Page 1

Edição #00 - Junho 2013

BOY MAGIA LEO DANTAS BATE UM PAPO DESCONTRAÍDO COM A AVANTE

K-POP O ESTILO CHICLETE DO MOMENTO CHEGOU AO BRASIL E TÁ FAZENDO A CABEÇA DOS JOVENS

JEJUM NÃO É DIETA DEIXE AS DIETAS MALUCAS DE LADO E VENHA SER SAUDÁVEL SEM PRECISAR CAIR NA DITADURA DA BARRIGA NEGATIVA

VOCÊ É IT? NEM SÓ DE MODA VIVE UMA IT GIRL

POP . COMPORTAMENTO . MÚSICA . APLICATIVOS . RELACIONAMENTO . LIFESTYLE . HOBBIES . SEXO


EDITORIAL

V em também ser Avante!

N

ão é de hoje que as mulheres vêm ganhando cada vez mais espaço nas mais diversas esferas da sociedade. Acabou o mito de que a função principal delas é estar em casa executando tarefas domésticas e cuidando dos filhos, enquanto os maridos vão ao trabalho para garantir o sustento da família. E nesse mundo globalizado e digital, a independência feminina ganhou ainda mais fôlego. Em uma pesquisa realizada pelo Instituto Data Popular, na qual foram apresentados diferentes perfis de comportamento da mulher brasileira, mostrou-se que a nova geração de moças pode ser definida como conectada e financeiramente independente. O levantamento foi feito no último trimestre de 2012 e contou com a participação de 1.300 mulheres de 44 cidades brasileiras. Os resultados, segundo a pesquisa, mostram que 72% das entrevistadas aceitaram casar com um homem que tenha um salário menor que o delas e 86% acreditam na independência financeira da mulher. Metade das entrevistadas diz estar conectada à internet, principalmente às redes sociais. Elas também se interessam por tecnologia e produtos eletrônicos, área dominada, até certo tempo, majoritariamente pelos homens. A nova mulher moderna não sai na rua sem o seu cartão de crédito, não sai de casa sem dar uma checada no Facebook, e procura sempre se atualizar. Busca informações, não só na internet,

como também em jornais e revistas, sobre assuntos de interesses gerais. O conteúdo feminino não foi deixado de lado, já que temas relacionados à moda, comportamento e cultura estão sempre se renovando e acompanhando as tendências. É dentro dessa proposta que surge a revista Avante. Uma publicação que reúne todos esses assuntos, dos mais femininos até os mais modernos em apenas um lugar. É mostrar essa independência, desde o que ela fala com as amigas, até o que ela pensa de uma forma clara e aberta, assim como as mulheres dessa nova geração. É isso que a Avante deseja as suas leitoras. Que se deliciem com cada assunto, com cada fotografia, com cada palavra. Pois elas foram feitas exclusivamente para vocês. Convidamos a todas para construir conosco o conceito dessa nova mulher moderna. Sejam bem vidas! E boa leitura!

Expediente Criação e Arte, Reportagem, Edição Geral: Carolina Cunha Lima Nathália Carrilho Silvia Correia Orientação: Professor Doutor Emanoel Francisco Pinto Barreto Arte/Diagramação finalista: Silvia Correia


Tá na Avante... 5 | 25 coisas a se fazer antes dos 25 | 6 | Meu estilo vai... Na bolsa | 9 | Look Avante | 10 | POP IT_Delícia Pop | 12 | POP IT_Olhos puxados e Ostentação colorida | 18 | BOY MAGIA_Vamos bater um papo | 25 | AGRIDOCE_Sexy sem ser vulgar | 28 | AGRIDOCE_Sem medo de compromisso | 30 | AGRIDOCE_E se fosse com você? | 32 | É FASHION_Moda de Rua | 42 | É FASHION_Etiqueta Corporativa | 44 | MULHER AVANTE_Bonequinhas de luxo | 52 | MULHER AVANTE_ She’ leaving home | 54 | SE CUIDA!_À flor da pele | 56 | SE CUIDA!_ Cuidado com as químicas | 57 | SE CUIDA!_Nós temos a força! | 59 | SE CUIDA!_Não preciso de milagres | 62 | ON THE ROAD_De malas prontas | 67 | ON THE ROAD_ Martins: a princesa serrana do Oeste Potiguar | 70 | HIGHTEC_Na moda dos aplicativos | 72 | HIGHTEC_Caímos na rede | 75 | FLASHBACK_1984 | 76 | CONTO UM CONTO_Entre cafés, paisagens e desencontros | 77 | Hosróscopo | 79 | BONS DRINKS_Um drink, por favor?!

28 25

62


1. Faça as pazes com os seus pais. Seja por, finalmente, reconhecer que eles realmente querem o melhor para você ou por perdoá-los por serem imperfeitos, você não pode entrar feliz na vida adulta com essa marca de ressentimento familiar.

2. Beije alguém que seja ‘muita areia

para o seu caminhãozinho’. Beije modelos, estudantes de medicina e empreendedores que moram em Dubai, e não se preocupe se eles(a) vão te ligar depois ou não.

3. Minimize a sua passividade. 4. Seja subordinado ou faça um bico,

para começar a entender como gorjetas funcionam, como manter a paciência perto de babacas e como algumas palavras amáveis podem mudar o dia de alguém.

5. Reconheça liberdade como uma

passada num fast food às 5h30 da madrugada com um bando de estranhos que você acabou de conhecer.

6. Tente não se martirizar por possuir

um diploma ‘inútil’. Dinheiro é um terror e as coisas não aconteceram exatamente como você planejou, mas você tinhamesmo que fazer faculdade… E ter um diploma não é a pior coisa do mundo. Nós vamos resolver essa confusão, provavelmente. O ponto é que você não merece menos só porque ir à faculdade não trouxe um retorno imediato. Seja paciente, trabalhe com o que você tem e lembre-se que muitos de nós estamos nessa juntos.

7. Se você está em qualquer emprego

que seja, abra uma poupança. Você nunca sabe quando estará desempregado ou desesperado para fugir da sua vida por uns dias. Mesmo R$20 por semana já fazem R$1040 a mais por ano do que você teria de outro jeito.

8. Adquira o hábito de ir lá fora, aproveitar a luz, cultivar seus amigos, esquecer a internet.

9. Fique curtindo – e alimentando – uma ressaca por 4 dias seguidos.

10. Comece um relacionamento com

o(a) sua paixão platônica dizendo que o(a) quer. Diretamente. Tipo, olhando em seu rosto e dizendo assim: Eu quero você. Eu quero ficar com você.

11. Aprenda a dizer não – para você

mesmo. Não continue usando salto alto se você odeia, não continue fumando se você odeia o seu cheiro no dia seguinte, pare de passar dias inteiros afundado no sofá para depois reclamar que está perdendo o Sol.

12. Tire um tempo para revisitar os

lugares que construíram quem você é: o apartamento em você cresceu, sua escola, sua cidade natal. Esses lugares até podem ficar lá para sempre, mas você definitivamente não.

25 coisas a se fazer

antes dos 25

13. Encontre um hobby que te faça esperar pelo momento de ficar sozinho, que deixe essa solidão momentânea agradável e energizadora.

14. Pense que você se conhece até

conhecer alguém mais do que você. 15. Esqueça quem você é, suas prioridades e como uma pessoa deveria ser. 16. Identifique os seus medos e, ao invés de deixar que eles controlem as suas ações, encontre e converse com pessoas que já os superaram. Não se contente sem experimentar 000002% do que o mundo tem para oferecer porque você tem medo de viajar de avião.

17. Adquira o hábito de organizar

as coisas e desapegar. Só porque funcionaram em algum momento não significa que você deve mantê-las para sempre – sejam essas ‘coisas’ o seu par de calças favorito ou o seu ex.

18. Pare de se odiar. 19. Saia e assista àquele filme, leia

aquele livro ou ouça aquela banda que você já mentiu sobre ter assistido, lido, ouvido.

20. Tire vantagem do seguro de saúde enquanto você ainda é saudável.

21. Crie o hábito de falar às pessoas

como você se sente, seja escrevendo um e-mail de fã para alguém cujo trabalho você ame ou falando ao seu chefe por que você merece um aumento.

22. Namore alguém que diga “Eu te amo” primeiro.

23. Deixe o país com a desculpa de

“se encontrar”. Isso não funcionará. Lugares não mudam pessoas. Invés disso, beba bastante sozinho, leia vários livros, faça sexo em albergues sujos e volte para casa quando a saudade bater.

24. Revolucione e compre um Macbook Pro.

25. Largue aquele emprego que te

deixa infeliz, termine relacionamentos que te façam agir como um lunático, abandone os amigos que ininterruptamente te dão vontade de vomitar. Você é novo, resiliente, há outros trabalhos, relacionamentos e amigos se você estiver aberto a eles.

Texto_Though Catalog Tradução_Clara Fagundes - Ingresse.com

Foto_Helena Velcic Maziviero


Meu estilo vai...

na bolsa

“Vivendo em pleno verão; com pequenas pancadas de piadas-sem-graça e nuvens de sorrisos”. A frase estampa a descrição do perfil de Raíssa Lucena, 22 anos, no aplicativo Instagram. Típica Mulher Avante, a jovem não sai de casa sem uma boa rasteira. Na hora de compor o look, o estilo descolado invade seu armário: calça jeans e blusa básica para o dia a dia. Na bolsa, essa estudante do curso de Direito carrega o essencial: “Um objeto sempre presente na minha bolsa é uma caneta esferográfica, devido sua utilidade prática e necessidade constante já que possuo o hábito de escrever”. Amante da praticidade, Raíssa seleciona para você alguns dos ítens que poderiam ser encontrados facilmente dentro de alguma de suas bolsas.

CAPA PARA CHAVES URSINHOS: Maria Presenteira

BOLSA FITA K7 BEST SONGS: Imaginarium

6 | MEU ESTILO VAI...

PEN DRIVE USBEM LEGAL - CHAVE: LojaUatt? BEE HAPPY PEN: Shop Jeen

BOLSA 3D, indicação da redação


Linda SalĂŁo de Beleza

Av. Pintassilgos, Conjunto Cidade SatĂŠlite Contato: 3218-4165 | 8809-4165 Natal (Rio Grande do Norte)


COCOON NATAL Perdeu a inauguração? Então, já tá na hora de conhecer a mais nova loja de NaTown!

Av. Eng. Roberto Freire, 8790, Capim Macio, Praia Shopping - LJ G04 Natal (Rio Grande do Norte)


Qual o seu estilo? Qual o look escolhido para ir ao trabalho, à faculdade, dar uma volta no parque ou cair na night? A Avante abre espaço na seção Look Avante para você, leitora fashion, enviar suas fotos nos mais variados modelitos a partir do aplicativo Instagram. Vale de tudo: poses na frente do espelho, na academia, na balada com as amigas ou até fingindo ser modelo. A intenção aqui é, não só dar uma de top model, como também servir de inspiração para as outras leitoras. E aí, já decidiu com qual roupa sair hoje? Assim como as gatinhas acima, você também quer estrelar na Look Avante? Basta ter uma conta no Instagram e postar sua foto com look produzido usando a hashtag #MulherAvante.

LOOK AVANTE | 9


Delícia Pop

-> Se liga nas dicas de filme, livro, música e série que estão bombando na mídia!

01

Terceiro remake de Carrie – A Estranha (1976, 2002), baseado na obra homônima de Stephen King, o filme de 2013 promete dar uma repaginada nos efeitos especiais, sem deixar de mostrar os abusos e menosprezos que a jovem Carrie White (Chloë Grace Moretz), filha de uma mulher religiosa fanática, sofreu na escola. Lançado originalmente em 1974, o romance de King causou polêmica na época devido à grande reviravolta da trama e foi proibido em diversas escolas norte-americanas.

02 A rapper australiana Iggy Azalea invadiu com tudo o mundo da música pop. Recentemente, lançou a música “Bounce”, segunda música de trabalho do disco “The New Classic”, previsto para ser lançado ainda em 2013. Após o sucesso de uma série de vídeos de rap “freestyle”, lançados no Youtube, a modelo e cantora ganhou o cenário internacional, com uma mistura de hip-hop e música eletrônica, somadas a letras que exploram a fama e o glamour. Seus maiores sucessos são os vídeos das canções “Pu$$y” e “Two Times”, além do single “Work”, disponíveis em seu canal.

Ambientada nos anos 1980, o prelúdio do sucesso Sex and the City é uma das grandes apostas da emissora americana The CW, que já renovou a série para a segunda temporada. The Carrie Diaries mostra a juventude da protagonista Carrie Bradshaw, interpretada pela atriz AnnaSophia Robb, em meio a romances, amizades, família e, é claro, com idas e vindas até a cidade de Nova York. A série, baseada nos livros “Os Diários de Carrie”, ainda não tem data para chegar ao Brasil.

10 | DELÍCIA POP

03


Natal / RN Rua Pastor Jer么nimo Gueiros, 1400 Tirol. CEP: 59020-660 Tel: (84) 3212-5550 / 3212-5551 3211.5304


E S O D A X U P S O H L A O D I R O L O C O Ã Ç A T ’, o s e t e l c i h c OSTEN ‘ tras

s e le e t n a ç n a d s uista a q n o c e l a t n Com músic ocide o d a c r e m o e K - p o p i nva d nteiro i o d n u m o jovens d TEXTO_SILVIA CORREIA | FOTOS_GOOGLE IMAGENS

12 | POP IT


13


S

e de repente aquele seu amigo mais novo ou sua prima pequena chegar cantarolando em uma língua desconhecida não se surpreenda: pode ser uma música coreana. O fato é que o fenômeno da música coreana, o cantor PSY, e sua viciante música “Gangnam Style” tomou conta da internet, das rádios e com isso o estilo Korean Pop vem ganhando o mundo e tem entrado com tudo nas terras verde e amarelas. O sucesso é tanto que a boyband sul-coreana Super Junior, aclamada no oriente, veio em turnê fazer show no país, em abril desse ano. Porém, por ser um gênero – ainda - de pouca divulgação mundial, muitos brasileiros se enganam e, ou classificam o hit acima como mais um pop tradicional, ou pensam que o pop coreano se limita ao cantor PSY e acreditam que o sucesso do rapper aconteceu por acaso. É por isso que a Avante buscou mais informações e resolveu desmistificar esse estilo que tem crescido nos últimos anos e vem fazendo a cabeça dessa juventude.

seu continente de origem, devido ao forte investimento nos jovens e naquilo que se tornou seu principal referencial no mundo hoje: a música. As frases ‘chicletes’ cantadas em coreano, e compostas de palavras em inglês por toda a canção, são a marca registrada desse gênero musical. No estilo, a regra não é saber falar a letra corretamente. Pode-se “aportuguesar” alguns trechos e cantar em alto e bom som o “nega tchê tchá lá gá”, por exemplo, - verso da música I’m the Best (Naega jeil jal naga) da girlband 2NE1. Além desse som diferente, resultado da mistura de vários gêneros como o pop, hip hop, eletronic music e rock, outro grande destaque do K-pop é a dança.

Investir para aperfeiçoar

Para quem ainda pensa que a música coreana é uma simples cópia do gênero pop americano dos anos 1990, como Backstreet Boys, Spice Girls, entre outros, pode parar de se enganar. A Coreia do Sul aperfeiçoou o estilo. Viu na produção dos Music Vídeos (MVs), A Hallyu - ou “onda coreana” - é o nome compostos por cenários grandiosos, coreografias milidado à invasão da cultura popular da Coreia do Sul no metricamente ensaiadas e roupas coloridas de designJapão nos anos 1990. O Korean Pop, ou simplesmente ers famosos, - uma forma de virar febre e de se tornar K-pop como ficou conhecido, é um movimento que uma forte influência entre os jovens. Para isso, os ídoengloba diferentes áreas do entretenimento popular los são treinados e supervisionados por grandes agêncoreano. Ele tornou-se extremamente influente, em cias de entretenimento, como: S.M.Entertainment e

Já ouviu falar em Hallyu?

14 | POP IT


YG Entertainment. Essas produtoras chegam a investir cerca de 400 mil dólares na formação de canto, dança, aparência e shows de seus garotos e garotas, tornandoos verdadeiras máquinas de fazer dinheiro. Todo esse comprometimento e investimento nos cantores e bandas tem atraído grande parte de fãs como Beatriz Barbosa, 15 anos: “Eles estudam desde cedo pra ser bons no que fazem, seja dançando, cantando, atuando, modelando ou fazendo qualquer outra coisa. Está impresso na cultura do país, se esforçar sempre para ser bom o suficiente e eles levam isso muito a sério. Fora isso, a dança (claro) e os vários integrantes em uma mesma banda sempre me chamaram muita atenção”, analisa a estudante.

hamento” de vídeos em redes sociais como Youtube e Facebook, a música coreana vem ganhando uma legião de fãs por onde passa. No Brasil, o estilo chegou por volta dos anos 2000, através dos equipamentos eletrônicos de dança Pump It Up. Com o passar dos anos, o sucesso da cantora solo BoA, no Japão, fez com que brasileiros – acostumados à cultura japonesa – caíssem nas graças e olhos puxados dos artistas da Coreia do Sul. Entretanto, esse interesse tem aumentado mais ainda. Recentemente, a TV Globo incluiu na trilha sonora da novela Sangue Bom o hit da girlband Girls Generation, Gee. Em Natal, a paixão pelo Kpop e a cultura asiática não ficou de fora. O estudante de Rádio e TV Fred Cruz, 22 anos, criou – juntamente com amigos - a página Asian Style RN no Facebook. A página hoje conta com mais de 250 mem De boca em boca e de bros e tem crescido diariamente. “compartilhamento em compartil- Nela, os fãs discutem as novidades

Na onda das redes sociais

e curiosidades desse universo, trocam informações sobre seus novos ídolos, além de marcarem encontros em eventos da cultura asiática como: o SAGA Entretenimento, Yujô Fest e o Fun K-pop. “Tudo começou com uma comunidade no Orkut. Foi nessa rede social que os membros mais antigos se conheceram. A partir daí foi criado um grupo no MSN Messenger, onde ficamos mais amigos. Mas somente depois que a página no Facebook foi criada é que vimos o interesse pelo K-pop aumentar mesmo”, explica Fred. Para quem acompanha o Asian Style, já deu para perceber que muito mais que essa troca de conhecimentos, o gosto pela música oriental tem servido também como instrumento de descoberta de novos talentos para a dança. Além disso, a página vem sendo vista também como ponte na construção de novas e grandes amizades entre os k-poppers, como é o caso do grupo de dança Victory.

15


DE FRENTE COM O VICTORY

1,

2, 3... Passos contados, ritmados e memorizados. O segredo para se aprender uma coreografia, além de se gostar de dançar, é somente um: dedicação. É o que enfatiza Rebecca Câmara, 16 anos, integrante do grupo Victory. “Quando aprendo uma coreografia pra apresentar, levo mais ou menos dois dias, pois me dedico bastante. Eu aprendo vendo vídeos no modo

“mirror” (em frente ao espelho), tutoriais, ou com alguém me ensinando, que fica bem mais fácil”, ensina Rebecca. Formado no início deste ano, o grupo é composto por Gabriel Mansur, Rebecca Câmara, Beatriz Barbosa, Enelyne Maia e Emille Coelho. Divertidos e descontraídos, os ensaios podem ser encontrados na página do grupo no Facebook, ou postados no grupo Asian Style RN.

Papo ligeiro Avante - Como e quando foi formado o grupo? Victory - Foi formado no início deste ano quando eu, Rebecca, chamei minha amiga Emille pra dançar comigo quando tivesse alguma competição. Beatriz, que estudou comigo no IFRN, entrou também e logo trouxe Enelyne pra dançar com a gente. Para completar o grupo, convidamos Gabriel. Ninguém do grupo o conhecia, mas eu chamei apenas por ver que ele gostava de Hello Venus, girlband da música que tínhamos escolhido para performar. Quando saiu a data do Fun K-pop, Emille viu que não poderia ir, porque estaria no intercâmbio nesta data, então ficamos só os quatro. Apesar de em julho voltamos à formação inicial. A - Assim como nas bandas de Kpop, quem é o líder

16 | POP IT

do Victory? V - Gabriel, já que é o que mais possui espírito de liderança e é quem sempre bota ordem em nós quando estamos dispersas. A - Como são os ensaios? Qual a duração? V - No início, os ensaios eram feitos na casa dos membros, à tarde ou o dia todo, geralmente uma ou duas vezes na semana. Agora, são feitos no IFRN, uma vez por semana, quando temos tempo e duram mais ou menos 3 horas. A - Para qual evento o Victory está ensaiando atualmente? V - Vamos começar a ensaiar para o Yujô fest.


MAIS ALGUNS QUERIDINHOS DO K-POP DBSK- Dong Bang Shin Ki

Também conhecida como TVXQ, é uma boyband formada em 2003. Com vários hits nas paradas de sucesso, em 2011 vendeu mais de 1 milhão de cópias, com singles em coreano, japonês e inglês. Hoje, a banda conta com apenas dois membros da formação inicial. Os outros três garotos compõem a banda JYJ, formada em 2010.

SHINee

É um grupo do gênero R&B contemporâneo formado por cinco meninos cujo objetivo é tornar-se tendência em vários aspectos como dança, moda e música. A moda, inclusive, é marca registrada. Eles possuem uma marca própria de roupas, a “Shinee Trend” e são conhecidos por sua dança altamente sincronizada e complicada.

Big Bang

Formado em 2006, o Big Bang é conhecido pelo estilo mais hip hop. A banda é formada por cinco integrantes que escrevem e produzem a própria música e em 2011 o grupo ganhou o prêmio “Melhor Artista Global” no MTV Europe Music Awards.

2NE1

Conhecido como a “versão feminina do Big Bang”, o 2NE1 foi criado em 2009. Mesmo com pouco tempo de carreira, essa girlband já chamou a atenção de Will.I.Am, que se interessou em produzir uma musica em parceria com o grupo.

Fanático pelas novidades sobre a boyband SHINee, Moises Ceffas, 18 anos, lista pra gente SEIS dos termos mais comuns no vocabulários de todo k-popper que se preze. Shawol: abreviatura para SHINee World - grupo formado por fãs da boyband. Bias: membro preferido do grupo Maknae: membro mais jovem de um grupo Oppa: é como uma garota mais nova chama um garoto mais velho. Noona/Nuna: termo utilizado por garotos para chamar garotas mais velhas. Saranghae: Eu te amo em coreano.

17


18 | BOY MAGIA


VAMOS BATER

UM PAPO

Leonardo Dantas. 25 anos. Formando em Jornalismo e assessor de imprensa é o nosso primeiro entrevistado. Um cara totalmente antenado e urbano, até mesmo no estilo de se vestir. Sair para badalar com os amigos, escrever em seu blog de moda e cantar com sua banda de rock, a Vonrock, são alguns dos seus hobbies prediletos. Durante nosso bate-papo, Leo fala sobre o jornalismo, a música, a decisão de morar sozinho, relacionamentos e traição. Além de lindo, o rapaz ainda é super versátil!

TEXTO_REDAÇÃO | FOTOS_CAROLINA CUNHA LIMA E SILVIA CORREIA

19


pela internet e aí começamos a ensaiar, e a tocar. Saíram alguns componentes e atualmente, da banda original, só restamos eu e o baterista. A formação atual ainda conta com dois guitarras e um baixista. A - Como foi no começo? L: Passamos muito tempo pra conseguir tocar em algum lugar. Começamos em 2004 e nós não conhecíamos ninguém que tivesse um bar ou que tivesse um contato de algum dono, então era bem complicado. Na época, existia o Mormaço, que era o Blackout, lá em Ponta Negra, e que tocava sempre as mesmas bandas. Nós também não tínhamos contato de ninguém de lá. Chegamos a entregar o material, mas nunca chamaram. Aí tocávamos no aniversário de conhecidos, já tocamos no interior, em Currais Novos. Até pensaram que era uma banda de forró e, quando começamos a tocar, o lugar esvaziou. Restaram umas dez pessoas, mas foi massa (risos). Depois disso, mais ou menos em 2007, eu conheci outras pessoas do meio na faculdade. As outras pessoas também cresceram, abriram negócios, e a gente começou a tocar mais. A – Como são os shows da Vonrock? Vocês tocam músicas autorais ou apenas cover? L: Temos músicas autorais, gravamos de forma amadora e ficam apenas entre nós. Nunca chegamos a Avante – Você é estudante do curso de Jornalismo, já teve experiência em um portal e em produção tocá-las ao vivo. Queremos mostrar para o público de TV, mas hoje trabalha como assessor de imp- quando ficar uma coisa mais bem feita, e ainda estarensa. Desde o começo você queria atuar com a mos trabalhando e estudando para mostrar uma coisa boa. No show a gente sempre toca cover de bandas assessoria? L: Não, eu tenho vontade de trabalhar com TV, na indies, como The Strokes e Franz Ferdinand. parte de produção. Mas assessoria está sendo uma área que eu estou curtindo atuar, é bacana. Inclusive, eu só A - Você acha que o público de Natal é mais reconheci essa parte da assessoria a fundo quando entrei sistente a bandas autorais do que a bandas que na faculdade. Ainda pretendo reingressar no curso de fazem cover? Rádio e TV para aprender mais sobre a parte técnica L: Grande parte é sim. Mas, por exemplo, as pesda produção em televisão. Reingresso em Publicidade soas que andam no circuito de rock aqui valorizam muito. O problema é que, a partir do momento que e Propaganda também não seria nada mal. o dono do bar cobrar dez reais para ver o show de A – Você é cantor da banda Vonrock. Quando ela uma banda local, muita gente começa a reclamar que vai tirar dinheiro do seu bolso para assistir uma banda começou? L: A banda existe há uns dez anos. Nos conhecemos daqui. Tem esse preconceito na cabeça de muita gente,

20 | BOY MAGIA


“A dificuldade não é só em relação à música, mas também à cultura da cidade” mas as pessoas que têm a consciência de uma produção cultural reconhecem. A - E o cenário das bandas independentes aqui em Natal, como você enxerga? Existe alguma dificuldade? L: A dificuldade não é só em relação à música, mas também à cultura da cidade. A gente não tem o investimento do poder público, a iniciativa privada está acordando talvez agora, com alguns editais, mas tudo muito pequeno ainda. Mas em questão de produção, a gente está em uma fase ótima, tem bandas com um reconhecimento nacional, como Far From Alasca, tem Talma & Gadelha que tocam no Brasil todo, o Camarones. Então de produção está muito efervescente, está uma coisa muito bacana. A - Você consegue lucrar com a banda? Dá para alugar estúdio, produzir CDs e outros materiais? L: Não. A gente não toca de graça pra empresários, mas para calouradas sim, porque é uma questão de hobby. As bandas que levam o trabalho como meio de vida até reclamam das que cobram menos essas que produzem. E é até compreensível. Tudo é pago

com o dinheiro da gente, e com o que a gente recebe ao tocar também. A gravação dos CDs – de músicas cover – foi pago com o dinheiro que do cachê. A - Mudando agora para outra área, você tem um blog de moda. Qual a sua relação com essa área? L: Eu estudo muito, procuro ler publicações. Cursei algumas disciplinas relacionadas à moda na faculdade e estou fazendo o meu Trabalho de Conclusão de Curso, agora, sobre um blog de moda. Não tenho interesse de trabalhar com isso, o que me envolve é o aspecto cultural e sociológico da moda, como ela está presente nos movimentos urbanos. Escrevo por hobby, não procuro ganhar dinheiro com moda nem virar um crítico. Gosto de customizar camisetas para uso pessoal, desenho um pouco, mas acho que não tenho essa criatividade toda para desenvolver uma peça, não. A – Você nunca pensou em ser fashionista? L: Essa parte comercial, essa coisa do capitalista, do efêmero, de ser fashion, de estar na moda, eu não gosto. Vejo a moda como comunicação, em que você pode ler a pessoa, olhar para o que ela está usando e

21


enxergar algum traço da personalidade dela. Às vezes pode ser até preconceito, mas é uma leitura que você faz de tudo, são ponderações sociais nossas, com base no nosso senso comum. A - Você mora sozinho. Quando veio a decisão de sair de casa? Quais são as dificuldades? L: Sair de casa foi uma questão de logística, porque meus pais foram morar em Parnamirim, e eu trabalhava aqui, em Natal, então ficou muito complicado. Eu tinha que estar no trabalho às seis horas da manhã, e não tinha condições. Aí fiquei morando com meu irmão, mas ele mudou de cidade, e depois fui morar com duas amigas. Em julho, faz um ano que moro com meu namorado. A dificuldade financeira é constante para quem mora sozinho e não tem o apoio financeiro dos pais. É preciso cortar muitas coisas da parte de diversão pra se manter.

to de traição? L: Eu acho que depende do respeito. Tem que ter respeito das duas partes. Também considero que existam traições e traições. Por exemplo: você namora há dois anos, aí viaja pra Europa, para uma viagem de um mês, vai para festas lá, fica com outra pessoa lá. Se a história ficar lá, e se eu não me envolver, ou a pessoa não souber que existo, não tem problema. Eu acho que é complicado quando acontece com gente do mesmo ciclo de amizade, do seu convívio, que você vai ter que encarar aquilo todo dia. Você vai encontrar aquela pessoa que lhe traiu nos mesmos lugares.

A - Já aconteceu com você? L: Já fui traído e já traí (risos). Eu conhecia a outra pessoa também e perdoei porque acho necessário que isso aconteça quando a gente gosta do outro. Cheguei a descobrir, mas nunca fui descoberto. Acho que até hoje nem sabem A – Você tem planos de morar (risos). fora do país? L: Eu tenho vontade, mas sou A - Você está namorando há muito apegado a minha família, dois anos, mas você prefere a aos meus irmãos menores, então vida de solteiro ou estar em um é mais complicado. Aqui no Bras- relacionamento sério? il as coisas são tão mais difíceis, L: São coisas completamente teve a Revolta do Busão, recente- diferentes. São vivências, prazeres mente, mas as pessoas não recon- e diversões diferentes. Eu acho hecem. Acho que se o Brasil fosse que não tem nem como compamais político, se as pessoas tives- rar, porque é natural do ser husem uma noção a mais de política, mano sempre estar sentindo falta as coisas seriam completamente de alguma coisa, é até meio clichê diferentes. isso. Então, quando você está solteiro, quer estar namorando A - O que você pensa a respei- e quando está namorando, quer

22 | BOY MAGIA


estar solteiro, em determinadas situações. No meu caso, não. Quando eu entro em relacionamento, entro muito consciente. Não namoro sério amanhã, alguém que conheci hoje. E se estou namorando, não vou me envolver com mais ninguém. Eu acho que a relação é construída até o momento que vira um namoro. Por exemplo, no meu relacionamento atual, nunca teve um pedido de namoro formal. As coisas foram acontecendo e a gente foi se desligando aos poucos das outras coisas que estavam acontecendo, dos outros relacionamentos, e foi construindo o nosso. A – O que você pensa sobre o casamento gay? L: Eu acho que é um direito civil, então tem que casar mesmo. Não acho legal quando os gays querem naturalizar uma coisa que já foi imposta por dogmas tradicionais, como, por exemplo, o fato de ter que casar na igreja. Não acho bacana, acredito que não tenha necessidade. Gosto dessa coisa de liberdade mesmo,

de se desprender do tradicionalismo. A questão civil é mais importante, até mesmo por questão de conquistar os direitos. A – Como você enxerga as festas “friendly”? L: Acho que tem que ter inclusão. Devemos frequentar o local independente das pessoas, que podem ser do sexo masculino, do sexo feminino, pessoas transexuais etc. Temos que pensar em nos divertir. Defendo muito a não taxação das coisas, pessoas, lugares... Nós não devemos pensar em: frequentar locais “GLBTS” ou locais “heteros”, mas em frequentar locais com pessoas iguais a nós, independentes de sexualidade. A – Para finalizar: quais são suas referências? Você tem algum ídolo? L: Gosto de James Dean. Acho bacana o estilo, a beleza, tudo. Julian Casablancas, do The Strokes, também é um cara que eu admiro muito. A

23


O seu escrit贸rio

Avenida Afonso Pena | Tirol


S sem ser E VULGAR X Y

Saiba mais sobre estabelecimentos especializados em brinquedos eróticos que podem ser uma solução na hora de tirar a vida sexual da rotina TEXTO_CAROLINA CUNHA LIMA FOTOS_SILVIA CORREIA

25


A

o longo dos anos, as mulheres tiveram várias conquistas no âmbito social. O poder do voto, a igualdade de direitos trabalhistas, a escolha sobre decisões que afetam seu próprio corpo, como a de engravidar ou não – com o advento da pílula anticoncepcional –, são apenas alguns exemplos. Em relação ao sexo, hoje as mulheres procuram se conhecer e se libertar de preconceitos em busca do prazer. Na mídia, é possível encontrar personagens que incentivam o despertar do lado sensual feminino, como a protagonista do livro Cinquenta Tons de Cinza, Anastasia Steele; Alice, do filme De Pernas para o Ar; e, mais recentemente, Helô, da novela Salve Jorge. Em busca desse mercado emergente, estão as sex shops, lojas especializadas nas vendas de produtos propostos a incrementar e apimentar a prática sexual. Existe toda uma indústria voltada para a produção de itens eróticos, como, por exemplo, fantasias temáticas,

26 | AGRIDOCE

gel comestível, óleos para massagem, algemas e vibradores. Em Natal, são poucos os estabelecimentos voltados para esse tipo de produto.

“As pessoas têm interesse nesse setor, mas ainda existe a vergonha”

Segundo Marta Costa, proprietária recente de um deles, o mercado da cidade tem um grande potencial, mas carece de novidades para atrair os clientes. “O grande problema ainda é o preconceito. Eu mesma tinha antes de comprar a loja. Depois que eu pesquisei e vi como

funciona, percebi que era comum. As pessoas têm interesse nesse setor, mas ainda existe a vergonha”, explica Marta. A aposta da proprietária para tentar vencer o tabu é investir em uma decoração mais delicada, que atraia o público feminino para um lado sensual que não seja vulgar, e assim as pessoas se sintam menos inibidas ao entrar na loja. Em outro local, a situação é a mesma: ainda encontra-se o tabu. Diferentemente da anterior, a loja é especializada em moda praia e íntima. A parte erótica fica em uma pequena sala escondida, em que a cliente pode ficar a vontade para conhecer os produtos. “Às vezes a cliente entra para ver biquínis com o intuito de entrar na ‘salinha’, mas tem vergonha de pedir. As atendentes são treinadas para perceber e fazer o convite. Assim, aquele ‘gelo’ é quebrado e a cliente se sente a vontade para conhecer o nosso espaço, podendo até ficar sozinha com os produtos”, conta Maria Queiroz, vendedora.


Sem tabus

Por outro lado, as clientes que já conhecem o lugar são mais desinibidas. Algumas querem produtos novos, outras pedem por aquele que está sendo “mostrado na novela”, as mais confiantes procuram dicas sobre algum objetos e as menos buscam conselhos sobre o que levar. O público feminino parece se preocupar, não só em dar prazer ao companheiro, bem como com o seu próprio prazer. Segundo a vendedora, os homens também procuram os produtos para satisfazer a companheira. A maioria deles busca como forma de presentear as mulheres em datas especiais ou comemorativas, como é o caso do Dia dos Namorados. Casada há 12 anos, Candice (30) é uma das compradoras fiéis. Frequentemente procurando novidades no setor, ela conta que não costuma buscar algo específico, mas sempre agrada o marido com as suas escolhas. “Costumo procurar sair da rotina e por isso a nossa relação é ótima. Não é a toa que estamos juntos, somando casamento e namoro, há 16 anos”, relata Candice. O marido, Cleber (34), aprova a atitude da esposa. “Hoje foi a primeira vez que eu entrei numa sexy shop. Não me sinto a vontade por ter vergonha, mas sempre a deixo vir. Acho importante para o casal manter uma prática sexual saudável”, confessa Cleber. A

Acima, algum dos produtos disponibilizados em sex shops

27


SEM MEDO

DE COMPROMISSO O FAMOSO SIM CONTINUA A ACONTECER CEDO NA VIDA DE MUITOS MULHERES TEXTO_NATHÁLIA CARRILHO | FOTO_RENATO SILVA

H

á alguns anos, as nossas mães, e avós eram criadas para casarem cedo, serem boas donas de casa, e excelentes mães de família. Era o estereótipo de que mulher era pra ficar em casa pilotando fogão. Veio então o feminismo e a mulher passou a conquistar novos horizontes, tanto no mercado de trabalho quanto na liberdade de fazer o que quiser com o seu corpo. Mas a história de muitas mães está voltando a se repetir, mudando apenas em alguns aspectos. É que vem sendo observado por especialistas, um número crescente de mulheres que optam por casar e formar uma família mais cedo, prova disso são os dados do IBGE do ano de 2010, em que as maiores taxas de nupcialidade no grupo feminino ocorre entre as mulheres de 20 a 24 anos, cerca de 30% do valor total. Essa mudança do perfil de casamento nas mulheres jovens nada tem haver com o conservadorismo. Pelo contrário, elas se casam cedo e ao mesmo tempo estão no mercado de trabalho, conciliando

28 | AGRIDOCE

as duas atividades, e formando um novo perfil de mulher, de mãe, de dona de casa e de profissional. A questão da idade para essas jovens também não interfere na decisão, pois para elas é uma escolha como outra qualquer, que só deve ser tomada quando os dois tiverem maturidade de relacionamento suficiente para ter certeza do que querem. Para os especialistas essa busca de muitas jovens que preferem casar cedo, tem a haver com o que eles chamam de “Complexo da Cinderela”, que as leva a acreditar no romantismo. Mesmo que elas continuem procurando o crescimento profissional, e mais espaço, elas ainda possuem o lado sentimental, procurando pelo seu “príncipe encantado”.

E foram felizes para sempre...

De vez em quando o destino resolve nos pregar uma peça e de uma amizade surge algo mais. Há nove anos a psicóloga Kainara Nunes, 23 anos, conhecia o futuro marido, Roberto Lima. Eles se conheceram na Igreja na qual ela congregava. Tudo


começou com uma amizade, que foi ficando cada vez mais forte, até vir a declaração de amor de Roberto e Kainara resolveu dar uma chance, escolha de que nunca se arrependeu. Foram quatro anos de namoro, até que eles perceberam que o relacionamento estava se tornando ainda mais sério e era a hora de dar o próximo passo, o casamento. “A decisão de casar apareceu nesses quatro anos de convivência, em que percebemos que nosso amor precisava ser regado por algo mais sério, o casamento” conta Kainara. A partir daí começaram os preparativos, que no total duraram dois anos, começando pelo noivado. O tempo de preparação foi longo,

a começar pela lista de eventos: o chá de panela, chá de lingerie, e é claro, o grande dia, o casamento. Os chás foram auxiliados pelas amigas da Igreja e da faculdade, mas a festa do casamento foi tudo escolhido nos mínimos detalhes pelos noivos e para isso eles precisaram de um ano, “Foram muitos detalhes e por isso uma preparação tão longa para que tudo pudesse sair com nós queríamos”, explica a psicóloga. O estresse que faz parte da vida de qualquer noiva no período pré-casamento, foi tirado de letra por Kainara, que ainda tinha a monografia para entregar. “No começo eu achava que não ia conseguir, não conseguia pensar em construir duas coisas tão

importantes ao mesmo tempo, mas o Roberto me ajudou muito, e graças a Deus saiu tudo perfeito”, diz Kainara. Quando perguntada se ela se arrepende de ter se casado tão jovem, ela logo responde: “o casamento jamais atrapalha em nenhum aspecto, pelo contrário, ajuda muito. Casamento é uma coisa maravilhosa!”. Por isso, mulherada, para ter um casamento feliz e duradouro como Kainara e todas as mulheres do universo sonham, é preciso, em primeiro lugar, saber respeitar o próximo, sempre procurar o diálogo, em vez das brigas, e surpreenda-se com os pequenos detalhes que fazem toda a diferença. A

29


ENQUETE

E SE FOSSE COM VOCÊ? Nesta edição a Avante entrevistou alguns leitores a respeito do tema “traição”. Se eles já foram traídos, se já traíram e qual a solução mais viável para cada um se estivessem nessa situação. Confira as respostas.

Nayara Alves, 23 anos

Já trai porque não gostava da pessoa. Já perdoei no passado uma vez e hoje em dia não mais. Traição é uma atitude de quem não gosta de verdade e não tem respeito pela outra pessoa.

Caique Riedo, 20 anos

Não traí e não sei se perdoaria. Sou daqueles à moda antiga: se não está dando certo, é melhor largar. Não há motivo que consiga justificar uma traição. Se o casal não tem mais a mesma química, se nada funciona mais e a pessoa não estiver mais satisfeita, o melhor caminho é cada um ir para o seu lado. Falar se perdoaria ou não é complicado porque nunca passei por isso. É uma situação delicada, mas é aquela questão: mesmo se perdoar, a confiança jamais será a mesma. Então, provavelmente, eu não perdoaria, já que sou um pouco paranoico e ter uma pessoa, em quem não confio, ao meu lado, não ajudaria em nada (risos).

30 | AGRIDOCE

Sylara Silvério, 24 anos

Já traí e perdoaria sim, dependendo muito do rolé. Acho que é menos complicado do que muitas pessoas pensam. A traição pode acontecer e, se acontecer, tem que saber direcionar a “raiva”. O namorado trai a pessoa e a menina fica com ódio da outra, já fala mal a outra e não sei o quê. Há casos que a menina não sabia que o cara tinha namorado e outras que ela sabia mais sequer conhecia a pessoa. A culpa, nos dois casos, é do cara: ele traiu porque quis, simplesmente. Se ela conhecia você, era sua amiga e tudo mais... É outra coisa. Nessa situação, a culpa seria dos dois.

Vitor Maia, 22 anos

Meu namoro terminou há um mês porque eu cometi uma traição. É bastante complicado e eu sei que cometi um erro. Na situação oposta, não sei como eu iria reagir, mas creio que não perdoaria também. É uma situação difícil. Acredito que uma das coisas que motiva uma traição seja o desgaste da relação. Entretanto, acho que o meio que você está, na hora, pode influenciar bastante. Assim como também acho que às vezes pode nem existir motivos.


Thalles Ferreira, 22 anos

Eu, por exemplo, nunca traí. Existem muitas variáveis numa situação como esta. Certamente conversaria com a outra pessoa e tentaria deixar tudo bem claro. Por mais que doesse, perguntaria o motivo, se foi uma coisa de momento ou se o nosso relacionamento não está mais dando certo. Perdoaria, mas não sei se daria uma nova chance.

Mariana Ribeiro, 22 anos

Cintia da Hora, 24 anos

Nunca traí, e, até onde sei, também não fui traída. Por isso, para te dizer a verdade não sei se perdoaria. Essa decisão requer um só pensamento de muitas variáveis, tudo depende muito da relação, do sentimento. Quanto à traição, objetivamente falando, penso ser, no mínimo, uma atitude bastante desleal, que quebra a confiança em um relacionamento. Creio que se alguém se propõe a ter uma relação monogâmica, deve ser fiel a isso. Um dos tripés do relacionamento é a confiança e se ela for rompida, com certeza, haverá uma falha, que indubitavelmente será sempre lembrada, mesmo que perdoada. No mais, não corroboro a opinião de que a traição é diferente entre o homem e a mulher. O ato de trair é o mesmo e traz trágicas consequências para ambos os lados, embora possa ter diferentes motivações. A sociedade convencionou que a traição masculina é normal, banal, inclusive, aplaudível. Ao revés, a traição feminina é hostilizada com todo o empenho, fruto de uma sociedade machista e patriarcal. O que eu discordo absolutamente, como disse antes.

Lúcio Luiz, 26 anos

Gunther Guedes, 23 anos

Já traí há muito tempo, mas hoje em dia eu não perdoo traição. Meu pensamento mudou muito em relação a esse quesito de lá para cá. Acho que se você gosta de alguém, irá respeita-lo a cima de tudo. Respeitar quer dizer que, se estiver a fim de ficar com outra pessoa, ser honesto e falar que não da mais. Quando se gosta, esses outros sentimentos aparecem: honestidade, respeito. Isso é AMOR! Você entender o limite, se gosta e quer aquela pessoa, é só aquela pessoa... E não precisa trair.

Eu já traí uma vez, fui traído uma vez (que eu saiba) e fui o cara com quem se traiu (também uma vez). Apesar de não ser um "caba safado", eu tive minhas experiências. Bem, com esse "currículo" vou dizer o que vivi em cada situação. Quando traí, me vi fazendo algo que nunca pensei em fazer e me senti um idiota (e realmente estava sendo). Quando me traíram, eu me senti um lixo, mas foi a própria pessoa que me contou. Talvez por isso eu a perdoei mesmo depois de um mês separados. Quando fui o "Ricardão", eu nem sabia que estava fazendo esse papel, mas de cara me lembrei do que passei quando fui o traído, então repudiei o caso.

Eu já traí e não sei se perdoaria. Alguns amigos que disseram que nunca perdoariam, perdoaram, e aqueles que disseram que sim (perdoariam) não suportaram. Então é uma questão complexa que depende da confiança. Acho um tema totalmente complexo, por que é impossível prever. Não sabemos como iremos reagir.

Luana Tavares, 23 anosAcho traição no

casamento imperdoável. Em outros tipos de relacionamento, vai depender da intensidade, da seriedade e da consideração que se tem pela pessoa.

31


street FASHION T

em a textura das grandes avenidas, a imponência dos arranha-céus, a cor dos semáforos, as vozes das calçadas. Nascida fora das passarelas na década de 80, a Moda de Rua (do inglês “Street Fashion”) é um estilo que faz parte direta ou indiretamente do cotidiano de todos nós. Apostando no conceito de praticidade, conforto e espontaneidade, essa forma de se vestir pode ser notada principalmente entre os mais jovens e até hoje fortes influências do Japão, um país que, como sabemos, tem um grande espaço para a proliferação de diferentes estilos de se vestir. Atualmente, existem in-

úmeros blogs e sites dedicados a ilustrar a moda de rua de diferentes partes do mundo dando preferência por fotografar pessoas comuns em atividades rotineiras. Muito mais que as roupas que usamos no dia a dia, a ordem aqui é ter uma pegada a mais na composição do look final. É o desejo do exclusivo, da criação de cada um, de impor seu estilo e sua marca pessoal. Investir também em camisetas divertidas de personagens de filmes, música e quadrinhos, além das frases do momento, funciona como forma de expressão, de compartilhar gostos, experiências, mensagens e muito mais.

PRODUÇÃO_GABRIELLE BARROS, HENRIQUE ARRUDA, LEILA DE MELO, SILVIA CORREIA | FOTOS_LEILA DE MELO

32 | EDITORIAL


NA TEXTURA DAS GRANDES AVENIDAS, VOZES DAS CALÇADAS, E CORES DA CIDADE 33


SAIA: H&M CAMISETA: Fatum Rock Store SAPATO: Mr. Cat ÓCULOS: Ray Ban

34 | EDITORIAL


CAMISETA: Salve Simpatia CALÇA: Riachuelo ÓCULOS: Ray Ban

35


LOOK: Riachuelo ÓCULOS: Ray Ban CHAPÉU: Renner

36 | EDITORIAL

CAMISA: Vintage CAMISETA: Marca com Brinde


CAMISA: Zara BLUSA: TNG SHORT: Toli MEIA: Lupo

LOOK: Riachuelo JAQUETA: Renner BONÉ: Ecologica TÊNIS: Converse ACESSÓRIOS: Artesanato Hippie

37


38 | EDITORIAL


SAIA: H&M BLUSA: Zara TÊNIS: Converse

39


SHORT: Toli CAMISA: Fatum Rock Store SAPATILHA: Arezzo

40 | EDITORIAL

BERMUDA: Riachuelo CAMISA: Quiosque da Camiseta SAPATO: Converse


CASACO: Mad達 SAPATO: Mr. Cat ANEL: Myosotis

41


O LUXO DE SER AGRADÁVEL Regras básicas de como abusar do bom senso e alavancar sua rede de relações pessoais no mercado de trabalho e na carreira profissional TEXTO_SILVIA CORREIA

P

atrícia, 21 anos, acreditou que a melhor forma de causar uma boa impressão em sua entrevista de emprego seria expressar seu estilo individual e ser despojada na vestimenta. Mal sabia a garota que para ganhar pontos com o futuro patrão ela deveria ter estudado um pouco mais sobre a corporação na qual pretendia desenvolver um plano de carreira. Muito mais que profissionais capacitados, bem instruídos e com a motivação necessária a atender bem ao cliente, as empresas necessitam também de colaboradores comprometidos com a imagem da organização. Afinal, você levaria a sério uma corporação cujo funcionário entrasse em uma reunião de negócios cantarolando uma música em alto e bom som ou dançando pelo salão? Falar muito alto, atrapalhar colegas de

trabalho, abusar da utilização das redes sociais e desconhecer a cultura de uma empresa são alguns dos pecados capitais comuns em um ambiente de trabalho. Porém, todas essas gafes podem ser superadas e readequadas com a introdução da etiqueta corporativa no dia-a-dia de uma empresa. Segundo a consultora e palestrante Onilda Gomes, 52 anos, a etiqueta corporativa nada mais é que uma ferramenta de redirecionamento de comportamentos. “Ela não agride, não modifica as pessoas. Apenas redireciona desempenhos e melhora perfis comportamentais”, explica a cearense. Portanto, a corporação que bem souber agregar aos seus colaboradores essas regras irá melhorar os relacionamentos internos e externos; o convívio dentro da empresa e irá gerar uma imagem muito positiva dentro do mercado competitivo frente aos clientes.

REGRAS BÁSICAS DE ETIQUETA CORPORATIVA APRESENTAÇÃO A boa apresentação pessoal vai muito além da escolha da vestimenta de um funcionário, muito mais que seu estilo de vestir. Ela se refere também às atitudes do colaborador diante aos clientes e até mesmo os colegas de trabalho. Comunique-se com todo o corpo: levante-se quando alguém entrar na sala, faça contato visual, sorria, tenha um aperto de mão firme. Abuse da simpatia. Se apresente: nome comercial, função.

42 | É FASHION

Importante: ouça o cliente atentamente. Não interrompa e não monopolize a conversa. VESTIMENTA Muitos departamentos ou empresas são menos exigentes quanto ao vestuário de seus profissionais. Alguns preferem um colaborador que tenha um estilo mais casual, outros apostam no look formal. Tudo depende da cultura da empresa. Porém, uma coisa


é certa: as roupas não devem ser desbotadas, manchadas ou velhas. Deve-se usar roupas que condizem com o ambiente de trabalho faz parte do bom gosto e bom senso. Aposte no jeans reto, com costura básica. Camisas retas, sem muitas estampas, nada chamativas. Uma camisa reta de camisaria, um blazer e um sapato compõem o look perfeito. Lembre-se: o menos é mais. É melhor estar sem brinco que com um brinco desnecessário. Um acessório inadequado chama muito mais atenção que a falta dele.

Atenção | telefone empresarial: lembre que é uma ferramenta disponibilizada pela empresa para que possa auxiliar no trabalho. O uso para ligações particulares chama atenção dos outros. INTERNET Ferramentas como Facebook, Twitter, Instagram e-mail e a própria Internet são de uso exclusivo para o trabalho. O bate papo com colegas não pega bem e usar a web para fins que não sejam profissionais faz as atividades saírem do foco e atrapalha as outras pessoas, pois chama a atenção de quem está por perto. Atenção na linguagem em e-mails: use as mesmas regras de pontuação e concordância que você usaria em uma carta. Contar com a formalidade no corpo do texto é primordial.

pessoas com naturalidade. Às vezes a sua própria conduta faz com que o tratamento do outro para como você mude. É preciso saber também que liderar não é somente sinônimo de chefia, mas saber gerir atritos, conflitos, tomar as rédeas de uma situação, com o objetivo de não deixar acontecer determinados problemas. Deve-se também usar a discrição, sigilo profissional ao extremo.

CELULAR Durante reuniões de negócios coloque o celular no silencioso e deixe as ligações para que caiam na caixa postal. Mesmo quando colocado no modo vibratório, o telefone pode fazer barulho, portanto, cheque se ele está totalmente silencioso. Se for um assunto urgente, desculpe-se uma, duas vezes, com seus colegas e saia da sala. Nin- RELACIONAMENTOS guém precisa ouvir você falando O fundamental é respeitar a indiou escrevendo e-mails. vidualidade do outro e aceitar as

43


BONEQUINHAS de luxo

Destaques entre amigas, as It Girls investem em personalidade e visual marcantes para ditarem estilos TEXTO_REDAÇÃO | FOTOS_SILVIA CORREIA

44 | MULHER AVANTE


Rafaela Ramalho, 22 anos, ĂŠ empreendedora e a cara da Mulher Avante

45


N

ão seguem tendências, criam. Não copiam, são copiadas. Não se interessam, são o próprio interesse. Jovens lindas, elegantes cheias de atitude, as “It Girls” são referência no ambiente em que se inserem, seja em casa, na escola/faculdade e até no trabalho. Dotadas de personalidades marcantes e carismáticas, se destacam entre as demais não só pelas roupas, como também pelo seu estilo de vida único. O conceito, que despertou a atenção do público mundial a partir da atriz Clara Bow, que usou o termo no filme It (1927), é usado como sinônimo

46 | MULHER AVANTE

de traços que se sobressaem na aparência física e na personalidade das garotas, que conseguem conquistar tanto os homens como o mundo ao seu redor. Podese dizer que uma atitude marcante, combinada com um salto Prada e uma bolsa Chanel, ajudam a definir uma It Girl. Apesar do rótulo, para ser uma garota “It”, não existe uma receita pronta. É por acaso que muitas delas viram referências e acabam ditando tendências até entre as próprias amigas. Não é preciso investir pesado em roupas de marcas, basta estar antenada com a moda e saber combinar roupas e acessórias


parar criar o seu próprio estilo. Dessa forma, acabam por despertar o interesse e a curiosidade das outras pessoas, servindo de inspiração. A atitude também não pode faltar, já que um comportamento confiante, seguro e cheio de charme são essenciais para quem quer despertar atenção e atrair olhares. Para quem pensa que as It Girls estão apenas nas telas no computador, através dos seus blogs, está muito enganado. Elas podem ser encontradas nas ruas e em qualquer lugar do mundo lançando tendências. Para ser It, a fama é importante para espalhar pelos quatro cantos as suas criações. E quem disse que o

reconhecimento vem apenas das redes sociais? Aqui, em Natal, uma jovem empresária lança tendências a todo o momento. A empreendedora Rafaela Ramalho é gerente e dona da loja Spicy, especializada em roupas femininas para jovens e adolescentes. Descontraída e de personalidade marcante, traços típicos de uma It Girl, a garota se autodenomina It. Diferente de muitas outras, Rafa não possui um ícone fashion como inspiração. A garota cresceu nesse universo da moda, já que seus pais sempre trabalharam nesse segmento. Apesar de o seu lado comerciante ter se desenvolvi-

47


d i o h n e t “Eu d n e t a n r fica

“Quando vezes sendo ven

48 | MULHER AVANTE


, r a r p m o c a. É bom

d o m e d o t cação, gos

dentifi dência”

chego à loja, que visto uma roupa, às uma hora, duas horas depois, a peça acaba ndida” do mais, ela adora a área de moda. “Eu tenho identificação, gosto de moda. É bom comprar, ficar na tendência”, explica Rafaela. Quando perguntada se ela se intitula como uma It Girl, ela responde sem pestanejar: “Sim, me considero”. E explica que para ser uma It, a mulher não precisa provocar, porque ela já é. Rafaela traz em sua personalidade o carisma como uma característica marcante, além de procurar conquistar os outros, que é transferido para suas roupas e acaba se tornando uma referência. Estilo de vida é o que define uma It Girl. O que diferencia Rafaela das demais Its é que

a principal forma que ela se torna referência, não é através das redes sociais – embora ela divulgue os seus looks –, e sim através das suas clientes. “Quando eu chego à loja, que visto uma roupa, às vezes uma hora, duas horas depois, a peça acaba sendo vendida”. Ela se define como uma It Girl “puxando para a vertente co-mercial do conceito”. Rafa ainda explica que não possui ícone fashion como forma de inspiração. Para ela, a inspiração vem de suas clientes. Por isso, a jovem empreendedora revela que, na hora de montar seu look, se preocupa em repassar mais que roupas/visual, e sim um estilo de vida.

49


NEM TUDO SÃO FLORES Quem pensa que a vida de uma It Girl é uma maravilha, um verdadeiro mar de rosas, está enganado. Elas trabalham muito para manter os blogs atualizados para as suas leitoras. Porém, não é só nas redes sociais e nos blogs que elas trabalham. Rafaela sabe bem disso. A jovem começou a trabalhar aos 19 anos, quando voltou de um intercâmbio e decidiu ajudar os pais na loja antes de começar a faculdade. Trabalhava no escritório, colocava os preços nos produtos, mas tudo de maneira em informal, sem nenhum comprometimento com as tarefas e mais com a intenção de ajudar. Dessa forma, ela passou a conhecer cada parte da empresa, enquanto o seu lado comercial falava mais alto. Até que, enfim, chegou a hora de colocar em prática o que tinha aprendido. Em novembro de 2011,

50 | MULHER AVANTE

uma das lojas ficou sem gerente e não existia um bom profissional para assumir e logo Rafa teve que encarar a situação. “Eu não sabia passar a venda, passar um cartão de crédito, fazer uma escala de folga e precisei ter jogo de cintura para contornar a situação que estava acontecendo na loja”, conta a It Girl. Com o tempo, a garota conquistou espaço, clientes, e a loja foi crescendo cada vez mais. Para lançar tendência, ela possui uma rotina nada convencional para quem é proprietária de loja. Rafaela trabalha todos os dias, e não se incomoda em trabalhar nos finais de semana. “Eu consigo conciliar as coisas e abdico de muitas outras porque eu gosto, eu amo o que faço. Não é sacrifício, para mim, sair de casa em um dia de sábado e passar o dia na loja, ou trabalhar no domingo. Não pense que eu tenho uma rotina normal de uma jovem. Mas eu gosto”, finaliza Rafaela.


DA ESCOLA PARA AS CAPAS DE REVISTAS Audrey Hepburn, Coco Chanel, e até mesmo as polêmicas Madonna e Lady Gaga, são personalidades adoradas, não só pelos seus trabalhos como também pelo estilo que adotaram e ainda adotam. Os chamados “ícones fashions”, a exemplo dessas mulheres, ditam moda, criam tendências e inspiram gerações. Assim como seus ícones, as It Girls também são destaques e guiam outras ao seu estilo de vida, mas não são, necessariamente, pessoas famosas. Há muitas garotas que viram referências a partir de blogs de moda ou páginas na internet, mas, acima de tudo, é preciso ser fashion, ser vestir bem e usar o que quiser, além de ter certo charme somado a uma personalidade carismática. Com esses ingredientes, uma garota It pode conquistar pessoas próximas e depois partir para a conquista do mundo. A

51


A estudante Emilly Lacerda, 22 anos, mora sozinha hรก dois anos. ร‰ indepente e a cara da Mulher Avante

52 | MULHER AVANTE


PREPARA

QUE AGORA É A HORA! A liberdade é o desejo de todos os jovens que vão morar sozinhos. Mas, e a responsabilidade? TEXTO_NATHÁLIA CARRILHO | FOTO_SILVIA CORREIA

É

bem verdade que em algum instante de nossas vidas teremos que deixar o aconchego da casa dos pais e seguir sozinhos. Mas, qual é o momento certo? Sair de casa é alcançar a tão sonhada independência? Essas são apenas algumas das dúvidas que se passam na cabeça de muitos jovens antes de tomar a grande decisão. Para a estudante do curso de Jornalismo, Emilly Lacerda, 22 anos, a decisão veio de forma natural. Nascida em Araripina, no interior de Pernambuco, veio para Natal em 2008 estudar. No começo morou na casa de parentes, mas com o tempo a convivência tornou-se difícil e morar sozinha foi a melhor opção. “Na verdade, sempre pensei em morar sozinha ou com colegas antes de chegar aqui, mas como tinha 17 anos minha mãe não achou que seria uma boa ideia”, explica a estudante. Há quase dois anos morando só, Emilly destaca que a melhor parte está na liberdade de poder fazer o que quiser a qualquer hora. Já o que não é nada agradável é a solidão, principalmente quando se está doente: “É horrível quando você chega em casa animado para contar alguma coisa feliz para alguém e ninguém está te esperando em casa”, conta a jovem. A vida sem dinheiro também é uma tarefa nada fácil. Afinal, administrar os poucos recursos de estudante com as despesas acaba quase sempre com uma balança desequilibrada. Segundo Emilly, uma alternativa é contar com a ajuda dos pais para dividir os gas-

tos como: aluguel, internet, transporte, alimentação, entre outros. Com tantas despesas a diversão, de vez em quando, fica em segundo plano. “É chato, às vezes não sobrar nada para as diversões. Normalmente dou meu jeitinho nisso e consigo me divertir também”. Além das despesas, as atividades domésticas também são feitas pela estudante, e ela logo avisa: “sou eu quem faço mas sou super preguiçosa (risos)”. Para alguns não existe preço para a liberdade, já outros sentem falta das facilidades de se dividir o lar com os pais. Mas, e você, leitora? Preparada para morar só? Com todos esses desafios, preparamos para você CINCO dicas que irão ajudar na hora da decisão. 1 - Estabilidade: Já sabe como vai pagar as suas contas? Antes de tomar a decisão veja se tem condições de pagar as suas contas sozinha. 2- Controle os seus gastos: faça uma planilha com seus gastos fixos e eventuais e só compre aquilo que pode pagar. 3- Compre somente a comida que vai consumir: além de comprar coisas que não vai usar você pode estragar os alimentos; 4- Aprenda a fazer as atividades de casa: se você mantiver a casa limpa e a cozinhar a sua própria comida, vai economizar com diarista. 5- Lave sua roupa: na máquina ou na mão, sai mais em conta do que mandar para a lavanderia. A

53


À FLOR DA PELE

Criadas pelo Dr. Edward Bach, as essências florais ajudam a manter a estabilidade do corpo e da mente a partir de essências derivadas de flores TEXTO_CAROLINA CUNHA LIMA | FOTOS_NATALIA BRANDÃO E BRUNA SPANIOL

E

stresse, ansiedade, raiva, insegurança e insatisfação são alguns dos males causados pela correria do dia-a-dia de quem vive no século XXI. Com o intuito de prevenir problemas como esses e equilibrar as emoções, a terapia floral procura, através das essências florais, transformar as energias em positivas e proporcionar um bem estar aos seus adeptos. Segundo a terapeuta Regina Nasser (51), em contato com a terapia há mais de 20 anos não só como pa-

54 | SE CUIDA!

ciente, mas também como terapeuta, os florais trazem serenidade, paz e tranquilidade ao ser humano, levando ele para o seu “centro de equilíbrio”. “Isso proporciona a nossa saúde mental e é algo que todos procuram. As pessoas têm, normalmente, a mente funcionando sem parar, os pensamentos são compulsivos, e os florais têm propriedades que os acalmam”, explica Regina. As essências agem no sistema vibracional, como uma chave, para lembrar ao corpo que o campo mental precisa estar em equilíbrio.


Os florais são diferentes e específicos para cada tipo de sintoma, já que cada um deles é resultado de uma flor diferente. As emoções são trabalhadas a partir da qualidade dos florais, entrando em ressonância com eles e sensibilizando o campo de consciência humana. A terapia floral é considerada, pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e pelo Sistema Único de Saúde (SUS), como parte do grupo das terapias complementares por ser um sistema de tratamento que cura o ser holisticamente, ou seja: os lados físico, mental, emocional. Para Regina, a doença física nada mais é que a doença emocional ou mental, somadas no corpo físico. Logo, a partir da estabilidade emocional, o sistema imunológico também é reforçado, beneficiando, não só a esfera mental, bem como o corpo físico do indivíduo. No geral, o tratamento é feito com gotas de florais diluídas em água para a ingestão do paciente e é indicada para qualquer pessoa, desde bebês até idosos. Animais domésticos também podem estar incluídos na terapia. O caso de cada pessoa é analisado separadamente pelo terapeuta, que tem um conhecimento sobre os florais e suas propriedades. “Uma pessoa pode ser nervosa e o estresse dela vir do nervosismo, já outra pode ter o mesmo sintoma e o sentimento é o medo, ou a inveja. Sentimentos negativos podem ter várias fontes, então acredito que é preciso encontrar um floral adequado para tratar a raiz de cada problema”, explica Regina. A

Exemplos de essências de florais

“Acredito que é preciso encontrar um floral adequado para tratar a raiz de cada problema”

55


Cuidado com as químicas Apaixonada pelo sol e mar, a curitibana Diolinda Almeida, 53 anos, é dona do Linda Salão. Essa empreendedora mostra para gente os cuidados e tratamentos necessários na hora de descolorir os cabelos

A

satisfação de sair do salão com o tom de tintura exatamente do jeitinho que você quer dura pouco se os fios não tiverem o tratamento adequado. Por ser uma das mudanças mais agressivas, a ação dos descolorantes danifica o cabelo e faz com que os fios tingidos desbotem com facilidade por causa da ação de sol, água e produtos químicos. Por isso, na hora de optar por utilizar essa química é bom estar preparada e ter a disposição necessária para o cuidado correto. Para driblar esses problemas e prolongar o efeito pós-tintura, a cabeleireira Linda elege os TRÊS principais cuidados que você pode ter em casa, além do retoque regular da cor nos salões. Confira!

TEXTO_SILVIA CORREIA

é sem amônia e não abre a cutícula, propiciando assim um desbotamento menor. Tintura mesmo só após 15 dias, dependendo da situação do cabelo. Se mesmo assim você optar por ter os fios lisos e tingidos ao mesmo tempo, a alternativa é o profissional procurar avaliar as condições do seu cabelo e testar as duas químicas em uma só mecha primeiro. Com isso, será possível observar qual será a reação dos fios sem comprometê-los logo de início.

3) Xampu e condicionador Para acertar na escolha, prefira os xampus e condicionadores próprios para cabelos tingidos, que já apresentam uma combinação ideal de componentes que realçam a cor, como antioxidantes. Há, inclusive, 1) Hidratação profunda produtos específicos para a cor que você escolheu: Descolorir é sinônimo de retirar os nutrientes e a umi- loiro, vermelho, por exemplo. A dade dos fios, fazendo com que eles fiquem ressecados e com a cor desbotada. Por isso, após a coloração, faça hidratação com frequência. Mas é bom lembrar que a frequência dessa hidratação vai depender de como é o seu cabelo: muito seco, oleoso etc. Recomenda-se fazer uma hidratação caseira por semana ou a cada 15 dias e pelo menos uma hidratação mais profunda no salão por mês. 2) Combinar químicas Você é daquelas que curte ir ao salão e já aproveita para sair com tudo: tintura, escova progressiva e o que mais tiver de tratamento? Pois, gata, vá com calma! Quanto maior a quantidade de processos químicos realizados, maior deverá ser o cuidado com os fios. Linda explica que alisamento e relaxamento não são indicados junto com coloração, pois eles agem na estrutura interna, externa e na resistência do fio. O que pode ser feito no mesmo dia é o Banho de Brilho, que

56 | SE CUIDA!


FOTO_Blog Balanças e Andanças

NÓS TEMOS A FORÇA As mulheres estão cada vez mais apagando a imagem de sexo frágil e invadindo os tatames. E aí, quem vai encarar?

“J

ab direto, cruzado, joelhada, e chuta alto.” Essas são as primeiras palavras que escutamos ao entrar em uma academia especializada em luta. E quando falamos dessas artes marciais, a imagem parece ser a mesma para muitas pessoas, a de apenas homens treinando. Hoje em dia o cenário continua o mesmo, acrescentados de alguns personagens, pessoas que mudam não só a tonalidade das roupas como também o ambiente das academias de luta. De unhas bem feitas, cabelo escovado e bem penteado, perfume, batom, roupas de ginásticas, podemos enxergar de longe uma das alunas, com suas luvas de boxe, de preferência cor de rosa. É assim que a estudante Yasmin Silva treina Muay Thai todas as segundas, quartas e sextas. As mulheres estão cada vez mais presentes nos tatames. A demanda é tão grande que muitas academias de Natal já formaram turmas exclusivas para as mulheres, na que Yasmin treina,

TEXTO_NATHALIA CARRILHO

dos 150 alunos, 60 são mulheres, a maioria praticando o Muay Thai, a arte originária na Tailândia que caiu no gosto da mulherada. Entre um exercício e outro, ela conta que trabalha na academia há três anos, mas somente um ano e meio depois perdeu o medo, “No começo eu estranhava, porque na verdade tinha pouca mulher e eu tinha medo”. Somente depois de observar as aulas de MuayThai, é que a estudante se interessou pelas artes marciais, “É interessante a questão de chutar, de socar e de bater nos outros (risos)”. Além de gostar de chutar e socar, os outros motivos que fizeram a estudante se interessar pelo boxe tailandês ficam óbvios nos primeiros 15 minutos do treino. O preparo físico – baseados em corridas, saltos e abdominais- deixam qualquer aluno literalmente acabado. Depois vem a melhor parte: a de bater, que consiste na repetição dos movimentos auxiliados ou não por equipamentos, a manopla (um dos equipamentos utilizados para socar) é um dos

57


“A estudante já está treinando pesado para a graduação”

preferidos de Yasmin. E essas duas etapas aliadas proporcionam além de perda de peso, uma rápida definição muscular. Outro benefício apontado pela estudante é a eliminação do estresse, “O Muay Thai desestressa pela forma de bater”. E a mudança vai além da corporal, o ambiente da academia é totalmente diferente. A começar pelas roupas, “Usamos coisas rosa, luvas, acessórios roupas, qualquer coisa cor de rosa”. Além disso, a conversa, as risadas, e as fofoquinhas, fazem parte dos intervalos dos exercícios. A diferença entre homens e mulheres nesse esporte sempre serão apontados, mas a “disputa”, se é assim que pode ser chamado, entre homens e mulheres começa empatado, é que se as

mulheres perdem para os homens na força, ganham na leveza e na agilidade de executar os movimentos. Porém nem tudo são flores, muitas pessoas, e principalmente homens têm preconceitos com mulheres que lutam, dizem que não é esporte para mulher, “Sempre escuta, hoje eu não sinto tanto, na academia os meninos querem que eu faça Jiujtsu”. E para provar o contrário, muitas mulheres estão indo além da prática do esporte para ter um corpo bem definido ou eliminar o estresse do diaa-dia, e estão competindo e ganhando espaço no mundo dos ringues. É o que acontece com Yasmin que pretende fazer a graduação do MuayThai e depois cursar educação física. E quem sabe ser professora na academia.

CINCO BONS MOTIVOS PARA FAZER MUAY THAI

“Usamos coisas rosa, luvas, acessórios roupas, qualquer coisa cor de rosa” 58 | SE CUIDA!

1- Queima de calorias: em uma hora de aula, a aluna perde em média 800 calorias; 2- Músculos ideais: os exercícios como chutar, pular e correr deixam a musculatura definida de forma igual; 3- Menos estresse: os exercícios realizados na aula colaboram para a liberação de energia acumulada, diminuindo a raiva e o estresse. 4- Sexo: com as melhoras no corpo a mulher fica mais autoconfiante, melhorando a sua vida sexual; 5- Melhoria cognitiva: além de preparo físico é preciso também o preparo mental, o foco e atenção ajudam na concentração. A


C O NFIRA O R A N KIN G DA S P I O RE S DI E T AS J Á T E S TADAS

O S I C E R P NÃO AGRES L I M DE

e, o ão k a h s s o n e o m om alimentaç t i u m , s a d i ráp ter a saúde c s a t e i d m e n N a m é e t n a t impor ceada e adequada balan TEXTO_NATHALIA CARRILHO

P

erder quatro quilos em um mês. Qual mulher nunca sonhou com isso? A ditadura da beleza incentiva as mulheres a fazer de um tudo para ter o tal “corpo perfeito”. Para isso, elas procuram - é claro - os caminhos mais rápidos e os mais perigosos. É o que acontece com as pessoas que se empenham em se livrar do peso extra em pouco tempo. Dieta do chá, da água, da proteína, dos pontos, seca-barriga: esses são apenas alguns dos nomes de uma infinidade de métodos que têm a finalidade de fazer as

pessoas perderem grande quantidade de peso em um curto espaço de tempo, são as chamadas “dietas rápidas”. A nutricionista Denise Lima afirma que essas dietas de certa forma funcionam. “Elas realmente emagrecem. Devido à diminuição da ingestão de calorias, o organismo é forçado a buscar outras formas de energia. Uma das alternativas é a transformação da gordura que está armazenada em glicose para garantir o fornecimento de energia”, explica a especialista. Porém, vale relembrar que as pessoas não con-

59


Em novembro de 2012, a Associação Dietética Britânica (BDA) divulgou o ranking das cinco dietas da moda que devem ser evitadas, principalmente pelas mulheres.

seguem mantê-las por muito tempo, já que essas são práticas baseadas em restrições calóricas. Outro problema é que a utilização desses artifícios de emagrecimento rápido causam mais danos que benefícios. Podem causar desde anemia até a perda de massa óssea e alterações metabólicas. Com o mesmo efeito das dietas, os shakes rapidamente viraram uma febre entre os “mais cheinhos”. É que as misturas – geralmente nos sabores de morango, chocolate, e baunilha – associadas a chás proporcionam uma rápida perda de peso. Entretanto, essa bebida possui um baixo valor calórico, e é aí que está o problema. As pessoas, na busca desenfreada pela perca de peso, substituem uma refeição pelos shakes. Segundo Denise, essas preparações não possuem a quantidade de nutrientes necessários para a manutenção das atividades corporais. “Os shakes jamais podem substituir uma refeição. Eles poderiam até servir de complemento em algum lanche, para aumentar a saciedade, mas nunca sozinhos em alguma refeição”, explica a nutricionista. O perigo do consumo exagerado dos shakes faz com que a ingestão de uma maior quantidade de proteínas cause problemas renais.

As piores dietas

1.

Dieta Dukan: baseada em consumo

2.

Dieta Congênita de Nutrição Enteral (KEN): as mulheres não comem nada. É

3.

Dieta intravenosa, “Party Girl IV Drip”: consiste em ingerir de forma

4.

Dieta da “Alcorexia”: Muito utilizada

5.

A dieta do livro 6 Weeks to OMG: a

de proteínas, garante a perda de peso rapidamente. Entretanto, funciona com a restrição de alimentos, porções, calorias e de nutrientes, como o carboidrato que na primeira fase é totalmente proibido o consumo. A principal contestação é a falta de comprovação científica, e a dificuldade de ser mantida, famosas como a cantora Jennifer Lopez utilizam essa dieta.

colocado um tubo de plástico do nariz até o estômago, por onde passa o alimento liquido rico em proteínas, mas pobre em carboidratos, e algumas vezes podem tomar água ou chá pela boca. Todo esse procedimento dura 10 dias, famosas e principalmente modelos utilizam bastante esse método, apesar de nenhuma ter confirmado.

intravenosa uma solução de um soro que contém vitaminas, cálcio e magnésio. A BDA contesta essa dieta, pois é preferível ingerir esses nutrientes de forma tradicional, via oral. Entre os famosos que adotaram essa dieta está a cantora Rihanna. pelas celebridades, mas nenhuma delas confirma, pois a dieta é baseada em consumir poucas calorias durante o dia para consumir as calorias presentes nas bebidas alcóolicas. O principal problema é que ao priorizar o álcool o corpo fica sem energia para funcionar, além do vício.

dieta que virou preferencia entre as celebridades recomenda a prática de exercícios físicos pela manhã, após tomar como café da manhã apenas uma xícara de café preto. Depois da atividade física, um banho gelado, para o corpo gastar mais energia e manter a temperatura. Os lanches são eliminados do cardápio, que é baseado apenas em proteínas.

60 | SE CUIDA!


Quem nunca ouviu aquele ditado popular “devagar se chega longe”? Pois é, segundo especialistas essa afirmação deve ser seguida a risca. Todos sabem qual é a fórmula correta para um emagrecimento saudável. Na alimentação, segundo Denise, o melhor a fazer é ter uma alimentação balanceada, preferir consumir alimentos ao natural, e cortar do cardápio aquelas comidas carregadas de calorias e industrializadas. Além é claro, de comer de três em três horas para evitar a diminuição do metabolismo. Outro passo é a atividade física. Procurar uma atividade aeróbica para queimar as gorduras é a melhor solução, mas também é recomendada a musculação para colaborar com a definição muscular, é o que conta o educador físico Anderson Matheus. “As duas atividades

FONTE: WWW.IPLANOSDESAUDE.COM.BR

trabalhadas em conjunto gera um melhor resultado”, afima Anderson. O que pode ajudar as pessoas que querem emagrecer é o uso de suplementos para acelerar o metabolismo, mas sempre prescrito por um nutricionista, alerta o preparador físico. Para aquelas pessoas que andam fazendo as dietas milagrosas ou tomando o shake, saiba que a atividade física não é recomendada, já que é preciso estar bem alimentado para realizar tais exercícios. E, meninas, será que vale mesmo à pena arriscar a saúde em busca da barriga negativa? Vamos repensar um pouquinho. Afinal, não tem problema algum em se comer um cupcake, por exemplo, aqui e acolá. O problema, de tudo, são os exageros. Por isso, nada de mais. Nem nada de menos, por favor! A

VOCÊ SABE A MELHOR MANEIRA DE SE PESAR?

No passo da tartaruga...

1 - Se pese uma vez por semana, isso ajuda a estabelecer limites e disciplina a sua dieta; 2 - Se pese sempre na mesma balança, de preferência em casa, pois a regulagem sempre varia de uma para outra; 3 - Se pese sempre pela manhã, pois é o melhor horário do seu corpo se livrar dos “pesinhos extras” 4 - Escolha sempre a mesma roupa, de preferência a mais leve possível. 5 - Não se pese em períodos pré-menstruais, até 24 horas do consumo de álcool, quando está com problemas de intestino preso, e depois de ter realizado atividade física, pois todas essas situações alteram o peso.

61


Conheça a rotina de quem já experimentou morar mais de um ano longe de casa para conviver com outra família e colocar em prática um idioma estrangeiro TEXTO_CAROLINA CUNHA LIMA | FOTOS_ARQUIVO PESSOAL

62 | ON THE ROAD


63


Isadora Vasconcelos mostra seu roteiro de viagem

M

uitos jovens sonham em ter alguma experiência de vida no exterior e que vão além do turismo, mas não tem coragem de deixar o Brasil sem uma perspectiva de emprego ou estudos lá fora. Para que isso não aconteça, as empresas especializadas em intercâmbio oferecem vários tipos de programas, sejam eles de estudo ou trabalho, que facilitam o processo de mudança de ares e traz uma segurança maior para o participante. Ao decidir passar uma temporada fora do país, a estudante do curso de Jornalismo da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Isadora Vasconcelos, optou pela modalidade Au Pair. Isadora passou 18 meses morando nos Estados Unidos. Encontrou a família através da internet, a partir de um programa oferecido pela agência de intercâmbio. Ainda no Brasil, o processo de escolha do novo lar é lento, já que é preciso também haver uma identificação por parte da família com o intercambista. “Passei seis meses online com o meu perfil disponível para as famílias e conversei com aproximadamente 20 delas”, explica a estudante. Ao chegar em Nova Jersey, local onde conheceu a primeira família, Isadora conta que foi muito bem recebida, mas, depois de nove meses, optou por trocar de casa. Já com a segunda família, em Washington DC, a estudante criou vínculos que duraram os outros 11 meses. “Cada família me en-

64 | ON THE ROAD

sinou algo especial além do inglês, mas sempre tive uma ligação mais forte com a segunda. Com eles eu realmente fazia parte da família”, conta Isadora. De acordo com ela, um dos fatores que a levou a trocar de família foi a cidade, já que a primeira era muito pequena, ao contrário a segunda, que oferecia opções culturais de lazer, como museus, além de parques e de uma vida noturna mais agitada.

Dia a dia

A rotina da jovem como Au Pair era diária. Ela encarava por volta de 40 a 45 horas de trabalho semanais, com algumas horas extras aqui e ali, mas tinha uma rotina fixa. As folgas aconteciam normalmente aos sábados e domingos, com opção de trabalhar durante as noites de sábado até às 22 ou 23 horas. Segundo Isadora, as três crianças de quem ela cuidava eram bem comportadas. “As minhas crianças eram/ são uns amores, não tenho muito do que reclamar. Havia momentos em que tínhamos atritos, mas acho impossível cuidar de três crianças super inteligentes, com idades e personalidades diferentes, sem ter um ‘time out’ ou uma conversa mais séria”, disse Isadora. Com a confiança da família, a universitária tinha carta branca ao programar passeios com as “kids”. “No verão, saímos de casa por volta das nove horas da manhã e voltávamos entre quatro e cinco da tarde. Às vezes eu dirigia por


quase uma hora para levá-los para comer comida brasileira em uma cidade próxima”, explica Isadora. Além dos passeios, as obrigações da jovem envolviam levar as crianças para a escola, aulas extraclasse e outras atividades diárias.

Experiências

Durante os meses que passou no exterior, Isadora ainda teve tempo para fazer cursos de inglês e conhecer a cidade em seu tempo livre. “Nas folgas eu fazia de tudo um pouco: museu, cinema, parques, assisti a alguns jogos de baseball, basquete, futebol americano, saía com alguns amigos para as baladas”, lembra. As viagens também foram parte importante do intercâmbio da estudante, que teve a oportunidade de conhecer cidades como: Nova York, Boston, Philadelphia, Atlanta, Chicago, Detroit, Orlando, Baltimore, Raleigh, Chesapeake Bay, Trenton e Princeton. Para ela, as mais marcantes foram Nova York, que visitou no dia 11 de setembro e pode ver a comoção por causa das celebrações de aniversário dos atentados; e Atlanta, por ter viajado

sozinha pela primeira vez. “Fui ‘de mochilão’, na cara e na coragem. Foi quando realmente notei que não era mais aquela mesma que havia saído de Natal”, conta Isadora.

“Fui ‘de mochilão’, na cara e na coragem. Foi quando realmente notei que não era mais aquela mesma que havia saído de Natal” Por falar no Brasil, a estudante conta que a família dela aqui foi importante para o intercâmbio. “Minha família no Brasil era meu Porto seguro, meu contato com o português. Eu podia conversar por horas e iria me entender sem que houvesse um choque cultural”, explica Isadora. Mesmo não tendo dificuldades em

se adaptar no exterior, o apoio da família brasileira foi fundamental.

Não é brincadeira

Para quem pretende se aventurar em outro país na modalidade Au Pair, é necessário ponderar bem sobre as escolhas e se vale a pena realmente ir. É preciso, também, ter a consciência que o programa é um trabalho e tem que ser levado a sério. “Vi muita menina voltar pra casa logo, pensando que iria brincar um pouco com as crianças e depois ia se divertir ou que cuidaria de quantas crianças fosse necessário só para morar em Manhattan ou São Francisco. Se você desejar ir de verdade, vai fundo que ainda não conheci programa melhor. Esse será o melhor ano da sua vida e, por mais que você reclame no começo, na hora de voltar você vai chorar”, aconselha Isadora. cinema, parques, assisti a alguns jogos de baseball, basquete, futebol americano, saía com alguns amigos para as baladas”, lembra. As viagens também foram parte importante do intercâmbio da estudante, que teve a oportunidade de con-

65


hecer cidades como: Nova York, Boston, Philadelphia, Atlanta, Chicago, Detroit, Orlando, Baltimore, Raleigh, Chesapeake Bay, Trenton e Princeton. Para ela, as mais marcantes foram Nova York, que visitou no dia 11 de setembro e pode ver a comoção por causa das celebrações de aniversário dos atentados; e Atlanta, por ter viajado sozinha pela primeira vez. “Fui ‘de mochilão’, na cara e na coragem. Foi quando realmente notei que não era mais aquela mesma que havia saído de Natal”, conta Isadora. Por falar no Brasil, a estudante conta que a família dela aqui foi importante para o intercâmbio. “Minha família no Brasil era meu Porto seguro, meu contato com o português. Eu podia conversar por horas e iria me entender sem que houvesse um choque cultural”, explica Isadora. Mesmo não tendo dificuldades em se adaptar no exterior, o apoio da família brasileira foi fundamental. Para quem pretende se aventurar em outro país na modalidade Au Pair, é necessário ponderar bem sobre as escolhas e se vale a pena realmente ir. É preciso, também, ter a consciência que o programa é um trabalho e tem que ser levado a sério. “Vi muita menina voltar pra casa logo, pensando que iria brincar um pouco com as crianças e depois ia se divertir ou que cuidaria de quantas crianças fosse necessário só para morar em Manhattan ou São Francisco. Se você desejar ir de verdade, vai fundo que ainda não conheci programa melhor. Esse será o melhor ano da sua vida e, por mais que você reclame no começo, na hora de voltar você vai chorar”, aconselha Isadora. A

66 | ON THE ROAD

Au Pair Uma das formas de intercâmbio mais econômicas e populares entre as mulheres, o Au Pair permite que a participante integre uma família como sendo uma espécie de “irmã mais velha”, que auxilia as crianças em suas tarefas diárias e até durante viagens, além de ajudar em algumas tarefas domésticas. É o programa ideal para quem aperfeiçoar o idioma e conhecer os hábitos de outras culturas. Para ser Au Pair, não é necessário ter nenhum tipo de qualificação específica para o programa, basta ter experiência com crianças (no mínimo 200), dirigir e ter conhecimento do idioma do país desejado. Além disso, por ser um trabalho, é preciso disposição e paciência para encarar o desafio por, em média, 45 horas semanais e durante, pelo menos, um ano.


MARTINS A PRINCESA SERRANA DO OESTE POTIGUAR

CÍCERO OLIVEIRA

Beleza e aventura são os pontos fortes da serra TEXTO E FOTOS_NATHALIA CARRILHO

O

nosso primeiro destino está distante 377 Km da capital e a 745 metros de altura, é a cidade de Martins. A paisagem serrana e o clima frio fazem você pensar por um instante que não está no interior do Rio Grande do Norte, em pleno o semi-árido do Nordeste. Uma cidade com atrações tanto para os aventureiros de plantão quanto para os mais românticos. O tempo de viagem é cansativo, afinal cinco horas de estrada não é para qualquer um. Antes de chegar no nosso destino uma pausa na cidade de Angicos para saborear os queijos, das famosas queijarias de estrada. Já perto de Martins é possível observar a distância uma cadeia de serras, que de longe já enchem os olhos do visitante com a beleza causada pelo contraste entre o sertão propriamente dito, e aque-

las serras imponentes e bonitas. A primeira aventura é a subida da serra, que é uma mistura de encantamento com a paisagem, e medo, devido a pista estreita, com curvas muito fechadas, e entrecortada nos penhascos gigantescos. Depois vem a Casa de Pedra. Ela é considerada a segunda maior caverna de calcário do mundo, e é de longe a mais comentada atração turística da cidade. O acesso pode ser feito através de trilhas descendo os penhascos – a pé ou em bicicleta-, ou por um passeio em um pau de arara, qualquer uma das opções podem ser feitas entre 20 a 30 minutos e a aventura é garantida. A Casa de Pedra tem essa denominação, pois a caverna é repartida como cômodos de uma casa, tem quartos, banheiro, o salão, além de um grande quintal. Ao entrar na casa é preciso ter cuidado com

67


Festas, frio e lugares exóticos são presença garantida na cidade

as estalactites* e estalagmites* que estão em processo de formação, e em uma parte só é possível passar abaixado, um espaço bem pequeno, além dos morcegos que voam por toda parte. A caminhada é árdua e complicada, mas o visual é recompensador, a paisagem se completa com as pedras que possuem a forma de animais como a pedra do sapo, que rouba a cena. Já para quem quer aproveitar a calmaria que rola na cidade para namorar, a dica são os três mirantes localizados nas encostas da serra, onde é possível visualizar paisagens deslumbrantes. Em um o cenário é a Pedra Rajada, em que dizem ser possível enxergar o rosto de Jesus Cristo; nos outros dois é possível visualizar entre 11 e 13 cidades que são vizinhas ao município. O cenário fica ainda mais bonito à noite, com as luzes das cidades acesas, e com o friozinho que faz,

68 | ON THE ROAD

chegando até 12º C no inverno, dá até para se deliciar com um chocolate quente, ou com os fondues, nos vários festivais dos mirantes. Os prédios históricos também são muito visitados na cidade. Nos museus podemos conhecer um pouco da história da cidade, bem como seus moradores, dos utensílios antigos, e dos achados arqueológicos. Um deles mostra em especial um famoso filho da cidade, Manoel Lino de Paiva, que ganhou reconhecimento após participar da Segunda Guerra Mun-

dial. Em outro museu encontramos um dos livros originais dos Lusíadas. Mas sem dúvida um dos prédios que mais roubam a atenção é a Igreja Matriz, que possui uma arquitetura em estilo gótico. É essa combinação, de frio com o semiárido, romantismo e calmaria com a aventura, além da cultura popular, uma natureza exuberante e uma história presente em cada pedaço da cidade, que faz de Martins uma rota obrigatória no circuito de turismo no interior do estado.


E AQ U I , O QUE M ART I N S T EM DE B OM. . .

Como chegar

Períodos para visitar a cidade

Segue pela BR 334, e dobra a esquerda no Trevo de Paraú, seguindo pela RN 233. Ao chegar no Trevo de Campo Grande, entre a esquerda, seguindo pela BR 226.

Os tempos de festas são os melhores momentos para visitar a cidade, e eles acontecem em janeiro, com a Festa da Padroeira; em junho tem o Encontro dos Motociclistas; e em julho o Festival Gastronômico.

Ao chegar em Olho D’água dos Borges, siga pela RN 117. Após Umarizal dobre a esquerda no Trevo de Martins. O que visitar?

No primeiro final de semana de agosto 2013, será realizada mais uma edição do Festival Gastronômico. A

Os principais pontos turísticos são os mirantes, a Casa de Pedra, as Igrejas em estilo gótico, e os museus.

69


NA MODA DOS APLICATIVOS Não são apenas os homens que se interessam por tecnologia. Cada vez mais as mulheres entram de cabeça nesse mundo e usam esses seus recursos a seu favor. A mulher moderna encontra hoje em seu smartphone um companheiro inseparável, pronto para auxiliá-la a qualquer momen-

to. Quem nunca precisou daquela ajudinha para escolher um corte de cabelo ou a cor do esmalte? Para essas e outras “emergências fashions”, a Avante preparou uma lista com os cinco aplicativos “salva-vidas” do mundo da moda, que você pode levar para todos os lugares no seu smartphone.

Snapette

Usado por mais de 180 marcas em cidades como Nova York, Londres e Tóquio, o Snarpette ajuda seus usuários a conhecer e compartilhar os lançamentos do mundo da moda através da postagem de fotos. Você pode descobrir lojas, promoções e saber a opinião das suas amigas sobre aquela bolsa que você acabou de comprar. É possível usar um filtro ao postar a imagem, além de inserir o local onde foi comprado, a marca e o preço. Disponível nas plataformas Android e iOS.

70 | HIGHTEC


Stylish Girl

O aplicativo permite que você categorize suas roupas, bolsas, saias, sapatos etc, por meio de um cadastro através de fotos. É preciso apenas tira fotos das peças e o Stylish Girl te ajuda a combinar os itens para montar o look na hora de sair para alguma balada ou mesmo no dia-a-dia. Além disso, o aplicativo ainda dispõe de uma “wishlist” para aqueles produtos que você não tem, mas gostaria de ter, e te deixa informado sobre o mundo da mundo da moda. É um recurso super útil também na hora de arrumar as malas para viagem. Disponível nas plataformas Android e iOS.

OPI O OPI é um simulador de esmalte que ajuda na hora de escolher a cor ideal para as suas unhas. Você pode simular a tonalidade da pele enquanto faz o teste com os esmaltes e assim fica mais fácil de saber qual deles combina mais com o seu tom antes de pintá-las de verdade. malas para viagem. Disponível na plataforma iOS.

71


CAÍMOS NA REDE É cada vez maior o número de pessoas que estão viciados na internet atrás de uma vida perfeita TEXTO_NATHÁLIA CARRILHO

S

exta-feira, 06h15min da manhã. A estudante de direito Michelle Santos, 20 anos, acorda e vai para a Universidade. Ao separar os seus objetos, o que não pode faltar: seus dois celulares, o pen-drive com as suas músicas preferidas, e o tablet. Durante uma música e outra, ela demora cerca de 30 minutos para chegar à aula. Já na sala e antes do início da aula, ela liga o tablet e conecta a internet. Verifica a caixa de entrada de seus dois e-mails, checa as mensagens do Facebook e do Twitter, e ainda dá tempo para jogar. Começa a aula e Michelle ainda continua conectada. A todo o momento ela concilia a explicação do

72 | HIGHTEC

professor e as atualizações das mensagens das redes sociais, parando de vez em quando para comentar, curtir ou retuitar o que ela acha interessante. A tarde ela vai para o estágio, e sempre que é possível, ela dá um jeito de acessar as redes sociais, “É só uma olhadinha pra ver como estão as coisas, o que está acontecendo.” Ao chegar em casa, já a noite Michelle vai para a academia. A garrafa de água é indispensável, assim como o MP4 e os fones de ouvido. Ela não tem amizades lá, porque durante todo o momento em que está na academia, não conversa com ninguém, já que está sempre com os fones no ouvido.


No começo da noite ela vai ao aniversário de uma amiga, e, apesar de todas estarem presentes, trocam poucas palavras. O grupo está conectado ao celular, conversando umas com outras pelo aplicativo WhatsApp. Parece mentira, mas o dia-a-dia de Michelle é igual ao de muitos jovens que atualmente não largam da internet. A tecnologia já está tão presentes no cotidiano das pessoas que o vício do momento agora é a internet. São os chamados loucos por tecnologias. Estudos da Universidade de Chicago apontam que é na atualidade é mais fácil se viciar na internet, do que em álcool, ou cigarro. Outro estudo feito aqui no Brasil, pelo Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo, aponta que o vício em redes sociais possui tanta força como o vício em entorpecentes. Pois assim como o viciado em drogas necessita dos efeitos de um determinado componente, o viciado na internet necessita ver as atualizações dos seus amigos e se expor para sustentar o seu narcisismo. E os sintomas de abstenção são comuns entre os dois vícios que vão desde ansiedade até a depressão. E as razões que causam tanto vício, é que nas redes sociais as pessoas têm total domínio de quem elas são, ou de quem elas preferem ser. Isso porque as vidas nas redes sociais são perfeitas, são sempre os melhores momentos, as fotos perfeitas, e até mesmo os defeitos são os menos imperfeitos. E não são todos que conseguem assimilar a diferença entre a vida real e a virtual, causando a frustração, e com isso a necessidade de estar sempre on-line, alimentando a vida virtual. Entretanto, ao contrário das drogas, o uso das tecnologias não é completamente maléfico. Elas facilitam o nosso dia-a-dia, aproximam pessoas separadas pela distancia e melhoram a realização de determinadas atividade. O primordial nessa relação do homem com a tecnologia é saber usá-la corretamente e sem excessos, para evitar cair de vez na rede da tecnologia. A

VÍCIOS “Sensações como vontade de twittar, de checar os emails ou acessar os meios de comunicação se mostraram mais presentes do que os desejos de ingerir bebidas alcoólicas ou fumar.

73


Buscando Soluções

Assistência Técnica Hardware e Software Hugo Sérgio de Carvalho Correia Contato: 9984-5990 | 8864-9275


1984 A seção Flashback traz para você aquilo que estava entre o público jovem de algum ano das décadas passadas. O escolhido foi o ano de 1984. Confira alguns elementos que marcaram este período.

FILME - Footloose

O filme Footloose, dirigido por Herbert Ross e estrelado pelos atores Kevin Bacon e Lori Singer, é um dos mais reprisados na televisão brasileira. Tudo isso porque foi um grande sucesso na época de seu lançamento, chegando a faturar por volta de 80 milhões de dólares nas bilheterias. O longa, que fala sobre a história de amor entre dois jovens e a dança, ainda recebeu duas indicações ao Óscar de melhor canção original (Footloose e Let’s Hear It For the Boy), e uma ao Globo de Ouro (Footloose).

MÚSICA Like a Virgin – Madonna

A rainha do pop, Madonna, lançou, neste ano, o álbum que, segundo os críticos “transformou Madonna em uma estrela”: o polêmico Like a Virgin. Ao falar sobre os prazeres de uma jovem virgem na letra da música que dá título ao disco, a cantora quebra um dos tabus impostos pela sociedade da época e se consolida como uma das artistas mais influentes no mundo da música pop. Com mais de 25 milhões de cópias vendidas em todo o mundo, o álbum passou três semanas ocupando o primeiro lugar das paradas da Billboard e emplacou hits como a própria faixa Like a Virgin, e Material Girl.

LIVRO O Ano da Morte de Ricardo Reis

Em 1984, José Saramago lança o romance O Ano da Morte de Ricardo Reis, que tem como protagonista Ricardo Reis, um dos heterônimos de Fernando Pessoa. Ao voltar para Lisboa, em 1936, o personagem encontra a cidade imersa no fascismo que se espalha pela Europa. Saramago procura terminar a história desse heterônimo após a morte de Pessoa, criando uma versão alternativa para ela.

75


Entre cafés, paisagens e desencontros... TEXTO_SILVIA CORREIA

MESA 1: Casal entra na cafeteria. Rostos felizes, olhares amorosos e delicados. Troca de palavras doces e delicadezas. O dia de domingo alvorecia e o clima de início de namoro pairava no ar. Na mesa, a garçonete gentilmente entrega o cardápio ao jovem a quem indaga o pedido de cada um. A namorada, que antes aparentava ser calma torna-se um leão em ponto de ataque. Chateada, abre logo uma tromba do tamanho do bonde. Encara a outra moça com olhos de fuzilamento. Faz birra. O casal resolve ir embora.

MESA 2: 16 horas. Já fazia exatamente duas horas que Gabriel encontrava-se na cafeteria com o celular nas mãos. A inquietude o dominava e tudo o que o jovem fazia era conferir sua pasta de mensagens e tomar inúmeros copos de café. Patrícia não dava sinal de vida há dois dias e isso tinha feito com que ele desenvolvesse uma insônia persistente. As olheiras, instaladas por debaixo de seus olhos, não pareciam de apenas dois dias. Provavelmente ele era mais um daqueles namorados inseguros e impacientes que tanto afastavam suas enamoradas.

MESA 3: Janeiro de 2013. Joaquim passa no tão sonhado vestibular para Medicina. A felicidade contagia a todos. Sorrisos, lágrimas, animação tomavam conta do garoto, de 19 anos. Fevereiro de 2013. Férias acabadas, malas prontas, hora de partir para o interior de um estado próximo, onde sua faculdade localizava-se. A festa de despedida estava organizada para aquela tarde. Amigos, familiares, namorada, todos

76 | CONTO UM CONTO

estariam lá para dar boa sorte no novo caminho a ser percorrido pelo jovem. E passou-se uma, duas, três, quatro horas. Já estava no horário do ônibus de Joaquim sair, e nada de Bia chegar. Mal sabia ele que ela o observava - desde muito cedo - de uma mesa no fim do corredor. A fisionomia da moça era de muita derrota. Ela sabia que ele ligaria todos os dias e que viria com freqüência visitá-la nos finais de semana e feriados. Mas havia um porém: Beatriz não acreditava em relacionamento à distância. E tampouco estava disposta a dar o braço a torcer. ............................................................................. Aqui estou eu, com meus 20 e poucos anos completados, parada com caneta e papel na mão. Vários acontecimentos são desencadeados próximos ao meu campo de visão. Um gato passa por debaixo da mesa. Uma criança brinca feliz no colo da mãe. Um passarinho bate, insistentemente, na janela lateral da Coffee Shop. Os funcionários recebem seus salários de final de mês. Um carro barulhento passa lá fora... Entretanto, meu olhar se concentra nessas três mesas. O que chama a atenção? O poder que o ciúme e a insegurança podem exercer sob certas pessoas. Como a vida seria bem mais simples se o fator incerteza não se apoderasse de nós e nos consumisse, por muitas vezes, a alma?! Quem sabe o que esteja faltando em todos nós é guardarmos esse tipo de sentimento em uma caixinha no fundo do baú e sair por aí, deixando o vento nos levar pelo mar da confiança. Talvez assim, e somente assim, a vida seja menos complicada e os relacionamentos mais duradouros e felizes. Afinal... Confiar... Esse o segredo. De tudo, inclusive. A


HORÓSCOPO Áries (21 mar. a 20 abr.) Ótimo aspecto entre Lua, Sol e Marte tornam produtivos os encontros e reuniões com superiores e altos executivos até o meio da tardem aproveite para mostrar seu conhecimento e defender suas ideias. Vênus entra em Touro trazendo romance e sensualidade.

Libra (23 set. a 22 out.) A novidade de hoje é que sua posição com parceiros, associados e clientes vai começar a mudar a partir de hoje. Consciente de seu poder de reunir pessoas em torno de um projeto comum, saberá angariar apoios materiais e humanos. Hoje, clima festivo e amoroso.

Touro (21 abr. a 20 mai.) Pode comemorar! Vênus, que rege seu signo, passa a Touro hoje, configurando um dos ótimos períodos do ano pra você investir em seus valores e cultivar o que tem de mais bonito. Perfeito também para cuidar do visual. Hoje, discrição no amor é imprescindível!

Escorpião (23 out. a 21 nov.) Vênus em Touro é a promessa e a esperança de que o amor finalmente se torne irresistível força de mudança e salvação para seus tormentos. Afrodite surge no horizonte anunciando uma disposição mais amorosa e aberta que incentiva encontros e romances.

Gêmeos (21 mai. a 20 jun.) Um dia feliz pra você fazer sucesso junto a entidades ou associações a que pertence. Também perfeito para reunir-se com a equipe de trabalho e dar os passos estratégicos num projeto inovador e original. Brilhe por sua inteligência. Vênus em Touro: amor se consolida.

Sagitário (22 nov. a 21 dez.) Conhecidos aparecem na hora H quando você precisar agora, nestes momentos mais estratégicos pra você dar andamento rápido a um projeto audacioso. O amor também vai bem, alias melhor agora, com Vênus, sofisticada e amorosa, ajudando em cada detalhe.

Câncer (21 jun. a 21 jul.) Todo canceriano recebe hoje uma ajuda especial de Vênus, que adentra o pratico e sensual Touro. Ai, Vênus ajuda e permite boas escolhas no plano material e amoroso também. Uma amizade pode se tornar um amor, ou uma paquera suave e agradável. Leão (22 jul. a 22 ago.) Começa hoje um período de intensa exposição positiva pra você mostrar todo o valor que tem tanto na carreira quanto nas metas pessoais, sua capacidade de estabelecer laços sólidos com as pessoas será valorizado. É Vênus em Touro que traz estas promessas. Virgem (23 ago. a 22 set.) Desdobramentos positivos de ontem na área profissional estão em destaque hoje. Agende reuniões e vá atrás das informações mais importantes, reúna tudo, aposte numa boa articulação mental e com grupos. Vênus em Touro valoriza aplicação prática da intuição.

Capricórnio (22 dez. a 20 jan.) Sabe aquele desejo de sedução secreto, que você almejava, com classe total e maestria em cada detalhe refinado? Pois agora pode já pensar em como colocar em prática; Vênus, a deusa do amor, brilhará a seu favor nas próximas semanas. Contatos interessantes. Aquário (21 jan. a 19 fev.) Lua em Gêmeos em ótimo aspecto com Sol e Marte favorecem iniciativas com poderosos e pessoas que confiam no seu conhecimento e pericia técnica. Mercúrio e Urano animam estudos práticos e Vênus em Touro promete amor em casa, na dose certa.

Peixes (20 fev. a 20 mar.) Arranje um tempo pra cuidar da casa, repensar a organização prática do lar, conversar com o pessoal da família em nome de um entrosamento melhor. A boa noticia é que Vênus vem agora ajustar as relações, com bons diálogos com seus queridos.

77


Foto: Divulgação

UM DRINK, POR FAVOR? Drink: TOXIC LEMONADE Prático e confiável. Essa é a proposta do drink Toxic Lemonade, inventado na Georgia, Estados Unidos, por Justin Anthony. Segundo relatos, seu criador teve a ideia da bebida a partir da falta de ingredientes para fazer uma Margarita. Com apenas a tequila, ele juntou a uma garrafa de limonada, encontrada na geladeira, e um refrigerante de limão. O resultado foi um drink simples, mas que incorpora todo o sabor da tequila e do limão, que tanto fazem sucesso em qualquer festa.

VOCÊ VAI PRECISAR DE: Tequila – 1 dose e meia Limonada – 1 dose e meia (Já adoçada) Refrigerante de limão – 4 doses e meia. PREPARAÇÃO: Misture todos os ingredientes em um copo alto com gelo e sirva * Tipo de bebida: Tequila * Ingredientes: Básicos * Dificuldade: Fácil Drinks similares: El Dorado, Margarita.

78 | BONS DRINKS


Revista Avante  

Trabalho de Conclusão de Curso de Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you