Page 1

O Deus de poder, enquanto percorria Em suas majestosas roupagens de glória, Resolveu parar; e assim um dia Ele desceu, e pelo caminho se despia. George Herbert, em O Planeta Visitado

Pense em cartões de Natal. Visualiza as imagens? Uma floresta coberta de neve, ou anjinhos de cores claras ou tons pastéis, ou ainda, uma moça muito bonita de cabelos louros segurando um bebê de bochechas rosadas. Talvez imagine animais brincando! Trenó? Papai Noel? Auréolas reluzentes? Abra o cartão imaginário e terá uma mensagem parecida com “amor, boa vontade, prosperidade e cordialidade.” Mas gostaria de compartilhar o sentimento que arrebatou-me o coração, e que desde então golpeia-me a consciência – quando vi um cartão de Natal onde um leão (o mais lindo que já vi), com sua robusta pata dianteira, afetivamente abraça um cordeiro. Então, lembrei-me que Natal nada tem que ver com prosperidade (materialismo) ou felicidade (humanismo). O Natal cava tão profundo no espírito humano que faz sentir- me constrangida: tem a ver com reconciliação. Faz-me lembrar da pequenez de nosso ser, nossas fragilidades e misérias; nossa necessidade de perdão e reconciliação com o Criador... faz-me lembrar dos impostores que vivem dentro de todos nós, impostores que costumo chamar de pecados. Essa é exatamente a mensagem do Natal: esses impostores foram condenados à morte, e o arqueiro carrasco já se posiciona apontando sua flecha em nossa direção. Nós, como cordeiros indefesos, esperávamos a ponteira vir de encontro à carne. Mas, no último momento, o “Leão” pulou na frente e disse “NÃO, as flechas e as feridas serão pra mim!”. Como diria Brennan Manning, "Se quiséssemos uma palavra para descrever a missão e o ministério de Jesus Cristo, reconciliação não seria uma má escolha."

Então, desejo a todos um Natal de Reconciliação! Janaína Toledo “Mas ele foi transpassado por causa das nossas transgressões, e foi castigado levando a culpa da nossa maldade; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas feridas fomos salvos.” Isaías 53


Às vezes, indagamos o porquê de nossos sofrimentos e feridas na alma. Por hora esquecemos que são necessários para nosso crescimento e, não poucas vezes, para consolo de nossos semelhantes. Pois bem: A peça, de um único ato, baseada no evangelho de João 5:1-4, The angel that troubled the waters, de Thornton Wilder, dramatiza o poder de cura do tanque de Betesda sempre que um anjo agitava-lhe as águas. Um médico vem periodicamente ao tanque, esperando ser o primeiro da fila e ansiando ser curado de sua melancolia . O anjo finalmente aparece, mas impede o médico quando está prestes a entrar na água. O anjo manda o médico se afastar, pois esse momento não é para ele. O médico implora por ajuda numa voz entrecortada, mas o anjo insiste que a cura não está destinada a ele. O diálogo continua, e então chega a palavra profética do anjo: "Sem suas feridas, onde estaria seu poder? É sua melancolia que faz sua voz baixa estremecer dentro do coração de homens e mulheres. Nem mesmo os próprios anjos conseguem convencer os filhos miseráveis e desajeitados na terra como consegue um ser humano quebrado pelas rodas do viver. A serviço do Amor, apenas soldados feridos podem se alistar. Médico, afaste-se". Depois disso, o primeiro homem que entra no tanque é curado, regozija-se com sua boa sorte e, virando-se para o médico, diz: "Por favor, venha comigo. Estamos apenas a uma hora de casa. Meu filho está perdido em pensamentos obscuros. Eu não o entendo, e só você conseguiu melhorar- lhe o humor . Somente uma hora... Há também minha filha: desde que o filho dela morreu, fica sentada na sombra. Não nos ouvirá, mas ouvirá você.


Desejo a todos muito mais que uma cura. Desejo um Natal repleto de virtudes e amor aos nossos semelhantes.

Janaína Toledo

"... eu me gloriarei ainda mais alegremente em minhas fraquezas, para que o poder de Cristo repouse em mim." 2Coríntios 12:9 http://depositfiles.com/files/wyzeujyyt 

Cartão de Natal 1  

Um ótimo Natal a todos