Page 1


história da

embalagem “

Embalagens acompanham a humanidade desde o dia em que se descobriu a necessidadede transportar e proteger mercadorias. [...] Já houve quem apontasse a própria natureza como a primeira inventora das embalagens, providenciando a vagem para proteger o feijão e a ervilha, a palha para envolver a espiga de milho, a casca do ovo e da noz.

Pedro Cavalcanti e Carmo Chagas

Com o passar do tempo, o homem foi descobrindo novos materiais e possibilidades de acondicionamento dos seus produtos como o tecido, o papel e a madeira, sendo que esta

última foi durante algum tempo, provavelmente, o material mais usado para a embalagem que dela eram feitas pequenas caixas adornadas, barris e cascos para o transporte de líquidos.


Outro material bastante importante no desenvolvimento das embalagens foi a argila que possibilitou ao homem a fabricação de potes, jarros e ânforas, sendo que a descoberta do fabrico de vidro, reputada aos fenícios, veio adicionar a transparência às embalagens. O metal, que surgiu mais tarde sob a forma de folha, permitiu conversar os alimentos de maneira mais eficaz e segura e o processo de transformara celulose em papel ou cartão permitiu o aparecimento de novas formas de embalagem, mas a evolução mais radical foi com o aparecimento do plástico que possiblitou novas descobertas em termos da embalagem.

A importância

da embalagem

A embalagem pode desempenhar diversas funções que se agrupam em duas categorias: Funções técnicas: relacionadas com a proteção, transporte, armazenamento, utilização e eliminação de produtos; Funções de comunicação: relacionadas com a venda, informações ao consumidor, identificação do produto, atração visual.


Pré-história Corresponde ao período da história que antecede a invenção da escrita (mais ou menos 4000 a.C.). Indícios de que as primeiras utilizações da embalagem tenham sido nesta época, quando o homem começou a envolver carne crua em folhas de árvore.

3000 a.C. Os egípcios iniciaram a confecção de garrafas de vidro, a partir da moldagem em areia. Eram recipientes rústicos, usados para acondicionar óleos, perfumes e cosméticos.

Idade Média 751 d.C. No ano de 751 d.C., os árabes capturam fabricantes chineses e aprendem a produzir papel a partir das fibras de linho, como faziam os orientais. A partir de então, a técnica de produção do papel revolucionou o mercado das embalagens e passou a ser difundida por toda a Europa.


Idade Moderna 1453 A queda de Constantinopla, em 1453, marca o fim da Idade Média e início da Idade Moderna. Assim, com a Expansão Marítima surgem outras novas tecnologias. A indústria farmacêutica começa a utilizar embalagens na venda de produtos. Eram frascos de vidro arrolhados e selados com cera e identificados por rótulos.

Id. Contemporânea 1798 Duas invenções levaram à popularização dos rótulos: a máquina de fazer papel, inventada na França por Nicolas Lois Robert, e o princípio da litografia, descoberto por Alois Senefelder, na Alemanha, que permitiu a impressão a cores.

1809 O confeiteiro francês Nicolas Appert inventa o processo de conservação de alimentos por aquecimento e selagem em recipientes com pouco ar.


1899 A National Biscuit Company lança a embalagem Uneeda Biscuit, que consistia em uma caixa de papelão contendo um papel envolvendo os biscoitos por dentro e um papel exposto por fora, mostrando a logomarca da empresa. Terminava a era dos biscoitos em barris nos Estados Unidos.

1815

O Governo francês, sob o comando de Napoleão Bonaparte, oferece um prémio a quem desenvolvesse uma forma de manter os alimentos frescos durante as viagens, com o objectivo de alimentar os seus exércitos. Foi então que nessa época que surgiram as indústrias de processamento de alimentos e as latas descartáveis.

1810 Auguste de Heine e Peter Durand, na Inglaterra, patenteiam a utilização de latas para conservação de alimentos. É o início da moderna indústria de embalagem.


1951

Este ano mudou para sempre a história das embalagens. Fundada na Suíça pelo Dr. Ruben Rausing, a Tetra Pak introduziu inovações que alteraram a forma como os alimentos são embalados e distribuídos em todo o mundo, sendo que 10 anos mais tarde, a Tetra Pak inovaria o mundo das embalagens com a máquina de enchimento asséptico que alteraria profundamente a distribuição e venda de produtos alimentares líquidos de longa duração.

1939

A venda dos primeiros aparelhos de televisão e o desenvolvimento dos meios de comunicação e publicidade contribuíram para a utilização da embalagem como ferramenta de promoção do produto.

1908/1910

O químico Jacques Brandenberger, no ano de 1908, inventou a película de celofane. Estes novos materiais revolucionaram o processo de produção das embalagens, permitindo conservar os produtos durante muito mais tempo e em 1910 os Estados Unidos e o Reino Unido começaram a produzir papel-alumínio.


visual linguagem

Antes da Primeira Guerra Mundial, os produtos eram vendidos a granel, pesados no balcão e embrulhados em papel tipo manilha ou embalados em sacos de papel. Além de alimentos, alguns outros produtos eram vendidos já embalados, como o cigarro, a cerveja, a cera para assoalho, a criolina, os inseticidas líquidos e produtos de toucador, perfumaria e dentifrícios e por isso a Primeira Guerra originou uma série de transformações, sendo uma delas a origem da embalagem individual, pois era mais fácil a distribuição e fornecimento de rações aos exércitos em pequenos pacotes. Tudo isso se deve graças à Revolução Industrial que possibilitou o aumento de produtividade das empresas, levando também ao desenvolvimento de formatos mais convenientes de embalagens, permitindo manter as características intrínsicas dos seus produtos. Felizmente, não foi somente a embalagem que evoluiu ao longo dos anos, mas também a sua linguagem visual que antes era identificada, exclusivamente, por sua forma, como é o caso da ânfora ou jarro que indicava se o conteúdo era vinho ou azeite. Hoje, a linguavel visual de uma embalagem é a forma mais eficaz de identificar e agregar personalidade a um produto.


Além do mais, o reconhecimento do produto pelo rótulo faz com que o usuário torne tangível esta embalagem, seja segurando, cheirando ou experimentando. Na linguagem visual da embalgem traz informações sobre o produto, como ingredientes, composição, finalidade do produto, modo de uso e demais informações, não esquecendo da parte estética do produto, que é o que poderá chamar a atenção do consumidor. Para isso, o conhecimento do rótulo vai muito mais além do que a criação. Envolve conhecimento, pesquisa, arte e tecnologia e aspectos artísticoestéticos que criam a identidade visual. Mas por que o design de embalagem é tão importante assim? A maioria dos produtos possuem embalagem e por isso dependem exclusivamente da embalagem para competir no mercado, sendo que ela faz muito mais do que expor o produto, ela entusiasma a empresa, motiva a força de vendas e facilita na negociação., chama a atenção, informa, desperta desejo, agrega valor, liga o produto com o fabricante para assim favorecer a compra.


Historia da Embalagem  

Trabalho para a Disciplina de Embalagem.