Issuu on Google+


Editorial

Como nossos Pais... Nessa edição em tempo, gostaríamos primeiramente de parabenizar todos os pais de Cambé pela passagem em comemoração ao seu dia e deixamos aqui nossa mensagem de carinho, fé e amor para que eles sejam cada vez mais iluminados na grande dádiva que é ser pai. Pais são heróis à parte, afinal, desde sempre lutam por seus filhos, ainda mais nesse nosso tempo onde a alta velocidade de informações faz com que até mesmo eles se perguntem para onde caminha a humanidade? Fica então nossa admiração e respeito para nossos queridos pais. Já na capital do nosso país, Brasília, o tão esperado julgamento sobre o escândalo do mensalão, capítulo triste da nossa história política, acontece sob os olhos tímidos da população e ávidos da imprensa. Um pouco mais além, o Mercosul vive mais uma crise que desponta com a inclusão da Venezuela como país participante do bloco econômico e causa um desconforto total com a presença de Hugo Chaves no grupo. Os especialistas temem que Chaves, como fez no passado, não cumpra as promessas de acordo e fique só no “toma lá mas não da cá”. Do outro lado do mundo, na Síria, uma Expediente Diretor Geral: Lair Fiorillo Reportagem: Lair Fiorillo Diagramação e Projeto Gráfico: Luciana Barbosa Diretora Comercial: Cassila Camillo Sugestão de Pauta: revistacambe@hotmail.com Fotografia: Cassila Camillo e Leandro Geroto Publicidade: (43) 9660-4072 e (43) 9631-3439 Tiragem: 2000 exemplares A Revista Miscelânea tem distribuição gratuita e é uma publicação da Silva e Fiorillo Editora.

2

guerra sangrenta que precisa urgentemente da intervenção da ONU deixa civis reféns da onipotência do estado e os cidadãos comuns do mundo, perplexos com tanta crueldade. Bom, todas essas mudanças na geopolítica mundial mexem conosco diretamente, apesar de não alterar nosso dia a dia, que certamente será mais afetado pela eleição municipal que se aproxima. Por isso, fomos às ruas ouvir os eleitores, passamos pelo comércio, por indústrias e ouvimos versões diferentes sobre a política local e suas vertentes. Se muitos não se importam com esse assunto, em contrapartida, alguns sugerem mudanças na saúde, educação, e claro, mais cuidado com a violência que assusta cada dia mais. Deixamos pra você leitor pensar e tirar suas conclusões de toda essa engrenagem chamada política, e perguntamos? Eu, tu, ele, nós, vós ou Eles? Quem é que faz ou deixa de fazer sua parte para ajudar na transformação desse quadro, ou melhor, do nosso quadro? Ou será que “ainda somos os mesmos e vivemos como os nossos Pais...”? Boa leitura! Lair Fiorillo


Enquete

Eleições 2012 Nossa equipe deu um giro pela cidade, visitou comércios e conversou com a população nas ruas para perguntar sobre o que a população deseja com a próxima eleição em Cambé. Confira as diferentes opiniões de cidadãos escolhidos aleatoriamente.

“Que tenha mais segurança no período noturno, especialmente nas saídas dos colégios, assim como nos bairros em geral.” Noemi de Assis Umbelino, comerciante

“Espero que melhore o crescimento econômico e que haja um maior incentivo ao comércio local, além de mais segurança para a cidade.” Patrícia Peres, comerciante

4

“Espero mais segurança para um futuro melhor para meu filho que vai nascer.” Patrícia Giraldino Pizaia, auxiliar de laboratório


“NĂŁo tenho visto com bons olhos a polĂ­tica em geral no nosso PaĂ­s, porĂŠm espero que eles (os candidatos) cumpram o papel para o qual foram eleitos. Que o poder legislativo possa propor e atuar em bons projetos para a comunidade, que o executivo faça sua parte com poder de decisĂŁo e ĂŠtica, e que o judiciĂĄrio cumpra a lei rigorosamente em caso de NĂŁo corrupção. Esperopassar que ninguĂŠm fique virtual para as ĂŠ mais preciso horas toria prometendo a para campanha na frente durante do armĂĄrio escolher eleitoral o leitoras a partir das dĂşvidas look possa para o cumprir trabalho, o pas-seja aquilomelhor que nĂŁo caso eleito.â€?de nossas seio ou a balada. Basta conhecer al- clientes reaisâ€?, conta ValdirJXP Marques dePRGD Souza, EORJ VREUH SDUDcontador ÂżFDU SRU &ULV (OD DÂżUPD TXH

Moda

Blogs de moda são boas opçþes para quem quer se vestir bem

dentro de dicas que auxiliam na hora o conteĂşdo do site ĂŠ de se vestir, incrementar o visual ou exclusivo, e retirado simplesmente saber como usar aque- GDH[SHULrQFLDSURÂżV la blusa que estĂĄ na gaveta e vocĂŞ sional da dupla. Recheados de nĂŁo sabe com o que compor. Bastante populares hoje em dia, fotos e atĂŠ mesmo os blogs sĂŁo sites atualizados por preços, os blogs ajudam tambĂŠm na pessoas que entendem de determi- hora de compor o visual para difenado assunto como moda, culinĂĄria, rentes situaçþes como casamentos polĂ­tica, etc. Neles, os autores ex- durante o dia, reuniĂľes de trabalho e pressam suas opiniĂľes, pesquisas ou entrevistas de emprego. â€œĂ€s vezes a resultados de seu trabalho. Nos blogs cliente vĂŞ paetĂŞ em uma vitrine e nos de moda, abastecidos geralmente por SHUJXQWD Âľ0DV FRPR XVDU SDHWr"Âś$ consultoras de imagem, as autoras resposta ĂŠ sempre colocada no siteâ€?, colocam dicas de roupas que vĂŁo explica a consultora. AlĂŠm dessas informaçþes, os blomelhor com o tipo fĂ­sico de cada um, cores que combinam entre si e pe- gs trazem roteiros de compras para ças especiais, assim como modelitos cada estação como casacos e calças clĂĄssicos que nunca saem de moda. que serĂŁo usados durante o inverno, &ULVWLQD*DEULHOOLDXWRUDGREORJ2ÂżFL camisas e cardigans para a primana de Estilo, trabalha como consultora vera, shorts e vestidos para o verĂŁo. de imagem hĂĄ quase dez anos e logo Outra sugestĂŁo que ĂŠ comum enconque começou a atuar na ĂĄrea, ela e a trar nesses sites sĂŁo peças-chave sĂłcia Fernanda criaram o site. “Nossa para o guarda-roupa que podem ser encontradas em lojas de departaideia ĂŠ prestar umos serviço de consul“Espero que candidatos trabalhem mentos como Renner e C&A, sempre para os cumprimentos das metas com preços bem interessantes. estabelecidas em campanha, AcessĂłrios como sapatos e bolsas tambĂŠm fazem parte da lista tambĂŠm espero muita transparĂŞncia de desejos das “blogueirasâ€? (nome e honestidade por parte dos eleitos. â€? dado Ă s autoras do blog), e segunVanda Pauline, dona de casa do elas, sĂŁo itens que fazem a dife-

“Espero melhorias na ĂĄrea da saĂşde, educação e segurança pĂşblica.â€? Nataly, estudante

Foto: welovemodels.com rença na composição dos looks, por isso, recebem atenção especial nas recomendaçþes de como usĂĄ-los. “A mulher deve usar aquilo que tem a ver com sua personalidade, com seu dia-a-dia, nĂŁo dĂĄ pra pegar Ă´nibus de salto altoâ€?, ensina Cris. Segundo ela, respeitar seu estilo de vida, exercitar a criatividade e deixar para trĂĄs regras sĂŁo os primeiros passos para criar um look cheio de personalidade. “Cada uma tem seu clĂĄssico, tem gente que nĂŁo usa calça jeans e adora macacĂŁo, outras nĂŁo gostam de camisas e preferem blusas, portanto, ĂŠ preciso se conhecer para poder se vestir bemâ€?. Alguns blogs interessantes: ZZZRÂżFLQDGHHVWLORXROFRPEU www.anapaulapedras.com.br www.juliapetit.com.br www.comquelookeuvou.com.br

5


Consultoria

Olhando para fora da janela

“Tudo o que acontece no mundo afeta sua empresa, de forma direta ou indireta”. Eu costumo repetir muito essa frase aos meus alunos e clientes. Sabemos que as empresas não atuam sozinhas em seu mercado. Elas dependem de uma série de entidades, organizações e variáveis para sobreviver. Me refiro aos seus funcionários, acionistas, fornecedores, distribuidores, clientes, além de uma economia favorável, políticas de incentivo, tecnologia entre outros. As organizações que buscam a sobrevivência e a sua perpetuação no mercado necessitam administrar, com competência, não apenas o seu ambiente interno, mas também o externo. Significa não apenas contar com uma boa equipe de colaboradores, dispor de recursos financeiros, possuir equipamentos e máquinas modernas, oferecer produtos e serviços de qualidade e praticar uma gestão administrativa eficiente. As empresas precisam colocar a cabeça pra fora da janela e acompanhar tudo o que se passa no mercado. Isso porque tudo que acontece lá fora afeta os seus negócios. Lá estão os seus concorrentes, os seus clientes, seus parceiros comerciais, o governo, sindicatos, e todas as forças do macroambiente, como a variável demográfica, a econômica, a política, a tecnológica e a cultural. Vejamos alguns exemplos de como as forças do ambiente externo influenciam os negócios de uma organização. Tomemos os fornecedores de uma empresa. Aparentemente um simples parceiro comercial, essas organizações podem fazer grande diferença em seu negócio. Um bom fornecedor pode lhe

trazer ótimas vantagens, como entrega rápida de produtos e fornecimento de matérias-primas de boa qualidade a custo baixo. Mas, ao contrário disso, e se esses fornecedores atrasarem a entrega de seus pedidos, ou fornecerem matérias-primas de baixa qualidade? Tudo isso certamente afetaria negativamente esta organização. E os distribuidores, que no atraso da entrega de produtos no ponto de venda, que prejuízo poderia provocar em suas vendas? E imagine a imprensa denunciando uma irregularidade cometido por sua organização, que estragos provocaria na imagem da companhia? E o que falar da variável econômica? Somos testemunhas que qualquer ameaça de crise econômica em qualquer parte do planeta mobiliza (e apavora) todos os países (e suas companhias). É o resultado da economia global. Recentemente presenciamos a crise financeira dos Estados Unidos. Muitas empresas brasileiras se viram prejudicadas, e seriamente ameaçadas, por conta da crise imobiliária norte-americana. E não precisamos ir longe. A alta da inflação, uma recessão interna, alterações cambiais. Tudo isso afeta as atividades de nossas empresas. A interferência governamental também é fator de risco – ou de oportunidade - ao universo das corporações. A redução do IPI – imposto sobre produtos

Fábio L. Iwakura industrializados – beneficiou montadoras de veículos, fabricantes de eletrodomésticos e de móveis. Ao impor barreiras comerciais protecionistas, o governo privilegia os produtos nacionais e seus fabricantes ganham fôlego e incentivo para um melhor desempenho interno. Já as mudanças climáticas podem fazer produtos encalharem nas prateleiras, ou elevar a comercialização de outros. Pudemos perceber, em uma rápida análise, o quanto é importante as empresas monitorarem constantemente o seu ambiente externo. Organizações que dedicam parte de seus esforços em analisar o mercado conseguem identificar ameaças e oportunidades de negócio, se aproveitando dos sinais positivos e evitando aspectos negativos. Estes empresários sabem que para gerenciar bem sua organização, ele deve manter um olho dentro, e outro fora de sua companhia. Fábio Iwakura é consultor de marketing da Inteligência Consultoria Empresarial. fabio@ inteligenciaconsultoria.com.br


Pelo Facebook

Fizemos um passeio pela Internet na principal rede social do momento, o Facebook. De lá, conversamos com a técnica ceramista Risolete Bendlin que falou um pouco do seu trabalho e sua experiências. Confira! Miscelânea: Onde você nasceu? Risolete: Curitiba, mas morei muito tempo em Maringá. Depois me casei e fui embora para Buenos Aires. Miscelânea: Qual sua formação? Risolete: Tenho formação técnica em Cerâmica Artística, estudei numa escola em Buenos Aires onde aprendi tudo relacionado com a arte do fogo, a cerâmica. Miscelânea: Em que consiste basicamente esta técnica? Risolete: Bom, através da minha formação aprendi a modelar, fazer escultura, trabalhar com o torno de olheiro, pinturas, tudo relacionado com a argila e o barro, além de também ter aprendido a fazer

massa cerâmica, preparação de esmaltes que seriam as tintas usadas para glazurar as peças, fabricar forno para queimas. Estudei também História da Arte para entender todas as etapas, inícios e formações de peças e artistas. Miscelânea: Então você cria peças e lhes dá formas? Pode criar qualquer peça? Risolete: Sim. Estou morando em Curitiba há sete anos onde tenho um Atelier, o Recanto do Barro. Nele, trabalho todos os dias, dou aula, faço minhas peças, encomendas. A Cerâmica nos dá a possibilidade de criação, trabalhamos com uma matéria viva, que inclusive nos ensina a ter mais paciência, ter desapegos. Miscelânea: Quem pode desenvolver essa técnica? É preciso ter dons artísticos? Risolete: Não, nada disso, todos nós podemos aprender, tenho alunos que jamais colocaram a mão na massa, no barro, e hoje trabalham criando formas, esculturas. É só uma questão de gostar, para a maioria isso é uma terapia, mas no meu caso, é o meu trabalho, aprendi tudo

o que sei hoje e ainda aprendo todos os dias. Miscelânea: Você acredita que a arte poderia estar interligada ao dia a dia das pessoas? Risolete: Sim, com certeza penso que as pessoas deveriam se dedicar um pouco a desenvolver o lado artístico, trabalhar mais a sensibilidade, a expressão, de uma forma mais suave, mais doce. Quem sabe assim haveria menos estresse, menos agressividade, mais calma mais tolerância. Isso com qualquer tipo de arte, a música, artes visuais, dança, etc.

Interessados em mais informações entre em contato através do Facebook ou pelo e-mail risoletebendlin@hotmail.com


Crônica

Ela de rasteira; ele de botinão Lídia tem um metro e setenta e cinco quando se põe sobre os saltos do par de scarpins. É muito para Roberto! Ainda que trôpego em cima dos botinões de peão de rodeio, de saltos escandalosamente altos e inclinados para frente, ele chega a um metro e sessenta e quatro. Onze centímetros de diferença. Ela lá em cima, ele cá embaixo. Antes a desproporção era reduzida por consenso. Nos tempos do namoro e do noivado ele evitava mocassim. Preferia sapatos sociais com saltos avantajados. Um par de calcanheiras contribuía e Roberto quase chegava lá. Ela, coitada, até nos eventos mais sofisticados aparecia achatada nas rasteirinhas. No casamento permitiu-se o uso de uma meia altura, com salto quatro centímetros. Da porta da paróquia até o altar, onde o noivo a esperava, Lídia pareceu uma boneca vestida de branco, véu e grinalda, calçando sapatos que deram a impressão serem de plástico. Estranho! Como é que se desce tanto quando a paixão é labareda! Sabe-se que o fogo abranda e quando resta somente a brasa em pouco tempo restará cinzas e tocos de carvão. Estes nem servem para outras fogueiras. Lídia usou chinelos de dedo e tênis baixos na lua de mel. Escolha certa para o lugar onde passaram duas semanas: praia! Disseram alguns que aquilo era programa de gente que nunca viu o mar: banhista pisando banhista, bola de vôlei de praia batendo na lata de refrigerante e areia dentro dos ouvidos. Foi o espetáculo. À noite, restaurante de beira de mar onde o que vale tanto é vendido pelo triplo. A paixão ainda era chama

Por Walter Ogama

quando a vida recomeçou, agora a dois. Mas poucas dezenas de luas cheias haviam passado quando Lídia decidiu mudar de tamanho. De volta ao trabalho, tratou de se abastecer com calçados de salto. Isso à revelia, sem consultar o baixinho. Descontente, ele correu às lojas especializadas para comprar botas de cowboy. Coisa esquisita! De saltões Roberto ficava com as nádegas empinadas. Andava desengonçado. Precisava se equilibrar sobre aquilo. Foi quando se percebeu que o fogo do amor havia acabado. Quanto mais altos eram os botinões de Roberto, mais aumentava a altura de Lídia. Ela caminhava segura e charmosa sobre quinze centímetros. Morena clara de cabelos negros e lisos, alta, magra, sensual e irresistível, a mulher era a diferença explicíta de Roberto. Ele andava e batia os bicos das botas nas saliências das calçadas. Sorte que durou pouco. O casal fechou pacto e o acordado foi cumprido à risca. Ele continuou participando das celebrações religiosas dominicais da instituição da esquina. Ela renovou a fé em outro templo. Nunca mais foram ao mercado juntos para as compras

semanais. Ele vai ao trabalho de ônibus. Ela pega carona com um o vizinho de média estatura. E no almoço de segunda à sexta cada um que se vire. Ela freqüenta um restaurante nobre em companhia de um amigo de um metro e oitenta. Ele vai à lanchonete para comer salgado e conversar com a balconista, uma charmosa senhora que tem lá os seus um metro e sessenta. (extraído do blog O Cotidiano em Letras – http://walterogama. blogspot.com)


Lazer

Espaço Tarumã: que lugar é esse?

Espaço recreativo oferece ampla área para atividades e fica bem próximo ao centro Cambé possui uma área muito especial e interessante para lazer, esportes e recreação: é o Espaço Tarumã. Quem chega logo se encanta com as palmeiras o lago e os campo de futebol, assim como a amplitude e organização que somados, tornam o local atrativo e ideal para a prática de esportes ao ar livre, para encontros entre amigos, confraternizações ou simplesmente para soltar as crianças brincando em um espaço gostoso. Mas afi-

10

nal que lugar é esse? Muitas pessoas talvez não imaginam que nossa cidade tem uma estrutura dessas, bem próxima ao centro. Com cerca de um ano de existência, o espaço coordenado pelo professor de educação física Luis Afonso de Almeida, desenvolve atividades recreativas, sociais e culturais para crianças, jovens e adultos. Com um sistema de agendamento para todas as atividades, o clube não precisa cobrar men-

salidades nem cotas, o que facilita o acesso a qualquer pessoa, empresa ou entidade . Um novo modelo de recreação e lazer que oferece qualidade nos serviços, segurança, estacionamento e conforto para todos. A principal atividade do clube é o esporte, principalmente o futebol society, prática muito procurada pela população principalmente pela qualidade do gramado. O society (conhecido por grama sintética) oferece condições para


os esportistas realizarem uma boa partida de futebol. Os campos podem ser locados por empresas, amigos ou times para a realização de jogos diários ou torneios e campeonatos. Além do society, o clube conta com mais dois campos de futebol suíço. O espaço também oferece escolinha de futebol masculino e feminino para crianças de cinco até 17 anos. Para os pequenos as aulas são lúdicas e recreativas, o que desperta o gosto e a importância da atividade física como fundamental para o bom desenvolvimento, assim como uma maneira de proporcionar um tempo de corrida, brincadeiras e exercícios ao ar livre com segurança para as crianças. Além de divertidas, as aulas são um incentivo ao esporte. Outra diversão que o Espaço Tarumã oferece é a área de lazer que conta com lanchonete, serviço de bar e happy hour todos os dias, inclusive sábados, domingos e feriados. Durante os jogos importantes dos campeonatos estadual e nacional, grupos se reúnem para torcer pelos seus times em um ambiente tranquilo e agradável. Aqueles que preferirem fazer um churrasco podem locar o espaço para aniversários, confraternização de empresas e outros eventos. O local também conta com um pequeno pesque- pague para quem deseja passar horas curtindo a paisagem com a natureza do local. Em breve, essa atividade será ampliada.

Venha com sua família desfrutar dessa estrutura que possui área verde para lazer, sala de jogos, horto tropical, campos

de futebol, etc. Seja bem vindo aqui, pois esse lugar fica mesmo em Cambé e está bem perto de você!

11


De bem com a vida: Maria Aparecida Cogo Navas Ela tem 70 anos, muita saúde, alegria e disposição. Quem convive com ela percebe nos olhos a felicidade e a realização dessa cambeense, casada, mãe de cinco filhos, comerciante e com uma vida inteira dedicada à família, ao trabalho e à fé em Deus. Casada com Miguel Navas, homem ao qual ela faz questão de declarar o amor. “Meu esposo que eu amo muito, homem que me ensinou muito, que lutamos juntos e aprendemos a conviver um com outro da maneira certa um ajudando e aprendendo com o outro nas alegrias e também nas dificuldades encontradas ao logos de tantos anos de convivência”. Maria nos conta e lembra com tristeza e dor sobre um fato que mudou a vida do casal, a morte da filha Kátia Regina Navas. A moça tinha apenas 22 anos e era funcionária do banco Bradesco, e foi vítima de um acidente de carro entre Cambé e Londrina, fatalidade que interrompeu um futuro brilhante da bela jovem que estava noiva. Maria diz como foi difícil superar essa perda, e segundo ela, “isso dói até hoje em seu coração”, porém, apesar do sofrimento ela conseguiu com fé em Deus e muito apoio da Igreja Católica e de outras religiões também, dos amigos e principalmente do marido, enfrentar esse triste acontecimento em sua vida. Mas ela segue alegre e cantando e fala sobre o gosto por músicas românticas e pelo gosto ao trabalho. E para ficar sempre ativa, mantém sua mente aberta pra servir e aprender coisas novas. Não tem vergonha de dizer que ama a vida, os filhos, as noras, os netos e o esposo. Todos os dias ela agradece ao dom da vida e a tudo que conquistou com muita luta e sacrifício, sempre com Deus como realizador de todas as obras em sua vida.

12


Eleições 2012

Entrevista com os candidatos Procuramos de uma forma democrática oferecer este espaço aos três candidatos que concorrem ao cargo de Prefeito em Cambé. Fizemos apenas três perguntas e todos tiveram o mesmo espaço para suas respostas. Confira.

1)Porque o senhor é candidato a prefeito de Cambé? 2) Caso seja eleito, qual área que precisa mais atenção? 3) Porque o eleitor deve votar no senhor? 1) Sou candidato a Prefeito porque amo Cambé, esse povo que me acolheu com tanto carinho merece minha retribuição. Sei que posso fazer muito por nossa gente. Não tenho intensão de seguir carreira na política, minha intensão é ser o melhor Prefeito que Cambé já teve. Quero transformar Cambé em uma cidade com maior qualidade de vida, com mais saúde segurança, saneamento básico, com a agricultura forte, com potencial para atrair indústrias gerando renda e emprego para a população. Eu sei que essa tarefa não é fácil, mas tenho muita vontade e competência para realizar essa transformação que Cambé merece e precisa. 2) Com certeza a área que mais necessita atenção é a saúde, não sou eu como médico há 30 anos que estou falando é a população cambeense que está clamando . Nos últimos anos o setor da saúde foi entregue a própria sorte e eu como médico atuante, convivo com esse problema todos os dias. Faltam investimentos para essa área e em consequência disso faltam médicos, faltam funcionários, falta qualificação! A única coisa que não faltou foram promessas, que não foram cumpridas e estão novamente rondando a cidade. Eu como já disse atuo na área da saúde há mais de 30 anos e sei como e de onde buscar os recursos necessários para transformar a cidade de Cambé em referência nesse setor e vou fazer isso assim que for eleito. 3) Quero ser Prefeito para colocar a cidade no lugar que merece, que é entre as cidades mais pujantes do estado. Quero a cidade forte, unida e decidida, quero esse sentimento de crescimento estampado no rosto da população, pois do jeito que está, nem mesmo os mais otimistas apostam nisso. O povo quer uma mudança e nossa eleição vai trazer essa mudança!

14

1)Pelos mesmos motivos que milhões de brasileiros desejam, ou seja, uma mudança no sistema políticopartidário. Fala-se tanto em reforma política e a mesma não ocorre, por esse motivo acredito que essa reforma deve-se iniciar a partir dos municípios. Com a reforma política ocorrendo nos municípios os parlamentares da esfera nacional se sentirão na obrigação de promover a referida reforma. Portanto estou disposto a implantar um novo sistema político, ou seja, iniciando a referida reforma no município de Cambé, pois esse sistema que vem sendo utilizado ao longo dos anos está claro que não funciona e que precisa ser modificado. 2)Educação, saúde e segurança. Por isso já tenho propostas a serem debatidas com pessoas altamente qualificadas para cada assunto, e também para serem discutidas com a comunidade, pois minha administração será colegiada, ou seja, participativa, para que a gestão destes programas seja implantada dentro daquilo que a sociedade almeja. 3)Porque sou um politico de formação e não um politico de carreira, pois em minha carreira como sindicalista de longa data, participando assim de reuniões, debates e estudos inclusive com pessoas renomadas até mesmo com membros do secretariado dos governos estadual a federal, e como funcionário de carreira da Universidade Estadual de Londrina (UEL) a mais de quinze anos convivendo tanto com docentes, acadêmico, técnicos e todas as categorias de funcionários da mesma. Dessa forma me sinto preparado para a gestão do município, pois tenho a clareza de que montando um bom quadro de técnicos cada um em sua área de maior competência específica conseguiremos fazer com que funcione todo o sistema de gestão do município sabendo quais são as competências do executivo, legislativo e dos governos (estadual e federal) teremos a tranquilidade de fazer um bom governo para o município de Cambé.

1) A política feita com ética e vontade permite realizar muitas obras e programas que melhoram a qualidade de vida da população. Eu gosto e estou na política há muito tempo. Fui secretário municipal duas vezes e adquiri experiência. Fui também vereador e fiz um bom mandato a favor da população de Cambé. Como prefeito tenho experiência e reúno condições para administrar Cambé e fazer um governo comprometido com toda a comunidade 2) Vamos investir em todas as áreas, como sempre fizemos. Há prioridades que devem ser respeitadas. A educação em Cambé merece em todos os momentos atenção especial, assim como a saúde, que na nossa gestão deu um salto de qualidade, a ação social, o esporte e a execução de muitas obras fundamentais para a população. De um modo geral vamos cuidar bem da cidade, avaliando e levando em consideração as necessidades de todas as áreas. 3) Peço o voto do eleitor para dar continuidade a um projeto que iniciamos em 2009. Pegamos uma prefeitura endividada e pagamos R$ 16 milhões de dívidas deixadas por outros administradores. Evitamos a perda salarial do servidor e fizemos muitas obras. Não aumentamos o imposto (IPTU) por três anos consecutivos e nem a inflação repassamos. Alcançamos, enfim, indicadores importantes de satisfação da comunidade. A partir de 2013 teremos uma prefeitura sem dívidas e conseguiremos trazer muitas melhorias para a população de Cambé.


Vida de Comerciante

Farmácia Viviane: Uma trajetória de sucesso “Meu sonho de ser empresária começou com a Faculdade de Farmácia e o sonho de ter o próprio negócio. Pude contar com a ajuda de meu pai, que me auxiliou na buscar de recursos, contando assim com a ajuda do Projer. A princípio, por ser mulher, tive restrições no mercado e sofri preconceito de alguns fornecedores que não vendiam para minha empresa pois não acreditavam no meu potencial, isso durou cerca de dois anos. No início, me senti mais segura ao optar por uma franquia, devido à pouca experiência já que iria receber suporte na administração da Farmácia por fazer parte de um grupo já existente, afinal eu possuía apenas o conhecimento técnico. Como não me contentava em ser apenas uma farmácia comum, busquei o que existia de mais moderno, investindo em conhecimento e inovação como visita a fornecedores, promoção de eventos, palestras, cursos, campanhas, entre outros. Procurei ajuda no Sebrae quando a Farmácia estava passando por dificuldades financeiras, lá me auxiliaram a realizar uma pesquisa de mercado para conhe-

cer o meu cliente. Assim, descobri que a franquia não era fator decisivo de compra para meu cliente. Foi quando decidi criar minha própria marca: a Farmácia Viviane. Em parceria com o Sebrae participei de diversos programas como Sebrae & Você, Prosperar, 5’S, Sebrae Mais e Varejo Mais onde tive meus primeiros contatos de como administrar meu negócio, não sabendo nem o que era Missão, Visão, Planejamento e a importância dos procedimentos descritos de uma empresa. Como estratégia de marketing criei

a mascote Vivi e fiz uma boneca em tamanho real, se tornando marca registrada da Farmácia. Assim por onde ela passa o nome da Farmácia é lembrando com carinho, carinho que ela transmite através de todas as formas e desenhos. Com a entrada de grandes redes no setor farmacêutico, o maior desafio é se manter no mercado. Para superar as dificuldades investi no maior mix de produtos de perfumaria e novas marcas, contratei e treinei novos colaboradores, promovi eventos diferenciados, como por exemplo cursos de maquiagem, e implantei o Cartão Fidelida-

15


de, triplicando assim o faturamento dessa linha de produtos. Através do Sebrae Mais tive ferramentas para pensar no meu negócio, e então resolvi mudar a Visão da empresa para “Ser reconhecida como a Farmácia da Família de Cambé”, pois atendemos da gestante até o vovô, e procuramos atender o cliente com o mesmo carinho que a sua família lhe proporciona. A satisfação dos nossos clientes muitas vezes é demonstrada por pequenos gestos de carinho onde presenteiam nossos colaboradores com bolos, pães, doces, entre outros. Por ser a Farmácia da Família nossos colaboradores procuram sempre atender os clientes pelo nome. A Farmácia Viviane existe há 12 anos, começamos com três funcionários e hoje estamos com 13, destes a maioria continua até hoje, o que demonstra que a baixa rotatividade é sinal de satisfação dos colaboradores. Prova disso é a homenagem que recebi deles na Festa de Fim de Ano quando fizeram um discurso falando do orgulho que sentem em trabalhar na empresa e que possuo um espírito empreendedor, sempre buscando e aplicando mais conhecimento. Sempre prezei muito pelo bom relacionamento entre a diretoria e os colaboradores, para manter esse

16

vínculo, realizo reuniões periódicas, abrindo espaço para que os funcionários discutam sobre problemas e soluções, e juntos encontremos o melhor a ser feito. Minhas prioridades vão além do âmbito empresarial e passam pelo respeito à natureza, pelos idosos, pela solidariedade e pelas gerações futuras. Prezo pelo meio ambiente, por isso a empresa tem um plano de gerenciamento de resíduos, separando o lixo hospitalar, agulhas e seringas do lixo comum para evitar acidentes com quem os manipula, além de descartarmos separadamente os produtos vencidos. Tenho um cuidado com a terceira idade para quem, por mais de três anos, proporcionei aulas de ginástica elaboradas por profissional habilitado, realizadas na praça em frente à loja. Somente abandonei este projeto devido às mudanças ocorridas nas legislações que regem as farmácias. Sempre realizo ações como as campanhas de doação de agasalhos para entidades carentes e arrecadação de brinquedos para lares e creches da cidade. Anualmente promovo a campanha de Dia das Crianças, onde são distribuídos mais de dez mil desenhos para colorir nas escolas com o intuito lúdico-pedagógico. Nessa campa-

nha, a Vivi vai até pontos históricos da cidade e incentiva as crianças a conhecerem a história de Cambé e, ao final, é feito o sorteio de uma bicicleta. Como projeto futuro para 2012, pretendo implantar um posto de coleta de medicamentos vencidos da população, para que os mesmos tenham um destino certo e não sejam descartados em local inapropriado. Sempre que procurada auxilio amigas empresárias na gestão de seus negócios com dicas e sugestões aprendidas nos encontros, cursos, palestras, treinamentos e programas em que participo. Nestes encontros sempre há troca de informação e experiência entre os empresários, o que proporciona ideias e melhorias que posso aplicar em minha empresa e também multiplicar. E como recompensa de todo meu trabalho recebi o Prêmio MPE 2010, Etapa Estadual, na categoria comércio; e duas vezes o 2º lugar do Programa Varejo Mais, como Destaque Loja Referência do Comércio. Esses prêmios mostram como vale a pena ter trilhado esse caminho ao longo desses 12 anos, e como é recompensador ter criado a Família Farmácia Viviane”. Por Viviane Dalmas, empresária e diretora da Farmácia Viviane.


Personagem

Adilson Szlachta: Malanca O nome é de descendência polonesa: Adilson Szlachta, mas todos o conhecem por Malanca. Chegou a Cambé aos dez anos de idade, vindo de Arapongas. Morou no Jardim Alvorada, no Cambe II e no Centro. Filho de funcionário público, concluiu o segundo grau no Colégio Olavo Bilac. Ele é um homem de muitos amigos, “não me lembro de inimigos”, enfatiza. Malanca foi um apelido dado pelo amigo Luis Bonilha, “talvez por causa de um adesivo colado

em uma bicicleta”, relembra. Ele nos conta que no começo não gostava de ser chamado assim, porém essa brincadeira foi pegando até se tornar o nome de sua empresa, que hoje é a marca registrada Malanca Soud Center. Sua loja, sempre inovadora, oferece equipamentos de som automotivo e

acessórios para carros e pickups. Piloto de MotoCross foi campeão paranaense na categoria Arena Cross (evento

17


realizado em circuito fechado similar aos rodeios). Começou sua vida profissional trabalhando na empresa de som automotivo Glarp. O jovem aprendeu logo e foi trabalhar na própria casa. A convite de Marco Pagnan montaram a MXR Instaladora e depois de dois anos comprou-a do sócio, nascia então a marca Malanca Sound Center, há 21 anos. Com pique total, Malanca investiu no marketing e lembra com saudades das grandes festas em que divulgava sua marca: em Cambe, RockaRolla; em Arapongas, Route 66, Garota Nacional, Pega Moça; em Apucarana, Porco Jones; em Rolândia, as festas da Turma Disgranentofiadamãe. Todas essas festas levavam a marca Malanca Sound Center como apresentador oficial do evento. Tempo de turmas de pit stop nas ruas e avenidas, sempre aproveitando esses momentos para fortalecer o nome de sua loja de som automotivo. “Muitas vezes os carros que paravam pediam o adesivo da festa e o do Malanca Sound Center e isso era gratificante” conta o empresário. Hoje está casado com Amarílis, sobre a qual ele faz questão de dizer “ela me completa”, o casal tem duas filhas e vivem em harmonia no lar, além de se dedicarem também ao serviço de Deus e ao estudo da Bíblia. Ele está sempre sorrindo, se sente feliz e realizado em sua vida profissional e emocional, agradece muito a Deus e aos amigos por estar há 21 anos em Cambé trabalhando, ao lado da família e dos amigos. Por tudo isso Malanca é mesmo um personagem da cidade de Cambé.

18


Loja Âmbar estreia novo endereço Prestes a completar 16 anos, a Loja Âmbar mudou de endereço. Depois de 15 anos no Via Shopping, agora ela está na “rua”, em um espaço maior e com estacionamento próprio, um artigo de luxo hoje em dia no centro de Cambé. Ao longo de sua história, a loja ampliou seu leque de produtos. Os artigos, que antes eram apenas bermudas e camisetas, hoje se transformaram em uma família maior. Foram agregados moletons fechados e abertos, jaquetas, bermudas passeio e calças jeans, camisas e camisetas pólo, produtos que atendem tanto o público jovem quanto os mais velhos, além de uma linha completa de tamanhos especiais, até o número 58. Com uma estrutura maior e mais atraente e em um ponto mais acessível, a Âmbar poderá vestir seus clientes da cabeça aos pés. Nos acessórios, além de carteiras, cintos, meias,

cuecas, mochilas e chinelos, a loja também traz novidades, pois começou um trabalho com duas marcas de tênis e até o final do ano mais surpresas vêm por aí. Outro artigo que a Âmbar comercializa com muito sucesso são os óculos de sol, inclusive a linha de ciclismo, em parceira com a Mormaii. Em breve, mais duas marcas de solar estarão à disposição e com certeza irão agradar a todo tipo de público. Outro diferencial que evoluiu ao longo dos anos foi a entrada do skate no portfólio da loja, que passou a desenvolver um trabalho com essa modalidade esportiva que vem crescendo e atingindo todos os públicos, do infantil ao profissional. O incentivo ao esporte é tratado de forma séria na AMBAR. A loja hoje conta com quatro atletas correndo os campeonatos regionais: Fernando Pato, Julio Tourinho, Willian Indinho e Tiago Manabu. E pelos resultados, os meninos vêm

mostrando que a cidade tem gente “fera”. Muitas novidades ainda estão a caminho: desde a finalização do site com todos os produtos da loja até um “Torneio de Sinuca” entre clientes sorteados que será realizado no final de cada mês. Para a galera que vive antenada na internet, até o final do ano serão sorteados três prêmios para quem curtir e compartilhar a FAN PAGE da loja no FACEBOOK. Os proprietários da Âmbar, Marcelo e Michele, ficaram muito felizes na reinauguração com a presença de tantos amigos e clientes, além de comparecem em peso, os comentários positivos sobre o novo “ponto” foram acima do esperado. Venha conhecer a nova AMBAR e conferir as promoções. Av. Inglaterra, 1313, Centro – Cambé (Anexo ao edifício Helena Calegari, em frente ao posto Shell).

19



Revista Miscelânea