Page 1

Paróquia de Nossa Senhora do Desterr o Florianópolis, 12/06/2010 a 20/06/2010

AN O V II I I - Nº Nº.. 319

Fones: (48) 3733.5030 ou 9106.3132 - Site: www.catedralflorianopolis.com - E-mail: semanacat@gmail.com

Amor, um santo remédio!

No evangelho deste domingo (Lucas 7,36-8,3) vê-se o retrato de uma cena que reflete bem o espírito de Jesus. Está na casa de Simão, fariseu, respeitável cumpridor das leis religiosas. Entra em cena figura indesejada: uma mulher, pecadora pública conhecida (pecadores somos todos, mesmo que outros não saibam) . Chorando, derrama perfumes sobre Jesus. Não fala, pois não é preciso. Os fariseus, porém, a começar pelo dono da casa, estranham: será que Jesus sabe com quem está lidando? Para Jesus a força do amor é maior que o peso de qualquer pecado. Acolhe, perdoa, abre caminho para a mulher se recompor e viver vida nova. E não perdoa secamente, como quem faz favor a quem não merece: valoriza o amor que está recebendo, faz a mulher se sentir importante, mais importante até do que o dono da casa, que não foi capaz de acolher devidamente seu convidado. Pecado não é coisa boa, sabemos. É necessário, pois, evitar o pecado, e, assim participar da vida da Igreja, cultivar a fé em Deus, pela oração e pelos sacramentos. Mas, temos que tomar cuidado para não sermos apenas cumpridores de leis. Corremos o risco de nos transformar em juízes de quem não faz tudo tão certinho assim. A atitude do fariseu Simão era correta. Tinha seus deveres religiosos rigorosamente em dia e, por isso, julgava poder olhar de cima a pobre pecadora que só sabia chorar e mostrar com gestos seu amor a Jesus, sem coragem até de falar. Para Simão, o fariseu, no entanto, faltavá-lhe algo mais, o essencial para uma vida cristã plena e autêntica: compaixão, compreensão, misericórdia e amor. Somos salvos porque Deus nos ama e não porque cumprimos mandamentos. Pe. Francisco de Assis Wloch Pároco e Reitor da Catedral


Festa do Sagrado Coração de Jesus Maria Inês Clasen

Conselho Paroquial de Pastoral

Liturgicamente, o mês de junho é dedicado ao Sagrado Coração de Jesus, imagem do infinito amor de Deus por cada um de nós. Podemos afirmar que a grande revelação do Sagrado Coração de Jesus foi no alto da Cruz, onde seu coração, traspassado pela lança, derramou suas últimas gotas de sangue e água (João 19, 34). A Igreja Católica celebra o Sagrado Coração de Jesus sempre na sexta-feira da semana seguinte à Festa de Corpus Christi. Esta festa foi instituída pelo Papa Clemente XIII, em junho de 1675, inspirado numa revelação de Jesus a uma religiosa, Santa Margarida Maria Alacoque: “Eis aqui este Coração que amou tanto os homens, que não omitiu nada até esgotar-se e consumir-se para manifestarlhes seu amor e, por todo reconhecimento, não recebe da maior parte, mais que ingratidão, desprezo, irreverência e tibieza, que tem para mim neste sacramento de amor.” Diante de tantas experiências de desamor que vivemos, na forma de violências, intolerâncias, egoísmos, indiferenças e preconceitos, é necessário, mais do que nunca, a contemplação do imenso amor do Coração de Jesus, e vivenciá-lo, dia a dia, num relacionamento amoroso, fraterno, solidário e sem limites para com todos. Jesus, manso e humilde de coração, fazei o nosso coração semelhante ao vosso!

O Apostolado da Oração O Apostolado da Oração, cujo carisma é a oração e a devoção ao Coração de Jesus, existe no mundo inteiro há alguns séculos. Em nossa Paróquia de Nossa Senhora do Desterro e Santa Catarina (Catedral), está completando 115 anos de sua fundação. A todos os seus membros, nossos cumprimentos e agradecimentos por sua perseverança, pelas orações e abnegado testemunho cristão.


Nova Coordenação do Conselho Paroquial de Pastoral O Conselho Paroquial de Pastoral - CPP, é o organismo representativo de toda a paróquia, constituída por comunidades eclesiais (matriz e capelas). É sinal e instrumento de comunhão eclesial, lugar de encontro e de convergência, de diálogo e de irradiação pastoral (Regimento do CPP – artigo 1º). No último domingo, dia 06 de junho de 2010, na missa das 18h, foi apresentada a nova coordenação do CPP da Paróquia de Nossa Senhora do Desterro, Catedral, para o período de junho de 2010 a junho de 2012. Após leitura da Provisão, assinada por Dom Murilo Ramos Krieger, Arcebispo Metropolitano de Florianópolis, Pe. Francisco de Assis Wloch, Pároco e Reitor da Catedral, deu posse à nova Coordenação, assim constituída: Presidente: Pe. Francisco de Assis Wloch Coordenador: Sandro Gonçalves Martins Vice-Coordenadora: Maria de Fátima Gomes de Oliveira Primeira Secretária: Maria Inês Clasen Segunda Secretária: Cleusa Iara Albernaz Morga Administradora Econômica (Tesoureira): Rosilete Lima Desejamos à nova coordenação as mais ricas bênçãos de Deus, e a proteção materna de Nossa Senhora do Desterro, para um bom desempenho desta nobre missão em favor da comunidade paroquial. Ato contínuo, nosso Pároco, Pe. Francisco de Assis, agradeceu o trabalho da antiga coordenação, entregando uma placa de agradecimento ao Senhor Karam Albert Karam que, por onze anos, exercera a missão de Tesoureiro e Administrador Paroquial. Dizia a placa: “A Paróquia de Nossa Senhora do Desterro e Santa Catarina e a Ação Social e Cultural da Catedral reconhecem e agradecem a dedicação, a perseverança, a seriedade e a fidelidade com que Karam Albert Karam exerceu, durante 11 anos, a árdua e estafante missão de Administrador e Tesoureiro Paroquial. Florianópolis, 6 de junho de 2010. “De graça recebestes, de graça dai” (Mateus 10,8).


Semana do Migrante Celebrando a Semana do Migrante, que completa 25 anos de atividade, o bispo responsável pela Pastoral da Mobilidade Humana, da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, dom Maurício Grotto, escreveu uma mensagem às comunidades chamando a atenção para a realidade dos que “vão e vem, dos que partem e chegam”. Abaixo, uma síntese desta mensagem. A Semana do Migrante 2010, de 13 a 20 de junho, está fazendo Jubileu de Prata: 25 anos de heróico esforço para entrar na agenda pastoral das comunidades, paróquias e dioceses; tentando chamar a atenção para a realidade dos que vão e vem, dos que partem e chegam; pesquisando e trabalhando as causas e conseqüências de uma migração muitas vezes cercada de angústias, injustiças e tragédias como acontecem principalmente com as vítimas do tráfico de seres humanos para exploração sexual e trabalho escravo de todo tipo. [...] A Semana do Migrante retoma o tema da Campanha da Fraternidade de cada ano e procura aplicá-lo (ver - julgar - agir) à realidade vivida pelos migrantes, itinerantes e refugiados. De fato, esta realidade constitui um fenômeno cada vez mais complexo do ponto de vista social, cultural, político, religioso econômico e pastoral. [...] Milhões de pessoas migram, ou se vêem forçadas a migrar dentro e fora de seus respectivos países. As causas são diversas e estão relacionadas com a situação econômica, as várias formas de violência, a pobreza que afeta as pessoas e a falta de oportunidades para pesquisa e o desenvolvimento profissional. [...] A exploração do trabalho chega, em alguns casos, a gerar condições de verdadeira escravidão. Acontece também um vergonhoso tráfico de pessoas, que inclui a prostituição, inclusive de menores. [...](Cf. Documento de Aparecida n. 73). Ano após ano, a Campanha da Fraternidade tem estado presente na Semana do Migrante. Penso que é chegado o momento do mundo do migrante se fazer presente numa Campanha da Fraternidade. É preciso reconhecer que poucas paróquias e/ou dioceses realizam a Semana do Migrante. Mesmo que todas a promovessem, uma Semana dedicada ao Migrante é muito pouco. É chegada a hora de uma CF inteira, toda voltada para o vasto e complexo mundo da mobilidade humana.

Semana na Catedral  

Informativo semana na catedral, distribuído semanalmente com informações e atividades que são realizadas na Catedral Metropolitana de Floria...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you