Issuu on Google+

Paróquia de Nossa Senhora do Desterr o Florianópolis, 21/08/2010 a 29/08/2010

ANO VII - Nº. 328

Fone: (48) 3224.3357 - Site: www.catedralflorianopolis.com - Email: semanacat@gmail.com

Vocação leiga para os ministérios e serviços na comunidade Nesta quarta semana do mês vocacional, dedicada aos leigos e leigas, somos motivados a uma reflexão mais intensa sobre o sentido e significado da vivência de nossa vocação, através dos ministérios e serviços na comunidade. Após o Concilio Vaticano II (1962–1965), o tema da vocação e da missão passou a fazer parte da reflexão e da ação de todos os cristãos leigos e leigas, membros de vida consagrada e ministros ordenados. Hoje, por força do batismo e da configuração da Igreja como Povo Deus, temos maior consciência de que todos os batizados são vocacionados e chamados à santidade. A vocação é um relacionamento pessoal, que leva a escolha de Cristo e não das riquezas. Quem não sabe aceitar a renuncia, não está apto para acolher o convite e acaba ficando triste. A todos é feito o convite para “seguir” a Cristo deixando tudo (Mateus 16,24ss;10,38) para “tornar-se pequeno” para que mais livremente possam servir em favor do Reino de Deus (Mateus 18, 3ss;19,14). A certeza de que a Igreja é Assembléia dos chamados e vocacionados nos oferece motivação para melhor viver a nossa vocação, servindo na comunidade. Desça, sobre todos, leigos e leigas, pela intercessão de seus presbíteros a benção de Deus. A todos vocês, nossa gratidão pela oferta de suas vidas, através das pastorais, movimentos e ministérios na comunidade. Deus os recompense aqui e na eternidade. Amém! Pe. Moacir da Silva Caetano Reitor do Seminário Teológico de Caçador


As Vocações Leigas

(Fonte Inspiradora: Documento de Aparecida)

Neste quarto domingo do mês, que coincide com a quarta semana do mês vocacional, somos convidados a refletir, valorizar e rezar pelas vocações leigas. Segundo o Documento de Aparecida, “os fiéis leigos são todos os cristãos que estão incorporados a Cristo pelo Batismo; que formam o povo de Deus e participam das funções de Cristo: Sacerdote, Profeta e Rei.” São “homens da Igreja no coração do mundo, e homens do mundo no coração da Igreja”. Sua missão própria e específica se realiza na família, no trabalho, no lazer, no mundo da economia, da política, da educação, da cultura, das ciências, das artes, dos meios de comunicação, etc... Com seu testemunho e suas atividades, os leigos devem contribuir para a transformação das realidades onde vivem e para criação de estruturas justas, conforme o Evangelho. São convidados a serem discípulos e missionários de Jesus. Devem dar testemunho de sua Fé, mostrando autenticidade e coerência em sua conduta, onde quer que estejam. Os leigos também são chamados a participarem na Ação Pastoral da Igreja, com seu testemunho e participação nos diversos Ministérios, Pastorais e Serviços. Cada um conforme seus dons e carismas. Na paróquia da Catedral, como em tantas outras da nossa Arquidiocese, são muitos os leigos e leigas engajados nos mais diversos e diferentes trabalhos pastorais. A eles, nesta semana dedicada às Vocações Leigas, nossa prece e nossa gratidão pelo seu testemunho e colaboração na Ação Pastoral e Evangelizadora da Igreja! Maria Inês Clasen Conselho Paroquial de Pastoral da Catedral


Mais um aniversário do Movimento Pólen Somos gratos a Deus, Nosso Senhor, pelos trinta e nove anos do Movimento Pólen. Ele nasceu de um Retiro Espiritual, na Casa de Retiros do Morro das Pedras, em 26, 27 e 28 de agosto de 1971, do qual participaram 52 adolescentes e jovens. Entramos no quadragésimo ano da caminhada. Pedimos a sua participação pela oração e, ajudando a identificar jovens que estão desejando ter uma experiência de Deus, a partir da amizade, do amor fraterno, da reflexão sobre os valores da vida, da oração e do encontro com a Palavra de Deus.

O Apostolado do Mar

Pe. Giovanni Corso

Da Pastoral dos Migrantes e do Apostolado do Mar

A Igreja tem como berço um porto e os mensageiros que Jesus escolheu eram pescadores. Por isso não pode virar as costas para o mar, lembrando que 300 milhões de pessoas trabalham em navios e barcos e 90% da mercadoria produzida no mundo é transportada por água. Neste Ano do Marinheiro, a Igreja comemora a fundação do Apostolado do Mar, iniciado em Glasgow (Escócia), em 4 de outubro de 1920, por três leigos. Um serviço que a Igreja desenvolve visitando as tripulações dos navios e acolhendo-as nos "Centros Stella Maris", onde o marinheiro encontra espaço de lazer e meios para se comunicar com suas famílias. "O progresso tecnológico tem trazido muitas mudanças na indústria marítima, no entanto, pouco tem mudado no que diz respeito às necessidades humanas dos marinheiros e pescadores" (Mensagem do Conselho Pontifício da Pastoral para Migrantes e Itinerantes). O Estado de Santa Catarina tem cinco portos. A comunidade eclesial está fazendo alguma coisa em prol dos marinheiros e pescadores? O Senhor nos convida a agir evangelicamente com os homens e mulheres do mar. Aceitemos generosamente seu convite!


Um fato em foto Nesta quarta, dia 18, (foto abaixo), uma Comissão de Arquitetas do Ateliê de Conservação e Restauração de Bens Móveis e Integrados da Fundação Catarinense de Cultura (FCC) e do SEPHAN (Serviço do Patrimônio Histórico, Artístico e Natural do Município), setor do Instituto de Planejamento Urbano de Florianópolis (IPUF), visitaram as obras de restauração da Catedral Metropolitana de Florianópolis. A Comissão foi acompanhada pela engenheira civil da CONCREJATO, Maria Aparecida Soukel e pelo arquiteto Jonathan Carvalho, responsáveis pela execução das obras. Na ocasião foi-lhes apresentado, em detalhes, o projeto de criação do “Espaço Museal”. “Estamos fazendo uma visita de acompanhamento e podemos dizer que está sendo cumprido o compromisso com a verdade histórica, cultural e artística e principalmente com o projeto”, afirmou a arquiteta Fátima Regina Althoff, da FCC.

“ As obras monumentais de cada povo continuam, sendo no presente o testemunho vivo de sua cultura e de suas tradições seculares. A humanidade, cada vez mais consciente da unidade dos valores humanos contidos em seu patrimônio histórico, com sua preservação, manifesta cidadania, responsabilidade e respeito a si mesma e às geraçõesfuturas” (Carta Internacional sobre Conservação e Restauração de Monumentos e Sítios - Veneza - 1964).


Semana na Catedral Ano VII Nº 329