Page 1


Expediente A revista Brasil Social é uma publicação anual do Projeto CASA DA CRIANÇA. The Brasil Social magazine is a biannual publication of the Projeto CASA DA CRIANÇA. Presidente: Patrícia Chalaça Vice-Presidente: Marcelo Souza Leão Sede: R. Dr. Raul Lafayette, 191 / Sala 1401 Boa Viagem, Recife-PE - CEP: 51021-220 Tel: + 55 81 3467-9968 Site: www.projetocasadacrianca.org.br Email: contato@projetocasadacrianca.org.br Consultoria Jurídica/ Law consultants: Da Fonte Advogados Equipe BRASIL SOCIAL/ Brasil Social Staff Conselho Editorial/ Editorial Council Patrícia Chalaça e Marcelo Souza Leão Agência de publicidade/ Advertising agency GIOVANNI+DRAFTFCB Projeto Editorial/ Editorial Project EXECUTIVA PRESS www.executivapress.com.br Jornalistas responsáveis/ Supervising Journalists Karlla Barbosa – DRT/PE 2.129 Fabiana Galvão – DRT/PE 1.888 Textos/ Texts Camille Soares, Carol Pacobahyba, Débora Ramalho, Fabiana Galvão, Hugo Peixoto, Leonardo Spinelli, Karlla Barbosa, Thaís Queiroz, Tarsila Ferreira Tradução/Translation Laura Cavalcanti Design gráfico e Ilustração/ Graphic design and illustrations Samuca - DRT/PE 1.755 Fotógrafos/ Photographer Fotos matéria Abrigos/Abrigos special feature Renato Stockler Fotos matéria Pêmio Brasil Social/ Photographers Fernando Chiappetta, Rodrigo Moreira Foto e Filme Fotos matéria Campanha Ferreira Costa e Prémio Crea / Photos for Ferreira Costa Campaign and Crea Award Bernardo Soares Fotos matéria atendimento, portadores de necessidades especiais / Photos for article on Special Needs Treatment Mauro Álvares Foto capa e entrevista / Cover and Interview photos Carol Mayer Esta publicação é inteiramente viabilizada por meio dos anúncios que nela constam, sendo distribuída gratuitamente. “This publication is made possible through the advertisements in its composition, and distributed entirely for free.”

Anuncie na próxima BRASIL SOCIAL Post an Ad in the next Brasil Social

contato@projetocasadacrianca.org.br

4

08 – Você sabia? 11 – Entrevista 16 - Projeto CASA DA CRIANÇA comemora 10 anos com atuação em todo país 23 – Campanha da Pizza Hut beneficia crianças e adolescentes de baixa renda 24 – Programa Cia dos Anjos investe no atendimento 26 – Convenções reúnem anualmente franqueados sociais de todo o país 28 – Franqueados sociais falam da importância do CASA DA CRIANÇA nos estados 30 – Aconteceu Convenções do projeto casa da criança 31 – Aconteceu Eventos realizados 34 – Atendimentos Abrigos reformados garantem conforto aos pequenos 38 – Atendimentos Creches trazem vida nova para crianças 40 – Atendimentos Jovens têm chance de trabalho com capacitação profissional 42 – Atendimentos Câncer infantojuvenil recebe tratamento humanizado 45 – Atendimentos Portadores de necessidades especiais com reabilitação e inclusão social 47 – Instituto Ronald McDonald luta contra o câncer infantojuvenil no país 48 – Projeto CASA DA CRIANÇA realiza campanha em home center 50 – Solidariedade marca entrega do Prêmio Brasil Social 2009 53 – Música que transforma vidas 54 – Esperança para crianças e jovens com paralisia cerebral 55 – Da lama dos manguezais à cidadania 56 – Garantia de comida, renda e dignidade 57 – Um sonho que já dura 20 anos 58 – Amor pela arte e responsabilidade social 59 – Vida nova para mais de mil crianças 60 – Educação que muda vidas 62 – Depoimentos Personalidades falam sobre o projeto casa da criança

Edição 4 - ano 4 - março de 2010

Ediçao Especial de 10 anos

Especial

10 anos do Projeto CASA DA CRIANÇA Special edition - 10 years of Projeto CASA DA CRIANÇA

Entrevista

Prêmio

Fundadores contam a história do Projeto

Conheça as organizações que ganharam o Brasil Social 2009

Interview - Founders tell the Projeto’s story

Award - Meet the wining organizations of the Brasil Social 2009

08 – Did you know? 11 – Interview 16 - Projeto CASA DA CRIANÇA celebrates 10 years with initiatives in all of Brazil 23 – Pizza Hut restaurant’s campaign aides low income children 24 – Cia dos Anjos Program invests in care 26 – Assemblies gather social franchisers from all of Brazil every year 28 – Social franchisers dicuss the importance of CASA DA CRIANÇA’s initiative in their states 30 – Latest news Projeto CASA DA CRIANÇA’s Assemblies 31 – Latest news Latest events 34 – Care services Remodeled shelters provide comfort for children 38 – Care services Daycare centers bring new life to children 40 – Care services Youths have a shot at professional capacitating 42 – Care services Humane treatment for children’s oncology patients all over the country 45 – Care services Rehabilitation and social inclusion for special needs children 47 – Instituto Ronald McDonald fights pediatric cancer in Brazil 48 – Projeto CASA DA CRIANÇA carries out campaign at home center 50 – Solidarity shines at Brasil Social Awards 2009 53 – Music transforming lives 54 – Hope for children with cerebral palsy 55 – From the mangroves to citizenship 56 – Assuring food, income and dignity 57 – A twenty-year dream 58 – Love for art and social responsibility 59 – A new life for over a thousand children 60 – Life changing education 62 – Testimonials Outstanding citizens comment on Projeto CASA DA CRIANÇA


5


6


Carta dos editores

sta edição da Revista BRASIL SOCIAL é mesmo especial, por estarmos comemorando os 10 anos do Projeto CASA DA CRIANÇA com tantos feitos e conquistas, graças à enorme rede que integra este Projeto. Por ser este um marco em nossas ações nas andanças pelo Brasil defendendo os direitos das crianças e adolescentes de baixa renda, optamos por trazer nesta edição o impacto das ações do Projeto CASA DA CRIANÇA, traduzido nas matérias que levam ao conhecimento mais profundo sobre o nosso trabalho, a exemplo dos tipos de atendimentos das instituições que beneficiamos. Conhecer o Projeto CASA DA CRIANÇA é compreender que atuamos em equipe, daí a importância de contarmos sobre a Franquia Social, uma família que se encontra anualmente nas convenções nacionais quando trocamos experiências, aprimoramos, planejamos nossas atuações e, claro, nos confraternizamos! É compreender que não somos apenas arquitetos preocupados com espaços bonitos, mas fundamentalmente preocupados com a melhor qualidade de vida das crianças. Iniciamos nossas ações com os espaços físicos e chegamos, através do Programa Cia dos Anjos, à melhoria no atendimento das crianças e adolescentes. Para mim em especial, estes dez anos ensinaram que, para construirmos o Brasil que queremos, é preciso a ação de muitos. E muito nos gratifica o conhecimento de tantos trabalhos sociais bem sucedidos no país, o que consagramos em nossa comemoração através do Prêmio BRASIL SOCIAL, que compartilhamos aqui com vocês divulgando cada um dos premiados. Obrigada João Noronha (Cimento Nassau) pela confiança em todos esses anos, fundamental à expansão do Projeto. Obrigada Francisco Neves (Instituto Ronald McDonald) pelo investimento no combate ao câncer infantojuvenil. Obrigada aos meus filhos por “emprestarem” a mim e a Marcelo a tantas crianças do Brasil. Obrigada a todos os franqueados, parceiros, colaboradores, patrocinadores, arquitetos, construtores, voluntários, todos, absolutamente todos que ajudaram a construir tão nobre história!

E

Patrícia Chalaça Fundadora presidente Projeto CASA DA CRIANÇA

This edition is truly special, for we are celebrating the 10 years of the Projeto CASA DA CRIANÇA with so many accomplishments and conquests, thanks to the enormous network that makes up this Projeto. Because this is a significant point in our initiatives all over Brazil, working for the rights of underprivileged children and youths, we opted for, in this edition, translating the impact of the Projeto CASA DA CRIANÇA’s enterprises in the articles which reveal a more profound knowledge of our work, for example, of the different types of institutions we aid. To know the Projeto CASA DA CRIANÇA is to comprehend that we act as a team, hence the importance of counting on the Social Franchise, a family that gathers annually in the national meetings when we exchange experience, enhance, plan our actions, and, of course, cherish each other; it’s also understanding that we are not just architects preoccupied only with beautiful spaces, but fundamentally concerned with a better quality of life for the children. We start remodeling the physical space and achieve, through the Cia dos Anjos Program, the improvement of the services provided as well. For me, particularly, these tem years have taught that, in order to build the Brazil we want, the initiative of many is necessary, and so we honor the realization of so many successful philanthropic works through the BRASIL SOCIAL Award, which we share here with you, revealing each one of the award winners. Thank you João Noronha (Cimento Nassau) for trusting us all these years, which was fundamental for the expansion of the Projeto. Thank you Francisco Neves (Instituto Ronald McDonald) for the investment in the fight against children’s cancer. Thank you to my children for “lending” me and Marcelo to so many other children in Brazil. Thank you to all the franchisers, partners, collaborators, sponsors, architects, contractors, volunteers, all of you, absolutely all of you who helped build such a noble history!

7


vocÊ sabia?

ocê sabia que a Amanco, Celite, daFonte Advogados, Eliane, Fabrimar, Nassau e Siemens apóiam o CASA DA CRIANÇA há 10 anos? Estes são exemplos concretos de empresas socialmente responsáveis, veja o impacto dos resultados destes parceiros.

V

Did you know? Did you know that AMANCO, Celite, DaFONTE Law, Eliane, have been supporting Casa da Criança for the last 10 years. These are concrete examples of socially responsible businesses. Check out the impact of these partners’ initiative.

Amanco e Siemens

Um significativo impacto nos resultados das ações refere-se à redução de consumo e de energia elétrica nas unidades reformadas, fruto das parcerias com as empresas Amanco e Siemens, ambas doam todo o material hidráulico e elétrico necessários as obras. AMANCO and SIEMENS A significant result of their collaboration is the reduction in electric power usage in the remodeled units. Both donate all the necessary hydraulic and electric material necessary for the renovations.

Eliane

A Eliane passou a integrar o time de parceiros do Projeto CASA DA CRIANÇA. A empresa participa com a doação de mil metros quadrados de revestimento cerâmico para cada unidade reformada. Essa doação permite um significativo corte nos gastos com manutenção e, principalmente, facilidade na higienização dos espaços.

ELIANE In 2003, Eliane became one of the Projeto CASA DA CRIANÇA’s partners. It participates by contributing with 1000m² of ceramic tiling to each aided institution. This donation allows for a significant reduction in the maintenance budget as well as for easier cleaning of the spaces.

Celite

A Celite também contribui para a redução do consumo de água fruto das doações de caixas acopladas das bacias sanitárias de todos os banheiros reformados. CELITE Celite contributes for the reduction in water consumption by donating one-piece toilet fixtures to all bathrooms in the remodeled homes.

8

Florense A Florense doa todos os produtos necessários para a composição de cozinhas e lactários de primeira qualidade, em todas as unidades atendidas pelo CASA DA CRIANÇA. FLORENSE Florense donates all the necessary products for the composition of top quality kitchens and breast-feeding areas in all the units aided by CASA DA CRIANÇA.

Nassau

A Nassau é empresa patrocinadora do Projeto CASA DA CRIANÇA desde 1999. Nestes 10 anos de apoio, a Nassau doou toneladas de cimento para todas as obras realizadas pelo CASA DA CRIANÇA. A Nassau também investe no Projeto através da doação de recursos financeiros, possibilitando a atuação do CASA DA CRIANÇA em todo o Brasil. NASSAU Nassau is the Projeto’s sponsor since 1999. In these 10 years of support, it has donated an incredible amount of cement to all remodeled units. Nassau also invests in the Projeto through the donation of financial resources allowing for the Casa da Criança’s activity all over Brazil.

Brasilit A Brasilit acompanha o Projeto CASA DA CRIANÇA desde 1999, doando 100% das telhas e caixas d’água necessárias para as reformas das unidades em todo território brasileiro. BRASILIT Brasilit has been following the CASA DA CRIANÇA since 1999, donating 100% of the roof tiles and water drums necessary for the remodeling of institutions all over Brazil.

Fabrimar Desde o início a Fabrimar dedica esforços na busca de melhorar a qualidade de vida de crianças carentes. Os resultados desta parceria impactam diretamente na economia de água graças às doações de produtos que contribuem para que não haja desperdício de água por parte das crianças, instalando sempre nas áreas infantis torneiras com sensor. FABRIMAR Since the beginning, Fabrimar makes an effort in order to improve the quality of life of underprivileged children. The results of this partnership have a direct impact on water savings thanks to the donation of products that contribute so that there isn’t much water waste by the children, installing sensor taps in the children accessible areas. .

DaFONTE Law Since 1999, da Fonte Law provides free judicial consultations to the Projeto CASA DA CRIANÇA. The office is responsible for the elaboration of all the Projeto’s contracts with its partners, sponsors, franchisers and volunteers. Desde 1999, a da Fonte, Advogados presta assessoria jurídica gratuita ao Projeto CASA DA CRIANÇA. O escritório é responsável pela elaboração de todos os contratos do Projeto com seus parceiros, patrocinadores, franqueados e voluntários.


vocÊ sabia?

ocê sabia que no decorrer destes 10 anos, o CASA DA CRIANÇA mobilizou mais de 20 mil empresas que participaram das obras realizadas? Algumas delas fidelizaram parcerias permanentes. Veja alguns exemplos:

V

Araforros

A Araforros se uniu ao CASA DA CRIANÇA em 2003, desde então, a empresa doa forros em PVC e divisórias sanfonadas para todas as reformas e construções realizadas pelo Projeto. Graças às suas doações é notável a diminuição nos casos de doenças respiratórias nas crianças das instituições reformadas, já que as infiltrações e vazamentos são sanados. ARAFORROS Araforros joined the CASA DA CRIANÇA in 2003, and since then it has donated PVC lining and space dividers to all the units aided by the Projeto. Thanks to its donations, there has been a notable diminishing in respiratory disease in the children of the remodeled institutions, since infiltrations and leaks no longer exist.

Did you know? Over these 10 years, the CASA DA CRIANÇA has mobilized over 20 thousand businesses to participate in the remodelings? Some of them became permanent partners. Here are some examples:

Esmaltec

Sicmol

A parceria iniciada em 2006, rende grandes ganhos na qualidade de vida das crianças atendidas nas instituições reformadas. A Esmaltec doa todos os eletrodomésticos da “linha branca” (geladeiras, freezers, fogões, máquinas de lavar e geláguas) às instituições atendidas pelo Projeto CASA DA CRIANÇA.

A Sicmol é parceira do Projeto CASA DA CRIANÇA desde 2001. Ao longo desses anos, tem atuado em todas as unidades atendidas, doando itens como assentos sanitários, pastilhas de vidro e gabinetes de banheiro.

ESMALTEC The partnership, initiated in 2006, has reaped many benefits to the children’s quality of life. Esmaltec donates all the electric home appliances (fridges, freezers, stoves, washing machines and coolers) to the institutions renewed by the Projeto CASA DA CRIANÇA.

SICMOL Sicmol is the Projeto CASA DA CRIANÇA’s partner since 2001. Along these years, it has acted in all the remodeled units, donating items such as toilet seats, glass tiles and bathroom cabinets.

Ashoka

No ano de 2000, Patricia Chalaça foi eleita fellow Ashoka. Organização americana sediada em Washington, a Ashoka investe na profissionalização de líderes sociais em todo o mundo, chamados de fellows. Após uma seleção rigorosa, os fellows recebem, por até três anos bolsas com remuneração equivalente às das suas respectivas profissões. Além da remuneração, o fellow participa de cursos em diversas áreas voltados para a sustentabilidade da sua organização.

ASHOKA In the same year the Projeto CASA DA CRIANÇA completed 01 year of existence, Patrícia Chalaça was elected fellow Ashoka. An American organization from Washington D.C., Ashoka invests in the professionalization of social leaders all over the world, called fellows. After a rigorous selection, fellow receive up to 3 years of remuneration equivalent to their respective professions. Besides this subsidiary, the fellow participates in courses in diverse areas of sustainability of its organization.

9


Saiba mais...

Avina No ano de 2004, a Fundação AVINA apoiou o CASA DA CRIANÇA na realização de uma pesquisa junto a todas as unidades atendidas objetivando avaliar a manutenção física do espaço e os serviços de atendimento às crianças adolescentes de cada instituição. Graças a esta, o CASA DA CRIANÇA desenvolveu o Manual do Cia dos Anjos, programa que busca melhorar a qualidade do atendimento nas instituições através de parcerias nas áreas de saúde, educação, esportes, lazer, arte e cultura. A AVINA é uma fundação latinoamericana que trabalha para o desenvolvimento sustentável do continente, fomentando a construção de alianças entre líderes sociais e empresariais. AVINA In 2004, AVINA foundation helped CASA DA CRIANÇA in carrying out a survey with all the units previously aided, in order to evaluate the physical maintanence of the spaces and the quality of the service offered to the children and youths in each institution. Thanks to that, the CASA DA CRIANÇA developed the Cia dos Anjos manual, a program which aims at improving the quality of service in the institutions through partnerships in health, education, sports, leisure, arts and culture. Avina is a Latin-American foundation that works for the sustainable development of the continent, generating alliances among social leaders and businesses.

BM&F A união entre o Projeto CASA DA CRIANÇA e a BM&F aconteceu no ano de 2005. Nesta parceria, a BM&F apóia diretamente a Coordenação Nacional do Projeto custeando parte das despesas administrativas, possibilitando a profissionalização e continuidade do CASA DA CRIANÇA no Brasil. BM&F The union between Projeto CASA DA CRIANÇA and BM&F happened in 2005. In this partnership, BM&F directly supports the National Coordination of the Projeto, paying for part of the administrative expenses, allowing for the professionalization and continuity of CASA DA CRIANÇA.

10

Pizza Hut A rede de restaurantes Pizza Hut dos estados do Ceará e da Paraíba, desde 2008, apóia o Programa Cia dos Anjos, através da campanha Sabor Social. Graças a esta parceria são viabilizados os treinamentos e acompanhamentos anuais do respectivo programa em todas as regiões do Brasil. (leia mais na página 23)

PIZZA HUT The restaurants from Ceará and Paraíba, since 2008, aid the Cia dos Anjos Program, through the Sabor Social campaign. Thanks to this partnership, trainings can happen as well as annual checkups in all regions of Brazil. (learn more on page 23).

Instituto Ronald Desde 2004 a parceria entre Projeto CASA DA CRIANÇA e Instituto Ronald já beneficiou instituições de apoio ao tratamento do câncer infantojuvenil no Piauí, Ceará, Paraíba, Alagoas e Mato Grosso. As ações são fundamentadas nos três ciclos essenciais ao tratamento do câncer: internamento (hospital), tratamento (ambulatório) e o acolhimento e reintegração às atividades diárias (casas de apoio).

INSTITUTO RONALD Since 2003, the partnership between the Projeto CASA DA CRIANÇA and Instituto Ronald has benefitted establishments for the aid in pediatric cancer treatment in Piauí, Ceará, Paraíba, Alagoas and Mato Grosso states. The initiatives are fundamental for the three essential cycles of treatment: hospitalization, treatment, and sheltering and reinsertion in daily activities.


entrevista

I

ndignados com o descaso com que são tratadas as questões relacionadas à infância e à juventude do nosso país, o casal de arquitetos Marcelo Souza Leão e Patricia Chalaça, em 1999, fundou o Projeto CASA DA CRIANÇA no Recife. Nesta entrevista eles falam de desafios, amizades, conquistas e, acima de tudo, do privilégio de fazer a diferença na vida de milhares de crianças e jovens ao longo de 10 anos de história.

O que levou vocês a pensarem em desenvolver uma ação na área social? Patrícia: Uma profunda vontade em retribuir as oportunidades que a vida nos ofereceu. Vivemos em um país com grandes dificuldades educacionais, crianças concluindo o fundamental sem ler e escrever, um país onde cursar uma universidade já é um grande privilégio. Trago na minha essência desde criança questionamentos, frutos das minhas raízes com uma infância em férias na praia de Maracaípe com amigos filhos de pescadores que andavam quilômetros para irem à escola, enquanto nós na cidade íamos de motorista... E, desde pequena, pensava que quando crescesse teria uma creche linda, para que as crianças pobres tivessem o que eu compreendia ser um direito de todos nós, afinal éramos (somos) todos iguais! E o Projeto CASA DA CRIANCA, como surgiu? Marcelo: Um dia esta inquietação tomou conta de Patrícia de uma maneira impressionante. Era feriado, tínhamos atuado meses atrás numa mostra de arquitetura e Patrícia tinha colocado na cabeça que convenceria as pessoas a pensarem como ela, e que realizaria este sonho unindo arquitetos e fornecedores de forma voluntária. Achou o abrigo Casa de Carolina na lista telefônica. Na época não houve critério de escolha, quer dizer, houve o critério da emoção, quando chegamos e vimos aquelas crianças num lugar tão inapropriado, o que depois descobrimos era uma realidade comum no Brasil. Naquele momento decidimos que mudaríamos aquela realidade, e não medimos esforços, o que resultou no Projeto CASA DA CRIANÇA. Confesso que não imaginávamos que essa se tornaria uma ação nacional, era mesmo apenas a realização de um sonho.

Fazendo uma retrospectiva, como vocês avaliam esses 10 anos de atuação do Projeto Casa da Criança? Marcelo: Um equilíbrio entre emoção e razão. Emoção fundamental para manter até hoje todos os que se envolvem, pois a nossa premissa é ‘a causa’. Razão que nos levou a formatar a Franquia Social, com seus critérios e principalmente o planejamento de tudo que envolve uma obra ou ação do Projeto CASA DA CRIANÇA. Patrícia: De muita luz e proteção divina, de muitos aprendizados, incontáveis lições de vida, de muita doação mas, especialmente, de muitos ganhos, de abraços que se eternizaram além dessa vida material, de olhares profundos, de amigos, unidos por esse projeto, o que gerou o lema da Franquia do Projeto: “somos uma família unida por uma causa comum”, temos uma diversidade religiosa em nosso grupo, mas trazemos algo comum a todos, através do fazer o bem às crianças acreditamos estar com Deus.

Revolted with the negligence with which issues pertaining to children’s rights are treated in our country, the architects Marcelo Souza Leão and Patrícia Chalaça, in 1999, founded the Projeto CASA DA CRIANÇA in Recife. Here, they talk about the challenges, friendships, conquests, and, above all, about the privilege of making a difference in the lives of thousands of children and youths in these 10 years of history.

Quais os grandes ganhos sociais que vocês observaram nesses anos de envolvimento com a causa das crianças e adolescentes? Patrícia: Por parte da sociedade, a compreensão de que todos têm direito a espaços públicos de qualidade. Lembro da crítica aos espaços que eram “muito para crianças pobres”. Disseminamos que todo espaço público deveria ser como os do CASA DA CRIANÇA. Olhamos para um futuro onde as escolas e hospitais, por exemplo, fossem de primeiro mundo, como nos esforçamos para oferecer onde atuamos. Pelos beneficiados, realmente fica difícil descrever em poucas palavras... Milhares de crianças órfãs, abandonadas, vítimas de maus tratos que viviam em lugares sombrios hoje desfrutam no mínimo do conforto, têm auto estima elevada.

11


entrevista Milhares de jovens, incentivados através de espaços reais que lhes oferece oportunidade. Milhares de mães, que sofrem com seus filhos com câncer desfrutam de espaços que os fazem esquecer, mesmo que por instantes a dor, que os fazem ter a certeza que não estão sós, são muitos os envolvidos com esse projeto que se dispõe a expressar o amor. Como vocês imaginam que o terceiro setor pode modificar a realidade social? Marcelo: Sem dúvida unindo forças com os setores público e privado, o setor social pode potencializar suas ações e gerar, em curto espaço de tempo, grandes impactos sociais nos diferentes meios de atuação. Um grande exemplo disso pode ser visto através dos empreendedores sociais da Ashoka, que têm ações extraordinárias, com propostas inovadoras e de grande potencial como as do Projeto CASA DA CRIANÇA, que, se apoiadas pelos demais setores, poderiam gerar respostas mais rápidas a diversas questões sociais do Brasil.

Qual é a relação entre a inclusão social e a construção de uma sociedade igualitária? E o que precisamos para construir uma “sociedade igual para todos”? Patrícia: Para termos uma sociedade menos desigual, é preciso proporcionar oportunidade às comunidades de baixa renda. É um trabalho que deve ser exercido não só pelo poder público, como por todos nós cidadãos. Esse é um contexto que precisa ser trabalhado de forma conjunta. Precisamos cuidar da nossa infância, fazer valer efetivamente o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente), oferecer uma educação de qualidade, saúde, emprego, moradia, dignidade aos idosos e portadores de necessidades especiais, enfim, acreditamos que com a inclusão social podemos construir uma sociedade mais justa. Existe, hoje, um crescimento do terceiro setor, que está realizando cada vez mais projetos de cunho social. A que você atri-

bui a existência dessa nova força que são os empreendedores sociais? Patrícia: Num primeiro momento, pela lacuna em tantos meios de responsabilidade do poder público, seguido de um despertar de que todos nós somos capazes de transformar os problemas sociais. O fundamental é identificar ideias simples que gerem grande impacto, atuar com absoluto comprometimento, determinação e profissionalismo, o que na prática vem fazendo o terceiro setor. O Projeto CASA DA CRIANÇA já recebeu 13 prêmios e homenagens. Isso indica o reconhecimento da eficiência do projeto? Marcelo: Nem sempre prêmio consiste em um medidor ou referencial de eficiência. Para nós, o valor dos reconhecimentos recebidos vai muito além. Eles propiciam visibilidade ao trabalho que desenvolvemos e acreditamos que é um meio de inspiração para que outros vejam que é possível transformarmos problemas em soluções. Como as pessoas que acreditam em um ideal de mundo melhor, assim como vocês, podem fazer para contribuir com uma efetiva transformação na sociedade? Patrícia: O maior mérito do CASA DA CRIANÇA é o da mobilização da sociedade, é por meio das competências profissionais de cada um que geramos a oportunidade participativa nesse trabalho. Sem dúvida o caminho é esse onde cada um participe com o que sabe e gosta de fazer. Que assim seja com os médicos que busquem ações integradas e ofereçam assistência na saúde, advogados que advoguem pelos que necessitam, músicos, artistas plásticos que levem arte às comunidades, enfim, todos podem participar. O fundamental é entender que é preciso a participação de todos para que possamos construir o Brasil que queremos. Qual o significado deste trabalho para vocês e quais os maiores frutos colhidos com o Projeto? Patrícia: Colhemos frutos a cada dia... Temos o privilégio de conhecer diferentes realidades nos diferentes estados do país e de conseguir propiciar significativas mudanças nas

12


entrevista vidas das crianças. A cada momento vemos e sentimos suas dificuldades e, a cada uma delas, nos unimos a tantas outras pessoas e sempre alcançamos nossos objetivos. É um privilégio enorme podermos realizar tantos sonhos... É saber que além da arquitetura temos tido o importante papel de influenciar o poder público e contextualizar o potencial da união entre os setores público, privado e não governamental. Cito um exemplo. Em Belém, atendemos crianças com paralisia cerebral há quatro anos. Hoje, há centenas de crianças beneficiadas em Belém, muitas delas, que não andavam, hoje andam, brincam, comem com sua próprias mãos, vão à escola, sorriem... risos lindos... Neste caso tivemos um grande exemplo para o Brasil, em uma parceria com o Governo do Pará. Evidenciamos, quando da reforma e cons-

trução desta unidade modelo, a importância de uma equipe técnica especializada na área de saúde e essa foi a contrapartida do Estado à ação nessa instituição. O Governo viabilizou a ação com uma associação beneficente com vasta experiência na área, a Congregação Calabriana. Nesse período já houve mudança do Governo, e a parceria permanece, o que traduz as imensas possibilidades na união intersetorial. Este é um exemplo, imagine o que trazemos nestes 10 anos! Sem dúvida nos fazem valer uma vida... Eu me sinto realizada através das crianças, e por elas, não deixamos de sonhar sempre por novos meios de transformações sociais. Sinto-me abençoada por Deus e agradeço a providência divida ter nos confiado essa missão, que temos certeza ainda fará muito pelo nosso Brasil.

Marcelo: O maior fruto é poder ver que contextualizamos possibilidades de ajudar as pessoas, contribuindo assim com um Brasil melhor, diferente do país que temos hoje. Mas falar em fruto me faz sentir que somos apenas uma semente para uma mudança de conceitos. No passado as ações sociais eram assistencialistas, em sua grande maioria de cunho religioso. Nos anos noventa as ações sociais passam a se organizar, começa a existir um novo conceito de atuação social. Nesses dez anos em que atuamos, vimos ser consolidada a formalização, a profissionalização do setor social. Vimos, ainda, as empresas privadas desenvolverem departamentos específicos do setor social. Temos certeza que em mais uma década, teremos um país significativamente melhor, com a expansão das ações sociais. Interview

What made you think about developing a social initiative? Patrícia: A profound will to retribute the opportunities we have had in life. We live in a country with great educational difficulties, children finishing school without being able to read, a country where going to college is, in itself, a great privilege. I bring in my essence since a child, big questions, a result of my roots in Maracaípe, spending my vacations with fishermen’s children who had to walk miles in order to get to school, while we, who lived in the city, had drivers to take us. And, since I was little, I thought that when I grew up I would like to have a beautiful daycare center, so that poor children had what I understood to be everyone’s right, after all we were (are) all equal! And how did the Projeto CASA DA CRIANÇA come to be? Marcelo: One day this restlessness took over Patrícia in an unstoppable way. It was a holiday, and we had done a job at an architectural expo months before and Patrícia had decided she would get people to think like her, and that she would make her dream come true by pulling in other architects voluntarily. She found Casa de Carolina orphanage in the phone book. At the time, there was no criterion of choice, I mean, there was the emotional factor, when we arrived there and saw the children in such an inappropriate place, which we later discovered, is the norm in Brazil. At that moment, we decided we would change that reality, and we didn’t hold back, which resulted in the Projeto CASA DA CRIANÇA. I must confess we didn’t imagine it would turn into a national initiative; it was really just the fulfilling of a dream.

many gains, of hugs that became eternal beyond this material life, of lingering looks, from friends, united by this initiative, which generated the motto for the social franchise: “we are one big family united by a common cause”, there is religious diversity in our group, but we bring something common to all, through doing good for the children, we believe we are in God’s presence.

with their children’s cancer enjoy the spaces we have created to help them forget, if only for a brief moment, the pain, that gives them the assurance they are not alone, there are many involved in this project who are willing to express love.

What are the great social gains you have observed through these years in the involvement with the children’s and youth’s cause? Patrícia: From society’s part, the understanding that all have the right to a public dignified spaces. I remember the criticism to the spaces, that they were “too much for poor kids”. We disseminated that every public space should be like the ones by CASA DA CRIANÇA. We look forward to a future when the schools and hospitals, for instance, are of top quality, like the ones we strive to offer where we act. For the aided ones, its really difficult to put into few words. Thousands of children (orphaned, abandoned, victims of abuse), who lived in somber places, can now enjoy a little comfort, have an elevated self-esteem. Thousands of youths feel motivated in real spaces that offer them opportunity. Thousands of moms who suffer

Looking back, how do you evaluate the Projeto CASA DA CRIANÇA’s 10 years of activity? Marcelo: A balance between emotion and reason. Emotion is fundamental in order to maintain to this day all those involved, for our argument is “the cause”. Reason is what has taken us to create the Social Franchise, with its criteria and especially the planning of everything that involves remodeling or other programs by the Projeto CASA DA CRIANÇA. Patrícia: Of much light and divine protection, of much learning, uncountable life lessons, of much giving, but especially, of

13


entrevista How would you imagine the third sector being able to change social reality? Marcelo: No doubt joining forces with the private and public sector, the social sector can multiply its initiatives and generate, in a short time span, great social impact in the different areas. A great example are the social entrepreneurs of Ashoka, which has extraordinary projects with innovative views and great potential, like the Projeto CASA DA CRIANÇA, which if supported by other sectors, could gain much quicker responses to several social issues in Brazil. What’s the connection between social inclusion and the construction of na egalitarian society? And what do we need in order to build a society that is “equal for all”? Patrícia: In order to have a more egalitarian society, it’s necessary to provide opportunity to the low income communities. It’s a job that needs to be carried out not only by the public sector, but as well by our citizens. This is a context that needs to be labored in as a group. We need to take care of our children, ensure the ECA (children and youths’ statute) is enforced, offer quality education, health, jobs, living, dignity for elders and special needs individuals, summing up, we believe that through social inclusion we can build a more just society. There is today, a growth in the third sector that is carrying out more and more projects. To what do you attribute the appearance of this new force called social entrepreneurs? Patrícia: At first glance, through the cracks in so many government’s duties, followed by a realization that we can all transform social problems. The fundamental is identifying the simple ideas that generate great impact, acting with absolute commitment, determination and professionalism, which, in reality is what the third sector has been doing.

14

The Projeto CASA DA CRIANÇA received 13 awards. Does this demonstrate the recognition of the Projeto’s effectiveness? Marcelo: Not always does a prize make for a good effectiveness measure. For us, the value of recognition goes way beyond that. They provide visibility to our work and we believe it’s also a form of enlightening others to the fact that transforming problems into solutions is possible. What can people, like you, who believe in a better world, do in order to bring about an effective transformation of society? Patrícia: CASA DA CRIANÇA’s biggest merit is the mobilizing of society, is through the professional capacities of each that we create the participative opportunity of our work. No doubt this is the way where each one can contribute with what they like and know how to do. May it be so with doctors, who might be looking for integrated initiatives and offer health aid, lawyers, who can work for the needy, musicians, artists who wish to take art to poor communities, in sum, all that can participate. The fundamental is understanding that everyone’s contribution is necessary so that we can build the Brazil we want. What’s the significance of this work for you and what the biggest returns to the Projeto? Patrícia: We get returns every day. We have the privilege to know different realities in the different states, and to be able to provide significant change in the children’s lives. At each moment we see and feel the difficulties and, for each one, we join forces with so many other people and we always achieve our objectives. It’s an enormous privilege being able to make so many dreams come true. It’s knowing that beyond architecture, we have had an important role in influencing

the public sector and contextualizing the potential of uniting the public, private and public sectors. I’ll give an example. In Belém, we came to the aid of children with cerebral palsy four years ago. Today, there are hundreds of children being benefitted in Belém, many of which didn’t walk, today are able to walk, play, eat with their own hands, go to school, smile… beautiful smiles… In this case, we provided a great example for Brazil, in a partnership with the state government. We displayed the importance of a specialized team in the health area after the remodeling of the institution and providing that was the commitment made by the State to this establishment. The government facilitated the partnership with a philanthropic association with vast experience in the area, the Calabriana Congregation. After the renewal, there has been a change in the government, but the partnership remains, which translates the immense possibility of inter-sector union. This is an example; imagine what else we have accomplished in 10 years! No doubt it’s worth an entire lifetime. I feel fulfilled through the children, and for them, we must not stop searching for new ways to transform society. I feel blessed by God and thank divine providence for having entrusted us with this mission, which, we are sure, will still do lots for our Brazil. Marcelo: The biggest return is being able to see that we have contextualized possibilities of helping others, contributing in this manner to a better Brazil, different from the country we live in today. But to talk about returns makes me feel we are only a seed for a change in concepts. In the past, social initiatives were remedial, the majority of a religious nature. In the nineties they started to organize, a new concept of social imitative starts to take shape. In these 10 years of activity, we saw the consolidation of formalizing, professionalizing the social sector. Furthermore, we saw private businesses develop departments specifically for social initiatives. We are certain that in one more decade, we will have a significantly better country, with the expansion of the social initiatives.


15


Projeto CASA DA CRIANÇA comemora 10 anos com atuação em Por Hugo Peixoto

ano de 2009 é especial para o Projeto CASA DA CRIANÇA: é o ano em que se completa uma década de defesa dos direitos e de transformações na vida de milhares de crianças e jovens de todo Brasil. O Projeto é hoje uma OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público) de reconhecimento federal que beneficia mais de 20 mil crianças e jovens atendidos em 34 instituições, de 16 estados, em todas as regiões do país. São mais de dois mil arquitetos e decoradores, mil construtoras e 20 mil empresas participando da transformação de abrigos, creches, espaços para adolescentes, atendimento ao câncer infantojuvenil e portadores de necessidades especiais.

O

16

Uma história grandiosa que, como define a fundadora do CASA DA CRIANÇA, a arquiteta Patrícia Chalaça, “começou de um sentimento muito simples de querer fazer a diferença”. A arquiteta conta que cresceu com a intenção de construir e manter uma casa que atendesse a crianças carentes, como forma de retribuir as oportunidades que havia recebido na vida. A construção não foi possível devido à falta de recursos financeiros, mas, junto com o também arquiteto Marcelo Souza Leão, ela teve a idéia que modificaria a vida de milhares de pequenos brasileiros. “Pensei que poderia convencer as pessoas a ajudar a reformar uma instituição que já existisse – como acontece em uma mostra de decoração, em que cada um cuida de um ambiente – e através daquele caminho promover uma mudança dentro de uma realidade, além de concretizar meu sonho”, explica Patrícia. A instituição escolhida para receber a ação foi o abrigo público Casa de Carolina, no Recife (PE). Determinados, Patrícia e Marcelo rapidamente conseguiram reunir 60 arquitetos e decoradores, 27 construtores e mais de 500 empresas para atuarem a reforma da casa. Após dois meses de preparação, tiveram início as obras. “Foi tudo muito rápido. Em 45 dias – a partir do primeiro dia da obra até a inauguração – o sonho estava realizado. Foi a obra mais rápida do Projeto até hoje”, diz Patrícia. A inauguração da instituição reformada, em outubro de 1999, ganhou repercussão nacional – foi destaque em matérias dos principais jornais, revistas e emissoras de televisão – e logo a Casa de Carolina, que seria a única unidade atendida pelo CASA DA CRIANÇA, tornou-se o primeiro passo de um grande projeto. “Quando a ação na Casa de Carolina acabou, nós realmente pensamos que deveríamos fazer o mesmo em pelo menos uma instituição por ano”. E o passo seguinte foi mais distante. Procurados por arquitetos e decoradores de todo


todas regiões do país o Brasil após o sucesso da primeira ação, Patrícia e Marcelo deram início à formatação do Projeto, através da elaboração de um manual com todos os pontos positivos das obras na Casa de Carolina, e decidiram realizar a segunda reforma, dessa vez em Brasília (DF), na Casa do Candango. O desafio era grande: repetir os ótimos resultados obtidos na obra realizada no Recife numa cidade política, sem os setores industrial e comercial tão fortes. Porém, a resposta foi rápida. “A adesão em Brasília foi extraordinária e nós inauguramos, em junho de 2000, uma unidade lindíssima, que funciona muito bem até hoje. Foi a prova viva de que o CASA DA CRIANÇA era um formato que poderia ser multiplicado”, lembra Patrícia Chalaça. Antes disso, em março daquele ano, a arquiteta foi eleita Fellow Ashoka, o que deu ainda mais força ao Projeto. Criada há 25 anos pelo norte americano Bill Drayton, a Ashoka é uma organização mundial, sem

fins lucrativos, pioneira no trabalho e apoio aos empreendedores sociais, ou seja, pessoas com idéias criativas e inovadoras capazes de provocar transformações com amplo impacto social. Com a inauguração da Casa do Candango, vieram mais repercussões na imprensa, no meio empresarial e entre os arquitetos e, consequentemente, mais arquitetos procuraram o Projeto. Assim, uma terceira unidade foi reformada – a Fernandes Vieira, no Recife. E no ano seguinte, já com um formato definido a partir do manual desenvolvido em Brasília, surgiram as primeiras franquias sociais, nas cidades de Maceió (AL), Natal (RN) e Jundiaí (SP).

17


Primeira franqueada do Projeto CASA DA CRIANÇA, a arquiteta Patrícia Ramalho coordenou as obras da AMAI (Associação do Movimento de Amparo à Infância), em Maceió. Ela conta que não encontrou dificuldades para conseguir a adesão do empresariado local devido, principalmente, ao profissionalismo com que o CASA DA CRIANÇA desenvolve suas ações. “A tecnologia do Projeto é muito bem formatada e muito clara. As pessoas sentem que vão investir em algo seguro, que vai trazer bons resultados para a sociedade e de maneira muito rápida”, ressalta Patrícia Ramalho. O manual foi utilizado por ela em outras duas instituições em Alagoas e é o mesmo seguido até hoje pelos mais de 50 franqueados sociais, sendo aprimorado a cada ano. Outra ferramenta fundamental para o funcionamento do Projeto CASA

Patricia Chalaça is elected Fellow Ashoka (an American institution). Casa da Criança forms an alliance with Instituto Ayrton Senna (partner from 2000 through 2002). Casa do Candango is inaugurated in Brasília (DF).

1999

2000

Surge o Projeto CASA DA CRIANÇA com a inauguração da Casa de Carolina, no Recife (PE). A Cimento Nassau torna-se patrocinadora nacional do projeto, doando, até hoje, 100% do cimento necessário às obras do Casa da Criança.

Patricia Chalaça é eleita Fellow Ashoka (instituição Americana). O CASA DA CRIANÇA firma parceria com o Instituto Ayrton Senna (Parceiro de 2000 a 2002). É inaugurada a Casa do Candango, em Brasília-DF.

Projeto Casa da Criança with the inauguration of Casa de Carolina in Recife (PE). Cimento Nassau becomes a national sponsor, donating, to this day, 100% of the necessary cement for the renovations.

18

Realizada as primeiras Franquias Sociais do CASA DA CRIANÇA, nas cidades de Jundiaí-SP, MaceióAL e Natal-RN. Reconhecimento pelo Prêmio Claudia (editora Abril)

Casa da Criança benefits four units in São Paulo (SP), one in Goiânia (GO), and one in Fortaleza (CE).

DA CRIANÇA é o Programa Cia dos Anjos. Inicialmente concentrado na reforma física das instituições, o Projeto percebeu – após avaliações posteriores à entrega da obra – que era preciso fortalecer o atendimento e a manutenção das mesmas após a reforma. Então, em 2004, foi criado o Cia dos Anjos, com uma metodologia própria, baseada no voluntariado, e promovendo a capacitação dos funcionários das instituições reformadas ou construídas. O objetivo é contribuir com a manutenção dessas unidades, além de garantir a qualidade do atendimento às crianças e adolescentes nas áreas de educação, saúde, esportes, lazer, arte e cultura. “Além dessas melhorias, o Cia dos Anjos abrange formas de captação de produtos e recursos, assessoria jurídica, comunicação, realização de eventos, entre outros. Ou seja, formatamos um material que profissionaliza as instituições, faz com que elas se enxerguem como empresa, mas sem fins lucrativos e sim sociais”, completa Patrícia.

O Projeto passa a atuar em instituições que tratam o câncer infantojuvenil com a inauguração da APALA (Associação dos Pais e Amigos dos Leucêmicos de Alagoas). A NASSAU passa a ser Parceiro Máster e investe na expansão nacional

Partnership with Instituto Ronald McDonald is initiated. Patricia becomes member of AVINA Foundation. Cia dos Anjos implementation.

2001

2002

2003

2004

First social franchises in Jundiaí (SP), Maceió (AL), and Natal (RN). Acknowledgement by Prêmio Claudia (Abril publishers).

O CASA DA CRIANÇA beneficia 06 instituições nas cidades de Goiania-GO, Fortaleza-CE sendo quatro destas na cidade de São Paulo-SP.

The Projeto starts working with pediatric cancer treatment centers. Inauguration of APALA (a leukemic patients´ families Association).

Início da parceria com o Instituto Ronald McDonald. Patricia é eleita líder-parceira da Fundação Avina. Implantação do programa Cia dos Anjos.

Nassau becomes Master Partner investing in national expansion.

2005


As reformas continuaram a todo vapor por todo país e, em 2003, surge mais uma ação pioneira do Projeto CASA DA CRIANÇA, o atendimento a portadores do câncer infantojuvenil. A primeira ação aconteceu também em Maceió: a reconstrução da APALA (Associação dos Pais e Amigos dos Leucêmicos de Alagoas). A reforma da instituição chamou a atenção do Instituto Ronald McDonald que, no ano seguinte, convidou o CASA DA CRIANÇA para iniciar uma parceria. Desde então, as duas instituições têm promovido ações em todas as regiões brasileiras, fundamentadas em três ciclos, considerados essenciais nesse processo: o período de internamento (Hospital), o período de tratamento (Ambulatório) e o período de acolhimento e reintegração às atividades diárias (Casa de Apoio). Outro momento importante aconteceu entre os anos de 2005 e 2006, quando o Projeto chegou à região Norte do Brasil e deu início ao atendimento a crianças com necessidades especiais. O abrigo, chamado EAPE (Espa-

First initiative in the northern region of Brazil working in benefit of children with special needs. Inauguration of EAPE in Belém (PA). First edition of Brasil Social Magazine. Acknowledgment by SCHWAB Foundation and Folha de São Paulo.

O CASA DA CRIANÇA realiza em São Paulo o FNICS (Fórum Nacional da Indústria da Construção Social) Casa da Criança hosts FNICS (a national industrial and social construction forum) in São Paulo (SP).

2006 Primeira ação na região Norte e início da atuação em instituições de atendimento ao portador de necessidades especiais com a inauguração do abrigo EAPE (Espaço de Acolhimento Provisório Especial, atual Unidade de Referência Especial em Reabilitação Infantil), em Belém (PA). É lançada a primeira edição da Revista Brasil Social. CASA DA CRIANÇA é reconhecido pela Fundação Schwab e Folha de São Paulo.

ço de Acolhimento Provisório Especial, atual Unidade de Referência Especial em Reabilitação Infantil), em Belém (PA), foi reformado e ampliado, passando a atender 60 crianças portadoras de necessidades especiais, além do atendimento externo de 200 crianças. “Deixamos em Belém uma instituição pública que é referência para o Brasil, pois é o resultado de uma união muito forte entre primeiro, segundo e terceiro setores”, afirma Patrícia Chalaça. Há dez anos, o CASA DA CRIANÇA também trabalha para a influência nas políticas públicas, cobrando junto aos governos suas responsabilidades para com a infância e a adolescência. A cada ano, mais abrigos, creches, espaços para atendimento ao câncer infanto-juvenil e portadores de necessidades especiais são transformadas e mais arquitetos, decoradores, empresas e construtoras se unem ao Projeto CASA DA CRIANÇA na construção de uma realidade melhor para milhares de crianças e adolescentes. Um projeto que nasceu de uma ideia simples, de um sonho.

O Projeto CASA DA CRIANÇA completa 10 anos atuando pela melhoria de vida de mais de 20 mil crianças e adolescentes de todo o país. Patrícia Chalaça recebe o Prêmio Tacaruna Mulher na categoria Ação Social. Realização do Prêmio Brasil Social.

O Projeto CASA DA CRIANÇA vence o Prêmio Zumbi dos Palmares/categoria arquitetura, entregue pela revista Salada Magazine, em Maceió (AL). O Projeto CASA DA CRIANÇA é um dos 5 premiados no Visionaris, do UBS, uma das principais empresas financeiras do mundo, sediada na Suiça.”

2007

2008

Casa da Criança wins Zumbi dos Palmares award in the architectural category, held by SaladaMagazine in Maceió (AL). Casa da Criança is one of five awarded organizations in Visionaris, by UBS, one of the main financial institutions in the world.

Marcelo e Patricia recebem do CREA-PE (Conselho Regional de Engenharia Arquitetura e Agronomia) a Medalha do Mérito Lauro Borba. Marcelo and Patricia receive from CREA-PE the Lauro Borba merit medal

2009 The Projeto completes ten years working for the improvement and quality of life of over 10000 children and youths all over the country. Patricia Chalaça receives the Tacaruna Mulher award for the category social initiative. First edition of Brasil Social award.

19


Projeto Casa da Criança celebrates tem 2009 was a special year for Projeto Casa da Criança, when it completed a decade of fighting for the rights and transformations in the lives of thousands of children throughout Brazil. The Projeto is an OSIP (a civilian led organization for public service) acknowledged by the federal government, that aids over ten thousand children in thirty four different institutions spread over sixteen states. Over 2000 architects and interior designers, 1000 contractors, and 20000 businesses participate in the remodeling of shelters, day-care centers, youth centers, pediatric cancer treatment centers, and special needs support establishments. This grand story “sprung from a very basic wish to make a difference”, says founder and architect Patricia Chalaça. She grew up planning on building and keeping a home for under privileged children. That initial plan was rendered impossible due to the lack of financial resources. However, with the help of architect Marcelo Souza Leão she found the way to change the lives of thousands of young Brazilians. “I thought I could convince people to help in renewing an establishment that already exists – much like in an interior design expo – and that´s how I could generate change besides making my dream come true”, explains Patricia. The aided institution was the public orphanage Casa de Carolina in Recife, Pernambuco. Patricia and Marcelo quickly gathered 60 architects and designers, 27 contractors and 500 businesses to help with the renewal. After a three-month preparation period work really began. “It was all very fast. In 45 days of work our dream was concrete. It was the Projeto´s most expedient enterprise so

20

far”, says Patricia. The inauguration in October 1999 was publicized nationwide in newspapers, magazines and television networks. Soon, Casa de Carolina, which was meant to be the only institution aided by Casa da Criança became the first step of a much larger enterprise. “When we completed Casa de Carolina we realized we should do the same for at least one establishment per year”. The next step was further away than they realized. Architects and designers from all over Brazil approached Patricia and Marcelo who began the outlining of the Projeto´s manual containing all the positive points regarding the remodeling of Casa de Carolina. The second institution aided by the Projeto was Casa do Candango in Brasilia, the nation´s capital. It was a big challenge: replicating the results obtained in Recife in a politicized city lacking strong industrial and commercial sectors. “The mobilization in Brasilia was extraordinary and we inaugurated, in June of 2000, a beautiful home that works very well up to this day. It was concrete proof that Casa da Criança could be replicated”, recalls Patricia Chalaça. Besides that in March of that same year the architect was elected Fellow Ashoka. Founded 25 years ago by Bill Drayton, Ashoka is a worldwide nonprofit organization that pioneered the work of support to social entrepreneurs – people with creative and innovative ideas were capable of generating change and huge social impact. With the inauguration of Casa do Candango came more press coverage. Consequently more and more architects looked to replicate the Projeto. Thus, a third establishment was remodeled: Fernandes Vieira in Recife. The


years with initiatives in all of Brazil following year, with a predefined format, the first social franchises were formed in Maceió (AL), Natal (RN) and Jundiaí (SP). Patricia Ramalho, the Projeto´s first franchiser coordinated the remodeling of Associação do Movimento de Amparo a Infância in Maceió. She says she didn´t find it difficult to persuade local businesses to participate due to the professionalism employed by Casa da Criança in its initiatives. “The Projeto´s technology is very clear and objective. People feel they´re investing in something safe which will quickly bring positive results for society”, points out Patricia Ramalho. She applied the manual, which is the same followed to this day by over fifty franchisers, in two other institutions in Alagoas. Another fundamental tool for Casa da Criança is Cia dos Anjos Program. Previously focused on the physical structure of the institutions, the Projeto realized – after a series of evaluations – that it was necessary to strengthen the quality of care and maintenance of the establishments after the renewals. Thus, in 2004 Cia dos Anjos was created with its own methodology based on volunteer networks and promoting the capacitation of staff members. The goal is to help in maintaining the structure as well as ensuring the quality of education, health, sports, leisure, art, and cultural services offered. “Beyond these improvements Cia dos Anjos approaches fund raising, judicial consultations, publicity and others. In other words, we organized a manual that helps in the professionalization of the establishments, making them work like businesses but for social profits instead of monetary profits”, says Patricia. The renewal continued all over the country and, in 2003, the Projeto comes up with another

pioneering initiative: aiding in the care for pediatric cancer patients. The first initiative was also in Maceió – the rebuilding of Associação dos Pais e Amigos dos Leucêmicos de Alagoas. APALA´s renewal cought the eyes of Instituto Ronald McDonald, that the following, invited Casa da Criança to form an alliance. Since then both organizations have promoted initiatives in every region of Brazil, considering the three essential cycles in treatment: hospitalization, treatment, and support homes/reintegration to daily activities. Another important step was when, in 2005 and 2006, the Projeto started working in benefit of children with special needs in the northern part of Brazil. The shelter, called Espaço de Acolhimento Provisório Especial, in Belém (PA), was remodeled and expanded becoming the home to sixty children besides treating up to two hundred children from adjacent communities. “We provided Belém with a public establishment that serves as a role model to all of Brazil, due to the union of the first, second and third sectors in the initiative”, states Patricia Chalaça. For the past ten years Casa da Criança has also strived to influence public policy, demanding that the state´s governments oblige the needs of children and adolescents. With each new year more shelters, day-care centers, pediatric cancer treatment centers, and special needs support centers are transformed and more architects, designers, businesses, and contractors join Projeto Casa da Criança in the construction of a better reality for thousands of children and youths. A project born from a simple idea, from a dream.

21


22


Campanha da Pizza Hut beneficia crianças e adolescentes de baixa renda Programa Sabor Social é uma ação do Projeto CASA DA CRIANÇA em parceria com a Pizza Hut – Ceará e Paraíba que estimulam a contribuição financeira voluntária dos seus clientes. Nestes restaurantes, os clientes apóiam o Programa acrescentando voluntariamente um real à sua conta. Ao final do mês, o valor arrecadado recebe o adicional de 20%, doado pela própria Pizza Hut. Os recursos da campanha são investidos pelo CASA DA CRIANÇA em projetos que beneficiam crianças e adolescentes de baixa renda em todo o Brasil. Em 2009, o CASA DA CRIANÇA direcionou este recurso para a realização dos treinamentos do Programa Cia dos Anjos nas cidades de Salvador e Maceió. Em Salvador, participaram franqueados do CASA DA CRIANÇA das cidades de Belém, Teresina, Fortaleza, Maceió, Aracaju e Salvador. Em

O

Maceió, o treinamento foi voltado para gestores e funcionários da APALA (Associação dos Pais e Amigos dos Leucêmicos de Alagoas), reformada pelo CASA DA CRIANÇA em 2003 e do CREN (Centro de Recuperação e Educação Nutricional), primeira instituição não humanizada pelo Projeto que passa a integrar a rede de beneficiados pelo Cia dos Anjos. Outra importante ação do CASA DA CRIANÇA em 2009, realizada graças à parceria com a Pizza Hut, foi o evento que marcou os 10 anos de atuação do Projeto. A empresa foi Patrocinadora Máster do Prêmio Brasil Social, que reconheceu o trabalho desenvolvido por oito organizações não-governamentais que têm gerado impacto positivo na sociedade em diversas áreas. (Leia mais sobre o Prêmio Brasil Social na página 50)

Treinamento em Salvador

Treinamento em Maceió

Pizza Hut restaurant’s campaign aides low income children The Sabor Social (social flavor) program is an initiative by the Projeto CASA DA CRIANÇA and Pizza Hut in Ceará state. It stimulates the voluntary financial contribution of R$ 1 per bill by the clients of the franchise’s restaurants in Ceará and Paraíba. At the end of the month, the total collected receives an additional 20% donated directly from Pizza Hut –CE. These funds are invested by CASA DA CRIANÇA in different initiatives benefiting low income children all over Brazil. In 2009, CASA DA CRIANÇA used the donations for the execution of Cia dos Anjos Program seminars in Salvador and Maceió. In Salvador, franchisers from 6 different cities participated in the training. In Maceió, the seminar was directed at managers and staff of APALA, remodeled by the Projeto in 2003, and of CREN, first institution not aided by the Projeto to receive the Cia dos Anjos program. Pizza Hut Ceará was also one of the main sponsors of Brasil Social Award, given out in 2009, in recognition of the work developed by eight NGOs who have had a positive impact in society. (Learn more about the award on page 50).

23


Programa Cia dos Anjos investe no atendimento Por Leonardo Spinelli

esde o primeiro ano de atuação, o Projeto CASA DA CRIANÇA percebeu que a reforma física não era suficiente para melhorar a qualidade no atendimento às crianças e adolescentes das unidades beneficiadas. “Percebemos que não adianta apenas ter um espaço bonito criado pelos melhores arquitetos. É preciso um atendimento de qualidade. Então resolvemos que teríamos de melhorar a gestão dessas casas”, conta a presidente fundadora do CASA DA CRIANÇA, a arquiteta Patrícia Chalaça. Assim surgiu o programa Cia dos Anjos, com o objetivo de melhorar o atendimento e manter a estrutura física das unidades após as obras através da mobilização de parcerias nas áreas de saúde, educação, esportes, lazer, arte e cultura. As parcerias são construídas com o poder público, profissionais liberais e empresas privada. “As parcerias já eram a alma do CASA DA CRIANÇA, importamos esse modelo também para melhorar a qualidade do atendimento dessas instituições”, explica Patrícia.

D

O programa teve sua metodologia formatada em um manual, o qual é doado para a equipe de gestão da instituição ou para o franqueado que participar do treinamento anual realizado pelo CASA DA CRIANÇA. Após o treinamento, o responsável pelo programa em cada cidade continua recebendo assessoria da coordenação. Além de atingir somente as unidades reformadas, o CASA DA CRIANÇA busca disseminar as propostas do Programa para outras instituições de atendimento a crianças e adolescentes através de seminários nas cidades onde o Cia dos Anjos já foi implantado. Em nove anos de existência do Cia dos Anjos, o Programa já contabilizou mais de 25 parcerias espalhadas por todo o Brasil. Para se ter uma ideia da abrangência desta ação, somente no Recife (PE) as crianças das instituições beneficiadas recebem, na área de saúde, atendimento oftalmológico fruto da parceria com a Fundação Altino Ventura; odontologia pela dentista Maria José Martins; otorrinolaringologia com as médicas Savana Pereira e Danielle Aguiar. Na área de arte e cultura, aulas de iniciação musical e

Parceiros do CIA DOS ANJOS Parceiro Master: Pizza Hut (CE e PB) SAÚDE Oftalmologia - Fundação Altino Ventura (PE); Odontologia - Dra. Maria José (PE); Otorrinolaringologia - Dra. Savana Pereira e Dra. Danielle Alcântara de Aguiar (PE). NUTRIÇÃO Frutaria - doação de produtos hortifrutigranjeiros (PE); Oba! Schoolfood - doação de lanches (PE). EDUCAÇÃO Fastrackids - atividades extracurriculares (PE). LAZER Cia do Riso - recreação (PE); Transamérica Turismo - ônibus com guia turístico (AL); Big Day - festa dos aniversariantes do mês (CE); Palhaço e Mágico Galdino - recreação (CE); Click Vídeo filmagem e registro fotográfico (CE).

24

ARTE E CULTURA Balé e Oficina de Música - Ária Social (PE); Aula de Dança Michele Borges (CE). GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA Hotel Vila Galé (BA) - capacitação de jovens (governança e atendimento ao público). DOAÇÃO DE PRODUTOS Colégio Motivo - roupas, sapatos, brinquedos e livros (PE); Instituto C&A - Loja Conde da Boa Vista (PE) - roupas, sapatos e acessórios infantis; Home Center Ferreira Costa - espaço para campanha institucional (PE); Casa Pio sapatos (CE); Biligui - roupas infantis (CE); Hotel Vila Galé (BA) - roupa de cama e banho, e doação de alimentos.

Cia do Riso em festa promovida pelo CASA DA CRIANÇA na creche Lar Esperança (PE)

balé no Ária Social Espaço de Dança e Arte. Na educação uma excelência de parceria oferecido pelo FasTracKids, que trabalha o desenvolvimento congnitivo das crianças. No abrigo Tia Júlia, localizado em Fortaleza, aulas de dança na escola Michele Borges. Em Maceió, o Programa Cia dos Anjos firmou parceria com a Transamérica Turismo para realização de passeios turísticos com as crianças atendidas pela Associação de Pais e Amigos dos Leucêmicos de Alagoas. Isso para ficar em alguns exemplos. Com o Programa Cia dos Anjos, o que está em jogo é a qualidade de vida e a igualdade de oportunidades. Duas coisas que não estavam ao alcance destas crianças, muitas vezes esquecidas pela sociedade e pelo próprio governo. A maioria delas oriundas de famílias carentes ou abrigadas em instituições governamentais, algumas órfãs, outras vítimas de abandono e/ou maus-tratos. É pensando no futuro destes pequenos cidadãos e na igualdade de oportunidades a que todos têm direito que o Cia dos Anjos passou a ser uma das principais ações do CASA DA CRIANÇA, muitas vezes antecedendo a própria reforma na estrutura física.


The Cia dos Anjos Program

Oficina de música no abrigo Casa de Carolina (PE)

Daniele Alcântara, otorrinolaringologista, em atendimento a criança do abrigo Casa de Carolina

Dia das crianças na Casa de Carolina

Since its first year in activity, the Projeto CASA DA CRIANÇA realized that physically remodeling the spaces was not sufficient in order to guarantee the quality in service provided in the institutions. “We noticed that having a beautiful space was not enough. Quality care is necessary. So it became clear we had to improve these homes’ management”, says the CASA DA CRIANÇA’s founding president, architect Patrícia Chalaça. Thus appeared the Cia dos Anjos program, aiming at maintaining the buildings’ structure and improving the care through partnerships in the areas of health, education, sports, leisure, art and culture. These are formed with government agencies, private businesses and autonomous professionals. “Partnerships already were CASA DA CRIANÇA’s soul, we replicated the model in order to improve the quality of care as well”, explains Patrícia. The program is outlined in a manual handed to the administration or the franchiser who participates in CASA DA CRIANÇA’s annual seminar, after which the person responsible in each city, continues receiving guidance from the coordination. Beyond reaching remodeled establishments, CASA DA CRIANÇA seeks to disseminate the Program to other establishments through seminars in the cities where Cia dos Anjos has been implemented. In nine years of existence, the Cia dos Anjos Program has established over 25 partnerships throughout Brazil. Just in Recife (PE), it has enabled alliances for health services such as with the Altino Ventura Foundation (which provides ophthalmological service to the children of the aided homes), with orthodentist Maria José Martins, and with otolaryngologists Savana Pereira and Danielle Aguiar. In terms of arts and culture, the children attend music and ballet classes at Ária Social dance school. Educationally, FasTracKids works for the children’s cognitive development. At Tia Júlia shelter, in Fortaleza, they have dance classes at Michele Borges dance school. In Maceió, the Cia dos Anjos program has established a joint venture with Transamérica tourism agency to carry out trips with the children cared for at the APALA. And those are only a few examples. With this program, what’s at stake is quality of life and equal opportunity: two things that were out of these children’s reach. The majority of them are from poor families, or living in government shelters, some orphans, others victims of abandonment and/or mistreat. Having in mind these young citizens’ futures and equal opportunity for all, Cia dos Anjos became one of CASA DA CRIANÇA’s main initiatives, many times being prioritized over the physical renewal of the spaces.

25


Convenções reúnem anualmente franqueados sociais de todo o país

T

odos os anos o Projeto CASA DA CRIANÇA realiza uma Convenção Nacional com a participação dos franqueados sociais do Projeto nos diferentes estados do Brasil. Desde 2001, o CASA DA CRIANÇA promove este encontro para promover a troca de experiência entre os franqueados e planejar as atividades do Projeto para o ano seguinte. As convenções são um importante momento de integração entre os profissionais que formam a rede do Projeto CASA DA CRIANÇA.

A expansão do CASA DA CRIANÇA foi possível graças ao interesse dessas pessoas em replicar o Projeto em cada uma de suas cidades, o que demandou o desenvolvimento de um programa inédito repassado aos voluntários no treinamento anual da franquia. A Franquia Social do CASA DA CRIANÇA é uma tecnologia social desenvolvida por esta organização que inclui manual prático com informações que vão desde os critérios para selecionar a unidade beneficiada até questões jurídicas, passando pela mobilização da sociedade, comu-

Franquias sociais do CASA DA CRIANÇA

26

Aracaju Káthia Fontes, Mônica Dantas, Mônica Gusmão e Rui Carvalho (79) 3214-4725 / 9989-2162 rcprojetos@rcprojetos.com.br

Blumenau Adalberto Silva, Roberto Reichert, Vilma Karsten e Ana Paula Lapolli (47) 3334-4678 / 9135-8805 arq.lapolli@gmail.com

Belém Fátima Petrola, Lílian de Almeida, Conceição Pinto, Roberta Frigeri e Elizabeth Grunvald (91) 3241-9559 / 9981-2695 grunvald@amazon.com.br

Cuiabá Emily e Vagner Giglio (65) 3615-7001 / 8405-6305 / 84029555 emily@emily.com.br / vagner. modulo@terra.com.br

Florianópolis Cristina Piazza (48) 3224-1263 / 9981-0364 arq.cristina_piazza@yahoo.com.br

Goiânia Ângela Sebba (62) 4006-2800 / 7811-6303 diretoria@sicmol.com.br

Fortaleza André Verçosa, Augusto Souza, João Mendonça, Paulo Pepino e Isabel Figueiredo (85) 8818-6234 sonhobianco@gmail.com

João Pessoa Ana Fernanda Cunha, Kainara Pessoa e Sandra Moura (83) 3221-7032 / 9131-6456 sandramoura_arquitetura@yahoo.com.br


Franqueados sociais na praia de Maracaípe (PE), durante a 7­ª Convenção Nacional do Projeto CASA DA CRIANÇA

Assemblies gather annually social franchisers from all of Brazil Every year, the CASA DA CRIANÇA hold a National Assembly with the participation of its the social franchisers in different states of Brazil. Since 2001, the CASA DA CRIANÇA promotes this gathering in order to foment the exchange of experiences among the franchisers, as well as plan the activities of the project for the upcoming year. The Assemblies are an important moment of integration of the professionals who make up the Projeto’s network. The CASA DA CRIANÇA’s expansion was possible thanks to these people’s interest in replicating the Projeto in each one of their cities, which demanded the development of an unique program extended to volunteers at the annual franchise training. The CASA DA CRIANÇA Social Franchise is a social technology developed by this organization which includes a practical manual with information that covers everything from criteria for selecting the aided institutions to judicial matters, as well as how to mobilize the private sector, how to advertise the initiatives, construction management and other topics. The architectural projects must respect the institution’s necessities according to the services and treatments provided there. For instance, the creation of specific spaces for shelters, daycare centers, special needs individuals and pediatric cancer treatment establishments. When the project is defined, a marathon activities initiates: it’s the mobilization of volunteer architectures, contractors, press and other professionals.

Hotéis parceiros

nicação social, o gerenciamento da obra, dentre outros. Os projetos arquitetônicos devem respeitar as necessidades da instituição a partir do tipo de atendimento que esta realiza, a exemplo da criação de áreas específicas para abrigo, creche, espaços para adolescentes, portadores de necessidades e casas de tratamento do câncer infantojuvenii. Definido como será o projeto, uma maratona de ações se inicia, mobilização de arquitetos voluntários, construtoras, imprensa, dentre outros profissionais.

Jundiaí Cláudia Mendonça (11) 9967-5922 arqclaud@terra.com.br Maceió Káthia Oliveira e Patrícia Ramalho (82) 3327-0041 / 9128-4676 pgramalho@uol.com.br

Manaus Ana Cristina Leite, Alessandra Campbell, Edmar Andrade e Maureen Carneiro (92) 3236-1684 / 9994-6811 arqtmaureencarneiro@yahoo.com.br

Porto Alegre (equipe em formação) Carlos Eduardo Peixoto, Adriana Wander e Mário César Sperb (51) 3388-3969 / 98085685 arqsperb@terra.com.br

Poços de Caldas Pedro Ponce, Maria Aparecida e Luciana Dabdab (35) 3721-5499 / 9191-7777 projeto@lucianadabdab.arq.br

Salvador Lóide Bonina (71) 3642-5350 / 3163-1059 loidebonina@hotmail.com

São Paulo Leda Oliveira (11) 8181-0450 ledaso@terra.com.br Teresina Ana Regina, Júlio Vasconcelos, Lígia Veras, Raimundo Andrade e Ivna Gadelha (86) 3221-4210 / 8811-1410 ivna@oi.com.br

27


Franqueados sociais falam da importância do CASA DA CRIANÇA nos estados

E

m dez anos de atuação o Projeto CASA DA CRINÇA construiu um rede sólida de franqueados sociais que coordenam as ações do projeto em 15 estados brasileiros mais o Distrito Federal. Graças ao trabalho de cada um deles, o CASA DA CRIANÇA hoje atua em todas as regiões do Brasil, beneficiando um número cada vez maior de crianças e jovens. Confira a opinião de alguns franqueados sobre a importância da atuação do Projeto CASA DA CRIANÇA nos seus estados.

“Antes de dizer qual a importância da atuação do PCC no meu estado, e olha que para nós foi muito relevante uma vez que fizemos duas casas em praticamente um ano, preciso dizer da importância do Projeto nas nossas vidas. Depois de participar desta empreitada tão maravilhosa, certamente em todos há uma mudança de vida. E isso sim faz a diferença. O CASA DA CRIANÇA significa mudança de atitude, de olhar o próximo e dar de si, e normalmente em momentos em que aparentemente não temos o que dar, conseguimos extrair da nossa essência sentimentos que só fazem melhorar este nosso mundo cheio de contradições e problemas. Sou certamente uma pessoa muito melhor depois do Projeto CASA DA CRIANÇA”. Ana Lapolli, Blumenau (SC)

“Before stating the importance of PCC’s involvement in my state, and may I say that for us it has been very significant since we remodeled two homes in practically one year, I have to discuss PCC’s significance in our lives. After taking part in this brilliant initiative, certainly there is a change in everyone’s lives. And that does make a difference. PCC resembles an attitude change, looking to your neighbor and being willing to give, and normally in moments when apparently we have nothing to contribute, we can still extract from the essence of our feelings which only improves this world full of contradictions and problems. I’m certainly a better person after the Projeto Casa da Criança.” Ana Lapolli, Blumenau.

28

“Ao proporcionarmos uma nova oportunidade de vida para as crianças do nosso Estado através do Projeto CASA DA CRIANÇA, estamos cuidando de nós mesmos, dando um significado digno para nossa própria existência”. Vagner Giglio, Cuiabá (MT).

“In providing a new opportunity in life to the children of our state through the Projeto Casa da Criança, we are taking care of ourselves, giving a dignified meaning to our very own existence.” Vagner Giglio, Cuiabá.

“Primeiro temos que apontar a grande importância do Projeto CASA DA CRIANÇA como movimento de mobilização profissional, que compreende o idealizar/arquiteto e operacionalizar/construtores e fornecedores, fazendo com que atuem proativamente. Tendo como objetivo maior as crianças das regiões onde há a intervenção dos franqueados sociais, melhorando suas condições de vida, de ensino e aprendizagem. Enfim, oportunizando a garantia de cidadania de cada um destes pequenos cidadãos brasileiros. É assim que, ao ter uma ação do CASA DA CRIANÇA, temos a oportunidade de apresentar aos habitantes deste Estado que mudar é apenas uma questão de vontade, de mobilização.” Cristina Maria da Silveira Piazza, Florianópolis (SC). “First we must point out the great significance of the Projeto Casa da Criança as a mobilizing movement, which encompasses the ideal/architecture and the operational/construction and providers, getting them to act together proactively. Having as a greater goal the children of the regions where there is the social franchises’ intervention, improving their living conditions, their education and learning. All in all, guaranteeing the opportunity to citizenship for each one of these young Brazilian citizens. That’s how, in receiving the Casa da Criança, we have the chance to show the residents of this state that changing is just a matter of will, of action.” Cristina Maria da Silveira Piazza, Florianópolis.

Social franchisers dicuss the importance of CASA DA CRIANÇA’s initiative in their states In ten years of activity, the Projeto CASA DA CRIANÇA built a solid network of social franchisers, who coordinate the Projeto’s acitivities in 15 Brazilian states and the Federal District. Thanks to each one of them, CASA DA CRIANÇA today is in every region of Brazil, benefiting an ever-growing number of children and youths. Check out some of the franchisers’ opinions about the importance of CASA DA CRIANÇA’s initiatives in their states.

“Este projeto teve a intenção de melhorarmos e amenizarmos o sofrimento de crianças que estão no início da sua jornada da vida. Foi muito importante sabermos que as nossas ações minimizaram o sofrimento desses pequenos. Nessa ação os privilegiados fomos nós, pois podemos ganhar muitos sorrisos massageando a nossa alma e nos dando a estranha sensação de ter fé na vida.” Sandra Moura, João Pessoa (PB). “This project had the intention of making better and alleviating the suffering of children who are in the initial stage of their life journeys. It was very important knowing that our initiative minimized their suffering. In this initiative the benefited ones were us, for we gained many smiles to enlighten our souls and give us an unusual feeling of faith in life.” Sandra Moura, João Pessoa.


“Poços de Caldas, no Sul de Minas Gerais é, por enquanto, a única cidade mineira onde o Projeto CASA DA CRIANÇA tem atuação. Aqui reformamos duas entidades que atendem, juntas, aproximadamente 200 crianças e jovens socialmente desfavorecidos. É uma grande vitória e temos muita satisfação visitando as casas e sentindo a diferença que fizemos nas vidas destas crianças. Mas, na verdade sonhamos que estas atuações sirvam de exemplo para que, nas demais cidades, profissionais e empresas queiram abraçar este Projeto maravilhoso e que muitas crianças mais, espalhadas por todo o estado sejam atendidas, e que este nosso trabalho de formiguinhas transforme a realidade não só mineira, mas de todo o país”. Luciana Dabdab, Poços de Caldas (MG). “Poços de Caldas, in the southern part of Minas Gerais, is, for now, the only city in the state to receive the Projeto Casa da Criança. Here we remodeled two institutions that service, together, approximately 200 socially disfavored children and youths. It’s a great victory and we feel extremely satisfied visiting the homes and seeing the difference we have made in these children’s’ lives. But, truthfully, we hope that these initiatives become an example so that in other cities, professionals and companies wish to embrace this marvelous Projeto and that many children spread through the state are cared for, and that our ant work transforms the reality not only in Minas, but in the entire country.” Luciana Dabdab, Poços de Caldas.

“Estamos atualmente trabalhando para implantar o Cia dos Anjos de forma plena em duas instituições: a Associação dos Pais e Amigos dos Leucêmicos de Alagoas (APALA) e o Centro de Recuperação e Educação Nutricional (CREN). É a nossa grande meta para 2010. Estamos confiantes de que conseguiremos. O CREN não foi reformado pelo Projeto CASA DA CRIANÇA, mas é uma instituição muito séria que com certeza fará uma grande parceria conosco, fazendo do Cia dos Anjos um programa respeitado e com total credibilidade perante a sociedade alagoana”. Patrícia Ramalho, Maceió (AL). “We are currently working to implement the Cia dos Anjos completely in two institutions: APALA and CREN. It’s our great goal for 2010. We are confident that we will achieve this goal. The CREN was not an initiative by the Projeto Casa da Criança, but it is a very serious institution that will certainly partner up with us, making the Cia dos Anjos a respectable program and with full credibility in the eyes of the public in Alagoas.” Patrícia Ramalho, Maceió.

“O Projeto CASA DA CRIANÇA influenciou diretamente outras ações sociais no Piauí. Nossa mobilização serve como exemplo de metodologia social. Dessa forma as forças que se unem para fazer o bem ao próximo se multiplicam e nos surpreendemos com essas ações que atingem não só a sociedade civil organizada e chegam até a esfera governamental, fazendo com que o Estado e os municípios não somente cumpram seu papel, mas se esforcem em melhorar qualitativamente o atendimento oferecido à população”. Ivna Gadelha, Teresina (PI). “The Projeto Casa da Criança directly influenced other philanthropic initiatives in the state of Piauí, our mobilizing serves as an example of social methodology to be followed, in this way, the strengths that are gathered in order to do good for others multiply and surprise us with these initiatives which reach not only the organized society but also the governmental sphere, forcing the state and counties not only to exercise their duties, but to make an effort in improving qualitatively the service offered to the population.” Ivna Gadelha, Piauí.

“As ações do Projeto CASA DA CRIANÇA em Sergipe despertam os agentes públicos para uma ação mais eficiente no atendimento às crianças carentes, quer no cuidado com o ambiente quer no serviço social propriamente dito. Nossas ações mostraram o quanto podem melhorar as entidades assistenciais quando há motivação dos profissionais envolvidos e como a participação da sociedade pode contribuir para proporcionar um futuro melhor para essas crianças”. Rui Almeida, Aracaju (SE). “The initiatives of the Projeto Casa da Criança in Sergipe have awakened the public executives to a more efficient way of providing for underprivileged children, be it in the caring for the spaces or in the social service provided. Our actions have shown how much better the social assistance institutions can be when there is motivation from the professionals involved and how the involvement of society can contribute for providing a better future for these children.” Rui Almeida, Aracaju.

“O Projeto CASA DA CRIANÇA agregou um valor extraordinário na melhoria da qualidade de vida de crianças e adolescentes com sequelas neurológicas de nosso estado, através da construção de um espaço adequado e humanizado que hoje abriga cerca de 40 crianças/adolescentes especiais em regime de abandono familiar, bem como de um Centro de Reabilitação modernamente equipado, que atende aproximadamente 300 crianças e adolescentes/ mês, vindas de várias partes do estado. Eu me sinto privilegiada e agradecida por fazer parte da equipe de franqueados do Projeto!”. Beth Grunvald, Belém (PA). “The Projeto Casa da Criança has added extraordinary value in the improvement

“A alegria e esperança refletidas no brilho dos olhos de cada criança e adolescente contemplados pela ação do Projeto Casa da Criança, traduz a sua importante contribuição na defesa dos direitos da infância e juventude do Brasil. Fazer parte dessa história é acreditar que a vida se constrói nos sonhos e se concretiza no amor, na solidariedade e na justiça social. “ Lóide Bonina, Bahia. “The joy and hope reflected in each child’s and youth’s eye which were helped by the Projeto Casa da Criança’s initiative, translates its important contribution in the protection of the children’s and youth’s rights in Brazil. To be a part if this story is to believe that life is built from dreams and made concrete through love, in solidarity and social justice.” Lóide Bonina, Bahia.

of the quality of life for children and youths with neurological damages in our state through the construction of an adequate and humane place that today houses around 40 handicapped children and youths abandoned by their families, as well as the Rehabilitation Center which is equipped with up to date equipment and provides services to approximately 300 children and youths per month, coming from different parts of the state. I feel privileged and thankful for being a part of the Projeto’s franchise!” Beth Grunvald, Belém.

29


aconteceu

Convenção do Projeto Casa da Criança (Maracaípe - PE)

1.Ana Lapolli (SC) e Lóide Bonina (BA) - 2.Alexandre Sena, Pedro Ponce, Aparecida Duarte e Luciana Dabdab, franqueados de Poços de Caldas - 3.Augusto Souza, João Mendonça, Paulo Pepino e Isabel Figueiredo (CE) - 4.Emily Giglio (MT), Roberto Cavalcanti e Sandra Moura (PB) - 5.Ana Fernanda Cunha (PB) e Ana Lapolli (SC) - 6.Lílian Solheiro (PA), João Mendonça, Isabel (CE) e Lóide

Convenção do Projeto Casa da Criança (Cambuco - CE)

1.Cláudia e Paulo Pepino com Patricia - 2.Isabel (CE), Beth Grunvald (PA) e Patricia - 3.Lóide, Lavínia Petribú, Beth, Patricia e Marcela Chalaça Souza Leão - 4.Lavínia, Ivana Mendonça e Patricia - 5.João Mendonça, Beth e Patricia - 6.Alessandra Campbell (AM), Lavínia e Isabel - 7.Ivna Gadelha, Kátia Andrade e Lígia Veras (PI) - 8.Lóide, Ana Regina (PI), Lígia, Ivna, Beth, Kátia e Lavínia 9.Lavínia com os franqueados de Fortaleza André Verçosa, Augusto Souza e João Mendonça

28 30


aconteceu

Eventos realizados

1. Patricia e Emily na inauguração da Ala Infantil do Hospital do Câncer de Cuiabá - 2. Marcelo e Patricia com Gustavo Carneiro, Luciana, Pedro, Adriane Matthes, Osmero Pellegrinelli Júnior e Regina Melo na inauguração do Centro Educacional Rouxinol, em Poços de Caldas - 3. Lavínia, Patricia e Sandra no lançamento da Ala de Oncologia Pediátrica do Hospital Napoleão Laureano, em João Pessoa - 4. Marcelo, Patricia e Francisco Neves, presidente do Instituto Ronald McDonald, na inauguração do ambulatório Ronald Vasco Jr (AL) - 5. Vilmos Grunvald, ex-secretário de produção do Pará, Patricia, Marcelo e Valéria Pires, ex-vice-governadora do Pará, na inauguração do Ure-Rei (PA) - 6. Liana Maia, Elizabete Pereira (coordenadora do Cia dos Anjos), Tamara Andrade, Neide Marques, Patricia e Lavínia em evento no Núcleo Social Nassau (PE) - 7. Izabel, João, Patricia e Elcio Nagano no lançamento do Centro Pediátrico do Câncer da Associação Peter Pan (APP), em Fortaleza - 8. Inauguração do Lar Amigos de Jesus (antiga Casa do Menino Jesus) em Fortaleza - 9. Izabel, Olga Maia, Patricia e Ana Pitta no lançamento do Centro Pediátrico do Câncer (APP) em Fortaleza - 10. Ana, Kainara Pessoa, Sandra, Patricia e Lavínia no lançamento do Ala de Oncologia Pediátrica do Hospital Napoleão Laureano, em João Pessoa - 11. Lavínia, Ivna, Patricia, Francisco Neves, Carmem Campelo e Júlio Medeiros na inauguração do Lar de Maria C.A.C.C., em Teresina - 12. Marcelo, Lavínia, Cristina Melo, Silvia Marques e Patricia. Inauguração do Lar Amigos de Jesus (antiga Casa do Menino Jesus), em Fortaleza - 13. José Maria Vasconcelos, Ivna e Lavínia na inauguração do Lar de Maria C.A.C.C, em Teresina - 14. Auréa Rapouso, Patricia Chalaça, Káthia Oliveira, Patricia Ramalho e Regina Gonçalves no lançamento da Ala Ambulatorial Ronald Vasco Júnior, em Maceió

29 31


aconteceu

1. Marcelo, Patricia e Dorte Verner (Banco Mundial) no Fórum Nacional da Indústria da Construção Social, em São Paulo - 2. Sônia Pena Costa, Lavínia, Eulina Barroso e Patricia na AMAC, em Salvador - 3.Lavínia ao lado do juiz João Targino e do desembargador Nildo Nery, com Patricia na sede da Orquestra Criança Cidadã, no Recife - 4. Adalberto Silva, Patricia, Vilma Karsten, Ana Lapolli, Vitor Faria e Roberto Reichert na inauguração do Centro Educacional Infantojuvenil Primeiro São João - 5. Carla Littieri, Roberto Mack, Marcelo, Patricia e Francisco na sede do Instituto Ronald MacDonald, no Rio de Janeiro - 6. Lavínia, Sandra, Patricia e Andrea Gadelha na Inauguração da Ala Pediátrica do Hospital Napoleão Laureano - 7. Ana Paula Grando, Patricia e Lavínia no showroon da Cerâmica Eliane, em São Paulo - 8. Carla Inácio, Kátia Prachtauser, Patricia e Lavínia na sede da Amanco, em São Paulo - 9.Pietra Ferreira Costa, Patricia e Leda Oliveira em evento do setor social, em São Paulo - 10. Marcelo, Patricia e Viviane Naigeborin (Ashoka) no Fórum Nacional da Indústria da Construção Social, em São Paulo - 11. Amauri Sousa, Mônica de Sousa, Patricia e Lavínia na Maurício de Sousa Produções, em São Paulo - 12. Waldemar Neto, Márcio Schiavo, Patricia, Marcelo e Susana Leal, em 1999, na Casa de Carolina - 13. Patricia, Marcelo, Renata Campos (primeira-dama de Pernambuco) e Lavínia em exposição do CASA DA CRIANÇA no Casa Cor PE – 2008 - 14. Patricia e Olga na sede da Associação Peter Pan, em Fortaleza

32


33


atendimentos

Abrigos reformados garantem conforto Por Hugo Peixoto

O

Brasil possui um contingente de 60,2 milhões de crianças e adolescentes, o que representa 34% de sua população, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Cerca de metade dessas crianças e adolescentes – 48,8% e 40%, respectivamente – são pobres ou miseráveis, ou seja, nascem e vivem em casas cuja renda per capta não ultrapassa meio salário mínimo. Carregadas no braço pela pobreza, muitas dessas crianças vão morar em abrigos, onde passam a viver com tantas outras vítimas da falta de recursos da família, ou ainda do abandono dos pais, da violência doméstica, da dependência química ou da prisão dos pais ou responsáveis, da orfandade e

34

de abuso sexual. Mudar a realidade dessas crianças e adolescentes através da reforma de abrigos – transformando-os em espaços acolhedores, confortáveis e seguros – é um dos principais objetivos do Projeto CASA DA CRIANÇA, que nasceu há dez anos a partir da reconstrução de uma instituição desse tipo, a Casa de Carolina, no Recife (PE), em 1999. De lá pra cá o Projeto cresceu, se desenvolveu, e atualmente, contabiliza 12 abrigos dentre as 34 instituições que reformou. Diante da estimativa de que cerca de 80 mil crianças vivem em abrigos no Brasil, esse número parece pouco, porém engana-se quem se atem a essa relação quantitativa. Pois, por onde passa, o CASA DA CRIANÇA gera benefícios enormes para as crianças, os jovens, as famílias, as instituições, e a


aos pequenos sociedade em geral. Tudo rigorosamente pautado pelo planejamento, organização e transparência. Um dos abrigos transformados pelo projeto foi o Lar da Criança Maria João de Deus, em Teresina (PI). A casa, que já foi diversos abrigos antes de passar a receber crianças na década de 90, foi reformada em 2004. “Era uma casa muito grande, mas não era adequada para receber as crianças”, conta a coordenadora geral do abrigo Socorro Solano. Hoje, o abrigo atende a 60 crianças do zero aos 12 anos de idade, que participam de várias atividades pedagógicas e têm à disposição equipes de professores, acompanhamento escolar, fisioterapia, terapia ocupacional, além de contarem com espaço para brincar e fazer trabalhos manuais, como pintura, colagem, tapeçaria, recicla-

Teresina: Lar Maria João de Deus

Jundiaí: Casa Transitória Nossa Senhora Aparecida

35


atendimentos

gem e modelagem com argila. Além desses benefícios, a reforma deu mais visibilidade ao abrigo, que passou a chamar mais atenção da sociedade civil. “A casa passou a ser mais frequentada e conseguimos mais pessoas disponíveis para ajudar, além de parceiros. Todo mês, por exemplo, comemoramos os aniversários das crianças com a ajuda de parceria”, diz a coordenadora. História semelhante aconteceu no abrigo Tia Júlia, em Fortaleza (CE), que foi reformado em 2002, quando todos os espaços foram cuidadosamente melhorados para receber as crianças e outros foram criados para que a casa – que atualmente abriga mais de 70 crianças – pudesse atender melhora à demanda. “Hoje temos salas de psicologia, teatrinho, playground novo, espaço para festas e o consultório odontológico foi reaberto, entre outros espaços que foram melhorados. Tudo feito com material de primeira qualidade”, ressalta a pedagoga do abrigo Socorro Salgueiro. Ela explica ainda que, após a reforma, o abrigo Tia Júlia passou a trabalhar de forma mais aberta com a sociedade, o que abre novas oportunidades para as crianças, que hoje participam de passeios e contam com festas de aniversário mensais. “O contato com a sociedade melhorou a qualidade de vida das crianças. A perspectiva maior do trabalho é fazer com que elas participem de outras atividades lá fora, tenham contato com outras crianças e tenham acesso a outros benefícios que a sociedade pode trazer”, explica Socorro Salgueiro.

Cuiabá: Abrigo Bom Jesus

Aracaju: Abrigo Sorriso

Salvador: AMAC

36

São Paulo: Abrigo Santana


Remodeled shelters provide comfort for children There are 57.1 million children and youths in Brazil, making up 34% of the population, according to the IBGE, the Brazilian Statistical and Geographical Institute. About half of these children and youths – 48.8% and 40%, respectively – are poor or under the poverty line, in other words, are born and live in homes whose income doesn’t surpass the minimum wage. Encircled by poverty, many of these children will end up living in orphanages, where they will be with many other victims of lack of familial resources, of abandonment by their parents, of domestic violence, narcotic dependency, imprisonment of the parents or guardian, orphan and sexual abuse. Changing this reality through the remodeling of the shelters – transforming them into welcoming places, comfortable and safe – is one of the main goals of the Projeto CASA DA CRIANÇA, which was created ten years ago with the reconstruction of one such institution, the Casa de Carolina, in Recife (PE), in 1999. Nowadays, the CASA DA CRIANÇA has worked with 12 orphanages among the 34 institutions it has remodeled. Faced with the estimate that about 80 thousand children live in shelters in Brazil, this number seems small. However, there is more to it than a simple quantitative relation. For, where it reaches, the CASA DA CRIANÇA generates enormous benefits for the children, the youths, the families and the institutions, as well as society in general. All of it rigorously planned, organized and transparent. One of the orphanages transformed by the Projeto is the Lar da Criança Maria João de Deus, in Teresina (PI). The home, which had served as different shelters before receiving children in the 90s, was remodeled in 2004. “It was a very big house, but it wasn’t adequate to receive children”, says the shelter’s

general coordinator Socorro Solano. Today, the shelter is home to 60 children, aged 0 to 12 years old, who partake in various pedagogical activities and have at their disposal teachers, school reinforcement, physiotherapy, occupational therapy, as well as a playing room and places to do manual works like painting, collages, tapestry, recycling and clay modeling. Besides these benefits, the reform provided more visibility to the orphanage, especially in the eyes of society in general. “The home started receiving more visitors and we found more people who are willing to help, as well as form partnerships. Every month, for example, we celebrate the children’s birthdays with the help of a partner”, says the coordinator. A similar story happened in the Tia Júlia orphanage, in Fortaleza (CE), which was remodeled in 2002, when all the spaces were carefully improved to receive the children and others were created so that the house – which now is home to over 70 children – could provide better in lieu of the high demand. “Today we have rooms for the psychologist, theater, a new playground, a space for parties and the reopened dentist’s office, among other spaces which were improved. All of it done with materials of the highest quality”, points out the shelter’s pedagogue Socorro Salgueiro. She further explains that, after the reform, Tia Júlia started working more openly with society, which gives way to new opportunities for the children who today go on trips and can count on monthly birthday parties. “Contact with society improved the children’s quality of life. The greater goal of our work is to have them partake in other activities outside, to interact with other children and to have access to other benefits that society can bring”, explains Socorro Salgueiro.

Fortaleza: Abrigo Tia Júlia

37


atendimentos

Creches trazem vida nova para crianças Por Leonardo Spinelli

egundo estudo lançado em 2005 pelo INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), no ano de 2003 existia no Brasil cerca de 28.000 instituições que ofereciam serviços de creche, ou seja, que atendiam crianças de zero a 03 anos. Destas, quase metade (48,6%) eram instituições privadas. De acordo com o mesmo Censo Escolar, a infraestrutura das creches e pré-escolas (que atendem crianças de 04 a 06 anos) é um dos grandes desafios. A pesquisa mostra um baixo percentual de instituições com sanitários (34,6%) e ainda a existência de cerca de 10% dos estabelecimentos sem energia elétrica. Os números acima revelam um descaso por parte do poder público com relação a investimentos na educação básica, tão importante para a formação do ser humano. Aumentar a oferta de creches e transformar estes espaços em um ambiente onde a criança possa se desenvolver plenamente é uma das metas do Plano Nacional de Educação e também um dos principais objetivos do Projeto CASA DA CRIANÇA. A segunda instituição reformada pelo CASA DA CRIANÇA, no ano de 2000, foi a Casa do Candango, em Brasília. A creche, di-

S

Blumenau: Centro Educacional Infantil São Roque

38

rigida pela embaixatriz Lúcia Flecha de Lima atende 220 crianças de 1 a 5 anos, assistidas e educadas de acordo com os parâmetros da Secretaria de Educação do Distrito Federal. “Vivemos de doações e as próprias mães das crianças também colaboram com o que podem, geralmente 10% dos seus rendimentos”, afirma Geisa Alckmin, presidente do conselho da Casa do Candango. Segundo Geisa, para as mães o valor gasto é recompensado já que a creche funciona em período integral, das 7h às 17h30, e

oferece cinco refeições diárias. “A maioria das mães trabalha de doméstica e necessita do espaço para deixar seus filhos”, afirma Geisa. “Nosso trabalho é muito importante para elas”, complementa. Em São Paulo, o CASA DA CRIANÇA também ajudou a tocar um projeto importante e histórico na mais rica capital brasileira. A reforma da Creche Santo Antônio, uma das iniciativas da Liga Solidária, que trabalha com pessoas carentes desde 1934, foi um marco. “Passamos alguns anos trabalhando

Cabo de Santo Agostinho: Lar de Clara


como ambulatório, mas na década de 1960 mudamos o foco para creche. Isso porque os serviços e equipamentos públicos de saúde melhoraram com o tempo e percebemos que a maior demanda era por creche”, salienta a coordenadora pedagógica da Liga Solidária, Nancy Coutinho. Desde então a creche trabalha com crianças de quatro meses a 3 anos de idade. “Atualmente a Liga possui duas casas de sonho e uma delas é o espaço Santo Antônio”, disse. O CASA DA CRIANÇA cruzou o caminho da Creche Santo Antônio, no ano de 2002. “Passamos por uma grande reforma numa parceria do Projeto CASA DA CRIANÇA com o Instituto Ayrton Senna. A instalação da creche ficou muito bonita e dentro de uma configuração que auxilia nas nossas atividades diárias. É um espaço muito funcional”, comentou a coordenadora. São 70 pequenos do entorno do bairro da Saúde, na região sul da capital paulista, a maioria moradora das favelas Mauro I e Mauro II. “Temos uma proposta curricular, seguindo a grade da Secretaria de Educação do Estado. Temos uma rotina estabelecida com cinco refeições diárias e proposta pedagógica focada nas histórias infantis e na autonomia da criança. No almoço, por exemplo, apesar da pouca idade, elas são estimuladas a se servirem por elas mesmas no buffet”, comenta Nancy. Para se ter uma idéia da importância deste projeto, a Liga Solidária desenvolve programas sociais de educação e cidadania para crianças, jovens e adultos em situação de risco social. Seu projeto educacional é voltado para a construção gradual do conhecimento e preparo para o trabalho, em sintonia com os Parâmetros Curriculares Nacionais, com as Referências Curriculares Nacionais para a Educação Infantil e com o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). São oito Centros de Educação Infantil (creches), cinco abrigos e oito programas sócioeducativos tocados pela iniciativa. Além das instituições citadas acima, o CASA DA CRIANÇA já reformou mais sete creches nas cidades de Maceió, Salvador, Poços de Caldas, Recife, Natal, Florianópolis, Blumenau, e outras duas instituições em São Paulo.

Daycare centers bring new life to children According to a study published in 2005 by INEP (an institute for educational research), in 2003, there were, in Brazil, about 28,000 institutions offering daycare services. Of those, almost half (48.6%) were private institutions. According to the census, the establishments’ infrastructure is one of the great problems. The research shows a low percentage of units with bathrooms (34.6%) and 10% of the establishments lacking electric power. The numbers above reveal the government’s negligence regarding the investments in basic education. Increasing the offer and transforming them into places where children can fully develop is one of the goals of the National Education Plan, and of the Projeto CASA DA CRIANÇA. The second daycare center remodeled by the CASA DA CRIANÇA, in 2000, was the Casa do Candango, in Brasília. It provides for 220 children, cared for according to the parameters of the Federal District’s education branch. “We sustain ourselves through donations and the children’s mothers also help as they can, usually with 10% of their income”, says Geisa Alckmin, president of Casa do Candango’s council. For the mothers, the money is well spent since the service is full time and offers five daily meals. “Most moms work as house cleaners and need a place to keep their children”, says Geisa. “Our work is very important for them”, she adds. In São Paulo, CASA DA CRIANÇA also helped kick start another important project: the remodeling of the Santo Antônio daycare center in 2002, an initiative

of the Liga Solidária. “We spent some years working as an ambulatory, but in the sixties, we shifted the focus to a daycare center, due to the improvement in public services”, points out the coordinator Nancy Coutinho. Since then the center works with children aged four months to 03 years old. “Nowadays the Liga has two dream homes and one of them is the Santo Antônio”, she stated. “We went through a remodeling in partnership with the Projeto CASA DA CRIANÇA and Instituto Ayrton Senna. The place is beautiful and also aids in our daily activities. It’s a very functional space”, observed the coordinator. We receive 70 children from the Saúde nieghborhood, the majority who live in slums. “We offer a pedagogical program focused on their autonomy. For instance, at lunch, despite their young age, they are motivated to serve themselves at the buffet”, remarks Nancy. The Liga Solidária develops social programs on citizenship for children, youths and adults in risk situations. Its gradual educational project is focused on preparation for the workforce, in sync with the national curricular parameters, the national curricular references for children’s education and the children’s and youth’s statute. There are a total of eight daycare centers, five orphanages and eight social-educational programs under the initiative’s umbrella. Besides the already mentioned establishments, CASA DA CRIANÇA has renovated another seven daycare centers in Maceió, Salvador, Poços de Caldas, Recife, Natal, Florianópolis, Blumenau and two other centers in São Paulo.

Brasília: Casa do Candango

39


atendimentos

Jovens têm chance de trabalho com capacitação profissional

Por Leonardo Spinelli

trabalho social do CASA DA CRIANÇA não está restrito a parcerias com entidades de apoio à infância desassistida como o nome da instituição pode levar a crer. A atuação é bem mais ampla e um exemplo disso é que o projeto apóia, através de suas reformas, instituições que dão capacitação e trabalho para jovens em vários estados brasileiros. São grupos como o Núcleo Social Nassau, na Ilha de Itapessoca, em Goiana (PE), e a Associação João Paulo II, em Florianópolis (SC). Trabalho importante num país onde a taxa de desemprego atinge a 15% da população economicamente ativa, segundo a Pesquisa de Emprego e Desemprego do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconomicos (Dieese). Além disso, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), daqueles que conseguem uma vaga, pelo menos 20% estão em condições de subemprego, trabalhando sem carteira assinada. A presidente do Núcleo Social Nassau, Neide Marques, explica que a organização, ligada à indústria de cimentos Nassau, foi formatada há cinco anos para criar um trabalho de desenvolvimento sustentável da comunidade local de forma que a idéia também possa ser replicada em outros locais. O foco são os jovens da comunidade de Tejucupapo, distrito do município de Goiana, Mata Norte de Pernambuco, onde moram cerca de 7,7 mil pessoas, ou 10% do total do município. Os rapazes e moças da comunidade recebem aulas em oficinas de escultura, pintura, produção de papel reciclado, além de dança, música, informática e reforço escolar. “Nosso objetivo é gerar renda com elevação da escolaridade também. A gente já conseguiu evoluir. Através do trabalho das oficinas de arte os meninos conseguem ter renda própria. Cerca de 30% dos jovens assistidos já fazem esculturas para vender na loja do Espaço Solidário no Shopping Paço Alfânde-

O

40

ga (Bairro do Recife)”, salienta. Os meninos também vendem em outros espaços, como, por exemplo, na Feira Nacional dos Negócios de Artesanato (Fenearte), que acontece anualmente no Centro de Convenções em Olinda. Neide Marques afirma que é muito gratificante ver tantas esperanças nascidas em pessoas que, não fosse o trabalho do Núcleo Social Nassau, estariam com uma perspectiva de vida completamente diferente. “Muitos jovens ficavam na rua e isso gerava inúmeros casos de gravidez na adolescência, por exemplo. Agora eles têm consciência que podem mudar suas vidas através

Poços de Caldas: Galpão das Artes

dos estudos. Percebemos que o nosso trabalho vem incrementando a vida econômica de Tejucopapo. Até 2008 46% das famílias declaravam receber menos de um salário. Agora, aquelas que têm meninos atendidos pelo Núcleo revelam que os ganhos subiram para quase dois salários mínimos”, defende a diretora. Ela lembra que o trabalho de construção da sede do Núcleo com o suporte do Projeto CASA DA CRIANÇA foi imprescindível para o bom andamento da ação. “Com a sede fizemos a diferença. Isso porque a comunidade se apropriou do núcleo. As pessoas perceberam que há um trabalho de desenvolvimento da comunidade, que ajuda a tirar os jovens da violência, das drogas, das ruas. Todos reconhecem, através de nossas ações e espaço físico, que geramos expectativa de vida”. A mão do Projeto CASA DA CRIANÇA também ajudou a Associação João Paulo II, em Florianópolis (SC), a prosperar no trabalho de capacitação de uma comunidade local de pescadores, assim como aconteceu em Tejucupapo.


atendidas educação

Goiana: Núcleo Social Nassau

“Eu nunca tinha ouvido falar do CASA DA CRIANÇA e um dia me ligaram dizendo que iríamos ser beneficiados. No início fiquei preocupada porque fizemos a nossa sede com tanto sacrifício e não sabia o que iria acontecer a ela. Fiquei apreensiva, mas depois tive uma grata surpresa porque a nossa casa, que era simples, ficou muito boa, bonita e adequada ao nosso funcionamento “, relembra a Irmã Neves, diretora da Associação que cuida da Sociedade João Paulo II. A casa funciona desde 1979, através de doações, no desenvolvimento econômico e social da Praia, localidade carente do município de Palhoça, que fica ao lado de Florianópolis. Irmã Neves explica que o projeto trabalha em três áreas de atuação: a pedagógica, que é divida em duas frentes, sendo a primeira educação infantil a 95 crianças de 2 a 6 anos de idade e a segunda a jovens de 7 a 15 anos. Além de trabalhar com os filhos dos pescadores da comunidade, a associação também oferece cursos para os pais. “Este é o nosso terceiro projeto, que é o de profissionalização. Em todos esses anos já oferecemos diversos cursos profissionalizantes, como de bombeiro hidráulico, eletricista, marcenaria, corte e costura, cabeleleiro e muito outros”, relata.

Poços de Caldas: Galpão das Artes

São Paulo: Recanto Primavera

Youths have a shot at professional capacitating Casa da Criança´s work is not limited to aiding children´s homes. Its activities consist in helping, among others, professionalizing institutions, such as Nucleo Social Nassau and Associação João Paulo II. In a country where unemployment affects 15% of the population it is very significant work. Besides that, 20% of those who are able to find a job still work irregularly. Nucleo Social Nassau´s president, Neide Marques, explains that the organization was designed to develop sustainable work in the local community. The boys and girls of the community learn sculpting, painting, recycled paper production, dance, music, computers, and tutoring. “Our goal is to generate income as well as raise educational level. Through the art workshops they have started to earn their own income”, she comments. Eneide Marques states it´s very gratifying to see hope stemming from a place where life´s perspective is usually very pessimistic. She recalls that the construction of the Nucleo with the Projeto Casa da Criança was essential for the continuation of the initiative. The Projeto has also helped Associação João Paulo II in Florianopolis, to prosper in the capacitating of local fishermen. “I had never heard of Casa da Criança when I received the phone call informing we were going to be helped. At first I was worried and didn´t know what was going to be happening to our building. But then I was pleasantly surprised when we received a remodeled beautiful and adequate space”, recalls Sister Neves, director of Associação.

41


atendimentos

Câncer infantojuvenil recebe tratamento humanizado

Por Hugo Peixoto

câncer infantojuvenil representa a segunda causa de mortalidade proporcional entre crianças e adolescentes de 1 a 19 anos no Brasil, segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca). O cenário é semelhante ao encontrado em países desenvolvidos como os EUA, por exemplo, e chama a atenção para outro dado preocupante: a estimativa de mais de nove mil novos casos de câncer infantojuvenil, por ano, no país. Além do sofrimento causado pelo câncer, muitos pacientes e familiares ainda sofrem com problemas como a falta de leitos, pobreza, falta de apoio e a distância das grandes cidades, onde está localizada a maior parte dos centros de tratamento. Diante dessa realidade, o Projeto CASA DA CRIANÇA trabalha junto com seus parceiros na reforma, construção e humanização de instituições de todo Brasil, visando não só a recuperação biológica dessas crianças e adolescentes, como também o bem estar e a melhoria da qualidade de vida delas e de suas famílias. Os hospitais e casas de apoio transformados pelo Projeto, hoje, além de uma estrutura adequada para receber as crianças, contam com serviços fundamentais para atenuar os efeitos do tratamento do câncer, como acompanhamento psicológico, odontológico, educacional, brinquedotecas, inclusão digital, artes, entre outros. A primeira ação do CASA DA CRIANÇA nessa área aconteceu em 2003, em Maceió (AL). A instituição escolhida foi a Associação dos Pais e Amigos de Leucêmicos de Alagoas (APALA), que ganhou sede própria após 10 anos funcionando em diferentes imóveis alugados. Hoje, atende a cerca de 350 pessoas por ano e oferece brinquedoteca, refeitório, consultório odontológico, sala de aula, recreação, apoio psicológico, apoio ao serviço social, terapia ocupacional, auditório e sala de informática. “Depois da mudança para a sede própria, alguns médicos observaram a diminuição dos efeitos colaterais do tratamento nas crianças. O tempo delas passou a

O

42

Manual de atendimento traz orientações Em 2003, com a humanização dos ambientes da APALA, em Maceió, o Projeto CASA DA CRIANÇA percebeu que o Manual de Franquia Social precisava adequarse às necessidades dos que estão envolvidos no combate ao câncer infantojuvenil. Assim, foi criado um Modelo de Aplicação Específico para a área, que possibilitou a identificação de peculiaridades no relacionamento com crianças e adolescentes em tratamento de câncer. O resultado desse trabalho foi o Manual de Atendimento ao Câncer Infantojuvenil. Essas orientações têm incentivado instalações e mobiliários mais adequados e seguros, melhoria nos acessos, tratamentos e apoios a esses jovens, além da diminuição do quadro depressivo das crianças em tratamento, trazendo benefícios à auto-estima delas.

Maceió: Ambulatório de Oncologia Pediátrica Ronald Vasco Jr.


ser preenchido com várias atividades fundamentais para a infância”, diz a coordenadora de desenvolvimento institucional da APALA, Márcia Eugênia Gomes. A iniciativa do CASA DA CRIANÇA chamou a atenção do Instituto Ronald McDonalds, que virou um importante parceiro do projeto, colaborando com a reforma de instituições em todo Brasil. Um dos bons exemplos desta parceria foi construído em João Pessoa (PB). Como resultado da parceria entre o Instituto Ronald McDonald, o Hospital Napoleão Laureano e a Organização Social Donos do Amanhã, foi realizada a construção da ala de oncologia pediátrica do Hospital Napoleão Laureano, com recursos arrecadados do Mc Dia Feliz. O hospital oncológico, que atende a crianças desde 1997, já possuía ala infantil, mas o atendimento era disperso na unidade e não humanizado. Com a nova ala, feita em 2008, o atendimento passou a ser exclusivo para as crianças, que contam com serviços de fisioterapia, odontologia, nutrição, fonoaudiologia, radiologia, psicologia, quimioterapia ambulatorial, além de quatro consultórios e brinquedoteca. “Atender a crianças que não estão assustadas com o hospital é um benefício enorme. Antigamente as crianças chegavam ao hospital e ficavam sentadas no colo da mãe enquanto aguardavam o atendimento. Hoje, brincam e recebem outros serviços como odontologia, por exemplo”, diz a médica responsável pela ala pediátrica, Andrea Gadelha. De Fortaleza (CE) vem mais um exemplo de casa de apoio transformada pelo CASA DA CRIANÇA, a Casa do Menino de Jesus. Fundada em 1987, a instituição funcionava em um casarão antigo e com a estrutura comprometida quando foi reconstruída em 2006 pelo Projeto, conta a coordenadora da instituição, Irmã Maria da Conceição. Ela, mais uma religiosa, 12 funcionários e 75 voluntários cuidam da casa, que atende a cerca de 120 crianças e 80 jovens por mês, vindos de todo o Ceará. Lá, as crianças têm hospedagem, seis refeições diárias, aulas, brinquedoteca, entre outras atividades. “Para as mães, temos oficinas de artesanato, corte e costura, pintura e tecido, bijuteria e culinária”, conta a Irmã Conceição, que completa: “Este ambiente hoje alegre, saudável, bonito, ajuda e muito no tratamento das crianças. Aqui eles recebem todo amor, carinho e cuidados que merecem”.

Cuiabá: Hospital do Câncer de Mato Grosso

Fortaleza: Lar Amigos de Jesus (antiga Casa do Menino Jesus)

João Pessoa: Ala de Oncologia Pediátrica do Hospital Napoleão Laureano

43


Humane treatment for children’s oncology patients all over the country

Aracaju: Setor de oncologia infantil do Hospital João Alves Filho

Care manual provides orientations In 2003, with the humanization of APALA, in Maceió, the Projeto CASA DA CRIANÇA noticed that the Social Franchise Manual needed to be adapted to the necessities of those involved in the fight against pediatric cancer. Therefore, a Specific Application Model was created for this type of care service, allowing the identification of peculiarities in the relationship with children and teenagers undergoing cancer treatment. The result was a Pediatric Cancer Care Service Manual. These orientations have motivated the adoption of safer furniture and fixtures, an improvement in access treatment and support to the youngsters, besides the decrease in the depression rates in children undergoing treatment, aiding in increased self-worth.

Maceió: APALA

44

Children’s cancer represents the second cause of mortality in youngsters aged 1 to 19 years old in Brazil, according to INCA (Brazil’s national cancer institute). The situation draws attention to another worrying fact: the estimate of about nine thousand new cancer cases in children, per year, in the country. In addition to being sick, many patients still suffer from a lack of hospital beds, poverty, and distance from urban centers. Due to this reality, CASA DA CRIANÇA works with its partners in remodeling, building and humanizing institutions all over Brazil, aiming for improvement in their quality of life. The hospitals and homes remodeled by the Projeto acquire an appropriate structure and can count on services to alleviate the effects of treatment, such as psychological support, dentistry, educational support, playrooms, digital inclusion, arts, and others. The first CASA DA CRIANÇA initiative in a children’s cancer treatment center was in 2003, in Maceió. The selected establishment was APALA (an association of leukemic patient’s families), which had earned its own building after 10 years functioning in different places. These days, APALA receives about 350 patients a year and offers a play room, cafeteria, dentist, classrooms, recreation rooms, psychological support, social services support, occupational therapy, auditorium and computer room. “After the move, doctors observed a decrease in the side effects in the children. Their time started being filled with varied activities, vital for a healthy childhood”, says APALA’s coordinator, Márcia Eugênia Gomes. CASA DA CRIANÇA’s initiative at APALA was noticed by Instituto Ronald McDonald, which later became an important partner, collaborating with the renewal of establishments all over Brazil. One result from this partnership is in João Pessoa (PB). In a joint endeavor between the Instituto, the Napoleão Laureano Hospital and the Donos do Amanhã Organization, the building of a new pediatric oncology wing was carried out, with funds from the McDia Feliz campaign. The hospital already had a pediatric wing, but the treatment provided there wasn’t humanized. With the new wing, in 2008, the children receive exclusive treatment and count on physiotherapy, dentistry, nutrition, speech therapy, radiology, psychology, chemotherapy, four clinical offices and a play room. “Receiving children who are not scared of the hospital is in itself a great benefit. Today, they can play and receive other services”, says the pediatric doctor in charge, Andrea Gadelha. In Fortaleza (CE) CASA DA CRIANÇA renewed the Casa do Menino Jesus. Founded in 1987, it functioned in an old house with an unreliable structure, when it was rebuilt by the Projeto in 2006, as told by the institution’s coordinator, Sister Maria da Conceição. Herself, another sister, 12 staff members and 75 volunteers care for the house, which receives 120 children and 80 teenagers from all over the state of Ceará, per month. There, the kids obtain shelter, six daily meals, music, computer, English and math lessons, access to a play room, etc. “For the mothers, we offer handcraft, sewing, painting, jewelry making and cooking workshops”, says Sister Conceição, who adds: “This place, now joyful, healthy and beautiful, helps immensely in the children’s treatments. Here they receive love and the caring for they deserve”.


atendimentos

Portadores de necessidades especiais

com reabilitação e inclusão social Por Débora Ramalho

ma das áreas em que o Projeto CASA DA CRIANÇA vem atuando nestes 10 anos é no atendimento aos portadores de necessidades especiais. Em 2006, o Projeto, em parceria com 78 arquitetos, realizou a reforma da Unidade de Referência Especializada em Reabilitação Infantil (Ure-Rei, antigo EAPE), em Belém (PA). O Abrigo Especial Calabriano foi totalmente reformado e construída uma ala com salas para fisioterapia e terapia ocupacional, além de sete consultórios médicos que atendem especialidades que tratam da reabilitação e inclusão social das crianças como pediatria, neuropediatria, fonoaudiologia, assistência social, nutrição, pedagogia, enfermeiros e psicólogos. Outras duas salas para aulas de musica e informática também foram realizadas. O abrigo conta, atualmente, com 36 crianças que recebem acompanhamento médico. São realizados dois trabalhos diferentes de alto nível em um único espaço. “Somos referência em nosso Estado e em outros, mas o aprendizado continua e entendemos que, de fato, vem sendo uma escola da vida para todos nós, colaboradores, voluntários, doadores, visitantes, enfim todos que conhecem e vem a este lugar”, diz a diretora da Ure-Rei, Soraya Guimarães. A Ure-Rei realiza diariamente cerca de 100 atendimentos ambulatoriais para o público externo. Em 2009, mais de 21 mil atendimentos foram realizados nos ambulatórios. Desde a inauguração, o ambulatório vem sendo considerado modelo para o Brasil em atendimento pelo Sistema Único de Saúde (SUS), porque lá crianças recebem muito além das três terapias normalmente ofertadas pelo SUS. Em 2007 foi implantado na unidade um jardim sensorial para estimular os sentidos. Os resultados têm sido a readaptação de alguns sentidos do corpo para assumir as funções de outro.

U

O maior desafio da instituição está sendo a implantação do Laboratório de Marcha de baixo custo, um espaço que integra equipamentos e metodologias para avaliação do movimento, corpo e padrão das atividades musculares. Será o primeiro a ser implantado no Norte/Nordeste para monitoração de casos especiais de recuperação dos membros inferiores. “O laboratório viria a dar suporte às intervenções e eficácias direcionadas às reais necessidades dos usuários para reabilitação”, explica Soraya. Entre as atividades desenvolvidas, as crianças abrigadas participam de oficinas de PVC e papelão para confecção de mobiliários, a custo viável, para adequação postural e recursos de estimulação domiciliar. A inclusão social dessas crianças também vem sido estimulada através de passeios e eventos sócio-culturais. Um mestre de capoeira e educadores trabalham com o objetivo de desenvolver a capacidade psicomotora das crianças e adolescentes, através de diversas atividades pedagógicas como a musicoterapia, a hidroterapia, capoeira e atividades artesanais. O Abrigo Especial Calabriano foi fundado pelo padre João Calábria. O padre dedicou

sua vida e obra às pessoas menos favorecidas e aos órfãos. Atualmente a unidade recebe apoio de voluntários, da sociedade civil através de doadores e do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Social (SEDES) e Secretaria Executiva de Saúde Púbica do Pará (SESPA), que continuam com os convênios estabelecidos. Tanto o abrigo como os ambulatórios são administrados pelo Instituto Pobres Servos da Divina Providência, uma instituição filantrópica fundada em 1907, na Itália, a mesma que administra o Hospital Filantrópico Divina Providência, de Marituba (PA).

Criança sendo atendida na Ure-Rei

45


Ure-Rei is a national reference in rehabilitation and social inclusion for special needs children

Consultório médico

Criança participa de aula de informática

Hidroterapia

46

One of the areas in which the Projeto CASA DA CRIANÇA has been acting in these 10 years is in service for special needs children. Three years ago, the Projeto, in partnership with 78 volunteer architects, renewed the Ure-Rei (a children’s rehabilitation unit) in Belém (PA), which receives orphaned children, victims of abandonment and violence. The Especial Calabriano shelter was completely remodeled and in the area were built two physiotherapy and occupational therapy rooms, as well as seven medical offices which are specialized in the children’s rehabilitation and social inclusion such as pediatrics, neuropediatrics, speech therapy, social services, nutrition, pedagogy, infirmary and psychology. Two other rooms for music and computer lessons were built. Initially, the services provided in this institution were offered to only 26 children and youths with special needs sheltered in the orphanage. After the CASA DA CRIANÇA’s intervention, the services were expanded to children and youths of neighboring communities as well. Now, the shelter is home to 36 children who receive medical attention. Two different high quality services are provided in the same space. “We are a reference in our state and in others, but the learning process goes on and we understand that, in reality, it has been a life lesson for all, collaborators, volunteers, donators, visitors, all that know and come to this place”, says the director of Ure-Rei, Soraya Guimarães. Ure-Rei carries out daily, about 100 ambulatory consultations for the outside public. In 2009, over 21 thousand consultations were performed. Since the inauguration, the ambulatory has been considered by the SUS, the federal healthcare system, a model for Brazil in services provided, because there children get much more than the three therapies normally offered by the SUS. In 2007 a sensorial garden was built in the home in order to stimulate the senses. The results have been the adaptation of some senses of the body assuming functions of other parts. Among the activities developed, the sheltered children participate in PVC and cardboard workshops for the confection of furniture, at a viable price, for the postural adaptation and home resources. The social inclusion of these children has also been stimulated through field trips and attendance to cultural events. A capoeira teacher and educators work with the goal of developing the psychomotor capacity of the children and youths, through diverse pedagogical activities such as music therapy, hydro therapy, capoeira and handcrafts. Especial Calabriano shelter was founded by the priest João Calábria, who dedicated his life and work to disfavored people and orphans. Today, the institution receives aid from volunteers, civilians, through donations, and from the state government, through the SEDES (the social development agency) and the SESPA (a similar government agency), that continue with the previously established partnerships. The orphanage and the ambulatories are administered by the Instituto Pobres Servos da Divina Providência, a philanthropic institution founded in 1907, in Italy, which also manages the Filantrópico Divina Providência Hospital, in Marituba (PA).


Instituto Ronald McDonald luta contra o câncer infantojuvenil no país Por Débora Ramalho

Instituto Ronald McDonald está comemorando 10 anos de atuação cada vez mais motivado a contribuir na transformação do cenário do câncer infantojuvenil no Brasil. O objetivo é oferecer esperança, alegria e qualidade de vida para as crianças e adolescentes que lutam contra o câncer. Hoje são 288 Casas Ronald McDonald em 30 países, sendo que 165 nos Estados Unidos, 74 na Europa, 12 na América Latina, 12 no Canadá e 25 na Ásia e Pacífico. No Brasil existem três Casas Ronald McDonald: uma no Rio de Janeiro, fundada em 1994 (a primeira da América Latina), uma na cidade de São Paulo e outra na região do Grande ABC, na cidade de Santo André (SP), ambas fundadas em 2007. Outras 70 recebem apoio do instituto com recursos captados e destinados aos projetos. A filosofia do Programa Casas Ronald McDonald é ser uma “Casa Longe de Casa” para crianças seriamente doentes em tratamento fora de suas cidades. “Nas Casas são oferecidas hospedagens para as crianças e adolescentes com câncer, além de desenvolver projetos de apoio psicossocial para os seus familiares e atividades educativas, incluindo educação formal em parceria com as secretarias de educação, terapias educacionais e oficinas profissionalizantes”, explica a gerente de projetos do Instituto Ronald

O

McDonald no Brasil, Cláudia Lóssio. A Casa Ronald McDonald é um dos três programas coordenados pelo Instituto Ronald McDonald que conta com o apoio da comunidade e de voluntários sociais. O Programa Casas Ronald McDonald-Brasil é coordenado pelo Instituto Ronald McDonald que ao todo atende cerca de 30 mil crianças em todo o mundo. Para a implantação do programa em âmbito nacional, o Instituto trabalha com a articulação de uma rede de instituições parceiras que atuam pela mesma causa nas mais diversas regiões brasileiras. O bom andamento é garantido por meio de relatórios técnicos, financeiros e auditorias, além da transparência e credibilidade com os investidores e os demais segmentos da sociedade. Cada unidade se adapta à comunidade onde está inserida, com um estilo próprio de atuação. Em São Paulo, por exemplo, existe o projeto “Oficina de cinema”, onde as crianças têm a oportunidade de trabalhar de forma lúdica questões relacionadas à auto-estima, que pode ser abalada pelos efeitos colaterais das sessões de quimioterapia e radioterapia. O programa garante os mais altos padrões de qualidade e excelência, que são marcas do programa global da Ronald McDonald House Charities, sistema beneficente internacional representado no Brasil pelo Instituto Ronald McDonald.

Parceria na região Norte Agora em 2010, estão sendo lançadas duas ações do Projeto CASA DA CRIANÇA, em parceria com o Instituto Ronald McDonald, na região Norte do país, em Manaus e Belém. A casa de apoio do Grupo de Apoio a Crianças com Câncer do Amazonas (GACC-AM) atenderá centenas de crianças e jovens provenientes do interior do estado do Amazonas, além dos estados de Rondônia, Roraima, parte do Pará e ainda de alguns países vizinhos. Em Belém, uma importante realização conjunta entre o Projeto Casa da Criança e Instituto Ronald McDonald é a atuação na primeira Casa Ronald McDonald do Norte do Brasil.

Criança atendida na Casa Ronald Rio de Janeiro

Instituto Ronald McDonald fights pediatric cancer in Brazil Instituto Ronald McDonald celebrates ten years of activity with an increased motivation to keep fighting against pediatric cancer. The goal is to provide hope, joy and quality of life to children who are fighting the disease. There are 288 Ronald McDonald´s homes in thirty different countries. In Brazil there are three homes: one in Rio de Janeiro (the first one in Latin America), one in São Paulo, and one in Santo André. The idea behind the program is to provide a “home away from home” for seriously ill children receiving treatment in other cities. The Ronald McDonald´s – Brazil Program is coordinated by Instituto Ronald McDonald. The Instituto works with a network of partners in order to provide the necessary services. And each home is designed and offers specific services according to the community it provides for. The program ensures the highest quality standards which is what the Ronald McDonald House Charity Program is known for.

New alliances in northern Brazil In 2010 the Projeto Casa da Criança is planning to inaugurate its first initiative with Instituto Ronald McDonald in northern Brazil. The renewal of the support home Grupo de Apoio a Crianças com Câncer do Amazonas should be completed in the second semester and received children from Amazonas as well as other states. Since 2004, the Instituto and the Projeto have worked together to improve the quality of treatment in hospitalization, treatment, and shelter for young cancer patients.

47


Projeto CASA DA CRIANÇA realiza arceiro do CASA DA CRIANÇA há cinco anos, o Home Center Ferreira Costa, localizado no Recife tem apoiado o Projeto em inúmeras ações, desde campanhas de doações realizadas em conjunto com patrocinadores nacionais até a realização de uma grande campanha institucional no interior da loja. Em 2009, a loja da Ferreira Costa no Recife, cedeu seu espaço interno para divulgar os inúmeros ambientes reformados pelo Projeto em todo o Brasil. O CASA DA CRIANÇA produziu uma série de peças de comunicação (wobbles, banners, camisetas para funcionários e expositores) com imagens de ambientes humanizados em instituições reformadas com a participação de cada uma das empresas que patrocinam o Projeto em território nacional. As peças foram distribuídas por toda a loja, especialmente nas prateleiras onde se encontram os produtos dos patrocinadores nacionais. Com esta iniciativa o Projeto CASA DA CRIANÇA deu visibilidade e fortaleceu a imagem dos seus principais apoiadores como empresas socialmente responsáveis. Além da campanha institucional, a Ferreira Costa mantém, em todos os caixas da loja, um cofrinho para doação de recursos financeiros por seus clientes ao CASA DA CRIANÇA.

P

48


campanha em home center

Projeto CASA DA CRIANÇA in action CASA DA CRIANÇA’s partner for 5 years, Home Center Ferreira Costa, in Recife, PE, has given its support in several initiatives, from donation campaigns performed in partnership with national sponsors to the execution of a big institutional campaign in the store´s area. In 2009, Ferreira Costa’s store in Recife, yielded space in the store for the display of a number remodeled spaces by the Projeto in all of Brazil. CASA DA CRIANÇA produced a number of promotional pieces (wobbles, banners, t-shirts for staff and stands) with pictures of humane spaces in institutions renewed with the contribution of each of the Projeto’s nationwide sponsoring companies. The pieces were spread throughout the store, especially at the shelves where the sponsors’ products were displayed. Through this initiative, the Projeto CASA DA CRIANÇA gave visibility and strengthened the image of its main supporters as socially responsible businesses. Besides the institutional campaign, Ferreira Costa maintains at all registers a collecting box for donations by the store’s customers.

49


Solidariedade

Brasil Prêmio foi concedido pela revista Brasil Social, do Projeto Casa da Criança

Prêmio Brasil Social 2009

Award is given out by the Projeto CASA DA CRIANÇA’s magazine: Brasil Social

Patricia e Marcelo com Rosângela Barros, que recebe o Prêmio do Diário de Pernambuco

Patricia Chalaça, Paulo Pugliesi, diretor executivo da Folha de Pernambuco, e Marcelo Souza Leão

Categoria | Category Resgate da cidadania em áreas de risco Citizenship is rescued in at risk areas

Inclusão social do portador de necessidade especial Social inclusion for special needs individuals

Desenvolvimento de jovens talentos Development of young talents

Desenvolvimento econômico sustentável Sustainable economic development

Equidade Equity

Arte e Cultura Culture and Arts

Missão Humanitária Humanitarian Mission

Cidadão destaque Outsanding citizen

50

Andréa Pontual, gerente de marketing do Jornal do Commercio (PE), e Marcelo

Premiado |

Beto Kelner e Beatriz Castro

Winner

Associação Beneficente Criança Cidadã Núcleo de Atendimento à Criança com Paralisia Cerebral – NACPC Associação Núcleo Social Nassau Agência Mandalla Fundação Pedro Paes Mendonça Associação Ária Social Espaço de Dança e Arte Instituto SOS Mão Criança Sebastião Barreto Campello, presidente do Movimento Pró-Criança


marca entrega do Prêmio

Social 2009

Por Débora Ramalho

edicação, esforço e responsabilidade social são alguns dos pilares do Projeto CASA DA CRIANÇA, que está comemorando 10 anos de trabalho. Para comemorar o marco, o CASA DA CRIANÇA criou o Prêmio Brasil Social, concedido pela Revista Brasil Social, que faz parte das ações do Projeto. Oito organizações receberam premiação pelo investimento e seriedade no trabalho no terceiro setor, em diversas áreas. A entrega do Prêmio aconteceu no dia 1º de setembro de 2009, no auditório do JCPM Trade Center, no Recife (PE). A jornalista da Rede Globo Beatriz Castro e os jornais Diário de Pernambuco, Folha de Pernambuco e Jornal do Commercio (PE) também foram homenageados. “As empresas começaram a perceber a importância de fazer obra social não apenas por caridade, mas por convicção e a certeza de que só com justiça social é que o país realmente vai crescer e vai dar mais oportunidade. Não é despesa, é investimento”, disse Beatriz Castro.

D

Esta é a primeira edição do Prêmio Brasil Social, que tem por objetivo criar uma rede de reconhecimento e fortalecimento das organizações sociais para atingir resultados ainda mais significativos em suas ações. “O prêmio é resultado da experiência adquirida nestes 10 anos, onde o maior aprendizado que tivemos foi a união de forças e competências para a construção de um país mais igualitário, com menos desigualdades. Por isso nada mais justo que reconhecer e congregar essas organizações que realizam trabalhos tão positivos de transformação da sociedade”, diz a presidente fundadora do Projeto CASA DA CRIANÇA, Patrícia Chalaça. O troféu entregue aos premiados é uma criação exclusiva do designer pernambucano Beto Kelner, da grife Gatos de Rua, que abraçou a causa. “A peça foi pensada para transmitir alegria, assim como são os trabalhos realizados pelo Projeto, com muito colorido e movimento. O troféu faz uma referência ao ábaco, instrumento de contagem, no formato do mapa do Brasil, mostrando que com união vamos construir um país melhor”, descreve o designer. Os idealizadores e fundadores das organizações premiadas receberam o título de Membro Brasil Social e passam a atuar na troca de experiência com outras organizações, promovendo a construção de pontes entre os setores públicos, privados, governamentais e não-governamentais. “É necessário que ocorra o fortalecimento do terceiro setor para que haja transformações significativas na sociedade. Ampliar a visão empresarial e governamental destas ações competentes que estão sendo premiadas é um começo para termos resultados positivos”, completa Patrícia Chalaça.

Instituto Gatos de Rua

O Instituto Gatos de Rua, criado pelo designer pernambucano Beto Kelner, capacita pessoas que estão desempregadas, moradores de rua e artesãos de baixa escolaridade na execução de acessórios, esculturas, objetos de decoração e utilitários. Também participam da produção exfuncionários da antiga confecção de roupas criada por Beto Kelner. As peças, comercializadas nas lojas Gatos de Rua, são desenvolvidas pelo designer e produzidas pelos artesãos em material 100% reciclável, das latas de alumínio se processa o fio e das garrafas Pet se produzem as contas plásticas. Beto Kelner é também monitor no processo de aprendizagem e o responsável pelo acabamento final de cada produto.

Gatos de Rua Institute Gatos de Rua Institute, created by designer Beto Kelner, from Pernambuco, trains individuals who are unemployed, living on the streets and artisans with little formal education in order to make accessories, sculptures, decorative items and utilitarian items. Former employees of the extinct clothes line created by Beto Kelner, also participate. The pieces, sold in Gatos de Rua stores, are designed by Mr. Kelner and executed by the artisans with 100% recyclable material, from aluminum cans they create wire, and from the Pet bottles they make plastic beads. Beto Kelner is also a monitor of the learning process and responsible for the final touches in each product.

Solidarity shines at Brasil Social Awards 2009 Dedication, effort and social responsibility are three of Casa da Criança´s pillars. The Projeto, which is celebrating 10 years, created the Brazil Social award in order to pay homage to eight organizations for their work in the social sector. Its first edition was held on September first 2009 in Recife. “Businesses started realizing the importance of working for social justice. It´s not an expensive, it´s an investment”, says Beatriz Castro, one of the honored journalists. The goal is to bring visibility and strengthen social organizations. “Over these ten years the biggest lesson we´ve learned is that in order to have a more egalitarian country we must join forces, hence the desire to acknowledge organizations that carry out such positive work”, says Patricia Chalaça, the Projeto´s president. The award, designed by Beto Kelner, represents these joint forces working together. The representatives of the awarded organizations receive the title of Brazil Social member. “Enlightening the private and public sectors with the existence of these awarded organizations is one step towards obtaining positive results”, sums up Patricia Chalaça.

Apoiadores: Canal 1 (81) 3304-0000

Executiva Press (81) 3221-5926

Gatos de Rua (81) 3465-6978

JCPM Trade Center (81) 2127.6011

Rodrigo Moreira Foto e Filme (81) 9954-4426

Center Multimídia (81) 3312-9323

Fernando Chiappetta (81) 9965-3385

Infinito Promoções (81) 3972-5385

Novo Núcleo de Pernambuco (81) 3091-5451

Vague Produções (81) 9252-5580

51


3

2

1

4

5

6

8

9

7

10

11

1. João Marinho e Sebastião Barreto Campello - 2. Geralda Farias entrega Prêmio para Pedro Guimarães - 3. Cecília Brennand agradece o prêmio em nome do Ária Social - 4. Exposição das instituições premiadas - 5. Lúcia Pontes, Patricia e João Mendonça - 6. Mauri Cortez, do SOS Mão Criança, recebe o prêmio das mãos de Newton Gibson 7. Auditório do Empresarial JCPM, local do evento - 8. Guilherme Ferreira Costa entrega o Prêmio a Neide Marques, do Núcleo Social Nassau - 9.João Targino e Nildo Nery recebem o prêmio do ex-governador de Pernambuco, Mendonça Filho - 10. Rosseane Pessoa, da Amanco, entrega o Prêmio a Tárcio Pessoa, da Agência Mandalla - 11. Pedro Guimarães, do NACPC, com Patricia e Lavínia - 12.Beto Kelner, ao lado dos repórteres Beatriz Castro e Francisco José

52

12


Música que transforma vidas

Associação Beneficente Criança Cidadã

Orquestra Criança Cidadã é passo importante para a consolidação da cidadania no Coque, região carente de Recife (PE)

Por Thais Queiroz

“Nem a mais otimista das pessoas poderia imaginar que nesse curto espaço de tempo atingiríamos tal nível de excelência”. A declaração do juiz de Direito João Targino resume bem o sucesso da Orquestra Criança Cidadã Meninos do Coque. Fundada em julho de 2006, atua no Coque, bairro no Recife (PE) antes somente lembrado pelos seus altos índices de violência e criminalidade. Hoje, falar do Coque é contar a história de uma jovem orquestra, em que meninos e meninas encantam com seu virtuosismo na música clássica. Regidas pelo maestro Cussy de Almeida, as crianças também são formados como cidadãos. Elas têm alimentação, aulas de moral, cidadania, reforço escolar, línguas e informática, junto ao apoio pedagógico, médico e odontológico. “Encontramos nesses alunos uma deficiência escolar bastante acentuada. Havia alunos na 4ª série do ensino fundamental que ainda não conheciam as letras do alfabeto”, lembra Targino. Os 130 meninos de 13 a 18 anos ensaiam na estrutura do Quartel do 7º Depósito de

Suprimentos, de segunda a sábado, em dois turnos. A Orquestra é vinculada à Associação Brasileira Criança Cidadã, entidade sem fins lucrativos criada pelo Poder Judiciário de Pernambuco. “É o projeto mais conhecido da ABCC pelo sucesso de reintegrar crianças que estavam na mais absoluta exclusão social. Pessoas dos estados do Pará e Ceará já nos procuraram para instalar projetos semelhantes”, diz desembargador Nildo Nery, ex-presidente do TJPE e criador da ABCC. O sucesso corre o Brasil. Em maio de 2008, a Orquestra Criança Cidadã foi recebida com emoção pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, durante visita do grupo a Brasília. Lula chorou ao ver a apresentação dos músicos mirins regidos por Cussy de Almeida, no Palácio do Planalto. Hoje os jovens da Orquestra Cidadã vêem na música um ponto de partida para uma vida profis-

sional bem-sucedida. Júlio Carlos da Silva, 15 anos, sabe bem como é esse sentimento. Com três anos de orquestra, o menino estuda desde agosto de 2009 em uma das mais tradicionais instituições de ensino musical, a Universidade da Varsóvia, na Polônia. A bolsa fornecida pelo Rotary Club é um reconhecimento do

talento acima da média do jovem músico, despertado durante as aulas na Orquestra. “Meu sonho era ser piloto da Aeronáutica, mas quando eu aprendi a tocar violino descobri: esse é o meu caminho”, conta. Ainda lembra da primeira música que aprendeu a tocar com Cussy de Almeida, aos 12 anos: “Chocolate Doce”.

Music transforming lives “Not even the most optimistic person could imagine that in such a short time span such excellency could be reached”. This statement, by judge João Targino, sums up the Orquestra Criança Cidadã Meninos do Coque success. Today, speaking about Coque is like telling the story of boys and girls who enchant through their talent in classical music. Through the project they also receive food, citizenship lessons, tutoring, language lessons, and computer lessons, as well as medical and dental services. “There were students in the fourth grade who still didn´t know the letters in the alphabet”, recalls Targino. 130 children rehearse from Monday to Saturday in two shifts. The Orquestra “is the most renowned project from ABCC (Associação Brasileira Criança Cidadã) for reintegrating children in absolute social exclusion”, says Nildo Nery, former president and creator of ABCC. In may 2008 the Orquestra played for president Luis Inácio Lula da Silva, during a visit to Brasilia. Nowadays, the children from Orquestra Cidadã see music as a stepping stone to a successful professional life.

53


Esperança para crianças e jovens com paralisia cerebral

Núcleo de Atendimento à Criança com Paralisia Cerebral – NACPC

NACPC investe em ações preventivas e de inclusão social, em Salvador (BA)

Por Débora Ramalho

Núcleo de Atendimento à Criança com Paralisia Cerebral (NACPC) foi inaugurado em 2001, em Salvador (BA), com a ideia de trabalhar uma nova concepção sobre as necessidades das crianças com deficiência. Faz ações preventivas e de inclusão focadas nas potencialidades das crianças com paralisia cerebral, que possuem a inteligência preservada, mas o corpo não obedece aos seus comandos. É dirigido pelo médico Antônio Pedro Guimarães e sua esposa Daniela Matsuda. Diferencia-se por desenvolver o estudo e a prática da interdisciplinaridade entre as áreas de saúde e educação, para promover a superação das crianças com paralisia cerebral. A ideia de sua criação surgiu após uma visita de Pedro Guimarães a São Paulo enquanto fazia mestrado. Ele foi chamado para atender uma criança portadora de paralisia cerebral, que seria um divisor de águas em sua vida. Estima-se que haja 18 milhões de deficientes no Brasil e de 30

O

54

a 40 mil novos casos por ano. “Com esses números é possível identificar o impacto social de um projeto como este”, explica a coordenadora geral e médica do NACPC Daniela Caribé. A associação sem fins lucrativos funciona no bairro de Santo Agostinho e atende gratuitamente cerca de 400 crianças portadoras de paralisia cerebral com idades entre 0 e 13 anos. Na área de reabilitação são oferecidos atendimentos em neuropediatria, psiquiatria, bioimagem, psicologia, nutrição, fisioterapia, fisioterapia aquática, terapia ocupacional e fonoaudiologia, comunicação alternativa e intervenção precoce e, na educação, psicopedagogia, informática, natação, capoeira e educação física, além das atividades e oficinas destinadas ao Núcleo Familiar e Assistência Social. “As equipes trabalham de forma multi e interdisciplinar, possibilitando atuação em conjunto, o que proporciona um excelente rendimento da criança. A evolução de cada uma é acompanhada e estudada por todas as áreas envolvidas”, conta Daniela Caribé. As crianças também têm aulas de informática objetivando tanto a capacitação educacional do aluno como sua posterior colocação no mercado de trabalho. O projeto é reconhecido pela Unesco, Unicef e, recentemente, pela Ashoka. Estima-se que mais de 2.500 pessoas já receberam atendimento no NACPC.

Hope for children with cerebral Palsy The Nucleo de Atendimento à Criança com Paralisia Cerebral (NACPC) was opened in 2001, in Salvador. In works to socially include children with cerebral palsy who have a normal intelligence capacity, but whose bodies don´t obey to their commands. Directed by doctor Antonio Pedro Guimarães and his wife Daniela Matsuda, it stands out for its interdisciplinary care. The idea arrived after a visit to São Paulo when doctor Guimarães was summoned to treat a child with cerebral palsy. Today there are an estimated 18 million handicapped individuals in Brazil and from 30000 up to 40000 new cases per year. “With these numbers it´s impossible to measure the social impact of a project like this”, explains NACPC´s coordinator, Daniela Caribé. In the rehabilitation department neuropediatric, psychiatric, bioimaging, psychological, nutritional treatment is offers to over 400 children. In the education department they receive computers, swimming, capoeira, and other lessons. “The evolution of each child is studied and measured in all the areas”, says Daniela Caribé. The project is acknowledged by Unesco, Unicef, and more recently by Ashoka. An estimated 2500 people have been treated at NACPC.


Da lama dos manguezais à cidadania

Associação Núcleo Social Nassau

Núcleo Social Nassau aposta na profissionalização de jovens, em Goiana (PE)

Por Leonardo Spinelli

a lama ao caos, do caos à lama. Os versos do compositor e cantor Chico Science, falecido em um acidente de carro em 1997, poderiam se aplicar até hoje à vida de muitos jovens da comunidade de Tejucupapo, no município de Goiana, na Zona da Mata Norte de Pernambuco. Mas a história agora está sendo construída de forma diferente. Ao invés da pesca na lama dos manguezais – ecossistema costeiro de transição entre os ambientes terrestre e marinho –, jovens da área estão fequentando oficinas de pintura, escultura, papel reciclado, construção civil, mecânica básica, culinária regional, além aulas de música, dança, esportes, e reforço escolar, capitaneadas pelo Núcleo Social Nassau. Inaugurado em dezembro de 2004, o Núcleo Social Nassau é uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip) e foi a primeira obra inteiramente construída pelo Projeto CASA DA CRIANÇA. A obra foi realizada graças a parceria entre o Projeto CASA DA CRIANÇA, o Cimento Nassau, empresa responsável pelo Núcleo, e a Prefeitura de Goiana. Ocupa uma área de 1.176 metros quadrados. Nele, várias

D

ações integradas são oferecidas a crianças e adolescentes com o objetivo de contribuir para a redução das desigualdades sociais da comunidade de Tejucupapo (PE) e adjacências. A proposta é formar cidadãos para o mercado de trabalho e agentes de transformação social. “Essa comunidade vive da pesca artesanal e atendemos 260 alunos e cerca de 70% deles são oriundos da comunidade. O restante vem de outros locais”, salienta Neide Marques, presidente da Associação Núcleo Social Nassau. Ela explica que o projeto adotou como tema de trabalho a história das Mulheres de Tejucupapo que, no ano de 1646, conquistaram o título de heroínas ao repelir um batalhão de 600 holandeses invasores de Pernambuco, que recuaram derrotados. “Temos esse apelo histórico e por isso os meninos são capacitados a produzir peças de escultura em papel reciclado de bonecas que representam a luta delas contra os invasores. Não só isso, todo processo de produção envolve recursos locais. Então, focamos nosso projeto em um tripé sócio-econômico e cultural que envolve o contexto histórico, a reciclagem e a capacitação”, explica a diretora. Alunos de várias oficinas já começam a dar seus primeiros passos na carreira profissional. É o caso da instrutora de dança Marciana Maria da Silva, que começou a ter aulas de dança em 2005 e hoje já tem seu próprio grupo de alunos na iniciativa, o que gera uma renda mensal de R$ 400 para a aluna. “Se o núcleo não existisse, não

só eu como todos aqui estariam perdidos, no mangue pescando ou na prostituição como acontece muito”, diz a jovem instrutora. “Com esse dinheiro que tiro aqui ajudo muito a minha

família. Por isso, estou fazendo outros cursos como informática e inglês. Quero dar aulas fora do país”, diz a menina, cujo sonho foi despertado depois de uma pequena ação de inclusão.

From the mangroves to citizenship From the mud to chaos. From chaos to the mud. Theses verse by the singer Chico Science, could be applied today to the life of many youngsters in Tejucupapo province, in Goiana, Pernambuco. But history is being rewritten there. Instead of fishing in the mangroves, teens from the area are going to painting, sculpture, recycling, construction and other classes, taught at Nucleo Social Nassau. Innaugurated in December 2004, Nucleo Social Nassau is OSCIP and the first total construction by Projeto Casa da Criança. Their integrated services are offered to the children aiming at the reduction

of social inequalities in the area. The focus is informing citizens ready for the work force. “We receive 260 students here”, says Neide Marques, president. “We focus our project on social, economical, and cultural pillars, involving historical context, recycling, and professional training”, she explains. The dance instructor Marciana Maria da Silva, one of the nucleo´s students today has her own group of students and earns R$ 400 a month. “With the money I make I can help my family. That´s why I´m studying computers and English as well. I want to teach outside the country”, says Mariana.

55


Garantia de comida, renda e dignidade

Agência Mandalla

Agência Mandalla, criada na Paraíba, realiza projeto pioneiro de tecnologia social

Por Carol Pacobahyba

agricultura familiar brasileira representa 85,2% do total de produtores rurais e é responsável por 37,9% do valor bruto da produção agropecuária nacional, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE). Os dados apenas confirmam a grande importância socioeconômica que a agricultura familiar tem no país. Contudo, a seca, o êxodo rural, a falta de financiamento e incentivo tendem a comprometer esta produtividade. Na busca por uma solução de autosustentabilidade surgiu a Agência Mandalla DHSA. Uma experiência inédita iniciada em 2003, na Paraíba, e hoje estendida por quase todo território nacional. A agência desenvolve um trabalho pioneiro que consiste em um sistema agrícola desenvolvido em um espaço muito pequeno utilizando produtos recicláveis. O projeto recebe nome de “Mandalla” por seu formato em círculos. O mais comum tem seis metros de diâmetro. No centro dele é instalado um tanque, com quase dois metros de profundidade, onde são criados

A

56

animais. Uma mandalla deste porte é capaz de alimentar até dez famílias, cultivar 60 tipos de vegetais e criar dez espécies de animais, como peixes, galinhas, patos, codornas, porcos e bois. As técnicas e metodologias trazem soluções para problemas nas áreas de alimentação, educação, energia, habitação, entre outras. A proposta da organização é fornecer a capacidade de autofinanciamento, sem provocar agressões ao meio ambiente e contribuindo com a conservação do planeta. De acordo com o empreendedor social e idealizador do projeto, Willy Pessoa, a principal luta da agência é gerar lucro com a produção agropecuária. “É possível gerar emprego, alimento e renda através deste sistema integrado. É um sistema pioneiro e que está provando que dá certo. Todo mundo come para viver e vive para comer. Alimento é a base de tudo, diz. O custo é financiado por meio de doações de instituições parceiras ou projetos aprovados em editais públicos. Cada mandalla custa R$ 3.800 e tem capacidade de gerar uma renda de R$ 2 mil por mês para cada família. Desta forma, os produtores comercializam seus produtos e eliminam a figura do atravessador, garantindo maior parte do faturamento. A primeira mandalla foi criada no município de Cuité, sertão da Paraíba. A cidade hoje possui mais de cem mandallas. É o maior número de unidades do Brasil, um verdadeiro pólo de

desenvolvimento familiar autosustentável. Em seis anos foram implantadas mais de 1000 mandallas em 13 estados do país. São cerca de 2500 famílias beneficiadas. Na África, há dois projetos sendo desenvolvidos no Malauí e um em Moçambique.

Além da mandalla, a agência desenvolve outros projetos, como a Bomba de Elevação Mandalla, que consiste em um sistema mecânico para produzir força, reduzindo o esforço para se elevar a água de um poço, por exemplo.

Assuring Food, income and dignity Familial agriculture represents 85.2% of rural producers in Brazil. This data confirms its social economical importance for the country. However drought, rural exodus, and lack of financing tends to compromise productivity. Mandalla aims at solving this problem. The agency develops a pioneering work of utilizing small spaces and recycled products. One of the biggest mandallas (a system of concentric circles) can feed up to ten families. The technique helps in nutrition, education, power among other benefits. The organization aims to provide sustainability without harming the environment. According to Willy Pessoa, the agencies challenge is creating profit through agriculture “everyone eats to live and eats to live, food is the basis of everything”, he says. The cost (R$3800,00) is financed through donations and can potentially yield a R$2000,00 income to each family. In six years over a thousand mandallas in thirteen states were created, benefiting about 2500 families.


Um sonho que já dura 20 anos

Fundação Pedro Paes Mendonça

Fundação Pedro Paes Mendonça faz trabalhos sociais na Serra do Machado (SE)

Por Leonardo Spinelli

ano de 2009 foi um marco para a história da Fundação Pedro Paes Mendonça, que mantém trabalhos sociais no pequeno povoado de Serra do Machado, no interior de Sergipe e berço da família de João Carlos Paes Mendonça, um dos mais destacados empresários do Nordeste, dirigente do Grupo JCPM. Há 20 anos tinha início o trabalho social da fundação que leva o nome do pai do empresário, um homem que sonhava ajudar as pessoas daquele pequeno local de onde surgiu o que viria a ser o Bompreço, início do império econômico de João Carlos. Hoje, a Fundação Pedro Paes Mendonça beneficia diretamente cerca de 2 mil pessoas de Serra do Machado e emprega 100 funcionários. Desenvolve ações nas áreas de acolhimento de idosos, educação, saúde, habitação, cultura, lazer e geração de renda. Um dos últimos projetos desenvolvidos pelo grupo naquela região foi o Bairro do Futuro, onde foram erguidas, num terreno de propriedade de João Carlos, 65 casas para as pessoas que não tinham habitação. Além das casas, as famílias beneficiadas

O

ganharam um bairro projetado. O projeto teve financiamento da Caixa Econômica Federal. O marco inicial das atividades da FPPM foi a inauguração do Lar Dona Conceição, em 1989, para acolher idosos em condições de risco. A administração foi entregue às Irmãs Hospitaleiras do Sagrado Coração de Jesus que dão instalações confortáveis, atendimento médico, alimentação nutricional e motivação às pessoas atendidas. Um ano depois, o trabalho social focou nos jovens. Um ônibus escolar passou a ser utilizado para transportar os estudantes da Serra à Ribeirópolis e, atualmente, para conduzir às faculdades de Itabaiana e Aracaju. Além disso, a própria fundação resolveu investir na educação dos jovens do povoado, instalando, em 1993, a Escola São Sebastião, focada no ensino pré-escolar. A partir daí o compromisso com a educação cresceu e, no ano de 2006, a FPPM inaugurou o Centro de Educação Básica Auxiliadora Paes Mendonça que, além das aulas comuns, oferece cursos de informática e prática de esportes na quadra poliesportiva. A fundação realizou várias outras ações. Instalou a Biblioteca Comunitária e abriu a Clínica Médica Dona Dudu, colocando à disposição da população uma equipe de médicos, psicólogos, dentistas, além de ambulância para o transporte de pacientes e medicamentos com 90% subsídios. Também apóia os trabalhos da Cooperativa de Artesanato. “Atendendo à nossa solicitação, em breve se instalará, na Serra do Machado, uma nova

unidade da Fábrica de Brinquedos Estrela. O importante é que, ao longo desses 20 anos, junto com as transformações ocorridas, houve também a mudança de mentalidade, sem

a qual seria muito difícil, hoje, estarmos contabilizando tantos ganhos”, diz o presidente do grupo JCPM e mantenedor da FPPM, o empresário João Carlos Paes Mendonça.

A twenty-year dream 2009 was a significant year for Pedro Paes Mendonça foundation. Twenty years ago a man who dreamed of helping people from Serra do Machado in Sergipe created the foundation which directly aids 2000 people and employs 100 staff members. It shelters elders, providing education, health, etc. the last project involved the building of 65 homes in one of the president´s private properties, with help from Caixa Econômica Federal bank. The foundation´s first initiative was in ‘89 with the construction of a shelter for elderly people. In ’93 the foundation decided to invest in youth education by building São Sebastião school. Since then, other schools have been implemented. Other initiatives includes a common library, a medical clinic, handicraftsman cooperation, etc. “Over these twenty years there has been above all a change in attitude without which we wouldn´t have such returns”, says the president of JCPM group and the foundation business executive João Carlos Paes Mendonça.

57


Amor pela arte e responsabilidade social

Associação Ária Social Espaço de Dança e Arte

Ária Social investe em aulas de dança e música, em Jaboatão dos Guararapes (PE)

Por Débora Ramalho

m reduto de música e dança repleto de responsabilidade social e exercício de cidadania. Assim é o Ária Espaço de Dança e Arte, que desde 2004 criou o projeto Ária Social Espaço de Dança e Arte, associação sem fins lucrativos, no município de Jaboatão dos Guararapes (PE), na Região Metropolitana do Recife. Os trabalhos são comandados pela bailarina Cecília Brennand e contam com o apoio de parceiros privados. Atualmente, 420 crianças e jovens com idades entre 04 e 25 anos têm aulas de música e dança no Ária. Elas moram em comunidades vizinhas de baixa renda. O principal objetivo é a democratização cultural para uma parte da população que dificilmente teria acesso a esse tipo de bem, além do desenvolvimento humano, transformação e profissionalização, com formação artística continuada. “A transformação se dá de maneira muito rápida. A arte é usada como guia, mas o nosso foco é a educação”, diz a diretora do projeto, Cecília Brennand. As crianças e jovens também têm atividades complementares para auxiliar na formação pessoal, como aulas de infor-

U

58

mática, português, literatura, contação de histórias, artes manuais, além de reforço escolar, apoio psicológico e um refeitório. “Todas as atividades têm foco no estímulo à leitura. Os alunos também dispõem de livre acesso à biblioteca instalada no espaço do Ária”, conta Deborah Priston, coordenadora do Ária Social. Os resultados do projeto surgem no dia a dia. Nas aulas de contação de histórias, por exemplo, a realidade social das crianças e adolescentes é trazida à tona. “Temas como sexualidade, violência, alcoolismo, dependência química, e cidadania são debatidos e o que pode ser observado é uma certa estabilidade emocional e disciplina no tratamentos destas questões. Disciplina essa que vem da dança e que vai tendo seus limites projetados”, explica Deborah Priston. Também há resultados no âmbito da profissionalização. Alunos que fizeram parte do projeto atuam, hoje, no próprio Ária ou em outras instituições, exercendo funções que exploram as habilidades adquiridas. Danilo Rojas, 22 anos, é um exemplo de bons resultados. Morador do Conjunto Muribeca, em Jaboatão dos Guararapes, hoje ele é bailarino e auxiliar de produção. Passa boa parte do tempo se dedicando a atividades no Ária. “Assim que eu comecei aqui já vi que era o que eu queria para minha vida, então foquei bastante nos meus estudos e agora eu estou em busca da profissionalização”, conta. Iara Fernandes, 22 anos, tam-

bém colhe os frutos do trabalho realizado. Hoje é ela quem dá aulas para crianças e jovens do projeto. “Fui crescendo junto com toda questão social que o Ária trabalha. Aqui não existe

apenas uma escola de dança que oferece algumas bolsas de estudos. As pessoas aqui se preocupam em oferecer educação e instruir as pessoas para a vida”, relata.

Love for art and social responsibility A safe haven for music dance social responsibility and citizenship: that´s Aria Dance Studio, which in 2004 created Aria Social. Today, 420 children from low income communities receive music and dance lessons. The main objective is cultural democratization. “The transformation is very fast. Art is used as a guide, but our focus is education”, says director Cecilia Brennand. The children and youth also participate in complimentary activities such as computer, Portuguese, literature, storytelling, manual art classes, besides psychological support. The results can be seen in their day to day lives. In the storytelling classes for instance the reality of their lives surfaces. “Topics like sexuality, violence, alcoholism and citizenship are discussed”, explains Deborah Priston. Danilo Rojas, 22, is a dancer and producer who spends most of his time dedicating himself to Aria. Iara Fernandes, 22, is also reaping the benefits of her work. Nowadays she teaches children at Aria.


Vida nova para mais de mil crianças Instituto SOS Mão Criança

Instituto SOS Mão faz missões humanitárias com cirurgias, no Recife (PE)

Por Camille Soares

ateus da Silva ainda não completou dois anos de idade, mas já sabe a importância dos médicos na vida dele. Mateus nasceu com a chamada sindactilia, ou seja, os dedos das mãos colados. O problema ocorre tanto na mão direita, quanto na esquerda. Morando na praia de Porto de Galinhas, em Ipojuca (PE), Amanda Darc da Silva, mãe de Mateus, não sabia onde buscar atendimento. Seguiu para o Recife e não conseguiu um auxílio. Um dia, um amigo da família contou sobre as missões humanitárias promovidas pelo Instituto SOS Mão, no bairro da Ilha do Leite, no Recife. “A primeira chance que eu vi, cuidei de agarrar”, conta Amanda. “Pingando de ônibus em ônibus”, como ela mesma lembra, veio até o Recife para a primeira consulta no hospital. “A primeira cirurgia nas mãos de Mateus foi feita em março de 2009. Era uma quinta-feira. Na segunda, voltamos para cuidar dos curativos”, recorda. Retirados os curativos, veio o primeiro avanço: dois dos três dedos da mão esquerda estavam descolados. Uma nova cirurgia foi marcada, porque ainda era preciso descolar um dos

M

dedos da mão esquerda e três dedos da mão direita. O pequeno Mateus é uma das cerca de mil crianças atendidas pelo Instituto SOS Mão – entidade filantrópica do Hospital SOS Mão – ao longo das dez missões humanitárias já promovidas. As missões surgiram da iniciativa dos médicos e diretores do Hospital, Mauri Cortez e Rui Ferreira. O objetivo é atender crianças carentes entre zero e doze anos com problemas congênitos ou deformidades nas mãos. O Instituto surgiu em 2005. Rapidamente, os médicos passaram a contar com o apoio de outros hospitais e laboratórios da cidade. Uns cediam médicos, outros equipamentos e alguns realizavam gratuitamente os exames necessários. Essa mobilização ocorre duas vezes por ano. É um verdadeiro mutirão de atendimento, com filas que se formam antes mesmo do amanhecer. “As missões iniciam com as consultas, onde são identificados os casos que irão demandar cirurgias”,

explica o médico e presidente do Instituto SOS Mão, Mauri Cortez. Recentemente, novos profissionais aderiram à ideia e, com a participação dos geneticistas, passaram a investigar a relação daquelas deformidades com outros problemas que as crianças possam ter. Quando se constata a necessidade da intervenção cirúrgica, as crianças são encaminhadas para o processo. Tanto o procedimento cirúrgico como o pós-operatório são custeados pelo Instituto, incluindo curativos e fisioterapia. As missões foram ganhando fama. A cada edição, chegam crianças das mais distantes cidades do interior de Pernambuco. Vêm também de estados como Alagoas, Paraíba, Sergipe e até mesmo Pará e Amazonas. De nacional, o reconhecimento passou à internacional. A cada mutirão, os médicos recebem o francês Alain Gilbert, uma das maiores autoridades mundiais em lesões de mão. No ano passado, a organização não-governamental (ONG) francesa La

chaine de l´espoir (A cadeia da esperança) reconheceu o projeto como o melhor piloto desenvolvido nessa área em toda a América Latina. Agora, a experiência caminha para ser replicada no Rio de Janeiro, contando com a expertise dos médicos pernambucanos. “É muito gratificante todo esse trabalho que fazemos. Todos os médicos convidados têm muito prazer em participar”, afirma Mauri Cortez. “Entidades como o CASA DA CRIANÇA devem mesmo instituir prêmios como esse, pois elas realmente entendem do trabalho social”, observa.

A new life for over a thousand children Mateus da Silva isn´t even 2 years old, but he already understands the importance of doctors in his life. Mateus was born with all his fingers glued together. Amanda Darc da Silva, Mateus´ mom, went to Recife looking for help. A friend of the family informed her of the missions by SOS Mão Institute. “Mateus first surgery was in March 2009”, she recalls. Little Mateus is one of the children aided by SOS Mão that has carried out ten humanitarian missions. After the initiative of Doctor Mauri Cortez and Rui Ferreira, the goal is to treat underprivileged children under 12 years old with hand malformations. The institute counts on the help of other hospitals and laboratories for the necessary materials and spaces. The missions became more and more popular, with children arriving from even more distant cities and other states. For every mission, French doctor Alain Gilbert comes in to help. “the work we do is extremely gratifying”, says Mauri Cortez. “Institutions like Casa da Criança certainly should award projects like this”, he points out.

59


Educação que muda vidas

Sebastião Barreto Campello, presidente do Movimento Pró-Criança

Movimento Pró-Criança tornou-se referência no combate à situação de risco social de jovens recifenses

Por Thaís Queiroz

odos os dias Lisama Nascimento, de doze anos, acorda às cinco da manhã e se arruma para sair. Enfrenta uma longa viagem de ônibus do bairro de Nova Descoberta, onde mora, no Recife (PE), até o bairro dos Coelhos. Chega até a dormir no caminho. Mas é só chegar ao Movimento Pró Criança para o sono de Lisama acabar. “Aqui eu faço artesanato, pintura e tenho muitos amigos. A gente aprende muita coisa boa e pode ensinar pra outras pessoas”, conta. Ela faz parte de um grupo de 1.500 meninos e meninas em

T

situação de risco social que contam com o apoio do Movimento Pró Criança (MPC). Fundada em 1993 e ligada à Arquidiocese de Olinda e Recife, a entidade sem fins lucrativos oferece a esses jovens carentes um espaço para o desenvolvimento sócio-cultural. O surgimento do MPC tornouse urgente no início da década de 90, quando um número alarmante de jovens vivia nas ruas do Recife. É o que observa o diretor do MPC desde sua fundação, Sebastião Barreto Campelo. Engenheiro civil, mecânico e eletricista, ele exerce atividades voluntárias na área social desde os 15 anos de idade. Hoje, tem 80 anos. “Estimamos que houvesse em torno de 1.900 crianças nas ruas, principalmente nas áreas centrais da cidade”. Mais de nove mil crianças já passaram pelas três unidades do MPC nos bairros de Piedade, no município de Jaboatão dos Guararapes, e Recife Antigo e Coelhos, no Recife. Nos

Life changing education Every day Lisama Nascimento, 12, wakes up at five and gets ready to go to Movimento Pro Criança. “Here I make handcrafts, paint, and have many friends”, she says. She´s part of 1500 boys and girls at risk situations who are aided by the Movimento. The director Sebastiao Barreto Campelo points out: “at the time of the Movimento´s creation there were an estimated 1900 children living in Recife´s streets”. Over 9000 children have been through the three Movimento´s units in Piedade, Recife Antigo and Coelhos. In order to participate in the program, the youngsters have to be enrolled in school with good grades and few absences. Eleven technical and ten artistic courses are offered there. Ninety staff members and sixty volunteers contribute to the project´s success. In sixteen years of activity the Pro Criança has changed the lives of many children. Junior dos Santos, a photography student is now in Zurich, Switzerland. Other alumni are in Austria, studying ballet in China, and dancing with the ballet group of São Paulo.

60

Coelhos fica a mais antiga das três unidades. “São atendidas as crianças mais carentes, que moram em lugares precários ou apresentam um comportamento agressivo”, afirma Sebastião Campelo. Para participar do programa, os jovens têm que estar matriculadas na escola pública, com bom aproveitamento e poucas faltas. São desenvolvidas atividades nas áreas de artes, profissionalização, esportes e apoio pedagógico. São onze cursos técnicos – como informática, serigrafia e cabeleireiro - e dez artísticos, que vão desde atividades artesanais a aulas de dança, percussão e teatro. Noventa funcionários e sessenta voluntários contribuem

com o sucesso do projeto. A instituição tem despesas anuais de R$ 2,8 milhões. Desse valor, 5% vêm dos recursos públicos. Grande parte dos recursos que subsidiam o Movimento Pró Criança vem por meio dos projetos Clarear, da Celpe – a companhia energética de Pernambuco, do Grupo Neoenergia – e Regar, da Compesa – a Companhia Pernambucana de Saneamento, do Governo de Pernambuco. Mais de 200 mil consumidores contribuem com uma doação de 98 centavos mensais descontados nas contas de água e luz. O sucesso do trabalho desenvolvido pelo Movimento Pró Criança atingiu reconhecimento internacional. Os resultados são de dar orgulho. 5 mil e 500 peças de cerâmicas produzidas pelos jovens do projeto já foram exportadas para a Holanda. Além disso, dez grupos de dança formados pelo MPC já excursionaram na Europa. Nesses 16 anos de atuação o Movimento Pró Criança já mudou a vida de muitos jovens que passaram por lá. Júnior dos Santos, ex-aluno de fotografia da unidade dos Coelhos, está estudando em Zurich, na Suíça. Há ex-alunos do projeto na Ópera de Viena, na Áustria, estudando balé na China e como bailarinos do Corpo de Baile de São Paulo.


Revista Brasil Social IV  

Revista Brasil Social IV

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you