Page 1

1


Change of Heart Parte 2 Scarlett Edwards Resumo:

Se você me disesse duas semanas atrás que eu me apaixonaria, por aquele que me sequestraria, eu teria rido na sua cara. Ainda sim, aqui estou eu hoje.Loucamente, profundamente e incurávelmente apaixonada.Por Richard Blacktorne.Pelo homem que me drogou e me deixou sozinha…mas pelo menos homem que voltou depois por mim. Ninguém na minha vida se importou.Eu sempre estive sozinha – antes de Rich. Agora as coisas são diferentes.Sentimentos que eu nem pensei ser possível estão correndo por mim.Com Rich, eu me sinto..viva.Viva e apreciada. Ainda sim, dúvidas envenenam meus pensamentos.Pode uma relação que começou com uma mentira levar a verdadeira felicidade. Como Rich e eu vamos escapas dos nossos perseguidores?Min vai conseguir se libertar? Enquanto eu abro meu coração para o homem que eu amo, nossa devoção vai ser testada.Nesse mundo tumultuado, amigos se tornam inimigos e inimigos se tornam amigos.Cada escolha que eu faço traz consequências para aqueles em volta de mim. Os segredos que Rich carrega, se espalham mais profundamente do que ele nunca quis.Quando rachaduras começam a aparecer no nosso relacionamento, eu me encontro de frente a questão mais importante de todas: Rich e eu podemos encontrar a paz que eu tanto quero? __ Change of Heart parte 2, conclui a história de Rich e Penny.Eles vão conseguir o felizes para sempre que eles merecem?Só há um jeito de descobrir...

2


Capitulo um Eu nunca estive apaixonada. Claro, eu pensava que estava, há três anos, com meu primeiro namorado. Mas isso não era amor. Luxúria, paixão? Talvez. Mas não amor. As coisas estão mudando agora. A vida parece diferente. Eu nunca percebi o que estava faltando antes. Minha decisão de ficar com Rich há três dias abriu meus olhos para tudo o que eu não tinha quando estava crescendo. Todas as manhãs quando acordava sentia uma energia contagiante. Um entusiasmo indefinido. Exceto, isso não acontece. É precário e etéreo e um pouco assustador, esse sentimento, mas eu não trocaria por nada no mundo. Ele me empurra em direção a felicidade. Eu acordei me sentindo viva. Viva, e queria, e precisava. Não precisava, no grande sentido da palavra, como um político famoso ou o cientista preste a curar o câncer. Sinto-me necessária em um muito mais puro, muito mais inocente assim. Estou precisando apenas de uma pessoa. É mais do que eu já tive. Eu não estava bem antes de conhecer Rich. Eu estava tocando a vida, tentando me convencer de que eu era forte. Estava determinada a confiar em ninguém além de mim e de manter todo mundo na baía. Bem, Rich rompeu as paredes. Eu nunca estive apaixonada, até agora. Agora, estou irremediavelmente, romanticamente no amor. Eu aprendi que a lógica não tem sentido em domínio do seu coração. Sentimentos são as únicas coisas que fazem sentido. Se você tivesse me dito, apenas três semanas atrás, que eu iria cair no amor com o meu pretenso sequestrador, eu teria rido na sua cara ou então que eu sofria da Síndrome de Estocolmo. Mas, agora eu sei o contrário. Não há nenhuma maneira de racionalizar o que eu sinto. Eu já desisti de tentar. A maneira que Rich olha para mim deixa-me saber que ele se preocupa. A maneira cuidadosa que ele estuda o meu rosto, a maneira lenta e firme que seus olhos

3


fixam os meus lábios. Eu nunca me senti tão necessária antes. Eu nunca senti esse calor florescer em meu peito, os arrepios especiais através de meus membros. Ninguém na minha vida já deu uma merda para isso. Eu não vou me debruçar sobre isso, porque há muita tristeza sentimental lá. Eu nunca quis ser uma daquelas meninas que sentem pena de si mesmas e espera que o mundo a faça também. Quando eu estava sozinha, eu tinha que ser forte. Para enterrar minhas emoções profundas para que eles nunca entrassem na minha bolha. Isso é o que eu pensava ser forte. Não é. Força é encontrar a coragem para deixar outra pessoa dentro, é abrir seu coração para ele e expor-se em todas as suas vulnerabilidades, não importa quão terrível isso seja. No final, isso é tudo que importa. "Eu te amo", eu sussurro. "Hmm?" Rich desperta do seu descanso sob uma árvore. Estamos juntos em um belo jardim, deitados na grama verde. O sol é brilhante, e eu posso sentir o cheiro de rosas no ar.

O céu está sem nuvens. Felizes são os pássaros cantando melodias

deliciosas dos ramos acima. Rich olha para mim através dos seus olhos semicerrados, olhos sonolentos. Um lento sorriso se forma sobre seus lábios. "Eu também te amo, Penny", ele sussurra seus dedos percorrendo os fios do meu cabelo. "Eu te amo mais do que qualquer outra coisa no mundo. Você é meu coração, minha vida. Eu daria qualquer coisa para você. Eu faria qualquer coisa para você. Eu te amo agora e sempre, e muito em sempre. Eu vou te amar até que a lua pare de girar, e o sol pare de subir, e mais ainda. Nosso amor vai transcender as idades, histórias, séculos, milênios. Quando este planeta se transformar em um bloco de gelo à deriva solitário pelo espaço, eu vou te amar ainda. Nada pode mudar meus sentimentos por você. Eles vão durar para sempre”. "Oh, você está tão doce esta manhã, não é?" Eu provoco, rolando para o meu lado e abaixando a cabeça para um beijo casto. "Você daria qualquer coisa por mim? Que tal comida?”. "Eu morreria de fome por você”. Rich sorri me beijando novamente. "Como se sente sobre a água?” 4


"Gostaria de morrer de sede antes de eu parar de te amar”. Eu sorrio e fecho os olhos, respiro profundamente pelo nariz. O delicioso cheiro de Rich enche meus pulmões. Eu nunca me senti tão feliz. "Céu", eu digo. "Quer parar de respirar por mim?”. "Se é isso que você quer", responde Rich. "Hmm, eu não acho que eu gostaria muito disso", digo-lhe. Com os olhos bem abertos olho para aquele olhar verde enevoado. "E eu sei que Min não ficaria feliz comigo se isso acontecer”. "Estou ferido”, Rich diz alegremente, colocando a mão sobre seu coração. "O amor de sua vida acaba de falecer para provar sua devoção a você, e tudo que você pode pensar é em sua irmã?”. "Oh, isso definitivamente não é tudo o que eu estou pensando", eu digo-lhe com um sorriso travesso. Eu coloco uma perna sobre a cintura, em seguida, empurro-me para que eu possa montar seu corpo. Rich ri. Suas mãos vão para as minhas coxas, empurrando meu vestido azul para deixá-las nuas. Eu coloco minhas mãos em seu peito e inclino-me para beijá-lo novamente. Meu cabelo cai para frente como eu, criando uma cortina escura que protege nossos rostos do mundo. Nosso beijo é forte e doce ao mesmo tempo. As mãos de Rich deslizam sobre minhas pernas, então volta para descansar na parte inferior das minhas costas. Eu sinto meu corpo responde a ele de imediato. Ele me puxa para perto e me abraça apertado. Estou perdida no momento, no beijo, na felicidade de estar com ele. Um barulho de trovão me põe em pé. Minha respiração se acelera. Trovão? Mas é um dia tão bonito! Por um momento, sinto-me perdida, confusa. "Oi". É a voz de Rich, cheia de preocupação. "Ei, você está bem?”. Concentro-me em sua voz, surpreso que ele não está vindo abaixo de mim. Ele está vindo atrás de mim. Eu viro minha cabeça para olhar... 5


"Você deve ter cochilado”, Rich continua, passando a mão para cima e para baixo nas minhas costas. "Está tudo bem. Não há nada de errado. Era apenas um pouco de trovão”. Eu olho em volta, numa espécie de torpor, e reconheço o interior do apartamento de Rich. De repente, tudo faz sentido. Eu cochilei e sonhei com Rich. A chuva forte está batendo contra as janelas, acentuada por choque de um relâmpago e trovão. "Eu estou bem", eu o tranquilizo, descansando minha cabeça em seu peito novamente. Essa é a posição em que eu tinha adormecido. "Eu só tive um sonho muito vívido”. "Você parecia feliz em seu sono", sorri Rich. "Sobre o que foi o sonho?”. Eu dou-lhe um sorriso secreto. "Coisas", eu respondo misteriosamente. A boca de Rich se curva um pouco em um sorriso de lado. “Coisas boas? Ou coisas ruins?”. "Bem, você estava nele", digo a ele. “Coisas boas, então”, Rich decide, e ri. O som é um pouco forçado para os meus ouvidos, e não dura muito tempo. Uma coisa que eu sonhava estava certa: Já se passaram três dias desde que eu disse a Rich que eu o amava. Ele disse de volta, é claro, mas apenas uma vez. Cada vez que eu disse depois disso tudo o que tive foi um "Eu também”. Eu tento não pensar muito sobre as implicações. Eu sei que Rich tem muito em sua mente. Ele não compartilhou seu plano comigo ou Min ainda, e isso me preocupa. O que me preocupa mais, no entanto, é que eu tenho notado Rich cada vez mais distante com o passar dos dias. "Ei," eu disse suavemente. "Você não está mais sozinho neste barco, Você sabe disso, né? Você me tem e a Min aqui com você. Você não tem que resolver tudo por si mesmo”. Rich olha para mim e sorri. O sorriso não toca os olhos. "Eu sei querida. Vocês significam o mundo para mim”. Ele começa a acariciar o meu cabelo, assim como no sonho. "Não se esqueça disso”. 6


"Então, nós vamos ajudá-lo", eu falo. "Diga-nos o que você está pensando. Se você não quer dizer a Min, diga-me. Eu posso ajudar. Eu não sou inútil”. "Eu nunca, nunca, disse uma vez que você é" Rich me diz. Ele segue essa afirmação com outra coisa. Eu suspiro. Nós tivemos essa conversa antes. Ela nunca leva em qualquer lugar exceto ele me dizendo que ele vai compartilhar seu plano comigo "quando estiver pronto". Rich tem feito misteriosas visitas na cidade na moto de Amanda. Ele nunca me diz ou a Min, onde ele está indo. Ele faz isso em momentos aleatórios, quando ele acha que nenhuma de nós vai notar sua ausência. Nós sempre fazemos, é claro, mas isso não faz com que ele nos diga algo quando retorna. Eu decido empurrar o problema neste momento. Eu sento e o encaro. Eu olho para ele bem nos olhos. "Você confia em mim?” Ele faz uma carranca. "É claro”. "Você me ama?" Eu pergunto. Não há hesitação em sua resposta. "Sim". "Então me deixe ajudar! Eu odeio me sentir como se eu fosse algum peso para você Rich. Eu sei como é se sentir quando você tem que fazer tudo sozinho. Eu senti isso a minha vida toda! Mas com você, eu não faço mais. E eu não quero que você sofra por ele como eu fiz. Você me tem Rich. Não o desperdice!”. Rich olha para mim sério. "Eu sei que eu tenho você comigo, Penny. Eu nunca esqueci isso. Eu não sei o que eu fiz para merecer isso, mas eu nunca vou deixá-la escapar. E você não é um fardo. Você é corajosa e inteligente, e tão bonita. Nunca diga que você é um fardo”. "É assim que você me faz sentir”, Eu faço um pouco de drama para que ele vá direto ao ponto. Um pouco de vida, finalmente retorna para os olhos do Rich. "Sério?", Ele pergunta. "Sim", eu digo a ele. Ele sorri. "Bem, nós vamos ter que consertar isso, não vamos?" Ele pega as minhas mãos e as leva aos lábios. Ele roça um beijo nos meus dedos. "E agora?”. "Ainda sim”, eu digo a ele. 7


"Hmm” Rich olha pensativo por um segundo. Ele baixa o meu queixo e beija minha testa. "E agora?”. Eu sorri. "Ainda". Rich bate os dedos nos lábios. Ele estuda meu rosto de perto, em seguida, se inclina e vira a cabeça para colocar um beijo rápido na minha boca. "Agora? Você se sente diferente?”. "Talvez..." Eu sorri. Eu imito sua expressão batendo os dedos nos meus lábios, como se estivesse pensando. "Na verdade, pensando bem... não, eu não sinto nada diferente”. "Parece que eu não estou fazendo um trabalho muito bom em convencê-la de outra forma", resmunga Rich. "Talvez você possa tentar mais uma vez", sugiro. Rich solta uma gargalhada e olha para mim. "Eu acho que poderia ser uma ideia muito boa”. Ambas as mãos tomam posse do meu rosto e ele me detém. Ele se inclina e me beija novamente. O beijo é macio e suave no início, mas rapidamente se transforma em algo mais. Sua língua passa sobre o meu lábio superior, e, em seguida, mergulha para dentro da minha boca. Eu o beijo de volta duro, sentindo a adrenalina e emoção através do meu corpo. Minhas mãos agarram o seu pescoço, atando os dedos em seu cabelo para puxá-lo para mais perto. Não há nada mais doce sobre o beijo. É tudo cru, pura fome, tanto da minha parte quanto da dele. As mãos de Rich caem para o meu pescoço e, em seguida, vão para os lados do meu corpo. Ele segura meus seios e começa a amassá-los. Eu gemo em sua boca. Ele grunhiu em resposta e me empurra para trás. Eu caio no sofá com ele em cima de mim. Isto pode não ser exatamente do jeito que eu esperava que a conversa terminasse em minha mente, mas eu não estou reclamando. Sentindo o corpo duro e forte de Rich acima me faz sentir todos os tipos de coisas malucas. Minhas mãos tocam seus ombros, suas costas, e vêm para descansar sobre seus glúteos apertados. Eu o

8


pressiono mais perto de mim, e sinto sua ereção muito evidente contra a minha perna. O sangue corre mais rápido em meu núcleo. Rich rompe o nosso beijo. Quando eu olho para ele posicionado em cima de mim, eu posso ver a luxúria e desejo em seus olhos. Tenho certeza de que ele está espelhado no meu próprio. "E agora?", Ele pergunta sua voz rouca. "Você se sente como um fardo, agora?”. "Hmm..." Eu considero isso por um momento. "Não, eu não penso assim. Você sabe, eu tinha algo como isso acontecendo no meu sonho”. Um incêndio irrompe nos olhos de Rich. "E era bom? Isso devia ser muito gostoso”. "Eu sei. Mas na vida real é muito, muito mais quente”. *** Eu ri quando Rich me apanha do sofá. Minhas pernas envolvem em torno de sua cintura, com os braços ao redor de seus ombros. Suas mãos estão na minha bunda, me segurando enquanto ele me beija quando ele me leva para o quarto. Nós chegamos ao seu quarto e dou graças por Min não estar. "Lembra-se disso?" Pergunta Rich. Então, ele me gira em círculos, fazendo com que minhas pernas voem livres. Eu rir quando cai em cima da cama, pensando na primeira vez que fizemos sexo em seu apartamento. Essa foi a noite em que um novo capítulo da minha vida começou. Rich me segura abaixo dele. Ele sorri quando estuda meu rosto. Um de seus polegares vem até deixar de lado uma mecha do meu cabelo. "Você é tão linda", diz ele. "Como eu posso ter tanta sorte?”. "Você não é tão ruim assim”. Eu digo para ele, puxando sua cabeça para baixo para que ele possa me beijar de novo. Ele começa a esfregar seu corpo sobre o meu. O atrito da calça jeans entre as minhas pernas me deixa instantaneamente pronta para mais.

9


Eu pego a bainha de sua camisa e levanto por cima da cabeça. Rich senta-se para me ajudar a tirar, em seguida joga para um canto. Uau. Eu vi seu corpo antes, mas hoje ele só está magnífico. Eu acho que eu nunca vou ter o suficiente. Sua pele é clara, quase da cor de creme, mas não há nada suave sobre isso. Eu fico olhando descaradamente enquanto meus dedos rastejam até seu torso. Eu mordo meu lábio e sacio o prazer feminino de sentir os gomos de seus músculos sob meus dedos. O peito de Rich se ergue em respirações profundas acima de mim. "Você me deixa maluco quando me toca assim”. Ele diz “e eu não vou ser capaz de manter minhas mãos longe de você a noite toda." Sua voz é rouca com a luxúria. "Bom", digo-lhe, imprudente. Ele começa a mergulhar a cabeça para baixo novamente, mas eu o seguro com as duas mãos firmes no seu peito. "Deixe-me dar uma olhada em você primeiro”. "Penny, você está me matando aqui”. Eu dou-lhe um sorriso sensual, mas não deixo que ele se mova. Eu quero ver o seu desejo crescer. Talvez, então, ele possa entender o que eu sinto quase a cada minuto que estou perto dele. Deixo minhas mãos passar sobre o peito, os ombros. Eu traço a forma de seus braços, apertando seu bíceps com um pouco de alegria juvenil. Eu recebo um sorriso dele. Meus olhos vão para a protuberância em sua calça jeans. Eu mordo de volta um sorriso quando eu coloco as mãos sobre sua ereção e começo a guiá-lo para cima e para baixo. Os olhos de Rich se ampliam. Então ele sorri. Nós nunca jogamos assim antes. "Será que você se sente bem?" Pergunto, deslizando as mãos para cima e para baixo. Rich estremece. "Baby, você sabe o que faz”. Suas mãos, de repente viram, e ele agarra as minhas, me parando no lugar. "Mas não é justo que você obtenha toda a diversão”.

10


Eu mal tenho tempo para reagir quando ele força as minhas mãos para o colchão, uma de cada lado do meu corpo. Tento libertar-me, mas ele está firme em seu aperto. Ele se inclina para me beijar mais uma vez, pressionando seu corpo contra o meu e me prendendo no lugar. Eu gosto de ser tratada assim. Sentindo-me particularmente impertinente, eu belisco os seus lábios com os dentes. "Ah, agora você pediu", ele adverte. Ele mantém minhas mãos bloqueadas ao meu lado e começa a trilhar, beijos no meu pescoço. Eu me contorço debaixo dele e arqueio as costas quando sua boca encontra o vale sensível da minha clavícula. Rich finalmente libera as minhas mãos para puxar a minha camisa. Estou usando o sutiã rendado azul que tinha me conseguido, o que eu sei que ele ama tanto. Arrepios irromper por toda a minha pele. Eles não têm nada a ver com o frio, e tudo a ver com o homem em cima de mim. A boca de Rich faz a sul viagem. Ele arrasta a língua sobre minha clavícula, então lentamente faz o seu caminho para o meu decote. Uma de suas mãos desliza por baixo da alça do sutiã e agarra o meu peito. Eu arqueio ao senti-lo tentar o fecho. Ele vem de graça, e o sutiã se abre. Rich puxa-o dos meus ombros e joga para se juntar à sua camisa. Ele inala profundamente quando ele olha para mim. Eu vejo seus olhos, amando a intensidade do desejo que vejo em ebulição abaixo de sua superfície. Rich não precisa dizer uma única palavra. Ele me faz sentir bonita, apenas com o seu olhar. Suas mãos passam sobre a minha barriga com o mais leve toque. Elas se movem para cima, roçando levemente sobre os meus mamilos duros. "Você está fodendo perfeito, Penny”. Ele mergulha a cabeça para sugar um seio e depois o outro. "Sua pele é incrível, e você cheira tão bem. Deus” ele aperta as mãos em volta da minha cintura, "Eu quero você para sempre, Penny”. "Não tenho a intenção de compartilhar você, também”, eu falo minha voz cheia de luxúria. "Agora, apresse-se e tire o resto dessas coisas das minhas pernas”. Rich age imediatamente. Seus dedos seguram na linha da cintura e puxa minha calça junto com minha calcinha. Eu mexo meus quadris para ajudar. 11


Ele vai para a borda da cama e tira o cinto. Ele dá um passo para fora da calça jeans, liberando sua gloriosa ereção. Eu nunca pensei que um pênis fosse tão bonito, mas o seu é absolutamente perfeito. Um rubor de excitação corre pelo meu corpo. Eu posso sentir isso aquecer meu peito e pescoço. Sento-me e chego para ele, mas Rich só me deixa olhar. "Você teve sua diversão", diz ele. "Agora é a minha vez”. Eu suspiro quando ele agarra meus quadris e me puxa para a borda da cama. Ele se espalha minhas pernas e se ajoelha. Meu coração está batendo no meu peito. Minha respiração está rápida. Eu não posso esperar para ter ele. O gemido que irrompe da minha garganta é completamente espontâneo logo que Rich começa a trabalhar sua língua em mim. Sensações selvagens atiram por todo o meu corpo. Uma das minhas mãos agarra o seu cabelo, pedindo-lhe para ficar mais perto. A outro aperta o lençol em uma tentativa desesperada para segurar a realidade. Eu me contorço e gemo, consumida pelo êxtase do toque de Rich. Eu sinto a pressão crescendo dentro, como água fervente deixado muito tempo no fogão. Seus dedos se juntam naquele momento delicioso. Eu grito quando o clímax chega. Meu corpo treme e minha mente fica entorpecida. Tudo o que sei, tudo o que eu sinto, é Rich ali abaixo de mim. *** "Você é tão bonita quando você vem", sorri Rich. Minha cabeça ainda está em algum lugar nas nuvens. Leva um pouco de tempo para processar suas palavras. "Isso foi... incrível", eu digo. Eu sorri quando senti sua ereção dura contra a minha perna. "Isso foi só o começo do que eu pretendo fazer com você hoje", Rich promete, arrastando os dedos ao longo do lado do meu corpo antes de beijar meu ombro. "Sempre que você estiver pronta para mais...”. "Eu estou pronta agora", digo a ele.

12


"Bom”. Rich oferece um sorriso perverso. "Porque eu não ia esperar muito mais tempo”.

13


Capitulo dois

Uma hora mais tarde, duas ou três, não se ao certo é impossível para eu dizer, estou aninhada sob forte braço de Rich. Tenho prazer na sensação de seu corpo contra o meu. Sinto-me exausta. Mais é o melhor tipo de exaustão. Eu não quero fazer nada além de me aconchegar desse jeito nele até o próximo ano. Eu acho que é esse o tempo vai demorar para o meu corpo se recuperar. Mesmo os meus dedos estão cansados demais para se mover. Eu aproveito o brilho do nosso doce amor. Eu poderia me acostumar a viver assim. Uma pequena e irritante voz grita para mim na parte de trás da minha mente para não esquecer tudo o que me trouxe aqui. Eu empurro-a para baixo. Hoje, estou feliz de esquecer. Eu coloco a minha mão no peito de Rich. Ele está tão quente. Ele sorri para o meu movimento preguiçoso. Então ele pega a minha mão e coloca com a sua palma com palma. "Suas mãos são tão pequenas", diz ele através de um sorriso. É a primeira coisa que qualquer um de nós diz por um longo tempo. "Seus dedos são tão grandes", digo a ele. "... E fortes”. "São habilidosos?" Pergunta Rich com uma sobrancelha levantada. "Muito hábil", esclareço. "Você gosta deles, não é?”. "Sim muito”. "Mesmo quando faço... isso?" Rich põe as mãos nas minhas axilas e começar a me fazer cócegas. Eu explodo em um ataque de risos. “Rich! Rich pare com isso”. Tento afastar seus braços enquanto grito. Ele é muito rápido. Eu continuo sorrindo enquanto tento afastá-lo. Rich também ri, antes de, eventualmente, deixar-me ir.

14


"Você está tão encrencado por causa disso," Eu falo. Por mais que eu tente, não consigo manter o prazer da minha voz. Tem sido um longo tempo desde que eu tive tanta diversão. Fazê-lo com Rich torna ainda melhor. Rich de repente fica sério. "Eu tenho feito coisas piores do que isso" confessa. "Ei, ei..." Eu falo também seria. "Não fique assim. Eu estava apenas brincando”. Eu sorri para ele para mostrar que eu não quis ofender. Rich oferece um sorriso fraco de volta. Ele se empurra até que ele está sentado na cama. "Você sabe Penny", ele começa com um suspiro, "Eu venho fazendo um monte de coisas nos últimos dias”. "Oh", eu comento com cautela. Eu posso sentir que esta conversa está preste a ficar muito séria. "Sim. Eu tenho pensado em você, em Min. Sobre o que eu fiz com você...”. "Oh, não”. Eu tento detê-lo. "Você não está tendo remorso por mim de novo, Richard Blackthorne. Se for sobre Tam e Victor”. "É sempre sobre eles", diz Rich. "E eles sempre vão voltar por causa do meu pai. Quantas vidas ele arruinou? Eu não me refiro apenas a isso. Quero dizer com tudo o que ele já fez. Inferno, eu aposto que eu não posso nem imaginar metade das coisas que ele é culpado. Eu não quero acabar como ele, Penny”. Eu balanço minha cabeça. "Você não é nada como ele”. Rich grunhe. "Eu tento não ser. Mas eu sou seu filho. Tenho seus genes”. Eu levanto seu queixo e oriento sua cabeça para mim. "Ei! Sem arrependimentos. Lembra?” Eu o beijo brevemente nos lábios. "Se não fosse por isso nunca teríamos acabados juntos”. "Eu sei”, Rich admite. Ele passa os dedos pelo meu cabelo. "Mas e se não tivéssemos isso? E se você fosse outra pessoa?”. "Eu não sou. Então, nós não precisamos pensar sobre isso”, digo-lhe com firmeza. "Eu escolhi ficar com você, lembra? Eu não vou deixar você se sentir culpado por isso”. "Eu sei que você escolheu. Mas eu arranquei você da sua vida. Pense em tudo o que você deixou para trás”. 15


"Eu não deixei nada para trás. Não tinha muito na minha vida. Eu não acho que eu nem mesmo vivi antes de te conhecer, Rich. Eu era um zumbi. Eu faria tudo de novo se eu tivesse que escolher, e se isso significasse que eu iria acabar com você”. Rich sorri tristemente. "Você realmente quer dizer isso?”. "É claro que eu quero!" Eu o agarro. Eu não gosto quando ele fica assim. Tenho medo que ele esteja tendo segundos pensamentos sobre me ter por perto. "Eu te amo, Rich. Só você. Nada pode mudar isso”. "Eu também te amo, Penny", ele sussurra no meu cabelo. Meu estômago revira e meu coração salta. Aí está! "Você levou muito tempo para dizer isso de novo”, eu resmungo contra o seu peito, secretamente escondendo meu sorriso. "O que foi isso?", Ele pergunta. Droga. Eu esqueci como aguda sua audiência é. "Nada", eu disse rapidamente, estabelecendo-me contra ele mais uma vez. "Nada. Apenas um soluço ou... algo assim”. Rich ri. "É melhor que seja”. "É" Eu falo. Eu rolo minha cabeça para o lado para olhar para ele. "O que mais você vem pensando?”. "Muitas coisas", suspira Rich. "Nós não vamos ser capazes de ficar aqui para sempre”. Sinto um raio de esperança dentro de mim. "Isso significa que você está pronto para compartilhar o seu plano?". Rich engole em seco. Seus olhos vidrados, ele olha para o lado quando ele responde. "Não. Ainda não. Mas em breve”. "Tudo bem”, eu digo, colocando minha cabeça em seu peito mais uma vez. "Sempre que você estiver pronto para compartilhar, eu estarei aqui esperando. Eu confio em você quando você diz que vai fazê-lo no momento certo”. "Eu vou”. Rich se levanta. "Mas agora, eu sinto que nós dois precisamos de um longo banho quente. Quer se juntar a mim?”.

16


*** Min nos olha quando finalmente saímos do quarto. Ela me dá uma piscadela e um sorriso. Seu irmão ganha uma carranca. Rich ri e cutuca seu ombro brincando quando ele passa. Resolvemos enfim jantar. Eu tenho um apetite feroz, mas não é nada comparado a Rich. Ele devora tudo o que está disponível na sua frente. Nós compartilhamos uma garrafa de vinho que Min pegou na loja. É uma sensação muito boa comer assim. Eu sei que não vai durar muito, não quando há tanta coisa no ar. Mas é bom fingir um pouco. Rich se retira para o nosso quarto cedo, pega o notebook que ele está escrevendo nos últimos dias. Eu não perguntei o que está fazendo, não quero parecer intrometida. "Então”, Min começa quando Rich está fora do alcance da voz. "Teve sorte em descobrir o que ele está planejando?”. Respondo. "Não. Ele não vai dizer uma palavra”. "Você já tentou..." Min abaixa a voz conspiratória, "... aquela coisa que falamos?" Eu me sinto ruborizar um pouco. Min me aconselhou, em pleno fervor, para tentar falar com Rich sobre seu plano logo depois que tivéssemos tido relações sexuais. Ela disse que é o momento em que os homens estão mais dispostos a revelar seus segredos. Fiquei surpresa como era fácil para ela falar sobre seu irmão tendo relações sexuais. Então novamente não somos mais crianças. É apenas algo que eu me acostumei, eu acho. Eu movo minha cabeça para cima e para baixo em resposta. "Sim! Não importa o quê, ele parece um muro de pedra”. "Ele não vai dizer nada para mim, também”. Suspira Min. "Algo não está certo. Eu só sei isso. Eu não acho que nenhum de nós vai gostar de seu plano”. "O que te faz dizer isso?" Eu peço. "Apenas um sentimento que eu tenho. Rich pode ser teimoso, às vezes. Lembrome de quando éramos crianças. Se ele tivesse uma ideia presa em sua mente nenhuma

17


quantidade de conversa poderia dissuadi-lo. Quanto mais você empurra mais ele cava em seus calcanhares”. "Isso soa muito parecido com o homem que eu conheço”, eu digo a ela. Min olha para mim. Há um pouco de tristeza em seus olhos. "Penny? Você pode me prometer uma coisa?”. "Qualquer coisa", eu digo a ela impressionada com o tom sóbrio de sua voz. "Você pode... cuidar de Rich para mim?" Min limpa a garganta. "Quero dizer, eu sei que ele me ama. Mas ele ainda me trata como uma menina às vezes. Na maioria das vezes. Eu acho que é difícil para ele me ver de outra maneira. Mas você? Você pode ajudá-lo. Ele confia em você. Ele valoriza a sua opinião. Eu sei que você tem uma boa cabeça. Se alguém pode ajudar a mudar Rich para melhor, é você”. "Eu o amo, Min”, eu digo a ela. "Claro que eu vou fazer tudo que puder para protegê-lo. Eu vou fazer tudo que puder para ajudá-lo a crescer. Ele ainda acha que está sozinho. Mas, ele não está mais. Ele tem tanto de nós. Ele só não está acostumado com a ideia ainda”. Eu sorrio. "Vou convencê-lo de que ele não está sozinho, mais cedo ou mais tarde”. Min envolve seus braços em volta de mim em um abraço. "Obrigada", ela sussurra em meu ouvido. *** "O que está acontecendo por trás desses olhos deslumbrantes?" Pergunto a Rich mais tarde naquela noite. Nós dois estamos deitados na cama. Ele está quieto por um tempo, mastigando a ponta de sua caneta enquanto preguiçosamente folhe-a seu caderno. "Quanto eu te amo", responde Rich imediatamente e sem hesitação. Meu coração se derrete um pouco. "Você e Min ambas. Eu faria qualquer coisa para mantê-las segura. Você sabia disso?". "É claro que eu sei”. Eu sorri para ele. "Mas não fale assim, você me deixa preocupada com o que você vai fazer em seguida”. 18


"É?" Rich pergunta. "Sim. Eu lhe disse antes. Eu estou nessa coisa com você, cem por cento. Não há para onde ir sem me ter com você”. "Penny”. Rich vira para me encarar. Seus olhos se movem em meu rosto. Suas sobrancelhas franzem com a expressão séria. "Pode chegar um momento no futuro próximo quando teremos que nos separar. Eu não quero que você faça nada de estúpido se isso acontecer. Sua segurança vem em primeiro lugar. Acima de tudo. Acima da minha. Prometa-me que você vai fazer o que eu digo, se isso acontecer”. Eu luto contra um arrepio desconfortável. "Agora você está me assustando, Rich". "Eu não quero te assustar. Eu só quero ter certeza que você está segura. Você sabe o tipo de pessoas que estão olhando para mim. Você não tem nada a ver com eles. Prometa-me que você não vai arriscar-se por minha causa, Penny”. "Só se você prometer que não vai fazer nada estúpido sem me dizer em primeiro lugar”, Eu me oponho. "Eu quero você seguro, também”. Rich coloca os braços em volta dos meus ombros e me mantém perto. "Você significa mais para mim do que você jamais saberá. Mas não estamos fora de perigo ainda. Estes últimos dias... com você... tem sido bom”. "Apenas 'bom'?" Eu pergunto. Rich ri. "Mais do que isso. Eles foram ótimos. Eu quero mais deles no futuro. Teremos mais deles no futuro. Mas em curto prazo, pode haver algumas decisões difíceis que devem ser feitas. Eu quero que você se coloque em primeiro lugar, sempre. Prometa-me isso”. "Só se você prometer que não vai fazer quaisquer decisões precipitadas, sem me deixar saber antes" Falo a Rich. "Certo. Eu prometo que vou fazer o que você diz”. Então eu concordo com relutância. Um peso parece sair dos ombros de Rich assim que ele ouve as palavras. "Obrigado", ele diz no meu ouvido, me apertando mais. Eu o abraço de volta. Rich boceja e esfrega os olhos. "Amanhã é um grande dia", diz ele. "Nós devemos dormir um pouco. Boa noite”. 19


"Boa noite, Rich", eu digo, me aconchegando perto dele depois que ele desliga a l창mpada de cabeceira. Eu fecho meus olhos e descanso, sabendo que tudo o que acontecer a seguir, isso vai ser com Rich ao meu lado.

20


Capitulo tres Eu acordei na manhã seguinte com uma cama vazia. Ele sempre faz isso. Rich geralmente faz suas viagens para a cidade antes que eu acorde. Eu me estico e olho pela janela. Um pouco de sol finalmente aparece através das nuvens. Hoje, mais do que qualquer outro dia, parece que é o começo de algo novo. Eu me arrasto para o banheiro e jogo um pouco de água no meu rosto para acordar. Eu pisco, esfregando o sono de meus olhos. Eu considero o meu reflexo no espelho. Meu cabelo está uma bagunça. Eu não tenho absolutamente nenhuma maquiagem comigo. Mas, eu sou brilhante. Uma boa noite de descanso após horas de vida amorosa vai fazer isso para você. Eu escovo os dentes e vou para a cozinha para ver se Min está lá. Estou tão distraída com meus pensamentos que eu quase não percebo o envelope perto da porta. Franzindo a testa, eu o pego. É um dos grandes envelopes legais Manila. Eu o abro e encontro às palavras, "para Penny" rabiscado no verso com a letra de Rich. Começo a sentir uma sensação de mal. Eu não tenho nenhuma razão para suspeitar que algo esteja errado, mas isso parece... No mínimo estranho. Sento-me na borda da cama e deslizo o dedo sob o selo, olho para dentro. Há três coisas no envelope. O primeiro é um pequeno livro azul. O segundo é um envelope branco grosso, como o tipo que você coloca dinheiro em um caixa eletrônico o último é uma folha de papel dobrada. Pego o papel. Esta dobrada em dois, mas reconheço a letra de Rich. Minhas mãos tremem um pouco quando coloco contra a minha perna e começo a ler:

Não devemos ficar juntos. Não há dúvida sobre isso na minha mente. Eu sei disso claramente como eu sei a diferença entre a minha mão esquerda e a minha direita. 21


Mas não posso deixar de ter sentimentos por você. Eu sei que eles estão errados, torcidos, e isso é uma loucura. Eu sei que não sou bom para você. Acima de tudo, eu sei que eu não mereço você. Então, esta é a minha maneira de dizer adeus. Você nunca mais vai ouvir falar de mim, ou me ver novamente. Se você for esperta, você não vai pensar em mim novamente. Você vai pegar o conteúdo do envelope e desaparecer. Você estará livre para começar uma nova vida. Uma vida onde quiser. A vida que você escolher. Uma vida sem mim. Este é o meu último presente para você, Penny. Eu te amo. Você me mudou para sempre. Eu não sei o que vai acontecer comigo a seguir, ou quanto tempo me resta. Mas sei que vou pensar em você a cada segundo que eu ainda estiver vivo. Eu gostaria que pudéssemos ter nos conhecido em circunstâncias diferentes. Eu gostaria que as coisas pudessem ter sido diferentes. Mais elas não são. Nenhum de nós pode mudar isso. Eu não vou pedir desculpas pelo que estou preste a fazer. Diga a Min que a amo muito. Estou fazendo isso por ela também. R.

Eu imagino que a maioria das meninas iria chorar ao ler uma carta como essa. Eu não chorei. Eu estou furiosa. Como ele se atreve a dizer que isso é o melhor para mim! Como ele se atreve! Ele me prometeu uma coisa ontem à noite e hoje de manhã, ele vai e quebra a promessa? Filho da puta! Eu alcanço o envelope e pego os outros dois itens. O livro azul é um passaporte com a minha foto e um nome falso. O envelope está cheio de dinheiro. Então isso é o que Rich estava indo fazer na cidade? Eu sinto vontade de gritar. Meu corpo inteiro está tremendo. Eu não posso dizer se é de raiva ou tristeza. Eu escolho que é raiva. Eu não vou entrar em desespero.

22


Foda-se a sua carta! Rich não está prestes a se livrar de mim tão facilmente. Eu abandonei tudo o que tenho por ele, apenas para ser deixada para trás no momento mais crítico? Claro que não! Eu não me apaixonei só para ele ir e se matar. Preciso de tempo para pensar. Para planejar. Eu não posso ficar triste. Agora não. Tristeza é o pior sentimento do mundo. Se eu sentar e esperar, é exatamente assim eu vou ficar. Eu preciso fazer alguma coisa. Eu preciso tomar uma atitude. Eu preciso... Ir atrás de Rich. Eu chamo por Min. Minha mente já está trabalhando em uma centena de cenários diferentes. Eu preciso de respostas. Há quanto tempo Rich saiu? Ele levou a moto? Quando podemos encontrá-lo? Min corre para o quarto, sem fôlego. A urgência em minha voz deve tê-la assustado. Enfio a carta em suas mãos. "Seu irmão acabou de fazer algo incrivelmente estúpido”, eu digo a ela. *** "Oh, isso é ruim”, Min murmura assim que terminar a leitura. "Isso é muito, muito ruim. Isto é o que ele estava trabalhando esse tempo todo?” “Ele também deixou isso”. Eu mostro o Min o passaporte e o dinheiro. Ela faz uma careta. "Eu não posso acreditar que ele fez isso”. "Ele fez”. Eu balanço minha cabeça. "Temos que ir atrás dele”. "Certo". Min concorda. Ela me dá um sorriso. “Meu irmão pode ser um idiota, mas pelo menos ele tem bom gosto para mulheres. A maioria das meninas estaria em pânico se elas tivessem recebido uma carta como esta”. "Eu não sou como a maioria das meninas”. Eu a lembro. Eu me levanto e bato palmas. "Bem… vamos ser lógicas. Precisamos descobrir, há quanto tempo você acha que Rich saiu? "Só pode ter sido no meio da noite. Estou acordada já tem algumas horas. Eu não o vi esta manhã. Eu pensei que ele ainda estava com você”, relata Min. 23


Eu me xingo por ter dormido tanto tempo. "A carta diz que vai enfrentar as consequências. Isso significa que ele vai encontrar Tam e Victor?”. Min pensa por um momento. "Não. Eles são os únicos que me perseguiam, mas eles são apenas pessoas que foram contratadas”. De repente me lembro do que Rich disse ontem: "Ele sempre vai voltar para o meu pai.”. "Ele vai encontrar o seu pai", eu suspiro. "Ele vai tentar obter os documentos dele”. "Para Nova York" Os olhos de Min se estreitam. "Sim, isso faz sentido”. "Você viajou por todo o país", digo a ela. "Você fez isso sem ser apanhada. Como?”. "Ônibus, carros e manter um perfil baixo", explica ela. "Eu nunca usei a minha identidade”. "Ele faria a mesma coisa?”. Min considera a questão. "Não", diz ela, balançando a cabeça. "Isso levaria muito tempo. Eu aposto qualquer coisa que ele pegou um avião”. "Quer dizer que ele não tinha medo de ser pego?", "Ele te trouxe um passaporte falso. Por que não teria um para si?”. "Ou”, Eu digo, tentando me imaginar no lugar de Rich, "talvez ele não tenha feito isso. E se ele usou seu nome real para chamar a atenção para longe de nós? Como uma distração? Para dar tempo a nós duas para fugirmos.”. "Puta merda!" Min suspira. "Penny, você está certa! Eu só não entendo porque Rich poderia esperar que você não fosse atrás dele. Eu só a conheço há alguns dias, e até mesmo eu sei que você iria atrás dele”. Eu mordo meu lábio inferior. "Eu posso ter prometido a ele que eu não faria isso ontem”. "O quê?”. “Fui precipitada” eu defendo. "Ele disse que queria colocar minha segurança em primeiro lugar. Ele queria que eu prometesse. Eu fiz, mas só depois que ele jurou que iria falar para mim antes de fazer qualquer merda”. 24


"Rich sempre cumpre a sua palavra. Ele espera que todos os outros também. É esta a noção romântica que ele sempre teve em sua cabeça. É por isso que ele fez isso, Penny. Se você prometeu a ele, sua palavra iria deixá-lo tranquilo para fazer isso!”. "Ele desistiu de sua promessa em primeiro lugar. Isso anula a minha”. Min dá uma gargalhada. "Eu gosto da maneira que você pensa menina”. "Obrigada. Agora, temos que nos mexer. Cada minuto que nos atrasamos dá a Rich mais tempo para ir mais longe. " "Espere um pouco”. Min pega meu braço enquanto eu começo a sair da sala. "Penny, eu sei que você está preocupada. Assim como eu, mas se vamos correr por ai sem um plano, as coisas podem acabar mal”. "Eu tenho um plano!" Eu digo. "Nós vamos encontrar Rich e impedi-lo de fazer o que ele está prestes a fazer." "Não é assim tão fácil. Ele poderia estar em qualquer lugar agora. Se ele voou, ele provavelmente já está a meio caminho de Nova York”. Sento-me na cama. "Então é isso?" Eu sinto meu desespero tentando se libertar. "Já é tarde demais?”. "Eu não sei", diz Min. Ela se senta ao meu lado. "Eu sei que parece que nós temos que fazer algo imediatamente, mas precisamos dar um passo atrás. Descobrir o nosso melhor curso de ação. Planejá-lo e seguir o plano”. "Sim", eu aceno. "Certo. Isso faz sentido”. "A primeira coisa que temos a fazer é descobrir os voos de hoje para Nova York. Vou pegar meu laptop”. Min corre para fora do quarto. Estou esperando na cama. A mesma cama que eu e Rich fizemos amor tantas vezes ao longo dos últimos dias. Quem poderia imaginar que ele estava pensando em me deixar aqui o tempo todo? Agora que a corrida inicial de adrenalina ao encontrar a carta começou a minguar, eu posso entender melhor como eu me sinto. Eu me sinto... Traída. Amar alguém é confiar a ele a sua vida. Com todos os seus segredos. Confiança sempre foi uma coisa difícil para mim. Aprendi desde cedo que a única pessoa que poderia realmente confiar era em mim mesma. Com Rich, eu estava

25


começando a questionar essa suposição. Se eu o amasse isso significa que eu deveria ser capaz de confiar nele também. O amor faz a gente fazer coisas malucas. Eu não duvido que Rich realmente pense que me deixar é uma boa ideia. Provavelmente é nobre e cavalheiro de sua parte. Mais para mim tudo o que ele está realizado está quebrando a minha confiança. Min retorna. Ela tem um laptop debaixo do braço e um segundo envelope na mão. "Eu tenho um também", diz ela. "Merda! Eu deveria ter visto isso antes! Ele estava deitado na mesa da cozinha”. "Por que você não percebeu isso antes?" Eu pergunto. "Eu pensei que era de Rich, então eu não ia olhar", diz ela. "Nem sequer me ocorreu em pegá-lo”. Ela rasga a vedação e despeja o conteúdo na cama. Outro passaporte cai. Ela abre e me mostra a primeira página. Sua imagem está lá, ao lado de um nome falso. "O irmão bastardo nem sequer deixa uma carta", diz Min. "O que eu deveria fazer se eu encontrasse o envelope antes de você? O que eu deveria pensar?”. "Ei, há algo mais aqui", eu digo a ela, chegando até o envelope. Meus dedos escovam alguma coisa lisa e brilhante. Eu retiro. É uma fotografia antiga. Eu entrego para Min. Assim que ela vê, seu rosto cai. Ela pisca rapidamente, tentando esconder as lágrimas súbitas nos olhos. "O idiota", ela sussurra baixinho. Sua voz embargada. "Ele realmente acha que nunca vai nos ver novamente”. Uma lágrima solitária cai, manchando a fotografia. Ela limpa com o polegar. "Ei, ei..." Eu consolo. "Não se preocupe, não vamos deixá-lo fazer isso", eu a tranquilizo, esfregando o braço. "Eu fiz uma promessa também. Lembra-se? Eu disse que ia ficar com Rich. Eu não pretendo desistir agora.” Eu olho para a fotografia por cima do ombro. É uma imagem de um menino empurrando sua irmã mais nova em um balanço. O cabelo vermelho é de Rich e os olhos verdes são inconfundíveis.

26


"É a única imagem que temos de nós juntos", explica Min em uma pequena voz. "Rich levou com ele quando ele saiu de casa. Eu não sabia se eu o veria novamente. Eu não... Eu nem sabia que ele ainda tinha essa foto depois de todos esses anos.” "Nós vamos encontrá-lo, e você pode enfiar a foto de volta em suas mãos grandes e estúpidas”. Min sorri e dá um pequeno suspiro. "Você está certa. Sinto muito. Eu não sei o que deu em mim”.Ela enxuga os olhos. "Se qualquer uma de nós tem razão para chorar, é você. Eu não posso acreditar que você não está”. "Confie em mim," eu disse, apertando-lhe o braço. "Passando por tudo o que eu passei com seu irmão me deixou com muita prática em manter a compostura”. *** "Cinco voos partem para Nova York hoje", diz Min atrás do laptop. "Tudo rota através Sea-Tac em Seattle. Se Rich está voando, essa é sua única opção”. "E a moto não está aqui", eu confirmo. Eu corri para baixo para verificar. "Certo. Então nós estamos presas aqui, enquanto Rich provavelmente está prestes a decolar,” Min diz. "Você encontrou seu voo?" Eu olho por cima do ombro de Min. "Qual?”. "Bem aqui." Min aponta na tela. "Alaska Airlines voo 4832". "Entendi" Eu aceno. "Aqui está o número da companhia aérea”. Min escreve um número de telefone no verso do envelope. "Você quer ligar e perguntar, ou devo?”. "Eu vou fazer isso”. Eu levo o envelope dela e corro para o telefone público. Eu disco o número. Uma voz feminina alegre atende. "Alaska Airlines atendimento ao cliente, como posso ajudá-lo?”. "Oi. Estou ligando sobre um passageiro no voo 4832, partindo de Seattle para Nova York?”. "Sinto muito, senhorita, mas a política da empresa me impede de divulgar informações sobre os nossos passageiros”. "Eu entendo que”, eu digo rapidamente. "Você não tem que me dar qualquer informação. Mas, é muito importante que eu fale com as pessoas certas”. 27


“Estou ligando por causa de Richard Blackthorne”. Eu soletro seu sobrenome. "Eu sou a esposa dele. Ele tem alergia a amendoim. Ele acabou de sair para uma viagem de negócios. Normalmente, ele tem a sua medicação com ele. Mas, ele não levou dessa vez e eu só vi agora. Eu sei que vocês servem amendoins no voo. Se até mesmo um pontinho escovar contra a sua pele, ele vai entrar em choque anafilático”. Eu faço tremer a minha voz com preocupação. "Por favor, eu sei que você não pode me dizer nada. Mas é importante Richard saber que ele tem que tomar os remédios”. "Mmm... Voo 4832, você disse?” A atendente pergunta. Eu jogo o punho no ar, mas mantenho a emoção na minha voz. "Sim, isso mesmo. Indo para Nova York”. "Hmm". Ouço os sons das teclas de um teclado. "Será que ele costuma voar de primeira classe, ou comercial?”. Eu congelo. "Uhh...”. "Oh! Não importa”, ela interrompe. "Aqui está ele. Richard Blackthorne, certo? Está bem. Eu vou deixar a nossa aeromoça saber”. "Por favor", eu digo. "Estou muito preocupada com ele”. "Não fique, Senhorita", ela me assegura. "Nossos clientes são a nossa prioridade seu marido vai ficar bem”. "Obrigada. Isso é um grande alívio”. "É o meu prazer. Existe alguma coisa mais que eu posso ajudá-la?”. Eu deixo cair o telefone e corro de volta para Min. "Ele está no avião!" Exclamo assim que eu a vejo. Suas sobrancelhas sobem com surpresa. "Eles te disseram isso?", Ela pergunta. "Não diretamente”. Eu pisco os olhos. "Demorou um pouco de narrativa criativa de minha parte”. "Bom trabalho. Parece que você estava certa. Ele usou o seu nome, real, para chamar a atenção para longe de nós”, eu termino o pensamento de Min. "Sim”. Min mostra o seu laptop para mim. "O próximo voo para Nova York sai à meia-noite. Rich nos fez esses passaportes. É melhor fazermos uso deles”.

28


Nós embalamos nossas coisas, eu não tenho muito. Min deixa mais dela para trás. Lá fora encontramos um táxi. Rich nos deu tudo o que precisamos para nos movimentar sem sermos notadas. Vamos aproveitar. O caminho para o aeroporto é longo e tranquilo. Nós duas estamos pensativas e sentindo o nosso humor, o motorista liga o rádio e evita conversa. Eu mordo meu lábio quando eu olho para fora da janela. Eu reconheço alguns trechos da estrada da minha viagem com Rich. Estou preocupada. Min e eu fizemos tudo o que podemos, mas se for muito tarde? E se não pudermos encontrar Rich em tempo? E se ele se machucar antes que possamos encontrá-lo? Eu tento manter esses pensamentos para mim e coloco uma cara confiante e forte no meu rosto. Na verdade, eu acho que Min está fazendo a mesma coisa. A força que nós estamos projetando é uma ilusão frágil. Min pega a minha mão e aperta uma vez. Eu olho e dou-lhe um sorriso tenso. Nós duas precisamos ser fortes. Para nós e para Rich. O tempo passa. Meu corpo fica tenso a cada hora. Imagino Rich em algum lugar, no ar naquele maldito avião. De repente, percebo que estamos passando por uma área que eu conheço muito bem. "Vire à direita", eu exclamo. "A próxima saída!”. O motorista desvia para mudar de faixa imediatamente. Em um momento sou jogada contra a porta. A buzina do carro de atrás de nós toca, uma, duas, três vezes. "Que diabos foi isso?" Exige Min ao lado do nosso motorista. "Você está tentando nos matar?”. "Você me pediu para virar", ele dá de ombros. Eu me explico rapidamente para Min. "Temos seis horas antes de nosso voo decolar. E já estamos perto do aeroporto. Certo?”. "Vinte minutos, depende do tráfego”, diz o motorista. "Eu vivi aqui", eu continuo. "Esta pode ser a última vez que eu vou estar aqui. Eu devo isso a minha companheira de quarto, pelo menos, para explicar o que diabos aconteceu comigo”. Se ela ainda vive no apartamento... 29


"Ok”, Min concorda. "Assim, da próxima vez, diga-me antes de tomar uma decisão como essa?”. "Sinto muito. Eu só pensei nisso quando vi a saída”. Paramos em frente ao prédio que eu costumava chamar de lar. Parece exatamente a mesma de antes. Como nada mudou. Tudo mudou para mim. É quase chocante descobrir que em outras partes do mundo, a vida seguiu como de costume. Eu pago o motorista com parte do dinheiro Rich deixou. Uma rajada de vento corta meu casaco. Eu tremo um pouco com o frio. "Aqui não tem nada", eu digo Min. Entramos no saguão do prédio, não tem elevador, então eu levo Min para as escadas. "À noite em que conheci o seu irmão é a mesma noite em que minha companheira de quarto nos despejou. Eu dei-lhe o dinheiro do aluguel, mas ela acabou gastando em drogas”, eu termino com uma careta. "O que estamos fazendo aqui, então?”. "Bem, graças a Rich, eu praticamente desapareci sem deixar rastro. Abby pode não ter sido a pessoa perfeita, mas acho que ela ainda merece saber o que aconteceu comigo. Nós nos mudamos da Califórnia juntas”. "Faça o que você precisa fazer", diz Min. "Mas se você diz que foi despejada, como é que você vai encontrar a menina?”. "Eu ainda tenho os meus pertences no apartamento. O dono pode ter mudado as fechaduras, mas ele não é cruel o suficiente para ter jogado fora as coisas do seu inquilino. "Pelo menos, eu espero que não.” Se ela não estiver eu posso deixar uma mensagem para Abby com ele”. Eu toco o medalhão no peito. "Não há nada no interior do apartamento que eu realmente preciso”. Eu abro a porta para o corredor e passo depois de Min. Há um cheiro de fumaça no ar. Alguém provavelmente queimou o jantar. Quando estamos na frente da minha porta, eu tiro uma chave, respiro fundo e tento abrir. Ele não se move. Eu suspiro. "Tanta coisa para isso”.

30


"Espere um pouco”. Min passa na minha frente e se ajoelha. Ela passa os dedos contra a madeira. "Há uma nova camada de tinta aqui", diz ela. "Apenas em torno da fechadura. E olha! Um guarda porta. Isso sempre esteve lá?”. "Não", eu digo. "Parece que alguém tentou arrombar.", diz Min. "Eles só colocaram a proteção depois que houve uma ruptura dentro. Olhe ao seu redor. As outras portas não têm. Você acha que poderia ter sido sua companheira de quarto?”. "Abby? Não”. Eu balanço minha cabeça. "Ela pode ser um pouco selvagem, mas ela nunca iria entrar em um apartamento”. "Então, se você não acredita em coincidências, acho que alguns de seus novos amigos estiveram aqui”. Eu tremo. De repente, o corredor vazio parece muito mais sinistro. "Eu não sei se vir aqui foi uma boa ideia”, eu sussurro. "Nem eu", Min concorda. "Mas nós não teríamos como saber se não tivéssemos”. "Se o proprietário teve tempo para consertar a fechadura, isso significa que a ruptura não é recente. Um ou dois dias atrás no mínimo”, digo, tentando encontrar conforto na situação. "Provavelmente”, Min concorda. "Mas isso significa que temos que ter mais cuidado de agora em diante”. "Sim. Vamos sair daqui. Este lugar está me dando más vibrações”.

31


Capitulo quatro O proprietário mora no prédio ao lado do meu. Ambas as propriedades são dele. "Você tem certeza disso?" Min pergunta um pouco antes de entrarmos no segundo edifício. "Eu tenho que saber o que aconteceu", eu respondo. "E tanto quanto eu odeio admitir isso, eu estou preocupada com Abby. E se ela estava dentro quando eles arrobaram?" "E se você foi mesmo despejada?" Min levanta uma sobrancelha. "Talvez ela tenha encontrado alguma forma de juntar o suficiente para pagar o aluguel. Eu não sei. Mas ela confia em mim para pagar minha metade. O mínimo que posso fazer é dizer a ela que eu não vou voltar”. Min considera por um momento. "Você realmente o ama, não é?". Eu pisco. "Desculpe-me?". "Para desistir de tudo que você tem por causa do meu irmão e deixar tudo para trás”. Ela sorri. "Ele tem muita sorte de ter você. Tenho a sorte de te chamar de minha amiga também. Mas Rich? Eu não acho que nem mesmo ele percebe a extensão do seu amor”. "Bem, nós vamos ter que fazê-lo ver as coisas com clareza, então", eu digo. "Logo depois que eu matá-lo por deixar-nos”. Min ri. "Você não é a única que quer torcer o pescoço dele”. "Vamos fazer isso juntas", eu digo a ela. "Mas só depois de resgatá-lo de tentar cometer o maior erro de sua vida”. Ela olha para a porta. "Vamos acabar com isso, então?”. Concordo com a cabeça e lidero o caminho para dentro. O proprietário vive no andar térreo. Seu apartamento tem o único conjunto de portas duplas no prédio. Eu ponho os pés juntos respiro fundo e bato. Bang-bang-bang.

32


Não há resposta. Eu olho para Min, e levanto meu punho novamente. Assim quando meus dedos estão prestes a bater na madeira, a porta se abre. Uma Abby sonolenta aparece na porta. Por um segundo, eu estou chocada demais para dizer qualquer palavra. Seu cabelo dourado é uma bagunça, e ela está usando uma camiseta cinza enorme que cai abaixo de seus joelhos. "Abby", eu gaguejo. "Penélope?" Seus olhos se arregalam em reconhecimento. Sem aviso, ela lançase para mim. Estou de repente envolvida em um abraço monstruoso. Ela me tem tão apertada que eu mal posso respirar. Depois de um segundo, percebo que ela está chorando. Gentilmente me afasto dela. Ela enxuga os olhos para limpar o rímel à direita. "Nunca mais faça isso!", Ela repreende. "Nunca desapareça assim novamente, Penn! Você está me ouvindo? Nunca!”. Estou surpresa com a intensidade de suas palavras. Eu nunca soube que ela gostava tanto de mim assim. Ela certamente não demonstrou antes. "Abby, o que você está fazendo aqui?" Eu pergunto. "O que estou fazendo aqui? O que você está fazendo aqui, Penn? Quando eu não te vi novamente depois que você saiu naquela noite com o estranho, eu pensei que você estava com raiva de mim em primeiro lugar. Mas, então, quando você não voltou no dia seguinte, ou no dia seguinte, eu comecei a me preocupar. Você não respondeu as minhas mensagens ou minhas chamadas. Eu pensei, eu pensei que alguma coisa ruim tinha acontecido com você. Metade da força policial do campus está procurando por você!”. "Eles estão?”. "Claro que estão sua idiota! Eu fui à última pessoa a vê-la, e eu vi você sair com esse cara. Eu disse a eles tudo o que eu lembrei quando eles vieram para me fazer perguntas. Eles não disseram isso. Mas, eu poderia dizer que eles achavam que você tinha sido sequestrada ou pior!” Eu dou um sorriso fraco. "Na verdade, isso não é tão longe da verdade”.

33


Abby balança a cabeça em descrença. "Penn, eu estive dia e noite me preocupando com você. Eu sei que eu te irritei naquela noite. Eu ficava pensando: Se não fosse por mim, ela nunca teria saído com um estranho. Oh, meu Deus”. Ela suspira, “E quando eles invadiram nosso apartamento e quase incendiaram o prédio inteiro, eu não sabia o que pensar!”. "O quê?" Eu exclamei. "Abby desacelere. Alguém quase incendiou o prédio?”. "Eles começaram um incêndio no nosso apartamento", disse Abby. "Se não fosse pelos extintores novos que eles instalaram no verão passado, todo o edifício teria pegado fogo. Puta merda, mas eu não posso acreditar que você está realmente aqui!” Ela envolve seus braços em volta de mim novamente em um segundo abraço. Quando ela solta, ela percebe Min pela primeira vez. "Quem é essa?", Ela pergunta. "Esta é Min”, eu digo. "A irmã do cara que eu saí naquela noite”. "Oi..." Min diz calmamente. "Sua irmã?" Abby pergunta incrédula. "Jesus Cristo, Penn. Assim, ele não é um serial killer, então? Eu sabia que você estava brincando quando disse que minha suspeita não estava longe da verdade. Onde está aquele pedaço de homem agora?”. "Eu não estava brincando, Abby. Seu nome é Richard. Ele é a razão de estarmos aqui.” Abby estreita os olhos. "Isso não faz nenhum sentido", diz ela. Em seguida, ela se apressa puxando eu e Min para dentro. "Vamos entrar, Dave saiu. Eu não gosto de estar aqui fora depois do que aconteceu ultimamente”. *** Eu olho ao redor da sala de estar do apartamento do meu ex-locador. Eu não preciso perguntar a Abby por que ela está aqui. Não quando ela está vestida do jeito que está. É bastante óbvio que ela tem seguido o conselho que ela me deu a última vez que nos vimos. "Você quer um drink?" Pergunta Abby.

34


"Não", Min e eu respondemos em uníssono. Fazemos uma pausa para olhar para a outra. "Nós não vamos ficar por muito tempo”, eu termino. Abby acena com a cabeça, em seguida, salta para o colchão. Ela enrola as pernas debaixo dela. Min senta na poltrona em frente a ela, e eu fico em pé. "O lugar parece limpo", eu digo. Abby ri. "Sim. Influência de Dave. Se não fosse por ele provavelmente estaria parecido com o nosso antigo apartamento”. Ela faz uma pausa por um segundo. "Brincadeira. Mais ou menos. Eu pensei no que você me disse naquela noite, Penn. Eu tenho tentado fazer melhor desde então. Eu tenho um trabalho, e não me divirto mais daquele jeito”. "E você e Dave...?”. "Estável", ela sorri. "Estivemos juntos desde a noite em que você saiu. Ele me encontrou dormindo no corredor fora do nosso apartamento e me senti mal. Ele disse que eu poderia ficar aqui até que eu conseguisse me recuperar. Eu, hum agradeci a ele naquela noite”. Ela ri. "Ele é um bom rapaz. Só o que eu preciso, na verdade. Mais velho mais maduro, e definitivamente mais experiente na cama”. Ela pisca para mim. "Assim como eu lhe disse." "Isso é bom, Abby. Eu não posso acreditar que você se lembra da nossa conversa. Eu pensei que você estava muito bêbada”. Ela me dá um olhar significativo. "Eu sei que posso parecer um pouco fora de controle, às vezes. Mas eu me lembro das coisas importantes, Penn. Eu não sou estúpida”. "Estou muito feliz que as coisas estão dando certo para você, Abby," eu digo. "E eu estou tão aliviada que você está viva! Eu sei que eu não sou boa em mostrar, mas eu me preocupo com o que acontece com você. Realmente. Você é a primeira pessoa que me entendeu. Desculpe-me, eu era uma colega de quarto de merda.” “Todo mundo tem suas falhas", eu sorrio. "Eu não tenho nada contra você, Abby." Min limpa a garganta. "Você disse que alguém começou o fogo", ela lembra. 35


"Oh! Oh meu Deus, sim!”, Diz Abby. "Foi o que aconteceu há dois dias. Quando o sol estava se pondo os alarmes de incêndio dispararam. Todo mundo tinha que evacuar. Para minha sorte, eu estava aqui com Dave. Corremos para fora e vi fumaça saindo do nosso antigo apartamento..." ela olha para mim, “... da janela. Não era um grande incêndio, graças a Deus. Os extintores foram colocados para fora, quando os bombeiros chegaram aqui. Dave estava chateado, apesar de tudo. Levou uns dez minutos para eles chegarem”. "Alguém ficou ferido?" Pergunto. "Não. Nós tivemos sorte. Os bombeiros disseram a Dave que não foi um acidente. Eles disseram que alguém intencionalmente começou o fogo em nossos quartos. Isso não faz nenhum sentido para mim, apesar de tudo. Dave era o único que tinha as chaves. Eu sabia que não poderia ter sido você”. "Obrigado por pensar tão bem de mim", eu disse secamente. Os lábios de Abby formaram uma linha fina. "Eu só considerei a possibilidade por um momento, porque isso significava que ainda estava viva”. "Será que descobriram quem fez isso?" Pergunta Min. "Não. Mas eles sabem que alguém chutou a porta. Dave me deixou olhar dentro depois que os bombeiros saíram. Quem quebrou a porta não tocou em qualquer uma das minhas coisas. Mas Penn? Eles rasgaram tudo. Eles empilharam todas as suas roupas no meio da sala e atearam fogo nelas. Foi daí que a fumaça estava vindo.” "Puta merda", eu resmunguei baixinho. Eu estava apertando minha palma com as unhas, forcei minha mão a relaxar antes saísse sangue. "Além do mais”, Abby continua, "havia duas pessoas perguntando sobre você no dia seguinte. Eles não falaram comigo, mas eu ouvi sobre isso dos vizinhos. Dave finalmente chamou a polícia e contou sobre eles. Vi quando eles saíram. Um deles era enorme, o homem era assustador. Seu rosto estava todo quebrado como se tivesse entrado em uma luta.”. Minha respiração acelera. "Victor". Abby olhou para mim com surpresa. "Você o conhece?”.

36


"É uma longa história”. Eu balanço minha cabeça. "Mas sim. Eu sei de quem você está falando. Ele não é um amigo. O outro cara com ele era alto, magro e careca?” Abby torce o nariz. "Não. Era uma mulher. Eu não olhei direito para ela, mais pelo que vi, ela era linda. Seus olhos estavam com raiva, apesar de tudo. E frios.” "Amanda?" Eu me perguntei em voz alta, olhando para Min. "Abby ela tinha um longo rabo de cavalo preto?”. "Não. Seu cabelo estava curto”. Abby faz movimentos com as mãos para demonstrar. "Estava escuro, apesar de tudo”. "E quanto a sua pele? De que cor era?”. "Umm... escura? Sim, nada como o sua. Ela era provavelmente indiana, ou tinha um profundo bronzeado”. "Natural", eu corrijo. "Então você sabe quem ela é também?”. "Eu desejava que não", eu respondo. Quebrar meu quarto, jogar minhas roupas em uma pilha e colocar fogo? Quem faria isso se não fosse Amanda? Lembro-me do que Rich disse que ela fez com suas coisas após a sua separação. Esta foi uma coisa mais vingativa. "Se eles vierem de novo, não fale com eles", diz Min séria. "Chame a polícia imediatamente. Ambos são perigosos”. "Pfft!" Abby se faz de indiferente. "Eu lidei com pessoas perigosas antes", diz ela. "Ouça o conselho de Min", enfatizo. "Se essas pessoas são quem nós pensamos que eles são, você precisa ficar longe. Eles podem até olhar para você, porque você era minha companheira de quarto. Deus! Sinto muito, Abby. Eu nunca quis envolvê-la.” "Ei eu sou durona, lembra? Se eles tentarem fazer alguma coisa para mim, eu vou dar-lhes o gosto de seu próprio remédio”. Vendo a expressão séria no meu rosto, ela suspira. "Oh, tudo bem. Terei cuidado. O que diabos você se envolveu enquanto você estava fora?”. "Fiz as pessoas erradas ficarem com raiva, fiquei como uma pessoa e me apaixonei”. Eu rir do absurdo da minha explicação. 37


"Você está apaixonada?" Abby gritou. "Por esse cara? Richard? Penn estou tão feliz por você! Ele está vindo para cá também?”. "Não. Ele está em Nova York”. Faço um gesto para Min. "Estamos indo atrás dele agora.”. "Nova Iorque? Quer dizer que você está deixando aqui para sempre?”. "Nós estávamos no nosso caminho para o aeroporto. Eu queria encontrá-la primeiro para que você soubesse que eu estou bem”. Eu sorri para Abby. "Diga adeus para o caso de nunca me ver outra vez”. "Espere", disse Abby. "Eu não acredito. Você está mentindo para mim, Penn? Porque, pelo que entendi você tem esse cara que você ama. Seu irmão”, ela acena para Min “que foi para Nova Iorque sem você? Há pessoas que estão te procurando que você diz que são perigosos. Você desaparece por dias sem deixar rastro, só para aparecer agora, e me encontrar aqui, antes de voar por todo o país para ir atrás do seu novo namorado?” Ela balança a cabeça. "Se você inventou tudo isso apenas para não dividir o alojamento comigo pelo menos tenha a coragem de admitir isso”. "Confie em mim", eu digo. "Tudo isso é verdade”. Abby ainda parece não acreditar. Eu olho para Min. Ela encolhe os ombros. Eu olho para o relógio e vejo que ainda temos tempo de sobra. Eu suspiro e começo dizendo a Abby a versão completa dos eventos. *** Os olhos de Abby estão bem abertos na hora que eu termino de contar minha história. Seu rosto ficou branco. Agora, eu tenho certeza que ela entende como são perigosas as pessoas que estão atrás de mim. "Então, ele deixou ambas assim?" Abby pergunta. "Sim", eu concordo. Mostrando-lhe o passaporte que Rich tinha nos deixado. "Merda, Penn," Abby estava de boca aberta. "Isso é algo como James Bond”. Ela entrega o passaporte de volta para mim. "Como você sabe que é seguro para vocês duas voarem?”. "Nós não sabemos", diz Min. "Mas nós temos que tentar”.

38


Abby se inclina para trás e mastiga as unhas pensando. “Não. Não, eu não vou deixar você pegar um voo comercial. Não se eu puder ajudá-la. Eu conheço um cara”. Ela pega o telefone, “Um Amigo. Ele é dono de um aeródromo perto. Ele tem um avião próprio. Ele voa por aluguel. Ele tem uma licença que lhe permite voar por todo os estados. Ele vai ajudar!”. Eu troco um olhar com Min. "Abby...”. "Ele é bom em manter a boca fechada também. É essencial para sua profissão. Ele pode até mesmo ser capaz de ajudá-la a encontrar Richard em Nova Iorque. Ele conhece um monte de gente em lugares úteis”. Ela disca um número e começa a andar pela sala enquanto ela faz a chamada. Eu olho para Min, enquanto Abby conversa. Ela dá um sorriso apertado. "Ele vai fazer isso!" Abby exclama quando ela termina a chamada. "Ele disse que estava querendo fazer uma viagem para a costa leste de qualquer maneira”. "Hum, Abby?" Eu digo. "O que o seu amigo vai fazer exatamente?”. Seus olhos brilham. "Eu não disse? Ele é um traficante”. *** Dave retorna ao seu apartamento quase no minuto em que Abby sai do telefone. Uma vez que ele ouve a nossa história, ele se compromete a nos levar para o aeroporto. Nós chegamos lá 40 minutos mais tarde. É muito longe da cidade, no meio do nada, na verdade. Um celeiro em uma extremidade do lote foi convertido em um pequeno hangar. O amigo de Abby estava nos esperando. Eu o vejo acenar para o nosso carro ao longo da entrada do hangar. Ele parece jovem. Muito jovem. Parece apenas um pouco mais velho do que Rich. "Ele é o piloto?" Eu assobio para Abby, incrédula. "Não se preocupe. Ele vem fazendo isso há anos”, Abby me assegura. "Como, exatamente, vocês dois se conhecem?" Min pergunta. 39


"Nós fomos para a mesma escola. Ele era uma espécie de minha primeira paixão.” Dave fica inquieto ao lado dela. Abby bate na sua coxa. "Relaxe, querido. Isso foi há muito tempo atrás. Somos apenas amigos agora”. Dave para o carro e todos descem. De perto, eu sinto que eu deveria reconhecer o amigo de Abby de algum lugar. Em seguida me bate. Ele foi um dos primeiros caras que ela trouxe para casa quando nos mudamos para Oregon. Eu decido não falar por causa de Dave. Abby corre a frente e dá-lhe um abraço e um beijo na bochecha. Em seguida, ela encontra Dave novamente e pega sua mão. Meu ex-locador parece descontente com a troca. "Olá”, nosso piloto nos cumprimenta. Ele balança para trás em seus calcanhares quando ele olha para nós duas. "Vocês devem ser as duas meninas em apuros. Abby disse que vocês precisam de alguém que possa levá-las a Nova Iorque”. Ele cospe o chiclete que ele está mastigando. "E ela disse que não quer que ninguém saiba que vocês estão fazendo a viagem”. Eu logo respondo. "Isso é certo. É por isso que estamos aqui”. "Bom. Então estamos na mesma página. Eu estou sempre feliz em ajudar um amigo, mas o combustível não é livre, você sabe? E o meu tempo não é algo que eu jogo fora também”. Ele aponta ao lado de fora do hangar. "Se vocês duas precisam entrar nessa beleza aqui eu vou exigir algum tipo de compensação”. Eu encaro Abby. Ela não mencionou nada sobre isso! Min dá um passo para frente antes que eu possa fazer qualquer coisa. "Aqui", diz ela, jogando a bolsa em volta e cavando dentro de sua carteira. Ela conta cinquenta notas de cem dólares. "Isso é o suficiente para nos levar. Você vai ter o mesmo novamente quando pousar”. "Negócio fechado", diz ele com os olhos brilhando com a ganância. "Agora, já que vocês querem segredo sobre esta viagem eu acho que nós não precisamos trocar nomes completos. Vocês podem me chamar de J.” Ele se vira e desliza as portas do hangar até que estejam abertas. "E isso", diz ele, "é o meu passarinho”. 40


Meu queixo cai assim que eu vejo o avião. É pouco maior que um carro pequeno. Não há nenhuma maneira dele poder voar por todo o país. J ri quando ele percebe minha expressão. "Preocupada, querida? Não fique. Este é apenas o avião que nos leva a um aeródromo comercial perto de Seattle. Vamos mudar para um transporte mais adequado quando chegarmos lá”. *** Horas mais tarde, estamos voando através de um grande jato de carga. Há um logotipo FedEx no exterior. J entrou a bordo sem que ninguém percebesse. Agora, Min e eu estamos amontoadas ao lado de pilhas e pilhas de pacotes de tamanho variados. "Aposto que você não estava esperando por isso há uma semana”, Min diz quando nossos olhos se encontram quando um pouco de turbulência sacode o avião. "Quando se trata de seu irmão, eu espero o inesperado", eu respondo. "Tudo o que aconteceu comigo ainda parece tão surreal. Eu não posso decidir se estou em um sonho ou um pesadelo”. "Talvez um pouco de ambos?", Comenta Min. “Sim. Definitivamente”, eu concordo. Eu fecho meus olhos para me acalmar. A cada minuto que estamos no ar eu me preocupo com Rich. Pensamentos sombrios tomam conta de mim. Min toca suavemente meu braço. "Nós vamos encontrá-lo quando chegarmos lá", diz ela como se tivesse lido minha mente. "Eu prometo". Eu engulo. "Eu só espero que não seja tarde demais”.

41


Capitulo cinco O chão debaixo de mim tremula, me sacudindo e acordado. Meus olhos se abrem e ouço o som do avião desacelerando. Meu coração salta para a minha garganta quando a cabine começa a tremer. "Nós estamos aqui!" J fala da cabine. Eu exalo um suspiro de alívio. Estamos no desembarque. Os táxis de avião estão um pouco distante da pista de pouso. J abre a porta e fluxos luminosos da manhã invadem o interior fazendo-me piscar. "Bem", ele anuncia: "Isso pode não ser JFK, mas é o mais perto que você vai chegar sem voar em um avião comercial”. Eu posso ver outros cargueiros que nos rodeia, tendo os logos de suas respectivas empresas de entrega. J aponta para o norte. "Trinta minutos nessa direção e você vai chegar ao coração da cidade." Ele olha para min. "Quanto ao resto do meu pagamento...?”. Min lhe entrega o dinheiro. Ele nos aponta o terminal, onde diz que vai ser possível pegar um táxi. Andamos por ali com ele, nos despedimos e entramos no táxi. Min dá ao motorista um endereço e ele segue. Quando eu vejo a metrópole crescente à distância, eu tenho uma sensação incômoda. Eu nunca fui a esta parte do país. Se apenas as circunstâncias fossem diferentes... O plano que fizemos para encontrar Rich ontem de manhã é simples. Desde que ele usou seu nome real em seu voo, assumimos que ele quer ser encontrado. Portanto é improvável que ele vá se esconder em algum longe em Nova York. É mais provável que ele não vai esconder nada. Na verdade, acho que ele vai direto para o único lugar que ninguém pode encontrá-lo: a casa de seu pai. Eu espero desesperadamente que as coisas sejam fáceis assim. Caso contrário, levaremos um inferno de tempo para encontrá-lo. Em uma cidade de oito milhões de pessoas é a única chance que temos. Tomamos a esquerda antes de chegar ao centro. Logo em seguida estamos obviamente, onde é o subúrbio rico. 42


Carros esportes chamativo estão estacionados nas calçadas, a maioria deles ao lado de SUVs de luxo para as famílias. Cada propriedade tem um portão de entrada e um gramado perfeitamente cuidado. O vento sopra no nosso caminho. À medida que subimos o topo da colina, eu vejo uma magnífica mansão elevando-se diante de nós. "Lar doce lar" murmura Min quando ela me pega olhando. Ela paga o motorista e me leva até o portão onde digita o código. "Este é o lugar onde tudo começou”. Eu não consigo superar o esplendor do lugar. Portanto, este é o lugar onde Rich cresceu. Estátuas de mármore branco em forma de animais pontilham o gramado. A fonte jorra água na frente. A casa em si é enorme, com uma grande varanda e uma grande escadaria que conduz às portas principais. Tudo isso fala de luxo que eu nunca soube, ou nunca, jamais sonhei conhecer. "Vamos lá”. Min me leva para o lado. "Nunca usamos as portas principais, a menos que o meu pai peça. Nós entramos pela parte de trás”. Eu paro atrás dela, sentindo-me claramente fora de lugar. Normalmente, eu sou boa em lidar com ambientes desconhecidos. Mais isso é tão fora da realidade que eu não sei como reagir. Chegamos a uma porta traseira. Min olha para mim antes de abri-la. "É isso”. Eu não posso conter a preocupação na minha voz. "Você acha que ele está ai dentro?”. "Nós vamos descobrir", diz Min, destrancando a porta. O interior da casa é muito grande. Eu não consigo pensar em outra palavra. O teto tem pé direito alto com pelo menos, três andares acima da minha cabeça. O hall de entrada é todo de pedra branca. Não há muito móveis, com exceção de alguns stands com vasos em cima. "Uau", eu solto quando Min pisa dentro. "Está exatamente como eu deixei”. Ela arrasta o dedo no corrimão da escada, deixando um caminho limpo na poeira acumulada. "Só um pouco suja”. "Tudo isso só para você e seu pai?" Eu pergunto.

43


"Depois que Rich saiu? Sim. Tivemos uma governanta também. Mas ela ficou na casa de hospede”. "Ela não parece que recebeu alguém recentemente”. Digo e Min dá de ombros. "Entre", diz Min. "Vamos dar uma olhada ao redor. É fácil se perder nesta casa. Não é como se Rich precisasse de uma chave. Se ele veio aqui, ele não teria usado essa porta”... Lembro-me da maneira que Rich havia arrombado o bar para me salvar. "Você está certa”. Eu forço um sorriso. "Não precisa se sentir desanimada ainda." "Mesmo que ele não esteja aqui, ele vai aparecer, mais cedo ou mais tarde”. "Espero que sim", eu digo. "Ele vai”, Min me assegura. "Eu sei”. Eu a sigo e subo as escadas. Cada passo que damos envia um eco pela casa. Isso torna o lugar sentir frio e sem vida. "Se não o encontrarmos", diz Min, "devemos pensar em alguma maneira de deixá-lo saber que estivemos aqui. No caso dele aparecer depois.”. "Certo," Eu aceno. "Penny? Min?” Eu giro ao redor e o vejo... Rich. Seus olhos estão vermelhos, os cabelos despenteados. Ele está usando a mesma roupa de dois dias atrás. Seus olhos estão escuros. Ele parece ameaçador e cansado e surpreso e, acima de tudo, gostoso. Sem pensar eu começo a correr. A raiva que eu estava esperando não vem. Tudo o que eu sinto é alívio. Rich está seguro, o encontramos a tempo. Isso é tudo que importa. Eu bato nele e quase caímos. Eu enterro meu rosto em seu peito e seguro com força. Eu posso sentir o cheiro dele de novo, eu encho meus pulmões com sua fragrância. Os braços de Rich me apertam desajeitadamente. Eu o sinto hesitar. Meu corpo não se encaixa no seu do jeito que eu estou acostumada. Ele está duro. "Penny." Rich me pega pelos ombros e me empurra para trás. Estou tão feliz que eu posso rir, mas eu me encontro chorando agora que Rich está aqui. 44


Eu estava com medo de perdê-lo. Apavorada. Eu não me deixei sentir nada antes com medo do que esse sentimento poderia fazer comigo. Eu teria sido inútil. Mas agora, com ele aqui eu posso me deixar sentir. Toda a emoção que estive guardando dentro de mim está sendo derramada agora O pensamento de perder a única pessoa que eu amo é demais para suportar. Eu nunca vou deixá-lo me deixar novamente. Rich não me conforta. Ele me mantém ali à distância de um braço, olhando para o meu rosto impassível. Eu fixo meus olhos nele. Eu me sinto como uma idiota. Por que eu deveria estar chorando? Só depois que eu me recomponho Rich abaixa a cabeça para que nossos olhos estejam no mesmo nível. Não há alegria refletida em seus olhos, ele está frio e duro. "Penny”. Ele diz meu nome baixinho. Sua voz é como o som de uma faca pouco antes de cavar em uma garganta. "O. Que. Você. Está. Fazendo. Aqui?”. "Nós viemos para encontrá-lo", diz Min, chegando até nós antes que eu possa falar. Ela coloca a mão no braço de Rich. "Eu não pedi!" Rich grita. Min suspira. Eu recuo para trás, mais sou incapaz de me mover com os dedos de Rich agarrando meus ombros. Rich se vira para mim novamente. Seu rosto é uma máscara contorcida de emoções. Eu o vi com raiva antes. Mas isso... Isso não se compara. Consigo ver a pulsação de veias no seu pescoço. Sua mandíbula contrai mais e mais como se ele estivesse mastigando alguma coisa. Seu lábio inferior treme com intensidade. Seus olhos são muito nítidos. Eu engulo antes de falar. Eu sei que eu tenho que escolher cuidadosamente as minhas palavras aqui. Cada segundo de atraso e os dedos de Rich cavam mais fundo em minha carne. "Eu concordo com Min", eu digo, olhando para ela. Ela olha furiosa. "Nós viemos aqui por você”.

45


"Por mim". O tom de Rich envia um arrepio gelado na minha espinha. Ele fala em uma voz tão baixa que eu mal posso ouvir. "E o que dizer?” Rich fecha os olhos por um momento como que para conter a raiva, “Da promessa que você me fez?”. "Você a quebrou primeiro!" Eu desafio. "Você disse que iria me consultar antes de tomar grandes decisões. Eu não estava indo sentar enquanto você corre e tenta se matar, Richard! Nem eu, e muito menos Min!” Ela concorda. "Além do mais”, Eu continuo. "Basta!" Rich fala com um golpe violento no ar. "Penny. Você entende em que tipo de perigo você se colocou, em?”. "Claro que eu entendo Rich”, Eu disparo de volta. "É o mesmo tipo em que você se colocou quando você veio aqui sozinho! Você realmente acha que eu deixaria você ir assim?”. "Você deu sua palavra”. Seu tom é duro com desaprovação. "Para o inferno com a minha palavra, Richard! Você quebrou a minha confiança. Você sabia que eu não iria deixá-lo ir sozinho, então você escapou no meio da noite, enquanto eu estava dormindo”. Eu sinto minha raiva crescer. "Que tipo de covarde faz algo assim?”. Rich se esforça para manter a voz calma. "Fiz arranjos para mantê-la segura”. "Arranjos. Eu não pedi!" Eu sinto como se pudessem arrancar meus cabelos. Eu persigo todo o país por causa desse homem e é assim que ele me trata? "Tudo o que eu pedi é para estar perto de você! Para estar perto da pessoa que eu amo. Não para ser deixada para trás, como uma prostituta do cais!” Minha respiração está afiada e oca, agora. "Você pode fazer isso de novo e de novo, Richard. Você toma decisões por mim que você não tem o direito de fazer! É como se você nem sequer me respeitasse”. Isso foi à gota d'água. Rich explode. Eu vejo a raiva surgir em seus olhos. "Você ousa falar comigo sobre respeito? Tudo o que eu faço, eu faço por você! No entanto, você sempre encontra um jeito de miná-lo! Não. Não, você é a única que não me respeita, Penélope!

46


Você e seu senso super inflado de valor!” Ele vira as costas. "Você está certa. Eu deixo você como uma prostituta. Porque você não iria entender nada!”. O que? Sim, nós já gritamos um com o outro antes. Mas Rich nunca falou assim comigo antes. Em seguida, ele me bate como um esguicho de água fria. "Eu sei o que você está fazendo", digo-lhe baixinho. Eu forço toda a emoção da minha voz. "Você está tentando me deixar novamente”. Rich dá à volta, e vacila por um segundo. Isso é toda a confirmação de que eu preciso. O filho da puta acha que pode me deixar me fazendo ficar chateada. Eu não vou cair nessa. Min se envolve "Você presume saber tudo que há para saber sobre o perigo, não é, Rich? Você já tem tudo planejado? Você não sabe de nada! Você não sabe o que é ser perseguido por todo o país por bandidos contratados, procurando um irmão que você não tem visto durante sete anos! Você não sabe o que é ser trancado em um freezer escuro, sem saber se você vai ser capaz de sentir o sol em seu rosto novamente”. Ela me dá um olhar. "Você não sabe que aqueles homens e uma mulher colocaram fogo no apartamento de Penny”. Rich para e suas emoções se misturam no seu rosto. "Amanda?”. "Sim", eu digo. Num piscar de olhos Rich está ao meu lado. A máscara que ele estava usando evapora. Ele olha nos meus olhos, e eu vejo o amor que ele sente por mim. "Você está ferida?" Eu respondo dando um tapa no rosto. Rich cambaleia para trás, boquiaberto. "Isso," eu anuncio, “é por fingir que eu não me importo com você. E isso..." eu acalmo minha voz "É por finalmente, mostrar que você se preocupa.”. Eu puxo sua camisa e trago seus lábios nos meus. O tempo para quando ele me beija. É o mesmo beijo que ele me deu na noite em que nos conhecemos. Um beijo reservado para um amante que você não vê a uma década. Só que, desta vez, ele tem um significado real para mim.

47


Eu sinto meus joelhos fracos, e jogo meus braços em volta do seu pescoço para evitar a queda. Ele me pega pela cintura me mergulha para trás. Eu não sabia se iria beijá-lo novamente. Posso dizer que ele também não sabia. Quando nos separamos, eu lembro descaradamente que temos um público. "Você deveria pedir desculpas por ter gritado." Digo a Rich. Min parece surpresa por um segundo, então cruza os braços na expectativa. Rich limpa a garganta e passa a mão pelo cabelo. Ele está de volta com todas as suas falhas, incertezas e imperfeições. O contrário do que fingiu ser momentos antes. "Certo”. Ele olha para sua irmã. "Ouça. Eu não tive a intenção de levantar a minha voz. Eu não estava com raiva de você. Mais eu queria mostrar meu ponto.” Min bufa. "Se essa é a melhor desculpa que você pode dar, você está com sorte por Penny não exigir mais de você. Vocês estavam na garganta um do outro um minuto atrás. Ela tem todos os motivos para ficar puta da vida. Mas, olhe para ela. Ela não está. Talvez agora você vá aceitar que essa menina se importa de verdade com você, Rich”. "Eu sei que ela se importa”. Ele diz. "Amanda realmente colocou fogo em seu apartamento?”. "Até onde posso dizer”, eu respondo. "Min e eu paramos para ver a minha companheira de quarto antes de tomar o voo pra cá. Ela disse que alguém arrombou o nosso antigo apartamento e começou um incêndio, um dia antes de você partir. Quem quer que fosse não foi pego, mas no dia seguinte Abby viu um homem e uma mulher fazendo perguntas sobre mim. Sua descrição se encaixa com Victor e Amanda perfeitamente”. "E Tam?”. "Eu não sei. Abby só mencionou os dois”. Rich se afasta de mim e começa a andar pela sala. "Deixe-me ver se entendi. Não só você me seguiu até aqui, mas você também foi ao seu antigo apartamento no caminho? Você não acha que seria um pouco perigoso?” Ele olha para min. "Você, de todas as pessoas, deveria ter tido o bom senso de saber”. 48


Min o encurrala. "Você não deveria ter saído sem nós”. "Eu vim para conversar com nosso pai. Eu preciso dele para me dizer onde os documentos que roubou estão. Eu estava pensando em encontrar vocês duas depois.” "E se apenas lhe dar os documentos não for suficiente, Rich?" Min pergunta. "E se eles quiserem vingança pelo que aconteceu com Victor? Por envergonhar Tam com Penny? " "Então eu teria enfrentado as consequências. Sozinho". "Não sem mim, você não", digo a ele. Eu enfio meus dedos com os seus. "Onde quer que você vá, eu quero estar lá com você”. "Penny...”. "Eu estou aqui para ajudar também", diz Min. Rich olha para mim. Depois para sua irmã. Ele fecha os olhos. "Eu não vou ser capaz de convencer as duas a sair, vou?”. "Não, a menos que você nos amarre os pés e mãos e nos atire em um avião." Eu digo. Faço uma pausa. "O que, considerando tudo o que você fez não me parece que você não faria, agora que eu já disse isso em voz alta”. Rich ri. "Eu prometo que não vou fazer.” Ele toma uma respiração profunda. "Eu não sou bom nisso, Penny. Eu pensei que talvez, se estivéssemos separado, você veria como ficar comigo não é a melhor opção. Eu sempre estive lá com você antes, quando você tinha que fazer a escolha. Eu pensei que talvez desta vez você pensaria melhor”. "Você pensou errado", declaro. "Sim. Eu posso ver isso agora”. Rich dá um sorriso atrevido. "Vamos lá, então", ele acena. "Eu quero lhe mostrar uma coisa. Voltar a esta casa depois de tantos anos de distância me lembrou de algo que ainda existe”.

49


Capitulo seis Rich lidera o caminho para a ala leste da casa. Chegamos a uma sala com uma grande mesa de carvalho no centro. Min hesita antes de entrar. "O escritório do meu pai", diz ela. "Eu nunca fui permitida entrar aqui sem ele”. “Ele tinha uma razão para isso", diz Rich, ajoelhado junto à mesa. Ele chega por baixo e aperta algo. Eu ouço um bip que vem do lado da sala. Eu olho, e vejo a borda de uma grande pintura de repente balançar longe da parede como uma porta secreta. " Rich se levanta e caminha até ela. Ele a puxa aberta para revelar uma escada secreta que leva para baixo. "Ele me mostrou isso uma vez, quando eu era um menino," Rich explica. "Eu tinha esquecido tudo sobre isso”. Ele ajuda Min a descer primeiro, e depois estende a mão para mim. "Ele disse que eu saberia quando deveria olhar aqui dentro." Tomamos as escadas circulares até descer ao piso principal. A escada termina em uma pequena sala, côncavo que me faz lembrar uma adega. Não há nada lá, exceto uma lâmpada. "Um beco sem saída?" Eu pergunto. Rich sorri. "Não é bem assim”. Ele pega um tijolo na parede, aparentemente de forma aleatória, e conta onze para a esquerda e três para baixo. Quando ele empurra sua mão contra aquela pedra a parede se movimenta. De repente, o contorno de outra porta se torna visível. Ela estava misturada tão bem com a argamassa que era impossível ver antes. "Esta casa tem mais segredos do que você sabe”, Rich nos diz. Ele coloca o ombro contra a porta e empurra. É preciso algum esforço, mas eventualmente a porta é empurrada para dentro, enviando uma nuvem de poeira em nossos rostos. Eu espirro uma vez que se abre. Esta porta da para um pequeno quarto escuro, menor do que o que estamos dentro Há um recipiente de metal no interior, com o mesmo tamanho de um refrigerador de cerveja. Um bloco é visível de um lado. 50


Obviamente, é um cofre. Os olhos de Min de se ampliam em emoção quando vê. "Rich é aqui que...? Oh meu Deus”, ela exclama. "Este é o lugar onde ele guarda seus documentos, não é?”. "Eu não sei de nenhum lugar melhor", diz Rich. "Perto o suficiente para estar ao seu alcance, mas escondido de modo que somente aqueles que sabem sobre ele pode encontrá-los”. "Você sabe a combinação?" Eu pergunto minha voz ansiosa. Finalmente, eu posso sentir a história chegar ao fim. É por isso que Tam e Victor estavam tentando chegar a Min: Para usá-la como garantia de que seu pai fosse revelar a localização deste lugar. "É impossível me esquecer", diz Rich. "É o meu ano de nascimento de trás para frente”. Ele se agacha na frente do cofre e introduz o código. Um sinal sonoro estridente soa com cada tecla. Esperamos. Nada acontece. "Estranho" murmura Rich. Ele puxa o identificador, não se move. Ele tenta inserir o código novamente. O mesmo resultado. "O bastardo deve ter mudado", Rich amaldiçoa. "É claro que não seria tão fácil!”. Durante a hora seguinte, tentamos todas as combinações que podemos pensar. Nós usamos o ano de nascimento de Min e de seu pai. Como também o ano de nascimento ao contrário dos dois. Não conseguimos nada. Min e Rich tentam vários números que já significou alguma coisa para eles, números de cartão de crédito e de seguro social. Todos dão o mesmo resultado. "Só uma pessoa sabe como abrir esse cofre”, Rich diz finalmente. "E ele está trancado atrás das grades. Até conseguirmos essa informação dele nenhum de nós poderá dormir tranquilo”. Ele coloca o bloqueio do tijolo de volta no lugar e nos leva até as escadas. Quando a pintura retorna, ele se vira para nos encarar. “Tudo bem. Temos que conseguir tirar vocês daqui”. "Não sem você", lembro a ele.

51


"Vou reservar um hotel. A partir daí, podemos decidir como faremos para encontrar nosso pai”. Ele dá um sorriso atrevido. "Juntos".

Mais tarde naquela noite, estamos todos juntos na sala de estar elegante do hotel. É difícil imaginar que alguém poderia nos encontrar aqui em uma cidade com tantas pessoas. Ainda assim Rich tomou várias precauções para chegar aqui. Ele nos fez entrar no hotel um de cada vez para não chamar atenção. Um grupo de três é muito mais visível do que um sozinho. Entramos no hotel sem nenhum problema. Mas Rich ainda está nervoso, eu posso dizer. Ele não consegue ficar parado por mais de um minuto. Mesmo o menor ruído o faz se assustar. Eu gostaria de poder dizer que sua preocupação não me afeta. Mas isso seria uma mentira. Sua ansiedade está me deixando maluca, que por sua vez provavelmente deixa Min da mesma forma. Ele está deixando o clima tenso. "Amanhã de manhã", diz Rich, falando o nosso plano pela enésima vez, “Você e eu vamos sair para a penitenciária. Min vai ficar aqui. Vou tentar convencer nosso pai a me dar à combinação do cofre. Min, enquanto você espera você vai ligar para todos os hotéis disponíveis e verificar se tem vaga disponível para o dia. Use meu nome real e passe o número do meu cartão de crédito. Isso vai ajudar a despistar qualquer um que esteja de olho em mim.”. Min resmunga irritada. Ela queria ir com a gente para ver seu pai. Rich disse que se todos nós chegássemos juntos seria muito arriscado. Desde que eu não estou a ponto de deixá-lo fora da minha vista, Min teve que ficar para trás. "Eu sei que você está me dando um trabalho bobo", ela murmura levantando-se. "Mas eu não vou brigar com você agora. Boa noite”. Ela entra em seu quarto e fecha a porta. Rich exala quando ela está fora de ouvir. "Se você não estivesse aqui", diz ele, "ela teria lutado com unhas e dentes para ir comigo. Ela pode ser teimosa às vezes”. 52


"Assim como alguém que eu conheço", Digo sorrindo. Rich dá um sorriso fraco em troca. Ele parece exausto. "Certo". Eu vou até ele e sento-me em seu colo. Ele coloca suas mãos ao redor da minha cintura. Eu prendo meu cabelo um pouco e sento da melhor forma possível. "Você está preocupado", falo. Rich respira fundo antes de responder. "Sim. Estou preocupado com você e Min. Você nunca deveria ter vindo. Você estaria mais segura se estivesse longe.” "Estar segura não significa nada se você não estiver lá", digo a ele. "Se você está preocupado agora, imagina como me senti quando descobri que você foi embora”. Concentro-me em seus cabelos, passando os dedos através deles. "Eu não sabia se um dia ainda iria vê-lo Richard. Sempre ouvi falar de pessoas que sofrem desgosto em suas vidas, antes, eu achava que eles deveriam chorar por algum tempo e, em seguida, seguir em frente. Eu nunca entendi os que afirmavam que não poderiam seguir em frente. Afinal, a vida continua. Certo? Você tem que fazer o melhor de cada situação e sobreviver”. Deixei minhas mãos cair, em seguida, colocando minha atenção em suas tatuagens nos antebraços. "Mas eu sabia que se eu perdesse você nunca poderia me curar”. As mãos de Rich apertam minha cintura. "Penny, você não teria me perdido. Eu teria voltado”. "Você diz isso como se tudo dependesse de você. E se alguma coisa fugir do seu controle?”. Ele faz um som em sua garganta. "Eu não teria deixado você se soubesse que você estaria me esperando”. "Os homens são uma droga e todo o seu orgulho de macho é uma merda", murmuro. Ele solta uma gargalhada e eu sorri satisfeita que ele lembra o comentário de nossa noite no motel. Suas mãos começam a se mover para cima e para baixo nas minhas costas. Eu olho em seus olhos. "Você vai ficar bem encontrando com seu pai?" Pergunto baixinho. 53


Por um segundo as mãos de Rich param de se mover. Ele começa novamente quando ele fala. "Eu tenho que ficar não é?”. Eu posso dizer que o encontro é torturante para ele. Ele está mais nervoso do que deveria. Então eu penso que eu só sei uma pequena parte sobre seu relacionamento com seu pai. Eu pego seu rosto em minhas mãos. "Eu vou estar lá com você, Richard." "Eu sei”. Ele beija minha testa. "Obrigado”. "Tudo o que ele disser e fazer, vamos enfrentá-lo juntos, tudo bem?" Eu o abraço com força. "Você não está mais sozinho”. Ele me pega como se eu não pesasse nada e me leva para o nosso quarto. Eu grito surpresa. "Você gosta de se mostrar, não é?”. Ele me deixa cair sobre a cama. "Eu não posso ajudá-la, você é tão pequena e frágil”. Ele me beija quando deita sobre mim. "Eu quero cuidar de você”. "Ei!" Eu empurro seus ombros. "Eu posso ser pequena, mas eu não sou frágil”. Eu belisco sua orelha para provar meu ponto. "Eu posso ser muito mal-humorada”. "Eu me lembro", Rich sorri. Ele cai para o seu lado e me olha profundamente nos olhos. "Você também é bonita, Penny. Fodidamente bonita. E você é minha. Só minha nunca se esqueça disso”. Eu perco minha voz. Meu estômago aperta, ao mesmo tempo. Mesmo que eu o ame eu não sei se posso confiar nele novamente. Ainda não. Não depois do jeito que ele me deixou. É algo que eu preciso trabalhar. E eu vou. Eu olho para trás em seus magníficos olhos. É justo para um homem ser tão lindo? Eu passo meus dedos sobre a testa e o queixo, traçando suas características masculinas. Rich fecha os olhos e suspira, saboreando o meu toque. Sinto-me cansada depois da viagem. Eu não sei mais posso imaginar que Rich também esteja. Ao contrário de mim, ele mal tinha dormido a noite antes de sair. Além disso, ele está estressado muito mais do que eu sobre amanhã. "Deite", sugiro. "Deixe-me fazer uma massagem”.

54


Seus olhos se abrem. Ele parece surpreso por um segundo, mas satisfeito. Ele sorri, beija minha mão, e deita-se em seu estômago. Eu me levanto para desligar as luzes e fechar a porta. "Fique à vontade", eu digo. Eu tiro minha calça jeans. Vejo Rich tirar sua calça e camisa, depois deita sobre o cobertor apenas de cueca. Eu subo em cima dele. Sua pele é quente contra as minhas coxas. Eu nunca fiz isso antes, mas eu imagino que a maioria dos homens iria desfrutar de uma massagem nas costas desse jeito, parece sexy. Quando meus dedos apertam seus músculos rígidos Rich dá um suspiro de prazer, ele parece se sentir bem ao meu toque. Mas todos os seus músculos estão apertados. Ele definitivamente precisa disso. Eu trabalho em seu pescoço e ombros, em seguida, lentamente faço meu caminho para baixo sua coluna vertebral. Sua respiração fica mais alta e ele suspira. Eu posso dizer que ele está gostando disso. Eu sigo meus dedos sobre sua cicatriz antiga, desejando que eu estivesse lá quando ele se machucou. Rich relaxa os músculos. Sua respiração fica mais lenta, em seguida, adota um padrão regular. Eu me inclino para frente para olhar para seu rosto. Seus olhos estão fechados, as feições calmas. Eu sorrio. Ele está dormindo. Eu me aconchego junto a ele debaixo das cobertas. Ele coloca o braço em volta de mim e me puxa para perto. "Boa noite, querida", ele sussurra para mim. "Boa noite", eu digo de volta.

55


Capitulo sete Rich e eu alugamos um carro na manhã seguinte para ir a penitenciária. Seu pai está em uma prisão de segurança comum em um município vizinho. O nervosismo de Rich sobre o encontro com seu pai voltou esta manhã. Ele está passando para mim. Na minha cabeça, eu tenho essa imagem de seu pai como um grande homem frio, com uma mente calculista. Quase como uma mistura de Tam e Victor. Mas então eu me lembro de que Rich é seu filho, e Min é sua filha. Talvez ele não seja tão ruim. Afinal, Rich e Min devem ter algumas qualidades dele, e os dois estão muito bem. Depois de uma longa viagem por terrenos arborizados, vejo um edifício surgir no horizonte. Eu coloco minha mão sobre o joelho de Rich para confortá-lo. Eu acho que ele não percebeu. Ele puxa o carro para um lado e estaciona, desliga o motor, mas mantêm as duas mãos no volante. "Você não tem que entrar, você sabe", ele me diz. "Você pode esperar aqui. Uma reunião como esta pode ficar um pouco desconfortável para você”. Eu abro a porta. Eu não vou abandonar Rich e o deixar enfrentar seu pai sozinho. Eu começo a andar em direção ao prédio. Um de nós tem que assumir a liderança aqui. Rich pega minha mão. "Ok", ele diz "Nós vamos fazer isso juntos”. "Como se eu esperasse algo menos", eu ironizo. Nós fazemos o nosso caminho para dentro, os seguranças fazem uma revista completa e temos que colocar tudo de nossos bolsos em um saco plástico para pegar apenas na saída, então somos levados a uma sala de espera. Uma parede de vidro divide a sala em duas. Estações de espera ligam ambos os lados do vidro, ligados por um sistema de telefone com alto - falante. Rich e eu esperamos. E esperamos. Nós somos os únicos dois visitantes aqui. Rich esfrega as mãos, se senta, depois fica em pé Ele bate o pé no chão, em seguida, cruza os braços, anda para trás e para frente. Ele está realmente estressado. 56


Eu não estou acostumada a vê-lo assim. Mesmo que ele nem sempre esteja no controle emocional. Eu vim para ajudá-lo a enfrentar isso não importa a situação. Ele lutou com Victor sem medo. Ele dirigiu durante horas, enquanto sua perna sangrava sem reclamar. Ele nos levou da casa de Amanda e começou a lutar em um bar na mesma noite sem se preocupar. Agora, é como se toda a confiança tivesse drenado dele. Ele parece incerto e preocupado. Ele olha... Como um garoto preste a enfrentar seu pai desaprovador. "Ei”. Eu pego sua mão enquanto ele passa. "Rich, isto não é você. Eu nunca te vi tão nervoso”. "Eu não o vi em anos, Penny", ele admite. "E você cresceu ao longo desses anos. A última vez que viu seu pai era apenas um menino. Agora você é um homem, e pelo que sei maior do que ele e em todos os sentidos. Não se esqueça disso”. Ele bufa e retira sua mão. "É difícil". "Seu pai não detém o domínio sobre sua vida, Rich”, Lembro-o. Então dou um sorriso. "Se alguém pode fazer essa reivindicação aqui sou eu”. Rich parece assustado por um instante. Então pisca e balança a cabeça. "Você está certa", diz ele. "Você está absolutamente certa”. Sua voz recupera a forçar. "Droga Penny, por que você não disse nada antes?”. "Eu estou aqui com você agora”, eu o tranquilizo. "Você não tem nada a temer." Eu levanto e fico ao lado dele quando porta se abre. Eu inclino minha cabeça naquela direção. "Agora é hora de você brilhar, baby”. Rich inclina a cabeça para baixo e beija-me depressa. Quando ele se endireita, ele parece um homem transformado. Ele fica mais alto, seus ombros são mais largos, seus olhos brilhando com intensidade novamente. Ele se vira para encarar o homem que causou tanta dor para ele em sua vida. Eu olho para o pai de Rich pela primeira vez. Um suspiro escapa dos meus lábios e é totalmente espontâneo. O homem de pé no outro lado do vidro parece quase exatamente como o homem em pé ao meu lado.

57


Não é como um pai que se assemelha a seu filho. É como um irmão gêmeo separado no nascimento. Rich anda em direção a uma estação. À medida que se aproxima, eu observo algumas diferenças. Seu pai tem mais linhas de expressão ao redor dos olhos e na testa. Se não fosse isso eles seriam idênticos. Ele tem o mesmo cabelo, os mesmos olhos, o nariz, as maçãs do rosto e o queixo. Eu olho para Rich só para ter certeza que ele não foi transportado através da sala sem o meu conhecimento. Ele ainda está ao meu lado, com sua mandíbula e seus olhos duros. O pai de Rich tem um cavanhaque estreitamente cortado. Essa é a maior diferença que eu posso encontrar entre os dois homens. O pai de Rich pega o telefone do outro lado. Sua voz vem através de um altofalante na parede da estação. "Meu Deus", ele diz, “Meu filho. É você mesmo?” Sua voz é mais áspera do que a de Rich. Mais abrupta. Eu gosto de Rich muito mais. Rich se senta. "Anthony", diz ele. "Anthony?" O pai de Rich ri. "Desde quando eu sou 'Anthony' para você, meu filho? O que aconteceu com 'pai'?”. "Não zombe”, Rich rosna. "Você deixou de ser meu pai no dia em que deixei você e seu fluxo de prostitutas." "Richard. Isso não é maneira de falar na frente de uma senhora”, ele adverte. Seus olhos encontram os meus. "Quem é esta mulher bonita com você?" "Penny", responde Rich a contragosto. Eu esfrego seus ombros para acalmá-lo. "É um prazer conhecê-la, Penny", diz seu pai. "É uma vergonha encontrá-la nessas circunstâncias. Você deve desculpar o comportamento bruto do meu filho. Ele claramente não deveria estar na companhia de uma mulher bonita como você.” Eu coro com o elogio. Eu não sei por que isso me afeta muito. Mas há algo muito estranho em ouvir essas palavras de alguém que se parece muito com Rich. "Pare com isso”. Rich bate com o punho. "Ela não vai se apaixonar por sua imitação barata de charme”. 58


"Possessivo, não é?" O pai de Rich dá um sorriso. É um sorriso venenoso. "Você se importa com essa moça? Claro. Caso contrário, por que trazê-la para visitar seu pai na cadeia? Mas o quanto gosta dela meu filho? Eu não vejo um anel em seu dedo”. "Basta!" Rich diz. "Nada disse lhe diz respeito”. "Se você realmente a ama”, o pai de Rich continua ignorando o que seu filho diz e olha apenas para mim, “então se case com ela. Eu cometi o erro de esperar muito tempo para propor a sua mãe. Por causa disso perdi a única mulher que eu amei”. "Não se atreva”, Rich grita. "Não se atreva a afirmar que a amava. Eu sei o que você fez com ela. Eu sei a verdade, Anthony”. O pai de Rich exibe um sorriso grande e fácil. "Você agora exige meu filho? E o que quer que você pense que seja a verdade eu não tenho razão para mentir. Você é um homem livre, enquanto eu pareço ser um convidado permanente nesta bela instituição”. "É nada menos do que você merece”. "Oh! Richard, você me feriu”. Eu posso ouvir o tom de zombaria em sua voz. "Você realmente não tem nenhuma simpatia por seu pai? Penny sabe. Eu posso dizer. Ela sabe que eu não pertenço a esse lugar”. Ele olha para mim, esperando uma resposta. Mesmo no macacão da prisão, ele projeta autoridade. Ele é um homem acostumado a conseguir o que quer. "Não", diz Rich. "Não, você não pertence aqui. Você pertence a um presídio de segurança máxima por homicídio”. O pai de Rich inclina a cabeça para o lado. "Acusações infundadas do meu próprio filho. Isso é tudo o que você tem a oferecer, depois de tantos anos? Por que você veio, Richard? Se for para lançar insultos em meu rosto, então você vai encontrar a minha paciência se esgotando”. "Eu vim para corrigir seus erros. Seus sócios o consideram um ladrão. Você tem informação que eles querem de volta. Enquanto você está seguro aqui no luxo, eles fizeram a vida de Min um inferno”. Ele não parece surpreso. "Oh sim, eu sei tudo sobre o que eles querem. Eles estão atrás de Min?”. 59


"Eles colocaram seus cães atrás dela. Eles planejavam usá-la como garantia para chegar até você”. "Ela é uma garota esperta. Ela pode cuidar de si mesma.” "Você realmente é tão cruel?" Pergunta Rich. "Você não sente culpa pelo que está acontecendo com ela?”. "Perdoe-me meu filho, mas as informações do mundo exterior são escassas”. Ele sorri sem humor. "Filtro muito pouco através dessas paredes. Eu não sei o que está acontecendo. Pode surpreendê-lo, mas eu não tenho esse poder aqui”. "Tam e Victor foram enviados para irem atrás de Min. Perseguiram-na por todo o país, enquanto você estava seguro aqui. Ela temia por sua vida e me procurou. Eu tentei protegê-la da melhor forma possível. Mas eles não vão parar sua busca até que eles tenham o que você tomou”. O pai de Rich considera as coisas por um momento. "Então, tudo se resume a isso. O filho possui os mesmos erros de seu pai. E você fala livremente disso na frente de Penny?” Ele aponta para mim de um modo improvisado. Minha antipatia por ele cresce exponencialmente. "Eu confio nela com a minha vida”, Rich diz com a maior convicção. Meu coração se derrete em meu peito. "Tudo bem. O que você quer de mim, Richard?” Ele levanta as mãos como se estivesse algemado. "Minhas opções são limitadas”. "Dê-me à combinação de seu cofre. Vou devolver os documentos. Min será capaz de viver sua vida novamente.” "Meu código do cofre?", ele ri. "O do meu escritório? Eu estou orgulhoso de você. Eu não achei que você fosse se lembrar”. "Eu não estou aqui para ouvir a sua falsa bajulação", diz Rich. "Dê-me a combinação. E deixe sua filha viver sem medo.” "Você realmente acredita que é assim tão simples não é?" Seus olhos estreitam. “Você devolve o que eu roubei” ele enfatiza a palavra, “e tudo pode voltar ao normal? O que é normal para você, Richard? O que você tem feito para tornar seu pai orgulhoso?”. 60


Eu sinto Rich tenso. "Eu vivo para mim, pai. Não para você. Não para a sua aprovação. Não mais”. Meu peito se enche de orgulho e amor. "Tudo bem. Você acha que sabe tudo? Você está nadando na água enlameada com tubarões menino, e você é apenas um peixinho. Você quer a combinação? Certo. Seis-seis-seis”. Ele sorri maliciosamente. "Você quer que eu escreva para você também, ou você confia em si mesmo para se lembrar?”. Rich olha ameaçador. "Se isso é um truque...”. "Então você sabe onde me encontrar de novo", seu pai encolhe os ombros. "Eu não sou tão frio ou cruel quanto você pensa. O que você pensa de mim?” Ele balança a cabeça e seus olhos se concentram em Rich. “Não. Não, eu não preciso saber. Faça o que quiser. Proteja a sua irmã. Prove a si mesmo que você é um homem”. Ele sorri de uma maneira provocante. "Sua mãe teria ficaria tão orgulhosa”. Rich rosna e começa a levantar. Ao mesmo tempo, o segurança do outro lado coloca a mão no ombro do pai de Rich. "Tempo esgotado", ele diz. "Adeus, meu filho", diz o pai, de pé para sair.

"Bem, isso não foi tão ruim", eu digo quando entramos no carro. A caminhada de volta foi tranquila, com Rich perdido em seus pensamentos. Ele franze a testa. "Foi muito fácil. Ele não está nos dizendo alguma coisa.” "Você lidou com isso muito bem”. Eu o beijo na bochecha. "Você não elevou a sua voz com suas palavras provocadoras”. "Ele deve achar que eu sou um idiota, se eu acredito que isso é realmente o código do cofre...”. "Por que não pode ser? Não é como se alguém fosse encontrá-lo de qualquer maneira. Por que não escolher algo simples?”. "Realmente, você acha? Seis-seis-seis?" Rich encaixa o cinto de segurança e liga o motor. "Eu concordo, no entanto. É por isso que temos que tentar”. 61


"Rich?" Eu falo. "Hmm?”. "Por que ele fala sobre sua mãe dessa maneira?”. "Porque ele queria uma reação de mim. Ele é esperto. Manipulador. Ele sabe como apertar os botões das pessoas”. Rich pega a minha mão. "Se não fosse por você, eu acho que não conseguiria lidar com isso”. "De forma alguma”, digo a ele. "Você teria feito exatamente o mesmo se eu não estivesse lá”. "Não, Penny", protesta Rich. "Você me manteve no controle. Você me deu força apenas por estar lá. Eu não poderia ter encarado ele sem você.” "Talvez agora você possa perceber que você não pode me deixar para trás mais", eu lembro, sorrindo. Rich ri. "Eu acho que já sabia disso”. Ele muda e saímos do estacionamento. Poucos minutos depois, nós estamos dirigindo pela mesma paisagem arborizada que nos trouxe aqui. Eu vejo uma estrada de terra do lado da estrada principal frente. Rich percebe isso também. Ele olha para mim. Eu vejo um brilho malicioso em seus olhos. Sem aviso, ele corta para a direita, para a estrada de terra. Ao mesmo tempo, a mão dele vai para a minha coxa. Posso vê-lo tentando esconder um sorriso furtivo. "Eu meio que fiquei devendo a você ontem à noite", diz ele. "E o encontro com meu pai deixou meu sangue fervendo”. Ele para o carro na sombra de uma enorme árvore. "Nós não tivemos um tempo sozinho Eu preciso de você desde que você me encontrou em Nova York”. "Richard", eu digo brincando. "Você sabe Min está esperando por nós”. Sua mão começa a se mover para cima e para baixo na minha coxa. Ele desafivela o cinto de segurança e me enfrenta. "Deixe-a esperar", diz ele, me puxando para um beijo. Nossas bocas se encontram. Eu o devoro avidamente. Sua língua duela com a minha, enquanto sua mão aperta a minha perna. Sentindo-me esquentar, subo ao longo do console central para seu colo. A mão de Rich desliza sob o meu jeans e ele 62


agarra minha bunda. Eu movo meus quadris contra ele, enquanto continuamos a beijar. Eu posso senti-lo cada vez mais duro. Isso me excita. Eu puxo sua camisa sobre a sua cabeça. Ele arranca os botões da minha blusa aberta. Meus seios saltam para fora. Rich abaixa a cabeça e encontra minha carne, ele puxa meu sutiã para baixo e expõe meus seios agora doloridos. Eu lamento e arqueio as costas quando ele chupa meu mamilo. Ele volta sua atenção para o outro, a língua sacudindo para frente e para trás em sua boca. Eu enfio meus dedos em seus cabelos, puxando-o para mim. Os sons de buzina me assustam. "Desculpa!" Eu sorrio para ele. Rich ri. "Você está tentando chamar a atenção para nós na mata?”. "Oh sim, eu quero que todos nos vejam”. "Eu não sabia que você era tão exibicionista”, Rich brinca. "Talvez seja algo que você traz para fora em mim", ironizo. "Eu?" Rich me beija novamente. "Nesse caso, eu acho que nós vamos ter que explorar mais”. Outro beijo. "O que mais posso trazer para fora em você?" "Mmm... muitas coisas”. Eu rio contra sua pele. Eu corro minhas mãos pelo seu corpo, ligo meus dedos na cintura de sua calça jeans, e puxo para baixo. Sua ereção salta livre, duro e grosso. Eu enrolo minha mão em torno dele e começar a acariciá-lo para cima e para baixo. Rich exala um gemido forte. Eu mordo meu lábio inferior e sorrio, observando o rosto de Rich. Eu adoro ver suas feições cheias de êxtase como estão agora. Sabendo que eu sou o única que faz ele responder dessa forma, faz com quer me sinta sexy. "Meu Deus, baby, você é tão boa com as mãos", Rich diz. Eu trago minha outra mão para ele, então eu estou acariciando seu pau com as duas mãos. Eu círculo meus dedos sobre a ponta e bombeio, ele geme de prazer. Eu sinto que minha própria respiração ficando mais pesada. Uma fina camada de suor cobre meu corpo pelo esforço. Rich puxa minha cabeça em direção a seus lábios e esmaga minha boca. "Eu quero você dentro de mim", eu sussurro em seu ouvido. "Rich, eu quero você dentro de mim agora”. 63


Suas mãos voam para me despir. Eu agarro seus ombros para manter o equilíbrio enquanto desliza as calças até os joelhos. Estou úmida e pronta para ele. Eu mexo uma perna deixando-a livre, chutando o meu sapato no processo. Então, eu lentamente afundo em cima dele. O ar sai dos meus pulmões em um trêmulo gemido. Rich me enche até a borda. Eu amo a sensação de ser esticada. O pouco de desconforto faz com que seja muito melhor. "Jesus Cristo, Penny, você é tão apertada”. O polegar de Rich começa a circular meu clitóris. "E você está tão pronta para mim”. Logo o carro é preenchido com os sons e cheiros do sexo. Eu gemo na boca de Rich quando ele continua a me beijar. Inclino-me para trás e me equilibro em suas pernas enquanto ele bombeia em mim. Meus seios estão pesados e inchados, meus mamilos apertados. Eu posso ver as veias esculpidas nos braços de Rich quando ele agarra em mim. Eu posso o sentir inchar cada vez mais. Eu posso ver o prazer em seus olhos, ouvir a satisfação em sua voz. Eu grito quando todo o meu corpo treme quando eu gozo. Meu corpo é abalado por uma série de ondas inimagináveis. Rich explode quase ao mesmo tempo. O fluido quente e pegajoso enche minhas entranhas adicionando imensa satisfação para o meu prazer. Eu me inclino para frente, para ele, tentando recuperar um pouco o fôlego. A respiração de Rich é irregular e dura. Quando ele recupera sua força, ele me puxa para perto e sussurra em meu ouvido: "Eu te amo".

64


Capitulo oito Nos limpamos o melhor que pudermos, nos vestimos e dirigimos de volta. Rich tem um sorriso satisfeito no rosto todo o caminho até o hotel. Min está frenética quando chegamos. "Oh, meu Deus", ela suspira. "Porque demoraram tanto? Eu estava morrendo aqui!”. Rich e eu compartilhamos um olhar que ela pega. Ela começa a franzir a testa. Mas, Rich acalma e explica tudo: A longa espera, a conversa com seu pai. A um o ‘tráfego’ no caminho de volta. "Será que ele está... está bem?" Min pergunta. "Eu sei que ele merece estar lá, mas ainda assim...”. "Ele está bem", responde Rich bruscamente. Sentido Rich relutante Min diz. "Ele é o nosso pai". Rich bufa em resposta. Voltamos para o carro e vamos para sua casa. Rich dá algumas voltas à procura de veículos suspeitos. Mesmo que não encontre nada ele permanece cauteloso à medida que nos aproximamos das portas. Min usa sua chave e caminhamos para o escritório. Rich ativa o mecanismo que libera a pintura e ajudar nós duas a passarmos. A porta pesada na parte inferior movese mais facilmente neste momento. Rich se ajoelha na frente do cofre. Ele olha para Min, então ele me olha. Dou-lhe um sorriso confiante. E se o pai de Rich mentiu sobre a combinação? Rich toma uma respiração profunda e digita o código. Seis-seis-seis. Minha respiração acelera. Os segundos parecem uma eternidade... As portas se abrem. "Merda" murmura Rich. "Ele estava realmente dizendo a verdade”. Ele chega e pega dentro um cabo USB. "Oh meu Deus!" Min salta e me envolve em um abraço. Rich se levanta. "Todo esse trabalho para algo tão pequeno”. 65


"Posso ver?" Eu peço. O dispositivo é pequeno e pesado muito mais pesado do que os pendrive de plástico baratos vendidos nas lojas. Há uma tampa que sai. Percebo uma inscrição na parte de baixo: 'RedArm Corporation.' Quando devolvo o USB para Rich, uma onda de alívio me lava. Finalmente, eu sinto o fim de toda essa incerteza está próximo. Aponto as letras para ele. Ele acena com a cabeça. "Sim, isso faz sentido. RedArm é a empresa do ex-parceiro de negócios do meu pai. " "O que eles fazem?" Eu pergunto. "É provavelmente uma organização para legitimar todas as transações subterrâneas que acontecem", diz Min. "Oficialmente, é uma empresa de consultoria. Mas isso pode significar qualquer coisa”. "Eu disse que ela é inteligente", pisca Rich. Subimos as escadas para o piso principal. "Sorte para nós, os escritórios da RedArm estão em um edifício próximo." "Então, eles são os únicos que enviaram Tam e Victor?" Pergunto. "Provavelmente", responde Rich. "Obviamente, eles têm conexões com a máfia. Como Min disse, a empresa é apenas uma fachada legal”. Rich faz uma pausa para considerar algo. "Eu quero acabar com isso o mais rápido possível. Eu vou lá hoje”. "Não sem mim", digo. A mão de Min no meu ombro faz com que eu pare. "Isso é algo que ele tem que fazer sozinho mesmo", diz ela, com os olhos cheios de compaixão. "Eles não iriam deixar nós três andar por aí”. "Não”, Rich concorda. "Mas nós vamos com você para o edifício”. Min sorri para mim. "Nós vamos esperar no lobby”. Rich ri. "Eu sei que não devia esperar outra coisa”. ***

66


Min escolhe um vestido preto formal de seu armário. Ela me dá uma saia lápis e casaco combinando, junto com uma blusa branca e sapatos pretos. Apesar de tudo se encaixar eu nunca me senti mais desconfortável. Eu não reconheço a mulher olhando para mim no espelho. Eu sei que todas as roupas são terrivelmente caras, mas elas me fazem sentir estranha. Eu me viro e quase suspiro quando vejo Rich. Ele está usando um terno cinza claro que fica ótimo nele. Ele olha para cima e para baixo. "Sexy", ele rosna quando nossos olhos se encontram. "Há algo sobre vê-la assim que me excita”. Min limpa a garganta. "Vocês vão ficar muito tempo sozinhos", ela diz a Rich “mais tarde. Agora estamos fazendo isso, ou não?”. Rich ri e joga o USB no ar, ele pega com a outra mão e desliza no bolso com estilo. "Claro que sim. Estou animado para começar tudo isso”. "Vocês realmente acham que vai ser assim tão fácil?" Eu pergunto. "Eu não posso afastar a sensação de que algo vai dar errado. Então vamos entrar lá e entregar o USB?” "Baby, eu prometo que tudo vai dar certo”. Rich se inclina e me beija. "Eu talvez precise falar um pouco, mas você sabe como eu sou bom nisso”. Ele pisca para sua irmã. "Eu fiz você se apaixonar, não é?”. Eu bato nas suas costelas. "Não abuse da sorte”. Min ri. Nós entramos no carro juntos. Deixei Min ir ao banco da frente com seu irmão. Rich nos leva para a cidade e fico maravilhada com o esplendor e tamanho de Nova Iorque. Sim, eu vivia no estado mais populoso antes. Mas, há algo sobre esta cidade que me tira o fôlego. Trinta minutos mais tarde, Rich puxa para uma garagem subterrânea debaixo de uma enorme torre de vidro. Quando entramos no lobby, eu fico de repente feliz com a maneira como estou vestida. Há centenas de pessoas andando por aqui, e todos eles têm o mesmo gritante traje profissional. Caminhamos até o elevador. Rich consulta o painel dos andares, em seguida damos um passo para dentro. Nós subimos para o piso superior. 67


A mesa de aço reluzente fica em frente às portas do elevador. A graciosa, mulher bonita em seus cinquenta anos sorri para nós à medida que caminhamos para dentro. "O que posso fazer por você?", Ela pergunta agradavelmente. Rich assume a liderança. "Eu sou Richard Blackthorne”. "Oh!" A secretário exclama. “O senhor é filho de Blackthorne! Nós estivemos esperando por você. Por favor, sente-se. Vou ligar para o Sr. Calloway e deixá-lo saber que você está aqui.” Eu troco um olhar com Min quando somos levadas para a sala de espera. "Posso arranjar-lhe alguma coisa?" A mulher pergunta. "Água, chá, café?”. "Estamos bem", responde Rich cordialmente. "Obrigado”. Assim que a secretária sai, Rich diz. "Vocês precisam ir embora. Agora. Se eles sabiam que eu estava chegando isso significa que eles estão nos observando”. "Se nós estamos sendo observados, então como você espera que a gente fuja?" Min atira de volta. Ela oferece um sorriso para a mulher no balcão. "Vão para o subsolo”, Rich diz baixinho. "Pegue o metrô. Ninguém pode segui-lo lá. Saia na rua 12”. "Richard" Eu enfatizo o seu nome. "O que importa se estamos sendo vigiados? Viemos aqui com o que eles querem. Você dá a eles, e tudo estará acabado. Você mesmo disse isso!” Rich hesita em conflito... "Sr. Blackthorne?” A secretária chama. "Sr. Calloway vai vê-lo agora.” "Obrigado" sorri Rich para ela. Ele se levanta e ajeita o terno. "Penny", diz ele. "Se acontecer alguma coisa...”. "Vá!" Digo a ele. "Min e eu podemos cuidar de nós”. Eu aperto sua mão. "Realmente. Não se preocupe”. Rich olha para mim, depois para sua irmã. "É melhor", resmunga baixinho. Ele caminha para a recepção com um sorriso falso. A mulher o leva de volta para o corredor. Min vem ao meu lado quando estamos sozinhas. "Nós estamos fazendo a coisa certa ao ficar", ela me assegura. 68


"Então, por que sinto que estamos sempre lutando contra o que quer Rich?" Eu pergunto. A secretária retorna para sua mesa e começa a digitar em seu computador. O tempo se arrasta. Cerca de quinze minutos depois, a porta do elevador se abre e sai um homem careca em um terno bege claro. Meu coração congela em meu peito. Por um segundo, eu acho que é Tam. Ele olha para nós duas. Alívio toma meu corpo quando eu vejo que ele tem uma cara completamente diferente. Depois de uma breve saudação com a secretária, ele caminha pelo mesmo corredor onde Rich desapareceu. Mais tempo passa. Eu não posso tirar meus olhos do relógio. Por que está se movendo tão lentamente? Eu olho para Min. Suas pernas estão cruzadas, e ela está batendo um pé nervosamente contra o chão. Escuto uma porta se abrir. Ouço o som de duas vozes vindo ao corredor, uma delas pertence à Rich. Risos enchem os meus ouvidos. Eu olho para Min e arrisco um sorriso. "Se eles estão rindo, isso deve significar algo bom, certo?”. Rich emerge no hall. Ele é acompanhado por um homem baixo e corpulento, com cabelo cortado rente e uma barba salpicada de cinza. Ele provavelmente não é mais alto do que eu, mais emite poder e confiança. Ele bate Rich nas costas, e sua profunda voz enche a sala mais uma vez. "Foi um prazer vê-lo novamente, Richard. Envie meus cumprimentos ao seu pai.” Outra risada. "Obrigado, Sr. Calloway." Ao lado do homem mais baixo, Rich parece relaxado e marcante. Enquanto os dois homens se aproximam de nós, Min e eu ficamos em pé. Eu afasto um fiapo da minha saia. "Esta é minha irmã, Min", diz Rich. "E minha namorada, Penélope". "Mindy!" Sr. Calloway exclama, rindo. Ele a pega pelos ombros e beija ambas as faces. A ação, obviamente pega Min de surpresa, mas ela se recupera rapidamente. "Você cresceu tanto. Por que, você ainda estava mamando no peito da sua mãe a última vez que eu coloquei os olhos em você!” Ele limpa a garganta e tosse em sua mão. "Com respeito, é claro. Às vezes, a minha língua fica à frente de mim. Sua mãe era uma mulher maravilhosa”. 69


"Obrigada", diz Min educadamente. "E Penélope!" Então ele me dá o mesmo tratamento. Rich ri. "Meu, você não é linda?" Senhor Calloway cutuca Rich com um cotovelo. "Ela é um presente. Você não a deixe ir, meu filho”. Rich sorri. "Eu não pretendo, senhor”. "Bem!" Sr. Calloway bate as mãos. Sua enorme presença enche a sala. "Eu certamente aprecio você vir aqui e devolver este pedaço vital da tecnologia”. Ele pega o USB e coloca em sua mão. "Sinto muito por todos os problemas que causou. Mindy, minha querida, nós nunca quisemos te assustar. Foi apenas um negócio. E Penélope! Richard me contou tudo sobre o que você passou, como resultado disso”. Ele olha o USB com nojo. "Por favor, aceite minhas mais sinceras desculpas. Agora que esta perseguição chegou ao fim, eu espero que nós possamos colocar todo esse horror atrás de nós”, diz ele sem problemas. Depois, voltando-se para Rich, ele estende a mão. "Richard! Eu quis dizer o que eu disse lá dentro. RedArm pode usar homens mais brilhantes como você. Se você alguma vez encontrar-se no mercado de emprego, venha a mim. Vou prepará-lo bem. " "Obrigado mais uma vez, Sr. Calloway", diz Richard. Ele é amigável o suficiente, mas posso dizer que a oferta não é bem-vinda. "O prazer é meu. É o mínimo que posso fazer depois de seus serviços para nossa empresa”. Ele detém e coloca USB em destaque. "Sandra", ele late para a recepcionista. "Reserve para estes três jovens uma mesa hoje à noite no Dieci 's." Ele se vira para nós. "Meu deleite. Infelizmente, eu tenho que voar para Boston amanhã de manhã cedo, ou eu iria acompanhá-los. Mas, novamente, por que vocês iriam querer um velhote como eu para estragar a sua noite?” Ele rompe a rir mais pesado. "Dieci é o melhor restaurante italiano na costa leste. É um dos dois únicos estabelecimentos a conceder uma classificação perfeita, trinta pontos do Zagat. As reservas são feitas com 18 meses de antecedência.” Sr. Calloway pisca para nós. "Sorte para você que eu sou o dono do lugar. Divirtam-se hoje à noite, como um símbolo da minha gratidão”. "Vamos, sim senhor", disse Rich. "Muito obrigado”.

70


"E essa mesma oferta estende-se a você, também, Mindy", diz Calloway. "Seria um bom negócio para as famílias Blackthorne e Calloway serem parceiros novamente. Muita animosidade surgiu entre nós ao longo dos anos. Eu gostaria de remediar isso. Se você estiver procurando um emprego”. Ele faz uma pausa. "Você sabe, eu vejo um MBA no seu futuro. Trabalhando para mim por três meses e assim minha empresa patrocina a sua educação na escola que você escolher. Dois anos da Wharton ou Harvard pode ser interessante para o futuro”. "Obrigada, Sr. Calloway." Min responde. "Eu certamente vou considerar a oferta”. "Bem! Foi um prazer vê-los novamente, Richard e Mindy. E uma honra conhecêla, Penélope. Agora tenho que ir meu trabalho me chama. Vocês três desfrutem da vida noturna. Deus sabe que vocês merecem”.

71


Capitulo nove Nós saímos e quando chegamos lá fora corro para Rich. Eu lanço meus braços ao redor do seu pescoço, ele me gira. Pessoas atiram olhares estranhos quando passam. Mas eu não me importo. Pela primeira vez eu me sinto como uma mulher livre. Eu quero correr pelas ruas e dançar. Eu quero sair por Nova York, sem medo do futuro. Eu quero derreter nos braços de Rich e beijá-lo apaixonadamente enquanto o mundo passa por nós. Aparentemente, Rich tem uma ideia similar. Eu sinto suas as mãos envolver minha cintura. Ele me levanta e me gira. Eu puxo sua cabeça para um beijo longo e sensual. Seu corpo é uma parede sólida contra o meu. Pela primeira vez, posso desfrutar da sensação sem medo. Min está radiante quando nos separamos. "Você merece isso", diz ela. Se for para mim ou para Rich, eu não tenho certeza. "Penny", ela quase grita: "É isso aí! Tudo isso acabou”. Ela ri. "É difícil de acreditar, não é?”. "Acredite", diz Rich, colocando os braços nos nossos ombros. Andamos pela rua juntos. "Temos que comemorar. Vocês, meninas querem ir às compras?”. "Você quer dizer que você vai me deixar pegar minhas roupas pela primeira vez?" Eu digo. Rich beija minha testa. "Baby, hoje você pode escolher o que quiser”. "Eu nunca estive em um shopping antes”, eu admito. "Então você terá uma surpresa", diz Rich, seus olhos brilhando. "Se bem me lembro, Min aqui tem muito a propensão para estourar o limite de cartões de crédito com roupas caras”. Min dá uma cotovelada nele. Isso deve doer. "Isso aconteceu uma vez", ela defende. "Oh meu Deus, eu não posso acreditar que você se lembrou. E isso só aconteceu porque eu usei meu cartão de crédito com limite baixo”. 72


"Com um limite de dez mil dólares", sussurra Rich para mim. Ele faz uma pausa para o efeito. "Quando ela tinha doze anos”. Eu não sabia se ria ou se ficava surpresa. Dez mil dólares de roupas? É mais do que eu teria feito em quatro meses trabalhando no meu antigo emprego. "Não se preocupe", diz Min. "Eu não sou tão mimada como Rich está tentando me fazer parecer. Pelo menos, não mais”, acrescenta ela, rompendo com Rich e me puxando para frente. "Mas hoje, ele está certo. Precisamos definitivamente comemorar”.

***

Rich não interrompe enquanto Min e eu compramos. Eu nunca sonhei em entrar em loja cara como a que estamos agora. Mas pela nossa terceira parada, eu me sinto em casa. Eu tenho um grande momento com Min, escolhendo roupas diferentes. O fato de que nós somos do mesmo tamanho faz com que seja ainda mais divertido. Às vezes, algo que eu não gosto nela se encaixa perfeitamente em mim. Outras vezes, é o oposto. Nós até mesmo experimentamos as mesmas coisas ao mesmo tempo e rimos como meninas quando nos vemos parecendo gêmeas no espelho. Rich mantém distância às vezes, descansando nos assentos do vestiário, outras vezes flertando com os atendentes que trabalham na loja. Não me importo. Na verdade, eu gosto de vê-lo assim: relaxado, despreocupado e confiante. Eu sei que seus pensamentos nunca estão longe de mim. De vez em quando, quando ele acha que eu não estou olhando, eu o encontro sorrindo para mim. Deixamos a última loja com nossos braços repletos de sacos. Eu não queria comprar um monte de roupas em primeiro lugar. Mas, Min me convenceu do contrário. Ela pagou tudo usando o cartão do pai dela, ignorando quando Rich tentou fazer com que usasse o seu.

73


Estou exausta, mas exultante quando voltarmos para o hotel. Min quer ir para casa para guardar suas coisas. Pelo menos, é o que ela diz a Rich. "Eu vou estar de volta às sete horas para buscá-los para o jantar", ela diz a Rich, quando ele lhe dá as chaves do carro. "Eu nunca estive em Dieci, portanto, não se atrasem!”. Rich tem um sorriso malicioso no rosto depois que sua irmã sai. "Então, bonita", diz ele, quando vem para mim envolvendo seus braços ao redor do meu corpo. "Nós temos algumas horas para nós mesmos. Sem distrações. Não se preocupe. O que você sugere que façamos?”. Eu tenho que inclinar meu queixo para cima para olhar para ele. Eu amo o cheiro almiscarado que enche meus pulmões a cada respiração. "Eu não sei", eu disse timidamente. "Eu tenho todas essas roupas novas que a sua irmã generosa comprou para mim. E eu vou ter muita dificuldade para escolher o que vestir hoje à noite. Talvez eu possa experimentá-las para você... e então me você me diz o que acha?”. "Um desfile de moda sexy”, Rich anuncia. "Parece uma ideia incrível para mim”. Eu vou à ponta dos pés e escovo meus lábios contra os dele. "Volto já" eu prometo, correndo para fora de seus braços quando ele tenta me beijar de verdade. "Você acabou de ser aceito naquele confortável sofá ali vaqueiro, aproveite o show. Mas lembre-se!” Eu digo, “Mantenha suas mãos fora da modelo em todos os momentos.”. Rich ri. "Eu não estou fazendo nenhuma promessa”. A primeira roupa que eu experimento para ele é um vestido de seda frisado com um corpete feito apenas para o meu corpo. Eu calço uma sandália Jimmy Choo e balançando os quadris vou até ele dando-lhe um sorriso sensual. Eu pulo para trás quando ele tenta me agarrar e dou um olhar advertindo. Ele ri. Um vestido Donna Karan elegante vem em seguida. As cores e os tecidos são algo que eu nunca tive antes tocando minha pele. É brincalhão e divertido, mas definitivamente não é adequado para uma noite de fantasia. E assim vou mostrando as 74


roupas. Rich me diz o que pensa o tempo todo. Eu continuo brincando com ele por ficar fora de alcance. Eu volto ao meu quarto para vestir minha roupa final. Guardei o melhor para o final. É algo que Min conseguiu esgueirar-se dentro da minha bolsa sem que Rich percebesse. Espero que ele aprecie tanto quanto eu. A mandíbula de Rich cai quando eu saio. Eu mantenho um rosto impassível, mas sorrio para mim. Eu posso sentir o calor de seu olhar. Eu estou vestindo uma camisola preta sexy feita de seda pura com um laço bonito. A calcinha harmoniza e têm um pequeno laço de fita na parte da frente. Eu olho diretamente nos olhos de Rich quando eu levo meu tempo andando em sua direção. Seus olhos engolem todo o meu corpo e, em seguida, encontram os meus novamente. Ele solta um suspiro. Seus dedos cavam a almofada como se ele estivesse com medo de que ele fosse pular em cima de mim se ele soltasse. Eu não disse uma palavra enquanto eu fui até ele e parei entre suas pernas abertas. "Penny...”. "Shh”. Eu me dobro e coloco um dedo sobre seus lábios. "Fique quieto. Basta assistir”. Eu corro meu dedo pelo pescoço, sobre o peito, e me inclino para frente ainda mais como quando chego abaixo de sua cintura. Ele geme enquanto minha mão começa sua exploração lentamente. Eu jogo meu cabelo para trás e encontro seus olhos, oferecendo um sorriso sensual. Eu posso sentir seu olhar em mim. Seu peito começa a trabalhar com respirações profundas enquanto meus dedos encontram a fivela do cinto e abro. Rich move as mãos para minhas pernas. Eu deixo. Ele corre de cima a baixo a parte de trás das minhas coxas, e depois na minha bunda e aperta suavemente. Eu balanço minha cabeça, "Menino travesso".

75


Rich me dá um sorriso de lobo. Suas mãos permanecem coladas ao meu corpo. Eu sorrio quando deslizo o cinto livre e abro sua calça. Com uma mão eu empurro seu peito para que ele se incline para trás. Em seguida retiro sua calça. Há uma agradável surpresa esperando por mim lá embaixo. Rich já é rocha dura. Eu lambo os lábios e fico de joelhos entre suas pernas. Os olhos de Rich seguem cada movimento meu. Eu chego para o cós da cueca e puxo para baixo. Suspiro encantada. Eu viro minha cabeça e começo a beijar o interior de sua perna. Lembro-me de como era bom quando ele fez isso comigo. Eu movimento minha língua sobre sua pele até que eu estou lambendo a base de seu pênis. Ele estremece e flexiona os quadris para frente, quando eu deslizo minha língua desde a base até a cabeça. Eu olho profundamente em seus olhos, eles estão vidrados de desejo. "Você gosta de como se sente?" Eu murmuro baixando, meus lábios sobre seu eixo e levo-o na minha boca. "Oh meu Deus, sim", ele afirma. Sinto-me particularmente perversa e extremamente atraente. Eu começo balançando minha cabeça para cima e para baixo. Eu vou devagar no início, os dedos de Rich seguram firme meu cabelo. Ele tira o cabelo do meu rosto. "Olhe para mim, baby", ele implora. "Eu quero ver seus olhos bonitos”. Seu pedido me excita ainda mais. Eu faço o que ele diz, inclinando minha cabeça pouco. Eu me concentro em seus olhos. Logo, Rich se perde em seu prazer, suas mãos começam guiando minha cabeça mais ansiosamente. Ele começa a bombear seus quadris em mim. Eu deixo assumir o controle. Os ruídos que estamos fazendo enchem o ar, os gemidos de satisfação de Rich são incrivelmente quentes. Acidentalmente, ele empurra longe demais. Ele bate no fundo da minha garganta e eu engasgo. Imediatamente, ele puxa para fora. "Desculpe”, ele diz. "Você é boa pra caralho com isso, eu meio que perdi o controle”. "Eu não me importo", eu respondo com uma voz inebriante. Eu começo a levá-lo novamente, mas ele não deixa, guiando meu queixo para cima. 76


"Chega disso". Rich vem para frente e me beija. A conexão profunda de nossas bocas me pega de surpresa. Ninguém jamais quis me beijar depois de eu ter feito oral. Claramente, Rich é diferente. Eu já sabia disso. Eu rastejo sobre seu corpo quando começo a beijá-lo duro. Luxúria e desejo incontrolável atravessam meu corpo. Há também um calor surpreendente no meu peito. É diferente de tudo que eu já senti antes. Ele vem, eu acho que, a partir da forma profunda ele me beija. As mãos de Rich vão para os meus ombros. Ele desliza as alças da minha roupa de baixo e empurra para minha cintura. Meus seios estão inchados. Eu me pressiono contra o peito duro de Rich, a camisa de algodão é um pouco áspera contra a minha pele. Sua ereção é embalada entre minhas pernas, empurrando para o tecido fino da minha calcinha. Estou quente e úmida de desejo. Eu arranco sua camisa e beijo seu peito. Seu pênis esfrega contra minhas pregas. A sensação é deliciosamente pecaminosa e eu não consigo parar. Eu o agarro e levo para dentro de mim, puxando minha calcinha para o lado. Eu suspiro de prazer e inclino a cabeça para trás, Rich beija meus ombros, então segura meu rosto e começa a balançar. Seus olhos brilham com desejo. "Oh, Rich”, Eu suspiro segurando-o perto. Seu comprimento satisfaz a necessidade mais profunda através do meu núcleo. Eu me inclino para trás e exponho meus seios. Ele toma um ansiosamente na boca. Eu fecho meus olhos e voo com o prazer que dispara através do meu corpo. Eu não preciso me preocupar com mais nada, exceto ele e eu, e nosso prazer. De repente Rich emite um grunhido animal. Antes que eu pudesse piscar, estamos os dois no chão. O tapete arranha minhas costas. Eu coloco minhas pernas para cima e envolvo em torno de Rich quando ele começa a bater em mim. Minhas unhas cavam seus ombros quando estou perto do clímax. Meu orgasmo vem em uma grande onda de prazer através do meu corpo. Eu me agarro a Rich, cercada por sua força, seu cheiro, seu toque. Eu grito seu nome, minha voz crua e sem reservas. Eu sou totalmente sua, corpo, mente, coração e espírito. Ele bate mais forte e geme com seu próprio clímax. Eu estou saciada, fecho meus olhos e 77


lembre-me de respirar. Ele me marcou como sua, eu n達o teria nenhuma outra maneira.

78


Capitulo dez Encontramos Min esperando por nós no lobby. Depois da nossa diversão, Rich e eu tomamos um banho para nos limpar. O que era para levar 10 minutos acabou se transformando em quase duas horas. Então nós estamos um pouco atrasados. Min sorri obviamente ciente do motivo de nosso atraso. Se o sorriso de vitória de Rich não fosse suficiente, então o profundo brilho no meu rosto era. Ela fecha a cara para Rich quando ele se inclina para beijar sua bochecha. Ele ri e faz isso de qualquer maneira. Considerando o tráfego à noite, a viagem para o nosso destino não leva muito tempo. A bela atendente nos recebe dentro depois que o manobrista leva o nosso carro para o estacionamento. Dieci está repleta de clientes. Ela nos leva a uma grande mesa no centro do restaurante que proporciona uma excelente vista da cidade. O garçom dá uma olhada no nosso grupo e decide Rich é o único responsável. Ele informa que o Sr. Calloway iria cobrir as nossas despesas, em seguida coloca os menus na nossa frente. A primeira coisa que noto é que nenhum dos pratos tem um preço. Rich agradece e pedimos uma garrafa de vinho para começar. O garçom volta com uma única taça para Rich, que experimenta e aprova. Mais duas taças aparecem na mesa. Eu não posso parar de olhar para Rich o tempo todo. Ele é tão sofisticado e está tão à vontade, ele está em casa neste ambiente. Eu acho que não deveria me surpreender, considerando sua educação. Mas é tanta coisa em desacordo com esse homem que começa uma briga de bar, anda de moto e tem tatuagens cobrindo seus braços. Rich me pega olhando e me atira um sorriso amoroso maravilhoso. Eu sorrio de volta como uma idiota. "Um brinde", ele propõe, levantando sua taça. "Para as duas mulheres mais maravilhosas da minha vida. Vocês nunca deixam de me surpreender. Min, eu te amei desde o momento em que ouvi seus gritos ecoar pelos corredores da casa de nosso pai. 79


E Penny, deixe-me dizer que é difícil saber quando o amor começou, mas é fácil saber o porquê. Eu me preocupei que eu não iria vê-la novamente depois que eu saí Oregon. Você arriscou tudo para estar comigo. Por isso e por muito mais, eu te amo. E eu prometo a você agora, como eu fiz antes: eu nunca vou deixar você ir de novo”. Suas palavras são tão sinceras que me emocionam. Eu sinto meus olhos umedecerem. Eu pisco através das lágrimas e sorri "Eu também te amo", então nós brindamos. Nossa comida chega logo. É delicioso. O sabor, a textura, o cheiro, tudo isso é excelente. Nossa conversa alivia após o brinde de Rich. Nós rimos sobre o passado que compartilhamos e falamos de coisas sem sentido. É uma gloriosa mudança de ritmo. Após nossa refeição principal ser tirada, Min sorri e faz uma pergunta. "Então, Penny você já pensou o que vai fazer agora?”. Tomo um gole de água. "O que você quer dizer?”. "Quero dizer, agora que tudo isso acabou, você está no controle de sua vida novamente! Você está pensando em voltar para a faculdade, em Oregon?”. "Eu não sei", eu disse, olhando para Rich. Ele aperta meu joelho debaixo da mesa. "Para ser honesta, eu realmente não tenho pensado muito nisso. Eu acho que eu sou o tipo de levar as coisas um dia de cada vez”. "A razão porque pergunto”, Min continua, "é porque eu estive pensando. Você e eu passamos muito tempo juntas. Nós nos damos muito bem. Na verdade”, ela sorri: “Eu comecei a pensar em você um pouco como uma irmã. Talvez você possa ficar em Nova York?”. "O quê?" Eu engasgo. "Eu posso ajudá-la a entrar em uma boa faculdade aqui, se é isso que você quer fazer”, Min continua rapidamente. "É a cidade das oportunidades. Além disso, "ela olha para seu irmão:" Se você ficar, eu tenho um bom pressentimento que Rich não vai a lugar nenhum. E eu gosto de ter ele por perto. " Eu olho para Rich. Ficar em Nova York? Eu não considerei essa opção antes. Quer dizer, eu sei que eu disse a Abby que eu não iria voltar, mas isso foi só por causa

80


de toda a incerteza que rodeava a minha vida. Agora que o peso foi retirado, pensar no futuro parece ser a coisa certa a fazer, mas... é uma proposta tão estranha. "Nós poderíamos conseguir um apartamento juntos", diz Rich. "Nova York é o lugar perfeito para expandir minha empresa imobiliária”. Eu olho de Min para Rich em espanto. "Você quer que eu more com você?”. "Como se eu fosse deixá-la viver em qualquer outro lugar", responde Rich. "Eu te amo. Eu quero fazer parte da sua vida cada vez mais”. Min está escondendo um sorriso por trás da taça. Eu tenho quase certeza que os dois planejaram isso antes. "Rich, é claro que eu também te amo", eu digo com cuidado. "Mas, me mudar para Nova York? Isso é um passo muito grande. Eu só me mudei para Oregon, há alguns meses. Eu não sei se estou pronta para abandonar a costa oeste ainda. Quero dizer, tecnicamente eu ainda estou matriculada na faculdade lá. Eu estive fora por duas semanas, mas isso não significa que eu não possa continuar. E você não tem todos os seus projetos de desenvolvimento por lá?”. "Eu tenho", ele concorda. "Se vivermos aqui, eu vou ter que voar por todo o país ao longo do tempo. Min já viu que é possível fazer a transferência para NYU. Ela diz que você não terá nenhum problema em acompanhar”. "Uau. Um, pessoal, isso é uma responsabilidade muito grande”. Digo. "Você não tem que decidir nada agora", disse Rich. "Mas eu acho que vai ser bom para você vir morar na cidade. Inferno até eu esqueci como é viver aqui depois de tantos anos de distância.” "Eu não sei como eu posso pagar o aluguel -” "Você está brincando?" Rich ri. "Baby, você não precisa se preocupar com aluguel ou dinheiro, enquanto você está comigo. Eu prometo.” "Obrigada", murmuro. Eu não gosto da maneira fácil que Rich assume isso, eu só não posso tomar o seu dinheiro. Apesar de estar em um relacionamento, eu deveria ser independente. Estava fazendo compras hoje e foi divertido. Mas também me fez sentir como uma vagabunda. Eu sempre me cuidei. Só porque eu estou apaixonada não significa que eu quero mudar isso.

81


Min, sempre é mais observadora do que seu irmão, ela pega o meu desconforto imediatamente. "Ou eu também posso ajudá-la a encontrar um emprego", diz ela. "Há tantas coisas disponíveis se você conhecer as pessoas certas”. Ela pisca. "Graças ao meu pai, eu definitivamente conheço as pessoas certas”. Rich resmunga baixinho, mas se cala. "Obrigada", eu digo para min. Quero dizer, neste momento. Mesmo que eu não goste de me sentir como se eu estivesse recebendo doações de caridade, eu aprecio sua preocupação. "Talvez ficar por aqui seja uma boa decisão”. Eu olho para Rich. "Não é como se eu tivesse alguém me esperando em casa”. "Então está combinado?" Rich pergunta, animado. "Não é bem assim”. Eu bato na sua perna. "Mas eu prometo que vou pensar sobre isso." "Não há pressa", diz Min facilmente. "Eu só queria dar-lhe a sugestão, mais cedo ou mais tarde ele iria soltar isso em cima de você”. "Eu aprecio isso", eu sorrio. "E quanto a você, então? Você entrou em contato com Joey?”. "Joey?" Rich pergunta. "Diga-me que ouvi errado". As bochechas de Min ficam rosa. Ela olha para a mesa, longe de Rich. Eu nunca a vi nervosa antes. Rich percebe a reação dela. "Não me diga que você tem algo com esse perdedor”, Ele diz incrédulo. "Eu o amo", responde Min humildemente, com a voz quase inaudível sobre o barulho. "O quê?" Rich bate com o punho na mesa. Seus olhos estão em chamas. "Min, olhe para mim quando você responde!”. Min puxa os ombros para trás e senta-se em linha reta. Ela olha direto para os olhos de seu irmão. "Eu o amo", ela repete desta vez mais alto. Rich parece totalmente chocado. "Foda-se", ele resmunga. "Min, desde quando? Por quanto tempo?”. "É a minha vida, Richard! Você não pode me dizer quem eu posso e não posso amar!”. 82


A mandíbula de Rich aperta enquanto mantêm os olhos em Min. Eu nunca vi uma briga entre eles antes. Claramente, Joey é um tema difícil. "Quanto. Tempo?” Repete Rich. Eu posso ouvi-lo tentando conter sua raiva. Eu o vi tentar antes. Isso não vai funcionar. "Rich", eu digo baixinho, colocando minha mão em seu braço. "Acalme-se. Qual é o problema?”. Rich tira o braço para longe de mim. Parece quase como um tapa na cara. "Diga a ela", ele desafia sua irmã. Min balança a cabeça. Eu posso ver o início de lágrimas nos olhos. "Não”. "Se você não fizer isso", ele adverte: "eu vou. Não guardo segredos de Penny. Você a chamou de sua irmã. Você não deve ter segredos também”. Min balança a cabeça com mais força. Eu posso vê-la tremer. Ela enxuga as lágrimas. "Não, Rich". "Richard pare." Eu falo. "Você não pode ver que a esta magoando? Ela está certa. O que importa para você quem ela ama?”. "É importante porque eu me importo com ela, Penny”, Rich rosna. "Nosso pai com certeza não faz". "Se você se preocupa com ela, então você vai sair isso!" Min está à beira de quebrar. Eu me sinto horrível por ser a única a trazer Joey na conversa. Rich não cede. "Diga a verdade para Penny, Min, ou eu vou”. "Não!” "Tudo bem”. Rich olha para mim. Ele toma uma respiração profunda. Quando ele fala, suas palavras são serias. "O imbecil a engravidou e correu quando ela contou para ele. Ela não ia fazer um aborto. Após oito meses de gravidez e ficar sozinha ela entrou em trabalho de parto prematuro. A criança nasceu morta.” Eu posso ouvir o puro ódio na voz de Rich. "Eu descobri por Amanda, que eu estava namorando na época", continua ele. "Ela estendeu a mão para Min por acaso cerca de um mês depois de ter acontecido. Eu queria matar o filho da puta, mas ele desapareceu.” Ele aponta fortemente na direção de Min. "E agora, eu descubro que vocês estão juntos?”. Min levanta tão rápido que derruba a cadeira. Linhas escuras escorrem por suas bochechas. Parece que ela está preste a brigar com Rich. 83


Em vez disso ela gira e sai para o banheiro. "Muito bem”, Eu digo a Rich. "Muito legal da sua parte. Você é um belo irmão mais velho e carinhoso, não é?”. Levanto e corro atrás de Min.

84


Capitulo onze Acho Min chorando em uma cabine do banheiro. Bato meus dedos suavemente contra a madeira. "Min? É Penny. Por favor, posso entrar?”. Eu a ouço suspirar enquanto ela tenta se recompor. "Só me dê um minuto. Eu vou ficar bem”. "Min, por favor”, eu imploro. "Eu sinto muito por trazer Joey na conversa. Eu não sabia”. "Não é culpa sua. Eu sabia que Rich reagiria assim”. Outro soluço. "É por isso que eu não contei a ele. Eu só não queria que isso tivesse acontecido esta noite”. Mais um soluço. "Agora eu estraguei uma noite perfeita”. "Min, ninguém pode culpá-lo. Rich agiu como um idiota. Ele foi egoísta e mesquinho. Agora, eu posso, por favor, entrar? Eu sinto que eu estou falando com a madeira aqui”. Depois de um momento, eu ouço a trava. Eu empurro a porta aberta. Min está uma bagunça. Ela está sentada sobre a tampa do vaso sanitário, com a cabeça entre as mãos. Soluços silenciosos balançam seu corpo. Toda a sua maquiagem está borrada, e seu cabelo, que tinha sido tão perfeito a poucos minutos atrás, agora cai em ondas caóticas nos ombros. "Oh meu Deus!" Eu digo. "Venha aqui”. Eu envolvo meus braços em torno dela e a deixo chorar. Faço ruídos de shhhh como Rich fez comigo quando quebrei na praia. Se isso tivesse acontecido há duas semanas atrás eu não saberia como reagir. Felizmente eu tive tempo de trabalhar minhas emoções, desde então. Quando Min acalma um pouco, eu a seguro pelos ombros e olho em seus olhos. "Você é uma mulher bonita e forte”, eu digo a ela. “A mais forte que eu já conheci. Se você diz que ama Joey, então que assim seja. Lembro-me do conselho que você me deu. Rich não sabe o que é importantes para nós meninas. Ele acha que pode desligar as nossas emoções com o toque de um botão. E ele não está em posição de tentar controlar seus relacionamentos”. 85


"Obrigada Penny”. Ela limpa seus olhos. "Eu sei que isso incomoda Rich. Mas a maneira como ele trouxe me fez lembrar tudo que passei quando perdi Grace. Rich ainda não sabe a verdade. Joey desapareceu porque seu pai o enviou para a escola militar no momento em que ele descobriu sobre mim. Nós dois estávamos com dezessete anos. É por isso que eu não o vi. Eu o odiava, também, quando eu passei por tudo. Mas não era culpa de Joey. Seu pai parou todas as suas tentativas de se comunicar comigo. Joey nem sabia que o bebe tinha morrido. Quando ele me encontrou anos mais tarde, ele estava esperando uma criança”, Min engole as lágrimas. “Uma menina ou um menino, que se parecia com ele. Quando eu disse a ele o que aconteceu, parecia que sua alma tinha sido arrancada e rasgada em dois”. "Min, estou tão triste”. Eu aliso seu cabelo. "Seu irmão é um bruto. Eu o amo, mas ele é... Claro que ele ia reagir assim. Ele te ama, mas ele tem sua própria maneira de mostrar isso. Ele acha que você ainda precisa de proteção contra o grande mundo mau. Ele me trata da mesma forma, às vezes. Eu estou tentando fazê-lo ver as coisas”. "Ele tem sorte de tê-la”, Min diz com um sorriso. "E eu sinto muito por tudo...", ela aponta para si mesma, "... tudo isso. Perder Grace quando eu era muito jovem me fez crescer muito rápido. Eu pensei que eu tinha enterrado toda a dor no fundo. Hoje ela voltou com uma vingança. Você sabe”, ela admite, “Por muito tempo, sempre que eu me olhava no espelho, eu via uma mulher fraca e patética”. Ela ri delicadamente. “Que tipo de mãe não consegue nem cuidar de seu próprio filho? Eu estava indo por um caminho perigoso de depressão. E você sabe que o me ajudou? Joey. Quando ele voltou, ele me ajudou a ver a mulher que ele tinha se apaixonado uma vez”. "É por isso que dói tanto deixá-lo. Ele significa tudo para mim. Se não fosse por ele, eu provavelmente estaria no meu caminho para o túmulo mais cedo com a dependência de drogas ou algo assim. Ele me resgatou. Ele é meu anjo. Mas hoje, a maneira que Rich falou sobre ele... Eu me senti como se eu fosse miserável, mulher quebrada mais uma vez”. "Você não é", eu digo a ela com firmeza. "Você é a pessoa mais forte que eu conheço. Eu pensava assim antes de você me contar sobre Grace. Agora, você é apenas... simplesmente inacreditável”, eu termino. 86


"Obrigada Penny", sussurra Min. Ela me abraça. "Você não sabe o quanto isso significa. Eu realmente sinto que você é minha irmã agora. Ninguém, exceto Joey sabe o que eu lhe disse. Obrigada por ouvir e obrigada por ser uma boa amiga”. "Vamos lá”, Eu tomo sua mão. "Vamos limpá-la e vamos enfrentar o seu irmão”. *** Deixamos o banheiro juntas. Eu tenho um novo respeito por ela. O tempo todo que eu a conheço, ela sempre foi tão alegre e feliz. Agora, conhecendo o passado de pesadelo que ela superou, sua atitude alegre é absolutamente inspiradora. Rich está esperando na mesa. Sua linguagem corporal define seu humor. Ele caiu para trás com um braço sobre sua cadeira, as pernas cruzadas, e seus olhos escuros. Estou zangada com ele pela forma como ele falou sua irmã. Ele quase não nos reconhece quando voltarmos. Dou-lhe um olhar "nós vamos falar mais tarde". Eu não tenho certeza se ele recebeu. Min recupera sua jaqueta, evitando o olhar de seu irmão o tempo todo. "Nós estamos saindo", eu anuncio. Nenhum de nós tem qualquer desejo de permanecer aqui por mais tempo. "Ótimo”, Rich diz rispidamente, levantando-se e atirando um olhar para Min. "Não se atreva a dizer algo para ela”. Eu aviso. “A não ser um pedido de desculpas”. Eu sei que não vai corrigir tudo, mas vai ser um começo. "Eu disse tudo o que eu queria", ele me diz. Min bufa sem olhar para cima. Eu estou ao seu lado. Rich está agindo como um idiota. Percebendo todo mundo de pé, nosso garçom se aproxima e começar agradecendo pela visita. Depois de um olhar, no entanto, ele percebe a nossa disposição e sabiamente se retira. Deixamos o restaurante juntos, mas não lado a lado. Eu ando com Min. É como se uma parede de vidro tivesse sido erguida entre nós e Rich. Qualquer espectador, vendo nosso grupo iria dizer que éramos estranhos. 87


À medida que caminhamos para a noite fria, eu acho que vejo um rosto familiar quando estamos perto do estacionamento. Olho. Mas, não há ninguém lá. Eu sinto um arrepio. Por meio segundo, eu pensei que vi Amanda. O manobrista traz o carro. Rich dá uma gorjeta e toma as chaves. Min entra na parte de trás. Após um momento de hesitação, eu subo atrás com ela. Ela se move para me deixar sentar. Rich faz uma carranca no espelho para mim. "Por que você não está na frente?”. "Porque eu não quero ficar com você depois da maneira como você agiu esta noite", eu digo a ele. Ele grunhe. "Tudo bem. Faça o que quiser”. "Eu vou". Ele dá um sorriso falso através do espelho e liga o carro. A tensão que nos rodeia é alta. Isso me lembra da caminhonete de Rich em Oregon, antes que eu percebesse o que estava acontecendo. Um silêncio ensurdecedor envolve o interior do carro, Rich manobra para sair. Ele puxa para cima e liga o pisca. O som do tick-tick-tick do sinal vire à direita é o único som que quebra o silêncio. Rich está esperando por uma brecha no trânsito, outro carro se aproxima e para atrás de nós. Rich bate o volante em irritação. O tráfego é pesado e ninguém está nos deixando passar. O carro atrás de nós começa a piscar os faróis altos. Rich anda poucos centímetros para frente. Ainda não há espaço. As luzes continuam a piscar. Posso ver a irritação de Rich quando ele rosna. Eu olho por cima do meu ombro para o outro veículo, não posso ver nada contra o clarão luminoso dos faróis. Um dos carros na rua fica mais lento, como se para nos deixar passar. É um espaço minúsculo. O motorista do carro atrás de nós vê e começa a buzinar. "Babaca" murmura Rich sob sua respiração. A pressão chega a ele, no entanto, e ele pisa no acelerador para virar a rua. Pneus gritam atrás de nós no mesmo momento. O tempo diminui para mim. 88


Eu viro minha cabeça para a direita por instinto. Vejo Min passado, através da janela. Eu vejo as luzes do carro que estava atrás de nós se aproximando rapidamente. Não tenho tempo de soltar o grito que se forma em minha garganta. Eu ouço uma batida forte do impacto do outro carro. Minha cabeça chicoteia para trás e bate contra a janela. Uma cortina preta pesada cai sobre meus olhos. *** Os sons são a primeira coisa a penetrar minha consciência. Eles se transformam juntos em uma massa incoerente. Eu me estico para ouvir algo, mas é incrivelmente difícil. A escuridão quer dominar e me puxar para o abismo. De alguma forma, eu sei que não haverá despertar se eu deixá-lo ganhar. Eu tento manter o controle sobre meu corpo. Com um grande suspiro, eu forço meus olhos a abrirem. Um rosto estranho paira sobre mim. "Ela está acordada!" O estranho grita por trás dele. O ar frio passa correndo por meu rosto enquanto eu estou sendo levantada. Vermelho, azul e branco pisca ao meu redor. Ouço sirenes ao longe, e me pergunto: Eles estão aqui para nós? Estou sendo colocada em uma superfície plana, horizontal. Após alguns segundos minha cabeça fica apoiada. Eu coloco todos os meus esforços para realmente ver o que meus olhos estão me mostrando. Eu vejo o caos diante de mim pela primeira vez. O carro que estávamos é uma massa de metal retorcido. Ele capotou. As janelas estão quebradas. Oh, meu Deus. Min. Rich! Eu me empurro para sentar, uma onda de tontura ameaça. Duas firmes mãos me seguram pelos ombros. Um rosto masculino diferente aparece. "Olhe para mim", diz ele. Ele coloca algo brilhante em meus olhos. Eu os fecho para parar a dor aguda. "Calma", disse o estranho. "Apenas respire. Devagar e sempre. Eu não vou fazer isso de novo”. 89


As respirações profundas me levam a acalmar-me. Eventualmente, a dor na minha cabeça desaparece. Abro os olhos para encontrar duas pessoas olhando para mim. O recém-chegado é uma policial uniformizada. "Senhorita, você esteve em um acidente", ela me informa. Meu cérebro quase não registra suas palavras. É uma sensação muito surreal. "Você está sendo levada para o hospital. Existe alguém que podemos chamar para acompanhá-la?”. "Rich..." Eu digo. Minha voz soa desesperada para os meus próprios ouvidos. "Min...”. As duas pessoas acima trocam um olhar. "O homem e a mulher que estavam no carro estão vivos", diz a oficial. "Eles estão sendo levados para o hospital também”. Eu exalo com alívio. Vivo. Esse tinha sido o meu maior medo. "Qual é o seu nome, senhorita?”. "P-Penélope:" Eu falo. Até a minha própria voz faz minha cabeça doer. "Penélope. Você vai ficar bem. Você tem algumas lesões corporais leves...”. "Minha cabeça", eu me esforço. "Por que minha cabeça dói tanto?”. "... Bem você não tem um traumatismo craniano, mais está com uma concussão”. Eu registro as palavras e compreendo o seu significado. Meu corpo se sente golpeado e ferido, mas nada é intolerável. Estou mais preocupada com minha cabeça. Eu fecho meus olhos por um momento. A escuridão que vem é muito confortável. "Fique com a gente!" O homem diz. Eu o escuto, mas a escuridão está me chamando. Eu tento abrir os olhos, mais o esforço é muito grande. Por que lutar? O preto me atrai. Eu sei que vou estar segura lá. Segura e longe de luzes brilhantes, barulho alto, e dor. Eu me rendo a isso e deixo o mundo desaparecer.

90


Capitulo doze Eu pisco e abro os olhos. O silêncio me rodeia. A dor de cabeça desapareceu. Estou em um quarto com teto branco. Eu movo meus braços e pernas, tudo parece funcionar. Eu tomo uma respiração profunda e quase grito de dor. Eu começo a tossir, incapaz de contê-lo. Cada vez que faço isso à dor se intensifica. Ela fica tão ruim e tão rápido que as lágrimas derramam dos meus olhos. "Ei!" Uma mão quente cobre a minha. Eu olho para a fonte da voz e encontro Rich sorrindo para mim. O ataque de tosse desaparece assim que eu vejo seu rosto. "Ei, o que você está fazendo?” Rich parece sério e preocupado. Sinto-me fraca. Mas, vendo Rich me energiza. Eu começo a me levantar em seguida, observo um tubo ligado ao meu braço. Mas que diabos? Eu franzo a testa para baixo, para em seguida perceber o vestido de bolinhas que estou usando. Que aconteceu com minhas roupas? "Ei, ei fique quieta”, Rich adverte. Seu aperto na mão me para. "Não se mova. O médico vai estar aqui em breve”. "Doutor?", eu começo a dizer confusa, mais logo começo a me lembrar de tudo: A luta no restaurante. O carro buzinando atrás de nós. A colisão violenta. Desmaiar, e todas as sirenes e luzes... "Está tudo bem?" Eu digo. Tento novamente levantar e abraçá-lo. Mas ele me prende com a mão no meu ombro. "Sim, eu estou bem", diz Rich. "Pelo menos, eu estou em melhor forma do que você”. Eu observo seu sorriso amável. "Você esteve desacordada por algumas horas. Os enfermeiros têm vindo olhar você”. Ele faz um gesto para as máquinas ao redor da cama. "Eles disseram que estava tudo bem. Disseram-me que ia acordar em breve. Mas, como eu esperava...” A voz de Rich treme e ele desvia o olhar por um segundo. Quando se vira novamente para mim ele tem o sorriso mais aliviado que eu já vi iluminando seu rosto. "Eu nunca desisti de você, Penny. Eu sabia que você ia voltar”. 91


Ele ri e acaricia minha mão. “Você disse que nunca me deixaria te abandonar. Lembrase? Bem, eu não ia deixar você me deixar, também”. "Rich..." Eu sorri para ele. Por que ele parece tão emocional? Lembro-me que o paramédico me disse: lesões corporais leves e uma concussão. Nada de risco de vida. "Eu estou bem. Você está certo. Eu não deixaria você ir embora tão facilmente. O que há de errado?” Eu levanto minha mão livre para ele. "Por que eu estou ligada a um IV?”. "Eles estão bombeando analgésicos em você", explica ele. "Você tem duas costelas quebradas. Sem as drogas, cada respiração que você toma seria uma agonia.” Eu levo minha mão para longe da sua e coloco ao meu lado. Meus dedos escovam em um curativo. A dor que atravessa o meu corpo vem desse ponto. E Rich provavelmente está certo sobre as drogas: Eu me sinto um pouco... grogue. Ele ri na exploração do meu próprio corpo. "Sim, bem ai. Eles dizem que você vai ser capaz de ficar de pé e caminhar logo amanhã. Infelizmente para nós dois, sem atividades extenuantes por algumas semanas”. Eu sorrio. "Acho que vou ser capaz de brincar. E quanto a você?”. "Dê uma olhada", diz Rich, se afastando de mim. Eu pisco em confusão. Ele está em uma cadeira de rodas! "Oh meu Deus, Rich!" Mais uma vez eu tento sentar. A dor aguda me faz voltar e cair no travesseiro. Minha mente gira com possibilidades terríveis. Ele fraturou sua coluna? Ele está paralisado? "Ei, ei!" Acalma Rich. "Eu não queria assustá-la", diz ele, logo que ele percebe minha angústia. "Eu te disse, eu não estou tão ruim assim”. Ele levanta a perna esquerda para cima. Eu vejo o seu pé enfaixado. "Apenas um pequeno osso quebrado”. Ele encolhe os ombros. "Amanhã eu vou ser capaz de colocar peso sobre ele. Eu poderia até mesmo ser capaz de andar sem muletas”. "Graças a Deus", eu exalo em alívio. "Quando eu vi você na cadeira de rodas, eu pensei..." Eu paro, balançando a cabeça. Eu não posso imaginar dando voz ao meu medo. "Não." Rich pega minha mão novamente. "Desculpe o susto”. 92


"Está tudo bem", eu digo. "Eu não estou brava com você. Eu sei que quando saímos do restaurante” Eu parei, de repente lembrando algo. Estes analgésicos malditos devem estar deixando meu pensamento lento! "Oh meu Deus, Min. Como está Min?”. Rich fica sério. Ele se vira para longe de mim e não fala. Sentimentos ruins se formam em meu estômago outra vez. "Rich?" Eu pressiono. "Rich, qual é o problema? Ela está bem?”. Lentamente, ele balança a cabeça. "Não. Não, ela não está, e é a porra da minha culpa”. Eu posso ouvir as lágrimas em sua voz. "Se eu não tivesse ficado zangado com ela, se eu não tivesse entrado naquela briga idiota, tudo teria sido diferente”. "Ela está... Quero dizer, ela não está..." Eu não posso terminar a frase sem engasgar. “Morta?”. "Ela está viva", diz Rich. "Graças a Deus por isso. Ela ainda está viva, mas seus ferimentos...” Ele desvia o olhar. Eu me sento, lutando contra a dor gritando que me preenche. Eu chego e coloco a mão no seu ombro. Ele inclina a cabeça em direção a ela e, em seguida esfrega o rosto quente sobre meus dedos. "Diga-me", eu pergunto-lhe suavemente. Rich pega minha mão com as suas. Ele se vira para me encarar. Eu posso ver o desespero e a culpa esmagadora refletido em seus olhos. Ele não disse nada por um longo tempo. Ele só olha para mim, talvez até mesmo por mim. Eu nunca o vi tão perdido. "O que aconteceu, não pode ser culpa sua”, eu digo a ele. Eu sei que ele precisa de mim agora. Mesmo que eu não tenha nenhuma força, eu posso fingir. Para ele. "Agora, me fale sobre as lesões de Min". "A concussão”, Rich começa. "Três costelas quebradas. Um pulmão perfurado. Um osso do quadril quebrado. Três ossos quebrados em seu braço direito. Alguma hemorragia interna, mas está desaparecendo. Vários cortes e lacerações, a pior das quais atravessa a barriga por umas boas seis polegadas. Eles deram ponto.” Ele recita a lista com absolutamente nenhuma emoção na voz dele. Ele soa exatamente do jeito que ele olha. Vazio. 93


Eu sei que é a sua maneira de lidar. Quando ele se deixar sentir, a dor vai ser demais. "Onde ela está?" Pergunto em voz baixa. "Eles ainda estão monitorando ela na UTI. Eles não me deixam ficar perto. Eu não a vi ainda”. "Oh, Rich...”. "Não me diga que não é minha culpa”, ela diz. "Não, Penny!”. "Eu não estava prestes a...”. "Você não entendeu?", Continua ele por cima de mim. "Eu prometi que cuidaria dela. Eu falhei. Eu...”. Ele bate um punho contra o braço. Suas lágrimas sumiram. Só a ira permanece. "Eu não pude ser o irmão que ela precisava. Eu briguei com ela por viver a sua vida, e então eu falhei com ela novamente. Uma e outra vez, eu falho com ela. Eu não estava lá quando ela terminou com Joey. Eu não estava lá quando ela deu à luz. Eu não estava lá quando o nosso pai foi jogado na prisão. E, desta vez, a merda é pior. Porque eu sou o único que causou os ferimentos. Se não fosse por mim...”. "Rich, isso é ridículo!" Eu interrompo. "Estar preocupado com ela é uma coisa, mas culpar a si mesmo como isso é totalmente diferente. Não é culpa de ninguém, exceto o outro motorista!”. "Ah, é?" Rich diz. "Pense nisso, Penny. Se eu não tivesse ficado louco no restaurante, não teríamos saído mais cedo. O motorista não estaria atrás de nós. Não haveria nenhum acidente!”. "E, se eu ficasse com ela por mais tempo no banheiro teria adiado também”, eu falo. "Estou aterrorizada por ela, Rich. Mas, eu não estou me culpando por isso! Você não pode viver com isso, sempre se perguntando: E se?”. "Não", diz Rich. "Tudo isso é culpa minha. Você sabe por que Min está pior do que nós? Porque ela estava no ponto de impacto direto do outro carro. Ele atingiu a porta do passageiro do lado dela. Min sentou atrás do banco do motorista, se eu não tivesse ficado com raiva, você teria sentado na frente comigo. E ela estaria sentada atrás de você. Teríamos todos escapados com ferimentos relativamente leves. Agora, 94


minha irmã está passando por um inferno de alguma porra no quarto e eu não posso nem entrar!”. Rich não é culpado. Eu sou. "Oh, meu Deus", eu sussurro. A sensação de mal estar se forma em meu intestino. Eu sinto que eu estou a ponto de vomitar. "Você está certo. Se eu tivesse me sentado na frente com você, Min não teria... Eu quero dizer, ela ainda estaria...” Eu engulo um soluço. “A culpa é minha!” "O quê?" Olhos de Rich tiram para mim. "Não seja estúpida. Tudo começou comigo”. "Ela confiava em mim. Ela me contou a história de Joey. Oh meu Deus, o que eu fiz?” O próximo soluço sai como um grito. Eu odeio quando eu choro. Mas, o acúmulo de stress, meus ferimentos, e as notícias sobre Min são demais. Eu sinto as lágrimas que caem antes que eu possa pará-las. Não adianta. Eu sou muito fraca para lutar com minhas emoções. Se eu estou com esse desconforto com uma costela quebrada, o quão ruim deve Min estar sentindo agora? Oh, Deus... "Penny, pare com isso. Pare de chorar”. Posso ouvi a preocupação de Rich. "Droga, Penélope! Eu não vou deixar você se culpar por algo que não foi culpa sua!” "Eu... eu não posso. Eu não posso parar”. Eu quero rir de quão patética eu sou. Mas esse ressentimento me deixa mal. Vou para longe de Rich. Eu odeio que ele me veja assim. Agora, eu não sou a pessoa que ele se apaixonou. Eu quase não me reconheço. "Eu não vou deixar você se sentir culpada", murmura Rich. Eu sinto a mudança na cama, e a próxima coisa que eu sei é que Rich está ao meu lado. Estamos espremidos juntos no pequeno colchão. Ele coloca o braço sobre meu ombro e me puxa suavemente em direção a ele. Eu derreto contra seu corpo duro e enterro meu rosto em seu peito. Eu deixo as lágrimas saírem. A culpa me corrói. Eu me sinto pior do que inútil. Eu odeio a maneira que eu estou agindo. "Penny”. Os dedos de Rich levantam meu queixo. Eu encontro seus olhos. Eles estão escuros e nublados. "Ouça-me. Eu sou o único que colocou essa ideia estúpida

95


em sua cabeça. Eu não deveria ter dito nada. Ela só explodiu de mim. Mas eu não vou deixar você se sentindo culpada por algo que você não tinha controle.” "Hipócrita", eu acuso. Rich dá um sorriso fraco. "Talvez. Mas eu estou autorizado a me sentir culpado. Ela alimenta a minha raiva contra o idiota bastardo que nos bateu. Isso me faz mais determinado a encontrá-lo. Mas você...” ele enxuga uma lágrima com a ponta do polegar, “Só fica triste. E eu não suporto ver você assim, especialmente quando é completamente injustificada”. "Injustificada? O que quer dizer? Você mesmo disse. Eu não me sentei na frente”. Rich me silencia pressionando um dedo em meus lábios. "Pare com isso, Penny. Não foi culpa sua. Sim, você está autorizada a se sentir triste, mas não mais que isso”. "Mas" Tento falar. "Não tem, mas”, Rich me deixa sossegar na dobra do seu braço. "Min precisa de sua força agora. Vou dar tudo que eu posso a ela, mas sua recuperação vai ser longa e cansativa. Ela precisa muito de nós”. Concordo com a cabeça. "Você está certo”. No fundo, eu sei que nós vamos passar por isso. A diferença está em que caminho tomar. Eu não tenho muita força agora, mas posso contar com Rich. Eu não quero cair em auto piedade. Eu quero corrigir meu erro e fazer tudo o que puder para ajudar Min. Tem algo mais em minha cabeça, então pergunto a Rich. "Eles não sabem quem nos atingiu?”. Ele balança a cabeça. "Não. O covarde fugiu. Os policiais disseram que estão procurando por ele, mas em um acidente como este é difícil de achar o culpado. Para mim, no entanto não há dúvida. Eu vou encontrar a pessoa responsável. Vou fazê-lo pagar”. Fazê-lo pagar. A maneira que Rich diz é quase como uma vingança. "Só não faça nada sem falar comigo primeiro”. Rich sorri em meu cabelo. "É claro”.

96


Eu empurro seu peito para olhar em seus olhos. "Rich, estou falando sério. Eu não quero que você faça qualquer coisa que se arrependeria mais tarde. Eu não quero você na cadeia. Não faça nada que Min não aprovaria”. "Min... gostaria que eu encontrasse a pessoa responsável”. Ele rebate. “Talvez, eventualmente. Agora, eu tenho certeza que ela preferiria ter você com ela. Você e eu somos tudo que ela tem”. Digo. Rich aperta minha mão. "Eu prometo. Eu não vou deixar qualquer uma de vocês sozinha”.

97


Capitulo treze A enfermeira vem e fazer sua ronda, verificando todas as partes do meu corpo e me perguntando como estou me sentindo. Eu digo que, além da dor de cabeça alucinante que as luzes causam e a dor nas costelas eu estou bem. Ela ignora minha careta e adiciona alguns remédios para dor no meu IV. Quando ela volta quinze minutos depois, sinto-me muito melhor. Rich pergunta a enfermeira sobre Min. Ela diz que nada mudou. Uma vez que Min estiver liberada da UTI vamos ser informados. Eu vejo a tensão construir em seu corpo quando ele é forçado a sentar e esperar. Um relógio na parede distante me diz que é quase 02:00 hs da madrugada. Eu não quero dormir, não quando o médico pode vir a qualquer momento e dizer que podemos ver Min. Ainda assim, eu não posso manter meus olhos abertos. O sono me vence, eu fecho meus olhos e adormeço. *** Uma voz masculina me puxa do meu sono. "Sr. Blackthorne? Sua irmã foi transferida da UTI. Você pode vê-la agora.” Abro os olhos para encontrar um belo e jovem médico segurando a cortina de volta ao pé da minha cama. Ele tem olhos azuis penetrantes e cabelos exuberantes pretos. Eu me pego tendo esses pensamentos e me repreendo. Rich está logo ali! Deve ser os analgésicos. A cabeça de Rich levanta. Ele tinha adormecido, também. Eu olho para o relógio e vejo que é 10h30min! Como é que eu dormi tanto tempo? Como Min poderia ter estado lá por tanto tempo? "Obrigado doutor”. Rich levanta, em seguida, faz uma careta quando ele coloca peso sobre seu pé quebrado. "Merda me esqueci disso." Ele aborda o médico, "Você tem muletas que eu possa usar?" 98


"Eu vou pedir a uma das enfermeiras para pegar para você", responde o médico, desaparecendo por trás da cortina. Rich olha para mim. "Como você está se sentindo?”. "Dolorida, mas melhor. A sensação de dormência no braço esquerdo está desaparecendo” respondo. “E você”. "Estou melhor também”, Rich diz distraído. Eu posso dizer que sua mente está em Min. "Ela vai ficar bem”, eu prometo a ele. Ele balança a cabeça, distraído. "Ela é mais forte do que você pensa. Ela me contou sobre Joey”. Rich faz um som de desgosto em sua garganta. "Por favor, Penny, não traga isso agora." "Não, eu acho que você deveria ouvir isto”. Rich sabe apenas metade da história. Embora possa não ser o melhor lugar para contar o segredo de Min, eu não quero que um mal entendido interfira na relação entre os dois. Especialmente agora. "Ela me disse que Joey não a abandonou. Ele foi forçado a ir para longe por seu pai, que o mandou para a escola militar. Todas as cartas que ele enviou para Min foram interceptadas. Seu pai é o culpado por seu desaparecimento”. Rich olha para mim, incrédulo. "Isso não é desculpa”. "Ouça", enfatizo. "Min estava em um lugar ruim depois que Grace faleceu. Joey não tinha ideia. Encontrou-a logo que tudo aconteceu. Ela me disse que ele foi a pessoa que a salvou de um caminho de autodestruição”. Vejo Rich amolecer. Eu posso dizer que ele está lutando com esta nova informação. Finalmente, ele sussurra: "Ela deu um nome a sua filha?”. Eu sorrio. "Sim. E ela e Joey se amam. Quando voltamos para Oregon, ela me contou que teve que sair sem uma palavra, porque ela não queria que ele fosse ameaçado pelas pessoas que a estavam perseguindo. Essa história foi o que me fez compreender que eu precisava ficar com você”. Rich balança a cabeça. "Eu não sei se você está dizendo a verdade...”. "Claro que estou sou", eu digo. "Por que eu iria mentir?”.

99


"Eu preciso ouvir isso dela. Eu quero acreditar em você. Mas você não sabe o quanto eu detesto Joey pelo que ele fez. Talvez se ela explicar...” diz Rich. "Você me deu muito que pensar". A enfermeira vem e dá para Rich um par de muletas. Ele se levanta e olha para mim. "Você vem?". "Você está brincando?" Sento-me com uma careta e balanço as pernas para fora da cama. Uma pequena onda de tontura me toma. Eu me inclino e coloco a mão contra o colchão para me orientar. Rich está ao meu lado em um instante. "Você está bem?”. "Sim. Só um pouco tonta”. Eu planto meus pés no chão e fico de pé. Meus joelhos estão um pouco vacilantes, provavelmente por causa de todos os remédios que tomei. Eu dou um pequeno passo para frente, depois outro, e depois mais um. Essa coisa toda de caminhar é mais difícil do que você esperava quando você está com as costelas machucadas. O jovem médico retorna. Pela sua expressão, posso dizer que ele está descontente por me ver fora da cama. Ele não disse nada, porém. Em vez disso, ele me oferece a cadeira de rodas. "Você gostaria de se sentar?”. "Eu prefiro caminhar, obrigada”. Minha declaração faz Rich sorrir. Por sua vez, isso me faz feliz. O médico não protesta. "Vocês podem me seguir?" Ele nos conduz pelos corredores. Eu agarro o cotovelo de Rich como apoio. Passamos por uma ala com muitas camas vazias. Finalmente, o médico para diante de uma porta fechada. Ele se dirige a Rich. "O estado de sua irmã é delicado. Agora, ela precisa de seu corpo para descansar e recuperar. Nós fizemos tudo o que pudemos. Ela vai se recuperar totalmente, mas isso vai levar tempo”. Ele informa. "Se ela ainda estiver dormindo, não a acorde”. "Eu entendo”, Rich concorda. "Tudo bem", disse o médico. Ele abre a porta e deixa-nos a sós.

100


A cena é ao mesmo tempo serena e angustiante. A cama de hospital está contra a parede. O sol da manhã brilha através de uma janela aberta. Os lençóis são brancos e limpos. Min está embaixo com os olhos fechados. Se eu pudesse ver seu rosto, eu não teria nenhuma preocupação. Tudo me assusta. Ela está ligada às mesmas máquinas que eu estava. Uma agulha na sua mão está ligada ao longo de um tubo plástico que se estende até o gotejamento IV. Dois tubos claros menores correr em seu nariz, dando-lhe oxigênio. A braçadeira de plástico envolve seu braço, ligado a um monitor que mostra a pulsação e a pressão arterial. Um colar cervical mantém a cabeça no lugar. Seu outro braço está engessado e suspenso por um fio do teto. Sua pele está pálida. Sua respiração, embora constante, soa curta e áspera para mim. Eu não posso parar o enorme sentimento de culpa que sinto novamente. Esta é minha culpa. Não importa o que disse Rich, eu sei que, no fundo eu sou responsável. Eu quero correr para seu lado e lhe dizer o quanto estou triste. Eu quero pedir perdão. Em vez disso, eu fico parada e deixo Rich ir primeiro. A dor que eu vejo em seu rosto quebra meu coração. Ele parece derrotado, e quase quebrado. Ele agarra a grade quando vai até a cama e olha para sua irmã. Seus dedos ficam brancos. Como estou perto dele escuto um grunhido. "Eu vou encontrar o desgraçado que fez isso”. Ele fala tão baixinho que num primeiro momento eu acho que é apenas a minha imaginação. "Vou encontrá-lo e fazê-lo pagar. Isso eu prometo”. "Rich..." Eu coloco minha mão sobre a dele. Imediatamente eu sinto a raiva em seu corpo. O meu toque era para ser reconfortante, mas ele se afasta. Ele olha para mim com um olhar determinado e escuro. "Você fica aqui", diz ele. "Ela precisa de um de nós ao redor. No caso dela acordar. Eu não posso vê-la assim. Isso me mata, Penny. Eu não posso...”. Ele olha ao redor da sala e faz gestos para as quatro paredes, “... ficar aqui por mais tempo é como uma prisão. Eu preciso ir. Para pensar. Para arrumar minha cabeça”. Ele beija minha testa. "Você toma conta dela enquanto eu estiver fora”. Eu pego sua mão antes que ele possa ir embora. "Onde você está indo?" "Para a polícia. Eu preciso saber o que sabem”. Diz. 101


"Sua perna" Eu protesto. "Eu vou pegar uma bota. Droga, Penny, não tente me parar. É bastante difícil que eu tenha que me preocupar com Min”. "Eu não estou tentando pará-lo. Basta lembrar a promessa que fez”. Lembro a ele. "Eu vou", ele me assegurou. Ele começa a me abraçar, então, lembrando-se da minha lesão, esfrega o meu braço em seu lugar. "Não se preocupe. Vou voltar assim que eu souber mais. Mantenha Min segura para mim”. "Eu juro", eu sussurro, quando ele sai. É a mesma promessa que fiz a sua irmã antes.

102


Capitulo quatorze As horas se arrastam lentamente. Min não se mexeu. A enfermeira aparece a cada hora para ver como ela está. E ele deve estar aqui em poucos segundos... A porta se abre. Eu sorrio para mim mesma para acertar. Eu tenho que fazer alguma coisa para manter minha mente longe de todos os pensamentos melancólicos. Concentrando-me em coisas triviais como esta é uma forma de fazê-lo. Em vez de a enfermeira entrar vejo Rich. Ele está vestindo jeans e uma jaqueta de couro escura. A bota preta em seu pé quase se parece com um sapato. Seu cabelo esta uma bagunça. Ele olha para Min primeiro. "Como ela está?", Ele pergunta em um sussurro abafado. "Nada mudou", respondo. "Ela dormiu o tempo todo”. "Foda-se", Rich amaldiçoa. Ele se vira para mim. Eu noto uma mudança em sua aparência. Algo em seus olhos está diferente de quando saiu. "E você?", Ele pergunta. "Eles tentaram me levar de volta para a cama, mas eu não queria deixá-la”. Eu me levanto. "Se eu não me mover muito a dor não é tão ruim”. "Bom”. Rich me leva pelo braço e me puxa para a porta. "Nós temos que sair", ele anuncia em voz baixa. "O quê? Mas eu pensei que você...”. "Eu sei o que eu disse. As coisas mudaram. Eu descobri algo que eu não gosto. Nós não podemos ficar aqui”. Eu olho para ele como se ele fosse louco. "Você está bêbado? Você quer deixar Min aqui, sozinha?”. Rich balança a cabeça. "Nós não temos escolha”. Ele olha para sua irmã e faz uma careta. "Eu não quero falar aqui para, não quero acordá-la. Vamos lá para fora”. Eu sigo Rich para o corredor. Eu me viro para encará-lo. "O que está acontecendo, Rich?”. 103


Ele exala e passa a mão pelo cabelo. "Olhe para isso", diz ele, tirando um celular do bolso. Eu não sabia que ele tinha tido tempo para comprar um. O meu ainda está desligado depois que ele jogou a bateria fora. Eu vejo por cima do ombro enquanto ele abre o aplicativo da câmera e olha as imagens. Ele para em uma mostrando uma pequena TV. Parece com um monitor de vigilância. Levo um segundo extra para reconhecer a imagem fora de foco na tela, mas parece o estacionamento de Dieci 's. "Fique de olho no que acontece", diz ele. Ele passa o dedo pelo telefone. Eu assisto a sucessão de imagens como um filme. Eu vejo uma grande figura em um casaco escuro entrar no carro que Rich apontou. Ele mantém seu colarinho alto. É impossível ver seu rosto. "Então?" Eu peço. "Quem é esse?”. "Espere", disse Rich. Ele continua a apresentação. O carro puxa para fora do estacionamento e vira para a direita. Percebo um passageiro. É difícil ter certeza com as imagens de baixa resolução, mas parece com... "Amanda" Eu suspiro quando Rich amplia a tela. Rich acena brevemente. De repente, tudo se encaixa. Há apenas uma razão porque Rich teria imagens de uma câmera de vigilância em seu telefone. "Ela estava no carro que bateu em nós! Como? Como ela sabia que estávamos aqui?”. "Você não reconhece seu companheiro? Olhe novamente”. Eu pego o celular de Rich e volto para as primeiras imagens. Realmente, é impossível identificar a outra pessoa, a menos que você saiba quem você está procurando. Há apenas uma pessoa que eu conheço que tem essas características. "Victor", eu sussurro. Rich pega o telefone e olha em meus olhos. "Sim". "Isso significa que eles nos seguiram!" Eu digo. "Rich, eu pensei que isso tinha acabado! Nós demos os arquivos RedArm de volta!” Eu me sinto entrar em pânico “Fomos jantar no restaurante de Calloway. Isso significa que era uma armadilha? Onde você conseguiu essas imagens? Na polícia? " "Hah!" Rich dá uma risada. "Eu queria. Não. A fita é uma propriedade privada pertencente a Dieci 's. Fui ver o proprietário”. 104


"Você voltou para RedArm sem me dizer?” Eu estava com raiva dele por quebrar sua promessa. Mas, mais do que qualquer coisa, eu estou confusa. "Espere. Se você estava lá, como é que eles simplesmente deixam você voltar para cá?”. "Calloway não enviou Victor”. "O quê? O que quer dizer? Você mostrou-me o telefone. Ele dirigia o carro!”. "Mas não porque RedArm lhe pediu para fazer. Calloway soube que teve um acidente em sua propriedade. Ele não tinha ideia que nos envolveu. Quando fui ao seu escritório para pedir as fitas ele viu que Victor foi o responsável. Eu disse a ele o que aconteceu com Min. Ele se enfureceu e amaldiçoou e começou a atirar coisas. Ele me pegou de surpresa. " "Como é que você sabe que não foi pensado?”. "Se fosse, ele deveria receber um Oscar. Não. Eu tenho certeza de que não era o caso. Sua surpresa quando me viu foi demais. Ele não tinha ideia de por que eu tinha retornado. Perguntei-lhe se o USB tinha tudo o que precisava antes de dizer qualquer outra coisa. Ele disse que sim. Ele não tinha razão para querer nos fazer mal.”. "E quanto à vingança? Depois do que você fez com Victor?” Eu pergunto, tentando dar sentido a isso tudo. "Isso é exatamente o que Calloway não sabe. Exceto que, Victor está agindo por conta própria”. "E agora Amanda está com ele", eu termino. "Oh Deus, Rich, é isso nunca vai acabar?”. Rich pega minhas mãos. "Eu prometo a você, Penny. Eu farei tudo para resolver isso”. Concordo com a cabeça. "Eu acredito em você. Mas o que vamos fazer agora? Não podemos ir a polícia e mostrar-lhes a fita?”. Rich faz uma careta. "Nós não temos provas suficientes para fazer as acusações. A fita não é o bastante. Nós só reconhecemos Victor e Amanda, porque sabemos quem são”.

105


"Então, o quê?" Eu pergunto. "Se eles tentaram nos ferir uma vez, o que os está impedindo de fazer novamente? O que eles querem de nós, Rich? Como é que vamos sair disso?”. "Eu não sei ainda. Mas eu vou descobrir isso”. Respondeu. "Com a minha ajuda", eu o lembro. "Eu não vou deixar você fazer besteira novamente”. Rich ri. É uma tentativa forçada de deixar a coisa leve. "Claro. A primeira coisa que temos a fazer é sair daqui. Nós não podemos chamar mais atenção para Min.”. "Você quer simplesmente deixá-la aqui?" Eu digo, chocada. Rich balança a cabeça. "Não. O hospital foi informado da ameaça. Eles estão mantendo forte esquema de segurança. Calloway ofereceu proteção extra”. "Você confia nele com isso?”. "Por enquanto, é a nossa única opção”. "Eu não gosto disso, Rich", murmuro. "Eu também não. Mas o que fazer quais opções nós temos?”. "Eu não sei”. Eu fecho meus olhos e inclino-me contra seu peito. Nada na minha vida tem se mantido estável desde que eu conheci Rich. Por que esperar algo diferente agora? "Tem um hotel a poucos quarteirões daqui. É discreto e nos mantêm perto de Min. Acho que nós dois precisamos sair da aqui agora”.

106


Capitulo quinze Eu entro em nosso quarto e vou direto para o mini frigorífico. Eu pego todos os pequenos licores e coloco sobre a mesa. Um por um, eu os abro e levo a minha boca. Rich me assiste, carrancudo. Quando entra no quarto, ele para o meu lado. "Eu acho que isso é o suficiente." Eu vou para longe dele e pego o Johnnie Walker de qualquer maneira. Eu tiro a tampa e tomo um gole. O uísque queima minha garganta. "Penny pare!" Grita Rich. "Por quê?" Eu grito de volta. "Tudo o que fazemos é uma merda mesmo. A primeira noite que é supostamente para sermos livres, um carro bate contra nós e sua irmã quase morre. Por que eu deveria parar? Victor e Amanda estão agora atrás de nós. Nada mudou! Estamos na corrida novamente. E eu não quero isso, eu não quero Rich”. "Eu sei que é difícil”, Rich começa sentando na ponta da mesa, "e eu sei que isso é uma merda. Mas beber não vai resolver os problemas”, ele gesticula para as garrafas vazias", não-é a resposta." "Quem é você para me dar conselhos? Se bem me lembro, você foi o único que bebeu uns copos de vodka na noite em que lutou com Victor”. "Isso foi diferente", diz Rich. "Ah, é?" Eu exijo. "Como?”. "Por um lado, eu sabia o que estava fazendo." Eu o encaro quando ele empurra a garrafa longe. "Eu estava dando-lhe um fora”. "Você estava me dando um fora?" Repito incrédula e cada vez mais agitada. "De que tipo?”. "É a verdade. Eu sabia que tinha que deixá-la ir. Eu estava bebendo porque eu não poderia enfrentar a dor de perder você. Eu estava esperando que a bebida me ajudasse a dormir, e se você tivesse ido embora à manhã seguinte não iria doer tanto em comparação com a ressaca”. 107


Eu sorrio um pouco, apesar do meu estado de espírito. "Como isso funciona para você?”. "Eu com certeza nunca pensei que estaríamos aqui juntos! Eu vou te dizer isso”. Rich relaxa e pega a minha mão. "Isso é apenas mais um problema para nós. Nós vamos passar por isso. Eu prometo a você. Eu sei que a nossa relação não teve o início mais tradicional. De certa forma, isso é bom. Em outros, isso é ruim. Nós já passamos por tanta coisa, você e eu, que eu saiba, sem sombra de dúvida, o nosso amor vai prevalecer sobre qualquer coisa que aconteça em nosso caminho. Nós podemos superar qualquer obstáculo. Provamos isso uma vez. O que sentimos é forte. Você e eu passamos por tanta coisa em um período tão curto de tempo. Eu sei que estamos bem juntos. A maioria das pessoas não seria capaz de lidar com a tensão. Isso me dá esperança.” Concordo com a cabeça. "Mas", continua ele, "Também quero passar dias preguiçosos descansando em casa. Comemorar datas e mostrar-lhe lugares novos. Passar longas noites olhando para as estrelas e falar sobre o nosso futuro juntos”. "Você quer fazer tudo isso?" Eu sussurro. Eu não sabia o Rich tinha um lado tão romântico. "Penny, não importa o que vamos fazer eu só quero estar com você. Mas, sim. Quero experimentar tudo o que este mundo tem para oferecer com você. Essas coisas, outras coisas, o inferno, o que quiser, contanto que nós estejamos lá juntos sem as preocupações”. Eu sorrio. "Isso soa bem”. "Eu sei. E nós vamos chegar lá”, ele promete. “Mas, isso vai levar tempo. Agora, temos que resolver a confusão com Amanda e Victor”. "Eu sei”, eu suspiro. "Eu não sei por que eu pensei que beber seria uma boa ideia”. "Você está estressada. Preocupada. É normal. Mas se você quiser confiar em que seu cérebro”, ele bate na cabeça, brincando, “você tem que ficar sóbria. Tudo bem?”. 108


"Ok", eu aceno. "Eu só... Eu só não posso acreditar que Amanda nos seguiu até aqui. Ela é realmente tão rancorosa?”. "O inferno, ela tentou nos matar em sua casa", diz Rich. "E você me disse que ela foi até o seu apartamento e deixou-o em chamas. O que você acha?”. Eu balanço minha cabeça. "Eu honestamente esperava que ela não fosse”. "Bem, ela está com Victor agora". "Isso não faz nenhum sentido. Rich, você é geralmente um bom juiz de caráter. Quando você nos levou a Amanda, você não poderia ter esperado que ela fosse traí-lo assim?”. "Obviamente que não”. "Bem, então, ou ela realmente guarda rancor, ou há algo mais acontecendo que nós não conhecemos. Tem que ser algo diferente do que ciúme por trás de seu comportamento”. Rich pensa e fala ironicamente. "Você acha?”. Eu bato no seu braço. "Eu sei que você tem uma opinião elevada de si mesmo, mas não vamos ficar convencidos”. Ele sorri. "Eu estava brincando. Você provavelmente está certa. Chocou-me a facilidade com que Amanda nos enganou. Eu a conheço há anos. Eu disse a você sobre o rompimento. Mas, depois, quando ela se acalmou um pouco, ficamos em contato. Quero dizer, você acha que conhece alguém, e então ela vai lá e faz algo parecido com isso!”. "O que ela quer de nós? Essa é a verdadeira questão”. "Ela não pode me machucar. Ela sabe que eu me importo com você. Obviamente, ela sabe que eu me preocupo com Min. Se esta é a sua maneira de se vingar de mim, então eu acho que seu verdadeiro objetivo é prejudicar vocês duas”. Eu tremo. "É um pouco assustador saber que eu posso incitar esse tipo de raiva em uma pessoa”. Rich olha para mim atentamente. "Eu não quero que você tenha medo, Penny. Não há nada que eu odeio mais do que isso. Eu quero que você se sinta protegida e

109


segura quando você está comigo. É por isso que eu vou fazer tudo ao meu alcance para resolver isso”. "Então, qual o próximo passo?" Eu pergunto. "Como é que vamos passar por isso?”. "Primeiro, eu vou falar com Amanda”. "O quê?" Eu me levanto, chocada. "Rich, ela tentou nos matar, e você quer falar com ela? Por quê?”. "Eu sei o que ela fez. Mas eu não posso acreditar que ela é de todo ruim. Eu estou... preocupado com ela. Talvez eu não devesse estar. Mas eu não posso. Eu a conheço há muito tempo. Temos um passado em comum. Você estava certa, algo deve tê-la levado a agir dessa forma. Talvez, se eu puder encontrá-la, posso confrontá-la sobre isso e eu posso tentar ajudar.” "Você quer ajudá-la", eu digo sem rodeios. Eu não acredito em meus ouvidos. "Você esqueceu o que ela fez para Min?”. "Não se atreva a me acusar de esquecer Min!" Rich diz. Eu quase posso revirar os olhos. Aqui vamos nós novamente eu penso. "Eu vou falar com Amanda, Penny. Não haverá discussão. Você não pode argumentar com isso”. "Inacreditável" murmuro. "Você diz que confia em mim. Você diz que valoriza a minha opinião. Mas sempre que pode ignora o que eu digo! Ou pior, você nem sequer ouve!”. "Não me teste dessa vez, Penny" Rich adverte. "Por que não? Por que fingir que se importa com o que eu acho?” Estou zangada com ele novamente. "Você diz que mudou Rich. Mas você não fez. Você é exatamente o mesmo de antes. Correndo para frente, com armas em punho, não dando a mínima para o que isso faz para as pessoas que gostam de você”. "Basta!" Grita Rich. Ele bate com o punho na mesa. "Isso é o suficiente, Penny. Droga! Por que você tem que fazer tudo tão difícil?”. "Eu faço isso difícil?" Eu iria rir se não doesse tanto. "Pelo menos eu não acho que sei o que é melhor para todos em torno de mim!”. 110


Rich aponta um dedo para mim. "Nem uma única vez eu fiz isso!” "Oh, uou, Rich. Você está falando sério?” Faço uma pausa. "Ok, deixe-me contar quantas vezes. Um - mentir para mim sobre tudo na noite que nos conhecemos. Dois...”. "Porra, Penny," Rich gemi. "Estamos de volta a isso?” "Dois", repito, falando sobre ele, “me drogando e me dando a Tam e a Victor. Três - decidindo voltar para mim, por conta própria, sem contar a Min ". "Você está me culpando por isso?” "Estou provando um ponto! Quatro - não me dizendo que estava indo para a casa de sua ex, até que estávamos na porta...”. "Você já terminou?" Rich rosna. "Cinco", eu continuo com a vingança, “ficando longe de nós duas para falsificar identidades para que você pudesse fugir para Nova York, pensando que não iríamos te seguir. Seis - deixando-me no hospital, enquanto você voltou para RedArm sem uma palavra. E se alguma coisa tivesse acontecido com você, Rich? O que eu acho? O que Min acharia? " "Penny pare. Você está complicando as coisas”. "Eu não estou complicando as coisas!" Eu grito. "Estou tentando fazer com que você veja todas as decisões idiotas que você fez uma e outra vez, por si mesmo, sem se importar com as pessoas ao redor de você!”. "Se você está insinuando que eu sou como meu pai..." Rich começa, em voz baixa. "O quê?" Eu exclamo. "Não! Claro que não! Eu estou dizendo...”. "Eu sei o que você está dizendo. Ouvi em alto e bom som. Eu não me importo como minhas ações afetam as pessoas ao meu redor”. Rich se levanta com raiva e pega sua jaqueta. "Rich, não foi isso que eu disse!" Defendo exasperada. "Onde você está indo?”. "Sair. Você me deu muito em que pensar”. Seus olhos brilham para mim. Eles estão escuros novamente. "Fique aqui. Eu não quero que você fique em apuros”. 111


"Rich espere”. Tento me desculpar, mas ele bate à porta antes que pudesse falar. *** Eu ando em torno do quarto minúsculo, incapaz de ficar parada. Estou furiosa com Rich porque ele me deixou. Novamente. Sua acusação de que eu o estava comparando com seu pai é ridícula. Ele deveria me conhecer melhor e saber que eu não iria usar esse golpe baixo. Eu estou com raiva de mim mesma também por deixar as palavras saírem assim. Eu sei que Rich tem um temperamento explosivo. Essa é mais uma razão para eu escolher minhas palavras com mais cuidado no calor do momento. Sento-me na cama. Depois eu deito e olho para o teto. Por que estamos brigando? Essa não é a maneira como as coisas deveriam ser. Especialmente agora. Rich está claramente chateado com os acontecimentos de ontem e de hoje. Eu também estou, mas devemos nos apoiar e não ficar discutindo. Como é que ele pode ir de doce e carinhoso para impetuoso e irritado com o toque de um botão? O jeito que ele falou sobre as coisas que ele queria fazer comigo no futuro mexeu comigo. Eu nunca soube que ele queria ir tão longe. Depois da confusão de ontem à noite no jantar, eu quase tinha esquecido sobre a oferta que ele fez. Ele quer que eu me mude para Nova York com ele. Isso é um grande passo. Isso mostra o quão comprometido ele está com nossa relação. Talvez eu estivesse errada. Talvez eu não devesse ter ficado com raiva. Mas o modo casual que ele falou sobre Amanda me pegou de surpresa. Rich diz que confia em mim. Eu quero confiar nele também. Mas depois de uma vida de quebrar a cara com as pessoas que eu deveria confiar isso se tornou um grande problema para mim. 112


Eu amo Rich? Absolutamente. Eu confio nele completamente? ... Isso ainda é motivo de debate. Eu gemo ao rolar. Parte disso é culpa dele, também. Se ele tivesse me dito sobre a ideia de ir atrás de Amanda mais lentamente, talvez eu tivesse sido mais receptiva. Ele não tentar me convencer do jeito que ele fez. "Oh, ei Penny, eu vou sentar e ter uma boa conversa de coração para coração com minha ex de merda que tentou nos matar. Não é grande coisa.” Devo pedir desculpas quando ele voltar? Eu não quero me distanciar dele agora. Nós já temos o bastante acontecendo em nossas vidas sem a necessidade de adicionar lutas entre nós. Eu mordo os lábios em frustração. Por que sempre tenho que ser a única a querer consertar as coisas? Eu sei a resposta antes mesmo de colocar a questão: Porque eu não sou tão teimoso como uma rocha. Eu me empurro para sentar com uma careta e caminho até a janela. Eu olho na direção do hospital, onde Min ainda está. Eu me pergunto se ela já acordou. Espero que não, eu quero que ela melhore, mas eu não quero que ela fique assustada quando descobrir que está sozinha. Ela está completamente indefesa lá. Eu olho para a porta. Rich não disse quando ele estaria de volta. Uma hora já se passou. Quanto tempo ele vai demorar? Eu não posso ficar esperando mais aqui. Eu odeio me sentir inútil. Eu também odeio me sentir como se fosse outra pessoa. Ficar confinada nesse quarto me faz lembrar de esperar por Rich no motel em Oregon, na manhã seguinte que fomos expulsos de seu apartamento. Levanto e coloco meu casaco. É parte da roupa que eu usava no restaurante ontem à noite. Eu gostaria de ter algo mais. Mas, não é como se o hospital oferecesse um guarda-roupa complementar. Escrevo a Rich uma nota rápida, dizendo-lhe onde

113


eu estarei. Eu prefiro ficar com Min, onde eu possa ser de alguma utilidade, do que ficar presa nesse buraco. Rich vai ficar chateado quando descobrir que eu saí. Tranco a porta atrás de mim. Eu posso suportar a sua ira. Se for isso que tenho que suportar para estar com Min quando ela acorda que assim seja. Desço o longo e estreito corredor, perdida em meus pensamentos. Eu estou olhando para os meus pés, então eu tenho pouco tempo para reagir quando viro a esquina e quase bato a cabeça em um homem alto. "Desculpe," eu murmuro, olhando para cima. "Eu..." As palavras morrem na minha língua. Meu coração congela em meu peito. Eu conheço este homem, olhos frios e redondos. Eu conheço sua aterrorizante voz. Tam. Viro-me para correr. Mas não antes de suas mãos agarrarem meu cotovelo. Eu tropeço e caio. Eu grito e tento levantar, mas não tenho força. Minha mente está gritando merda, merda, merda! Eu deveria ter ficado no meu quarto. Eu deveria ter... "Penny!" Abro os olhos, chocada ao ouvir a voz de Rich. Ele corre para mim fica de joelhos. "Você está bem?" Acabei de confundi-lo com Tam? O que diabos a de errado comigo? "Rich, eu pensei...”. Eu paro. Não, eu não o confundi. Tam também está aqui, de pé atrás de Rich. Silenciosamente me observando com os olhos assombrados. Eu olho para Rich em alarme. Tam é um dos caras maus. Ele e Victor trabalham juntos. Por que ele está aqui? Por que Rich está tão calmo sobre isso? "Deixe-me 114


ajudá-la". Rich me pega pelo braço bom, cuidando para não causar mais desconforto. Eu fico em pé, mas eu tenho que encostar Rich para me apoiar. Tam ainda não disse nada. Eu assisto horrorizada, como um sorriso lento se forma em seus lábios. Pela primeira vez, eu acho que vejo uma pequena faísca em seus olhos. Ele está se divertindo? "Richard", eu digo muito lentamente, não tirando os olhos do outro homem enquanto pressiono as costas contra a parede para chegar o mais longe possível dele, "Será que, por favor, pode me explicar o que ele está fazendo aqui?”. "Penny, relaxe. Ele veio comigo.” "Com você", eu repito sem fôlego. "Sim. Tam se ofereceu para nos ajudar a encontrar Victor. " Eu pisco, sem entender. "Por que ele faria isso?" "Porque querida, eu sou um profissional", oferece Tam. Sua voz é como eu me lembro: Macia e lenta. Perigoso. Ela envia um arrepio na minha espinha. "Eu fui para RedArm," Rich explica. "Para ver se Calloway poderia nos ajudar a rastrear Amanda e Victor. Ele disse que já tinha alguém fazendo isso.” Rich olha por cima do ombro para deixar bem claro o que ele quer dizer. "Você está nos ajudando agora", eu digo baixinho, olhando Tam. Ele me assiste impassível. É assustador como ele pode manter esse perfeito controle sobre suas emoções. "Então você... trabalha para RedArm? Ou você gosta de perigo? " "Não importa quem eu sou ou o que eu era", responde Tam. "Tudo o que há para entender é que agora, eu ofereço meus serviços para vocês."

115


"Huh." Eu viro minha cabeça para Rich. "E não é nem um pouco desconfortável para você que, na semana passada, ele tinha me amarrado em um congelador?" "Para mim, não", diz Tam. Rich pega novamente meu braço. "Vem cá, Penny. Eu preciso falar com você." Ele me leva para longe de Tam, que calmamente assiste-nos ir. Nós viramos a esquina. "Você está louco?" Eu assobio para Rich assim que nós estamos longe. "Você o trouxe aqui?" "Pelo que eu entendo, ele é um dos melhores", diz Rich. "Rich, ele tentou sequestrar sua irmã! Isso para não falar tudo o que ele fez para mim!” Os olhos de Rich estão concentrados em mim. "Tudo o que ele fez com você? Você não deveria ser tocada! Por que você não me disse antes?” "Não, não! Não gosto disso!” Eu recuo. "Quero dizer, ficar em cativeiro presa em uma cadeira não era algo que eu queria." "Ele machucou você lá?" "Não", eu disse, "Mas...”. "Mas o quê?" Rich faz sons como se estivesse ficando irritado novamente. "Penny, se algo aconteceu com você que você não me contou...”. "Não é isso", eu digo. Eu tremo, lembrando meu tempo naquele lugar. "Na verdade, Victor foi quem tentou me bater. Tam parou. " Rich exala. "Está vendo? Tam é um profissional, como ele disse. Ele estava fazendo o que ele foi pago para fazer. " 116


"E isso foi?" "Tirar Min de Nova York para meu pai devolver a RedArm e Calloway, o que era dele. Ninguém deveria ser ferido. Até ontem à noite, não havia ninguém. " "E daí?" Eu pergunto. "Você é o melhor amigo do homem que enviou bandidos atrás de sua irmã?" Rich abaixa sua voz enquanto ele paira sobre mim. "Olha Penny. Minhas mãos estão atadas aqui. Não temos muitos aliados. Não vamos cuspir na cara dos que conseguimos certo? Calloway tem recursos que podemos usar. Vou usá-los, se isso significa manter nós três seguros.” "Isso é seguro?" Eu gesticulo para o final do corredor. "Você chama de trabalhar com um de seus capangas 'seguro'?" "Victor é o problema, não Tam," Rich diz. "E ele não é um bandido. Ele é um exFBI." "Ótimo," eu digo. "Nós temos um assassino treinado com a gente." Rich revira os olhos. "Não seja dramática. Tudo o que eu quis dizer é que Tam é treinado para o trabalho. Você prefere tê-lo conosco, ou contra nós? " "Eu prefiro não tê-lo em nada!" Eu protesto. "E então o quê? Pense Penny! Você quer tentar encontrar Victor e Amanda por nós mesmos? Só eu e você? Ah, e eu esqueci! Nós também temos vigiar Min ao mesmo tempo! Vamos. Pense antes de sugerir essas coisas!” "Isso não é o que eu quis dizer."

117


"Isso é o que parecia. Estamos perdendo tempo. Tam está aqui, quer você goste ou não. Ele vai nos ajudar, quer você goste ou não. Agora, você pode aceitar isso e começar a ser útil, ou você pode sair do caminho.” Eu endureço. "O que você acabou de dizer?" Pergunto. "Você me ouviu, Penny. Você está comigo ou não?” "Com você?" Eu zombo. "Você prometeu que iríamos ser uma equipe, Rich. Até agora, eu não vi isso.” "Deus, isso é ridículo," Rich cospe. "Você sabe por que eu não falei Penny? Porque eu sabia que você ia brigar comigo assim!” "Então por que diabos eu estou mesmo aqui?" Eu grito. Eu começo a ir embora, com raiva dele. "Foda-se, Rich. Você, obviamente, não precisa de mim.” Ele agarra meu braço e mantém-se firme. "Onde você pensa que vai?", Ele rosna. "Em algum lugar onde possa ser util. Eu estou indo ficar com Min.” Eu olho para o lado me segurando. "Agora solte meu braço." "Penny, você não está saindo do hotel sozinha." Rich aperta mais. Seus dedos cavam minha pele. "Rich, me deixe ir, você está me machucando.” "Não", ele diz, "eu não estou." Ele dá uma risada bruta. "Você não tem porra de ideia do que iria sentir se eu realmente quisesse te machucar." Eu não posso acreditar em meus ouvidos. "Você está me ameaçando?"

118


"Você está sendo uma garota mimada, então sim, eu estou. Eu estou te avisando. Não saia por esse corredor.” Eu olho para ele, recusando-me a recuar. Mesmo que ele seja muito maior do que eu, sei que ele nunca iria me machucar. "Quem é que vai me parar?" "Penny, por que você está sendo tão difícil porra?" "Porque você não pode manter as suas promessas?" "Eu não acredito nisso." Rich balança a cabeça. "Estamos realmente voltando a esse tópico de novo?" "Sim", eu exclamo, puxando meu braço livre. O movimento brusco faz o meu lado machucado doer. Mas eu não mostro. "Este pode ser um conceito difícil para você entender Rich, mas confiança importa para mim!" Ele parece confuso. "Você está dizendo que você não confia em mim?" "Eu estou dizendo que você não confia em mim!" Eu enfio um dedo em seu peito. "Eu estou do seu lado, Rich. Mas você nunca me trata como tal. Você nunca me pergunta o que eu acho, ou como me sinto. Você não fala comigo. Você só... age.” "Você me deixa louco, porra." "Então, isso é de alguma forma é minha culpa?" "Não é culpa de ninguém." Rich pega minhas duas mãos e prende juntas. Ele suaviza sua voz. Eu posso até ver o início de um sorriso quando ele fala. "Por que estamos discutindo? Não é isso que eu quero fazer.” Ele olha nos meus olhos. "E você?" "Não", eu admito. Eu olho para baixo e longe de seu olhar penetrante.

119


"Então vamos parar." Ele se inclina colocando sua testa contra a minha. "Eu te amo", ele sussurra. "Mesmo quando você está mal-humorada como agora." "Mal humorada?" Eu levanto uma sobrancelha. "Sim", acena Rich. "Eu gosto de vê-la assim." Ele abaixa a voz. "Isso me excita. É uma pena que não estamos sozinhos agora, ou eu ia fode-la direto contra esta parede.” Oh, uou. Uma onda de calor castiga o meu corpo com as suas palavras. Eu posso sentir seus olhos ardentes em mim. Eu encontro o seu olhar, e tenho que engolir. Ele está sério. Muito, muito, sério. "Então o que você diz?", Ele ronca no meu ouvido. "Você pode me deixar tomar as decisões agora? Pelo menos, até tudo isso acabar? E então, eu prometo a você...”, sua voz se torna áspera,... “eu vou escutar todas as suas sugestões.” Eu solto meu braço para dissipar um pouco da intensidade entre nós. Eu não preciso dele me fazendo sentir toda quente e nervosa. "Tam está esperando", eu o lembro. "Eu sei. Você está pronta para voltar lá? Você confia em mim quando eu digo que não podemos fazer isso sem ele?” "Não é exatamente como se você estivesse me dando uma escolha." Rich ri. "Você está certa. Vou tentar trabalhar nisso...”, ele faz uma pausa, “... quando a saga de Victor e Amanda chega ao fim.”. "Concordo." Eu estendo minha mão. Rich faz uma carraca para mim. "O que foi isso?”

120


"Só tomando nota para depois que tudo isso acabar, fazer você cumprir mais uma promessa que me fez." Eu olho para a minha mão estendida. "Eu não vou esquecer isso." Rich ri, pega minha mão e aperta.

121


Capitulo dezesseis "Aqui é tudo o que tenho", diz Tam, colocando uma série de fotos sobre a pequena mesa no nosso quarto. Nós três ficamos em volta. Eu ainda estou desconfortável com a presença da Tam, por isso Rich sempre fica entre mim e ele. O primeiro conjunto de fotos mostra Amanda e Victor juntos em um carro pequeno. Eu posso dizer pela paisagem que as fotos foram tiradas em Oregon. As imagens mostram eles andando na rua juntos. "Eu fiquei esses dois dias após o incidente na casa de Amanda," Tam explica. "Por que você estava tirando fotos de seu parceiro?" Eu pergunto, não entendendo. "Quero dizer, não eram vocês dois ainda... você sabe uma equipe?" "Em teoria," Tam reconhece. "Eu vi uma mudança em Victor depois de ter perdido você." Tam olha para mim com nenhuma emoção em seu rosto ou em sua voz. "Você quer dizer depois que Rich me salvou", eu corrijo. "Sim. Victor não divulgou os detalhes de seu fracasso”. Tam olha Rich. "Mas elas eram fáceis de ver.” "Eu não perguntei isso antes porque eu não queria que Penny ouvisse", diz Rich. "Mas como é que você e Victor encontraram Amanda?" "Ela entrou em contato conosco." "O quê?" Rich e eu exclamamos ao mesmo tempo. Tam inclina a cabeça ligeiramente. "Ela ouviu falar sobre o problema em RedArm. É claro que sabíamos de seu relacionamento com você ", os olhos de Tam

122


piscam para Rich, “Mas até aquele momento não sabíamos de seu envolvimento com seu pai. " Rich endurece. "O que você disse?" "Amanda tem estado em contato com seu pai há anos." Se Tam gosta de revelar isso para Rich, ele esconde isso muito bem. "Uma vez que descobrimos o link, encontramos bilhetes de avião, transferências bancárias, e outras conexões que confirmam seu relacionamento." Eu vejo as mãos de Rich apertar em punhos sobre a mesa. "Você está dizendo que," ele respira, “Amanda foi uma das amantes de meu Pai?”. Os lábios de Tam enrolam em um sorriso assustador. "Sim". "Maldição!" A explosão me assusta. Tam permanece tranquilo. "Eu não acredito nisso", diz Rich, andando pela sala. "Amanda e meu pai?" Ele balança a cabeça. "Isso é doente. Foda.” Ele olha para Tam. "Há quanto tempo isso está acontecendo?" "O primeiro contato que descobrimos mostra que foi a quatro anos", Tam responde casualmente. "Desde então, tem havido inúmeros encontros em hotéis, imóveis alugados.” "Basta!" Rich diz encarando Tam. "Eu não quero ouvir mais nada!" A voz de Tam não muda. Nada sobre ele, que eu posso dizer, muda. Mas quando ele fala dessa vez, parece sombrio. "Vou aconselhá-lo, apenas uma vez, para não falar comigo desse jeito." Rich encara Tam. Seus músculos do pescoço apertam. Tam olha para trás. Eu posso sentir um confronto chegando. Eu me distancio um pouco. Eu sabia que trazer 123


Tam aqui era uma má ideia. E agora que o temperamento de Rich elevou, ele não vai acalmar. "Você está certo." Rich fala. "Eu peço desculpas." Meus olhos se arregalaram. Rich? Pedindo desculpas? Como assim? "Eu aceito. Eu confio que vai evitar situações semelhantes no futuro.” Tam diz e não é uma pergunta, uma declaração. Rich senta ao meu lado novamente. Sua ira não se desvaneceu, mas ele está fazendo um trabalho muito bom contendo. Talvez eu possa aprender uma coisa ou duas com Tam. "Você está bem?" Pergunto, colocando a mão sobre Rich. Ele acena com a cabeça uma vez. "Eu não esperava... foda, mas eu deveria ter visto isso chegando!" "Você não tinha como saber," eu tranquilizo. Rich balança a cabeça. "Eu deveria ter ficado desconfiado quando os textos e emails de Amanda aumentaram. Foi bem na época que Min me encontrou”. "Eu pensei que você tinha dito que estavam em contato após sua separação." "Sempre, mas de forma esporádica," responde Rich. Tam assiste pacientemente enquanto ele aguarda a nossa conversa terminar. O homem pode me assustar, mas sua paciência é impressionante. "Não mais do que uma vez em poucos meses. Eu lembro que ela iniciou o contato em primeiro lugar, após a separação, uns quatro anos atrás.” "Quando ela começou a ver o seu pai", eu digo. Rich bufa. 124


"De volta sobre o tema," Tam lembra. "Victor começou a agir de forma estranha depois do seu fracasso. Quando eu e ele encontramos com Amanda, e ela nos levou para você, só para descobrir que você fugiu de novo, ele levou para o lado pessoal. Voltei para aguardar novas instruções de RedArm. Então ele passou a persegui-lo por conta própria. Eu tive que segui-lo sem o seu conhecimento. Eu sabia que ele poderia colocar em risco o nosso objetivo. " Tam coloca outro conjunto de fotografias sobre a mesa. "São de quatro dias depois que perdemos você." Eu reconheço os prédios ao fundo. "Essa é a cidade universitária onde eu costumava viver!" "Huh. Ela cortou o cabelo”, comenta Rich. Tam confirma. "Este é o momento do incêndio no apartamento." "Você sabe sobre isso?" Eu suspiro. "Sim. Eu disse que eu perdi você, e não Victor”. "Você estava em contato com ele durante esse tempo?" Rich pergunta. "Não. Assim que ele saiu por conta própria, RedArm anulou seu contrato. Eu permaneci vigilante para garantir que ele não iria fazer nada para prejudicar minha missão ". "Min", diz Rich secamente. "Então você estava dizendo a verdade, então", eu digo, olhando de Tam para Rich, e vice-versa. "Eu não acredito nisso, no entanto. Min e eu realmente não deveríamos nos machucar?”

125


"Nenhum dano deveria ser causado a Sra. Blackthorne, enquanto seu pai cooperasse," Tam diz. "Quanto a você? Não. Você não era que queríamos.” Eu odeio como ele diz as coisas sem o mínimo de emoção. "Então o que aconteceu?" Pede Rich. "Onde é que a sua vigilância com Victor e Amanda falhou? Como eles bateram no nosso carro?" Os olhos de Tam apertam ligeiramente. É um aviso. A tensão na sala engrossa. "Ele quer dizer, como é que Victor e Amanda chegaram até nós sem o seu conhecimento?" Eu concerto, na esperança de evitar um confronto desnecessário. Tam olha para mim. Seus olhos escuros brilham. "Até eu tenho meus defeitos. Eu não sou perfeito. Perdi a noção de quando eles chegaram a Nova York. Mas, desde ontem eu tenho sua localização. Estão em três hotéis diferentes. Eles têm quartos em cada um." "Bom", diz Rich. Ele olha para mim. "Está vendo? Eu sabia que ele seria útil.” "Você ainda quer conversar com Amanda?" Eu pergunto. "Considerando as novas informações?" "Eu tenho Penny. Eu não tenho escolha.” Ele faz uma careta. "Mesmo que isso me irrite, só de pensar o que isso significa...”. "Eu também fiz essas...", exclama Tam. “... esta manhã." Ele pega um envelope de sua jaqueta e dá nas mãos de Rich. "Por favor, dê uma olhada." Rich abre o envelope e tira um lote de fotografias. Ele se vira para mim para que eu possa ver. A primeira é de Amanda, usando grandes óculos escuros e andando por uma rua. Sozinha. Na segunda, ela está chamando um táxi. A próxima mostra ela caminhando em um estacionamento cheio. Outra abrindo a porta de um carro, e finalmente saindo. 126


Rich para olhando. "Será que ela sabe que você tirou?" Tam levanta uma sobrancelha questionando. Isso é resposta suficiente para Rich. Ele continua olhando as imagens. Há algumas da parte de trás do carro de Amanda no trânsito. Algumas dirigindo por uma estrada longa e isolada. Meu estômago aperta quando eu reconheço as árvores ao redor. Eu não preciso das imagens finais para saber onde elas terminam: na penitenciária do pai de Rich. Rich exala e coloca as fotos de volta no envelope. "Eu preciso vê-lo", diz ele em voz baixa. Eu seguro seu braço. "Rich, você tem certeza que é uma boa ideia?" "Ele tem que saber o que suas ações causaram a sua filha." "Ele está na cadeia, Rich. Não há nada que ele possa fazer de lá.” "Seus filhos ainda estão enfrentando suas consequências. Eu posso aguentar, mas e Min...? "Rich pergunta a Tam. "Victor sabe onde Amanda foi?" Tam balança a cabeça. "Ela foi discretamente até lá por uma razão." Rich suspira. "Ela está jogando com Victor, então?" Eu olho para Rich surpresa. "Você acha que ela o está seduzindo?" Eu tremo apenas em pensar como Victor cheirava. "Victor sempre ficou distraído por um rosto bonito", Tam concorda. "E Amanda é desonesta o suficiente para manipular as pessoas como ele", diz Rich. "Ela está usando Victor para chegar até nós. Até a mim.” "E o seu pai?" Eu pergunto. "E se Amanda estiver fazendo apenas o que ele diz?" 127


"Merda, eu nem sequer pensei nisso!" Rich exclama. "Eu não quero acreditar nisso. Há apenas uma maneira de descobrir.” Ele se levanta. "Eu estou indo vê-lo. Agora”. "Eu estou indo também," eu digo. "Não, Penny, é perigoso" Rich me corta. Então ri. "Você não vai me deixar ir, não é? Está bem. Vamos.”

128


Capitulo dezessete Tam fica para trás quando decidimos o que fazer. Ele diz que tem coisas a fazer, e vai nos encontrar mais tarde. Rich pede a ele para olhar Min no caso de Victor ou Amanda aparecer. Ele concorda. Rich está chateado todo o caminho até a penitenciária. Eu tento o meu melhor para mantê-lo calmo. Mas, eu ficaria com raiva, também, se eu fosse ele. É compreensível. Nós entramos na prisão. Eu tomo uma respiração profunda. "Rich, eu quero que você saiba que tudo o que acontecer, eu estou lá com você. Eu te amo. Não se esqueça disso.” "Eu não vou." Rich aperta minha mão. "Obrigado, Penny." "Como você acha que ele vai reagir desta vez?" Não há necessidade de dizer quem 'ele' é. "O inferno, eu não sei", murmura Rich. "Ele pode negar. Mas com certeza ele não vai gostar de saber o que descobrimos.” "Você acha que ele iniciou as coisas ou Amanda?" Rich faz uma careta. "Isso é algo que eu não quero pensar. Eu não sei. Minha aposta é em Amanda. Não é como se o meu pai tivesse controle sobre mim depois que eu saí de casa. Amanda sabia onde encontrá-lo, no entanto. Talvez esta era a sua maneira distorcida de se vingar de mim.” "Eu não posso acreditar que ela faria isso." Eu balanço minha cabeça. "Na verdade, eu não posso acreditar que qualquer pessoa em sã consciência faria.” Rich encolhe os ombros. "Essas são as cartas que temos. Pronta?” 129


"Sim", eu suspiro. Saímos do carro e caminhamos em direção à penitenciária. Nós fazemos o que é de padrão. Então somos levados para sentar em uma sala de espera diferente da que estivemos da última vez. Hoje, há outros visitantes aqui conosco. Ninguém olha para o outro. Rich e eu encontramos lugares longe de todos os outros. O guarda nos informa que a uma fila, nós vamos ter que esperar os que chegaram antes de nós. Eles só trazem um prisioneiro de cada vez. Por causa da espera a conversa de no máximo dez minutos. E assim, mais uma vez, Rich e eu esperamos por seu pai. Quando a outra visita finalmente sai, e nós somos os últimos na sala, a porta do outro lado da separação de vidro se abre. E o pai de Rich entra, acompanhado por dois guardas. "Penélope", ele sorri. "A que devo o prazer de sua companhia?" Eu zombo. "Fale com o seu filho!" Eu inclino-me e beijo Rich na bochecha. "Eu vou deixar vocês dois sozinhos." Rich segura a minha mão. "Não vá muito longe." "Eu não vou." Eu me viro e vou até os assentos. Eu não gostei do jeito assustador que o pai de Rich me olhou. Eu também acho que Rich precisa de tempo para falar com ele sozinho, sem minha interrupção. Ainda assim, acho um lugar onde eu possa ouvir a conversa deles, sem forçar demais. "... Nunca se esqueça de que eu a amava." É a voz de Anthony. "Oh? É o mesmo tipo de amor você diz ter por sua filha?” “Mindy significa o mundo para mim.” 130


“Hah! Poupe-me a besteira. Min está no hospital inconsciente, por causa de você.” “O quê?” Eu posso dizer que a surpresa de seu pai é fingida. "Eu sei que você recebeu uma visita esta manhã," Rich diz calmamente. "Além de você, eu não vi ninguém." "Não faça isso. Não minta para mim sobre isso. Eu sei sobre ela, Anthony. Eu sei sobre Amanda.” Há uma longa pausa. O homem não diz nada. Finalmente, o pai de Rich fala. "Você sabe sobre ela? O que você sabe Richard?” "Tudo. Eu sei que vocês estão vendo um ao outro por quatro anos. Eu sei sobre as reuniões clandestinas, os bilhetes de avião que você comprou ela. Eu sei sobre o dinheiro que você deu a ela.” O pai de Rich ri. "É disso que se trata? Você está com ciúmes que eu estou dando dinheiro para sua ex amante em vez de você...?” Rich bate o punho contra a parede de vidro. "Não ligo para ela." "Por quê? É a verdade, não é? É isso que te trouxe aqui de novo?” Zomba o pai de Rich. "Eu vi o jeito que você desfilou Penny na minha frente. Você não está se sentindo ameaçado por seu pai, não é?” "Você me dá nojo," Rich cospe. "Sua filha está no hospital por causa de sua amante, e tudo que você pode pensar em fazer é zombar de mim? Você é miserável. Você é...”. Eu paro de ouvir quando ouço saltos estalando no corredor. Eu me viro, e imediatamente sinto a bile subir na minha garganta. 131


Eu sei quem é a pessoa andando para dentro. Ela é a responsável por tudo o que deu errado. Amanda. Ela sorri quando me vê. Tenho a sensação de que sua presença aqui não é mera coincidência. Ela tira os óculos de sol grandes para revelar seu impecável rosto. Seu cabelo está cortado elegantemente em torno de sua testa. Antes eu teria ficado com ciúmes dela, de suas pernas compridas. Não mais. Eu sei o monstro que se esconde debaixo de toda essa beleza. Eu me levanto. Eu sei que não estou nem perto de sua altura, especialmente quando ela está de saltos, mas vá a merda eu não vou deixá-la me intimidar. Eu olho para trás, para Rich. Ele está envolvido em uma acalorada discussão com seu pai. Ele não percebeu quem acabou de chegar. Amanda fica no outro extremo da sala e vou me juntar a ela. Ela age com tanta naturalidade que quem olhasse não iria perceber qualquer animosidade entre nós. Quando eu chego até ela, ela está admirando o seu próprio reflexo em um pequeno espelho de mão que ela encontrou em sua bolsa. "Olá, Penélope", diz ela. "Que bom que você se juntou a mim." "Amanda", digo secamente. O guarda na sala olha para nós. Não há nenhuma maneira de que Amanda iria tentar algo aqui, não com tanta segurança. Isso também significa que eu sou incapaz de fazer qualquer coisa para ela. Amanda sorri. "Será que essa é realmente a maneira correta de cumprimentar uma velha amiga?" Ela diz. "O que você acha do meu novo cabelo? É bem diferente de meu estilo anterior.”

132


"O que você está fazendo aqui?" Eu assobio para ela. Tenho que segurar a mão para evitar "acidentalmente" bater nela. Eu não quero nada mais do que plantar o meu punho bem no meio do seu rosto perfeito. "Eu vim para ver Tony, é claro." O jeito que ela diz o nome do pai de Rich não deixa nenhuma dúvida em minha mente que eles são amantes. "Olha só minha surpresa ao encontra-la aqui...", ela faz uma careta, “... com o filho de Tony.”. "Não se faça de idiota. Eu sei que você nos seguiu.” Amanda ri, um som quase diabólico. "Penny, você põe muita fé em minhas habilidades. Como eu poderia saber onde encontrá-los?” "Eu não sei, Amanda." Eu dou-lhe um sorriso doentio e doce. "Por que você não me conta?" "Por que não chamar de uma feliz reunião, então?” "Eu sei o que você fez", eu digo a ela. "Eu tenho provas. Você não vai fugir.” Amanda toca os lábios em falsa surpresa. "Oh, meu, isso é uma ameaça?" "Diga-me", eu pergunto-lhe, "exatamente por quanto tempo você foi prostituta de Anthony?”. Raiva aparece nos olhos de Amanda. Seu corpo treme, e por um segundo eu acho que ela vai quebrar a partir de sua máscara. Ela respira fundo e volta ao normal. "Você sabe, eu acredito que eu cometi um pequeno erro na outra noite", diz Amanda. "De alguma forma, parece que eu te confundi com Min. Houve um malentendido.” Ela sorri para mim. "Você deveria morrer, não ela." As primeiras palavras que vêm a minha mente: “Min não está morta”. Eu engulo e seguro minha língua. Amanda pensa que a irmã de Rich morreu? 133


De repente algo me ocorre. Qual é a melhor maneira de impedir que alguém que está em busca de vingança prejudique você? Convence-lo que você está morto. Eu me pergunto se essa é a "proteção" que Calloway está nos fornecendo. Não faria sentido. É certamente estranho. Ele mal precisa levantar um dedo para fazê-lo. "O que há de errado, Penny?" Zomba Amanda. "Você está muito tranquila. Não me diga que eu te chateei!” "Como você pôde?" Eu sussurro. "Como você pode ser tão cruel?" Amanda balança a cabeça. "Não, minha cara. Você não sabe a verdade. Eu disse a Richard uma vez, há muito tempo, que ele viveria para ver o dia em que ele lamentou acabar comigo.” Ela vira seu cabelo. "Eu estou cumprindo uma promessa." "Você é doente." Falo bruscamente. "E você está em perigo iminente". Amanda sorri. "Foi tão fácil para mim seguila, Penny. Já fiz isso uma e outra vez.” "Você está usando Victor:" Eu cuspi. "Para sua vingança contra Rich." Amanda ri novamente. "Acredite em mim, eu não acho que ele mente. Na verdade, ele provou ser muito leal a mim.” "Será que ele sabe que você está aqui? Vendo Tony?” "Algumas coisas não devem ser ditas", ela oferece. "Eu não espero que você entenda. Os homens nunca lutaram por você.” "Cadela!" Eu sei que ela está apenas tentando me deixar chateada. Eu caí com certeza. "Amanda?" A voz de Rich parece surpresa e irritada. 134


Eu olho para o outro lado da sala e o encontro virando sua cadeira. Seus olhos estão arregalados. Amanda dá um passo e sopra-lhe um beijo. Talvez ele tenha sido para Anthony. Eu vejo o pai de Rich recostando-se na cadeira, triunfante como um rei. Rich atravessa a sala em passos rápidos e me agarra pelo braço. Ele me puxa para trás e coloca seu corpo entre eu e Amanda. A maldita mulher assiste a tudo com tanto calma como se ela estivesse se bronzeando na praia! Eu sinto outra mão no meu ombro. Viro e encontro o guarda de segurança franzindo a testa para mim. "Existe um problema aqui?" "Não há problema", eu digo rapidamente. Ele resmunga e olha para nós três. "Comportem-se", adverte. "Lembrem-se de onde vocês estão." "Sim, oficial," Amanda diz docemente, sorrindo para ele. "Hmph." O guarda acena e retorna ao seu lugar na porta. "Penny, quanto tempo você está falando com ela?" Pergunta Rich. "Oh, cresça", diz Amanda. "Penélope é uma grande garota. Ela pode cuidar de si mesma.” "Eu não perguntei a você," Rich rosna. Ele se vira para mim. "Quanto. Tempo?” "Poucos minutos?" Eu digo a ele. "Droga, por que você não disse nada? Você não sabe que ela é perigosa?”

135


Amanda ri. "Realmente, Rich? Olhe ao seu redor. Você vê onde estamos? Eu seria uma idiota para tentar algo aqui.” Sua voz torna-se zombeteira. "Embora seja emocionante ver o quanto Penny é preciosa para você." "Cale a boca, Amanda," late Rich. Eu posso dizer pela tensão no seu corpo que ele está se controlando. Eu coloco a mão em seu braço. "Talvez devêssemos ir." "Você quer sair tão rapidamente?" Amanda parece triste. "Por que, você apenas disse: Olá!" Rich se dirige a ela. "Eu só vou dizer uma vez, Amanda. Saia. Vá para casa. Eu não quero ver ou ouvir sobre você. Este é o único aviso que você terá de mim. Saia. Hoje à noite.” Amanda ri novamente. "Oh meu Deus! Isso é outra ameaça? Vocês dois fazem um par perfeito.” Ela se levanta. Rich endurece e eu quase salto enquanto ela se inclina para sussurrar em seu ouvido: "Você e eu poderíamos ter sido amantes maravilhosos. Mas você escolheu me deixar. Agora, meu querido...” ela passa a mão no rosto de Rich, “você tem que enfrentar as consequências. Uma vez eu te avisei.”. Ela gira e vai até Anthony. "É uma vergonha ouvir falar o que aconteceu com sua irmã", diz ela sobre o ombro. "Pelo que sei, ela não tinha nada a ver com o problema. Eu diria que sinto muito pelo que aconteceu com ela, mas... eu não vou.” Rich dá um passo ameaçador atrás dela. Eu agarro seu braço. Eu tenho que usar as duas mãos para segurá-lo. "Deixe-a ir," Digo. "Ela está tentando provocá-lo. Não dê essa vitória!”

136


Sinto seus ombros tensos. Em seguida, ele respira fundo e deixa cair. "Você está certa", ele suspira. Então lança um olhar enojado para Amanda e seu pai. "Vamos dar o fora daqui. Eu não suporto vê-la, sabendo o que fez, e me sentindo tão... tão inútil.”

137


Capitulo dezoito Rich está muito irritado quando chegamos nosso quarto de hotel. Ele pega o paletó e lança contra uma parede. Ele abre o mini frigorifico, e o encontra vazio, ele ri irônico e quase rasga a porta para fora. Ele caminha até a janela, depois gira para o canto e bate a palma da mão várias vezes contra a parede. Ele manteve sua raiva sob controle na volta, mas agora que estamos sozinhos tudo está saindo. Ele bate a mão repetidas vezes. Parece que toda a sala treme com cada golpe. Eu tenho medo, que se a parede não quebrar, sua mão vai. Ele não percebe que eu dou a volta e fico atrás dele. Eu envolvo meus dois braços ao redor de seu corpo e coloco meu rosto em suas costas. Todos os seus músculos estão apertados. Ele para quando me sente. Eu respiro seu cheiro profundamente e o seguro. Ele deixa suas mãos cair. Então, ele inclina a cabeça tristemente contra a parede. Ficamos assim por um tempo. Rich precisa do meu apoio. Tenho a intenção de lhe dar tudo o que tenho. "Penny..." Rich vira e olha nos meus olhos. Eu vejo tantas emoções passando por eles. "Obrigado por estar lá hoje. Vendo Amanda em pessoa, depois de ver o meu pai, era quase mais do que eu poderia suportar. Eu só consegui por causa de você.” "Isso é o que eu venho tentando lhe dizer, Rich. Eu estou aqui para você. Eu te amo.” "Eu também te amo. Eu simplesmente não posso acreditar que Amanda apareceu lá depois do que fez para nós”. "Eu acho que ela estava tentando emboscar você", eu digo. "Ela sabia que não podia fazer nada com ela lá dentro. Ela queria mostrar que não tem medo, talvez até tripudiar sobre o que ela fez.”

138


Rich olha para mim. "Você é brilhante, você sabe disso?" Ele pega a minha mão e coloca-a contra seu rosto. Eu sinto o calor de sua pele sob sua. Ele leva a minha mão a boca e beija minha palma. Sinto um arrepio percorrer meu braço. "Eu não sei o que vamos fazer a seguir", diz ele na minha mão. "Eu queria falar Amanda para que fosse embora. Depois de hoje, eu sei que ela não vai.” Rich coloca suas mãos para descansar na parte inferior das minhas costas. "Ela é perigosa. Para nós, mas também para si mesma. Eu não sei do que ela é capaz. O melhor lugar para ela é provavelmente uma instituição psiquiatra. Mas não é como se ela fosse nos deixar leva-la”. Eu olho para Rich. Ele parece tão confuso, tão aflito por causa disso. Eu sei que, por dentro, ele tem um coração de ouro. Ele pode ter problemas em mostrar às vezes, mas é a razão pela qual ele está lutando tanto sobre o que fazer. Ele não quer machucar ninguém. Nem mesmo Amanda. Esse é o conflito interno que ele está lidando. Eu sei que ele quer nos manter seguros. Mas, se isso significa que ele precisa prejudicar Amanda no processo, as coisas tornaram-se difíceis para ele. "Ela não está indo embora", digo a ele. "E eu não quero sentir que tenho que olhar por cima do ombro toda vez que eu andar na rua." "Eu prometo que você não vai ter para fazer isso”, diz Rich. "Enquanto Amanda estiver livre, eu vou. Você sabe disso, Rich. O mesmo vale para você.” "Sim." Ele suspira. Sua respiração é quente no meu rosto. "Ela precisa ser pega e ficar atrás das grades. Junto com Victor. É a única maneira de que ficaremos bem.” "Eu gostaria que fosse assim tão fácil, Penny. Você sabe tão bem quanto eu que não temos evidência suficiente para ir para a polícia.”

139


"Então, faça alguma!" Eu sugiro. "Você me contou sobre todas as conexões e recursos que Calloway tem quando ainda estávamos em Oregon. Você disse que tem pessoas na polícia, informantes em todos os níveis do governo. Deve ser fácil para ele enquadra-la em algumas acusações falsas”. Rich range os dentes. "Eu não posso fazer isso. Deus sabe que ela merece. Mas, isso não é certo.” Eu não posso pressioná-lo sobre o assunto. Eu sei que não será de nenhum uso. Além do mais, eu sei que vai perturbá-lo. Mas também sei agora o que tenho que fazer. Eu tomo as duas mãos de Rich e o levo para a cama. Seus olhos traem seus verdadeiros desejos. Sento-me com cuidado e puxe-o para baixo comigo. Ele sorri enquanto seus dedos escovam meu queixo, meu pescoço. Ele coloca uma mão entre minhas omoplatas e me ajuda a deitar consciente das minhas costelas. Ele deita-se ao meu lado e me olha. Suas mãos exploram as curvas suaves do meu corpo. Eu inclino minha cabeça para ele, os lábios entreabertos. Rich toma conhecimento. Ele beija a minha boca levemente. O toque de seus lábios contra os meus, desperta meu desejo. Eu me inclino para frente, pressionando minha boca a dele. Nosso beijo aprofunda. Ele enrola os dedos no meu cabelo na minha nuca. Eu saboreio cada momento deste lento beijo quente. Quando minhas mãos trabalham pelo seu corpo, ele se afasta um pouco. Ele sabe onde eu estou indo com isso. "Você tem certeza?", Ele pergunta. "Sim", eu respondo em uma lufada inebriante como meus dedos encontrar a fivela do cinto. Rich me vê levando para fora de sua cueca. O sangue rapidamente enche o apêndice quando eu começo a excitá-lo com a minha mão. 140


Rich me beija novamente e eu sinto sua ereção se tornar grosso e duro na minha mão. Ele lentamente desabotoa minha blusa e descobre o meu corpo. Ele olha para os hematomas em volta do meu tronco, logo abaixo dos meus seios. Seus dedos se arrastam sobre ele gentilmente. Dou um pequeno suspiro quando sinto um pouco de incomodo. Rich puxa imediatamente a sua mão. "Eu machuquei você?" "Não", eu digo. Eu fecho meus olhos quando sinto o meu peito inchar. "Acabei de me mover errado". Rich olha para mim. Preocupação cintila em seus olhos. "Eu não quero fazer nada se vai te machucar." "Um pouco de dor vai valer a pena", eu respiro, “se isso significa estar com você.”. Essa é a confirmação de todas as necessidades de Rich. Ele tira minhas calças junto com a calcinha. Quando chego e abro meu sutiã, ele tira suas próprias roupas. Ele está diante de mim glorioso em sua nudez. Seus olhos famintos devoram o meu corpo. Só de olhar é o suficiente para incitar o mais sensual dos meus desejos. Ele se inclina sobre mim. Seu peito levemente toca os meus mamilos sensíveis. Ele é cuidadoso para não colocar seu peso sobre mim. "Eu vou devagar", ele promete. Necessidade está correndo através de mim e eu não me importo mais sobre a lesão. "Rich, apenas... faça!" Eu imploro. Ele sorri e coloca a ponta na minha entrada. Seu pau duro faz contato com minhas pregas, enviando ondas de êxtase desenfreadas pelo meu corpo. Se for de 141


antecipação de seu toque real, eu não sei. Minha respiração é tão profunda quanto posso para não doer minhas costelas. Rich empurra para dentro de mim. O ar sai dos meus pulmões em uma corrida. Ele olha no fundo dos meus olhos. "Você ainda está bem?" Eu sorri para ele como uma bêbada. Sua preocupação é comovente. Uma parte de mim quer que ele vá selvagem, obrigando-me a suportar todo o desconforto por causa do prazer. Outra parte me diz que vou ser saciada apenas no ato lento e sexual. "Rich, eu sei que você nunca iria me machucar." Eu coloco meus braços ao redor de seu pescoço e puxo sua orelha perto de meus lábios. "Agora me foda, e não se atreva a segurar." Rich dá uma curta risada antes de virar a cabeça para me beijar profundo e difícil. Seus quadris avançam para mim. Ele empurra e em seguida, puxa lentamente para fora, uma e outra vez. De alguma forma, parece que no meio de toda a incerteza que nos rodeia, nós encontramos o oásis onde as coisas acontecem sem pressa. Eu me contorço e beijo duro quando ele me leva cada vez mais perto do abismo. Ele não se apressa para me fazer chegar lá. Nem eu por puro instinto, Rich descobriu esse meio termo doce que emociona os meus sentidos mais profundos, permanecendo consciente de minha condição. Eu me agarro a seus ombros enquanto ele se sustenta em cima de mim. Suor brilha na sua testa. Eu sinto o mesmo suor cobrindo meu corpo. Cada impulso profundo e completo, cada recuo lento e sensual é marcada por um prazer cada vez maior.

142


Quando minha respiração acelera, Rich sussurra em meu ouvido: "Você está perto.”. "Você está me fazendo chegar lá, baby." "Bom. Eu quero que você sinta do jeito que você me faz sentir.” Eu mordo meu lábio e aceno a cabeça. Tudo que eu sei é que eu duvido que eu possa fazer Rich se sentir tão incrível como ele sempre me faz. Desta vez, o orgasmo vem em uma floração constante de êxtase. Eu suspiro seu nome e arqueio minhas costas enquanto ele lava o meu corpo, limpando afastado o acúmulo de estresse e medo. Meu núcleo aperta em torno dele em ondas inflexível. Com um inebriante grito mudo, Rich explode dentro de mim. Ele cai ao meu lado na cama. Ele bloqueia seus dedos com os meus, e ele traz a minha mão aos lábios para beijá-la novamente. Estamos tão exaustos, mas muito satisfeitos.

143


Capitulo dezenove Eu espero a respiração de Rich voltar ao normal e cair no sono antes de escorregar para fora das cobertas. Tenho cuidado para não fazer barulho coloco minhas roupas de volta. Eu percebo que seu sono é profundo. Como estou olhando para os meus sapatos, eu bato meu dedo no pé da cama. Eu jogo a mão sobre minha boca para abafar o grito espontâneo. Rich se mexe. Eu xingo e rezo para ele não acordar. Seus lábios fazem um som. Em seguida, ele cai de volta no travesseiro. Idiota! Eu me repreendo. Ao mesmo tempo, eu exalo com alívio. Eu sei que se Rich acordar agora, eu nunca vou ter outra chance de fazer o que eu preciso fazer. Eu deixo uma nota. Mas na hora de sair eu decido o contrário isso só fará com que ele se preocupe mais. Prendo a respiração enquanto eu puxo a porta aberta e depois fecho. Então eu pressiono o ouvido contra a madeira e conto até sessenta. Se Rich acordar agora, eu não vou chegar longe. Quando não ouvi nada dentro, eu finalmente saio. Enquanto percorro o corredor, eu pergunto se é isso que Rich sentiu quando ele me deixou e Min em seu apartamento em Oregon. *** O hospital é muito mais movimentado durante o dia. Eu espero no centro de visitantes até ser permitido o acesso. É preocupante como seria fácil para qualquer um apenas entrar sem ser visto. Pergunto por Min, a enfermeira verifica o computador dela e diz que não há ninguém com esse nome no hospital. Porra, eu não achei que isso seria difícil. Quando eu insisto que sou amiga de Min, e que fui levada para o hospital com ela, ao mesmo 144


tempo, e provo mostrando minha carteira de motorista e os hematomas do meu corpo, a enfermeira me leva para um quarto vazio, e me diz para esperar. Ela fecha a porta, fazendo eu me sentir um pouco como uma prisioneira. Enquanto espero por Deus sabe o que e por quanto tempo, eu começo a dedilhar o medalhão ao redor do meu pescoço. Eu tive uma explosão de pânico depois que eu acordei pós-acidente e descobri que não estava comigo. Felizmente de alguma forma ele sobreviveu ao acidente. O pessoal do hospital tinham apenas retirado e colocado em uma caixa com o resto dos meus pertences. Eu não me esqueci do meu pai. Mas parece que nos dias desde que eu conheci Rich, eu penso nele cada vez menos. Eu sorrio. Isso tem que ser uma coisa boa. Talvez isso signifique que eu estou mais pronta para viver no presente, em vez de me debruçar sobre um passado que não posso mudar. A porta abre, e um homem moreno forte com um uniforme da polícia entra. Eu engulo em seco, mesmo que eu saiba que eu tenho todo o direito de estar aqui. Ele parece intimidante. "E é você?", Pergunta ele, cruzando os braços. Digo-lhe o meu nome e mostro minha identidade. Eu explico a história de como Min e eu nos conhecemos e como estávamos no acidente juntas. Ele me olha com um olhar cético. Finalmente, ele diz, "Siga-me", e leva-me para fora da sala. Tomamos um caminho desconhecido pelo hospital, entramos em uma sala com um monte de portas fechadas. O guarda para em uma e coloca seus dedos contra ela. Depois de um momento, a porta se abre, revelando outro oficial dentro uniformizado. "Sim?"

145


"Ela está aqui para ver a paciente." O guarda segurando a porta olha para mim. "Quem é ela?" "Ela diz que é uma amiga. Sua história confere.” Percebo um grande buquê de flores dentro da sala, atrás de pé do outro guarda. Quem trouxe flores para Min? O guarda dentro me olha de cima a baixo. Depois de um momento de tensão ele empurra a porta aberta apenas um pouco. "Entre." Agradeço o homem que me acompanhou e entro. O cheiro de flores frescas é avassalador. Não é apenas um buquê, mas dezenas delas colocadas ao longo das paredes. O quarto é muito maior do que eu esperava. Do outro lado, uma cortina nos separa o que é provavelmente a cama. O guarda me deixa entrar e ir em direção a cortina, em seguida volta para o seu lugar ao lado da porta. Eu ando até a seção de cortinas e lentamente abro. A cena dentro me surpreende. Min está acordada e falando suavemente com um homem que eu nunca vi antes. Ele remexe a mão suavemente quando eles falam. Seu cabelo é louro e um pouco crespo. Ele tem cílios longos e olhos castanhos brilhantes que eu já vi. Min e o estranho viram para mim de uma só vez. Um grande sorriso irrompe na face de Min. "Penny", ela exclama. Sua voz soa cansada, mas forte. Estou tomada pela emoção. Eu não posso me ajudar. Eu atropelo e paro um pouco antes de jogar meus braços em torno dela. Eu tenho que agarrar o corrimão ao lado da cama para impedir-

146


me de fazê-lo. Lágrimas de felicidade enchem meus olhos. "Penny", diz Min, olhando para o homem do outro lado da cama, "Este é o Joey.”. Ele sorri para mim e estende a mão. "É bom finalmente conhecê-la", diz ele. Eu aperto sua mão em uma espécie de transe. Joey? Como ele sabia? Ele ri quando vê a minha expressão. "Eu sei o que você está pensando. Como é que eu descobri que Min estava aqui.” Ele sorri para a menina na cama e pega a mão dela novamente. Seu amor por ela brilha em seus olhos. "Seu irmão me contou." Eu quase cambaleio em choque. Rich? Por que ele chamou Joey? Por tudo o que sei, Rich odeia o homem. Min sorri. "Obrigada por dizer a Rich o que te contei." Eu pisco. "Eu não acho que ele acreditou em mim." "Sorte para nós, ele fez", diz Min, esfregando o polegar sobre a mão de Joey. "Vendo Joey aqui quando eu acordei, eu pensei que ainda estava sonhando." "Então, todas as flores que estão lá fora são dele?" Pergunto, então olho para Joey. "Você sabe como estragar uma menina." Ele ri. "Pode ser um pouco excessivo. Mas queria que Min soubesse o quanto senti falta dela.” "E eu disse, você não deveria ter feito isso", diz Min com um pequeno sorriso. "Eu te amo por você, não pelas flores." Ela se vira para mim. "Joey não saiu do meu lado desde que cheguei aqui. Eu continuo dizendo a ele que eu sou má companhia agora, mas ele não vai ouvir.”

147


"Baby, depois de passar por estas últimas semanas sem saber se eu iria vê-la novamente, não há nenhum lugar que eu preferiria estar do que aqui. Você não vai se livrar de mim tão facilmente. " Min sorri e encolhe os ombros. "Ele é doce assim." "Eu estou tão feliz por você", eu digo. "Min, como você está se sentindo?" Ela dá uma risada amarga. "Talvez, se eles não estivessem bombeando tantos analgésicos em mim, eu seria capaz de responder a isso corretamente. Todo o meu corpo está entorpecido. Embora, dado o que eu sei sobre minhas lesões, talvez seja o melhor.” "Ela está mentindo", diz Joey. "Eu sei que dói. Ela só não quer que a gente se preocupe com ela.” "Todo mundo já tem muito que se preocupar, sem me acrescentar à lista," Min murmura. Eu posso ver Joey fazer uma careta, mas eu entendo o que ela quer dizer. "Rich está aqui também?" Min pergunta. "Eu entrei e saí do sono o dia todo. Joey me acordou dizendo que alguém esteve aqui para visitar. Eu estava esperando que ia ver vocês dois. " Eu balanço minha cabeça. "Rich não está aqui, e eu vou te dizer o por quê..." Eu digo a ela a história de tudo o que aconteceu: de quando Rich descobriu que Amanda e Victor dirigiam o outro carro. Sobre como Tam agora está nos ajudando. Sobre como Amanda e Anthony estão juntos durante anos. E, é claro, sobre o recente confronto na penitenciária. Min me ouve até o fim. Quando eu digo a ela o que eu acho que precisa ser feito em seguida, ela concorda.

148


"Rich nunca seria capaz de fazer isso", diz ela. "Mas eu sei que você pode. Eu gostaria de poder ajudar.” "Tudo o que você precisa se preocupar é em ficar melhor", digo a ela. "Pfft, isso é fácil. Com Joey aqui, eu vou estar fora em alguns dias. Eu não pretendo passar semanas aqui definhando na cama.” Ela olha-o nos olhos. "Agora, eu tenho uma razão para lutar." "Só me prometa que não vai contar a Rich o que lhe disse. Ou mesmo que você tenha me visto.” "Eu juro", diz Min, atravessando seu coração. Joey concorda também. Sorrio para ambos. Seu amor um pelo outro é claro. A circunstância os separou no passado, mas agora que eles estão juntos, eu não acho que nenhum deles nunca vai deixar isso acontecer novamente. Eu digo adeus, confiante de que sua relação vai florescer. Eu também tenho uma nova compreensão de porquê Rich deixou Min sozinha. Ele sabia que Joey estaria aqui com ela. Eu não sei exatamente por que ele não me disse, mas eu tenho minhas suspeitas. Em vez disso, acho que é reconfortante que ele acreditou na história que contei e deu uma segunda chance a Joey. Eu deixo o hospital rapidamente e chamo um táxi. O céu escurecendo me diz que o dia está quase no fim. Sei que, agora, eu estou muito longe do sono. *** Eu piso na calçada em frente ao prédio RedArm, respiro fundo, entro dentro. Um guarda de segurança no lobby inferior vem e abre a porta. Ele sabe quem eu sou. Claro. Sr. Calloway não teria tido chances. 149


Ele me leva até o elevador. Parece que vou ser escoltada todo o caminho até o piso superior. Enquanto as luzes passam por mim, pergunto se estou tomando a decisão certa. Vir aqui é um risco. O que eu estou prestes a fazer a seguir é um risco. Mas, eu sei que eu sou a única pessoa que pode pôr as coisas em movimento. O elevador para e as portas abrem. Eu sorrio agradecendo o guarda. Eu sei que, depois desta noite, a minha vida nunca mais será a mesma.

150


Capitulo vinte Poucas horas depois me encontro no salão de um desconhecido. A mesa na minha frente está definida para dois, embora eu esteja sozinha. Por enquanto. A jovem sorri para mim. Em vez de sorrir de volta, eu desvio o olhar. Eu não posso ter distrações agora. Eu olho para o vestido preto sem alças que uso. É bom finalmente trocar de roupas. Está em especial me faz sentir especialmente sexy. E, eu tenho que admitir um pouco vulnerável. Isso o torna perfeito. Eu vejo o homem que eu estou esperando. Ele passeia pelo saguão com uma arrogância surpreendente. Ele mudou de roupa desde a última vez que o vi. Duvido que muitas pessoas seriam capaz de dizer a diferença, porém. O terno que ele está usando agora é uma peça de dois botões, ao contrário do anterior que tinha três. "Tam", eu sorrio. "Eu não pensei que teria que esperar por você." "Eu convidei marquei dez horas. Não é cedo nem tarde.” "Notável", eu digo. Eu levanto minha taça. "Gostaria de tomar uma bebida?" "Não", diz ele. "O álcool inibe o julgamento. Eu prefiro manter total controle de mim mesmo.” "Sua escolha." Eu dou de ombros, tomando um gole delicado. Tam muda em seu assento. "Onde está o Richard?" "Você me disse que precisava falar sozinho. Eu concordei com o seu pedido. Ele não está aqui.” 151


Os lábios de Tam enrolam em um sorriso. Eu sinto uma pontada maçante de medo no meu peito. "Eu não pensei que você seria tão ingênua." Seus olhos frios deslocam atrás de mim. Esse é o único aviso que eu recebo antes de uma mão áspera apertar meu braço. Eu olho para trás, surpresa. O medo transforma-se em terror total. Victor está ali, segurando meu braço, sorrindo cruelmente para mim com a boca cheia de dentes quebrados. "Nem sempre tão inteligente, não é?", Diz ele com aquele sotaque pesado dele. "Desta vez, sua fuga não vai ser fácil." Eu giro ao redor para olhar para Tam horrorizada. Seus olhos escuros estão rindo de mim. "Você fez isso. Você armou para mim!" Tam olha para Victor. Ele fala quase em um sussurro. "Você realmente acredita que eu tenho tão pouca lealdade para com os meus amigos? Garota estúpida.” Victor puxa meu cotovelo e me obriga a ficar de pé. "Venha em silêncio", diz ele no meu ouvido. "Vocês não querem fazer uma cena, não é?" "Ela vai vir, se ela sabe o que é bom para ela", diz Tam. Ele puxa a lapela de seu paletó. Meus olhos se arregalam para a arma escondida na cintura. Eu posso ouvir a ameaça implícita em sua voz. Em seguida Victor me empurra. "Vá!" Victor me arrasta mais ou menos depois dele. Eu não tenho escolha a não ser seguir. Um dos meus saltos escorrega. Victor não me dá tempo para recuperar. Eu sinto medo quando nos encaminhamos para o elevador. Tam vem atrás de nós. Ele tem o meu sapato na mão. "Uma senhora nunca deve andar descalça", ele zomba. "Onde você está me levando?" Eu exijo. 152


Victor ri. A resposta vem de Tam. "Você vai ser usada como isca." "Como isca...? Oh, não!” Eu suspiro quando a realização me atinge. "Não, não, não!" Eles querem me usar para atrair Rich aqui! "Ele não virá!" Eu digo a eles, a construção de pânico dentro de mim. "Ele não vai...”. "Cale a boca". Silencia-me Tam me dando um tapa no rosto. Minha cabeça vira para o lado pelo impacto. Eu grito. Eu posso sentir a dor em minha bochecha. Lágrimas desfocam minha visão. Victor ri com seu jeito bruto, desagradável. Eu olho Tam. Eu o odeio. Eu sabia que não podia confiar nele! Eu nunca deveria ter concordado com o pedido para me encontrar aqui! Eu nunca deveria ter ido contra meus instintos iniciais! Ele levanta uma sobrancelha para mim. Desafiando-me a falar. Ele sabe que tem poder total sobre mim agora. Com a graça deliberada, ele coloca a mão em seu cinto para revelar o coldre mais uma vez. Eu mordo minha língua. Se eu quero ter uma chance de sair desta situação, eu preciso pensar. Não reagir. As portas do elevador se abrem para um corredor vazio. Victor me empurra para frente com uma das mãos entre em minhas costas. Eu grito com a dor. Victor ri. "Há alguém aqui que quer vê-la", diz ele, pegando meu braço novamente. "Eu sei que ela vai ficar muito feliz comigo por trazê-la, não é?" Victor dá a Tam o cartão magnético e Tam abre a porta. Amanda está sentada em uma poltrona, fumando um cigarro. Ela vira-se com a intromissão, e o mais assustador, o sorriso mais desprezível que eu já vi forma no rosto. "Você a tem? Bom.”

153


Victor me leva para dentro e me empurra para a cama. Minhas costelas gritam comigo. Tam fecha a porta e se inclina contra uma parede. Enquanto seus olhos permanecem apenas em mim, fico com a sensação de que ele vê tudo o que acontece na sala. Victor vai até Amanda e a puxa pela cintura. Ela o cumprimenta com um beijo profundo e francês. Eu quase vomito. Quando acabam, Amanda se vira para mim. Ela caminha em direção a cama com uma graça sedutora. "Cuidado", Tam avisa quando ela se senta na borda, perto de mim. Amanda zomba. "Eu não tenho medo dela." Ela olha para mim e inclina a cabeça para o lado. "Meu, meu, meu! Não é este um reencontro doce?” Ela estende a mão para tocar o lado do meu rosto, onde a pele provavelmente está vermelha e inchada. Quero me afastar do seu toque. Mas eu não vou dar-lhe a satisfação. "Olha o que aconteceu com seu rosto bonito. Você encontrou Rich em uma de suas fúrias de novo?” "O bandido fez isso", eu cuspo. Amanda traz seu rosto perto do meu. Eu posso sentir seu perfume de lavanda. É podre. "Pobre menina", ela diz. "Late muito, mas não morde." Ela traça a mão no meu pescoço, por cima do meu ombro, e para a direita até onde eu estou usando uma proteção. "Diga-me", diz ela, "quanto é que isso dói?" Eu suspiro e impotente quando ela aperta o meu lado, com força. Lágrimas enchem meus olhos. Amanda ri. "Você é patética, você sabe disso? Eu teria esperado que Rich tivesse escolhido uma menina com mais cérebro para me substituir. Mas você é quase tão idiota quanto eles vêm, não é?” Eu cerro os dentes para impedir-me de dizer alguma coisa. "Você realmente acha que pode contar com Tam como um aliado? Você e Rich humilharam ele e Victor. Estes tipos de homens não perdoam. " 154


Tam pigarreia. É um som suave, mas chama a atenção de todos. "Não nos esqueçamos de nosso propósito?" Amanda se levanta da cama. "Oh, eu estava apenas me divertindo um pouco com ela. Por que você não pode soltar-se como o seu amigo aqui? "Victor ri e dá um tapa na bunda dela. Ela pula. "Oh, você menino sujo", ela diz para ele. Ele sorri em silêncio. "Fique de olho no relógio," Tam lembra a ela. "Precisamos começar a trabalhar." "O que tem de errado alguns minutos?" Amanda amua. "Mas eu acho que você está certo. Victor me dê o telefone.” Ele joga um Blackberry para ela. Ela pega e se vira para mim. "Vamos ver o que o amante tem a dizer sobre tudo isso." "Amanda não!" Eu imploro. "Por favor! Você pode fazer qualquer coisa para mim. Só não envolva Rich.” Eu sinto o golpe quando Amanda me dá um tapa com as costas da mão. Eu sinto o gosto de sangue na minha língua. "Meu Deus, isso foi bom!", Diz Amanda. "Eu queria fazer isso há muito tempo.” “Victor”, ela late, “Mantenha ela sob controle.”. O grande homem cumpre imediatamente. Ele agarra meu cabelo e me puxa para cima. Dor atravessa meu couro cabeludo. Victor abaixa o rosto para o meu. "Você vai ficar quieta", diz ele. Ele não precisa adicionar uma ameaça. Amanda sorri enquanto disca o número. Ela leva o telefone para sua orelha. Eu não posso fazer nada além de assistir. "Oiii Riiiiich", ela canta. "Adivinha quem está aqui comigo?"

155


Amanda liga o alto-falante. "Ele não acredita em mim", ela reclama. "Parece que vamos ter que fazer alguma coisa para convencê-lo de que estou dizendo a verdade." Ela caminha até mim e empurra o telefone na minha cara. "Fala!" Eu balanço minha cabeça. Victor torce meu cabelo. Eu aperto meus olhos e mordo os lábios contra a dor. "Fala!" Comanda Amanda novamente. Eu balanço minha cabeça de novo. Victor torce ainda mais. A dor se torna insuportável, até que eu não posso segurar. Eu grito. "Rich, não! Não dê ouvidos!” Amanda arranca o telefone longe. "Obrigada," ela fala para mim quando coloca de volta no seu ouvido. Eu posso ouvir Rich gritando do outro lado. Suas palavras estão muito distantes. "Você vai ter que ter boas maneiras, se você quiser vê-la novamente", diz Amanda. Ela descansa na poltrona. "Vamos lá Rich, querido gritar comigo não vai adiantar nada. Você quer ver Penny? Venha pegá-la, "ela lhe dá o endereço," em uma hora. Se você atrasar, bem, eu acho que nenhum de nós vai ver Penny novamente.”. "Rich, não! É uma armadilha!” Eu grito. Victor rosna e bate no meu rosto. O golpe é duro e bate-me fora de meus pés. Eu caio no chão e começo a tremer. "Levantese!" Victor late. Ele me puxa por meu cabelo novamente. As lágrimas estão escorrendo pelo meu rosto. "Se você quiser evitar isso terá que ouvir da próxima vez." "... E se eu vir a polícia, Richard, Penny não vai sobreviver à noite." Amanda termina a chamada. "Amanda, por favor,", eu choramingo. "Deixe Rich fora disso! O que você quer com ele?”

156


Amanda ergue uma sobrancelha perfeita para mim. "Eu não quero nada de Rich, Penélope. Mas Victor ainda está chateado com ele por causa da outra noite. Eu acho que os dois têm alguns negócios inacabados, de homem para homem”. Victor ri, concordando. Tam olha para o relógio. "É hora de ir." Ele pega meu cotovelo. "Vou acompanhar a senhora para fora", diz a Victor. Victor franze a testa para ele. Depois de alguma hesitação, ele me solta. Amanda se aproxima e pega a mão de Victor. "Venha meu querido. Esta noite promete ser cheia de aventura. Eu posso sentir isso.” Saímos do quarto. Estou muito consciente de Tam e sua arma pressionada contra minhas costas enquanto caminhamos. Ele esconde no bolso do blazer. Amanda e Victor lideram o caminho para o elevador. Tam dá a Amanda um cartão de chave especial. "Então, não queremos quaisquer incidente", ela me informa. O elevador vai para o estacionamento subterrâneo. Existe um sedan preto esperando por nós. Amanda desbloqueia e fica no banco do motorista. Victor se senta ao lado dela. Estou na parte de trás com Tam. Eu sento no banco atrás de Amanda. "Eu vou estar de volta", diz Tam. "Eu preciso verificar o quarto pela última vez." Ele desaparece antes que alguém possa dizer uma palavra. "Quanto tempo ele vai levar?" Amanda reclama. "Ele vai ser rápido", Responde Victor. Ele coloca a mão na coxa de Amanda. "Por enquanto, temos tempo para nós mesmos, não é?" "Victor, não agora", diz Amanda. Ele leva a mão atrás de seu pescoço e puxa-a para si. "Ah, tudo bem", ela cumpre. Eu olho para longe quando eles começam a se beijar sobre o console. 157


Tam não retorna rápido o suficiente. Victor começa a apalpar os seios de Amanda. Tam abre a porta e desliza ao meu lado. Nossos olhos se encontram por um segundo. Ele dá uma piscadela imperceptível. Imediatamente, eu desvio o olhar. "Demorou bastante," Amanda resmunga, ajustando seu sutiã. Victor dá uma risada a seu lado. A voz de Tam se mantém calma. "Tudo está pronto." "Bom", diz Amanda, iniciando a motor. "Onde você está me levando?" Eu pergunto. "Não faça perguntas estúpidas" Amanda diz. "Tam, mantenha ela quieta." O sorriso de gelar o sangue retorna aos lábios. Ele me mostra a arma. Eu arrisco mesmo assim. "Isso não vai funcionar, Amanda! Rich nunca vai chegar!” "Ah, é?", Ela ri. "Eu o conheço mais do que você, querida. Eu digo que ele vai.” Ela olha pelo espelho para Tam. "Eu não disse para mantê-la quieta?" Victor dá para Tam um rolo de fita adesiva. Sem dizer uma palavra, ele pega minhas mãos. Eu dou. Não há nada a ganhar lutando agora. Quando ele termina, ele quebra um pedaço para minha boca. "Não, por favor!" Eu imploro. "Eu vou ficar quieta...," Eu começo a dizer, mais ele coloca a fita sobre a minha boca. Amanda sai do estacionamento e entra no tráfego principal. Eu olho para fora da janela. Espero desesperadamente que Rich não morda a isca. 158


Eu vejo os edifícios passarem e me pergunto como eu me meti nessa situação. Eu já passei por tanta coisa em um período tão curto de tempo. Estou muito longe de ser a garota que partiu da Califórnia menos de seis meses atrás. Nós dirigimos ao longo de estreitas estradas ficando cada vez mais longe da cidade. Ansiedade constrói dentro de mim a cada minuto que passa. Rich deve estar muito preocupado. De repente luzes piscando aparecem atrás de nós. "Merda" maldiçoa Amanda. "Mas que sorte a minha sorte. Tam mantenha Penny calada para que eles não desconfiem de nada. " Tam coloca a mão fria no meu pescoço e me obriga a deitar. Aspiro acentuadamente na pontada de dor que dispara a partir de minhas costelas. Tudo que eu posso ver são os meus pés. Mas, essas luzes ainda estão piscando. Estão nos seguindo? Quando a sirene é ligada eu não tenho nenhuma dúvida. Eu ouço a voz de Amanda em pânico, "Victor, seu idiota! Você esqueceu-se de mudar a placa? " "Não", ele rosna. "Talvez você ultrapassou o limite de velocidade." "Não", diz Amanda. "Estou dirigindo dentro do limite, eles querem que eu pare!" "Faça isso," Tam aconselha. "Nós não queremos chamar atenção extra." "E quanto a Penny?" Ele rasga a fita da minha boca em um movimento rápido. Minha pele parece que está em chamas. "Enquanto ela não falar, tudo vai ficar bem. Ela é apenas mais um passageiro, lembra?" Tam me olha tocando a arma na cintura em sinal de advertência. Eu engulo e assinto. "Eu não vou dizer nada." Amanda grunhe e depois vira rapidamente para o acostamento. Eu posso dizer que ela está descontente com isso. 159


Ela se vira para olhar para mim. "Se você disser qualquer coisa", ela ameaça. "Eu prometo", eu digo a ela. Ela não tem tempo para obter uma resposta mais reconfortante para fora de mim. Eu vejo uma sombra se movendo pela minha porta. O policial bate na janela de Amanda. Ela rola para baixo. Eu posso ouvir o sorriso em sua voz. "Qual é o problema, policial?" "A licença e registro, por favor,", diz ele. "Seu farol traseiro está quebrado." Eu vejo a tensão escorrer para fora de Amanda. "Querido", ela diz a Victor, "você poderia, por favor, me dizer por que você não concertou ainda?”. Ele joga junto. "Eu estava levando o carro para a loja amanhã." "Vê policial? Você só nos pegou na hora errada. Estamos com pressa. Se você deixar agente ir, eu prometo que será concertado amanhã.” "É um delito dirigir com um farol quebrado", o oficial informa. "Eu não vou pedir de novo. Licença e registro, por favor.” Esta é a minha chance. Devo arriscar? Tudo o que tenho que pedir é socorro... Eu olho para Tam. Ele está me olhando com seus olhos escuros, com a mão em seu quadril. Eu expiro, derrotada. Não. Agora não é o momento certo. "Este veículo pertence a você?" O oficial pergunta. "Sim", conta Amanda. "Agora, podemos ir? Aqui está o documento.”

160


"Minha senhora, há alguma coisa neste carro que não pertence a você?" O oficial pede. "Não. Porque todas essas perguntas?” Amanda está ficando agitada. "Eu estou presa? Eu não tenho que lhe dizer nada se eu não sou.” "Senhora, você está escondendo algo?" O oficial persiste. "O quê? Não!” "Por favor, saia do veículo." "O quê? Oficial, este é o meu carro. Eu não tenho nada...”. Ela para quando o policial aponta a arma para ela. "Saia do carro! Agora!” Os próximos segundos passam quase como um sonho. Victor rosna e começa a pegar algo em seu colete. Ele não tem oportunidade. A pistola de Tam está na sua mão em um flash. Em vez de apontá-la para mim ou para o oficial, ele encosta no pescoço de Victor. "Não é um movimento seguro agora", ele adverte. Abro a porta e saio do carro. Quando eu olho para cima, as mãos de Amanda estão algemadas. Victor ainda está congelado em seu assento. Eu vejo três outros oficiais civis sair do carro. Um deles abre a porta de Victor e aborda-o no chão. Os outros vão até Tam. Victor e Amanda são trazidos para o capô do carro. Victor está xingando em voz alta. "... Os dois são acusados de tráfico de drogas e posse", ouço um oficial anunciar. "... Dez quilos de cocaína encontrados em seus quartos. Outras quinze no porta-malas do seu carro...”.

161


"Eu não tenho nenhuma droga!" Amanda grita. Um policial aparece e pega uma mala grande que ele joga no chão na frente dela. Os olhos de Amanda se arregalam. "Isso não é meu! Eu nunca vi isso na minha vida!” O oficial abre para expor dezenas de pequenos sacos de plástico cheios de pó branco. Amanda parece que está prestes a desmaiar. Seus olhos encontram os meus. Ela percebe o pequeno sorriso em meus lábios. Seu rosto torce de raiva. "Você fez isso! Sua puta de merda, você...”. Eu não ouço o resto. Tam vem até mim e oferece sua mão. Eu pego e aperto. "Você fez bem", diz ele. "Eu nunca duvidei de nós", eu respondo. "Eu peço desculpas pelos..." Ele faz movimentos para minha bochecha, "... incidentes.”. "Ah, eu acho que não é tão ruim assim", eu digo. "Victor foi o único que fez o maior dano.” Eu sinto uma mão no meu ombro. Eu me viro para encontrar Calloway sorrindo com orgulho para mim. Ele oferece a sua mão também. "Penélope, minha menina, você me impressionou além das palavras hoje. Estou tão feliz com sua ajuda. Sabemos que não poderia ter feito isso sem vocês.” "Obrigada, senhor", eu sorrio.

162


Calloway ri. "Sempre tão formal. Você sabe, eu acho que você pode ter um futuro neste tipo de comércio.” Ele olha para Tam. "Eu conheço alguém que ficaria feliz em treiná-la." "Isso é muito generoso, mas acho que uma vez é o suficiente para mim. Agora, se vocês me dão licença, eu tenho alguém que preciso desesperadamente chamar.” Calloway concorda. "Você pode usar o meu telefone." Eu ligo para Rich. Meu coração bate mais rápido com cada segundo que se passa. Manter Rich no escuro foi a parte que eu mais odiei sobre o plano. Mas tinha que ser assim. Sua surpresa ao receber a ligação de Amanda tornou tudo real. Agora, eu só rezar e esperar que ele me perdoe. "Olá" Ele late. "Amanda, se você estiver ligando de um número bloqueado...", sua voz soa áspera e cheia de preocupação. "Oi, querido", eu digo humildemente. "Penny? Oh, meu Deus! Onde você está? Eu estou dirigindo para as docas agora. Eu estarei lá em minutos...”. "Não há necessidade", digo a ele. "Eu estou bem, estou segura. Eu estou com o Sr. Calloway.” Eu começo a gaguejar. "Oh, Rich, eu sinto muito. Mas eu não tinha escolha...”. Digo-lhe tudo, do início ao fim. Como Calloway, e eu planejamos usar Tam para enganar Amanda e Victor. Como eu não poderia lhe dizer sobre qualquer coisa. Como eu sei que ele tem todos os motivos para me odiar, e quanto eu espero que ele me perdoe. Quando eu finalmente termino a lágrimas no meu rosto. Eu derramei a minha alma para Rich. O que acontecer a seguir é com ele. 163


A linha fica em silêncio por um momento muito assustador. Eu posso ouvir sua respiração ofegante. Pelo menos ele não desligou. Meu coração se enche de medo pelo nosso futuro juntos. "Rich?" minha voz treme. "Você ainda está aí?" "Penny," Rich diz bem baixinho, "Vire.”. Confusa, eu me viro para trás. Rich está olhando para mim de dentro de seu carro. Eu deixo o telefone cair e corro para ele. Ele abre a porta e vem para mim. Encontramo-nos no caminho. Eu voo para ele, enterro minha cabeça em seu peito, onde eu pertenço. Eu começo a chorar. Ele me aperta. É um aperto de posse, um aperto que fala do horror que sentiu quando ele pensou que tinha me perdido. É um aperto de sua promessa para nunca mais se separar de mim. "Rich, eu... Eu sinto muito", murmuro. Suas mãos fortes seguram meu rosto. Ele me inclina para que ele possa olhar nos meus olhos. Seus olhos estão brilhando como prismas de prata. Ele vê o inchaço no meu rosto e o corte em meu lábio. Tristeza enche seus olhos. Seus polegares escovam sobre a minha pele. "Shh", ele sussurra. "Não se desculpe. Quando Amanda chamou, e eu ouvi a sua voz...” ele engole. "Eu não sei o que eu teria feito se eu tivesse te perdido. Mas nunca mais, Penny. Nunca mais vou deixar você fora da minha vista novamente. Eu te amo com todo meu coração. Você é a estrela mais brilhante no meu céu. Só quando eu estou com você eu me sinto completo.” Ele sorri. "Eu sei que nosso relacionamento não é perfeito. Mas o inferno, nós temos o resto de nossas vidas para consertar as coisas.” E então ele me beija, e o resto do mundo desaparece.

164


Epilogo 18 meses depois... Eu acordo e me estico. O sol da manhã enche o quarto. O ar lá fora está quente com os primeiros dias da primavera. Eu pego o roupão de seda vermelho pendurado na parede e coloco. Amarrando o cinto de tecido, eu ando para a cozinha. Abro a geladeira, sorrindo para todas às claras e pedaços de carne lá. Então, isso é o que é viver com um homem que come saudável e cuida de seu corpo. Eu pego a embalagem de leite desnatado, é claro, e despejo em um copo. Cuidando para não acordá-lo eu abro o micro-ondas e defino o tempo. Eu ainda não me acostumei com o gosto de leite morno, mas o médico diz que é bom para mim. Eu bato "parar", com apenas um segundo para que o micro-ondas não bipe. Pego a xícara fumegante, e me concentro em não me queimar. Eu me inclino contra o balcão, tomando minha bebida, e olhando para o homem que ainda está dormindo no colchão. Rich está sem camisa, como de costume. O lençol o cobre apenas até seus quadris. Toda a sua parte superior está livre para os meus olhos famintos. Eu sorri, lembrando a maneira como ele me deixou exatamente da mesma maneira ontem à noite. Eu sei que, esta manhã, ele não está usando nada por baixo das cobertas, também. Ele parece tão pacífico quando ele está dormindo. A luz brilha em seu corpo, acentuando a seu corpo perfeito. Ele rola e procura por mim. Eu sorrio quando ele abre os olhos e olha em volta, confuso. Quando ele me encontra, ele murmura, "Mmm, baby, volte para a cama", ainda meio dormindo. "Eu preciso sair para uma corrida. Você sabe que o médico disse para fazer exercício". 165


Rich me olha de cima a baixo. "Eu acho que você está perfeita", sua voz grossa e cheia. "Agora volte aqui antes que eu vá pegá-la.” Seus olhos têm um brilho malicioso. "Você sabe que eu vou, mesmo com a sua 'condição'." Ele me faz esquecer a corrida facilmente. "Mas não me beije," eu aviso. "Eu tenho mal hálito matinal." "Eu não me importo", diz Rich, puxando-me em seus braços e me beijando loucamente. Eu suspiro quando ele me deixa ir. "Como foi isso?" Eu dou um tapa no seu braço. "Você é um animal!" Ele sorri. "Você sabe que ama." "Eu não", eu suspiro, colocando a minha cabeça contra seu peito. Ele acaricia o meu cabelo quando eu fico lá. "Você sabe", eu digo, depois de algum tempo, "Eu estive pensando. Talvez possamos ficar em Nova York depois do casamento de Min ". Rich senta-se em um instante. Seus olhos são intensos. "Você está falando sério?" "Eu disse que ia pensar no assunto, certo? Agora que o semestre acabou, não há nada que me prende em Oregon. Exceto você, é claro, mas você é... portátil”. "Portátil?" Rich ri. "Eu nunca ouvi isso antes." "É verdade, certo?" Eu sorrio para ele quando meus dedos fazem círculos sobre seu peito. "Você vai me seguir aonde quer que eu vá." "Baby, você sabe que é verdade." Ele senta e pega o telefone. "Você deve chamar Min e dizer-lhe a boa notícia. Ela ficara feliz ao descobrir que ela manterá sua dama de honra após o casamento." 166


"E o seu irmão?" Rich bufa. "Talvez um pouco mais feliz com isso." Eu pego o telefone dele. "Eu oh! Rich, rápido, rápido, olha!” Eu pego sua mão e coloco no meu estômago. "Eu o senti chutar" Rich fica imóvel quando eu seguro sua mão na minha barriga inchada. Eu sinto o chute outra vez. Os olhos de Rich ampliam. Ele olha para mim com amor e adoração. "Eu sinto.", ele sussurra. Eu grito. "Oh meu Deus, não é incrível? Oh, oh! Mais um!” Rich abaixa o rosto para a minha barriga e me beija lá. Ele vira a cabeça para olhar para mim. "Você acha que eles estão lutando?" Eu sorrio para ele. "É melhor você brigar.” Rich acena todos sérios agora. "Ei você aí, rapaz", diz ele. "Você não me viu ainda, mas eu sou seu pai." Ele olha para mim. Eu sorrio, incentivando. "Eu também não vi você. Bem, isso não é exatamente verdade. Eu o vi no ultrassom. Mas não é a mesma coisa.” Ele limpa a garganta. "De qualquer forma, eu só queria avisá-lo, é melhor você não estar mexendo com sua irmã. Se estiver, você pode apostar seu bumbum, ela vai nascer em primeiro lugar e sempre será a mais velha.” Ele move a cabeça para o outro lado do meu estômago. "E você. Se você é a única a estar chutando seu irmão...! Você está mostrando a ele que você é filha de seu pai.” "Rich!" Eu admoestar, batendo com a cabeça. "Você não deveria escolher favoritos!" Ele sorri timidamente para mim.

167


"Apenas espere até que ela seja uma adolescente," eu aviso. "Então ela vai tê-lo arrancando os cabelos". Rich faz uma carranca. "Eu gosto muito do meu cabelo.” Ele inclina a cabeça para trás para o meu estômago e sussurra, “mamãe acha que vai ser um pouco mal criada. Eu sei que você não vai. Você está indo para ser anjo do papai.” Ele sorri para mim. "E você vai ser tão bonita, inteligente e forte como a sua mãe." "Rich, pare com isso", eu digo, virando-me. "Você está me fazendo corar." Ele beija o seu caminho até o meu corpo. Quando ele chega a minha orelha, ele sussurra: "Você sabe o quão sexy eu acho que você é quando cora.”. Esse comentário me faz ficar em uma dúzia de tons de vermelho. "Espere aqui", diz Rich, pressionando um dedo em meus lábios. "Eu tenho algo para você." Ele sai da cama. Meus olhos se concentram em sua gloriosa parte traseira, e eu sinto um surto de decepção quando ele cobre com seu short azul. "O que é isso?" Eu peço. "Você vai ver", ele diz, correndo para o outro quarto. Ele retorna com uma mão atrás das costas. "Não olhe", adverte quando eu tento olhar ao redor. "Rich, você sabe que eu odeio surpresas", eu amuo. Ele pisca. "Esta vai valer a pena. Eu prometo.” Ele pisa em cima da cama, em seguida, cai de joelhos na minha frente. "Isso", diz ele, passando a mão livre sobre a minha barriga, “e você," ele pega e beija minha mão, “e nós, somos surpreendentes. E eu quero que dure para sempre.”. 168


"Rich, você sabe que eu te amo. Claro que vamos.” "Sim, mas eu quero torná-lo oficial. Eu não quero cometer o mesmo erro que meu pai.” Lentamente, ele traz a outra mão ao redor. Quando eu vejo o que ele está segurando, meu coração para de bater. Meu peito aperta, e eu me esqueço de respirar. Embalada na palma da mão a uma pequena caixa preta de veludo. Seus olhos não deixam os meus enquanto ele abre e oferece para mim. Dentro está um anel com o maior diamante que eu já vi. "Quer se casar comigo?", Ele pergunta, simplesmente. Faltam-me palavras. Deve ser os malditos hormônios da gravidez, porque tudo que eu posso fazer é acenar com a cabeça de uma forma irregular como uma idiota. Rich pega minha mão, que está tremendo. Ele pega o anel e desliza no meu quarto dedo. É um ajuste perfeito. Ele tem um sorriso tímido no rosto. "Você ainda não disse que sim", ele me lembra em um sussurro. "Sim", eu respiro. Então ele me beija, e, assim, começa o melhor dia da minha vida.

Fim. 169


“Gostou do Livro? Compre o original e incentive os autores�.

170


O Portal E-Books Traduçþes (PET) foi formado em parceria com o blog Portal E-Books Email contato:portaletrad@gmail.com Blog: HTTP://portale-books.com.br

171

Change of heart livro 02 scarlett edwards (pet)  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you