__MAIN_TEXT__

Page 1


6 Entrevista 18 Mercado 22 Reprodutores

Interview 12 Market 21 Sires 22

28 Genética

Genetics 30

32 Parceiros

Partners 36

38 Técnica

índice

Editorial 4

Technical 38

44 Nossa empresa

Our Company 48

50 Cavalo Árabe

Arabian Horse 54

58 Responsabilidade social 66 Agenda

Social responsibility 62 Agenda 66

index

5 Editorial

CASA BRANCA PRESS Ano 11 – Número 15 – Abril de 2016 EXPEDIENTE

Diretores: Paulo de Castro Marques Paulo Wickbold Marques Fabiana Marques Borrelli Secretaria Geral e Marketing: Eliane Slucki Jornalista Responsável: Altair Albuquerque (MTb 17.291) Reportagens: Texto Comunicação Corporativa e Rogério Santos (Cavalo Árabe) Fotos: Arquivo Casa Branca, Texto, Gerson Sobreira, Rogério Santos, Rubens Ferreira, Cassiano Heitor

Produção: BReeder Editora Foto Capa: Banco de imagens da Casa Branca Casa Branca Press é o órgão oficial de comunicação da Casa Branca Agropastoril Correspondência: Rua das Olimpíadas, 242 - 3o andar - Vila Olímpia - São Paulo (SP) - CEP 04551-000 Telefone: (55 11) 3573-6219 e-mail: casabranca@casabrancaagropastoril.com.br

Casa Branca Press

3


4

Casa Branca Press

And so is the future

E o FUTURO também

Without a doubt, the fat cattle price is the best thermometer for the beef cattle industry.

Indiscutivelmente, o preço do boi gordo é o melhor termômetro da pecuária de corte. Em mar-

In March, an arroba reached R$ 157.98 in the CEPEA/Esalq listing, price that had never been achieved by the product. This is just one of several positive signs given by livestock this year. There are several others. The price of the calf, for example, is holding still. And exports are growing. The downside, however, is the concern about domestic. In times of economic instability, Brazilians cut down on the purchase of noble products, like beef, seeking for other alternatives. But history proves that they always get back to rump cover, sirloin steak, and filet mignon. Another positive sign of the good moment in livestock is the intense demand for genetically superior breeding animals. Casa Branca has sold almost all of its production and the demand is so great that we decided to offer an extra lot, with the Direct Sales project, to be held between April 18 and 24, at Fazenda Santa Ester, in Silvianópolis (MG). Looking through all that, I’d venture to say that livestock is in one of its best moments in recent years. The positive factors outweigh the negatives ones, providing good returns for producers who value the genetics, offering high quality animals. In addition, you can never neglect the international scenario. The world’s population grows, many countries improve their economy and start to consume more beef. On the other hand, only a few countries are able to meet the growing demand. Brazil stands out in this scenario. After all, we have land, water, the proper weather, exceptional tropical genetics and ranchers’ unquestionable ability to overcome obstacles and produce more and better. If the current time is positive, I have no doubt that the future will be even better for the Brazilian cattle business.

ço, o valor da arroba atingiu R$ 157,98 pela cotação do CEPEA/ Esalq, cotação nunca antes obtida pelo produto. Esse é apenas um dos vários sinais positivos da pecuária nesse início de ano. Há vários outros. O preço do bezerro, por exemplo, mantémse firme. E as exportações estão crescendo. Pelo lado negativo, a preocupação é com o consumo interno. Afinal, em tempos de instabilidade econômica, os brasileiros reduzem a compra de produtos mais nobres, como a carne bovina, e partem para outras opções. Mas, a história comprova que eles sempre voltam para a picanha, o contrafilé, o filé mignon. Outro sinal positivo do bom momento da pecuária é a intensa procura por reprodutores de qualidade genética superior. A Casa Branca vendeu praticamente toda a sua produção e a demanda é tanta que resolvemos ofertar um lote extra, no projeto Venda Direta, entre 18 e 24 de abril, na Fazenda Santa Ester, em Silvianópolis (MG). Por tudo isso eu me arrisco a dizer que a pecuária está em um dos seus melhores momentos dos últimos anos. Os fatores positivos superam, e muito, os negativos, proporcionando boa rentabilidade para os produtores que valorizam a genética, ofertam animais precoces e de qualidade. Além disso, nunca se pode desprezar o cenário internacional. A população mundial cresce, muitos países melhoram sua economia e passam a consumir mais carne bovina. E, do outro lado, poucos países têm condições de atender à crescente demanda. O Brasil destaca-se nesse cenário. Afinal, nós temos terras, água, clima, uma genética tropical excepcional e a indiscutível capacidade do pecuarista de superar obstáculos e produzir mais e melhor. Se o momento atual é positivo, não tenho dúvida nenhuma de que o futuro será ainda melhor para a pecuária brasileira.

Paulo de Castro Marques

Paulo de Castro Marques

Owner of Casa Branca Agropastoril

Proprietário da Casa Branca Agropastoril

Casa Branca Press

editorial

editorial

Now is a good time for livestock.

O momento é da pecuária.

5


ASSOCIAÇÕES

para

2016 2

Casa Branca Press – Presidente, qual sua análise sobre o momento da raça no Brasil?

Entidades nacionais de criadores de Angus, Brahman e Simental explicam o trabalho realizado em prol das raças e da pecuária brasileira.

016 já caminha em ritmo intenso e as associações nacionais de criadores das raças Angus, Brahman e Simental afinam suas estratégias e aceleram o trabalho em prol do fomento, da valorização e do fortalecimento de suas opções genéticas. Cada raça tem suas particularidades, mas o objetivo é comum: contribuir com o aumento da produtividade da pecuária brasileira, atividade fantástica responsável pela oferta anual de 10 milhões de toneladas de carne bovina e de 40 kg de consumo per capita/ano. Para conhecer um pouco mais dos planos de cada associação, a revista Casa Branca Press conversou com José Roberto Pires Weber, presidente da Associação Brasileira de Angus; Adalberto Cardoso, presidente da Associação dos Criadores de Brahman do Brasil; e Alan Fraga, presidente da Associação Brasileira de Criadores das Raças Simental – Simbrasil. A Casa Branca Agropastoril escolheu essas raças de características únicas e complementares como o foco do seu trabalho de melhoramento genético. Todos os anos, a empresa coloca no mercado mais de 400 reprodutores devidamente avaliados, funcionais, adaptados às regiões de clima quente e prontos para o trabalho a campo.

6

Casa Branca Press

um momento positivo, uma vez que a Angus conseguiu abrir mercados altamente exigentes. Em 2015, conseguimos embarcar as primeiras cargas completas de Carne Angus Certificada para a Europa e muitas outras negociações estão em curso. Depois da participação na ExpoMilão (Itália), em Anuga (Alemanha), e na Gulfood (Emirados Árabes), atuamos agora na prospecção de novos mercado nos países árabes. De modo geral, podemos dizer que a raça Angus conquistou um patamar diferenciado de mercado e valorização que nada mais é do que o resultado de anos de trabalho a campo e melhoramento genético.

entrevista

entrevista

Os planos das

“Angus, Brahman e Simental Sul-Africano são raças fantásticas, que têm se mostrado opções genéticas diferenciadas para as condições brasileiras. Cada uma tem suas particularidades. Porém, todas têm em comum a indiscutível contribuição para ajudar a pecuária nacional a ocupar o espaço que merece no mercado global de carne bovina. O Angus é a carne mais valorizada do mundo; o Brahman é o zebu mais produzido no mundo; e o Simental Sul-Africano foi selecionado em altas temperaturas”, explica Paulo de Castro Marques, proprietário da Casa Branca Agropastoril.

José Roberto Pires Weber, presidente da Associação Brasileira de Angus – Apesar da crise da economia brasileira, o mercado para a raça Angus está extremamente favorável. Vivemos um momento de demanda aquecida por genética, com procura por reprodutores que os criatórios não conseguem atender em sua plenitude. O grande interesse é reflexo da valorização da carne Angus e dos ganhos que só o cruzamento com o Angus traz aos rebanhos do Brasil Central. O cenário internacional também vive

“Vivemos um momento de demanda aquecida por genética Angus, com procura por reprodutores que os criatórios não conseguem atender em sua plenitude” José Roberto Pires Weber, Angus

Adalberto Cardoso (Brahman) – Eu diria que o Brahman está em um momento de transição positiva. A raça é relativamente nova no Brasil. Apesar de ser o zebu mais produzido no mundo, chegou ao país oficialmente há pouco mais de duas décadas. É muito pouco tempo para demonstrar todas as suas características. Após uma fase de grandes investimentos, houve uma acomodação natural. Criadores saíram e outros chegaram. O foco é outro atualmente. Com

“Apesar de ser o zebu mais produzido no mundo, o Brahman chegou ao país há duas décadas. É muito pouco tempo para demonstrar suas características produtivas” Adalberto Cardoso, Brahman muita clareza, os criadores de Brahman enxergam a raça como uma excelente opção genética para o país – de norte a sul. Afinal, o Brahman é muito produtivo e perfeitamente adaptado. Dessa forma, consegue atender as mais diferentes necessidades da pecuária brasileira. Veja que esse processo está tão intenso que há carência de gado PO. Os criadores de Brahman que selecionam touros não estão conseguindo atender à demanda. Não resta dúvida de que esse é um sinal muito positivo.

Casa Branca Press

7


entrevista Alan Fraga (Simental) – O grande crescimento da raça Simental tem sido pelos cruzamentos para a produção de carne, sendo a raça Nelore a mais utilizada. Já para a produção de leite são utilizadas as raças Girolando e Holandês. O mercado de carne e leite esteve bastante

“Há tendência de alta de preço para animais puros. Cada vez mais, o pecuarista busca a melhoria da produtividade, adquirindo animais melhoradores geneticamente” Alan Fraga, Simental firme no último ano e, com isso, há tendência natural de alta de preço para animais com registro genealógico. Cada vez mais o pecuarista busca a melhoria da produtividade, adquirindo animais melhoradores geneticamente.

Casa Branca Press – Quais as principais características da raça que considera mais positivas para a pecuária brasileira?

Weber (Angus) – O Angus é a raça capaz de conceder à pecuária brasileira as características que os mercados mais exigentes do mundo desejam. É o uso da genética Angus que assegura maciez, suculência e alto sabor aos cortes produzidos no Brasil. Prova disso é o aumento do uso de sêmen Angus, que, em 2014, atingiu 3,8 milhões de doses. A raça também conquistou espaço significativo nos cruzamentos industriais com zebuínos no CentroOeste. Entre as vantagens de quem trabalha com Angus está a obtenção de animais precoces, com alto potencial de ganho de peso e marmoreio.

8

Casa Branca Press

Cardoso (Brahman) – O Brahman é o zebu mais precoce. Além disso é altamente produtivo. Sem dizer que se adapta muito bem às diferentes regiões. Afinal, está presente dos Estados Unidos à Argentina. Nenhuma raça é criada em mais de 70 países se não tiver características que agradem ao mercado. A pecuária brasileira e global passa por um momento de seleção natural,em que as raças que respondem bem a campo têm a preferência. O Brahman já mostrou que tem muito a contribuir com a atividade no país. O cruzamento industrial do Brahman com as raças europeias tem apresentando resultados excelentes.

Fraga (Simental) – O Simental é uma raça de dupla aptidão e vem se destacando tanto na produção de carne como na produção de leite. Apresenta alta fertilidade, habilidade materna, adaptabilidade, conversão alimentar, precocidade produtiva e reprodutiva, além da precocidade de crescimento, característica essa peculiar à raça. Possui carne macia e marmorizada, com gordura entremeada às fibras, o que lhe confere excelente sabor. No Brasil, é mais utilizada visando cruzamentos, principalmente com animais da espécie zebuínas. As fêmeas desse cruzamento estão entre as preferidas para utilização como receptoras de embriões. Os machos a campo demonstram vigor, rusticidade, velocidade de ganho de peso, com alto rendimento de carcaça, sendo que, quando em confinamento, tais características são exacerbadas, principalmente pela adaptabilidade em decorrência da docilidade dos mesmos.

Casa Branca Press – Quais as principais atividades/iniciativas da Associação programadas para 2016?

Weber (Angus) – A agenda da Angus em 2016 dá sequência aos inúmeros projetos da atual gestão. Além da tradicional participação em exposições e feiras, a raça foca suas ações em uma nova campanha voltada à valorização do Touro Angus Registrado. Nossa ideia é mostrar a importância de produzir bezerros com o melhor da genética disponível. Só trabalhando com reprodutores registrados

se tem a certeza de qualidade e da história que está por trás de cada animal. Outro grande acontecimento de 2016 será a realização do 3º Congresso Brasileiro de Angus, nos dias 29 e 30 de junho, em Porto Alegre (RS). O evento debaterá os rumos da raça com a presença de autoridades nacionais e internacionais e já está com inscrições abertas pelo site da Angus (www.angus.org.br). No âmbito do Programa Carne Angus Certificada, 2016 é marcado por viagens internacionais com o objetivo de ampliar mercados. Já participamos da Gulfood, em Dubai, e também estão previstas comitivas à Europa e à América do Norte. Na área técnica, a Angus está ampliando seu quadro de profissionais para atender à demanda crescente e desenvolvendo projetos, como o realizado em parceria com a Elanco para conter a infestação de carrapato nos criatórios.

Cardoso (Brahman) – Temos vários desafios à frente da Associação de Criadores de Brahman do Brasil. Posso dizer que o principal objetivo é alargar a base da pirâmide, incentivando os pequenos criadores de Brahman, dandolhes valor e apoio para investir mais e crescer. Nesse sentido, estamos conversando com as associações estaduais e núcleos regionais, estamos investindo em comunicação para levar mais informação para o campo, reforçando as qualidades do Brahman. Também fechamos parceria com o Canal do Boi para divulgar o Brahman durante todo o ano. O objetivo central é mostrar as qualidades da raça, que são várias e perfeitamente ajustadas às necessidades da pecuária brasileira. Trazendo novos criadores para a Entidade, temos certeza de que contribuímos, e muito, para a expansão do Brahman no país. Além disso, também estamos motivando a realização de mais julgamentos a campo nas grandes exposições. Até a Expozebu incorporará essa modalidade de avaliação.

Fraga (Simental) – A Associação realiza constante trabalho de aproximação e integração de criadores por meio dos Núcleos Regionais distribuídos no país, que auxiliam na promoção de eventos. As exposições regionais ranqueadas, realizadas durante todo o ano, e a Exposição Nacional, têm sido as formas básicas de estimular os associados. A Associação, como nos demais anos, continua com grande participação em exposições em todo o país – no total, são

mais de 40 eventos agropecuários/ano. E há, ainda, provas de melhoramento genético. Outra forma de fomentar e manter a adesão é o Sumário de Touros, que se encontra na 19ª Edição. Esse Catálogo de Valores Genéticos é resultante do amplo Programa de Melhoramento Genético da Associação, iniciado nos anos 70, com a publicação das DEPs dos touros, bem como os líderes genéticos.

Casa Branca Press – Presidente, Como o sr. vê o atual momento da pecuária brasileira e para os próximos anos?

Weber (Angus) – Momentos de crise sempre devem ser vistos como grandes oportunidades. Apoiar-se em discursos pessimistas para justificar dificuldades não leva a nada. Muito pelo contrário. Acredito que a pecuária brasileira está em um patamar de primeiro mundo e a carne produzida hoje é capaz de atender aos consumidores mais exigentes do mundo. Contudo, ainda há muito

Casa Branca Press

9


entrevista

a progredir. O Brasil precisa avançar na rastreabilidade dos rebanhos, trabalhar de forma cada vez mais profissional e parar de esperar que o governo resolva os problemas do setor. É claro que precisamos do apoio das instituições governamentais para avançar, mas não dá mais para ficar esperando. É preciso agir. E, para isso, é preciso trabalho duro. Precisamos aprimorar a genética de nossos criatórios constantemente, assim como o manejo e as questões sanitárias. Se queremos vender nossa carne ao mundo precisamos estar prontos para ele.

Cardoso (Brahman) – A pecuária brasileira já mostrou sua importância para o agronegócio e para o país. Somos os maiores exportadores de carne bovina do mundo, temos um rebanho de mais de 200 milhões de cabeças e opções genéticas fantásticas. Nesse cenário, o Brahman só tem a crescer, desde que façamos um trabalho sério, aos poucos, valorizando e destacando as qualidades da raça. Nesse sentido, o momento é perfeito para crescer e ampliar a presença do Brahman no país, multiplicando sua docilidade, fertilidade e produtividade. Veja que a raça está presente do Rio Grande do Sul ao Amazonas. Que outra raça tem essa presença territorial?

Fraga (Simental) – Os últimos meses foram difíceis para a economia brasileira, gerando insegurança nos investimentos. Apesar disso, a pecuária conseguiu se manter melhor do que outras atividades econômicas. A expectativa para os próximos anos é de crescimento do mercado mundial, devido à demanda por proteína animal. Assim, como o Brasil tem uma competitividade muito grande na área, a tendência é de crescimento, beneficiando o pecuarista, a indústria e a economia do país num todo.

Casa Branca Press – E qual sua avaliação sobre o potencial do Brasil como fornecedor de carne para o mercado mundial?

Weber (Angus) – O Brasil tem um potencial gigantesco para produzir carne e abastecer as mesas mais exigentes do mundo. O essencial nesse momento é substituir uma

10 Casa Branca Press

imagem de produtor de carne commodity pela posição de fornecedor de cortes gourmet. É esse mercado que vai pagar mais pela carne brasileira e é nele que a Associação Brasileira de Angus está focada. Países como Alemanha, Itália, Holanda e Emirados Árabes estão no nosso horizonte. Para isso, estar em feiras internacionais e em eventos gourmet é uma forma de mostrar ao mundo o sabor da carne brasileira. Visando o mercado internacional, a Angus também firmou convênio com a Minerva Foods em janeiro deste ano com a meta de abater 3 mil cabeças/mês. Segundo maior exportador de carne do país, o grupo já está habilitado a realizar abates pelo Programa Carne Angus Certificada e exportar cortes com a marca Angus. Por outro lado, atender ao mercado interno também está entre as nossas prioridades, e sempre estará. Afinal, o consumidor brasileiro também já descobriu as vantagens de pagar um pouco mais por uma carne superior e sabe que, ao escolher cortes Angus, não terá surpresas à mesa.

Cardoso (Brahman) – Está aí mais um segmento que tem tudo para crescer e o Brahman pode ajudar bastante. O Brasil já é o maior exportador mundial de carne bovina. No ano passado, as vendas externas renderam quase US$ 6 bilhões para o país. Porém, ainda somos conhecidos no mundo como vendedor de carne de qualidade mediana. Precisamos avançar nesse quesito. Nosso gado é criado solto, no campo, se alimenta de capim e sal mineral. Essas características têm de ser valorizadas e fazer parte do nosso pacote de marketing. Com isso, não tenho dúvidas de que abriremos outros espaços, seremos ainda mais valorizados no mercado internacional. Sem esquecer que temos um mercado interno fantástico, que absorve mais de 8,5 milhões de toneladas de carne por ano.

Fraga (Simental) – Nos últimos anos, o Brasil se tornou o maior exportador de carne e a tendência é de crescimento, sendo uma conquista para a cadeia da carne bovina brasileira. Hoje, o Brasil pode atender qualquer mercado no mundo, sejam nichos específicos, com carnes mais nobres, até cortes de menor valor, que sejam mais magras ou tenham maior teor de gordura, sob qualquer demanda de volume, consolidando-o como potência na produção e exportação de carne bovina.

Casa Branca Press 11


The associations’ plans for 2016

The year of 2016 is already moving at a fast pace and,

and the national breeders association of Angus, Brahman and Simmental cattle improve their strategies and speed up their efforts towards the promotion, appreciation and strengthening of their genetic options. Each breed has its own distinct features, but there is a common goal: to contribute towards the increased productivity of the Brazilian cattle industry, an incredible activity that supplies 10 million tons of beef a year, at a rate of 40 kg per capita. To learn a little more about each association’s plans, Casa Branca Press talked with José Roberto Pires Weber, president of the Brazilian Angus Association, Adalberto Cardenas, president of the Brahman Breeders Association of Brazil, and with Alan Fraga, president of the Brazilian Association of Simmental – Simbrasil breeders. Casa Branca chose these breeds and their unique and complementary characteristics as the focus of its genetic improvement program. Every year, the company puts out on the market more than 400 breeding cattle that undergo careful evaluation, are fully functional, adapted to hot climates, and ready to work out on the field. “Angus, Brahman and South African Simmental are fantastic breeds, and they have proven to be outstanding genetic options for the conditions in Brazil. Each has its own unique characteristics. However, they all have made undeniable contributions towards helping the Brazilian cattle industry occupy its outstanding space in the global beef market. Angus is the most sought-after meat in the world; Brahman is the world’s most produced zebu; and the South African Simmental has been selected at high temperatures,” explains Paulo de Castro Marques, owner of Casa Branca Agropastoril.

12 Casa Branca Press

inter view

inter view

National entities of Angus, Brahman and Simmental breeders describe the work undertaken to promote the breeds and the Brazilian cattle industry. Casa Branca Press – Presidents, what is your opinion about the current breeding situation in Brazil? José Roberto Pires Weber, president of the Brazilian Angus Association – Despite the Brazilian economic crisis, the market for the Angus breed is extremely favorable. We have seen a spike in demand due to an interest in genetics, and breeding facilities are having a hard time keeping up. This great interest reflects the appreciation of Angus beef and the gains that are only possible to achieve when the herds from Central Brazil are crossed with Angus. The moment is also positive for international breeders, since Angus was able to open up highly demanding markets. In 2015, we were able to ship out the first full loads of Certified Angus Beef to Europe and many other negotiations are ongoing. After participating at ExpoMilan (Italy), Anuga (Germany), and Gulfood (United Arab Emirates), we are now actively searching for new markets in Arab countries. In general, we can say that the Angus breed has earned a distinguished place and appreciation in the world’s market, which is nothing more than the result of years of work on the field and with genetic improvement. Adalberto Cardoso (Brahman) – I would say that Brahman is going through a moment of positive transition. The breed is relatively new in Brazil. Despite being the world’s most common zebu breed, it only officially arrived in Brazil a little over two decades ago. It’s had very little time to show all of its positive characteristics. Following a time of major investments, things settled down a bit, which was only natural. Some left, while others came in to replace them. Nowadays, the focus has changed. Brahman

breeders now clearly see the breed as an excellent genetic option for the country – from North to South. After all, the Brahman is very productive and perfectly adapted. That allows it to meet a wide range of the Brazilian cattle industry’s needs. You can tell how intense this process has been by the fact that there is currently a shortage of PO cattle. Brahman breeders who select bulls are not being able to keep up with demand. There is no question that this is a very positive sign. Alan Fraga (Simmental) – The impressive growth of the Simmental breed has been a result of crossings aimed at beef production, most specifically with the Nelore breed. As for dairy production, the most common breeds are Girolando and Dutch. The beef and dairy market has been pretty steady for the last year, which results in a natural upward trend in price for animals with a genealogical record. Cattle ranchers are increasingly looking to improve productivity, and acquiring genetically improved animals.

Casa Branca Press – Which of the breed’s characteristics do you see as the most beneficial to the Brazilian cattle industry?

Weber (Angus) – The Angus breed is able to provide the Brazilian cattle industry with the characteristics desired by the world’s most demanding markets. It’s the use of the Angus genetics that assures tenderness, juiciness and rich flavor to the cuts produced in Brazil. This is demonstrated by the increased use of Angus semen, which in 2014 reached 3.8 million doses. The breed also became a major player in crossings with zebu cattle in the Brazilian Midwest. Some of the advantages of working with Angus is getting early-developing progeny, with high weight gain and marbling potential. Cardoso (Brahman) – The Brahman are the earliest developers of all zebu breeds, besides being highly productive. It also adapts very well to different regions. After all, it’s used from United States all the way to Argentina. To be present in more than 70 countries, a breed has to have features that appeal to the market. The Brazilian and global cattle industry are going through a period of natural selection, and the preference is for breeds that respond well out on the field. Brahman has already shown that it has much to contribute to cattle farming in the country. The industrial crossing of Brahman with European breeds has produced excellent results.


entrevista

Fraga (Simmental) – The Simmental is a breed that is dually adaptable, and has been excelling both in beef and dairy production. It has high fertility, maternal ability, adaptability, feed conversion, production and reproductive precocity, in addition to precocious growth, a peculiar characteristic of this breed. Its flesh is tender and marbled, with fat interspersed with fibers, which is what accounts for its great flavor. In Brazil, it’s used mostly in crossings, especially with zebu breeds. The females born out of this crossing are among the most popular as recipients for embryos. On the field, the males demonstrate stamina, robustness, quick weight gain, and a highyielding carcass. These qualities are amplified in confinement, primarily due to their adaptability and gentleness.

Casa Branca Press – What are the main activities/initiatives that the association has planned for 2016? Weber (Angus) – The Angus agenda for 2016 is focused on the continuation of the current administration’s projects. In addition to the traditional participation in exhibits and trade shows, the breed will devote its efforts towards a new campaign aimed at the appreciation of the Registered Angus Bull. Our goal is to demonstrate the importance of producing calves with the best genetics available. The only way that we can be sure of the quality and the history behind each animal is by working with registered breeding cattle. One of our major events for 2016 will be the 3rd Brazilian Angus Congress, to be held June 29-30 in Porto Alegre. The event will discuss the breed’s direction for the future, with the presence of national and international authorities, and registrations can be made through the Angus website (www.angus.org. br). We also have the Certified Angus Beef Program, which in 2016 will be marked by international travel aimed at expanding our markets. We’ve already participated at Gulfood in Dubai, and we are also organizing committees to go to Europe and North America. Technically, Angus is expanding its staff of professionals to meet the growing demand, and developing projects such as a partnership with Elanco, which devises measures to control tick infestation on cattle ranches.

1

Cardoso (Brahman) – We have many challenges ahead for the Brahman Breeders Association of Brazil. I can say that the main objective is to expand the base of the pyramid by encouraging small Brahman breeders, recognizing their value and providing them with the support they need to invest more and grow. In that sense, we are talking to state associations and regional groups, investing in communications to bring more information to the field, stressing the qualities of the Brahman breed. We have also entered into a partnership with Canal do Boi1 to promote Brahman throughout the year. Our main goal is to make people aware of the breed’s qualities, which are plentiful and perfectly adjusted to the Brazilian cattle industry’s needs. By bringing new breeders to the association, we are certain to be making a great contribution towards expanding the Brahman breed in the country. In addition, we are also encouraging more field trials in major shows. Even Expozebu will now add this evaluation method. Fraga (Simmental) – The Association is constantly involved in efforts to integrate and build closer relationships with breeders through its Regional Centers distributed throughout the country, which assist us with the promotion of events. The regional prize shows held throughout the year, have been some of our basic ways of engaging our members, as has the National Show. As in other years, the Association continues to believe in making its presence felt at many shows across the country – in all, we are involved with more than 40 livestock events per year. And there is also genetic improvement evidence. Another way to maintain and even boost our membership levels is Sumário de Touros [Contest of the Bulls], now on its 19th edition. This Catalog of Genetic Values is a result of the Association’s extensive Genetic Improvement Program, started in the 1970s, with the publication of the EPD of the bulls, as well as of the genetic leaders.

Casa Branca Press – President, what is your perspective on the current situation of the Brazilian cattle industry? What about the coming years?

TN: Canal do Boi is a Brazilian television channel mostly dedicated to cattle auctions.

14 Casa Branca Press

Casa Branca Press 15


inter view

Weber (Angus) – Times of crisis should always be looked at as great opportunities. Trying to justify the hardships with a pessimist outlook won’t get us anywhere. Quite the contrary. I believe that the Brazilian cattle industry is up to par with that of developed countries, and the beef produced today is able to satisfy the world’s most demanding consumers. However, we still have a lot of room for improvement. Brazil needs to advance herd monitoring throughout the country, strive to reach an increasingly professional level, and stop waiting for the government to solve the sector’s problems. While we clearly need the support of government institutions to advance our industry, but we can no longer afford to wait. We need actions. And that requires a lot of hard work. We need to continuously improve the genetics of our breeding facilities, as well as the handling and health issues. If we want to sell our beef to the world, we need to be prepared to meet its demands. Cardoso (Brahman) – The Brazilian cattle industry has already proven its relevance for the country and its agribusiness sector. We are the world’s largest exporters of beef, we have a herd of more than 200 million heads and incredible genetic options. Within this context, Brahman is certain to grow, as long as we continue to work hard towards gradually promoting and adding value to the breed’s qualities. In that sense, it’s a perfect time to grow and expand the presence of Brahman cattle in the country, multiplying their gentleness, fertility and productivity. Attesting to these qualities is the fact that the breed is raised from Rio Grande do Sul to Amazonas. What other breed has this kind of territorial presence? Fraga (Simental) – The last few months have been difficult for the Brazilian economy, generating uncertainty for investors. Despite that fact, the cattle industry has managed to fare better than other economic activities. We are expected to see some growth in the world market in the upcoming years, due to the demand for animal protein. And because Brazil is very competitive in this sector, the trend is that we will also see some growth, which will benefit ranchers, the industry, and the country’s economy as a whole.

Casa Branca Press – And what is your assessment of Brazil’s potential as a supplier of meat to the world market?

16 Casa Branca Press

Weber (Angus) – Brazil has a huge potential to produce meat and supply the world’s most demanding consumers. The most important thing right now is to replace our image as a producer of commodity meat with a position of supplier of gourmet cuts. This is the market that will pay more for Brazilian beef, and that is the focus of the Brazilian Angus Association. Countries like Germany, Italy, the Netherlands and the United Arab Emirates are on our horizon. And so, being at international fairs and gourmet events is one way to let the world know about the flavor of Brazilian beef. To penetrate this international market, Angus has also signed an agreement with Minerva Foods this past January, with the goal of reaching 3,000 heads slaughtered per month. As the second largest beef exporter in the country, the group is able to conduct its slaughter process in accordance with the Certified Angus Beef Program, and export cuts that feature the Angus brand. On the other hand, the internal market is also among our priorities, and will always be. After all, the Brazilian consumer has also discovered the benefits of paying a little more for superior beef, and knows that, by choosing Angus cuts, there are no surprises at the table. Cardoso (Brahman) – That is another segment that is sure to grow, and Brahman can provide a great contribution. Brazil is already the world’s largest exporter of beef. Last year, foreign sales brought almost US$6 billion into the country. However, world still sees us as a seller of medium-quality meat. We need to make progress in this aspect. Our cattle are bred out on the pasture, it feeds on grass and mineral salt. These characteristics must be promoted, and be integrated into our marketing package. If we do that, I have no doubt that we will open new ground, and we will achieve greater recognition in the international market. And let’s not forget that we have a great internal market, which absorbs more than 8.5 million tons of meat per year. Fraga (Simmental) – In recent years, Brazil has become the largest exporter of meat and the trend points towards growth, which is a great achievement for the Brazilian beef chain. Today, Brazil can compete in any market around the world, whether it’s specific niches, with premium meat or lower-priced cuts – or be it with leaner or fatter beef, meeting demands of all sizes, solidifying its position as a major player in the production and export of beef.

Casa Branca Press 17


Exportações crescem e preços do boi gordo permanecem remuneradores para os produtores

mercado

mercado

Mais um ano positivo para a

pecuária brasileira “A

oferta de bois gordos está curta em 2016 assim como ocorreu em 2015. Devemos ter mais um ano de retenção de fêmeas. A baixa disponibilidade de garrotes e bois magros no ano passado resulta em menor quantidade de bovinos terminados este ano. Se não havia excesso de reposição em 2015, não haverá grande oferta de bovinos terminados nos próximos meses”. A análise é dos especialistas da Scot Consultoria, que vão além: “O preço pago pela reposição incentiva o criador a manter as fêmeas, com finalidade de produção de bezerros, diminuindo a quantidade de bovinos totais abatidos. Este cenário tem sido comum desde o ano passado. A expectativa é de que o preço da arroba se sustente na oferta limitada”. A Scot também acredita em manutenção das cotações do boi gordo em patamares positivos para os pecuaristas. “O ano é de oferta limitada de boiadas e não está previsto que os preços caiam com intensidade. Entretanto, a redução do poder de compra da indústria e a queda do consumo conturbam esse cenário”, alerta a consultoria.

>>> 18 Casa Branca Press

Casa Branca Press 19


Another positive year for the Brazilian livestock

114 111 108 105 102 99 96 93

Exports grow and fat cattle prices remain profitable for producers

j

f

m

a

m

À vista, descontado o prazo de pagamento pela taxa CDI/CETIP - valores nominais Fonte: Cepea/ Esalq

j

j 2013

O CEPEA (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da Esalq, também enxerga cenário otimista para a cadeia da carne bovina em 2016 e aponta a oferta restrita de bezerros como um fator decisivo. “O aumento significativo da oferta de bezerros no mercado brasileiro só deve ocorrer em 2017. Ao longo deste ano, a disponibilidade dessa categoria de reposição deve se manter restrita. Um dos motivos é a estiagem registrada no ano passado, que prejudicou pastos e a engorda dos animais”. E quanto ao mercado externo? Qual o desempenho esperado para as exportações de carne bovina em 2016? “A exportação de carne bovina do Brasil deverá crescer cerca de 25% neste ano, para 1,76 milhão de toneladas, retomando o crescimento após um ano em que o setor enfrentou dificuldades no cenário internacional”, disse o presidente da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (Abiec), Antonio Jorge Camardelli. Segundo Camardelli, o otimismo se fundamenta na demanda adicional que virá da Ásia, especialmente da China e Japão, além da expectativa de que o mercado de carne in natura dos Estados Unidos seja finalmente aberto, após anos de espera.

a

s

2014

o 2015

n

d

2016

Dessa forma, ele prevê que a receita gerada pelas exportações aumente para até US$ 7,5 bilhões, um novo recorde, ante o resultado de US$ 5,9 bilhões em 2015. A Abiec também vê o vácuo de mercado deixado pela queda no número de abates da Austrália, importante exportador global, como uma oportunidade de crescimento da participação brasileira no mercado asiático. “Sabemos que há uma demanda crescente na Ásia em geral. A Austrália não conseguirá suprir esse mercado todo”, completou o diretor-executivo da Abiec, Fernando Sampaio. A China, que também reabriu seu mercado ao produto brasileiro, é vista pela Abiec como “a primeira alternativa para cortes nobres”, que antes tinham a Europa como principal destino. Atualmente, o Brasil exporta majoritariamente carne in natura desossada para o país asiático, mas estão previstas negociações para a exportação de miúdos e carnes com ossos, o que pode aumentar o volume das vendas para China, disse Camardelli. Em relação aos mercados da América do Norte, a entidade espera que em 2016 sejam emitidos os certificados para entrada de carne brasileira in natura nos Estados Unidos, país que atualmente só importa o produto industrializado.

The offer of fat cattle is short in 2016, just like in 2015. We should have another year of retention of females. The low availability of calves and fed cattle last year has resulted in fewer pasture-finished cattle this year. If there was no surplus in 2015, there shouldn’t be a great offer of pasture-finished cattle in the next few months “. That is what experts from Scot Consultoria say, and they add: “The price paid for replacement encourages the breeder to hold on to their females in order to produce calves, decreasing the total number of cattle slaughtered. This scenario has become common since last year. The price of the arroba is expected to be backed up by the limited offer”. Scot also believes in maintaining the fat cattle prices at positive levels for cattle breeders. “This is an year of limited offer of cattle and prices are not expected to drop. However, the reduction in the purchasing power of the industry and the fall in consumption disrupt this scenario”, warns the consultancy. The CEPEA (Center for Advanced Studies in Applied Economics) at the ESALQ, also see an optimistic scenario for the beef chain in 2016, and points out the limited offer of calves as a decisive factor. “The significant increase in the supply of calves in the Brazilian market should only take place in 2017. Throughout this year, the availability of this replacement category should remain restricted. One of the reasons is the drought recorded last year, which has damaged pastures and compromised the weight gain of animals.” And what about the external market? What is the expected performance for exports of beef in 2016? “The export of beef from Brazil should grow around 25% this year, to 1.76 million tones, resuming growth after a year in which the industry faced difficulties in the international scenario”, said the President of the Brazilian Association of Meat Exporters (ABIEC), Antonio Jorge Camardelli.

According to Camardelli, this optimism is based on an additional demand that will come from Asia, especially China and Japan, in addition to expectations that the fresh meat market in the United States finally opens up, after years of long wait. This way, he believes that the revenue generated by the exports may increase to up to US$ 7.5 billion, a new record compared with the US$ 5.9 billion recorded in 2015. The ABIEC also sees the market space left by the drop in the number of slaughtering in Australia, an important global exporter, as an opportunity of growth of the Brazilian participation in the Asian market. “We know that there is a growing demand in Asia, as whole. Australia will no be able to cater for this market”, added the Executive Director of ABIEC, Fernando Sampaio. China, which has also reopened its market to the Brazilian production, is seen by the ABIEC as “the first choice for prime cuts”, which used to target Europe as the main destination. Currently, Brazil exports mostly fresh boneless beef to the Asian country, but there should be talks for the export of giblets and meat with bones, which may boost the volume of sales to China, said Camardelli. As for the North American markets, the entity expects the issuance of the certificates allowing the entry of Brazilian fresh meat in the United States in 2016, as the country, currently only imports industrialized products.

Chart - Brazilian beef exports

Quadro - Exportações brasileiras de carne bovina 2011

2012

2013

2014

2015

2016*

Milhões t

1,09

1,13

1,50

1,56

1,20

1,76

Milhões US$

5,37

5,8

6,6

7,2

5,9

7,5 Fonte: ABIEC * Estimativa

20 Casa Branca Press

market

RS/ arroba

mercado

Evolução do Indicador do BOI GORDO E SALQ/BM&FBovespa - SP 157,98 153 150 147 144 141 138 135 132 129 126 123 120 117

2011

2012

2013

2014

2015

2016*

Million t

1,09

1,13

1,50

1,56

1,20

1,76

Million US$

5,37

5,8

6,6

7,2

5,9

7,5

Source: ABIEC * Estimate Casa Branca Press 21


sires

reprodutores

A.758702 - SAV 8180 TRAVELER 004 A.761401 - SAV HEAVY HITTER 6347

PWM NATHAN TEICB 1060 ABERDEEN ANGUS - PO - 16.dez.2011

F

A.0735684 - TRES MARIAS 6632 LATINA TE

ilho do norte-americano SAV HEAVY HITTER, touro de números excepcionais e grande produção. Sua mãe é TRÊS MARIAS LATINA, fechada nas melhores linhagens Três Marias. PWM NATHAN é irmão do reprodutor TM ATORNANTE, que se encontra em central de inseminação na Argentina. NATHAN foi também campeão Touro na Exposição Internacional de Esteio (RS).

22 Casa Branca Press

AMN.13845267 - SAV BESSIE HEIRESS 1184 A.718899 - TRES MARIAS 5887 HORNERO TE A.0724864 - TRES MARIAS 6090 TACUARA TE

Offspring of North American SAV HEAVY HITTER, this bull has excellent numbers and great production. His dam is TRÊS MARIAS LATINA, descending from the best Três Marias lineages. PWM NATHAN is the sibling of breeding bull TM ATORNANTE, currently at the Insemination Center in Argentina. NATHAN was also Bull Champion at Esteio International Show, in Rio Grande do Sul.

AMN.17016630 - SAV ANGUS VALLEY 1867

AMN.16115617 - SAV IRON MOUNTAIN 8066 AMN.14140872 - SAV MAY 2397

PWM RUSSEL TEICB1768 ABERDEEN ANGUS - PO - 30.dez.2014

P

AMN.14739204 - SAV NET WORTH 4200

AMN.15786872 - SAV PRISCILLA 7809

roduto do Schaff Angus Valley, nascido e adaptado no Brasil. Originário de embrião importado do plantel SAV, fazenda que mais coloca touros em centrais de inseminação do mundo. PWM RUSSEL possui excelente ganho de peso, muita precocidade e pelo zero, mostrando muita adaptabilidade ao nosso clima. Seu pai foi um dos recordistas de preço do Leilão de 2012 e sua mãe é doadora da família PRISCILA, linhagem que conta com 10 matrizes naquele plantel.

AMN.13096316 - SAV PRISCILLA 8104

From Schaff Angus Valley, born and adapted in Brazil. Originated from an embryo imported from the stock of SAV, farm which puts the most bulls in insemination centers around the world! PWM RUSSELL has excellent weight gain, is very precocious and has zero hair, very adapted to our climate. His sire was one of the price record holders of the 2012 Auction, and his dam is from the great family PRISCILA, a lineage that has 10 dams in that stock.

Casa Branca Press 23


sires

reprodutores

JDH MR AMOS MANSO 568/6 801153

CABR JACKPOT 1870 CABR1870 - Brahman - PO - 14.ago.2012

T

24 Casa Branca Press

CABR DHIFALLA 899 CABR899

rata-se de um dos melhores touros Brahman já criados no Brasil. JACKPOT foi Campeão Bezerro na Expozebu 2013, Campeão Touro Sênior e Reservado Grande Campeão na Expozebu 2015. Ele alia raça, carcaça e conformação. É filho da Grande Campeã Nacional, CABR DHIPHALLA 899 e do grande raçador, JDH AMOS MANSO. CABR JACKPOT 1870 tem tem qualidades para ser usado em qualquer plantel do mundo.

JDH MADISON DE MANSO 669048 JDH NATALIA DE MANSO 605/4 674212 MR. PILAR POI 75 AAAA75 IPC 800 GLORIA 154 1219

This is one of the best Brahman bulls ever raised in Brazil. JACKPOT was Calf Champion at Expozebu 2013, Senior Bull Champion and Reserve Grand Champion at Expozebu 2015. He combines race, carcass and conformation. Son of National Grand Champion, CABR Dhipalla 899, and of the great breeding bull JDH Amos Manso. The qualities of CABR Jackpot 1870 can be used in any stock around the world.

CABR MR GUNTER 1612 CABR1612

CABR MAGIC GUNTER 2197 CABR2197 - Brahman - PO - 23.jan.2014

E

CABR DHIFALLA 899 CABR899

xcelente touro da nova geração de reprodutores Brahman da Casa Branca, alia raça, conformação e ganho de peso. Destaque desde jovem como animal superior. Seu pai, CABR GUNTER (JDH WOODSON MANSO 578/ X JDH GEMMA MANSO 395/6, mãe, inclusive, de JDH BECKTON MANSO), é um reprodutor jovem e produtor de campeões em sua primeira geração. Sua mãe é CABR DHIPHALLA 899, Grande Campeã Nacional e Melhor Matriz do Ranking. DHIPHALLA 899 é filha da matriz vitalícia IPC Glória. Por todas as suas qualidades, MAGIC GUNTER tem em sua linha alta o melhor touro norte-americano de todos os tempos e sua mãe é, simplesmente, da melhor família do Brahman brasileiro.

JDH WOODSON DE MANSO 206/7 839863 JDH LADY GEMMA MANSO 395/6 813746 MR. PILAR POI 75 AAAA75 IPC 800 GLORIA 154 1219

Excellent bull from the new generation of Brahman breeding cattle from Casa Branca, combines breed, conformation and weight gain. Has stood out from an early age as a superior animal. His sire, UPTIGHT GUNTER (JDH WOODSON MANSO 578/X 395/JDH GEMMA MANSO 6, mother of JDH BECKTON MANSO), is a young breeding bull that has sired champions in his first generation. His dam is CABR DHIPHALLA 899, National Grand Champion and Best Dam in the Ranking. DHIPHALLA 899 is the offspring of lifetime dam IPC Glória. For all its qualities, MAGIC GUNTER’s high line features the best American Bull of all time, and his mother is simply from the best Brazilian Brahman lineage. Casa Branca Press 25


sires

reprodutores

BAR 5 SA EVAN 440L P134801

PWM OSTER AS P139997 - Simental - PO - 31.ago.2012

E

SS PRISSY P415 P133753

le é, simplesmente, o Grande Campeão Nacional 2015. 100% sul-africano. Seus primeiros filhos estão nascendo agora e superando as melhores expectativas. São crias de muita beleza, excelente morfologia, com boa pigmentação e ótima adaptação. Seu pai, BAR 5 EVAN 440L, é irmão próprio de PIONNER e fez um excelente trabalho na América do Norte. Sua mãe, PRISSY, é vaca de muito tipo e linda pigmentação. Ela foi recordista de preço no leilão da FullBlood Simmental Fleckvieh Federation.

26 Casa Branca Press

SIMLEE HAGER

SALERIKA EVAN P124339 AI-AI SISKA ZA529450

SIMLEE HAVAN

PWM PALEMON AS Simental - PO - 09.mai.2013

BHR THREE SIXES SA E666L PO125001 BHR KATHIE SA L055E L055E

None less than the 2015 National Grand Champion. 100% South African. First offspring are being born now and exceeding the best expectations. Offspring are very beautiful, with excellent morphology, pigmentation and great adaptation. His sire, BAR 5 EVAN 440L, is a sibling of PIONNER, and did great work in North America. His dam, PRISSY, is very stylish and has great pigmentation. She was sold for a record price at a FullBlood Simmental Fleckvieh Federation auction.

R

RU-DEV SYEIL

eprodutor da Casa Branca em parceria com Marisa Saad. Embrião importado da África do Sul. Touro completo: tipo maravilhoso com excelentes números. É vencedor do seu grupo contemporâneo na Prova de Desempenho Casa Branca 2014, tendo obtido: 1º lugar Índice Desenvolvimento 1º lugar Índice Adaptabilidade 1º lugar Índice Morfologia 2º lugar Índice de Carcaça PWM PALEMON AS tem impressionante Área de Olho de Lombo aos 16 meses: 99,48 cm2

STARLING MISS EVAN

BUSCHBRUNN MAUS RU-DEV SELLA

Breeding bull from Casa Branca, in partnership with Marisa Saad. Embryo imported from South Africa. The all-around bull: very stylish and excellent numbers. Winner of his age group in the 2014 Casa Branca Performance Test, with the following results: 1st place Development Index 1st place Adaptability Index 1st place Morphology Index 2nd place Carcass Index PWM PALEMON AS has an impressive Loin Eye Area at 16 months: 99.48 cm2

Casa Branca Press 27 Casa Branca Press


GENÉTICA Mercado brasileiro de sêmen cresce

4,7%

A

comercialização de sêmen na pecuária brasileira cresceu 4,7% em 2015 em comparação com o ano anterior. As vendas totais dos segmentos de corte e leite atingiram 12.606.703 doses, contra 12.037.346 doses em 2014. Os dados são da Associação Brasileira de Inseminação Artificial (ASBIA). O segmento de corte absorveu 8.274.084 doses, ante 7.116.605 em 2014: evolução de 16,26%. Segundo Carlos Vivacqua Carneiro da Luz, presidente da ASBIA, “a valorização do preço da arroba durante todo o ano passado possibilitou ao pecuarista investir no melhoramento animal, o que contribuiu para o desempenho positivo do setor”. O segmento de leite comercializou 4.328.689 doses de sêmen, ante 4.921.341 doses em 2014: queda de 12,04%. Para Vivacqua, “o desempenho das vendas de sêmen em 2015 decorre dos bons valores da arroba do boi gordo, intensificação de descartes dos animais de leite, gerando bom caixa aos produtores. Em alguns estados, houve a utilização de cruzamento com raças de corte, principalmente nas novilhas, na busca dos bons valores da remuneração da carne”. A ASBIA também divulgou os números da inseminação artificial por estado, com base no volume comercializado. Segundo o levantamento, 10,3% do rebanho total de fêmeas em reprodução foram inseminadas em 2015, sendo 12,5% de leite e 9,5% de corte. Santa Catarina aparece em primeiro lugar no ranking de utilização de sêmen, com 24,8%, seguido por Paraná (19,1%), Rio Grande do Sul (18%), Mato Grosso do Sul (15,1%) e São Paulo (12,1%). Embora Santa Catarina tenha o menor rebanho de fêmeas em reprodução, é o que apresenta o mais alto nível de tecnologia entre os cinco estados.

28 Casa Branca Press

Importação – O levantamento da ASBIA comprova que a importação de sêmen permanece aquecida. Em 2015, o Brasil adquiriu 4.299.338 doses no mercado internacional, especialmente Estados Unidos (cerca de 3,4 milhões de doses), Canadá e Argentina (estes dois países com cerca de 500 mil doses importadas) contra 3.518.232 doses em 2014: aumento de 22%. A ASBIA não

divulgou as raças. Porém, a julgar pelo desempenho no país, o Angus deve representar a expressiva liderança na compra de sêmen de fora. Na outra ponta, a entidade também identificou aquecimento nas exportações de sêmen, em 2015, principalmente no segmento de corte, que registrou aumento de 54,9%, totalizando 103.739 doses, ante 66.976 na temporada anterior.

Angus é destaque na produção interna A produção de genética Angus pelas centrais brasileiras cresceu 20,26% em 2015 em relação a 2014. O volume de doses de sêmen Angus nacional alcançou 1.449.331 doses, tornando a raça líder absoluta entre as taurinas e sintéticas na produção nacional de sêmen. O desempenho é justificado pelo expressivo crescimento da raça, principalmente nos cruza-

mentos industriais do Brasil Central, e vem na esteira de um ganho de 23% já registrado em 2014 em relação a 2013. A expectativa agora é com relação à divulgação dos dados de comercialização total de sêmen Angus no país, o que inclui as doses fabricadas no Brasil e importadas. Segundo o presidente da Associação Brasileira de Angus, José Roberto Pires Weber, o setor

está otimista, e a previsão é que a raça tenha ultrapassado a casa dos 4 milhões de doses em 2015. Em 2014, a Angus foi a líder de comercialização ao atingir a marca de 3.877.994 unidades. De acordo com o levantamento da ASBIA, a produção de sêmen nacional da raça Brahman foi de 68.161 doses em 2015. O Simental participou com 14.629. Casa Branca Press 29


GENETICS The Brazilian market of semen grows by

The marketing of semen in the Brazilian cattle industry grew by 4.7% in 2015, compared to the previous year. The total sales for the beef and dairy segments reached 12,606,703 doses against 12,037,346 doses in 2014. The data is from the Brazilian Association of Artificial Insemination (ASBIA). The beef segment absorbed 8,274,084 doses against 7,116,605 in 2014: an increase of 16.26%. According to Carlos Vivacqua Carneiro da Luz, President of the ASBIA, “the recovery of the price per arroba throughout the last year has made it possible for cattle breeders to invest in animal improvement, which contributed to the positive performance of the sector.” The dairy segment sold 4,328,689 doses of semen, against 4,921,341 doses in 2014, i.e. a drop of 12.04%. For Vivacqua, “the performance of the sales of semen in 2015 is due to the good fat cattle prices per arroba, as well as to a discard of dairy cattle, generating good cash flow for producers. In some states, there was crossing with beef cattle breeds, mainly heifers, in the search for good prices for meat.” The ASBIA also released the figures on artificial insemination per state, based on sales volume. According to the survey, 10.3% of the total herd of females in reproduction

4,7%

was inseminated in 2015, being 12.5% beef cattle and 9.5% dairy cattle. Santa Catarina ranks first in the use of semen, with 24.8%, followed by Paraná (19.1%), Rio Grande do Sul (18%), Mato Grosso do Sul (15.1%) and São Paulo (12.1%). Even though Santa Catarina has the smallest herd of females in reproduction, the state is the one that has the highest level of technology among the five states.

Import – The survey carried out by the ASBIA shows that the import of semen remains high. In 2015, Brazil acquired 4,299,338 doses in the international market, especially from the United States (about 3.4 million doses), Canada and Argentina (these two countries with approximately of 500 thousand imported doses) against 3,518,232 doses in 2014: an increase of 39%. The ASBIA has not disclosed the breeds. However, judging by the performance in the country, Angus should represent a significant lead in the purchase of foreign semen. In turn, the entity also identified an improvement in exports of semen in 2015, mostly in the beef cattle segment, which recorded a 54.9% rise, totaling 103,739 doses, against last season’s 66,976.

Angus featured in domestic production The production of Angus genetics materials grew by 20.26% in 2015 compared to 2014. The number of doses of Angus semen reached 1,449,331, which makes that breed the absolute leader among the taurine and synthetic breeds in the domestic production of semen. The performance is justified by the breed’s significant growth, especially in industrial

crossings in Central Brazil, recording gains of about 23% in 2014, compared to 2013. Now there are expectations of the disclosure of the data on the total sales of Angus semen in the country, which includes the doses manufactured in Brazil as well as those imported. According to the President of the Brazilian Angus Association, José Roberto Pires Weber, the industry is optimistic,

and the forecast is that race may have surpassed 4 million doses in 2015. In 2014, Angus was the market leader as it sold 3,877,994 units. According to the survey carried out by the ASBIA, the domestic semen production of the Brahman breed was 68,161 doses in 2015. Simmental was a part of it with 14,629.

Nutrientes benéficos para pele e pelagem! Níveis de Níveis degarantia: garantia:

Por kg

Por cápsula

65,7 g

22 mg

Extrato de leveduras (mín.)

300,3 g

100,60 mg

Pantotenato de cálcio (mín.)

197,019 g

66 mg

170 g

56,95 mg

Cistina (mín.)

Tiamina (mín.)

PREPARE-SE! VOCÊ NUNCA CONHECEU NADA IGUAL!

SACSAUDEANIMAL@AVERT.COM.BR UMA EMPRESA BIOLAB

Rua Olimpíadas, 242 - 3º andar - Vila Olímpia - 04551-000 - São Paulo - SP 30 Casa Branca Press

Casa Branca Press 31


parceiros

produtividade

O investimento na pecuária veio com mais afinco e vontade com o início da criação da raça Angus, em 2000. “Nossa visão era que a qualidade da carne nacional precisava ser melhorada e havia mercado para esse produto de qualidade superior, além de espaço para a redução do tempo para abate”, ressalta Eduardo.

A Fumaça definiu, então, dois caminhos a seguir em relação à raça Angus. De um lado, com a importação de matrizes de alto valor genético do Rio Grande do Sul, Argentina e aquisição de embriões importados dos Estados Unidos, reforçando o trabalho com genética de alta qualidade para oferecer ao mercado um animal Angus melhorador.

“A Casa Branca é uma referência para todos os criadores brasileiros. O investimento em melhoramento genético das raças Angus, Brahman e Simental, buscando genéticas em diferentes fontes, contribui grandemente para a pecuária nacional. No nosso caso, que temos o Angus como principal foco de trabalho, a Casa Branca nos auxilia muito apresentando novos reprodutores e matrizes de destaque em outros países ou de outras regiões brasileiras. É genética muitas vezes ainda desconhecida por nós, que nos agrega conhecimento e abre novos caminhos para

Eduardo Thomé Braga seleciona Angus e investe no cruzamento Angus x Zebu para incentivar melhoria da qualidade da genética no país.

A

Agropecuária Fumaça iniciou suas atividades há pouco mais de quatro décadas. A propriedade tem na pecuária sua atividade principal e busca incansavelmente o aumento da produtividade, dando sua contribuição para o desenvolvimento da pecuária nacional. “Desde o início dos nossos trabalhos, sempre buscamos a excelência, mas não competitivamente falando e sim visando oferecer produtos de qualidade diferenciada e

32 Casa Branca Press

geneticamente melhorados, com foco no aumento da rentabilidade”, afirma Eduardo Thomé Braga, proprietário da Fumaça. A empresa sempre se destacou em cria, recria e engorda de bovinos de corte. Posteriormente, agregou a criação de equinos da raça Mangalarga e figurou, na década de 80, entre os mais premiados em exposições pelo país, tendo participado com notoriedade do melhoramento e aprimoramento genético da raça.

acasalamentos diferenciados e que apresentam possibilidades de resultados diferenciados e expressivos”. Eduardo Thomé Braga, proprietário da Agropecuária Fumaça

Mas, para que isso se concretizasse, seria necessária a utilização de uma raça com genética diferenciada e com a capacidade de se adaptar a outras regiões do país. O Angus foi a raça escolhida após muitos estudos e trocas de informações com criadores e pecuaristas de peso, visto possuir as características desejadas, especiamente qualidade da carne, precocidade sexual, precocidade no desenvolvimento, ganho de peso e docilidade.

Os resultados desse trabalho foram excelentes, com premiações importantes em pistas de julgamento, culminando com o Bicampeonato Nacional do Ranking de criadores da raça em 2005 e 2006, além da importante contribuição na oferta de animais de genética superior aos criadores brasileiros e também de países sul-americanos. “O principalmente foco do nosso criatório Angus é aproveitar a qualidade da base genética que possuímos e aumentar nossa produção de reprodutores comerciais

Casa Branca Press 33

parceiros

Projeto pecuário focado na


parceiros

e atender à grande demanda do mercado”, destaca o diretor. Do outro lado, foi estabelecido pela Fumaça um trabalho intensivo na produção de animais cruzados. Hoje, animais resultantes do cruzamento de reprodutores Angus com matrizes Nelore propiciam à propriedade um produto diferenciado, que mantém a qualidade superior da carne e a precocidade herdadas do Angus com a rusticidade do Nelore ou outro zebuíno – raças mais adaptadas ao clima tropical do Brasil. Os produtos cruzados da Fumaça são comercializados na desmama e os resultados apresentam indicadores muito animadores. “Além disso, a demanda mostra que o cruzamento Angus x Nelore está consolidado na pecuária brasileira”. Eduardo Braga destaca o uso das novas tecnologias, como IATF, acompanhamento das matrizes por ultrassonografia, coleta de embriões, fertilização in vitro, o constante aprimoramento e o trabalho da atual diretoria com os funcionários e colaboradores, que “nos deixa alinhados aos fundamentos da pecuária moderna e preparados para oferecer animais produtivos e precoces, seja no Angus ou no cruzamento, prontos a atender as exigências dos criadores”.

Eduardo Braga e a esposa Miriam

A Agropecuária Fumaça em números O grupo Agropecuária Fumaça é composto por três fazendas:

. Fazenda Fumaça, em Paranapanema (SP), onde fica a base

genética Angus, além da produção de cruzamento Angus x Nelore

. Fazenda Santa Helena da Ponte Alta e Fazenda Santo Antonio,

ambas em Avaré (SP), que trabalham exclusivamente o cruzamento 34 Casa Branca Press

Casa Branca Press 35


Livestock project focused on

Eduardo Thomé Braga selects Angus and invests in the crossing of Angus and Zebu to encourage improvements in the genetic quality in the country.

A

gropecuária Fumaça began operations a bit more than four decades ago. The main activity carried out in the property is livestock, and it seeks tirelessly to boost productivity, contributing to the development of the domestic livestock. “Since the beginning of our work, we have always sought excellence, but not in a competitive way, but rather by providing high-quality genetically enhanced products, targeting increased profitability”, says Eduardo Thomé Braga, owner of Fumaça. The company has always excelled in the breeding, rebreeding and fattening of beef cattle. Later on, they started breeding Mangalarga horses and in the 80s, were among the most awarded breeders on shows across the country, with remarkable participation in the genetic enhancement and improvement of the breed. Investments in livestock became more intense with the beginning of raising the Angus breed, in 2000. “As we saw it, the quality of the domestic beef needed to be improved and there was market for higher-quality products

36 Casa Branca Press

as well as room to reduce slaughtering time”, says Braga. But, for this would require a breed with enhance genetics and the ability to adapt to other regions in the country. The Angus breed was chosen after several studies and exchanges of information with major farmers and breeders, as it had the desired characteristics, especially regarding the quality of the meat, sexual precocity, precocity in the development as well as weight gain and docility. Since then, Fumaça has established two ways to go about with the Angus breed. On one hand, importing sires of high genetic value from Rio Grande do Sul, Argentina, and purchasing embryos from the United States, enhancing the work with high-quality genetics to offer better Angus cattle to the market. The results of this work were excellent, with important awards in show pen, culminating in two victories in the National Championship of the breeders ranking, in 2005 and 2006, in addition to the important contribution to the offering cattle of superior genetics to Brazilian farmers and also to South American countries.

partners

partners

productivity

“Casa Branca is a reference to all Brazilian breeders. Investment in genetic improvement of the Angus, Brahman and Simmental breeds, searching for genetic from different sources, offers great contribution to the domestic livestock. In our case, as we have Angus as the main focus of our work, Casa Branca is a great help as they introduce new sires and dams that have been standing out in other countries or in other Brazilian regions. It is often about genetics that is still unknown to us and which brings knowledge and opens new paths for different mating and which introduces new possibilities for enhanced and significant outcomes”.

Fumaça’s crossed products “The main focus of our Anare marketed at weaning gus breeding facility is to leveand the results present quite rage the quality of the genetic encouraging indicators. “In basis we have and to increase addition, the demand shows our production of commercial that the crossing of Angus and sires and meet the huge market Nellore is consolidated in the demand”, says the Director. Brazilian cattle business”. On the other hand, Fumaça Eduardo Braga highlights established intensive work in the use of new technologies, the production of crossed catsuch as AITF, monitoring tle. Today, animals born from of dams by ultrasound, colthe crossing of Angus sires lection of embryos, IVF, the with Nellore matrixes enables Eduardo Thomé Braga, constant improvement and the property to offer a superior owner of Agropecuária Fumaça the work of the current Board product, which maintains the with employees, which “aligns top quality of the meat and us with the foundations of modern livestock and enables us to precocity inherited from the Angus combined with the rusticity offer early productive animals, both with Angus or in crosses, of the Nellore or another sire – breeds better adapted to the so we are ready to meet the breeders’ demands”. Brazilian tropical weather.

Agropecuária Fumaça in figures The Agropecuária Fumaça group consists of three farms:

. Fazenda Fumaça, in Paranapanema (SP), where the Angus genetic basis is located, besides the production of the Angus x Nellore cross.

. Fazenda Santa Helena da Ponte Alta and Fazenda Santo Antonio, both in Avaré (SP), which work exclusively with cross-breeding.

Casa Branca Press 37


técnica matéria

Articulações saudáveis para as aventuras do dia a dia

Carne Angus Certificada AvanÇa

O

s números do Programa Carne Angus Certificada, iniciativa da Associação Brasileira de Angus em parceria com vários frigoríficos, para valorizar os pecuaristas que investem no Angus e enviam para o abate animais jovens e pesados. Em 2015, o programa foi responsável pelo abate de 400 mil cabeças certificadas em unidades do Marfrig, JBS, Minerva, VPJ Alimentos, Frigorífico Silva, Cotripal, CooperAliança, Frigol, Frigorífico Verdi e Frigorífico São João.

“O programa valoriza a produção de novilhos de qualidade com genética Angus. O produtor rural conta com premiações especiais pela qualidade dos animais. A indústria ganha com a comercialização de um produto de valor agregado e os consumidores com a certeza da qualidade na mesa”, resume o gerente nacional do Carne Angus Certificada, Fabio Medeiros. Institucionalmente, o programa tem por objetivos a valorização da carne de animais Angus e suas cruzas, bus-

car a valorização e o pagamento por qualidade aos produtores engajados, fomentar o crescimento da raça Angus, fortalecer e integrar a cadeia produtiva além da produção de carne de alta qualidade de acordo com critérios valorizados pelo mercado, com a certificação da Associação Brasileira de Angus, buscando atender os mais exigentes consumidores. Para mais informações, acesse: www.carneangus.org.br

Certified Angus Beef grows

T

he numbers of the Certified Angus Beef Program, an initiative by the Brazilian Angus Association in partnership with several slaughterhouses, to recognize breeders who invest in Angus and send young and heavy animals to slaughter. In 2015, the program was responsible for 400,000 certified heads slaughtered at plants owned by Marfrig, JBS, Minerva, VPJ Alimentos, Frigorífico Silva, Cotripal, CooperAliança, Frigol, Frigorífico Verdi and Frigorífico São João.

38 Casa Branca Press

“The program recognizes the production of quality young bulls featuring Angus genetics. Ranchers are eligible to receive special prizes for the quality of the animals. The industry stands to gain from the sale of a value-added product, and consumers benefit from the assurance of quality at their table,” says Fabio Medeiros, national manager of Certified Angus Beef. Institutionally, the program’s goals are to achieve greater appreciation of meat from Angus steers and its cros-

sbreeds, increase the value and the price paid for quality beef, promote the growth of the Angus breed, strengthen and integrate the supply chain beyond the production of high-quality meat, in accordance with criteria that is valued by the market, with certification by the Brazilian Angus Association, with a view to satisfying the most demanding consumers. More information: www.carneangus.org.br

Sulfato de Condroitina A Alta concentração por dose

Colágeno Hidrolisado Alta absorção

Diversas apresentações Único na forma de sticks

Alta palatabilidade Melhor Custo x Benefício Alta adesão ao tratamento

Entre em contato conosco, SOLICITE AMOSTRA e a visita do nosso propagandista através do SAC. Será um prazer atendê-lo(a) e levar mais informações.

S A C S A U D E A N I M A L @ AV E R T. C O M . B R

Casa Branca Press 39


técnica matéria

Touros Angus, Brahman e Simental prontos para trabalho Os pecuaristas brasileiros que procuram touros jovens, funcionais, com exame andrológico positivo e prontos para serviço têm uma excelente oportunidade para adquirir genética Angus, Brahman e Simental sul-africana de alta qualidade. O projeto Casa Branca – Venda Direta (programado para 18 a 24 de abril de 2016, na Fazenda Santa Ester – Silvianópolis/MG) é uma iniciativa da Casa Branca Agropastoril

voltada para atender uma crescente demanda por reprodutores com idade média de 18 a 24 meses com alta libido, confiabilidade e perfeita adaptação ao clima quente. “Muitos pecuaristas nos procuram nessa época do ano para repor seus planteis com touros prontos para o trabalho. Percebemos que há uma carência natural nesse período. Assim, preparamos lotes de machos jovens das raças Angus, Brahman e Simental para uma oferta especial”, explica Paulo de

Castro Marques, proprietário da Casa Branca Agropastoril. A Casa Branca colocará para venda direta touros Angus, Brahman e Simental. “Além disso, também ofertaremos lotes de sêmen de reprodutores vitoriosos para disseminar a melhor genética dessas três raças e contribuir para o aumento da produtividade da pecuária brasileira. As condições de comercialização também são especiais”, ressalta Heitor Pinheiro Machado, gerente de pecuária da Casa Branca.

Compras on-line podem ser feitas pelos portais MFRural (www.mfrural.com.br) e ConnectLeilões (www.connectleiloes.com.br) A Fazenda Santa Ester fica em Silvianópolis (MG). O acesso é pela Rodovia Fernão Dias, Km 817). Mais informações pelos telefones (35) 3452-0828 e (11) 3573-6219 ou no site: www.casabrancaagropastoril.com.br

Angus, Brahman and Simmental bulls ready to work

Brazilian ranchers seeking young and functional bulls, with positive andrological tests and ready to go to work have an excellent opportunity to acquire high-quality Angus, Brahman and Simmental genetics. The project Casa Branca – Direct Sale (April 18-24 2016, at Santa Ester Farm in Silvianópolis, Minas Gerais) is an initiative by Casa Branca Agropastoril geared to meet a growing demand for breeding cattle aged 18 to 24 months, with high libido, reliability and perfect adaptation to hot climate. “Many ranchers look for us this

40 Casa Branca Press

time of the year to replenish their stock with bulls that are ready to work. We’ve notice that there is a natural shortage during this period. As a result, we have prepared batches of young males of the Angus, Brahman and Simmental breeds and made them available in this special offer,” explains Paulo de Castro Marques, owner of Casa Branca Agropastoril. Casa Branca will make Angus, Brahman and Simental bulls available for direct sale. “We will also offer batches of semen from successful breeding cattle, in order to spread the best genetics of these three breeds and contribute to the

increased productivity of the Brazilian cattle industry. Special sale conditions will also be available,” says Hector Pinheiro Machado, livestock manager at Casa Branca. Online purchases can be made at the websites of MFRural (www.mfrural. com.br) and ConnectLeilões (www.connectleiloes.com.br). Santa Ester Farm is located in Silvianópolis, in the state of Minas Gerais, and can be access by the Fernão Dias Highway, Km 817. For more information, call +55 35 3452-0828 or + 55 11 3573-6219, or visit the website: www.casabrancaagropastoril.com.br

Casa Branca Press 41


técnica matéria 42 Casa Branca Press

Impulso aos julgamentos A CAMPO

Tudo começou com uma ideia de mostrar os animais Brahman como eles são criados nas fazendas. A proposta deu tão certo que foi incorporada pela ExpoBrahman, a exposição nacional da raça. Agora, até a Expozebu 2016 mostrará julgamento de zebus a campo. “O julgamento de animais a campo nasceu com um objetivo simples: mostrar para os criadores os animais no seu habitat natural. A aposta se mostrou acertada e a iniciativa ganhou grandes proporções”, ressalta Adalberto Cardoso, presidente da Associação dos Criadores de Brahman do Brasil.

O dirigente entende que a raça pura não pode estar ausente das pistas de julgamentos. “Afinal – como diz – esse trabalho é importante para mostrar as características do Brahman”. Mas nem tudo é pista, concorda Cardoso. Uma das propostas de sua gestão à frente da ACBB é intensificar os julgamentos de animais a campo. Vale lembrar que o julgamento de animais a campo é uma prática usual da raça Angus, que avalia bovinos puros e rústicos em suas exposições mais importantes, como Esteio, Londrina e outras.

Field trials gain acceptance

It all started with an idea to show the Brahman animals as they are raised on the farms. The proposal was so successful that it was incorporated by ExpoBrahman, the breed’s national show. Now, even Expozebu 2016 will include field trials of zebu animals. “The idea of having the animals judged on the field was born out of a simple goal: to show breeders how the animals behave in their natural habitat. The bet paid off, and the initiative has taken on large proportions,” says Adalberto Cardenas,

president of the Brahman Breeders Association of Brazil (ACBB). Mr. Cardenas understands that the pure breed can’t be absent from the ring. “After all, this is an important opportunity to showcase the Brahman’s characteristics.” But, he agrees, it’s not all about the ring. One of his proposals since taking over as the head of ACBB has been to expand field trials. It should be noted that field trials are a usual practice for the Angus breed, which evaluates pure and rustic cattle in its biggest shows across the country, such as Esteio, Londrina and others. Casa Branca Press 43


nossa empresa

CASA BRANCA faz Empresa seleciona reprodutores Angus, Brahman e Simental Sul-Africano para ajudar a melhorar a produtividade da pecuária brasileira

A

Casa Branca Agropastoril investe para selecionar animais das raças Angus, Brahman e Simental que produzam mais e melhor, cresçam rápido e cheguem à idade de abate mais cedo. Dessa forma, a propriedade cumpre sua missão de proporcionar aos pecuaristas de todo o Brasil uma confiável opção para aquisição de touros avaliados para trabalho a campo e fêmeas férteis e produtivas. O resultado é a contribuição efetiva da Casa Branca ao contínuo melhoramento dos indicadores de produção e reprodução da pecuária brasileira, seja de fertilidade sexual, velocidade de acabamento, qualidade de carne e, o mais importante, a funcionalidade – entendida como a característica que explica a boa adaptação dos animais da Casa Branca às diversas condições do Brasil. Com animais rigidamente selecionados para gerar bezerros mais pesados e de rápido ganho de peso, a Casa Branca está posicionada entre os mais importantes projetos pecuários das raças Angus, Brahman e Simental. Estas raças agregam mais produtividade à pecuária, na medida em que desempenham papéis complementares na cadeia da produção de carne. Elas foram escolhidas com muito cuidado pela Casa Branca para oferecer a melhor solução em melhoramento genético direcionado ao aumento da produtividade,

44 Casa Branca Press

a sua parte

na raça Angus porque ela é reconhecida internacionalmente como produtora de carne de alto valor agregado, que proporciona efetivo retorno econômico para os pecuaristas que utilizam essa opção genética. Esse trabalho começou no início dos anos 2000, com a aquisição da melhor genética Angus nos Estados Unidos, Canadá, Argentina e Brasil. A partir de um intenso e contínuo trabalho de seleção, com o uso de genética diferenciada de vários polos de criação e aquisição de animais de comprovado desempenho produtivo e reprodutivo, a Casa Branca conta com uma sólida estrutura de seleção de animais funcionais, indicados para trabalho a campo.

Raça Brahman – Raça bovina zebuína com

Heitor Pinheiro Machado (Gerente de Pecuária) e Leonardo Pinheiro Machado (Consultor Técnico) da Casa Branca

Pedro Paulo (gerente da Fazenda Santa Ester) e o veterinário José Augusto

Pedro Ribeiro, responsável pela Reprodução da Casa Branca Agropastoril

gerando resultados econômicos superiores para os pecuaristas e contribuindo para o aumento da oferta de carne de qualidade para atender à crescente demanda interna e internacional. Nesse sentido, aliás, a FAO – órgão das Organizações das Nações Unidas ligado à alimentação, divulgou que até 2050 o mundo tem de dobrar a oferta de carnes para atender às necessidades de consumo da crescente população. A Casa Branca faz a sua parte, colocando no mercado animais avaliados para multiplicar a oferta de bezerros de qualidade e, assim, contribuir para o contínuo fortalecimento da pecuária brasileira.

Raça Angus – O objetivo principal do projeto pecuário da Casa Branca é contribuir para o aumento da produção de carne bovina de qualidade no Brasil. Nesse, sentido, investe

maior presença em todo o mundo, o Brahman chegou oficialmente ao Brasil há pouco mais de duas décadas (1994). A Casa Branca investe no Brahman porque acredita na aptidão do bos indicus para o clima tropical e porque reconhece na raça características muito importantes, que se integram perfeitamente ao perfil da pecuária brasileira. Um dos mais importantes atributos dos reprodutores Brahman Casa Branca é a funcionalidade. Eles conseguem trabalhar a campo em condições desafiadoras e têm excelente libido. Suas crias são de ótima conformação, nascendo bem e com rápido ganho de peso. As fêmeas são boas mães e férteis desde cedo. Essa combinação de características positivas dos machos e das fêmeas faz da genética Brahman Casa Branca uma excelente opção para pecuaristas que valorizam o zebu.

Raça Simental – A raça Simental está há mais de um século do Brasil. Essa informação por si só demonstra como essa opção genética se adaptou extremamente bem às condições do país – tanto é verdade que o Simental está presente em todas as regiões: do Sul, passando pelo Sudeste e Centro-Oeste, ao Norte. E com resultados produtivos e reprodutivos superiores. Também pesam a favor do Simental sua capacidade de ganho de peso, associada à grande musculosidade. Por outro lado, cria bem e se destaca pela alta habilidade materna. A Casa Branca tem um dos mais reconhecidos planteis Simental do Brasil, tendo como base a genética oriunda da África do Sul. Os animais Simental Casa Branca destacam-se pela funcionalidade, adaptando-se perfeitamente a qualquer região do Brasil, gerando filhos de rápido Professor José Camisão de Souza (UFLavras), doutoandas Gisvani Lopes e Renata Maculan e Eliane Slucki, responsável pelo Marketing da Casa Branca ganho de peso. Casa Branca Press 45


nossa empresa

nossa empresa

Jornalistas conhecem de perto projeto da

CASA BRANCA

Profissionais de todas as regiões do país são especialistas em agronegócios

Jornalistas receberam todas as informações e visitaram as instalações da Casa Branca. Ao final, provaram a boa carne da genética Angus

A Fazenda Santa Ester, situada em Silvianópolis (MG), recebeu a visita de um grupo de jornalistas de agronegócio de nove diferentes estados. O objetivo principal dos profissionais da imprensa era conhecer de perto a estrutura e os mandamentos da Casa Branca Agropastoril, empresa pecuária reconhecida nacionalmente por seu trabalho de seleção sério e voltado ao melhoramento genético de reprodutores Angus, Brahman e Simental Sul-Africano. “Viemos ver de perto para conhecer os motivos que fazem da Casa Branca um nome muito respeitado na pecuária brasileira”, disse Antonio Oliveira, diretor da Revista Cerrado Rural, com circulação no Matopiba (Sul do Maranhão, Tocantins, Sul do Piauí e Oeste da Bahia). “A Casa Branca é respeitada pelo trabalho sério que realiza. Além disso, o criador Paulo de Castro Marques já foi presidente da Associação Brasileira de Angus e, assim, é um dos pecuaristas mais conhecidos no Rio Grande do Sul”, destaca Arno Baasch, jornalista da Agência Safras, com sede em Porto Alegre (RS).

46 Casa Branca Press

O gerente de pecuária da Casa Branca, Heitor Pinheiro Machado, o consultor técnico Leonardo Pinheiro Machado, o responsável pelo laboratório de produção Pedro Ribeiro e a responsável pelo marketing, Eliane Slucki, coordenaram a visita dos jornalistas.

Após uma apresentação geral sobre a estrutura e os objetivos do programa de melhoramento genético da Casa Branca, os jornalistas visitaram o laboratório de reprodução, as baias e lotes de animais em diferentes áreas da propriedade. “Foi uma experiência importante abrir a fazenda para um grupo tão eclético de jornalistas. Estava claro o grande interesse deles pelo projeto da Casa Branca. Tenho confiança que saíram daqui entendendo um pouco mais o nosso trabalho e valorizando nossa equipe”, disse Heitor Pinheiro Machado. Participaram da visita jornalistas do Rio Grande do Sul, Paraná, São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso, Tocantins e Rondônia. Eles fizeram parte do projeto Road-Show para Jornalistas de Agronegócios – edição 2016.

Casa Branca Press 47


Company Selects Angus, Brahman and South African Simmental sires to help boost productivity of Brazilian livestock

C

asa Branca Agropastoril invests to select Angus, Brahman and Simmental cattle that produce more and better, grow faster and reach the slaughter age earlier. This way, the property fulfills its mission of providing the breeders across Brazil with a reliable option for the purchase of bulls evaluated for fieldwork as well as fertile and productive females. The result is the effective contribution of Casa Branca to the continuous improvement of production and reproduction indicators of the Brazilian livestock on sexual fertility, finishing speed, meat quality and, most importantly, functionality – deemed the feature that explains the good adaptation of Casa Brancas’ cattle to various conditions in Brazil. With cattle rigidly selected to generate heavier calves and rapid weight gain, Casa Branca is placed among the most important livestock projects for the Angus, Brahman and Simmental breeds. These breeds add more productivity to livestock, since they play complementary roles in the meat production chain. They have been carefully chosen by Casa Branca to offer the best solution in genetic improvement seeking to increase productivity, to generate superior economic results to breeders and to contribute to increase the supply of quality meat to meet the growing domestic and international demand. Actually, in this sense, the FAO – a United Nations Organizations organ related to the food sector, disclosed that up to 2050 the world will need to double the supply of beef to meet the consumption needs of the growing population. Casa Branca is doing its share by proving the market with cattle evaluated to multiply the offer of quality calves and thus contribute to the continuous strengthening of the Brazilian cattle business. 48 Casa Branca Press

The Angus breed – The main purpose

of Casa Branca’s livestock project is to contribute to increase the beef production in Brazil. Therefore, it invests in the Angus breed because it is internationally recognized as a producer of beef with high added value, providing effective economic returns for breeders who use this genetic option. This work began in early 2000, with the purchase of the best Angus genetics in the United States, Canada, Argentina and Brazil. From intense and continuous work, with the use of high-quality genetics from multiple breeding poles and purchase of animals with proven productive and reproductive performance, Casa Branca has a sound structure of selection of functional cattle suitable for fieldwork.

The Brahman breed – Bovine breed

with greater presence in the world, the Brahman came officially to Brazil just over two decades ago (1994). Casa Branca invests in Brahman because it believes in the ability of the Bos indicus in tropical climates and because it recognizes in the breed very important features that integrate perfectly with the profile of the Brazilian livestock. One of the most important attributes of Casa Branca’s Brahman is functionality. They can work the field under challenging conditions and have excellent libido. Their offspring have excellent conformation, born in good heath and present fast weight gain. Females are good mothers and fertile from the beginning. This combination of positive characteristics of males and females makes the Casa Branca’s Brahman genetics a great choice for breeders who value the zebu cattle.

nossa empresa

our company

CASA BRANCA does its share

The Simmental breed – The Simmental breed

has been in Brazil for over a century. This information alone demonstrates how this genetic option has adapted extremely well to the conditions in the country – the Simmental is present in all regions: from the South, going through the Southeast and Midwest, up to the North. It also presents superior productive and reproductive results. Its ability to gain weight, coupled with great muscularity also speaks for the Simmental breed. On the other hand, it grows well and stands out for its high maternal ability. Casa Branca has one of the most renowned players of the Simmental breed in Brazil, based on South African genetics. Casa Branca’s Simmentals stand out due to functionality, adapting perfectly to any region in Brazil, generating calves of rapid weight gain.

Journalists get to know Casa Branca’s Professionals from all regions project from inside of Brazil are experts in the agribusiness

Fazenda Santa Ester, located in Silvianópolis (MG), received the visit of a group of agribusiness journalists from the nine different states. The main objective of the professionals of the press was to get to know the structure and the commandments of Casa Branca Agropastoril, a livestock company nationally recognized for their serious selection work targeting genetic improvement of Angus, Brahman and South African Simmental sires. “We have came to see up close and get to know the reasons that make Casa Branca a very respected name in the Brazilian livestock”, said Antonio Oliveira, Director of the Cerrado Rural magazine, with circulation in Matopiba (Southern Maranhão, Tocantins, Southern Piauí and West of Bahia). “Casa Branca is respected for the serious work it carries out. In addition, the breeder Paulo de Castro Marques has been President of the Brazilian Angus Association and, therefore, he is one of the most well-known breeders in Rio Grande do Sul”, says Arno Baasch, journalist for Agência Safras, based in Porto Alegre (RS).

The livestock Manager for Casa Branca, Heitor Pinheiro Machado, the technical advisor Leonardo Pinheiro Machado, Pedro Ribeiro, who is in charge of the production laboratory, and Eliane Slucki, responsible for marketing department, coordinated the visit of the journalists. After a general presentation on the structure and goals of the genetic enhancement program at Casa Branca, the journalists visited the reproduction laboratory, the stalls and lots of animals in different areas of the property. “It was important experience to open the farm to an eclectic group of journalists. Their great interest of them for Casa Branca’s project was absolutely clear. I am confident that they left here with better understanding of our work and our team”, said Heitor Pinheiro Machado. The journalists visiting the property had come from Rio Grande do Sul, Paraná, São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso, Tocantins and Rondonia. They were part of the project Road-Show for Agribusiness Journalists - 2016 Edition. Casa Branca Press 49


do Hipismo Rural

Associação Brasileira dos Cavaleiros de Hipismo Rural (ABHIR), fundada em novembro de 1982, representou à época uma contraposição ao hipismo oficial que estava restrito aos sofisticados clubes das grandes capitais do Brasil. O grande mérito e sucesso da ABHIR, nestes 34 anos, foi o de descentralizar e fomentar os valores da equitação, servindo como referência para centenas de centros hípicos e associações que lhe seguiram por todo o país.

Nayara Barbanera

ao Concurso Completo de Equitação

A

Marcelo Tosi

50 Casa Branca Press

cavalo árabe

cavalo árabe

ABHIR:

ABHIR é fruto do sonho de muitos cavaleiros do interior paulista que queriam organizar provas hípicas próximas às suas regiões e queriam que essas provas refletissem sua forma de ser. Era o espírito fraternal de amigos e famílias com uma ideia em comum: se divertir e formar seus filhos através da nobreza e disciplina do convívio com os cavalos. No início, as pistas do Hipismo Rural eram as próprias fazendas e a prova consistia em um longo percurso de campo composto por obstáculos naturais, como valas, morrotes íngremes, agueiros e também obstáculos preexistentes adaptados dentro do trajeto, como troncos de árvores caídos, cercas e porteiras. O sucesso dessa prova levou a ABHIR a criar uma versão para pista menor e plana, misturando elementos de salto e provas de trabalho. Essa pista, que se chamou Picadeiro, além da vanta-

gem de formar jovens cavaleiros para as exigentes provas de campo, também permitia que ela fosse montada em um número muito maior de lugares. O Picadeiro foi composto por obstáculos de salto, contorno de tambores, contorno de balizas e até faixa de esbarro e recuo. A prova original de Hipismo Rural passou a se chamar Força Livre. Essas provas, criadas pelos próprios cavaleiros da ABHIR, exigiam dos cavalos muita maleabilidade, inteligência, resistência e coragem e os cavalos de sangue Árabe eram grandes destaques na modalidade. Precisando divulgar as qualidades da raça como cavalo de esporte, os criadores do Cavalo Árabe apoiaram a ABHIR desde os primeiros momentos de sua existência e até hoje patrocinam provas mantendo a ABHIR como uma das fortes parceiras na divulgação das virtudes dos cavalos atletas de sangue Árabe.

Casa Branca Press 51


Bruno Poggi

No final da década de 80 para responder ao aumento significativo de interessados e cavaleiros, a ABHIR passou a diversificar suas provas, no sentido de atender as mais diversas reivindicações de amantes da equitação. Desta forma, além do Hipismo Rural a entidade passou a organizar provas de Salto Clássico, criar provas como a Copa Rédeas e também a introduzir provas internacionais como Steeplechase (corrida com obstáculos), Cross Country (semelhante à Força Livre do Hipismo Rural), o Adestramento e o Enduro, como uma terceira prova integrante do Campeonato Completo de Hipismo Rural. Com isso, as bases para a organização da tradicional modalidade Olímpica do CCE - Concurso Completo de Equitação, considerada a prova do triatlo em hipismo, haviam sido lançadas. Aproveitando-se da extraordinária formação de Cavaleiros e Cavalos proporcionada pelo Hipismo Rural e as parcerias que manteve com centros militares, que até aquela data eram os únicos a praticarem a modalidade no país, a ABHIR deu início à reconstrução do CCE no Brasil. Sem dúvida, esta foi a maior contribuição da entidade ao Hipismo Nacional.

52 Casa Branca Press

O “Tree Days Event” que no Brasil conhecemos por CCE nasceu e foi aperfeiçoado nos Exércitos de vários países da Europa no inicio do século passado. Elas tinham como objetivo treinar as tropas das Cavalarias e dos vários serviços Militares que usavam o cavalo como base. O CCE é calcado em três fundamentos hípicos, sendo realizado em três dias, o primeiro dia para a prova de Adestramento, o segundo para a prova de Cross Country e o último dia para a prova de Salto. Até a ABHIR ter se envolvido diretamente na organização dessas provas o Brasil havia participado de apenas uma Olimpíada na modalidade, em 1948. Depois que a ABHIR começou a formar cavaleiros e cavalos de CCE o Brasil participou de todas as Olimpíadas a partir de 1992,

A Casa Branca É Bronze na Nacional do Cavalo Árabe O Haras Lone Star, braço da Casa Branca Agropastoril na criação de Cavalos Árabes e Quarto de Milha, conquistou o Campeonato Nacional Égua Bronze com Queen Ayda FWM, uma filha do Pentacampeão Nacional FA EL Shawan criada pelo próprio Haras Lone Star. O Campeonato Égua, talvez o mais disputado desta Nacional, foi julgado por 5 juízes Internacionais. Queen Ayda foi primeiro lugar unânime de sua categoria e no Campeonato obteve um 1º lugar, dois 2ºs e dois 3ºs. Este resultado colocou-a como Campeã Nacional Bronze de 2015. A Campeã Nacional Ouro foi FT Havanna El Keav do Haras Cruzeiro e a Campeã Nacional Prata foi Tina El Madan do Rancho Arabco. Todos os três Haras sediados em Minas Gerais. Paulo Marques comemora o Campeonato de sua Égua afirmando que esse é o resultado de muito trabalho e prevendo uma grande vida reprodutiva para sua fêmea.

Casa Branca Press 53

cavalo árabe

cavalo árabe

Luiz Felipe Silveira

classificando-se bem em todas elas e tendo um 6º lugar por equipe nas Olimpíadas de Sydney-Austrália, em 2000, como sua melhor colocação. No Pan-Americano, o Brasil ficou sempre entre os três melhores colocados desde sua primeira participação, disputando com as equipes dos EUA e Canadá. O Brasil foi Medalha de Ouro em 1995 em Mar Del Plata, Argentina. Foi Prata em Winnipeg no Canadá-1999, Bronze nos Pan-Americanos de Fair Hill-Estados Unidos, em 2003, Rio de Janeiro-2007 e Guadalajara-México 2012 e Medalha de Prata, em Toronto-Canadá 2015. Para as Olimpíadas de 2016, no Rio, a equipe brasileira ainda não foi definida, mas há grande probabilidade de ser composta pela mesma equipe que conquistou a Prata no Pan-Americano de Toronto: Henrique Pinheiro, com Land Quenottte; Marcio Carvalho Jorge, com Lisssy Mac Wayer; Carlos Parro, montando Caulcourt Land Landline; e Ruy Fonseca, com Tom Bombadill Too, conjunto que conquistou a Medalha de Bronze Individual em Toronto.


arabian horse

ABHIR:

Suplemento Vitamínico para Equídeos

from the Brazilian Cross-Country Riding The Brazilian Association of Cross-Country Riders to Complete (Associação Brasileira dos Cavaleiros de Hipismo Rural, ABHIR), founded in November 1982, represen Equestrian ted, at the time, a contrast to official equestrian clubs,

Suplemento vitamínico indicado para equinos em condições extremas de exercícios e estresse metabólico (treinamento, competições, trasnporte, exposições) ou períodos de recuperação física.

Eficiência na recuperação metabólica.

which used to be limited to sophisticated clubs in the country’sgreatest capitals. The greatest achievements of the ABHIR in the last 34 years are the decentralization of equitation and the promotion of its values, serving as a reference for hundreds of equestrian centers and associations that followed in their footsteps across the country.

The ABHIR is the result of the dream of many riders from the countryside of São Paulo, as they wanted to hold riding contests in their region with competitions that could reflect their life style. It was the fraternal spirit of friends and families who shared an ideal: to have fun and to educate their children through the nobility and discipline of being around horses. At the beginning, the Brazilian Cross-Country Riding arenas were the farms, and the contest consisted of a long field course with mainly natural obstacles: ditches, steep earth mounds, water and pre-existing obstacles adapted within the course, such as fallen tree trunks, fences and gates. The success of this contest caused the ABHIR to create a version for a smaller and flat arena, blending elements of show jumping and working equitation. The advantages of this course, which is called Arena, include training young riders for the demanding field contests as well as allowing

Márcio Carvalho Jorge

to be placed in different places. The Arena consisted of jumping obstacles, barrel racing, pole bending and drop fences. The original Brazilian Cross-Country Riding was then renamed Free Force. The contests created by the ABHIR riders demanded a lot of malleability, intelligence, strength and courage on the horse, and the Arabian horses have been standing out in the sport. As the need to disclose the qualities of the breed as a sport horse arose, breeders of Arabian horses supported the ABHIR right from the start, and they have been sponsoring contests and keeping the ABHIR as strong partners in disseminating the virtues of the Arabian athlete horses. At the end of the 80s, seeking to respond to the significant increase of both, interest and riders, the ABHIR started to diversify contests in order to meet the wide range of demands of equitation lovers. This way, in addition to Brazilian Cross-Country Riding, the entity began to hold contests for Classic Show Jumping, and to come up with contests such as the Reins Cup. They also introduced international competitions, namely the Steeplechase (races with obstacles), Cross Country (similar to the Free Force of the Brazilian CrossCountry Riding), Dressage and Endurance, as the third stage of the event. As a result, the bases for the organization of the traditional Olympic discipline of the event, which is considered a triathlon competition in equestrianism, had been established. Taking advantage of the extraordinary training of riders and horses provided by the Brazilian Cross-Country Riding and partnerships with military centers, which until then were the only ones practicing the sport in the country, the ABHIR began to restructure the event in Brazil. No doubt this was the greatest contribution of the organization to the National Equestrianism.

WWW.AVERT.COM.BR 54 Casa Branca Press

SACSAUDEANIMAL@AVERT.COM.BR Rua Olimpíadas, 242 - 3º andar - 04551-000 - São Paulo/SP

Casa Branca Press 55


Greta Sabino

arabian horse

Until the ABHIR got directly involved in the organization of the event, Brazil had only taken part in one Olympics, in 1948. After the ABHIR started to train riders and horses for the CCE, Brazil took part in all the Olympics as of 1992, ranking well in all of them and raking sixth in the team competition in the Olympics of Sydney-Australia, in 2000 the country’s best result so far. In the Pan American games, Brazil has always featured among the top three positions since its first participation, playing against American and Canadian teams. Brazil won a Gold Medal in 1995, in Mar Del Plata, Argentina. Brazil won a Silver Medal in Winnipeg, Canada, in 1999, Bronze in the Pan American games of Fair Hill, United States, in 2003, Rio de Janeiro, in 2007, and Guadalajara, Mexico, in 2012; and a Silver Medal in Toronto, Canada, in 2015. The “Tree Days Event” that is known in Brazil as CCE, started and was perfected in the Armies of several countries in Europe at the beginning of the last century. They aimed to train the troops of the Cavalry and of various military services that used horses. The CCE is based on three Equestrian fundamentals, being held in three days: the first day is dedicated to Dressage; the second, to Cross Country, and the last day to Show Jumping.

Suplemento Mineral Vitamínico para Equídeos Keraequus é um suplemento mineral vitamínico para equinos indicado para todas as fases de criação. Sua formulação contém nutrientes que auxiliam na produção de queratina.

COM CASCOS SAUDÁVEIS, O CAVALO VAI MAIS LONGE.

For the 2016 Olympics in Rio, the Brazilian team has not yet been chosen, but there’s great chance that the team is comprised by the winners of the Silver Medal in Toronto’s Pan American: Henrique Pinheiro with Land Quenottte, Marcio Carvalho Jorge with Lisssy Mac Wayer, Carlos Parro riding Caulcourt Land Landline and Ruy Fonseca with Tom Bombadill Too, the team that got the Individual Bronze medal in Toronto.

Casa Branca earns Bronze in the 2015 Brazilian Arabian Horse Nationals The Lone Star Ranch, Casa Branca’s Arabian and Quarter Horse breeding branch, won the National Bronze Mare Championship with Queen Ayda FWM - daughter of five-time champion FA EL Shawan - bred by the Lone Star Ranch. The Mare National Finals, one of the most competitive during the show, was judged by 5 international judges. Queen Ayda was awarded first place in its class, unanimously, and earned one 1st place, two 2nd places and two 3rd places in the finals. This result made it National Bronze Champion of 2015. The National Golden Champion was FT Havanna El Keav, from the Cruzeiro stud farm, and the National Silver Champion was Tina El Madan from the Arabco Ranch. All three stud farms are located in Minas Gerais.

Paulo Marques celebrates the victories of his mare stating that this is the result of hard work, and he expects a great reproductive life for this mare.

WWW.AVERT.COM.BR

SACSAUDEANIMAL@AVERT.COM.BR Rua Olimpíadas, 242 - 3º andar - 04551-000 - São Paulo/SP

56 Casa Branca Press

Casa Branca Press 57


como integrador à sociedade

Projeto de equoterapia de Bia e Edilah Biagi já fez mais de 19 mil atendimentos no interior paulista. Em 2003, Beatriz Biagi e Edilah Biagi, proprietárias da Fazenda Vassoural, de Pontal (SP), decidiram utilizar o cavalo como agente terapêutico, abraçando assim uma causa social. Desta decisão nasceu o Centro de Equoterapia Vassoural, que desde então realiza gratuitamente atendimentos a crianças, adolescentes, adultos e idosos com deficiências por meio da equoterapia. Em 2010, a iniciativa tornou-se a Associação de Equoterapia Vassoural (AEV), entidade civil, de direito privado e sem fins lucrativos, cujo objetivo era ampliar o número de atendimentos e buscar reconhecimento e apoio junto aos órgãos públicos. Desde sua fundação, já foram feitos mais de 19.000 atendimentos. Atualmente, são atendidos 54 praticantes das cidades de Pontal, Sertãozinho, Ribeirão Preto, Pitangueiras, Cravinhos e Dumont. A AEV conta com doações de pessoas físicas e jurídicas, os chamados Padrinhos Solidários, que ao contribuírem mensal ou anualmente adotam um dos praticantes. As contribuições podem ser deduzidas do imposto de renda (IR). “Ao longo desses anos, comprovamos que o desenvolvimento do trabalho trouxe aos praticantes melhoras evidentes, mostrando ousadia e diferentes respostas em relação à evolução motora, psicológica e comportamental, sendo essas de grande importância para os atendidos, para a equipe envolvida nos atendimentos e para as famílias que vivenciam a melhora dos seus”, explica Beatriz Biagi. A AEV possui excelente infraestrutura, seis cavalos dóceis e devidamente treinados, ampla quantidade de materiais adequados (mantas, cilhões com alças, estribos, selas, cabrestos, cabeçadas e rédeas), além de profissionais habilitados e capacitados das áreas da saúde, educação e equitação, composta por fisioterapeuta, psicólogo, educadoras físicas e equitadores. “Nesses anos de atendimento, contribuímos diariamente para grandes conquistas: um sorriso possível, um passo a mais ou uma nova palavra”, destaca Bia.

58 Casa Branca Press

Casa Branca Press 59

responsabilidade social

responsabilidade social

O CAVALO


raersapboi nasna bh iol irds a ede social

Entenda a Equoterapia

Tratamento que utiliza o cavalo como “instrumento terapêutico” em uma abordagem interdisciplinar (com profissionais das áreas da saúde, educação e equitação), estando o indivíduo montado ou não e com o intuito de buscar o desenvolvimento biopsicossocial do mesmo. Ela habilita, reabilita, previne e educa. É uma terapia que exige a participação do corpo inteiro, fugindo daquele ambiente fechado, entre quatro paredes das clínicas e consultórios. É realizada ao ar livre e, além de promover o desenvolvimento físico e emocional, proporciona independência e responsabilidade, melhorando a qualidade de vida desses praticantes. O planejamento da sessão de equoterapia depende de cada caso. Cada praticante (denomina-se praticante a pessoa com deficiência quando em atividade equoterápica) é avaliado e atendido de forma específica, respeitando suas limitações e favorecendo suas potencialidades.

Trata-se de um dos raros métodos, para não dizer o único, que alia simultaneamente o gesto e o movimento. Observam-se melhoras evidentes no comportamento (mais compreensão e autonomia), melhoria na autoestima, na atenção e no convívio familiar devido à afetividade e o vínculo que os praticantes têm com o cavalo. É possível, ainda, observar que alguns praticantes conquistam independência motora, equilíbrio, flexibilidade e melhoria na postura. Todos esses benefícios proporcionam qualidade de vida não só do praticante, mas também de seus pais e cuidadores. “É importante desmistificar a equoterapia como um tratamento destinado apenas às deficiências físicas e intelectuais. Os efeitos da interação homem-cavalo promovem a saúde física por três mecanismos básicos, diminuindo a solidão, a depressão, a ansiedade e aumentando o estímulo para a prática de exercícios, o que amplia o leque de atendimentos da Equoterapia.

Mais informações sobre a AEV Entidade civil, de direito privado e sem fins lucrativos, a AEV conta com doações de pessoas físicas e jurídicas para realizar os atendimentos, podendo essas doações ser dedutíveis do Imposto de Renda (IR). Para maiores informações e

60 Casa Branca Press

esclarecimento de dúvidas, entrar em contato com Ricardo Ortolan, vice-presidente e contador da AEV pelo telefone (16) 99717-4517 ou no telefone da Associação: (16) 3953-1929 (falar com Ivan). Se preferir, envie e-mail para: aev@aev.org.br


social responsibility

THEas HORSE an integrator with the society

The equine-assisted therapy project run by Bia and Edilah Biagi has provided over 19 thousand sessions in São Paulo.

In 2003, Beatriz Biagi and Edilah Biagi, owners of Fazenda Vassoural, from Pontal (SP), have decided to use the horse as a therapeutic agent, thus embracing a social cause. This decision resulted in the Centro de Equoterapia Vassoural, which now provides free care to children, adolescents, adults and seniors with disabilities through equine-assisted therapy. In 2010, the initiative turned into Associação de Equoterapia Vassoural (AEV), a nonprofit, civil entity of private right whose goal was to expand the number of sessions offered and to gain recognition and support from public agencies. Since its foundation, over 19,000 sessions have been offered. Currently, 54 practitioners from the towns of Pontal, Sertãozinho, Ribeirão

Preto, Pitangueiras, Cravinhos and Dumont are served. The AEV relies on donations from individuals and corporations, the so-called Solidary Godparents, who make monthly or annual contributions by adopts one of the practitioners, and which may be deducted from the income tax (IR). “Over the years, we have proven that practitioners showed clear improvements with the development of the work provided, showing boldness and different responses in relation to motor, psychological and behavioral evolution, which was extremely important for all stakeholders, namely the team in charge of the sessions, practitioners and their families, as they experience such improvements”, explains Beatriz Biagi.

FERTIRAL Suplemento Mineral, Vitamínico e Aminoácido para Equinos e Bovinos

Garanta a fertilidade do seu animal! WWW.AVERT.COM.BR

62 Casa Branca Press

SACSAUDEANIMAL@AVERT.COM.BR Rua Olimpíadas, 242 - 3º andar - 04551-000 - São Paulo/SP


social responsibility

The AEV has excellent infrastructure, six and properly trained horses docile, a wide range of suitable materials (webs, saddles straps, stirrups, saddles, halters, bridles and reins), in addition to professionals enabled and trained in health, education and horsemanship, with a team composed of physiotherapists, psychologists, physical educators and riding instructors. “Over the years, we contribute on a daily basis to great achievements: a smile made possible, one extra step or a new word”, highlights Biagi.

Understanding Equine-Assisted Therapy Treatment that uses horses as a “therapeutic instrument” in an interdisciplinary approach (with professionals from the areas of health, education and horse riding), with individual mounted or not, seeking their biopsychosocial development. It enables, rehabilitates, prevents and educates. It’s a kind of therapy that requires the entire body, outdoors, avoiding the limitations of the typical offices and clinic environment. It is performed outdoors and, in addition to promoting physical and emotional development, it fosters independence and responsibility, improving the quality of life of these practitioners. The planning of the equine-assisted therapy depends on each case. Each practitioner (i.e. the person with disability undergoing equineassisted therapy) is evaluated and assisted in a specific way, always respecting their limitations and favoring their potential.

This is one of the few methods, if not the only one, which combines both gesture and movement. There are clear improvement in behavior (better comprehension skills and independence), boosted self-esteem and attention and in the family routine, due to the affection and bonding practitioners have with the horse. It is also possible to notice that some practitioners gain motor independence, balance, flexibility and improved posture. All these benefits provide quality of life not only of the practitioner, but also to their parents and caregivers. “It is important to demystify equine-assisted therapy as treatment only for physical and intellectual disabilities. The effects of the humanhorse interaction promote physical health through three basic mechanisms, decreasing loneliness, depression, anxiety and increasing the stimulus to exercising, which extend the range of assistance offered through equine-assisted therapy.

More information about the AEV A nonprofit, civil entity of private right, the AEV relies on donations from individuals and corpora-

tions to carry out the sessions, and these donations may be deducted from the income tax (IR).

For further information and questions, contact Ricardo Ortolan, Vice-President and accountant of

the AEV, at (16) 99717-4517 or on the phone of the Association: (16) 3953-1929 (talk to Ivan). If you prefer, send an e-mail to: aev@aev.org.br

64 Casa Branca Press

Casa Branca Press 65


AGENDA agenda

18 a 24 de Abril de 2016 Venda Direta Casa Branca Fazenda Santa Ester Silvianópolis (MG) Informações: (35) 3452-0828

1º Semestre de 2016 30 de Abril a 07 de Maio de 2016 82ª Expozebu Parque de Exposições Fernando Costa – Uberaba (MG) Informações: Tel. (34) 3319-3900

AF_an_inst_15x20cm.pdf

66 Casa Branca Press

1

9/4/14

1st Semester 2016 29 e 30 de Junho de 2016 III Congresso Brasileiro de Angus Hotel Plaza São Rafael - Porto Alegre (RS) Informações: Tel. (51) 3029-8646 congressoangus@promoxpressa.com.br

11:13 AM

Casa Branca Press 67


Profile for Casa Branca Agropastoril

Casa Branca PRESS 15  

Abril de 2016 / ano 11 - número 15

Casa Branca PRESS 15  

Abril de 2016 / ano 11 - número 15

Advertisement