Page 1

O

IV AO V

PA R T I C I PA Ç Ã O E S P E C I A L

Diogo Nogueira Péricles Dona Ivone Lara Monarco


1 SURURU FORMADO 3:35 (Nilze Carvalho/ Fabiano Salek/ Sílvio Carvalho) DIRETO • BR-5DA-13-00001

Quando canto meu samba, ô, iaiá, é pra te enfeitiçar/ Sururu está formado, quero ver você sambar Vem pra roda, sem demora, menina, deixa a tristeza pra lá/ Vem pra roda, vem, morena, vem agora, vem sambar/ Vem pra roda, vem, pequena, vem pro samba se acabar// Tem samba, ioiô, tem samba, iaiá/ Quem samba não pode parar, quem samba não pode parar// Cavaco e viola choram de alegria, como é bom de ver/ É pandeiro, é cuíca, é tantã, é repique, pro couro comer/ O surdão na marcação faz seu corpo arrepiar/ Vem pra roda, vem, morena, vem agora, vem sambar/ Vem pra roda, vem, pequena, vem pro samba se acabar// Esse samba de roda que traz alegria, vem do coração/ Minha gente, canta forte, quero ouvir esse refrão/ Vem pra roda, sem demora, menina, deixa a tristeza pra lá/ Vem pra roda, vem, morena, vem agora, vem sambar/ Vem pra roda, vem, pequena, vem pro samba se acabar// O meu samba é um vício pra lá de difícil de largar/ Cantei samba em Campo Grande, Japão, Madureira, New York e Dakar/ Canto samba a noite inteira e vou até o sol raiar/ Trago comigo a esperança de um grande amor encontrar

2 ERREI 3:10 (Nilze Carvalho/ Fabiano Salek/ Sílvio Carvalho/ Camila Costa) DIRETO/ DUBAS • BR-5DA-13-00002

Errei, foi minha culpa, não te dei valor/ Eu sei que machuquei o teu coração/ Mas fui iludido por um falso amor/ Que causou muito sofrimento e dor/ E, agora, vejo a minha ingratidão// Volta pra mim, não faz assim Nossa história de amor não pode ter sido em vão/ Pois, sem você, é tão ruim/ Hoje eu venho te pedir perdão// Me perdoa, meu bem, que saudade é tamanha/ Se me deixar ficar, eu prometo a você, serei só seu amor E, se você quiser, largo a boemia pra me redimir/ Pois o nosso amor é mais forte que o erro que eu cometi

3 O OURO E A MADEIRA 2:21 (Ederaldo Gentil) WARNER/CHAPPELL • BR-5DA-13-00003

Não queria ser o mar, me bastava a fonte/ Muito menos ser a rosa, simplesmente o espinho/ Não queria ser caminho, porém o atalho/ Muito menos ser a chuva, apenas o orvalho/ Não queria ser o dia, só a alvorada/ Muito menos ser o campo, me bastava o grão/ Não queria ser a vida, porém o momento/ Muito menos ser o concerto, apenas a canção// O ouro afunda no mar, madeira fica por cima/ Ostra nasce do lodo, gerando pérolas finas


4 SE VOCÊ ME OUVISSE 3:16 (Nelson Cavaquinho/ Guilherme de Brito) UNIVERSAL MUS PUBL MGB (ADDAF) • BR-5DA-13-00004

Se você me ouvisse, não estaria chorando agora/ Chora, chora, vou-me embora Vou deixar a saudade como lembrança, adeus, linda criança/ Se ficar, vou sofrer muito mais do que já sofri/ Vou com Deus, vou sair daqui/ O nosso sonho chegou ao fim, não adianta chorar por mim// O amor quando nasce é bonito a gente ver/ Que bom se não chegasse o momento do amor morrer/ É por isso que eu sinto o meu peito tão magoado/ Quando venho dizer que está tudo acabado

5 O QUITANDEIRO 3:27

PARTICIPAÇÃO ESPECIAL

(Paulo da Portela/ Monarco)

MONARCO

TAPAJÓS (EMI) • BR-5DA-13-00005

Quitandeiro, leva cheiro e tomate/ Na casa do Chocolate, que hoje vai ter macarrão/ Prepara a barriga, macacada, que a boia tá enfezada/ E o pagode fica bom, fica bom, fica bom, fica bom/ Chega só trinta litros de uca para fechar a butuca desses nego beberrão/ Chocolate, tu avisa à crioula/ Que carregue na cebola e no queijo parmesão// Mas não se esqueça de avisar à nega Estela/ Que o pessoal da Portela vai cantar partido-alto/ Vai ter pagode até o dia amanhecer/ E os versos de improviso serão em homenagem a você

6 MOMENTO DE AGRADECER 2:37

(Fabiano Salek/ Nilze Carvalho/ Zeca Leal) DIRETO • BR-5DA-13-00006

Vida, natureza, tece seu tear/ Fruto de beleza, tempo do amor frutificar// Pra quem nunca cansou de esperar/ É o momento de agradecer/ Vem trazer boa-nova pra quem tem fé, o amor vai nascer// Quando o dia sonhado chegar Cantaremos pra te receber/ Será sempre motivo de festejar, de brincar, de viver


7 MORENA DE ANGOLA 3:46 (Chico Buarque) MAROLA EDIÇÕES • BR-5DA-13-00007

Morena de Angola que leva o chocalho amarrado na canela/ Será que ela mexe o chocalho ou o chocalho é que mexe com ela?// Será que a morena cochila escutando o cochicho do chocalho?/ Será que desperta gingando e já sai chocalhando pro trabalho?// Será que ela tá na cozinha guisando a galinha à cabidela?/ Será que esqueceu da galinha e ficou batucando na panela?// Será que no meio da mata, na moita, a morena ‘inda chocalha?/ Será que ela não fica afoita pra dançar na chama da batalha?// Será que quando vai pra cama a morena se esquece dos chocalhos?/ Será que namora fazendo bochincho com seus penduricalhos?// Será que ela tá caprichando no peixe que eu trouxe de Benguela?/ Será que tá no remelexo e abandonou meu peixe na tigela?// Será que quando fica choca põe de quarentena o seu chocalho?/ Será que depois ela bota a canela no nicho do pirralho?// Morena de Angola que leva o chocalho amarrado na canela/ Eu acho que deixei um cacho do meu coração na Catumbela// Morena de Angola que leva o chocalho amarrado na canela/ Morena, bichinha danada, minha camarada do MPLA

8 QUANDO EU ME CHAMAR SAUDADE 3:10 (Guilherme de Brito/ Nelson Cavaquinho) CORISCO • BR-5DA-13-00008

Sei que amanhã, quando eu morrer/ Os meus amigos vão dizer que eu tinha um bom coração/ Alguns até hão de chorar/ E querer me homenagear fazendo de ouro um violão/ Mas, depois que o tempo passar/ Sei que ninguém vai se lembrar que eu fui embora/ Por isso é que eu penso assim:/ Se alguém quiser fazer por mim, que faça agora// Me dê as flores em vida, o carinho, a mão amiga/ Para aliviar meus “ais”/ Depois que eu me chamar saudade/ Não preciso de vaidade, quero preces e nada mais

9 PIMENTA NO VATAPÁ 2:51 (João Nogueira/ Cláudio Jorge) TAPAJÓS (EMI) • BR-5DA-13-00009

PARTICIPAÇÃO ESPECIAL

DIOGO NOGUEIRA

Agora, meu Deus, o que eu faço agora?/ Não era a hora de me deixar/ Morena, você foi embora/ Ardeu e eu fiquei a chorar/ Pimenta demais pro meu vatapá// O meu coração parou e até calou o meu sabiá/ Meu verso se apagou, desacreditou o tal verbo amar/ Agora você quer voltar e eu é que vou aplicar/ Pimenta demais no seu vatapá/ Vai arder pra daná!


10 TRISTEZA PÉ NO CHÃO 3:02 (Armando Fernandes “Mamão”) TAPAJÓS (EMI) • BR-5DA-13-00010

Dei um aperto de saudade no meu tamborim/ Molhei o pano da cuíca com as minhas lágrimas/ Dei meu tempo de espera para a marcação e cantei/ A minha vida na avenida sem empolgação// Vai, manter a tradição/ Vai, meu bloco, tristeza e pé no chão// Fiz o estandarte com as minhas mágoas/ Usei como destaque a tua falsidade/ Do nosso desacerto fiz meu samba-enredo/ Do velho som da minha surda dividi meus versos// Nas platinelas do pandeiro coloquei surdina/ Marquei o último ensaio em qualquer esquina/ Manchei o verde-esperança da nossa bandeira/ Marquei o dia do desfile para quarta-feira

11 CAMINHANDO 2:41 INSTRUMENTAL (Nelson Cavaquinho/ Norival Bahia) BANDEIRANTE (ADDAF) • BR-5DA-13-00011

12 PARTIDO CORAÇÃO 2:54 (Nilze Carvalho/ Fabiano Salek/ Sílvio Carvalho) DIRETO • BR-5DA-13-00012

Difícil consolar um coração partido/ Chorando no castigo dessa solidão/ Bateu descompassado, sem dar um suspiro/ Caiu despedaçado, se espalhou no chão// Será que dor tamanha ainda vai ter cura/ Ou dose de doçura vai reanimar/ A cadência irregular de um coração partido/ Doído, sofrido, sem rumo, sem par// E só vai bater se um novo alguém/ Chegar que nem o alvorecer/ Trazendo a luz que apagou/ Devolvendo ao olhar aquele brilho que secou// Um novo amor pode curar/ Levar no mar o que passou/ Que seja assim, quero sonhar/ Só peço força pra recomeçar// Difícil controlar um coração partido/ Bateu descompassado sem dar um suspiro/ Doído, sofrido, sem rumo, sem par/ Mas tá vivo e à procura de alguém para amar

13 AINDA POSSO SER FELIZ 3:34 (Nilze Carvalho/ Fabiano Salek/ Sílvio Carvalho)

PARTICIPAÇÃO ESPECIAL

PÉRICLES

DIRETO • BR-5DA-13-00013 • PÉRICLES GENTILMENTE CEDIDO PELA RGE

Você foi pra mim tudo e nada/ Minha felicidade e desilusão/ Nunca me deu valor, nunca me deu calor/ Te dei tanto amor e foi tudo em vão// Você diz que me ama/ Se aconchega em meu peito, acende a chama/ E eu sou seu bem-querer/ Depois, vem pra mim dizer que não ama/ Faz pouco do meu sentimento, magoa e não quer nem saber// Vai embora de uma vez, lá, laiá, laiá/ Nosso amor morreu pela raiz/ É bem melhor parar, não dá mais pra segurar/ Eu vou mostrar pra você que posso ser feliz// Vai embora de uma vez, lá, laiá, laiá Nosso amor morreu pela raiz/ É bem melhor parar, não dá pra continuar/ Você vai ver que eu posso ser feliz


Numa estrada de 12 anos, este registro ao vivo é mais um pequeno grande passo que damos em direção à felicidade. Felicidade por merecer os encontros com Dona Ivone Lara, Mestre Monarco da Portela, Péricles e Diogo Nogueira – grandes nomes da MPB a quem agradecemos a honra da companhia. O mesmo sentimento se repete no contato com a plateia encantadora que representa aqui todo nosso público a quem dedicamos nossa imensa gratidão. • Algumas pessoas fizeram a diferença, como o craque na generosidade e no cavaquinho, Alceu Maia, que nos emprestou seu talento e experiência. Nossos músicos Diego Zangado, Zé Luiz Maia, Everson Moraes, Naife Simões, Thiago da Serrinha, PC Castilho e os irmãos Caldi: Alexandre, assinando belíssimos arranjos e Marcelo, com sua sanfona arretada. • Fora do palco, além do apoio incondicional de nossas famílias, agradecemos a amigos com contribuições imprescindíveis: Edson Oscar, Sergio Manso, Ângela Herz, Marcus Adriano, Edna, Rogério Wiltgen, Suzana Lacevitz, Renata Lamenza e João Elias. • Vindo de tantos projetos bem-sucedidos, Ricardo Moreira, com sua dedicação ao samba e à MPB, assina a direção artística e ajuda a deixar tudo lindo. Valeu, Ricardinho! • Nosso agradecimento especial ao Sururu que de fora do palco canta e toca conosco as ações com o mesmo profissionalismo e carinho com que cantamos para vocês: nossas sócias-parceiras-empresárias, Isabela Alves e Victoria Dannemann. Muito obrigado por mais esse sonho realizado. • Agradecemos também aos novos parceiros, Jorge Lopes e Victor Kelly da EMI Music, a Luiz Boal da Olhar Brasileiro e ao Canal Brasil por estarem ao nosso lado neste projeto. R icardo M oreira A lceu M aia direção de produção I sabela A lves e V ictoria D annemann • produção F lavio G ambôa e P atrícia D ella N ina • S ururu na R oda é N ilze C arvalho , J uliana Z anardi , F abiano S alek e S ílvio C arvalho • participações especiais M onarco em O quitandeiro , D iogo N ogueira em P imenta no vatapá , P éricles em A inda posso ser feliz e D ona I vone L ara em S enhora da canção / S onho meu / M as quem disse que eu te esqueço / T iê • arranjos S ururu na R oda • arranjos de metais A lexandre C aldi • músicos participantes N ilze C arvalho voz principal ( faixas 6 , 7 , 10 , 13 , 18 e 20) , cavaquinho e violão ( faixa 10)/ B andolim ( faixa 11) , contracanto (faixa 14)/ Juliana Zanardi voz principal (faixas 7 e 8), violão (exceto na faixa 14), ganzá (faixa 10)/ Fabiano Salek voz principal (faixas 12 e 15), pandeiro e caxixi (faixas 6, 14 e 20), colher (faixa 7), agogô (faixa 8), tamborim (faixa 10), zabumba (faixa 16)/ Sílvio Carvalho voz principal (faixas 2, 5, 14, 15 e 16), surdo e tantã (faixas 4, 8, 10 e 12), coco (faixas 7 e 16), tamborim (faixas 8, 10, 13 e 18), agogô (faixa 7) • Alexandre Caldi sax (faixas 1, 7, 9, 12, 14 a 18 e 20), flauta (faixas 3 a 6, 10 e 14), flautim (faixas 2 e 5), caxixi (faixa 1), coro (faixa 13)/ PC Castilho flauta (faixas 1, 3, 4, 6, 7, 9, 10 a 18 e 20), flautim (faixas 2 e 5), agogô (faixa 1), ganzá (faixa 8), coro (faixa 13)/ Everson Moraes trombone (faixas 2, 3, 5, 6, 7, 9, 12, 14 a 18 e 19), trompete (faixa 10), reco - reco (faixas 1 e 13), coro (faixa 13)/ Z é L uiz M aia baixo / D iego Z angado bateria e ganzá ( faixas 3 , 7 e 8)/ Naife Simões tamborim (faixas 3, 4, 8, 9, 10, 15 e 17), pandeiro (faixas 1, 4, uma produção SURURU NA RODA e DANNEMANN ENTRETENIMENTO • direção artística direção musical


a s s e s s o r i a d e p r o j e t o

r e a l i z a ç ã o

Contato para shows 21. 2259-6623/ 7624-0029 7825-4598 - ID 6*2802

isabelasalves@gmail.com

5, 12, 13 e 18), congas (faixas 6, 14, 15, 16 e 20), reco-reco (faixas 7 e 11), berimbau (faixa 1), block (faixa 2), colher (faixa 7), caxixi e xequerê (faixa 18)/

Thiaguinho

da

Serrinha

cuíca (faixas 3, 8, 10, 12 e 15), tantã

(faixas 5, 17 e 18), caixa (faixas 4, 10, 13 e 18), cowbell (faixas 7, 14 e 18), repique de mão (faixas 1, 3, 4, 8 e 13), pandeiro (faixas 4 e 14), tamborim (faixas 11 e 18), timbale (faixas 14 e 16), conga (faixa 1), reco-reco

(faixa 2), agogô e efeitos (faixa 8), frigideira e caxixi (faixa 7), repique de anel (faixa 10), xequerê (faixa 16),

Alceu Maia banjo (faixas 1, 5 e 13), Marcelo Caldi acordeom (faixas 7, Marcus Adriano • unidade loudness de gravação e sonorização Márcio Pilot (supervisão) e Celso Birruga (técnico responsável) • técnico de ensaio Salles Paganino (Be Happy) • técnico de p.a. Aurélio Kauffmann • técnico de monitor S ergio M anso • roadies E dson O scar e J r . V ernin • operação de tp A ntonio T obias F ortuna estúdio de mixagem Cia. dos Técnicos • técnicos de mixagem e edições digitais M arcus A driano e F red F usaro / masterização R icardo G arcia ( M agic M aster ) cenário Cenografia.net/ projeto Susana Lacevitz/ produção P hilippe M idani / assistente A lessandra A lli / cenotécnico E vandro P ope e equipe / aderecista V erônica da Costa • figurino Renata Lamenza • maquiagem Edna • fotos Ana Quintela (exceto imagens das participações retiradas de frames de vídeo)/ Diego Zangado usa pratos Bosphorus • capa GPS D ireção G ráfica / direção de arte G eraldo A lves P into • projeto gráfico Carol Philipps Ramos • tratamento de imagem Michael Canno • revisão Luiz Augusto (Revertexto) ................................................................................................... timbau (faixa 20) músicos convidados

11 e 16) •

Gravações

ao vivo e adicionais

GRAVADO AO VIVO NO ESPAÇO TOM JOBIM, RIO DE JANEIRO (RJ), NO DIA 31 DE JULHO DE 2012


14 OLHOS COLORIDOS 3:35 (Macau) WARNER/CHAPPELL • BR-5DA-13-00014

Os meus olhos coloridos me fazem refletir/ Eu estou sempre na minha e não posso mais fugir Meu cabelo enrolado todos querem imitar/ Eles estão baratinados, também querem enrolar/ Você ri da minha roupa, você ri do meu cabelo/ Você ri da minha pele, você ri do meu sorriso/ A verdade é que você tem sangue crioulo/ Tem cabelo duro, sarará crioulo/ Sarará crioulo, sarará crioulo

15 Ô SORTE 3:41 (Nilze Carvalho/ Fabiano Salek/ Sílvio Carvalho) DIRETO • BR-5DA-13-00015

Vinha caminhando, linda como flor/ Num balanço ímpar, todo sedutor/ Não deu pra fugir, nem pra disfarçar/ Fiquei vidrado, não parei de olhar// Cabelos ao vento, olhos cor de mel/ Uma obra-prima de tirar o chapéu/ Te joguei um charme, você devolveu/ Nem imaginava, mas aconteceu// Ô, ô, ô, coisa linda de se admirar/ Ô, ô, ô, joia rara de se ver/ Ô, ô, ô, presente que todo mundo quer ganhar/ Ah, ah, seu lugar será aqui, pra sempre ao meu lado// Ô, sorte! Encontrar o amor assim, tão por acaso/ Ô, sorte! Ter você pra mim, ficar ao seu lado/ Ô, sorte! Quero ter a vida inteira pra ficar juntinho de você

16 JÁ QUE TÁ GOSTOSO DEIXA

(MATA PAPAI) 3:04 (Jorge Santana/ Paulo Santana) WARNER/CHAPPELL • BR-5DA-13-00016

Tô doidinho pra te dar um cheiro, ô, mulher, vem cá/ Não consigo dormir direito de tanto pensar/ Tô precisando dar um jeito de te conquistar/ Ou, quem sabe, só tem um jeito que é te agarrar// Te dar um cheiro no pescoço, de fazer arrepiar/ Você dizendo: “tá gostoso, tá gostoso pra daná”/ Entre beijos e carinhos, nós dois vamos nos amar/ Mesmo deitado ou em pé, você vai ser minha mulher// Ai, ai, ai! Mata o papai/ Ai, ai, ai! Mata o papai/ Ai, ai, ai! Mata o papai, mainha!/ Ai, ai, ai, ai! Mata o papai/ Ai, ai, ai, ai! Mata o papai/ Ai, ai, ai, ai! Mata o papai, mainha!// Já que tá gostoso, deixa, mamãe/ Deixa, mamãe, deixa, mamãe, deixa, mamãe


17 SENHORA DA CANÇÃO/ SONHO MEU/ MAS QUEM DISSE QUE EU TE ESQUEÇO/ TIÊ 6:02

PARTICIPAÇÃO ESPECIAL

DONA IVONE LARA

(Nei Lopes/ Cláudio Jorge) TAPAJÓS (EMI) • (Yvonne Lara/ Delcio Carvalho) WARNER/CHAPPELL (ADDAF) (Dona Ivone Lara/ Hermínio Bello de Carvalho) WARNER/CHAPPELL/ UBC • (Dona Yvone Lara/ Hélio/ Fuleiro) IRMÃOS VITALE • BR-5DA-13-00017 • DONA IVONE LARA GENTILMENTE CEDIDA PELA COPYRIGHTS CONSULTORIA

Ivone Lara, rá, rá, rá, rá, rá, rá, rá/ Pérola rara no compor e no cantar/ Senhora da canção, doce instrumento Pastora da emoção, do sentimento/ Ivone Lara, rá, rá, rá, rá, ra, rá, rá/ Tudo se aclara sob a luz do teu luar/ Lavando a nossa alma com a mais fina inspiração/ Meu samba te pega na palma e beija tua mão • Sonho meu, sonho meu/ Vai buscar quem mora longe, sonho meu/ Vai mostrar esta saudade, sonho meu/ Com a sua liberdade, sonho meu/ No meu céu, a estrela-guia se perdeu/ A madrugada fria só me traz melancolia, sonho meu/ Sinto o canto da noite na boca do vento/ Fazer a dança das flores no meu pensamento/ Traz a pureza de um samba, sentido marcado de mágoas de amor/ Um samba que mexe o corpo da gente e o vento vadio embalando a flor • Tristeza rolou dos meus olhos de um jeito que eu não queria/ E manchou meu coração, que tamanha covardia!/ Afivelaram meu peito pra eu deixar de te amar/ Acinzentaram minh’alma, mas não cegaram o olhar/ Saudade, amor, que saudade! Que me vira pelo avesso e revira meu avesso/ Puseram a faca em meu peito/ Mas, quem disse que eu te esqueço?/ Mas, quem disse que eu mereço? • Tiê, tiê, olha lá, Oxá!/ Tiê, tiê, olha lá, Oxá!/ Passarinho estimado que me deu inspiração/ Dos meus tempos de criança, guardei na lembrança esta recordação Representava pra mim carinho, amor e paixão/ Mas o ingrato do tiê desprezou meu coração/ A estrela no céu corre, eu também quero correr/ A estrela atrás da lua e eu atrás do meu tiê/ Bem que vovó me dizia:/ “Criança, olha lá, toma cuidado, Oxá!/ Esse seu passarinho está mal-acostumado”

18 ONDE O BRASIL APRENDEU A LIBERDADE 2:38 (Martinho da Vila) UNIVERSAL MUS PUBL MGB • BR-5DA-13-00018

Aprendeu-se a liberdade, combatendo em Guararapes/ Entre flechas e tacapes, facas, fuzis e canhões Brasileiros irmanados, sem senhores, sem senzala/ E a Senhora dos Prazeres transformando pedra em bala/ Bom Nassau já foi embora, fez-se a revolução/ E a Festa da Pitomba é a reconstituição// Jangadas ao mar pra buscar lagosta/ Pra levar pra festa em Jaboatão/ Vamos preparar lindos mamulengos/ Pra comemorar a libertação// E lá vem maracatu, bumba-meu-boi, vaquejada Cantorias e fandangos, maculelê, marujada/ Cirandeiro, cirandeiro, sua hora é chegada/ Vem cantar esta ciranda pois a roda está formada// Cirandeiro, cirandeiro, oh!/ A pedra do seu anel brilha mais do que o sol


19 ÁGUAS DE CACHOEIRA/ BANHO DE FÉ/ YAÔ (LUNDU AFRICANO)/ CANDONGUEIRO 7:41 (Jovelina Pérola Negra/ Labre/ Carlito Cavalcante) PEERMUSIC DO BRASIL (Arlindo Cruz/ Sombrinha/ Sereno) UNIVERSAL MUS PUBL MGB/WARNER/CHAPPELL (Pixinguinha/ Gastão Vianna) MANGIONE, FILHOS & CIA (Wilson Moreira/ Nei Lopes) TAPAJÓS (EMI) • BR-5DA-13-00019

Lá na pedreira, rola da cachoeira/ Uma água forte pra me banhar/ Uma água forte pra me banhar// Ela me enche de fé, me dando um banho de paz/ Bebo dela no coité e vejo o bem que me faz/ Água de beber, água de molhar/ Água de benzer, água de rezar// Na boca da mata tem chave de ouro/ Tem pedras de prata e aves de agouro/ Tem um doce mistério que eu não sei contar/ Eu só sei dizer pra você que meu pai mora lá • Se você é de rodar, ou se é de bater tambor/ Faça o favor, tome um banho de abô// Um banho de cachoeira faz levantar/ Acaba qualquer canseira/ Banho de mar é bom pra descarregar/ Mas, por favor, tome um banho de abô// Vovó Maria me ensinou, eu aprendi a preparar/ Um banho de rosas brancas pra clarear/ Vovó Maria me ensinou que é muito bom, muito legal/ Tomar um banho de ervas, tomar um banho de sal/ Uns tomam banho de lua, uns tomam banho de sol// Uns tomam banho de chuva, lá no quintal/ Mas pra se ter a certeza que um banho só traz axé/ Seja banho de cheiro, banho de arruda, banho de guiné É, pois é, o mais importante é a fé • Aqui có no terreiro, pelú adié/ Faz inveja pra gente que não tem mulher/ No jacutá de preto velho, há uma festa de Yaô/ Ôi, tem nega de Ogum, de Oxalá, de Iemanjá/ Mucama de Oxóssi caçador/ Ora, viva Nanã, Nanã Buruku/ Yô, yô! Yô, yoô/ No terreiro de preto velho, iaiá/ Ora, vamos saravá!/ A quem, meu pai? Xangô! • Eu vou-me embora pra Minas Gerais agora E vou pela estrada afora tocando meu candongueiro, oi!/ Eu sou de Angola, bisneto de quilombola/ Não tive e não tenho escola, mas tenho meu candongueiro// No cativeiro, quando estava capiongo/ Meu avô cantava jongo pra poder se segurar, oi!/ A escravaria quando ouvia o candongueiro/ Vinha logo pro terreiro para saracotear// Meu candongueiro bate jongo dia e noite/ Só não bate quando o açoite quer mandar ele bater, oi!/ Também não bate quando seu dinheiro manda Isso aqui não é quitanda pra pagar e receber// Meu candongueiro tem mania de demanda/ Quem não é da minha banda, pode logo debandar, oi!/ Pra vir comigo tem que ser bom companheiro/ Ser sincero e verdadeiro pra poder me acompanhar


20 TIA EULÁLIA NA XIBA 2:51 (Nei Lopes/ Cláudio Jorge) TAPAJÓS (EMI) • BR-5DA-13-00020

Já meio cambaia de tanta batalha/ Já meio grisalha de tanto sereno/ No colo moreno, escondendo a navalha/ Chegou Tia Eulália sondando o terreno/ Veio, no calcanha, de Além Paraíba Dançando uma xiba, arrastando a sandália/ Enrolando o xale e a saia pra riba/ Separando briga de nego canalha// Lê, lê, abre a roda, ô, lá, lá!/ Que eu quero ver Tia Eulália dançar// A voz Clementina já bastante rouca/ É uma coisa louca, a sinhá Tia Eulália/ Cigarro de palha no canto da boca/ Não dorme de touca e nunca se atrapalha/ Ela é veterana da guerra da Itália Mas ‘inda estraçalha no bolimbolacho/ Quando bole em baixo, tá com tudo em riba/ Quando cai na xiba, a casa vem abaixo


903897 2

Sururu  

cd livreto