Page 1

Vida*

24

|

CORREIO Salvador, segunda-feira, 1 de outubro 2012

CADA RISADA, UM FLASH Hebe Camargo, com certeza, também tinha seus dias ruins. Mas não deixava transparecer isso para o público. O bom humor da artista, falecida no sábado, fica explícito nas muitas frases marcantes que disse em seus 83 anos de vida

MEMÓRIA HEBE CAMARGO (1929–2012)

Gracinha de mulher FERNANDO DANTAS/DIARIO SP

Alto astral e bom humor foram as principais lições da apresentadora Salvatore Carrozzo salvatore.carrozzo@redebahia.com.br

Apesar das idas e vindas entre diversas emissoras brasileiras, a segunda-feira era o dia mais ligado a Hebe Camargo, apresentadora que faleceu sábado, aos 83 anos. Foi nas noites de segunda que ela consolidou seu programa no SBT, onde ficou por mais de duas décadas – e para onde retornaria agora, depois do contrato assinado com empolgação e alegria há uma semana. Mesmo longe da flor da idade, ela conseguia manter uma mente bastante jovem. Vaidosa, gostava de se vestir bem, amava suas joias de paixão. “Quando as pessoas vêm me vender uma joinha, um anelzinho, digo logo que não combina comigo. Para mim, tem de ser tudo grande”, brincou uma vez. E curtia uma bebidinha, que ninguém é de ferro. Hebe amava o entretenimento. Amava fazer rir com suas tiradas impagáveis e, sobretudo, amava rir. De si mesma, dos outros – mas sempre sem humilhar o próximo.

Hebe Camargo, artista que dedicou 62 anos à TV, foi embora sábado, vítima de um câncer de peritônio, mas deixa seu sorriso para os fãs

*

BEM PRA CIMA E hoje, uma segunda-feira, dia de Hebe, nada melhor que homenagear a artista do jeito que ela, sem dúvida, gostaria que fosse. Com muito humor. E humor vindo da própria Hebe Camargo, uma mulher que se inspirava no escracho de Dercy Gonçalves (1907–2008). “Dercy disse que, com a idade, adquiriu o direito de dizer o que quer. Também conquistei isso”, declarou certa vez. E Hebe foi mestra em dar declarações divertidas, para alegria dos jornalistas – nada como uma boa e espirituosa frase para acalentar um repórter. E alegrava, sobretudo, os fãs. Como não se sentir bem ao ver e ouvir uma respeitável senhora dizendo coisas que, segundo as chatas normas, não pegam bem? Coisa do tipo: “Eu gosto de uma coisinha mais leve,

SEMPRE DE BOM HUMOR, HEBE CAMARGO ERA IMPAGÁVEL NAS FRASES

Sou muito criticada pelas amigas. Elas dizem que quando eu falo a minha idade, revelo a delas também

Nunca fumei maconha. E eu sempre fui forte para a bebida. Fico só um pouco mais feliz do que já sou

Linda, eu? Não, querida. Mas você acaba de ganhar uma consulta gratuita no oculista. Parabéns

O que eu gosto de comer? Rabada, polenta, quiabo com carne moída, pão com linguiça. Não é light?


CORREIO Salvador, segunda-feira, 1 de outubro 2012

como vodca”. Hebe era assim, dizia as coisas na lata. Aos 74, disse estar com a libido lá em cima. E que desejava o cantor Roberto Carlos. Mas não para romance. Nas palavras da própria Hebe: “como homem mesmo”. “A frase dela que fica é: ‘Vamos comemorar a vida, Tom’”, afirmou o comediante Tom Cavalcante, durante o velório. O apresentador Otávio Mesquita, amigo de três décadas de Hebe, comentou sobre o lado expansivo da colega de profissão: “Ela não pedia permissão para entrar na sua vida. Se intrometia”. DIA DO SELINHO Certa vez, Hebe afirmou também que pretendia terminar seus dias e sua carreira no SBT. De certa forma, saiu da vida satisfeita, pois morreu como funcionária da emissora do amigo Silvio Santos. “A TV é minha vida. Mas vou fazer TV enquanto estiver alegre, feliz, brincando no palco. Quando ficar uma coisinha meio murcha, eu digo: 'Bye Bye, Brasil'”, brincava. E, talvez, Hebe Camargo estivesse mesmo se sentindo cansada, depois de dois anos de tratamento altamente invasivo contra um câncer de peritônio, membrana que envolve o abdômen. Já que não podia mais ficar alegre, preferiu ir embora. Não quis nem festa para seus 83 anos, completados em março. “Festa a gente tem de fazer quando é jovem. Neste tempo não tem muita graça, porque é quase uma festa de despedida”, justificou na época. Ontem foi a despedida da primeira - e única - dama da televisão. Não foi festiva, claro, porque a ocasião pedia sobriedade. Mas foi, de certo modo, para cima, fazendo jus à memória de Hebe. No funeral e no enterro, recebeu aplausos. Algumas pessoas até lançaram a proposta de transformar o dia 29 de setembro, data da morte de Hebe, em Dia do Selinho. Uma simpática e engraçada homenagem à artista que adorava sapecar seus beijinhos, sem malícia alguma, na boca de Deus e o mundo. Um enorme beijo para você, Hebe!

Eu queria ter Roberto Carlos não para ter um romance. Eu queria ter como homem

*

GABRIELA

FIAC BAHIA

Fim do mistério: Amâncio é o generoso coronel de Miss Pirangi >> pág. 27

A Cia Chapitô, de Portugal, se apresenta hoje em Plataforma >> pág. 30

OS QUERIDINHOS DA LOIRA LEVI BIANCO/AE

Marcello Camargo

O filho de Hebe Camargo, Marcello Camargo, 47 anos, era um dos mais emocionados no velório da artista. Ontem de manhã, quando fãs presentes ao velório começaram a cantar a música Como É Grande o Meu Amor por Você, Marcello foi o primeiro a se levantar e aplaudir a demonstração de carinho. Foi recebido com abraços pelos fãs. Bastante abalado com a perda da mãe, ele não foi ao enterro, no cemitério Gethsemani, onde o corpo de Hebe foi enterrado.

LEVI BIANCO/AE

Padre Marcelo Rossi

Atendendo pedidos de Hebe, padre Marcelo Rossi celebrou, na manhã de ontem, durante o velório da apresentadora, uma missa de corpo presente. “Uma mãe para mim”, disse o padre quando perguntado sobre sua relação com a apresentadora. E teve espaço para descontração. Ele pediu que o filho de Hebe, Marcello, e o sobrinho, Claudio Pessuti, colocassem as mãos na testa da apresentadora. Depois, emendou: “Melhor colocarmos as mãos nas mãos dela. Se desmancharmos o cabelo, ela vai ficar brava comigo lá em cima”, brincou. ALEX FALCÃO/AE

Lolita Rodrigues

Quem também passou pelo velório de Hebe Camargo foi a atriz Lolita Rodrigues, 83 anos, uma das melhores amigas da apresentadora. “A gente se acostuma com os amigos. Eu sofri muito com a morte da Nair Belo, também sofri muito com a morte da Marli Bueno há dois meses, que era como uma irmã, e agora foi a vez da Hebe Maria Alegria. Ela já chegou no céu e já deve ter arrumado uma produção”, disse a atriz.

Roberto Carlos

“A Hebe é a pessoa mais maravilhosa. É um símbolo. Ela vai deixar saudades no meu coração e no coração de todos os brasileiros”. Foi assim que resumiu, visivelmente emocionado, o cantor Roberto Carlos, 71 anos, na noite de sábado, no velório de Hebe, em São Paulo. Os dois tinham uma relação de grande amizade. Em 2009, no Theatro Municipal, em São Paulo, Hebe cantou no show Elas Cantam Roberto, em comemoração aos cinquenta anos de carreira do cantor. A apresentação virou CD e DVD ao Vivo.

Vida | 25

ADRIANA SPACA/AE

*

RELATO

O Carnaval que Hebe me deu um bolo Essa vida doida (que eu amo) de jornalista já me proporcionou boas experiências. Uma delas foi no Carnaval de Salvador do ano passado, quando fui cobrir a surpresa de Cláudia Leitte para a apresentadora Hebe Camargo, que completaria 82 anos. Lá vou eu registrar mais um encontro da folia momesca. Depois de muito esperar, Hebe apareceu. Linda, com um vestido colorido, com estampa de bicho (a cara dela), e cheia de energia. Logo após cantar os parabéns, que incluiu um bolo confeitado enoooorme com direito a muitas fotos da apresentadora, Hebe pediu que os jornalistas se aproximassem. “Quero agradecer a presença de vocês aqui. Sem a imprensa, eu não seria quem sou hoje. Obrigada pelo carinho”, disse, agradecendo também o carinho da loira do axé. E diante de Graciela Alvarez*

uma fila razoável de pessoas que queriam abraçá-la, ela me olhou e, logo em seguida, me pegou pelo braço, me oferecendo o segundo pedaço do cobiçado bolo, pois o primeiro, claro, foi dado para sua anfitriã. Com um prato em uma mão e o bloquinho e a caneta em outra, ela me perguntou: “Está bom, minha filha. Come tudo... Vocês merecem”. Como manda a boa educação, dei uma bocada e coloquei o prato na mesa. Afinal, queria aproveitar um pouco mais daquela sabedoria. E foram boas, viu? Segundo Hebe, o segredo para sua disposição e vitalidade era a fé. “A força, vocês que me dão. Soube que o Brasil inteiro rezava por mim. Essa é a maior força para eu ser um exemplo”, disse a apresentadora, que vinha enfrentando um câncer desde 2010. Resultado: saí de lá com uma sensação gostosa de ter recebido um carinho igual ao de uma vovó... Doce, cheio de vontade e paparicos. Hebe, o meu muito obrigada! Descanse em paz!!! *Repórter do CORREIO

Memória  

Alto astral e bom humor foram as principais lições da apresentadora

Memória  

Alto astral e bom humor foram as principais lições da apresentadora

Advertisement