Page 1


6 Entrevista Drauzio Varella 12 Entrevista Roberto Barcellos 16 Mercado

Interview Drauzio Varella 10 Interview Roberto Barcellos 15 Market 20

22 Eventos

Events 26

28 Técnica

Technical 40

47 Leilão 49 Exposição

índice

Editorial 4

50 Cavalo Árabe 58 Agenda

Sale 46 Show 48 Arabian Horse 54 Agenda 58

index

5 Editorial

CASA BRANCA PRESS Ano 11 – Número 16 – Junho de 2016 EXPEDIENTE

Diretores: Paulo de Castro Marques Paulo Wickbold Marques Fabiana Marques Borrelli Secretaria Geral e Marketing: Eliane Slucki Jornalista Responsável: Altair Albuquerque (MTb 17.291) Reportagens: Texto Comunicação Corporativa e Rogério Santos (Cavalo Árabe) Fotos: Arquivo Casa Branca, Texto, Gerson Sobreira, Rogério Santos, Rubens Ferreira, ZZn Peres

Produção: BReeder Editora Foto Capa: Banco de imagens da Casa Branca Casa Branca Press é o órgão oficial de comunicação da Casa Branca Agropastoril Correspondência: Rua das Olimpíadas, 242 - 3º andar - Vila Olímpia - São Paulo (SP) - CEP 04551-000 Telefone: (55 11) 3573-6219 e-mail: casabranca@casabrancaagropastoril.com.br

Casa Branca Press

3


editorial

SUCCESS

4

Casa Branca Press

O segredo do

sucesso

My father taught me a lot of things in life. One is that there is no success without work. A lot of work.

Meu pai me ensinou muitas coisas na vida. Uma delas é que não há sucesso sem trabalho. Muito trabalho.

My father taught me a lot of things in life. One is that there is no success without work. A lot of work. In the case of livestock, this is also true. The genetic selection is calculated year after year, birth after birth. It is not possible for a brand to become strong or a supplier to be successful overnight. And, in fact, the work of years is not always the recipe for success. Competence, focus, credibility and commitment to customers are essential in this process. Casa Branca has invested in Angus, Brahman and Simmental for more than 15 years. In order to become a high quality genetics supplier, it has invested and still invests a lot. One of our most striking characteristics is the search for the best genetics, wherever it may be. That’s what makes us a consistent genetics supplier which is recognized by many breeders, who we thank. In this edition of the Casa Branca Press magazine, we highlight two new partners of Casa Branca: SAV and Connealy Angus, both from the United States. They are sources for our genetic base. And this is because they do an exceptional and long-lasting job: Connealy has more than 50 years’ experience in selection; SAV, more than a century. We are drawing the same path. We have already progressed a lot and we’re gaining better results each year. This is the work we put at the disposal of the Brazilian breeders in each animal which is sold. Purchasing a bull or a cow from Casa Branca is making sure that different, selected products are being taken to your farms. This is our commitment.

No caso da pecuária, essa máxima também é verdadeira. A seleção genética é apurada ano após ano, nascimento após nascimento. Não é possível ser uma marca forte ou ser um fornecedor de sucesso de um dia para o outro. E, na verdade, nem sempre o trabalho de longa data é receita de sucesso. Competência, foco, credibilidade e compromisso com os clientes são indispensáveis nesse processo. A Casa Branca investe em Angus, Brahman e Simental sul-africano há mais de 15 anos. Para se tornar um fornecedor de genética de qualidade, investiu e investe muito. Uma de nossas características mais marcantes é a busca da melhor genética onde ela estiver. É isso que nos faz um fornecedor de genética consistente e reconhecido por muitos criadores, aos quais agradecemos a confiança. Nessa edição da revista Casa Branca Press, destacamos dois novos parceiros da Casa Branca: SAV e Connealy Angus, ambos dos Estados Unidos. Eles são fontes de nossa base genética. E isso ocorre porque fazem um trabalho excepcional e duradouro: a Connealy tem mais de 50 anos e seleção; a SAV, mais de um século. Estamos trilhando o mesmo caminho. Já avançamos muito e estamos conquistando resultados melhores a cada ano. É esse trabalho que colocamos à disposição dos criadores brasileiros em cada animal vendido. Adquirir um reprodutor ou uma matriz da Casa Branca é ter a certeza de estar levando para suas fazendas produtos diferenciados, selecionados. Esse é o nosso compromisso.

Paulo de Castro Marques

Paulo de Castro Marques

Owner of Casa Branca Agropastoril

Proprietário da Casa Branca Agropastoril

Casa Branca Press

editorial

The secret of

5


entrevista

Um médico em defesa da

carne bovina

Casa Branca Press

A

carne bovina é uma proteína essencial na dieta das pessoas devido às suas características positivas para a saúde, como o teor de ferro. Mesmo assim, uma expressiva parcela da

comunidade médica sempre que pode coloca a proteína vermelha como vilã da alimentação, notadamente por supostos problemas ao coração. Nesse meio, um especialista de muito destaque no cenário brasileiro se diferencia e, diz, não conhece motivos científicos para relacionar a carne bovina a doenças cardiovasculares. O especialista em questão é o dr. Drauzio Varella. Nesta entrevista à revista Casa Branca Press ele aborda o tema com muita naturalidade e sacramenta que restringir o consumo de carne bovina não é científico, é ideológico.

O dr. Drauzio Varella valoriza as qualidades da carne bovina na alimentação e não aceita os argumentos contrários a ela.

6

“... a carne bovina é bem-vinda porque faz diferença”. entrevista

DRAUZIO VARELLA

Casa Branca Press – O sr. é um defensor do consumo de carne bovina. Quais são seus argumentos favoráveis à carne? Dr. Drauzio Varella – Existe uma discussão que não tem base científica para acontecer. Não há nenhum estudo que comprove que o consumo de carne bovina precisa ser moderado. Para existir valor científico sobre essa questão, teria de ser realizado um estudo com mais ou menos 100 mil pessoas por um período de 20 anos e ao custo de um bilhão. Temos de ter uma dieta variada, que pode envolver carne bovina, de frango, mas balanceada. A dieta tem de ser equilibrada e sem exageros. Fora disso tudo é ideologia. Casa Branca Press – Por que a comunidade científica, de uma maneira geral, impõe restrições ao consumo de carne?

Dr. Drauzio Varella – Essa historia vem dos anos 50 e 60. Uma parte da comunidade médica ligou o colesterol como um fator responsável estabelecido pelo uso da carne bovina. Estabeleceu-se o critério de que a carne vermelha era a grande causadora de ataques cardíacos. Essa política é ideológica e não científica. Casa Branca Press – Então podemos refutar a suposição de que a carne bovina faz mal ao coração? Dr. Drauzio Varella – Sim. Não existe nenhuma demonstração que faça.

Casa Branca Press

7


entrevista

Articulações saudáveis para as aventuras do dia a dia

Casa Branca Press – Como o sr. define a qualidade da alimentação dos brasileiros? Dr. Drauzio Varella – É difícil, pois este é um país muito diversificado. O problema não tem a ver com a carne e sim com os carboidratos. Devemos lembrar que 52% da população estão acima do peso, segundo dados do IBGE. Casa Branca Press – O que falta nos nossos pratos? Dr. Drauzio Varella – Faltam os vegetais. Salada, verduras e frutas em quantidade. Casa Branca Press – Em termos de qualidade da alimentação, estamos melhor ou pior que os países do Primeiro Mundo?

Dr. Drauzio Varella – Nós estamos com os mesmos problemas que eles têm hoje. Doces, chocolates, bolos e alimentos industrializados que vêm cheio de açúcar estão no cardápio.

Casa Branca Press – Por que as pessoas têm tanto dificuldade em balancear a alimentação com proteína, carboidrato e fibras? Dr. Drauzio Varella – Por causa da dificuldade do mundo moderno. Antigamente ninguém comia fora. Almoçava e jantava em casa. Hoje, é muito difícil comer em casa todos os dias. As pessoas comem em qualquer lugar produtos industrializados e altamente calóricos. Isso está associado à vida sedentária. Antigamente era tudo a pé, longe de casa. Hoje ninguém mais anda durante o dia pelo período e distância necessários.

Sulfato de Condroitina A Alta concentração por dose

Colágeno Hidrolisado Alta absorção

Diversas apresentações Único na forma de sticks

Alta palatabilidade Melhor Custo x Benefício Alta adesão ao tratamento

Casa Branca Press – Daqui a 20 anos estaremos nos alimentando melhor ou pior? Por que? Dr. Drauzio Varella – Acho que melhor. Milhões de pessoas têm acesso à alimentação a baixos preços. As famílias têm acesso a alimentos de boa qualidade e a preços acessíveis. Porém, temos de sempre nos ater à qualidade da dieta. Esse é o grande desafio. Nesse cenário, a carne bovina é bem-vinda porque faz diferença. Entre em contato conosco, SOLICITE AMOSTRA e a visita do nosso propagandista através do SAC. Será um prazer atendê-lo(a) e levar mais informações.

8

Casa Branca Press

S A C S A U D E A N I M A L @ AV E R T. C O M . B R


reprodutor / sire

DRAUZIO VARELLA

inter view

A doctor who is in favor of beef Dr. Drauzio Varella values the beef properties in our food, and he does not accept the arguments against it.

Beef is an essential protein for everyone’s diet due to the qualities it offers to our health, such as its iron contents. Even so, a significant part of the medical community sees red protein as a food villain as often as possible, notably for heart problems it supposedly causes. However, a prominent Brazilian specialist disagrees with them, and says he knows no scientific reasons that relates beef to cardiovascular diseases. This expert is Dr. Drauzio Varella. In this interview to Casa Branca Press magazine, he tackles the subject with great simplicity, and confirms that restricting beef consumption is a not scientific issue, but ideological. Casa Branca Press - You defend eating beef. What are your arguments in favor of it? Dr. Drauzio Varella - This is a discussion that has no scientific basis. There are no studies proving that we need to eat beef moderately. For this subject to have scientific value, a study must be conducted with around 100 thousand people, for a period of 20 years, at a cost of one billion. We must have a varied diet, which can consist of beef or chicken, but has to be balanced. Our diet needs to be balanced, and not excessive. Everything beyond this is ideology. Casa Branca Press – Why does the scientific community in general imposes restrictions to beef consumption? Dr. Drauzio Varella – This theory comes from the 50s and 60s. A part of the medical community related cholesterol to a factor caused by eating beef. And they adopted a criterion saying that red meat was the major cause of heart attacks. This policy is ideological, not scientific. Casa Branca Press – So we can deny the assumption that beef is bad for our heart? Dr. Drauzio Varella – Yes. There is no proof of it.

10 Casa Branca Press

Casa Branca Press – How do you define the quality of Brazilian food? Dr. Drauzio Varella – It’s hard, because this is such a diverse country. Our problem has nothing to do with meat, but with carbs. We must remember that 52% of the population is overweight, according to IBGE’s data. Casa Branca Press – What is missing in our meals? Dr. Drauzio Varella – Vegetables are missing. Lots of salads, vegetables and fruits. Casa Branca Press – In terms of food quality, are we better or worse than the industrialized countries? Dr. Drauzio Varella – Today we have the same problems they do. Candies, chocolate, cakes and processed food are full of sugar, and they can be found in our menus. Casa Branca Press – Why do people have so much trouble balancing their meals with protein, carbs and fiber? Dr. Drauzio Varella – Because of the modern world’s challenges. In the old days, nobody used to eat out. They used to have lunch and dinner at home. Today, it is very hard to eat at home every day. People eat processed and highly-caloric food anywhere. This is linked to our sedentary lifestyle. In the past, people used to walk everywhere, because everything was far from home. Today, nobody walks enough distances for enough time throughout the day. Casa Branca Press – In 20 years from now, are we going to eat better or worse? Why? Dr. Drauzio Varella – Better, I believe. Millions of people have access to low-price food. Families have access to goodquality food at affordable prices. However, we always have to stick to the quality of our diet. This is our big challenge. In this scenario, beef is welcome because it makes a difference.

A.758702 - SAV 8180 TRAVELER 004 A.761401 - SAV HEAVY HITTER 6347

PWM NATHAN TEICB 1060 ABERDEEN ANGUS - PO - 16.dez.2011

F

A.0735684 - TRES MARIAS 6632 LATINA TE

ilho do norte-americano SAV HEAVY HITTER, touro de números excepcionais e grande produção. Sua mãe é TRÊS MARIAS LATINA, fechada nas melhores linhagens Três Marias. PWM NATHAN é irmão do reprodutor TM ATORNANTE, que se encontra em central de inseminação na Argentina. NATHAN foi também campeão Touro na Exposição Internacional de Esteio (RS).

AMN.13845267 - SAV BESSIE HEIRESS 1184 A.718899 - TRES MARIAS 5887 HORNERO TE A.0724864 - TRES MARIAS 6090 TACUARA TE

Offspring of North American SAV HEAVY HITTER, this bull has excellent numbers and great production. His dam is TRÊS MARIAS LATINA, descending from the best Três Marias lineages. PWM NATHAN is the sibling of breeding bull TM ATORNANTE, currently at the Insemination Center in Argentina. NATHAN was also Bull Champion at Esteio International Show, in Rio Grande do Sul.

Casa Branca Press 11


ROBERTO BARCELLOS

entrevista

entrevista

“A partir da genética, conseguimos selecionar indivíduos que apresentem características potenciais desejadas”.

R

oberto Barcellos (foto) é um especialista em carne de qualidade. Sua empresa, a Beef & Veal, é respeitada pelo trabalho em prol da valorização da produção diferenciada. Em sua trajetória, também há passagens importantes pelos demais elos da cadeia produtiva da carne bovina, como o frigorífico. Nessa entrevista exclusiva à revista Casa Branca Press, Roberto Barcellos é franco. Ele vai direto ao ponto ao afirmar que há muito ainda o que evoluir na pecuária brasileira, e destaca que a genética de boa qualidade é essencial nesse processo de amadurecimento da atividade no país.

“Não há carne de qualidade sem boa genética” Ainda temos muito o que avançar, mas há nichos de produção de carne de padrão superior no Brasil.

12 Casa Branca Press

Casa Branca Press – Qual sua definição de carne de qualidade? Roberto Barcellos – É uma resposta bem complexa. Parece ser simples, mas não é nada simples. É uma carne que seja mais macia, saborosa e que traga satisfação 100% das vezes em que for consumida. Falta de padrão é o grande probema da carne brasileira. A carne de qualidade tem de estar excelente sempre para poder qualificar o produto como superior. Casa Branca Press – De que maneira a genética ajuda os pecuaristas a produzir carne de qualidade? Roberto Barcellos – A genética é o grande divisor de águas no assunto carne da qualidade. A partir da genética, conseguimos selecionar indivíduos que apresentem características potenciais desejadas. Até pouco tempo atrás o Brasil selecionava sempre por desempenho e características produtivas. Isso é antagônico

quando penso em qualidade de carne. O grande desafio é descobrir características que interessam a programas de carne de qualidade. Um bom ganho de peso, ferramentas como marcador molecular, ajudam. Nem sempre os animais melhores selecionados ou mais aptos são aqueles que vão produzir a melhor carne de qualidade. É preciso um animal produtivo. Casa Branca Press – Como os produtores podem usar a genética para ter animais mais precoces, que estão prontos para o abate mais cedo e com carne mais macia? Roberto Barcellos – Selecionando os animais por inseminação e por DEP. Isso vai dar claramente um resultado muito rápido e o produtor estará imputando produtividade no seu rebanho. A maciez sozinha terá um ganho na qualidade de carne, mas ela tem limitação. É uma carne com extrema maciez, mas sem sabor nenhum de um animal muito precoce.

Casa Branca Press 13


entrevista

Casa Branca Press – Como a genômica pode ajudar os pecuaristas nesse processo de seleção voltado à carne de qualidade?

Roberto Barcellos – A genômica consegue enxergar o animal por dentro. As características desejadas apurarão o animal pela genômica. Os programas de carne de qualidade têm condição de padronizar esse animal por dentro. Casa Branca Press – Afinal, em que estágio está o Brasil quando se fala em carne de qualidade? Roberto Barcellos – O Brasil está engatinhando. Todos os nossos concorrentes no mundo hoje estão bem à frente do nosso país. Produzir qualidade custa mais caro. O produtor só produzirá carne de qualidade quando for remunerado por isso. Casa Branca Press – O brasileiro sabe diferenciar a carne de qualidade superior? Roberto Barcellos – De uma forma geral, em se tratando de uma população de 200 milhões de habitantes, não. A maior preocupação é o preço. Está crescendo o nicho de consumidores que comeram carne em outros países e procuram por esse produto de melhor qualidade, um produto gourmet. O Brasil tem potencial muito grande na pecuária. Pessoas que consomem uma carne de qualidade superior se surpreendem, pois nunca tiveram oportunidade de consumir esse produto no país.

Casa Branca Press – As raças bovinas, como a Angus, têm como maior diferencial de marketing a carne de qualidade. É só marketing ou a definição do Angus é essa mesma? Roberto Barcellos – O Angus sofreu um longo e rígido processo de seleção. Hoje, como resultado, temos animais equilibrados, que produzem de forma muito eficiente principalmente quando fazemos o cruzamento industrial. O marketing estará sempre ligado ao consumidor final, pois ele desconhece o que acontece dentro da fazenda. O marketing existe e é muito forte. Casa Branca Press – Como o sr. vê o futuro da pecuária brasileira, considerando as potencialidades de exportação de carne bovina? Roberto Barcellos – O Brasil sempre será um produtor e exportador de commodities. Casa Branca Press – E o mercado interno: melhorando o poder aquisitivo o consumo voltará a crescer? Roberto Barcellos – Com certeza. Existe uma correlação muito grande entre aumento do poder aquisitivo e aumento do consumo de proteína animal. Casa Branca Press – Em geral, o brasileiro come boa carne? Nossa carne ainda fica devendo à argentina ou uruguaia? Por que? Roberto Barcellos – Não. Se pensarmos em maciez, suculência, não. Na média, é uma carne de baixa qualidade, que fica devendo. Mas há bons projetos no Brasil e muito superiores à qualidade da carne argentina e uruguaia.

“There is no quality beef without good genetics” We still have a long way to go, but there are higher quality beef production niches in Brazil. Roberto Barcellos is specialized in quality beef. His company, Beef & Veal, is respected for supporting a singular production. In his career, there are also important events at the other stages of beef production, such as cold-storage buildings. In this exclusive interview to Casa Branca Press magazine, Roberto Barcellos is honest. He goes straight to the point, saying that Brazilian livestock still has to improve a lot, and points out that good-quality genetics is crucial for maturing the activity in the country. Casa Branca Press – What’s your definition of quality beef? Roberto Barcellos – It’s a highly complex matter. It seems simples, but it’s not simple at all. It’s a softer and tastier beef, that leaves us 100% satisfied when we eat it. Brazilian beef’s biggest problem is the lack of standardization. The quality beef has to be excellent at all times to be considered a superior product. Casa Branca Press – How does genetics help ranchers produce quality beef? Roberto Barcellos - Genetics is the major watershed in the subject of quality beef. Based on genetics, we can select individual oxes who have the desired potential features. Until recently, Brazil have always selected it based on performance and production features. This is incompatible when I think of beef quality. The greatest challenge is to discover features that are interesting for quality beef programs. Good fattening and tools such as molecular mark help. The best selected or fittest animals are not always those that will produce the best quality beef. A productive animal is necessary. Casa Branca Press - How can producers use genetics to have more precocious animals, which are ready for slaughter earlier and have a softer beef? Roberto Barcellos - Selecting animals by insemination and EPD. This will clearly lead to a result very quickly, and the producers will be adding productivity to their herd. Softness alone will add value to the quality of the beef, but it has limitations. The beef of a very precocious animal will be extremely soft, but have no flavor. Casa Branca Press - How can genomics help ranchers in this selection process focused on the quality of the beef? Roberto Barcellos - Genomics can see the inside of the animal. The features needed will improve the animal by genomics. Quality beef programs are able to standardize this animal by its interior.

Casa Branca Press - After all, where is Brazil when it comes to quality beef? Roberto Barcellos - Brazil is crawling. Our competitors all over the world are way ahead of our country. It costs more to produce quality. Producers will only produce quality beef when they are paid for it. Casa Branca Press - Can Brazilians recognize top-quality beef? Roberto Barcellos - Generally speaking, talking about a 200 million-people population, no. Their biggest concern is price. The number of consumers who have tried beef in other countries and are looking for this better-quality product, a gourmet product, is growing. Brazil has a great livestock potential. People who eat top-quality beef get surprised, as they never before had the opportunity to eat this product in their country. Casa Branca Press - Cattle breeds such as Angus have quality beef as their top marketing feature. Is it just marketing or is it truly the definition of Angus? Roberto Barcellos - Angus has been through a long and strict selection process. As a result, today we have balanced animals that produce in an effective way, especially when we use crossbreeding. Marketing will always be linked to the final consumer, as they are unware of what happens inside the farms. Marketing exists and it’s very strong. Casa Branca Press - How do you see the future of Brazilian livestock, considering its beef export potential? Roberto Barcellos - Brazil will always produce and export commodities. Casa Branca Press - What about the internal market: If our purchasing power improves, will it start growing again? Roberto Barcellos - It certainly will. There is high correlation between purchasing power improvement and animal protein consumption improvement. Casa Branca Press - In general, do Brazilians eat good beef? Is our beef as good as those from Argentina or Uruguay? Why? Roberto Barcellos - No. Talking about softness and juiciness, no. On average, it’s a low-quality beef, that is in debt. But there are good projects in Brazil, and their quality is far superior than Argentinian and Uruguayan’s beef quality.

Casa Branca Press 15

inter view

ROBERTO BARCELLOS


mercado

Carne Angus,

a preferência nacional Qualidades da carne e trabalho da Associação Brasileira de Angus impulsionam consumo no país. Próximo desafio é o mercado externo.

>>> 16 Casa Branca Press

Casa Branca Press 17


mercado

Angus

conseguiu se diferenciar perante o consumidor

A

raça Angus tem muito o que se orgulhar por sua trajetória no Brasil. Segundo levantamento da Associação Brasileira de Angus (ABA) a partir de dados da Associação Brasileira de Inseminação Artificial (Asbia), em 2015 foram comercializados cerca de 4 milhões de doses de sêmen da raça. A partir desses dados é possível dizer que 9 em cada 10 bezerros nascidos de cruzamento industrial (bos indicus x bos taurus) têm sangue Angus. É um desempenho e tanto, indiscutivelmente. O sucesso do Angus não é um fenômeno exclusivo do Brasil. Na verdade, trata-se do reconhecimento global à raça que é a expressão da carne de qualidade. “A raça Aberdeen Angus é conhecida em todo o mundo por sua qualidade de carne diferenciada conferida pelo marmoreio característico. Associado a isso, a Associação Brasileira de Angus, assim como as demais entidades de Angus do mundo, realiza trabalhos de seleção e certificação de carnes, com a combinação de características além da raça, que asseguram que os animais terão carne de qualidade superior. Não basta apenas ser Angus. Os animais precisam ser jovens, bem terminados e produzidos segundo condições industriais adequadas e respeito a práticas de bem estar animal para produzirem carne de alta qualidade”, assinala Reynaldo Tytof Salvador, diretor do Programa Carne Angus Certificada, da ABA. O Carne Certificada Angus é um fenômeno que contribui decisivamente para potencializar a raça no mercado interno e, mais recentemente, no internacional. O programa comecou em 2003 a estruturar a cadeia da

18 Casa Branca Press

carne Angus no Brasil, “segmentando, analisando e integrando os diversos elos, com enfase em seriedade, qualidade, oferta e satisfação do nosso cliente final – o consumidor brasileiro. Tudo isto partindo da necessidade de valorização do produtor rural, do aumento de sua renda e de sua fixação no campo”, destaca Salvador. Fabio Medeiros, gerente nacional do Programa Carne Angus Certificada, vai além. Para ele, a iniciativa pode ser considerada um elo de ligação da cadeia produtiva. “A partir do programa existe um alinhamento entre produtores e indústria para atender à demanda dos consumidores. Além disso, as garantias e a transparência conferidas pelo processo de certificação diferenciam ainda mais o trabalho”, diz. Esse processo segue simultaneamente ao amadurecimento do consumidor brasileiro, que cada vez mais busca carne de qualidade. “O consumidor brasileiro vive um processo de aprendizado sobre carnes, haja vista que há pouco mais de 10 anos quase não existiam marcas de carne no mercado, muito menos produtos com qualidade diferenciada. Nesta época, eles já percebiam a superioridade da carne ofertada nos países do Prata (Argentina e Uruguai), mas não havia um entendimento deste processo”, explica Medeiros. “O Programa Carne Angus Certificada participou deste crescimento de cultura. Ofertamos ao mercado um alimento genuinamente brasileiro, produzido com qualidade compatível àqueles países, com marca e certificação, quesitos que nosso consumidor passou a conhecer e reconhecer”.

O consumidor brasileiro agradece. No ano passado, o Programa Carne Angus Certificada forneceu ao mercado mais de 400 mil toneladas, com crescimento superior a 20% sobre o ano anterior. “O leque de consumidores é muito amplo. Verificamos que não apenas os consumidores das classes A e B passaram a consumir nossos produtos, mas também consumidores da classe C em datas especiais. A oferta de produtos Angus ainda está muito aquém da demanda. Há muitos consumidores que não têm a oportunidade de adquirir e/ou provar o produto, o que se constitui em um mercado potencial enorme”, explica Reynaldo Salvador. “O mercado consumidor brasileiro possui um segmento da ordem de 20 milhões de pessoas que demanda qualidade, seguranca alimentar, responsabilidade social e ambiental. A Carne Angus Certificada atende essa demanda com maestria”, emenda Fabio Medeiros.

Próximo passo, conquistar o mundo Desde 2014, a valorização da carne Angus brasileira pela ABA ultrapassa fronteiras. Em parceria com a ABIEC (Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes), com apoio da APEX Brasil, realiza-se a promoção internacional da carne gourmet brasileira nos maiores eventos globais de alimentação. “O objetivo deste projeto é mostrar ao mundo a versatilidade da cadeia da carne brasileira que, além da commodity saudável e de qualidade, é capaz de oferecer um produto gourmet, extremamente macio e marmorizado. Temos realizado ações na Europa, Oriente Médio e Ásia que já começam a dar frutos. Desde a metade de 2015, temos exportado com regularidade para Alemanha, Holanda e Suíça e já iniciamos embarques para Emirados Arabes e Arábia Saudita. Recentemente estivemos na China, realizando uma ação no SIAL Xanghai e estamos otimistas quanto ao inicio dos embarques para esse mercado também”, ressalta Reynaldo Salvador.

Casa Branca Press 19


market

ANGUS BEEF, the national preference Beef qualities and the work of the Brazilian Angus Association boost consumption in the country. Their next challenge is the external market. Angus breed has a lot of reasons to be proud of its path in Brazil. According to a survey by the Associação Brasileira de Angus - ABA (Brazilian Angus Association), based on data from the Associação Brasileira de Inseminação Artificial - Asbia (Brazilian Association of Artificial Insemination), about 4 million doses of this breed’s semen have been marketed in 2015. Based on these data, we may say that 9 out of 10 calves born of industrial crossbreeding (bos indicus x bos taurus) have Angus blood. It’s undeniably an amazing performance. The Angus’ success is not a phenomenon unique to Brazil. It’s actually about globally recognizing the breed that expresses beef quality. “The Aberdeen Angus breed is known throughout the world by its remarkable beef quality, which is due to the breed’s typical marbling. Related to this, the Brazilian Angus Association, as well as other Angus’ entities in the world, performs beef selection and certification works, combining features other than breed to ensure that the animal will have top-quality beef. But being Angus is not enough. The animal has to be young, well slaughtered, produced according to the propper industrial conditions and respecting the animal welfare practices, in order to produce highquality beef”, says Reynaldo Tytof Salvador, Director of the Certified Angus Beef Program, from ABA. The Angus Beef Certified is a phenomenon that highly contributes to strengthen the breed in the internal market and, more recently, in the foreign

20 Casa Branca Press

market. In 2003, the program started structuring the Angus Beef in Brazil, “segmenting, analyzing and integrating its several links, focusing in integrity, quality, offer and satisfaction of our final customer the Brazilian consumer. It all comes from the need of valuing the rural producers, improving their income and fixing them in the country”, says Salvador. Fabio Medeiros, National Manager of the Certified Beef Program, goes beyond. In his opinion, the initiative can be considered a link of the production chain. “The program defined an alignment between the producers and the industry to meet consumer’s demand. Besides, guarantees and transparency that arise from the certification process improve the work even more”, he says. This process follows the Brazilian consumer’s improvement, as they are increasingly looking for quality beef. “The Brazilian consumer is going through a learning process about beef, considering that little over 10 years ago there were almost no beef brands available, much less quality products. At that time, they already knew how superior the beef offered at the Plata River’s countries (Argentina and Uruguay) was, but there was no understanding of this process”, explains Medeiros. “The Certified Angus Beef Program was part of this cultural growth. We offer the market a truly Brazilian food, produced with a quality that is similar to that of those countries, with brand and certification, requirements that our consumer began to know and recognize”.

The Brazilian consumer is grateful. Last year, the Certified Angus Beef Program provided the market with over 400 thousand tons, a growth of more than 20% compared to the previous year. “The range of consumers is very broad. We see that not only class A and B consumers began to consume our products, but also class C consumers, in special dates. The Angus product’s offer is still beneath demand. There are many consumers who cannot acquire and/or try the product, which forms a huge potential market”, explains Reynaldo Salvador. “The Brazilian consumer market has a segment as large as 20 million people who demand quality, food security, social and environmental responsibility. The Certified Angus Beef meets this demand perfectly”, adds Fabio Medeiros.

Next step, conquer the world – Since 2014,

the appreciation of the Brazilian Angus beef by ABA goes beyond their borders. In partnership with ABIEC (Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes - “Brazilian Association of Beef Export Industries”), and with the support of APEX Brasil, Brazilian gourmet beef has been promoted internationally in major food global events. “The goal of this project is to show the world how versatile the Brazilian beef chain is, besides being a quality and healthy commodity, it’s able to offer a gourmet product, extremely soft and marbled. We have carried out actions in Europe, Middle East and Asia, and they already started bearing fruit. Since mid 2015, we have been exporting to Germany, Netherlands and Switzerland in a regular basis, and have already started shipments to the Arab Emirates and Saudi Arabia. We have been in China recently, carrying out an action at SIAL Xanghai, and we are optimistic about starting to ship to this market as well”, says Reynaldo Salvador.

Casa Branca Press 21


eventos

Congresso Brasileiro de Angus aponta caminhos para o futuro da raça Evento reunirá representantes de vários países onde o Angus está presente e destacará cases de sucesso da raça no Brasil.

22 Casa Branca Press

O 3º Congresso Brasileiro de Angus está programado para os dias 29 e 30 de junho, em Porto Alegre. Promovido pela Associação Brasileira de Angus, o evento inclui palestras técnicas com especialistas renomados e cases de produção de projetos pecuários internacionais. A proposta da entidade é propiciar interação entre os participantes na busca de novas tendências de mercado que garantam valorização nacional e internacional da Carne Angus Certificada e, consequentemente, da genética. O painel “Selecionando o Melhor Angus para o mundo” discutirá a importância da seleção de reprodutores e do melhoramento dos rebanhos. Serão avaliados os critérios de seleção genética da raça Aberdeen Angus em diferentes países, abordando cases de selecionadores. O debate será moderado pela médica veterinária e presidente do Conselho Técnico da Angus, Susana Macedo Salvador, e contará com o criador norte-americano Don Schiefelbein, proprietário da Schiefelbein Angus Farms, de Minsessota (EUA), que detém um dos maiores rebanhos de Angus do país, com mais de 700 animais registrados. O fórum contará, também, com Denis Serhienko, da Peak Dot Ranch, de Wood Mountain, Saskatchewan (Canadá), que reúne mais de 1 mil matrizes em produção e de onde saem todos os anos 350 touros. O painel terá apresentação de uma cabanha argentina de Angus e contará com Ulisses Amaral, proprietário da Cabanha Santa Joana, e o gerente do Programa Carne Angus Certificada, Fábio Schuler Medeiros,

que abrirá o congresso com uma palestra mostrando a evolução dos 110 anos de seleção da genética Angus no Brasil e os progressos feitos pela entidade nas áreas da Carne Angus Certificada e do Melhoramento Genético. O debate será aprofundado com o painel “Tecnologia e Melhoramento Genético na Raça Aberdeen Angus”, que discutirá as modernas e tradicionais tecnologias para busca dos objetivos de seleção e melhoramento genético. Esse tema será moderado pelo professor Jaime Urdapileta Tarouco, da UFRGS, especialista em Ultrassonografia de Carcaças. Como painelistas, participam o argentino Horácio Guitou, pesquisador do Instituto Nacional de Investigación Agropecuária (INIA) da

Casa Branca Press 23


eventos

O 3º Congresso Brasileiro de Angus será realizado nos dias 29 e 30 de junho de 2016 no Hotel Plaza São Rafael, em Porto Alegre (RS). As inscrições devem ser realizadas por meio do hotsite www.angus. org.br/congresso. O valor pode ser pago no próprio portal via cartão de crédito, boleto ou débito online. Em caso de dúvidas ou problemas no cadastro online, basta solicitar informações por meio do email congressoangus@promoxpressa.com.br ou pelos telefones (51) 3029-8646 ou (51) 8164-2021 Argentina e consultor do Programa de Melhoramento Genético (ERA) da Associação Argentina de Angus; Fernanda Nogueira Kuhl, coordenadora do Promebo; e o norte-americano Dan Moser, presidente da Angus Genétics Incorporation (AGI), empresa da Associação Americana de Angus responsável pela condução do Programa de Melhoramento Genético. Também integrarão o debate o professor da Universidade de São Paulo (USP) Saulo Luz e a professora da Unesp Lúcia Galvão Albuquerque. O painel “Integrando Genética e Nutrição” discutirá a importância do tema para a expressão do potencial genético da raça Aberdeen Angus na produção de carne de alta qualidade. Moderado pelo professor José Fernando Piva Lobato, da UFRGS, o encontro terá especialista norte-americano Min Du, pesquisador da Washington State University (USA), que desenvolve pesquisas na área da nutrição pré natal; o produtor uruguaio Enrique Albanell, responsável pela exploração das estâncias El Yunque e Macachines, além de representantes de grandes confinadores, como o JBS Five Rivers. O painel “Cruzamento Industrial – Genética Angus para todo o Brasil” explorará as potencialidades do Cruzamento Angus, ferramenta de incremento na produtividade e qualidade da pecuária nacional. O moderador será o selecionador Valdomiro Poliselli Jr., que conduzirá as apresentações do geneticista australiano Don Nicol, do criador da Agropecuária Maragogipe, Wilson Brochmann, e do proprietário da Lageado Consultoria Veterinária, Edmundo Vilela.

24 Casa Branca Press

Carne Angus em debate - A programação do 3º Congresso Brasileiro de Angus inclui, ainda, dois fóruns para debater os avanços da Carne Angus Certificada. Com o título “Carne de Qualidade – Um Caminho para genética Nacional”, o painel contará a história da produção de carne nacional e traçará o futuro do segmento. A moderadora será Márcia Dutra de Barcellos, professora da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e pesquisadora dos hábitos de consumo de carne de qualidade. Também participam Antonio Jorge Camardelli (presidente da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes - Abiec) e Fernando Sampaio (diretor executivo da entidade). O Instituto Nacional de Carnes do Uruguai participará dos debates. O painel sobre os avanços da “Carne Angus Certificada pelo Mundo” apresentará a experiência dos principais programas de Carne Angus Certificada das Américas: Estados Unidos, Brasil, Argentina e Uruguai, explorando seus diferentes modelos de trabalho, desafios e potencialidades. O fórum será moderado pelo gerente do Programa Carne Angus Certificada, Fábio Medeiros, e contará com o diretor do Programa Carne Angus, Reynaldo Titoff Salvador; o vice-presidente do Certified Angus Beef, Mark McCully; o diretor executivo do programa Carne Angus Certificada da Argentina, Javier Marotta, e o diretor do Programa de Carne Angus do Uruguai, Maurício Rodriguez.

José Roberto Pires Weber e Paulo de Castro Marques: o 3º Congresso Brasileiro de Angus discute o futuro da raça e da pecuária brasileira José Roberto Pires Weber and Paulo de Castro Marques: the 3rd Brazilian Angus Beef Congress addresses the future of the breed and the Brazilian livestock

Com a palavra, o presidente da Associação Brasileira de Angus

Casa Branca é patrocinadora do Congresso

José Roberto Pires Weber, presidente da Associação Brasileira de Angus

Paulo de Castro Marques, Proprietário da Casa Branca Agropastoril

“O 3º Congresso Brasileiro de Angus foi estruturado em cima dos avanços obtidos pelo Programa Carne Angus Certificada, o que reflete nossa preocupação em trabalhar pela excelência do produto final, que é a carne. Também estamos atentos ao uso da genética adequada de forma a levar os novilhos para os padrões de terminação exigidos pelo Programa. Toda a programação do Congresso tem por objetivo orientar os produtores, quer seja por meio de técnicas específicas quer seja por estudos particulares de criadores de outros países que estarão relatando suas experiências e conhecimentos. Por fim, queremos que o Congresso seja um evento de debates, para que consigamos aprimorar ainda mais o rebanho Angus para continuar melhorando a qualidade da carne e a genética nacional”.

“A Casa Branca investe em Angus há mais mais de 15 anos e, nesse período, conseguiu conquistar um importante espaço no mercado de reprodutores e matrizes funcionais, que efetivamente contribuem para o fortalecimento da raça no Brasil. Estaremos no 3º Congresso Brasileiro de Angus contando um pouco da nossa história, detalhando o nosso programa de melhoramento genético e trocando ideias com os clientes e demais selecionadores que também trabalham pelo crescimento dessa raça fantástica”.

Casa Branca Press 25

eventos

SERVIÇO


The event will bring together representatives from various countries where Angus is present, and it will highlight successful cases of the breed in Brazil. The 3º Congresso Brasileiro de Angus (3rd Brazilian Angus Conference) is planned for June 29 and 30, in Porto Alegre. Promoted by the Brazilian Angus Association, the event includes technical presentations with renowned experts and international livestock project production cases. The purpose of the Association is to enable interaction between the participants, looking for new market trends that ensure national and international appreciation of the Certified Angus Beef and, as a result, of genetics. The panel “Selecionando o Melhor Angus para o mundo” (Selecting the Best Angus to the World) will discuss the importance of selecting bull and improving the cattle. Genetic selection criteria of the Aberdeen Angus in different countries will be evaluated, addressing selector’s cases. The debate will be moderated by the Veterinary and President of the Angus Technical Board, Susana Macedo Salvador, and will feature the American Cattle Breeder Don Schiefelbein, owner of the Schiefelbein Angus Farms, from Minessota (US), which has one of the largest Angus’ herbs in the country, with over 700 animals registered. The forum will also feature Denis Serhienko, from the Peak Dot Ranch, from Wood Mountain, Saskatchewan (Canada), which has over 1 thousand production locations, and from where 26 Casa Branca Press

350 bulls come each year. The panel will present an Argentinian Angus cattle and will feature Ulisses Amaral, Owner of Cabanha Santa Joana, and the Manager of the Certified Angus Beef Program, Fábio Schuler Medeiros, who will open the conference with a presentation showing the evolution of 110 years of Angus’ genetic selection in Brazil, as well as the progresses made by the entity in the areas of Certified Angus Beef and Genetic Improvement. The debate will be deepened with the panel “Tecnologia e Melhoramento Genético na Raça Aberdeen Angus” (Technology and Genetic Improvement of the Aberdeen Angus Breed), which will discuss modern and traditional technologies to reach the selection and genetic improvement goals. This subject will be moderated by Professor Jaime Urdapileta Tarouco, from UFRGS, specialized in Carcasses Ultrasound. As panelists, we will have the Argentinian Horácio Guitou, researcher from the Instituto Nacional de Investigación Agropecuária (INIA) from Argentina, and consultant of the Genetic Improvement Program (ERA) of the Argentinian Angus Association; Fernanda Nogueira Kuhl, Coordinator of Promebo; and the American Dan Moser, Presidente of the Angus Genétics Incorporation (AGI), a Company from the American Angus Association that is responsible

for conducting the Genetic Improvement Program. Saulo Luz, Professor from Universidade de São Paulo (USP) and Lúcia Galvão Albuquerque, Professor from Unesp, will also participate on the debate. The panel “Integrando Genética e Nutrição” (Integrating Genetics and Nutrition) will discuss the importance of the subject to express the genetic potential of the Aberdeen Angus breed in the production of high-quality beef. Moderated by Professor José Fernando Piva Lobato, from UFRGS, the meeting will have the American specialist Min Du, researcher from the Washington State University (US), who carries out researches in the prenatal nutrition area; the Uruguayan producer Enrique Albanell, responsible for exploring the El Yunque and Macachines resorts; besides representatives from major confiners, such as JBS Five Rivers. The panel “Cruzamento Industrial – Genética Angus para Todo o Brasil” (Industrial Crossbreeding - Angus Genetics for the Whole Brazil) will explore the potential of the Angus Crossbreeding, improvement tool for the national livestock quality and productivity. The moderator will be Valdomiro Poliseli Jr, who will lead the presentations of the Australian Geneticist Don Nicol; Wilson Brochmann, Cattle Breeder at Agropecuária Maragogipe and Edmundo Vilela, owner of the Lageado Consultoria Veterinária.

Angus Beef in debate - The 3º Congresso Brasileiro de Angus also includes two forums to debate the advances of Certified Angus Beef. With the title “Carne de Qualidade – Um Caminho para genética Nacional” (Quality Beef - A Path to National Genetics), the panel will tell the story of national beef production and plot the future of the segment. The moderator will be Márcia Dutra de Barcellos, Professor from Universidade Federal do Rio Grande do Sul and researcher of quality beef consumption habits. Antonio Jorge Camardelli (President of the Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes - Abiec) and Fernando Sampaio (Executive Director of the entity) will participate too. The Uruguayan National Beef Institute will participate in the debates. The panel about the advances of “Certified Angus Beef Around the World” will present the experience of the main Certified Angus Beef programs in the Americas: United States, Brazil, Argentina and Uruguay, exploring its different working models, challenges and potentials. The forum will be moderated by the Manager of the Certified Angus Beef Program, Fábio Medeiros, and will feature the Director of the Angus Beef Program, Reynaldo Titoff Salvador; the Vice-President of the Certified Angus Beef, Mark McCully; the Executive Director of the Certified Angus Beef program in Argentina, Javier Marotta, and the Director of the Angus Beef Program in Uruguay, Maurício Rodriguez.

SERVIÇO

The 3º Congresso Brasileiro de Angus will be held on June 29 and 30 2016, at the Hotel Plaza São Rafael, in Porto Alegre (RS). Registrations must be done in the hotsite www.angus.org.br/congresso. The amount must be paid in the portal itself, by credit card, invoice or debit card, online. If you have any questions or problems with the online registration, just ask for information by email congressoangus@promoxpressa.com.br or phone (51) 3029-8646 or (51) 8164-2021

A word from the President of the Brazilian Angus Association

Casa Branca is sponsoring the Conference

José Roberto Pires Weber, president of the Brazilian Angus Association

Paulo de Castro Marques, Owner of Casa Branca Agropastoril

“The 3º Congresso Brasileiro de Angus was structured upon the progress achieved by the Certified Angus Beef Program, which reflects our concern to work for the excellence of the final product, which is the beef. We are also concerned about using proper genetics in order to take the steers to the slaughtering standards required by the Program. All of the Conferece’s programming aims to guide producers, whether through specific techniques or by other countries’ private studies, which will be reporting their experiences and knowledge. Finally, we want the Conference to be an event of debates, so that we can further improve the Angus herd to continue improving National Genetics and the beef quality”

“Casa Branca has been investing in Angus for over 15 years, and during this period it managed to conquer an important space in the breeding bull and functional arrays market, which effectively contribute to strengthening the breed in Brazil. We will be in the 3º Congresso Brasileiro de Angus, telling a little bit of our history, detailing our breeding program and exchanging ideas with customers and other buyers who also work for the growth of this fantastic race”

Casa Branca Press 27

eventos

events

Brazilian Angus Conference shows possible paths to the breed’s future


foto: arquivo SAV

A Casa Branca utiliza a melhor genética disponível no mundo. Conheça melhor dois desses grandes parceiros.

28 Casa Branca Press

técnica matéria

técnica matéria

Connealy e SAV, duas fontes confiáveis de genética Angus

Uma característica marcante dos programas de melhoramento genético na pecuária é o consistente e periódico ganho de produtividade ano após ano. E isso acontece de várias maneiras: avaliações frequentes, rígida seleção, medições e mais medições, uso de genética de fornecedores qualificados. A Casa Branca investe no melhoramento genético das raças Angus, Brahman e Simental sul-africano há mais de 15 anos. Além do aprimoramento constante nas fazendas, a empresa realiza provas de avaliação de desempenho sob a coordenação da Universidade de Lavras, referência no assunto. Outra marca do trabalho da Casa Branca é a busca de genética de altíssima qualidade onde quer que ela esteja. Essa é uma característica que identifica a preocupação da empresa em colocar à disposição do mercado os melhores animais. São fêmeas férteis, que geram bezerros que nascem pequenos e têm rápido ganho de peso, e machos funcionais, que trabalham bem nas mais diferentes e exigentes condições. “Essa é genética que a pecuária brasileira precisa para avançar, ser mais eficiente e produtiva”, ressalta Paulo de Castro Marques, proprietário da Casa Branca. São várias as fontes de genética utilizadas pela Casa Branca para intensificar o seu programa de melhoramento. Nesta edição, destacamos duas delas, ambas dos Estados Unidos: Schaff Angus Valley (SAV) e Connealy Angus, empresas que selecionam o Angus há várias décadas e expressam os melhores atributos da raça em termos de fertilidade, precocidade e acabamento.

Casa Branca Press 29


técnica

foto: arquivo Connealy Angus

matéria

Heifers: first stage of selection

A Schaff Angus Valley é uma empresa pecuária centenária. São 114 anos de investimentos em pecuária. A Connealy iniciou o seu projeto de melhoramento genético de Angus em 1961. Ambas contabilizam muitas histórias de sucesso, devido ao seu trabalho sério, competente e profissional. E, por isso, estão entre as marcas mais valorizadas da raça Angus em termos mundiais. A incansável busca da produtividade é a característica que retrata o trabalho das famílias Connealy e Schaff. Para colocar no mercado animais diferenciados e com elevada performance, essas marcas utilizam as mais diversas ferramentas tecnológicas e dão uma atenção especial à pressão de seleção.

matéria

técnica

Novilhas: a primeira etapa da rigorosa seleção

30 Casa Branca Press

Casa Branca Press 31


técnica matéria

técnica matéria

Fêmeas SAV: incansável busca da produtividade Trailing cows

32 Casa Branca Press

SAV Madame Pride 1281

fotos: arquivo SAV

SAV Resource 1441

“Pressão de seleção e desempenho na abate são ferramentas indispensáveis do trabalho da SAV. Buscamos com insistência atributos positivos em termos de tipo corporal, musculosidade, capacidade, facilidade de parto, úberes perfeitos, qualidade de pés, fertilidade e disposição geral. Além desses importantes atributos fenótipos, utilizamos os dados de desempenho, como peso ao nascer e ao desmame, ganho de peso e dados de progênie. Utilizamos todos esses atributos para selecionar os melhores animais; os piores são descartados. Não abrimos mão da tecnologia e fazemos medições de ultrassonografia para para área de olho de lombo, marmoreio e teor de gordura intramuscular para determinar as características de carcaça. O uso de inseminação artificial e transferência de embriões nos permite multiplicar em larga escala a genética superior, objetivando multiplicar sua influência”, destaca Kelly Schaff, diretor da SAV, com base em Dakota do Norte (EUA).

Casa Branca Press 33


técnica matéria

foto: arquivo Connealy Angus

matéria

técnica

“Utilizamos todas as ferramentas de mensuração de desempenho disponíveis para aprimorar o melhoramento do nosso rebanho. Um exemplo: fomos um dos primeiros a utilizar a inseminação artificial nos EUA. Outra característica é nossa preocupação é estar sempre na vanguarda do melhoramento em sintonia com os parâmetros da Associação Americana de Angus. Seguimos muito de perto a evolução das ferramentas de avaliação dos EBVs (Estimated Breeding Values) para DEPs (Diferenças Estimadas na Progênie) e o mais novo conceito, o $W (Dollar Values). Acreditamos muito na seleção genômica a ponto de que todos os nossos animais terem DNA avaliado por um determinado período”, explica Jeff Connealy, diretor da Connealy Angus, sediada em Nebraska (EUA).

34 Casa Branca Press

Casa Branca Press 35


técnica matéria

técnica matéria

Por essas informações da Connealy e da SAV fica claro o objetivo principal dos seus programas de melhoramento genético: a multiplicação de animais superiores para contribuir para o ganho de produtividade nas mais diferentes partes do mundo, como no Brasil a partir do trabalho da Casa Branca Agropastorial, parceira exclusiva desses grupos norte-americanos. O acasalamento perfeito torna-se, assim, a chave do sucesso do aprimoramento das novas gerações. O trabalho detalhado de mensuração possibilita propor a genética certa dos machos a partir da qualificação das fêmeas. “Esse trabalho está na base do sucesso do nosso programa. Estudamos os números, com insistência e detalhamento, para conhecer muito bem as fêmeas, individualmente. Isso inclui seu fenótipo e o histórico de produção e até a história dos seus ancestrais”, resume Jeff Connealy. “O processo para o acasalmento ideal passa pela compensação, da melhor forma possível, de eventuais deficiências da fêmea e também dos seus atributos positivos com a genética do re-

36 Casa Branca Press

SAV Erica 9448

foto: arquivo Connealy Angus

SAV Emblynette 9033

produtor. Genética não tem achismo”, assinala Kelly Schaff. “Genética não tem achismo nem acontece de um momento para o outro. É preciso persistência e tempo para o aprimoramento da seleção”, complementa Paulo de Castro Marques. Nesse quesito, SAV e Connealy têm muito o que contar. “Qualidade e consistência da genética produzida fazem muita diferença na pecuária”, diz Kelly Schaff. “Da mesma forma, destaco a reputação, a história de sucesso. Um fator adicional é extremamente valioso: os serviços oferecidos aos clientes, com garantia de qualidade. Mais do que um negócio, se trata de uma relação de confiança, que deve ser fortalecida”. Jeff Connealy concorda. Para ele, a força de um programa de seleção está diferentamente ligado aos seus objetivos e a manutenção de foco nessas metas. “Além disso, é preciso trabalhar duro, ter um pouco de sorte e contar com a confiança de clientes em nossa genética”, ressalta.

Casa Branca Press 37


técnica matéria

técnica matéria

Investimentos voltados para o futuro Jerry, Sharon, Donnie e Gabriel Connealy

“Indiscutivelmente, o grande desafio da pesquisa genética nos dias atuais é tentar encontrar marcadores moleculares para resistência a enfermidades. Se esses marcadores forem determinados, cairão dramaticamente as perdas no confinamento por doenças. Isso vale, especificamente para os investidores em cria. Os bezerros com marcador para resistência a doenças sem dúvida possibilitará melhor remuneração” Jeff Connealy “Protocolos de sincronização, fertilização in vitro, clonagem, genômica (modelos genômicos) e demais tecnologias disponíveis possibilitarão aos programas de melhoramento genético avançar na seleção do Angus. Nenhuma dessas inovações, contudo, podem substituir ou vir antes da seleção visual para atributos fenótipos desejados”. Kelly Schaff

Kelly, Martie Jo, Kelsie e Kourtney, da SAV

Estrutura de seleção da SAV SAV´s ranch headquarters

38 Casa Branca Press

Casa Branca Press 39


technical material

technical material photo: Connealy Angus

Connealy and SAV, two reliable sources for Angus genetics

Casa Branca uses the best genetics available in the world. Learn more about two of these great partners.

40 Casa Branca Press

A striking characteristic of genetic improvement programs in the livestock area is the regular and consistent productivity gain year after year. This happens in several ways: frequent assessments, strict selection, measurements and more measurements, use of genetics from qualified suppliers. For over 15 years, Casa Branca has been investing in the genetic improvement of the Angus, Brahman and South-African Simmental breeds. In addition to the constant improvement in the farms, the company carries out performance evaluation tests under the coordination of the University of Lavras, which is reference in the area. Another important characteristic of the work of Casa Branca is the search for very high quality genetics, wherever it is. This is a characteristic that identifies the

company’s concern to make the best animals available to the market. These are fertile females that have calves which are born small and gain weight quickly; and functional males, which work well in the most different and demanding conditions. “This is the genetics that the Brazilian livestock market needs to progress, to be more efficient and productive�, says Paulo de Castro Marques, owner of Casa Branca. There are several genetic sources which are used by Casa Branca in order to step up its improvement program. In this edition, we highlight two of them, both from the United States: Schaff Angus Valley (SAV) and Connealy Angus, companies that have selected Angus for several decades and have shown the best attributes of the breed in terms of fertility, precocity and finishing. Schaff Angus Valley is a centennial livestock company. They have been investing in livestock for 114 years. Connealy began its Angus genetic improvement project in 1961.

Casa Branca Press 41


42 Casa Branca Press

Based on this information about Connealy and SAV, the main goal of their breeding programs is clear: the multiplication of superior animals to contribute to the productivity gain in the most different parts of the world, as in Brazil with the work done by Casa Branca Agropastorial, which is an exclusive partner of these North-American groups. The perfect mating becomes key to the success of improving new generations. The detailed measuring work makes it possible to propose the right genetics of the males from the females’ qualification. “This work underpins the success of our program. We study the numbers, in a persistent and detailed manner, to get to know the females very well, one by one. This includes their phenotype and production background, and even the their ancestor’s background”, summarizes Jeff Connealy. “The process for the ideal mating goes through the compensation, in the best possible way, of any problems that the female might have and also its positive attributes with the male’s genetics. Genetics doesn’t have opinions”, highlights Kelly Schaff. “Genetics isn’t guessing nor it happens overnight. It takes time and persistence to improve the selection”, adds Paulo de Castro Marques. In this regard, SAV and Connealy have a lot to tell. “Quality and consistency of produced genetics make a big difference in livestock,” says Kelly Schaff. “Similarly, I highlight the reputation, the successful story. An additional factor is extremely valuable: the services offered to customers, with guaranteed quality. More than a business, it is a relationship of trust which must be strengthened “. Jeff Connealy agrees. For him, the strength of a selection program is differently connected to its goals and keeping focus on these goals. “In addition, we must work hard, have a bit of luck and rely on the customer’s trust in our genetics,” he points out.

reprodutor / sire

technical material

Both have many success stories due to their serious, competent and professional work. And, therefore, they are among the most valued brands in the Angus breed in the world. The relentless pursuit of productivity is the characteristic which depicts the work of the Connealy and Schaff families. To put differentiated and high performance animals on the market, these brands use the most varied technological tools and give special attention to the selection pressure. “Selection and performance pressure at slaughter are indispensable tools for SAV’s job. We persistently seek positive attributes in terms of body type, muscularity, ability, calving ease, perfect udders, feet quality, fertility and general energy. In addition to these important phenotype attributes, we use performance data, such as weight at birth and weaning, weight gain and progeny data. We use all these attributes to select the best animals; the worst ones are left aside. We don’t forsake technology and we perform ultrasound measurements to check the size of ribs (ribeye area), marbling and intramuscularly fat rate to determine the characteristics of the animal. The use of artificial insemination and embryo transfer allows us to multiply superior genetics on a large scale, aiming at multiplying their influence”, says Kelly Schaff, Director of SAV, based in North Dakota (USA). “We use all available performance measuring tools to enhance the improvement of our herd. An example: we were one of the first to use artificial insemination in the USA. Another characteristic is the concern we have about always being at the forefront of improvement in line with the parameters of the American Angus Association. We follow the evolution of EBV (Estimated Breeding Values) evaluation tools for EPD’s (Estimated Breeding Values) for EPD’s (Estimated Progeny Difference) and the latest concept, the $W (Dollar Values) very closely. We truly believe in the genomic selection to the point that all our animals have their DNA assessed for a certain period of time”, explains Jeff Connealy, Director of Connealy Angus, headquartered in Nebraska (USA).

Mytty In Focus A A R Ten X 7008 S A A A R Lady Kelton 5551

SAV TEXTBOOK 5115 Angus - PO - 24.fev.2015

S

SAV Resource 1441

SAV Madame Pride 3304

AV Textbook 5115 é um touro de destaque para facilidade de parto. Recomendado para novilhas, ele repassa ótimo crescimento de nascimento ao sobreano, alto valor maternal e potencial de carcaça estelar. Esse touro jovem com um grande futuro atingiu 430 kg aos 205 dias, sendo o primeiro bezerro da matriz Resource. Essa fêmea fantástica, muito jovem, é muita feminina e tem qualidade de úbere impressionante, com o biotipo ideal. Ela é doadora de embriões da 7ª geração da SAV no programa de FIV. Sua avó materna, grande produtora de leite, é filha de Pioneer. O filho, SAV Infusion 4247, teve medição de área de olho de lombo de 49,5 cm aos 365 dias e foi selecionado por Orville Skogen como uma das vendas de destaque do leilão SAV de 2015.

SAV Madame Pride 0412

The SAV Textbook 5115 bull stands out for its easy calf delivery. Recommended for heifers, this sire has great year-over-year growth, high maternal value, and stellar carcass potential. As the first calf of the cow Resource, this young bull with a promising future reached 430 kg only 205 days after birth. This amazing female is very young and feminine, featuring impressive udder quality and the perfect biotype. She is a seventhgeneration SAV embryo donor under the IVF program. Her maternal grandmother – a major milk producer – is the daughter of Pioneer. Her son, SAV Infusion 4247, reached a loin eye size of 49.5 cm at 365 days and was selected by Orville Skogen as one of the highlights of the SAV 2015 sale.

Casa Branca Press 43


reprodutor / sire SAV Final Answer 0035

“Unarguably, nowadays the greatest challenge of genetic research is to try and find molecular markers for disease resistance. If these markers are determined, the losses by diseases will drop dramatically. This is true specifically for investors in breeding. Calves with a marker for disease resistance will undoubtedly allow better compensation” Jeff Connealy “Synchronization Protocols, in vitro fertilization, cloning, genomics(genomic models) and other available technologies will enable genetic improvement programs to advance in Angus selection. None of these innovations, however, can override or come before the visual selection for desired phenotype attributes”. Kelly Schaff

44 Casa Branca Press

SAV Pioneer 7301 photo: Connealy Angus

technical material

Investments focused on the future

C

SAV Blackbird 5297

SAV PUREBRED 4896 Angus - PO - 1.jan.2014

SAV Bismarck 5682

SAV Blackcap May 8051

Com apenas 30 meses de idade, SAV Purebred 4896 tem números excepcionais. Ele foi desmamado aos 205 dias com impressionantes 468 kg de peso vivo. Com um ano de vida, chegou aos 696 kg. Purebred é top 10 entre mais de 700 reprodutores comercializados pela norte-americana Schaff Angus Valley (SAV). As DEPs (Diferenças Esperadas na Progênie) de SAV Purebred 4896 são simplesmente extraordinárias. Ele é top 3% para desmama, top 4% para peso ao ano, top 10% para leite e +1.3 de peso ao nascer, o que o recomenda para uso em novilhas, segundo levantamento da American Angus Association. Seu pedigree é fantástico. Sua mãe pertence à 5ª geração de doadoras de embriões da SAV e à 5ª geração de produtoras de recordistas de peso à desmama. Purebred caminha para se tornar um reprodutor de impacto global na raça Angus. A Casa Branca já comercializou sêmen de SAV Purebred 4896 para criadores dos Estados Unidos e do Canadá, mostrando o reconhecimento mundial ao seu novo raçador. Suas primeiras doses de sêmen no Brasil foram vendidas no Leilão Casa Branca, em setembro do ano passado. Nova oportunidade será oferecida aos criadores brasileiros no remate da Casa Branca em setembro de 2016.

SAV Blackcap May 6517 Despite being only 30 months old, SAV Purebred 4896 already shows exceptional results. He was weaned when he was 205 days-old, with an impressive live weight of 468 kg. He weighed 696 kg at the age of one. Purebred is top 10 among more than 700 bulls sold by U.S. company Schaff Angus Valley (SAV). SAV Purebred 4896’s EPDs (Expected Progeny Differences) are simply extraordinary. According to the American Angus Association, Purebred is among the top 3% for weaning, top 4% for year-over-year weight, top 10% for milk, and +1.3 in birth weight, making him suitable for use on heifers. The breed’s pedigree is outstanding. His mother belongs to the fifth generation of SAV embryo donors and the fifth generation of producers of weaningweight record holders. Purebred has all the makings of an Angus sire with global impact. Casa Branca has already sold SAV Purebred 4896 semen to breeders in the United States and Canada, showing that its new sire is achieving global recognition. The first semen doses in Brazil were sold at the Casa Branca Sale, last September. Brazilian breeders will have another opportunity to purchase this product during the September 2016 Casa Branca auction.


leilão

sale

our

nosso

important

importante

mais

most

SALE

LEILÃO

Casa Branca puts 500 sires and mothers Angus, Brahman and Simmental on sale on September 9 and 10, 2016.

Casa Branca coloca à venda 500 Reprodutores e Matrizes Angus, Brahman e Simental sul-africano nos dias 9 e 10 de setembro de 2016.

Casa Branca Agropastoril prepares for September 9 and 10, 2016 (Friday and Saturday) the second edition of its largest and most important sale of breeds Angus, Brahman and Simental. The event will be held at the Santa Ester farm, in Silvianópolis (MG), and it will have on sale 500 selected males and females from the three breeds. Breeding bulls will be sold on Friday, September 9; the females will be auctioned on Saturday, September 10. “The new crop of bulls and females Angus, Brahman and Simental of Casa Branca is one

46 Casa Branca Press

of the best in the history of our genetic improvement program, focusing on functionality. And we have only selected featured animals to our sale, which promises to be even more disputed than last year’s edition, which had record sales, “says the designer Paulo de Castro Marques, owner of Casa Branca Agropastoril. Young bulls, on average 24 months old will be put on sale, with andrologic examination and a strict selection in weight gain, coordinated by Universidade Federal de Lavras. Females are fertile and ready to multiply their

high-quality genetic, producing calves of rapid growth and weight gain. All Casa Branca Sale buyers can count on our after-sale service, which includes a number of advantages, such as technical assistance to the animals, providing semen for the reproductive life of the females, opening a spot for the calves to participate in our weight gain tests and Casa Branca sales. For more information about the Casa Branca 2016 Sale, please call (35) 3452-0828 or visit www.cbagropastoril.com.br.

A Casa Branca Agropastoril prepara para os dias 9 e 10 de setembro de 2016 (sexta-feira e sábado) a 2ª edição do seu maior e mais importante leilão das raças Angus, Brahman e Simental sul-africano. O evento será realizado na fazenda Santa Ester, em Silvianópolis (MG), e colocará à venda 500 machos e fêmeas selecionados das três raças. Os reprodutores serão vendidos na 6ª feira, dia 09 de setembro; as fêmeas irão a leilão no sábado, dia 10 de setembro. “A nova safra de reprodutores e fêmeas Angus, Brahman e Simental sul-africano da Casa Branca é uma das melhores da história do nosso

programa de melhoramento genético com foco na funcionalidade. E selecionamos somente os animais de destaque para o nosso leilão, que promete ser ainda mais disputado que a edição do ano passado, que teve venda recorde”, destaca o criador Paulo de Castro Marques, proprietário da Casa Branca Agropastoril. Serão colocados à venda touros jovens, com idade média de 24 meses, com exame andrológico e rígida seleção nas provas de ganho de peso coordenadas pela Universidade Federal de Lavras. As fêmeas são férteis e estão prontas para multiplicar

a genética de alta qualidade, com a produção de bezerros de rápido crescimento e ganho de peso. Todos os compradores do Leilão Casa Branca passam a contar com o serviço pós-venda, que inclui uma série de vantagens, incluindo assistência técnica aos animais, fornecimento de sêmen durante a vida reprodutiva das fêmeas e convite para as crias participarem de provas de ganho de peso e leilões da Casa Branca. Mais informações sobre o Leilão Casa Branca 2016 podem ser obtidas no telefone (35) 3452-0828 e www. cbagropastoril.com.br.

Casa Branca Press 47


exposição

Melhor Criador e Melhor Expositor da Raça Brahman / Best Breeder and Best Exhibitor of the Brahman Breed

show

Campeã Progênie de Mãe / Mother’s Progeny Champion: CABR Dhifalla 899 (CABR Magic Gunter 2197 e CABR Madona Dhifalla 2198) Campeã Progênie de Pai / Father’s Progeny Champion: CABR Mr Gunter 1612 (CABR Legendário 115, CABR Magic Gunter 2197, CABR Madona Dhifalla 2198, CABR Latino 2054) Grande Campeã / Grand Champion (also Senior Heifer Champion): CABR Mifalla 2263 (também foi Campeã Novilha Maior) Reservada de Grande Campeã / Reserve Grand Champion: CABR Máxima Dhifalla 2303 (também Reservada Campeã Novilha Maior / also Reserve Senior Heifer Champion) Reservada Campeã Bezerra / Reserve Calf Champion: CABR New Bambina 2322 Reservada Campeã Fêmea Jovem / Reserve Junior Female Champion: CABR Madona Dhifalla 2198 Campeã Vaca Adulta / Mature Cow Champion: CABR La Callas 2053 Campeão Touro Sênior e Reservado de Grande Campeão / Senior Bull Champion and Reserve Grand Champion: CABR Latino 2054 foto: Jadir Bison

Campeão Júnior Maior / Senior Junior Champion: CABR Mussambe 2264 Reservado Campeão Touro Jovem / Reserve Junior Bull Champion: CABR Magic Gunter 2197 Reservado Campeão Touro Sênior / Reserve Senior Bull Champion: CABR Lendário 2115

Best Breeder and Best Exhibitor

C

for the Brahman Breed at Expozebu 2016

48 Casa Branca Press

Casa Branca Agropastoril earned awards for Best Breeder and Best Exhibitor for the Brahman breed at Expozebu 2016, the largest fair for Zebu breeds in the world, held in Uberaba (MG). The cow CABR Mifalla 2263, from Casa Branca, was the Brahman Grand Champion at Expozebu 2016. It was also the Senior Heifer Champion. The Reserve Grand Champion (CABR Maxima Dhifalla 2303) and the Senior Bull Champion

and Reserve Grand Champion (CABR Latino 2054) can also be highlighted. “We took a selection of animals that perfectly represents the Casa Branca’s concept of Brahman’s genetic improvement. They are extremely functional and high productivity animals”, emphasizes breeder Paulo de Castro Marques. “There is no denying the importance of the Expozebu to Brazilian livestock. Obtaining this excellent result in Uberaba arguably strengthens our work on the farm “, adds Heitor Pinheiro Machado, Livestock Manager at Casa Branca. Following all awards received from Casa Branca at Expozebu 2016.

Melhor Criador e Melhor Expositor

A

da raça Brahman na Expozebu 2016 Casa Branca Agropastoril conquistou os títulos de Melhor Criador e Melhor Expositor da raça Brahman durante a Expozebu 2016, a maior exposição da pecuária zebuína do mundo, realizada em Uberaba (MG). A matriz CABR Mifalla 2263, da Casa Branca, foi a Grande Campeã Brahman da Expozebu 2016. Ela também foi a Campeã Novilha Maior. Destaque, também, para a Reservada Grande Campeã (CABR Maxima Dhifalla 2303) e o Campeão Touro Sênior e Reservado de Grande Campeão

(CABR Latino 2054). “Levamos uma seleção de animais que representa com perfeição o conceito de melhoramento genético Brahman da Casa Branca. São animais extremamente funcionais e de alta produtividade”, ressalta o criador Paulo de Castro Marques. “É inegável a importância da Expozebu para a pecuária brasileira. Obter esse excelente resultado em Uberaba indiscutivelmente fortalece o nosso trabalho na fazenda”, complementa Heitor Pinheiro Machado, gerente de pecuária da Casa Branca. Seguem todas as premiações da Casa Branca na Expozebu 2016.

Casa Branca Press 49


a Marca do Cavalo Árabe no Brasil

O

Cavalo Árabe surgiu no Brasil como uma raça de trabalho e de uso militar. Os dois primeiros grandes criadores a introduzir a milenar raça no país foram o pecuarista Guilherme Echenique e a Coudelaria Saycan do Exército Brasileiro, hoje Campo de Instrução de São Borja, entre os anos 20 e início dos anos 30 no Rio Grande do Sul. Esse modelo de aproveitamento do Cavalo Árabe na verdade reproduziu o que já vinha acontecendo há centenas de anos na Europa. A raça foi descoberta por aquele continente através da bem sucedida invasão Árabe no século VI D.C, quando o cavalo representou importante fator de conquista. A comprovada velocidade, resistência, inteligência e agilidade do Cavalo Árabe conquistaram países como Espanha, França, Inglaterra, Alemanha, Polônia, Áustria, Hungria e Rússia. Os exércitos desses países iam buscar os cavalos Árabes no próprio deserto e os mantinham segregados nos quartéis, para a produção de animais puros e de tropa mestiças para as cavalarias e para uso na lida do campo pelos camponeses. Dessa maneira, através dos cruzamentos do Cavalo Árabe com as raças locais surgiram praticamente todas as raças modernas de equinos que conhecemos hoje.

No Brasil as primeiras importações regulares realizadas por Echenique e pela Coudelaria de Saycan eram cavalos Árabes da Argentina, Uruguai, França e Inglaterra. Cerca de 60 garanhões e matrizes chegaram ao Rio Grande do Sul entre 1929 a 1933. A produção desses cavalos era distribuída para as cavalarias do Exército em todo o território nacional e vendida a agricultores e pecuaristas influindo decisivamente na formação das tropas Nacionais. Aos poucos, com a crescente mecanização das cavalarias, o Exército foi delegando essa produção exclusiva de Cavalos Árabes para o Ministério da Agricultura, através de Centros de Pesquisas e Reprodução em BagéRS, São Carlos-SP, Rio de Janeiro-RJ e Campo Grande-MS. Mesmo assim a Coudelaria do Exército de Campo Grande, em virtude das características geográficas em que atuava, manteve sua produção de Cavalos Árabes até o final dos anos 60, quando em vários leilões vendeu toda sua tropa de reprodutores e matrizes para os fazendeiros da região.

Wanda M. de Echenique, esposa de Guilherme Echenique, montando o reprodutor Nahrawan, importado da Inglaterra em foto de 1935

Príncipe Polonês Erazm Sanguszko em pintura de Juliusz Kossac – 1871, mostrando a adoção do Cavalo Árabe pelas cavalarias européias da época Polish Prince Erazm Sanguszko painted by Juliusz Kossac - 1871, showing the implementation of the Arabian Horse by the European Cavalry at the time

50 Casa Branca Press

Wanda M. de Echenique, Guilherme Echenique’s wife, riding the sire Nahrawan, imported from England in a photo from 1935

Casa Branca Press 51

cavalo árabe

cavalo árabe

Resistência e Versatilidade:


cavalo árabe

cavalo árabe

O Puro-Sangue Árabe SAG El Hawa, Campeão de provas de Apartação em 1994 pela ANCA, associação brasileira da modalidade The Pure Arabian SAG El Hawa, Cutting Champion in 1994 by ANCA, Brazilian Cutting Horse Association

Atualmente o Cavalo Árabe é muito utilizado em provas de Salto Currently the Arabian Horse is widely used in Show Jumping

52 Casa Branca Press

Essa fase do Cavalo Árabe no Brasil foi muito importante para divulgar a raça como excelente cavalo de trabalho. A procura por ela cresceu e com isso o número de criadores privados aumentou consideravelmente, até que em 1964 foi fundada a Associação Brasileira dos Criadores do Cavalo Árabe, que passou a administrar o livro de registros chamado Stud Book Brasileiro do Cavalo Árabe. Com a fundação da ABCCA a raça e seus criadores deram início à melhor organização e fomento da raça, passando a fazer parte de provas, exposições e incentivando a formação de núcleos de criadores em todos os Estados brasileiros. O Cavalo Árabe passou a ser descoberto como um excelente atleta para o esporte. Primeiro foram as provas funcionais organizadas pela ABHIR, como Hipismo Rural, Copa Rédeas, Laço; depois foi descoberto pelas hípicas como um extraordinário cavalo de salto para adolescentes e iniciantes.

Puro-Sangue Árabe em provas de Team Penning e Ranch Sorting Pure Arabian in Team Penning and Ranch Sorting shows

Enduro, a grande especialidade da raça Enduro, the breed’s great specialty

Nas décadas de 80 e 90, a exemplo do que ocorria nos Estados Unidos e Austrália, muitos criadores investiram em provas de trabalho como apartação e rédeas, mas foi nas provas de Enduro praticadas em vários estados, Team Penning no estado de São Paulo e Laço Comprido no Mato Grosso do Sul que a raça ganhou mais adeptos. Mais recentemente o Cavalo Árabe vem realizando páreos no Jockey Clube de São Paulo organizadas pela BAHR (Brazilian Arabian Horse Racing), apoiada pela Associação de Criadores e patrocinadas pela IFHAR (International Federation of Arabian Horse Racing Authorities), organismo internacional dedicado à organização e incentivo de corridas da raça amparando mais de 600 páreos por ano em todo o mundo. Todas essas atividades hípicas vêm conquistando cada vez mais adeptos e admiradores do Cavalo Árabe no Brasil e mostrando os fundamentos de sua origem no deserto como um cavalo de resistência e versatilidade.

Casa Branca Press 53


arabian horse

Strength and Versatility:

the Mark of the Arabian Horse in Brazil

Representação de Guerreiro Árabe que invadiu a Europa no século VI DC, em gravura de Carle Vernet -1798 Portrayal of an Arab Warrior who invaded Europe in the 6th century A.D., in a picture by Carle Vernet - 1798

The Arabian Horse has come to Brazil as a breed for working and military use. The first two great horse breeders to bring the millennial breed to the country were the rancher Guilherme Echenique and the Saycan Stud Farm, which belonged to the Brazilian Army and today is São Borja Instruction Camp, between the late 20s and early 30’s in Rio Grande do Sul. Actually, this model which uses Arabian Horses only reproduced what had already been happening for hundreds of years in Europe. The breed was discovered by that continent through the successful Arab invasion in the 6th century a.d., when the horse represented an important factor of achievement. The Arabian Horse’s proven speed, stamina, intelligence, and agility conquered countries like Spain, France, England, Germany, Poland, Austria, Hungary and Russia. These countries’ armies were ging all the way to the desert to get Arabian Horses, and they kept them segregated in the barracks, for producing pure and half arabian troops for the cavalry and for use in the country, by the

54 Casa Branca Press

peasants. This way, through the crossbreeding of Arabian Horses with local breeds, arose almost all modern breeds of horses that we know today. In Brazil, the first regular imports carried out by Echenique and Saycan’s Stud were Arabian Horses imported from Argentina, Uruguay, France and England. About 60 stallions and arrays arrived in Rio Grande do Sul between 1929 to 1933. The production of these horses was distributed to the Cavalry of the army throughout the country and sold to farmers and ranchers, working decisively to form the National troops. Gradually, with the increasing mechanization of the Cavalry, the army started to delegate this exclusive production of Arabian Horses to the Ministry of Agriculture, through Research and Breeding Centers in BagéRS, São Carlos-SP, Rio de Janeiro-RJ and Campo Grande-MS. Still, the Stud of the Campo Grande Army, in virtue of the


arabian horse

Races, the breed’s new performance in Brazil with frequent matches at São Paulo Jockey Club

geographical features in which it acted, kept their production of Arabian Horses in the late 60’s, when its entire flock of breeders and arrays have been sold for the region’s farmers in several auctions. This phase of the Arabian Horse in Brazil was very important to promote the race as an excellent work horse. The demand for it grew, and the number of private breeders has increased considerably until 1964, when the Brazilian Association of Arabian Horses Breeders was created, and started managing the book of records called Brazilian Arabian Horse Stud Book. With the foundation of the ABCCA, the breed and its breeders started to better organize and promote the race, starting to participate in competitions, exhibits, and boosting the formation of breeders centers in all Brazilian states. The Arabian Horse started to be seen as an excellent athlete for sports. First, there were the functional tests organized by ABHIR, such

56 Casa Branca Press

Corridas a nova atuação da raça no Brasil com páreos frequentes no Jockey Club de São Paulo

as Rural Riding, Reining Cup and Lasso, and then it was discovered by Horse Clubs as an extraordinary vaulting horse for teenagers and beginners. In the 80s and 90s, as occurred in the United States and Australia, many breeders invested in work competitions, such as Work Cow Horse practiced in several states, Team Penning, in the state of São Paulo, and Laço Comprido, in Mato Grosso do Sul, that the breed won more followers. More recently, the Arabian Horse’s races at the Jockey Club de São Paulo, organized by BAHR (Brazilian Arabian Horse Racing), supported by the Breeders’ Association and sponsored by IFHAR (International Federation of Arabian Horse Racing Authorities), an international organization dedicated to organizing and supporting races, maintaining more than 600 races worldwide. All these horse activities are increasingly gaining supporters and admirers for the Arabian Horse in Brazil, and showing the basics of its origin in the desert as a horse of strength and versatility.

Casa Branca Press 57


agenda

AGENDA

2º Semestre de 2016

2nd Semester 2016

Global Agricultural Forum (GAF 2016) 04 e 05 de Julho / July 4th and 5th Local: São Paulo (SP) Inf.: www.globalagriculturalforum.com

ExpoBrahman 2016 15 a 25 de Setembro / September 15th to 25th Local: Uberaba (MG) Inf.: www.brahman.com.br

Expointer 2016 27 de Agosto a 04 de Setembro August 27th to September 4th Local: Esteio (RS) Inf.: www.expointer.rs.gov.br

Interconf 2016 20 a 22 de Setembro / September 20th to 22th Local: Goiânia (GO) Inf.: www.interconf.org.br

Mercoagro 2016 13 a 16 de Setembro / September 13th to 16th Local: Chapecó (SC) Inf.: www.mercoagro.com.br Copa de Criadores de Cavalo Árabe 15 a 18 de Setembro / September 15th to 18th Local: Avaré (SP) Inf.: www.abcca.com.br

Exposição Nacional do Cavalo Árabe 16 a 20 de Novembro / November 16th to 20th Local: Indaiatuba (SP) Inf.: www.abcca.com.br Fenagro 2016 29 de Novembro a 07 de Dezembro November 29th to December 7th Local: Salvador (BA) Inf.: www.seagri.ba.gov.br

Touros Angus em julgamento na Expointer Angus bulls at Expointer

Prova de Team Penning na Nacional do Cavalo Árabe Team Penning at Brazilian Arabian Show

58 Casa Branca Press


Casa Branca PRESS 16  

Junho de 2016 / ano 11 - número 16

Casa Branca PRESS 16  

Junho de 2016 / ano 11 - número 16

Advertisement