Issuu on Google+

Ano1 nº1 Abril 2011 R$ 12

Torta Alemã

História com Sabor

Aprenda a fazer esse doce tradicional de Joinville.

Como surgiu o pirão de peixe.

Poco Tapas De fora, você quase não percebe a beleza e as delicias que estão ali dentro.


Decoração

Foto: Alexandre Ofuji

Dia a Dia

Arte com Gastronomia

Carolina Borin

Nada mais gostoso que entrar em uma cozinha com um aroma delicioso e uma decoração magini�ica para combinar. Unindo o gosto de estar na cozinha à arte de decopagem no azulejo. Evanir Cristina Machado começou a fazer quadros com o tema gastronomia, retratando diversos chefs, trazendo alegria e energia para o ambiente, pois seus quadros são coloridos e criativos. Você pode encontrar esse artesanato todos os sábados no Mercado Municipal de Joinville ou uma vez por mês na estação ferroviária, junto ao Mercado de Pulgas. Os quadros medem 15x15cm, 20x20cm e 20x30cm, além dos imãs para geladeira. O contato da artesã é pelo telefone (47) 9625-8348 ou e-mail: ecrismachado@gmail.com Sabores de Joinville - 8


Curiosidades Foto: Pricila Inacio

Dia a Dia

História com Sabor Pirão de Peixe

Carolina Borin

O pirão de peixe surgiu do cultivo da mandioca pelos índios na época da colonização. O nome pirão tem uma origem simples, peixe em tupi era “pira” e pirõ significava papa. Então o pirõ (papa de mandioca) foi misturado ao caldo de pira (peixe) e se torou o pirão de peixe que comemos até hoje, e naquela época uma das iguarias mais elogiadas e desejada pelos colonizadores. Gilberto Freyre na década de 20 publicou um artigo no jornal de Pernambuco dizendo“Divino pirão! Nunca antes no Brasil se pintou um quadro nem se escreveu um poema nem se plasmou uma estátua nem se compôs uma sinfonia que equivalesse em beleza a um prato de pirão.” Para se fazer um bom e bonito pirão de peixe, começa a ser feito através da escolha do peixe, dos temperos e uma farinha de qualidade. Fonte: Cozinha Brasileira: com recheio de historia, Autores Ivan Alvez Filho e Roberto Di Giovani Sabores de Joinville - 8


Restaurantes Foto: Marina Avila

Dia a Dia

Carbonara Carolina Borin

Para muitos o Carbonara é um restaurante novo em Joinville, a parte de atendimento no local, servindo almoço e sopas, é sim um serviço novo do restaurante Carbonara. Antes atendiam no bairro Iririu, mas só vendiam massas congeladas, os clientes compravam e levavam para fazer em casa. Quando em dezembro de 2010 mudou para a Rua Max Colin nº 1914 decidiu ter um serviço diferente, além das massas congeladas. Agora servem almoço todos os dias, podendo ser buffet ou A La Carte e em junho começaram a servir o buffet de sopa no jantar. Mas sua grande especialidade continua sendo as massas tanto para levar, ou para comer no restaurante. Escolhe-se a massa, o molho e o acompanhamento podendo ser carne ou peixe. As massas são: Agnoline, Cappelletti, Cannelloni, Conchiglione, Lasanha, Panqueca, Pierogui, Raviolli, Tortellini e Rondelli. Sabores de Joinville - 8


Sabores

Restaurantes

Poco Tapas

Helena Schutel

Sabores de Joinville - 8


Sabores

Restaurante

Fabio Mattos é de Paranaguá, mas morou 18 nos Estados Unidos. Enquanto esteve lá, trabalhou o tempo todo em áreas ligadas à gastronomia. Sua paixão pelo tema o fez cursar duas universidades americanas, uma na Califórnia e outra em Fall River, no estado de Massachussets. Porém, seu maior desejo sempre foi abrir um restaurante, desejo esse, que se realizou durante uma de suas viagens de férias para o Brasil. Há um pouco mais de oito meses, Fábio e seu irmão André, também formado em gastronomia, pela Universidade Univalle (Itajaí-SC), inauguraram o Poco Tapas. O nome, um tanto quanto incomum. Tapas, que segundo Fábio, é um estilo de comida espanhola, onde são servidas pequenas porções, que proporcionam ao cliente uma refeição cheia de variedade. Tapas é o estilo de culinária preferido do cheff. Já o primeiro nome, Poco, tem seu significado original, apenas a escrita não leva a letra U. A logomarca do restaurante é composta por 3 facas. Notamos que Fábio carrega no braço uma tatuagem com o mesmo símbolo, ele falou que a tatuagem veio antes do restaurante e que são as preferidas dele. Além das Tapas, boa parte do cardápio do restaurante é composta por gastronomia molecular, tema que Fábio estuda sozinho há anos, pois não existem cursos na área. É macarrão feito de peixe, pipoca com nitrogênio líquido, gelatina de salada e uma infinidade de pratos que só provando pra acreditar. Seu publico é variado, 99% optam pelo cardápio degustação, onde Fábio e André usam sua criatividade na cozinha, servindo diversos pratos totalmente inusitados. O cardápio fixo conta com 50 itens, e abrange a culinária de 25 países em média. Os preços variam de R$ 7,00 a R$ 19,00 por prato. As sobremesas não fazem parte do cardápio, pois cada dia é criada uma nova. A mais pedida é, com certeza, a Bafo de Dragão: pipoca caramelizada com nitrogênio líquido. A mistura causa o efeito de fumaça, e ao colocá-la na boca, é uma diversão só. Os ingredientes que Fábio usa na coz-

inha precisam ser importados. Uma parte deles Fábio consegue comprar nas cidades vizinhas, já outra, precisa ser importada dos EUA. No cardápio de vinhos, podemos encontrar 40 rótulos diferentes, sendo que todos são importados. Mas quando perguntamos sobre a harmonização da culinária com a bebida, Fábio alega não existir uma combinação ideal, pois existe muita diferença de um prato para outro. O que ele indica é a Sangria Espanhola, pela quantidade de frutas, podendo assim combinar com uma quantidade de pratos diferentes que você come. Por estar um tanto quanto isolado, e não usar de recursos publicitários, provavelmente você pode ter passado em frente ao Poco Tapas e nem ter notado. Fábio justifica o fato, por seus clientes chegarem, na maioria das vezes, por indicações. No Poco Tapas tudo que é “comum” se transforma, tornando-se algo surpreendente. É o único restaurante em Santa Catarina que serve comida em tapas e fica aberto os 7 dias da semana das 18:00h às 00:00. Aos interessados em provar as invenções do cheff Fábio Mattos, o Poco Tapas fica na Rua Piauí, número 109 – Bucarein. Site:www.pocotapas.com.br

Sabores de Joinville - 8


Sabores

Cadapio

Gute Kütche

Na quinta feira dia primeiro de setembro de 2011, a equipe da revista sabores de Joinville, visitou o restaurante Gute Küche. Entrevistamos a Carla, filha dos donos do restaurante, que nos contou um pouco sobre ele. O restaurante sempre foi um sonho do casal Dolores e Renato Schramm, que quando se casaram uniram suas especialidades na cozinha. Através de um convite de um amigo, eles abriram uma lanchonete e café colonial. No dia 10 de maio de 1991, no dia das Mães inauguraram o tão sonhado restaurante, o Gute Kuche,que possuí esse nome, pois a Família é de origem alemã e assim queriam preservar a cultura, foram jogando nomes até que chegaram a este(Gute Kuche), que em português

significa Boa Cozinha. Localizava-se no antigo restaurante Bavária, onde ficaram por 12 anos. Mas, devido à estrutura do local estar condenada, precisaram mudar. No começo existiram contradições, e a dúvida pairava no ar, será que o movimento será o mesmo? Pois não iria mais estar localizado as margens da BR 101. Em 10 de maio de 2003, novamente no dia das Mães, na Rua Eugênio Ernesto Kunde, 1100 em Pirabeiraba foi reinaugurado o Gute Kuche, com um espaço mais amplo podendo então promover mais eventos. E a dúvida em questão foi respondida, com um movimento ainda maior que no antigo endereço. Ele atrai muitas pessoas através dos seus pratos típicos alemães, entre eles estão: O Marreco, Schwartzauer ( Sopa Preta), Eisbein (Joelho de Porco), Língua ao Molho, sopa de Galinha Caipira, além das diversas variedades de doces servidos no café colonial. A comida mais pedida é sazonal, pois depende muito da estação, no inverno, por exemplo, é a sopa e o café colonial. A Schwartzauer é servida todas as quintas feiras. No horário de almoço é buffet livre, caso não queira a carne do Buffet pode pedir a parte, sendo cobrado um valor diferenciado, com uma variedade de sobremesas preparadas pela Carla e sua Mãe. Já é tradição da casa servir um pão junto com as refeições. A noite é a la carte. O preço varia, o almoço em dias de semana é de R$13,20, aos domingos é R$19,80 e nos feriados é R$16,50. O preço do Café Colonial é de R$21,70. Sopas, R$12,10 por pessoa e R$11,00 a porção, uma porção equivale a duas conchas grandes. Sabores de Joinville - 8


Sabores

Cadapio

Os pratos tradicionais mais pedidos são o Marreco e o Esibein (Joelho de Porco). O público alvo são 70% Joinvillenses, o restante divide-se entre Curibanos, e os empresários que vem a negócios para Joinville. O movimento diminui bastante em período de férias escolares, pois a maioria das pessoas que freqüentam o restaurante vão para o Litoral, assim eles dão férias aos funcionários e fecham entre Natal e Ano Novo. Os métodos de publicidade utilizados são por folders, placas na BR, site, guia fácil, jllenet, Radio de Pirabeiraba, Radio Colon, Jornal Noticias do dia. O Gute Kuche possuí dois salões, quando um está alugado o outro fica para servir os clientes. Alugam para encerramentos de empresas, escolas, para Clube de Mães, casamentos, entre outros eventos. Quando o salão é alugado vem junto o Buffet, eles não são alugados separadamente. Um restaurante que preserva a cultura alemã através da sua gastronomia, receitas que são passadas de geração em geração, que vem conquistando cada vez mais o seu público. Para conhecer mais sobre o restaurante visite o site: www.restaurantegutekuche.com.br

Horário de funcionamento:

Almoço: De terça a domingo das 11:30 ás 15 horas Café Colonial:

De terça a Domingo das 15:30 as 20 horas Jantar:

De terça a domingo das 18:00 as 22 horas

Sabores de Joinville - 8


Rádio Burguer

Sabores

Cadapio

Helena Schutel

Buscando novidades na gastronomia de

comando, Caroline Lopes Cartens, uma apaix-

ho mágico, que adotou como tema o rock anos

A inspiração para o tema da casa veio

Joinville, a equipe da Sabores visitou um cantin-

onada pela cultura americana e moda retrô.

50. A decoração do ambiente é composta por

das viagens da Carol para os Estados Unidos.

tistas da época, com direito a Jukebox tocando

Muitos itens foram comprados em São Paulo,

pôsteres do rei (Elvis Presley) entre outros ar-

sucessos do rock antigo e mobília reproduzindo as lanchonetes de trailers, comuns nos EUA.

Porém a decoração não foi fácil de encontrar. outros feitos sob medida.

Carol sentia a falta de algum lugar legal

Esse cantinho temático é a Radio Burg-

para ir aos finais de festas, formaturas, ou num

Calógeras, nº 529, Centro – Joinville/SC. No

undo ela, estava cansada de lugares que servem

er, hamburgueria localizada na Rua Ministro

passeio com a galera do colégio e amigos. SegSabores de Joinville - 8


Sabores

Cadapio

lanches, normalmente de qualidade ruim e

feito de picanha, cebola na manteiga e bacon de

idéias da Caroline foi abrir uma cafeteria, mas

ne de picanha, alface, tomate e maionese. Para

cardápio fixo, sem novidade alguma. Uma das as diversas opções espalhadas pela cidade a

fizeram repensar. Continuando com suas pes-

quisas, surgiu a idéia da hamburgueria, negócio que faz muito sucesso em São Paulo, por exemplo.

Um dos pontos fortes da hamburgue-

ria, aberta há dois anos, é atrair todo o tipo de público, por não servir bebidas alcoólicas. Não existe música ao vivo, nem cardápio de drinks.

É bastante freqüentado por adolescentes, cujos pais estão tranqüilos em casa, enquanto eles se divertem por lá.

pernil e Tennessee, o tradicional, feito com caras crianças, lanches e Milk shakes em tamanho

menor. Como novidade, os lanches vegans, ou seja, sem carne, leite, e derivados animais.

O nome Radio Burger foi escolhido por

serem palavras universais e pelo fato do rádio

ser o principal meio de comunicação nos anos 50 (tema da casa). A Carol tem planos para o fu-

turo. O projeto para a inauguração de filiais nas

cidades de Camboriú e Florianópolis já existe, e, por que não estender essa idéia para outros países também?

O foco da casa são os hambúrgueres e

não leva o rótulo de “lanchonete fast-food”. Os

pratos são personalizados de acordo com o cliente e os preços variam entre R$ 14 e R$ 24, quebrando o mito de “restaurante caro”. Para a

Carol, a classe econômica do público é indiferente, basta ter o paladar exigente e querer mais

Deixamos o convite para uma visita! O

do que simplesmente matar a fome.

Radio Burger está aberto de segunda à quinta-

am os nomes de cidades e estados americanos.

funcionamento é das 18h às 01h. Reservas po-

Os hambúrgueres da Radio Burger lev-

Entre eles, os mais pedidos são o Georgia, carne

de picanha, cheddar e cebola caramelada; Texas,

feira das 17h às 0h. Sexta e sábado o horário de dem ser feitas através do telefone (47) 30261230 ou diretamente no local.

Sabores de Joinville - 8


Salgado

Foto: Carolina Borin

Receitas

Paella Igredientes ¼ xícara (chá) de óleo 2 kg de frango em pedaços 4 cebolas médias picadas grosseiramente 1 pimentão amarelo sem sementes cortado grosseiramente 1 pimentão verde sem sementes cortado grosseiramente 1 pimentão vermelho sem sementes cortado grosseiramente 3 ½ xícaras (chá) de vagem cortada grosseiramente ½ kg de vongoli pré-cozido (com ou sem a concha) ½ kg de mexilhão pré-cozido (com ou sem a ½ concha) 6 tomates sem pele cortados grosseiramente colher (sopa) de salsinha com alho processados 1 litro de caldo de camarão 1,5 litro de água 1 colher (sopa) de corante espanhol ½ kg de lula ½ kg de camarão limpo 1 ½ kg de arroz parboilizado 1 kg de lagostim 2 kg de camarão graúdo 1 xícara (chá) de ervilha fresca pré-cozida

Modo de preparo Em um panela grande, aqueça o óleo e doure o frango. Acrescente a cebola, acerte o sal e doure-a. Em seguida, acrescente o pimentão, a vagem, o vongoli e o mexilhão Acrescente a cebola, acerte o sal e doure. Em seguida, acrescente o pimentão, a vagem, o vongoli e o mexilhão. Acerte o sal. Deixe refogar por alguns minutos. Acrescente a salsinha com o alho, o tomate, o caldo de camarão e a água. Misture bem e deixe cozinhar. Acerte o sal. Acrescente o corante espanhol, a lula, o camarão limpo, o arroz parboilizado e deixe cozinhar até que a água seque. Acerte o sal. Para finalizar, coloque o lagostim, o camarão graúdo e as ervilhas frescas. fonte: http://www.eduguedes.com.br

Sabores de Joinville - 8


Doces

Fotos: Carolina Borin

Receitas

Torta Alemã

Igredientes 600g de nata ou 2 latas de creme de leite sem soro 1 pacote de manteiga 4 gemas 250g de açúcar 2 pacotes de bolacha maizena Vinho branco ou Cognac (para molhar as bolachas)

Modo de preparo Bata bem a manteiga, as gemas e o açúcar Juntar a nata ou o creme de leite (misturar apenas) Pegar uma forma de abrir, colocar uma camada de biscoitos umedecidos da mistura de 1 xícara leite e 2 colheres da bebida escolhida, na lateral e no fundo Colocar a metade do creme, uma nova camada de biscoitos, o restante do creme e terminar com biscoitos Levar ao congelador de um dia para o outro Tirar da forma e cobrir com calda de chocolate bem quente e voltar a geladeira

Cobertura 8 colheres de achocolatado 2 xícara de leite 1 colher (sopa) de manteiga 2 colheres (sopa) açúcar Deixar cozinhar bem até engrossar. Tempo de Preparo: 1 dia e 25 min

Sabores de Joinville - 8



Sabores de Joinville