Issuu on Google+

mãe & Bebê Pós-parto: orientações para o cuidado no domicílio


Copyrigth© 2013 by Departamento de Enfermagem Materno-Infantil da Escola de Enfermagem Alfredo Pinto e Serviço de Obstetrícia do Hospital Universitário Gaffrée e Guinle da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO). Distribuição Gratuita

Autores

Leila Rangel da Silva Inês Maria Meneses dos Santos Cristiane Rodrigues da Rocha Maria Aparecida de Luca Nascimento Dasio Marcondes Marcos Vasconcellos Ana Maria de Oliveira Ponte Elaine Franco Ribeiro Fonseca Alana Stéphanie Esteves Villar Maíra Domingues Bernardes Silva Bianca Cristina Marques Gindre da Silva Roberta Oliveira Ferreira Luana Araújo da Cruz Luciana Rodrigues da Silva Eliza Cristina Macedo Márcia Barbosa de Paiva Diagramação, Editoração e Arte Phábrica de Produções Direção de Arte | Alecsander Cavalcanti Coelho, Paulo Ciola Diagramação | Carolina Ricciardi, Marcelo Macedo, Ricardo Ordonez, Rodrigo Alves, Viviane Fugiwara Ilustrações | Rafael Ramires Leite Colaboradores | Marcelo Vieira de Paula, Loreto Searle

Ficha Catalográfica S586

Silva, Leila Rangel da. Mãe & bebê pós-parto : orientações para o cuidado no domicílio / Leila Rangel da Silva [et al.]. – Rio de Janeiro : UNIRIO/PROExC, 2013. 72p. : il. ; 30 cm

ISBN 978-85-61066-41-3 1. Recém-nascidos - Cuidado e higiene. 2. Amamentação. 3. Parto (Obstetrícia). 4. Cesariana. 5. Cuidado das mulheres no pós-parto. 6. Vacinação. 7. Saúde da mulher. I. Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro. Pró-Reitoria de Extensão e Cultura. II. Título. CDD – 610.73678


mãe & Bebê Pós-parto: orientações para o cuidado no domicílio

Apoio

todos os direito reservados:

rIo DE JAnEIro 2013


Sumário 1. Introdução ................................................................................................................................. 5 2. CONHECENDO O CORPO APÓS O PARTO. CUIDANDO DE VOCÊ ...................... 6

6 COMO DEVE SER MEU DESCANSO/REPOUSO ........................................................................................................... 6 COMO PREVENIR A “QUEDA DA BEXIGA” APÓS O PARTO (FORTALECIMENTO DO PERÍNEO).................... 6 COMO É O SANGRAMENTO VAGINAL APÓS O PARTO ........................................................................................... 7 COMO CUIDAR DOS PONTOS FEITOS NA VAGINA OU NA BARRIGA (CICATRIZAÇÃO DOS PONTOS) ....... 8 QUANDO POSSO VOLTAR A TER RELAÇÃO SEXUAL (APÓS PARTO) ................................................................... 8 QUAIS SÃO OS SINAIS DE ALERTA PARA QUE EU PROCURE AJUDA PROFISSIONAL ........................................... 9 COMO EVITAR UMA NOVA GRAVIDEZ ...................................................................................................................... 9 DIREITOS SEXUAIS E DIREITOS REPRODUTIVOS.................................................................................................... 12 POR QUE DEVO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL ..........................................................................................

3. ALEITAMENTO MATERNO E O CUIDADO COM AS MAMAS ................................. 14

15 O QUE FAZ UMA MÃE OPTAR PELA AMAMENTAÇÃO ........................................................................................... 16 MITOS E TABUS SOBRE O ALEITAMENTO MATERNO ............................................................................................ 17 CONHECENDO A MAMA QUE AMAMENTA .............................................................................................................. 20 MASSAGEANDO AS MAMAS.......................................................................................................................................... 24 COMO O BEBÊ DEVE ABOCANHAR ............................................................................................................................ 26 QUAL A MELHOR POSIÇÃO PARA AMAMENTAR ................................................................................................... 28 PROBLEMAS QUE PODEM APARECER NAS MAMAS QUE AMAMENTAM ........................................................... 30 O QUE É UMA MAMA INFLAMADA (MASTITE) E COMO CUIDAR ....................................................................... 33 COMO ENTRAR EM CONTATO COM OS BANCOS DE LEITE HUMANO ............................................................... 33 VANTAGENS DO ALEITAMENTO MATERNO ............................................................................................................


4. APRENDENDO UM POUCO SOBRE SEU BEBÊ E CUIDADOS EM CASA ............. 34

34 A MOLEIRA (FONTANELA) ............................................................................................................................................ 35 ÓRGÃOS GENITAIS ......................................................................................................................................................... 35 EVACUAÇÕES ................................................................................................................................................................... 35 FEBRE ................................................................................................................................................................................. 36 REAÇÕES ESPERADAS NO PERÍODO NEONATAL .................................................................................................... 36 BANHO DE SOL ................................................................................................................................................................ 37 SONO .................................................................................................................................................................................. 38 REGURGITAÇÕES (GOLFADAS) ................................................................................................................................... 39 CÓLICAS DO BEBÊ .......................................................................................................................................................... 39 CHORO .............................................................................................................................................................................. 39 FAZENDO MASSAGEM NO BEBÊ .................................................................................................................................. 40 HIGIENE ORAL ............................................................................................................................................................... 41 RITUAL DO BANHO DO BEBÊ ...................................................................................................................................... 48 PASSO A PASSO DO BANHO DO BEBÊ ........................................................................................................................ 50 HIGIENE DO UMBIGO (COTO UMBILICAL) ............................................................................................................. 52 FRALDAS DE PANO OU FRALDAS DESCARTÁVEIS ................................................................................................. 54 POSIÇÃO DO BEBÊ NO BERÇO ..................................................................................................................................... 55 ROUPAS DO BEBÊ ............................................................................................................................................................ 55 AGASALHANDO SEU BEBÊ — NOS DIAS FRIOS ....................................................................................................... 56 EXAMES IMPORTANTES PARA O BEBÊ ..................................................................................................................... 58 VACINAÇÃO ...................................................................................................................................................................... 60 CALENDÁRIO BÁSICO DE VACINAÇÃO DA CRIANÇA .......................................................................................... 61 PESO ...................................................................................................................................................................................

5. DIREITOS DA MÃE, DO PAI E DA CRIANÇA ................................................................... 62

66 AUTORES .......................................................................................................................................................... 68 ANEXO A - CONTROLE DE VACINAÇÃO..................................................................................................... 70 ANEXO B - OBSERVAÇÕES SOBRE O BEBÊ.................................................................................................. 71 REFERÊNCIAS .................................................................................................................................................


1 iNTroDuÇÃo Este material educativo foi financiado pela Agência de Cooperação Internacional do Japão (JICA). Ele foi escrito a partir da necessidade da implantação de um espaço de convivência para trabalhar as práticas educativas com mães e seus bebês internados no alojamento conjunto do Hospital Universitário Gaffrée e Guinle (HUGG) da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO). Para a sua redação, foi realizada uma pesquisa científica intitulada “Enfermagem no puerpério: detectando o conhecimento das puérperas para o autocuidado e cuidado com o recém-nascido”, na qual foram listadas as principais dúvidas das mães relacionadas com o cuidado com o seu corpo após o parto, aleitamento materno e cuidado com o bebê. Este guia foi criado para responder às dúvidas mais comuns do dia a dia das puérperas internadas na maternidade e também poderá ser levado por elas para ser divulgado com outras mulheres nas comunidades onde vivem. No momento do nascimento do bebê, que para as mulheres é de muita felicidade e realização pessoal, misturam-se sentimentos de insegurança quanto ao cuidado do seu corpo após o parto e ao cuidado com o recém-nascido. A experiência do parto sempre será um momento diferente e único a ser vivenciado. Isso é independente de você ser mãe de primeira viagem ou experiente. É um auxílio para que você possa cuidar do seu bebê com mais segurança. Tenha certeza de que você é a melhor pessoa para atender às necessidades do seu filho. Porque, além dos cuidados com o banho, as vestimentas, a amamentação, as vacinas, o bebê precisa da sua atenção, da sua voz, do seu toque, enfim do seu amor, para que ele possa atingir o seu pleno desenvolvimento.

Desejamos a você e ao seu bebê um futuro saudável e feliz! Os Autores

5


2 CoNHECENDo o CorPo APÓS o PArTo

CuiDANDo DE VoCÊ Por QuE DEVo tEr uMA ALIMEntAção SAuDÁVEL

É importante que a mulher, durante a amamentação, se alimente bem, pois nesse período há grandes gastos calóricos (energia), e uma alimentação saudável melhora a produção de leite para o seu filho. A mãe que amamenta deve seguir uma dieta parecida com a que tinha durante a gestação. As principais orientações são: tomar muito líquido – cerca de 8 a 12 copos por dia; fazer, no mínimo, três refeições ao dia, intercalando com lanches saudáveis quando houver fome; limitar o consumo de açúcar e gordura; e manter uma dieta rica e variada com frutas, verduras e legumes. não tome remédios por conta própria, pois alguns medicamentos passam para o leite materno prejudicando a saúde do bebê. Em caso de dúvida, consulte sempre um profissional de saúde. CoMo DEVE SEr MEu DESCAnSo/rEPouSo A mãe deve, se possível, preocupar-se apenas com o novo bebê, tendo alguém para ajudar a cuidar dos serviços domésticos e das outras crianças, se for o caso. Quando o bebê for dormir, a mãe deve aproveitar para dormir também. É aconselhável que a mulher descanse para estar bem disposta quando a criança quiser ser amamentada. Os esforços físicos devem ser limitados. CoMo PrEVEnIr A “QuEDA DA BEXIGA” APÓS o PArto (FortALECIMEnto Do PErÍnEo) Existem exercícios, chamados Exercícios de Kegel, para o fortalecimento dos músculos dessa região (períneo), proporcionando a melhora das condições dos tecidos do períneo e aumentando o controle urinário. A mulher deve contrair a vagina como se fosse aspirar água, e fazer força para fora como se fosse soltar a água, sentindo um aperto na musculatura da região da vagina, fazer a mesma contração da musculatura em torno do ânus e da uretra. Os exercícios devem ser realizados, no mínimo, três vezes ao dia, com 30 contrações em cada região.

6


CoMo É o SAnGrAMEnto VAGInAL APÓS o PArto Nos primeiros dias após o parto, o sangramento, chamado de lóquios, é de coloração vermelho vivo e o odor é semelhante ao da menstruação. A partir do quarto dia, ele se torna rosa, diminuindo a quantidade até ficar amarelado, e desaparece depois em até três semanas. Nas mulheres que amamentam, o fluxo do sangramento tem menor intensidade. É importante realizar a troca frequente do absorvente após cada ida ao banheiro, realizando a higiene da genitália com água e sabão, mantendo o local seco e utilizando, de preferência, uma toalha limpa.

ATENÇÃo: um mau odor e/ou sangramento que ultrapasse seis semanas, mesmo que em quantidades pequenas, pode indicar infecção. Neste caso, procure a maternidade onde foi realizado o parto.

coloração vermelha

coloração rosa

coloração amarelada

7


CoMo CuIDAr DoS PontoS FEItoS nA VAGInA ou nA BArrIGA (CICAtrIZAção DoS PontoS) PArto norMAL Eventualmente, realiza-se a episiotomia, que é o nome dado ao corte realizado na região genital, com o objetivo de ampliar a passagem do bebê pela vagina no momento do nascimento. O corte é suturado (costurado) imediatamente após o parto. Esses pontos “caem sozinhos”. (são absorvidos pelo organismo) Logo após o parto, pode ser colocada uma bolsa de gelo, no máximo, por 20 minutos no local, para aliviar o desconforto. Para aliviar a dor e ajudar o processo de cicatrização, é importante manter a área genital seca e limpa. Recomenda-se, por sete dias, após urinar ou evacuar, a higiene com água e sabão de toda a região da vagina ou ânus, inclusive no local dos pontos secando com uma toalha limpa (não usar papel higiênico, nesse período, para não grudar nos pontos). Mudar, com frequência, o absorvente higiênico, permanecer, no máximo, quatro horas com o mesmo absorvente. PArto CESArIAnA Os pontos da cesariana deverão ser retirados por um profissional de saúde a partir de sete dias após o parto. Recomenda-se higiene com água e sabão. Os pontos deverão estar secos e sem secreção, caso contrário poderá significar infecção. Durante a recuperação de uma cesariana, é importante evitar subir escadas, pegar peso e fazer grandes esforços. QuAnDo PoSSo VoLtAr A tEr rELAção SEXuAL (APÓS PArto) Quando a placenta se descola do útero, área onde ela estava, fica como se fosse uma ferida, mais ou menos do tamanho da palma de uma mão, que precisa de um tempo para cicatrizar. Durante esse processo de cicatrização, é importante que essa área fique protegida de agentes agressores externos para evitar contaminação, por isso, é desaconselhável as relações sexuais com penetração nessa fase do resguardo (40 dias pós-parto). Se a mulher fez cesariana, ela pode sentir dor devido à cicatriz. No caso de parto normal, em algumas ocasiões se dá um ponto no períneo, e essa região também fica delicada.

8


Após a completa cicatrização das regiões traumatizadas, a atividade sexual poderá ser reiniciada, desde que o casal tome precauções, como o uso da camisinha. A penetração deve ser cuidadosa, pois o revestimento da vagina está mais sensível e menos lubrificado. É natural a saída de leite quando ocorre a relação sexual mas, se for desconfortável para o casal, use protetores no sutiã ou tenha relações no chuveiro. QuAIS São oS SInAIS DE ALErtA PArA QuE Eu ProCurE AJuDA ProFISSIonAL A mulher deve procurar imediatamente a maternidade onde foi realizado o parto ou a Unidade de Saúde mais próxima da sua residência quando houver um ou mais destes sinais: febre, cansaço extremo, vermelhidão nas mamas, abdômen distendido (grande), dor intensa na barriga, saída de líquidos pelos pontos da vagina ou barriga (pontos da cesariana), sangramento em grande quantidade e/ou com mau cheiro, dores nas pernas e/ou áreas vermelhas e não conseguir urinar e/ou evacuar. CoMo EVItAr uMA noVA GrAVIDEZ 1. Para evitar ou espaçar os períodos de gravidez, é recomendado o uso de um método anticoncepcional. 2. Durante os primeiros seis meses pós-parto, a amamentação exclusiva (quando o único alimento do bebê é o leite materno), em livre demanda (sem restrição de horário), ausência de menstruação, está associada à diminuição da fertilidade. Se você menstruar nesse período, ou desejar utilizar um método para evitar gravidez, procure um profissional de saúde, para decidir o melhor método para você.

9


3. O QUE UTILIZAR: DIu (dispositivo intrauterino) pode ser inserido no útero e preferencianmente a partir de quatro semanas pós-parto. O DIU está contraindicado para os casos que cursaram com infecção puerperal, até três meses após a cura. Deve ser avaliado de seis em seis meses.

Camisinha masculina e feminina Além de evitar uma gravidez previne as infecções sexualmente transmissíveis.

Anticoncepcional hormonal oral Apenas a minipílula (só com hormônio progesterona) pode ser utilizada pela mulher que está amamentando. O seu uso deve ser iniciado após seis semanas do parto.

10


Anticoncepcional injetável trimestral Pode ser utilizado pela mulher que está amamentando. O seu uso deve ser iniciado seis semanas após o parto.

Métodos Comportamentais Tabelinha e muco cervical só poderão ser utilizados após a volta da menstruação. Cada método necessita de observação do corpo por um período específico.s

ATENÇÃo: Lembre-se de que o melhor método para uma mulher usar é aquele que a deixa confortável e que melhor se adapta ao seu modo de vida e à sua condição de saúde. Segundo recomendação do ministério da Saúde, é importante procurar um serviço de saúde antes de iniciar o uso de qualquer método anticoncepcional, porque existem situações em que determinados métodos não devem ser usados. Além disso, é necessário fazer acompanhamento periódico para verificar se o método está sendo usado corretamente e se houve o aparecimento de algum problema.

11


DIrEItoS SEXuAIS E DIrEItoS rEProDutIVoS O QUE SÃO DIREITOS SEXUAIS E DIREITOS REPRODUTIVOS? • São Direitos Humanos já reconhecidos em leis nacionais e documentos internacionais. O QUE SÃO DIREITOS HUMANOS? • Os Direitos Humanos são direitos fundamentais da pessoa humana. Esses direitos são considerados fundamentais porque, sem eles, a pessoa não é capaz de se desenvolver e de participar plenamente da vida; • O direito à vida, à alimentação, à saúde, à moradia, à educação, o direito ao afeto e à livre expressão da sexualidade estão entre os Direitos Humanos fundamentais; • Não existe um direito mais importante que o outro. Para o pleno exercício da cidadania, é preciso a garantia do conjunto dos Direitos Humanos. Cada cidadão deve ter garantido todos os Direitos Humanos, nenhum deve ser esquecido; • Respeitar os Direitos Humanos é promover a vida em sociedade, sem discriminação de classe social, de cultura, de religião, de raça, de etnia, de orientação sexual. Para que exista a igualdade de direitos, é preciso respeito às diferenças. SÃO DIREITOS REPRODUTIVOS: • Direito das pessoas de decidir, de forma livre e responsável, se querem ou não ter filhos, quantos filhos desejam ter e em que momento de suas vidas; • Direito às informações sobre os meios, métodos e técnicas para ter ou não ter filhos; • Direito de exercer a sexualidade e a reprodução livre de discriminação, imposição e violência. SÃO DIREITOS SEXUAIS: • Direito de viver e expressar livremente a sexualidade sem violência, discriminações e imposições e com respeito pleno pelo corpo do(a) parceiro(a); • Direito de escolher o(a) parceiro(a) sexual; • Direito de viver plenamente a sexualidade sem medo, vergonha, culpa e falsas crenças; • Direito de viver a sexualidade independentemente de estado civil, idade ou condição física;

12


• • • • • •

Direito de escolher se quer ou não quer ter relação sexual; Direito de expressar livremente sua orientação sexual: heterossexualidade, homossexualidade, entre outras; Direito de ter relação sexual independente da reprodução; Direito ao sexo seguro para prevenção da gravidez indesejada e das infecções sexualmente transmissíveis como, HIV, sífilis, gonorréia, condiloma e outras. Direito aos serviços de saúde que garantam privacidade, sigilo e atendimento de qualidade e sem discriminação; Direito à informação e à educação sexual e reprodutiva.

A IGuALDADE rACIAL EntrE HoMEnS E MuLHErES É FunDAMEntAL PArA o DESEnVoLVIMEnto DA HuMAnIDADE E PArA tornAr rEAL oS DIrEItoS HuMAnoS.

DirEiToS SEXuAiS E DirEiToS rEProDuTiVoS

13


3 ALEiTAmENTo mATErNo E o CuiDADo Com AS mAmAS

A Organização Mundial de Saúde recomenda que os bebês recebam exclusivamente leite materno durante os primeiros seis meses de vida. Depois desse período, para satisfazer as necessidades nutricionais para o adequado crescimento e desenvolvimento do seu filho, além da amamentação que deve continuar pelo menos até o segundo ano de idade ou mais, a criança deve começar a receber outros alimentos segundo orientação de um profissional de saúde.

14


VAntAGEnS PArA A MuLHEr QuE AMAMEntA • • •

Previne as complicações hemorrágicas no pós-parto, acelerando a volta do útero ao seu tamanho normal; Contribui para o retorno mais rápido ao peso pré-gestacional; É um método natural de planejamento familiar. Entretanto, somente antes de seis meses, quando a criança está em aleitamento materno exclusivo, sem água, chás, sucos ou leite artificial.

VAntAGEnS PArA A CrIAnçA QuE rECEBE LEItE MAtErno • • • • • • •

É o alimento completo para o lactente menor de seis meses, tanto no aspecto nutricional, como digestivo; Facilita a eliminação das primeiras fezes do bebê (mecônio); Diminui o risco de coloração amarelada da pele (icterícia); Protege contra infecções (especialmente diarreias e pneumonias) pela presença de anticorpos; Aumenta o laço afetivo mãe-filho, promovendo mais segurança ao bebê; Diminui o risco de desnutrição; Melhora a resposta às vacinações e capacidade de combater doenças mais rapidamente.

VAntAGEnS PArA A FAMÍLIA E A SoCIEDADE • • • • • • •

O leite materno é grátis; É limpo e não contém micróbios; Já vem pronto e está na temperatura certa; Diminui os custos de internações por problemas intestinais e respiratórios; Representa uma economia quanto ao uso de gás de cozinha, porque dispensa o aquecimento e preparo; Diminui as faltas dos pais ao trabalho, uma vez que a criança se mantém mais saudável; Ao diminuir as taxas de desnutrição, diarreia e problemas respiratórios, consequentemente, diminui os índices de mortalidade infantil.

15


miToS E TABuS o QuE FAZ uMA MãE oPtAr PELA AMAMEntAção • • • • •

Primeiramente, vontade, decisão e disponibilidade para amamentar; Convicção de que o leite materno é o melhor alimento para o bebê; Ter presenciado experiências positivas com familiares e amigas; Compreender que chorar e sugar são formas de comunicação do bebê; Conseguir conciliar a amamentação com o trabalho fora e dentro do lar.

MItoS E tABuS SoBrE o ALEItAMEnto MAtErno Será que seios pequenos produzem pouco leite? Existe leite fraco? Canjica, cerveja preta, água inglesa e outros alimentos aumentam a produção de leite? Posso amamentar enquanto eu bebo água? Muitos mitos são propagados quando o assunto é amamentação e confundem principalmente as mães de primeira viagem. Existe leite fraco? MITO. não existe leite fraco. Até uma mãe com desnutrição leve ou moderada é capaz de produzir um bom leite. Todos têm a mesma constituição. O que acontece é que o leite materno é mais ralo que o leite de vaca. Mas, lembre-se: o leite de vaca foi feito para o bezerro! Cada espécie se alimenta com o leite produzido pela sua mãe. o leite materno tem todas as substâncias na quantidade certa de que o bebê precisa para crescer e se desenvolver sadio. O leite do início da mamada é mais “ralo”, pois contém mais água, menos gordura e grande quantidade de fatores de defesa. Contém também mais vitaminas e sais minerais. O leite do fim da mamada é mais grosso, pois tem mais gordura e engorda o bebê. O bebê precisa do leite do começo e do fim da mamada. Só meu leite não sustenta e o bebê chora com fome. FALSO. nem sempre que o bebê chora é por fome; pode estar com cólica, frio ou calor, molhado, ou simplesmente querendo carinho (colo). Lembre-se de que o choro é a única forma de o bebê se comunicar nos primeiros meses de vida. O importante é que ele esteja crescendo bem, o que pode ser verificado pelos gráficos na Caderneta da Criança, e urinando mais do que seis vezes a cada 24 horas.

16


Criança que nasceu prematura (antes do tempo) ou com baixo peso (menos de 2 quilos e meio) não deve mamar no peito. FALSO. Estes bebês podem ter dificuldades de sugar no início, mas são os que mais precisam da proteção do leite materno. Conforme eles crescem, sugam com maior facilidade. Se o bebê tiver dificuldade de sugar, retire o leite, coloque-o num recipiente limpo e ofereça com colher ou na xícara de café/copinho. Se os seios forem pequenos, vão produzir menos leite? MITO. o que dá o tamanho dos seios é o tecido gorduroso, e não a glândula produtora de leite, portanto não depende do tamanho ou formato da mama. Afinal tamanho não é documento! Dar de mamar faz os peitos caírem? MITO. A queda do peito depende de vários fatores: hereditários, idade, aumento de peso, musculatura de sustentação das mamas. A própria gravidez causa mudança na sua forma e posição. Criança que arrota mamando faz o peito inflamar ou o leite secar. FALSO. não há comprovação científica desta afirmação popular. Amamentação imediatamente após o parto é saudável? VERDADE. Alimentar os bebês imediatamente após o nascimento pode reduzir consideravelmente os riscos de mortalidade neonatal, além de contribuir para a recuperação da mulher. Quanto mais cedo acontecer a primeira mamada, maiores as chances de uma amamentação bem-sucedida, além de estimular e fortalecer o vínculo mãe e bebê. A alimentação da mãe influencia na qualidade do leite? VERDADE. o leite materno é completo do ponto de vista nutricional, pois contém sais, proteínas, vitaminas, cálcio, gordura, água, além de anticorpos. Manter uma alimentação equilibrada, rica em frutas, verduras e proteínas é fundamental para que o leite supra todas as necessidades do bebê. Dietas muito restritivas e o uso de bebidas alcoólicas e cigarros pela mãe também podem prejudicar a saúde do bebê. A alimentação da mãe deve ser vista com cuidado. Se ela não costumava beber leite de vaca, não deve começar durante a amamentação. Isso aumenta o risco de o bebê desenvolver alergia a esse tipo de leite. A mãe deve obedecer a uma dieta saudável, recomendada pelos profissionais de saúde, e permitir que o bebê sugue à vontade, estimulando a produção.

miToS E TABuS17


miToS E TABuS Cerveja preta, canjica, água inglesa e outros alimentos podem aumentar a produção de leite? MITO. Embora muita gente acredite, a cerveja aumenta a quantidade de leite por ser líquido, assim como a água e o suco. Mas bebidas alcoólicas não devem ser ingeridas, pois o álcool passa rapidamente para o leite e pode ser muito prejudicial ao bebê. A mulher que estiver amamentando pode ingerir bebidas ácidas como suco de laranja ou limão? VERDADE. os alimentos ácidos não talham o leite. Não é necessário tomar mais leite de vaca para produzir mais leite. Recomenda-se que a mãe ingira bastante água por dia. Café, chá preto e refrigerante em grande quantidade podem provocar cólicas no bebê. As mães que têm anemia podem amamentar? VERDADE. Mas devem procurar um tratamento. O médico poderá receitar a medicação adequada, orientar a dieta, e a mãe continuar amamentando. É preciso passar hidratantes ou pomadas medicinais para proteger o bico do peito? MITO. o uso de hidratantes afina o tecido do bico do peito e da aréola (rodela escura do peito). A mãe deverá espremer um pouco de leite e passar ao redor da aréola e bico antes e depois de cada mamada, para eliminar bactérias, umedecer e manter a elasticidade e hidratação da pele, evitando assim a ocorrência de rachaduras (fissuras). A amamentação ajuda a mulher a emagrecer? VERDADE. o aleitamento traz vários benefícios, além da perda de peso mais rápida após o parto, a amamentação ajuda o útero a recuperar seu tamanho normal, reduz o risco de hemorragia, anemia e câncer de mama e de ovário. Durante a gestação, a mulher acumula peso para formar uma reserva energética justamente para ser gasta no período da amamentação. Saiba que parte da gordura materna é transferida para o bebê pelo leite. Existe uma posição ideal para amamentar? MITO. A melhor posição é aquela mais confortável para a mãe e o seu bebê. Encontre um ambiente tranquilo e agradável, sente-se e segure o bebê de maneira que fique com a cabeça mais elevada, alinhando-o ao seu corpo.

18


Amamentar deixa os seios flácidos? MITO. Amamentar não deixa os seios flácidos, a não ser que não haja cuidados básicos. A indicação é usar um sutiã de alças largas e que sustente as mamas. Leite materno pode ser congelado? VERDADE. na geladeira, o leite materno deve ser armazenado até 12 horas. no freezer, o leite materno pode durar até 15 dias. Essa é uma boa notícia para as mães que precisam retornar às suas atividades profissionais, sem recorrer ao leite industrializado. Para descongelar, o leite deve ser mantido na geladeira ou em água corrente morna. Não se deve deixar em temperatura ambiente e nem esquentá-lo no fogão ou micro-ondas. Mãe que está amamentando não pode trabalhar fora? FALSO. A mãe pode dar de mamar nos períodos em que estiver em casa. Pode retirar e guardar seu leite para ser oferecido ao bebê enquanto ela estiver fora. o tempo de amamentação depende de cada criança? VERDADE. Alguns bebês são rápidos e levam de 5 a 10 minutos para mamar. outros não têm pressa e levam até 40 minutos. A mãe deve continuar amamentando até o bebê perder o interesse, pois é ele, e não o relógio, quem vai determinar o tempo suficiente. A mãe deve buscar a melhor posição, seja sentada, em pé, deitada e oferecer o seio à criança. Deve promover uma boa ‘pega’, com a criança abocanhando a maior parte possível da aréola, para evitar fissuras. o bebê é quem faz o horário de amamentação? VERDADE. nos primeiros meses, o bebê ainda não tem um horário para mamar. Dê o peito ao seu filho sempre que ele demonstrar fome. Com o tempo, ele vai fazendo seu horário de mamadas. Antes de começar a dar de mamar, lave as mãos. Sente-se em um local confortável e ajude o bebê a pegar corretamente o peito. Após a mamada, passe o próprio leite no complexo mamilo areolar, antes e após a mamada. Existe alguma simpatia que altere o leite? MITO. A maioria das simpatias ou crendices não alteram o leite. Por exemplo: o bebê arrotar no peito, o leite pingar no chão, beber água durante a amamentação, nada disso altera a quantidade, a qualidade do leite e muito menos o bebê engasga.

miToS E TABuS

19


ConHECEnDo A MAMA QuE AMAMEntA CoMo o LEItE MAtErno É ProDuZIDo? o leite materno é produzido nos alvéolos. São estruturas semelhantes a pequenos sacos de onde brota o leite. Eles são numerosos (entre 10 e 100) e distribuem-se ao redor da mama. Agrupam-se formando cerca de 15 a 20 pequenos cachos, sustentados por um tecido fibroso e envolvidos por um outro tecido gorduroso que é o responsável pelo volume e forma da mama. Depois de produzido nos alvéolos, o leite é levado em pequenos canais até os seios lactíferos (pequenas bolsas), local onde fica armazenado. O bebê retira o leite materno abocanhando a maior parte da aréola (parte escura ao redor do bico do peito).

ATENÇÃo: Para que a amamentação se estabeleça, é necessário uma mulher que produza e libere leite e um bebê com uma sucção eficiente, capaz de retirar o leite produzido enquanto suga.

Existem alterações na composição do leite materno ao longo dos dias, variando de colostro (primeira vacina natural) até a chegada do leite maduro por volta do 14º dia, permanecendo até o fim da amamentação.

20


CoLoStro (PrIMEIrA VACInA Do BEBÊ) Nos primeiros dias depois do parto, as mamas secretam colostro, que é um líquido de coloração amarelada e mais viscoso. O colostro é secretado em pequena quantidade, mas é suficiente para o recém-nascido nos primeiros dias de vida. É rico em fatores de crescimento que preparam o intestino para digerir e absorver o leite materno, além de funcionar como um ótimo laxante, favorecendo a eliminação do mecônio, primeiras fezes esverdeadas e/ou escurecidas do bebê.

ATENÇÃo: No segundo dia após o parto, as mamas começam a produzir maiores quantidades de leite do tipo colostro. As mamas ficam cheias, algumas vezes quentes e com veias aparentes, devido à grande quantidade de água que migra do organismo materno. Esse processo é chamado de apojadura. Logo em seguida vem a chamada descida do leite. Portanto, quanto mais cedo iniciar a amamentação, mais leite a mãe produzirá!

LEItE MADuro Em uma ou duas semanas, o leite aumenta em quantidade e muda seu aspecto e composição. O leite materno maduro parece mais ralo, algumas mães relatam que é mais aguado que o leite de vaca, o que faz com que muitas mães pensem que o seu leite é fraco. Não existe leite materno fraco! Ele contém água e nutrientes suficientes para a criança.

21


ATENÇÃo: A composição do leite muda durante a mamada. LEiTE Do ComEÇo — é proveniente das primeiras sucções ou início da mamada. É rico em proteína, lactose, vitaminas, minerais e água. LEiTE Do Fim — Surge no final da mamada e parece mais branco do que o leite do começo porque contém mais gordura. A gordura torna o leite do fim mais rico em energia. Fornece mais da metade da energia do leite materno. É importante deixar que o bebê pare de mamar espontaneamente. A interrupção da mamada pode fazer com que ele receba pequena quantidade do “leite do fim”. Na mamada, a criança precisa esvaziar toda a mama para passar para a outra mama. o bebê necessita sugar o leite do começo tanto quanto o leite do fim para manter o peso ideal. CoMo MAntEr nÍVEIS DE ProDução E LIBErAção DE LEItE? A MãE DEVErÁ: • • •

• •

22

Amamentar o seu bebê o mais precocemente possível e sempre que ele desejar (livre demanda) sem oferecimento de água, chá ou leite artificial para complementação; Ingerir bastante líquido e manter uma alimentação equilibrada; Manter a mamada da madrugada, pois nesse período a produção da prolactina – hormônio responsável pela produção do leite – em resposta à sucção é maior. Além disso, a prolactina dá à mãe uma sensação de relaxamento e sonolência, proporcionando o bem-estar noturno; Observar se a pega e o posicionamento do bebê estão adequados; Oferecer os dois peitos a cada mamada, começando sempre pela mama que o bebê mamou por último. Isso deve ser feito porque algumas vezes o bebê mama bem o primeiro peito e não esvazia completamente o segundo, ficando armazenado o leite rico em gordura. Descansar enquanto o bebê dorme procurando manter-se relaxada, calma e confiante enquanto amamenta, pois a dor, a insegurança, o medo, o estresse, a ansiedade, a tensão e o desconforto podem prejudicar a saída do leite.


ATENÇÃo: Após a mamada, se sobrar leite, no peito, é importante retirar manualmente o excesso ou utilizar uma bomba manual e/ ou elétrica. Se o seu peito não for esvaziado completamente, poderá “empedrar” (ingurgitamento) provocando dor e febre.

Se possível, doe o excesso de leite ao Banco de Leite Humano.

Com esse gesto você pode salvar vidas! Lembre-se de que o seu bebê só poderá mamar no seu peito e que você também não pode amamentar outro bebê que não seja seu filho.

CoMo PrEPArAr o FrASCo PArA CoLEtAr o LEItE HuMAno? • • • • • •

Escolha um frasco de vidro com tampa plástica. Pode ser de café solúvel ou maionese; Retire o rótulo e o papelão que fica sob a tampa, por dentro, e lave com água e sabão, enxaguando bem; Em seguida, coloque em uma panela o frasco e a tampa e cubra com água, deixando ferver por 15 minutos (conte o tempo a partir do início da fervura); Escorra a água da panela e coloque o frasco e a tampa para secar de boca para baixo em um pano limpo; Deixe escorrer a água do frasco e da tampa. Não enxugue; O frasco poderá ser usado para coletar o leite humano quando ele e a tampa estiverem secos.

23


MASSAGEAnDo AS MAMAS CoMo rEALIZAr A MASSAGEM E A orDEnHA MAnuAL Do LEItE MAtErno? • • • • • • • • • • • • • • •

24

O leite deve ser retirado depois que o bebê mamar ou quando as mamas estiverem muito cheias; Escolha um lugar limpo, tranquilo e longe de animais; Prenda e cubra os seus cabelos com uma touca ou lenço; Evite conversar durante a retirada do leite ou utilize uma máscara ou fralda cobrindo o nariz e a boca; Lave as mãos e antebraços com água e sabão e seque-os em uma toalha limpa; Massageie as mamas com as polpas dos dedos começando na aréola (parte escura da mama), de forma circular, abrangendo toda mama; Primeiro coloque os dedos polegar e indicador no local onde começa a aréola (parte escura da mama); Firme os dedos e empurre para trás em direção ao corpo; Comprima suavemente um dedo contra o outro, repetindo esse movimento várias vezes até o leite começar a sair; Em seguida, abra o frasco e coloque a tampa sobre a mesa, forrada com um pano limpo, com a abertura para cima; Despreze os primeiros jatos ou gotas e inicie a coleta no frasco; Colha o leite posicionando o frasco debaixo da aréola, não deixando que a borda do frasco encoste no vidro ou no peito; O frasco com o leite retirado deve ser armazenado no mesmo dia no congelador ou freezer; Na próxima vez que for retirar o leite, utilize outro recipiente esterilizado e, ao terminar, acrescente este leite no frasco que está no freezer ou congelador. O leite pode ficar armazenado na geladeira até 12 horas e congelado por até 15 dias; Após terminar a coleta, feche bem o frasco e identifique com uma fita a data e a hora da coleta.


ATENÇÃo: iniciar a massagem pelo complexo mamilo areolar tendo o cuidado para não ficar deslizando os dedos para não ferir a pele. Em caso de dor nas mamas, fazer compressa de água fria por 20 minutos antes de iniciar a massagem.

25


CoMo o BEBÊ DEVE ABoCAnHAr • • • •

26

Posicione o bebê de tal forma que ele fique com o rosto de frente para a mama, com o nariz na altura do mamilo; Faça o bebê abrir a boca de modo que ele pegue a maior parte da aréola, tocando o lábio do seu filho com a ponta do mamilo para que ele busque a mama (reflexo de busca); Mantenha o bebê sempre alinhado ao seu corpo, barriga com barriga; O lábio inferior do bebê deve estar voltado para fora, lembrando a boca de um peixinho.


ATENÇÃo: A organização mundial da Saúde (OMS) destaca três pontos-chave que caracterizam o posicionamento e pega adequadas do bebê:

1º PoNTo: PoSICIonAMEnto ADEQuADo Do BEBÊ • • •

Rosto do bebê de frente para a mama, com nariz na altura do mamilo; Corpo do bebê próximo ao da mãe e bem-apoiado; Bebê com cabeça e tronco alinhados (pescoço não torcido).

2º PoNTo: PEGA ADEQuADA Do BEBÊ • • • •

Mais aréola visível acima da boca do bebê; Boca bem-aberta; Lábio inferior virado para fora; Queixo tocando a mama.

3º PoNTo: SInAIS QuE PoDEM InDICAr QuE o BEBÊ não EStÁ MAMAnDo ADEQuADAMEntE: • • • • •

Bochechas do bebê encovadas a cada sucção; Ruídos da língua; Mama aparentando estar esticada ou deformada durante a mamada; Mamilos com estrias vermelhas ou áreas esbranquiçadas ou achatadas quando o bebê solta a mama; Dor na amamentação

27


QuAL A mELHor PoSiÇÃo PArA AmAmENTAr QuAL A MELHor PoSIção PArA AMAMEntAr o bebê deve estar acordado para mamar adequadamente. Se estiver chorando, procure acalentá-lo. Encontre a posição que pareça mais confortável. Pode ser usado um travesseiro para ajudar um melhor posicionamento. Verifique se o bebê está muito agasalhado ou com a fralda molhada antes de oferecer as mamas. Existem quatro posições básicas para amamentar:

SEntADA É a posição tradicional na qual a mulher carrega seu bebê no colo. O bebê deve ser posicionado de lado, olhando a mama (barriga do bebê junto ao corpo da mãe). A mão que estiver livre posiciona a mama para o bebê.

28


DEItADA É a posição mais apropriada para o primeiro dia se o parto foi por cesariana. Eleve a cabeceira da cama e coloque o bebê lateralmente e com apoio de um travesseiro (a cabeça do bebê deve ficar mais elevada que o corpo). Desta forma, a região operada não é comprimida.

PoSIção DE CAVALEIro É adequada para mulheres com mamas grandes. Procure sentar de forma confortável e posicione o bebê sentado sobre a sua perna. Apoie a cabeça do bebê com uma das mão e com a mão livre posicione a mama para o bebê.

PoSIção InVErtIDA É indicada para bebês pequenos e para mulheres com mamas grandes.Procure sentar de forma confortável. Segure o bebê em posição invertida como se fosse segurar uma bola do tipo futebol americano, posicionando os pezinhos em direção à cabeceira da cama ou do sofá. Pode ser usado um travesseiro para apoio.

29


ProBLEMAS QuE PoDEM APArECEr nAS MAMAS QuE AMAMEntAM Como cuidar dos mamilos com rachaduras (fissuras)? A causa mais comum de fissura nos mamilos é uma má-adaptação do bebê ao peito (pega incorreta), principalmente para as mães de primeira viagem, quando o tecido do mamilo é mais fino podendo causar fissura na ponta ou na base. O mais importante é manter uma pega correta. MEDIDAS PrEVEntIVAS PArA EVItAr rACHADurAS • • • • • •

Verificar sinais de boa pega, ou seja, se o bebê está abocanhando toda a aréola ou a maior parte dela, se o bebê está com a boca tipo de peixinho bem aberta, de modo que o queixo encoste na mama; Assegurar uma boa pega, evitando que o bebê faça do bico uma chupeta mantendo o corpo dele alinhado (posição barriga do bebê com barriga da mãe); Expor as mamas ao sol por cerca de 15 minutos, respeitando o horário de sol fraco (antes das 9 horas e depois das 16 horas). Quando for a época do verão, tem que descontar a hora, conforme a região do país onde você mora; Passar o próprio leite sobre o mamilo e areóla antes e após cada mamada. Além de ser cicatrizante, o leite age também como bactericida e emoliente; Interromper a mamada colocando o dedo mínimo suavemente no canto da boca do bebê fazendo um vácuo, evitando assim que o mamilo fique estirado; Iniciar a amamentação pelo peito menos dolorido.

MEDIDAS ProIBItIVAS PArA EVItAr rACHADurAS • •

Nunca usar óleos, pomadas ou creme hidratante no mamilo para não afinar o tecido; Não esfregar o mamilo com toalhas, buchas e esponjas tentando retirar o tecido de cicatrização (casquinha escura).

trAtAnDo DoS MAMILoS CoM FISSurAS • • •

30

Espremer gotas de leite materno passando no mamilo e aréola, mantendo a mama arejada. O leite tem três propriedades: cicatrizante, bactericida e emoliente; Expor os mamilos ao sol atentando para os horários da manhã e da tarde; No caso de fissuras (rachaduras) a mulher pode utilizar a peneirinha de coar leite com o cabo cortado para que a fissura do mamilo não encoste no tecido do sutiã;


Areóla

Mamilo ou bico do peito

Se a dor for muito intensa, você deverá oferecer o leite materno ordenhado em uma xícara de cafezinho, copinho descartável ou colher até que o mamilo cicatrize.

CoMo CuIDAr DAS MAMAS “EMPEDrADAS” (InGurGItAMEnto MAMÁrIo)? É quando as mamas ficam muito cheias de leite. Isso dificulta o bebê a fazer a sucção correta. Geralmente a produção de leite é maior do que a procura. Para que o bebê sugue com facilidade, as mães devem fazer a expressão de leite utilizando o dedo polegar e o indicador por trás da aréola (parte mais escura) deixando-a maleável. Lembre-se de que, se a mama estiver muito cheia, o bebê não consegue fazer corretamente a pega. Utilize sempre sutiã de algodão e de alças largas, se necessário faça massagens ou aplique compressas de água gelada e logo após faça a retirada manual fazendo massagem e ordenha (retirada de leite), para aliviar a tensão nas mamas. Quando conseguir retirar um pouco do leite, o complexo mamilo-areolar ficará mais macio. Assim, a criança poderá sugar o leite mais eficientemente. Se a criança não conseguir sugar de forma alguma, dê em uma xícara o leite materno retirado por expressão. Continue com a expressão, tão frequentemente quanto for necessário, para que as mamas fiquem menos doloridas, até que o ingurgitamento desapareça.

31


Mastite

o QuE É uMA MAMA InFLAMADA (MAStItE) E CoMo CuIDAr É quando um ducto (pequenos canais por onde passa o leite) é bloqueado ou ingurgitado. Se ele não for desobstruído, o tecido mamário poderá inflamar. Parte da mama fica vermelha, quente, inchada e endurecida. A mulher tem febre e não se sente bem. Isso é chamado de mastite. Neste caso é preciso retornar à maternidade para avaliação criteriosa do profissional de saúde.

32


ATENÇÃo: Embora muitos dos problemas das mamas provoquem dor intensa, não permita que esse desconforto atrapalhe o aleitamento materno. Tenha sempre em mente os benefícios que a amamentação traz. Certamente, superando as dificuldades, você se sentirá vitoriosa, pronta, e muito confiante para alimentar seu fi lho.

CoMo EntrAr EM ContAto CoM oS BAnCoS DE LEItE HuMAno Centro de Referência Nacional Instituto Fernandes Figueira Banco de Leite Humano Av. Rui Barbosa, 716, Térreo, Flamengo, Rio de Janeiro, RJ, CEP 22250-020 0800-268877 - (21) 2254-1703

ATENÇÃo: o leite humano doado, após passar por processo que envolve seleção, classificação e pasteurização, é distribuído com qualidade certificada aos bebês internados em unidades Neonatais. o recém nascido pode desenvolver infecções mais facilmente que uma criança mais velha ou um adulto.

Lembre-se: A mãe só pode amamentar seu próprio filho. É proibido o aleitamento materno entre mulheres. Quer ajudar? Doe seu leite ao banco de leite mais próximo da sua residência.

33


4 APrENDENDo um PouCo SoBrE SEu BEBÊ E CuiDADoS Em CASA o recém-nascido pode desenvolver infecções mais facilmente que uma criança mais velha ou um adulto. CoMo A FAMÍLIA DEVE ProtEGEr o BEBÊ ContrA InFECção? • • • • • •

Mantenha as unhas curtas (germes podem viver sob as unhas); Lave tudo que estiver em casa e que irá entrar em contato com o bebê: roupas, lençóis, cobertores; Mantenha crianças e adultos doentes longe do bebê; Proteja o recém-nascido contra a fumaça no ar (de cigarros ou da cozinha), pois ela pode causar problemas respiratórios; Certifique-se de que o bebê recebe todas as vacinas pontualmente; Infecção dos olhos. Veja se ele tem pálpebras vermelhas e inchadas e secreção com aparência de pus saindo dos olhos.

o MELHor AMBIEntE PArA o BEBÊ • • •

Arejado e com luminosidade moderada; O berço deve ter grades altas, para a segurança do bebê, e colchão firme, recoberto de plástico resistente. Travesseiro é desnecessário, se for usá-lo, que seja de espuma em espessura até 4 cm; Brinquedos para enfeitar devem ser grandes, superfície lisa e evitar os de pelúcia.

PESo Considera-se normal o peso do nascimento entre 2.500 e 3.500g . Logo após o nascimento o peso diminui, geralmente, em 10% do peso inicial. Esta perda de peso não é súbita, e sim gradativa, nos primeiros quatro dias. É consequência da eliminação do mecônio (fezes), da urina, da perda da água pela eliminação da pele e da pausa alimentar à qual o bebê é submetido. Por exemplo: seu filho nasceu com 3.000g . Após quatro dias, ele estará com 2.700g . Porém, após os dez primeiros dias de vida, já recuperou seu peso. Quando o bebê demora a recuperar o peso, deve-se investigar a causa em um serviço de saúde.

34


A MoLEIrA (FontAnELA) São as duas partes moles que o bebê tem na cabeça (espaço entre os ossos que ainda não se juntaram), e são percebidas pelo toque suave com as pontas dos dedos. A fontanela (moleira) pode se apresentar “alta” (abaulada) por ocasião do choro forte, infecção ou em algumas doenças do sistema nervoso central ou então deprimida (mais funda), quando a criança está dormindo. A depressão torna-se acentuada quando a criança está desidratada. Tanto o fechamento precoce, antes dos nove meses, como a sua permanência depois dos 18 meses devem ser comunicados a um profissional de saúde. ÓrGãoS GEnItAIS As meninas, às vezes, possuem uma secreção esbranquiçada na vagina, e outras vezes, uma secreção com uma cor sanguinolenta, devido aos hormônios maternos. Não há nada a fazer. Esses sinais desaparecerão espontaneamente. As mamas tanto das meninas como dos meninos podem estar ingurgitadas ao nascimento. Também é devido aos hormônios da mãe.

ATENÇÃo: Nunca esprema as mamas, pois elas podem inflamar! Esses sinais também desaparecem espontaneamente. EVACuAçÕES As fezes do bebê são escuras e esverdeadas (chamadas de mecônio), passando a amareladas após o terceiro dia de vida. no sexto dia, tomam um aspecto normal (cor amarelo-ouro e aspecto compacto) que permanecerá durante o primeiro ano. Amamente em livre demanda para facilitar a eliminação do mecônio, pois o leite materno nos primeiros dias (colostro) tem efeito laxativo. Utilizar lenços umedecidos somente em situações de emergência. O ideal é sempre limpar com água e sabão. As nádegas do recém-nascido podem ser lavadas cada vez que ele urinar ou evacuar, e sempre na direção de frente para trás.

35


ATENÇÃo: Se ao amamentar o bebê, a mãe escutar um ruído quando a sucção iniciar, pode ser que o seu fi lho esteja engolindo ar e, portanto, mais propenso a ter soluços. Neste caso, retire o bebê do peito e, ao recolocá-lo para a mamada, faça com que abocanhe a maior parte da aréola (parte mais escura do peito), evitando a entrada de ar. Depois da mamada, coloque o bebê na posição vertical (de pé, no colo), pois isso facilita a eliminação do ar pelo arroto. Verifique se ele está com frio.

FEBrE • • • •

A temperatura normal do corpo do bebê é entre a faixa de 36,1ºC e 37,5ºC; Ao medir a temperatura de um recém-nascido, retire o excesso de roupa, para não dar falso resultado; Os termômetros devem ficar de 3 a 5 minutos na axila. Dê preferência aos termômetros digitais; Se você não tem termômetro, toque na testa ou no peito do bebê, que vão estar quentes no caso de febre. Vale ressaltar que alguns bebês, mesmo com febre, podem estar com as mãos e os pés frios.

rEAçÕES ESPErADAS no PErÍoDo nEonAtAL SoLuçoS São normais após a mamada e podem persistir por alguns minutos mas cessam espontaneamente. Ao contrário do que imaginamos, o bebê não sente incômodo, nem dor. ESPIrroS Os recém-nascidos podem espirrar com frequência, mas isso não quer dizer que eles estejam resfriados. O espirro é uma forma de limpar as narinas de sujeiras, secreções e até de pelinhos das roupas.

36


ATENÇÃo: o QuE FAZEr CASo o SEu BEBÊ APrESENTE FEBrE? 1. retire o excesso de roupa e veja se o bebê melhora. Às vezes você agasalhou muito; 2. Atente para o estado geral do bebê: pele quente, bochechas vermelhas, desânimo, prostração e parar de sugar são sintomas comuns que a febre provoca; 3. Caso o seu bebê continue apresentando temperatura acima de 37,5ºC, leve-o à unidade Básica de Saúde para ser avaliado pelo pediatra; 4. Não dê nenhum remédio ao seu bebê sem receita médica.

rEAçÕES nA PELE LAnuGEM — são pelos finos que recobrem todo o corpo. Desaparecem após o primeiro mês de vida. Servem de proteção. MILIuM SEBÁCEo — são pequenos pontos amarelados. São um acúmulo de gordura na pele localizado na face, principalmente no nariz. Desaparecem espontaneamente nos primeiros meses. ErItEMA tÓXICo — são manchas vermelhas do tipo vesículas pequenas com um ponto amarelo no centro. Aparecem no segundo dia de vida do recém-nascido e desaparecem no sétimo dia. MAnCHAS MonGÓLICAS — são manchas azuladas ou violáceas. Elas aparecem geralmente na região glútea e braços, podendo aparecer no dorso e membros devido à mistura de raças. Desaparecem ao longo dos anos.

37


ICtErÍCIA (ou AMArELão) É a cor amarelada da pele que alguns bebês apresentam após o nascimento. Isso acontece porque o fígado do bebê é imaturo. Os pais devem comunicar o profissional responsável quando observarem icterícia. BAnHo DE SoL O banho de sol diário (entre 8:00h e 8:30h por no máximo dez minutos com a criança nua) é importante para diminuir a icterícia, acelerar a queda do colo umbilical e ajudar a fixar o cálcio nos ossinhos do bebê.

ATENÇÃo: Quando for época de horário de verão, tem que descontar a hora, conforme a região do país onde você mora. Sono o recém-nascido dorme muito. no primeiro mês, ele dorme por volta de 16 a 21 horas por dia, ficando acordado somente para mamar e tomar banho. O bebê, submetido a uma correta rotina de vida, acorda de três em três horas, ou de quatro em quatro horas para mamar. O ritmo de sono do bebê é muito irregular nos primeiros meses e por isso ele pode trocar as noites pelo dia. O ritmo só começa a ser regularizado por volta do 3º/4º mês. Para que a criança não troque o dia pela noite, é importante manter as luzes apagadas durante seu sono noturno, e permitir a entrada de luz solar no ambiente durante o dia. É importante dar ao bebê, desde cedo, uma rotina para facilitar a consolidação dos ritmos, e fazer com que seu filho adormeça na sua própria cama ou berço, e não na cama dos seus pais.

38


Atenção: um bebê difícil de ser acordado ou que durma muito pode estar doente.

rEGurGItAçÕES (GoLFADAS) A regurgitação é a devolução do alimento, sem esforço, logo em seguida à mamada. O bebê não apresenta sofrimento algum, e o leite desce pelo canto da boca silenciosamente. Deve-se ter cuidado para que o bebê não broncoaspire (quando o leite vai para os pulmões). Após as mamadas, os bebês devem permanecer no colo, em posição vertical (em pé) durante dez minutos, para que as eructações (arrotos) se processem sem prejudicar o começo da digestão. CÓLICAS Do BEBÊ • • •

A cólica do bebê se manifesta nos primeiros três meses de vida; Ela se evidencia por crises de choro, agitação e/ou irritabilidade. Sem outra causa identificável, o bebê puxa as perninhas vigorosamente contra o peito; Quando o bebê chora durante a mamada, ele pode engolir ar levando ao acúmulo de gases, o que pode provocar a dor tipo cólica. Pode ocorrer tanto em bebês amamentados no seio quanto em mamadeira. Há uma tendência de a cólica acontecer no mesmo horário do dia anterior; Após passar a cólica, a criança volta a dormir. O ideal é prolongar ao máximo o aleitamento materno, pois o leite da vaca fermenta mais e faz com que a criança tenha mais cólica.

DICAS PArA LIDAr CoM AS CÓLICAS: 1. Tentar manter a calma. A ansiedade da mãe é apontada como um dos principais fatores de perturbação das cólicas; 2. Compressas mornas (toalhas ou fraldas de pano passadas a ferro) na barriga do bebê têm efeito analgésico. Teste antes o calor da toalha no seu rosto; 3. Um banho morno relaxa o bebê; 4. Evite deixar o bebê chorar com fome, isso pode fazê-lo engolir ar causando cólicas.

39


CHoro o bebê não chora por fazer malcriação, mas para nos revelar alguma coisa que o desagrada ou maltrata. É o único meio de que ele dispõe para se comunicar com o meio ambiente, já que não fala ou gesticula. As causas mais frequentes de choro são as seguintes: • Fome e sede (que são resolvidas com o leite materno); • Umidade (fezes e urina retidas na fralda afligem os bebês, e é preciso mudar a fralda para sossegá-los); • Calor e frio (quarto mal ventilado, janelas fechadas, roupas grossas e apertadas e/ ou crianças mal-agasalhadas em dias de frio); • Posição em certas ocasiões é suficiente para aquietá-los mudar de posição, fazendo variar de barriga para cima, ou para ficar de lado. Não deve ser utilizada a posição com a barriga para baixo, pois se tem evidenciado um número maior de casos de morte súbita nos bebês que dormem nesta posição; • Cólicas (gases), prurido (coceira que ocorre com as brotoejas provenientes do calor intenso), nervosismo, febre e dor de ouvido podem ser frequentes em crianças com dificuldade para pegar no sono. FAZEnDo MASSAGEM no BEBÊ Por QuE É IMPortAntE MASSAGEAr o BEBÊ? É uma forma de dar boas-vindas ao pequeno ser que acaba de chegar, ajudando-o a integrar-se gradativamente a um mundo tão diferente daquele onde viveu durante os nove meses da gestação. Com a massagem podemos harmonizá-lo, acalmando-o. EXIStE ContrAInDICAção PArA A rEALIZAção DE MASSAGEM? A massagem não tem contraindicação e tem se mostrado como ótima aliada no tratamento das cólicas e na regularização das funções intestinais, sem falar no alívio das tensões. Por isso, recomenda-se fazer massagem no final da tarde, quando o bebê se prepara para dormir, ajudando-o a ter um sono tranquilo e reparador.

ATENÇÃo: Escolha para a realização da massagem um período longe das mamadas, pois nenhuma atividade deve roubar energia da criança durante o seu processo de digestão. Além disso, massagear um bebê com o estômago cheio pode causar-lhe vômito.

40


FAZENDo mASSAGEm No BEBÊ CoMo InICIAr A MASSAGEM noS BEBÊS? • • • • •

Posicione a criança de frente para quem vai fazer a massagem (preferencialmente a mãe ou o pai). Pode apoiar o bebê na cama, no trocador; Use para deslizar as mãos um pouco de óleo vegetal. Faça uma fricção para ganhar calor; Faça a massagem inicialmente pelo tórax. Deixe o bebê vestido com a parte de baixo (calça e meia). Lembre-se de proteger o recém-nascido contra correntes de ar, agasalhando-o e protegendo-o com o calor das suas mãos; Não há necessidade de retirar o excesso de óleo. A pele do bebê logo o absorverá; O ideal é repetir o movimento suavemente por três vezes, inicie com um movimento para que a criança vá se adaptando. Inicialmente ela pode chorar, mas logo sentirá prazer e segurança.

EtAPAS DA MASSAGEM: A sequência para a massagem é: tórax, braços e mãos, abdômen e costas, pernas e pés.

41


tÓrAX Retire a parte de cima (blusa), mantenha-o com as roupas de baixo. Junte as mãos espalmadas no tórax do bebê. Com movimentos suaves e sem pressionar, deslize as mãos em direção aos ombros. Volte na posição de início, levando uma das mão de cada vez. Fique sempre atenta para ver a reação do bebê e perceber se você está pressionando com a força ideal.

BrAçoS Apoie os braços do bebê em uma de suas mãos e com a outra deslize suavemente em direção à mãozinha. Quando encontrar a sua mão com a mãozinha do bebê, segure o punho com delicadeza e deslize a mão que estava apoiando em direção da axila do bebê. Repita no outro braço.

42


MãoS Trabalhe muito bem com as mãos do bebê. Comece abrindo-a com a ajuda de seus dedos, depois com a sua mão espalmada com a mão do bebê vai deslizando para cima e para baixo. Por último massageie cada dedinho. Após a sequência, passe para a outra mão.

FAZENDo mASSAGEm No BEBÊ ABDÔMEn No sentido do relógio, usando as duas mãos, devagar faça círculos na barriga do bebê. Ao completar o círculo, retire uma das mãos e repita o movimento.

43


CoStAS Vire o bebĂŞ delicadamente e massageie as suas costas com movimentos suaves do centro para as laterais. Repita os movimentos e depois vista a roupinha do bebĂŞ.

44


PErnAS Retire as peças de roupa da parte inferior mantendo a fralda. Delicadamente, segure com uma das mãos o tornozelo do bebê e com a outra mão deslize pela parte interna da perninha com movimento em direção da virilha. Quando suas mãos se encontrarem, faça o mesmo movimento do lado externo da perna. A mão que segura o tornozelo muda de posição. Repita na outra perninha.

45


FAZENDo mASSAGEm No BEBÊ PÉS Assim como as mãos, dê uma atenção especial aos pés. Massageie a sola do pé, fazendo movimentos circulares com o polegar. Em seguida, trabalhe o tornozelo com os mesmos movimentos. Finalize a massagem acariciando cada um dos dedinhos. Repita no outro pezinho. Vista o bebê e leve-o para os seus braços envolvendo-o com muito carinho. Deixe a criança relaxando no berço. Logo em seguida o sono virá.

46


HIGIEnE orAL Cuidar da higiene bucal garante uma dentição sadia. É altamente recomendada a higienização do interior da boca do recém-nascido após as mamadas. Essa higiene é feita com fralda de pano (enrolada no dedo mínimo da mãe/cuidador), molhada em água filtrada ou fervida e passada na gengiva, língua e céu da boca. Os resíduos do leite, quando acumulados, podem favorecer a proliferação de fungos (sapinho) e bactérias. Os postos de saúde oferecem consultas de orientação para higiene bucal do bebê desde o primeiro mês de vida. rItuAL Do BAnHo Do BEBÊ o banho tem como finalidade retirar as sujidades e o suor do corpo do bebê, também deve ser um momento prazeroso de relaxamento, tanto para o bebê como para quem o faz. É mais uma oportunidade de um encontro alegre entre a mãe e o seu filho. o banho deve ser diário e no horário mais quente do dia ou ao final da tarde para relaxar o bebê para dormir.

47


PrEPArANDo o BANHo Do BEBÊ ATENÇÃo: o bebê ainda não tem o centro de regulação térmica estabelecido, e portanto perde calor facilmente durante o banho, por este motivo, o banho do bebê deve ser sempre com água morna. PrEPArAnDo o BAnHo Do BEBÊ • • •

• • •

Preparar o ambiente, fechando janelas e portas, sem correntes de ar (evitar a perda de calor por convecção), o cômodo deve estar aquecido; Separar o que será utilizado para vestir o bebê: roupinhas (camisa de pagão, calça, casaquinho), meias e fralda. Também a toalha para secar e o cueiro para enrolar o bebê; Preparar o material para o banho: água morna (testar a temperatura na pele das costas da sua mão ou da parte interna do antebraço), pôr na banheira e deixar uma jarra com a água na temperatura adequada para enxaguar no final. Utilize de preferência sabonete neutro do tipo glicerinado; Separar escova ou pente de cabelo; Separar material para o cuidado do umbigo; Antes de dar o banho, verificar se a fralda está suja (com xixi ou cocô). Você deve retirar a fralda suja, limpar a genitália antes de colocá-lo na banheira (senão irá sujar a água limpa).

DICA: o banho morno tem a capacidade de relaxar o bebê. A associação de um banho morno com a mamada (amamentação), é a combinação perfeita para boas horas de sono.

48


rEALIZAnDo o BAnHo • • • •

• • • • •

Retire a roupa do bebê. Enrole seu corpinho com a toalha, deixando a cabeça descoberta; Segure o bebê adequadamente. Proteja os ouvidos para não entrar água: segure o bebê com a sua mão apoiando a cabeça; com os dedos polegar e médio fechando os ouvidos. A outra mão estará livre para passar o sabonete e jogar água; Inicie o banho pela face, somente com água (a pele do rosto é muito sensível, só passe sabão se realmente estiver com sujeira). Depois lave os cabelos com sabonete neutro, do tipo glicerinado, e seque com a toalha; Para lavar o corpo, retire a toalha. Segure a criança de modo a apoiar o dorso e o pescoço no seu antebraço e coloque o bebê sentado na banheira. Lave o pescoço, as mãos e braços, o tronco, o umbigo, a genitália (sempre da frente para trás), as pernas e os pés. Use pouco sabão e enxágue; Vire o corpo do bebê para lavar as costas. Segure pela axila, mantenha o braço por cima do seu antebraço. Lave o dorso e complemente a limpeza da região anal (bumbum); Use a água da jarra para enxaguar e retirar o sabão que restou; Retire o bebê da banheira, enrolando-o na toalha; Seque seu corpo rápido e delicadamente, capriche nas dobras e nos espaços entre os dedinhos das mãos e dos pés; Primeiro vista a fralda, deixando o umbigo de fora. Depois a camisa de pagão, camiseta, o casaquinho, a calça (se tiver pé, ponha antes as meias), por último as meias.

49


PASSo A PASSo Do BAnHo Do BEBÊ:

Antes de dar o banho, verificar se a fralda está suja (com xixi ou cocô). Você deve retirar a fralda suja, limpar a genitália antes de colocá-lo na banheira (senão irá sujar a água limpa). Comece o banho lavando o rostinho do bebê.

Depois o corpinho, sempre segurando firme.

50


Atenção ao virar o bebê na banheira.

Ao retirar o bebê, deixe próximo uma toalha para secar.

51


HIGIEnE Do uMBIGo (Coto uMBILICAL) A limpeza consiste em higienizar com álcool a 70% na base e no coto umbilical propriamente dito. Você pode usar algodão, gaze, ou hastes flexíveis de algodão tipo Cotonetes®. Deve ser feita sempre após o banho e a cada troca de fralda, e também quando houver presença de secreção. não tenha medo, pois o bebê não sente dor nessa região. Ele pode até chorar por estranhar a temperatura fria do álcool. • • • • • • •

Mantenha o umbigo limpo e seco; Depois de higienizar o umbigo com álcool a 70%, lembre-se de dobrar a fralda para que não abafe o coto umbilical; Use álcool a 70% no umbigo depois do banho e a cada troca de fralda. Cuidado para não encostar o álcool na pele do bebê; A queda poderá levar de 7 a 15 dias, podendo haver um pequeno sangramento; Caso o umbigo apresente mau cheiro, presença de secreção com pus ou vermelhidão ao redor, retorne imediatamente à maternidade ou procure um posto de saúde; Não use faixas, compressas, moedas, medicamentos e nem curativos no coto umbilical; Não deixe que a urina nem as fezes entrem em contato com o umbigo. Caso isso aconteça, lave com água e sabão neutro e seque-o com um pano limpo.Depois aplique o álcool a 70%.

Ao mANuSEAr o áLCooL, TENHA CuiDADo, PoiS ELE É ComBuSTÍVEL, EViTE DEiXá-Lo PrÓXimo Ao FoGo ou A umA FoNTE DE CALor (ex.: cigarro aceso)

52


´

ATENÇÃo: iniciar a limpeza pela base não encostando o álcool na pele do bebê. Apenas faça a limpeza do umbigo com álcool 70%.

´

´

53


ATENÇÃo: o uso prolongado de fraldas molhadas provoca a lesão da pele, as dermatites de fralda, também conhecidas como assaduras.

FrALDAS DE PAno ou FrALDAS DESCArtÁVEIS As fraldas descartáveis são muito práticas. As de melhor qualidade contêm flocos de gel absorvente, conservam nos flocos a umidade, diminuindo o contato direto da urina com a pele, mantêm o bebê seco por mais tempo. FrALDA DE PAno • • • • • • •

Retirar as fezes antes de lavar (não colocar de molho do jeito que tirou do bebê); Lavar separadamente fraldas sujas de fezes e fraldas sujas somente de urina; Enxaguar muito bem para não deixar resíduos de sabão que podem irritar a pele do bebê; Preparar um litro de água com duas colheres de sopa de vinagre branco e usar no último enxágue; Não usar amaciante; Secar ao sol; Passar com ferro quente.

ATENÇÃo: A criança só deverá ficar na posição de barriga para cima no berço depois de 30 minutos após arrotar e/ou golfar (regurgitar).

54


PoSIção Do BEBÊ no BErço Nunca deve deitar o bebê de barriga para baixo, para evitar os riscos de morte súbita. A posição deitada de barriga para cima é a mais aconselhável, principalmente durante a noite, ou quando ele estiver que ficar sozinho por algum tempo. A posição deitada do lado direito facilita a digestão. rouPAS Do BEBÊ • • • • • • •

Dê preferência aos tecidos de algodão, pois eles irritam menos a pele do bebê; A confecção deve ser simples, sem botões, folgada, fácil de vestir e lavar; Nos dias frios, proteja o bebê com roupas e cobertas apropriadas; Evite lã; Lave as roupas com sabão de coco. Ao lavar, enxágue bem para remover qualquer resíduo. Após a lavagem, você pode passá-las a ferro bem quente; Evite uso de amaciantes e alvejantes; Prefira sempre lavar as roupinhas do bebê separadamente.

55


AGASALHANDo SEu BEBÊ — NoS DiAS FrioS

1º passo Dispor o cueiro de jeito que ele fique em formato de losango com uma dobra que pode ser interna ou externa. Você pode escolher.

2º passo Colocar a base da cabeça do recémnascido sobre a dobra feita e centralizada no tecido.

3º passo Iniciar a cobertura do recémnascido a seu critério, pela direita ou esquerda, tapando um dos lados de forma a fazer um ângulo reto com base superior do tecido.

56


4º passo Pegar a parte inferior do tecido que sobrou e levá-la para cima, fechando assim a porção inferior e ajustando o restante do tecido na região ao lado, como um embrulho, bem-ajustado.

5º passo Pegar o ângulo superior do tecido que não foi trabalhado e dobrá-lo sobre a borda do último que ficou da porção anterior, para então pegar a ponta deste tecido, sobrepor ao anterior e envolver o corpo do bebê o quanto puder com o restante do tecido.

AGASALHANDo SEu BEBÊ — NoS DiAS FrioS

57


EXAMES IMPortAntES PArA o BEBÊ tEStE Do PEZInHo •

• • •

É uma triagem neonatal capaz de detectar várias doenças que não apresentam sintomas no nascimento e que, se não forem tratadas o mais cedo possível, podem causar sérios danos à saúde do bebê, inclusive causar deficiência mental grave e irreversível; O teste do pezinho é feito nos postos de saúde, gratuitamente; Mãe: É sua responsabilidade levar seu bebê para o teste do pezinho!; O exame é realizado a partir de gotinhas de sangue coletadas do calcanhar do bebê. Ele deve ser feito entre o terceiro e o sétimo dia de vida.

nos PoStoS DE SAÚDE, este exame é feito para a detecção de doenças como: HIPOTIREOIDISMO CONGÊNITO – Deficiência da tireoide. FENILCETONÚRIA – É uma doença caracterizada por uma anomalia congênita, em que a ausência de uma enzima hepática (fenilalanina) faz com que se acumule no organismo tornando-se tóxico. Essa toxicidade ataca principalmente o cérebro e tem efeitos irreversíveis como o retardo mental. ANEMIA FALCIFORME – Ocorre quando as células vermelhas do sangue estão anormais, e com isso o transporte de oxigênio é dificultado, trazendo sintomas como fadiga, fraqueza e palidez. FIBROSE CÍSTICA – Também conhecida como mucoviscidose. É uma doença genética, com manifestações que comprometem principalmente os sistemas respiratório, digestivo e aparelho reprodutor. Ocorre por uma disfunção das glândulas de secreção exócrina. HIPERPLASIA ADRENAL CONGÊNITA – Deficiência em alguns hormônios e superprodução de outros, o tratamento é feito com o retorno aos níveis hormonais normais.

58


SE O SEU FILHO FOR PORTADOR DE HIPOTIREOIDISMO CONGÊNITO OU FENILCETONÚRIA E NÃO FOR TRATADO DE FORMA ADEQUADA, CERTAMENTE DESENVOLVERÁ DOENÇA MENTAL. oS DoIS trAtAMEntoS São GrAtuItoS E oFErECIDoS PELo SErVIço DE rEFErÊnCIA EM trIAGEM nEonAtAL.

tEStE DA orELHInHA • • •

O teste da orelhinha é uma triagem auditiva que visa a diagnosticar a deficiência auditiva; Esse exame consiste na colocação de um fone acoplado a um computador na orelha do bebê. O aparelho emite sons de fraca intensidade e recolhe as respostas que o ouvido do bebê produz; É realizado com o bebê dormindo, em sono natural, não machuca, é rápido e não tem contraindicações. Quem realiza o teste é um fonoaudiólogo.

tEStE Do oLHInHo ou rEFLEXo VErMELHo •

• •

A triagem visual em recém-nascidos é realizada através do teste do olhinho ou teste do reflexo vermelho. Consiste em um exame realizado nas primeiras horas de vida, no centro obstétrico, alojamento conjunto ou em casa (partos domiciliares) para detectar possíveis problemas e evitar sérios problemas de visão; É um teste simples, rápido, indolor e gratuito; As doenças oculares que podem ser identificadas são: catarata congênita (toxoplasmose, rubéola, herpes e sífilis), tumores e má-formação.

59


VACInAção A vacina é a maneira mais simples, eficiente e barata de se prevenir contra uma doença, porque torna o organismo resistente a ela. O calendário de vacinação da criança está presente na caderneta de saúde que a criança recebe quando nasce. As vacinas começam na maternidade e depois continuam no posto de saúde mais próximo de sua casa. É responsabilidade dos pais levar os filhos ao posto de saúde para vacinar. uMA DICA PArA A VACInAção Do SEu FILHo! Um estudo intitulado Aleitamento Materno: “um elo de amor e manejo da dor durante a aplicação da vacina BCG-ID”, realizado por uma enfermeira, comprovou que o bebê não sente dor quando a mãe o coloca para mamar no peito durante a vacinação BCG-ID, o mesmo acontece para qualquer procedimento doloroso como, por exemplo, o teste do pezinho. Assim, sempre que seu bebê for submetido à vacinação ou ao teste do pezinho, coloque-o para mamar, espere sugar bem, e você vai observar como o resultado dessa pesquisa é importante na vida do seu filho, evitando que ele sinta dor e que você sofra junto com ele.

60


CALEnDÁrIo BÁSICo DE VACInAção DA CrIAnçA IDADE Ao nASCEr

VACInAS

DoSES

BCG-ID

DOSE ÚNICA

HEPATITE B

1ª DOSE

PENTAVALENTE (DTP + Hib+HB)

1 ª DOSE

VACINA POLIOMIELITE INATIVADA

1 ª DOSE

VACINA ORAL ROTAVÍRUS HUMANDO

1 ª DOSE

VACINA PNEUMOCÓCICA 10

1 ª DOSE

VACINA MENINGOCÓCICA C

1 ª DOSE

PENTAVALENTE (DTP + Hib+HB)

2 ª DOSE

VACINA POLIOMIELITE INATIVADA

2 ª DOSE

VACINA ORAL ROTAVÍRUS HUMANDO

2 ª DOSE

VACINA PNEUMOCÓCICA 10

2 ª DOSE

VACINA MENINGOCÓCICA C

2 ª DOSE

PENTAVALENTE (DTP + Hib+HB)

3 ª DOSE

VACINA ORAL POLIOMIELITE

3 ª DOSE

VACINA PNEUMOCÓCICA 10

3ª DOSE

VACINA CONTRA FEBRE AMARELA

DOSE INICIAL

TRÍPLICE VIRAL

1ª DOSE

VACINA PNEUMOCÓCICA 10

REFORÇO

TRIPLICE BACTERIANA (DTP)

1º REFORÇO

VACINA ORAL POLIOMIELITE

REFORÇO

MENINGOCÓCICA C

REFORÇO

TRÍPLICE BACTERIANA (DTP)

2º REFORÇO

TRÍPLICE VIRAL

2ª DOSE

FEBRE AMARELA

UMA DOSE A CADA 10 ANOS

2 MESES

3 MESES

4 MESES

5 MESES

6 MESES

9 MESES 12 MESES

15 MESES

4 AnoS

10 AnoS

CAMPAnHAS nACIonAIS PArA CrIAnçA MEnorES DE 5 AnoS

VACINA ORAL POLIOMIELITE

DE 6 MESES A 2 AnoS

VACINA INFLUENZA (GRIPE)

* Fonte: Calendário de Vacinação da Criança: Ministério da Saúde, 2010

61


5 DirEiToS DA mÃE, Do PAi E DA CriANÇA

5

Direito à Licença-Maternidade Conciliar a maternidade com a carreira profissional é sempre um desafio para qualquer mulher. Segundo a Constituição Federal e a Consolidação das Leis Trabalhistas, a licença-maternidade é de 120 (cento e vinte) dias sem prejuízo do emprego e do salário. De acordo com a Lei Nº 11.770/2008, fruto da campanha da Sociedade Brasileira de Pediatria – Licença-maternidade: seis meses é melhor! –, as servidoras públicas e as empregadas de empresas que aderirem ao Programa Empresa Cidadã a partir de 2010 têm direito a solicitar prorrogação por 60 dias, de sua licençamaternidade.

ATENÇÃo: Como a prorrogação é facultativa, alertamos que a mãe deve lutar para que seu empregador lhe conceda esse benefício tão importante para garantir o sucesso do aleitamento materno exclusivo e para proporcionar os estímulos necessários para o desenvolvimento físico, emocional e intelectual do bebê. IntErVALoS no HorÁrIo DE trABALHo PArA AMAMEntAr o SEu FILHo As mães que não puderem prorrogar a licença-maternidade por mais 60 dias têm direito a duas pausas, de meia hora cada uma, para amamentar seu filho até que ele complete seis meses. Algumas mães negociam com o seu empregador para, em

62


substituição aos dois intervalos de 30 minutos, entrarem uma hora mais tarde ou saírem uma hora mais cedo do trabalho, para amamentar. DIrEIto DA MãE EStuDAntE As estudantes estão amparadas pela Lei Nº 6.202/1975 que permite a obtenção de notas com trabalhos realizados em casa. O início e o fim do período em que é permitido o afastamento serão determinados por atestado médico a ser apresentado na direção da escola. DIrEIto À LICEnçA-PAtErnIDADE De acordo com a Constituição Federal, os pais têm direito a uma licença de cinco dias para auxiliar a mãe do seu filho durante o período que se segue ao parto.

ATENÇÃo: O Projeto de Lei N• 3.935/2008, em tramitação no Congresso Nacional, propõe a extensão da licença-paternidade para 15 dias, tanto para o pai biológico quanto para o pai adotivo. o benefício valerá para os trabalhadores regidos pela Consolidação das Leis do Trabalho. Dessa forma, o pai terá mais tempo para auxiliar a mãe no período do pós-parto, em que ela se encontra normalmente mais fragilizada, e poderá conviver de forma mais intensa com seu fi lho recém-nascido, fortalecendo o vínculo afetivo.

63


DIrEItoS DA CrIAnçA 1. registro do bebê (certidão de nascimento): • O bebê deverá ser registrado nos primeiros dias de vida; • O registro poderá ocorrer no local do nascimento ou no cartório de registro civil mais próximo do hospital ou de sua residência, e é gratuito. 2. os documentos necessários para o registro de seu bebê são: • Carteira de Identidade (RG) original, Certidão de Casamento se houver e a DNV (Declaração de Nascido Vivo) fornecida na Maternidade após o parto; • A filiação paterna deve ser declarada pelo próprio pai da criança, por isso existe a necessidade de sua presença no ato do registro no Cartório; • Caso a mãe compareça só, a criança será registrada somente com seu sobrenome, e caberá a esta o preenchimento de um Termo de Suposta Paternidade, que será utilizado na ação judicial para reconhecimento da mesma; • No caso de pais menores de 16 anos será necessária a presença dos pais (avós da criança) ou um responsável maior de 18 anos; • A primeira via da Certidão de Nascimento é gratuita, conforme a Lei nº 9534/97, tê-la é um direito do bebê, providenciá-la é um dever de seus pais. 3. Para matricular seu bebê numa unidade Básica de Saúde: • Leve a Certidão de Nascimento do bebê e um comprovante de residência à unidade mais próxima de sua residência; • É ideal que a mãe procure o posto de saúde antes que o bebê complete uma semana de vida. É importante para o início do esquema de vacinação fazer o teste do pezinho. Deve haver sempre o acompanhamento do bebê por um profissional de saúde; • O Sistema Único de Assistência Social (SUAS) realiza o atendimento às famílias em situação de vulnerabilidade social (pobreza), através de programas e benefícios assistenciais. Conheça o Centro de Refêrencia da Assistência Social (CRAS) do seu município através da Secretaria Municipal de Assistência Social.

65


rEFErÊnCIAS BRASIL. Ministério da Saúde. Parto, aborto e puerpério: assistência humanizada à mulher. Brasília: DF, 2001. BRASIL. Ministério da Saúde. Agenda de Compromisso para a Saúde Integral da Criança e Redução da Mortalidade Infantil. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Brasília: DF, 2004. BRASIL. Ministério da Saúde. Manual Técnico Pré-natal e Puerpério. Atenção qualificada e humanizada. Brasília: DF, 2006. BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Promovendo o Aleitamento Materno. 2. ed. rev. Brasília: DF, 2007. Álbum seriado. BRASIL. Ministério da Saúde. Saúde da Criança; nutrição infantil. Aleitamento materno e alimentação complementar. Série A. Normas e Manuais Técnicos. Cadernos de Atenção Básica – nº 23. Brasília: DF, 2009. BRASIL. Ministério da Saúde. Rede Nacional de Banco de Leite Humano. Disponível em: www.redeblh.fiocruz.br. Acesso em: 28 de fevereiro de 2010. BRASIL. Ministério da Saúde. Calendário Básico de Vacinação da Criança. Disponível em: www.portal.saude.gov.br. Acesso em: 25 de fevereiro 2010. BRASIL. Estatuto da Criança e do Adolescente. Lei 8.069, de 13 de julho de 1990. BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Direitos sexuais, direitos reprodutivos e métodos anticoncepcionais / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Brasília : Ministério da Saúde, 2006. BRASIL. Programa Empresa Cidadã, destinado à prorrogação da licençamaternidade mediante concessão de incentivo fiscal, e altera a Lei nº 8.212, de 24

66


de julho de 1991. Lei nº 11770, de 09 de setembro de 2008. Brasília. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2008/Lei/L11770.htm. Acesso em 20 de fevereiro de 2010. BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituiçao.htm. Acesso em: 20 de fevereiro de 2010. BRASIL. Atribui à estudante em estado de gestação o regime de exercícios domicilares instituídos pelo Decreto-lei nº 1044, de 1969, e dá outras providências. Lei 6.202, de 17 de abril de 1975. Brasília. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ ccivil_03/Leis/1970-1979/L6202.htm. Acesso em: 19 de fevereiro de 2010. BRASIL. Aprova a Consolidação das Leis do Trabalho. Lei 5.452, de 1 de maio de 1943. Brasília. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil/decreto-lei/del5452. htm. Acesso em: 10 de fevereiro de 2010. BURIGO, RA & FEYER, ISS (Org.) O florescer da vida: parto domiciliar planejado,orientações para a gestação, parto e pós-parto. Florianópolis: Lagoa Editora, 2009. CARDIM, MG. Aleitamento Materno: Um elo de amor e manejo da dor durante a aplicação da vacina BCG-ID – Dissertação de Mestrado – UNIRIO – 2006. FIGUEIREDO, NMA (Org). Ensinando a cuidar da mulher, do homem e do recémnascido. 1. ed. São Caetano do Sul: YENDIS, 2005. SOCIEDADE BRASILEIRA DE PEDIATRIA (Vários Autores). FILHOS: da gravidez até os dois anos de idade: um guia completo da Sociedade Brasileira de Pediatria, Volume 1. Barueri, SP: Editora Manole, 2010. PUGLIESI, V. Massageando seu bebê. São Paulo: Editora Escala, 2006.

67


AutorES LEILA RANGEL DA SILVA. Enfermeira Obstetra. Professora Associada do Departamento de Enfermagem Materno-Infantil (DEMI) da Escola de Enfermagem Alfredo Pinto (EEAP) da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO). INÊS MARIA MENESES DOS SANTOS. Enfermeira Obstetra. Professora Adjunta do DEMI da EEAP da UNIRIO. CRISTIANE RODRIGUES DA ROCHA. Enfermeira Obstetra. Professora Adjunta do DEMI da EEAP da UNIRIO. MARIA APARECIDA DE LUCA NASCIMENTO. Enfermeira Pediátrica. Professora Adjunta do DEMI da EEAP da UNIRIO. DASIO MARCONDES. Médico Obstetra. Professor Adjunto da Disciplina de Obstetrícia da Escola de Medicina e Cirurgia da UNIRIO. Chefe da Maternidade do Hospital Universitário Gaffrée e Guinle (HUGG). MARCOS VASCONCELLOS. Médico Obstetra. Professor Adjunto da Disciplina de Obstetrícia da Escola de Medicina e Cirurgia da UNIRIO. Serviço de Obstetrícia. ANA MARIA DE OLIVEIRA PONTE. Médica Pediatra. Professora Adjunta da Disciplina de Pediatria da Escola de Medicina e Cirurgia da UNIRIO. Serviço de Neonatologia. ELAINE DA COSTA GUIMARÃES. Enfermeira Pediatra. Chefe de Enfermagem da Maternidade do HUGG (2007 - 2011). ELAINE FRANCO RIBEIRO FONSECA. Enfermeira Neonatal. Chefe de Enfermagem da Maternidade do HUGG (desde 2011).

68


ALANA STÉPHANIE ESTEVES VILLAR. Enfermeira Especialista em Banco de Leite Humano pelo Instituto Nacional de Saúde da Criança, da Mulher e do Adolescente Fernandes Figueira (IFF/FIOCRUZ). MAÍRA DOMINGUES BERNARDES SILVA. Enfermeira Pediátrica. Tecnologista em Saúde Pública da FIOCRUZ. BIANCA MARQUES GINDRE DA SILVA. Enfermeira Neonatologista Graduada na EEAP. Bolsista IC/UNIRIO. ROBERTA OLIVEIRA FERREIRA. Assistente Social do Hospital Universitário Gaffrée e Guinle (HUGG). LUANA ARAÚJO DA CRUZ. Enfermeira Graduanda em Enfermagem da EEAP da UNIRIO. Bolsista PIBIC/CNPq. LUCIANA RODRIGUES DA SILVA. Doutoranda do Programa de Pós-Graducação em Enfermagem e Biociências - PPGENFBIO da UNIRIO. Professora Assistente da Escola de Enfermagem. Aurora de Afonso Costa da Universidade Federal Fluminense. ELIZA CRISTINA MACEDO. Doutoranda do PPGENFBIO da UNIRIO. Professora Assistente do DEMI da EEAP da UNIRIO. MÁRCIA BARBOSA DE PAIVA. Doutoranda do PPGENFBIO da UNIRIO. Enfermeira Pediátrica do IFF/FIOCRUZ.

69


ANEXo A ControLE DE VACInAção IDADE

70

VACInA

DAtA DE VACInAção

oBSErVAçÕES


ANEXo B oBSErVAçÕES SoBrE o BEBÊ

71



Material educativo hugg issu