Page 1

CATARINA #

Informativo Semanal 5 de Agosto

Situação das escolas estaduais será tema de audiência

Frente Parlamentar da Catarina propõe Juventude inicia audiência pública para seminários regionais discutir a utilização de bicicletas no trânsito “Estamos abrindo fóruns de dis-

Audiência pública sobre as condições físicas e estruturais cussão sobre a realidade dos jovens das escolas públicas do Estado é no Estado para podermos discutir aprovada pela Comissão de Edu- as políticas governamentais no cação, Cultura, Desporto, Ciência enfrentamento de questões como e Tecnologia, da qual o deputado educação, drogas, violência, saúde Catarina é integrante. Ele ressalta e desemprego” afirma o deputado a importância dos representantes Catarina. O primeiro seminário de Pelotas participarem. ocorreu dia 11, em Pelotas.

PÁG.2

4

PÁG.3

Uma audiência pública sobre as dificuldades e os desafios do uso de bicicletas será realizada pela AL. “Pelotas deveria ser um exemplo no que diz respeito à utilização de bicicletas como transporte. A cidade possui uma topografia extremamente plana e um clima temperado, ideal para isso”, afirma o deputado.

PÁG.4


Informativo Semanal CATARINA

ESCOLAS ESTADUAIS

Situação das escolas estaduais será tema de audiência A Comissão de Educação, Cultura, Desporto, Ciência e Tecnologia, da Assembleia Legislativa, aprovou, hoje (02/08), realização de audiência pública sobre as condições físicas e estruturais das escolas públicas do Estado. Para o deputado Catarina Paladini (PSB), integrante da Comissão, será a oportunidade de ouvir representantes da educação estadual em Pelotas sobre a situação de suas escolas. “Temos recebido muitas demandas do município e queremos incluir nossas escolas nesta audiência”, afirmou o deputado. Serão convidadas para a reunião as secretarias esta-

duais de Educação, da Fazenda e de Obras, as secretarias municipais de educação, conselhos comunitários e a Procuradoria Geral do Estado, explicou o parlamentar. “Assim que definirmos a data da audiência vamos convidar os representantes de Pelotas para participar”, disse Catarina. Há uma semana, ele se reuniu com o secretário de Educação do RS, José Clovis Azevedo, que informou ser de R$ 61 milhões o total de recursos a serem empregados este ano nas obras do setor. “Se tivéssemos capacidade operacional para realizar todas as obras, reformaríamos 240 escolas em 2011”, disse o secretário. Um dos prédios que espera pela reforma é o da Escola Estadual de Ensino Médio Marechal Rondon, de Monte Bonito, cujas obras foram interrompidas pela empresa contratada. O secretário garantiu ao deputado Catarina que a reforma da cobertura e do forro do teto reinicia em breve.

Estudantes

Deputado Catarina no Congresso da UNE

2

O deputado Catarina Paladini (PSB) participa, nesta sexta-feira, 15/07, do 52º Congresso Nacional da União Nacional de Estudantes. Convidado a falar, o parlamentar abordará o tema Juventude, Saúde, Esporte e Lazer no tempo livre. Catarina também entregará ao ministro dos Esportes, Orlando Silva, o seu projeto “Bom de bola, bom na escola”, aprovado em tempo recorde na Assembléia Legislativa. O parlamentar acredita que o esporte, aliado à educação, é fundamental para o desenvolvimento dos valores sociais, morais e éticos. “Numa época de profundas mudanças, em que há um pluralismo de idéias e de culturas, as crianças e os jovens carecem de encontrar, na prática esportiva, um modelo de esporte que respeite a sua identidade, suas diferenças e seus limites” afirma. Em seu discurso ele dirá que, “mesmo avançando na área esportiva com a Copa do Mundo em 2014 e

os jogos Olímpicos do Rio de Janeiro em 2016, ainda encontramos limitações no que tange a conexão entre esporte e educação no Brasil”. Catarina também abordará a permanência do jovem na universidade. Segundo o parlamentar, para grande parte dos estudantes brasileiros que chegam aos cursos superiores, sejam públicos ou particulares, a permanência é um desafio constante. “As dificuldades e os altos custos de manutenção fazem com que permanecer na sala de aula seja possível apenas para poucos estudantes brasileiros” afirma. Por isso, o deputado acredita que “os desafios da Universidade são permanentes e as lutas dos estudantes também”. Ele destaca o papel da UNE, e os movimentos estudantis atuantes, “fundamentais para a construção de uma nova perspectiva de Universidade, voltada para os estudantes e comprometida com as questões sociais”.


O desafio de conhecer melhor a juventude gaúcha está lançado. Com uma série de seminários pelo Rio Grande do Sul, o deputado Catarina Paladini (PSB) quer traçar um perfil dos jovens e desenvolver as propostas da Frente Parlamentar em Defesa da Juventude, criada este ano por sua iniciativa. O primeiro seminário ocorreu em Pelotas, dia 11, com a presença de estudantes e representantes de movimentos sociais e culturais. Participaram mais de 50 jovens que viajam para o 52º Congresso Nacional da União Nacional de Estudantes, em Goiânia. “Estamos abrindo fóruns de discussão sobre a realidade dos jovens no Estado para podermos discutir as políticas governamentais no enfrentamento de questões como educação, drogas, violência, saúde e desemprego” afirma o deputado Catarina. Intitulado “Da democratização à ampliação dos espaços democráticos: a luta pela Frente Parlamentar em Defesa da Juventude”, o evento debateu questões como o papel do jovem na sociedade e o avanço das políticas públicas para o setor. “Queremos que o jovem seja protagonista de sua história e, para isso, é preciso que ele esteja presente em nossos encontros para lutar por seus direitos”, disse o parlamentar. Além da Frente, que será instalada em agosto na Assembleia Legislativa, Catarina também falou sobre a Proposta de Emenda Constitucional (PEC 212/2011) de sua autoria, que propõe a criação do Conselho Estadual da Juventude no Rio Grande do Sul. História – Convidado para o seminário, o professor Renato Della Vechia, da Universidade Federal de Pelotas, falou os movimentos estudantis no Brasil entre as décadas de 1960 até 1980. “Os anos 60 e 70 foram marcados pela forte mobilização da juventude e a formação dos centros populares de cultura”, contou Vechia. “Com o golpe militar em 1964, tanto a juventude como a sociedade em geral se viram acuadas, sem possibilidade de resistência”, continuou o professor. A partir dos anos 80, surgem as tendências estudantis e a tentativa de reorganizar os movimentos, com a formação de quadros políticos que viriam a influenciar a realidade do país. Renato Della Vechia afirmou que, hoje, é mais difícil

FPPJ

Frente Parlamentar da Juventude inicia seminários regionais mobilizar os jovens, até porque “a política está mais fragmentada, discutindo em separado temas como juventude, gênero e meio-ambiente”. Para ele, é muito importante “construir questões centrais”, que aglutinem o interesse da sociedade como um todo. O coordenador cultural da Central Única das Favelas de Pelotas, Sandro Mesquita, lançou um desafio aos participantes do seminário: “Como mobilizar e sensibilizar a juventude para o seu papel social? A maioria dos jovens da periferia está envolvida pelas drogas, pela gravidez na adolescência, a violência em casa. Como acordá-los desse transe?”, questionou Sandro. Também fez parte da mesa o produtor cultural Manoval Robe, que representa o Circuito Fora do Eixo. Para ele, é importante que governo e movimentos estejam organizados para avançar nas políticas públicas que beneficiem a juventude. “No momento em que investe no jovem, toda a sociedade se beneficia”. Um dos temas mais abordados pelo público foi a pouca atuação dos jovens. A necessidade de estudar e trabalhar torna difícil a presença nos movimentos sociais, muitos consideram. Eles também colocaram a importância de se trabalhar a estrutura familiar, principalmente nas periferias, para garantir uma boa formação desde a infância.

5 de Agosto

3


Informativo Semanal CATARINA

A partir da proposta do deputado estadual Catarina Paladini (PSB), a Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul realizará uma audiência pública para discutir as dificuldades e os desafios do uso de bicicletas nos municípios do Estado. De acordo com o parlamentar, a ideia da audiência surgiu a partir da realidade de Pelotas, onde foi elaborado um relatório sobre a utilização do transporte nas vias públicas. “Estamos falando de um meio de transporte que não polui o meio ambiente e preserva os espaços públicos. Por isso, temos que aprofundar a discussão e colocá-la na pauta de prioridades do trânsito gaúcho”, justifica o deputado. Segundo ele, a intenção agora é conversar com o secretário municipal de Segurança, Transporte e Trânsito de Pelotas, Flavio Gastaud, e com o Movimento dos Usuários de Bicicleta, para levar ao parlamento gaúcho a situação do município. “Pelotas deveria ser um exemplo no que diz respeito à utilização de bicicletas como transporte. A cidade possui uma topografia extremamente plana e um clima tempera-

Ciclistas

Catarina propõe audiência pública para discutir a utilização de bicicletas no trânsito do, ideal para isso”, explica Catarina Paladini. De acordo com o relatório elaborado pelo deputado, Pelotas possui pouco mais de 16 quilômetros de ciclovias e ciclofaixas pavimentadas, sendo que cerca de

30 mil pessoas utilizam a bicicleta como meio de transporte. “Temos que garantir um trânsito mais humano para esta parcela da população, com respeito à vida e à integridade física”, afirma o parlamentar.

A audiência pública para discutir as dificuldades e desafios do uso de bicicletas nos espaços urbanos acontecerá em setembro, na Assembleia Legislativa, durante a Semana do Trânsito no Estado.

Mais informações sobre as atividades do mandato em: www.catarina.org.br

catarinapaladini.blogspot.com

www.twitter.com/catarinapsb www.facebook.com/depcatarina

4 ConFIra as edições anteriores em: www.issuu.com/depcatarina

#4

Informativo #4 - Deputado Catarina (PSB-RS)