Page 1

Edição Nº 07 Março e Abril/2011

Conheça a história de São Jorge

Ogum, seus domínios e suas falanges

Características dos filhos de Ogum

Anjos da Guarda: Quem são eles?

A eficácia da oração: Pra que orar?

Ponto do Mês: Saudação de Ogum

A Quaresma

Sexta-feira Santa

Depoimento do Mês: Luiz Eduardo

e a caridade são uma conseq rança uênc e p s ia d Ae

a fé!

Mensagem: Quando Orardes

mo ritis i p s E O Evangelho Segundo o


Edição Nº 07

Mensageiro Casa D.E.U.S.

Março e Abril/2011

J

orge nasceu na antiga Capadócia, região que atualmente pertence à Turquia, filho de uma nobre e tradicional família cristã. Estava na idade de servir o exército e guerrear, por isso foi instituído capitão, porém em pouco tempo devido a sua coragem, personalidade e pelo seu porte, foi notado pelo então imperador Diocleciano, que o nomeou Conde, ignorando ser aquele bravo, um cristão. Diocleciano moveu guerra e perseguição contra os cristãos. Sendo informado da dificuldade da contenção dos que se confessavam a Cristo por salvador, Diocleciano então chamou todos os governadores, procuradores do Oriente e de outras partes e, junto aos senadores, manifestou a crueldade que tinha contra os cristãos. Afirmou que não havia coisa mais excelente que a veneração dos ídolos, assim lhes ordenou: “Todos que estimam minha amizade, empenhem todas as forças em ORAÇÃO A SÃO JORGE colocar para fora do meu império a religião dos cristãos e serão favorecidos com meu poder”. Jorge foi promovido a Jesus adiante, paz e guia, Tribuno Militar e ao Conselho Militar. Com 23 anos, vendo encomendo-me a Deus e a Virgem Maria, tanta crueldade contra os cristãos, entendeu que era hora minha mãe, e aos doze apóstolos meus irmãos. de alcançar a verdadeira salvação. Foi ai que resolveu Andarei este dia e esta noite, eu e meu corpo distribuir toda a sua riqueza aos pobres e no dia que o cercado e circuladocom as armas de São Jorge. senado se manifestou contra os cristãos, Jorge sem temer, O meu corpo não será preso, nem ferido, armado somente do amor de Deus, se colocou em pé no nem meu sangue derramado; meio de toda a assembléia e se manifestou cristão. Jorge não foi poupado. Foi preso pelos andarei tão livre, como Jesus Cristo soldados que o torturaram, para que ele renegasse a sua fé. Muitos foram os martírios e nove meses no ventre da Virgem Maria. depois de muitas torturas, foi morto por decapitação em 23 de abril de 303. A devoção a São Meus inimigos terão olhos e não me verão, Jorge rapidamente tornou-se popular. Seu culto se espalhou pelo Oriente e, por ocasião das terão boca e não me falarão, Cruzadas, teve grande penetração no Ocidente. Verdadeiro guerreiro da fé, sua imagem mais terão pés e não me alcançarão, conhecida é dele montado num cavalo branco, vencendo um grande dragão que representa terão mãos e não me ofenderão. o mal. São Jorge é padroeiro da Inglaterra e patrono do exército. Amém!

N

o dia 23 de abril, rendemos homenagens a Ogum, Orixá sincretizado a São Jorge e responsável pelas operações de lutas, demandas, combates e ações abruptas de modo geral. Atua estimulando em nós a energia vital para o combate às forças trevosas. Ogum é o vencedor das batalhas travadas contra os perseguidores da Umbanda. Conhecido como o general de Oxalá, Ogum protege a todos que a ele recorrem. Seus domínios são todos os lugares. Em qualquer lugar Ogum é atuante, nas estradas, nas matas, nos mares, nas praias, nas encruzilhadas, nos cemitérios, enfim, em todos os lugares onde exista a menor possibilidade da prática do mal. A lei de Ogum é a lei da espada, figura que o representa. Sua cor é o vermelho. Ogum é um Orixá dos mais respeitados na Umbanda, como também pelos seguidores do mal. É comum os exús o chamarem de“Senhor das Armas”. A linha de Ogum é a mais atuante contra todas as formas de magia ou energia negativa. Dentro da Linha Espiritual de Ogum, na Umbanda, trabalham muitos Espíritos que controlam essas lutas, que são conseqüência direta da Lei de Causa e Efeito. Por isso Ogum se manifesta como um soldado, cumpridor da Lei. A linha de Ogum se divide nas seguintes falanges: OGUM BEIRA-MAR Na areia do mar é conhecido como Ogum Beira-Mar e nas ondas é Ogum Sete Ondas. Atua na ronda da Calunga Grande (mar, oceano), reino de lemanjá. OGUM ROMPE-MATO Esta falange trabalha cruzada com Oxossi, nas matas e nas pedreiras. OGUM MEGÊ Sua falange trabalha na Calunga Pequena (cemitério), na calçada que o cerca, diretamente com as almas. OGUM IARA Esta é a falange que trabalha nos rios, lagos e cachoeiras, grande colaborador de Oxum.

O

OGUM NARUÊ Trabalha basicamente no desmanche da magia negra, dentro da Linha das Almas, exercendo seu domínio sobre as almas quimbandeiras. OGUM MATINATA Defende os campos de Oxalá, bastante comuns em colinas floridas. Não há muitos médiuns que conseguem tê-lo como Guia, pois é bastante difícil de incorporar. OGUM DE LEI Traz consigo a vibração pura de Ogum e trabalha para todo o planeta. É a própria Lei regendo os reajustes cármicos.

s filhos de Ogum, apesar de pouco tímidos e discretos, quase nunca passam despercebidos. O espírito de competição é evidente e a impaciência e as frustrações ao perder criam mais incentivo para eles seguirem em frente. Filhos de Ogum consideram apenas seu próprio ponto de vista, seguem metas que lhe são importantes sem considerar todos os que direta ou indiretamente estão envolvidos com eles. Os desafios aguçam o espírito combativo dos filhos deste Orixá e o modo dele utilizar a sua força pode parecer, aos olhos de quem não os compreende bem, altivez e arrogância. Com capacidade de liderar e coragem suficiente para enfrentarem qualquer missão, os filhos de Ogum conseguem reunir a sua volta pessoas que colaboram com ele por prazer, sentindo-se revitalizadas pelas qualidades magnéticas e energéticas dessa personalidade tão forte. É capaz de castigar prontamente qualquer falha, mas seu perdão vem depressa. Gosta da 02 verdade acima de tudo, nunca fala por trás de alguém, suas críticas são abertas, pois detesta dissimulação.


Edição Nº 07

Mensageiro Casa D.E.U.S.

M

uito se fala sobre o assunto, mas poucas pessoas realmente entendem a importância do Anjo da Guarda, inclusive para nós Umbandistas. Infelizmente, a história sobre anjos é curta. Os egípcios os explicaram amplamente e com detalhes, mas tudo foi perdido, queimado na época da ascensão do Cristianismo primitivo do Ocidente. Hoje, o pouco que nos resta deriva dos estudos cabalísticos desenvolvidos pelos judeus, que foram os primeiros a acreditar nesta energia. São Thomás de Aquino foi um estudioso do assunto. Ele dizia que os anjos são seres cujos corpos e essências, são formados de um tecido da chamada luz astral. Eles se comunicam com os homens através da egrégora, podendo assim, assumir formas físicas. A auréola que circunda a cabeça dos anjos é o nome dado ao disco ou aura parcial que emana desses seres. As asas representam a rapidez com que os anjos se locomovem. Na Umbanda, o Anjo da Guarda não é considerado um Guia ou Orixá, é um Espírito Celestial, iluminado, de essência pura e de energia poderosíssima. Pertence à dimensão celestial, dimensão esta de grande pureza e de grande atuação em todas as outras dimensões subsequentes.

A

prece é o caminho que todos nós nos utilizamos para se ligar ao plano espiritual. Ela é uma evocação: chamamos, pelo pensamento, aqueles que gostaríamos que ouvissem os nossos pedidos e agradecimentos. A grande maioria de nós envia os seus pensamentos e mais íntimos desejos e necessidades para Deus, Guias e amigos espirituais. A principal linguagem que usamos para nos comunicarmos com o Plano Espiritual é o pensamento. E como acontece essa sintonia? Todos sabem que o pensamento é uma força, um impulso, uma vontade que, quando direcionada a algo ou alguém, na Terra ou no Espaço, cria-se uma corrente fluídica de um para o outro. A energia que existe nesse elo de comunicação está diretamente relacionada com a intensidade e a força de nossos pensamentos e de nossa vontade. Quando sintonizados na prece, ou seja, na corrente fluídica criada por nós com o Alto, atraímos ao nosso lado amigos e mentores espirituais que nos sustentarão nas boas resoluções e nos inspirarão bons pensamentos, pois querem o nosso bem e estão dispostos a nos ajudar em nossas dificuldades. A ação da prece tem como objetivo principal obtermos inspirações positivas e salutares dos bons Espíritos e a força para resistirmos aos maus pensamentos. Esses bons espíritos não desviam o mal de nós, mas sim, o nosso mau pensamento que pode nos causar grande mal. Eles

Quem está de ronda é São Miguel Ele é Ogum, ele é de lei Ele gira na Umbanda Ele gira na magia São Miguel está lá de ronda Está guardando a minha gira

Bis

Março e Abril/2011

Portanto a essência e a energia dos anjos atingem a todos, independente de religião, doutrina ou crença. Para os médiuns, os Anjos da Guarda são tão importantes quanto os próprios Orixás e entidades, pois são eles que os protegem no momento da incorporação ou desincorporação, momento esse que acontece em segundos de desacoplamento do corpo astral e que, por um mínimo descuido, podem sofrer um ataque do baixo astral com a entrada de seres inferiores na corrente mediúnica do médium. Quando a entidade está incorporada no médium, o Anjo da Guarda fica ao lado. No entanto, no momento da desincorporação ou incorporação, o Anjo da Guarda se aproxima mais ativamente, ajudando a manter o equilíbrio do médium. Na Umbanda, o mentor da Linha de Ogum é São Miguel Arcanjo, o anjo da justiça que, assim como Ogum, faz valer a Lei Divina e protege a todos os Cristãos. Por isso, sua imagem mostra uma espada e uma balança. É considerado o chefe dos exércitos celestiais e o padroeiro da Igreja Católica Universal. As obrigações para o Anjo da Guarda normalmente são feitas com velas brancas de 7 dias, onde se reze o Pai Nosso, Ave Maria e a oração de Anjo de Guarda. Colocamos anexado acima uma oração para que você leve com você para rezar sempre e aonde quiser!

também não suspendem o curso das leis naturais, mas apenas impedem que nós infrinjamos essas leis, dirigindo o nosso livre-arbítrio. Deus nos concede a coragem, a paciência e a resignação a fim de nós mesmos nos ajudarmos, fazendo uso das próprias forças para superar uma aflição, uma angústia ou uma dificuldade. Ele não dá a solução deles prontinha para nós, porque precisamos aprender e conquistar nossa evolução por mérito e não por dádiva. Não esqueçamos de que o valor da nossa oração está em nosso pensamento e na nossa vontade. Não há regras para orar e muito menos um modelo a ser seguido. O “modelo” é subjetivo, íntimo e individual, porque cada um de nós tem nosso padrão vibratório, nossa consciência e experiências desta e de outras vidas; temos então, uma série de características e fatores que fica difícil reduzir tudo isso em uma fórmula. O segredo está em sermos sinceros, pois Deus não ouve palavras vazias, ouve somente nosso coração, quando é verdadeiro. Mais vale um “obrigado!” ou um “me ajude!” sinceros do que rezarmos extensas orações se não depositarmos nelas todo nosso sentimento e devoção. Nós oramos para evoluir nossa condição espiritual. Não é só quando estamos em aflição que devemos orar. Orar é conversar com Deus e dar-Lhe graças por tudo quanto Ele permite que nos aconteça. Nós sabemos que todas as coisas contribuirão para o nosso bem. Quer nas situações difíceis, quer nas coisas fáceis, devemos sempre buscar a Deus em oração. A prece é a melhor diretriz para nossa reforma íntima, o que torna a oração um caminho muito importante para nossa vida: o nosso sucesso espiritual!

D

evido ao sincretismo religioso, São Miguel foi associado a Ogum de Lei. Este ponto fala sobre sua atuação e proteção na Umbanda e no combate aos feitiços. Rondar significa vigiar ou tomar conta e os nossos Guias evocam suas forças e de seus enviados no sentido de pedir proteção nos trabalhos. 02 03


Edição Nº 07

Mensageiro Casa D.E.U.S.

C

omo o próprio nome diz, a quaresma para a Igreja Católica, são os 40 dias que se seguem após o Carnaval, com início na quartafeira de cinzas e seu término na sextafeira santa. Este período representa os 40 anos que Moisés peregrinou pelo deserto com os hebreus, libertados da escravidão no Egito, para a depuração do povo daquela época. Nos dias de hoje, durante a quaresma, as pessoas costumam expurgar suas influências negativas, através de penitências, orações e atos de caridade para com o próximo, para poderem absorver valores sagrados. Porém, nós umbandistas, sem deixarmos de respeitar essa prática proveniente dos católicos, devemos ter em mente que estes hábitos pertencem ao Catolicismo e não a Umbanda. Sabemos que no período da quaresma, muitos dos espíritos que vagam em nosso mundo se aproveitam da

Março e Abril/2011

época festiva do Carnaval para se aproveitarem dos encarnados, obsediando-nos com vampirizações e testes em todos os sentidos, para se satisfazerem inutilmente, mas causando grandes conturbações a todos aqueles que se mantém alheios às orações e precauções, principalmente aos que têm conhecimento sobre a vida espiritual. Muitos terreiros suspendem seus trabalhos neste período erroneamente, pois devem ter em primeiro lugar, a consciência de que nossos templos são verdadeiros pronto-socorros espirituais, sem poder deixar de atender aos seus médiuns e frequentadores, pois as demandas, tristezas, doenças, não deixam de afligir as pessoas na quaresma, muito pelo contrário. Como cada religião tem seus costumes, nós umbandistas somos sabedores que o Mestre Nazareno não quer que soframos por Ele, mas sim que coloquemos em prática suas lições de amor, fé, caridade e fraternidade, virtudes que pregou quando encarnado, como alicerces seguros para a evolução da humanidade. Reverenciemos o Cristo com trabalhos espirituais, que não podem parar, visto que o socorro é sempre urgente. A Umbanda é caridade. E a caridade é Jesus em ação!

A

sexta-feira santa é a data em que celebramos a crucificação de Jesus. Este homem de tamanha importância em nosso mundo, nascido há mais de dois mil anos e lembrado até os dias de hoje, durante toda sua vida pregou apenas exemplos de amor e caridade, deixando para todos nós ensinamentos importantes sobre como alcançar nossa evolução. Jesus foi traído por um de seus apóstolos, Judas Iscariotes, que o entregou aos soldados identificando-o por um beijo. Quando dizia que Seu reino não era deste mundo, foi incompreendido pelo povo que, sentindo-se ameaçados pelo seu poder, levaram-no aos pés de Pôncio Pilatos, governador da época, que lavou suas mãos diante de todos, pois não tinha fatos concretos que o acusasse. Deixou então essa decisão nas mãos do povo. Trouxe um bandido chamado Barrabás e pediu que o povo escolhesse a quem dar a liberdade. As pessoas optaram por soltar Barrabás e Jesus foi condenado à morte pela crucificação. O Filho de Deus foi traído, torturado e crucificado como um bandido qualquer e a cruz permanece até os dias atuais como símbolo de sofrimento, esperança e salvação. No dia 22 de abril, vamos procurar elevar nossos pensamentos à Jesus, nosso Mestre, que por amor ao próximo derramou seu sangue e, no momento de sua morte, ainda rogou a Deus que tivesse misericórdia de todos nós, afirmando em suas sábias palavras: "Pai, perdoai-os! Eles não sabem o que fazem!"

P

rimeiramente, quero agradecer a oportunidade de dar meu testemunho. Nem sei por onde começar... A Casa D.E.U.S. é a minha segunda casa. Amo muito minha religião, amo o trabalho que executo como cambone e médium em desenvolvimento, amo meus irmãos e amigos da Casa. Faz quase um ano que frequento o terreiro. Gostei tanto que entrei para o Grupo de Apoio, tendo uma nova oportunidade em minha vida de seguir uma religião em que me sinto bem. Adoro a todos os Guias da Casa, fui muito bem recebido por todos. Em janeiro tomei uma decisão importante e entrei para a corrente. Agora tenho uma nova missão e vou cumpri-la com toda a minha fé, a fé que aprendi a obter com os ensinamentos dados em nosso terreiro, pois QUEM TEM FÉ, TEM TUDO!

A

sincera atitude da alma na prece não obedece aos movimentos mecânicos vulgares. Nas operações da luta comum, a criatura atende, invariavelmente, aos automatismos da experiência material que se modifica de maneira imperceptível, nos círculos do tempo; todavia, quando se volta a alma aos santuários divinos do plano superior, através da oração, põe-se a consciência em contato com o sentido eterno e criador da vida infinita. Examine cada aprendiz as sensações que experimenta em se colocando na posição de rogativa ao Alto, compreendendo que se lhe faz indispensável a manutenção da paz interna perante as criaturas e quadros circunstanciais do caminho. A mente que ora permanece em movimentação na esfera invisível. As inteligências encarnadas, ainda mesmo quando se não conheçam entre si, na pauta das convenções

materiais, comunicam-se através dos tênues fios do desejo manifestado na oração. Em tais instantes, que devemos consagrar exclusivamente à zona mais alta de nossa individualidade, expedimos mensagens, apelos, intenções, projetos e ansiedades que procuram objetivo adequado. É digno de lástima todo aquele que se utiliza da oportunidade para dilatar a corrente do mal, consciente ou inconscientemente. É por este motivo que Jesus, compreendendo a carência de homens e mulheres isentos de culpa, lançou este expressivo programa de amor, a benefício de cada discípulo do Evangelho: — "E, quando estiverdes orando, perdoai." Do livro “Pão Nosso”, de Francisco Cândido Xavier Pelo Espírito Emmanuel 04

Edição de Março e Abril - 2011  

Edição de Março e Abril - 2011

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you