Page 2

Os Recursos Humanos na Região de Lisboa

1. DIAGNÓSTICO É hoje comummente aceite que uma parte significativa do atraso português se deve à debilidade da estrutura dos Recursos Humanos. Considera-se aqui nesta dimensão de “recursos humanos” não a mera qualificação da mão-de-obra mas o conjunto de capacidades culturais, técnicas e organizacionais que um conjunto de cidadãos dispõe e que são transversais a todas as actividades da vida colectiva. Nem todas essas capacidades se aprendem nas estruturas formais de ensino e, hoje a valorização da formação ao longo da vida e dos processos de certificação de competências são bem sintoma da diversidade de formas e percursos de aprendizagem. A cimeira de Lisboa e mais recentemente a sua revisão vem mais uma vez colocar o enfoque na qualificação científica e tecnológica como uma pedra basilar do desenvolvimento. Em Portugal, e muito particularmente na região de Lisboa, assiste-se a um duplo fenómeno de polarização de formações que vão a par com alguma desadequação de formações de topo ao mercado de trabalho. De facto, o pais mantém níveis muito reduzidos de população com a escolaridade até ao secundário ao mesmo tempo que oferece já um nível elevado de população com ensino superior estando assim os níveis intermédios de formação- geralmente mais técnico e profissionais - a ser preteridos. Por outro lado, as taxas de licenciados coloca o país já no meio da escala comparativa ao nível europeu, mas a desadequação das formações ao mercado de trabalho está patente nos níveis elevados de desemprego dos licenciados. Claro que estas constatações estão articuladas com problemáticas complexas e com uma grande diversidade de variáveis que estão fundamentalmente relacionadas não tanto com a procura dos níveis de ensino mas com as fortes debilidades quantitativas e qualitativas da oferta. Assim, o diagnóstico realizado para a área metropolitana de Lisboa aponta como traços fundamentais:

‹ a persistência de níveis de insucesso escolar elevados, resultantes do abandono escolar precoce e dos índices de repetência nos vários graus de ensino. Estes índices têm tido tendência a agravar-se e elevam-se à medida que se consideram os vários graus de ensino; ‹ forte debilidade na oferta de ensino profissional e tecnológico, deficiente apetrechamento das escolas públicas e sobretudo desarticulação e sub-financiamento da rede de escolas de ensino profissional;

211

Recursos Humanos na Região de Lisboa  

Documento sectorial de apoio à Estratégia Lisboa 2020, CCDRLVT, 2007

Recursos Humanos na Região de Lisboa  

Documento sectorial de apoio à Estratégia Lisboa 2020, CCDRLVT, 2007

Advertisement