrem demais com a exposição gerada pelas situações comumente propostas nessas ocasiões. No caso que trouxemos como exemplo para comentar hoje, uma grande rede de varejo tinha, entre procedimentos motivacionais para seus empregados, uma técnica chamada “cheers”, na qual eles tinham que entoar cânticos, hinos, gritos, além de aplausos, animações e danças. Um dos funcionários, obrigado a participar dessas dinâmicas, recorreu à Justiça. Alegou assédio moral e constrangimento e pediu indenização por danos morais. Os magistrados da 9ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho, da 2ª Região, julgaram o caso. Sobre a técnica motivacional, a relatora do acórdão, desembargadora Jane Granzoto Torres da Silva, considerou que a imposição de sua prática aos empregados extrapola o poder diretivo da empresa, tendo em vista que “nem todos permanecem à

12 O LOJISTA n dezembro 2016

vontade para dançar ou cantar em público”, e ser compelida a isso é “situação vexatória e constrangedora, ensejando a correspondente indenização compensatória a título de danos morais” – concedida e arbitrada em R$ 10 mil. Esse entendimento sobre a técnica “cheers” tem precedentes em diversas decisões do Tribunal Superior do Trabalho, algumas das quais transcritas no relatório da desembargadora. Para nós, não importa muito a discussão em torno da técnica aplicada. Nos importa refletir se esse tipo de reunião realmente motiva alguém ou se já não é hora de mudarmos a maneira de avaliarmos e/ou motivarmos nossos liderados. Em algumas situações, acredito que os avaliadores precisam muito de uma análise mais elaborada de suas condutas. Não se pode admitir qualquer prática que gere constrangimentos ou fira o direito à intimidade de quem quer que seja. É importante observar que esse tipo de processo pode acontecer antes mesmo que se haja um contrato de trabalho. Não são poucos os casos de ações trabalhistas que nascem sem que haja a formalização de qualquer vínculo de natureza trabalhista entre o candidato ao emprego e o eventual empregador, exatamente pela ocorrência de situações similares a que estamos comentando. Fiquemos de olho!


OLHO VIVO

Agora é lei! Salão parceiro é realidade

O

utubro foi um mês especial para os donos e profissionais que atuam em salões de beleza. Isso porque a partir desse mês passou a vigorar a "Lei do Salão Parceiro", que permite a esses estabelecimentos a contração de cabeleireiros, barbeiros, esteticistas, manicures, pedicures, maquiadores, depiladores, etc. como autônomos. A aprovação da lei foi comemorada por Marize Tolezano, proprietária do Salão Prya, uma referência na área de beleza, localizado em Icaraí. Segundo ela, a lei serve para legalizar um sistema de parceria entre profissionais e o dono do negócio. “A lei foi recebida com muita alegria, já que estabelece direitos e obrigações de ambas as partes, incentiva o empreendedorismo e garante maior segurança jurídica nesse setor, onde o modelo de parceria já era uma realidade”, explicou.

A Lei 13.352/2016, que alterou de forma significativa a Lei 12.592/2012, foi sancionada pelo presidente Michel Temer, no dia 27 de outubro de 2016, e criou a figura do profissional-parceiro e do salão-parceiro a fim de incentivar a regularização ou formalização de um setor importante para a economia do Brasil. “Essa lei é uma vitória, porque regulamenta um campo que agrega quase 2 milhões de profissionais que são remunerados por comissão e não necessariamente por salários. O reconhecimento desse modelo já adotado nos salões de beleza deve ser comemorado por todos os profissionais do segmento”, completa Marize. Enfim, a chegada da "Lei do Salão Parceiro" é um grande passo para a geração de empregos, uma vez que permite uma flexibilização entre pessoas jurídicas, já que os profissionais passam a ser microempreendedores individuais. Outra novidade é que a lei também permite a inclusão do salão e do profissional ao Simples Nacional. Arquivo Salão Prya

CDL NITERÓI 13


14 O LOJISTA n dezembro 2016


CDL NITERÓI 15


CDL EM AÇÃO

do em conta o fato de que o planejamento é dinâmico e deve ser revisto com frequência. Para o presidente da CDL Niterói, Fabiano Gonçalves, o sucesso de qualquer negócio está ligado a uma visão ampla que identifique a necessidade ou o desejo do público. O presidente acrescentou ainda que para empreender é preciso olhar o mercado e se posicionar para o novo. Esse evento foi patrocinado pela empresa parceira Nextel.

Café Empresarial da Região Oceânica apresentou a palestra “Planejamento estratégico para tornar-se líder de mercado”

Seja um líder de mercado fazendo um planejamento estratégico

V

ocê já pensou em traçar estratégias que o transformem em um líder em seu segmento? Foi pensando em dar aquela forcinha que a quarta edição do Café Empresarial, da Região Oceânica, colocou em pauta a temática: “Planejamento estratégico para tornar-se líder de mercado”. Com a presença de vários empresários da região, a palestrante, que é publicitária e diretora executiva da Meinerz Results, Ingrid Meinerz apresentou passo a passo, à maneira correta, para que os lojistas alcancem o objetivo de se tornarem referência no mercado. De acordo com Ingrid, mesmo se tratando de um tema complexo é possível se transformar em um líder. A partir dessa informação, a palestrante mostrou as ferramentas necessárias para trilhar o caminho rumo ao êxito. Contudo, segundo a publicitária, antes de qualquer tomada de decisão é preciso responder a algumas perguntas-chave do planejamento. São elas: quem somos? Onde estamos? Onde queremos chegar? Como chegaremos lá? Em quanto tempo? Com que recursos? De posse a essas respostas, basta colocar em prática o projeto esboçado, levan-

16 O LOJISTA n dezembro 2016

Sobre o patrocinador Nextel

Presente no Brasil desde 1997, a Nextel tem mais de 3 mil colaboradores no país. Com cobertura nacional para voz e dados na tecnologia 3G e ofertando 4G no Rio de Janeiro, a empresa possui uma base de 4 milhões de clientes. Lançou um modelo inovador de relacionamento com o consumidor, oferecendo planos totalmente flexíveis, com pacotes de dados e voz nos tamanhos P, M e G, que possuem o melhor custo-benefício do mercado. A Nextel, em parceria com a CDL Niterói, oferece condições especiais para os associados. Site: www.nextel.com.br Telefones: (21) 96456-8600 (Adrianno Madruga) / 964625896 (Carlos Nascimento) / 96467-3000 (Mario Filhagosa) E-mail: marcus.silva@nextel.com.br (Marcus Amancio)

Além do presidente e o vice-presidente Fabiano Gonçalves e Luiz Vieira, o evento reuniu o presidente do Conselho Superior, Joaquim de Sequeira Pinto, membros da diretoria e do conselho da CDL Niterói


CIDADE

Em busca de melhorias

A

comodação, alimentação, atendimento, conforto, custo-benefício, limpeza e localização, esses são itens que todo hóspede quer desfrutar quando se hospeda em um hotel. E todos esses elementos estão presentes em muitos empreendimentos hoteleiros de Niterói, no entanto, a realidade é que, mesmo oferecendo tanta qualidade, o cenário atual do setor não é nada animador. Segundo um dos sócios do H Niterói Hotel, Rodrigo Alvite, a crise do Rio de Janeiro e do país acabaram agravando a situação dos ramos ligados ao turismo. “Os hotéis estão operando, basicamente, no negativo. Isso porque Nite-

rói não é uma cidade turística. Outro fator negativo é o panorama em que o Estado e o país se encontram, o que tem derrubado o número de ocupações e os preços. Como consequência, alguns empreendimentos praticam um valor completamente fora do mercado, o que tem prejudicado a tarifa de outros hotéis, fazendo com que alguns não consigam atuar”, afirmou o empresário. Dessa maneira, comprometido em promover eventos que resultem em hospedagem, levando crescimento aos hotéis e fortalecendo o turismo da cidade, foi criado, no início deste ano, o Polo Hoteleiro de Niterói. Esse

O Polo Hoteleiro de Niterói foi criado para promover avanços para o setor hoteleiro de Niterói projeto foi fundado pelos empreendimentos H Niterói Hotel, Village Icarai, Hotel Cantareira, Icarai Praia Hotel e Hotel Solar do Amanhecer. Para o presidente do polo, Rodrigo Alvite, a iniciativa permite uma união entre os hotéis a fim de buscar melhorias e soluções para as demandas que surgem. “É um grupo formado por diretores e administradores de hotéis que, juntos, discutem assuntos relevantes podem melhorar a situação da hotelaria”, contou Rodrigo. Para 2017, a expectativa para o setor hoteleiro não é diferente da situação atual. De acordo com informações divulgadas pelo Polo Hoteleiro de Niterói, certamente, alguns hotéis não sobreviverão até o fim do ano. Na última reunião do polo, após uma análise do cenário, constatou-se que passa de 20% o número de demissões, além de hotéis com andares fechados e departamentos que deixaram de funcionar.

CDL NITERÓI 17


gestÃo empresarial

Em vez de cortar custos, corte desperdícios

Por Vicente Falconi Um dos mais renomados especialistas em gestão do Brasil, responde a dúvidas dos leitores de EXAME sobre redução de custos, metodologias de análise estratégica e MBA.

1

Hoje, boa parte das empresas tem empreendido esforços para reduzir custos. A tônica é desafiar constantemente seus times a manter a operação mais enxuta e a evitar desperdícios. Quais são suas orientações para estabelecer prioridades e dar continuidade a esse esforço? Anônimo Prefiro falar em redução de desperdícios. É difícil mexer nos custos pelo simples fato de que existem custos bons e custos ruins. No primeiro grupo estão gastos que ajudam a construir valor para o cliente e se revertem mais tarde em aumento das receitas e do lucro. É importante lembrar que, para melhorar a situação da empresa num momento mais difícil, como o que estamos vivendo, pode até ser necessário aumentar certos investimentos, principalmente em marketing e em vendas. O segundo grupo - o dos custos ruins - compreende os desperdícios. Esses, sim, devem ser eliminados. Outro ponto importante a ser considerado é que nem sempre é simples detectar desperdícios. As pessoas se acostumam com tudo e, no caso dos custos, passam a não

18 O LOJISTA n dezembro 2016

mais enxergar onde estão os itens que não são necessários. Certos desperdícios são culturais, eles estão entranhados no comportamento das pessoas e muitas vezes ninguém consegue enxergar por achar que se trata de algo “natural”. Em geral costuma ser mais fácil que alguém que venha de fora, sem nenhum vínculo cultural, consiga detectar e mostrar os excessos. Quanto à lista de prioridades, recomendo priorizar por ordem de impacto financeiro final para a empresa e, uma vez feita a lista, fazer os planos de ação item por item. Cuidado: as pessoas tendem a ser procrastinadoras. Vá lá e verifique a execução de cada item do plano. Falando em custos, só por curiosidade, vou contar aqui um pequeno caso de um gerente de uma empresa. Essa empresa entrou num processo violento de redução de custos para garantir sua sobrevivência. Um gerente ficou encarregado de analisar os processos de sua área e propor melhorias. No final do projeto, chegou à conclusão de que sua área não era mais necessária na empresa. Sua recompensa: foi promovido a diretor.


2

O que o senhor acha da metodolodia do mapa e do placar estratégico do pesquisador americano Robert Kaplan? Em sua opinião, quais são os pontos positivos e os negativos dessa metodologia? Anônimo Acredito que todo método pode ser bom. O princípio da melhoria constante de nossa vida demanda um método inicial, ainda que não seja dos melhores. Outro ponto é o seguinte: todo método tem seu lado muito positivo e que pode sempre ser aproveitado. Não aprecio o maniqueísmo. Acho que tudo neste mundo tem aspectos que devem ser aproveitados e temos de ser humildes na hora de aceitar e aprender. Só aprende quem é humilde. O mapa estratégico, acho, tem muito a ser aproveitado. No entanto, o balanced scorecard - que determina como as metas podem ser desdobradas em todos os níveis hierárquicos de uma companhia - tem pouco. Existem alternativas bem melhores, na minha opinião. É possível encontrar mais informações a esse respeito no meu livro Gerenciamento pelas Diretrizes (Hoshin Kanri), em que detalho a metodologia de desdobramento de metas de origem japonesa. É muito melhor. O mapa estratégico e o balanced scorecard nasceram em Harvard. Ótimo, todo o meu respeito. Mas o Hoshin Kanri nasceu na batalha do dia a dia aperfeiçoando tudo o

Acredito que todo método pode ser bom. O princípio da melhoria constante de nossa vida demanda um método inicial, ainda que não seja dos melhores

que existia antes. Os resultados atingidos com essa metodologia podem ser fenomenais quando existe uma boa liderança.

3

Já estou próximo dos 40 anos e avancei na carreira. Não fiz um MBA ainda e tenho dúvida se um curso me ajudaria a esta altura. MBA é para quem tem menos de 30? Ou sempre é tempo de estudar? Anônimo Talvez um MBA agora seja mais proveitoso do que teria sido antes. Fazer pós-graduação depois que você já trabalhou e viveu as durezas do dia a dia é, em minha opinião, muito melhor. Acho até que deveria ser pré-requisito. Fiz pós-graduação depois que trabalhei durante três anos na produção e já havia sentido de perto como as coisas acontecem numa empresa. Isso foi muito importante para mim e me proporcionou uma atitude bem diferente para o aprendizado. Muitos pensam, de forma errada, que o aprendizado só ocorre em cursos. O aprendizado é diário. Aprendemos certa quantidade de coisas por dia e nunca mais do que isso. Um curso de pós-graduação vai ajudar muito a forçar que você utilize, durante algum tempo, toda a sua cota diária de aprendizado. Mas não se iluda: se quiser ser realmente excepcional, você terá de observar e discutir, além de estudar. Um dia sem aprendizado é irrecuperável, pois no dia seguinte só cabe a cota daquele dia. Vá adiante!

CDL NITERÓI 19


CURTAS

Agora é para valer, de novo

A

cender ou não os faróis durante o dia em rodovias? Eis a questão! Depois de idas e voltas, o Tribunal Regional Federal revogou a última decisão e determinou que os motoristas devem dirigir com os faróis acesos durante o dia, em rodovias estaduais e federais do Brasil. O não cumprimento da determinação pode acarretar na perda de quatro pontos na carteira, resultado de uma infração média, além da obrigatoriedade do pagamento do valor de R$ 130,16 pelo motorista. A fiscalização será válida onde houver sinalização, mostrando que se está trafegando em estradas em que a lei vigora, dentro de trechos rurais e urbanos. Para isso, a Polícia Rodoviária Federal fará um mapeamento das rodovias e comunicará ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes sobre as extensões não sinalizadas. A orientação é que, em caso de dúvida, o condutor dirija com os faróis sempre acesos. A mudança no Código Brasileiro de Trânsito (CBT) deve-se à tentativa de diminuição de acidentes nas estradas, já que as luzes dos faróis proporcionam uma melhor visibilidade aos motoristas.

Da esquerda para a direita: o vice-presidente da CDL, Luiz Vieira, o comandante do 12º BMP, coronel Márcio Rocha, o presidente e o diretor da CDL, Fabiano Gonçalves e Sidney Moyses

Sob nova direção

O

IÊNCIA • ER IN XP

ÉTICA

ÇÃO VA O

•E

12° Batalhão de Polícia Militar (BPM) de Niterói, responsável pelo patrulhamento dos municípios de Maricá e Niterói, está sob novo comando desde o dia 08 de novembro. O coronel Márcio Rocha tomou posse no próprio batalhão, substituindo o também coronel Fernando Salema. Em um encontro promovido pela Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Niterói, no fim de novembro, o atual comandante debateu, com membros da associação e lojistas presentes, questões sobre a segurança pública e os preparativos para a operação “Papai Noel”, que intensificará as ações de patrulhamento ostensivo no período de 1º de dezembro de 2016 a 7 de janeiro de 2017. “Para a operação de fim de ano, nós precisamos fazer um alinhamento com o comércio para listar suas necessidades. Também analisaremos os dados disponíveis no sistema para elencar os índices de violência dessa época e planejar em torno disso, além de formar parcerias, principalmente com a Guarda Municipal, para controlar o espaço urbano”, disse o coronel.

anos anos 1996-2016

EMPRESARIAL CÍVEL DÍVIDAS BANCÁRIAS

INFORMAMOS NOVO ENDEREÇO:

Rua Quinze de Novembro, 90 • Grupo 309 Centro • Niterói • RJ • Cep. 24.020-125 20 O LOJISTA n dezembro 2016

(21)

2622-7016

marcelo@amorimadvogados.com


LEIS TRIBUTÁRIAS

Uma pequena carga tributária como presente de Natal

O

Natal se aproxima e os lojistas já se preparam para um possível aumento no número de clientes em seus estabelecimentos. Promoções, brindes e formas de pagamento diferenciadas são alguns dos atrativos apresentados pelos lojistas no período natalino para conquistar a clientela que vai às compras. Entretanto, nem sempre aquelas ações de mercado são suficientes para garantir um patamar mais elevado de vendas, pois outros fatores, em tempos de crise econômica, atrapalham o objetivo dos lojistas. É o caso de nossa pesada carga tributária, que recai sobre as mercadorias mais desejadas pelo público na época das festas de fim de ano. Destaca-se, de início, que o Brasil tem a maior parte de sua tributação incidindo sobre o consumo, ou seja, as mercadorias e produtos estão encarecidos em nosso país haja vista a elevada carga tributária que sobre eles recai. Para os pais que pretendem

Por Antonio Carlos Barragan Advogado Contador, sócio do escritório de advocacia Barragan & Andrade Advogados, professor de Direito Tributário e Financeiro da FGV, na pós-graduação da UFF e na graduação da UNILASALLE

presentear os seus filhos com videogames – e o Brasil é um dos maiores mercados consumidores desse produto -, o jeito é preparar o bolso um pouco mais, pois há mais de 72% do preço só de tributos. Se o presente for um smartphone, a carga tributária tende a ser menor, mas ainda assim é elevada para o custo de vida brasileiro, chegando a 33% do valor do item. Para a ala feminina, é de bom grado enaltecer que na maior parte dos produtos de maquiagem a carga tributária beira aos 70%. De fora à parte, para os itens natalinos, a tributação não caminha de modo diferente, promovendo um peso elevado nos preços de produtos como o panetone (em média 35% de tributação), o espumante (com aproximadamente 60% de tributos) e o chester, o peru e o pernil (todos com uma carga tributária próxima de 30%).

Atualmente, a carga tributária brasileira correspondente está próxima de 37% do PIB (Produto Interno Bruto) do país. Trata-se de uma demasiada carga tributária sobre a população brasileira, diante do retorno que recebem em serviços públicos eficientes. Conforme já dito, a maior parte dessa carga de tributos incide sobre o consumo, especialmente por meio do ICMS, do IPI e do Imposto de Importação, de modo a encarecer os bens e dificultar o acesso da população àqueles itens. Por isso, para o Natal ser realmente uma noite feliz, precisamos, com o máximo de urgência, de uma Reforma Tributária decente, pois do contrário, continuaremos a assistir uma queda no consumo e o fechamento de mais e mais lojas. Por isso, eu desejo uma pequena carga tributária como presente e um feliz Natal para todos os amigos lojistas!

CDL NITERÓI 21


Não adianta escrever cartinha...

Quer resultado?

Anuncie

em ônibus.

Reserve já sua veiculação durante o melhor período para alavancar suas vendas.

2722-2633

22 O LOJISTA n dezembro 2016

itabus.com.br


CIDADE

Chegou o verão

A

cidade está movimentada. As praias estão cheias. Sim, chegou o verão! O que pede atenção e cuidado redobrados das autoridades e também da população. E para levar segurança a uma das estações favoritas dos niteroienses, na cidade sorriso, a Operação Verão, desde o dia 29 de outubro, tem intensificado suas ações nos acessos às praias de Itacoatiara, Camboinhas, Sossego, Gragoatá, Boa Viagem, Flechas, São Francisco, Adão e Eva, Itaipu, Piratininga, Charitas e Icaraí. “O objetivo é garantir um acesso ordenado às praias da cidade, realizando fiscalizações de trânsito, bem como coibir a ação de flanelinhas, além de ações fiscais para impedir condutas lesivas ao sossego, à tranquilidade, ao código de posturas, ao meio ambiente e às disposições legais em geral”, disse o secretário municipal de Ordem Pública, Gilson Chagas. Uma das novidades da Operação Verão, deste ano, ficará por conta do serviço de chamadas pelo número 153, onde a população poderá denunciar os atos ilegais na cidade. A fiscalização da orla, que visa coibir irregularidades e garantir acesso ordenado às praias, conta com ações em conjunto dos órgãos públicos: Secretaria de Ordem Pública, Niterói Empresa de Lazer e Turismo, Secretaria de Conservação e Serviços Públicos, Niterói Transportes e Trânsito, Companhia de Limpeza de Niterói, Superintendência de Terminais e Estacionamentos de Niterói, Secretaria de Meio Ambiente, Bombeiros, Polícia Militar e Capitania dos Portos.

CDL NITERÓI 23


FIQUE ATENTO

Invista no

mercado digital

“E

stude o seu segmento, qualifique-se para atendê-lo e, só depois, inicie seu negócio”. Essa é a dica dada pelo especialista em Empreendedorismo e Inovação, Luiz Guedes, para quem pensa em investir na área digital. Não é de hoje que essa indústria apresenta um constante crescimento. Isso porque as diversas alternativas que se apresentam ao consumidor final, por meio das ondas da internet, acabaram transformando esse canal em um promissor veículo de vendas, chamando a atenção até dos lojistas mais conservadores e adeptos às lojas físicas. E quem comprova esse dado é o relatório Brazil Digital Future in Focus, realizado pela empresa de análises digitais Comscore, em 2015. De acordo com a exposição divulgada no documento, só no Brasil, quase metade da população consome conteúdos digitais em mais de um dispositivo. Em vista disso, qualquer empreendedor que possua um produto ou serviço de qualidade a oferecer, mas não dispõe de capital para investir em uma loja física, o comércio eletrônico se apresenta como uma solução. E para isso, o especialista afirma que é importante investir em plataformas como site e redes sociais.

24 O LOJISTA n dezembro 2016

“Um site bem feito, com respaldo das redes e mídias digitais, muitas vezes é o passo inicial necessário para um novo negócio. Feito isso, com uma tecnologia adequada e um atendimento impecável, provavelmente o cliente não notará a diferença entre o empreendedor estar trabalhando de casa ou de uma loja. Tudo depende da estratégia do empresário e de sua capacidade de execução e gestão”, disse Luiz Guedes. No entanto, não é somente o caráter mais técnico, com foco no design dos canais e suas funcionalidades criadas para facilitar o fechamento das vendas que deve ter atenção dos empresários. É preciso conhecer o seu cliente. Afinal, se para o público jovem, por exemplo, o mercado digital é um mundo totalmente descomplicado e acessível, para os mais velhos esse cenário pode ser adverso. Enfim, em tempos de crise, as maravilhosas possibilidades do mercado eletrônico podem ser a porta de entrada para quem deseja empreender, dos mais jovens aos mais maduros.


EM ALTA

Empreendedorismo

S

rosa

er mulher e empreendedora em qualquer local do mundo não é uma tarefa das mais fáceis. Infelizmente, ainda é persistente a crença de que o lugar dela é em casa, cuidando da família e das tarefas domésticas. Mas os ventos estão mudando, e um projeto denominado “Somos Empreendedoras” está despontando para mudar essa visão. Criada para fortalecer o empoderamento feminino, a iniciativa visa estabelecer parcerias e redes de contatos que fomentem a troca de experiências profissional e pessoal entre as participantes. Com cerca de 30 participantes, o projeto proporciona, a cada 45 dias, encontros com atividades que apresentam cases de sucesso e palestras relevantes para o setor. Os conteúdos programados para as reuniões são pensados com o intuito de contribuir profissional e pessoalmente para o sucesso dos negócios das mulheres empreendedoras. “Em nosso primeiro encontro, o assunto abordado foi Coaching na Área Financeira. Já o segundo, trouxe um case de sucesso com a proprietária do restaurante de culinária saudável Ragam, Mila Cozzi, que mostrou a sua trajetória e deu dicas de como usar as redes sociais a nosso favor”, disse uma das fundadoras, a arquiteta, Carolina Siggelkow. O grupo é formado por Aline Bernardes, Carolina Siggelkow, Jacke Helud, Livia Ressiguier, Paula da Matta, Paula Motta e Priscila Sousa. Para as reuniões, as fundadoras convidam as mulheres por e-mail. Após os encontros, os eventos são divulgados nas redes sociais.

Pesquisa aponta que mulheres veem no empreendedorismo um caminho para sair do vermelho A necessidade de pagar as contas e de complementar a renda têm levado as mulheres a empreenderem mais. De acordo com a pesquisa Global Entrepreneurship Monitor 2015, patrocinada pelo Sebrae no Brasil, o percentual feminino que se rende ao empreendedorismo por necessidade é de 54%, enquanto os homens somam somente 32%. No entanto, mesmo que os dados apontem a liderança das mulheres nos investimentos por necessidade, não são elas a maioria entre os empreendedores brasileiros. A proporção de mulheres envolvidas com o empreendedorismo é de 36,4%, enquanto que a de homens é de 42,4 %. Para Carolina Siggelkow, a necessidade de abrir uma empresa não é uma escolha somente das mulheres. Devido à crise econômica, homens e mulheres precisam complementar a renda familiar. Porém, ela ressalta que a mulher vem se destacando de forma competente no mercado empreendedor.

CDL NITERÓI 25


COMÉRCIO EXTERIOR

Exportação e importação de animais vivos... um ótimo negócio, bicho! Por Jorge Mithen Consultor de Comércio Exterior da CDL Niterói www.icontrade.com.br | jorge@icontrade.com.br

N

ão é de hoje que a exportação e importação de animais vivos faz parte das trocas comerciais internacionais. Sejam para agradar aqueles que gostam de animais diferenciados por questões pessoais, comerciais ou esportivas, uma série de exigências sanitárias e logísticas são cuidadosamente estabelecidas para garantir a saúde do animal e dos humanos que ficam em contato com esses. Analiso a seguir dois grupos de animais e as características de suas operações. BICHOS DE ESTIMAÇÃO (Pets) – Transportados por avião, pets não necessitam de um passageiro a bordo da aeronave, contudo, alimento e bebida devem estar disponíveis para o animal durante todo o voo. Em certos casos, pode-se requerer que o animal seja sedado e eventualmente acompanhado de um veterinário. Em termos do espaço ocupado no compartimento de carga, esse deve ter a temperatura, pressão, ventilação e iluminação adequadas, de forma a causar o menor impacto possível no animal. EQUINOS e BOVINOS – Quarentena, legislação específica para cada raça, exames médicos, veterinário, tratador, transporte e manejo especiais, entre outros aspectos, fazem parte das inúmeras exigências para a negociação internacional de cavalos e bovinos de raça. Esses geralmente são destinados a zoológicos, exposições, corridas e reprodução.

26 O LOJISTA n dezembro 2016

Além dos animais vivos, também ocorre a compra e a venda de animais de elite com alto valor genético (equinos, suínos, bovinos e outros ruminantes) e de material de reprodução animal (sêmen, embriões, ovos férteis), que alcançam valores inimagináveis pela qualidade prometida por seus exportadores. Além dos objetivos acima mencionados, animais são também comprados e vendidos para abate, melhoria genética, para fins turísticos ou, ainda, sem uma destinação precisa. Como exemplo, em 2015, durante uma missão brasileira à China, um importador manifestou a então ministra de agricultura do Governo brasileiro, Katia Abreu, a intenção de importar um milhão de jumentos por ano, sabe-se lá exatamente para que... Mas atenção: em cada caso, exportador e importador devem providenciar a contratação de um despachante aduaneiro especializado nesses tipos de cargas, a fim de evitar atrasos e proibições na alfândega que podem colocar em risco uma operação incomum como as que nos referimos anteriormente. No Brasil, o Ministério da Agricultura é o órgão anuente responsável pela liberação do animal para a exportação e/ou importação, além, claro, da Receita Federal, órgão gestor do comércio exterior no país. Enquanto isso, vamos nos preparando para o novo ano, que vai exigir de todos muita dedicação, pensamentos “fora da caixa”, mas principalmente, ter claro na mente onde se deseja chegar. Que venham os próximos desafios e 2017!


cursos LOCAL

Período 03 agosto a 07 agosto

12/12 a

17 agosto 16/12 a 21 agosto

31 agosto a 04 setembro

Horário 18h30 às 21h30

CDL Niterói

18h30 às 18h30 21h30 às 21h30

08h30 às 18h00

Local

CDL Niterói CDL Niterói

CDL Niterói

TÉCNICAS DE VENDAS Curso

Valor

Conteúdo: A importância da venda consultiva; As diversas funções do vendedor; Desenvolvendo habilidades de prospecção de mercado e busca de clientes; Principais ferramentas de vendas para a entrevista de diagnóstico; Desenvolvendo a habilidade de levantar necessidades de clientes; Princípios fundamentais do processo de negociação; Organização das ações de pós-venda.

230,00 TÉCNICAS DE VENDAS Conteúdo: A importância da venda consultiva; As diversas funções do vendedor; Desenvolvendo habilidades de CONTROLES FINANCEIROS prospecção de mercado e busca de clientes; Principais Conteúdo: Controle, previsão e análise do caixa; A origem dos recursos e R$ 230,00 ferramentas de vendas para a entrevista de diagnóstico; seus registros; Análise do fluxo de caixa; Determinação do capital de giro; 230,00 Apuração dos resultados da empresa. Desenvolvendo a habilidade de levantar necessidades de clientes; Princípios fundamentais do processo de negociação; Organização das ações de pós-venda. ANÁLISE E PLANEJAMENTO FINANCEIRO

Conteúdo: A administração financeira da empresa; Projetar fluxo de caixa; Fatores que influenciam o planejamento; Definição de metas com base nos resultados; Conclusão do plano: Afinal, este negócio é viável?

230,00

EM 2017 CURSOS DE E-COMMERCE

INICIANDO UM PEQUENO GRANDE NEGÓCIO

14 setembro a 25 setembro

08h30 às 18h00

CDL Niterói

Conteúdo: Perfil empreendedor; Identificação de oportunidades de negócios; Análise de mercado e financeira; Concepção dos produtos e serviços; Orientação para elaboração do Plano de Negócios.

340,00


28 O LOJISTA n dezembro 2016

O lojista Dezembro  
O lojista Dezembro  
Advertisement