__MAIN_TEXT__

Page 1


Editorial 6

8 Entrevista

Interview 9

10 Matéria de Capa 20 Mercado

Market 1 23

24 Destaque

Highlight 25

28 Mercado 2

Market 2 32

34 Técnica

Technical 36

índice

38 Cavalo Árabe

Sulfato de Condroitina A Alta concentração por dose

Colágeno Hidrolisado Alta absorção

Diversas apresentações Único na forma de sticks

Alta palatabilidade Melhor Custo x Benefício Alta adesão ao tratamento

Cover Story 18

42 Notícias da Casa 48 Responsabilidade Social

Arabian Horse 40 News 42 Social Responsibility 50

index

Articulações saudáveis para as aventuras do dia a dia

4 Editorial

CASA BRANCA PRESS Ano 9 – Número 13 – Novembro de 2014 EXPEDIENTE

Diretores: Paulo de Castro Marques Paulo Wickbold Marques Fabiana Wickbold Marques Secretaria Geral e Marketing: Eliane Slucki Jornalista Responsável: Altair Albuquerque (MTb 17.291) Reportagens: Bruno Nogueira e Rogério Santos Fotos: Arquivo Casa Branca, Texto, Gerson Sobreira, Rogério Santos e Rubens Ferreira

Produção: BReeder Editora Foto Capa: Banco de imagens da Casa Branca

Entre em contato conosco, SOLICITE AMOSTRA e a visita do nosso propagandista através do SAC. Será um prazer atendê-lo(a) e levar mais informações.

Casa Branca Press é o órgão oficial de comunicação da Casa Branca Agropastoril Correspondência: Rua das Olimpíadas, 242 - 3º andar - Vila Olímpia - São Paulo (SP) - CEP 04551-000 Telefone: (55 11) 3573-6219 e-mail: casabranca@casabrancaagropastoril.com.br

S A C S A U D E A N I M A L @ AV E R T. C O M . B R Casa Branca Press

3


O Brasil é um dos principais atores da pecuária mundial. Somos o maior exportador de carne vermelha do mundo (mais de 1,8 milhão de toneladas previstas para 2014) e o segundo maior produtor no cenário global (cerca de 9,6 milhões de toneladas/ano). Em termos de consumo per capita, o brasileiro leva ao prato cerca de 39 kg de carne vermelha por ano, volume igual ao dos norte-americanos.

é aumentar

foto: www.paginarural.com.br

P 4

Casa Branca Press

or esses números, pode-se dizer que a bovinocultura nacional cumpre bem o seu papel de fornecedora de proteína vermelha à população. Porém, é possível fazer mais. O Brasil caminha a passos moderados na evolução genética do rebanho bovino. Temos plantel de mais de 200 milhões de cabeças e produzimos menos de 10 milhões de toneladas de carne/ano. Enquanto isso, os Estados Unidos possuem 88 milhões de cabeças e produzem 11,7 milhões de toneladas por ano, como reforça o consultor Alexandre Mendonça de Barros em sua entrevista para essa edição da Casa Branca Press. Precisamos avançar em produtividade. Essa responsabilidade tem de ser repartida com vários agentes. Desde as esferas governamentais às instituições de pesquisas, passando pelos

editorial

editorial

O desafio da pecuária

a produtividade

técnicos, os produtores e os demais envolvidos na cadeia da carne. Todos podem contribuir. E há ferramentas indispensáveis para impulsionar a oferta de proteína animal no país. Uma delas é a genética aplicada à pecuária. A seleção de animais feita pelo melhoramento genético destinado às raças com aptidão para carne, visando às características produtivas e reprodutivas do animal, é um bom exemplo disso. Os valores genéticos dos animais mensurados por Diferença Esperada na Progênie (DEP), por exemplo, que identificam a real capacidade de transmissão da genética do touro para o bezerro, têm sido obtidos pelos mais modernos métodos científicos, incluindo a seleção genômica, que possibilita a análise de dados moleculares dos animais. A inclusão de dados genômicos permite que várias características sejam avaliadas, aumentando a acurácia das DEPs dos animais. O trabalho de melhoramento genético visando animais funcionais também é determinante neste processo. Seja o animal de origem taurina ou zebuína, é indiscutível a necessidade de trabalho voltado para a adaptação do individuo ao ambiente onde será colocado para trabalhar.

Uma boa iniciativa nesse sentido foi a criação do Programa Mais Pecuária, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), que prevê, para os próximos 10 anos, o aumento da produtividade bovina, passando de 1,3 bovinos por hectare para 2,6 bovinos por hectare. Com isso, a proposta é liberar algo em torno de 46,2 milhões de hectares para outras atividades produtivas. O programa deve funcionar sob quatro eixos, sendo o melhoramento genético o primeiro e principal deles. O segundo passo será expandir as vendas dos produtos, ampliando em 35% o consumo interno de carne bovina e aquecendo as exportações dos produtos derivados. Se efetivamente colocado em prática, se trata de uma excelente notícia para a pecuária brasileira. Afinal, de acordo com a FAO, em 2050 a população mundial contará com 9,2 bilhões de pessoas. E o desafio é de, no mínimo, dobrar a produção de proteína vermelha até lá para atender à crescente demanda. O Brasil tem terra, clima, água e um potencial extraordinário para aumentar a produção. Porém, precisamos avançar em eficiência e o melhoramento genético está aí para nos ajudar a atingir esses objetivos.

Paulo de Castro Marques

Proprietário da Casa Branca Agropastoril, especializada na criação de gado Angus, Brahman e Simental sul-africano.

Casa Branca Press

5


editorial

The key challenge of the livestock segment lies in increasing productivity

B

razil is one of the key players in the global livestock segment. We are the world’s largest beef exporter (over 1.8 million tons expected for 2014) and the second largest producer in the global scenario (approximately 9.6 million tons/year). Regarding per capita consumption, Brazilians consume about 39 kg of beef per year, similarly to the American population. Based on these figures, we can say that the national cattle segment fulfills its role as a supplier of beef protein to the general population. However, there’s much more that can be done. Brazil is now striding at a faster pace towards the genetic evolution of herd cattle. We have a breeding stock of over 200 million units and produce less than 10 million tons of meat per annum. Meanwhile, the U.S. has 88 million units and produces 11.7 million tons per annum, as stated by consultant Alexandre Mendonça de Barros in his interview for this edition of the Casa Branca Press. We need to move forward in productivity. This responsibility must be shared among multiple players. It must cover everything from government branches to research institutions, including technicians, breeders, and other players involved in the production chain. Everyone can contribute. And there are essential tools to boost the offer of animal protein in the country. One of them is genetics applied to livestock. A good example is the selection of animals made by the genetic enhancement of breeds suitable for beef production, based

6

Casa Branca Press

on specific productive and reproductive characteristics of the animals. The genetic values of animals assessed by Expected Difference in Progeny (EDP), for example, which identify the actual capacity of genetic transmission of the bull to the calf, have been obtained through high-end scientific methods, including genome selection, which enables the analysis of molecular data from animals. The inclusion of genomic data allows the assessment of multiple characteristics, increasing the accuracy of the animals’ EDPs. The process of genetic improvement targeting functional animals is also crucial in this process. Whether the animal is of taurine or zebu origin, it is paramount to work towards adapting the individual to the environment where it will be put to work. A positive initiative in this sense was the creation of the More Livestock Program, by the Department of Agriculture, Livestock and Food Supply (MALFS), which expects an increase in productivity for the next 10 years, rising from 1.3 cattle units per hectare to 2.6 cattle units per hectare. As a result, the idea is to release around 46.2 million hectares for other productive activities. The program should be based on four key pillars, the first and most important of which is genetic enhancement. The second step is to expand product sales, leveraging domestic consumption of beef by 35% and increasing exports. If effectively implemented, this is great news for the Brazilian livestock segment. After all, global population should reach 9 billion by 2050, according to the FAO. And the challenge is to at least double beef protein production until then, in order to meet such growing demand. Brazil has the right soil, climate, water and an extraordinary potential to boost production. However, we need to move forward in efficiency, and genetic improvement is there to help us reach such goals. Paulo de Castro Marques Owner of Casa Branca Agropastoril, company specialized in Angus, Brahman and South African Simmental cattle breeding.

Casa Branca Press

7


Alexandre Mendonça de Barros

High livestock cycle will persist through 2015

C

Ciclo de alta da pecuária se manterá em 2015

S

ócio-consultor da consultoria MB Agro, o engenheiro agrônomo Alexandre Mendonça de Barros está com agenda cheia. Além de falar com propriedade e conhecimento do agronegócio como um todo, ele tem sido requisitado para analisar o momento atual da cadeia da carne bovina, projetando o futuro da atividade e o cenário internacional. Alexandre está otimista. Para ele, nunca na história da pecuária houve um cenário tão positivo. E a tendência – ele defende – é que o cenário se mantenha por pelo menos três anos, já que a recomposição do rebanho deve ocorrer até 2017/2018. Acompanhem estes e outros temas na visão do especialista. Casa Branca Press – Por que o cenário atual da cadeia da pecuária premia o pecuarista? Alexandre Mendonça de Barros – Na verdade, o ciclo de alta está premiando todos os segmentos. Mesmo com os preços do boi gordo na faixa dos US$ 55 a arroba, 8

Casa Branca Press

Casa Branca Press – Bom para o Brasil. Alexandre Mendonça de Barros – Excelente para o Brasil, que deve fechar 2014 com exportação de cerca de 1,8 milhão de toneladas de carne bovina, contra 1,5 mi t da Austrália e 1,1 mi t dos Estados Unidos. O alerta fica com a Índia, que deve exportar algo em torno de 1,65 mi t este ano, um recorde. Casa Branca Press – E como estamos em termos de produtividade? Estamos avançando mesmo? Alexandre Mendonça de Barros – Isso é indiscutível e deve-se ao espetacular trabalho dos pecuaristas. Porém, ainda há avanços a buscar. Veja que os Estados Unidos abatem cerca de 34 milhões de cabeças por ano e produzem 11,7 milhões de toneladas de carne. O Brasil abate 40 milhões/cab/ano e deve encerrar 2014 com produção de 9,6 milhões/t.

inter view

entrevista

Porém, com o uso de modernas tecnologias, como a IATF, o processo é acelerado. Porém, neste e no próximo ano com certeza será grande a procura por reprodutores melhoradores. Também as fêmeas estão valorizadas. A consequência para o consumidor é carne mais cara – e isso ocorre porque há redução da oferta no mercado. Casa Branca Press – Há também o aumento das exportações de carne bovina? Alexandre Mendonça de Barros – Esse é um cenário à parte, pois envolve não apenas a situação interna, mas internacional. Estados Unidos e Austrália, dois dos maiores exportadores de carne bovina vivem momentos especiais, com redução das vendas externas. Os EUA, por exemplo, devem fechar o ano com menos 300 mil t exportadas; a Austrália, em torno de 200 mil t. Também há a situação da Argentina, que enfrenta problemas para comercialização.

os frigoríficos estão conseguindo exportar volumes recordes. Também os vendedores de touros têm boa performance, já que é preciso recompor o plantel, deteriorado pelos prejuízos há alguns anos. Casa Branca Press – O sr. está se referindo à redução do plantel de fêmeas? Alexandre Mendonça de Barros – Sim. Quando a venda de bois gordos não é remuneradora, os pecuaristas reduzem o plantel de fêmeas para ajudar a pagar as contas Afinal, é preciso sobreviver. Isso ocorreu há alguns anos e o reflexo ocorre agora: a melhoria dos preços do boi e da carne de maneira geral acaba revitalizando os vários elos da cadeia. Com isso, aumenta a procura por touros e fêmeas, com mais bezerros a médio prazo. Casa Branca Press – Em sua opinião, quanto tempo será preciso para a recomposição do rebanho em níveis históricos? Alexandre Mendonça de Barros – Pelo menos mais uns três anos. A pecuária é uma atividade de ciclo longo.

onsulting-partner of the MB Agro consulting company, agricultural engineer Alexandre Mendonça de Barros has a full schedule. In addition to his agribusiness knowledge in general, he has been requested to analyze the current scenario of the beef chain, designing the future of the activity and the international scenario. Alexandre is optimistic. For him, never in the history of livestock has there been a scenario this positive. According to Alexandre, this scenario should persist for at least three years, since the recomposition of the herd should take place by 2017/2018. Follow these and other themes in the expert’s view. Casa Branca Press – Why does the current livestock chain scenario reward cattle farmers? Alexandre Mendonça de Barros – In fact, the high cycle is rewarding all segments. Even with the price of live cattle ranging approximately USD 55 per arroba, slaughterhouses are reaching record export volumes. Bull marketers have also performed well, since the breeding stock affected by losses in past years must be resupplied. Casa Branca Press – Are you referring to the reduction of the female breeding stock? Alexandre Mendonça de Barros –Yes. Whenever livestock sales fail to generate profit, cattle farmers reduce the female breeding stock in order to pay the bills and survive the downturn. This happened a few years ago, and we can now see the reflection: improved beef and cattle prices, in general, ultimately revitalizes several links of the chain. This leads to an increased demand for bulls and females, ultimately generating more calves in the medium term. Casa Branca Press – In your opinion, how long will it take for the recomposition of the breeding stock to historic levels?

Alexandre Mendonça de Barros –At least another three years; cattle breeding is a long-cycle activity. However, modern technologies such as IATF expedite this process. However, the demand for enhanced breeders will surely be high over this year and the next. Females are also in high. The end result for consumers is more expensive beef – and this is a reflex of the lower market offer. Casa Branca Press – Is there also an increase in exports? Alexandre Mendonça de Barros –This is a different scenario altogether, because it involves not only internal conditions, but also the international scenario. The U.S. and Australia, two of the largest beef exporters, are in a special moment, with the reduction of external sales. The U.S., for example, should end the year with less than 300,000 tons exported; while Australia closes with around 200,000 tons. There is also the situation of Argentina, which faces marketing problems. Casa Branca Press –This is good for Brazil. Alexandre Mendonça de Barros –This is excellent for Brazil, which should end 2014 with approximately 1.8 million tons of beef exported, compared to 1.5 million tons in Australia and 1.1 million tons in the U.S. however, we must keep a close eye on India, which should export something around 1.65 million tons this year (a country record). Casa Branca Press –And how are we doing in terms of productivity? Are we really advancing? Alexandre Mendonça de Barros –This fact is undeniable; and we owe it all to the amazing work of the cattle farmers. However, there are still improvements to pursue. The United States slaughter about 34 million cattle units per year and produce 11.7 million tons of meat. Brazil slaughters 40 million units/year and should end 2014 with a production yield of 9.6 million/tons. Casa Branca Press

9


As estatísticas variam dependendo da fonte mas a pecuária brasileira precisa de 250 mil a 500 mil touros por ano para recomposição do plantel de reprodutores e manter o ritmo de crescimento da produção de bezerros – intensificando a precocidade e a qualidade.

D

matéria de capa

matéria de capa

Os mandamentos da Casa Branca na produção de touros

e acordo com entidades ligadas à produção, saem das fazendas de melhoramento genético em torno de 50 mil reprodutores avaliados por ano. São machos que passaram por controles zootécnicos durante sua vida e estão aprovados para multiplicar sua genética e contribuir para o aumento da produtividade da pecuária. A Casa Branca Agropastoril investe na produção de touros melhoradores das raças Angus, Brahman e Simental – linhagem sul-africana, dando sua contribuição ao contínuo crescimento da pecuária brasileira. A funcionalidade é o principal atributo dos reprodutores da

Casa Branca. Eles são colocados à venda somente após uma intensa bateria de avaliação e, no mercado, indiscutivelmente ajudam as propriedades pecuárias a obter melhores ganhos econômicos com a produção de bezerros. “Não podemos esquecer que o nosso negócio é produzir carne. A cadeia da pecuária tem uma série de segmentos que trabalham em conjunto para produzir animais precoces, de rápida terminação, bom acabamento e rendimento de carcaça, que gerarão cortes nobres para atender à demanda do consumidor final. Não produzimos touros para nos satisfazer como elos dessa cadeia, mas para cumprir uma função muito específica: multiplicar a boa genética e aumentar a oferta de bezerros”, assinala Paulo de Castro Marques, proprietário da Casa Branca Agropastoril. Nesse sentido, a Casa Branca tem os seus mandamentos. São dogmas praticados no dia a dia que proporcionam a seleção de reprodutores Angus, Brahman e Simental linhagem sul-africana de padrão superior, funcionais e perfeitamente adaptados às condições de clima quente e, o melhor, prontos para o trabalho a campo.

10 Casa Branca Press

Casa Branca Press 11


mandamentos da

Casa Branca

na produção de touros

2

Equipe

melhor genética, onde ela estiver

A Casa Branca acredita que a genética é um processo de melhoramento contínuo e, para ter na fazenda linhagens e exemplares que comprovadamente multiplicam qualidade zootécnica, é preciso buscar animais, material genético e conhecimento onde quer que eles estejam. Assim, a base do plantel da Casa Branca foi construída com contribuições de várias origens tanto no rebanho brasileiro como do exterior. É o caso do Angus dos Estados Unidos, Argentina e Rio Grande do Sul; do Brahman dos Estados Unidos e Colômbia; e do Simental do Canadá e da África do Sul.

coesa e profissional

A Casa Branca sempre acreditou em trabalho de equipe e em profissionalismo. Não basta ter a melhor genética, é preciso ter gente competente e bem treinada para extrair dos animais o seu melhor. Dessa forma, ganham todos: o time – com mais conhecimento e experiência; a propriedade – cuja marca torna-se conhecida no mercado; e os próprios parceiros – que podem levar para suas propriedades animais selecionados e efetivamente prontos para contribuir para o progresso do seu projeto pecuário.

3

Estrutura

de fazendas adequada ao projeto

A Casa Branca conta com propriedades rurais no Sul de Minas Gerais. Toda a estrutura foi planejada para dar atenção especial aos animais desde o seu nascimento, cuidando para que o seu desenvolvimento seja correto e eles possam expressar toda a sua genética. O resultado é expresso em número crescente de touros e matrizes a cada safra, além do reconhecimento do mercado pela qualidade dos reprodutores da Casa Branca.

12 Casa Branca Press

Casa Branca Press 13

matéria de capa

matéria de capa

1

A

Os


mandamentos da

Atenção

Casa Branca

na produção de touros

às tendências do mercado

nas fazendas de melhoramento genético e produção de touros e matrizes. A Casa Branca leva essa questão na ponta do lápis e acompanha com muita proximidade os movimentos do cenário produtivo. Assim, consegue ajustar o seu projeto e atender às necessidades do mercado. Nesse sentido, a funcionalidade é o principal atributo dos touros da propriedade, entendendo uma exigência dos plantéis de regiões de clima quente, que precisam de machos fortes, com boa libido e resistência para a cobertura da vacada e a consequente geração de mais bezerros a cada safra.

sempre atento às novas opções genéticas

A Casa Branca leva muito a sério a máxima de que os animais precisam ser melhores a cada nova geração: os filhos têm de superar os pais. Por isso, dá especial atenção a novas linhagens, cruzamentos vitoriosos e fontes de genética. Além disso, também estamos atentos às novas tecnologias, que contribuem para impulsionar o melhoramento genético. É o caso da genômica, que está merecendo atenção da Casa Branca.

14 Casa Branca Press

a atividade intensamente

Somos produtores de touros e, como tal, levamos com muita

Como dito anteriormente, o mercado é o senhor do trabalho realizado

Estar

6 7 8 Viver

responsabilidade o compromisso de colocar no mercado reprodutores de alta qualidade produtiva e reprodutiva. A Casa Branca é um projeto pecuário que experimenta, investe, faz cruzamentos, busca inovação e seleciona à exaustão. O resultado é colhido pela venda anual de mais de 500 reprodutores Angus, Brahman e Simental, uma conquista de quem atua com muita paixão e comprometimento na pecuária de corte.

Não

esquecer que quem manda é o mercado

A Casa Branca respeita o mercado em todas as suas nuances. Assim, faz a sua parte na cadeia produtiva e disponibiliza reprodutores e matrizes avaliados, prontos para o trabalho em fazendas de todo o país. Para nós, está claro o objetivo final do negócio: a produção de carne. E esse processo tem uma sequência lógica que não pode ser mudada.

A

finalidade da pecuária é a produção de carne

Mais uma vez: a pecuária trabalha para um objetivo muito claro no final: a produção de carne. Para isso, é preciso investir em precocidade, fertilidade, conformação, rendimento. Sua excelência, o consumidor. É ele, na ponta da cadeia, que dá o veredicto por todo o trabalho feito desde a escolha da genética até o frigorífico. Se ele não aprecia a carne colocada no prato é que algum elo falhou. Assim, é preciso trabalhar ainda mais e mais duro, pois os benefícios (ou prejuízos) acabam indo para a atividade como um todo. E a imagem da pecuária e do próprio país – quando se trata de cliente internacional – está em jogo. O trabalho nas fazendas ganha uma tremenda importância nesse cenário.

Casa Branca Press 15

matéria de capa

matéria de capa

4 5

Os


mandamentos da

Casa Branca

na produção de touros

Estar

presente aos eventos e compartilhar com os demais criadores

Caninu’s

Protein

A Casa Branca é adapta da troca de informações, coleta de dados, busca de conhecimento. Por isso, busca a melhor genética onde ela está, conta com profissionais experientes para lhe dar suporte, participa de exposições, realiza eventos, vive a vida associativa. A pecuária não é uma atividade individualista, é pluralista. E exercitamos essa pluralidade com intenso prazer e satisfação.

ÚNICO NO MERCADO COM WHEY PROTEIN Benefícios

10

Elevada absorção e biodisponibilidade

Situações de estresse metabólico

Estimula síntese de proteínas

Reposição proteica emergencial

Indicações

Ter

16 Casa Branca Press

cover story

matéria de capa

9

Os

paixão pelo que faz: os altos e baixos são normais

Alimentação enteral

A pecuária envolve gado, um ser vivo e, assim, não podemos

Gestação e lactação

querer ditar as regras do jogo. Somos agentes e não controladores. Como toda atividade produtiva, estamos sujeitos a períodos melhores e outros nem tanto. 2014 foi um ano positivo para a cadeia da carne bovina, com bons preços para todos os elos envolvidos. Porém, viemos de períodos ruins, com baixa remuneração pelo nosso investimento diário. Faz parte. O importante é buscar o melhor, entender o vaivém do mercado e continuar investindo nesse negócio fantástico que é a produção de um

Fase de crescimento Treinamento (atleta) Dificuldade na engorda Manutenção nutricional

alimento essencial e de alta qualidade, fundamental para o futuro do país e da humanidade.

Casa Branca Press 17


A

Statistics vary from source to source, but the Brazilian livestock segment requires 250,000 to 500,000 bulls per annum to supply the breeding stock and maintain the growing calf production rate – boosting both value and quality.

ccording to producers, genetic enhancement farms output a parent stock of around 50,000 every year. These male specimens are submitted to zootechnical controls and

approved to breed its genetics and contribute towards increasing livestock productivity. Casa Branca Agropastoril heavily invests in breeding enhanced cattle of the Angus, Brahman and Simmental breeds – a South African breed –, contributing to the continuous development of the Brazilian livestock segment. Functionality is the key feature of Casa Branca’s parent stock. The livestock is only marketed after undergoing extensive tests, which undeniably boosts livestock breeders’ profits from calf breeding. “We must not forget that we are in the beef processing business. Multiple segments interact within the livestock production chain to breed precocious cattle, with fast fattening stages, and carcass yield, which will ultimately provide prime cuts for end consumers. We don’t breed cattle merely as yet another link in this chain, but rather to achieve a very particular purpose: multiplying good genetics and boosting calf offer,” said Paulo de Castro Marques, owner of Casa Branca Agropastoril. In this sense, Casa Branca has its own set of golden rules. Such commandments are applied throughout the company’s daily routines, selecting Angus, Brahman and Simmental breeds – prime South African breed –, which are functional, perfectly adapted to warm weather conditions and, most importantly, field-ready.

18 Casa Branca Press

Enhanced genetics, wherever it may be Casa Branca believes genetics is a process of continuous improvement and, in order to achieve breeds and specimens with zootechnical quality, it is paramount to seek out animals, genetic material, and knowhow, wherever they may be. Hence, Casa Branca’s breeding stock base was built in collaboration with multiple origins, both in Brazil and abroad. These include Angus from the U.S., Argentina, and Rio Grande do Sul; Brahman from the U.S. and Colombia; and Simmental from Canada and South Africa. Cohesive and professional team Casa Branca firmly stands behind teamwork and professionalism. Merely having the best genetics is not enough; it is crucial to have a highly-qualified and trained staff to truly tap into the livestock’s potential. This guarantees a win-win scenario: the staff wins by gaining knowledge and expertise; the farms win by promoting its brand throughout the market; and the partners win by acquiring selective animals ready to contribute to their livestock process. Structure of farms suitable for the project Casa Branca has farms in Southern Minas Gerais. The entire structure was designed with special care for the animals since their birth, ensuring a proper development and comprehensive genetic expression. The result is reflected in a growing number of cattle and breeding stock every year, in addition to the market’s recognition of the high quality of Casa Branca’s breeders.

Close eye on market trends As previously mentioned, the market dictates the work performed in genetic enhancement and livestock breeding farms. Casa Branca takes this notion very seriously, closely monitoring new trends and shifts in the productive scenario. This allows the company to tweak its projects in order to tend to specific market needs. In this sense, functionality is the primary attribute of the livestock, based on warm-weather breeding stock farm requirements, which require strong males with good libido and stamina in order to consistently increase calf breeding every year. Always aware of new genetic options Casa Branca strongly believes that the animals must improve upon each generation: the offspring must always excel over its parents. Therefore, the company pays close attention to new breeds, successful crossings, and genetic sources. In addition, we constantly analyze and implement new technologies to boost genetic enhancement. A good example is genomics, which is definitely worth a lot of attention. Live the activity intensely As cattle breeders, we are deeply committed to supplying the market with highly productive and reproductive breeders. Casa Branca is a livestock project that experiments, invests, crosses, and strives to achieve innovation and thorough selection. The result is reflected in the annual sales rates of over 500 Angus, Brahman and Simmental breeders; an achievement cherished with passion and commitment in the cattle beef segment. Never forget that the market calls the shots Casa Branca respects all of the market’s trends and nuances. The company fulfills its role in the production chain and supplies tested breeders and parent stock, ready to work in farms across the country. Our end goal is always very clear: beef production. And this process has a logic sequence that cannot be changed.

The purpose of the livestock is to produce beef Once again: the livestock has a very clear end goal: beef production. Therefore, it is paramount to invest in precocity, fertility, conformation, and performance. His Excellency, the consumer; it is he, at the other end of the chain, who gives the final verdict for all the work done from genetic selection to the slaughterhouse. If he does not enjoy the beef set on his plate, one of the links in the chain has failed. This makes it crucial to work even harder, since the benefits (or losses) ultimately affect the entire segment. And the image of the livestock segment, as well as the entire country – when supplying international clients – is also at stake. The farms’ activities are extremely important in this scenario. Attending events and sharing with other breeders Casa Branca believes in sharing information, gathering data, and seeking knowledge. Therefore, it seeks out the very best genetics wherever it may be, relying on experienced professionals for support, participating in expos, hosting events, and focusing on collaborative works. Livestock breeding is a pluralistic activity, rather than an individual segment. And we stand by this notion with immense pleasure and satisfaction. Be passionate about what you do: ups and downs are normal Breeding involves cattle, which is a living being; therefore, we cannot presume to dictate all the rules of the game by ourselves. We are agents, not controllers. Just like any productive process, we are subject to performance fluctuations. The year of 2014 was very positive for the beef production chain, recording good prices for all stakeholders involved. However, we have just recently made our way out of a downturn, with low daily investment returns. It’s all part of the business. The important thing is to always seek the best, understand market fluctuations, and continue to invest in this amazing business, producing an essential and high-quality food that is extremely important for the future of our country and mankind.

Casa Branca Press 19

cover story

cover story

Casa Branca’s golden rules in cattle breeding


é d e s ta q u e n o m a i o r e v e n t o

mercado 1

mercado 1

Carne Angus

d a a l i m e n ta ç ã o m u n d i a l O Brasil participou com destaque do SIAL 2014, o maior evento da alimentação mundial, realizado em Paris, em meados de setembro. Cerca de 85 empresas brasileiras disputaram a atenção de 150 mil visitantes de mais de 100 países – no total, participaram 6.300 expositores.

E

m sua 50ª edição, o Salão Internacional da Alimentação premiou a inovação. E a inovação brasileira foi a ação especial realizada com a carne Angus brasileira pelo Brazilian Beef, iniciativa da APEX (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos), como apoio da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes (Abiec) e da Associação Brasileira de Angus. “Participamos do SIAL com objetivos muito bem definidos: promover a qualidade da carne Angus brasileira no mercado internacional. E nada melhor do que no mais importante evento da alimentação global”, assinalou Paulo de Castro Marques, proprietário da Casa Branca Agropastoril e presidente da Associação Brasileira de Angus. “A característica mais predominante (e conhecida) da pecuária brasileira é a produção a pasto. Mais de 90% dos 40 milhões de bovinos abatidos/ano no país são criados de

20 Casa Branca Press

maneira extensiva. Assim, o gado se alimentando das pastagens tem sido, historicamente, um atributo da carne brasileira no mercado internacional. Sem perder esse diferencial, mas focando no intenso melhoramento genético e na terminação em confinamento para dar o correto teor de gordura, a pecuária brasileira parte para um novo momento no comércio global de carne”, completa o dirigente. Nesse cenário, a carne Angus brasileira para o mercado internacional é um produto que associa as qualidades inerentes e reconhecidas da nossa pecuária com a incomparável genética Angus e o processo produtivo profissional. O resultado é uma carne gourmet, que se destaca no cardápio nacional – e que quer ganhar o mundo. “Nossa carne Angus não deve nada, absolutamente nada, às melhores carnes do mundo”, diz o vice-presidente da Associação Brasileira de Angus, Wilson Brochman, presente no Salão Internacional da Alimentação (SIAL), em Paris. Casa Branca Press 21


“O Brasil tem o mérito de contar com um rígido Programa Carne Angus Certificada, que proporciona carne de altíssima qualidade, que atende aos mais exigentes paladares”, completa Reynaldo Salvador, diretor do Programa. Os apreciadores da boa carne e os importadores valorizam os diferenciais do Angus do Brasil e pagam mais por isso. “Nossa carne Angus tem potencial para gerar o dobro da cotação média da carne brasileira no mercado internacional”, diz Salvador. Assim, não foi surpresa que mais de 100 importadores de carne bovina visitaram o Brazilian Angus Beef Day, no

US$ 1,18 bi em exportações no Sial A ação da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex) no Sial, de Paris, gerou US$ 1,184 bilhão em vendas para as empresas brasileiras. Além disso, foram realizados mais de oito mil encontros com a participação de pelo menos uma das 85 empresas brasileiras que participaram da comitiva

USD 1.18 billion in exports in Sial

liderada pela Apex. O investimento da

The initiative of the Brazilian Agency for Promotion of Exports and Investments (BAPEX) at Sial, in Paris, generated USD 1.184 billion in sales for Brazilian companies. In addition, over 8,000 meetings were held with at least one of the 85 Brazilian companies covered in the entourage led by Apex. The Agency’s investments at the expo totaled BRL 8 million, including two restaurants — a Steakhouse and a Galeteria, with products of Brazilian companies participating at the event — for visitors to have a taste of some national products. Brazil’s strategy at Sial involved the English slogan “Brazil Beyond Flavour”, or “Brasil Além do Sabor” in Portuguese.

incluindo dois restaurantes — uma chur-

22 Casa Branca Press

agência na feira foi de R$ 8 milhões, rascaria e uma galeteria com produtos das empresas brasileiras participantes da feira — para os visitantes provarem os produtos nacionais. A estratégia brasileira no Sial envolveu o slogan em inglês “Brazil Beyond Flavour”, ou “Brasil Além do Sabor” em português.

Angus beef

B

featured in the world’s largest food event

razil stood out during the 2014 SIAL, the world’s largest food event, held in Paris in mid-September. About 85 Brazilian companies competed for the attention of 150,000 visitors from over 100 different countries – a total of 6,300 exhibitors attended the event. In its 50th Edition, the International Food Fair gave out awards for innovation. And the Brazilian innovation was the special initiative involving the Brazilian Angus beef by Brazilian Beef, an initiative of BAPEX (Brazilian Agency for Promotion of Exports and Investments) supported by the Brazilian Association of Meat Exporters (ABIEC) and the Brazilian Angus Association. “We had very clear goals set for SIAL: to promote the quality of Brazilian Angus beef in the international market. And what better place to do that than at the most important global food event,” stated Paulo de Castro Marques, owner of Casa Branca Agropastoril and President of the Brazilian Angus Association. “The most prominent (and known) feature of Brazilian livestock is the production in pastures. Over 90% of the 40 million cattle units slaughtered annually in the country are created in extensive production. Therefore, pasture-feeding cattle has historically been an attribute of Brazilian beef in the international market. Without losing this differential, but focusing on intensive genetic enhancement and fattening in confinement in order to achieve proper fat contents, the Brazilian livestock is undergoing a new era in the global beef market,” said the executive. Within this scenario, the international market perceives the Brazilian Angus beef as a product that combines the inherent and recognized qualities of our livestock with the incomparable Angus genetics and a professional production process. The result is a gourmet meat, which stands out on the national menu – and that wants to take on the world.

market 1

mercado 1 Wilson Brochman, Reynaldo Salvador e Fabio Medeiros, da Associação Brasileira de Angus

SIAL, em Paris. Destaque aos russos, aos europeus de maneira geral, a representantes do Oriente Médio e da Ásia – especialmente da China. A bola, agora está com a indústria, especialmente os parceiros do Programa Carne Angus Certificada (Marfrig, JBS e Frigol), que já começam entendimentos com as tradings. “No momento em que a carne Angus brasileira é valorizada internacionalmente, todos ganham: os produtores, cuja demanda por gado tende a se intensificar ainda mais pelo interesse dos frigoríficos, e a própria indústria, que abre uma frente de negociação e pode conseguir valores superiores pela carne Angus”, ressalta Paulo de Castro Marques. Programa de certificação dá suporte – O sucesso do Brazilian Angus Beef Day, no SIAL, reflete o profissionalismo e competência do Programa Carne Angus Certificada, vitoriosa iniciativa da Associação Brasileira de Angus que está completando 11 anos de realização. Presente em sete estados, com nove frigoríficos parceiros e duas dezenas de plantas, o programa é reconhecido inclusive internacionalmente, dando respaldo para a indústria brasileira oferecer a carne Angus brasileira aos compradores mais exigentes.

“Our Angus beef is up to par with the best meats in the world,” said the Vice President of the Brazilian Angus Association, Wilson Brochman, at the International Food Fair (SIAL) held in Paris. “Brazil has the merit of having a strict certified Angus beef program, which provides high quality meat to the most demanding customers,” said Reynaldo Salvador, director of the Certified Angus Beef Program. Those who value quality meat and importers appreciate the Brazilian Angus’ differential and are willing to pay top dollar for it. “Our Angus beef has the potential to generate twice the Brazilian beef average in the international market,” said Salvador. Hence, it was no surprise that over 100 beef importers visited the Brazilian Angus Beef Day at SIAL, in Paris. Particularly the Russians and Europeans in general; as well as representatives of the Middle East and Asia – particularly China. The ball is now in the industry’s court, particularly the partners of the Certified Angus Beef Program (JBS, Marfrig and Frigol), which have already begun negotiations with trading companies. “Everybody wins if the Brazilian Angus beef gets attention from the international market: the producers, whose cattle demand tends to intensify even more by the interest of slaughterhouses; and the industry itself, which opens a negotiation front and can achieve higher values for Angus beef,” said Paulo de Castro Marques. Certification program support - the success of Brazilian Angus Beef Day at SIAL reflects the professionalism and competence of the Certified Angus Beef Program, a successful initiative of the Brazilian Angus Association, which is currently celebrating its 11th anniversary, Operating in seven States, with nine partner slaughterhouses and twenty plants, the program is also known internationally, supporting the Brazilian industry to offer the Brazilian Angus beef to the most demanding buyers.

Casa Branca Press 23


CABR Mr. Gartz destaque

Male, born on 9/21/2010

C

Peso atual/Current weight: 1,130 kg C.E.: 41 cm

ABR Mr. GARTZ 1639 é um jovem reprodutor Brahman da Casa Branca, que vem se destacando pela sua excelente progênie. Sua conformação, a consistência e a qualidade de seu pedigree dão respaldo para o seu sucesso na reprodução. Ele resulta de embrião importado, filho de JDH MISS SUZANNE MANSO 715/6, uma das melhores vacas já criadas no melhor plantel de Brahman no mundo (Bob Hudgins). SUZANNE foi Grande Campeã Internacional em Houston 2006 e o seu primeiro filho, JDH PROPHET MANSO 424/7 (por JDH LAWFORD MANSO), é reprodutor e tem sêmen à venda na excelente bateria da Hudgins. A avó materna de Gartz é a excepcional JDH ARMELLE MANSO 916/5, uma das melhores filhas de DATAPACK MANSO. O seu pai é JDH MADISON DE MANSO 737/4, sem dúvida o touro mais influente na raça Brahman de todos os tempos, tendo sido Grande Campeão Internacional de Houston 1993 e também Gold Maternal Performance Sire, produzindo nove filhas com mérito maternal. Além disso, produziu incontáveis reprodutores, doadoras, avós, bisavós de campeões e campeãs.

JDH GREGORY R MANSO

JDH MR BR. MANSO 175

JDH ATARI MANSO

JDH SIR LIBERTY MANSO JDH LADY RIM MANSO

MR V8 202/3

JDH LADY REM. MANSO JDH MR BRANDON MANSO

SUGARLAND’S LOXACRAT

JDH WADER TOW C MANSO 769/1

EMPRESS OF SUGARLAND

JDH LADY WIDER MANSO 146/2 EMPRESS OF SUGARLAND

MN MAYRO MANSO 433/2 JDH MISS SUZANNE MANSO 745/6

JDH MADISON DE MANSO 737/4 JK SUGAR CRATA 45

TTT MR S CRATA 450

JDH REMINGTON MANSO 784/2

JDH DATAPACK MANSO

JDH PHODID MANSO JDH LADY REM J MANSO

JDH LADY MIL M.780/4 JDH ARMELLE MANSO

JDH MR HARDY MANSO

JDH SIR GARRET MANSO

Aqui está uma pequena mostra dos filhos de Madison, irmãos paternos de gartz: JDH AMOS MANSO568/5, JDH SIR LAWFORD MANSO 616/6, JDH WESTIN MANSO 80/1, JDH BRETT MANSO 175 /6, JDH LINCOLN MANSO 377/5, JDH BERKMAN MANSO 422/7 e JDH RIDDEL MANSO 929/6. CABR GARTZ 1639 possui pedigree régio de reconhecimento mundial. Na Casa Branca, todas as suas filhas nascidas são reservas absolutas da nossa seleção. Sua segunda filha, CABR Linda 2008, é reserva no time de pista! Em nosso criatório, já temos filhos dele em matrizes de diversas linhagens, como Prescot, Atlas, Westin, Liberty, Echo, Fresno, Woodman, Karu e Josiah. CABR GARTZ 1639 está em coleta, com sêmen já exportado para a Argentina.

highlight

CABR Mr. GARTZ 1639 multiplica sua genética diferenciada

Masculino, nascido em 21/09/2010

CABR Mr. GARTZ 1639 multiplies its differentiated genetics

C

ABR Mr. GARTZ 1639 is a young Brahman Reproducer of the Casa Branca, which has stood out for its excellent progeny. His conformation, the consistency and quality of your pedigree gives support for his success in breeding. It results from the imported embryo, son of JDH MISS SUZANNE MANSO 715/6, one of the finest cows ever created in the best herd of Brahman in the world (Bob Hudgins). SUZANNE was Grand Champion at 2006 Houston International and their first child, JDH PROPHET MANSO 424/7 (by JDH LAWFORD MANSO), is a breeder and has semen for sale in the excellent Hudgins battery. The maternal grandmother of Gartz is the exceptional JDH ARMELLE MANSO 916/5, one of the best daughters of DATAPACK MANSO. Your dad is JDH MADISON DE MANSO 737/4, arguably the most influential in the Brahman breed of all time, having been the 1993 Great International Houston Champion and also Gold Maternal Performance Sire, producing nine daughters with maternal merit. In addition, produced countless breeders, donors, grandparents, great-grandparents of champions. Here is a small sample of the sons of Madison, paternal brothers of gartz: JDH AMOS MANSO568/5, JDH SIR LAWFORD MANSO 616/6, JDH WESTIN MANSO 80/1, JDH BRETT MANSO 175 /6, JDH LINCOLN MANSO 377/5, JDH BERKMAN MANSO 422/7 e JDH RIDDEL MANSO 929/6.

CABR GARTZ 1639 has a regal pedigree known worldwide. At the Casa Branca, all your daughters born are absolute reserves of our selection. His second daughter, CABR Linda 2008, is reserve at the track team! In our cattle farm, we already have his kids in matrices of various lineages, like Prescot, Atlas, Westin, Liberty, Echo, Fresno, Woodman, Karu and Josiah. CABR GARTZ 1639 is in collection, with semen already exported to Argentina.

JDH LADY MARU MANSO

JDH M. JUANITA MANSO JDH MISS REPO MANSO

JDH MISS TIP MARU MANSO 25

24 Casa Branca Press

Casa Branca Press 25


PWM Niko

Desempenho extraordinário e pedigree de muita qualidade

destaque

Male, HBB: O157113 – tattoo TECB962, born on 7/22/2011, black

Peso/Weight: 856 kg C.E.: 45 cm DHD TRAVELER 6807

LEACHMAN HEAVEN OR BUST 1000B

GDAR TRAVELER 044

GLACIER MARIAS 548 GDAR BLACKCAP LADY 840

GAR GRID MAKER GAR PRECISION 1680

GLACIER REBALAS TRES MARIAS 5477 YANQUETRUZ TE

GAR PRECISION 2536

TRES MARIAS 4742 VINE BARTOLA TE

GAR EXT 2104 SAV BISMARCK 5682

AAR NEW TREND SCHOENES FIX IT 826

DON PANCHO 53 BARTOLOMÉ TE

RECONQUISTA 734 ILHA YANQUETRUZ ROB

LEACHMAN ROBUST 7222 LEACHMAN KING ROB 8621

SKY HIGH BLACKBIRD 4119

LEACHMAN ELEANOR TRES MARIAS 05222 TE

SAV ABIGALE 0451 BON VIEW EMULATION EXT 473 SAV ABIGALE 6062 CIRCLE A ABIGALE 3008 26 Casa Branca Press

TRES MARIAS 3660 ATAHUALPA CHAPS

TRES MARIAS 4642 MARTINETA TE

BHC STRYKER DON PANCHO 22 RED LADY 10

P

WM NIKO foi o campeão da Prova de Avaliação de Desempenho coordenada por técnicos da Universidade Federal de Lavras (UFLA), tendo o excelente índice final de 120,6 pontos, destacando-se nas características de desempenho (1º lugar), adaptabilidade (1º lugar) e morfologia (1º lugar). Em termos de carcaça, ele fechou a prova com 2,94% de gordura intramuscular, 89,25cm3 de área de olho de lombo (AOL), 6,99mm de espessura de gordura na costela e 8,09 mm de espessura de gordura na picanha. PWM NIKO tem uma combinação genética com o respaldo dos melhores reprodutores do Angus mundial. Seu pai, Bismarck, produz muito baixo peso ao nascer, mas com excelentes DEPs de peso, leite e carcaça. Apesar de ser um dos líderes em números nos Estados Unidos, é o pai das Grandes Campeãs de 2013 e 2014 em Palermo (Argentina). Com consistência genética tanto em números como em fenótipo é, sem dúvida, um dos principais reprodutores de Angus no mundo. A mãe de PWM Niko é Reconquista 734 Ilha, Reservada Campeã Terneira Menor e Campeã Vaquilhona Maior em Esteio 2003 e 2004. Ela tem um grande respaldo genético dos principais reprodutores Red Angus mundiais. Filha de Yanquetruz, Campeão Nacional Argentino em 2001, filho de Glacier Marias, ganhador do Ranking de Reprodutores nos Estados Unidos por diversos anos e também líder de DEPs e touro número 1 em área de olho de lombo (AOL). Reconquista 734 Ilha é filha de Bartolita, Reservada Grande Campeã Palermo 1997, e Bartolomé, Grande Campeão Palermo 1995, filho do grande Stryker – sem dúvida, um dos pilares do Red Angus mundial. Na linha baixa, PWM NIKO leva os genes de Duquesa, campeã Nacional Argentina 2000 e que combina o sangue do lendário King Rob, indiscutivelmente outro dos grandes pais do Red Angus mundial, por vários anos vencedor do Ranking de Reprodutores Norte-Americanos. Ainda na linha baixa, está Martineta, mãe de nada menos do que Quebracho, Bi Grande Campeão de Palermo 2001 e 2002 e ganhador do Ranking de Reprodutores na Argentina em varias oportunidades. Martineta também é irmã própria de Bartolomé (Grande Campeão Palermo 1995), Mambo (Reservado Grande Campeão Nacional 95) e Pancho 444 (Reservado Grande Campeão Esteio 2004). Martineta é mãe da ganhadora do Grande Campeonato Fêmea Palermo 1997. PWM NIKO possui todas as características genéticas e morfológicas para se tornar um grande reprodutor.

Extraordinary performance and pedigree of great quality

P

WM NIKO was the champion of Performance Assessment Contest coordinated by technicians at the Federal University of Lavras (UFLA), having the excellent final index of 120.6 points, with emphasis on performance characteristics (1st place), adaptability (1st place) and morphology (1st place). In terms of carcass, he closed the competition with 2.94% of intramuscular fat, 89.25cm3 of rib eye area (REA), 6.99mm of rib fat thickness and 8.09 mm of rump fat thickness. PWM NIKO has a genetic match with the support of the best Angus breeders worldwide. His father, Bismarck, produces very low birth weight, but with excellent EDPs of weight, milk and carcass. Despite being one of the leaders in numbers in the United States, is the father of the great Champions of 2013 and 2014 in Palermo (Argentina). With genetic consistency both in numbers and phenotype, it is undoubtedly one of the main breeding Angus in the world. The mother of PWM Niko is Reconquista 734 Ilha, 2003 and 2004 Reserved Smaller Beef Meat Champion and Larger Heifer Champion in Esteio. She has a great genetic support of one of the main Red Angus breeders of the world. Daughter of Yanquetruz, Argentine National Champion in 2001, son of Glacier Marias, winner of the Ranking of Breeders in the United States for several years and also leader of EDPs and bull number 1 in rib eye area (REA). Reconquista 734 Ilha is the daughter of Bartolita, 1997 Palermo Reserved Grand Champion and Bartolomé, 1995 Palermo Grand Champion, son of the great Stryker – without a doubt, one of the pillars of the worldwide Red Angus. At the low line, PWM NIKO takes the genes of Duchess, 2000 Argentine National Champion and that combines the blood of the legendary King Rob, arguably one of the great fathers of the worldwide Red Angus, for several years winner of the North American Breeders Ranking. Still at the low line, is Martineta, mother of no less than Quebracho, the twice Palermo Grand Champion of the 2001 and 2002 and winner of Breeders in Argentina Ranking in several opportunities. Martineta is also sister of Bartolomé (1995 Palermo Grand Champion), Mambo (95 Reserved National Grand Champion) and Pancho 444 (2004 Esteio Reserved Grand Champion). Martineta is mother of the winner of 1997 Palermo Female Grand Championship. PWM NIKO has all the genetic and morphological characteristics to become a great sire. Casa Branca Press 27

highlight

Masculino, HBB : O157113 - tatuagem TECB962, nascido em 22/07/2011, Cor PRETA


com ótimo desempenho

mercado 2

mercado 2

C a r n e bo v i n a f e c h a 2 0 1 4

2014 termina com um resultado muito especial para o agronegócio e será lembrando por muito tempo como o ano em que as proteínas animais do Brasil vivenciaram uma confluência de fatores positivos única, o que proporcionou ganhos para todos os elos da cadeia: os produtores, os fornecedores de insumos, a indústria e o varejo.

N

ão houve melhor ano na história recente para a pecuária de corte, por exemplo. O ano chega ao final com um recorde em exportações, o que puxa o desempenho das carnes como um todo. Segundo estimativas preliminares, o balanço das vendas externas de carnes bovina, suína e de frangos aponta para aumento superior a 15% sobre os números de 2013. Esse percentual fica ainda mais saboroso por conta dos preços internacionais, que se mantiveram em bons patamares no ano. O fator Rússia é destacado em todas as rodas de comércio global. O embargo econômico proposto por Estados Unidos e União Europeia ao país de Putin abriu as portas de um mercado comprador – e necessitado –, elevando os resultados a patamares impensáveis. Em números, 2014 deve fechar com exportação de quase US$ 20 bilhões em carnes, contra S$ 16,65 bilhões – um resultado já muito bom – no ano anterior. Esse desempenho é liderado pela avicultura de corte, com cerca de US$ 9,5 bilhões.

28 Casa Branca Press

Nesse quesito, a carne bovina teve um ano excepcional. Na verdade, o melhor da história. Segundo dados preliminares da Associação Brasileira das Empresas Exportadoras de Carnes (ABIEC), o ano fecha com cerca de US$ 8 bilhões em vendas externas. No ano anterior, foram US$ 6,6 bilhões. No total, o país vendeu 1,8 milhão de toneladas – contra 1,5 mi/t em 2013. “Foi realmente um ano muito bom, motivado por uma série de fatores, incluindo a presença sólida da Rússia, mas destacando que estamos presentes em mais de 150 países”, disse Fernando Sampaio, diretor executivo da ABIEC. O cenário internacional efetivamente contribuiu para o bom desempenho das proteínas animais, incluindo a carne bovina, em 2014. Outro fato a destacar foi a força do mercado interno, em que pese o baixo crescimento econômico. Segundo projeções do Rally da Pecuária, em 2014 o Brasil deve produzir 10,5 milhões de toneladas de carne bovina, com crescimento modesto mas importante de 2,7% sobre o ano anterior.

Casa Branca Press 29


mercado 2

VOCÊ É COMO UMA LÂMPADA QUE NÃO DESLIGA?

FIQUE NA CALMA FIQUE Consumo interno sólido Um dos fatores que ajudam a fortalecer o desempenho das proteínas animais no Brasil é o tamanho do mercado interno. Com pouco mais de 200 milhões de habitantes, o país é um grande consumidor de carnes e avança em ovos e leite, dando importante respaldo para o crescimento da oferta nas propriedades rurais. De acordo com as entidades de classe, o brasileiro consome 40 kg de carne bovina/ano. Nesse caso específico, há uma certa estabilidade na demanda. Há dez anos, o

consumo per capita era de 39 kg/hab/ano. “O brasileiro já é um grande consumidor de carne bovina. Esse patamar é histórico e está muito bom, suportando a produção – que cresce para atender as necessidades internacionais. Também não se pode esquecer que os volumes consumidores mantêm-se estáveis, para a qualidade da carne brasileira está cada vez melhor”, assinala Luiz Claudio Paranhos, presidente da Associação Brasileira de Criadores de Zebu (ABCZ).

Serenus é um medicamento que auxilia no combate à insônia e à irritação

Balanço da pecuária de corte Item

2004

2013

2014*

Produção (mi/t)

8,85

10,23

10,50

Exportação (mi/t)

1,18

1,50

1,80

39

40

40

Consumo per capita (kg) Fonte: Entidades de classe Estimativa 30 Casa Branca Press

Casa Branca Press 31 www.avert.com.br


The international scenario effectively contributed to the

with a record in exports, which boosts the performan-

2014. Another fact to highlight was the strength of the do-

for the beef cattle industry. The year comes to an end

ce of meats as a whole. According to preliminary estimates, international sales of beef, pork, and chicken should incre-

ase more than 15% percent compared to 2013. That percentage is even better because of international prices, which remained at good levels throughout the year.

mestic market, in spite of the low economic growth.

According to projections by Rally da Pecuária, Brazil should produce 10.5 million tons of beef in 2015, a modest but important growth of 2.7% over the previous year.

The Russia factor is highlighted in all global trade circles.

Solid domestic consumption

European Union against Putin’s country opened the doors to

One of the factors that helped to strengthen the performan-

levels.

market. With little more than 200 million inhabitants, the

billion in meats, compared to US$ 16.65 billion – a very good

and milk, giving important support for the growth of supply

by poultry farming, with approximately US$ 9.5 billion.

According to professional associations, each Brazilian

in history. According to preliminary data from the Brazi-

there is a certain stability in demand. Ten years ago, per

Brasileira das Empresas Exportadoras de Carnes), the year

“Brazilians are already big consumers of beef. This level is

The previous year saw US$ 6.6 billion. In total, the country

is growing to meet international needs. Also, let’s not forget

“It was really a very good year, due to a number of factors,

zilian beef just keeps getting better and better,” notes Luiz

present in more than 150 countries,” said Fernando Sam-

Zebu Breeders (ABCZ – Associação Brasileira de Criado-

The economic embargo proposed by United States and

Beef ends 2014 with great performance

good performance of animal proteins, including beef, in

a lacking buyer’s market, bringing the results to unthinkable

ce of animal proteins in Brazil is the size of the domestic

In numbers, 2014 should end with exports of almost US$ 20

country is a large consumer of meat and advances in eggs

result already – in the previous year. That performance is led

in rural properties.

In this regard, beef had an exceptional year. In fact, the best

consumes 40 kg of beef per year. In this particular case,

lian Association of Meat Exporters (ABIEC – Associação

capita consumption was 39 kg per inhabitant per year.

ends with approximately US$ 8 billion in international sales.

historical and very good, supporting the production, which

sold 1.8 million tons – compared to 1.5 million tons in 2013.

that consumer volumes are stable, for the quality of Bra-

including the solid presence of Russia, but noting that we are

Claudio Padilla, President of the Brazilian Association of

paio, CEO of ABIEC.

res de Zebu).

Beef cattle balance

2014 ends with a very special result for agribusiness and will be remembered for a long time as the year in which Brazilian animal proteins experienced a unique confluence of positive factors, which resulted in gains for all links in the chain: producers, input suppliers, industry, and retail.

Item

2004

2013

2014*

Production (million tons)

8,85

10,23

10,50

Export (million tons)

1,18

1,50

1,80

39

40

40

Per capita consumption (kg) Source: Professional associations Estimate

32 Casa Branca Press

Casa Branca Press 33

market 2

market 2

F

or instance, there was no better year in recent history


matéria

Quando falamos de nutrição de equinos, alguns fatores devem ser considerados. O tipo de trabalho exercido, a finalidade do trabalho, o tempo em que esse animal submete-se ao trabalho e o período em que permanece sem se alimentar adequadamente.

A

lgumas formas de alimentos são importantíssimas para os equinos, mas nem sempre sabemos quando e como utilizá-las. As principais fontes de energia nos alimentos são: carboidratos, proteínas, gordura e fibras. Exemplos: • Carboidratos: milho, trigo, aveia, sorgo • Proteínas: soja, algodão, poupa cítrica • Gorduras: óleos no geral e sementes oleaginosas

34 Casa Branca Press

Quando fornecemos uma dieta com quantidades elevadas de carboidrato (ex: milho, trigo), podemos superar a capacidade de digestão do intestino delgado, ocasionando excesso de formação de gás, cólicas, diarreias e até laminites. Tudo isso provocado pelo excesso de carboidratos no intestino. Uma forma de aumentar os níveis energéticos na dieta de um equino é utilizar aminoácidos de cadeia ramificada com alto

queda na performance, isto é, queda no desempenho atlético. Os probióticos melhoram a digestão dos alimentos porque mantêm equilíbrio da flora intestinal, melhorando a saúde. As vitaminas e minerais assumem importância fundamental na nutrição de cavalos atletas, porém este assunto é muito extenso e deve ser tratado separadamente. Os sais minerais são importantes para diversas reações orgânicas responsáveis pelo equilíbrio do organismo como um todo. Este também é um assunto que deve ser tratado separadamente. A relação Ca:P deve ser de 3:1, segundo a NRC 2008, respectivamente. A relação Zn:Cu deve ser de aproximadamente 3:1. Estes níveis são considerados necessários para evitar a ocorrência de doenças ortopédicas do desenvolvimento em potros, além de prevenir alterações do sistema músculo-esquelético em animais atletas. Atualmente, o conceito de minerais quelatados vem ganhando espaço no que se classifica como nutrição moderna, em que a molécula do mineral é ligada a duas moléculas de aminoácidos com o objetivo de aumentar a resistência aos processos digestivos, além de aumentar a absorção dos minerais. A rotina alimentar deve ser cuidadosamente instituída, ou seja, o fornecimento das refeições deve ser constantemente realizado nos mesmos horários. Ademais, idealmente os equinos não devem passar longos períodos em jejum, para evitar a ocorrência de gastrites ou úlceras. Isso, muitas vezes, é difícil de ser realizado, pois a rotina dos animais atletas acaba sendo determinada pelas necessidades das competições, além de viagens constantes as quais estes são submetidos. Os suplementos devem ser utilizados da forma correta e sob a supervisão de um profissional da área, a fim de melhorar as condições nutricionais e os resultados em provas e/ou treinamentos. Uma boa suplementação, realizada com produtos específicos e de boa procedência, pode mudar drasticamente os resultados obtidos em treinamentos e provas. Os suplementos, principalmente os sintéticos, possuem boa aceitação pelos equinos e, quando utilizado adequadamente, aumentam os benefícios e ajudam a reduzir os gastos de uma propriedade, pois melhoram a saúde como um todo dos animais, economizando tempo e medicamentos gastos com os animais em situação de estresse por falta de prevenção ou desgaste nutricional. Dada a realidade dos diferentes esportes equestres, a melhor maneira de evitar problemas é instituir um programa nutricional desenvolvido por um profissional da área, adaptado às particularidades de cada animal.

Casa Branca Press 35

técnica

técnica

Nutrição de Equinos

valor biológico, como a whey protein, ou realizar a adição de óleos a sua dieta. Os óleos vegetais fornecem uma boa quantidade de energia aos equinos que possuem sistema digestório com grande capacidade de digeri-los, após um breve período de adaptação. Sendo assim, o óleo de linhaça possui níveis elevados de energia e de ômega 3, cuja principal função é prevenir o desenvolvimento de doenças articulares e musculares, devido ao seu efeito anti-inflamatório, além de promover um brilho extra na pelagem dos cavalos. Já as proteínas são constituídas de aminoácidos e exercem diversas funções no organismo dos equinos, incluindo a formação dos músculos, e podem ser encontradas em quantidades nas forragens, nos alimentos concentrados e nos suplementos sintéticos. Um cavalo de 500 kg em atividade física intensa deve receber 1.312 g de proteína diariamente na dieta total. Como conseguir esta quantidade? Inicialmente, deve-se utilizar feno de boa qualidade e ração com nível ideal de 12% de proteína bruta para cavalos adultos em manutenção ou esporte e suplementação com aminoácidos essenciais sintéticos. Quanto a potros em crescimento ou éguas prenhes, há maior necessidade de proteína/dia, dependendo da idade, fase da gestação e/ou lactação. Por essa razão, esses animais devem ser suplementados durante toda essa fase da vida. Os equinos são exclusivamente herbívoros, ou seja, alimentam-se de forragens e grãos. Todas as fontes de volumosos, que incluem o capim verde, feno de gramíneas (ex: coastcross, tifton) ou feno de leguminosas (ex: alfafa) são submetidos à digestão no intestino grosso (IG). No IG, estão presentes microrganismos vivos que têm a função de fazer a digestão da fibra presente nos capins e fenos e, portanto, prover fonte de energia, proteína, entre outros presentes nestes alimentos ao animal. A perfeita atividade destes microrganismos permite maximização da digestão dos alimentos, além de exercer efeito de barreira biológica, impedindo a ação dos microrganismos patogênicos que também estão presentes no tubo digestivo dos equinos. Alguns fatores podem alterar o equilíbrio da flora intestinal, como por exemplo o fornecimento de dieta desequilibrada, o estresse causado por mudanças bruscas na alimentação, viagens prolongadas, treinamento intensivo, mudanças no ambiente e fornecimento de água não potável, dentre outros. Em alguns casos severos, os desequilíbrios na microbiota cecal podem levar o animal à morte, mas na maioria das vezes acometem os cavalos de maneira mais leve, causando

matéria

O que devemos saber sobre


technical

equine nutrition

Vitamins and minerals are of fundamental importance in the

which can be easily digested after a brief adjustment pe-

and should be treated separately.

Vegetable oils provide a good amount of energy to horses, riod. Thus, linseed oil has high levels of energy and Omega 3, whose main function is to prevent the development of joint and muscle diseases, due to its anti-inflammatory effect, in addition to making the horse’s coat shinier.

Proteins are composed of amino acids and have multiple

functions in the equine organism, including the formation of

muscles, and can be found in quantities of fodder, food concentrates, and synthetic supplements.

A 500 kg horse in intense physical activity should receive 1.312 g of protein daily in a total diet. How to get this amount?

Initially, quality hay and ration must be used with optimal level of 12% crude protein for mature horses in maintenance

or sport, as well as supplementation with essential synthetic amino acids. As for growing foals or pregnant mares, there is

greater need for daily proteins, depending on age, pregnancy

and/or lactation stage. For this reason, these animals must be supplemented during this stage in life.

Equines are exclusively herbivores, meaning they feed on forage and grains. All bulky sources, including green grass,

grass hay (e.g. coast-cross, tifton) or legume hay (e.g. alfalfa) are digested in the large intestine (LI). Living microorganisms are present at the LI, which ensure the digestion

of fiber present in grasses and hay and, therefore, provide a source of energy, protein, among others present in these foods to the animal. The proper activity of these microor-

When it comes to equine nutrition, some factors must be considered. The type of work performed, the purpose of the work, the period of time that this animal works and the period in which it does not feed properly.

S

tion to acting as a biological barrier, preventing the action of pathogenic microorganisms that are also present in the digestive tract of horses.

Some factors may alter the balance of the intestinal flo-

ra, such as an unbalanced diet, stress caused by sudden

changes in feeding, prolonged travel, intensive training, ome forms of food are very important to horses, but

When we provide a diet rich in carbohydrates (e.g. corn,

changes in the environment and non-potable water supply,

The main energy sources in foods are: carbohydrates,

ceeded, which causes gas formation, cramps, diarrhea and

cecal microbiota may lead the animal to death, but mostly

in the intestines.

mance (i.e. decrease in athletic performance). Probiotics

use branched-chain amino acids with high biological

intestinal flora, improving health.

we don’t always know when and how to use them.

protein, fat and fibers. Examples:

• Carbohydrates: corn, wheat, oats, sorghum

• Fats: oils in general and oil seeds

ganisms allows maximizing the digestion of food, in addi-

• Proteins: soy, cotton, citrus spares

36 Casa Branca Press

wheat), the small intestine’s digestion rate may be ex-

among others. In some severe cases, the imbalances in the

even laminitis. This is all caused by excess carbohydrates

attack the horses lighter, leading to decrease in perfor-

A way to increase energy levels in an equine diet is to

improve the digestion of food because they keep balance of

nutrition of athletic horses, but this subject is too extensive Minerals are important for various organic reactions respon-

sible for the balance of the organism as a whole. This is also

an issue which should be treated separately. The Ca: P ratio

should be 3:1, according to the NRC 2008. The Zn: Cu ratio should be approximately 3:1. These levels are considered necessary to prevent the development of orthopedic disease in

foals, besides preventing musculoskeletal system changes in athletic animals.

Currently, the concept of chelated minerals is gaining space in what is described as modern nutrition, where the

mineral molecule is bonded to two molecules of amino

acids with the goal of increasing resistance to digestive processes, in addition to increasing the absorption of minerals.

The feeding routine should be carefully established, namely, the provision of meals should be constantly carried out on the same schedule. Furthermore, ideally the equines shouldn’t

spend long periods fasting, to avoid the occurrence of gastritis or ulcers. It is often difficult to be accomplished, because

of the athletic animals’ routine that ends up being determined

by the needs of competitions, in addition to constant travel that they are submitted.

Supplements should be used in the right way and under the

supervision of a professional in order to improve nutritional

conditions and results in contests and/or training. A good supplementation, performed with specific products and of

good origin, can drastically change the results obtained in trainings and contests.

The supplements, especially synthetic ones, have a

good acceptance by horses and, when used properly,

increase the benefits and help reduce the costs of a property, because they improve the overall health of

the animals, saving time and medicine cost of animals in a stress situation for lack of prevention or nutritional wear out.

Given the reality of the various equestrian sports, the best way to avoid problems is to establish a nutritional program

developed by a professional in the field, adapted to the particularities of each animal.

Casa Branca Press 37

technical

What we should know about

value, such as whey protein; or add oils to the diet.


E

sta questão é insistentemente coloca-

bom cavalo de Salto, Polo e Corridas mas, sem dúvida sua

Rússia, França etc, o preservaram puro para manter indefinida-

tidades dedicadas as mais variadas modalidades hípicas como

e elegância dos Cavalos Árabes em

tência, modalidade a qual é imbatível. O Cavalo Árabe é a

ícone da beleza equina só veio a surgir com destaque no século

Rural, atuante principalmente no interior de São Paulo que

da quando se vê a beleza, harmonia provas de conformação. Não há um

novo espectador que não se encante

com a graciosidade daquele cavalo e se pergunte: - ... mas serve para trabalhar? Isto aborreceu por

anos os arabistas nas décadas de 60 a 90 quando a raça ainda era pouco conhecida no país, mas

após muitos esforços e investimentos, o Cavalo Árabe é atualmente conhecido no Brasil como um

excelente cavalo de montaria, resistente, dócil e inteligente.

Comprovadamente o Cavalo Árabe é um bom

competidor em provas de Apartação, Rédeas, Laço, Team Penning, Ranch Sorting, Tambores, Balizas enfim, todas essas provas destinadas aquilo que

se chama de Cavalo de Trabalho e mais, ele é um

38 Casa Branca Press

é bom de Trabalho?

grande aptidão, além dessa versatilidade toda, é a resisraça mais usada nas provas de Enduro no mundo inteiro, a

segunda e terceira são os Anglo-Árabes e os Cruza-Árabes. As razões de todas essas habilidades da raça é explicada

na história de sua própria seleção genética. Os beduínos no deserto, há milhares de anos, enfatizavam cruzamentos entre cavalos com capacidade de cavalgar dias pelo deserto

inclemente, dóceis para conviver em suas tendas e corajo-

sos e versáteis para enfrentar as batalhas comum entre as tribos. Daí surgiu uma grande arma que após a invasão da Europa pelos mouros no século VII, passou a ser conheci-

do e adotado por todas as cavalarias de exército no Velho

Continente, principalmente como formador de tropas para a guerra e trabalho no cruzamento com rebanhos locais. Assim nasceram todas as raças modernas que conhecemos

hoje, sabiamente no entanto, muitos países como a Polônia,

mente qualidades para melhorar seus planteis. O Cavalo Árabe, XIX quando o governante do Egito, Abbas Pasha (1812-1854),

em continuidade à criação de seu avô Muhammad Ali enviou

emissários por todo o Oriente Médio para comprar os mais belos cavalos que descobrissem e trouxessem a qualquer preço

para sua coleção, que chegou a reunir mais de 600 éguas em produção. Após sua morte vários leilões foram promovidos por

seus filhos e os animais adquiridos como verdadeiras obras de arte por grandes criadores de todas as partes do mundo, que deram prosseguimento a essa forma de ver o Cavalo Árabe.

Se até a década de 90 os arabistas reunidos em sua entidade de classe, a ABCCA – Associação Brasileira dos Criadores do Cavalo Árabe –, investiam para mostrar que a raça era representada por cavalos de alto nível de montaria, hoje a questão é continuar investindo nesses animais para abrir novos mercados

consumidores. Assim, a Associação mantém parcerias com en-

a ABHIR – Associação Brasileira dos Cavaleiros de Hipismo

realiza provas de Hipismo Rural, Salto e CCE; a Associação de Laço do Mato Grosso do Sul, que realiza provas de Laço Comprido naquele Estado; a ANCAF - Associação Nacional do

Cavalo Árabe Funcional -, que se dedica a realização de provas de 3 Tambores exclusivamente para cavalos de sangue Árabe; a Brazilian Arabian Horse Racing, entidade que promove

corridas no Jockey Club de São Paulo também exclusivas da raça; a Liga Leste Paulista que realiza provas de Team Pening e

Ranch Sorting, e o Instituto Enduro Brasil que organiza provas de Enduro por todo o território Nacional.

O apoio e patrocínio da ABCCA a essas provas têm levado a

um consistente aumento na procura de esportistas pelo Cavalo

Puro-Sangue Árabe, Anglo e Cruza e, por consequência, agropecuaristas que querem principalmente melhorar suas tropas de serviço.

Casa Branca Press 39

cavalo árabe

cavalo árabe

O Cavalo Árabe


arabian horse

arabian horse

T

Are Arabian horses good for work?

his questions is insistently asked when considering the beauty, harmony, and elegance of Arabian horses in conformation competitions. There isn’t a single new viewer who is not enthralled by that horse’s grace and asks themselves: - ... But are they good for work? This upset Arabists from the 60’s to the 90’s, when the race was still little known in the country, but after much effort and investment, the Arabian horse is currently known in Brazil as an excellent riding horse, resistant, docile, and intelligent. Arabian horses are good competitors in parting, reins, lacing, team penning, ranch sorting, drums, and beacons competitions, all destined for what is called a work horse, and more, they are good horses for jumping, polo, and racing; however, there is no doubt that their great aptitude, besides all that versatility, is their resilience, which is unbeatable. The Arabian horse is the breed that is most used in enduro competitions worldwide, followed by Anglo-Arabian and the Cross-Arabian horses. The reasons for all of the breed’s abilities is explained by the history of their own genetic selection. Thousands of years ago, Bedouins emphasized breeding between horses that were able to ride for days through the unforgiving desert, docile to live among their tents, as well as brave and versatile to face the battles that were common between tribes. They became a great weapon that, after the invasion of Europe by the Moors in the 7th century, became known and adopted by all of the army cavalries in the old continent, primarily as a trainer of troops for war, and work on breeding with local herds. Thus were born all modern breeds we know today; however, many countries such as Poland, Russia, France etc., have wisely preserved the pure breed, in order to indefinitely maintain its qualities and improve their herds. The Arabian horse, an equine beauty icon, only came to appear prominently in the 19th century, when the ruler of Egypt, Abbas Pasha (18121854), continuing the work of his grandfather, Muhammad Ali, sent emissaries all over the Middle East to buy the most

40 Casa Branca Press

beautiful horses they discovered and bring them at any price to his collection, which came to gather more than 600 mares in production. After his death, several auctions were made by his children, and the animals were purchased as true works of art by great breeders from all over the world, who have carried on this way of seeing Arabian horses. Up until the 90’s, Arabists gathered in their professional association, the Brazilian Association of Arabian Horse Breeders (ABCCA – Associação Brasileira dos Criadores do Cavalo Árabe), invested to show that the race was represented by high-level riding horses; today, the issue is to continue investing in these animals to open new consumer markets. Thus, the Association maintains partnerships with organizations dedicated to several equestrian activities, such as the Brazilian Association of Rural Horseriding Riders (ABHIR – Associação Brasileira dos Cavaleiros de Hipismo Rural), which mainly operates in upstate São Paulo and organizes Rural Horseriding, Jumping, and CCE competitions; the Lacing Association of Mato Grosso do Sul (Associação de Laço do Mato Grosso do Sul), which organizes long lacing competitions in that state; the National Association of Functional Arabian Horses (ANCAF – Associação Nacional do Cavalo Árabe Funcional), which is dedicated to organizing three-drum competitions exclusively for Arabian horses; Brazilian Arabian Horse Racing, an organization that promotes races exclusively for Arabian horses at the São Paulo Jockey Club; the Eastern São Paulo League (Liga Leste Paulista), which organizes team penning and ranch sorting competitions; and the Enduro Brazil Institute (Instituto Enduro Brasil) which organizes enduro competitions throughout the country. The support and sponsorship of the ABCCA to such competitions have led to a consistent increase in the demand of athletes for thoroughbred Arabian, Anglo-Arabian, and Cross-Arabian horses, and, consequently, ranchers who mainly want to improve their work herds.

Primeira Whey Protein para cavalos Vantagens e benefícios: Auxilia no Desmame e crescimento de potros Ganho de massa magra e performance Uso hospitalar e clínico (pós cólica)

Casa Branca Press 41


Notícias da Casa Branca

Interesse de pecuaristas da Colômbia

U

m grupo de pecuaristas colombianos visitou as propriedades da Casa Branca Agropastoril, no sul de Minas Gerais. O objetivo da comitiva foi ampliar o seu conhecimento sobre a produção do gado Angus adaptado às condições tropicais, além do trabalho realizado pela empresa com as raças Simental e Brahman. Além de produtores, o grupo incluiu representantes de empresas de saúde animal e nutrição, estudantes e zootecnistas. De acordo com Bruno Assunção, diretor da AgroTrip Brazil, empresa organizadora da viagem, os colombianos têm bastante interesse em programas de carne de qualidade e muitos pecuaristas estão direcionando seus projetos para este nicho de mercado. “Este intercâmbio de informações é muito importante para ambas as partes. Pela segunda vez em alguns meses, produtores colombianos visitam nossas instalações para troca de conhecimento. Isso é muito rico para a pecuária latino-americana e para a produção de proteína animal de um modo geral”, avalia Paulo de Castro Marques, proprietário da Casa Branca.

42 Casa Branca Press

Interest from Colombian cattle farmers

A

group of Colombian cattle farmers visited the properties of Casa Branca Agropastoril, in southern Minas Gerais. The goal of the entourage was to increase their knowledge of Angus cattle production adapted to tropical conditions, in addition to the work done by the company with the Simmental and Brahman breeds. Besides the producers, the group included representatives of companies of animal health and nutrition, students and zoo-technicians. According to Bruno Assunção, Director of AgroTrip Brazil, a travel organizing company, the Colombians have great interest in programs of quality meat and many cattle farmers are targeting their projects for this niche market. “This data exchange is very important to both parties. For the second time in a few months, Colombian producers visit our facilities to exchange knowledge. That’s too rich for the Latin American livestock and for the production of animal protein in general,” said Paulo de Castro Marques, owner of Casa Branca.

O

Casa Branca e parceiros promovem leilão Avaré Angus Show

leilão Avaré Angus Show apresentou animais Angus da Casa Branca, VPJ Pecuária, Agropecuária 3E, Agropecuária Fumaça e Agropecuária ECO Angus. A oferta incluiu 94 fêmeas e machos rústicos, vendidos por médias de R$ 6 mil (fêmeas) e R$ 12,5 mil (machos). O remate de matrizes e touros espe-

T

ciais foi chancelado pela Associação Brasileira de Angus e consistiu em uma seleção de vacas prenhes ou com bezerro ao pé e touros com idade média de 22 meses. Os machos são rústicos, ideais para a produção a campo; as fêmeas são mães ou iniciando a vida reprodutiva. “Foi um remate bom, com liquidez total

dos lotes. Sinal de que conseguimos entender o que o mercado demanda e trazer uma seleção compatível com a procura. Foi um pregão de animais de produção, prontos para trabalhar em diversas regiões do País e agregar produtividade aos planteis”, pontua Paulo de Castro Marques, proprietário da Casa Branca Agropastoril.

Casa Branca and partners promote the auction Avaré Angus Show

he auction Avaré Angus Show featured animals Angus from Casa Branca, VPJ Livestock, A gropecuária 3E, A gropecuária Fumaça and ECO Angus. The offer included 94 females and rustic males, sold for an average of R$ 6 thousand (females) and R$ 12.5 mil (males).

The upshot of matrices and special bulls was sanctioned by the Brazilian Angus Association and consisted of a selection of pregnant cows or accompanied of a calf and bulls with an average age of 22 months. The males are rustics, ideal for the production field; the females are mothers or initiating a reproductive life.

“It was a good effort, with total liquidity of the lots. Sign that we understood the market demand and bring a selection consistent with it. It was an auction of farm animals, ready to work in various regions of the country and add productivity to the herds”, stated Paulo de Castro Marques, owner of Casa Branca Agropastoril.

Casa Branca Press 43


Notícias da Casa Branca

PWM Love Potion AS e PWM Netuno venceram em Expoingá 2014

A

Casa Branca ficou com os títulos dos Grandes Campeonatos Simental (machos e fêmeas) na Expoingá 2014. PWM Love Potion AS e PWM Netuno foram consagrados os Grandes Campeões da feira, que abriu espaço aos criadores para mostrarem o que há

de melhor em padrão racial, beleza e qualidade genética da raça Simental. “Ficamos muito felizes com a conquista dos grandes campeonatos na Expoingá. PWM Love Potion AS e PWM Netuno são, sem dúvida, belos animais com características produtivas e reprodutivas que representam

o melhor do Simental sul-africano. Conquistamos ainda títulos em outras categorias de destaque, que nos premiou pelo empenho e eficácia na busca e produção da melhor genética para o Simental”, afirma Paulo de Castro Marques, proprietário da Casa Branca.

PWM Love Potion AS and PWM Netuno won the 2014 Expoingá

T

he Casa Branca was with the titles of Major Championships Simmental (male and female) at the 2014 Expoingá. PWM Love Potion AS and PWM Netuno were granted the status of the Great Champions of the fair, which made possible for the creators to show the best

A

in racial pattern, beauty and genetic quality of an animal with dual ability, meat and milk. “We were very happy with the conquest of the major championships at Expoingá. PWM Love Potion AS and PWM Netuno are undoubtedly beautiful animals with productive and reproductive featu-

os cinco anos e meio de idade, a matriz PWM Linda AS, da raça Simental – linhagem sul-africana, está no auge de sua forma produtiva e reprodutiva. Sua indiscutível qualidade genética e beleza racial acabam de ser reconhecidas também pela Associação dos Criadores de Simental da África do Sul, que estampou a foto de Linda na capa do catálogo da 50ª Exposição Nacional da Raça Simental daquele país. Filha de PWM Erbaino AS e de PWM Forbidden Fruit AS, Linda descende da vitoriosa genética sul-africana, que valoriza a funcionalidade e a adaptabilidade às condições climáticas mais exigentes. Sua qualidade zootécnica também já lhe deu uma série de prêmios nas mais concorridas exposições da raça Simental no Brasil, como o título de Grande Campeã Nacional 2012.

44 Casa Branca Press

Genética e beleza racial juntas

Genetics and racial beauty together

res that represent the best of the South African Simmental. We conquered titles still in other prominent categories, that awarded us for effort and effectiveness in the search and production of the best genetics for the Simmental,” said Paulo de Castro Marques, owner of Casa Branca.

A

t the age of five and a half years, the matrix PWM Linda AS, of the Simmental breed – South African lineage, is at its the peak of productive and reproductive shape. Its indisputable genetic quality and racial beauty have just been recognized also by the Breeders Association of South African Simmental, that graced the picture of Linda on the cover of the catalog of the 50th National Exposition of the Simmental breed in that country. Daughter of the PWM Erbaino AS and of PWM Forbidden Fruit AS, Linda descended from the victorious South African genetics, which values functionality and adaptability to the most demanding climatic conditions. Its zoo-technical quality has also given a series of prizes in the most important exhibitions of the Simmental breed in Brazil, as the title of 2012 National Grand Champion.

Casa Branca levou Angus pela primeira vez à ExpoGrande

A

raça Angus debutou na ExpoGrande, a maior exposição da cadeia da carne bovina do Centro-Oeste. Um grupo de 18 touros Angus criados nas condições tropicais do sudeste (São Paulo e Minas Gerais) ficou à mostra no evento, sendo comercializados para criadores da região após o evento. O objetivo da Casa Branca, HR e 3E Agropecuária foi apresentar a raça aos pecuaristas sul-mato-grossenses, ressaltando suas características econômicas e reforçando o conceito do cruzamento industrial, uma prática moderna que impulsiona a produtividade e a excelente qualidade de carne. “No mundo todo, a raça Angus é reco-

T

nhecida por seus atributos em termos de qualidade de carne. O Brasil tem a dádiva de contar com o zebu e poder fazer o cruzamento industrial com Angus. Os resultados em termos de heterose são espetaculares. A parceria Zebu/Angus está dando certo em todo o país e o mercado sul-mato-grossense tem grande potencial a ser explorado. Trata-se de um negócio excelente para os pecuaristas e para o Brasil, já que a produção cresce e o nível de qualidade da nossa carne também”, complementa Paulo de Castro Marques, proprietário da Casa Branca Agropastoril. “O Angus é a raça taurina que mais cresce no Brasil. O Mato Grosso do Sul é um dos estados mais importantes

para a pecuária, tendo como base o gado Zebu. O cruzamento industrial representa a soma das melhores características do zebu e dos taurinos. Como criadores de Angus – e também de zebu – estamos levando a raça para a ExpoGrande, com a proposta de mostrar aos pecuaristas do estado que fomentar o cruzamento é uma opção de genética inteligente, pois gera bezerros de rápido ganho de peso, excelente conformação de carcaça e precocidade de acabamento. Estes atributos geram ótimo resultado financeiro e uma demanda recorrente do mercado”, explica Luiz Henrique Campana Rodrigues, proprietário da HR Agropecuária, parceiro da iniciativa.

Casa Branca took Angus for the first time to ExpoGrande

he Angus breed debuted on ExpoGrande, the largest exhibition of the beef chain in the Midwest. A group of 18 Angus bulls bred on the tropical conditions of the Southeast (São Paulo and Minas Gerais) was on display at the event, being marketed to farmers in the region after the event. The goal of Casa Branca, HR and 3E Agropecuária was to introduce the breed to farmers from Mato Grosso, emphasizing its economic characteristics and strengthening the concept of industrial crossbreeding, a modern practice that boosts the productivity and the excellent quality of the meat. “Worldwide, the Angus breed is known

for its attributes in terms of meat quality. Brazil has the gift of having the zebu and being able to make the industrial crossbreeding with Angus. The results in terms of heterose are spectacular. The partnership Zebu/Angus is giving results across the country and the market of Mato Grosso do Sul has a great potential to be explored. This is an excellent deal for the cattle farmers and for Brazil, since the production grows and the quality level of our flesh too”, adds Paulo de Castro Marques, owner of Casa Branca Agropastoril. “The Angus breed is the fastest-growing taurine breed in Brazil. The Mato Grosso do Sul is one of the most important Sta-

tes for the livestock, based on the Zebu cattle. The industrial crossbreeding represents the sum of the best features of the zebu and the taurines. As creators of Angus - and also of zebu - we are taking the breed to the ExpoGrande, with the proposal of showing the cattle farmers in the State that promoting the crossbreeding is an intelligent genetic option, because it gives us calves of rapid weight gain, excellent carcass conformation and finishing precocity. These attributes generate great financial results and a recurrent demand of the market,” said Luiz Henrique Campana Rodrigues, owner of HR Agropecuária, partner in the initiative. Casa Branca Press 45


Notícias da Casa Branca

A

PWM Potion AS é a Grande Campeã Simental 2014

matriz PWM POTION AS foi a Grande Campeã da 23ª Exposição Nacional da Raça Simental, realizada em Avaré (SP), em setembro. A fêmea foi apresentada pela Casa Branca Agropastoril e a Safron Agropecuária e vendida para o Simental Alambary, de David Fernandez, no Leilão Simental Premium Parade. “PWM POTION AS é um excelente

T

Personalidade do Agronegócio

exemplar da seleção Simental linhagem sul-africana da Casa Branca Agropastoril. Na Simental Alambary, ela disseminará ainda mais sua genética para outros planteis, contribuindo para fortalecer a raça”, ressalta Paulo de Castro Marques, proprietário da Casa Branca. A Casa Branca fez mais vencedores na Nacional do Simental. A fêmea PWM

ON DANCE AS, parceria com Gilberto Innocêncio, foi a Reservada de Grande Campeã, além de Campeã vaca precoce e Melhor Úbere Jovem. A matriz PWM NANDARA AB foi a Campeã Vaca Adulta e Melhor Úbere Adulto. PWM PARIS AB foi a Reservada Campeã Novilha Menor. Entre os machos, brilhou PWM OSTER AS, o Reservado Grande Campeão Simental.

PWM Potion AS is the 2014 Grand Simmental Champion

he PWM POTION AS matrix was the 23rd Grand Champion of the Simmental Breed National Show held in Avaré (SP), in September. The female was presented by Casa Branca Agropastoril and Safron Agropecuária and sold to the Simmental Alambary, of David Fernandez, at the Auction Simmental Premium Parade. “PWM POTION AS is an excellent specimen

of the Simmental South African lineage selection of Casa Branca Agropastoril. At the Simmental Alambary, it will spread even more its genetics to other herds, contributing to strengthen the breed “, affirmed Paulo de Castro Marques, owner of Casa Branca. The Casa Branca has made more winners on the Simmental National. The female PWM ON DANCE AS, a partnership

with Gilberto Innocêncio, was the Reserved Grand Champion in addition to Champion of precocious young cow and Best Udder. The matrix PWM NANDARA AB was the Adult Cow Champion and Best Adult Udder. PWM PARIS AB was the Reserved Minor Heifer Champion. Among males, the PWM OSTER AS stood out as the Reserved Simmental Grand Champion.

Simental Premium Parade atraiu novos criadores

O

Leilão Simental Premium Parade apresentou bom resultado com a venda de 19 novilhas Simental PO entre 12 e 24 meses e fêmeas jovens Simental PO entre 36 meses e 48 meses. O remate foi promovido pela Casa Branca, Agropecuária Anguita e Simental Alambary, durante a 23ª Exposição Nacional da raça, em Avaré (SP). “Neste leilão os criadores tiveram uma oportunidade especial de adquirir fêmeas jovens e de alta seleção e aptas para gerar bezerros precoces e de qualidade superior”, enfatizou Paulo de Castro Marques. 46 Casa Branca Press

Paulo de Castro Marques, proprietário da Casa Branca Agropastoril e presidente da Associação Brasileira de Angus, é, pela segunda vez consecutiva, uma das 100 Personalidades Mais Influentes do Agronegócio, de acordo com AF_an_inst_15x20cm.pdf 1 9/4/14pes11:13 quisa da revista Dinheiro Rural, da Editora Três.

Personality of the Agribusiness Paulo de Castro Marques, owner of Casa Branca Agropastoril and President of the Brazilian Angus Association, is – for the second time in a row - one of the 100 Most Influential Personalities of the Agribusiness, according to the AM Dinheiro Rural Magazine survey, of Editora Três.

Simmental Premium Parade: good results

T

he auction Simmental Premium Parade had good results by selling 19 Simmental PO heifers between 12 and 24 months and young S i m m e n t a l P O fe m a les between 36 and 48 months. The auction was promoted by Casa Branca, Agropecuária, Anguita and Simment a l A l a m b a r y, d u r i n g the 23rd National Show of the breed, in Avaré (SP). “In this auction the breeders had a special opportunity to acquire young females of a high selection and able to g e n e r a te p r e c o c i o u s calves of superior quality”, stated Paulo de Castro Marques. Casa Branca Press 47


Conheça o trabalho

do GRAAC

O GRAACC nasceu há duas décadas e meia graças à iniciativa do médico Sérgio Petrilli, chefe do setor de Oncologia do Departamento de Pediatria da Escola Paulista de Medicina, o engenheiro voluntário Jacinto Antonio Guidolin e Léa Della Casa Mingione, voluntária do Hospital do Câncer.

Instituição criada em 1991 é referência em ajuda e tratamento a crianças e adolescentes com câncer.

Fundamentado na parceria universidade/empresa/comunidade, o GRAACC despertou em empresas e instituições de visão social a confiança e o interesse em participar da construção do Instituto de Oncologia Pediátrica - IOP/ GRAACC/UNIFESP, o hospital do GRAACC. Em maio de 1998, esse sonho se tornou realidade. Como Ajudar – A existência do GRAACC só é possível pela entrega de pessoas em prol do atendimento de crianças e adolescentes com câncer. Essa ajuda pode ser dada por doações financeiras, de pessoas físicas e jurídicas, na seguinte conta bancária: Banco Bradesco - Agência 05487 Contas correntes 87087-0 e 71.000-8 CNPJ 67.185.694/0001-50

Sede do Hospital do GRAACC Rua Botucatu, 743 Vila Clementino - SP CEP 04023-062 Telefone: (11) 5080-8400

A doação de sangue e de medula óssea são igualmente importantes para os trabalhos do hospital. Pessoas com idade entre 18 e 65 anos e com peso acima de 50 kg estão aptas a ajudar. Se você estiver em São Paulo e quiser colaborar, deve se dirigir a algum posto da Colsan - Associação Beneficente de Coleta de Sangue. Cada doador consegue ajudar no tratamento de três a quatro crianças atendidas pela instituição. Também é possível a doação de medula óssea. As chances de encontrar uma medula óssea compatível para um paciente são raras - podem chegar a uma em cem mil! Por isso, ao se tornar um doador, você está ajudando a diminuir essa distância. Qualquer pessoa com idade entre 18 e 55 anos e boa saúde pode doar medula óssea. Ela é retirada do interior dos ossos da bacia, através de punções, e se recompõe em apenas 15 dias. O processo de doação é muito simples. Se quiser doar o seu tempo e atenção às crianças também é possível. A equipe de voluntários do GRAACC é formada por pessoas que oferecem amor, carinho, talento e parte de seu tempo, geralmente uma vez por semana durante 4 horas, em diversos setores do GRAACC. Os voluntários participam de atividades em 15 setores, divididos em cinco áreas: Hospitalar, Desenvolvimento Institucional, Apoio ao Paciente, Serviços e Administração, contribuindo para a humanização do atendimento ao paciente com câncer infanto-juvenil. O voluntário ajuda na assistência ao paciente e sua família e participa da sustentabilidade da instituição, organizando eventos e campanhas que objetivam a geração de recursos para a manutenção das atividades do GRAACC. Para saber mais sobre o Voluntariado do GRAACC, é possível agendar uma visita monitorada pelo telefone (11) 5080-8415 para conhecer mais detalhes da instituição.

Sede do Desenvolvimento Institucional do GRAACC Rua Sena Madureira, 415 Vila Mariana - SP - CEP 04021-051 - Telefone: (11) 5908-9100

Agende uma Visita Monitorada pelo telefone: (11) 5080-8415

48 Casa Branca Press

Casa Branca Press 49

responsabilidade social

responsabilidade social

O

câncer mata. E quando a vítima é uma criança, a dor é ainda mais intensa. É por isso que a Casa Branca Agropastoril louva o trabalho de instituições como o GRAAC – Grupo de Apoio ao Adolescente e à Criança com Câncer, que, sem fins lucrativos, trabalha para garantir a crianças e adolescentes com câncer o direito de alcançar todas as chances de cura com qualidade de vida. Para isso, a instituição tem o seu hospital próprio, que realiza cerca de 3.000 atendimentos anualmente, entre sessões de quimioterapia, consultas, procedimentos ambulatoriais, cirurgias, transplantes de medula óssea e outros. Além de diagnosticar e tratar o câncer infantil, o GRAACC vai além e atua no desenvolvimento do ensino e pesquisa.


social responsibility

Learn about the

GRAAC work

C

Institution established in 1991 is a reference in aid and treatment for children and adolescents with cancer.

ancer kills. And when the victim is a child, the pain is even more intense. That’s why Casa Branca Agropastoril commends the work of institutions such as the GRAAC - Support Group for Adolescents and Children with Cancer, nonprofit aid that works to ensure children and adolescents with cancer the right to achieve every chance of cure with quality of life. Thereunto, the institution has its own hospital, which performs about 3,000 medical services annually, between chemotherapy sessions, consultations, outpatient procedures, surgery, bone marrow transplants and other. In addition to diagnosing and treating childhood cancer, the GRAACC goes beyond and acts on the development of teaching and research. The GRAACC was born in two and a half decades thanks to the initiative of doctor Sergio Petrilli, Chief of Oncology at the Department of Pediatrics of the Escola Paulista de Medicina, the engineer volunteer Jacinto Antonio Guidolin and Lea Della Casa Mingione, a volunteer at the Cancer Hospital. Based on the University/company/community partnership, the GRAACC ignited in companies and social vision institutions the confidence and interest in participating in the construction of the Institute of Pediatric Oncology -IOP/ GRAACC/UNIFESP, the hospital of GRAACC. In May 1998, this dream became reality. How to help – the existence of GRAACC is only possible by the commitment of people towards the treatment of children and adolescents with cancer. This aid may be given as financial donations from individuals and corporations at the following bank account: Banco Bradesco - Agency 05487 Current accounts 87087-0 and 71000-8 CNPJ 67.185.694/0001-50

GRAACC Hospital Headquarters Rua Botucatu, 743 Vila Clementino - SP ZIP CODE 04023-062 Phone: +55 11 5080-8400

Blood and bone marrow donations are equally important to the work of the hospital. People aged between 18 and 65 years old and weighing above 50 kg are able to help. If you are in São Paulo and want to collaborate, you must go to a post of Colsan - Blood Collection Beneficent Association. Each donor can help in treating three to four children assisted by the institution. It is also possible the donation of bone marrow. The odds of finding a bone marrow match for a patient are rare - might get to the odds of one in a hundred thousand! Therefore, by becoming a donor, you are helping to reduce this odd. Any person aged between 18 and 55 years and in good health may donate bone marrow. It is removed from the inside of the bones of the pelvis, through punctures, and reassembles itself in just 15 days. The donation process is very simple. If you want to donate your time and attention to children is also possible. The volunteer team of GRAACC is consists of people who provide love, care, talent and part of his time, usually once a week for 4 hours, in various sectors of GRAACC. Volunteers participate in activities in 15 sectors, divided into five areas: The hospital, institution development, Support to the patient, and Services and Administration, contributing to the humanization of patient care with children’s cancer. The volunteer help in assisting the patient and his family and participates in the sustainability of the institution, organizing events and campaigns that aim at generating resources for the maintenance of activities of GRAACC. To learn more about the volunteer work at GRAACC, you can schedule a monitored visit by phone (11) 5080-8415 to learn more details of the institution.

Headquarters of the Institutional Development of GRAACC Rua Sena Madureira, 415 Vila Mariana-SP - ZIP CODE 04021-051 Phone: +55 11 5908-9100

Schedule a monitored visit by phone: +55 11 5080-8415 50 Casa Branca Press

Caninu’s

Protein

ÚNICO NO MERCADO COM WHEY PROTEIN Benefícios Elevada absorção e biodisponibilidade

Situações de estresse metabólico

Estimula síntese de proteínas

Reposição proteica emergencial

Indicações Alimentação enteral Gestação e lactação Fase de crescimento Treinamento (atleta) Dificuldade na engorda Manutenção nutricional


Profile for Casa Branca Agropastoril

Casa Branca PRESS 13  

Abril de 2014 / ano 9 - número 13

Casa Branca PRESS 13  

Abril de 2014 / ano 9 - número 13

Advertisement