Page 1


EDITORIAL Presidente

Wilmar Jardim de Carvalho

O LOJISTA Editor

1o Vice-presidente

Marcos Aurélio Rodovalho

Allan Peixoto Jornalista Responsável

2o Vice-presidente

João Itagiba Nunes Júnior

Ivana Lage Consultoria de Marketing

DIRETORES

Júlio Ramos Agências de Conteúdo e Imagens

Diretora Secretária

Ernesta Maria de Alcântara Diretor Secretário Adjunto

Orival Rodrigues Jardim Diretor Financeiro

Olívio Porto Lima Diretor Financeiro Adjunto

João Batista de Souza

Agência Brasil/EBC Agência Estado Reuters Brasil Getty Images Shutterstock Fotos

ASCOM / CDL

Diretor Social

Venceslau Bizinoto Diretor Comercial

Ian Moreira Silva Diretor de Patrimônio

Enival Ferreira de Souza

Contato

comercial@cdlanapolis.com.br Diagramação

Fusão Publicidade

Diretor Escola do Varejo e Banco de Talentos

Makário Luiz Orozimbo Diretor de Eventos e Promoções

Iraci Custódio Ribeiro Diretora de Convênios

Maria Dinalva

Tiragem

2.500 exemplares Impressão

Formato Gráfica e Editora

Diretor de Tecnologia da Informação

Adonay Rodrigues de Souza Diretor de Relações Públicas

Air de Vasconcelos Ganzaroli Diretor de SPC

Janilson Dutra Fonseca CONSELHO FISCAL Munir Caixe Reinaldo de Castro Del Fiaco Luiz Pereira da Costa

Os artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores, não expressando necessariamente o pensamento da CDL Anápolis.

Rua Conde Afonso Celso, 25 - Centro Anápolis - GO - CEP. 75025-030 Tel. (62) 3328-0008

www.cdlanapolis.com.br


Obtenha Análise de Risco de Inadimplência de Pessoa Física com mais segurança e assertividade!

O QUE ERA BOM, AGORA AINDA MELHOR!

CHEGARAM AS NOVAS SOLUÇÕES DE SCORE DE CRÉDITO DO SPC BRASIL: SPC SCORE PLUS E SPC SCORE PF

ENTRE EM CONTATO COM A CDL ANÁPOLIS E COMPROVE A EFICÁCIA DO PRODUTO!

Acesse: WWW.CDLANAPOLIS.COM.BR Ligue: 3328-0018


Mais do que você precisa. É o que você espera. O Sicoob sabe quem você é. E você conhece o Sicoob, a maior cooperativa financeira do país. O sistema que oferece todos os serviços tradicionais do mercado financeiro e te contempla com benefícios diferenciados. Afinal, você não é um correntista, é um associado Sicoob. É melhor. É seu.

CARTÕES

|

CONTA CORRENTE

|

POUPANÇA

Central de atendimento: 0800 642 0000 Ouvidoria: 0800 725 0996

|

INVESTIMENTOS

|

Deficientes auditivos ou de fala: 0800 940 0458 Saiba mais: www.sicoob.com.br

CRÉDITO

|

CONSÓRCIOS

|

PREVIDÊNCIA


PALAVRA DO PRESIDENTE

O SUCESSO PODE VIR ATRAVÉS DA CRISE!

Em meio à crise política e econômica no país, a palavra de ordem para manter-se no mercado é INOVAÇÃO. Buscar novas estratégias, novas soluções é o que vem buscando a maioria dos lojistas para driblar a crise. O momento nos desafia a pensar no novo para não ser devorado, diante do que o mercado atual exige. É hora de buscar novos parceiros e encarar esse novo desafio com otimismo. Momentos de crise são comuns em qualquer tempo, mas cabe a nós buscar a inovação de nosso negócio e fazer diferente, caso contrário, se-remos tomados pelo desânimo nos atentando apenas às perdas pelo medo de arriscar uma forma diferente de sobrevivência, diante da concorrência e dos tempos difíceis de nossa economia. A CDL Anápolis tem buscado dar o suporte necessário para o lojista local, principalmente neste período crítico, para que os seus associados possam vislumbrar as oportunidades que este momento traz através de novas ideias que podem gerar boas perspectivas. Assim, conclamamos os associados a enfrentar este desafio com garra e determinação para atravessarmos este momento crítico e sairmos ainda mais fortalecidos para enfrentar o que ainda pode estar por vir. Esta luta em prol do setor vem com a proposta de incentivar e trazer novos meios de gestão através de cursos, informações e principalmente de nossas ferramentas que possibilitam gerar soluções e ajudar no desenvolvimento de seu negócio. Convidamos a todos para juntos transformarmos esta crise em uma oportunidade de fazer diferente!

rdi m W ilmar Ja de Carvalho

8

O LOJISTA


SUMÁRIO EDITORIAL 04 O Lojista

PALAVRA DO PRESIDENTE

12.

08

PESQUISA 30 Empréstimo de Nome

EMPREENDEDORISMO 34

O sucesso pode vir através da crise

Coaching Empresarial

TECNOLOGIA 12

CIDADE 38

O triunfo do CDL Celular no Brasil

Anápolis consolidando progresso

VAREJO 16

EMPREGO 42

8 dicas para impulsionar as vendas

Profissões em Alta

TRADIÇÃO 18

PERSPECTIVA 44

Festas & Noivas

Grande Potencial para a TIC

MERCADO 20

ARTIGO 46

Um bom vendedor

Como cortar despesas no varejo

CONSULTORIA 22

NEGÓCIOS

Como fidelizar clientes

Microempreendedor

ECONOMIA 26

HISTÓRIA 50

Cadastro Positivo

Chama Olímpica

MARKETING 28

ESTRATÉGIA 52

A informalidade das empresas

Lojas Físicas mantém a preferência

16. 34.

22. 10

O LOJISTA

52.

48

38.


Fique em

dia

seus sonhos. com

Se você paga suas contas, nada mais justo do que ter condições diferenciadas de crédito e pagamento. Fazendo parte do Cadastro Positivo você poderá alcançar esses benefícios com muito mais facilidade e poderá realizar todos os seus planos * . Veja como é fácil:

As informações das suas compras e pagamentos serão registradas no seu cadastro.

Autorize a abertura do seu Cadastro Positivo.

Com isso, instituições

Assim você poderá realizar seus sonhos!

PARA SE CADASTRAR PROCURE A CDL ANÁPOLIS HOJE MESMO! OU ACESSE O SITE WWW.CDLANAPOLIS.COM.BR

O CADASTRO POSITIVO É UM DIREITO SEU, É GRATUITO! *


TECNOLOGIA

O TRIUNFO DO CDL CELULAR NO BRASIL ALIADO À ECONOMIA, TRANSPARÊNCIA E QUALIDADE DE SERVIÇO PRESTADO,

O SERVIÇO FAZ A DIFERENÇA NA TELEFONIA. Uma das principais vantagens do produto de iniciativa da CDL Anápolis é o atendimento que é realizado pela própria entidade de sua cidade. Esta exclusividade do atendimento proporciona ao associado mais autonomia, sem perder horas para resolver uma demanda.

O produto da CDL Anápolis é hoje, referência em todo o Brasil, no que se refere ao modelo de qualidade, a economia e a excelência no atendimento aos associados. Comprovadamente, o associado que desfruta do CDL Celular tem uma redução de custos em torno de 25% com relação ao ofertado pelo mercado, o que vem fazendo a diferença e conquistando

a preferência dos associados CDL de milhares de empresas do país, com expansão contínua nestes nove anos de existência. Sem tarifação Outra grande vantagem é que oferece um serviço que permite falar sem tarifação entre as linhas CDL Celular, o que facilita a comunicação entre os membros da empresa que contratou o serviço. Outra particularidade que tem despertado o interesse do associado é quanto ao deslocamento entre as linhas do CDL Celular, que são totalmente isentas de cobrança em todo território nacional. Tarifa fixa entre demais operadoras Independente de ligação fixa ou para celular de outra operadora, o CDL Celular oferece um controle maior da tarifação, já que possui somente as tarifas local e interurbana, em qualquer tipo de ligação, seja para a mesma operadora ou não e para fixo ou celular, com o mesmo valor.

12

O LOJISTA


Foto: Arquivo Pessoal

“Acompanhando a evolução, o próximo passo que será dado em breve pelo CDL Celular é disponibilizar um aplicativo no celular do usuário do serviço, para que o mesmo acompanhe em tempo real o consumo e os custos de todas as linhas de sua empresa...”

Luis Miguel Mendes

CEO - Tempo Telecom

De acordo com o presidente da CDL Anápolis, Wilmar Jardim de Carvalho, a aceitação do produto vem sendo comprovada por sua expansão, visto que conquistou o interesse de 09 Estados (GO, MS, MT, RO, SC, AM, CE, RS e MA) totalizando mais de 80 cidades. “Além de todas as vantagens do CDL Celular, as chamadas locais ou interurbanas, mesmo quando fora da área de origem, são consumidas do plano contratado e não como excedente, conforme cobram algumas operadoras”; destaca.

Atendimento Atualmente, são inúmeras as reclamações na questão do atendimento através do 0800 utilizadas nas operadoras que oferecem o serviço de telefonia, e o CDL Celular aponta um diferencial neste sentido. No CDL Celular este atendimento é realizado por uma equipe humana – um grande diferencial que vem atender as necessidades dos associados trazendo de forma rápida e eficaz a solução do problema ou questionamento do usuário.

O CDL Celular é a única solução em telefonia móvel que entrega faturas dos associados já auditadas, ou seja, isentas de qualquer tipo de cobrança indevida.

O LOJISTA

13


Segundo o gestor desta telefonia móvel Luís Miguel Mendes, o produto lançado pela CDL Anápolis há quase 9 anos, deixou de ser uma promessa e passou a ser realidade na vida de mais de 1.500 empresas associadas que têm economizado muito ao longo desse tempo, além de contar com os serviços exclusivos e de excelência providos pelas CDLs. “Acompanhando a evolução, o próximo passo que será dado em breve pelo CDL Celular é disponibilizar um aplicativo no celular do usuário do serviço, para que o mesmo acompanhe em tempo real o consumo e os custos de todas as linhas de sua empresa, além de poder fazer todas as alterações e operações necessárias sem precisar falar com ninguém. Chamamos isso de PODER na palma da mão”; conclui.

“Além de todas as vantagens do CDL Celular, as chamadas locais ou interurbanas, mesmo quando fora da área de origem, são consumidas do plano contratado e não como excedente, conforme cobram algumas operadoras”.

Roberta Moreira Alves Grupo Lírios

“O CDL celular foi uma ideia fantástica! Em tempos de Call Center e espera interminável, temos atendimento personalizado, resposta às demandas quase que imediata, serviços de qualidade, condições de gerenciar o plano escolhido e adaptá-lo às necessidades da empresa. Além disso, a diminuição do valor da conta foi muito significativa. O Grupo Lírios está bastante satisfeito com esta escolha.””

14

O LOJISTA

Valéria Reis dos Santos Compensados Anápolis

“A partir do momento em que buscamos e contratamos o CDL Celular, percebemos uma vantagem significativa, visto que já há algum tempo, vínhamos sofrendo inúmeros problemas com outros serviços de telefonia móvel. Quando optamos pelo CDL Celular conseguimos diminuir custos e eliminar problemas com as tarifas mensais que, a partir de então, chegaram de acordo com o serviço contratado. Assim, só temos elogios a fazer com relação ao produto, que vem fazendo a diferença em nossa empresa.” Ian Moreira Conexão Elétrico e Hidráulico Ltda

“O Cdl Celular é simplesmente a melhor opção entre os serviços de telefonia móvel disponíveis. Entre alguns diferenciais, podemos citar, a resolução rápida e simples de problemas, atendimento é humanizado, exatidão na cobrança da fatura, sem contar o preço que é muito competitivo. Temos total controle sobre nossa conta de telefone celular, tudo através de um clique. Hoje fazemos muitas ligações gratuitas, pois no sistema cooperativo do CDL Celular, todos os clientes da base, falam entre sí gratuitamente, isso nos proporciona economia pois temos vários clientes que utilizam o mesmo serviço. Já se passaram 05 anos desde que assinamos o contrato com a CDL Celular, e podemos dizer que estamos muito satisfeitos com o serviço, inclusive já trouxemos clientes e amigos para fazerem parte desta grande família.” Allan Peixoto Fusão Publicidade

“Considero excelente o serviço Cdl Celular. Além da redução considerável na conta da empresa, o atendimento personalizado é um grande destaque, pois os profissionais estão sempre prontos a nos antender, não exite aquela coisa de ficar transferindo de um para outro.”


VAREJO

Foto: Shutter Stock

8 DICAS PARA IMPULSIONAR AS VENDAS NO VAREJO GANHAR DINHEIRO COM VENDAS PODE ATÉ PARECER SIMPLES – MAS SÓ PARECE. A CONQUISTA DOS CLIENTES DEPENDE MUITO DO ESFORÇO QUE CADA GESTOR APLICA EM SUA LOJA, DA MOTIVAÇÃO QUE PASSA À EQUIPE E DAS PARCERIAS QUE FIRMA.

16

O LOJISTA


“A motivação é uma força que se encontra no interior de cada pessoa e que pode estar ligada a um desejo. Uma pessoa não consegue jamais motivar alguém; o que ela pode fazer é estimular a outra pessoa. A probabilidade de que uma pessoa siga uma orientação de ação desejável está diretamente ligada à força de um desejo”. Maurício Seriacopi Devemos lembrar que, antes de ser racional, o ser humano é, por função da sua própria natureza e existência, emocional. Cada um de nós faz as coisas por motivos diferentes e as necessidades que justificam esses motivos podem mudar ao longo da vida. Sendo assim, aquilo que motiva alguém hoje pode não o motivar num momento diferente. Mas, afinal, o que é motivação? Como se manter motivado? Como fazer uso do entusiasmo para enfrentar as dificuldades cotidianas? A resposta está na própria palavra. Motivação é o MOTIVO para a sua AÇÃO. É a razão pela qual fazemos o que fazemos. A motivação originase um desejo e, quanto mais intenso e claro for este desejo, maior será a motivação. Frases motivadoras, palestras, livros de autoajuda contribuem muito para que as pessoas saiam da zona de conforto, mas tais recursos não criarão nas pessoas o(s) desejo(s) que precisam para se sentirem verdadeiramente motivadas. Pessoas automotivam quando descobrem algo que desejam muito e que querem conquistar, portanto, as pessoas não são motivadas umas pelas outras. Então, como motivar sua equipe de colaboradores? A primeira e mais desafiadora das etapas é descobrir quem exerce os papéis de protagonistas, coadjuvantes e figurantes. A partir dessa consciência, pode-se começar a pensar em um programa transforma-

dor. Alexandre Prates, especialista em estratégias de gestão e vendas para pequenas e médias empresas e sócio do Grupo Alquimia faz as seguintes recomendações:

mendar ou não a empresa. Mas, quando o atendimento é espetacular, ele certamente recomendará o estabelecimento. 6. Invista no atendimento

1. Busque parcerias Identifique quais são as empresas que têm mais interação com o público que você deseja atrair e firme parcerias com elas. Pode ser uma academia, um restaurante ou qualquer local que seus potenciais consumidores frequentem. “Fazer parcerias amplia a visibilidade da marca, permite comunicação com o público-alvo e custa pouco”, afirma Prates. Segundo ele, a melhor parceria é aquela que aumenta o ticket médio e melhora a imagem da empresa.

Embora todo mundo saiba que o bom atendimento é um dos fatores primordiais para a satisfação dos clientes, muitas empresas ainda pecam nesse quesito. “Isso pode acontecer por fatores como mão de obra precária, treinamento ineficiente e falta de um processo criterioso de atendimento”, diz Prates. Uma boa experiência de compra envolve atenção, benefícios, brindes ou vantagens que estimulem o consumidor a fechar negócio naquele momento.

2. Divulgue de modo eficaz

7. Motive a equipe

A divulgação em massa pode ser feita por meio de outdoors, cartazes, revistas ou qualquer meio que atinja uma grande parcela da população, mas isso não exclui a necessidade de uma abordagem mais pontual. “As pessoas são bombardeadas todos os dias por muitas informações. Então, para se destacar, a saída é personalizar”, afirma o especialista. E há várias maneiras de fazer isso, segundo Prates. Uma delas é direcionar uma comunicação para determinado condomínio, o que pode ser mais efetivo do que sair distribuindo milhares de panfletos aleatoriamente. “As redes sociais também podem tornar a empresa conhecida de maneira rápida, barata e eficiente.”

“Venda é motivação, cobrança e reconhecimento diários. É para quem tem entusiasmo para lidar com pessoas e engajá-las”, afirma Prates. Para estimular a equipe, o líder deve provar que a meta vale a pena. E o funcionário entende isso quando é premiado pelos objetivos atingidos. O reconhecimento pode vir tanto por meio de comissões, por exemplo, como ter um foco mais emocional – vale elogio em público, feedback positivo ou demonstração de confiança.

3. Exceda as expectativas do cliente “O ápice de qualquer empresa é o reconhecimento de um bom atendimento”, ressalta Prates. O importante não é apenas se preocupar em vender, mas sim em atender o cliente com conforme sua necessidade. De acordo com o consultor, um freguês bem atendido pode reco-

8. Lidere De todas as dicas, essa é considerada vital pelo consultor. “À frente de times de alto desempenho sempre há bons líderes que fazem as pessoas brilharem”, afirma Prates. As lojas que apresentam grandes resultados, segundo ele, são aquelas onde o dono está presente, e não apenas investindo dinheiro no negócio. “Uma grande empresa se faz com uma equipe bem liderada.” Fonte: PEGN / alterado

O LOJISTA

17


TRADIÇÃO

FESTAS & NOIVAS

9ª EDIÇÃO ENCERROU COM SALDO POSITIVO PARA O SETOR Foto: Shutter Stock

A Feira que aconteceu de 05 a 08 de maio, no estacionamento coberto do Brasil Park Shopping, segundo os organizadores, contou com a participação de mais de 100 empresários anapolinos atuantes nos setores de festas de casamento, 15 anos, bodas, recepções, formaturas e eventos corporativos.

maquiagens, artesanatos e o melhor da culinária, com degustação de bolos e doces.

buscando produtos diferenciados que o “Festas & Noivas traz a cada nova edição.

O Festas & Noivas é uma iniciativa do setor lojista, com o apoio da Câmara de Dirigentes Lojistas de Anápolis – CDL , SEBRAE/GO, ACIA e Prefeitura Municipal de Anápolis.

Evento

As melhores empresas do setor de festas e noivas participaram da feira, que já virou tradição em Anápolis. Os empresários, nesta edição, trouxeram produtos e serviços diferenciados, o que atraiu milhares de pessoas nestes quatro dias de exposição e comercialização.

A ideia surgiu com o intuito de facilitar a realização de negócios, conquistar novos clientes, divulgar e promover novos serviços do segmento. Além da exposição e comercialização de produtos, aconteceram várias atrações como: desfiles de vestidos de noivas e madrinhas, ternos, exposição de bolos e doces, minicursos, apresentações musicais e sorteio de brindes. Milhares de pessoas têm passado pela feira

Quem passou pelo evento, também conferiu de perto convites, lembranças, novidades em penteados e

18

O LOJISTA

Com sucesso absoluto de público e de negócios, a 1ª edição do evento, aconteceu em 2008. Na ocasião, a Feira envolveu diversos profissionais em potencial expondo e comercializando diversos itens pertinentes para a realização de cerimônias, casamentos, formaturas, festas e eventos comemorativos em geral. Foi montada uma superestrutura, contendo estandes padronizados para exposição de diversos produtos e serviços, várias atrações e bela programação visual. De lá pra cá, a feira se consolidou e hoje já é tradição em Anápolis e região.


NOTAS RÁPIDAS

VERNISSAGE GILVERSON DOS SANTOS Pintores dizem que expressam em suas obras aquilo que sentem, imaginam e sonham. No dia 14 de junho de 2016, aconteceu o vernissage da exposição “Arte sobre Rodas”, do artista Gilverson dos Santos. Idealizado por Nilton Barbosa, o evento aconteceu no espaço Dulce de Faria. Contou com a presença de amigos e também da imprensa anapolina. Com a boca, o artista deu as suas pinceladas rumo ao sucesso, criando verdadeiras obras de arte.

As telas representam mais do que sensações, elas são o retorno da autoestima do artista que pincela o mundo com a boca após acidente em que perdeu praticamente os movimentos do corpo. O talento para a pintura transformou a vida de Gilverson. Com emoção, ele descreveu os primeiros passos de sua carreira e a forma como reencontrou a felicidade ao criar as suas obras e vê-las expostas.

Jornalista Va

nder Lúcio , ar tista Gi e pastor José lverson dos Sa ntos Ca rlos Po te nc iano.


MERCADO

UM BOM VENDEDOR Foto: Quanto Sobre

Vender mais é um assunto que rodeia todas as empresas, sejam elas pequenas, grandes, de produtos ou serviços, por isso, saber como ser um bom vendedor é algo extremamente importante para os vendedores e muitas vezes para os próprios empreendedores. Mas existe algo em comum independente do tamanho da empresa: a responsabilidade das vendas sempre recai sobre a equipe comercial, quando na verdade toda a empresa precisa ter pensamentos e atitudes vendedoras para aumentar as oportunidades de negócios e transformar cada prospecção em um cliente. Vender mais não é só uma questão de metas, é uma questão de cultura empresarial e deve ser alimentada principalmente pelo empreendedor,

20

O LOJISTA

pelo gestor, pelo dono ou diretor do negócio, ele deve dominar a arte de como ser um bom vendedor e repassar isto para seus próprios vendedores. Quando ele se envolve e dá o exemplo, tudo flui com mais facilidade e as vendas começam a acontecer de maneira mais natural, sem aquela pressão costumeira que vemos naquele setor isolado chamado vendas. E como ter pensamentos e atitudes vendedoras? Como ser um bom vendedor e elevar os resultados da empresa? O vendedor é a linha de frente! Numa batalha, existe sempre a linha de frente, aquela que entra em contato com o adversário primeiro, mas existe também a retaguarda, que dá

suporte à linha de frente para que este ataque seja com mais eficácia. Em vendas acontece a mesma coisa, o vendedor é a linha de frente, mas ele precisa de uma equipe que dê suporte a sua atuação para que a batalha por mais um cliente seja vencida. Sendo assim, toda a empresa precisa oferecer apoio à equipe de vendas para que ela tenha as informações adequadas, os valores corrigidos, as atualizações disponíveis e todos os argumentos possíveis para efetuar uma venda com maior qualidade. Lembre-se que: treinamento é a chave para transformar comportamentos; conhecer o mercado e o público alvo facilita as negociações; oferecer soluções personalizadas encanta e fideliza o cliente; investir na comunicação é fundamental.


NOTAS RÁPIDAS

CAMPANHA DO AGASALHO

“Seja Solidário. Doe!”. Este é o tema da 8ª Campanha do Agasalho promovida pela Prefeitura de Anápolis, por meio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, com o objetivo de despertar a solidariedade dos cidadãos anapolinos em relação aos que precisam. Podem ser doados agasalhos e roupas em bom estado de conservação. O lançamento da tradicional campanha aconteceu no dia 16 de

junho, às 9 horas, no saguão do Centro Administrativo. Como já é tradicional também, na abertura da Campanha serão entregues cobertores adquiridos com recursos municipais para as instituições filantrópicas do município, como comunidades terapêuticas, instituições de longa permanência para idosos e crianças, entre outras. Os agasalhos e roupas devem ser entregues, até o dia 31 de julho, nos postos de arrecadação, que vão funcionar na Secretaria

de Desenvolvimento Social, SESC, Base Aérea de Anápolis, e unidades do Rápido-Jaiara, Anashopping e Jundiaí. A Campanha do Agasalho é realizada em parceria com a Câmara de Dirigentes Lojistas de Anápolis (CDL), Base Aérea, ACIA, Polícia Militar do Estado de Goiás, Bombeiros Militar, Sesc, UniEvangélica, Unimed, Lions, Brasil ParkShopping, Anashopping, TV Anhanguera e Canal Anápolis.


CONSULTORIA

COMO FIDELIZAR CLIENTES

Foto: CStock

AS AÇÕES DE PÓS-VENDA DEVEM INICIAR LOGO APÓS VENDA REALIZADA. LIGUE PARA AGRADECER A COMPRA E JÁ PERGUNTE COMO ELE ESTÁ COM O PRODUTO NOVO, SE GOSTOU E ATENDE SUAS EXPECTATIVAS.


É muito tentador se concentrar em realizar novas vendas ou buscar clientes maiores, mas a atenção para com os clientes que já existem nunca deve ser deixada de lado, pois são eles que fazem o seu negócio continuar vivendo. Não importa quão pequeno seja o seu cliente, eles são todos essenciais para que o seu negócio continue prosperando. Além disso, um cliente fiel vale muito mais do que um novo cliente. Você sempre precisará investir para adquirir novos clientes e correr o risco dele comprar na sua loja apenas uma vez e nunca mais voltar. Todavia, um cliente fiel não demanda custos de aquisição de clientes e poderá comprar 10, 20, 50, 100 vezes (ou muito mais) ao longo de sua vida. Muitos empreendedores ainda vinculam a ideia de ter clientes fieis com um cartão fidelidade, porém, existem diversas ações que também ajudam a criar uma leva de clientes que, além de comprar sempre de você, ainda serão “advogados” da sua marca, estarão continuamente fazendo propaganda do seu negócio e defendendo a sua empresa, fãs mesmo, clientes multiplicadores, que indicam e trazem novos clientes. Existem diversas maneiras de fazer um pós-venda efetivo e manter a sua empresa/marca na mente do cliente Deixe os seus clientes saberem o que você está fazendo por eles. Existem várias maneiras de informar e realizar a fidelização de clientes de forma fácil. Você pode fazer um informativo impresso ou online e enviar para sua base de clientes. Se você achar importante faça de forma informal, por meio de um telefonema, o problema desta estratégia é que o tempo utilizado para informar os clientes será muito maior do que enviar e-mails por um sistema informatizado. Não interessa a forma como você fará isto, o que realmente

As vitrines de lojas mais atraentes possuem planejamento específico. Para atrair mais clientes e vencer a concorrência, o comércio varejista deve caprichar nas vitrines de lojas. importa na resposta para a questão de como fidelizar clientes é deixar claro o excelente serviço que você está prestando para eles. Se você nunca fala o que você faz pelos seus clientes, talvez eles nunca notem. É possível fazer isto de uma forma sutil e sem ser chato e parecer que está “se mostrando”, apenas envie um e-mail ou telefone informando que você tomou conta de toda papelada envolvida em um serviço X, por exemplo, ou que o produto encomendado chegou graças a sua insistência com o fornecedor, ou que você ligou para a transportadora várias vezes, conte para eles a história do que você fez por ele! Escreva para seus clientes Esta sugestão poucos fazem. Envie uma carta escrita à mão em comemoração a algo ou apenas agradecendo por ser seu cliente. Aproveite as datas comemorativas para isto! Algo muito fácil de fazer é entrar em contato via WhatsApp ou Facebook, diga para ele que você estava na empresa, lembrou dele e está apenas entrando em contato para saber como ele está. Ou, caso ache algo um artigo, e você entenda que ele vai gostar, indique! Sempre é bom receber uma indicação. Você não gostaria caso o seu fornecedor lhe enviasse algo mais ou menos assim: “Olá Fulano, eu vi este artigo e lembrei-me de você! Acho que seria muito útil aplicar isto no seu negócio/sua casa/sua vida.”?

O LOJISTA

23


Falando sobre como utilizar da pessoalidade! Mensagens de voz e e-mails são formas que facilitam muito a comunicação. Caso você esteja tendo dificuldades de encontrar com o seu cliente, não pense em e-mails e mensagens de voz como uma pós-venda realizada, diga no e-mail ou na mensagem que você retornará a telefonar em horário determinado ou passará na empresa do seu cliente para conversar com ele. Fale com o seu cliente! Coisas boas sempre surgem de uma conversa com quem compra de você. Você pode ter insights que não têm preço! Trataremos agora de um item muito importante. Lembre-se das datas comemorativas e das ocasiões especiais A fidelização de clientes é uma arte, e lembrar-se dos momentos espe-

ciais dele é sempre positivo. No aniversário do seu cliente, envie um cartão. Nos finais de ano, envie cartões de natal e ano novo. Caso você ache válido, envie presentes. Você não precisa gastar uma fortuna para mostrar que você se importa com eles. Saiba como fidelizar clientes com pouco dinheiro, use a criatividade para comprar presentes baratos e que sejam úteis para ele. Fique por dentro! Já falamos anteriormente sobre várias maneiras de fidelização do seu cliente. Crie um padrão de envio de newsletter com informações úteis, talvez uma vez por mês ou por semana, mas lembre-se de não transformar em SPAM e enviar somente com propagandas do seu negócio, envie fatos e ou noticias que sejam realmente úteis, e com conteúdos relevantes para o seu cliente! Agora sim, considere fazer ligações

Todo mundo gosta de ser lembrado e valorizado, este é um pequeno mimo que você pode fazer para fomentar a fidelização de clientes. Foto: Dollar Photo Club

24

O LOJISTA

de pós-venda com propósito de gerar novos negócios. Quando você fala com clientes fiéis, muitas vezes descobre que eles têm indicações de novos clientes para você. Com tantas possibilidades de indicações que os seus atuais podem lhe dar, não há razão para não manter um contato regular com eles. Utilize a sua imaginação e descobrirá diversas formas de fidelizar, transformando sua base de clientes em uma base multiplicadora. Prestando um bom serviço e vendendo bons produtos. Resumidamente, faça tudo muito bem feito em sua empresa. Se você tem uma loja, trate de atender bem os clientes e de ter um ambiente agradável. Os clientes gostam sempre de ser bem atendidos, tanto no momento da compra, quanto em momentos menos agradáveis, como devoluções. Se um produto não foi satisfatório, quando ele voltar para trocá-lo ou devolvê-lo, trate-o com a mesma cordialidade e dedicação de quando estava vendendo o produto normalmente. Tenha um ótimo serviço de atendimento ao cliente, escute e aprenda fornecer feedback A fidelização de clientes envolve ter um bom serviço de atendimento. Isto significa ir além do esperado do que a média normal e isso deve satisfazer suas necessidades. Os clientes sempre se lembram de quando são bem tratados, com experiências positivas que tendem a resultar em novos negócios. Preste atenção às preocupações e suas reclamações. Ao deixar você saber quando eles estão insatisfeitos, você terá uma oportunidade para resolver o problema e melhorar o seu serviço. Certifique-se de que há uma forma clara e acessível para os clientes se comunicarem com você, seja pessoalmente, por telefone ou por e-mail, e que você tenha alguém designado para o atendimento continuamente. Lembrese de manter uma atitude otimista e positiva em relação a eles.


Vamos partir para seus colaboradores. Treine seus funcionários e vise um atendimento espetacular! Seus funcionários são a cara da sua empresa, e realizar treinamentos com eles pode capacitá-los a fazer sua empresa prosperar. As sessões de treinamentos devem ser experiências positivas. Se você realizar treinamentos chatos estará desperdiçando tempo e dinheiro, além de fomentar uma atitude negativa na empresa. Incentivar o colaborador a participar de treinamentos explicar como isto irá ajudá-los no trabalho é sempre muito bem vindo, tendo em vista que funcionários contentes irão tratar melhor os seus clientes, com simpatia, presteza e alegria. Um funcionário motivado sempre é bem melhor. Mantenha a sua equipe radiante e de bom humor, para que realizem bons atendimentos baseados nos treinamentos fei-

tos com eles. Você gosta de ser mal atendido? Retorna aos estabelecimentos onde os vendedores estão de “cara amarrada” e “de mal com a vida”? Claro que não, ninguém gosta de pessoas negativas.

novos produtos. Mas, claro, sempre visando à fidelização de clientes para que continuem retornando.

Incentive seu cliente

Lembre-se que cada cliente é um indivíduo em circunstâncias e com necessidades únicas. Faça tudo dentro da razão para resolver os problemas ou reclamações. Não suponha que você entenda a situação antes de ter ouvido o cliente e não veja pela sua perspectiva. Saiba ser um bom ouvinte, você terá uma melhor chance de mantê-lo fiel, mesmo que você não possa resolver completamente o problema. Respostas como “Sinto muito, mas esta é a nossa política” e “Não posso fazer nada, é a regra” vão garantir que os clientes nunca mais voltem.

Incentivos são importantes e as pessoas serão mais motivadas para voltar ao seu estabelecimento. Podem ser feitos em uma variedade de formas, por exemplo: Compre 1 leve 2; Programa de pontos que podem ser trocados por brindes ou descontos; Abatimentos; Adicione um serviço grátis quando o cliente efetuar uma compra; Presentes. Coordene seu programa de incentivo com seus esforços de marketing e certifiquese que o incentivo é apropriado para o seu público-alvo. Você pode usar este programa para impulsionar as vendas e até mesmo para promover

Seja flexível com as políticas de sua empresa


ECONOMIA

CADASTRO POSITIVO CONSUMIDORES SE BENEFICIAM

Foto: ShutterStock

NA AQUISIÇÃO DE CRÉDITO

Criado para que a pessoa física ou jurídica possa ser avaliada por suas contas pagas, ou seja, tenha seu nome incluído na lista de bons pagadores, o Cadastro Positivo, em meio à crítica situação econômica por que passa o Brasil, pode facilitar a análise e ajudar na aprovação de crédito, cada vez mais difícil em tempo de crise. De acordo com o presidente do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), Roque Pellizzaro Junior, a espectativa é de que o processo de avaliação e concessão de crediários

e de linhas de financiamentos, seja desburocratizado para quem aderir ao Cadastro Positivo, podendo incidir até mesmo em redução das taxas de juros e na flexibilização dos prazos para pagamento. E conclui; “o Cadastro Positivo poderá facilitar muito a vida do consumidor no momento da aquisição de um empréstimo, já que as informações positivas a seu respeito poderão ser utilizadas pelo mercado como ferramenta para análise e reconhecimento do bom pagador”, diz.


“Recentemente o SPC Brasil realizou uma pesquisa e constatou que 73,4% dos consumidores que aderiram ao Cadastro Positivo até o final de 2015 moram nas regiões Centro-Oeste, Sudeste e Sul.”

Experiência internacional do cadastro positivo Em vários países o Cadastro Positivo é uma realidade já conhecida e considerada como um elemento transformador para o mercado financeiro, como nos Estados Unidos, Inglaterra, entre outros. Nos Estados Unidos, 40% dos consumidores tinham acesso a financiamentos antes da criação do cadastro, proporção que subiu para 80% depois. No México, o resultado foi a elevação do acesso ao crédito para as classes de menor renda. Já no Chile, o cadastro positivo possibilitou o acesso ao crédito por parte das mulheres. No Brasil é um momento propício e necessário para esta transformação, visto que o cadastro positivo auxilia no controle do superendividamento, já que as operações de crédito ficarão cada vez mais assertivas, e ainda ajude na criação de um mercado forte.

E por que aderir, se o nome está sujo? Não necessariamente apenas os consumidores que pagam em dia podem aderir ao Cadastro Positivo – quem está ou esteve com o nome negativado também pode, visto que a negativação pode ter ocorrido em decorrência de esquecimento ou por motivos justificados, e sempre que houver o pagamento dos compromissos que estavam em atraso, essas informações passarão a constar no histórico do consumidor cadastrado. De acordo com dados levantados pelo SPC Brasil as contas em atraso de internet e TV por assinatura foram as que tiveram os maiores índices de sucesso nas cobranças para o pagamento da dívida, ou seja, elas de fato foram pagas após a cobrança – 54,0% e 52,0%, respectivamente. “Nesses casos, por exemplo, o Cadastro Positivo, permite que o consumidor apresente um bom histórico de pagamentos, incluindo a regularização de pendências básicas, como água e luz”.

Foto: ShutterStock

“Com as informações do Cadastro Positivo, as financeiras, os bancos, as lojas e demais estabelecimentos comerciais contarão com mais informações para conceder o crédito ou realizar a venda a prazo, podendo praticar melhores condições comerciais”, explica Simone Lombardi, gerente de Produtos e Inteligência de Mercado do SPC Brasil. Por quê o negativado deve aderir ao Cadastro Positivo? O chamado Cadastro Positivo foi criado para que a pessoa física ou jurídica possa ser avaliada por suas contas pagas, ou seja, tenha seu nome incluído na lista de bons pagadores. Em meio à atual conjuntura econômica, o Cadastro Positivo pode facilitar a análise e ajudar na aprovação de crédito, cada vez mais difícil em tempo de crise.

O LOJISTA

27


MARKETING

A

INFORMALIDADE DAS EMPRESAS

Foto: iStock

Quando antigamente falava-se de que uma pessoa tinha certa reputação, um nome a zelar, isso era levado a sério, os outros respeitavam e cada pessoa cuidava da melhor forma possível da sua. Uma pessoa de boa reputação era uma pessoa confiável, de grande credibilidade. E hoje, de maneira até mais forte que antigamente essa palavra vem ganhando força, e não só com as pessoas, mas sim com as empresas. Sejam elas micro ou gigantes, devem se atentar fortemente a essa palavra: REPUTAÇÃO. Reputação que também pode ser chamada de a imagem da empresa, não como ela é transmida, mas sim, como ela é captada por aqueles que a rodeiam. A Reputação começa dentro da empresa, da forma como ela faz um processo seletivo, como trata 28

O LOJISTA

seus funcionários, como “conversa” com as famílias dos mesmos, como negocia e como vende. Assim ela vai atingindo seus outros públicos como fornecedores, parceiros e finalmente seus clientes.

em seus equipamentos deve ser vigiada, pois tudo isso conta. As pessoas hoje são mais críticas, mais preparadas e instruídas. Empresas com base no “Coronelismo” estão fadadas ao insucesso.

Atualmente a preocupação das empresas com a sua imagem deve ser analisada com base em todas essas pontas. Não adianta ter um bom produto, se não tem entrega; se o salário é razoável, mas o clima e regime de trabalho interno é péssimo, e se obriga o trabalhador a passar mais tempo trabalhando do que com a própria família. Não funciona! A empresa deve honrar seus compromissos, principalmente financeiros, com seus funcionários e fornecedores, e também nos pagamentos dos impostos. Até mesmo a utilização de softwares originais

Com a tecnologia, interatividade e instantaneidade atual, uma reputação empresarial é arranhada facilmente com apenas alguns cliques na internet, bastam poucas horas para jogar no chão um trabalho de 30 anos de história. Preparar uma empresa para receber elogios mas sobretudo críticas e reclamações, é obrigação dos Diretores, porque saber acolher e trabalhar essas informações são a melhor forma de manter saudável uma boa imagem. Nesse ponto entra em cartaz o setor de Comunicação, pois é ele quem vai


Na região Sudeste do país é muito forte o investimento para cuidar desse assunto. O velho Marketing, baseado apenas na publicidade pura para a venda e o lucro, vem sendo

substituído pelo Branding, uma maneira mais eficaz de trabalhar a marca de forma mais emocional, que reflita a missão, visão e valores da empresa em todas as suas ações. Não que a venda e o lucro perderam força, mas outros aspectos são também importantes para um melhor resultado final. Trabalhar o Branding não é tarefa fácil, mas utilizar ferramentas ultrapassadas só pode trazer desvantagem aos negócios.

Foto: Raphael Borges

cuidar da imagem, da boa reputação da empresa. Os profissionais desse departamento vão absorver as informações e fazer tramitar de forma inteligente dentro da empresa para a melhor solução. Outra saída é procurar empresas que possam prestar consultoria e fazer uma análise fria da situação em que a empresa se encontra. As empresas mais inteligentes já estão atentas a essa movimentação no mercado. Um bom exemplo é a Procter e Gamble (P&G) gigante no segmento de cuidados pessoais e saúde, que anunciou o fim das Diretorias de Marketing.

Júlio César Ramos

Uma empresa que deseja ter mais sucesso e mais lucro deve procurar orientação para fazer um trabalho correto e assim colher seus frutos. Afinal de contas, todo funcionário é vendedor, ele vende a imagem sempre que está representando a empresa.

Publicitário/ Consultor de Marketing julio@fusaopublicidade.com.br


PESQUISA

DE NOME

RESULTA EM RESTRIÇÃO AO CRÉDITO, MOSTRA SPC BRASIL Uma pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) traçou o perfil de consumidores que estão ou ficaram inadimplentes há no máximo doze meses por terem emprestado seu nome para outra pessoa fazer compras ou tomar empréstimos. Segundo a pesquisa, um em cada dez (11,2%) ficou com o nome sujo por essa razão, principalmente por emprestar o nome para amigos (26,6%) e irmãos (21,0%). Apesar dessa prática não ser considerada adequada para as finanças, 39,6% dos entrevistados afirmaram que o principal motivo para tomarem essa atitude de emprestar seus dados, cartão ou cheque foi o de ajudar. Para o educador financeiro do SPC Brasil e do portal Meu Bolso Feliz, José Vignoli, devido a proximidade pessoal o consumidor fica sensibilizado, já que é muito mais difícil negar ajuda. “O problema é que decisões

30

O LOJISTA

financeiras precisam ser tomadas de forma racional, e quando as emoções interferem, o julgamento do consumidor fica comprometido”, explica. “Por isso, o recomendável é pensar bastante, de preferência sem a presença da pessoa que fez o pedido, antes de tomar qualquer atitude”. Ainda que metade (50,7%) soubesse o valor que seria gasto em seu nome por terceiros, é expressivo o percentual de consumidores que não tinham conhecimento (28,5%). Oito em cada dez (79,2%) ainda afirmam não saber o valor pago pela dívida realizada por outras pessoas. O estudo também mostra que apenas 5,3% de quem usou o nome de outra pessoa para fazer compras e o deixaram sujo pagaram integralmente a dívida. Outros 64,1% ainda estão em negociação para o pagamento e dois em cada dez (19,9%) assumiram essa pendência. Entre esses entrevistados, 29,6% teve

que economizar e cortar gastos para pagar as dívidas de terceiros. Segundo a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, o consumidor que ficou inadimplente acha que a dívida não é dele e muitas vezes adia ou renega o pagamento. “Porém, ainda que ele não tenha de fato contraído a dívida, tem responsabilidade em ter emprestado o nome e a única maneira de sair dessa situação pode ser ele mesmo pagando o valor da conta em atraso”, afirma. Apenas 11% receberam o valor integral da dívida Além de emprestar o nome para outra pessoa e ter que arcar com a dívida, a pesquisa identificou que quase metade (44,3%) não cobrou o dinheiro gasto da pessoa. Apenas 11,5% já receberam o valor integral da dívida e 12,1% um valor parcial, sendo que 76,4% não receberam nada. A principal justificativa de quem não pagou é que não possui dinheiro para pagar

Foto: iStock

EMPRÉSTIMO


(40,3%) e outros 15,1% dizem que a pessoa alegou que irá pagar quando arrumar um emprego ou tiver um aumento do salário. Em pelo menos 69,2% dos casos, o relacionamento entre o devedor e quem emprestou o nome ficou abalado. 82,0% dos entrevistados que emprestaram o nome e ficaram inadimplentes pretendem nunca mais emprestar seus dados, cartões e cheques a terceiros. “Emprestar o nome para amigos ou conhecidos é uma atitude solidária, mas pode estragar planos importantes de médio e longo prazo, como comprar uma casa, um carro ou investir na educação e saúde. Ao tentar ajudar uma pessoa próxima, é preciso pensar bastante antes”, ana-

lisa Kawauti. “Os resultados da pesquisa indicam que, frequentemente, quem emprestou o nome acaba se responsabilizando por uma dívida que não fez, com graves desdobramentos como a restrição ao consumo, inadimplência e até mesmo a perda da amizade de quem pediu ajuda.”, conclui. Metodologia A pesquisa entrevistou 1.088 consumidores residentes em todas as regiões brasileiras, com idade igual ou superior a 18 anos, de ambos os sexos e de todas as classes sociais, atuais inadimplentes ou ex-inadimplentes há no máximo 12 meses. A margem de erro é de 3,0 pontos percentuais para uma confiança de 95%.


NOTAS RÁPIDAS

EMPREENDEDORES ESTÃO MAIS OTIMISTAS AGORA Os empreendedores proprietários de micro e pequenas empresas estão mais otimistas. Segundo pesquisa do Sebrae-SP, em abril, 44% dos micro e pequenos empresários apostam na manutenção da economia brasileira, contra 39% verificados no mesmo período do ano passado. Essa percepção impacta nas expectativas dos empreendedores: para os próximos seis meses, 58% dos proprietários de MPEs disseram

aguardar estabilidade no faturamento de sua empresa, ante 59% em abril de 2015.

Também diminuiu o porcentual dos que falam em piora para a economia brasileira: de 38% um ano antes para 25% em abril de 2016.

Segundo o Sebrae, 44% dos micro e pequenos empresários apostam na manutenção da economia contra 39% do ano passado.

Apesar disso, a incerteza sobre a economia aumentou: 14% não sabem como será a evolução nos próximos seis meses, contra 9% um ano antes. Fonte: No Varejo


EMPREENDEDORISMO

COACHING EXECUTIVO COACH... COACHING... COACHEE...

VOCÊ SABE O QUE É?

Qualquer empresa quer uma equipe que atinja as metas planejadas e agregue valor para sua marca. A motivação é fator primordial pra isto, já que o rendimento dessa equipe está associado a sua alta estima e ao momento pessoal que esses profissionais estão passando. A empresa deve ficar atenta a isto e hoje, em busca de uma solução para este problema, as empresas estão os serviços de um coach - palavra em inglês que significa treinador. O coach auxilia funcionários e equipes para reflexão de suas habilidades, postura profissional, além da criação de planos para manter o foco em seus objetivos. E para falar sobre o trabalho desenvolvido por este profissional, a revista “O Lojista” ouviu os coaches André Andrade e Joslaine César Andrade. A venda precisa ser encarada apenas como o primeiro passo de uma parceria que pode durar muitos anos.

34

O LOJISTA


Foto: Pedro Prestes


O Lojista - O que te levou a profissionalizar-se em Coaching? Joslaine: Precisamos ter sonhos, visão e vontade de crescer. Isso nos conduziu ao Coaching; ao compartilhar esse desejo com alguns amigos, eles nos apresentaram a metodologia. Pesquisamos e estabelecemos como alvo ampliar nosso conhecimento nesta área; durante o processo, nasceu um enorme desejo de contribuir com o desenvolvimento de pessoas de forma inovadora e produtiva, o que culminou no surgimento da Farol Coaching. O Lojista - Qual é hoje, a motivação do profissional Coach? André: Os resultados já alcançados em nossa vida e carreira, os testemunhos de transformação de pessoas, executivos e empresas com as quais a Farol tem tido o privilégio de trabalhar. É poder apresentar o coaching como uma luz, dando direção certa para se alcançar um caminho que se pretende chegar.

O Lojista - Cada vez mais, as empresas estão procurando os serviços do Coach. Existem estatísticas que apontam quantos por cento aumentou o número desses profissionais na última década? Joslaine: Você menciona algo relevante, “empresas estão procurando os serviços do Coach”, pelo retorno qualitativo e quantitativo. Podemos observar, pelo próprio Google, o crescimento de ofertas tanto de formação, quanto de serviços de coaching no Brasil. Segundo a ICF - Internacional Coach Federation Brasil, temos 4 coaches para cada milhão de habitantes, enquanto na América do norte e Europa são 40 e a média mundial é de 7 por milhão, vemos que realmente há espaço para crescimento; apesar de não termos pesquisa estatística que nos mostre atualmente o número desses profissionais no Brasil. O Lojista - O que tem levado o empresário a buscar o Coaching? André: Aumento da competividade, avanço contínuo da tecnologia, busca de melhores estratégias e resultados para alta performance, faz

Foto: iStock

36

O LOJISTA


“Coaching é um processo que visa elevar a performance de um indivíduo (grupo ou empresa), aumentando os resultados positivos por meio de metodologias, ferramentas e técnicas cientificamente validadas, aplicadas por um profissional habilitado (o coach), em parceria com o cliente (o coachee).”

Foto: JH Dias

com que empresas passem a buscar esse método e o profissional qualificado para atendê-las. O Lojista - Quais são as principais dificuldades encontradas nos profissionais atendidos pelo Coach? André: As principais dificuldades relatadas pelos profissionais atendidos ao Coach são lidar com pessoas que no momento estão desmotivadas e descomprometidas com a empresa, não trazem soluções, apresentam dificuldade de comunicação e trabalho em equipe, possuem ausência de iniciativa, o que dificulta uma alta performance no desenvolvimento de tarefas e projetos e consequentemente interfere nos rendimentos. O Lojista - E como o Coach faz para motivar os funcionários de uma empresa? Joslaine: O verdadeiro Coach usa a metodologia: ouvir, perguntar e encorajar; treinando as pessoas com o uso de ferramentas que os conduza a ação e melhorem seus processos, para que seu cliente (coachee) possa atingir suas metas e acelerar os resultados.

O Lojista - Coaching Executivo tem um significado específico? Qual o seu papel dentro das empresas? André: O Coaching Executivo é um processo de desenvolvimento de líderes, capaz de ampliar competências, conduzido através de interações, um a um ou em grupo, orientado a partir de dados que vem de múltiplas perspectivas, onde o executivo, o coach e os colaboradores trabalham em parceria para alcançarem o máximo de impacto. Além de aumentar a autoestima, fortalecer crenças motivadoras e eliminar crenças limitantes, o processo melhora as relações e o respeito entre os liderados e seus superiores, ele alinha as pessoas as ambições da empresa. O Lojista - Como coach, quais os benefícios práticos observados nas empresas que o utilizam? Joslaine: Melhora o foco, os relacionamentos, o engajamento, a comunicação, a potência geradora de ações. O Lojista - Existe um momento certo para a empresa recorrer ao coach?

Joslaine: Quando se quer realização, mudança, alta performance, aumento de produtividade, promoção, tomar decisões, solucionar problemas e conflitos, ter êxito etc. O coach é o profissional que têm preparo para treinar e conduzir o cliente (coachee) a ir além e mais rápido; seja ele um microempreendedor ou um executivo de alto nível. O Lojista - Para você, qual a importância do coach empresarial em uma gestão? André: Ao usar a metodologia o coach pode aprimorar a gestão da organização no plano estratégico, de negociação e na resolução de conflitos maximizando os resultados na empresa, notoriamente em relação à produtividade. Empresas de referência no mercado que adotam o coaching são exemplos de sucesso. Empresas do Brasil e do mundo têm feito do Coaching uma cultura organizacional, adotando-a como uma forma de filosofia de vida e de trabalho. Os resultados são consistentes e duradouros, já que cria um ambiente humanizado, colaborativo e focado.

O LOJISTA

37


CIDADE

ANÁPOLIS CONSOLIDANDO PROGRESSO EM SEUS 109 ANOS 109 ANOS DE DESAFIOS E CONQUISTAS FAZEM DE ANÁPOLIS UMA CIDADE QUE É REFERÊNCIA EM GOIÁS E NO BRASIL

Para este ano estão programados inúmeros eventos comemorativos, entre eles, o 3° Festival de Balonismo de Anápolis quando o céu da cidade estará recebendo um colorido diferenciado. O evento acontece entre os dias 23 a 26 de junho, contando com a presença de oito pilotos. Expansão no comércio O município, em meados da década de 90, com a da forte estagnação econômica vivida pelo país,

Foto: Léo Moreira/ Camafeu

No dia 31 de julho, Anápolis comemora seus 109 anos de desafios e conquistas. A cidade está a 50 km da capital goiana e a 140 km da capital federal, fazendo parte de um eixo econômico e populacional que é a maior concentração urbana da região e seu principal polo industrial. Firmou-se como polo industrial, com destaque para o ramo farmacêutico a partir da instalação do Distrito Agroindustrial em 1976. Anápolis foi apontada em 2010 pela revista Veja, como uma das Vinte Cidades Brasileiras do Futuro em razão de seu grande potencial logístico.

38

O LOJISTA

Até meados da década de 1990, principalmente também por causa da forte estagnação, o município vivia basicamente do ramo atacadista, bastante forte na cidade. A partir de 2005, Anápolis passou a contar com um forte impulso econômico que melhorou bastante o seu comércio. Desde então, empresas conhecidas nacionalmente passaram a abrir filiais na cidade, além de uma vasta gama de franquias que vem fazendo a diferença no setor. Economia privilegiada Uma série de fatores vem contribuindo, ao longo desses 109 anos existência para que a economia anapolina alcançasse um lugar de destaque, tanto que a cidade de


Foto: Léo Moreira/ Camafeu

Anápolis está incluída entre os 10% dos municípios brasileiros que possuem arrecadação própria suficiente para bancar suas despesas, um privilégio, considerando o momento crítico da economia do Brasil. Uma prova disto é o resultado de uma recente pesquisa da Confederação Nacional dos Municípios (CNM) que constatou – 60% das prefeituras vão fechar o ano no vermelho.

Este ano, apesar do agravamento da crise financeira, a receita de ICMS vem crescendo no município. Nos cinco primeiros meses do ano, a receita de ICMS já soma R$ 90.565 milhões, contra R$ 79.979 milhões no mesmo período de 2015, o que representa uma receita adicional de R$ 10.586 milhões, segundo informações da Secretaria Municipal da Fazenda.

Considerando que a segunda maior fonte de receita é a do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), em 2015 apresentou um repasse de R$ 64.184 milhões – um crescimento de 5,24% em relação aos R$ 60.989 milhões repassados no ano anterior. Já a terceira fonte de receita é o ISS, que em 2015 foi arrecadado R$ 52.930 milhões, contra R$ 51.266 no ano anterior.


O IPTU – quarta fonte de receita do Município. Neste ano já arrecadou R$ 39.737 milhões com previsão de chegar a R$ 50 milhões, enquanto em 2015 a arrecadação alcançou R$ 43.357 milhões, o que também representou 7,06% acima do que foi arrecadado em 2014. Com relação ao Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), até maio deste ano já arrecadou R$ 24.903 milhões. Em 2015 a receita de IPVA foi de R$ 39.140 milhões, representando um crescimento de 19,01% em relação ao ano anterior. A previsão para este ano é superar o que foi arrecadado em 2015. Localização privilegiada A 50 km da capital goiana e a 140 km da capital federal, faz parte de um eixo econômico e populacional

de concentração urbana da região de principal pólo industrial. Em uma posição estratégica para implantação de indústrias, visto a proximidade das capitais federal e goiana, e função de sua localização privilegiada para o comércio do Centro-Oeste, é um dos principais centros de comercialização de grãos do estado, bem como o principal fornecedor de produtos hortifrutigranjeiros para a Central de Abastecimento de Goiás (Ceasa). Quatro fatores foram decisivos ao fortalecimento da industrialização em Anápolis. Além das políticas de incentivos ficais adotadas pelo Estado: a implantação da primeira estação aduaneira interior (Porto Seco), a Lei dos Genéricos e a expansão da oferta do ensino superior para atender às novas demandas surgidas com a instalação de novas empresas.

BAAN – importante foco do turismo A Força Aérea Brasileira sentiu a necessidade de adquirir aeronaves supersônicas de interceptação, para tal, foi necessária a criação de uma unidade militar, próxima à Capital Federal, ocasião em que foi instalada a Base Aérea de Anápolis - BAAN passando a ser a primeira Ala de Defesa Aérea - 1ª Alada, com missão específica de defesa no território nacional, atenta à rápida evolução da tecnologia das aeronaves de combate e dos sistemas de detecção e controle de tráfego aéreo. É uma das principais unidades da Força Aérea Brasileira, base operacional dos supersônicos Mirage e das modernas aeronaves que pertencem ao grupamento do Sistema de Vigilância da Amazônia. Em datas importantes para a aviação


Foto: Léo Moreira/ Camafeu

Para este ano estão programados inúmeros eventos comemorativos, entre eles, o 3° Festival de Balonismo de Anápolis quando o céu da cidade estará recebendo um colorido diferenciado.

nacional e no aniversário da cidade, a Base Aérea promove um dia de portões abertos, proporcionando aos visitantes a oportunidade de conhecerem a sua estrutura e de presenciar espetáculos aéreos. Em 9 de fevereiro de 1972 inicia-ram-se as primeiras edificações da Base Aérea de Anápolis, guardiã dos vetores de interceptação da Força Aérea Brasileira, com os aviões F-103 Mirage. Polo farmacêutico Implantado a partir do final da década de 1990, o polo farmacêutico de Anápolis é hoje o 3º maior do país. O polo concentra laboratórios na produção de medicamentos com tecnologias inovativas. É o terceiro maior polo farmacêutico do país, e o primeiro na fabricação de medicamentos genéricos. Dentre as indústrias farmacêuticas locais são destacadas; Brainfarma, Teuto, Geolab, Pharmanostra, JRD, Gerbrás, Gênix, Novafarma, Melcon e FBM, além de diversas outras, inclusive com empresas do ramo químico.

Com a expansão do consumo de remédios genéricos no Brasil, a tendência é que o DAIA se consolide como o maior Polo Farmacêutico de Genéricos da América Latina. Com fácil acesso para todas as regiões do País, conta com uma área de infra-estrutura de telecomunicações e de transporte rodoviário, aéreo e ferroviário por meio dos terminais de Anápolis e Goiânia, que ligam com os demais grandes mercados nacionais e portos exportadores de Vitória, Rio de Janeiro, Sepetiba e Santos. Pólo Universitário consolidando a industrialização A criação da Universidade Estadual de Goiás, na década de 90, cuja sede foi fixada em Anápolis veio somar-se a outras instituições de ensino superior existentes, com o intuito de formar mão de obra especializada para suprir às demandas do crescimento industrial e de outros segmentos da economia.

A cidade, que foi a primeira em Goiás a receber uma unidade de formação em nível técnica do SENAI, em 1952, ampliou e passou a abrigar a Faculdade de Tecnologia SENAI Roberto Mange, credenciada pelo Ministério da Educação. Atualmente, Anápolis com a ampliação do número de instituições de ensino superior, conta com inúmeros cursos de graduação, além dos cursos de tecnólogos, de pós-graduação e mestrado. O que fica deste saldo, portanto, é a superação de inúmeros desafios e a satisfação de fazer parte desta história de conquistas e desenvolvimento.

Nota: Uma pesquisa do Ipea apontou o Centro-Oeste como a região mais positiva com relação ao amanhã. Anápolis foi o destaque como a cidade com maior índice de otimismo em relação ao futuro no País.


EMPREGO

PROFISSÕES EM ALTA Foto: CDN

Com as oportunidades de emprego em baixa, algumas profissões ainda estão em alta e com salários que podem chegar em até R$ 12 mil. Resultados de curto prazo, eficiência e dupla função ainda são as características que fazem a diferença na hora da contratação.

seguem com a demanda alta, apesar do momento econômico do país. “O candidato a uma vaga precisa compreender o contexto macroeconômico que impacta os negócios da companhia e se colocar à disposição para ajudar neste momento de crise”, afirma Haag.

“Os profissionais híbridos, que conseguem desempenhar duas funções, com orientação aos resultados, de curto e médio prazo, ainda estão valorizados pelas empresas”, analisa Ricardo Haag, diretor da Page Personnel.

Confira abaixo as posições em alta e os motivos da procura por esses cargos:

Segundo levantamento da Page Personnel, empresa global de recrutamento especializado de profissionais técnicos e de suporte à gestão, parte do PageGroup, alguns cargos ainda

42

O LOJISTA

1) Analista de marketing digital Motivo: Responsável pela estratégia, controle e operação do canal digital da companhia. A necessidade das empresas em acompanhar a evolução da comunicação digital, a mudança do perfil do consumidor, a importância da internet e a influên-

cia das mídias sociais na decisão de compra faz com que as empresas passem e se preocupar cada vez mais com suas estratégias digitais. Remuneração: R$ 3.500 a R$ 7.000 Áreas: empresa de tecnologia, bens de consumo e varejo 2) Analista de planejamento de vendas Motivo: Responsável por analisar resultados e indicadores, além de auxiliar na estratégia das áreas de vendas. Devido ao momento da economia e as dificuldades em manter as vendas, as empresas têm buscado profissionais que possam auxiliar a área comercial com informações relacionadas a inteligência de mer-


cado e do negócio, gerando ideias para novas oportunidades.

vendedores.

Remuneração: R$ 5.000 a R$ 8.000

Remuneração: R$ 4.500 a R$ 7.000 Remuneração: R$ 4.000 a R$ 7.800 Áreas: empresas de bens de consumo, serviços e varejo 3) Analista de sales finance (vendas financeiras) Motivo: Tem como principal responsabilidade o processo orçamentário, o acompanhamento dos resultados de áreas específicas do negócio – principalmente vendas. Profissional deve trazer visão de performance financeira para uma área direcionada a resultados e impulsos humanos. Com isso, ele auxilia a área na tomada de decisões estratégicas incluindo preço, margem, volume, descontos, rentabilidade dos produtos e

Áreas: fiscal ou jurídica Áreas: financeira em indústria, bens de consumo, comércio 4) Analista tributário

de

5) Desenvolvedor fullstack (Python/Ruby/PHP/Javascript)

planejamento

Motivo: Responsável por auxiliar a desenhar novas estratégias e políticas tributárias. Segue como uma área de alta demanda devido à complexidade de nossa legislação tributária. Sua atuação auxilia a determinar preço dos produtos e serviços, montante de imposto a ser pago ao governo, e até mesmo no processo de decisão de abertura de novas plantas para empresa.

Motivo: Desenvolvimento de sistemas no front e backend. A procura crescente por profissionais desse perfil no mercado, deve-se o interesse das empresas em ter cada vez mais profissionais mais completos e que consigam ter a visão do desenvolvimento da plataforma como um todo. Remuneração: R$ 8.000 a R$ 12.000 Áreas: consultorias, startup, e-commerce


PERSPECTIVA

GRANDE POTENCIAL PARA AMPLIAÇÃO DA TIC EM GOIÁS

Foto: Unilab

Considerando as potencialidades da TIC – Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado, como ferramenta essencial para os negócios, o diretorsuperintendente, Igor Montenegro, apontou sinais favoráveis; “embora haja muito para se avançar”; afirma. “Existem enormes oportunidades para ampliação da oferta de serviços e produtos na internet, por exemplo, e existe uma grande quantidade que não explora”, afirmou Igor Montenegro em coletiva de imprensa no órgão do Estado que realizou a pesquisa. A pesquisa realizada em 6001 empresas do Brasil, de todos os portes, apontou que 95% destas empresas são consideradas micro ou pequenas (MPE) – a parcela que mais precisa de apoio para o desenvolvimento. “Proporcionalmente, os percentuais ob-

44

O LOJISTA

tidos no Estado em relação ao apurado nacionalmente, sofrem pequenas variações”; explica Montenegro. O estudo mostra que 74% das MPE usam internet nas empresas, embora, 58,5% não veem necessidade de acesso à internet 3G/4G — utilizada nos smartphones. O uso da internet nas empresas prioriza a utilização do e-mail, acesso a serviços financeiros e pesquisas de preço. Home page Um dos maiores desafios encontrados em Goiás ainda é a implantação do “home page” do negócio – apenas 8,4% dos entrevistados declararam ter uma site do seu negócio, o que é muito ruim, pois o site é onde o empresário tem a oportunidade de levar aos consumidores informações mais completas e permanentes”, explica Igor Montenegro.


Dos 40% das MPE goianas que declaram ter comprado ou contratado serviço pela internet, somente 16% venderam ou ofereceram serviço online. “Queremos incentivar empreendedores a desbravar o universo online e crescer com isso”; fala Montenegro. Pequenos negócios A pesquisa mostra que os pequenos negócios respondem por mais de um quarto do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro – 9 milhões de micro e pequenas empresas no País representam 27% do PIB, um quadro que apresenta crescimento contínuo. As micro e pequenas empresas são as principais geradoras de riqueza no Comércio do Brasil, já que respondem por 53,4% do PIB deste setor. E no setor de Serviços,

mais de um terço da produção nacional (36,3%) têm origem nos pequenos negócios. A internet é um meio de comunicação capaz de unir indivíduos em todas as partes do mundo, abrangendo bilhões de pessoas. Somente no Brasil, o número de usuários já ultrapassa os 75 milhões, o que representa 37,8% da população, incluindo todas as classes sociais e econômicas. O mundo virtual destacase por agregar todos os tipos de conteúdo e hoje ele é utilizado como a grande ferramenta de busca de informações. Se a sua empresa não estiver presente na internet, há uma boa chance de o seu cliente (ou o potencial cliente) comprar de seu concorrente. A cidade de Anápolis possui agências especializadas em colocar sua empresa online.


ARTIGO

COMO CORTAR

DESPESAS NO VAREJO Foto: Destino Negócio

Em tempos de crise, (ou seja, nos dias de hoje), os presidentes e CEO´s de redes varejistas têm que necessariamente fazer cortes de despesas. O começo é sempre pelo cafezinho, mas com o prolongamento da crise os cortes vão ficando mais intensos e cada vez mais necessários para equilibrar o orçamento. O Segundo momento é o corte de treinamentos e ações de desenvolvi-

46

O LOJISTA

mento/ capacitação, que compromete as vendas no médio e longo prazo. Neste ponto para evitar cicatrizes mais profundas várias empresas estão optando por ações de treinamento a distância. Recentemente empresas como Máquina de Vendas, com mais de 1000 lojas e Gazin com mais de 200 lojas trilharam também este caminho.


“A eficácia consiste no equilíbrio – No que chamo de equilíbrio P/CP onde P representa a produção dos resultados desejados, os ovos de ouro. CP indica a Capacidade de produção, o bem ou meio que produz os ovos de ouro”.

Foto: Arquivo Pessoal

Wagner Oliveira

Trazendo para a realidade do varejo P (produção) é a área comercial, e CP (Capacidade de produção) é a área de recursos humanos, que é a responsável pela geração de talentos, pela disseminação de cultura e pelo desenvolvimento e consolidação das competências necessárias para uma boa produção P (Comercial).

Presidente da Woli

Em tempos de crise os presidentes e CEO´s de redes varejistas têm que necessariamente fazer cortes de despesas.

O terceiro momento é na área operacional, com a adequação da relação de pessoal e vendas. Menor o volume de vendas implica em menor o número de vendedores, caixas e crediaristas que são necessários para a operação. Até aqui os cortes são matemáticos, mas se outros cortes ainda são necessários o problema passa a ser estratégico. A quarta fase dos cortes, e certamente a mais difícil delas, que muitas empresas varejistas já estão vivenciando, é o corte nos cargos estratégicos. Antes de detalhar estes cortes quero fazer uma pausa para citar um trecho do livro “Os sete Hábitos das pessoas altamente eficazes”, com mais de 15 milhões de exemplares vendidos pelo mundo. Stephen R. Covey, faz a seguinte definição:

Voltando ao autor, ele comenta que quando existe o desequilíbrio entre P/CP (no nosso caso, Comercial/ RH) a retomada – é muito difícil e as vezes impossível de ser feita. Quando os cortes de cargos estratégicos se concentram na área de RH, a capacidade de produção CP – fica comprometida, assim a sobrevivência e a retomada do crescimento será muito mais difícil ou em alguns casos impossível. Sei que a decisão dos presidentes e/ou CEO´s das redes varejistas não é uma decisão fácil, mas é possível afirmar que a análise deste equilíbrio será preponderante para separar mortos e vivos após esta crise no varejo Brasileiro.

CEO é a sigla inglesa de Chief Executive Officer, que significa Diretor Executivo em Português. CEO é a pessoa com maior autoridade na hierarquia operacional de uma organização. É o responsável pelas estratégias e pela visão da empresa. Não são todas as empresas que possuem uma pessoa no cargo de CEO.

O LOJISTA

47


NEGÓCIOS

MICROEMPREENDEDOR É AUTORIZADO A SEDIAR SUA EMPRESA EM CASA

Foto: iStock

O microempreendedor individual (MEI) foi autorizado a usar o endereço da própria casa como sede da empresa, desde o dia 19 de abril deste ano. Sancionada a alteração na Lei Complementar nº 123, de 14 de dezembro de 2006, acrescentando essa permissão, vale lembrar que a liberação é válida somente nos casos em que a atividade não precisar de um local próprio para ser exercida. De acordo com a Gestora de Projetos do SEBRAE, Maria Auxiliadora Gomes Leão, a legislação do estado de Goiás permite a coincidência entre o endereço do empreendimento e o endereço residencial, considerando que nem todos os estados permitem. Questionada sobre quais serviços podem desfrutar desta emenda, a gestora foi taxativa; “beneficia apenas as atividades de baixo risco como; costureiras, vendas de bijuterias, roupas, entre outras”. E adverte; “quando o negócio pertence ao setor

48

O LOJISTA

alimentício, há uma restrição – só é permitido cumprindo as normas da Vigilância Sanitária Municipal”. O projeto de lei com a autorização tinha sido aprovado por unanimidade, tanto pela Câmara quanto pelo Senado, visando facilitar a adesão de microempreendedores ao Simples Nacional, regime tributário simplificado para empresas de pequeno e médio porte. De acordo com o relator da proposta, senador Blairo Maggi (PR-MT), o projeto facilitará a vida dos pequenos empreendedores. “É racionalmente e economicamente viável que o empreendedor utilize a sua própria residência para o exercício de sua atividade empresarial, com substancial economia de recursos”, diz Maggi, no relatório. Dicas Apostando no sucesso destas atividades sediadas em residências, o palestrante e editor do “Falando de Varejo” – Caio Camargo, mostra

como montar uma loja em sua casa. Não há nada de errado em começar um negócio dentro da própria residência. Aproveite a questão, e muito mais do que amontoar araras e cabides em um cômodo, crie um ambiente interessante para quem for conhecer sua “loja”. Por que não servir um cafezinho para quem for comprar contigo, ou oferecer um confortável sofá ou poltrona para quem está comprando ou acompanhando as compras? O que acha de apostar em pisos de madeira, papéis de parede, ou até mesmo música ambiente para criar um ambiente único de vendas? Embora a placa seja sempre algo interessante para captar novos clientes, eu buscaria outros meios de atingir seu público, talvez apostando fortemente no boca-a-boca, deixando as pessoas pensarem que é algo “reservado” ou “selecionado para alguns”. Isso possibilitaria a venda de peças melhores a um valor acessí-


MEI - MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL

vel, e consequentemente obtendo um lucro maior. Agora, se sua pegada é mais popular, aí, o melhor conceito é expor de fato muitas peças no ambiente, utilizando cestos, vascas e araras.

MEI é a pessoa que trabalha por conta própria e que se legaliza como pequeno empresário. Para ser um microempreendedor individual, é necessário faturar no máximo até R$ 60.000,00 por ano e não ter participação em outra empresa como sócio ou titular. O MEI também pode ter um empregado contratado que receba o salário mínimo ou o piso da categoria. Entre as vantagens oferecidas por essa lei está o registro no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ), o que facilita a abertura de conta bancária, o pedido de empréstimos e a emissão de notas fiscais.

Nesse caso, como sugestão, além da placa com o nome, por que não apostar em algo que de fato atraia clientes? Há algum produto que você venda mais ou que possa oferecer um melhor valor na região que está? Pense em algum diferencial de preço e exponha esse para as pessoas! “Mas cuidado: muita promoção vira pouca promoção! Foque-se em uma ou no máximo duas promoções chamarizes”; conclui.

AF_CRA 0004-16 Anúncio Coleta revista CDL – Sabin-19,5x13cm.pdf

1

20/05/16

18:23


Foto: Prefeitura de Anápolis

HISTÓRIA

CHAMA OLÍMPICA

MARCOU A HISTÓRIA DE ANÁPOLIS

O espírito das Olímpiadas Rio 2016 tomou conta dos anapolinos no início do mês de maio, ao passar por Anápolis. Para o revezamento da tocha, mais de 50 mil pessoas marcou presença neste momento histórico para Anápolis, sobretudo para o esporte anapolino. A população lotou todo o percurso por onde a tocha olímpica passou, até chegar ao seu destino final – o Parque Ambiental Ipiranga. Anápolis foi a primeira cidade, depois de Brasília onde a chama olímpica passou e pernoitou até seguir a sua maratona pelo país. Do Ginásio, atletas do programa Zatopek fizeram a recepção e a despedida da tocha que seguiu o seu roteiro. Quando o símbolo chegou às proximidades do Parque Ipiranga, mais comemoração da população,

50

O LOJISTA

em especial do último condutor indicado pela Prefeitura a carregar a tocha, Paulo Silva (Paulo Choco) ex-jogador de futebol que mora em Anápolis e que já atuou no Flamengo. “É uma emoção ser o último condutor da tocha. Com certeza isto marcou a minha vida no esporte”, disse emocionado. Acesa a pira olímpica montada no Parque Ipiranga, a comemoração se estendeu com vários shows musicais animando os milhares de pessoas que estiveram no local. No interior do Parque Ipiranga foi construído um monumento em referência às Olímpiadas Rio 2016 – os tradicionais arcos que a partir de então, faz parte da estrutura de um dos cartões postais da cidade. A Tocha Olímpica foi revezada a cada 200 metros nos 11,4 quilômetros percorridos em Anápolis.

Saiba mais Após o acendimento em Olímpia, a tocha percorreu cidades da Grécia por alguns dias até chegar à capital Atenas, de onde ela foi transportada para o Brasil. A tocha Rio 2016, carregará a mesma chama Olímpica que foi acesa na Grécia, dando continuidade a uma história de 2.900 anos, e desembarcará no Maracanã no dia 5 de agosto de 2016.


NOTAS RÁPIDAS

BNDES REDUZ

JUROS DE CAPITAL DE GIRO PARA PMEs O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciou nesta terça-feira redução de juros para linhas voltadas a capital de giro, em iniciativa para dar mais fôlego financeiro para pequenas e médias empresas. A taxa de juros cobrada pelo BNDES nas linhas de capital de giro para micro e pequenas empresas foi reduzida de 11,59 para 10,20 por cento ao ano. O banco também melhorou

as taxas para empresas de portes maiores. No caso das médias empresas, o juro caiu de 14,63 para 12,59 por cento e no caso das “médiasgrandes” a taxa caiu de 17,15 para 14,65 por cento ao ano. As taxas para grandes empresas seguiram em 17,15 por cento, informou o banco em comunicado à imprensa. “O banco vai monitorar as taxas efetivamente cobradas pelos agentes financeiros do tomador final, para

verificar se as reduções se traduzem efetivamente em juros mais baixos aos clientes finais ou são apropriadas pelos agentes (financeiros)”, afirmou o BNDES no comunicado. A instituição de fomento acrescentou que o nível de emprego nas empresas apoiadas, antes e depois da concessão dos créditos, também será monitorado. Fonte: Exame.com


ESTRATÉGIA

LOJAS FÍSICAS

MANTÊM A PREFERÊNCIA DE COMPRA DOS CLIENTES Foto: AME

Avaliando o aumento de 24% do comércio eletrônico em 2014, frente ao crescimento de 22% no ano de 2015, o percentual é considerado acima da expectativa, levando em conta o momento de crise. A principal ferramenta que entra na competição de vendas no E-commerce é a oferta de preços, fundamentada nos baixos custos fi xos que permitem a aplicação de preços finais menores. Na comercialização de produtos com alto valor agregado, como é o caso dos eletrônicos, eletrodomésticos, entre outros é que define a escolha do consumidor na hora da compra. Mesmo diante desta realidade, o varejo físico é imbatível quando comparado à venda pela internet. De acordo com pesquisas, as lojas físicas ainda têm conquistado a preferência de compra dos consumidores. Uma das importantes estratégias do varejo físico para atrair o cliente à sua loja é o planejamento de per-

52

O LOJISTA

cepções utilizando os 5 sentidos humanos para valorizar o processo de compra. Sensações podem ser planejadas, induzidas e controladas no ambiente físico da loja para produzir determinadas percepções, então é bem provável que a maioria das lojas que você goste e aquelas que você lembre primeiro, foram planejadas para isso. Sem dúvida, muitos que deixam as lojas virtuais para comprar em lojas físicas o fazem em virtude do atendimento que pode ser prestado presencialmente; o que aumenta a responsabilidade da equipe de vendas da loja em questão.

A gestão de pessoas está elevando o envolvimento dos clientes no processo de compra a um patamar totalmente novo. Funcionários engajados se tornam verdadeiros embaixadores da marca porque sentem paixão e tem ligação com a empresa que trabalham.

O contato humano no processo de venda tem o poder de ampliar a percepção dos clientes acerca de produtos, esclarecer dúvidas, oferecer dicas e é capaz de influenciar a decisão de compra. Diferentemente do contato por e-mail, chat ou telefone, as relações pessoais podem estabelecer importantes ligações entre cliente e empresa levando à compra e à formação de imagem da marca.

Visual Merchandising

Ter uma loja física para receber o cliente para que possa experimentar os produtos ou serviços ainda é fundamental. A experiência dos clientes ao interagirem pessoalmente com os funcionários influencia consideravelmente no processo de compra.

A comunicação visual ao redor da exposição e dos produtos tem a capacidade de inspirar novas possibilidades e despertar o interesse dos clientes. Apresentar um produto, pode ser empolgante e motivador, esclarecendo não só a ficha técnica do produto, mas ambientando cenários e estimulando percepções.


Mais do que apresentar produtos e preços, o visual merchandising das lojas é um instrumento de atração e inspiração único para os clientes que não depende de “clique” para ser visualizado. Espaços e criações autênticas de comunicação são capazes de transmitir conceitos, criar sonhos e estimular as vendas.

Foto: Arquivo Pessoal

Sérgio Barbi

Diretor de Marketing

A loja física tem um grande benefício: o contato físico. As estratégias de varejo mais modernas integram, simultaneamente, os benefícios de vários pontos de contato com o cliente para gerar a venda num deles. Sabemos que o cliente compra como, onde e quando ele quiser, da forma que ele considerar mais conveniente, mas ainda assim, a loja física ainda ganha na preferência do consumidor.


MUITO + + PARA MUITO SUA EMPRESA EMPRESA SUA

www.cdlcelular.com.br OU LIGUE: 62 3328.0008 www.cdlcelular.com.br OU LIGUE: 62 3328.0008 E SAIBA COMO TER MAIS POR MUITO MENOS. E SAIBA COMO TER MAIS POR MUITO MENOS.


A A


Revista O LOJISTA  
Revista O LOJISTA  
Advertisement