__MAIN_TEXT__

Page 1


6 Entrevista Jorge Espanha 12 Especial: Glória 16 Mercado: O aumento da produtividade 22 Matéria Técnica: Genética 30 Angus passa a registrar Ultrablack 34 Melhor Criador e Expositor na Expozebu 36 Exposição Simental será em Avaré 37 Reprodutores da Casa Branca 40 Ganho de peso de tourinhos 45 Gado e Cavalos

índice

58 Comunicação 62 Educação 64 Eventos 68 Leilão Anual Casa Branca 70 Agenda

Editorial 4 Interview Jorge Espanha 10 Special: Glória 14 Mercado: O aumento da produtividade 20 Technical Story: Genetics 28 Angus passa a registrar Ultrablack 33 Best Breeder and Exhibitor at Expozebu 35 Simmental cattle exhibition in Avaré 36 Casa Branca Bulls 37 Ganho de peso de tourinhos 44 Cattle and Horses 56 Communication 61 Education 62 Events 67 Casa Branca Annual Sale 69

index

5 Editorial

Agenda 70

CASA BRANCA PRESS Ano 12 – Número 18 – Junho de 2017 EXPEDIENTE

Diretores: Paulo de Castro Marques Paulo Wickbold Marques Fabiana Marques Borrelli Marketing e Comunicação: Eliane Slucki Jornalista Responsável: Altair Albuquerque (MTb 17.291) Reportagens: Texto Comunicação Corporativa e Rogério Santos (Gado e Cavalos) Fotos: Arquivo Casa Branca, Texto, Cassiano Heitor, Carlos Lopes, JM Matos, Rogério Santos,

Rubens Ferreira, Rafael Wilhelm, Naudir Toledo Produção: BReeder Editora Foto Capa: Banco de imagens da Casa Branca Casa Branca Press é o órgão oficial de comunicação da Casa Branca Agropastoril Correspondência: Rua das Olimpíadas, 242 - 3º andar - Vila Olímpia - São Paulo (SP) - CEP 04551-000 Telefone: (55 11) 3573-6219 e-mail: casabranca@casabrancaagropastoril.com.br

Casa Branca Press

3


editorial

the WORLD

4

Casa Branca Press

Carne brasileira para alimentar

o MUNDO

Brazil is the world’s second largest supplier of beef, at 9.5 million tons/year. However, the country still has low yield levels for live-

O Brasil é o segundo maior fornecedor de carne bovina do mundo, com 9,5 milhões de toneladas/ano.

stock (3 to 6 arrobas per hectare/year). To reach the next level, the industry must increase production and quality. On the one hand, Brazil is blessed with plenty of land, abundant water resources, good weather and a skilled workforce. On the other, whatever progress has been made has been underwhelming. Casa Branca Agropastoril does its part to increase the productivity of Brazilian livestock, providing the market with Angus, Brahman and Simmental cattle that undergo a strict screening process. And it works incessantly to improve the quality of its stock. Our latest investment was in DNA technology to test our herd. The idea is to select even more superior sires to help boost our productivity. To do so, we turned to genomics, a state-of-the-art technique that allows for faster and more and accurate selection than traditional progeny testing. Additional benefits include more valuable mating that produce even more precocious, productive and fertile calves that are highly resistant to harsh weather and diseases. The project was developed by Professor José Fernando Garcia, of Agropartners, backed by his 30 years’ experience at São Paulo State University (Unesp Araçatuba), and coordinated by Sheila Meirelles, of the Federal University of Lavras (UFLA). But we also continue to rely on one of our most basic tools: mass selection. A few months ago, we finished our 5th Weight Gain Test with young bulls of three different breeds selected by Casa Branca. The goal is to find more functional and better adapted livestock, with superior weight gain rates and conformation. You can learn more about our genomics project and the results of our 5th Weight Gain Test on this issue of Casa Branca Press. We also bring our readers an interview with Gustavo Siqueira, researcher at APTA Colina and one of the creators of the 777 Bull concept. Also in this issue, a captivating story takes a look at the central role of horses in livestock farming, and the symbiotic relationship between the two. As we are well aware, horses have long been ubiquitous on cattle ranches, helping handle and move the herd, among several other tasks. All that and much more on this issue of Casa Branca Press. And don’t forget: you are invited to the Annual Casa Branca Auction, September 8-9, 2017, at Santa Ester Farm in Silvianópolis, Minas Gerais. We hope you enjoy it.

Porém, a produtividade da pecuária (3 a 6 arrobas por hectare/ano) ainda é baixa. Produzir mais e melhor é o desafio da atividade. Para isso, o país tem terras, água, clima e homens do campo competentes. O progresso existe, mas ainda não ocorre no ritmo desejado. A Casa Branca Agropastoril dá sua contribuição para o aumento da produtividade na pecuária brasileira, colocando no mercado touros e fêmeas rigidamente avaliados das raças Angus, Brahman e Simental. E não mede esforços para ofertar animais cada vez melhores. Nosso mais recente investimento é a análise de DNA do nosso rebanho. O objetivo é selecionar reprodutores ainda melhores para intensificar o aumento da produtividade. Para isso, buscamos a genômica, técnica extremamente moderna que possibilita agilizar a seleção, substituindo o tradicional teste de progênie, com acurácia superior. Entre os benefícios, também está a assertividade nos cruzamentos para busca de animais mais precoces, produtivos, férteis e resistentes ao clima e às doenças. Esse projeto é responsabilidade do prof. José Fernando Garcia, da Agropartners, com vivência de três décadas na Unesp Araçatuba. Mesmo assim, não descuidamos do básico: a seleção massal. Há alguns meses, terminamos nossa 5ª Prova de Avaliação de Ganho de Peso com tourinhos jovens das três raças selecionadas pela Casa Branca. Com isso, buscamos animais mais funcionais e adaptados, com rápido ganho de peso e conformação de carcaça. Esse trabalho é coordenado pela equipe da profa. Sarah Meirelles, da UFLA. Nosso projeto de genômica e os resultados da 5ª PGP estão nesta edição da revista Casa Branca Press. Também publicamos entrevista com o pesquisador Gustavo Siqueira, da APTA Colina, um dos idealizadores do conceito do Boi 777. Além disso, também temos uma reportagem muito interessante sobre a importância do cavalo para a pecuária. Na verdade, um depende do outro. O uso de cavalos nas mais diferentes rotinas das fazendas de gado é uma realidade incontestável em termos de custos e praticidade. Tudo isso e muito mais nesta edição da Casa Branca Press, com especial lembrete para o Leilão Anual da Casa Branca nos dias 8 e 9 de Setembro de 2017, na Fazenda Santa Ester, em Silvianópolis (MG). Espero que gostem. Boa leitura.

Paulo de Castro Marques

Paulo de Castro Marques

Owner of Casa Branca Agropastoril

Proprietário da Casa Branca Agropastoril

Casa Branca Press

editorial

Brazilian meat to feed

5


entrevista

A FORCA DO

Jorge Espanha

AGRONEGócio

BRASILEIRO

Jorge Espanha, presidente da Associação Brasileira de Marketing Rural e Agronegócio (ABMRA), defende valorização do setor produtivo pelo mundo urbano.

O

agronegócio brasileiro é um gigante que representa 23% do Produto Interno Bruto. O país é líder em produção e exportação de vários produtos agropecuários, incluindo carne bovina. No

entanto, nem sempre a força econômica do campo é valorizada pela sociedade. Os motivos são vários, explica Jorge Espanha, presidente da Associação Brasileira de Marketing Rural e Agronegócio (ABMRA), nessa entrevista para a revista Casa Branca Press.

“Enquanto o PIB nacional despencou 3,6% em 2016, o PIB do campo saltou 4,4%, de acordo com o CEPEA.

Casa Branca Press – O agronegócio ganha cada vez mais importância na economia brasileira. Porém, nem sempre é valorizado. Por que isso acontece? Jorge Espanha – Em parte, por culpa do próprio setor. De fato, o agronegócio tem sido, há um bom tempo, o sólido pilar da economia brasileira. Enquanto o PIB nacional despencou 3,6% em 2016, o PIB do campo saltou 4,4%, de acordo com o CEPEA. O agro foi o único setor da economia que fechou o ano passado no azul. Por tudo isso, em muito pouco tempo passou de 21,5% para 23% do Produto Interno Bruto do país. Além disso, gera 1/3 dos empregos e representa mais de 40% das exportações. São indicadores que não podem ser ignorados pelos especialistas ou não do setor independente de suas bandeiras.

6

Casa Branca Press

O agro foi o único setor da economia que fechou o ano passado no azul”.

Casa Branca Press

7


entrevista

entrevista

Brasil exporta mais de 1,5 milhão de toneladas de carne bovina por ano. Programa Carne Certificada Angus tem iniciativa de valorização do produto nacional no exterior.

Casa Branca Press – São resultados extremamente positivos, obtidos em um momento particularmente desafiador para o país... Jorge Espanha – Exatamente. A taxa de desemprego está em dois dígitos e temos as taxas de juros mais altas do mundo. Nesse cenário, o agronegócio brasileiro desafia a produtividade mundial em competitividade e crescente uso de tecnologias. Quais países podem contar com duas safras de grãos em crescente produtividade e uma pecuária extensiva, que ocupa apenas 1 UA (unidade animal) e tem, assim, um tremendo potencial de crescimento? Casa Branca Press – Além disso, o Brasil é o maior exportador de carne bovina. Jorge Espanha – Não só isso. O agro representa negócios de R$ 1,4 trilhão/ano, de acordo com levantamento da CNA. E em dois anos obteve superávit comercial superior a US$ 150 bilhões, de acordo com a Secex, representando um dos setores de maior expressividade e interesse pelos fundos privados e capital estrangeiro, como fronteira de alimentos em um mundo carente de recursos. Você falou em exportação de carne. Em 2017, deverão ser embarcados mais de 1,5 milhão de toneladas, gerando US$ 6 bilhões em receita. Casa Branca Press – O ano está desafiador para a economia brasileira. Como o agronegócio está enfrentando esse momento? 8

Casa Branca Press

Jorge Espanha – Os números do primeiro semestre confirmam que o ritmo de crescimento do agronegócio brasileiro não diminuirá em 2017. Pelo contrário, deve se intensificar. A Conab divulgou a maior safra de grãos de todos os tempos, com cerca de 230 milhões de toneladas neste ano. Após um recuo em 2016, a produção de carne bovina deve voltar a crescer, assim como o consumo interno, que deve se reaproximar dos 40 kg/hab novamente. Casa Branca Press – Por esses dados, o Brasil está cumprindo o seu papel como fornecedor global de alimentos, como quer a FAO? Jorge Espanha – Bem lembrando. Há apenas três anos a FAO alertou o mundo para a relevância do Brasil no desafio global de dobrar a produção de alimentos até 2050, para atender mais de 2 bilhões de novos consumidores em todo o mundo. Nosso país está fazendo a sua parte e deve manter o ritmo de crescimento nos próximos anos. Afinal, tem terras, água, clima e produtores competentes para cumprir o seu papel nesse processo de âmbito global.

produção de alimentos, qualquer comentário negativo sobre o agronegócio. E eles acontecem seguidamente. É o caso da denúncia recorrente de que somos campeões mundiais de uso de defensivos agrícolas. Ora, a simples divisão entre o total de defensivos gastos por ano e o tamanho da área tratada mostra que, na verdade, estamos muito, mas muito aquém dos verdadeiros campeões de consumo de agroquímicos: os europeus. Também acusam o agronegócio de invadir áreas indígenas, usar trabalho infantil e práticas escravocratas. A verdade é que o produtor rural preserva áreas nativas e matas ciliares e protege 20% de suas fazendas – percentual que sobe para 80% no Bioma Amazônico. Aliás, as restrições na região da Amazônia legal não permitem a comercialização de carnes pelas grandes redes como forma de controle da expansão da bovinocultura neste bioma tão importante para o nosso mundo. Em relação ao trabalho, o campo segue a legislação, cada vez mais próxima daquele que rege direitos e deveres da sociedade. Se o produtor a desrespeita, é punido, como qualquer empresário do mundo urbano.

Casa Branca Press – Porém, o agronegócio brasileiro enfrenta os seus desafios internos. O que falta para a força econômica do campo ser reconhecida pela sociedade urbana? Jorge Espanha – Pois é. Apesar de todos esses números e informações, toca profundo em nós, que ajudamos a fazer do Brasil um campeão de

Casa Branca Press – Outra acusação diz respeito à ocupação ilegal de terras... Jorge Espanha – Sim, também somos acusados de desmatamento desenfreado. A verdade é que a produção de grãos ocupa apenas cerca de 60 milhões de hectares de terras e a pecuária é praticada em 170 milhões de hectares. É um percentual pequeno da

área disponível. Mais de 60% das terras brasileiras estão preservadas e ainda temos 25% de pastos e áreas degradadas para possível recuperação sem que se derrube uma árvore. Casa Branca Press – O que o agronegócio precisa fazer a mais para mudar essa imagem? Jorge Espanha – Que fique bem clara a posição da Associação Brasileira de Marketing Rural e Agronegócio (ABMRA), que presido: as pessoas e entidades podem se expressar. Cabe a nós, profissionais, empresas e instituições do agro, rebater as inverdades com fatos, números e estatísticas verdadeiras. O agro tem de aprender a se valorizar perante o mundo urbano e o mundo urbano tem que entender o papel do agro no contexto geral. Se somos tão fortes economicamente temos de ser igualmente representativos perante as pessoas dos grandes centros. Pelos exemplos citados, as críticas existem. Então, cumpre a nós mostrar quem somos, o que fazemos e a maneira como produzimos. Somente assim plantaremos a semente do conhecimento, mostrando a todos os públicos a importância do agronegócio. Não podemos culpar este ou aquele movimento por nos desmerecer. Temos de nos adiantar e levar a nossa mensagem, com clareza e transparência. Só assim mudaremos a imagem do agronegócio brasileiro, pois temos competência para produção de alimentos com sustentabilidade, respeitando as pessoas e o meio ambiente. Casa Branca Press

9


riparian forests and protect 20% of their farms – a

in a world lacking resources. You talked about meat

percentage that rises to 80% in the Amazon Biome.

export. In 2017, more than 1.5 million tons of meat

In fact, the restrictions on the legal Amazon region

will be shipped, generating USD 6 billion in revenue.

forbid the sale of meat by large networks as a way to control the expansion of cattle in this biome that is so

The strength of Brazilian agribusiness

Casa Branca Press – It has been a challenging

important to our world. In relation to labor, the rural

year for the Brazilian economy. How is the agribusiness

activity follows applicable laws, which are increasingly

sector tackling this situation?

closer to those that govern the rights and obligations of

Jorge Espanha – The first semesters’ figures confirm that the Brazilian agribusiness will keep growing in

just like any entrepreneur of the urban world.

2017. In fact, it should intensify. Conab has announced the largest grain crop of all time, representing about 230 million tons this year. After a retreat in 2016, beef

Jorge Espanha, President of the Brazilian Association for Rural Marketing & Agribusiness (ABMRA), stands by the appreciation of the productive sector by the urban world.

A

society. If producers violate any law, they are punished

Casa Branca Press – There is an accusation concerning the illegal occupation of land...

production should grow back as well as the domestic

Jorge Espanha – Yes, we’re also accused of

consumption, that should be restored to 40 kg/Inha-

rampant deforestation. The truth is that the grain

bitant.

production occupies only about 60 million hectares of land, and livestock farming is developed in 170 million

Casa Branca Press– Considering these data, is

hectares. It is a small percentage of the area available.

Brazil fulfilling its role as a global food supplier as

More than 60% of the Brazilian lands are preserved

required by FAO?

and it is still possible to recover 25% of pastures and

Jorge Espanha – Good point. Just three years ago, gribusiness is a huge industry in Brazil, accoun-

exports. These indicators cannot be ignored, nei-

FAO alerted the world to Brazil’s relevance in the global

ting for 23% of its Gross Domestic Product. The

ther by experts nor by amateurs from the industry,

challenge of doubling the food production by 2050,

country spearheads production and exports

and regardless of the flag they put up.

in order to supply to over 2 billion new consumers

of a broad range of agricultural products, including

degraded areas without chopping down one single tree. Casa Branca Press – What extra mile does agribusiness have to go to change that image?

worldwide. Our country is doing its part and should

Jorge Espanha – Let me clarify the position of the

beef. However, society often undermines the field’s

Casa Branca Press - These are extremely posi-

keep the growing pace in the coming years. After all,

Brazilian Association of Rural Marketing and Agribusi-

economic strength. There are several reasons for that,

tive results, achieved in a particularly challenging

we have land, water, climate and effective producers

ness (ABMRA), which I chair: people and entities are

according to Jorge Espanha, President of the Brazilian

moment for the country.

to fulfill our role in this process.

free to express themselves. It’s up to us – agribusiness

Association for Rural Marketing and Agribusiness

Jorge Espanha – Indeed. The unemployment rate

(ABMRA), in this interview for the Casa Branca Press

is at a double-digit rate, and we have the highest

Casa Branca Press – However, the Brazilian agri-

the lies with facts, numbers and statistics. Agribusiness

magazine.

interest rates in the world. In this scenario, the Bra-

business faces internal challenges. What else the

needs to grasp its own value before the urban world

professionals, companies and institutions – to refute

zilian agribusiness challenges global productivity in

rural activity is missing to have its economic strength

and the urban world has to understand the role of

Casa Branca Press – Agribusiness becomes incre-

competitiveness and increasing use of technology.

recognized by urban society?

agribusiness in the overall context. If we’re so strong

asingly relevant in the Brazilian economy. However, it is

Which other countries can rely on two crops of grains

Jorge Espanha – Exactly. Despite all these numbers

economically, we must be equally representative be-

not always given proper value. Why does this happen?

with increasing productivity, as well as extensive

and information, negative comments about agribusi-

fore the people of the large urban centers. For these

Jorge Espanha – In part, because of the industry

livestock that occupies only 1 AU (animal unit) and

ness deeply affect us, who have helped make Brazil a

examples above, there are criticisms. Therefore, it is

has a tremendous potential for growth?

champion of food production. And they happen often.

our responsibility to show who we are, what we do

It’s the case of the recurring complaint that we’re

and the way we produce. Only this way we will plant

world champions in the use of pesticides. However, by

the seeds of knowledge, showing the importance of

itself. In fact, agribusiness has been the strongest foundation of the Brazilian economy for a long time. While the country’s GDP fell 3.6% in 2016, the rural GDP climbed 4.4%, according to the economic

Casa Branca Press – In addition, Brazil is the world’s largest exporter of beef.

simply dividing the total amount of defensive products

agribusiness to all stakeholders. We cannot blame

research center CEPEA. Agriculture was the only

Jorge Espanha – Not only that. According to a

spent per year and the size of the treated area shows

this or that movement for diminishing us. We need to

economic sector that ended last year with a positive

survey conducted by CNA, agribusiness reaches

that, in fact, we are falling way behind the Europeans,

get ahead and convey our message with distinction

balance. For all of these reasons, its stake in the

an annual turnover of BRL 1.4 trillion. According to

who are true champions at consuming agrochemical

and transparency. This is the only way we’re going to

country’s GDP rose from 21.5% to 23% in a very short

Secex, it achieved a trade surplus exceeding USD

products. Agribusiness is also accused of invading in-

change the Brazilian agribusiness’ image, because we

period of time. In addition, the sector generates 1/3

150 billion in two years, representing one of the

digenous areas, using child labor and slave practices.

are capable of producing food with sustainability, while

of Brazilian jobs and represents more than 40% of

sectors of greater expressiveness and interest by

The truth is that farmers preserve native areas and

respecting people and the environment.

10 Casa Branca Press

Casa Branca Press 11

inter view

inter view

private funds and foreign capital, as a border of food


Glória, a melhor matriz especial

Casa Branca,

especial

da história da

deixa legado para a raça

Brahman

Matriarca morreu aos 18 anos e 8 meses. Mãe de 208 filhos, tem sua genética diferenciada disseminada por vários países, especialmente o Brasil.

M

R BEER 73 foi o Grande Campeão da Expozebu. CABR DHIFALLA 899 também venceu a mais disputada exposição pecuária do Brasil e uma das mais pesadas pistas do mundo. DHIFALLA é mãe de outros dois Grandes Campeões de Uberaba: CABR MIFALLA e CABR MUSSAMBÉ. Em comum, além dos títulos, esses animais fantásticos descendem da matriz GLÓRIA, um ícone da raça Brahman e da pecuária seletiva nacional, que morreu aos 18 anos e 8 meses de idade. Seu currículo é invejável. GLÓRIA deixou nada mais nada menos do que 208 filhos nascidos com 23 touros diferentes, 1.022 netos e 1.573 bisnetos. No total, são 4.900 descendentes diretos. Por tudo isso, ela é Matriz Vitalícia da raça Brahman. Mas também produziu matriz vitalícia (CABR

12 Casa Branca Press

DHIFALLA 899), dezenas de filhas líderes de ranking e incontável número de filhos e netos campeões. Uma história fantástica, que marca para sempre a raça Brahman no Brasil. “GLÓRIA é tudo o que um selecionador busca em uma matriz. Fértil, repassou para sua progênie suas melhores qualidades. Os resultados comprovam o seu desempenho”, resume o criador Paulo de Castro Marques, proprietário da Casa Branca. GLÓRIA nasceu em 1998, na Colômbia. No final do ano seguinte, a empresa Agroexport importou um lote de 15 machos e 15 fêmeas Brahman oriundos da central de coletas de embriões colombiana Cetelca para exibição na Expozebu 2000, em Uberaba. Nesse lote estava IPC 800 GLÓRIA 154, ou simplesmente GLORIA, a mais importante vaca Brahman de todos os tempos no Brasil.

À esquerda, Paulo de Castro Marques e Glória. Nesta página, Glória ainda jovem, com Pedro Ribeiro e com seu clone (ao lado). Supermatriz e mãe de campeões em pista e em produtividade, ela representa a genética perfeita para a pecuária moderna

Em meados do ano 2000, o médico veterinário Pedro Antônio de Oliveira Ribeiro Sobrinho, o Pedrão, negociou com a Cetelca e adquiriu todo o lote. Dava-se início, então, a uma das mais belas histórias da pecuária brasileira e, sem dúvida, a mais impactante na raça Brahman. Em 2005, a Casa Branca iniciou o seu projeto de Brahman com a aquisição de um lote de doadoras do Brahman BEER, de Pedrão. Devido à grande amizade de Pedrão com Paulo de Castro Marques GLÓRIA foi incluída nesse lote. Segundo palavras de Pedrão, “a Casa Branca seria o único lugar fora do rebanho BEER onde ele tinha a certeza que GLÓRIA teria o mesmo tratamento especial dado por ele”. E assim foi feito, com campeonatos, filhos, netos e bisnetos fantásticos. “Falar dos números e do impacto da GLÓRIA na pecuária brasileira não é tarefa fácil. Afinal, esses

indicadores extrapolam em muito o que se tem de normal na atividade”, ressalta Heitor Pinheiro Machado, gerente de pecuária da Casa Branca. Em sua vida produtiva, GLÓRIA teve 10 partos naturais e produziu embriões viáveis até os 17 anos. Sua marca também está no Programa de Melhoramento Genético Zebuíno (PGMZ), da Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ). Lá, GLÓRIA possui índice de habilidade materna de 99,8 em um máximo de 100 pontos. Para se ter uma ideia da importância da GLÓRIA no projeto da Casa Branca, basta dizer que dos quase 2 mil animais puros dos rebanhos das três raças selecionadas pela propriedade. Recentemente, Paulo de Castro Marques decidiu compartilhar a genética de GLÓRIA e fez sociedade na vaca com a J4 Agropecuária e Empreendimentos. GLÓRIA foi clonada. Sua história está preservada.

Casa Branca Press 13


Glória, the greatest dam in the history of

special

Casa Branca, leaves behind a legacy for the Brahman breed

OXCELL SUPLEMENTO NUTRICIONAL INDICADO PARA CÃES E GATOS QUE SE BENEFICIEM DO APORTE DESSES NUTRIENTES

ORIGEM DA MATÉRIA-PRIMA ÓLEO DE PEIXES MARINHOS DE ÁGUAS FRIAS

M

Matriarch died at the age of 18 years and 8 months. Mother of 208 children, her unique genetic makeup has been spread throughout several countries, particularly in Brazil.

R BEER 73 was the Grand Champion at Expozebu. CABR DHIFALLA 899 also won the most prestigious livestock shows in Brazil and one of the hardest rings in the world. DHIFALLA is the mother of two other Grand Champions of Uberaba: CABR MIFALLA and CABR MUSSAMBÉ. In addition to the titles, these incredible animals are also descendants of the dam GLÓRIA – an icon of the Brahman breed and selective national livestock, who died at the age of 18 years and 8 months. Her resume is enviable. GLÓRIA left behind no less than 208 children sired by 23 different bulls, 1,022 grandchildren and 1,573 great-grandchildren. In total, she left behind 4,900 direct descendants. For all these reasons, she is a Lifetime Dam of the Brahman breed. But she also left behind another Lifetime Dam (CABR DHIFALLA 899), dozens of ranking-leading daughters, and countless children and grandchildren. A fantastic story that forever leaves its mark on the Brahman breed in Brazil. “GLÓRIA is everything a selector seeks in a dam. Fertile, she passed on her best qualities to her progeny. The results are a testament to her performance”, said breeder Paulo de Castro Marques, owner of Casa Branca. GLÓRIA was born in 1998, in Colombia. By the end of the following year, company Agroexport imported a lot of 15 males and 15 females of the Brahman breed from the Colombian embryo collection center Cetelca to be displayed at the 2000 Expozebu in Uberaba. This lot included IPC 800 GLÓRIA 154, or just GLÓRIA – the all-time most important Brahman cow in Brazil. 14 Casa Branca Press

In the mid-2000s, veterinary doctor Pedro Antônio de Oliveira Ribeiro Sobrinho, nicknamed Pedrão, negotiated with Cetelca and acquired the entire lot. This was the beginning of one of the most beautiful stories of the Brazilian livestock, and undoubtedly the most important for the Brahman breed. In 2005, Casa Branca started its Brahman project after purchasing a lot of Brahman BEER donors, owned by Pedrão. Due to the great friendship between Pedrão and Paulo de Castro Marques, GLÓRIA was included in this lot. According to Pedrão himself, “Casa Branca was the only place outside the BEER herd where he was sure GLÓRIA would receive the same special treatment he offered”. And so it was, with many amazing championships, children, grandchildren and great-grandchildren. “Talking about GLÓRIA’s numbers and impact in the Brazilian livestock business is no easy task. After all, these indicators greatly exceed what is considered standard in the business”, said Heitor Pinheiro Machado, livestock manager at Casa Branca. Throughout its breeding life, GLÓRIA had 10 natural births and continued to breed viable embryos until she was 17 years old. She also left her mark in the Zebu Breeding Improvement Program (PGMZ), by the Brazilian Zebu Breeders Association (ABCZ). The program has determined a 99.8 score (out of 100) for GLÓRIA in the index of maternal ability. To illustrate GLÓRIA’s importance to the Casa Branca project, it suffices to say that out of the nearly 2,000 purebred animals of the three breeds selected by property. Paulo de Castro Marques has recently decided to share GLÓRIA’s genetics and partnered with J4 Agropecuária e Empreendimentos. GLÓRIA was cloned. Her story has been preserved.

ELEVADA PUREZA E SEGURANÇA

SEM ANTIOXIDANTES

EPA:DHA - 1:5

O! T N

ME

LA

A NÇ

MODO DE USAR OXCELL 500 1 cápsula/8 kg de peso corporal por dia OXCELL 1000 1 cápsula/16 kg de peso corporal por dia

Casa Branca Press 15


mercado

mercado

O aumento da produtividade

é o maior desafio da pecuária O pesquisador Gustavo Siqueira, da APTA Colina, é um dos ‘pais’ do Boi 777. Para ele, a pecuária tem muito o que progredir, mas o produtor precisa aprender a fazer conta.

>>> 16 Casa Branca Press

Casa Branca Press 17


18 Casa Branca Press

O Boi 777 resulta do trabalho realizado pela equipe de pesquisadores da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), unidade de Colina. A liderança desse projeto que ganhou o Brasil é dos pesquisadores Flavio Resende e Gustavo Siqueira. “Qualquer criador pode fazer o Boi 777. Isso independe de raça. É preciso apenas fazer a lição de casa em termos de nutrição, saúde e genética”, explica o pesquisador Gustavo Siqueira, um dos ‘pais’ do Boi 777. Em sua opinião, o conceito ganhou o país porque a mensagem é clara e a linguagem é simples. “Muitas pesquisas ficam pelo caminho. Nossa proposta foi colocar a teoria em prática. Entendemos a diversidade da pecuária brasileira, mas o chacoalhão é necessário. Temos muito potencial de crescimento e, para atingi-lo, é preciso muitas vezes tomar decisões simples e baratas”, explica Gustavo. Fazer o Boi 777 também é, para o pesquisador da APTA, uma questão de necessidade e sobrevivência. “É uma questão muito simples. Quem não buscar a terminação dos seus bois gordos em dois anos, em muito pouco tempo perceberá que a pecuária não é o seu negócio. Aí terá de decidir se quer continuar dilapidando o seu patrimônio, arrendar a terra ou vender a propriedade e sair da atividade. Simples assim”. Gustavo reconhece que a pecuária brasileira como um todo tem evoluído bastante nos últimos anos. O Boi

777 é um, mas não o único, agente dessa transformação para melhor. “O pecuarista precisa, cada vez mais, fazer contas e reconhecer que o investimento em tecnologias compensa e traz resultados. Isso é um círculo vicioso. Eu não conheço nenhum pecuarista que passou a usar reprodutores provados, de melhor qualidade genética, e depois voltou a usar seus bois sem avaliação. É uma conta que ele sabe fazer com naturalidade”. Porém, ele concorda, há um longo caminho pela frente. O pesquisador da APTA Colina coloca como primeiro obstáculo a profissionalização da gestão da atividade. “Infelizmente, muitos pecuaristas ainda não conhecem o seu negócio. Simplificando, eles pagam as contas da fazenda e da casa com o mesmo cartão de crédito. Assim, fica difícil analisar o resultado econômico da propriedade. Para enxergar com clareza os gargalos, os processos, os vários segmentos do negócio, os benefícios do investimento em genética, nutrição ou sanidade é preciso medir sempre. Isso é impossível se o negócio não for administrado de maneira independente. Nem digo, profissional. Digo de maneira clara, com planilhas, avaliando dados”, reforça Gustavo Siqueira. Nesse desafio, o pesquisador da APTA entende que o passo número 1 é investir em boa genética. “É a base de tudo. A nutrição não fará milagres se o boi não tiver rápido ganho de peso e boa conformação de carcaça”.

mercado

mercado

A

pecuária é a única atividade econômica presente em todos os mais de 5.700 municípios brasileiros. Porém, além de importante ela é diversificada, contando com produtores de pequeno, médio e grande portes espalhados pelo país. Segundo levantamento da consultoria Agroconsult, há no Brasil cerca de 1,3 milhão de pecuaristas, sendo que 1 milhão têm produtividade de até 6 arrobas por hectare/ano. Estes estão à margem do uso de tecnologias, como bons reprodutores, suplementação mineral e manejo sanitário eficiente. Outra parcela de cerca de 250 mil produtores (produtividade de até 12@/ha/ano) está em transição para o uso de novas tecnologias. Quase sempre usam touros avaliados, às vezes suplementam e protegem o gado contra as principais doenças. O grupo altamente tecnológico (acima de 12@/ha/ano) é composto por cerca de 50 mil pecuaristas, indica a Agroconsult. Estes usam a melhor genética e investem nos novos conceitos de alimentação e saúde. Nos últimos anos, o processo de profissionalização e ganho de produtividade na pecuária tem se intensificado. Isso ocorre por uma série de fatores. Um desses componentes é a criação do conceito do Boi 777, entendido como o ganho de 7 arrobas na fase de cria, 7 na fase de recria e 7 na engorda, perfazendo 21 arrobas aos 24 meses de idade.

Segundo estatísticas, a pecuária brasileira tem déficit anual de cerca de 200 mil reprodutores avaliados. “Usar touros melhoradores é indispensável para o aumento da produtividade na atividade”, reforça Gustavo Siqueira.

Casa Branca Press 19


market

L

Gustavo Siqueira, researcher at APTA Colina, is one of the creators of 777 Bull. To him, the industry has much room for improvement, but ranchers need to start doing the math.

20 Casa Branca Press

ivestock is the only industry that is present in all of Brazil’s 5,700-plus municipalities. It is a powerful and highly diversified economic force, with small, medium and large ranchers spread throughout the country. A survey conducted by the Agroconsult consulting firm shows that Brazil has 1.3 million cattle ranchers, 1 million of which produce up to 6 arrobas per hectare/year. These smallholders do not have access to the latest technologies, such as superior sires, mineral supplements and an efficient health management program. Another group, of approximately 250,000 ranchers (yield of up to 12 arrobas/ha/years) is currently transitioning into new technologies. Their herds are composed almost entirely of evaluated bulls, and they sometimes supplement and protect their livestock against disease. Finally, Agroconsult estimates that 50,000 ranchers (with yields higher than 12 arrobas/ha/year) employ cutting-edge technology in their operations. They adopt top-of-theline genetics and invest in the latest feeding and health techniques. In the past few years, the livestock industry has undergone an intense transformation, as operations become more professional and focus on productivity gains. There are several reasons behind this trend. One of them is the creation of the 777 Bull concept, which

involves calves gaining seven arrobas during each of the calving, backgrounding and finishing stages, thus weighing 21 arrobas at 24 months of age. The 777 Bull concept resulted from a study conducted by a team of researchers from the São Paulo Agency of Agribusiness Technology (APTA) in Colina. The project, whose popularity has spread across Brazil, is headed by Flavio Resende and Gustavo Siqueira. “Any rancher can implement the 777 Bull system, with any breed of cattle. They just need to do their homework when it comes to nutrition, health and genetics,” explains Gustavo Siqueira, a researcher and one of the creators of 777 Bull. He believes that the project’s popularity is due to its clear message and straightforward language. “Many studies fail to produce any actual results. We set out to put theory into practice. We appreciate the diversity in the Brazilian livestock industry, but we needed to shake things up. We have incredible growth potential, and sometimes you need cheap and simple solutions to fulfill your potential,” Mr. Siqueira explained. According to the APTA researcher, 777 Bull was born out of a matter of necessity and survival. “It’s really a simple question. If you’re not trying to offer finished, fat cattle within two years, you’ll soon realize livestock is not for you. Then you’ll have to decide whether you want to continue squandering your assets, lease the land or sell the property and give up on ranching altogether. It’s that simple.” Mr. Siqueira acknowledges that, as a whole, the Brazilian livestock industry has seen significant development in re-

cent years. The 777 Bull project has been one agent of this change for the better, but it’s not the only one. “Ranchers need to start doing the math and realize that investing in technology pays off and brings results. It’s a vicious circle. I don’t know a single rancher who started using proven, high genetic-value sires and then went back to using nonevaluated bulls. It’s really easy math for any rancher.” He agrees, however, that there is a long road ahead. And the first challenge would be to adopt a more professional management model across the industry. “Unfortunately, many ranchers still don’t know the details of their business. To make things easier, they pay the farm and house bills on the same credit card. That makes it difficult to see your actual business results. In order to get a clear picture of your industry’s bottlenecks, processes, the different business segments, the benefits of investing in genetics, nutrition, or health, you must measure every aspect of your business. You can’t do that unless you run your business independently. It doesn’t even have to be professionally. But you have to do it clearly, using spreadsheets, analyzing data,” Mr. Siqueira stressed. On this challenge, the APTA researcher understands that the first step is to invest in good genetics. “It’s the foundation for everything. Nutrition is not going to do miracles if the bull doesn’t gain weight fast or has good carcass conformation.” Current statistics indicate an annual shortage of approximately 200,000 evaluated sires in the Brazilian livestock industry. “Using herd improvers is essential if you want to increase productivity,” Mr. Siqueira concluded.

Casa Branca Press 21

market

Raising productivity is the greatest challenge facing livestock farming


matéria técnica

GENÉTICA

matéria técnica

Entendendo a

a fundo para selecionar animais adaptados ao ambiente tropical Por José Fernando Garcia, Agropartners*

A genômica contribui, e muito, para a busca de bovinos perfeitamente adaptados às condições do Brasil Central. 22 Casa Branca Press

Casa Branca Press 23


S

matéria técnica

matéria técnica

“A genômica aplicada à pecuária veio para ficar”, afirma o especialista José Fernando Garcia empre se pensou que animais taurinos (de raças

No projeto de genômica da Casa Branca

A Casa Branca Agropastoril acelera seu projeto de

sete anos, essas mesmas empresas e instituições ainda se

de origem europeias, como o Angus e o Simental),

Agropastoril, todos os animais das raças Angus e

genômica, com análise do DNA de todos os seus animais

familiarizavam com as tecnologias e métodos analíticos.

por não terem sido expostos ao desafiador ambien-

Simental estão sendo monitorados individualmente

Angus, Brahman e Simental.

Posso afirmar que hoje há um completo amadurecimento

te tropical, quando foram originados no norte da

para seu perfil de infestação por carrapato, além

Nesta entrevista, José Fernando Garcia, diretor da

do processo de aplicação da genômica na pecuária, que

Europa há séculos, não poderiam ser selecionados para

de medidas das características da pelagem e dos

Agropartners e consultor do projeto de genômica da Casa

não depende mais tão profundamente de instituições de

resistência a esses desafios por não possuírem os genes

tratamentos realizados para conter a tristeza para-

Branca, destaca a importância da genômica para o futuro

pesquisas e que deve agora se expandir para o uso mas-

capazes de responder a esse tipo de seleção.

sitária. Além disso, todos os animais já tiveram seu

da pecuária tanto em termos de produtividade como em

sivo nas raças nas quais já é realidade (Nelore, Angus e

DNA purificado e analisado em um teste chamado

resistência a doenças e ganhos para os criadores.

Holandês) e para outras (Girolando, Simental, Hereford,

Com o advento da genômica, isso tem-se mostrado

SNP chip, que investiga simultaneamente 150.000

Casa Branca Press – Quando chegou ao Brasil, a

Quando se observa com cuidado, é possível encontrar

variações (“Snips”) do genoma de cada animal, o

genômica aplicada à pecuária foi chamada de revolução

animais dessas raças que apresentam significante menor

que permite aos cientistas associar o tipo de SNP

na atividade. Afinal, a tecnologia foi e está sendo implan-

infestação por carrapatos ou mesmo que não adoecem

com o fenótipo (característica) do animal e gerar

tada no ritmo esperado?

pelas doenças por eles transmitidas (como, por exemplo, o

as marcas para seleção.

não ser uma verdade absoluta.

José Fernando Garcia – Podemos estabelecer como

Braford, Senepol e Gir, entre outras). CBP – Projetos como o da Casa Branca visualizam a busca incessante pela produtividade. Esse trabalho passa indiscutivelmente pela genômica ou há outros caminhos

Nesse momento, o banco de fenótipos para

data de início desse pensamento aqui no Brasil o ano de

resistência ao carrapato está sendo preenchido com

2011, quando realizamos o 1º Workshop Internacional:

JFG – Empresas como a Casa Branca Agropastoril já

Até recentemente não havia formas de caracterizar geneti-

informações atualizadas semanalmente e espera-se

Genômica Aplicada à Pecuária. Desde então passaram-se

utilizam o que há de mais moderno em manejo produtivo

camente esses animais “diferentes”. Portanto, pouco podia ser

obter os primeiros resultados da associação dessa

sete anos e sete workshops, tempo no qual foi possível

(nutrição, pastagem, mineralização), reprodução assistida

feito para selecionar para essa característica naquelas raças.

informação com os genótipos até o final de 2017.

observar o grande avanço do setor, particularmente na

(FIV e IATF) e controle sanitário dos seus rebanhos. A

Com o recente surgimento da genômica, está sendo

A expectativa com esse projeto, que tem previ-

pecuária de corte e de leite, com destaque para a raça

parte faltante é a genética que, até o presente momento,

possível associar as combinações na sequência do DNA

são de prosseguir pelos próximos anos como um

Nelore. Para se ter uma ideia dessa evolução, em março,

é feita de forma tradicional como na maior parte do

dos animais (os chamados SNPs - ou “Snips” que são as

processo contínuo de seleção genômica da Casa

na sétima edição do workshop, tivemos um painel com

mundo. A genômica tem a vantagem de permitir realizar

variações existentes no DNA entre os indivíduos) com

Branca Agropastoril, é que os animais produzidos e

cinco empresas e/ou programas de melhoramento genéti-

o que chamamos de “genética de precisão” para guiar

a manifestação da resistência ao carrapato, permitindo

comercializados possuam um certificado genômico

co em Nelore apresentando a atualização das atividades.

a seleção para características de difícil medição (como

encontrar “marcas” no genoma que podem ser seguidas e

que ateste para sua resposta ao desafio tropical,

Todos, sem exceção, estão aplicando a genômica em suas

por exemplo a resistência ao carrapato). Não vejo outros

utilizadas para guiar os acasalamentos e promover o nas-

permitindo seu uso com ainda maior segurança em

atividades de rotina, seja na determinação de paternidade

caminhos para impulsionar a genética que não passem

cimento de maior número de animais reconhecidamente

regiões do Brasil e do mundo onde esse desafio é

em lotes de múltiplos touros seja na predição de DEPs (di-

pelo conhecimento detalhado do DNA de cada animal e

resistentes à infestação pelo carrapato.

mais intenso.

ferenças esperadas na progênie) com maior acurácia. Há

o uso dessa informação para a tomada de decisões.

complexo babesiose/anaplasmose - ou tristeza parasitária, como é conhecida popularmente).

eficazes e rápidos para isso?

* José Fernando Garcia é diretor da Agropartners e tem longa experiência em seleção genética obtida como pesquisador da Unesp – campus de Araçatuba. 24 Casa Branca Press

Casa Branca Press 25


técnica matéria

CBP – O que o workshop de genômica realizado no

agora passa a ter maior precisão. O aumento de precisão

começo do ano em Araçatuba trouxe de contribuição à

depende do número de animais que compõem o banco

produtividade da pecuária brasileira?

de dados genômico usado para os cálculos. Nas raças

JFG – Houve, nesse ano, a participação de cerca de

Holandesa e Angus, na América do Norte, esses bancos

150 profissionais, selecionados a dedo de empresas, cria-

possuem centenas de milhares de animais genotipados.

tórios e instituições de pesquisas, que já estão aplicando

No Brasil, a raça Nelore é a mais avançada com algu-

a genômica de alguma forma ou estão muito próximas

mas dezenas de milhares de animais somados a partir

disso. As discussões foram muito produtivas e resultados

de bancos de dados de programas e/ou empresas inde-

concretos foram apresentados. Chamou atenção o avanço

pendentes. A ABCZ está se preparando para introduzir

da tecnologia de genotipagem com o anúncio de dois

a seleção genômica no seu PMGZ, contando inclusive

novos SNPchips produzidos especificamente para as

com apoio do governo federal para genotipar animais

raças zebuinas e taurinas separadamente, que terão cerca

de referência da raça.

de 50.000 SNPs cada um. Com essas novas ferramentas, que substituem as versões anteriores ainda utilizadas

CBP – De que maneira a Casa Branca poderá usar as

com muito sucesso, será possível avançar na adoção

informações colhidas pela genômica para se diferenciar

da tecnologia de forma integral. Discutiu-se também a

no mercado de reprodutores?

necessidade de alterar a Instrução Normativa do MAPA

JFG – Conhecendo e caracterizando as regiões-chave

que legisla sobre o teste de DNA para a determinação de

do genoma associadas às características de interesse para

paternidade nos registros genealógicos. Assim que essa

a empresa (como no caso especifico da resistência ao

alteração ocorrer, será possível, com muita facilidade,

carrapato), gerando animais certificados que apresentam

integrar o teste de paternidade com o teste genômico, pois

essas regiões na sua forma (variante) favorável. Testes

ambos serão baseados em SNPs. Isso diminuirá custos e

de campo com os reprodutores deveram comprovar o

facilitará a logística de manejo.

resultado positivo dessa certificação.

CBP – De que maneira os diferentes programas de

CBP - Como o sr. avalia o nível atual da genômica

melhoramento genético estão utilizando a genômica na

pecuária no Brasil frente aos demais países do mundo?

seleção dos reprodutores?

JFG – Nas raças de corte, em pé de igualdade com

JFG – Basicamente, seguindo a forma clássica de

Estados Unidos e Canadá. Nas raças leiteiras, ainda muito

uso da genômica em programas de seleção e melhora-

trabalho pela frente com a organização das associações

mento: utilizando a informação do DNA para melhorar

e empresas do setor e coleta de fenótipos associados à

a precisão dos cálculos matemáticos para a geração

produção de leite, fertilidade, mastite, carrapato e termo-

das DEPs. Ou seja, o que se vem fazendo por décadas,

tolerância, entre tantas outras.

26 Casa Branca Press

Casa Branca Press 27


technical material

genetics

to select animals adapted to the tropical environment Genomics is a great contribution to searching cattle perfectly adapted to conditions of Central Brazil. By José Fernando Garcia, Agropartners*

T

he word has been that (European breeds such as Angus and Simmental), could not be selected to withstand such challenges for not having the genes able to respond to this type of selection, as they had not been exposed to the challenging tropical environment challenging when they were originated in Northern Europe centuries ago. With the rise of genomics, such fact has been shown not to be an absolute truth. When looking carefully, you can find animals of these breads significantly less infected by ticks or even not falling sick from the diseases transmitted by them (such as the babesiosis andanaplasmosis complex - popularly known as parasitic sadness. Until recently there were no ways to characterize these “peculiar” animals genetically. Therefore, little could be done to select them for this trait in those breeds. With the recent emergence of genomics, it is now possible to associate the combinations in the animals’ DNA sequence (called SNPs or “Snips”, which are the existing DNA variations among individuals) with the tick resistance manifestation, allowing to find “signs” in the genome that can be followed and used to guide the mating, as well as promote the birth of a greater number of animals known to be resistant to tick infestation.

In the genomics program held by Casa Branca Agropastoril, all animals of Angus and Simmental breeds alive are being monitored individually for their tick infestation profile, in addition to measures of their fur characteristics and the treatments made to contain the parasitic sadness. In addition, all animals already had their DNA purified and analyzed in a test called SNP chip, which investigates simultaneously 150,000 variations (“Snips”) in the genome of each animal, allowing scientists to associate the animal’s SNP type with the phenotype (trait), thus generating the signs for selection. Now, the bank of phenotypes for tick resistance is being populated with updated information on a weekly basis, and the first results of this association with the genotypes are expected to arise by the end of 2017. The expectation with this program, which Casa Branca Agropastoril plans to maintain for the next few years as a continuous genomics selection process, is that all animals produced and sold shall hold a certificate attesting to their genomics response to the tropical challenge. This will enable their use with increased safety in regions of Brazil and of the world where this challenge is greater. *José Fernando Garcia is the Director of Agropartners and has solid genetic selection experience, which he obtained as a researcher at Unesp – Araçatuba campus.

28 Casa Branca Press

“Genomics applied to livestock is here to stay” Casa Branca Agropastoril accelerates its genomics program with a DNA analysis of all its Angus, Brahman and Simmental animals. In this interview, José Fernando Garcia, Director of Agropartners and consultant for Casa Branca’s genomics program, highlights the importance of genomics for the future of livestock both in terms of productivity as in disease resistance and gains for the creators. Casa Branca Press – when it came to Brazil, the genomics applied to livestock was considered a revolution in the activity. After all, has the technology been and is it being deployed at the expected pace? José Fernando Garcia –We can define 2011 as the year this thought arrived in Brazil, when we held the First International Workshop on Genomics Applied to Livestock. It’s been seven years and seven workshops since then, and during this time, it was possible to observe the great breakthrough in the industry, particularly in beef cattle and milk segments, particularly with the Nelore breed. To get an idea of this evolution, during the seventh edition of the workshop held in March, we had a panel with five companies and/or genetic improvement programs related to the Nelore breed showing the update of the activities. All, without exception, are applying genomics in their routine activities, whether in the determination of paternity in lots of multiple bulls, whether in the prediction of EPDs (Expected Progeny Differences) with greater accuracy. Seven years ago, those same companies and institutions were still learning about those technologies and analytical methods. Today I can say that genomics applied to animal husbandry has become a fully evolved process, no longer so dependent on research institutions, and which should now expand to the massive use in breeds it’s currently applied to (Nellore, Angus and Dutch), as well as in other breeds (Girolando cattle, Simmental, Hereford, Braford, Senepol and Gir, among others). CBP – Projects such as Casa Branca’s envisage continuous search for productivity. Is this work arguably done through genomics, or are there other effective and fast routes for that? JFG –Companies like Casa Branca Agropastoril already use the state-of-the-art methods for productive management (nutrition, grazing, and mineralization), assisted reproduction (IVF and IATF) and sanitary control of their flocks. The missing piece is genetics which, to date, is made by traditional methods like in most parts of the world. Genomics has the advantage of allowing performing what we call “precision genetics” to guide the selection of characteristics that are hard to measure (e.g. tick resistance). I don’t see other any other way to boost genetics other than one comprising a detailed knowledge of the DNA of each animal and using this information to make decisions.

CBP – which contributions did the genomics workshop held earlier this year in Araçatuba brought to Brazilian livestock’s productivity? JFG – This year, the workshop was attended by approximately 150 carefully selected professionals from companies, farms and research institutions that somehow are already applying Genomics or are very close to it. The discussions were very productive and results were presented. The highlight was the advancement of the genotyping technology with the announcement of two new SNPchips produced specifically for zebu cattle and bull breeds separately, which will have about 50,000 SNPs each. With these new tools, which replace previous versions still used very successfully, it will be possible to move forward towards fully adopting such technology. The need to amend MAPA’S Normative Instruction that legislates on DNA test intended to determine paternity in genealogical records was also subject to discussion. Once this change occurs, it will be easily possible to integrate the paternity test with the genomics test, since both are based on SNPs. This will reduce costs and streamline the handling logistics. CBP – How do the different genetic breeding programs are using genomics to select sires? JFG – Following the classical form of using genomics in selection and improvement programs: using the DNA information to improve the accuracy of mathematical calculations to generate EPDs. That is, everything that has been done for decades has now become more accurate. Increased accuracy depends on the number of animals that make up the genomics database used for the calculations. In Dutch and Angus breeds, in North America, these banks have hundreds of thousands of genotyped animals. In Brazil, the Nelore breed is the most advanced with some tens of thousands of animals added from program databases and/or independent companies. ABCZ is preparing to introduce the genomics selection in its PMGZ, receiving support from the federal government to genotype reference animals of the breed. CBP – How can Casa Branca use the information collected by genomics to stand out in the sire market? JFG –Identifying and characterizing the genome’s key regions associated with characteristics that matter to the company (as in the specific case of tick resistance), generating certified animals that feature these regions in their favorable (variant) form. Field tests with sires shall prove the positive outcome of this certification. CBP - How do you compare the current level of livestock genomics in Brazil with other countries in the world? JFG –For feeder breeds, on an equal footing with the United States and Canada. In the dairy breeds, there is still a lot of work in terms of organizing the associations and companies in the sector and collecting phenotypes associated with milk production, fertility, mastitis, tick, thermotolerance, among many others. Casa Branca Press 29

technical material

Understanding


raças

raças

Angus passa a registrar

ULTRABLACK Associação Brasileira de Angus recebeu autorização do MAPA para registro dessa combinação genética que faz sucesso nos EUA e Austrália.

30 Casa Branca Press

Casa Branca Press 31


breeds

raças

Ultrablack now a registered Angus breed

O

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) autorizou a Associação Brasileira de Angus (ABA) a dar início aos registros de animais Angus Ultrablack no Brasil. Essa autorização foi dada pela Portaria 183, de 02.02.3017. O Ultrablack é conhecido internacionalmente como Angus Tropical. Presente nos Estados Unidos há algumas décadas, mais recentemente ganhou espaço na Austrália e agora chega oficialmente ao Brasil. Animais Ultrablack resultam de cruzamento de machos Angus com fêmeas zebuínos (Brahman ou Nelore, por exemplo), com, no mínimo, 80% de sangue Angus. De acordo com a ABA, “os produtos são mochos e têm pelagem lisa preta ou vermelha, apresentando biotipo adaptado à produção de carne de qualidade no Brasil

32 Casa Branca Press

Central, especialmente quando usado no cruzamento com fêmeas F1 Angus x Zebu. São dóceis em temperamento, com destacada aptidão materna e baixo peso ao nascer, o que facilita a reprodução. Além disso, têm ampla capacidade de adaptação, fator extremamente interessante para garantir a produtividade no CentroOeste brasileiro”. “O Ultrablack é uma tendência global que chegou ao Brasil e torna-se uma nova e positiva opção de cruzamento para os criadores de Angus”, entende Paulo de Castro Marques, proprietário da Casa Branca Agropastoril. “Esse gado terá um papel importante na expansão da raça pelo Brasil Central, já que é mais resistente sem perder as características que diferenciam o Angus”.

The Brazilian Angus Association (ABA) received authorization from MAPA to register this composite breed that has seen remarkable success in the U.S. and Australia.

T

he Ministry of Agriculture, Livestock and Food Supply (MAPA) has authorized the Brazilian Angus Association (ABA) to register Angus Ultrablack cattle in Brazil. The authorization was issued through Ordinance 183, dated February 2, 2017. Ultrablack is internationally known as Tropical Angus. The composite, which has been bred in the United States for a few decades and recently became popular in Australia, now makes its way to Brazil. Ultrablack cattle result from a cross between Angus bulls with females of the Zebu variety (such as Brahman or Nelore), and are a minimum 80% Angus. According to the ABA, “the products are polled and have a smooth black or red coat. Their frame is adapted to quality meat production in Brazil’s Central

region, especially when resulting from the crossing between F1 Angus cows and Zebu. Their temperament is docile, with outstanding maternal aptitude and low birth weight, which facilitates reproduction. They are also easily adaptable, which is an extremely interesting feature that can ensure productivity in the Center-West region of Brazil”. “Ultrablack is a global trend that now arrives in Brazil and emerges a new and positive mating option for Angus breeders”, says Paulo de Castro Marques, owner of Casa Branca Agropastoril. “These cattle will have an important role in expanding the breed across the central part of Brazil, since it is more resistant and maintains some of the distinguishing Angus features”.

Casa Branca Press 33


A propriedade, com unidades em Minas Gerais e Mato Grosso, que se destaca pela elevada qualidade genética e busca contínua de animais superiores, também fez o Grande Campeão e Reservada Grande Campeã da exposição. A Casa Branca fechou com muito sucesso sua participação nos julgamentos da raça Brahman da Expozebu 2017, a mais importante exposição pecuária do Brasil e uma das maiores do mundo. A propriedade terminou a mostra como Melhor Criador e Melhor Expositor, o que demonstra a participação de animais de excepcional qualidade genética, com atributos produtivos e reprodutivos indiscutíveis. “O foco da Casa Branca sempre foi o investimento no que há de melhor no mercado mundial. Resultados como esse da Expozebu confirmam que com uma base genética importada dos melhores criadores do Brahman conseguimos selecionar animais extremamente funcionais e perfeitamente adaptados às condições brasileiras”, destaca o criador Paulo de Castro Marques. Uma das fontes de genética Brahman da Casa Branca, por exemplo, é o rancho JD Hudgins Brahman, do Texas (EUA), pertencente à família Hudgins, “uma das pioneiras na formação da raça e responsável por propagar o Brahman há seis gerações, sendo reconhecida como um dos melhores e maiores criadores e promotores da raça em todo o mundo”, destaca Leonardo Pinheiro Machado, responsável técnico da Casa Branca.

34 Casa Branca Press

“A partir desta parceria foi possível trazer a melhor genética do mundo para cá, colocando-a à disposição dos pecuaristas brasileiros. Importante ressaltar que, pela primeira vez, as grandes doadoras do JD Hudgins saíram dos Estados Unidos. Trouxemos esse material genético e estamos trabalhando juntamente com as linhagens já presentes e melhoradas na Casa Branca. A cada geração colhemos mais matrizes e reprodutores de excelência, com excelente desempenho produtivo e reprodutivo em fazendas de todo o país”, acrescenta Paulo Marques. Os grandes destaques da Casa Branca na Expozebu foram o touro CABR MUSSAMBE 2264 e a fêmea CABR NOVA KARU, cujas características funcionais não passaram despercebidas do jurado João Eudes Lafetá, responsável pelo julgamento da raça Brahman na Expozebu 2017. CABR MUSSAMBE sagrou-se Grande Campeão e CABR NOVA KARU foi a Reservada Grande Campeã. “A Casa Branca exibiu excelentes animais. Tanto o Grande Campeão quanto a Reservada Grande Campeã são animais muito bem equilibrados e de extrema qualidade. Com certeza, contribuirão para a propagação da genética Brahman por todo o país devido às suas indiscutíveis características econômicas”, disse Heitor Pinheiro Machado, gerente da Casa Branca Agropastoril.

breeds

raças

Casa Branca é o Melhor Criador e Melhor Expositor da Expozebu CABR Nova Karu, Reservada Grande Campeã Brahman da Expozebu 2017 / Reserve Grand Champion

Casa Branca as Best Breeder and Best Exhibitor of the 2017 Expozebu The estate, featuring units in Minas Gerais and in Mato Grosso, stands out for the high genetic quality and continuous search for top animals, and also earned the show’s Grand Champion and Reserved Grand Champion titles. Casa Branca has very successfully closed its participation in the 2017 Expozebu’s Brahman breed trials - Brazil’s most important livestock show and one of the largest in the world. The estate ended the show as Best Breeder and Best Exhibitor, which demonstrates the participation of animals of exceptional genetic quality, with undisputed productive and reproductive attributes. “Casa Branca has always been focused on investing in the best options available in the global market. Achievements like those of Expozebu confirm that importing a genetic base from the best Brahman breeders allows us to select highly functional animals, perfectly adapted to the Brazilian conditions”, rancher Paulo de Castro Marques highlights. “One of Casa Branca’s Brahman genetic sources is JD Hudgins Brahman ranch, in Texas (USA). It is owned by the Hudgins family, forerunners of the development of the breed and responsible for disseminating the Brahman breed for six generations, being recognized as one of the best and largest breeders and promoters of the breed around the world”, says Leonardo Pinheiro Machado, technical manager at Casa Branca. “This partnership has enabled us to bring the best genetics in the world here, and make it avai-

lable to Brazilian cattle farmers. It is important to point out that, for the first time, J.D. Hudgins’ biggest donors came out of the United States. We brought this genetic material and we are working together with existing lineages that have been improved at Casa Branca. Every generation has been yielding an increased number of dams and sires of excellence, featuring outstanding productive and reproductive performance in farms all across the country”, Paulo Marques added. Casa Branca’s main highlights at Expozebu were the bull CABR MUSSAMBE 2264 and the female CABR NOVA KARU, whose functional features did not go unnoticed by juror João Eudes Lafetá, responsible for the Brahman breed trial at 2017 Expozebu. CABR MUSSAMBE was honored Grand Champion and NOVA KARU won the Reserve Grand Champion title. “Casa Branca exhibited excellent animals. Both the Grand Champion and the Reserved Grand Champion are extremely well balanced and high quality animals. They will definitely help spread the Brahman genetics across the country due to its undeniable cost-saving characteristics,” said Heitor Pinheiro Machado, Manager at Casa Branca Agropastoril.

Casa Branca Press 35


Brazilian National Simmental Cattle Exhibition in Avaré (São Paulo)

Mostra será realizada entre 19 e 25 de junho de 2017, no interior de São Paulo.

Shows will be held in São Paulo, between June 19 and 25, 2017.

Tudo pronto para a 26ª Exposição Nacional da Raça Simental, programada para 19 a 25 de junho de 2017, em Avaré (SP). O evento é iniciativa da Associação Brasileira de Criadores das Raças Simental e Simbrasil e do Centro Paulista da Raça Simental. A Casa Branca Agropastoril já confimou presença. A programação da Exposição já está definida, conforme o quadro a seguir. O jurado será o zootecnista Roberto Vilhena Vieira. Mais informações: www.simentalsimbrasil.org.br

It’s all set for the 26th National Simmental Breed Exhibition, scheduled for June 19 to 25, 2017, in Avaré (SP). The event is an initiative by the Brazilian Association of Simmental and Simbrasil Breeders and Centro Paulista da Raça Simental. Casa Branca Agropastoril has already confirmed its presence. The Exhibition schedule is already set, as shown in the table below. Zoo-technician Roberto Vilhena Vieira will be juror. For more information, go to www.simentalsimbrasil.org.br

reprodutor / sire

raças

Exposição Nacional da Raça Simental será em Avaré (SP)

Programação / Schedule DATA Date

RAÇA SIMENTAL Simmental Breed

20 de junho

Entrada dos Animais

June 20

Cattle Arrival

21 de junho

Entrada dos Animais - Data Base

June 21 22 de junho

Cattle Arrival - Base Date Pesagem - Mensuração - Ultrassom

June 22

Weighing - Measurement - Ultrasound

24 de junho

Julgamento - a partir das 8h00 15h00 Leilão Evolution Simental 2017

June 24

Trial - from 8 am 3 pm - 2017 Evolution Simmental Sale

25 de junho

Saída dos animais

June 25

Cattle departure

PWM MIG AS HERO (BAR 5 SA HERO 823M) P128206

PWM MIG AS P138405 - Simental - PO - 8.junho.2010 BAR 5 ELLA 435N (BAR 5 SA ELLA 435N) P135203

PWM MIG AS é líder nos índices de Peso à Desmama e Peso ao Sobreano do Sumário da Raça Simental 2016, elaborado pela Associação Brasileira de Criadores das Raças Simental e Simbrasil. Ele também é vice-líder no índice Peso ao Ano. Esses resultados comprovam que se trata de um reprodutor que repassa peso e carcaça à progênie, contribuindo para a rápida terminação da carcaça – atributo essencial para o retorno econômico dos pecuaristas. PWM MIG AS é um touro nascido na Casa Branca, resultado da genética Simental apurada há mais de 17 anos. Aos sete anos de idade, ele está no auge de sua forma, com tremendo potencial como fornecedor de genética funcional e ajustada à realidade do Brasil Central 36 Casa Branca Press

K.HAPED (KYKSO HAPED) P124350 PEPPI (RU-DEV PEPPI) ZA577272 DAN JACO BENZ (DAN JACO BENZ 78) P124349 TOVERBERG ELSA (TOVERBERG ELSA) ZA591166

PWM MIG AS is the leader in Weaning Weight and Yearling Weight in the 2016 Simmental Summary, developed by the Brazilian Association of Simmental and Simbrasil Breeders. He is also second place in the One-Year Weight index. These results show that PWM MIG AS is a sire that transmits weight and carcass characteristics to its progeny, contributing to fast carcass finishing – an essential attribute to guarantee financial return for ranchers. PWM MIG AS is a bull born at Casa Branca, bearing Simmental genes that have benefited from continuous improvement over the course of 17 years. At age seven, he is at his peak, and has tremendous potential as a supplier of functional genetics that is adjusted to the conditions of Brazil’s central region. Casa Branca Press 37


reprodutor / sire

reprodutor / sire

PWM OSTER AS BAR 5 SA EVAN 440L P134801

PWM OSTER AS P139997 - Simental - PO - 31.ago.2012 SS PRISSY P415 P133753

Ele é, simplesmente, o Grande Campeão Nacional 2015. 100% sul-africano. Seus primeiros filhos estão superando as melhores expectativas. São crias de muita beleza, excelente morfologia, com boa pigmentação e ótima adaptação. Um exemplo: LGPM SALVATTORE, o Grande Campeão Nacional 2016! Seu pai, BAR 5 EVAN 440L, é irmão próprio de PIONNER e fez um excelente trabalho na América do Norte. Sua mãe, PRISSY, é vaca de muito tipo e linda pigmentação. Ela foi recordista de preço no leilão da FullBlood Simmental Fleckvieh Federation. PWM OSTER AS está com sêmen à venda CRI Genética (www.crigenetica.com.br). “PWM Oster AS tem um pacote completo, juntando fenótipo e genética. Além de ser um dos melhores touros jovens do sumário Simental, tem carcaça muito musculosa e excelente pigmentação. Estamos muito entusiasmados com o início dessa parceria”, destaca Juliana Ferragute Leite, gerente de Produto Corte da CRI Genética. 38 Casa Branca Press

CABR MUSSAMBE 2264 SALERIKA EVAN P124339 AI-AI SISKA ZA529450 BHR THREE SIXES SA E666L PO125001 BHR KATHIE SA L055E L055E

None less than the 2015 National Grand Champion. 100% South African. His first children are exceeding the highest of expectations. The offspring is very beautiful, with excellent morphology, pigmentation and great adaptation. Example: LGPM SALVATORRE, the 2016 National Grand Champion! His sire, BAR 5 EVAN 440L, is a sibling of PIONNER, and did great work in North America. His dam, PRISSY, is very stylish and has great pigmentation. She was sold for a record price at a FullBlood Simmental Fleckvieh Federation auction. PWM OSTER AS’s semen is for sale at CRI Genetics (www.crigenetica.com.br). “PWM Oster AS has the complete package, a perfect mix of phenotype and genetics. In addition to being one of the best young bulls of the Simmental Summary, he has a very muscular carcass and excellent pigmentation. We are very excited about starting this partnership”, said Juliana Ferragute Leite, manager of Beef Product at CRI Genética.

JDH WELLINGTON MANSO 864762 527

CABR MUSSAMBE 2264 10.set.2014 CABR DHIFALLA 899 CABR 899

É o atual Grande Campeão da Expozebu! Mussambe é um touro completo. Para muitos especialistas, o melhor macho já produzido pela Casa Branca. Seus atributos: carcaça impecável, musculatura exuberante e muita suavidade nas passagens (aprumos perfeitos lhe proporcionam uma dinâmica rara ao caminhar). Seu pedigree é invejável: filho de JDH Wellington Manso 527 (JDH MR. Echo Manso x JDH Lady Aria Manso) na CABR Dhifalla 899, filha da IPC Gloria 800. Dhifalla foi Grande Campeã da Expozebu e produtora de machos e fêmeas campeões em Uberaba. Mussambe é um reprodutor com todas as letras e, sem dúvida nenhuma, será muito utilizado no rebanho da Casa Branca. Ele também é top 4% no sumário da ANCP e Elite no PMGZ. Mussambe também tem pedidos de reserva de sêmen de criadores da Bolívia, Paraguai e Costa Rica.

JDH MR. ECHO MANSO 830355 237 JDH LADY ARIA MANSO 762927 668 MR PILAR POI 75 AAAA 75 IPC 800 GLORIA 154 1219 154

Current Grand Champion at Expozebu! Mussambe is a well-rounded bull. For many experts, the best male ever bred by Casa Branca. His attributes: impeccable carcass, exuberant musculature and a very smooth walking stance (perfect grooming affords him rare dynamics when walking). His pedigree is enviable: son of JDH Wellington Manso 527 (JDH MR. Echo Manso x JDH Lady Aria Manso), sired with CABR Dhifalla 899, daughter of IPC Gloria 800. Dhifalla was a Grand Champion at Expozebu and producer of male and female champions in Uberaba. Mussambe is the ultimate sire and will definitely be widely used in the Casa Branca herd. He is also a top 4% at ANCP summary and Elite at PMGZ. Mussambe has also received reservation requests for his semen by breeders from Bolivia, Paraguay and Costa Rica. Casa Branca Press 39


racas

raças

Casa Branca

realiza 5ª Prova de Ganho de Peso de tourinhos

Prova avaliou machos das raças Angus, Brahman e Simental da Casa Branca Agropastoril

40 Casa Branca Press

Casa Branca Press 41


raças

5ª Prova de Ganho de Peso de tourinhos

66 tourinhos Angus, Brahman e Simental participaram da avaliação, coordenada pela UFLA. Foi concluída em fevereiro a 5ª PGP de candidatos a touros das raças Angus, Brahman e Simental da Casa Branca Agropastoril. A coordenação é da profa. Sarah Meirelles, da Universidade Federal de Lavras (UFLA). No total, participaram 66 machos com 12 a 15 meses de idade, avaliados segundo o Índice Casa Branca. “Características relacionadas ao desempenho e à qualidade de carcaça pesam mais no Índice Casa Branca pois são características de grande importância econômica e herdáveis. Mas as outras características também têm grande importância, como as de adaptabilidade e as morfológicas, pois precisamos identificar animais mais adaptados ao nosso clima e com características morfológicas boas”, explica a profa. Sarah Meirelles. Os melhores tourinhos Angus foram divididos em dois grupos contemporâneos. O Grupo 1 teve dois filhos de Zorzal e da matriz Hitter como vencedores; o Grupo 2 (animais mais jovens) teve um filho de PWM Niko como 1º lugar e um filho de Worth 4200 como 2º lugar. Na raça Brahman, a prova foi vendida por um filho de CABR Mr. Galur; o 2º lugar foi um filho de CABR Mr. Gartz.

42 Casa Branca Press

A avaliação de machos Simental teve em 1º lugar um filho de PWM MIG AS e, em 2º lugar, um descendente de PWM Oster AS. Segundo a profa. Sarah Meirelles, da UFLA, “a prova mostrou que existe variabilidade genética para todas as características avaliadas pelo Índice Casa Branca, principalmente adaptabilidade e carcaça. Ou seja, existem animais bem adaptados e com elevada qualidade de carcaça. Isso é de grande importância para o melhoramento, pois temos que ter variabilidade para podermos aplicar uma pressão de seleção alta e obter repostas à seleção grande no rebanho”. “A profa. Sarah coordena a Prova de Ganho de Peso da Casa Branca desde 2012. Essa iniciativa objetiva avaliar nossos melhores machos Angus, Brahman e Simental, colocando-se em avaliação para medir os indicadores econômicos mais importantes. A valorização da genética Casa Branca pelo mercado confirma que a prova contribui em duas frentes: tem participação no processo de melhoramento constante, safra após safra, e, por outro lado, dá transparência ao nosso trabalho e é reconhecido pelos nossos clientes”, explica Paulo de Castro Marques, proprietário da Casa Branca.


CASA BRANCA

holds 5 Weight Gain Test for young bulls

breeds

th

Articulações saudáveis para as aventuras do dia a dia

66 young Angus, Brahman and Simmental bulls participated in the evaluation, coordinated by UFLA.

T

he 5th Weight Gain Test for young bulls of the Angus, Brahman and Simmental varieties was held by Casa Branca Agropastoril this past February. The event was coordinated by Professor Sarah Meirelles, of the Federal University of Lavras (UFLA). Overall, 66 bulls between 12 and 15 months of age were submitted to the test and evaluated according to the Casa Branca Index. “Characteristics regarding performance and carcass quality are given more weight in the Casa Branca Index because these are economically important and inheritable characteristics. But the other features are also important, such as adaptability and morphology, since we need to identify animals that are more adapted to our climate and who have good morphological characteristics”, Prof. Sarah Meirelles explained. The best young Angus bulls were divided into two contemporary groups. The winners in Group 1 were two offspring from Zorzal and from the dam Hitter; in Group 2 (younger), the first-place winner was an offspring of PWM Niko, and second place was a Worth 4200 product.

The Brahman winner was an offspring of CABR Mr. Galur; second-place was a product of CABR Mr. Gartz. The Simmental winner was an offspring of PWM MIG AS, while a PWM Oster AS descendant earned second. According to UFLA Professor Sarah Meirelles, “the test showed that there is genetic variability for all the characteristics evaluated by the Casa Branca Index, especially adaptability and carcass. In other words, we have well-adapted animals with high carcass quality. And this is really important for herd improvement, since we need to have variability so that we can apply a high selection pressure and get results such as advanced herd selection”. “Professor Meirelles has overseen the Casa Branca Weight Gain Test since 2012. Our goal is to evaluate our best Angus, Brahman and Simmental bulls, based on the most important economic variables. The market’s approval of the Casa Branca genetics program confirms that the test provides two key contributions: it is an integral part of the constant improvement process, year after year, and lends transparency to our work, which is recognized by our clients”, explains Paulo de Castro Marques, owner of Casa Branca.

Sulfato de Condroitina A Alta concentração por dose

Colágeno Hidrolisado Alta absorção

Diversas apresentações Único na forma de sticks

Alta palatabilidade Melhor Custo x Benefício Alta adesão ao tratamento

Entre em contato conosco, SOLICITE AMOSTRA e a visita do nosso propagandista através do SAC. Será um prazer atendê-lo(a) e levar mais informações.

44 Casa Branca Press

S A C S A U D E A N I M A L @ AV E R T. C O M . B R


Gado e Cavalos

Dr. Jairo Queiroz:

46 Casa Branca Press

Vida e PaixĂŁo

Casa Branca Press 47


seu pai e de seu irmão que tocavam as 3 fazendas

do Nelore e cria reconhecidos Cavalos Árabes. No

ganhando exposições e reproduzindo nas melhores

e conhecido pecuarista de sucesso, criador

da família no Mato Grosso do Sul. Dr. Jairo, ainda

gado as fazendas abrigam um rebanho de cerca de

criações do Canadá, EUA, Europa, América do Sul

de Nelore e de Cavalos Árabes. Dr. Jairo é

jovem, teve que deixar São Paulo e retornar a Três

13 mil cabeças, no cavalo, obviamente a produção é

e Oriente Médio.

um homem de realizações. Como médico

Lagoas para tocar os negócios da família. Hoje os

muito menor, no entanto, o sucesso é internacional.

Dr. Jairo conversou com a revista Casa Bran-

fazia parte da equipe do famoso Dr. Zerbini, um

Queiroz Jorge possuem 7 fazendas de gado e uma

Ele criou dois dos garanhões mais importantes já

ca sobre como é criar ao mesmo tempo cavalos

precursor do transplante cardíaco no mundo. Um

delas, a fazenda das Acácias, praticamente dentro

produzidos na raça, Don El Chall e Power World

e bois com a mesma dedicação e distinção de

desastre aéreo ceifou prematuramente a vida de

da cidade de Três Lagoas, faz a seleção genética

JQ, pai de diversos produtos exportados que estão

qualidade.

48 Casa Branca Press

Casa Branca Press 49

gado e cavalos

gado e cavalos

D

r. Jairo Queiroz Jorge é médico cardiologista


gado e cavalos

gado e cavalos

Casa Branca – Como senhor se transformou em criador de gado e de cavalos? Dr. Jairo - A criação de gado vem de família. Meu pai e meu irmão eram pecuaristas e após o falecimento prematuro dos dois eu prossegui com o trabalho na agropecuária que eles vinham desenvolvendo muito bem. Esse trabalho continua até hoje com meus filhos Iran e Gustavo. Já o cavalo Árabe conheci mais de perto quando já criava gado. Vi na fazenda do Orestinho (Orestes Prata) algumas éguas que ele havia comprado no leilão AF do Dr. Aloysio. Me apaixonei por três delas, filhas de Sahibi, que mais tarde acabei comprando e em 1985 dei início a minha criação de cavalos. Me interessei muito não apenas pela beleza da raça, mas também pela funcionalidade, rusticidade e sua maravilhosa história milenar. Hoje o gado é minha vida, é onde gira os negócios da família e os cavalos são meu prazer, dos meus filhos e da minha netinha. Casa Branca - Qual seu objetivo como produtor de gado e de cavalo? Dr. Jairo - No gado nós trabalhamos com o objetivo de aumentar a produtividade. Meu interesse é comercial. Meus filhos fazem um excelente trabalho nesse sentido. Eles visitam as fazendas sempre atentos a cada detalhe que permita ganhos de produtividade desde pastagens, manejo,

50 Casa Branca Press

Casa Branca Press 51


Casa Branca – O senhor vê alguma relação nesse trabalho de seleção entre as duas criações? Ou seja: a arte de criar se completa ou são duas coisas muito distintas? Dr. Jairo - A arte de criar é a mesma. O planejamento genético, a preocupação com o manejo, a alimentação e saúde de reprodutores, reprodutoras e dos produtos, basicamente são semelhantes, mas não iguais. Por exemplo no gado você tem muitas estatísticas e informações genéticas que você não tem no Cavalo, isso depende mais de sua observação e empirismo. No cavalo a obtenção de sêmen e a transferência de embrião e óvulos são mais difíceis e a precisão dos resultados são inferiores aos do gado. No Brasil o número de reprodutores árabes comprovados é pequeno, diferente das Centrais Genéticas de bovinos que hoje são avançadíssimas e daí os objetivos a atingir numa criação de cavalos são mais lentos. A própria mão de obra e os cuidados na forma de manejar são diferentes, o gado por ser mais rústico o manejo é mais fácil e prevalece a criação sempre a pasto.

52 Casa Branca Press

Casa Branca Press 53

gado e cavalos

gado e cavalos

sanidade e cobertura a campo. Nessas fazendas nós fazemos cria, recria e engorda. Eu fico praticamente aqui na Fazenda das Acácias que é o nosso centro genético. Com o apoio da Embrapa, através do Programa Geneplus, temos conseguido melhoramentos extraordinários no gado nelore puro. Com essas informações nós vamos criando e direcionando animais com características necessárias para o melhoramento dos rebanhos do gado nelore comercial. Nosso aprimoramento genético aqui nas Acácias tem objetivos comerciais bem definidos. Quando eu comecei a criação de gado a gente mantinha os animais no pasto de 5 a 6 anos para chegarem no peso de abate. Hoje com 2 anos e meio a 3 a gente já vende para o frigorífico animais com muito bom acabamento. Já no cavalo nosso objetivo principal é o aprimoramento, é a pista, é criarmos animais de alto nível internacional. Temos conseguido excelentes resultados e conto com a assessoria de Iran, que hoje é um conceituado juiz da Associação Brasileira do Cavalo Árabe, do Leopoldo Coutinho, agrônomo e um conhecedor profundo da raça e o Zé Paulo responsável pelo manejo. E quanto a isso temos conseguido excelentes resultados com vários títulos Nacionais e diversos animais que foram exportados e que foram Campeões nos países aos quais foram levados.


Casa Branca - E o cavalo Árabe é bom para a lida no campo? Dr. Jairo - Muito bom . Os peões gostam muito. É um cavalo resistente, trabalha o dia inteiro e no dia seguinte tá pronto para a lida novamente. Além disso ele é muito inteligente e tem o cow sense.

54 Casa Branca Press

Quer dizer ele gosta de trabalhar com gado e sabe fazer isso. Nas minhas fazendas só entra Cavalo Árabe. Normalmente a gente faz assim: Depois do desmame separamos os cavalos de pista ou o que a gente tem interesse para a reprodução, os demais vão todos para o trabalho. O Cavalo Árabe é um produto de uma seleção genética milenar e por isso raramente apresenta grandes problemas morfológicos. Como a seleção para a pista e reprodução e futuros leilões são muito rigorosos, nós ficamos aqui nas baias com apenas 10 a 15% da produção o restante vai tudo para o trabalho e o aproveitamento nas fazendas é excelente. O que temos observado nas fazendas é que o Cavalo Árabe além de ser muito resistente, é dócil e inteligente em todas as formas de lida, ou seja, apartação, laço, e até hoje fico impressionado de ver como ele gosta de trabalhar com o gado!!

Casa Branca Press 55

gado e cavalos

gado e cavalos

Casa Branca - É possível manter e controlar os problemas da criação dos dois num mesmo local? Dr. Jairo - Eu não tenho problemas, crio os Árabes e o Nelore na Fazenda das Acácias mas é preciso separar as equipes e os próprios estábulos pois como já disse a forma de se criar é diferente e para se obter bons resultados no gado e no cavalo você tem que ter uma certa especialização. Agora nas demais fazendas eu só crio gado, os cavalos que nós selecionamos para o trabalho eu mando daqui da Fazenda das Acácias para as outras fazendas.


Dr. Jairo spoke with Revista Casa Branca about how it is to raise both horses and cattle, in a committed manner and with high-class distinction.

B

esides his career as a cardiologist, Dr. Jairo Queiroz Jorge is also a successful cattle rancher and breeder of Nelore and Arabian horses. Dr. Jairo is a man of accomplishments. As a physician, he was a member of distinguished Dr. Zerbini’s staff, the world’s pioneers in heart transplant procedures. His father and his brother, who ran the family’s three farms in Mato Grosso do Sul, died prematurely in a plane accident. At a young age, Dr. Jairo had to leave São Paulo and return to Três Lagoas to manage the business. Nowadays, the Queiroz Jorge family owns seven cattle farms and at one of them – the Acácias farm, near the city of Três Lagoas –, Nelore genetic selection procedures are performed and celebrated Arabian horses are raised. The farms gather a cattle population of about 13,000 animals. The horse herd clearly is less populated, but internationally successful. He has raised two of the most important breed stallions ever produced, Don El Chall and Power World JQ - the father of several exported products which have been winning shows and breeding in the best farms in Canada, the USA, Europe, South America and the Middle East.

56 Casa Branca Press

Casa Branca – How did you become a horse and cattle rancher? Dr. Jairo - Breeding cattle runs in the family. My father and my brother were cattle ranchers, and after their premature death, I took up the farming work they had been so greatly developing. And my children, Iran and Gustavo, have been carrying it all on to this today. I learned more closely about the Arabian horses when already raising cattle. I got to know the mares Orestinho (Orestes Prata) had bought from Dr. Aloysio during the AF auction. I fell in love with three of them, daughters of Sahibi. I ended up buying them and, in 1985, I started breeding horses as well. I was very interested not only in the beauty of the breed, but also in its capability, rusticity and wonderful millennial history. Nowadays, raising cattle is my life, my family’s business, and horses are my delight, as well as my children’s and my granddaughter’s. Casa Branca - What is your goal as a cattle and horse rancher? Dr. Jairo - Our goal in working with cattle is to increase productivity. That is, I have a commercial interest in the activity. My children do an excellent job in this regard. They visit the farms and are always attentive to every detail that allows productivity gains, from pastures, animal handling, sanitation and field coverage. We breed, re-breed and fatten livestock at the farms. I’m based here at the Acácias Farm, which is our genetic center. With the support by the Brazilian Agricultural Research Corporation [Embrapa], through the Geneplus Program, we have achieved extraordinary improvements with the pure Nelore cattle. With this information at hand, we raise and trade

animals featuring suitable traits for the improvement of Nelore commercial herds. The genetic enhancements we are able to develop here at the Acácias have well-defined commercial goals. When I started raising cattle, we used to keep the animals on the pasture for 5 to 6 years until slaughter weight was reached. Nowadays, it takes 2.5 to 3 years for us to be able to sell the animals. Our main objective with the breeding of horses, in turn, is developing competition animals, to raise animals of high international level. We have achieved excellent results and I count on the advice of Iran, who, today, is a renowned judge at the Brazilian Arabian Horse Association; Leopoldo Coutinho, an agronomist and an expert on the breed; and Zé Paulo, responsible for the handling of the animals. And in this regard, we have achieved excellent results, earning several national titles and many of the exported animals have become champions in the countries to where they were sent. Casa Branca – Are there any similarities between raising cattle and horses? That is: is the art of breeding complementary, regardless of the animal, or are they two very different activities? Dr. Jairo - The art of breeding is one single thing, regardless of the animal. Genetic planning, the concerns with handling, feeding, and with the health of sire animals (male and female) and products are similar, but not the same. For example, there are statistics and plenty of genetic information available for the raising of cattle and the same does not apply for horses. Raising horses depends a lot more on observation and empiricism. Obtaining horse semen and transferring horse embryos and ovules are more difficult activities and results are not as precise as for cattle. In Brazil, the number of certified Arabian breeders is reduced. When it comes to cattle, the scenario is different. Nowadays, there are very advanced Genetic Centers for cattle. Hence, the breeding of horses doesn’t develop as fast. Manpower itself and the care in

handling the animals are different. Cattle handling is easier, as they are more rustic animals, and grazing always prevails. Casa Branca - Is it possible to maintain and control the problems of raising the two types of animals in one single location? Dr. Jairo - I don’t have any problems. I raise Arabian horses and Nelore cattle at the Acácias Farm, but the teams and the stables must be independent, as I have already mentioned, the breeding methods are different and a certain level of specialization is required to obtain good results. Now, at the other farms I only raise cattle, the horses that we select for work are sent from the Acácias estate to the other farms. Casa Branca - Is the Arabian horse good for working in the field? Dr. Jairo - Very good. My employees really like to work with them. They are sturdy animals, they work all day and, the next day, they are ready to do it all over again. Moreover, they are very intelligent and have cow sense. I mean, they like working with cattle and they are fit to do it. At my farms, I only work with Arabian horses. This is how we usually do it: after weaning, we separate the horses we are going to use in competitions and those we are going to use for reproduction; the remaining animals are sent to work. The Arabian horses are a product of an ancient genetic selection technique and, therefore, rarely have major morphological problems. As the selection for competitions and reproduction and future auctions is very strict, we keep only 10% to 15% of the production, the remaining animals are sent to perform farm-work with optimal use. We have observed at the farms that the Arabian horses, besides being very resistant, are docile and intelligent in all forms of handling; that is, sorting, catching... To this day I am still impressed to see how they like to work with cattle!!

Casa Branca Press 57

cattle and horses

cattle and horses

Cattle and Horses: Life and Passion


visitam a Casa Branca comunicação

comunicação

Jornalistas de agronegócios 22 profissionais da imprensa, vindos de nove estados diferentes, conheceram o programa de melhoramento genético da fazenda.

P

elo segundo ano consecutivo, um grupo de jornalistas de agronegócio visitou

“Temos parceria com instituições de ensino de Minas Gerais, como a Universidade

a Fazenda Santa Ester (Silvianópolis, MG) para conhecer de perto o programa

Federal de Lavras (UFLA) e o Instituto Federal Sul de Minas (IFSM), para estágios e

de melhoramento genético da Casa Branca.

visitas periódicas dos alunos. Por que não estender essa troca de experiências com

Participaram da visita jornalistas de nove estados brasileiros (PR, SP, RJ, GO,

os profissionais de comunicação? Essa motivação nos leva a abrir a fazenda para os

MS, MT, RO, TO e PA) representando jornais, revistas, portais de notícias e programas

jornalistas”, informa o criador Paulo de Castro Marques.

de televisão especializados no setor rural.

Essa visita fez parte do projeto Road-Show para Jornalistas do Agronegócio, iniciativa da Texto Comunicação Corporativa, assessoria de comunicações da Casa Branca.

58 Casa Branca Press

Casa Branca Press 59


comunicação

communication

Agribusiness journalists visit Casa Branca

22 press professionals from nine different States learned all about the farm’s breeding program. Equipe da Casa Branca, UFLA e Agropartners que recebeu os jornalistas

O gerente de pecuária da Casa Branca, Heitor Pinheiro Machado, abriu a visita com uma visão geral dos princípios e objetivos da Casa Branca. “É nossa marca buscar a melhor genética onde quer que ela esteja. O passo seguinte é ter uma rígida seleção dos melhores reprodutores para fornecer às fazendas brasileiras, com foco no aumento da produtividade”, disse Heitor. Neste ano, o tema central do encontro com os jornalistas foi o projeto de genômica da Casa Branca. Esse trabalho é liderado pelo prof. José Fernando Garcia (veja Entrevista com mais informações na página 22). “A genômica é uma técnica indispensável para a pecuária moderna. Se falamos em produtividade na atividade, é preciso incluir a genômica, pois ela acelera a seleção dos reprodutores de acordo com os objetivos exigidos pelo mercado”, explica o prof. Fernando. A professora Sarah Meirelles, da UFLA, coordenadora da Prova de Ganho de Peso de tourinhos da Casa Branca, também participou da visita. Para ela, “a seleção rigorosa dos atributos produtivos e reprodutivos feita pela Casa Branca é a chave para

60 Casa Branca Press

o aumento da produtividade na pecuária brasileira”. O grupo de jornalistas era composto por profissionais iniciantes e outros experientes em agronegócio. Essa mescla funcionou muito bem na visita, pois a equipe da Casa Branca focou nos detalhes do programa de melhoramento genético e, assim, pode esclarecer todas as dúvidas dos jornalistas. “Fiquei particularmente impressionado com a rigidez do processo de seleção da Casa Branca, agora incluindo a análise de DNA dos animais. Num país tão grande como o nosso, é preciso buscar o aumento da produtividade usando todas as ferramentas disponíveis”, disse o jornalista José Gomes de Oliveira, editor do jornal Folha Rondoniense, de Porto Velho (RO). O jornalista goiano Vinicius Braga participou da visita à Casa Branca em 2016 e voltou neste ano. “É impressionante a evolução da pecuária. De um ano para o outro, pude perceber ajustes importantes no processo de seleção, inclusive com a incorporação da genômica, uma técnica que prova sua viabilidade com ganhos de eficiência”, destacou Vinicius.

F

or the second year in a row, a group of agricultural journalists visited Fazenda Santa Ester (Silvianópolis, Minas Gerais) to explore Casa Branca’s breeding improvement program. Journalists from nine Brazilian States (Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Goiás, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Rondônia and Pará) representing newspapers, magazines, news portals and TV shows specializing in the rural sector joined the tour. “We have a partnership with educational institutions in the State of Minas Gerais, such as the Federal University of Lavras (UFLA) and the Federal Institute Sul de Minas (IFSM), for internships and periodic visits of students. Why not extend this exchange of experiences with media professionals? This motivation leads us to open the farm for journalists”, breeder Paulo de Castro Marques said. This visit was part of the Road Show for Agribusiness Journalists project, an initiative by Texto Comunicação Corporativa – Casa Branca’s communications consultancy firm. Casa Branca’s animal husbandry manager Heitor Pinheiro Machado opened the tour with an overview of the company’s principles and objectives “Getting the best genetics wherever it is one of our brand’s values. The next step is to have a strict selection of the best sires to be supplied to Brazilian farms, with a focus on increasing productivity”, added Heitor. Casa Branca’s genome project was the key theme of the meeting with journalists this year. This work is led by Prof. José Fernando Garcia (check Interview with more informa-

tion on page 28). “Genomics is a critical technique for the modern animal husbandry. If we’re talking about productivity in the activity, we have to include genomics, as it speeds up the selection of sires according to market requirements”, explained Prof. Fernando. UFLA professor Sarah Meirelles, coordinator of Weight Gain Trials for young bulls at Casa Branca, also attended the tour. “The rigorous selection of the productive and reproductive attributes made by Casa Branca is the key to productivity growth in Brazilian livestock,” she pointed out. The group of journalists was composed of experienced professionals and beginners in agribusiness. This mix worked very well on the tour, as Casa Branca’s staff focused on the details of the breeding program and were able to clarify all the journalists’ questions. “I was particularly impressed with how rigid Casa Branca’s selection process is, now including DNA analysis of animals. In a country as large as ours, we need to use all the tools available to increase productivity,” said journalist José Gomes de Oliveira, editor of the newspaper Folha Rondoniense, Porto Velho (Rondônia). Vinicius Braga, a journalist from the state of Goiás, joined the tour to Casa Branca in 2016 and returned this year. “It’s amazing to see how livestock has evolved. From one year to another, I notice important adjustments to the selection process, including the incorporation of genomics, a technique that proves its feasibility with efficiency gains”, stressed out Vinicius.

Casa Branca Press 61


educação / education

Doação de matrizes Brahman para instituição de ensino

Donation of Brahman dams to educational institution

Casa Branca contribui para formação de núcleo de pecuária de corte do IFSM, em Minas Gerais.

Casa Branca contributes to the establishment of IFSM’S beef cattle center in Minas Gerais.

A

C

Casa Branca Agropastoril doou 2 matrizes da raça Brahman para o Instituto Federal Sul de Minas (IFSULDEMINAS) - campus de Machado (MG). As fêmeas farão parte do banco genético do novo projeto da entidade, o Núcleo de Gado de Corte. “A Casa Branca demonstra mais uma vez sua força institucional, contribuindo para a criação de novas áreas de pesquisas e disseminação de conhecimento de importantes instituições de pesquisas em pecuária de corte. Essa parceria com o Instituto Federal Sul de Minas visa, também, ajudar o processo de formação dos alunos e a prática da atividade”, explica Heitor Machado, gerente de pecuária da Casa Branca Agropastoril. “A parceria contribuirá para o fortalecimento do curso de zootecnia do Instituto Federal, processo que nos ajudará na avaliação do MEC, no segundo semestre do ano. A Casa Branca Agropastoril doou dois animais de alto valor genético ao campus sem nenhuma contrapartida. Esses animais contribuirão para o setor de bovinocultura de corte da nossa instituição, além de auxiliar em outros serviços, como dias de campo, confinamento e até comercialização de animais no futuro”, comenta Nikolas Amaral, Coordenador Geral de Produção de Bovinos do campus Machado.

asa Branca Agropastoril donated two dams of the Brahman breed to the Federal Institute Sul de Minas (IFSULDEMINAS) - Machado (Minas Gerais) campus. The females will be part of the gene bank of the entity’s new project, the Beef Cattle Center. “Casa Branca displays its institutional force once again, contributing to the creation of new areas of research and dissemination of knowledge from important beef cattle research institutions. This partnership with the Federal Institute Sul de Minas also aims to aid in the student training process as well as in practical activities”, explained Heitor Machado, Animal Husbandry Manager at Casa Branca Agropastoril. “The partnership will add strength to Federal Institute’s animal science course, a process that will help us in the MEC evaluation in the second half of the year. Casa Branca Agropastoril donated two animals of high genetic value to the campus without receiving anything in return. These animals will enrich the beef cattle breeding area in our institution, as well as assist in other services, such as days on the field, containment and even sale and purchase of animals in the future”, explained Nikolas Amaral, General Coordinator of Cattle Breeding at the Machado campus.

Nutrientes benéficos para pele e pelagem! Níveis de Níveis degarantia: garantia:

Por kg

Por cápsula

65,7 g

22 mg

Extrato de leveduras (mín.)

300,3 g

100,60 mg

Pantotenato de cálcio (mín.)

197,019 g

66 mg

170 g

56,95 mg

Cistina (mín.)

Tiamina (mín.)

PREPARE-SE! VOCÊ NUNCA CONHECEU NADA IGUAL!

SACSAUDEANIMAL@AVERT.COM.BR UMA EMPRESA BIOLAB

Rua Olimpíadas, 242 - 3º andar - Vila Olímpia - 04551-000 - São Paulo - SP 62 Casa Branca Press


entra no calendĂĄrio da Casa Branca

eventos

eventos

Venda direta de outono

Pecuaristas de Minas Gerais e SĂŁo Paulo adquiriram animais Angus, Brahman e Simental da Casa Branca na abertura das vendas da fazenda.

>>> 64 Casa Branca Press

Casa Branca Press 65


VENDA DIRETA DE OUTONO

Jesus Sandi (a dir), os filhos e Florim Fernandes compraram touro Brahman Casa Branca

A

Roberto Vieira, de Muzambinho, na foto com Eliane Slucki (Casa Branca) comprou dois touros Angus na Venda Direta de Outono

Casa Branca Agropastoril vendeu 73 reprodutores e

genético da Casa Branca”, explica Heitor

reta de Outono, realizado na Fazenda Santa Ester, em

Casa Branca.

matrizes Angus, Brahman e Simental na 2ª Venda Di-

Silvianópolis (MG), em março de 2017.

Pinheiro Machado, gerente de pecuária da

O pecuarista Roberto Vieira de Souza (Fa-

O volume de animais comercializados foi 25% maior do que

zenda Santa Adélia), de Muzambinho (MG),

provando a boa demanda de machos e fêmeas de alta qualidade

Venda Direta de Outono. “É nossa primeira

em 2016 e o faturamento de R$ 535 mil foi 22% superior, comgenética no Sul de Minas Gerais.

A Venda Direta de Outono é a primeira oportunidade de venda

da genética Casa Branca. O seu resultado e a intensa procura pelos criadores fazem com que esse evento entre para o calendário anual da empresa.

“Vendemos todos os animais colocados à disposição dos pe-

cuaristas. Em quatro dias, comercializamos para sete estados e recebemos mais de 25 criadores de 16 diferentes cidades de

comprou dois touros Angus Casa Branca na compra de genética Casa Branca. Estamos

levando touros Angus muito bem adaptados à

região, sadios, dóceis e de genética superior. Eles serão usados na próxima estação de monta

para cobrir vacas Nelore e produzir bezerros que nascem pequenos e crescem rápido”, explica o produtor.

Florim Fernandes, Jesus Sandi e seus filhos

Minas Gerais – especialmente do Sul do estado –, que foram à

(Fazenda São José), de Conceição das Pedras

e fêmeas) para melhorar a genética de seus projetos pecuários”,

tono da Casa Branca para comprar um touro

fazenda com a decisão tomada de adquirir reprodutores (machos comemora o criador Paulo de Castro Marques, proprietário da Casa Branca.

“Ficamos extremamente motivados com esse resultado e,

especialmente, pela resposta tão positiva de pequenos e médios produtores de Minas Gerais”, acrescenta Paulo.

Os animais colocados à venda pela Casa Branca são ava-

liados para as condições do Sudeste e do Brasil Central. “São

machos e fêmeas extremamente funcionais e produtivos, que incorporam os fundamentos do programa de melhoramento

66 Casa Branca Press

events

eventos

Fall direct sales is added to Casa Branca’s calendar

(MG), aproveitaram a Venda Direta de Ou-

Brahman para colocar com vacas Nelore. Foi a primeira compra de genética Casa Branca. “Em 2016, visitamos a Casa Branca mas não compramos animais, apesar de ficar impres-

sionados com a genética. Aproveitamos essa

venda especial e compramos um reprodutor

Brahman que vai ajudar muito nosso plantel

em termos de produtividade e rusticidade”, disse o sr. Jesus.

Cattle farmers from Minas Gerais and São Paulo acquired Angus, Brahman and Simmental animals from Casa Branca at the opening of the farm’s sales.

C

asa Branca Agropastoril sold 73 Angus, Brahman and Simmental sires and dams in the 2nd Fall Direct Sales held at Fazenda Santa Ester, in Silvianópolis (Minas Gerais), in March 2017. The volume of traded animals was 25% higher than in 2016 with a turnover of BRL 535,000.00 – a 22% increase – ascertaining the great demand of males and females of high genetic quality in southern Minas Gerais. Fall Direct Sales is Casa Branca’s first opportunity to sell genetics. Its results and high demand by breeders has led the company to include this event in its annual calendar. “We sold all of the animals placed for sale to cattle farmers. In four days, we sold to seven states and received more than 25 breeders from 16 cities of Minas Gerais – especially from the Southern State, which went to the farm decided to acquire sires (male and female) to improve their projects’ genetics”, celebrated breeder Paulo de Castro Marques, owner of Casa Branca. “We were extremely motivated with this result and, especially, by such a positive response of small and medium-sized producers from Minas Gerais”, Paulo added. The animals offered for sale by the Casa Branca are evaluated for conditions of the Southeast and Central

regions of Brazil. “These males and females are highly functional and productive, incorporating the fundamentals of Casa Branca’s genetics improvement program”, explained Heitor Pinheiro Machado, Manager of Animal Husbandry at Casa Branca. The cattle farmer Roberto Vieira de Souza (Fazenda Santa Adélia), from Muzambinho (Minas Gerais), bought two Casa Branca Angus bulls at the Fall Direct Sales event. “It’s our first purchase of Casa Branca genetics. We’re taking Angus bulls that are very well adapted to the region, healthy, docile and genetically superior. They will be used in the next breeding season to cover Nelore cows and produce calves that are born small and grow fast”, said the producer. Florim Fernandes, Jesus Sandi and their siblings (Fazenda São José), from Conceição das Pedras (Minas Gerais), went to Casa Branca’s Fall Direct Sales to buy a Brahman bull to mate with Nelore cows. It was the first purchase of Casa Branca genetics. “In 2016, we visited Casa Branca but we did not buy animals, despite being impressed with genetics. We took advantage of this special sale and bought a Brahman sire which will be of great help to our breeding stock in terms of rusticity and productivity”, said Mr. Jesus.

Casa Branca Press 67


September will feature the 2017 edition of the

Casa Branca Em setembro, mais uma edição do

Leilão Anual

Casa Branca 2017

Annual Sale

Angus, Brahman and Simmental sires and dams will be on sale at Santa Ester Farm (Silvianópolis, Minas Gerais), September 8-9, 2017.

Reprodutores e matrizes Angus, Brahman e Simental estarão à venda na Fazenda Santa Ester (Silvianópolis, MG) nos dias 8 e 9 de setembro.

The next Casa Branca sale has been sche-

luation test at Casa Branca. Some of our best

duled for September 8-9, 2017, at the Annual

animals will be on sale at the annual sale. This

Casa Branca Sale for males and dams of the

is our contribution to the continuous increase of

Angus, Brahman and Simmental varieties.

productivity in the Brazilian livestock industry”,

The sale will be held at Santa Ester Farm, in

explains the rancher.

próxima venda da Casa Branca está programada para os dias 8 e 9 de setembro de 2017, com a realização do Leilão Anual Casa Branca de machos e fêmeas das raças Angus, Brahman e Simental. O palco será a Fazenda Santa Ester, em Silvianópolis (MG), nas proximidades de Pouso Alegre, no sul de Minas Gerais. “Mais uma vez selecionamos os nossos melhores reprodutores e fêmeas da safra para colocar à disposição do mercado”, explica Paulo de Castro Marques. A Casa Branca comercializará touros de alta qualidade genética para centrais ou programas de melhoramento genético, machos para repasse e para colocar na vacada zebuína e, assim, produzir mais bezerros de alta qualidade. Os reprodutores seguem com exame andrológico positivo e passaram por rígida avaliação de desempenho.

Silvianópolis, near the city of Pouso Alegre, in

A

68 Casa Branca Press

“Encerramos mais uma prova de avaliação de touros jovens da Casa Branca. Alguns dos melhores animais serão oferecidos no nosso leilão anual. É nossa contribuição ao contínuo aumento de produtividade da pecuária brasileira”, explica o criador. A Casa Branca também venderá fêmeas prontas para reprodução no seu leilão anual, em setembro de 2017. “Ofereceremos novilhas, vacas primíparas e matrizes com histórico de produção. São animais rigidamente avaliados para impulsionar a base de planteis que desejam aumentar a oferta de bezerros de alta qualidade genética”, informa Paulo Marques.

Southern Minas Gerais State.

Casa Branca will also sell females ready for mating at its annual sale in September 2017.

“Once again, we have selected our best

“We will be offering heifers, primiparous cows

sires and females from this year’s harvest

and dams with proven reproduction history.

to offer to the market”, Mr. Marques explai-

These animals undergo strict evaluation and

ned.

will significantly improve the herd in operations

Casa Branca will sell high genetic-value bulls to genetic improvement programs, males for

looking to boost their supply of high geneticvalue calves”, Mr. Marques noted.

resale and to mate with Zebu cows, which will result in high-quality calves. The sires have

Save the date – For more information about

positive andrology tests and undergo a strict

the Casa Branca 2017 Sale, please call

performance evaluation.

(35) 3452-0828 and (11) 3573-6219,

“We just completed another young bull eva-

or visit www.cbagropastoril.com.br.

Agende-se: Mais informações sobre o Leilão Casa Branca 2017 podem ser obtidas nos telefones (35) 3452-0828 e (11) 3573-6219 e www.casabrancaagropastoril.com.br. Casa Branca Press 69


AGENDA agenda

Os principais eventos de pecuária do 2º semestre de 2017 26ª Exposição Nacional da Raça Simental Data: 19 a 25 de junho de 2017 Local: Avaré (SP) www.simentalsimbrasil.org.br

Expointer 2017

The main livestock events scheduled for the second half of 2017 26th National Exposition of the Simmental Cattle Date: June 19 to 25, 2017 Location: Avaré (São Paulo) www.simentalsimbrasil.org.br

Data: 26 de agosto a 03 de setembro de 2017 Local: Esteio (RS) www.expointer.rs.gov.br

Expointer 2017

Leilão Anual da Casa Branca

Casa Branca’s Annual Sale

Data: 8 e 9 de setembro de 2017 Local: Fazenda Santa Ester (Silvianópolis, MG) www.casabrancaagropastoril.com.br

XIII ExpoBrahman Data: setembro de 2017 Local: Uberaba (MG) www.brahman.com.br

Interconf 2017 Data: 19 a 21 de setembro de 2017 Local: Goiânia (GO) www.interconf.org.br

Melhores do Ranking da Raça Angus Data: dezembro de 2017 Local: Porto Alegre (RS) www.angus.org.br

Fenagro 2017 Data: 25 de novembro a 03 de dezembro de 2017 Local: Salvador (BA) www.seagri.ba.gov.br

70 Casa Branca Press

Date: August 26 to September 3, 2017 Location: Esteio (Rio Grande do Sul) www.expointer.rs.gov.br

tecnologia em nano A inovação dermatológica em Nanotecnologia. Conheça o TAMANHO que fará a diferença no RESULTADO!

Date: September 8 and 9, 2017 Location: Santa Ester Farm (Silvianópolis, Minas Gerais) www.casabrancaagropastoril.com.br

XIII ExpoBrahman Date: September 2017 Location: Uberaba (Minas Gerais) www.brahman.com.br

Interconf 2017 Date: September 19 to 21, 2017 Location: Goiânia (Goiás) www.interconf.org.br

Best of the Angus Breed Ranking Date: December 2017 Location: Porto Alegre (Rio Grande do Sul) www.angus.org.br

Fenagro 2017 Date: November 25 to December 3, 2017 Location: Salvador (Bahia) www.seagri.ba.gov.br

Casa Branca Press 71


Profile for Casa Branca Agropastoril

Casa Branca PRESS 18  

Junho de 2017 / ano 12 - número 18

Casa Branca PRESS 18  

Junho de 2017 / ano 12 - número 18

Advertisement