Page 1

DUTMY MAG

ANO 01 EDIÇÃO 01

OUTONO/INVERNO 2010

música

moda

tendências BELEZA

ballet rock

1


editorial

Dutmy é muito mais do que uma marca,

somos a tradução do seu universo. Diariamente nossa equipe desenvolve aquilo que você busca na moda. A Dutmy é sua aliada na sua forma de se comunicar com o mundo, por isso acreditamos que é fundamental ter uma revista como canal direto de comunicação com você. A partir de agora você mergulha no universo Dutmy através de cada página desta revista. Nessa primeira edição você encontrará matérias que tratam dos mais variados assuntos, tudo aquilo que faz parte do nosso cotidiano. A internet, por exemplo, que é constante na nossa vida, aparece na pauta das top blogueiras. Todas com muito estilo e personalidade nos contam um pouco mais desse vício que é o blog de moda. Não poderíamos deixar de trazer também um colírio para nossos olhos, concorda? Por isso, Edward Cullen, o vampiro mais famoso do momento, aparece na matéria “Doce Mordida”, que fala sobre os filmes “Crepúsculo” e “Lua Nova”, uma verdadeira febre. Mas tem outras febres da estação como saltos enormes, tênis sneakers e batom rosa. Ao longo da edição você irá conhecer nossa coleção outono / inverno 2010, que está repleta de novidades e peças – desejo, que não podem faltar no seu guarda roupa. Nossa inspiração, que mistura a delicadeza do Ballet com a atitude do Rock, permitiu que nossa equipe de criação desenvolvesse looks incríveis para a temporada. Temos certeza de que essa revista é o inicio de uma série de publicações que você irá adorar e esperar pelas próximas. É isso que desejamos, afinal, criamos diariamente o universo Dutmy para você. Beijos, Equipe Dutmy

2


Conselho editorial Dulci Bock / Michele Bock / Jeter Schlotefeldt / Michelle Regina. Editora-chefe Patrícia Lima Diretor Criativo Giancarlo Meneghini Jornalistas Ana Clara Montez / Camila Cover / Sidney Tancredo Criação Bernardo Presser Marocco / Johlen Teixeira / Vivian Lobenwein Produção Bhianca Chiaradia / Maria Cristina Périco Revisão Priscila Emília Coelho Publicidade e Assinatura 0300 645 7777 www.dutmy.com.br Dutmy Mag uma publicação distribuída nacionalmente através de mailling dirigido e assinatura. A revista não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos assinados. Este é um produto desenvolvido pela Editora Catarina/ Grupo903 sob encomenda da Bock Indústria e Comércio. Bock Indústria e Comércio Avenida das Indústrias S/N - Lote 15 e 17 Bairro Nossa Senhora da Salete Criciúma - SC - CEP 88815-526 Catarina/Grupo903 Rua Sérgio Gil, 477 - Balneário Florianópolis - SC - CEP 88.075-340 (48) 3024.3432 / (48) 3024.3437 www.grupo903.com.br

Crédito de Capa Foto: Diogo Pedro Beleza: Fabi Arcoverde Modelo: (FORD) Ela veste casaco de pele sintético, regata de malha e legging Dutmy e sandálias Arezzo.

3


16

BATOM VERMELHO OU ROSA PINK?

06

MODA DE VERDADE

12

ARRASE EM QUALQUER OCASIÃO

22

4

A VOLTA DAS PLATINADAS

26

SALTO ALTO OU TÊNIS SNEAKER


40

FASHION ATTITUDE

28

PRINCESS ROCK N’ ROLL

54 DOCE MORDIDA 64

MAQUIAGEM MINERAL

70

MAXI ACESSÓRIOS 5


MODA A DUTMY JÁ NASCEU COM KNOW-HOW EM MODA E ESTILO DE VIDA. A marca está há quase dois anos

no mercado e conta com uma estrutura sólida e experiente, com 16 anos de atividade no segmento do vestuário. Para a diretora da empresa, Dulci Bock, o diferencial está na qualidade dos materiais e no acabamento das peças. “Temos uma ampla experiência com Private Label para marcas premium e há tempos decidimos investir em uma marca que mostrasse todo o nosso potencial e conhecimento”, complementa. Com foco na marca e no público de mulheres jovens de 15 a 25 anos, Dutmy investe em pesquisa e criatividade. “Sempre focamos em peças com valor agregado”, comenta Dulci, que indica os vestidos mais sofisticados, como peças importantes da Dutmy. São aquelas peças que a gente adora e que se encaixam bem em ocasiões que vão desde o coquetel até uma cerimônia mais discreta. O diferencial está nas embalagens promocionais, que são um mimo à parte e em toda a linha de jeans e blusas, que mantém o prazer de vestir em qualquer ocasião, da balada à faculdade. O estilo casual-chique e despojado proposto pela Dutmy é visto em quatro coleções anuais, com mais de 160 peças e está nas melhores lojas multimarcas de todo país. Confira a entrevista com Michele Bock, que está à frente da Coordenação de Estilo e Desenvolvimento de Produto da Dutmy, uma marca que é uma verdadeira fábrica de sonhos e que transfere para as roupas os desejos da mulher. Dutmy: Você é publicitária e sabe bem o que busca na marca. A história da Dutmy é baseada em uma evolução empresarial e pontuada por um extenso trabalho de 16 anos com Private Label. Como foi essa transição de trabalhar com outras marcas e agora se dedicar a uma marca própria? Michele: O trabalho que fazíamos antes com o Private Label é muito diferente do que executamos com a nossa marca própria. No PL tínhamos marcas que confiavam no nosso processo de criação, desenvolvimento e eles só forneciam a etiqueta mesmo. Na verdade, a maior parte do mercado de grandes marcas de São Paulo já está operando assim. Fazíamos tudo e às vezes eles modificavam alguma coisa, mas geralmente compravam as peças exatamente como eram oferecidas. Trabalhávamos então com pedidos fechados para esses clientes. Já com a nossa marca, o trabalho é completamente outro: temos um

6


DE VERDADE departamento de Estilo preparado para criar peças que formam uma unidade, encontramos uma identidade e estamos nos posicionando no mercado com estilo e com coleções coordenadas. Isso ocasiona várias mudanças em termos de um direcionamento no planejamento de marketing da empresa. Antes tínhamos empresas como clientes e agora passamos a ter lojistas, logo os investimentos em marketing são muito maiores para fortificar o nome da marca. Estamos trabalhando também em mudanças em toda a cultura interna no que diz respeito à programação e controle da produção que, com essas alterações, adotamos uma outra lógica de funcionamento. Esses são apenas alguns detalhes. Claro, dá muito trabalho, mas para nós é muito gratificante. Durante os anos em que estivemos no PL sempre almejamos em ter uma marca e decidimos nos dedicar inteiramente a este projeto. Para que tudo dê certo como tem dado, toda a equipe deve entender e aceitar as mudanças e reestruturações que são necessárias. D: Sabemos que no Brasil as empresas enfrentam certas dificuldades, como altos impostos, concorrência desleal, entrada de produtos estrangeiros e até a pirataria. Para você, quais os desafios de lançar uma marca hoje? M: O mercado brasileiro realmente está super complicado, além dos altos impostos, concorrência desleal e outras coisas citadas, há muitas marcas novas brigando por espaço. O consumidor mudou muito, está mais exigente e menos fiel. O desafio é encontrar os clientes, conquistá-los e mantê-los. Para isso acontecer, acredito que temos uma boa estrutura na administração do negócio e encontramos o diferencial perante tanta concorrência. Conquistar e fidelizar clientes é uma arte que estamos praticando sempre. D: Muitas empresas familiares têm uma história muito parecida, com amplo envolvimento de pais e filhos desde pequenos. Como você começou o seu envolvimento com a moda? M: Começou há exatamente 16 anos, quando eu tinha 12 anos e a minha mãe resolveu que queria ter uma confecção. A minha mãe trabalhava primeiro no quartinho que seria uma espécie de dependência de empregada e usava uma mesa de desenho velha do meu pai para fazer os moldes e cortar as peças. A partir daí todo o trabalho de estamparia e confecção era feito fora. Essas peças eram vendidas às vizinhas da minha vó, no Rio Grande do Sul, num primeiro momento, e desde o início já foi um sucesso. Foi assim que a Bock nasceu. Com o tempo vieram mais clientes e mudamos do quarto para uma garagem do prédio. Em seguida, dividimos um pavilhão com outra confecção e assim fomos crescendo aos poucos. No início ajudava minha mãe a colocar tags, embalar as peças e depois comecei a ajudar no controle das lojas que tínhamos na época. Aos poucos fui entrando no desenvolvimento e comecei a

7


NOSSAS METAS PARA 2009 FORAM TODAS SUPERADAS E, COM CERTEZA, 2010 SERÁ AINDA MELHOR. atender as marcas. Ajudava na criação e passei a trabalhar no setor de desenvolvimento, primeiro como assistente e a liderança no setor foi ocorrendo naturalmente. Passei por várias etapas do processo e acompanho minha mãe desde o início. Considero que a minha responsabilidade foi aumentando progressivamente. D: Santa Catarina é um estado que possui uma veia têxtil muito forte. Qual a sua opinião sobre o cenário da moda catarinense? M: Vejo o mercado catarinense como fantástico. Possui um potencial enorme, mas está um pouco longe de ser o que o eixo Rio - São Paulo é para a moda brasileira. Há vários motivos para que isso aconteça, dentre eles, acredito que seja a falta de união das empresas do setor a fim de tornar o estado forte. Temos carências de eventos realmente significativos e com mídia nacional e nós mesmos não valorizamos o que é daqui. Acredito que por trás disso há uma questão cultural que acaba influenciando, mas temos mesmo assim diversas marcas fortes, tanto nacional quanto internacionalmente, e isso é ótimo. Várias faculdades estão oferecendo profissionais de moda ao nosso mercado, o que também é muito bom, pois há uma profissionalização mais específica e isso é muito importante dentro das empresas. D: E como você vê a Dutmy crescendo no mercado nacional? M: A Dutmy atualmente está em quase todos estados brasileiros. Neste um ano e meio de mercado, temos crescido junto aos clientes e ampliado também as vendas pelo Brasil inteiro. Nossas metas de crescimento para o ano de 2009 foram todas superadas e com certeza, 2010 será ainda melhor. D: Com quase dois anos de marca, quais são os avanços? O que lhe faz ir adiante? M: Nestes quase dois anos de marca temos recebido muitos elogios e retornos nos indicando que estamos no caminho certo. Estamos fazendo um produto diferenciado, cuidando dos mínimos detalhes. Logo, o cliente tem percebido isso. O nosso crescimento nos faz perceber que todo esforço tem valido muito a pena. D: Há algum trabalho de responsabilidade social sendo desenvolvido na empresa? Qual? M: Todo final de ano realizamos uma gincana beneficente com nossos funcionários. Arrecadamos alimentos e roupas que são doadas para instituições que precisam. No ano de 2009 também tivemos doações de sangue e medula. Estamos realizando na empresa palestras sobre DSTs, higiene no trabalho, nutrição, prevenção a aciden-

8


tes e tudo isso com o intuito de garantir informação para uma melhorar a qualidade de vida dos colaboradores e suas famílias. D: Você coordena uma equipe de criação, mas como é o trabalho de pesquisa e criação das peças? M: Realizamos trabalho de pesquisa com viagens, revistas e na internet, que hoje é uma ferramenta essencial. Mas sempre estamos com os olhos atentos ao mercado. Entender a lógica do que acontece e o que o consumidor vai querer usar na próxima coleção é essencial para o sucesso. A inspiração na verdade vem do trabalho de pesquisa e da percepção do que está acontecendo. D: Para a coleção de Inverno 2010, o tema surgiu de que maneira? Como vocês estão trabalhando com ele ao longo da coleção? M: O tema surgiu a respeito do conceito que estamos criando na marca. A Dutmy passa uma imagem de bom gosto e sofisticação, por isso nos inspiramos no ballet. Trabalhamos com o tema usando transparências, tecido sofisticados, bordados delicados, rendas, tules. E, é claro, temos alguns elementos do tema nas estampas. D: O público Dutmy reconhece bem a marca, inclusive com as ferramentas da internet, como twitter, blog, orkut... Como está o retorno do público através da web? M: Está ótimo, estamos com dois perfis no Orkut e temos uma equipe que cuida diariamente dessas ferramentas sociais, que são super importantes. Ali está a comunicação direta da marca com os consumidores, eles dizem o que estão pensando e passamos a entendê-los e atendê-los melhor. As redes de relacionamentos na web são essenciais para qualquer empresa se manter atualizada e lembrada. D: Para finalizar, você pode nos dizer quais as novidades planejadas para 2010? Pode nos dar uma prévia? M: Temos vários novos projetos para 2010 e um deles é aumentar a quantidade de modelos da nossa linha praia, um sucesso em seu lançamento em 2009. Estamos criando outros canais de relacionamento para que possamos conhecer e atender nosso público cada vez melhor. Na verdade, posso adiantar pouca coisa, pois temos muitos planos e todos serão apresentados na hora certa. É só ficar de olho.

AS REDES DE RELACIONAMENTO NA WEB SÃO ESSENCIAIS PARA QUALQUER EMPRESA SE MANTER ATUALIZADA E LEMBRADA. 9


ROCK BALE 10

INSPIRAÇÃO


A cada estação, nossa equipe de criação busca inspirações para desenvolver a coleção que estará nas ruas. É através do tema escolhido que nossas estilistas tomam decisões, optam por tecidos, cores e formas. Quem trabalha com criação na moda pode encontrar inspiração em uma música, em uma obra de arte ou qualquer coisa que desperte as sensações e sentimentos buscados para incorporar o clima do trabalho. Para o outono/ inverno 2010 brasileiro, nossa equipe buscou inspiração nos opostos. Misturou Ballet com Rock and Roll. A leveza dos elementos do ballet surge em tecidos nobres e sofisticados. A renda trabalhada na coleção nos remete ao figurino usado por bailarinas. Para contrapor essa inspiração, as atitudes modernas do rock and roll surgem com força total para o próximo inverno. Paleta de cores fechada, com muito preto e mescla, tachas, zipers e leggins. Em dia com as tendências da moda mundial, a coleção traz ainda força nos ombros, que foram trabalhados delicadamente, com possibilidade de uso tanto para o dia quanto para a noite. Para um universo repleto de possibilidades, uma coleção com diversos estilos, mas todos com o mesmo DNA Dutmy.

CK ETT DNA

11


ARRASE EM QUALQUER OCASIÃO A Dutmy se preocupa em deixar sua consumidora pronta para todas as situações, da faculdade à balada. A linha Holiday oferece produtos para os momentos mais descontraídos, como almoço com a família, passeio com as amigas ou cinema com o namorado. São roupas com tecidos de toque macio e modelagem confortável, ótimas para aproveitar os fins de semana e as férias. Com a linha Happy Hour, você não terá desculpas para recusar nenhum convite. Ela a deixa arrumada para o dia todo. Você pode sair de casa de manhã, ir para a faculdade, trabalho e ainda dar uma esticadinha e sair à noite. E se a intenção é mesmo ir para a balada, a linha Feelings é ideal. Ela tem looks que vão te fazer arrasar em qualquer festa. São várias opções de vestidos, blusinhas, calça jeans e saias para te deixar mais sexy e linda a evento.

12


HAPPY-HOUR Aposte nos acessórios grandes. As pulseiras metalizadas são uma ótima opção para transformar a roupa da faculdade ou do trabalho em algo mais descolado. Brilhos, tachas e correntes também funcionam.

FOTOS ACESSÓRIOS: DIVULGAÇÃO H&M

Para sair, troque a sapatilha pelo salto alto. Os modelos mais fechados são perfeitos para o inverno. Invista também em cores, como rosa, azul e amarelo. Sapatos poderosos são o que você precisa para transformar o look.

13


FEELINGS O metalizado está super em alta. Dourado, prata e chumbo trazem um ar futurista e deixam seu look bem moderno. Além disso, brilhos e paetês também estão por toda parte neste inverno.

Na hora de escolher os acessórios, às vezes pensamos só em brincos, colares, pulseiras e anéis e esquecemos da cabeça. Os acessórios de cabelo são perfeitos para completar o visual, além de serem muito fofos. Existem várias opções, pentinhos, fivelas, tiaras com brilho, plumas, penas e tachas.

14


HOLIDAY Os sapatos mais pesados tipo abotinados são uma forte tendência. Eles são bem versáteis: em dias mais quentes, podem ser usados com saias e vestidos e, no frio, ficam ótimos com meia calça e legging. A meia-pata, por ter a plataforma na parte da frente, dá mais estabilidade e é mais confortável. As sapatilhas continuam como uma peça-chave no armário. São femininas, bonitas e confortáveis, perfeitas para passar o dia inteiro. As versões em cetim, metalizadas, com paetês e tachas também ficam ótimas para a noite. É um investimento para o ano inteiro.

15


BATOM VERMELHO OU ROSA PINK? As tendências de batom para o inverno 2010.

Tendência forte para o inverno 2010 são os batons rosa pink e vermelho. A mesma divide a opinião entre as mulheres, enquanto umas decretam que o batom vermelho só deve ser usado à noite, outras acham o rosa pink muito chamativo. Tem sido tendência há algumas estações o olho marcado, o que pede uma boca nude ou batom e gloss bem clarinhos. Porém, depois de Angelina Jolie e Megan Fox, a boca bem marcada tem arrebanhado muitas seguidoras. Conseguir esse efeito ¨bocão¨ é quase instantâneo quando se usa essas duas cores. Respeitado o equilíbrio de se fazer um olho mais leve, apostar numa cor poderosa para os lábios pode ser a saída para inovar no visual. Permitido em todas as faixas etárias, o batom vermelho exige alguns cuidados na escolha do tom. Para comprar a cor certa: existe uma regrinha que diz que quem tem a pele “fria” deve optar por batons com fundo rosa ou azul e quem tem a pele “quente” deve investir nos que têm fundo amarelo ou laranja. Para saber se você é quente ou fria: olhe as veias do seu pulso. Se elas forem esverdeadas você é quente, se forem azuladas, é fria. As mais clarinhas ficam bem com um vermelho com tons mais rosados, as de pele mais amarelada e orientais com tons mais abertos, as morenas com tons mais fechados e escuros e as negras os tons metalizados. Já o batom rosa pink pode ser uma aposta arrojada para quem quer diversificar o visual de dia, pois ele alegra e esquenta o visual nos dias nublados e opacos do inverno. O mais legal é que o batom rosa pink é indicado para peles claras e morenas. Outra dica para você conseguir um efeito mate é usar um lápis de boca rosa pink, ao invés do batom, além de ficar com a boca linda, você consegue aumentar um pouco os lábios. Caso não queira usar o lápis, a dica para conseguir o efeito mate é passar uma camada bem generosa do batom rosa pink e depois tirar o excesso com o lenço de papel.

16

Valem outras dicas para uso desses dois batons: cuide para que seus dentes não fiquem borrados de batom; não tente combinar a roupa com a cor da boca e invista nesses dias em cores de roupa mais neutras para que a boca seja a estrela da produção. Um exemplo de quem assumiu o batom vermelho com muito estilo, mantendo os lábios sempre impecáveis é a cantora Gwen Stefani e aqui no Brasil uma fã ardorosa do batom rosa pink é a jornalista Vic Ceridono, que assina o blog www.diadebeaute.com onde tem muitas dicas de maquiagem. Aqui ela nos conta mais sobre o batom rosa pink:


Dutmy: Que tipo de pele combina com batom rosa pink? Vic: Eu acredito que todas combinam, só é preciso achar o tom ideal, pense que existem os pinks azulados e os pinks que são mais “quentes” e que combinam melhor com a pele da brasileira. Sempre, sempre, é preciso experimentar na boca pra ver e encontrar o seu!

D: Quais as dicas para usar batom rosa pink no inverno? V: Eu particularmente acho que combina muito pink no inverno, uma versão mais fechada e bem opaca tem tudo a ver! E para não correr o risco de errar é legal passar menos coisa no olho, só rímel (bastante) e uma sombra iluminada e tá ótimo.

D: Como você usa o batom rosa pink, tens algum preferido? V: Eu adoro o Girl About Town da Mac, o Raspberry Mate da Contém 1g e o Rosa Glamour do O Boticário (que ela está usando na foto), esse segundo combina mais com as brasileiras morenas de pele mais amarela (o biotipo mais comum!) e eu uso desse jeito que falei acima, e não me importo com dia/noite, uso quando dá na telha!!

17


3

UMA PEÇA,

LOOKS

Peças versáteis. É isso que você precisa ter no seu armário. Porque estar na moda não é gastar muito dinheiro com todos os tipos de roupa. Pelo contrário, isso vai muito mais de como você usa cada peça. Nada mais atual do que investir no item certo e saber combinar com os acessórios que fazem toda a diferença.

Escolhemos um vestido cinza mescla, da coleção inverno 2010 da Dutmy, e mostramos três maneiras de usar. Veja as dicas e inspire-se.

1

Sabe a sua calça jeans que você já usou mil vezes? Dobre a barra dela para dar um ar mais atual. Junto com a sapatilha, deixam o look mais casual. A bolsinha com alça de corrente é um acessório em que vale a pena investir. Tem sido muito usada pelas meninas mais antenadas e dão uma sofisticada na roupa.

18

JEANS + SAPATILHA: RENOVE SEU LOOK

A Dutmy oferece várias dessas peças-chave. Aposte em algumas e use a imaginação para criar looks que se encaixem nas diversas situações do seu dia-a-dia.


3

A saia jeans e bota baixa te deixam bem arrumada e descontraída, pronta para um happy hour com os amigos. O lenço dá o toque final. No inverno, além de proteger, eles são uma ótima opção bem moderna de acessório. Podem ter correntes, brilhos e estampas.

LENÇOS PARA O INVERNO: MODERNOS E VERSÁTEIS

BOTA E CINTO PARA FICAR PODEROSA

2

Os sapatos estão com muita força e podem modificar totalmente o visual. Neste caso, a bota pesada de salto alto deixa o look mais balada. Complete com um cinto poderoso. Este aqui, rosa e dourado, é bem anos 80, outra tendência muito forte para a estação.

19


20


JEANS DO OSTAS 0 P 1 A 0 AS ERNO 2 V N I 21


Eternizado por Marilyn Monroe, o loiro platinado está de volta. A atriz Taylor Momsen, a Jenny de “Gossip Girl”, estreou a terceira temporada da série mais loira do que nunca. Quem também aderiu foi Britney Spears, que abandonou as madeixas morenas usadas na turnê de Circus, e Lindsay Lohan, que deixou para trás sua marca registrada, o ruivo. Além delas, temos adeptas ao loiro frio: a modelo Agyness Deyn, as cantoras Pink, Gwen Stefani, Christina Aguilera, Lady Gaga, a atriz Ashley Tisdale e a socialite Paris Hillton. Após a 1ª Guerra Mundial, nos anos de 1920, as mulheres entraram no mercado de trabalho e começaram a ficar mais vaidosas. Foi aí que as tinturas de cabelo se popularizaram, para esconder os fios brancos. Em 1929, as estrelas de Hollywood aparecem com cabelos loiros. Uma referência é Jean Harlow, a atriz principal do filme “Loiras Platinadas”. Nesse contexto, a L’Oréal lançou o pó descolorante L’Oréal Blanc, gerando até o clube “Loira Platinada” pelas amantes do visual.

A volta das platinadas 22

Em 1955, Marilyn Monroe e Brigitte Bardot eram fontes de inspiração com seus tons claríssimos. A partir daí, o look se popularizou e hoje existem vários produtos especializados para atingir o tom certo, nem amarelado, nem dourado, nem esverdeado, mas platinado. Mas essa cor de cabelo exige alguns cuidados. Primeiro: não tente fazer em casa, pois o resultado pode ser horrível. Procure um profissional para avaliar seu cabelo, ver que tom de loiro combina mais com a sua pele, e ver qual o procedimento ideal para chegar ao resultado desejado. Talvez ele recomende


23


algumas mechas com tonalidades diferentes ou quem sabe uma raiz mais escura. Normalmente, o platinado fica melhor em mulheres claras. Para a pele morena e bronzeada, como é o caso da maioria das brasileiras, é melhor uma mistura de “quente-frio”. Aproveite e renove seu corte: esqueça os fios retos, os tons frios ficam muito bem em cortes desestruturados, mais desfiados. O segundo é na hora de pintar: é importante saber que mudanças radicais devem ser feitas aos poucos. Quando um cabelo é descolorido, o pigmento original é retirado, as escamas ficam abertas e aí é colocado um novo tom. As tinturas clareiam até quatro tons e tintura não clareia tintura. Se o seu cabelo já tem alguma química, ele,provavelmente não ficará platinado com a primeira aplicação de tinta e serão necessárias algumas decapagens, que é o método onde o pó descolorante e a água oxigenada retiram os pigmentos da última coloração. Se o seu cabelo nunca foi colorido, fica um pouco mais fácil. Com uma coloração e um tonalizante já se pode chegar ao platinado. Mas se você tem fios escuros, talvez seja necessário descolorir. Vale lembrar que esse visual requer muitos cuidados, o que demanda tempo e dinheiro. Com a tonalidade muito clara, a raiz aparece em muito pouco tempo. Para garantir um tom homogêneo, os retoques devem se feitos a cada vinte dias. Outro problema é que a decapagem é um processo muito agressivo ao fio e exige muitas hidratações e tratamentos reestruturadores para devolver os nutrientes que o cabelo precisa, deixando-o com um aspecto saudável e bem cuidado. Cuidado também com os xampus utilizados. Existem produtos específicos que conservam a cor fria por mais tempo.

Estas fotos são de editoras de moda e modelos saindo do desfile de primavera-verão 2010 da Dior, na semana de moda de Paris. Cada uma com seu corte e estilo, elas provam que o loiro platinado voltou com força total.

24


25


Salto ALTO ou Tênis Sneaker

Quem vence NA PRÓXIMA TEMPORADA? Eles são sinais de força, poder e representam a feminilidade. Já foram o símbolo da aristocracia européia e exclusividade dos homens e hoje são tema de fetiche e desejo. Os saltos estão na nossa vida desde o século XVII e ao longo do tempo ganharam várias versões. Eles alongam a silhueta, deixam as pernas com aspecto torneado e ressaltam os quadris. Um monte de coisas boas e de quebra, ainda deixam qualquer mulher linda! Todas as mulheres querem muitos deles e quanto mais, melhor. Dos mais variados modelos, tamanhos e alturas. Eles fazem total diferença na hora de compor o look. A maioria das mulheres se sente mais bonita e poderosa quando está em cima dos saltos e também sabe que chama muito mais a atenção. Não precisa ser dos mais altos, mas você sabe qual a altura que eles podem chegar? Da altura que você conseguir se manter equilibrada e andar corretamente – afinal, não existe nada pior do que uma mulher que não sabe andar direito com saltos altos – e vão desde os bai-

26

xos, de cinco centímetros até os maiores e muito altos, com mais de 12 cm. Mesmo com o lado negro do salto, que são as dores nas costas e nas pernas que ele provoca, além do cansaço das panturrilhas e possíveis deformações nos pés se você os usar por muito tempo, as mulheres não desistem e, mesmo assim, abusam deles. Mais do que isso, elas amam colecionar sapatos de salto. Mesmo as que não são tão viciadas, provavelmente possuem no mínimo cinco modelos entre botas, sandálias e plataformas. Mas ainda existem aquelas mulheres que são viciadas como Wanessa Camargo e Mariah Carey, conhecidas por terem coleções enormes, com mais de 200 modelos. É por isso que os sapatos são tão disputados e os de grandes designers podem até criar filas de esperas pelo mundo. Os seus valores são condizentes com a sua beleza e o desejo pelo consumo, fazendo com que alguns pares custem até 4 mil reais. Isso os mais comuns do mercado de luxo, pois existem também

os cravejados de brilhantes e pedras preciosas que custam a pechincha de 2 milhões de dólares. Claro, há modelos e preços para todos os bolsos, mas se você pode pagar por um Louboutin ou um Manolo Blahnik, gaste sem culpa porque eles valem mesmo. Nessa lista de top sapatos inclua Prada, Chanel, Jimmy Choo, Gucci, Salvatore Ferragamo e mais uma dezena de marcas que despertam o consumo e tiram o sono de muitas mulheres. Agora se você quer se manter linda e não quer gastar os tubos, marcas nacionais como Studio TMLS, Schutz, Arezzo, Fernando Pires e Santa Lolla oferecem opções tão boas e bonitas quanto as internacionais e que no final o resultado é praticamente o mesmo e você continua nas alturas. Mas o que anda chamando muito a atenção dos fashionistas é algo que já está no mercado há um certo tempo e tem uma legião de fãs espalhados pelo planeta. Eles são os Sneakers, uma febre conhecida e que enlouquece muita gente, igual os sapatos citados


acima. Eles nada mais são do que tênis lindos, modernos e exclusivos. O fanatismo que gira em torno dele é pelo fato do autêntico sneaker ser um tipo de tênis que geralmente possui uma produção limitada. São feitos sobre medida e ganham uma arte exclusiva em poucas unidades. Mas o termo também serve para definir o estilo do calçado e pelo formato que vem em cano baixo ou alto. Modelos clássicos de marcas como Adidas, Nike, Puma e Reebok são os preferidos. Essa indústria não para e os lançamentos, principalmente os de tiragem limitada, invadem as lojas especializadas e, assim como os saltos altos, criam filas de espera e loucura entre os consumidores. A diferença é que um sneaker não é apenas um tênis comum, casual, de colocar no pé e sair andando como parece. Mais do que o calçado é preciso ter atitude, saber usá-lo e combinar com a roupa certa. O destaque é dos pés, vale a pena investir em modernidade, cores flúor ou modelos clássicos revisitados. O legal é que os tênis combinam com

todo tipo de roupa, desde um vestido mais sofisticado, passando por um vestidinho pólo e até chegar à combinação legging e camiseta. Você pode abusar da variedade de modelos e cadarços, além o conforto, que é incontestável.

se você tem dúvidas quanto ao calçado que já ganhou os mais descolados, que agora é uma aposta fashion e promete invadir o meu, o seu e o nosso armário, desencane. Os sneakers vieram com força sim e o melhor: vieram para ficar.

Entre os valores, abra mão de 400 a 2 mil reais, dependendo da exclusividade. Modelos mais raros superam em muito esses valores e são disputados a tapa em sites de vendas e lojas que recebem poucas unidades. Um tênis tão bonito chama atenção mesmo e pode destoar do look caso a pessoa não tenha atitude ou saiba usar. Apesar de cair bem com qualquer roupa, ousadia tem limite. Por isso,

Aí vem a dúvida cruel: apostar no salto agulha ou no sneaker fashion? O que interliga os dois é o fato de que, mesmo quem usa e é fã incondicional dos saltos altos, já há algum tempo deixou os sneakers invadirem suas sapateiras. Nos dias de hoje, uma mulher original usa tanto um quanto o outro e mesmo sem o salto consegue se sentir poderosa igual. Afinal, não é só a altura que cria potencialidade em alguém, ser única ganha muitos pontos e autêntica mais ainda.

27


PRINCESS ROCK N’ ROLL FOTOGRAFIA: DIOGO PEDRO


34


35


38


39


FASHION ATTITUDE FOTOGRAFIA: DIOGO PEDRO

40


41


42


43


44


45


46


47


49


Produção de moda: Patrícia Lima Make: Fabi Arcoverde Assistente de produção de moda: Camila Cover Assistente de fotografia: Leonardo Freitas

50


51


dolce & gabbana

Ombros em deStaque

balmain

Sabe aquela tendência que você quer usar porque vai te deixar com cara de descolada? Pois é, uma dessas tendências que apareceram nos últimos desfiles internacionais é o ombro marcado.

52

Mas vamos ao começo. A primeira vez que o ombro apareceu marcado foi após o inicio da segunda guerra mundial, lá pelos idos de 1940. A história da emancipação feminina acabou levando um empurrão da guerra. Quando seus maridos viraram soldados, muitas mulheres tiveram que achar um jeito de sustentar a família. Também havia as indústrias que estavam fabricando produtos para suprir as necessidades do momento, como uniformes, armas, comida enlatada, remédios, todas precisando de mão-de-obra. Então com a alta de empregos e sem a mão-de-obra masculina para contratar, as indústrias abriram vagas para as mulheres. A moda refletiu esse momento histórico. A roupa romântica e delicada a que as mulheres estavam acostumadas a vestir para serem donas de casa não servia para a dinâmica do mercado de trabalho. E como elas precisavam demonstrar força, poder e uma certa masculinidade (veja bem o mundo do trabalho era dos homens e seus ternos com ombros bem estruturados), logo entrou em cena o volume nos ombros, basicamente através dos terninhos (casaquetos e saias). Com o fim da guerra, o mercado expulsou as

mulheres. Foram lançadas campanhas divulgando muitos eletrodomésticos, com o objetivo de que as mulheres retornassem ao lar para darem espaço nas indústrias à mão-de-obra masculina. E novamente o ombro desapareceu e voltou às roupas femininas a estrutura doce e delicada, que tinha como mensagem que a mulher fora feita para ser a “rainha do lar”. Inclusive, foi nesse período que se cunhou esse lema, que tinha por objetivo dar a sensação de que a mulher vivia em um castelo e que tinha muitos criados para servi-la: o aspirador de pó, o liquidificador, a máquina de lavar, a enceradeira e outros que ao toque de um botão fariam o serviço doméstico, mostrando para as mesmas que a rudeza do trabalho fora do lar era coisa para homens. Os ombros marcados ficaram esquecidos e só iriam aparecer novamente na década dos excessos - pois tinha sofrido as influências da liberação sexual e a onda do rock - os anos 80. Uma moda que se caracterizou pelo exagero, cabelo com topete, muita maquiagem, brilho, acessórios e, claro, ombros marcados por ombreiras gigantes. Todo mundo usava um blazer bem colorido com uma super ombreira. Isso novamente deu poder à mulher e continuou o processo de emancipação feminina, mostrando que a entrada das mesmas no mercado de trabalho agora era um processo sem volta. Vale dizer que homens e


balenciaga mulheres competiam para ver quem ficava com o ombro maior, mostrando que a moda reflete o contexto histórico em que ela está inserida. Quem não viu as fotos da Xuxa, estrela da época, com seus blazers coloridos e ombreiras enormes e as jaquetas de Michael Jackson? Pois é, cansados de toda mega produção dos anos 80, os anos 90 foram caracterizados por uma moda mais leve e discreta. Porém em 2007 novos prenúncios de crise mundial foram veiculados e automaticamente as pessoas se fecharam. Havia um consenso, todo mundo queria uma forma de enfrentar os anos difíceis que estavam pela frente, novamente a moda interpretou essa tendência e criou “armaduras” para as mulheres enfrentarem o dia-a-dia. E muita gente ficou assustada, jurou que não usava, que era brega e cafona. Porém, as primeiras coleções internacionais que investiram em ombros marcados mostraram peças usáveis porque os ombros não eram quadrados, tinham um ar futurista e não deixavam a mulher sem suas formas femininas. Pelo contrário, eram pontudos, porém vinham em peças secas que alongavam a silhueta e arrematados com calças bem justas e sapatos altos só deixavam a mulher mais bonita, esguia e elegante. Outra questão, nem tudo era ombreiras, o volume cresceu também nas mangas (através de pregas e babados), dando mais estrutura e força para a parte de cima da mulher. Por isso muitas têm aderido e, se você que dar uma modernizada no seu look, invista nessa tendência que, com crise ou sem crise, vai pegar. Aqui vão três truques para usar sem erro:

- você também pode atualizar as roupas com um sutiã de ombreira, o mercado já lançou alguns com estrutura delicada que só levanta o visual, e aí é só usar com as várias opções de blusas e camisetas da Dutmy, se joga!

louis vuitton

- você também pode dar estrutura para parte de cima apostando no trabalhado das mangas. E se quiser, para um visual mais descolado, pode colocar uma legging colorida da Dutmy, como no editorial Fashion Attitude.

marc jacobs

- use ombro marcado na parte de cima e uma calça skinny na parte de baixo, a Dutmy tem várias.


DOCE

MORDIDA

54


LINDO, DE BOA FAMÍLIA, COMPREENSÍVEL, ENGRAÇADO, SENSUAL, ROMÂNTICO E MUITO, MUITO PROTETOR. É unânime, toda mulher quer um homem assim. Mais do que isso, elas querem ter ele e ainda conquistar o objeto de desejo das outras mulheres. Então, como seria possível que Edward Cullen não fosse o desejo das meninas que já leram ou assistiram à saga “Crepúsculo” de Stephenie Meyer. O motivo é simples e vai além de todas as características citadas acima. O personagem de Robert Pattinson se entregou ao amor, deixou a paixão falar mais alto do que sua natureza e se envolveu com a humana Bella Swan, personagem de Kristen Stewart. O amor dos dois é algo inexplicável, pois mesmo com todo o perigo existente ela se apaixona sem receios e sem ouvir as advertências dos outros. O que no nosso mundo real, seria o mesmo do que a menina boa se apaixonar pelo lindo e problemático ‘bad boy’. Faz algum tempo desde que um ator teve tamanho sucesso (mundial) com as mulheres. Existiram alguns, é claro, e nós lembramos fácil deles, como Tom Cruise, Richard Gere e Kevin Costner. Houve também a febre Leonardo Dicaprio, pós “Titanic”, onde todas as meninas colecionavam fotos e artigos em que o galã aparecesse. Mas nada disso é comparável com a grande obsessão em torno dos vampiros de “Crepúsculo” e principalmente do Robert. Diferente do que se via antigamente, os anos 2000 caíram como uma luva para um novo tipo de vampiro, o novo gótico e suas novas sombras. Hoje eles estão mais melódicos, mais existenciais e excessivamente bem cuidados, com uma cultura onde o preto impera absoluto, mas agrega tons pastéis, carregados de dramaticidade e toques de neon. A nova geração de personagens está mais moderna, cibernética, conectada e sem medo de topar com dentinhos afiados na esquina. Já que os novos vampiros andam à luz do dia, como os da família Cullen e os Salvatore, personagens na nova saga “Diários do Vampiro”, de L.J Smith. Um sucesso já em livros e agora em série de TV. A sequência é a mistura do romantismo de “Crepúsculo”, mas com mais pitadas de drama e até um pouco de terror. Assim como “True Blood”, baseada nos livros Southern Vampires, de Charlaine Harris, mostra a existência de vampiros e humanos em uma pequena cidade americana. Drama e envolvimento são os temas centrais da série que recebeu vários prêmios desde sua primeira temporada. Os dois seguem o mesmo enredo do vampiro que se apaixona pela mocinha.

FOTOS: DIVULGAÇÃO

55


Ainda por dentro dessa macro tendência, temos as antigas séries de TV, que reforçam a imagem do vampiro bom. Mesmo com histórias batidas ou temas que não fogem muito do papel central de combater o mal. Não podemos deixar passar a loira e poderosa, “Buffy, a CaçaVampiros”, enorme sucesso entre 1997 e 2003 e “Angel”, outro seriado que teve poucas temporadas, mas recebeu destaque pelo galã principal ser um ex-namorado vampiro da Buffy. Por alguns anos os vampiros foram deixados de lado pela TV, mas o fenômeno Crepúsculo retornou o mito aos holofotes e nos brinda com novas séries. Os vampiros atuais são quase fofos, ainda sofrem da maldição pela necessidade de sangue, mas agora possuem um coração tão bom e fraterno como puros cavaleiros. A história já rendeu filme e, no caso de “Crepúsculo”, a continuação rendeu esperas em filas, compra de ingressos antecipados e muita histeria das meninas que não aguentavam esperar para assistir ao “Lua Nova” nos cinemas. Dessa vez a trama segue contando como viver em paz quando o seu verdadeiro amor acredita ser melhor para você, viver longe dele. Ou então, como viver em paz com todas as consequências que esse amor pode trazer. Por fim, eles só querem mesmo o amor sincero e serem felizes da melhor maneira possível. Pensamentos e sentimentos bem humanos para seres que temos como sobrenaturais.

Atualmente Mas se eles realmente existissem, não seriam assim? A psicologia aponta o mundo da fantasia como um reflexo da sociedade, onde todos têm modelos e mistérios sustentados por ilusões. Em parte, poderiam existir tanto os vampiros bonzinhos, quanto os maus, muito semelhantes à nossa realidade. Mas com certeza, se existissem, não temos dúvidas de que seríamos apaixonados por eles.

Entendendo as origens Para saber mais sobre esse visual neo-gótico vampiresco, vamos olhar para a história e observar os outros movimentos culturais. No final dos anos 70, a cultura punk havia dominado boa parte dos jovens remanescentes do limbo do final do “flower power”, dos anos 60 e da era “disco” da década de 80. A cultura gótica surgia das massas que gostavam da música punk, mas mantinham o romance e o estudo da filosofia acima dos ideais revolucionários. Mas o termo gótico remonta originalmente a fase da história da arte desenvolvida na idade média, entre a chamada idade das trevas e o renascimento. Um movimento que retornou no início do século passado, na literatura e ressurge novamente desta vez em outros campos, como a moda e o comportamento nos anos 2000. Entre as

figuras góticas mais difundidas está o elemento de maior sucesso da atualidade: o mito do vampiro. Nascidos nas lendas da Europa Oriental e alimentados pelas lendas das criaturas imaginárias, ao lado de lobisomens e bruxas, os vampiros foram ganhando formas nas literaturas e artes. Entre os mais famosos, Drácula de Bram Stoker, Lestat de Lioncourt de Anne Rice, Nosferatu e Edward Cullen. No Brasil, temos desde o carismático Zé Vampir (de Mauricio de Sousa), o cômico Bento Carneiro - o vampiro brasileiro (um dos personagens de Chico Anysio), o Conde Vlad, da novela global Vamp e interpretado pelo ator Ney Latorraca e Natasha, a vampira roqueira vivida por Cláudia Ohana, na mesma novela.

A popularização do mito Mas o fenômeno “vampiro” vem rodeando a cultura popular e se popularizando cada vez mais. Tudo é influência de uma rede formada por comportamento, música, postura, atitude e livros e mais livros. Associado à escuridão, sombras, mistério e ficção, esses seres são revividos por posturas diversas. Voltamos ao final dos anos 70, onde os punks lutavam contra o sistema e nasciam movimentos musicais expoentes, como o rock melódico, o electro rock e até mesmo fontes mais soturnas como o gothic metal. Sintetizadores, guitarras poéticas e canções que falavam de abandono. Eis que surgem efervescentes, as bandas que mercaram esse estilo. Desde Sisters of Mercy, Bauhaus, Siouxsie & The Banshees, Joy Division e o The Cure, com Robert Smith pintando os lábios de batom vermelho borrado e cabelo desgrenhado e o The Smiths, com Morrissey no comando. Em 1976, chegava às livrarias o primeiro volume das Crônicas Vampirescas. “Entrevista com o Vampiro”, da norte-americana Anne Rice trouxe luz aos mitos medievais de Drácula, popularizados pelo temor da cruz e da água benta. Desmistificou-se um mito e criaram-se mil outros, onde as histórias de amizade, cumplicidade e sangue, muito sangue, se entrelaçam para revelar o amor. O sucesso, que no Brasil rendeu a tradução da obra por Clarice Lispector, levou a uma série de doze livros sobre as histórias de Lestat. Surpreendentemente, levou às telas o filme com o mesmo título e que trazia Brad Pitt e Tom Cruise com um casal de vampiros. Lindos, belos, místicos e românticos, desta vez sem medo de cruzes, mas com histórias perturbadoras, vinganças e sedução.

Interpretando vampiros Enquanto os jovens curtiam a melancolia das músicas, nos anos 90 introduzia-se a realidade fantástica do Role Playning Game (o chama-

O FENÔMENO CREPÚSCULO RETORNOU O MITO AOS HOLOFOTES

56


ELEMENTOS VAMPIRESCOS

NA MODA

DIÁRIOS DO VAMPIRO: MAIS UMA POBRE MOCINHA CERCADA POR

PREDADORES

do RPG), um jogo que mistura ação e personificação de personagens. Teatro e brincadeira, onde os participantes aventuram-se em grupos, imaginando e interpretando as ações de seus personagens. “Vampiro – A Máscara” foi um marco dos jogos de RPG e conquistou adeptos em vários países. As regras eram simples: você é um vampiro (ou um caçador, ou um amigo de um dos dois) e precisa sobreviver. Diversão, entretenimento e mais fantasias. Costumes que vivem no imaginário de crianças também, principalmente na época do Dia das Bruxas, onde as conhecidas dentaduras de plástico, com dentes de vampiro, estão na boca dos pequenos. Em toda sua história, por vezes de horror outrora repleta de sentimento e provas de amor, toda a cultura góticavampiresca sobrevive aos tempos e, quando menos se espera, é resgatada em uma temporada de moda ou lançamento cinematográfico.

Se voltarmos no tempo e lembrarmos-nos dos filmes e imagens que temos dos vampiros, vamos associar muitos dos elementos que vimos na moda nos dias de hoje. Isso porque, junto com a moda dos vampiros, o universo underground também está em evidência. Vários dos itens que são clássicos do público que frequenta shows de rock, agora são vistos nas mais variadas pessoas que muitas vezes não curtem esse estilo de música, mas que gostam de usar os elementos que remetem à ela. Como por exemplo, as tachas que são vistas em pulseiras, peças de roupas, nos calçados. Correntes grossas também aparecem muito e mais do que tudo isso as roupas pretas. O couro veio com muita força e já está há algum tempo nas calças e principalmente nas jaquetas. Para as mulheres, as vampiras sempre foram associadas a uma imagem sexy, por isso o batom vermelho, roupas justas e cores fortes. Porém na modernidade do vampiro as cores fortes perderam um pouco seu espaço para os tons pasteis e off-white, criando um mix de preto e branco super clássico. As leggings continuam e com elas os saltos cada vez mais altos. Além disso, a febre Crepúsculo trouxe outros pequenos elementos para o nosso armário do dia-a-dia. Como correntes com a clássica dentadura de vampiros ou então as camisetas com frases do livro. Existem também aqueles que preferem deixar claro quem são os seus personagens favoritos e por isso vestem as camisetas com seus nomes, como no caso dos que são do ‘Time do Jacob’ ou ‘Time do Edward’. Há aquelas meninas que assumem ‘Edward é o meu namorado imaginário’ e as que carregam o gloss com a marca do filme. Tudo isso só nós prova que, cada vez mais e ainda como antigamente, elementos são criados na sociedade e no nosso cotidiano para nos deixar mais próximos do irreal que tanto amamos. Empresas criam os artifícios para nos deixar mais perto do nosso sonho de estar perto dos nossos ídolos. Sonhando ainda mais com o nosso príncipe e nem sempre tão encantado.

57


AS TOP BLOGUEIRAS DE MODA DO PAÍS Os blogs de moda são cada vez mais reconhecidos como uma maneira descontraída e divertida de se informar. É só passar em alguns que sejam bons e você ficará sabendo das principais tendências. As blogueiras postam fotos, vídeos e dicas de moda, beleza, mostram achados, comentam os looks das celebridades, enfim, trazem várias referências para servir de inspiração. No exterior, os blogueiros são muito mais prestigiados e até convidados para as primeiras filas dos desfiles, pois eles que trazem o conhecimento de uma forma pessoal, o que faz com que os leitores se identifiquem mais. No Brasil, esse destaque está vindo aos poucos e tem muito blog que vale a pena conhecer. Conversamos com algumas das blogueiras de moda mais legais do país para falarem um pouco mais desta “blogolândia”.

Livia Fascirolli tem 23 anos, mora em São Paulo e começou o Glamour Paraguaio em fevereiro de 2009, como um “blog secreto”. “Como passava o dia vendo coisas legais na internet e mandando links pro meu namorado e pras minhas amigas, decidi juntar tudo isso em um lugar só, mas não divulguei endereço, só para umas cinco pessoas. Uma pessoa foi contando para outra e por aí foi.” O Glamour Paraguaio é como se fosse um diário, onde a Livia compartilha com as leitoras informações legais sobre moda, celebridades e muitas fotos de revistas e sites estrangeiros. “Tenho mais de 700 blogs e sites para visitar todo dia. Minha seleção é simples: vi, achei bonito, deu vontade de mostrar pras amigas, eu publico”.

LÍVIA FACIROLLI

E, para ela, isso representa bem o papel dos blogs: falar de moda da vida real. Afinal, ele é o veículo mais próximo do consumidor. E essa maior aproximação cria um sentimento de amizade entre quem escreve e quem lê. “As pessoas sempre vêm falar comigo na rua, coisa de amizade mesmo! Aliás, eu falo com as minhas leitoras como se fossem minhas amigas”. Para quem criar um blog de moda, Livia sugere que ele tenha uma personalidade própria e respeite seu estilo. “Seja autêntico, blogs de

moda surgem mais que chuchu na cerca. As notícias, as imagens se repetem tanto. Faça algo que te diferencie dos outros.”

glamourparaguaio.wordpress.com 58


A mineira Cristiana Guerra posta todo dia, no Hoje Vou Assim, uma foto com o seu look do dia. Começou com uma brincadeira despretensiosa e se tornou um sucesso. “Como fui muito entrevistada por causa da minha história pessoal, o Hoje Vou Assim acabou sendo divulgado junto e as pessoas gostaram dessa mulher real, que teve perdas, mas também gostava de moda. Dizem que fui a pioneira nesse estilo de blog. Não achava que estava fazendo nada diferente. Mas talvez a forma como eu faço, super transparente, brincalhona e espontânea, tenha conquistado as pessoas.” As fotos são tiradas por amigos da agência de publicidade onde ela trabalha e as poses são descontraídas e engraçadas. Na legenda, Cris coloca a marca das peças, para ajudar as leitoras caso queriam achar alguma parecida. “O blog se tornou um pequeno negócio que me dá uma graninha por mês. Mas, com certeza, quem ganha muito mais com o blog são as marcas que aparecem nele. Ganho produtos e uso o que tem a ver comigo. Anunciante, mesmo, pago, só existem os que colocam banners à direita”. O Hoje Vou Assim ganhou, em 2008, o prêmio Chic de melhor blog de moda e a Cris já foi até garota propaganda de uma marca de acessórios. O legal desse blog é que dá pra se inspirar em uma pessoa normal e com muito estilo. “Meu blog é um registro diário da moda que faço pra mim, da minha forma de ver a moda. Não sigo tendências, não sou tão informada sobre moda, prefiro ter uma relação de olhar e gostar ou não.” E essa é uma das vantagens do blog que, pelo jeito informal, fazem as pessoas se sentirem mais próximas dos seus “ídolos”. “Eles mostram

que a moda não é mais de baixo para cima. Ela caminha em todas as direções e é feita pelas pessoas que usam a moda, e não só por quem cria moda.”

CRIS GUERRA LÍVIA FACIROLLI hojevouassim.blogspot.com

59


itgirls.com.br Alessandra Garattoni tem 33 anos, nasceu no Rio de Janeiro e mora há quatro anos em São Paulo. Começou com o It Girls há dois anos, sem a intenção de ter um blog conhecido. “Mas meu lema de vida, para tudo, é ‘se é pra fazer, que seja muito bem feito’. Sempre me dediquei bastante e cuidei do It com muito carinho. O crescimento foi gradativo”. It Girls são aquelas meninas referência de estilo e comportamento. O blog trata principalmente delas: conta a história de algumas mais famosas, como Marilyn Monroe e Audrey Hepburn, dá dicas do que elas fazem, mostra quem são as it girls da vida real. Além disso, traz também conteúdos de beleza, moda, celebridades e eventos. “O It é um reflexo do meu olhar. Assim, todo o meu dia-a-dia serve de inspiração: uma revista que leio, uma pessoa que vejo na rua, um comentário que ouço. Essas referências são pontos de partida de pesquisas e as pesquisas dão origem aos posts. No blog entra o que acho bacana, não importa se comprei, se ganhei ou se descolei na rifa da festa junina.”

ALE GARATTONI

Para Ale, todo esse universo dos blogs ainda é muito recente, mas ela acredita que eles vão se tornar cada vez mais relevantes na mídia. Nesses últimos anos, a quantidade de blogs aumentou muito. Houve um destaque de alguns deles e isso fez com que muita gente voltasse os olhos para a área. “Da mesma forma em que quando eu era novinha todas as meninas (me incluo nisso!) queriam ser paquitas, hoje todo mundo quer ser blogueiro. Mas acho isso muito bacana, tem surgido gente bem interessante na rede.”

Janaína Rosa tem 24 anos, mora em São Paulo e começou o Agora Que Sou Rica de brincadeira, só para postar fotos que tirava com os amigos. “Não sei como ele evoluiu, nunca divulguei. Ele cresceu no boca a boca mesmo. Isso é o que mais me orgulha, porque se as pessoas indicam é porque gostam, né?!”

Por isso, uma dica para quem quer montar um blog de moda é ter um olhar super apurado, ver a moda em tudo, sair pra rua com câmera, ver o que as pessoas estão usando, o que está nas vitrines, o que rola na noite. “Tudo isso é notícia, na maioria das vezes muito mais do que as it girls estão usando”.

A Jana fala de produtos legais, festas, celebridades, tudo de uma forma muito divertida. E para evitar que seu blog fique muito parecido com os outros, ela tira fotos de alguma loja legal, do look diferente de alguém que ela tenha visto na rua ou faz um vídeo. Se eu depender só de site gringo para tirar minhas referências, vou ser exatamente igual a todo mundo. “Às vezes, me dá preguiça,

Para ela, os blogs estão, junto com os sites, levando a noticia a cada minuto, mas com um olhar pessoal, que conquista mais ainda as pessoas. “Muitas vezes um blog percebe uma tendência antes, ou fala de um assunto com mais propriedade. Hoje eu leio muito mais blogs que sites, principalmente no Brasil.”

porque todos falam a mesma coisa. Às vezes eu falo a mesma coisa também, mas geralmente tento mudar e postar só o que me acontece, pra ele ficar com cara de único”.

agoraquesourica.com

JANA ROSA

60


sanduichedealgodao.com.br Helô Gomes tem 25 anos, nasceu no Rio de Janeiro, foi criada em Campinas e, atualmente, trabalha em São Paulo. Começou o Sanduíche de Algodão no dia 31 de dezembro de 2008, quando estava trabalhando na virada do ano e queria um lugar em que ela pudesse falar. O nome veio do livro “Só para Mulheres”, de Clarice Lispcetor, que aconselha dar um sanduíche de algodão para crianças que engoliram coisas como grampo de cabelo, alfinete de fralda etc. “Sei que pode parecer muito metafórico, mas é que tem tanta coisa nessa vida com a qual a gente “engasga” que a idéia do blog é ser um espaçinho cibernético onde a gente possa pegar ‘um pedaço de algodão/ informação’ – e, porque não, doar um pouco desse algodão também – e assim seguir na vida mais feliz, mais saltitante, mais linda e mais de bem consigo mesma”. O blog fala de moda, beleza, celebridades e mostra algumas inspirações para as leitoras. “Busco as referências na minha vida. Como vivo o mundo da moda, gosto de tentar transportar isso um pouquinho para meu blog. Revistas, livros, filmes, tudo faz parte, mas a grande peneira é mesmo minha vida. O grande lance do blog é você falar o que quer. A partir do momento em que o blogueiro estiver preso aos anunciantes, ele vai perder sua essência”. Para Helô, o papel dos blogs no mundo na moda é informar e inspirar e um dos problemas é que as pessoas copiam muito. Por isso, um dica para quem quer ter um blog legal é ser você mesmo. “De nada adianta querer copiar uma fórmula que deu certo com outra coisa. O mais legal do blog está na originalidade. Outras sugestões são viver muito, perguntar, ser curioso, ler, ver filmes e viajar”.

CAMILA COUTINHO

garotasestupidas.com

Camila Coutinho tem 22 anos e é de Recife. Começou o blog há 3 anos e meio, como uma brincadeira entre amigas. “Por lá, comentávamos as trapalhadas de ‘celebs’ como Britney Spears, Lindsay Lohan e Paris Hilton. Uns meses depois, elas deixaram de postar e eu continuei com o GarotasEstúpidas sozinha mesmo. Fui curtindo postar, os acessos foram subindo, criei layout, comprei domínio e por aí vai!”

HELÔ GOMES

O blog dá dicas de moda, beleza, celebridades, viagens, festas, música e tv, tudo de um jeito bem descontraído. “Eu acho que os blogs funcionam como um filtro de notícias de maneira informal e bem mais direta! É só fazer uma ronda pelos blogs favoritos e você já fica atualizada de muita coisa que combina com seu estilo!” Com relação aos anunciantes, Camila só fecha marcas que tenham a ver com o GarotasEstúpidas. Os produtos são as assessorias que mandam, mas ela só publica se gostar de verdade. A fórmula funcionou e Camila conta que já veio gente até na Argentina falar com ela na rua para dizer que lê e curte o GarotasEstúpidas. E para um blog dar certo, o segredo é escrever sobre o que você gosta. “Muita gente está querendo fazer blog só pra ficar famosinha e ganhar brinde! Quem começa desse jeito não vai muito longe! Também

aconselho a não copiar ninguém e seguir seu próprio estilo sempre. Com tantos blogs por aí, quem é que vai querer ler cópia, né?”.

61


62


Tudo em um só lugar Lojas já oferecem mix de produtos para atender o público

A cliente entra na loja e experimenta de tudo, vestidos, calças, blusinhas, na hora de decidir o que levar, se lembra que faltou o sapato ou que um colar poderia fechar o look perfeitamente. A cena é clássica e as mulheres são craques na hora de pensar em tudo quando estão se produzindo. Dos pés à cabeça, todos os detalhes não passam batidos. A cabeça feminina é um grande banco de dados, como se soubesse tudo o que tem no armário e o que vai ficar legal com o que. Mas nem sempre elas encontram tudo o que precisam em uma única loja. Saber o que agrada a mulher e o que está em alta é um dom e precisa ser mais explorado pelos lojistas. Hoje as pessoas possuem pouco tempo para as compras. Estamos tão imersos na rotina de estudo, trabalho, casa, baladas e lazer que quando vamos às lojas precisamos encontrar todo o mix de produtos disponíveis. Há uma necessidade de se encontrar tudo em um lugar, desde sapatos até acessórios, que vão compor o visual do público de maneira singular. Bijuterias, enfeites de cabelo, laços, pingentes, colares, broches, há uma infinidade de adereços que completam as roupas e que devem estar ao alcance do público. Quando não encontramos o que queremos, logo pu-

lamos para outra loja e aí começa a procura de novo e perdemos nosso valioso tempo vasculhando as araras e prateleiras em busca de algo que agrade. Ter uma loja que ofereça os produtos certos, que combinem com várias produções é ótimo e poupa o trabalho de bater perna pelos corredores dos shoppings e ruas. Outro benefício é encontrar em uma única loja todo o estilo da marca que mais gostamos. Basta entrar e se divertir comprando, afinal, vamos ter a confiança nos produtos de qualidade, procedência e garantia. A marca que mais gostamos é a marca que nos acompanha em todas as situações, desde a hora de ir para a faculdade até o happy hour com os amigos, do encontro romântico à entrevista de emprego. Essa relação de proximidade também se estende às lojas que frequentamos, que, com o passar do tempo, vamos criando mais afinidades e curtindo a experiência de comprar. Fazer compras é um dos prazeres que mais agrada o sexo feminino, pois é uma das maneiras de valorizarmos nosso dinheiro, investindo na beleza e na estética, além de procurar sempre novidades para o guarda-roupa. Aproveite bem a sua loja preferida na próxima visita, com certeza vai encontrar tudo o que procura e muito mais.

Ter uma loja que ofereça os produtos certos é ótimo e poupa o trabalho de bater perna pelos corredores dos shoppings e ruas. 63


MAQUIAGEM

MINERAL

A maquiagem mineral já é febre lá fora e grandes marcas investem forte em diversos produtos nessa tendência, como pó, base, sombra, blush e máscara para cílios. No Brasil já aparecem algumas marcas apostando no produto. A maquiagem mineral é livre de preservativos, óleos, fragrância, corantes e outros produtos que podem irritar a pele e, diferente da maquiagem tradicional - que utiliza ativos químicos -, os cosméticos minerais são feitos a partir de substâncias extraídas do solo, como dióxido de titânio, óxido de zinco, mica, óxido de ferro e cloreto de bismuto, que são moídos e transformados em pó. Você vai encontrar os produtos na forma de pó finíssimo e solto. Ela tem propriedades calmantes e antiinflamatórias e seu uso é indicado para pessoas com pele sensíveis, com acne ou rosácea e que estão sob o efeito de tratamentos para a pele, como laser ou peeling. A base mineral pode ser usada a seco para uma cobertura mais leve ou se você prefere mais cobertura, transforme em base, adicionando um pouco de água até conseguir uma textura cremosa, depois é só finalizar com o pó mineral. O corretivo mineral também é

64

guardados em local seco e arejado. um pó fino e solto, que pode ser aplicado a seco com o dedo ou com um pincel de sombra, para potencializar o seu efeito é só umedecer o pincel. Quanto ao blush mineral é preciso estar atenta, pois eles são muito pigmentados, o segredo é colocar pouquíssimo do cosmético no pincel – limpando o excesso, na hora da aplicação. Porém, na hora de usar, preste atenção na quantidade aplicada no rosto: o produto pode se concentrar nas linhas de expressão. Quando aplicada a seco o pó em excesso realça aquelas ruguinhas inconvenientes. . Você vai conseguir uma aparência mais natural com essa novidade que é uma forte tendência para todas as estações, pois o make fica com um efeito acetinado, dando uma sensação de leveza. Muitas meninas acham que a cobertura da maquiagem mineral não é tão potente, porém essa é a intenção: não parecer que você está maquiada. Outro ponto legal é que o prazo de validade dos produtos minerais também são maiores, isso porque a vida útil do cosmético, feito exclusivamente de minérios, é mais longa e enquanto a maquiagem tradicional vence em cerca de seis meses, os produtos minerais duram pelo menos dois anos, desde que

Caso você tenha alguma reação alérgica à maquiagem, consulte o dermatologista, pois nenhum cosmético está 100% isento da possibilidade de causar alergias. No caso da maquiagem mineral, essa possibilidade é muito pequena, mas não é nula. Outra vantagem é que essa maquiagem promete não obstruir tanto os poros, porém não é por isso que você vai dormir sem limpar a pele de modo adequado, ok? Para removêla, use um demaquilante comum, indicado para o seu tipo de pele e como o sol é um dos maiores fatores de envelhecimento da pele (mesmo no inverno), não se esqueça de aplicar o filtro solar antes de iniciar o make. Duas marcas brasileiras, a Contém 1g e O Boticário já oferecem maquiagem mineral.

1. Pó facial Contém 1g; 2. Batom vermelho O Boticário; 3. Sombras O Boticário; 4. Blush rosa O Botícário; 5. Corretivo O Boticário; 6. Corretivo Contém 1g.


FOTOS: DIVULGAÇÃO

1

2 3

4

6

5

65


O LEGADO DE

KATE MOSS Há muitos anos a supermodel Kate Moss é sinônimo de estilo e elegância. Isso somado à sua capacidade de desfilar diariamente produções invejáveis. Foi ela a responsável pelas quebras dos padrões de beleza antigos, onde as modelos eram altas e tinham curvas acentuadas. Kate foi descoberta e, mesmo com a altura um pouco abaixo da média das modelos de sucesso da época, aos poucos ganhou seu espaço como ícone fashion. A beleza natural da top sempre chamou a atenção e seu estilo despojado. O auge da sua carreira foi nos anos 90, antes dos escândalos com drogas que fizeram com que na época ela perdesse vários dos seus contratos milionários. Como toda poderosa, soube dar a volta por cima e hoje estampa diversas campanhas publicitárias. Ela está em segundo lugar da lista do Daily Beast, das tops mais valiosas do mercado, atrás apenas de Gisele Bündchen. Porém a diferença entre as duas é que Gisele sempre foi pacata, mesmo chamando muito a atenção e Kate sempre acendeu desejos por onde passa. Seus problemas pessoais nas capas das revistas a tornaram ainda mais real. Afinal, a psicologia afirma que, quanto mais polêmica uma celebridade for, mais as pessoas ‘normais’ gostam dela. É por isso que todas querem ter algo que seja parecido ou que remeta a Kate, desde a tonalidade dos fios de cabelo, até a calça jeans rasgada. Tudo que ela veste fica muito bem e no dia seguinte é copiado não só pela sua legião de fãs, mas também pelas marcas que a têm como inspiração. Ela está sempre lançando tendências. Trouxe a calça skinny para o nosso guarda-roupa, é responsável pela volta da cintura alta, pernas boca

66


LINDSAY LOHAN

Ela está sempre lançando tendências. Ser autêntica faz parte da sua personalidade. de sino e por misturar acessórios masculinos nas suas produções diárias. Ser autêntica faz parte da sua personalidade e estar nos círculos mais balados também. Kate criou um novo conceito, onde as modelos não são apenas responsáveis por vestir looks de passarelas. Elas agora servem de inspiração para os grandes estilistas e são convidadas de honra com direito a cadeira reservada na primeira fila dos seus desfiles nas maiores temporadas de moda do planeta. Na onda desse sucesso todo, Kate aproveitou para se projetar como designer e começou a assinar uma coleção pela Inglesa Topshop. Peças com a sua cara são disputadas quando lançadas e, com um consumo absurdo, esgotam-se em poucas horas. Fazendo com que o nome da top esteja cada vez mais ligado às vendas rápidas e ao marketing certo.

FOTOS: REPRODUÇÃO

Seguindo essa mesma sequência, outras celebridades que têm estilo já foram ou tentam ser estilistas. Estão nessa lista as irmãs Olsen, Lindsay Lohan, Victoria Beckham, Emma Watson e Sienna Miller e outras frequentam sites de fofoca e listas de personalidades mais bem vestidas como Rachel Bilson, Katie Holmes, Blake Lively, Leighton Meester, Kate Bosworth. O certo é que Kate conquistou um trono e um espaço certo na moda mundial. Ela é grande incentivadora do comércio, está nas capas das mais vendidas revistas do mundo e clicada pelos melhores fotógrafos para campanhas publicitárias. Referências e inspirações à parte, ela é um fenômeno e com muito mais coisas para nos apresentar.

SIENNA MILLER 67


ECO TENDÊNCIAS

Lilian Pacce foi a convidada

do SCMC – Santa Catarina Moda Contemporânea – para a comemoração dos 150 anos do Tabajara Tênis Clube em Blumenau, no último dia 19 de novembro. Ela ministrou uma palestra sobre Eco Tendências, alertando sobre a importância do mundo da moda criar novos processos de produção para desenvolver seus produtos de forma mais sustentável, ajudando assim o planeta na luta contra o aquecimento global.

Segundo Lílian, os materiais que podem ser utilizados na fabricação de tecidos de uma forma mais sustentável são o algodão orgânico (que utiliza menos agrotóxico, por isso é menos poluente), o bambu (sendo que algumas marcas não utilizam a espécie que é alimento dos pandas), o cânhamo e a seda (no processo tradicional utiliza-se água quente que mata as larvas, para ter rapidez na retirada dos fios, nos processos mais sustentáveis as larvas são poupadas).

Segundo ela, essa sustentabilidade envolve não utilizar tantos recursos naturais não renováveis, mas, por exemplo, reciclar produtos para criar novos.

Ainda, para o consumo consciente é necessário os 4 R:

Lílian nos contou sobre a iniciativa de algumas empresas: a pioneira é Stella Mccartney, que faz da consciência ecológica um estilo de vida e o levou para todo o processo de criação de suas coleções e outra marca que aposta na produção sustentável é a Edun do Bono Vox, sua esposa Ali Hewson e do designer Rogan Gregory que já teve 50% do seu patrimônio comprado por um grande grupo. A Diesel, Versace, Barneys, Walmart, Lacoste e no Brasil a Isabela Capeto, Osklen, Cantão e a Éden (que desenvolveu sua coleção com produtos 100% orgânicos) são marcas que já promoveram em suas coleções ações no sentido de preservar o planeta. A Diesel e a Versace utilizaram a fibra de milho que é um produto renovável, emite pouco gás carbônico, é biodegradável e pode substituir o plástico em alguns produtos. A Lacoste desenvolveu uma linha de eco pólos com algodão orgânico, tingimento natural e embalagens feitas com caixas de ovos recicladas. A Eurofios, empresa catarinense tem produzido fios a partir de retalhos reciclados e ajudado famílias carentes a terem renda.

68

Repensar – preciso mesmo comprar esse novo produto? Reduzir – como posso consumir menos e com mais consciência? Reutilizar – posso reutilizar e reaproveitar esse produto de outra forma? Reciclar – posso reciclar os produtos que não vou mais utilizar? Finalizando, na onda do consumo consciente customizar peças, frequentar brechós, trocar roupas pela internet ou entre amigos e valorizar os produtos que preservam o meio ambiente são atitudes que descrevem não mais um eco chato, mais segundo Lilian, um eco chic que cria um novo conceito do que é luxo, pois consome produtos que além do valor de moda, preservam o planeta. No final da palestra elas nos deu a seguinte entrevista:


Dutmy: Quem no Brasil e lá fora nas últimas coleções já empregou conceitos de sustentabilidade para desenvolver suas coleções? Lilian Pacce: No Brasil a Isabela Capeto desenvolveu sua coleção com tecidos reciclados, o Oskar Metsavaht da Osklen e a Eurofios. Lá fora Stella Mccartney ainda é a grande precursora e quem mais tem defendido a bandeira ecológica em suas coleções. Na onda de preservação, Yves Saint Laurent também utilizou tecidos que já tinha em estoque na sua última coleção. D: Quais as medidas de preservação que tens adotado no teu dia-a-dia? LP: Eu já economizo água, luz, no meu site eu procuro conscientizar as pessoas para que reutilizem envelopes, folhas de papel. Mas o que eu considero a minha melhor contribuição é o uso das ecobags, eu tenho várias, uma para cada compra e já percebi o quanto deixei de trazer de sacolas plásticas para minha casa. Caso eu consiga conscientizar as pessoas para usarem as ecobags, já ficarei contente, pois além de tudo, usando ecobags elas vão ficar mais elegantes.

69

Foto: Rafael Assef

D: Quem no Brasil está no caminho para desenvolver um trabalho tão forte de consciência ecológica como Stella Mccartney? LP: Olha no Brasil ainda estamos começando, tudo é novo, muito caro e os processos de desenvolvimento precisam de muita tecnologia, mais já vejo empenho na Isabela Capeto, na Osklen e na Salinas.


70


MAXI

ACESSÓRIOS Tendência para o inverno,

eles ganham espaço no melhores looks de 2010

Já faz algum tempo que os acessórios são mais do que apenas complementos para as nossas produções. Nos tempos atuais, eles são essenciais para a composição de um look moderno e cheio de autenticidade. Como foi mostrado nas últimas temporadas de desfiles, os maxi acessórios apareceram como tendência forte e prometeram dominar o próximo inverno. O objetivo dessas peças é ser extravagante. Por isso a mistura de materiais e cores é super bem-vinda. Pulseiras enormes, colares gigantescos e mega brincos podem ser fabricados a partir de couro, metais, conchas, pedras, penas e pedaços de tecidos. A cartela de cores é tão variada quanto e vai do brilho ao cítrico, do opaco ao nude, passando pelos básicos preto, branco, dourado e prateado. É preciso lembrar que ser discreta está fora de cogitação, as maxi bijus são feitas para chamar a atenção sim, por isso quando usá-las sustente a atitude. Lá fora, um dos primeiros a apostar na maxi tendência foi Lanvin, que fez peças cheias de cristais e brilhantes. Já Marc Jacobs, no desfile da poderosa Louis Vuitton trouxe braceletes, colares e as tiaras gigantescas. Outras marcas, seguindo os seus passos, apostaram nas pedras coloridas e metais diferenciados, todos criando o mesmo feito poderoso e exagerado que tanto atrai olhares e os desejos dos fashionistas. Os sites de moda de rua já mostram também pessoas fora das passarelas usando e abusando dessa tendência em diferentes situações e com diferentes produções. Existem aqueles que gostam de ousar de verdade e usam roupas chamativas com as bijus, atraindo sempre muita atenção. Há também quem prefere ser mais discreto e assim, usa uma camiseta branca, um jeans e um big colar. É por isso que eles fazem tanto sucesso, pois não importa a produção e o quão discreta ela é. Qualquer pessoa pode ir da composição mais básica à mais extravagante e usar e abusar deles, com um complemento que faz a diferença. Se você está começando nessa onda e ainda não se sente bem com os grandes volumes, a dica é usar várias peças pequenas juntas. Diversas correntes, anéis ou colares misturados. O material e cor não importam tanto, já que o legal mesmo é a mistura. Experimente correntes com tamanho de elos diferentes, douradas e prateadas juntas, ou mesmo as de acrílico colorido. É um bom começo e com certeza o resultado será ótimo.

71


LANÇAMENTO

COLEÇÃO OUTONO/INVERNO 2010

72


73


Ela coloca todo mundo pra dançar Com sua beleza e profissionalismo ela encanta nas nights mais iradas do país.

O principal de uma boa balada é a música e nesse quesito a DJ Carine Nunes, ou melhor, a Kaka Angel, como é conhecida, detona nas pickups. Ela adora as peças da Dutmy e nos deu uma entrevista exclusiva onde revela mais sobre seu trabalho e o que mais gosta de fazer: tocar. Acompanhe a entrevista com essa gaúcha de Santa Maria que, além de linda, manda muito bem nas pistas. Dutmy: Hoje é muito mais comum ver uma mulher colocando o som do que há alguns anos atrás. Quando você começou e por quê? Carine: Eu comecei há cinco anos, lá pelo final de 2004. Fiz um curso e fui para Balneário Camboriú tentar a sorte. Como fui uma das pioneiras, então ficou mais fácil. Já fui residente da boate Rei Club e também fiz participações como DJ convidada no Ibiza. Mas o meu interesse pela área vem por parte de pai, como ele é executivo de rádios a música sempre esteve no sangue. D: No começo as pessoas estranhavam ou tinham algum preconceito? C: Bom, infelizmente o preconceito sempre haverá naquilo que for novo ou inédito. No começo passei por alguns inconvenientes, pois mulher na noite é sempre mal vista e ainda mais num campo aonde o homem do-

D: Moda e música sempre são temas que andam juntos. Você já teve alguma experiência nessa área, como DJ ou como modelo? Como foi? mina. Eu acabei tirando de letra, porque acredito que somos capazes de qualquer coisa se sonhamos com o sucesso. Hoje sou bem mais independente, então o que vale é a minha opinião. Quanto ao preconceito, mostro que há igualdade entre qualquer ser humano.

C: Sim, já participei de desfiles com algumas marcas como DJ e também como modelo. Para mim há uma conexão muito profunda entre a moda e a música, pois vestimos o melhor estilo e a melhor roupa para ir a uma balada. Elas se completam com certeza.

D: Em sua opinião, quais as principais diferenças entre a discotecagem de um homem e uma mulher? Quais os ritmos que você mais curte tocar?

D: E qual música mais toca no seu i-pod?

C: Acredito que não há muita diferença entre homens e mulheres DJs, pois ambos têm que ter a mesma técnica e os equipamentos são os mesmos, o que muda é o estilo e acho que a mulher tem mais atitude e carisma. A mulher é mais delicada e detalhista, portanto, tem uma percepção maior da pista. Os ritmos que mais gosto são o progressive house e o sexy house, que são os que eu toco, mas gosto do que a galera me pede. Toco para eles e não só para mim. D: Qual o lugar mais legal para curtir a night no país? E lá fora, você indicaria algum? C: Aqui no Brasil tem muitas boates boas e de qualidade, depende a festa e a noite também. Lá fora, a Latinova se destaca como uma boate inesquecível para qualquer um. Ela fica em Johannesburg, na África do Sul. Eu amei tocar lá e até hoje fecho os olhos e lembro como foi maravilhoso. É um lugar inexplicável e que vale a pena conhecer.

74

C: Essa é uma pergunta muito difícil mesmo. Sou uma DJ e doente por músicas, eu respiro isso o tempo todo. Fica complicado apontar uma em específico, mas adoro David Guetta e Kaskade, ambos produtores que toco sempre. Musica é sempre bom, pois nos traz boas lembranças e pensamentos melhores ainda. Se você quiser conhecer mais sobre a Kaka, acesse seu perfil no site: ww.myspace.com/kakaangel


Foto: Patricio Orozco

75


OUTONO/INVERNO 2010

76 0300 645 7777

www.dutmy.com.br

Dutmy Mag ed 01  

Publicacao customizada da marca Dutmy.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you