Page 1

O LOJISTA

niteroi

CDL

Câmara de Dirigentes Lojistas de Niterói

Ano XXXVIII | www.cdlniteroi.com.br

Edição 556 | Agosto 2016

Jogos Paralímpicos Rio 2016 Onde a maior medalha é a superação

TransOceânica

Obra avança e dá um passo importante para melhorar a mobilidade de Niterói

“Dívidas? Tô fora!”

Palestra realizada na CDL Niterói com Ronaldo Gotlib dá dicas para o empreendedor sair do sufoco


EDITORIAL

De Utilidade Pública: Estadual, Lei no 5579/65 / Municipal, deliberação no 2539/65 CONSELHO SUPERIOR Presidente: Joaquim Manuel de Sequeira Pinto Vice-presidente: Ademir Antunes Carvalho MEMBROS DO CONSELHO SUPERIOR Antonio Carlos Costa Pires, Domingos de Carvalho Rodrigue, Elida Gervásio Gouvêa, Ithamar Torres Mancen, José Dornas Maciel, Lúcio Ferreira de Azevedo, Manoel Alves Junior, Orlando Cerveira Francisco, Roberto Mauricio Rocha, Salomão Guerchon. Suplentes: Gentil Moreira de Sousa e Marina Espósito Haddad. DIRETORIA ADMINISTRATIVA Presidente: Luiz Vieira Diretores: Fausto Regis de Oliveira Reis, Graciele Davince Pereira, Jorge Gentile, Mauricio Nassib Moita Zarife, Oswaldo Rodrigues Vieira, Rogerio Rosetti Mendes, Ruan Carlos Teixeira de Oliveira, Sidney Moyses Vianna Freire Suplentes: Alberto Guilherme Magalhães Ducan e Felipe Reis de Almeida Gerente geral: Walter Monnerat CONSELHO EDITORIAL Fabiano Gonçalves, Joaquim Pinto e Walter Monnerat

O LOJISTA

niteroi

SERVIÇOS DA CDL Serviço de Proteção ao Crédito, Serviço de Relações com Usuários, Central de Informações, Central de Cadastro, Central de Processamento de Dados, Assessoria Técnica, Consultoria Jurídica, Serviço de Documentação e Divulgação e Serviço de Administração

Editora e Coordenação: Kelly Goldoni - MTE: 34527/RJ e Lene Costa Redação: Goldoni Comunicação Diagramação: Alyne Gama Jornalistas: Milena Bouças e Lene Costa. Fotos: Divulgação CDL Niterói

Publicação dirigida da CÂMARA DE DIRIGENTES LOJISTAS DE NITERÓI, contendo legislação, índices econômicos e condensado de notícias e informações de interesses do comércio lojista. Distribuição: Câmaras de Dirigentes Lojistas, Associações Comerciais, Federações do Comércio, Sindicatos e demais entidades de classe do País, identificadas com as atividades do comércio, bem como empresários e executivos especialmente cadastrados. O LOJISTA utiliza as seguintes fontes para editar o condensado de notícias: O Globo, Jornal do Commercio, A Tribuna, O Fluminense e Diários Oficiais. Os índices, estatísticas e projeções são cuidadosamente compilados, de acordo com os últimos dados disponíveis no fechamento da edição. O uso dessas informações para fins comerciais e de investimentos é de exclusiva responsabilidade e risco dos seus usuários. IMPORTANTE: As matérias assinadas são de respnsabilidade de seus autores. Endereço para Correspondência Rua General Andrade Neves, 31, Centro, Niterói, RJ CEP: 24210-000 / Tel.Fax: (21) 2621-9919

O barco segue viagem!

É com muito orgulho que assumo a responsabilidade de conduzir nossa instituição, dando continuidade ao maravilhoso trabalho que o nosso presidente Fabiano Gonçalves realizou e implantou com inovação e ética até o fim de seu mandato. No entanto, uma coisa é certa, levarei este legado adiante, e, através dessas palavras, deixo claro que continuaremos rumo ao desenvolvimento do comércio para que o mesmo propicie a todos, empresários e clientes, a satisfação de uma atividade forte e lucrativa. Seguindo com o compromisso de informá-los sobre os assuntos relevantes à nossa classe, nesta edição abordaremos, em nossa matéria de capa, os Jogos Paralímpicos Rio 2016. Mais do que um evento olímpico, esta temporada esportiva tem uma grande representatividade para a nossa cidade, uma vez que sabemos que a Andef tem grande participação de paratletas disputando medalhas para o país. Em outra matéria abordaremos também o consumo das famílias no momento atual. Após a leitura desse texto, conheceremos, sem falar das dificuldades de crédito e inflação, quais são os itens, apontados por uma pesquisa realizada pelo SPC Brasil, que se transformam nos primeiros excluídos da lista de consumo. E após a chegada de um inverno rigoroso, como há muitos anos não tínhamos, o comércio pôde girar seus estoques a contento sem se preocupar com encalhes, que culminavam em liquidações para manter um caixa que garantisse a compra de produtos para a nova estação. Com a aproximação do Dia dos Pais, uma data muito representativa para o comércio, além de falarmos sobre a expectativa do comércio apontaremos as grandes novidades para presentear o papai. A TransOceânica também é tema de matéria. Vamos saber quais são as novidades da obra que hoje impacta o comércio daquela localidade, mas que amanhã, com certeza, trará desenvolvimento para a região. Até porque acredito que no futuro os impactos positivos irão superar os negativos de agora. Boa leitura!

Luiz Vieira

Presidente

Impressão Gráfica Primil (21) 3078-4300 Circulação Mensal Nacional | Tiragem: 7.000 Exemplares

CDL NITERÓI 3


EDIÇÃO 556

ÍNDICE 1406

aconteceu

na cdl

25

CDL sedia a 6ª Conferência das Cidades

capa

Café empresarial Aconteceu na CDL

10

CDL Jovem

11

Curtas Uso do farol de dia em rodovias agora é obrigatório

12

Jurídica

Matéria

13

Curtas Cidade

17

16 18

Gestão empresarial

24

Curtas

20

Leis tributárias Fique atento

23

Comércio exterior 4 O LOJISTA n AGOSTo 2016

08 09

21 26


CAPA

É de Niterói!

A cidade coleciona campeões que brilharão as competições das Paralimpíadas Rio 2016

S

Lucas Araújo é a revelação do bocha. O paratleta treina a todo o vapor para trazer uma medalha para casa

6 O LOJISTA n AGOSTo 2016

e, na última edição, contamos um pouco sobre os preparativos para os Jogos Olímpicos, nessa, reservamos um espaço exclusivo para falar a respeito dos Jogos Paralímpicos. Aqui, a partir de agora, você vai conhecer um pouco da trajetória de paratletas de Niterói que, com seus altos rendimentos, certamente brilharão nas competições das Paralimpíadas Rio 2016, e, quem sabe, trarão uma medalha para a nossa querida cidade sorriso. Logo, enquanto a cerimônia de abertura - marcada para o dia 7 de setembro - não chega, os paratletas acertam os últimos detalhes para deixar tudo pronto para o desafio. Com apenas 22 anos, um dos paratletas da Associação Niteroiense dos Deficientes Físicos (Andef), Lucas Araújo, carrega na veia o amor não só pelo esporte, mas também pela vontade incansável de trazer uma medalha para casa. Ele participará da competição de bocha, e para isso, comenta que o treinamento está a todo o vapor. “Há seis anos treino de segunda a sexta-feira. Desde que eu entrei no bocha, meu sonho era representar o Brasil. Aliás, acredito que a nossa equipe está muito boa para representar a nossa pátria”, diz. E verdade seja dita, Niterói está muito bem representada mesmo. Apesar de novo, Lucas demonstra um alto desempe-


nho como jogador. O seu currículo de vitórias é extenso, já que ele foi prata no individual no Pan de Jovens, na Argentina (2013); ouro por equipes no Défi sportif altergo, em Montreal (2014); prata por equipes no Mundial, na China (2014); ouro por equipes no Pan, em Toronto (2015) e quarto lugar no individual no Mundial, na China (2016). Segundo a Andef, Niterói será representada nas modalidades de bocha paralímpica, atletismo, natação, halterofilismo e futebol de 7. Entretanto, até o fechamento desta edição, o número de paratletas da Andef convocados para participar das Paralimpíadas, ainda não havia sido definido. Esse ano, os Jogos Paralímpicos reunirão quatro mil atletas de 176 países em 23 modalidades. Além disso, de acordo com a Organização Brasileira, trazem uma marca histórica: ao todo, foram feitos oito testes paralímpicos

Procon lança cartilha para ajudar consumidores nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos O Procon Carioca lançou, no início de julho, uma cartilha virtual que traz informações sobre compras, ingressos, passagens aéreas, hospedagem, entre outros. A cartilha foi criada para orientar o público durante os Jogos Olímpicos e Paralímpicos. Com explicações sobre regras específicas do evento, ou mesmo orientações em como fazer uma reclamação, se necessário, junto aos órgãos de defesa do consumidor, o documento está disponível no site da Prefeitura do Rio através do link: http:// prefeitura.rio/documents/4351471/2f27b0fb-f988419a-940a-4055bc202366.

No atletismo a grande estrela é Vanderson Alves. O jogador que é o segundo colocado no ranking mundial treina duro para garantir uma medalha na modalidade de bocha, halterofilismo, rúgbi em cadeira de rodas, natação paralímpica, goalball, atletismo paralímpico, canoagem e paratriatlo, sendo que os dois últimos foram feitos junto das modalidades olímpicas. Outro paratleta confirmado, que abrilhantará na competição paralímpica, será Vanderson Alves. Ele, assim como Lucas, já tem um histórico que traz a marca de um jogador com treinamento diário e focado para a conquista de uma medalha. Hoje, o paratleta é o 2º colocado no ranking mundial. “Eu durmo e acordo pensando nas Paralimpíadas. Acredito que o esporte, assim como aconteceu comigo, une pessoas, soma e agrega valor. Sempre fui apaixonado por esporte e enxerguei no atletismo uma oportunidade de fazer o que mais gosto”, afirma. Durante os dias da Paralimpíada – que acontecerão entre os dias 7 e 18 de setembro - serão disputadas 528 provas com medalhas, sendo 264 masculinas, 226 femininas e 38 mistas. Além disso, a delegação brasileira e as equipes estrangeiras terão instalações modernas para os períodos de treinamento. O Ministério do Esporte investiu cerca de R$ 207,5 milhões em construção, reformas e adaptações em unidades militares e na Escola de Educação Física e Desportos da UFRJ. Essas instalações, que atenderão a diversas modalidades olímpicas e paralímpicas, serão incorporadas à Rede Nacional de Treinamento.

CDL NITERÓI 7


CAfé empresarial

Café Empresarial promove mais um encontro empresarial na CDL Niterói

“C

omo expandir a sua empresa através de franquia”, esse foi o tema escolhido para ser debatido no Café Empresarial do mês de julho. A palestra ministrada pelo especialista em Gestão e Franchising, Bruno Vicente Carvalho, levantou importantes aspectos sobre o universo do mercado de franquias no Brasil. Com o propósito de apresentar soluções possíveis e práticas relacionadas a este segmento, Bruno mostrou aos empreendedores como pode ser fácil e lucrativo contar com o know-how e trabalhar com uma metodologia já testada e aprovada. "Atualmente este setor tem sido uma boa opção, isso porque há muitos anos está crescendo melhor do que o PIB. E apesar da taxa que toda franquia possui, este ainda é o melhor caminho por possibilitar que o empresário trabalhe com uma metodologia testada e aprovada", explicou. Outro ponto ressaltado durante a palestra foi a importância de uma leitura atenta, por parte do empreendedor, da Circular de Oferta de Franquia (COF). De acordo com o especialista, esse documento, que é desenvolvido pelo franqueador, facilita a decisão do interessado pela franquia, pois ele fornece todas as condições do negócio. 

Bruno Vicente Carvalho falou sobre o mercado de franquias no Brasil

"Atualmente este setor tem sido uma boa opção, isso porque há muitos anos está crescendo melhor do que o PIB", Bruno Vicente

Mas não foi somente o mundo das franquias que movimentou o Café Empresarial. O evento contou também com a apresentação do projeto de revitalização do Parque Municipal Eduardo Travassos, mais conhecido como o Parque das Águas, localizado na Coronel Gomes Machado, no centro da cidade. "A revitalização do Parque das Águas de Niterói vai beneficiar o comércio e os imóveis do entorno. Digo isso, porque este será um dos pontos turísticos da cidade e por esse motivo atrairá mais pessoas para a região onde o parque está localizado", ressaltou o presidente da CDL Niterói, Luiz Vieira. Em mais uma edição do "Nessa casa tem história", a emoção marcou a ocasião quando a CDL Jovem, representada por seus diretores: Roberta Rocha, Fábio Siggelkow e Tiago Tauil, entregaram uma placa em homenagem a um dos membros do Conselho Superior da casa, o senhor Domingos de Carvalho.

Os diretores da CDL Jovem Roberta Rocha, Fábio Siggelkow e Tiago Tauil homenagearam o senhor Domingos de Carvalho que hoje atua no Conselho Superior da casa 8 O LOJISTA n AGOSTo 2016


aconteceu na cdl

Dívidas? Tô fora!

A

tualmente um grande número de cidadãos, por inúmeras razões, encontra-se à beira de um "abismo financeiro". O grande problema, nesses casos, é que os mesmos cidadãos parecem não ter uma noção exata de quanto eles ganham e quanto gastam. E esse pode ser um fiel aliado para o endividamento. Dessa maneira, sobretudo neste momento onde há um crescimento na inadimplência, alimentado pela crise política e econômica, a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Niterói se transformou em palco para a palestra "Dívidas? Tô fora!", ministrada pelo escritor, advogado e sócio fundador da Gotlib Adv.º Assoc., Ronaldo Gotlib. "Hoje vamos aprender a nos defender do endividamento, a planejar a vida financeira e, principalmente, a conhecer os nossos direitos para evitar, no presente e no futuro, toda complicação atrelada às dívidas", explica Ronaldo. Ao finalizar sua apresentação, o palestrante ressaltou a importância do conhecimento nesse processo. Segundo Ronaldo, este é o melhor caminho para administrar bem a vida financeira.

Ronaldo Gotlib é escritor, advogado e sócio fundador da Gotlib Advogados Associados "O devedor tem muito mais direitos do que imagina, e quando ele é conhecedor de seus direitos tem a força para negociar e não se transformar em inadimplente", completou. De acordo com o presidente da CDL Niterói, Luiz Vieira, é extremamente importante que o empresário seja conhecedor de seus direitos e deveres. Ele ressalta que só por meio da qualificação o empreendedor encontra saídas para suas dificuldades, e por isso a entidade se empenha para trazer palestras que, como essa, capacitam e orientam o associado. "Nosso propósito com a palestra ’Dívidas? Tô fora!’ é ajudar não só os empresários que estão endividados, mas também orientar aqueles que não estão sofrendo com dívidas a se prevenirem desta situação de endividamento", finaliza Luiz. Além do presidente, o bate-papo contou com a presença do diretor da entidade, Rogerio Rosetti Mendes.

CDL NITERÓI 9


cdl jovem

Por Fábio Siggelkow Diretor da CDL Jovem Niterói

Pausa para o cafezinho

A

cada dia surgem novas tecnologias, e por isso, o escritório, antes visto como salubre, se tornou um local para o desenvolvimento de doenças ocupacionais, psicossociais como a LER e a DORT. Isso, porque os trabalhadores de escritório, em geral, durante sua jornada de trabalho, permanecem sentados diante de um computador, com uma postura que exige das costas uma maior atividade muscular, onde na maioria das vezes a forma de sentar-se não alivia a carga sobre essa região, ocasionando uma sobrecarga. Além disso, a inatividade física diminui a flexibilidade dos músculos e a mobilidade das articulações, comprometendo o alinhamento e a esta10 O LOJISTA n AGOSTo 2016

7

bilidade da coluna vertebral. Existem vários estudos comprovando que a adoção de pausas durante o trabalho proporciona a redução de dores, cansaço e a melhora da disposição. Para a empresa, o ganho é percebido através do retorno financeiro, o que significa maximização da produtividade. Uma explicação que justifica essas interrupções, diz que no caso de alta repetição de um mesmo movimento, haverá tempo para recuperação dos tendões que estão sobre pressão e carga, iniciando a lubrificação e evitando o atrito entre as estruturas e o desenvolvimento de lesões comuns como a tendinite e bursite, por exemplo. A norma regulamentar 17 (NR17) estipula que uma jornada de trabalho

em escritório onde haja uma pausa de 10 minutos a cada 50 minutos trabalhados, representa investimento na qualidade de vida do trabalhador, sendo ação de prevenção de problemas oriundos dos processos laborais, que, em condições inadequadas, podem ocasionar doenças ocupacionais. Empresário, quer uma dica? Crie espaços para o convívio de seus colaboradores. Estimule essa parada para beber um café, um copo d’água ou a execução de alongamentos musculares. Em momentos difíceis como o que estamos passando, soluções simples e baratas aumentarão a satisfação dos seus funcionários, e sua empresa só tem a ganhar. Grande abraço!


curtas

Conheça alguns dos novos associados da CDL Niterói • • • • • • • • • • • •

Rio Medical Express Mat Cirúrgicos Ltda North Shore Comércio Alimentos Ltda Centro Formação Condutores 4 Amigos Ltda Virada 17 Comércio Ltda - Matriz Alcenir H Lemos Com. Roupas Ltda - Fil 01 Virada 17 Comércio Ltda - Filial 2 Shanti Imóveis Ltda Me Mendes de Almeida Treinamento Ltda Micro Maq Comércio Serv Equip Inf Ltda Andrea Roque de Assis Cunha Felipe Crisp Caetano F B de Paiva Conserto Bombas Hidráulicas

• • • • •

Curso de Idiomas Power Ltda Me NSF Berçario Educação Infantil Ltda Júlio Cesar Pinto da Conceição Ótica Lumina e Presentes Ltda Me Tropical Bus Transporte Turismo Ltda

Inverno “quente” para os comerciantes

A

da cidade

ssim como algumas pessoas comemoram a chegada do inverno para ficar debaixo do edredom assistindo a um bom filme e tomando um chocolate quente, os comerciantes de Niterói também têm um bom motivo para festejar. Isso porque as temperaturas baixas trouxeram um aumento na procura por roupas, botas e aquecedores, provocando uma elevação nas vendas. O presidente da CDL, Luiz Vieira, afirmou que até o momento não há um número fechado, mas as vendas, comparadas com as do ano passado, foram superiores.

“O clima frio ajudou muito o comércio, principalmente aqueles ligados às roupas de inverno. Normalmente, a loja compra roupa de inverno e fica torcendo para que esfrie. Este ano tivemos um período maior de frio, o que cria uma demanda de compra e esvazia o estoque”, explica. Além disso, houve a antecipação da liquidação em diversas lojas, com descontos de até 70%, fazendo com que muitos estabelecimentos zerassem os estoques e começassem a se planejar para a próxima estação.

Índice do consumo das famílias apresenta baixa

É

verdade que as turbulências econômicas, vividas nos últimos meses no Brasil, têm afetado diretamente o consumo das famílias. Prova disso é que o encarecimento do crédito, o alto nível de endividamento e o aumento do desemprego – oriundos da recessão – fizeram com que os consumidores mudassem alguns hábitos de consumo e se planejassem financeiramente. O presidente da CDL Niterói, Luiz Vieira, informou que a intenção de consumo das famílias está cada vez menor e alertou que os índices inflacionários não refletem a realidade atual. “Basta ir ao mercado. Você vai perceber que os preços sobem muito mais do que é retratado nos índices inflacionários. Vivemos um período em que precisamos nos planejar para colocar as despesas dentro do orçamento. E para isso, às vezes se faz necessário diminuir o lazer e as idas aos restaurantes, consumindo somente o que é necessário”, diz Luiz.

CDL NITERÓI 11


JURÍDICA

Casamento desfeito dias após a cerimônia gera dever de indenizar

Por Alexandre Andrade Assessor Jurídico Cdl Niterói www.pereiradeandrade.adv.br

J

á ouviu aquele ditado que diz que casamento se desfaz até na porta da igreja? Se ouviu e pensou em colocar em prática, meu conselho é que você pense duas vezes. Aliás, pense bem mais que isso. Se você tem dúvidas do passo que está dando, o melhor a fazer é não ir tão longe e desfazer o compromisso antes que seja tarde demais. Em Minas Gerais, um desavisado que se separou da esposa um mês após o casamento foi condenado a pagar a ela R$ 5.440, metade do valor gasto com a realização da cerimônia.

12 O LOJISTA n AGOSTo 2016

Essa foi uma decisão da 13ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça daquele estado. A pobre da noiva, indignada da vida, ajuizou uma ação contra o ex-marido por danos materiais e morais, alegando diversos prejuízos decorrentes das despesas com o casamento: fotógrafo, bufê, vestido, maquiagem, cabelo, o que totalizou R$ 10.880, também pediu de volta o valor das despesas que teve com material de construção e móveis. O “desertor” alegou em sua defesa que nunca quis o casamento e

que o pouco tempo de vida em comum foi marcado por diversas brigas. Disse também que os familiares da noiva assumiram as despesas do casório, embora tenha entrado com alguma contribuição. É comum em situações similares os juízes de primeira instância acolherem o pedido de danos materiais e rejeitarem os danos morais, foi exatamente o que ocorreu nesse caso e os dois resolveram apelar para a segunda instância. Já no Tribunal, o desembargador Rogério Medeiros, relator do recurso, teve o mesmo entendimento do juiz de primeira instância. “As despesas com casamento, nos dias atuais, são divididas entre os cônjuges, sendo certo que o acordo firmado pelos nubentes com o fim de acerto de contas se reveste de natureza jurídica contratual, podendo o lesado exigir o implemento da obrigação descumprida pelo outro, como é o caso dos autos”, afirmou. Embora em toda narrativa eu tenha adotado um tom descontraído, entendo que a situação em nada parece engraçada. O tema casamento está intimamente ligado à construção de um sonho que por muitas vezes é idealizado por uma vida inteira. Ao contrário do que normalmente os juízes e desembargadores concluem em situações análogas, na minha modesta concepção é nítido que a frustração da construção desse sonho gera prejuízo irreparável a estrutura psíquica daquele que sonhou ou pensou no casamento como uma instituição séria e duradoura como de fato é.


matéria

O dia do nosso herói

A

ssim como o Dia das Mães, o Dia dos Pais é uma das datas mais comemoradas em todo o Brasil. A festividade é celebrada no segundo domingo de agosto e, em 2016, será comemorado no dia 14 de agosto. Independente da idade, neste dia, o desejo de qualquer filho é presentear o seu pai. Camisas, calças, artigos esportivos e de bricolagem são destaques nas vendas para o Dia dos Pais. No entanto, diante do cenário econômico recessivo, a expectativa do comércio para a data não é nada animadora. Com isso, a aposta dos próprios comerciantes para aquecer as vendas e chamar a atenção dos consumidores está nas famosas liquidações. Para Paulo Fortuna, que é um dos sócios da Mr. Fortune, loja especializada em moda masculina, a expectativa para a comemoração é boa. Mas se as vendas continuarem mais frias, a aposta da loja será em uma promoção de inverno. "Dependendo do clima e se as temperaturas continuarem amenas, estamos pensando em fazer uma promoção de inverno", explica Paulo.

Em Icaraí, na zona sul da cidade o clima é o mesmo, e segundo Luis da Silva Santos, proprietário da Dom Sancho, uma das mais tradicionais lojas de moda masculina da Gavião Peixoto, este ano a celebração será marcada por lembrancinhas. O carismático Sr. Luiz antecipa que quem não conseguir presentear na data, poderá aproveitar o período de liquidação do estabelecimento que acontecerá no fim de agosto. "Realizamos duas liquidações por ano, uma de verão e outra de inverno. A próxima acontecerá no fim de agosto, e quem quiser aproveitar fica o convite", adianta o Sr. Luiz .

Mesmo em tempos difíceis, há motivos para comemorar O início de março trouxe novidades para os papais.É que, desde este mês, os servidores públicos federais e trabalhadores de empresas privadas já podem contar com a ampliação da licença-paternidade de 5 para 20 dias. Depois de ter sido aprovado pelo Senado e pela Câmara dos Deputados, o texto foi sancionado pela

presidente Dilma Rousseff, dias antes de seu afastamento. No dia 04/05/2016, a determinação foi publicada no Diário Oficial da União. Para os trabalhadores de empresas privadas, a nova regra só valerá para organizações que fizerem parte do programa "Empresa Cidadã". Os pais que adotarem crianças também poderão gozar do benefício.

CDL NITERÓI 13


14 O LOJISTA n AGOSTo 2016


CDL NITERÓI 15


Café Empresarial é sucesso na Região Oceânica A Região Oceânica foi presenteada no início de julho com a primeira edição do Café Empresarial. O evento, que reuniu mais de 60 pessoas, realizou-se na Cervejaria Noi, em Itaipu e contou com a palestra ministrada pelo analista do Sebrae, Plínio Antunes, que apresentou o workshop “O pensamento estratégico na gestão financeira”. No início da palestra, Plínio apresentou um gráfico que mostrava o índice de mortalidade das empresas. O gráfico evidenciava que 93% delas fecham suas portas por má gestão. Isso demonstrou o quanto os empresários precisam criar estratégias e ter um planejamento financeiro.

No workshop o analista do Sebrae, Plínio falou sobre a importância de cuidar da saúde financeira da empresa Para ele, esse planejamento financeiro está relacionado a traçar metas, a mapear custos e a analisar estruturas. “A saúde financeira dentro de uma empresa depende do próprio empresário. Ele precisa ‘colocar para fora’ o papel de gestor e analisar as informações básicas de controle financeiro, como custos e despesas, para, assim, encontrar soluções que surjam no meio do caminho”, diz Plínio.

16 O LOJISTA n AGOSTo 2016

Bruna Aguiar Lira

curtas

A partir da esquerda: os diretores da CDL Jovem Fábio Siggelkow, Roberta Rocha, o palestrante Márcio Silveira, o diretor Juliano Gentile, o coordenador do Sebrae, Américo Diniz e o presidente da CDL Jovem, Felipe Carvalho

Workshop revela perfil empreendedor

E

m mais uma edição do Happy Hour, a CDL Jovem trouxe, no mês de junho, o Business & Executive Coach, Márcio Silveira. Nesse encontro, os empresários foram motivados a descobrir o seu perfil empreendedor. Fazendo alusão a figuras de animais como o lobo, a águia,o tubarão e o golfinho - Márcio demonstrou, por meio de dinâmica, de que forma o empreendedor pode alcançar metas em seus negócios. Sendo assim, para descobrir o perfil de cada um, Márcio elaborou um teste onde cada participante, no fim da dinâmica, descobria o seu perfil empreendedor. A avaliação era feita da seguinte forma: cada slide, com tempo estimado de cinco segundos, tinha quatro letras - de A a D -, e em cada uma dessas letras tinha uma palavra aleatória onde o empresário precisava marcar aquela que mais se adequava ao

seu perfil. No fim, ele descobria o resultado. Aqueles que, na soma, obtinham em maior quantidade a letra A, simbolizavam o perfil de uma águia – criativo, idealizador e visionário -. Já a letra B, representava a figura do lobo – analítico, planejador e estratégico -; a letra C, por sua vez, indicava a figura do golfinho – comunicador, parceiro da equipe e sensível. Por último, a letra D, que tinha a figura do tubarão, correspondendo ao perfil da objetividade, do agir e fazer acontecer. "O teste muda um pouco ao longo da nossa vida, cada comportamento tem muito a ver com a fase que você está vivendo. Mas, no geral, você vai manter um pouco da sua essência. Neste teste, mostrei sobre o comportamento de cada um e como ele pode gerar resultado no seu negócio. O teste é bem revelador", diz Márcio Silveira.


cidade

Transoceânica a um passo da realidade

O

projeto da TransOceânica está perto de se transformar em realidade. Prova disso, é que no início de julho, foi inaugurada a primeira galeria do túnel que ligará Charitas, na Zona Sul, à Cafubá, na Região Oceânica, batizada com o nome do jornalista e historiador, Luís Antônio Pimentel. Agora, a obra de escavação segue a todo vapor para que a segunda galeria, de 1350 metros, na direção oposta, seja inaugurada em setembro. A liberação para o tráfego de carros está prevista para acontecer ainda em dezembro. Até agora, cerca de R$ 310 milhões foram investidos na construção. De acordo com o secretário municipal de Obras, Vicente Temperini, a abertura dos túneis significará a retirada de 30 mil carros das vias, já que é parte da obra a construção de uma ciclovia. "Esse é um projeto esperado há 70 anos, e, além de retirar 30 mil carros da rua, irá integrar as regiões através da bicicleta, pois os ciclistas também poderão atravessar o túnel”, diz o secretário. A construção da TransOceânica é considerada, pela Prefeitura de Niterói, um marco na história da cidade, já que esta é a maior obra viária desde a construção de uns dos cartões postais mais famo-

Inauguração da segunda galeria do túnel tem previsão de ser realizada em setembro sos do Estado do Rio de Janeiro: a Ponte Rio-Niterói. Para o presidente da CDL Niterói, Luiz Vieira, a TransOceânica é importante porque integra a população da Região Oceânica à cidade. "O impacto da obra é notório, mas ela é necessária. Então, nós da CDL Niterói aconselhamos o empresário desta região a se planejar para tentar diminuir esse impacto. Ressalto que o sacrifício é grande, mas a recompensa será maior, pois com a conclusão das obras, a Região Oceânica estará integrada à cidade", concluiu Luiz.

Mais novidades

E as novidades não param nas obras da TransOceânica. Desde o dia 20 de julho, população, comerciantes e visitantes de Piratininga já podem trafegar no sentido Centro da Francisco da Cruz Nunes. Segundo informações divulgadas pela Empresa Municipal de Moradia, Urbanização e Saneamento (Emusa), a pista de cerca de 1,5 quilômetro de extensão é parte do trecho 5 e vai do shopping Itaipu Multicenter até o DPO do Cafubá. Agora será a vez do outro lado do trecho, na pista sentido Itaipu, previsto para ser concluído até setembro.

Associado CDL tem vantagens na 4 Cantos Turismo! Visite uma de nossas lojas e ganhe 5% DE DESCONTO na compra de pacotes de viagens e cruzeiros. E aproveite para obter taxas especiais no câmbio de moedas estrangeiras.

5% DE DESCONTO

Cruzeiros Niterói Shopping 1º piso 21 2622 2636

Passagens Aéreas

Aluguel de carro

Seguro viagem

Itaipu Multicenter Icaraí Copacabana Barra Mansa 1º piso Otávio Carneiro, 143 Barata Ribeiro, 370 - Lj. 110 São Sebastião, 147 21 2609 5166 24 3323 9941 21 2722 6869 21 2548 4292

4cantosturismo.com.br CDL NITERÓI 17


gestÃo empresarial

Por Vicente Falconi Consultor e sócio-fundador do Instituto de Desenvolvimento Gerencial (INDG) Fonte: exame.abril.com.br

No Brasil, somos peritos em driblar percalços

1

Existe muita diferença entre a gestão de empresas brasileiras e a de empresas que atuam em outros países? Se sim, o que explica a diferença de produtividade entre elas? Daniel Menezes Gil, de São Paulo Não há grande diferença em termos de sofisti­cação dos sistemas de gestão. Sob esse aspecto, muitas empresas brasileiras estão até melhores do que as estrangeiras. Isso ocorreu depois da abertura da economia no início da década de 90. Nessa época houve um grande avanço das empresas em gestão como um recurso para aumentar sua competitividade. Nossos principais problemas residem nas interfaces com o governo, as quais criam uma série de desvantagens para as empresas brasileiras. Vamos citar aqui alguns exemplos. Nosso sistema tributário é um dos mais loucos do mundo e as empresas têm de ter um quadro de pessoal bem maior para cumprir obrigações estapafúrdias. A legislação do ICMS no Brasil, por exemplo, está precisando de uma mudança radical. Existe muita insegurança jurídica, o que obriga as empresas a gastarem com seu departamento jurídico e empresas  terceirizadas  que lá fora seriam desnecessários. A área de logística sofre com as estradas de quinta categoria, cheias de buracos e assoladas pela bandidagem e violência.

18 O LOJISTA n AGOSTo 2016

Tudo isso obriga as empresas brasileiras a manter gastos com perdas de carga, manutenção e aparatos de segurança que não são desprezíveis. Para quem quer exportar ou concorrer com produtos importados, há impostos  escondidos na cadeia de valor que corroem a competitividade no mercado. E vai por aí afora. Estamos precisando muito de um governo que se preocupe mais com nosso setor produtivo e simplifique as coisas.

2

É considerada uma boa prática debater assuntos de origem comportamental com a equipe enfocando temas como liderança e motivação? Paulo Rogério Pigozzi, do Rio Grande do Sul Excelente prática. Nada se faz sem o empenho das pessoas envolvidas. Recentemente participei de um projeto de cinco anos de melhoria da produtividade numa grande empresa. Partimos do pressuposto de que, melhorando os fatores que conduzem à satisfação no trabalho, a produtividade por consequência também melhoraria. Atuamos nos cinco grupos de necessidades básicas do ser humano, como proposto pelo psicólogo americano Abraham Maslow: necessidades fisiológicas, de segurança,


sociais, de autoestima e autorrealização. Hoje estamos no último ano do projeto. Diminuímos a rotatividade de pes­soal, nosso principal indicador de satisfação no trabalho, de 23% para 5,5%. Ao mesmo tempo, a eficiência fabril saltou de 68% para 80%, um ganho de quase 18% de produção sem acréscimo nos custos fixos e sem a necessidade de investimentos adicionais. Qualquer ganho de produção por produtividade é feito no mesmo equipamento, com as mesmas pessoas e com mesmo custo administrativo. Todos os indicadores de consumo melhoraram, reduzindo substancialmente os custos de produção. Minha conclusão é que precisamos olhar mais para o ser humano como fator decisivo. Muitas empresas orgulham-se de dar importância ao ser humano, mas na verdade focam apenas as lideranças. Precisamos incluir o pessoal administrativo e de produção. Geralmente esses programas de melhoria da satisfação no trabalho demoram muito - de três a cinco anos em empresas grandes - porque envolvem milhares de ações gerenciais implantadas ao longo do tempo. Não existe uma abordagem geral. Cada empresa tem de determinar as causas de seu problema e atuar.

3

Há tempos tento iniciar a implantação de práticas voltadas para a meritocracia na minha pequena empresa, mas a correria do dia a dia não me permite. Neste momento gostaria de saber, após o estabelecimento dos indicadores, quais são os aspectos em geral que costumam dar mais problema num primeiro ano de funcionamento? Anônimo A meritocracia consiste em conhecer bem seu pessoal, ter capacidade de identificar quem são os melhores e proporcionar a eles as promoções, os melhores salários e os bônus. Sob esse aspecto, o grande problema é conhecer bem os melhores. Por outro lado, meritocracia também significa identificar e tirar de sua equipe os que não se adaptaram ao trabalho e estão sempre infelizes olhando para o relógio na esperança de chegar logo a hora de ir embora. Os melhores são aqueles que atingem as metas com seu time e permanecem alinhados com os valores da organização. A observação desses aspectos deve ser a base de seu sistema de avaliação de desempenho. Você precisa ser capaz de distribuir metas justas a todos e poder avaliar o alinhamento de seu pessoal aos valores da empresa, sem esquecer de dar feedback com frequência, sobretudo quando há desvios. Montar um sistema desses não é tarefa simples. Se sua empresa for muito pequena, porém, você não precisa de muita sofisticação nesse aspecto, porque conhece todo mundo, vive o dia a dia com eles e sabe, perfeitamente, quem são os melhores. Mesmo assim, tome cuidado, tem muita gente “boa de bico”, mas que faz pouco. O melhor procedimento é estabelecer metas justas para todos e ajudá-los a realizar o que foi proposto. Logo você saberá muito bem quem são os melhores e que, por essa razão, merecem acompanhá-lo na luta para o resto da vida.

CDL NITERÓI 19


curtas

Atenção para as mudanças no e-Social A partir de setembro de 2016, as companhias que tiveram faturamento superior a R$ 78 milhões terão que modificar a forma de preenchimento, a entrega de formulários e as declarações relativas aos trabalhadores no SPED Social ou e-Social. Já as empresas com o faturamento inferior devem se enquadrar à regra em janeiro de 2017. Para as micro e pequenas empresas, por conta de suas estruturas diferenciadas, ainda não há uma data prevista para a mudança. Até hoje, as informações à Previdência Social, à Receita Federal e ao Ministério do Trabalho eram prestadas separadamente, porém, depois da data prevista, esses informes serão unificados em uma só plataforma. “A desburocratização é a vantagem mais comemorada pelo setor empresarial. A substituição da extensa variedade de documentos exigidos pelos órgãos públicos evitará a injustiça histórica de empresas com boas práticas administrativas que costumavam ser penalizadas pela burocracia. Além disso, o e-Social pode se tornar uma excelente ferramenta para otimizar a gestão dos negócios e orientar na tomada de decisões”, explica o contador da Assecon Assessoria Contábil, Fernando Nunes.

20 O LOJISTA n AGOSTo 2016

Sessão pipoca! Uma coisa é certa, não tem quem não goste de assistir a um bom filme acompanhado “daquela” pipoquinha! Sabendo disso, essa notinha traz uma seleção de três filmes que por apresentam em suas tramas atuações e atitudes de seus protagonistas no mundo dos negócios, podem servir de lição para os gestores de empresas. Para aqueles que adoram um bom clássico, a dica é o "O Poderoso Chefão (1972)". O filme, dirigido por Francis Ford Coppola, contou

com a atuação do grande Al Pacino. A história narra a atuação da família Corlone e seus negócios ilícitos e mostra que às vezes o melhor sucessor é quem menos se espera. Já a comédia dirigida pelo produtor Herbert Ross, "O segredo do meu sucesso (1987)", mostra como o jovem Brantley Foster (Michael J. Fox) encontra um jeito de se destacar no mundo criando o executivo chamado Carlton Whitfield, dono de ideias brilhantes. Esse longa é uma lição de uma das essências do empreendedorismo: a determinação. A obra cinematográfica baseada em fatos reais, "Moneyball - O homem que mudou o jogo (2011)", foi estrelada pelo astro Brad Pitt e dirigida por Bennett Miller. Sua sequência de cenas é uma ótima dica para entendermos a importância da análise da equipe para entender e solucionar melhor os serviços. E aí, gostou? Então sente-se no sofá e divirta-se!


leis tributárias

O efeito confiscatório na tributação por Professor Barragan Advogado Contador, sócio do escritório de advocacia Barragan & Andrade Advogados, professor de Direito Tributário e Financeiro da FGV, na pós-graduação da UFF e na graduação da UNILASALLE

O

Sistema Tributário Nacional apresenta inúmeras limitações ao Poder de Tributar como uma forma de evitar que os entes federativos (União, Estados, Distrito Federal e Municípios) se excedam ou se tornem arbitrários na hora de impor uma tributação. Dentre os diversos institutos limitadores de tal imposição estatal, temos o princípio da vedação ao confisco, previsto em nossa Constituição de 1988, em seu artigo 150, inciso IV. O aludido princípio tem por premissa máxima impedir que o ente federativo imponha uma carga tributária elevada sobre patrimônio, renda e serviços dos contribuintes, de maneira a evitar que haja a produção de efeito confiscatório com aquela tributação.

É de bom grado destacar que o tributo não pode ser considerado confisco, já que este possui natureza punitiva, ao contrário do tributo, que não possui tal natureza, mas, sim, a natureza arrecadatória. Portanto, tributo não é punição, embora possa parecer, psicologicamente, para alguns. Contudo, o que o princípio pretende evitar é que uma elevada carga tributária possa produzir o mesmo efeito prático oriundo do confisco, ou seja, afastar o indivíduo de um bem. Assim, não se pode admitir, por exemplo, que o Estado do Rio de Janeiro atribua uma elevada alíquota – e não precisa ser de 100% do valor do tributo – para que reste caracterizado o efeito confiscatório combatido pela Constituição de 1988. Para se proceder à aludida análi-

se acerca do efeito confiscatório que uma alíquota possa estar promovendo sobre a mercadoria de um lojista, não há que se ponderar pelo ângulo da essencialidade apenas, mas também pela justa causa constitucional que o ente federativo possa ter para justificar aquela elevada alíquota. Neste sentido, é possível encontrar uma alta alíquota de ICMS para o cigarro, porquanto não é essencial para a sociedade, e o Estado do Rio de Janeiro tem o dever constitucional de zelar pela saúde e bem-estar de todos. O mesmo não se pode dizer em relação aos bens essenciais, tal como aqueles do gênero alimentício ou de higiene, porquanto são, em sua maioria, essenciais e, em contrapartida, o Estado do Rio de Janeiro não possui qualquer justa causa constitucional para assegurar a majoração de uma alíquota sobre aquelas mercadorias. Noutro giro, é importante destacar que o Supremo Tribunal Federal (STF) também tem adotado o entendimento de que as multas tributárias não podem ser elevadas, isto é, não podem superar o próprio valor do tributo cobrado, sendo admitido, no máximo, o percentual de 100% de multa sobre o valor do tributo. Mais do que aquele percentual, já se revela inconstitucional a cobrança da referida multa. Portanto, os ilustres lojistas devem ficar bem atentos para as elevadas alíquotas e as excessivas multas que podem vir a ser cobradas de seus estabelecimentos comercias.

CDL NITERÓI 21


22 O LOJISTA n AGOSTo 2016


fique atento

Número de negativados cai para 59,1 na passagem de maio para junho

E

státicas indicam que o número de pessoas físicas inadimplentes continua a crescer na comparação anual, no entanto, na passagem de maio para junho, que equivale à comparação mensal, o último índice divulgado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) aponta o contrário. O órgão mostrou que, nesse mesmo período, o número de negativados caiu de 59,25 para 59,1 milhões. Segundo esse índice, os atrasos estão relacionados às contas de telefones, TV por assinatura e internet. Além disso, brasileiros na faixa entre 30 e 39 anos foram os que apresentaram maior incidência de negativados, totalizando 50,19%, mais da metade da população. O SPC Brasil mostra ainda que, somente neste primeiro semestre, dois milhões de brasileiros passaram a fazer parte das listas de inadimplentes.

"Quem está com o nome sujo não consegue recuperar crédito, mas há menos brasileiros se endividando", Marcela Kawauti Segundo o presidente da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), Honório Pinheiro, a desaceleração do indicador não pode ser interpretada como um sinal de que os consumidores com contas em atraso estão quitando as dívidas, e sim, como um reflexo do crédito mais restrito. “Os juros elevados, a inflação corroendo o poder de compra e a perda de dinamismo do mercado de trabalho tornam os bancos e os estabelecimentos comerciais mais rigorosos e criteriosos na política de concessão de financiamentos e empréstimos, o que implica uma menor oferta de crédito na praça. Por sua vez, essa menor

oferta de crédito funciona como um limitador do crescimento da inadimplência”, explica o presidente. O dado aponta ainda que para os meses de junho, verificado nos últimos seis anos, foi o mês de menor expansão do número de devedores. Nos anos anteriores a 2016, as variações positivas haviam sido de 5,22% em 2015; 5,84% em 2014; 4,70% em 2013; 7,32% em 2012; e 6,58% em 2011. “O indicador mostra certa acomodação do número de inadimplentes. Ou seja, quem está com o nome sujo não consegue recuperar crédito, mas há também menos brasileiros se endividando”, analisa a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti.

CDL NITERÓI 23


mudanças na lei

Acenda o farol

Uso do farol de dia em rodovias agora é obrigatório

24 O LOJISTA n AGOSTo 2016

A

gora é lei! O motorista que for flagrado com as luzes do farol apagadas durante o dia pagará multa no valor de R$ 85,13 e terá quatro pontos na carteira de habilitação. A medida, sancionada pelo presidente interino, Michel Temer, torna obrigatório, desde o dia 08 de julho, o tráfego com farol baixo em estradas durante o período da manhã até o pôr do sol. A determinação se deu para aumentar a segurança nas estradas, reduzindo o número de acidentes frontais e atropelamentos. No momento, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) realiza o trabalho para multar aqueles que descumprirem a norma. Segundo a PRF, o uso de faróis durante o dia permite que o veículo seja visualizado a uma distância de três quilômetros por quem trafega em sentido contrário. Vale ressaltar que o farol baixo não pode ser substituído por farol de milha, neblina ou farolete. A obrigatoriedade vale ainda em casos de chuva, neblina e cerração. Atualmente, o uso do farol é exigido para todos os veículos durante a noite e em túneis, independente do horário. A nova proposta teve início na Câmara dos Deputados e foi aprovada pelo Senado no fim de abril.


aconteceu na cdl

CDL sedia a 6ª Conferência das Cidades Encontro foi realizado para debater propostas para o avanço da cidade

A

Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Niterói foi palco da 6ª Conferência das Cidades. Neste encontro, que aconteceu entre os dias 1 e 3 de julho, o público teve a oportunidade de debater e formatar propostas - voltadas à realidade local - que serão levadas à Conferência Estadual. As secretarias de Urbanismo e Executiva estiveram envolvidas na organização do evento.

"Nós conseguimos um desempenho de quase 90% do que foi proposto na 5a Conferência das Cidades (...) Mas ainda temos alguns déficits de infraestrutura, que certamente serão resolvidos depois dessa conferência", Verena Andreatta

Neste ano, o tema do encontro foi “A Função Social da Cidade e da Propriedade”, tendo como lema “Cidades Inclusivas, Participativas e Socialmente Justas”. Nele, a plateia debateu quatro temas: habitação, uso e ocupação do solo, mobilidade e saneamento e meio ambiente. Durante o evento, houve ainda a prestação de contas do Governo dos últimos três anos, quando aconteceu a última conferência, em 2013, no município. A secretária de Urbanismo e Mobilidade, Verena Andreatta, avalia que houve um avanço na cidade, mas que ainda precisam ser feitos alguns ajustes. “Nós conseguimos um desempenho de quase 90% do que foi proposto na 5ª Conferência das Cidades, entre elas: equipamentos para esportes, a construção de 20 novas escolas, a TransOceânica e a abertura do túnel. Mas ainda temos alguns déficits de infraestrutura, que certamente serão resolvidos depois dessa conferência”, diz. E alguns desses déficits foram falados e colocados no papel. A Comissão Preparatória – formada pelo poder público, movimentos populares, trabalhadores, empresários, entidades profissionais e organizações não governamentais - já enviou o relatório para a Comissão Estadual.

Saiba o que foi proposto na Conferência Uma das propostas é de que o Governo do Estado do Rio de Janeiro assuma seu papel de confinanciamento da construção de unidades habitacionais de interesse social. Construção de política das áreas limítrofes entre os municípios, para que não haja contrassensos entre legislações, existindo equilíbrio entre os planejamentos territoriais municipais. Cobrar do poder público estadual, no âmbito do desenvolvimento do

Plano de Mobilidade, a ampliação e descentralização do transporte multimodal, com preços acessíveis (tarifa social), com ênfase nas ligações Carioca/Praça Arariboia (linha 3 do metrô e transporte aquaviário); Rio de Janeiro/ Niterói; São Gonçalo/Rio de Janeiro e Niterói/São Gonçalo. Exigir que se aperfeiçoe a mobilidade dos niteroienses em seu deslocamento metropolitano, priorizando as novas tecnologias produzidas que diminuam os impactos

no meio ambiente, cobrando, ainda, transparência ativa e controle público e social do Bilhete Único. Integrar ações de prevenção de crise hídrica através do fortalecimento do CLIP (Comitê Lagunar de Itaipu e Piratininga) e do Subcomitê Leste da Bacia Hidrográfica da Baía de Guanabara, além das delimitações das FMPs (Faixas Marginais de Proteção) de todos os corpos hídricos do município. CDL NITERÓI 25


COMÉRCIO EXTERIOR

Reino Unido fora da União Europeia: e o Brasil com isso? Por Jorge Elias Milhem Consultor de Comércio Exterior da CDL Niterói www.icontrade.com.br | jorge@icontrade.com.br

H

á algumas semanas, e para surpresa, temor e decepção de muitos, o Reino Unido - leia-se: Escócia, Inglaterra, Irlanda do Norte e País de Gales – decidiu, através de um plebiscito, sua saída da União Europeia. Esta, construída após a Segunda Guerra, é atualmente composta de 27 países, considerando esta saída. Sua debandada provoca algumas previsões não muito interessantes para seu povo: queda de até 6% no PIB a longo prazo por conta dos tributos que serão pagos nas importações da UE. Coisa preocupante, pois quase 60% do PIB britânico está ligado ao comércio exterior. Talvez o principal motivo para essa escolha, pela população, esteja relacionado aos imigrantes. Assunto mais do que delicado

26 O LOJISTA n AGOSTo 2016

que, entre outras consequências, irá balançar seu mercado de futebol, o mais caro do planeta, repleto de estrangeiros. E com relação ao Brasil? Segue a análise de nosso maior representante no comércio exterior, o Ministro José Serra: “O Brasil não deve ser muito afetado diretamente. É pequena a participação (1,52%) do Reino Unido como mercado para as exportações brasileiras. Mantém-se também a expectativa de que os investimentos britânicos continuem a buscar as oportunidades por aqui. A sólida situação externa da economia brasileira, com reservas elevadas e superávit comercial, reduz os riscos para o Brasil. Sofremos um pouco mais com a instabilidade de curto prazo dos mercados financeiro e cambial e com o impacto

negativo de médio prazo para o crescimento no Reino Unido e na União Europeia. Mas, de nossa parte, redobraremos os esforços para concluir o acordo de associação MERCOSUL-UE e nos empenharemos em buscar acordos de comércio e investimentos com o Reino Unido”. Ouro (bruto ou semimanufaturado), minérios de ferro (bruto e seus concentrados), preparações e conservas de carne e café (este com excelente crescimento desde 2013) são os principais produtos exportados pelo Brasil. Na mão contrária, motores para aviação, turbinas, produtos farmacêuticos e químicos, além de veículos automotivos, são os principais produtos exportados para o Brasil. Uma verdade é certa: vai doer mais neles do que em nós...bola pra frente!


cursos Período

15/08 a 19/08 03 agosto a 07 agosto

Horário

Local

Curso

Valor

TÉCNICAS DE VENDAS Conteúdo: A importância da venda consultiva; As diversas funções do vendedor; Desenvolvendo LOCAL habilidades de prospecção de mercado e busca 18h30 R$ 230,00 CDL Niterói de clientes; Principais ferramentas de vendas TÉCNICAS DE VENDAS às 21h30 para aA importância entrevista de diagnóstico; Desenvolvendo Conteúdo: da venda consultiva; As diversas funções do vendedor; 18h30 Desenvolvendo habilidades de prospecção de mercado e busca de clientes; Principais a habilidade de levantar necessidades ferramentas de vendas para a entrevista de diagnóstico; Desenvolvendo de a habilidade de 230,00 às CDL Niterói levantar necessidades de clientes; Princípios fundamentais do processo de negociação; 21h30 clientes; Princípios fundamentais do processo de Organização das ações de pós-venda. negociação; Organização das ações de pós-venda. CONTROLES FINANCEIROS

17 agosto a 21 agosto

18h30 às 21h30

31 agosto a 04 setembro

08h30 às 18h00

14 setembro a 25 setembro

08h30 às 18h00

CDL Niterói

Conteúdo: Controle, previsão e análise do caixa; A origem dos recursos e seus registros; Análise do fluxo de caixa; Determinação do capital de giro; Apuração dos resultados da empresa.

CDL Niterói

Conteúdo: A administração financeira da empresa; Projetar fluxo de caixa; Fatores que influenciam o planejamento; Definição de metas com base nos resultados; Conclusão do plano: Afinal, este negócio é viável?

CDL Niterói

Conteúdo: Perfil empreendedor; Identificação de oportunidades de negócios; Análise de mercado e financeira; Concepção dos produtos e serviços; Orientação para elaboração do Plano de Negócios.

230,00

ANÁLISE E PLANEJAMENTO FINANCEIRO

230,00

INICIANDO UM PEQUENO GRANDE NEGÓCIO

340,00


28 O LOJISTA n AGOSTo 2016

O lojista Agosto  
O lojista Agosto  
Advertisement