Page 43

Foto: Adidas News Stream Mapa: SEI / Governo da Bahia

das para adaptar-se ao clima, fuso horário, entre outros aspectos. Municípios do interior também podem abrigar seleções no período dos jogos, servindo como um Team Base Camp (Campo Base de Equipes), desde que apresentem uma Carta de Encaminhamento, disponível no site da Secopa. Os principais requisitos são: alojamento com 50 quartos climatizados; centro esportivo com spa, piscina, área de fitness; serviço de banquete/ restaurante estilo buffet com capacidade mínima de 50 pessoas; sala para conferência de imprensa com capacidade mínima para 100 pessoas; estar próximo a um aeroporto e ter um campo de treinamento, preferencialmente no alojamento. Caso a seleção precise se deslocar para treinar, algumas equipes exigem que a distância máxima entre o alojamento e o local do treino seja de 15 a 20 minutos de ônibus. A Carta de Encaminhamento e o manual para a candidatura estão disponíveis no site da Secopa. Vinte cidades já manifestaram interesse em ser Campo Base de Equipes, no entanto apenas dez enviaram a Carta de Encaminhamento. São elas: Alagoinhas, Camaçari, Itaparica, Jequié, Juazeiro, Lauro de Freitas, Lençóis, Mata de São João, Vera Cruz e Vitória da Conquista. Apesar do prazo estipulado pela FIFA já ter se esgotado, a Secopa garante que encaminhará os pedidos das cidades interessadas. As cidades selecionadas contarão com o apoio e supervisão da FIFA.

Turismo é a grande oportunidade Em 2014, de acordo com informações da assessoria de comunicação da Bahiatursa, a Bahia calcula receber 3,6 milhões de turistas. 759 mil pessoas são esperadas apenas para o período entre junho e julho, quando acontecerão os jogos, o que significa 114% a mais que o normalmente esperado para o período. A Bahiatursa avalia ainda que o estado chegará em 2014 com uma capacidade hoteleira de 60 mil leitos. Hoje, apenas Salvador e a região do Litoral Norte dispõem de 50 mil camas distribuídas em 396 hotéis. É nesse quesito que as cidades baianas podem aproveitar ao máximo seu potencial turístico. Seja no litoral, Recôncavo, Chapada ou Sertão, as cidades devem estimular melhorias em infraestrutura e serviços, além de criar estratégias de divulgação de seus atrativos. “Você tem que aproveitar o potencial que o município já tem e melhorar sua estrutura, porque você vai ter outras cidades competindo com você.

Os benefícios da Copa não precisam se limitar às cidades que abrigarão centros de concentração e aclimatação. Todos os municípios podem investir em sua capacidade de atrair visitantes. “Aí, vai depender do potencial da cidade para recepcionar os turistas. Nós vamos trabalhar integrados entre Governo do Estado e municípios para facilitar e induzir que o turista conheça aquela região”, diz Marco Costa.

43

Caro Gestor - edicao 03  
Caro Gestor - edicao 03  

Revista e Portal da Gestao Publica

Advertisement