Issuu on Google+

Boletim Informativo CBH-Paranaíba Nº 39

Agosto/ 2013

30ª Reunião do CBH PN3

Nesta Edição

 30ª Reunião do CBH PN3 - página 1  Edital Diretor Presidente ABHA - página 2  Oficina de Planejamento Estratégico do CBH Paranaíba - página 2  XV ENCOB - página 2  ANA disponibiliza software que reduz pela metade o tempo da medição de sedimentos em rios página 3

Participantes 30ª Reunião CBH PN3

O Comitê da Bacia Hidrográfica dos Afluentes Mineiros do Baixo Paranaíba – CBH PN3, realizou sua 30ª Reunião Ordinária no dia 13 de agosto, na sede da Associação Comercial e Industrial em Ituiutaba, participaram da reunião os membros titulares e suplentes do Comitê, o Coordenador da Promotoria das Bacias do Paranaíba e Baixo Grande em Minas Gerais, Dr. Carlos Valera, e o representante da Alupar Empreendimentos, senhor Thiago Nogueira. Vários temas foram debatidos, como a necessidade de melhorar e conservar as estradas vicinais; a morosidade na aprovação do Código Florestal Mineiro, uma vez que o Código Florestal goiano já foi aprovado e está em execução, a situação tem gerado preocupação nos produtores rurais em Minas, principalmente os produtores do triângulo mineiro, por estarem

em uma região de tríplice fronteira. O secretário do Comitê, senhor Marcelo Gouveia, destacou a criação de um grupo de apoio dentro do Instituto Mineiro de Gestão das Águas – IGAM, para reestruturação dos Comitês, para que os mesmos possam ser difundidos na sociedade, pois difusão via comunidade é o modelo sugerido pelo Estado de Minas Gerais. No mesmo dia, os representantes da Câmara Técnica Institucional Legal - CTIL do CBH PN3, se reuniram com o promotor Carlos Valera, com o representante da Alupar Empreendimentos S.A e representantes da empresa Ambientare Soluções Ambientais LTDA, responsáveis pelo processo de licenciamento do empreendimento da PCH Samambaia, localizado no rio Tijuco e que afeta diretamente os municípios de Prata e Uberlândia, que na ocasião buscavam anuência do Comitê, uma exigência da Prefeitura Municipal de Uberlândia. Os representantes da CTIL irão emitir um parecer sobre o que foi apresentado pelo empreendedor, que será remetido a apreciação e votação durante reunião plenária do PN3.

No último dia 22 de agosto, durante a 22ª Reunião Câmara Técnica de Planejamento Institucional - CTPI do CBH Paranaíba, que aconteceu em Araxá, foi eleito o novo Coordenador da CTPI, Professor Sylvio Luiz Andreozzi, representante da Universidade Federal de Uberlândia . O Professor Sylvio Andreozzi, coordenará os trabalhos da Câmara entre 2013/2017. A Diretoria do CBH Paranaíba parabeniza o novo coordenador e a todos os membros da Câmara, desejando sucesso aos trabalhos a serem desenvolvidos pela gestão participativa e descentraliza dos recursos hídricos.


Página 2

Boletim Informativo

Edital Diretor Presidente ABHA A empresa Rhome Prestadora de Serviços em Recursos Humanos Ltda, devidamente contratada para condução e realização do processo de seleção para escolha de candidatos ao cargo de Diretor Presidente da Associação Multissetorial de Usuários de Recursos Hídricos da Bacia Hidrográfica do Rio Araguari, publicou no Diário Oficial do Estado de Minas Gerais, em 27 de agosto do ano corrente, o Extrato do Edital do Processo de Seleção, dando início aos procedimentos contratados. O candidato, deverá ser profissional de nível superior, com conclusão de curso até o ano de 2005,

em qualquer área de formação, curso de pós graduação ou mestrado profissional em gestão, com experiência em atividades de direção e de natureza técnico-gerencial, administrativa e/ou financeira no serviço público ou na iniciativa privada, As inscrições poderão ser realizadas entre o período de 02 a 10 de setembro de 2013. O Edital completo pode ser acessado através do link: http://www.rhome.com.br/ Edital.pdf

Oficina de Planejamento Estratégico do CBH Paranaíba Durante os dias 25 e 26 de setembro, os membros titulares e suplentes do CBH Paranaíba e os membros da CTPI, estarão reunidos em Rio Quente (GO), para a Oficina de Planejamento Estratégico do CBH Paranaíba. A Oficina tem como objetivo promover a integração entre os membros do Comitê; discutir as experiências de outros Comitês de bacia na implantação do Plano de Recursos Hídricos; identificar os principais desafios e definir um planejamento e cronograma de ações prioritárias para o CBH Paranaíba, para o período 2014/2017. Rio Quente

Rio Quente foi descoberto em 1722, por Bartolomeu Bueno da Silva, um bandeirante que veio junto com sua tropa explorar a região. As Caldas Velhas, emancipado em 1988, o Município de Rio Quente, que antes pertencia a Caldas Novas, é famoso por abrigar o único rio de águas quentes do mundo. Possui uma vazão de 150 milhões de litros/dia e suas águas tem em sua composição propriedades terapêuticas, hoje, comprovadas cientificamente. A Cidade de Rio Quente situa-se numa região de clima tropical quente e úmido, com chuvas de verão, principalmente nos meses de novembro a março, com uma temperatura média anual de 23 C.

XV ENCOB O Fórum Nacional de Comitês de Bacias Hidrográficas – FNCBHs realiza, em Porto Alegre, de 14 a 18 de outubro, com o tema: “Comitês de Bacias: Ponte para cooperação pelas Águas”, o XV ENCOB. O Encontro tem como público representantes das entidades civis, dos usuários de recursos hídricos e de técnicos e representantes dos governos, que terão a oportunidade de compartilhar experiências, estabelecer o diálogo e propor estratégias políticas e de cooperação para o funcionamento efetivo do Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos. Momento impar para a Gestão dos Recursos Hídricos o ENCOB, por tradição, se apresenta como uma oportunidade para o País e em especial a Região se articular e mobilizar toda a sociedade para as questões relativas as águas, sob os mais diversos

olhares: conservação, preservação, degradação, etc. O XV ENCOB irá proporcionar aos mais de 1500 participantes esperados a oportunidade de compartilhar experiências exitosas, com a apresentação de projetos em painéis, o desenvolvimento de capacidades através da participação em 07 minicursos e 02 oficinas, Feira de Exposição, além das Mesas de Diálogos com especialistas e personalidades de renome. Porto Alegre é uma bela Capital, às margens do Guaiba, situada próxima de importantes cidades turísticas. O povo gaúcho extremamente hospitaleiro está empenhado em organizar um grande evento, aliando-se vontade política e competência técnica, tudo coroado pela mágica do famoso churrasco e do vinho da serra gaúcha.


Página 3

Diretoria do CBHParanaíba Presidente: Bento de Godoy Neto

ANA disponibiliza software que reduz pela metade o tempo da medição de sedimentos em rios

1ª Vice-Presidente: Jusceni de Fátima Aparecida 2ª Vice-Presidente: Patrícia Valls e Silva Secretário: Deivid Lucas de Oliveira CTPI Coordenador: Luiz Andreozzi

Sylvio

Secretaria Executiva do CBH-Paranaíba Rua Rui de Almeida nº 630, Centro Itumbiara - GO CEP 75.526-050 Tel: 64-3431-5026 secretaria.paranaiba@cbh.gov.br

www.paranaiba.cbh.gov.br

Estação hidrometeorológica de Marabá (PA)

Conhecer melhor a carga de sedimentos que passam em rios e reservatórios tem várias aplicações para o dia a dia, pois a quantidade de sedimentos que é transportada em um rio interfere na construção de pontes, contribui no calculo da vida útil de um reservatório, é um fator determinante para a navegação e pode aumentar os custos para o tratamento de água. Sabendo disso, a Agência Nacional de Águas (ANA) disponibiliza para download em sua Biblioteca Virtual o software e o manual de utilização do Programa HidroSedimentos 2.0 Desenvolvida por pesquisadores da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri), em parceria com a ANA, a ferramenta é voltada principalmente para técnicos que trabalham com a medição de rios. O software é capaz de ler os arquivos gerados por equipamentos de medição que utilizam o método acústico Doppler (ADCP) para a medição de vazão e, a partir dos dados coletados, processa os cálculos dos tempos de amostragem de sedimentos em suspensão (flutuando na água) de acordo com as metodologias do Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS) usadas pela Agência, o que antes era feito pelos hidrometristas com o uso de cálculos manuais. Atualmente existem vários equipamentos para medição da des-

carga líquida com base na tecnologia Doppler, que apresentam como vantagens, em relação aos métodos tradicionais de medição de vazão com molinetes, a maior rapidez para execução da medição; redução de riscos de acidentes, principalmente em rios com níveis altos; a melhor determinação do perfil e da área da seção transversal (“corte” do rio de uma margem a outra), além da possibilidade da determinação de um número grande de verticais (linhas traçadas do fundo do rio até sua lâmina d’água). Quando se necessita coletar amostras para determinação de sedimentos em suspensão, os equipamentos Doppler e seus softwares não permitem processar os dados para o cálculo dos tempos de coleta de amostras. Hoje, as equipes que operam a Rede Hidrometeorológica Nacional utilizam os procedimentos de coleta de sedimento conforme as normas da USGS. Os dois métodos usados pela ANA nas amostragens de sedimentos em diversas verticais são por Igual Incremento de Largura (IIL) ou por Igual Incremento de Descarga (IID). Na estação hidrometeorológica de Marabá (PA), por exemplo, uma medição de sedimentos numa seção de 2.000 metros no rio Tocantins que levaria 3 horas, a partir de 15 verticais, passaria a levar apenas 1 hora com o uso do Programa HidroSedimentos 2.0, que só precisaria de cinco verticais. Fonte: ana.gov.br


Boletim informativo 039