{' '} {' '}
Limited time offer
SAVE % on your upgrade.

Page 1


.


Domingos M. Cardoso


Edited, composed and produced with love by Paula Carvalho Sofia Pinheiro Tatiana Tchemisova January, 2018


This hand-made book is dedicated to our colleague, Professor Domingos M. Cardoso, whose 65th birthday we are celebrating in the Mathematics Department of the University of Aveiro during the Workshop on Graph Spectra, Combinatorics and Optimization, in January 25-27, 2018. This book contains a collection of testimonies concerning with some professional characteristics and human aspects of Professor Domingos M. Cardoso under the eyes and perception of his colleagues, national and international co-authors, friends and students. It is co-authored by more than 40 persons, one third of them are foreigners. Following our invitation, these authors wrote their personal messages to Domingos, recalling some important moments together, expressing their feelings caused by his strong and extraordinary personality, or just sending him some friendly words and dedications on the occasion of his birthday. The short/long notes are sometimes accompanied by photos that remind some special moments lived together with Domingos. The book is covered by a vintage piece of 100% linen taken from SoďŹ a s great-grandmother inheritance which, in our opinion, corresponds to the importance of memories and testimonies contained in the book. We would like to express our gratitude to all co-authors of the book as well as all the participants of the Workshop dedicated to our colleague, teacher, and great friend Domingos M. Cardoso. Paula Carvalho, SoďŹ a Pinheiro and Tatiana Tchemisova


Professor Domingos, Tivemos a oportunidade de o conhecer logo nos nossos primeiros dias de Universidade. Aproveitamos o momento para admitir que aquilo que o Professor dizia que era “trivial”, para nós não era: pelo simples facto de ainda não conhecermos o significado da palavra “trivial”. O seu enorme livro de capa azul foi um amigo de cabeceira em muitas alturas neste percurso de estudante! Nesta data especial, temos a agradecer-lhe por todos os conhecimentos que nos transmitiu e pela simpatia que o caracteriza. Muitos parabéns!

Bernardo Duarte Cláudio Henriques Fábio Henriques Daniela Marques Inês Serôdio Costa

João Mendonça Liliana Gonçalves Margarida Ferreira Rita Pinto


Não é fácil escrever uma mensagem de parabéns que transmita o que me vai no pensamento. Optei por fazer um acróstico que é sempre uma boa maneira de fundir a riqueza do signi cado das palavras com o rigor da matemática. Desejo-lhe muitas felicidades e faço votos para que continue a marcar a sua presença nas nossas vidas. Beijos da Andreia


Quando o Carlos Luz teve a amabilidade de me solicitar um texto sobre o Domingos, a minha resposta foi obviamente sim, ainda antes de saber bem a pergunta. Livrassem-se de me deixar de fora de um livro de homenagem ao Domingos. Achei que a tarefa ia ser fácil, mas não estou seguro de ter encontrado o tom certo, entre o depoimento essencialmente pessoal pontuado com algumas notas sobre os principais marcos que testemunhei do seu trabalho. Conheço e tenho um genuíno prazer em ser amigo do Domingos desde o século passado, isto é, parece que há um século. Para ser verdadeiro já não me lembro quando nos conhecemos, mas foi algures em fins dos anos oitenta, quando se constituiu o então polo de Coimbra do INESC e iniciámos os nossos trabalhos de preparação do doutoramento sob a orientação do João Clímaco. Este grupo fundador do INESC em Coimbra (entre os quais se contava também o José Craveirinha, regressado de Inglaterra já doutorado, o João Coutinho, o Lino Tralhão , o João Sá Marta, a Teresa Gomes, o Domingos e eu, todos assistentes na fase inicial de preparação do doutoramento, e o João Paulo Costa, o Luís Alçada, a Maria João Alves, e o Paulo Melo, na fase final das licenciaturas pré-Bolonha, os quais foram depois contratados como assistentes estagiários na Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra) ocupava uma cave e sub-cave num edifício na Rua Antero de Quental, em Coimbra, não longe da Praça da República e da Universidade, numa época em que o polo 2 ainda não existia. O Domingos era o mais velho e o mais velho e o matemático do grupo, características que, com a sua bonomia, lhe conferiam uma autoridade especial (e que permanecem até hoje, incluindo

ser o mais velho).


Foi uma época em que o avanço dos percursos individuais contribuiu para consolidar um grupo (seria talvez um pouco presunção falar de uma escola, no sentido mais imaterial, de multicritério de Coimbra), quando se começou a desenhar um sistema científico e tecnológico nacional com o Programa Ciência. Era um grupo com interesses científicos diversificados dentro da área da optimização / investigação operacional, em particular no domínio da programação multiobjectivo / análise multicritério, dotado de um enorme espírito de comunidade e de partilha. As raízes fortificaram e passados quase trinta anos continuamos quase todos na mesma unidade de investigação, o INESC Coimbra, e os laços de cooperação e companheirismo permaneceram. O Domingos ficava então três dias por semana na Pensão Alentejana, depois de umas noitadas de trabalho no INESC. Nessa época íamos quase quotidianamente almoçar a um restaurante na rua de Montarroio, que conhecíamos por Silva, o apelido do dono, que dispunha apenas de meia dúzia de mesas atravancadas num espeço exíguo e não raras vezes tinha fila à porta, o que era apenas mais um motivo para o prolongamento da conversa (um pouco desagradável quando chovia, mas enfim). Uma das maiores indignações que vi ao Domingos, em geral um fleumático matemático, foi quando o Sr. Silva vendeu o restaurante a um ex-emigrante no Brasil, que era acompanhado da sua filha Sãozinha (ambos muito simpáticos, mas acho que nunca soubemos o nome do senhor e se este era mesmo o verdadeiro nome da moça), e os novos proprietários resolver am inovar colocando “um pouquinho de batata” (imaginar uma pronúncia brasileira) na feijoada. O Domingos ficou mais indignado por este ultraje à tradicional feijoada do que ao ver uma demonstração errada de um teorema. Os lanches (de trabalho, como hoje se diria) eram no centro comercial Avenida, na altura o top dos centros comerciais de Coimbra, com cinemas e tudo. Em Dezembro de 1989 fomos apresentar parte do nosso trabalho à conferência da APDIO realizada na Gulbenkian, em Lisboa, a primeira em que participei. Lembro-me que no fim da minha apresentação um então “barão da IO” me fez uma pergunta da qual eu me esqueci a meio da resposta, mas mais vivo do que esse episódio foi o trajecto de regresso feito numa boleia com o Domingos, algo sempre arriscado porque acho que ele nunca estudou devidamente os algoritmos de caminho mais curto.


Pelo menos na implementação prática, os algoritmos por vezes divergem com ele a guiar. De alguma forma como corolário da construção do grupo, organizámos em Coimbra em 1994, com a liderança do João Clímaco, a 11ª conferência internacional Multiple Criteria Decision Making, o que, para além de ter contribuído para reforçar a nossa afirmação no mapa da investigação desta área, deu azo a vários episódios ilustrativos da capacidade do nacional-desenrascanço. Antes de se tornar um reputado investigador em teoria espectral dos grafos, optimização combinatória e programação em grafos, nessa época coimbrã o Domingos trabalhou com sucesso em programação fraccionária, incluindo questões de dualidade, e, embora não fosse esse o tópico inicial da tese de doutoramento, que defendeu em 1993 na Universidade de Aveiro, desenvolveu o método simplex generalizado (um método tipo simplex não orientado aos vértices), cujos principais resultados foram publicados em 1992 na Operations Research Letters. Esta abordagem consistia em movimentos admissíveis entre faces de dimensão arbitrária de um polítopo. que convergiam para a face óptima, sendo particularmente adequada para uma implementação de processamento paralelo e permitindo análise de sensibilidade. o âmbito da sua actividade pedagógica e científica, o Domingos foi mais recentemente co-autor, com Jerzy Szymanski e Mohammad Rostami, do livro “Matemática Discreta - combinatória, teoria dos grafos e algoritmos”, publicado em 2009 pela Escolar Editora, obra de referência nas unidades curriculares de Matemática Discreta em todas as universidade portuguesas (incluindo em Coimbra!), baseado na sua longa experiência docente e de investigação nestas matérias. No que diz respeito às suas actividades de serviço à comunidade, o Domingos assumiu a presidência da Comissão Directiva da APDIO entre 2012 e 2015, na qual tive o imenso gosto de desempenhar o cargo de vice-presidente. Foi neste quadro que depois de um (algo atribulado) percurso, coordenámos, com o Fernando Nunes da Silva, o livro “A Investigação Operacional em Portugal, Novos desafios, Novas Ideias”, de homenagem ao Luis Valadares Tavares por ocasião do seu 65º aniversário.


Se este curto depoimento carecesse de uma conclusão, o que não é o caso, seria que o Domingos é um investigador rigoroso e fértil, um docente e orientador dedicado (e omito aqui algumas considerações que geralmente vêm à baila nas conversas com o Pedro Oliveira e o Jorge Freire em relação à selectividade de atração de alunos(as)), e sobretudo um daqueles colegas e amigos que tornam melhor a vida de quem com ele convive. E, se o Domingos tiver de fazer um discurso de agradecimento, sugiro-lhe que o comece com aquela punch line que tantas vezes usámos em várias circunstâncias: não sou merecedor de tão justa homenagem! Carlos Henggeler Antunes Universidade de Coimbra


Conheci o Domingos na Primavera de 1993, numa esplanada de Coimbra. Encontrava-se acompanhado do seu orientador de doutoramento, o Professor João Clímaco, pessoa aliás a quem me dirigia para solicitar orientação de doutoramento por indicação de um antigo colega daquele Professor. Depois das apresentações e do esclarecimento da minha presença ali, o Professor João Clímaco “despachou-me” de imediato para o Domingos que preparava na altura a defesa da sua tese de doutoramento (propondo uma generalização do método simplex), que viria a defender mais tarde nesse mesmo ano na Universidade de Aveiro (UA). Na altura, o Professor João Clímaco não resistiu a fazer notar a minha idade relativamente avançada para me iniciar como estudante de doutoramento o que como é óbvio não foi mal observado, se tivermos em conta a regra geral vigente já na altura nas universidades portuguesas e hoje totalmente assumida: o doutoramento destina-se a atestar a capacidade do candidato para iniciar uma carreira de investigação e não a confirmação do candidato como investigador experimentado em resultado de uma dada investigação original consubstanciada na tese defendida. Mas esta particularidade não impediu que o Domingos aceitasse reunir-se comigo após a defesa da sua tese. Foi assim que me desloquei à UA para a combinada reunião. Apresentei então um plano de trabalho que o Domingos aceitou, tendo adquirido a condição de estudante de doutoramento da UA a partir de Outubro de 1993. Verdade seja dita que trazia algum trabalho já feito, o qual foi minuciosamente escrutinado pelo Domingos que, com a sua inteligência e curiosidade intelectual, o discutiu, disciplinou e contextualizou, permitindo que o material atingisse uma forma publicável e enfim “doutorável”.


Por tudo isto estou agradecido ao Domingos, que foi decisivo na ajuda prestada na conclusão com sucesso do meu projecto de doutoramento. De facto, a vivência dos anos de trabalho realizado na UA entre 1993 e 1996 foi muito estimulante pelas discussões sobre as diferentes abordagens dos problemas estudados e respectivos métodos de solução, processo que culminou nos resultados plasmados na tese defendida em Janeiro de 1997 e nos vários artigos publicados na altura e subsequentemente. Um dos problemas deixado em aberto na tese ainda hoje alimenta as nossas discussões quando nos encontramos. Além de que temos ao longo destes últimos vinte anos escrito e publicado alguns trabalhos descrevendo tentativas de resolver completamente o dito problema, pelo que temos continuado a contactar neste período de tempo. Entretanto, como é bem conhecido, o Domingos construiu uma carreira de grande valia na área da Teoria Espectral dos Grafos e da Optimização como atestam as dezenas de artigos publicados, as numerosas orientações de doutoramentos e mestrados, os numerosos contactos e ligações internacionais, o que amplamente justifica a homenagem que lhe prestamos neste workshop. É claro que este percurso recheado de êxitos é produto da sua inteligência e curiosidade intelectual como já referi anteriormente e também da grande capacidade de trabalho e investigação, do espírito crítico e rigor científico e da grande honestidade que coloca em todo o seu trabalho e no relacionamento com as pessoas que o rodeiam, onde está sempre presente um grande sentido de humanidade. Bem hajas pois Domingos neste 65º aniversário, com votos de muitas felicidades na actividade de professor e investigador da UA e na vida pessoal e familiar. Um grande abraço, Carlos Luz


Caríssimo Domingos Quero aproveitar esta oportunidade para dizer que foi um presente e um privilégio a experiência de trabalhar com você, o que já ocorreu em dois projetos. Admiro muito sua capacidade imensa de trabalho e posso dizer que foi muito produtivo e grati cante tê-lo como “comandante”. Estou muito contente de poder participar desta merecida homenagem a você. Desejo-lhe muitas felicidades, tudo de bom! Com carinho e amizade

Cybele


Congratulations to Professor Domingos Moreira Cardoso on the occasion of his 65th birthday

I met Professor Domingos Cardoso for the rst time in July 2004 in Paris at the Conference on Graph Theory devoted to Claude Berge. Domingos explained me his idea to organize in Aveiro a conference on Graph Spectra. I supported this idea since such a conference, devoted solely to Graph Spectra, had not been held before. Other colleagues also liked this idea and the Scienti c Committee for such conference was formed in December 2004. The corresponding web page was created in April 2005. Professor Cardoso invited me to visit Aveiro and I came to Aveiro in May 2005. After many preparations through correspondence, the rst Conference on Graph Spectra was held on 10 - 12 April 2006 in Aveiro. Domingos and I met several times also in Belgrade. In particular, he was kind to take part in conferences Spectra of Graphs and Applications 2006 and 2016. Also, we have published a few joint papers. For the future, I wish Professor Cardoso all the best in his life and in his scienti c work. Professor Dragoť Cvetković Mathematical Institute, Serbian Academy of Sciences and Arts, Belgrade, Serbia


Liliana Costa


Professor Domingos,

Tem sido muito enriquecedor a convivência consigo, ao longo dos anos, no nosso Departamento. Primeiro como professor no início dos anos 90, depois como amigo e colega, o Professor Domingos tem sido sempre uma pessoa muito admirável, com um enorme sentido de justiça e amizade, contribuindo de forma determinante para o crescimento do NOSSO Departamento.

Parabéns e muitas felicidades,

Manuel António


Um testemunho com duas notas Aprendi a minha amizade com o Professor Domingos Cardoso do modo mais duro, mas que se me revelou muito profícuo. Quando iniciava as minhas funções de Vice-Reitor envolvi-me numa troca de mensagens com ele que, rapidamente, ameaçava escalar para uma disputa muito desconfortável para ambos. Foi então que percebi que o meu papel, nas funções que desempenhava, era fazer pontes e arranjar consensos, não o contrário. Devo esta reflexão e a clarividência que dela consegui extrair ao meu amigo Domingos Cardoso. Nunca mais, até hoje, na minha vida académica, voltou a acontecer algo do género! A boa relação que desse episódio foi nascendo, aliada naturalmente às qualidades que possui, levou a lembrar-me dele quando tive que validar, com o Conselho Geral, dois nomes para me acompanharem nos Comités de Escolha, responsáveis pela designação dos Diretores das Unidades Orgânicas. Foram 40 vezes três reuniões, mais umas tantas - o matemático é o Domingos! -, em que trabalhámos juntos. Trabalho imenso que pressupôs toda a generosidade, conhecimento institucional e sensatez que, bem sabemos, o Professor Domingos Cardoso possui. Para além de tudo o resto, deve-lhe a UA também este esforço desinteressado, mas de grande valia para a nossa Universidade, que, aliás, todos puderam apreciar nas audições externas havidas. Para mim foi uma partilha gratificante que reforçou, sobremaneira, o grande apreço e a consideração, a estima enorme, que dedico ao Domingos. Uma boa “festa”, pá: tu mereces! Manuel Assunção


Desde o início dos anos 80, o Departamento de Matemática da UA a rmou a sua identidade, cresceu, consolidou-se e soube evoluir. O Domingos esteve sempre presente, tem sido parte integrante e determinante nesse percurso, e foi um dos arquitetos cientí cos do Departamento, delineando o seu rumo. Como colega: será teimoso? – um pouco, sem dúvida! Mas, também é corajoso, determinado, persistente, sabe ponderar e remar contra a maré, se necessário. Sobretudo, é sensato e humano. Haverá muito mais a dizer, ou a relatar; outros colegas o farão, certamente, com melhores dotes de memória e de oratória. Fica o meu reconhecimento e agradecimento.


Querido Professor Domingos, muitos parabÊns pela sua carreira brilhante. Participativo, sensato e imparcial, com um enorme sentido de justiça, foi notåvel o seu contributo para o crescimento do DMAT. Um grande obrigada! Maria Elisa


Dear Domingos Receive from Bernardo and also from me an affectionate greeting by your birthday, we trust the friendship that join us extends across the time. We also take advantage of this precious opportunity to thank God having had the privilege of knowing you and working in collaboration with you and Enide Andrade. Together with all the above, I thank to you for having invite us to visit a fascinating, beautiful and historic land as Portugal. Best Wishes MarĂ­a Robbiano


Caro amigo Domingos, Muitos parabéns! Tenho pena de não poder estar presente em pessoa para a celebração do teu 65º aniversário, mas sei que estarás bem acompanhado para festejar esta ocasião tão especial. Desejo-te ainda muitos mais anos de vida cheios de amor, paz e felicidade, e porque não, mais alguns teoremas novos sobre os espectros de grafos! Com um grande abraço de parabéns, Miguel Anjos Montréal, Canadá Novembro 2017


Falar sobre o Domingos? Tarefa dificil, talvez tivesse que levar mais 65 anos para cumpri-la com eficiência. Domingos é um pesquisador de destaque atuando em várias áreas da Matemática Aplicada. Domingos é um dedicado professor que consegue didaticamente estender as suas aulas a bons e didáticos livros. Domingos é lider de um grupo atuante de pesquisadores e professores no Departamento de Matemática da Universidade de Aveiro. Domingos é co-responsável em dar início aos grupos de Teoria Espectral no Brasil. Domingos é mais que tudo isso, é um grande amigo. Parabéns Domingos!!! Nair


Que este sorriso se mantenha em todos os momentos da sua vida! Um abraรงo cheio de carinho, Natรกlia Martins


Parabéns! Não me lembro de quando conheci o Professor Domingos M. Cardoso. Sinto que o conheci toda a vida mas isso não é verdade! Olhando para trás, sei que fez parte do juri do meu doutoramento em Julho de 2004. Este é talvez o primeiro momento importante de que tenho memória, mas há muitos outros, posteriores, que não preciso escrever na página que me está destinada neste pequeno livro. Uniu-nos, seguramente, a Matemática Discreta, e mais tarde alguns trabalhos em grafos ... ou em combinatória! Sei lá. Destaco a sua tenacidade e o sentido de justiça, a capacidade de trabalho e a generosidade. Viajar com o Domingos é um prazer; é uma garantia de comer bem e de privar com uma pessoa com um sentido de humor ímpar. Não sei bem como o conheci, mas se hoje estou aqui, sei muito bem porque é! Muito Obrigada. Paula Carvalho


Quando comecei a trabalhar no Departamento de Matemática, o Domingos iniciou-me num trabalho de pesquisa/estudo em otimização: programação côncava-convexa. Mais tarde, continuei a trabalhar sob orientação do Domingos na dissertação de mestrado, a que se seguiu a tese de doutoramento, esta última já nos espectros de grafos, área na qual se tornou uma referência internacional. Na verdade, o Domingos é responsável pela grande paixão que tenho pelos grafos, pelas suas múltiplas aplicações e pelas ligações a outras áreas como a álgebra linear. Para além de orientanda fui também sua aluna em duas disciplinas do mestrado e recordo a grande preocupação que ele tinha em fazer-se entender pelos alunos, interrompendo frequentemente as demonstrações mais longas e pesadas para voltar a explicar algum detalhe mais atrás. Outra faceta relevante da sua carreira como Professor são os vários textos que escreveu para as disciplinas que tem lecionado ( incluindo o livro “Matemática Discreta: combinatória, teoria dos grafos e algoritmos” em coautoria com Jerzy Szymański e Mohammad Rostami) e que continuo a consultar e dou como referência a alunos. Algo que admiro no Domingos: a sua enorme capacidade de trabalho. Não me re ro apenas à inteligência. Re ro-me também à capacidade de estar horas in ndáveis a trabalhar sem que nada o atinja - cansaço físico ou mental, fome, dor de cabeça, o que quer que seja. Outra característica do Domingos é a autocon ança com que inicia novos projetos e que o leva a aventurar-se por novos caminhos, aparentemente, sem nunca hesitar. Domingos, espero que continue a contagiar-nos com o seu entusiasmo pela Matemática. Um beijinho, Paula Rama


Cada indivíduo traz em si tudo o que nos define como seres humanos, mas também o que nos define como únicos. No Domingos, a matemática como lugar de perfeição, uma espécie de utopia a ser descoberta em cada dia. Um lugar, um outro lugar, não corrompido e incorruptível, mas também um lugar de paixão, de procura da beleza pela racionalidade. Mas o Domingos é muito mais que o seu mundo nas matemáticas e na investigação. O Domingos é também o seu círculo mais próximo, o mundo da Manuela e do Vasco. E, claro, não há homens perfeitos e, no Domingos, toda a racionalidade se esfuma no que toca ao FCP. Enfim, permita-se-lhe esta incoerência racional ou, talvez melhor, esta irracional coerência. Para mim, que tive a felicidade de o conhecer há já muitos anos, agradeço-lhe a amizade e a postura ética em todas as dimensões da vida. Pedro Oliveira


Greetings to Domingos on his 65th birthday. and congratulations on his contributions to Mathematics over the decades. He has been a great ambassador for Portugal, and I wish him success with many more theorems in the years ahead. Peter Rowlinson


I met Domingos Cardoso at a Congress in Chile in 2009. A few years later, through a colleague and common friend, Oscar Rojo, I was invited by Domingos to visit the University of Aveiro. I loved the city and the University, and since then I have continued visiting the University of Aveiro, year after year. The friendship, generosity and human warmth of Domingos have made it possible not only to continue visiting their university, but also an effective academic collaboration. Domingos Cardoso is not only a great friend, generous and attentive, he is also a great mathematician. His numerous publications, his teaching and directed thesis show this. Domingos: My sincere congratulations for your career as a man and a mathematician. I join with enthusiasm to the well-deserved tribute that your colleagues and friends offer you today. Ricardo L. Soto Antofagasta. Chile.


Lembras-te? ... do tempo do bigode preto e dos bons dançarinos da UA. Rosa AmÊlia


Entre vértices e arestas de G enerosidade R esponsabilidade A mabilidade F ormação O timização S orrisos encontra-se o Professor Domingos, a quem desejo as maiores felicidades! Rute Lemos


Foi talvez em 2005 que contactei o Professor Domingos para me orientar na tese de doutoramento. Ia eu com a ideia de fazer o doutoramento na área de otimização quando percebi que a sua paixão passara a ser Teoria dos Grafos, em particular, Teoria Espetral dos Grafos. E foi então que começou a minha descoberta por esses caminhos… Foram muitas as horas passadas no seu gabinete, sempre com muita concentração e com a boa disposição que o caracteriza. Foram algumas as conferências em que fomos juntos e que permitiram conhecê-lo num ambiente mais informal. Recordo uma situação em que participamos na conferência “Mathematics of Planet Earth 2013”, em Lisboa, e que numa noite o Professor foi jantar com o seu filho e eu fiquei com a Paula Rama e a Paula Carvalho. Decidimos ir jantar para os lados do Chiado e o Professor enviou a todas uma mensagem durante o jantar a saber se estava tudo bem e outra quando já estava no hotel para se certificar que também já tínhamos chegado. Aí conheci um outro lado do Professor Domingos, o seu lado paternal… Muitos parabéns Professor Domingos! Desejo-lhe muitas felicidades e que guarde num lugar especial do seu coração este marco da sua carreira! Tudo foi preparado com um carinho muito especial! Sofia Pinheiro


To Domingos, a wonderful host and collaborator. We have beautiful memories from our visit to Aveiro in 2016. Best wishes from Vilmar Trevisan and David Jacobs


DOMINGOS CARDOSO

É sempre um grande prazer encontrarmo-nos, e desejo que tal aconteça

ainda por muitos e bons anos: poucos como tu sorriem com a franqueza

e o brilho de todo o rosto!

Soube-me muito bem trabalhar contigo (de facto, que fiz eu?).

Ainda associas o teu perfil ao D da tua assinatura?

Muito obrigado Domingos!

Vitor Neves


Profile for MariaLopesCarvalho

Tributebookdmc  

This book was written by some friends of D.M.C. and it´s a birthday present.

Tributebookdmc  

This book was written by some friends of D.M.C. and it´s a birthday present.

Advertisement