Page 1

O LOJISTA Edição 563 | Março 2017

NITEROI

CDL

Câmara de Dirigentes Lojistas de Niterói

Ano XXXVIII | www.cdlniteroi.com.br

MULHERES

no comando Empreendedoras de sucesso apostam alto no e-commerce

Operação Icaraí Trânsito passará por mudanças

Cervejarias

Prefeitura e entidades Entidade propõe projeto para comerciais estudam melhorar a acessibilidade na cidade projeto para o setor


De Utilidade Pública: Estadual, Lei no 5579/65 / Municipal, deliberação no 2539/65

EDITORIAL

CONSELHO SUPERIOR Presidente: Joaquim Manuel de Sequeira Pinto Vice-presidente: Ademir Antunes Carvalho MEMBROS DO CONSELHO SUPERIOR Antonio Carlos Costa Pires, Domingos de Carvalho Rodrigue, Elida Gervásio Gouvêa, Ithamar Torres Mancen, José Dornas Maciel, Lúcio Ferreira de Azevedo, Manoel Alves Junior, Orlando Cerveira Francisco, Roberto Mauricio Rocha, Salomão Guerchon. Suplentes: Gentil Moreira de Sousa e Marina Espósito Haddad. DIRETORIA ADMINISTRATIVA Presidente: Fabiano Gonçalves Vice-presidente: Luiz Vieira Diretores: Fausto Regis de Oliveira Reis, Graciele Davince Pereira, Jorge Gentile, Mauricio Nassib Moita Zarife, Oswaldo Rodrigues Vieira, Rogerio Rosetti Mendes, Ruan Carlos Teixeira de Oliveira, Sidney Moyses Vianna Freire Suplentes: Alberto Guilherme Magalhães Ducan e Felipe Reis de Almeida Gerente: Ermano Santiago CONSELHO EDITORIAL Fabiano Gonçalves e Joaquim Pinto

O LOJISTA

NITEROI

SERVIÇOS DA CDL Serviço de Proteção ao Crédito, Serviço de Relações com Usuários, Central de Informações, Central de Cadastro, Central de Processamento de Dados, Assessoria Técnica, Consultoria Jurídica, Serviço de Documentação e Divulgação e Serviço de Administração

Edição e Coordenação: Kelly Goldoni - MTE: 34527/RJ Redação: Goldoni Comunicação Diagramação: Alyne Gama Jornalistas: Milena Bouças, Brennda Moura, Mariana Navarro e Íris Marini Consultoria: Priscila Oliveira Fotos: Divulgação CDL Niterói Foto capa: Evelen Gouvêa Agradecimentos: Unilasalle-RJ

Publicação dirigida da CÂMARA DE DIRIGENTES LOJISTAS DE NITERÓI, contendo legislação, índices econômicos e condensado de notícias e informações de interesses do comércio lojista. Distribuição: Câmaras de Dirigentes Lojistas, Associações Comerciais, Federações do Comércio, Sindicatos e demais entidades de classe do País, identificadas com as atividades do comércio, bem como empresários e executivos especialmente cadastrados. O LOJISTA utiliza as seguintes fontes para editar o condensado de notícias: O Globo, Jornal do Commercio, A Tribuna, O Fluminense e Diários Oficiais. Os índices, estatísticas e projeções são cuidadosamente compilados, de acordo com os últimos dados disponíveis no fechamento da edição. O uso dessas informações para fins comerciais e de investimentos é de exclusiva responsabilidade e risco dos seus usuários. IMPORTANTE: As matérias assinadas são de respnsabilidade de seus autores. ENDEREÇO PARA CORRESPONDÊNCIA Rua General Andrade Neves, 31, Centro, Niterói, RJ CEP: 24210-000 / Tel.Fax: (21) 2621-9919

Mulheres que inspiram

É com enorme prazer que trazemos, para a capa da edição de março da revista O Lojista, três grandes representantes do universo feminino de nossa cidade. Neste mês em que comemoramos o Dia Internacional da Mulher, faremos nossa homenagem por meio destas três empreendedoras, que são exemplo de determinação e que vêm conquistando sucesso em seus negócios ao desbravar o gigantesco universo de possibilidades do e-commerce. Histórias de mulheres que, inclusive, conquistaram mercados até então dominados pelos homens e que estão dando um show à frente deste desafio. Nesta edição, falaremos também sobre o novo Plano de Trânsito de Niterói, que já vem sendo colocado em prática na cidade, e que trará inúmeros benefícios para os comerciantes, moradores e visitantes. Muitas obras encontram-se em andamento, e infelizmente ainda trazem reflexos para o trânsito em alguns pontos do município, mas em breve veremos os resultados desses projetos, que trarão maior e melhor mobilidade para todos. No mês em que comemoramos também o Dia do Consumidor, dia 15 de março, trazemos um novo colunista para O Lojista, o coach e especialista na área comercial, Max Pires, que esteve no Café Empresarial da Região Oceânica, e falou sobre técnicas de vendas e a importância de um bom atendimento para qualquer tipo de negócio, até porque, o cliente deve estar sempre em primeiro lugar. Traremos, ainda, matéria sobre uma grande novidade para o comércio da cidade: o Cartão CDL, uma iniciativa da nossa entidade que promete muitas vantagens para empresários e seus funcionários. Além disso, falaremos sobre o Projeto de Lei que incentivará o mercado cervejeiro em Niterói, o programa Empreender Mais Simples e muito mais. Para finalizar, aproveito para registrar nossos agradecimentos ao Unilasalle-RJ, que gentilmente permitiu a utilização das dependências da instituição como locação para a realização do ensaio fotográfico da matéria de capa de nossa revista. Boa leitura a todos e, vamos em frente!

Fabiano Gonçalves

Presidente

Impressão Gráfica Primil (21) 3078-4300 Circulação Mensal Nacional | Tiragem: 7.000 Exemplares CDL NITERÓI 3


EDIÇÃO 563

ÍNDICE 16

CAPA

A boa empresa para se trabalhar

18

CAFÉ

EMPRESARIAL

CDL Jovem Cidade 08 Aconteceu na CDL Curtas Jurídica

11

12

Fique por dentro Em alta, cervejarias de Niterói ganham apoio da Prefeitura e de entidades comerciais para legalização 4 O LOJISTA n marÇo 2017

Sua empresa

24

06

Vendas e e-commerce são destaques em Café Empresarial

13 20

Comércio exterior Cidade

Em pauta

23

26

07 10

21


CAfÉ empresarial

Vendas e e-commerce são destaques em Café Empresarial

O publicitário Victor Farsette, apresentou algumas boas práticas de empresas no setor de vendas on-line

A

s duas edições mensais do conceituado Café Empresarial da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Niterói estão de volta ao calendário da entidade. A primeira, da Região Oceânica, que aconteceu no dia 7 de fevereiro, contou com a ilustre presença do Coach em Atendimento e Vendas Max Pires, que lotou a cervejaria Noi. Já, no dia 14 de fevereiro, na sede da CDL de Niterói, a palestra ficou a cargo do gerente de Projetos na empresa GTX E-commerce Agency, Victor Farsette, que falou sobre boas práticas no e-commerce. Para fechar o último Café Empresarial de fevereiro, foi realizada uma breve homenagem ao Dr. Walter Monnerat pelos 23 anos dedicados à CDL Niterói. Com o tema “1, 2, 3, 4, 5...vendi”, Max Pires iniciou sua palestra apresentando alguns dados. De acordo com ele,

Sobre o patrocinador

70% dos clientes deixam de utilizar ou comprar alguns serviços por conta do atendimento inadequado. Daí a importância do envolvimento do gestor e, principalmente, de uma equipe bem treinada para que seja realizada a fidelizaçãodos clientes e, consequentemente, o aumentodo faturamento da empresa. “O funcionário precisa entender que quem paga o salário dele é o cliente”, reforçou Max. Na ocasião, o palestrante deu algumas demonstrações das técnicas utilizadas por ele em seus treinamentosvoltados para equipes de atendimento e, até mesmo, para profissionais autônomos. A ideia é transformar um simples atendimento em uma experiência que desperte no cliente a vontade de voltar.Ele também falou sobre a importância do autoconhecimento. “No encontro,pude mostrar às pessoas o valor de gostar de si, mas que poder se reinventartambém é maravilhoso. Esse novo indivíduo poderá entregar um ótimo conteúdo, uma semente tão poderosa que trará boas colheitas. Então, chame atenção positivamente, passe confiança e espere a ação do seu colaborador”, disse Max Pires.

Boas práticas no e-commerce Já no Café Empresarial que ocorreu na sede da CDL de Niterói, o publicitário Victor Farsette abordou algumas boas práticas realizadas no mercado de e-commerce. Segundo o palestrante, as vendas on-line no Brasil, em 2016, cresceram 11% comparado com o mesmo período de 2015, o que representou um faturamento de R$ 53,4 bilhões. Outro fator que influenciou esse crescimento foi o uso cada vez mais frequente de dispositivos móveis para realizar uma compra.Hoje, 18,8% das pessoas adquirem um produto ou serviço por meio de smartphones, já 81,2% ainda compram utilizando notebooks e computadores. Mas, para Farsette, a tendência do mercado é que esses números invertam.

Unimed Leste Fluminense presente na vida da sua região Com 45 anos de história, a Unimed Leste Fluminense, líder no mercado, oferece uma ampla rede de medicina e diagnóstico para a população de Niterói, São Gonçalo, Maricá, Itaboraí, Tanguá, Rio Bonito e Silva Jardim.Com mais de 200 mil clientes, hoje a empresa tem quatro unidades próprias e conta com aproximadamente 1,5 mil médicos cooperados, uma rede de prestadores de serviços de excelência, entre clínicas especializadas e laboratórios e 1000 colaboradores. Telefone da Central de Marcação de Exames: 0800 079 7200 / 4020-7200

6 O LOJISTA n marÇo 2017


CDL JOVEM

Mulheres

empreendedoras e o e-commerce: Dupla de sucesso! Por Roberta Rocha Diretora CDL Jovem Niterói

F

oco, força, fé e dane-se: esses são os pré-requisitos que nós mulheres trazemos conosco para ser mãe, mulher, profissional, esposa, amiga... E para amulher que quer abrir o seu próprio negócio não é diferente! São os quatro pilares para compreender que não será fácil, mas que sem foco, determinação, sua espiritualidade alinhada e sem a ousadia de dar um dane-se para as dificuldades e as opiniões alheias, não daremos conta do empreender diário. Afinal, ter um negócio próprio está longe de significar trabalhar menos; é preciso muita dedicação para conseguir tirar as ideias do papel e fazer acontecer. Tem que ter fôlego para ser bem sucedido – mas isso, nós temos de sobra! Um estudo da Serasa Experian revelou que mais de cinco milhões de brasileiras são empreendedoras. “As mulheres estão à frente de 43% dos negócios do país, a maior parte delas atuando como MEI ou sócias de micro e pequenas empresas. Pesquisas apontam que as mulheres empreendedoras são determinadas, buscam profissionalização e correm atrás de seus sonhos. Cerca de 46% ainda conciliam a loja com outro emprego, mas já deram o passo inicial”.

O mundo digital está aí para facilitar muitas coisas e, com isso, nos levar bem mais longe do que imaginamos. Muitas empreendedorasjá utilizam o Facebook e Istagram, que são recursos que ajudam na rápida divulgação e geram resultados em vendas, seguido pelo email marketing e Google Adwords. O custo-benefício de utilizar ferramentas digitais é atraente e, se bem trabalhado, tem um ótimo retorno. Sabemos que o mundo corporativo ainda é um ambiente bastante hostil para as mulheres, e por isso o empreendedorismo baseado no e-commerce é uma opção viável para se manter na ativa, fazer o que gosta, estar mais perto da família e, acima de tudo, poder criar algo que pode transformar a vida das pessoas. Temos coragem suficiente para nos embrenhar por trilhas que podem ser bastante complicadas, mas acabamos conquistando nosso espaço. Além disso, mulheres empreendedoras são mais felizes após se dedicarem ao e-commerce; para elas, o principal ganho com o empreendedorismo digital é a liberdade, seguido de tempo e autoestima, é uma forma de empoderamento! Afinal, essa jornada pode contribuir com o autoconhecimento, quebrar paradigmas, e conquistar a própria independência! Inspire-se!

CDL NITERÓI 7


CIDADE

Operação Icaraí: Prefeitura atende solicitações da população e inicia mudanças no trânsito da Zona Sul e da Praça da Renascença

A

Prefeitura de Niterói atendeu as solicitações de moradores, comerciantes e profissionais após as reuniões de apresentação e discussão da Operação Icaraí – planejamento colaborativo que prevê modificações no trânsito em um dos bairros mais movimentados da cidade, para otimizar a circulação de veículos. Seguindo as sugestões apresentadas nos encontros, não haverá, por exemplo, mudança nas linhas de ônibus, e a rua Lopes Trovão não receberá fluxo de coletivos, mas ganhará uma faixa exclusiva para os ciclistas. Já na Praça Renascença, a construção do Mergulhão traz novos atalhos para quem vier da Zona Norte em direção à Zona Sul ou ao Centro. Para dar ainda mais fluidez ao trânsito de Icaraí, vagas de estacionamento darão lugar a recuos para ônibus, para que, ao embarcar e desembarcar passageiros, o coletivo não interrompa o tráfego. O bairro terá 32 agentes de trânsito se deslocando a pé, em uma moto patrulha e em um carro. “Na Álvares de Azevedo, por exemplo, quando o ônibus para no ponto, mesmo com o sinal verde, ninguém consegue ultrapassá-lo, porque o estacionamento bloqueia a via. Quando o ônibus volta a andar, o sinal já fechou. Nosso primeiro passo será organizar esses fluxos, estabelecendo as vias que terão prioridade para circulação e as que servirão para acesso local”, explicou o agora secretário de Urbanismo, Renato Barandier. Melhorias – Além de mudanças viárias, a operação inclui a recuperação de vias no bairro. Atualmente, a Rua Lopes Trovão passa por obras de recapeamento, que são realizadas durante à noite para minimizar o impacto no tráfego. As ruas Geraldo Martins

8 O LOJISTA n marÇo 2017

Funcionários da prefeitura fazem o recapeamento das vias e Tenente Mesquita são as próximas a serem beneficiadas. Os trabalhos já foram concluídos na Mem de Sá, Álvares de Azevedo, Presidente Backer, Castilho França, General Pereira da Silva, Santos Dumont, Mario Alves, Dom Bosco e Mariz e Barros. Sinais inteligentes – O bairro também ganha um Centro de Tráfego de Área (CTA), com 42 sinais de trânsito modernizados, sendo 15 inteligentes. Os novos semáforos serão equipados com no-breaks e poderão funcionar, mesmo com corte no fornecimento de energia, por até oito horas. Quatro destes equipamentos inteligentes já foram instalados em vias estratégicas para o bairro e possuem câmeras que fazem a contagem dos veículos que passam pelas vias. Operadores poderão prolongar o tempo de sinal aberto, dando mais agilidade ao tráfego de acordo com a necessidade. A previsão, por enquanto, é que os sinais inteligentes sejam instalados na

Avenida Jornalista Alberto Torres, nas esquinas com as ruas Miguel de Frias e Álvares de Azevedo; na Avenida Roberto Silveira, nos cruzamentos com as ruas Lopes Trovão, Presidente Backer, General Pereira da Silva, Álvares de Azevedo, Castilho França e Miguel de Frias; na Rua Lopes Trovão, nas esquinas com Gavião Peixoto e Mem de Sá, e Avenida Almirante Ary Parreiras, esquina com Rua Irineu Marinho. O coronel Paulo Afonso Cunha, presidente da NitTrans, avalia como positiva as mudanças em Icaraí. “A população vai perceber um trânsito com mais fluidez, ruas sem retenção, e os sinais inteligentes vão acabar com os tempos longos de espera no vermelho. As mudanças vão ser ainda melhores, se for concretizado o projeto de trazer PMs para o trabalho no trânsito, porque com a presença policial, haverá mais segurança”, disse ele. Túnel – A Secretaria de Urbanismo e Mobilidade Urbana está elaborando, ainda, um projeto para a escavação de um túnel de 150 metros, ligando as ruas Cinco de Julho (a partir da esquina com a Gavião Peixoto) e Oswaldo Cruz. Para o lojista Orlando Cerveira, proprietário da loja Katia Decorações, que se localiza na rua Gavião Peixoto, em Icaraí, o fluxo de pedestres irá aumentar com a transformação dos estacionamentos em recuo de ônibus. “Fico um pouco preocupado, pois estes estacionamentos são convenientes para a clientela que mora em bairros mais afastados e que vem de carro fazer compras ou passear. Quanto aos pontos de táxi, serão realocados, somente. Creio que não haverá prejuízos. O tempo passa, o número de habitantes e motoristas aumenta, temos que nos adequar. Novas solu-


CIDADE

Reunião de apresentação e discussão da Operação Icaraí com o secretário Renato Barandier e o Coronel Paulo Afonso Cunha ções são bem-vindas e necessárias. Na Praça Renascença, a obra vai ser muito importante, principalmente para os usuários dos transportes coletivos que poderão acessar mais facilmente a Alameda São Boaventura e a Avenida do Contorno”, avalia. Ciclistas – Os ciclistas terão uma faixa exclusiva na Lopes Trovão, ligando a Praia de Icaraí à Avenida Roberto Silveira. Serão instalados 150 pontos para estacionamento de bicicletas até o final de março. O Programa Niterói de Bicicleta está realizando uma enquete para coletar sugestões de localização para os equipamentos. A estudante Luisa Bilheri Figueiredo, de 24 anos, que mora em Ica-

raí, está empolgada com os planos da Prefeitura e se mostra em concordância com a exclusão da proposta de retirar a circulação dos ônibus das principais vias da região. “Acho interessante estudar estas melhorias, porque têm certas áreas em que o trânsito fica muito intenso. Só não concordo que proíbam a circulação de ônibus para favorecer os carros. É preciso exatamente o contrário: algo que incentive o transporte público, porque são os carros de passeio que geram trânsito, e não o ônibus”, opina. Praça Renascença – As obras do mergulhão da Praça Renascença, na Avenida Feliciano Sodré, no Centro de Niterói, estão com mais de 20%

de conclusão, e a previsão do prefeito Rodrigo Neves e do diretor-superintendente da Ecoponte, Alberto Lodi, é que sejam finalizadas ainda no primeiro semestre de 2017. De acordo com Lodi, a obra está na fase da instalação das paredes diafragma, etapa inicial para a construção do trecho subterrâneo. Em toda a construção do Mergulhão, cerca de 25 mil metros cúbicos de material serão extraídos durante a escavação, o equivalente a 1,3 mil caminhões. O local terá cerca de 500 metros de extensão, com 150 metros de trecho subterrâneo. O novo equipamento de mobilidade urbana de Niterói irá melhorar o fluxo de veículos em um dos principais gargalos do trânsito na cidade: o sinal que fica na Avenida Feliciano Sodré com a entrada da Jansen de Melo, que provoca vários engarrafamentos. Com a passagem subterrânea, quem vem do Centro poderá acessar a Avenida do Contorno e a Alameda São Boaventura sem precisar parar no sinal, que fica no cruzamento, nem precisará contornar a Praça Renascença. Quem vier da Zona Norte e quiser acessar o Centro e a Zona Sul passará por cima do mergulhão. Ao final da obra, a praça será entregue reformada, com tratamentos paisagístico e urbanístico totalmente refeitos pela concessionária. O investimento é de R$ 70 milhões.

CDL NITERÓI 9


ACONTECE NA CDL

C

Empresários vivenciam o Empretec na CDL Niterói

om o objetivo de fortalecer as habilidades de empresários, a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Niterói ofereceu, entre os dias 13 e 18 de fevereiro, o Empretec. O seminário, promovido em cerca de 34 países, é realizado pelo Sebrae e acontece no Brasil há 20 anos, e já capacitou aproximadamente 230 mil pessoas pelos 27 Estados federativos. Em Niterói, o encontro ocorreu em seu sétimo ano consecutivo, na sede da CDL do município. A iniciativa segue uma metodologia da Organização das Nações Unidas (ONU), voltada para o desenvolvimento de características de comportamento empreendedor e para a identificação de novas oportunidades de negócios. Com todas as vagas preenchidas, mais de 60 gestores foram qualificados em 60 horas de imersão, foram desafiados em atividades práticas, cientificamente fundamentadas, que indicam como um empresário de sucesso age, tendo como base algumas particularidades comportamentais, como a busca de oportunidade e iniciativa, a persistência, entre outras.

Mais de 60 alunos participaram do Seminário realizado na CDL de Niterói

710 O LOJISTA n marÇo 2017

No Empretec, os participantes são preparados para enfrentar os desafios do empreendedorismo “A partir dessa vivência, os empreendedores buscam aplicar os novos conhecimentos aos seus negócios. Mas vale lembrar que os jogos, os exercícios e as simulações praticados não possuem nenhuma ligação com as empresas dos participantes, são empregadas situações em um contexto mais geral”, explicou um dos facilitadores do Empretec, consultor de Comércio Exterior da CDL de Niterói, Jorge Elias Milhem. Luciana Santos, técnica em Gestão Empresarial, ainda não possui uma empresa, mas seu interesse pelo ramo de alimentação saudável surgiu quando o marido e uma amiga passaram por problemas de saúde. O desejo de empreender a levou ao seminário. “O Empretec abriu meu horizonte, e o conhecimento aprendido aqui certamente será compartilhado com minha sócia”, reforçou a futura empresária. Para Thadeu Filgueiras, proprietário do Spa da Beleza Centro de Estética, localizado em Icaraí, o Empretec superou as expectativas e ele já planeja um plano de negócio para o seu empreendimento. De acordo com Thadeu, o marketing e os contratos de funcionários serão o foco desse novo olhar que ele passou a ter sobre a sua empresa.


curtas

Expo Niterói vem aí Entre os dias 19 e 21 de maio, será realizada na Cantareira a primeira edição da Expo Niterói, feira de negócios que reunirá diversos empreendedores do município e de cidades vizinhas. A iniciativa é uma realização do projeto Onda Empreendedora e da 2P Participações e Empreendimentos, e visa promover a criação de um espaço para prospecção de clientes, seleção de fornecedores, pesquisa de novos negócios, networking, entre muitas outras oportunidades. Na ocasião, pequenos, médios, grandes e futuros empresários poderão participar de palestras, workshops e ainda aproveitar a Feira de Food Trucks que também acontecerá no local. A Expo Niterói será aberta ao público na sexta-feira, dia 19, a partir das 14h, já no sábado e domingo, a partir das 8h. As atividades acontecerão até as 23h, exceto no domingo, tendo em vista que o encerramento da feira seráàs 22h. Locação de estandes e mais informações podem ser obtidas no site do evento: www.exponiteroi.com.br

Conheça os novos associados da CDL Niterói a a a a a a

Andrelux Comércio Ltda Scanferla de Sá Comércio Ltda Roberto da Silva Moreira Vision VC Niterói Com. Óculos Ltda Joseli Pereira Evangelista FGS Comercial Serv Tec Eletrônicos Ltda

Prêmio SEBRAE Mulher de Negócios 2017

V

ocê é uma empreendedora e possui uma história de superação e sucesso? Sabia que você pode ser premiada e ainda ser exemplo para muitas outras mulheres? Este é o objetivo do Prêmio SEBRAE Mulher de Negócios, que identifica, seleciona e premia os relatos de mulheres que conseguiram transformar seus sonhos em realidade. As candidatas concorrem a um troféu, ao selo de vencedora e a uma capacitação em território nacional. As inscrições estão abertas até o dia 31 de março e podem ser feitas no site do projeto: www.mulherdenegocios.sebrae.com.br A iniciativa é uma parceria entre o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE), a Secretaria de Políticas para as Mulheres (SPM) e a Federação das Associações de Mulheres de Negócios e Profissionais do Brasil (BPW), com apoio técnico da Fundação Nacional da Qualidade (FNQ).

Dia do Consumidor Dia 15 de março está chegando e é sempre importante lembrar. É nesse dia que comemora-se o Dia Mundial do Consumidor, data que, em 1962, o presidente norte-americano John F. Kennedy se pronunciou no Congresso a favor dos direitos dos consumidor. No Brasil, a data passou a ter maior peso a partir de 1990, ano em que foi criado o Código de Defesa do Consumidor, que regula a relação entre empresas comercias, prestadores de serviços e consumidores. Para comemorar, muitos comerciantes aproveitaram a data para oferecer descontos e promoções.

CDL NITERÓI 11


JURÍDICA

Turma reconhece penhorabilidade parcial de salários em execução trabalhista Por Alexandre Andrade Assessor Jurídico CDL Niterói www.pereiradeandrade.adv.br

O

título dessa matéria pode causar verdadeiro tumulto no meio empresarial, principalmente no caso daqueles empresários que passam ou passaram recentemente por dificuldade no desenvolvimento do seu ofício e foram obrigados a fechar suas lojas, empresas ou estabelecimentos comerciais, em geral, sem que pudessem honrar com a quitação de parcelas salariais de seus empregados. A maioria de nós, cidadãos médios, sabe dizer de forma bem segura que a casa em que moramos é impenhorável, os móveis e utensílios que a guarnecem são impenhoráveis, os salários e proventos recebidos de órgãos previdenciários, são, da mesma forma,impenhoráveis. Pois é, quer um conselho de amigo? Desconfie do óbvio. Um conceito que já vem sendo aplicado na esfera do Processo Civil, que estabelece exceções para critérios de impenhorabilidade, começa agora a atingir de morte o que se acreditava imutável no âmbito trabalhista. A impenhorabilidade de salários e proventos de aposentadoria não são absolutas. A legislação prevê exceções, como em caso de execução de prestações alimentícias, gênero do qual o crédito trabalhista é espécie (artigo 833, IV, e parágrafo 2º, do NCPC). Foi com base nesse fundamento que o juiz Antônio Gomes de Vasconcelos reformou a decisão de 1º grau que havia negado o pedido de uma trabalhadora para que fossem expedidos ofícios ao Ministério do Trabalho e Empre-

12 O LOJISTA n marÇo 2017

go e ao INSS, visando descobrir eventuais recebimentos salariais ou de benefícios previdenciários por parte dos sócios do restaurante para o qual trabalhou. A primeira instância havia negado o pedido com base na impenhorabilidade dos salários e proventos de aposentadoria, valendo-se do mesmo dispositivo legal (artigo 833, IV, do NCPC). Mas, dando razão à trabalhadora, o juiz relator do recurso ressaltou que a restrição não é absoluta, tendo em vista a exceção prevista no §2º do artigo 833 do NCPC: “Como se vê, de acordo com o dispositivo enfocado, a impenhorabilidade do salário não prevalece quando se tratar de crédito de natureza alimentar, gênero do qual o crédito trabalhista é espécie”. Citando julgados no mesmo sentido, o relator frisou que, caso constatado que os sócios devedores recebam salário ou proventos de aposentadoria, será possível proceder a penhora parcial de até 50% desses valores, na forma do artigo 529, §3º, do Novo CPC. Por fim, registrando que essas regras do processo civil são perfeitamente compatíveis com o processo do trabalho, já que almeja dar maior efetividade à execução, o julgador deferiu a expedição dos ofícios requeridos pela trabalhadora. Muita coisa vai mudar a partir desses novos conceitos. Quem viver verá!


FIQUE POR DENTRO

Cartão CDL: bens e serviços com condições mais favoráveis

A

Câmara de Dirigentes Lojistas de Niterói tem novidades. Isso porque, está previsto, para o mês de abril, a chegada de uma nova moeda ao comércio da cidade: o Cartão CDL Niterói. O objetivo é oferecer aos seus portadores maior praticidade no acesso a bens e serviços, além de estimular o comércio local. Os principais benefícios são descontos em medicamentos, consultas médicas, clínicas e laboratórios, e, também, plano odontológico em condições de acesso insuperáveis. Outro diferencial é a não cobrança de juros ou taxas. O sistema desenvolvido pela Personal Card existe há mais de 16 anos e hoje contempla mais de 1 milhão de

usuários no país. Ele já foi implementado em Câmaras Lojistas das cidades de Indaial, Joaçaba, Campos Novos, Concórdia, entre outras cidades localizadas no estado de Santa Catarina. “Ele é um instrumento de gestão administrativa, pois funciona também como um vale permanente para os funcionários, sem a necessidade de controle. Os lojistas poderão fornecer prêmios ou incentivos, lançando os valores respectivos nos cartões. Temos o lojista como beneficiário, duplamente”, explica Deny Resende, Diretor da Personal Card. O portador, inclusive, terá a opção de requisitar cartões para seus dependentes, estendendo o benefício para sua família.

Como solicitar o cartão CDL Niterói?

Os cartões devem ser solicitados pelas empresas para uso de seus funcionários e diretores, entre outros beneficiários. Para aderir ao Cartão CDL Niterói, basta a empresa manifestar sua intenção à equipe de coordenação do cartão da CDL, por meio do telefone (21) 2621-9919 ou e-mail cpd@cdlniteroi. com.br. Vale ressaltar que o contrato de adesão não tem custo, somente a segunda via, por motivo de perda, furto ou danos, que gerará uma cobrança no valor de R$ 12 por emissão.

Na prática O cartão funciona da seguinte forma: cada usuário terá um limite mensal definido pela empresa, proporcional ao seu salário, para compras ou contratação de serviços, principalmente voltados à saúde complementar e bem-estar. Todo mês haverá uma data definida para o fechamento dos valores gastos, que serão totalizados e enviados para que seja realizado o débito em Folha. Após o fechamento, automaticamente iniciam-se novos ciclos que serão fechados sempre naquela mesma data, lembrando que o usuário não paga taxas ou juros.

Fabiano Gonçalves, presidente da CDL Niterói, está bastante confiante com a implementação do cartão, seu último projeto do Programa Direto ao Ponto. “Sonhamos com esta iniciativa há mais de seis anos, pois vimos que deu muito certo em outras Câmaras, no Sul do país, além de estarmos trabalhando com uma empresa responsável, que possui uma vasta experiência nesta área. Tem tudo para dar certo”, destaca.

CDL NITERÓI 13


14 O LOJISTA n marÇo 2017


CDL NITERÓI 15


CAPA

CDL Niterói

homenageia, no

mês da mulher,

empresárias que

revolucionam o mercado

O

empreendedorismo feminino dá passos largos rumo ao sucesso e ao lucro no Brasil, e não é diferente em Niterói. Segundo o último Anuário das Mulheres Empreendedoras e Trabalhadoras das Micro e Pequenas Empresas, divulgado pelo Sebrae e o Dieese, o número de mulheres chefes de família e à frente do próprio negócio saltou de 6,3 milhões para quase 8 milhões em 11 anos, um aumento de 25%. O dado pode até não ser surpreendente, mas quando essas mulheres empoderadas investem pesado no comércio eletrônico, o crescimento é certo, totalizando uma alta de 40% a 50% no faturamento, como conta a diretora da Eletrofrigor, Graciele Davince Pereira, de 40 anos. “Entrei no e-commerce faz 4 anos, mas tenho trabalhado com uma equipe dedicada ao setor há 2 anos. Os custos são altos, porque é preciso ter mão de obra qualificada para se ater às atualizações do mercado e tratar dos recursos de divulgação da loja. O nosso desafio é acompanhar essas mudanças. Há 6 meses, contratamos um publicitário para divulgar a empresa, e o resultado foi um recorde de faturamento no comércio eletrônico em plena crise. Hoje, todo mundo procura os produtos no buscador. Sem contar que não há fronteiras para a venda online. Já vendemos até para o México”, informa a administradora. De acordo com a 3ª Pesquisa de Varejo Online do Sebrae, 73% das empresas que adotam o e-commerce no país estão no setor de comércio, e 18%em serviços - ambos são os mais investidos pelas mulheres que comandam suas firmas. E, apesar de parecer recente, o comércio eletrônico completou 20 anos no Brasil em 2015, movimentando cerca de R$ 40 bilhões por ano. Do total de empreendedores que se utilizam das vendas online para garantir a renda, 51% estão no lucro contra 28% que se dizem empatados e 21% no prejuízo. O presidente do Sebrae, Guilherme Afif, ressaltou,em reportagem para o Bom Dia Brasil, que a tendência é que as mulheres se tornem maioria no empreendedorismo logo, logo. 16 O LOJISTA n marÇo 2017

"Entrei no e-commerce faz 4 anos, mas tenho trabalhado com uma equipe dedicada ao setor há 2 anos. Os custos são altos, porque é preciso ter mão de obra qualificada para se ater às atualizações do mercado" Graciele Davince Pereira - Diretora da Eletrofrigor “Em estados do Nordeste, há mais Microempreendedores Individuais (MEI) mulheres do que homens”, acrescentou na ocasião. Graciele trabalha desde os 16 anos e fundou a Eletrofrigor - com lojas físicas em Niterói e em São Gonçalo - no ano de 2010, com o propósito de fornecer todo tipo peças e ferramentas para refrigeração e eletrodomésticos. Para ela,as mulheres têm tomado o seu espaço, driblando a complexa conciliação entre casa, marido, filho e trabalho. “A gente tem essa coisa de multitarefas. Como eu nasci numa família que me motivou muito para que eu me tornasse independente, estar à frente de um negócio flui de uma maneira muito natural”, explica.


CAPA

Aos 42 anos de idade, a bacharel em Direito e pós-graduada em Qualidade, Segurança, Meio Ambiente, Saúde e Responsabilidade Social, Madelon Valdeck, é sócia e diretora de vendas da Malteria Araribóia, inaugurada há menos de um ano em Niterói. Em um universo totalmente masculino, a empreendedora teve desafios desde que iniciou a empreitada junto ao cunhado, que é diretor-administrativo, Marcos Paulo de Souza Tosta. “Hoje só trabalho aos sábados na loja. No começo, alguns cervejeiros olhavam pra mim e começavam a falar com o meu funcionário. Mas viram que eu entendia de cerveja e quebraram essa resistência inicial “, lembra ela. Além de um universo distinto, guiado por uma mulher, o local é o único na cidade que oferece malte, lúpulo, levedura e equipamentos para cervejeiros iniciantes (o chamado paneleiro), para cervejarias e para o consumidor final.A marca também começa a se inserir no comércio eletrônico, mas ainda há muito a se explorar, afirma Madelon. “Têm uns seis meses que tentei deixar o comércio eletrônico mais útil, e ainda não conseguimos desenvolver totalmente. Apesar disso, o movimento do comércio aumentou entre uns 40% a 50%”, constata. Lívia Ressiguier, de 37 anos, é formada em Administração RH e com pós-graduação em Qualidade e Produtividade. Há três anos e sete meses, ela fundou a Berdine Joias Folheadas em Niterói. O start para levar a loja para o meio online veio há mais de um ano.

"É importante incentivar outras mulheres a acreditarem que é possível ter sucesso profissional e pessoal" Lívia Ressiguier - Proprietária da Berdine Joias Folheadas

"No começo, alguns cervejeiros olhavam pra mim e começavam a falar com o meu funcionário. Mas viram que eu entendia de cerveja e quebraram essa resistência inicial" Madelon Valdeck - Sócia da Malteria Araribóia “Buscamos a excelência em atendimento, em produtos e no desenvolvimento das pessoas. Porém, há mais de 1 ano, enxergamos a necessidade de criar um site. Primeiro ele foi institucional para que pudéssemos fazer o posicionamento da marca Berdine, o que nos trouxe mais credibilidade.No entanto, começamos a ter uma grande procura nas mídias sociais, o que nos levou a criar uma vitrine virtual e a apostar no e-commerce. Hoje, mais que um site institucional, temos nosso e-commerce, um blog com geração de conteúdo e vídeos de apoio. Também estamos implantando, no site, o sistema de Afiliação, que dará oportunidade de revenda para pessoas que não são residentes do Rio de Janeiro”, explicou Lívia. A Berdine Joias Folheadas tem, em sua equipe de consultoras, 88 mulheres empreendedoras. Para Lívia, a importância de ser uma mulher à frente de um negócio de sucesso é “mostrar como as mulheres estão vindo fortes onde, até então, não eram consideradas capazes”. “Hoje, esse crescimento se dá devido à sensibilidade e a facilidade que a mulher tem de ser multifuncional. É importante ainda incentivar outras mulheres a acreditarem que é possível ter sucesso profissional e pessoal. Hoje, faço parte de um grupo de mulheres empreendedoras de Niterói chamado ‘Somos Empreendedoras’,que tem como objetivo fortalecer cada vez mais o empoderamento feminino, realizando networks, parcerias e trocas de experiências, por meio de encontros periódicos, sempre com palestras com conteúdo relevantes”, finaliza. CDL NITERÓI 17


gestÃo empresarial

A boa empresa para se trabalhar

Por Vicente Falconi Formado em Engenharia e um dos mais renomados especialistas em gestão do Brasil

N

o início da década de 70, fui a Goiás e aproveitei um final de semana para visitar um amigo de infância que morava numa pequena cidade do interior. Ele era engenheiro de uma empresa e morava em uma casa maravilhosa, num terreno de oito mil metros quadrados. A empresa, além da casa, lhe dava duas empregadas e um jardineiro, além de se responsabilizar por toda a manutenção. Água, energia e telefone eram de graça. Eles tinham excelente escola para as crianças e um clube maravilhoso, que lembrava aqueles filmes que mostram os clubes para os ingleses em suas colônias. Era de dar inveja. Não poderia haver empresa melhor para se trabalhar! Há coisa de uns 5 ou 6 anos, encontrei este amigo em plena Avenida Afonso Pena, em Belo Horizonte. Após os cumprimentos iniciais, comentários sobre os cabelos brancos (ambos com bem mais de 60 anos) e trocas de notícias sobre as famílias e os antigos companheiros, ele foi direto ao assunto: “Velho, você vai ter que me arrumar um emprego!”. Naquela época arrumar emprego era “missão impossível”. Mencionei as dificuldades, mas ele insistiu, invocando a velha amizade. Perguntei o que ele havia aprendido na vida. Você fala outras línguas? Não. Você tem experiência em vendas? Não. Domina a informática básica? Não. Foi

18 O LOJISTA n marÇo 2017

uma série de nãos. Ele trabalhou durante vinte e oito anos à mesma mesa e na mesma cadeira. Sua empresa faliu, como era de se esperar, pois uma empresa apenas reflete a sua adaptação ao mundo, o preparo e desempenho de seus funcionários. Fui para casa impressionado com o fato, mas, para ser sincero, esqueci-me do problema, pois estava com a cabeça cheia de outros. No sábado seguinte, pela manhã, estava na cozinha de minha casa tomando café, quando toca o telefone. Era ele: “Você encontrou um emprego para mim?”. Respondi a verdade: “Nem mexi no assunto, fulano”. Aí ele me assustou: “É melhor você ter pressa, pois estou com dificuldades para alimentar a família”. Tive que me assentar para acabar de conversar, pois “perdi as pernas” (como poderia uma pessoa, após uma vida, estar nesta situação?). Bem, hoje ele é almoxarife de uma construtora de um amigo nosso. E, segundo este amigo, péssimo almoxarife. A vida não espera por ninguém. No mundo de hoje, o diploma não mais garante uma boa vida. As mudanças são muito rápidas e o aprendizado deve ser contínuo. Cada dia perdido é irrecuperável. Cada um de nós deve atualizar-se diariamente e procurar manter-se em forma para o mercado como se fosse “perder o emprego” no dia seguinte.


Uma revista de circulação nacional promove, todo ano, um concurso intitulado “A melhor empresa para se trabalhar”. Tenho a curiosidade de verificar o balanço financeiro de algumas delas: nem sempre casos de sucesso financeiro. A maioria tem lucro, mas destrói valor.   Eu me pergunto: “Que é uma empresa boa para se trabalhar?” Estou convencido de que é aquela que mantém o funcionário desafiado o tempo todo, aquela que tem resultados “Classe Mundial”. Quando uma pessoa é desafiada a alcançar resultados nunca antes atingidos, ela busca o conhecimento necessário em livros, artigos técnicos, cursos, ajuda de consultores, visita outras empresas, etc. Ela procura e acaba obtendo a habilidade de que precisa a cada momento e é isso que a mantém capaz e atualizada para o mercado. Isso é o que os japoneses chamam de “Conceito de Crescimento do Ser Humano”. Uma boa empresa, como uma boa escola, deve ser aquela que seja “dura” e onde os mestres exijam muito. Na hora, todos reclamam, mas depois todos agradecem. Minha experiência de vida tem me mostrado que uma empresa “boazinha” nem sempre é o melhor lugar de se trabalhar. Na verdade, todos deveriam estar “incomodados” com as metas difíceis que lhes são colocadas todos os anos. Essa é a grande força motriz do verdadeiro aprendizado. Não conheço aprendizado que não seja um processo sofrido. Gerenciar é atingir metas ou resolver problemas (o que é o mesmo!). As metas colocadas devem ser suficientemente difíceis a ponto de causar desconforto, mas, ao mesmo tempo, devem ser factíveis. Nós temos sempre que estar nos comparando com os melhores do mundo, e o argumento deve ser sempre este: “se alguém já chegou lá, por que não podemos chegar também e, eventualmente, superar?”. Temos que ter a mentalidade e a atitude da excelência. Esse bom gerenciamento é que conduz ao cres-

A vida não espera por ninguém. No mundo de hoje, o diploma não mais garante uma boa vida. As mudanças são muito rápidas e o aprendizado deve ser contínuo. Cada dia perdido é irrecuperável. cimento do funcionário, pois todos têm que “sofrer” para aprender o que for necessário para que os resultados possam ser atingidos. Outro dia desses, numa revista nacional especializada, saiu uma reportagem sobre uma grande empresa brasileira e seus métodos de trabalho. Essa empresa exige muito do funcionário e mantém um ambiente muito alegre, descontraído, mas de alta competição com metas avassaladoras. A empresa fornece todos os recursos necessários para que as metas sejam alcançadas, paga bônus aos vencedores e ainda dá opção de compra de ações. Os funcionários dessa empresa são constantemente assediados por outras empresas, pois o mercado sabe que essas pessoas são “feras”, absorveram uma cultura de constante insatisfação e sabem transformar resultados. Os funcionários que ficam na empresa por um longo tempo saem de lá bem de vida. Aqueles que não se adaptam ao ritmo saem. A empresa é campeã em resultados, tem uma das maiores taxas de valor adicionado do mercado, suas ações são disputadas nas bolsas de valores e transformou-se numa grande multinacional, verdadeiro orgulho para o país. Na minha opinião, esta é a boa empresa para se trabalhar. Qual empresa você preferiria para você ou seus filhos?

CDL NITERÓI 19


sua empresa

Menos burocracia, mais crédito

M

uito além de uma orientação a donos de pequenos negócios no acesso a financiamentos, o programa “Empreender Mais Simples – menos burocracia, mais crédito”, fruto de uma parceria entre o Sebrae, Governo Federal e Banco do Brasil, integra um pacote de medidas microeconômicas que, como o Governo Federal reconhece, produz resultados imediatos. De acordo com o coordenador do Sebrae-RJ na Regional Leste Fluminense, Américo Diniz, serão disponibilizados, nos próximos dois anos, um total de R$ 8,2 bilhões à micro e pequenas empresas. Assim como também serão investidos R$200 milhões no desenvolvimento e melhoria de dez sistemas como o Portal do Simples Nacional e o Portal do Empreendedor - para desburocratizar a gestão de empresas. “A meta é facilitar o acesso dessas empresas a crédito, mas com orientações, para que não corram riscos com a inadimplência, buscando o uso

20 O LOJISTA n marÇo 2017

Serão disponibilizados, nos próximos dois anos, um total de R$ 8,2 bilhões à micro e pequenas empresas consciente dos recursos e uma melhor gestão financeira”, diz. O aumento da inadimplência, citado pelo coordenador, pode ser conferido em números. Segundo pesquisa do Sebrae, houve um crescimento de 3,4% para 8% entre 2012 e 2016. A mesma pesquisa indica, ainda, que 83% dos donos de pequenos negócios não recorreram a crédito, em 2016, e 19% dos empreendedores que já buscaram as instituições financeiras para obter financiamento, em algum momento da vida empre-

sarial, tiveram o pedido negado. Por fim, outro dado mostra que 52% preferiram negociar com os fornecedores, pagando juros mais altos. Logo, para reverter essa situação, os consultores do Sebrae analisarão a necessidade de financiamento ou de outras medidas para alavancar o desempenhodo negócio. Serão avaliados os indicadores financeiros da empresa e estimada a capacidade de endividamento saudável. “Também será feito o acompanhamento pós-crédito, como caráter preventivo. Tudo para evitar a inadimplência e garantir bons resultados para as empresas”, conclui Américo Diniz. Sendo assim, os interessados deverão recorrer, a princípio, ao Sebrae. O atendimento acontecerá nos escritórios e postos de atendimento, e serão agendadasvisitas às empresas para levantamento de diagnóstico. Com isso, o empresário, com o auxílio da entidade, saberá se é preciso uma linha de crédito para capital de giro.


COMÉRCIO EXTERIOR

Trump: criando uma nova ordem econômica mundial? E o Brasil com isso? Por Jorge Mithen Consultor de Comércio Exterior da CDL Niterói www.icontrade.com.br | jorge@icontrade.com.br

D

esde sua chegada à Casa Branca, o antes impensável e beligerante novo presidente dos Estados Unidos começou a pôr em prática medidas que nem o mais descrente votante do partido democrata (chapa derrotada) poderia supor. Em poucas semanas, já entrou em conflito com uma série de países no que diz respeito a acordos comerciais, além de questões políticas e humanitárias. Veja a seguir alguns países envolvidos na nova política americana e os produtos que vendemos para estes. MÉXICO – A intenção de Trump em construir o muro na fronteira com o México – diga-se de passagem, com o dinheiro do vizinho – deverá impactar diretamente nas relações comerciais entre os dois países que fazem parte do Nafta. Exportamos para o México: café, pescado, minérios e produtos químicos. CANADÁ – Destino mais próximo daqueles refugiados e imigrantes que atualmente moram nos EUA e que estão sendo perseguidos por Trump. O Canadá é mais um país que faz parte do Nafta que não apoiou os discursos racistas e intolerantes do chefe da Casa Branca. Café, pescados, açúcar, borracha e madeiras são itens comprados pelos canadenses. AUSTRÁLIA – Um dos maiores aliados políticos dos EUA, a Austrália conheceu por telefone a forma de tratar do novo chefe de estado americano durante a primeira ligação entre seus líderes. Uma conversa que terminou mal e com protestos dos dois lados. Máquinas e instrumentos elétricos e mecânicos, produtos das indústrias químicas e industriais fazem parte da lista de importados, além do café. PAÍSES DO PACÍFICO - uma ordem executiva para iniciar a saída do país do Tratado de Associação Transpacífico poderá afetar o equilíbrio comercial na região. Austrália, Brunei, Canadá, Chile, Japão, Malásia, México, Nova Zelândia, Peru, Cingapura, Estados Unidos e Vietnã representam 40% da economia mundial e um terço do comércio global.

Destaca-se como parceiro comercial o Japão: carnes, cereais, café e, principalmente, minérios fazem parte da lista de compra dos japoneses. Por mais que um arrefecimento na relação comercial entre os EUA e os países acima mencionados possa trazer a oportunidade de aumento na exportação para os parceiros acima, é necessário que o Brasil faça o dever de casa e abra-se para o mundo, deixando de lado o sonho fracassado do Mercosul e enfrentando desafios maiores de se integrar comercialmente ao resto do planeta. Não custa lembrar que nossa participação nas exportações mundiais fica abaixo dos 2%! Algo surreal para um País com tantas possibilidades. Até a próxima!

CDL NITERÓI 21


22 O LOJISTA n marÇo 2017


CIDADE

Prefeitura de Niterói mais transparente

A

Secretaria Municipal de Administração da Prefeitura de Niterói, com o objetivo de ampliar o recebimento de propostas para as aquisições de bens e contratações de serviços comuns, inclusive de todo o território nacional, está implementando o sistema de pregão eletrônico. A adoção da nova modalidade de licitação, agora realizada via internet, visa à modernização, à transparência e à celeridade nas compras públicas. As empresas devidamente cadastradas e habilitadas poderão participar do processo eletrônico e escolher o pregão de seu interesse. A proposta comercial será encaminhada no horário estipulado no edital, disponível no site www.transparencia.niteroi.rj.gov.br. De acordo com o diretor da Secretaria Municipal de Administração da prefeitura, Luiz Paiva, após a abertura das propostas, o pregoeiro fará a análise do objeto e do preço ofertado para verificar se estão em conformidade com os requisitos estabelecidos no edital. “Depois das propostas aceitas, os valores são inseridos no sistema e todos os fornecedores tomam conhecimento, mas seus nomes

não serão divulgados. As empresas são identificadas por um número. A partir daí, é possível fazer lances e entrar na fase competitiva”, explicou. Segundo o prefeito de NiEntre as medidas, Rodrigo terói, Rodrigo Neves, foram feiNeves também citou a criação tos muitos investimentos em do Portal Transparência transparência nos últimos quatro anos, e a cidade é a única do Estado a implantar um amplo conjunto de medidas na área, incluindo a criação do sistema e-Cidade - software que centraliza as informações de processos; a elaboração da Lei de Acesso à Informação, entre outras ações. “Esses investimentos e a modernização da gestão já garantiram a Niterói nota 10 na Escala Brasil Transparente, projeto da Controladoria Geral da União (CGU), e duas vezes a nota máxima no Ranking Nacional da Transparência do Ministério Público Federal (MPF). O pregão é uma dessas ações que permite uma rapidez à administração pública”, disse o prefeito.

CDL NITERÓI 23


em alta

Em alta, cervejarias de Niterói ganham apoio da Prefeitura e de entidades comerciais para legalização

A

Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Niterói estuda, junto às instituições CDL, Sindilojas, Sebrae e Associação Comercial, uma série de medidas formalizadas por meio de um Projeto de Lei que dê garantias e autorizem a instalação de pequenas cervejarias no município. A ideia, que está sendo elaborada sob consulta e argumentos dos próprios microcervejeiros niteroienses, é seguir o exemplo de legislações que já existem no mundo todo, e até bem perto, como nas cidades Nova Friburgo e Rio de Janeiro, como revela o secretário Luiz Paulino. “É um processo que já vem sendo elaborado, desde a gestão da secretaria com o presidente da CDL Niterói, Fabiano Gonçalves. Nós estamos dando continuidade. Dentro dos interesses coletivos, queremos uma legislação que dê garantias ao produtor de cervejas artesanais para que seja permitido criar o que estão chamando

24 O LOJISTA n marÇo 2017

de ‘brew pub’, onde possam comercializar pratos e suas cervejas. O objetivo é que sejam respeitadas as leis do meio ambiente e de instalações municipais, mas resguardando também os direitos dos microcervejeiros para que, amanhã ou depois, eles tenham como permanecer no mercado”, esclarece. Ainda segundo o secretário de Desenvolvimento Econômico do Município, é desejo dos empresários do setor que futuramente Niterói crie uma identidade como um polo de cerveja artesanal, o que também interessa à Prefeitura. Em Nova Friburgo, na Região Serrana do Estado do Rio, uma lei já em vigor garante isenção de 100% do IPTU e da taxa de emissão do Alvará, além de 50% de isenção de imposto sobre venda destes produtos. Por esse motivo, e pelas restrições atuais na Cidade Sorriso, muitas marcas estão produzindo lá para revender aqui. É o caso do produtor fonográfico e um dos sócios da cervejaria Dead


em alta

Dog, Sandro Gomes, de 43 anos. Sua empresa foi fundada em setembro de 2014 e possui três rótulos comercializados principalmente em Niterói, Rio de Janeiro e São Gonçalo, mas fabricados em Nova Friburgo. “Montamos a microcervejaria pelo mesmo motivo que a maioria, que era pegar a produção caseira e comercializá-la. A legalizamos para comercializá-la desde o início. Começamos com 500 litros por fabricação, e hoje fabricamos 3 mil litros por vez. Até o meio do ano, lançaremos um novo rótulo”, destaca. Dificuldades - Como Sandro mesmo explica, ainda existem alguns empecilhos que dificultam o crescimento deste mercado no município. “As dificuldades para os microcervejeiros são as mesmas em todas as cidades. Inicialmente, as prefeituras são despreparadas para receber uma cervejaria,a encaram como uma unidade de produção altamente poluidora, com impacto ambiental, de tráfego e ruídos. Ou seja, a vê como um incômodo. E existe uma tendência de colocar a cervejaria isolada da cidade. A gente não quer isso. A cervejaria pode ser uma indústria limpa, convivendo com vizinhos residenciais, inclusive, dependendo do porte. Para ela incomodar, tem que ser muito grande.

mais um motivo para a aplicação de benefícios e/ou garantias ao setor. “Naturalmente, empregos seriam poucos, médios ou muitos, dependendo da produção da cervejaria. Pelo menos, uma família, que é a do proprietário, vai ter menos uma preocupação”, defende ele.

A Noi Cervejaria desbrava cada vez mais clientelas e espaços em Niterói, sendo a única com fábrica local garantida pelo mapa do Ministério da Agricultura Hoje estamos em diálogo com a Prefeitura de Niterói e bem adiantados. Acredito que em breve teremos uma resposta boa a respeito”, avalia. Crescendo cada vez mais e aparecendo no mercado, as cervejarias de Niterói são uma fonte valiosa de geração de emprego e renda, como também ressalta Luiz Paulino, sendo este

Marca premiada - A Noi Cervejaria desbrava cada vez mais clientelas e espaços em Niterói, sendo a única com fábrica local garantida pelo mapa do Ministério da Agricultura, uma das licenças necessárias para tal ato. Criada em 2011 e tendo como sócio-diretor, Osmar Buzin, a empresa já reúne 14 tipos de cervejas e distribui 80 mil litros do produto artesanal contra 15 mil do início da operação, uma alta de 433,33% na produção, e consequentemente no faturamento. A Noi possui 21 prêmios, sendo 9 deles internacionais. “A princípio não temos um incentivo ou uma isenção da Prefeitura, mas sempre fomos muito bem atendidos por lá. Tivemos a honra de ter sido eleitos ano passado, no Chile, como a melhor cervejaria artesanal em um concurso. E, apesar da crise, atendemos diferentes regiões como Minas Gerais, Espírito Santo e o interior do Estado do Rio. No entanto, nosso maior consumidor é a capital carioca”, finaliza Buzin.

CDL NITERÓI 25


EM PAUTA

Aprenda a

encantar clientes

Por Max Pires Coach e Encantador de Clientes contato@maxpires.com.br 

T

endo em vista o atual cenário econômico brasileiro, arregaçar as mangas se faz mais que necessário. Com a concorrência de mercado cada vez mais competitiva, é fundamental agir com criatividade e iniciativa para se destacar da concorrência e conquistar a fidelização de clientes. O que os empresários precisam ter sempre em mente é que o cliente é o verdadeiro dono do negócio e é ele quem deve ser agradado. É comprovado, por exemplo, que a relação entre o cliente e um restaurante está diretamente

26 O LOJISTA n marÇo 2017

relacionada ao fator emocional e à experiência vivida no estabelecimento, e que 70% dos consumidores que não retornam responsabilizam o atendimento recebido. Esses dados demonstram claramente que de nada adianta investir fortunas em estrutura física e continuar pecando no atendimento. A verdadeira chave para a conquista e fidelização do cliente está na excelência no atendimento, desde o momento da abordagem até seu fechamento e finalização. Existem três passos para um bom atendimento, que eu chamo de a trindade do sucesso:

1. Chamar a atenção do consumidor. 2. Ganhar sua confiança, oferecendo o que ele realmente quer ou precisa. 3. Finalizar o atendimento de forma igualmente encantadora.  A abordagem é o momento decisivo para a conquista ao cliente, pois são os primeiros 10 segundos que determinam se você perdeu ou ganhou esse consumidor. Nesse caso, a primeira coisa a ser vendida é, de fato, o profissional que atende. Pois é de forma proativa, alegre e entusiasmada que se chama a atenção do cliente da melhor forma possível, demonstrando que está muito feliz em recebê-lo, como se fosse uma visita muito desejada. A boa sondagem durante todo o atendimento é igualmente fundamental para o encantamento do cliente. É muito importante que o atendente demonstre a preocupação em oferecer ao consumidor aquilo que ele realmente quer ou precisa. É o que chamamos de “Demonstração Disney”: apresentar as opções do cardápio com gentileza, felicidade e evidente interesse e envolvimento, para que o consumidor sinta confiança de que suas necessidades e desejos estarão sendo prioridade e que não será enganado pelo atendente que deseja simplesmente empurrar a ele qualquer produto. A finalização do atendimento é tão importante quanto os itens anteriores, porque é a última experiência no estabelecimento que fica registrada na mente do consumidor. O tratamento ao cliente deve ser feito de forma cortês e simpática, mesmo após o pagamento da conta. Ao se despedir, o garçom pode pedir ao cliente para avaliar o atendimento, demonstrando interesse em saber se o serviço foi realmente satisfeito, o que, além de ser uma ótima forma de obter o retorno do serviço diretamente pela pessoa mais importante, é uma excelente estratégia para estimular o consumidor a pensar sobre a ótima experiência que teve.


LOCAL

Em 2017 potencialize seus negócios fazendo os cursos 18h30 às CDL Niterói realizados pela CDL Niterói 21h30 e o Sebrae. TÉCNICAS DE VENDAS

03 agosto a 07 agosto

Conteúdo: A importância da venda consultiva; As diversas funções do vendedor; Desenvolvendo habilidades de prospecção de mercado e busca de clientes; Principais ferramentas de vendas para a entrevista de diagnóstico; Desenvolvendo a habilidade de levantar necessidades de clientes; Princípios fundamentais do processo de negociação; Organização das ações de pós-venda.

230,00

CONTROLES FINANCEIROS

17 agosto a 21 agosto

18h30 às 21h30

CDL Niterói

Conteúdo: Controle, previsão e análise do caixa; A origem dos recursos e seus registros; Análise do fluxo de caixa; Determinação do capital de giro; Apuração dos resultados da empresa.

E não esqueçam esse é o ano do e-commerce! Prepare-se 08h30 às CDL Niterói 18h00 para esta nova realidade do comércio.

230,00

ANÁLISE E PLANEJAMENTO FINANCEIRO

31 agosto a 04 setembro

Conteúdo: A administração financeira da empresa; Projetar fluxo de caixa; Fatores que influenciam o planejamento; Definição de metas com base nos resultados; Conclusão do plano: Afinal, este negócio é viável?

230,00

INICIANDO UM PEQUENO GRANDE NEGÓCIO

14 setembro a 25 setembro

08h30 às 18h00

CDL Niterói

Conteúdo: Perfil empreendedor; Identificação de oportunidades de negócios; Análise de mercado e financeira; Concepção dos produtos e serviços; Orientação para elaboração do Plano de Negócios.

340,00


28 O LOJISTA n marÇo 2017

O lojista 563  
O lojista 563  
Advertisement