Page 1

Edição Nº 09 Junho/2011

é constru A vida

ída nos sonhos e

concr etizada no amor.

ier Chico Xav


Edição Nº 09

Mensageiro Casa D.E.U.S.

J

oão Batista nasceu na Judéia e era filho do sacerdote Zacarias e de Isabel, prima de Maria, mãe de Jesus. É considerado pelos cristãos como o precursor do prometido Messias, Jesus Cristo. Por esse motivo, sua imagem o apresenta com a mão direita apontando para o alto, anunciando a chegada do Messias. João era um judeu e tinha profundos conhecimentos da filosofia judaica. Por seu pai ser um sacerdote e sua mãe pertencer a uma sociedade chamada "as filhas de Araão", João teve forte influência das ações religiosas e da vida no templo. Aos 6 anos, de acordo com a educação judaica, todos os meninos deveriam iniciar sua aprendizagem escolar, e em Judá não existia uma escola, então os professores de João foram seus pais, que o ensinaram a ler e a escrever. A principal influência na vida de João foram os registros sobre o profeta Elias. A sua forma de vestir com peles de animais e o seu método de persuasão nos seus discursos públicos, refletiam a admiração pelos princípios e lógica do profeta Elias. João não queria simpatia, ele pregava a mudança, tal como Elias tinha feito anteriormente. Muitos espiritualistas acreditam que João foi a

A

Linha do Oriente é uma linha que trabalha com entidades que foram em vidas passadas monges, sábios e magos orientais. Nela também se manifestam falanges de indianos, egípcios e demais povos do Oriente Médio. Na Linha do Oriente há uma sólida e autêntica tradição esotérica, com forte sabedoria de vida e muitos mistérios religiosos dos povos antigos. Dessa linha provém um conhecimento imenso sobre a humanidade. É ela que toma conta do arquivo astral de toda a h u m a n i d a d e e a r m a ze n a t o d o s o s conhecimentos sobre astrologia, astronomia, alquimia e ciências. Esses conhecimentos magísticos e espiritualistas desapareceram do plano material, mas foram e são preservados no astral, mantidos por essas entidades, cada qual com o que era sabido na religião de seu povo. Sempre que necessário esses conhecimentos ficam a disposição de nossos

Iluminou o céu A Estrela de Davi Pra anunciar e pra saudar O povo que chegava aqui Salve o Povo do Oriente Que veio pra saravar Trouxe paz e proteção Pros filhos desse congá Salve o Povo do Oriente Que veio pra trabalhar Com as bênçãos de Orí Em nome de Oxalá

Bis

Junho/2011

reencarnação de Elias. O discurso principal de João era a respeito da vinda do Messias. Todos os judeus esperavam ansiosamente pelo Messias, pois ele era a esperança daquele povo em restaurar a dignidade de uma nação independente. Muitos judeus acreditavam que o Reino dos Céus seria governado diretamente por Deus na terra e outros acreditavam que Deus teria um representante – o Messias, que serviria de intermediário entre Deus e os Homens. Além disso, os judeus acreditavam que esse reino seria um reino real, e não um reino espiritual. Esse é o motivo da negação de Jesus como o Messias por parte da maioria do povo judeu. João batizou muitos judeus, incluindo o próprio primo Jesus, no rio Jordão, e introduziu o batismo de gentios no ritual de conversão judaicos, que mais tarde foi adotado pelo Cristianismo. Ele advertia os judeus e convertia os gentios, tornando-se amado por uns e desprezado por outros. Na Umbanda, este santo é o patrono da Linha do Oriente. Ele comanda uma legião de espíritos médicos e cientistas de origem hindu, muçulmana, dentre outros povos, que trabalham com a saúde e o conhecimento.

Guias para o tratamento das pessoas que a eles procuram. Os trabalhadores dessa Linha são sérios e falam pouco. São muito eficientes em trabalhos de cura e solução de perturbações mentais. Ajudam todos os seus assistidos na cura de seus males físicos e espirituais, psicológicos e emocionais. Essas entidades preservam conhecimentos milenares, são sábios que ajudam seus irmãos encarnados, independentemente de sua religião. O único desejo deles é auxiliar aos encarnados e desencarnados em sua evolução rumo ao Divino. A Linha do Oriente tem enviado uma quantidade imensa de espíritos para a Corrente Astral de Umbanda. São entidades que vêm com a missão de humanizar corações endurecidos e fecundar a fé, os valores espirituais, morais e éticos no mental humano.

A

Estrela de Davi ou Símbolo de Salomão é um poderoso amuleto e é o símbolo que representa a Linha do Oriente. Esta Linha trabalha na Umbanda com o conhecimento, a magia, as curas, etc.. É a Linha do Oriente que toma conta de todo o arquivo astral da humanidade. É uma linha muito séria e de grande elevação espiritual, e sempre deixam a sensação de paz e tranquilidade quando incorporados no terreiro. Orí é a entidade que comanda a Linha do Oriente e suas falanges.

02


Edição Nº 09

Mensageiro Casa D.E.U.S.

S

anto Antonio chamava-se Fernando de Bulhões e nasceu em Lisboa em 15 de agosto de 1195, numa família de posses. Aos 15 anos entrou para um convento agostiniano. Em 1220 trocou o nome para Antônio e ingressou na Ordem Franciscana, na esperança de, a exemplo dos mártires, pregar aos sarracenos no Marrocos. Após um ano de catequese nesse país, teve de deixálo devido a uma enfermidade e seguiu para a Itália. Indicado professor de teologia por São Francisco de Assis, lecionou em diversas universidades, adquirindo grande renome como orador sacro no sul da França e na Itália. Ficaram célebres os sermões que proferiu em Forli, Provença, Languedoc e Paris.

Junho/2011

Em todos esses lugares suas prédicas encontravam forte eco popular, pois lhe eram atribuídos feitos prodigiosos, o que contribuía para o crescimento de sua fama de santidade. publicados entre 1895 e 1913.A saúde sempre precária levou-o a recolher-se ao convento de Arcella, perto de Pádua, onde escreveu uma série de sermões para domingos e dias santificados, alguns dos quais seriam reunidos e publicados entre 1895 e 1913. A caminho de Pádua em 13 de junho de 1231, aos 36 anos, Antônio morreu. Foi canonizado em 13 de maio de 1232, apenas 11 meses depois de sua morte, pelo papa Gregório IX. A profundidade dos textos doutrinários de Santo Antônio fez com que em 1946 o papa Pio XII o declarasse doutor da igreja. No entanto, o monge franciscano conhecido como Santo Antônio de Pádua ou de Lisboa tem sido, ao longo dos séculos, objeto de grande devoção popular. Sua veneração é muito difundida nos países latinos, principalmente em Portugal e no Brasil. É o padroeiro dos pobres e patrono dos aflitos. Sobre seu túmulo, em Pádua, foi construída a basílica a ele dedicada. Também é conhecido como o santo casamenteiro e sobre isso existem diversas versões. Nas festividades juninas onde se rendem homenagens ao santo pelo aniversário de sua morte, é comum as moças solteiras fazerem promessas e simpatias a Santo Antonio para arrumarem pretendentes e se casarem.

S

ão Pedro na realidade chamava-se Simão, era pescador e irmão do também apóstolo André. Ele e André eram "empresários" da pesca e tinham sua própria frota de barcos, em sociedade com Tiago, João e o pai destes, Zebedeu. Simão teria conhecido Jesus quando este lhe pediu que utilizasse uma das suas barcas, de forma a poder pregar a uma multidão de gente que o queria ouvir. No final da pregação, Jesus disse a Simão que fosse pescar de novo com as redes em águas mais profundas. Simão disse-lhe que tentara em vão pescar durante toda a noite e nada conseguira mas, em atenção ao seu pedido, iria faze-lo. O resultado foi uma pescaria tão farta que as redes iam rebentando, sendo necessária a ajuda da barca dos seus dois sócios, que também quase se afundava puxando os peixes. Numa atitude de humildade e espanto, Simão prostrou-se perante Jesus e disse para que se afastasse dele, já que era um pecador. Jesus encorajou-o, então, a segui-lo, dizendo que o tornaria "pescador de homens". Nomeou-o de Pedro, que significa "pedra", e disse-lhe: "Eu te declaro: tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja." Em uma das passagens da Bíblia, conta-se que Pedro pescava com os outros apóstolos em alto mar, quando viram Jesus andando sobre as águas em direção ao barco. Espantados diante do que viam, Jesus chamou Pedro para ir ao seu encontro, porém ele foi afundando na água, pedindo a Jesus que o ajudasse. O Mestre, ajudando-o a subir novamente na embarcação, disse-lhe: "Pedro, és um homem de pouca fé!" Quando Jesus foi preso, apenas Pedro, em companhia de João, teve a coragem de seguí-lo. Foi reconhecido como um dos discípulos, porém, negou que conhecesse tal homem. Mas nem o ato de negar 3 vezes a Jesus, chorado amargamente a dor e o arrependimento, traduzidos num extenso pranto, diminuíram sua confiança e seu amor pelo Mestre. Se tornou um grande líder da comunidade Cristã após a morte de Jesus. Converteu muitas pessoas e também realizou milagres. Foi entitulado o primeiro Bispo de Roma. Em 29 de junho do ano de 67, foi crucificado de cabeça para baixo a seu próprio pedido, pois dizia não ser digno de ser morto como seu mestre. Foi sepultado onde hoje se encontra a maior basílica do mundo: a Basília do Vaticano. Segundo os católicos, São Pedro é o chaveiro do céu, por isso sua imagem o mostra segurando um molho de chaves.

N

a Umbanda, cada Orixá possui o seu domínio de atuação, por exemplo: Iemanjá os oceanos; Oxossi as matas; Xangô as pedreiras, Mamãe Oxum os rios e cachoeiras, etc., e esses locais são considerados sagrados para nós, Umbandistas. É comum, algumas vezes, os trabalhos serem realizados nestes locais, pois cada um possui em seu campo vibratório, a força necessária para a reabilitação das energias da casa ou dos médiuns trabalhadores, sendo feitos descarregos e firmezas nesses locais, como é o caso, por exemplo, dos trabalhos na cachoeira e das Festas de Iemanjá. Quando é necessário fazer esse tipo de trabalho fora do templo, é preciso preservar o meio ambiente, sendo proibido sujar esses locais, que são consagrados aos Orixás, Guias e também à outras religiões. Porém, quando visitamos alguns desses lugares, é comum presenciar a falta de consciência de algumas pessoas fanáticas ou mal preparadas, que não sabem o que fazem, depositando ali suas matanças, velas, oferendas com comidas e objetos como garrafas e etc., deixando acumular na natureza verdadeiros montantes de lixo. O verdadeiro Umbandista respeita e preserva a natureza, pois tem a consciência que nestes locais habitam os Orixás e seus trabalhadores. Se você deseja entrar em sintonia com os 02 03 Guias e Orixás, não deve nunca sujar esses locais. Se deseja levar alguma coisa leve somente flores, além de sua fé e suas orações, obviamente. SEJA CONSCIENTE! PRESERVE O MEIO AMBIENTE!


Edição Nº 09

Mensageiro Casa D.E.U.S.

"Portanto, o que Deus ajuntou não o separe o homem." - Jesus. (MATEUS, capítulo 19, versículo 6.) palavra divina não se refere apenas aos casos do coração. Os laços afetivos caracterizam-se por alicerces sagrados e os compromissos conjugais ou domésticos sempre atendem a superiores desígnios. O homem não ludibriará os impositivos da lei, abusando de facilidades materiais para lisonjear os sentidos. Quebrando a ordem que lhe rege os caminhos, desorganizará a própria existência. Os princípios equilibrantes da vida surgirão sempre, corrigindo e restaurando... A advertência de Jesus, porém, apresenta para nós significação mais vasta. "Não separeis o que Deus ajuntou" corresponde também ao "não perturbeis o que Deus harmonizou". Ninguém alegue desconhecimento do propósito divino. O dever, por mais duro, constitui sempre a Vontade do Senhor. E a consciência, sentinela vigilante do Eterno, a menos que esteja o homem dormindo no nível do bruto, permanece apta a discernir o que constitui "obrigação" e o que representa "fuga". O Pai

A

Junho/2011

criou seres e reuniu-os. Criou igualmente situações e coisas, ajustando-as para o bem comum. Quem desarmoniza as obras divinas, prepare-se para a recomposição. Quem lesa o Pai, algema o próprio eu aos resultados de sua ação infeliz e, por vezes, gasta séculos, desatando grilhões... Na atualidade terrestre, esmagadora percentagem dos homens constitui-se de milhões em serviço reparador, depois de haverem separado o que Deus ajuntou, perturbando, com o mal, o que a Providência estabelecera para o bem. Prestigiemos as organizações do Justo Juiz que a noção do dever identifica para nós em todos os quadros do mundo. Às vezes, é possível perturbar-lhes as obras com sorrisos, mas seremos invariavelmente forçados a repará-las com suor e lágrimas.

Francisco Cândido Xavier, da obra Caminho, Verdade e Vida Pelo espírito Emmanuel

C

omo já é tradição em nossa Casa, dia 09 de julho iremos realizar mais um Arraiá! E você está convidado para festejar com a gente! Traga sua família e amigos e venha aproveitar as delícias desta festa, como as comidas e bebidas típicas, churrasco, brincadeiras, bingo e muito mais! Adquira seu convite no balcão e no dia da festa, vista-se a caráter e traga muita alegria!

VÂMU TODO MUNDO SI REUNÍ PRA MOR DE FAZÊ UMA FESTANÇA!

W

illiam: Assim começou nossa historia de amor... Já nos conhecíamos antes do terreiro, mas com pouco contato e após algum tempo, nossos caminhos se cruzaram na Casa D.E.U.S, onde começamos a ter mais convívio. Passado algum tempo, a amizade aumentou e começamos a sair juntos somente como amigos. Tínhamos ideias parecidas, a mesma religião, porém, gosto e gêneros bem diferentes, um mais difícil que o outro, mais isso não impediu que tudo fosse mudando. Em 02/01/10 foi quando tudo começou. Aconteceu o primeiro beijo, mas pensamos que não passaria dali, até porque nenhum dos dois estava a procura de um relacionamento. Mas, como a vida é engraçada, começamos a nos ver todos os dias e a cada dia que passava tudo ficava ainda mais maravilhoso. Quando demos conta, já estávamos apaixonados e já não tínhamos motivos para manter segredos, até porque éramos livres e desimpedidos e tínhamos certeza que o que sentíamos era verdadeiro. Foi quando resolvemos assumir o relacionamento para todos os amigos, principalmente aos nossos irmãos de correte da Casa. Muitos já desconfiavam, outros já sabiam e outros nem idéia faziam, mas ninguém se opôs. Aleksandra: Nosso namoro estava indo muito bem, afinal sempre fomos muito amigos e companheiros acima de tudo, mas como a vida não é só rosas, no mês de Agosto e Setembro de 2010, houve uma situação inesperada e muito difícil para mim. Mas no momento mais dificil que passei na vida, que pensei que não teria força para seguir em

frente, pude contar 24 horas por dia com o apoio, carinho e compreensão do Will, que a cada dia se tornava ainda mais especial e importante na minha vida, fora o apoio dos meus amigos, irmão de correntes e principalmente dos meus Guias espirituais, que foi de onde tirei forças para não desanimar, afinal, eu tinha pessoas que estavam do meu lado para me dar toda força que precisava. No dia 22/11/10 ficamos noivos, o amor aumentava ainda mais e no dia 09/04/11 nos casamos na Umbanda. Foi um dia de festa, realizada pelo caboclo Pena Roxa juntamente com a 7 linhas da Umbanda e a Linha de Baianos. Além disso, em nosso casamento, houve muitas emoções e presentes trazidos pela Espiritualidade. William: Essa é a nossa historia de amor, que começou dentro da Casa D.E.U.S e se Deus e nossos amigos espirituais permitirem, ainda vamos ter muitas historias para compartilhar com todos nossos amigos e irmão de fé. Desejamos parte da nossa felicidade a todos os casais de namorados!

04

Edição de Junho - 2011  

Edição de Junho - 2011

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you