Page 1

Canto do Galo


“Um sorriso saudável, uma criança feliz”

Manhã

Tarde

Segunda-feira

9h-13h

14h-20h

Terça-feira

9h-13h

14h-20h

Quinta-feira

9h-13h

14h-20h

Sexta-feira

9h-13h

Sábado

9h-15h

Diretor Clínico: Florbela Castro, OMD 5059 Rua da Abadia, nº 795-797, Fr AG-AH - 4750-063 Lijó Barcelos Telefone 253 883 973

14h-20h


3

Sumário DIRETOR ANTÓNIO BARROS

EDITORIAL

É

bom chegar ao fim de algo com a satisfação de que os objetivos traçados inicialmente foram devidamente atingidos. A revista do Agrupamento, Canto do Galo que agora chega ao público, foi aparecendo ao longo de todo o ano letivo como expressão da comunidade educativa, através dos seus trabalhos e das suas ideias para que se transforme em partilha de experiências, de valorização do empenho e dedicação aplicados e seja um importante instrumento na construção de uma cidadania ativa. Com ela, a escola aproxima-se cada vez mais do mundo que a envolve. Em contrapartida os tempos que correm não são favoráveis à estabilidade necessária para o desenvolvimento do que mais interessa numa escola - o percurso dos seus alunos. O MEC está a criar uma nova realidade organizativa, com a criação de mega-agrupamentos que afastam uma parte muito significativa dos processos educativos do poder de decidir. No entanto, o Agrupamento de Escolas Gonçalo Nunes, segundo a proposta da DREN, manterá a sua continuidade, mas pertencendo a um território educativo com duas escolas secundárias de Barcelos com as quais exercerá articulação. Apesar de alguma inquietação, provocada pela influência vinda do exterior da escola, acreditamos que a nossa persistência será uma realidade e, no próximo ano letivo, continuaremos a solicitar a colaboração de todos para este trabalho que nos anima. A equipa responsável por esta revista escolar agradece a colaboração e o interesse de todos como garantia do sucesso deste projeto do Agrupamento, deseja um bom e merecido descanso e espera, em setembro, pôr em marcha uma nova edição.

Preparar o Futuro

pág. 4

A E.M.R.C. no contexto curricular e escolar pág. 9 SEMANA DA LEITURA

pág. 15

Fertilizar as nossas raízes pág. 24

ENSINO BÁSICO - 1º CICLO

EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR

pág. 32

pág. 50

Exposição “Olhares”

pág. 7

Clube da Floresta

pág. 11

Educação Especial

pág. 18

Laços entre Gerações

pág. 25

Fado na E.B.1 Gonçalo Pereira

pág. 31

Arte com Massa

pág. 33

Poeta nasceu há 149 anos

pág. 38

Multidificiência no contexto escolar

pág. 41


4

E.B.2,3 GONÇALO NUNES

Canto do Galo/junho2012

PREPARAR O FUTURO

Diretor Dr.António Barros

E

A falta de perspetivas de futu- mais promissor, desafia a escola participativos, críticos ro, as dificuldades sentidas no a reinventar-se adaptando metoe inovadores, cidadãos acesso ao mercado de trabalho dologias e estratégias para ajuresilientes, capazes de respon- por parte de muitos alunos que dar os alunos a vencer. ducar, formar cidadãos

der aos desafios da sociedade em frequentam a escolaridade tem

Melhorar as condições físicas

mutação permanente é a tarefa e colocado, cada vez mais, entra- das nossas unidades educativas ves à comunidade educativa na que proporcionem aos alunos e objetivo principal da escola. Hoje, como ontem, continua- sua tarefa de motivar os alunos docentes um melhor desenvolvimos a inovar métodos e estraté- para a importância das apren- mento das atividades letivas, tem gias, a procurar novos parceiros, dizagens escolares, para a par- sido uma luta que em colaborauma maior e melhor participa- ticipação ativa nas atividades da ção com um corpo docente quação dos pais/encarregados de escola. Esta subvalorização dos lificado temos travado e vamos educação na vida da escola, na conteúdos escolares, por par- vencer. O nosso agrupamento,

não

estando dotado de

condições

físicas de excelência para preparar o futuro, que se prevê difícil, já tem, a nível da educação pré-escolar e do 1.º ciclo, busca de uma melhor aprendiza- te de muitos alunos, que não algumas instalações de elevada gem com vista às Metas que nos associam o sucesso escolar ao qualidade. Prevê-se para breve propusemos atingir.

sucesso pessoal e a um futuro a conclusão do seu primeiro

POR UMA ESCOLA DE SUCESSO


Canto do Galo/junho2012

E.B.2,3 GONÇALO NUNES

Centro Escolar que virá enrique- matérias lecionadas e verificar com a autorrealização. Preparar cer o Agrupamento e que pro- a assiduidade dos seus educan- o futuro é construir no presente uma escola motivadora da aprenporcionará, com certeza, uma dos. A Escola EB2,3 Gonçalo Nu- dizagem, uma escola de sucesso melhor aprendizagem dos nosnes possui, ainda, um sistema com um projeto educativo inte-

sos alunos.

Com vista a melhorar as condi- moderno de utilização de um grador, que responsabilize cada ções de trabalho, motivar os alunos e incentivar a aprendizagem, a escola sede do agrupamento tem vindo, também, a beneficiar de alguns melhoramentos. Para isso, foram criados recentemente dois Laboratórios para o desenvolvimento de atividades de ciências físico-químicas e ciências naturais, uma lacuna que há muito procurávamos colmatar. Em todas as salas de aula do agrupamento são utilizadas as mais recentes tecnologias de informação e comunicação, veículo de eleição das crianças e cartão que pretende melhorar as um dos membros da comunidajovens que constituem as nossas condições de segurança dos alu- de educativa na construção de nos no acesso à escola, agilizar um mundo melhor. É neste sen-

turmas.

Para ajudar a melhorar o os procedimentos na utilização tido que continuaremos a trabaacompanhamento dos alunos dos serviços de papelaria, bu- lhar e, estamos certos que, com que os pais e encarregados de fete e cantina e possibilitar aos a colaboração de toda a comueducação têm como direito e pais a tomada de conhecimento nidade educativa, construiremos dever, proporcionámos o aces- dos movimentos efetuados com uma escola que responda às exigências dos nossos alunos, desso, dos encarregados de edu- o cartão, pelo seu educando. cação do ensino básico, através

Preparar a escola para o futu- de a educação pré-escolar ao 9º

da internet, aos livros de ponto ro é, também, dotá-la de meios ano de escolaridade. eletrónicos onde poderão tomar que façam dela um local onde o conhecimento, diariamente, das trabalho caminhe de mãos dadas

ENSINO DE QUALIDADE

5


E.B.2,3 GONÇALO NUNES

6 4

Canto do Galo/junho2012

O Estatuto

Construir o futuro

N

Professor José Carlos Brito

Professora Maria do Rosário Castro

esta época difícil que estamos a atravessar não é fácil fazermos planos para o futuro, quer individualmente quer como comunidade. É mais fácil tentarmos só viver o dia a dia sem nos preocuparmos muito com os nossos planos e sonhos de futuro. Penso, no entanto, que é exatamente nesta fase mais difícil que cada um de nós deve apelar ao que temos de melhor, na escola, em família, em casa, os alunos, pais e professores , avós e amigos, todos. É hora de pensarmos bem no que queremos e podemos fazer para melhorarmos a nossa vida, construirmos o nosso futuro e realizarmos os nossos sonhos. Dá trabalho mas vale a pena. Aqui no nosso Agrupamento compete-nos continuar a trabalhar por uma escola de exigência, qualidade, uma escola de que todos se sintam parte, mas em que valores como o trabalho, o mérito, a solidariedade, respeito pela diferença e pelos outros façam parte do nosso dia-a-dia. A perspetiva de fazermos parte dum território educativo com as Escolas Secundárias de Barcelos num futuro já próximo, pode e deve ser aproveitada para, em conjunto, podermos desenvolver em parceria projetos educativos motivadores. Projetos e atividades que propiciem aos jovens da nossa comunidade uma formação moderna, exigente, de qualidade e a possibilidade de no seu futuro serem cidadãos capazes e realizados. Cada um de nós tem que ter consciência que só tentando e trabalhando podemos adquirir e desenvolver as competências necessárias e assegurarmos o nosso futuro e o dos nossos filhos.

O

estatuto do aluno do ensino básico e secundário tem sido objeto de alterações periódicas. Só para recordar as mais recentes, tivemos a Lei n.º 30/2002, de 20 de dezembro, alterada pela Lei n.º 3/2008, de 18 de janeiro, a Lei n.º 39/2010, de 2 de setembro, e agora o governo pretende implementar uma nova e significativa alteração. Afinal, com tanta alteração, conhecemos a lei? A tanta preocupação em mudar por parte dos legisladores deve corresponder alguma importância! Digo eu. Mas então porque será que a generalidade dos seus destinatários não a conhece minimamente? Será também pela atitude típica de desdém pelos políticos? Aqui convém ficares a saber que a última lei estabelece 19 direitos e 18 deveres para os alunos… e que os deveres estão entre aquelas regras que os professores estabelecem e comunicam no princípio do ano letivo. Por isso, para já, não te preocupes. Quanto aos direitos há muitos que os sabem todos sem que para isso tenham de ler a lei! E alguns vão ser assim para a vida toda. Não lerão nada mas saberão sempre os seus direitos. É certo que seria importante conheceres os direitos para exigires e os deveres para os cumprires. A escola como qualquer organização estabelece os direitos e os deveres dos seus intervenientes. Mas se não os conhecemos não os exigimos e não sabemos se os cumprimos. Muitos agindo normalmente de acordo com as regras estabelecidas cumprem a lei sem a conhecer, outros transgridem sem o saber e exigem sem consciência. A escola como comunidade educativa (muitos neste contexto mercantilista e neoliberal veem-na apenas como estabelecimento de ensino) também tem continua na página seguinte

POR UMA ESCOLA DE SUCESSO


Canto do Galo/junho2012

continuação da página anterior

a responsabilidade de contribuir para a criação de cidadãos que valorizem e procurem conhecer as leis que regem diferentes âmbitos da sua vida comunitária. Apesar disso, em que sentido vão as alterações ao estatuto do aluno para o ano de 2012-2013? Tens de te habituar a palavras como “autoridade”, “responsabilidade”, “disciplina”, “exigência”… coisa a que a maioria já está habituado a ouvir dos pais!... E dos professores!... E das leis passadas! Por isso não vais estranhar. E um dia que tenhas o privilégio de trabalhar neste país vais ter de manter o hábito… Eu também sou daqueles que defendem que a sala de aula é um espaço nobre de aprendizagem que não pode ser estragado por alguns que prejudicam o ambiente de aprendizagem àqueles que querem aprender. Prejudicam também os que querem ensinar: os professores. E aqui quem tem o dever de manter um ambiente positivo e propício à aprendizagem também tem de ter os meios para isso. Quem tem atitudes e comportamentos prejudiciais e contrários aos objetivos da escola não deve ser mais protegido que aquele que quer aprender. Será por existir esta ideia que as alterações vão no sentido do aumento e reforço dos deveres e reduzem alguns dos direitos? Ou será mais uma lei enquadrada em tantas outras que surgiram recentemente e que não fazem mais que “retirar” e “diminuir” aquilo a que os adultos tinham direito e aumentam os deveres para com o estado e sua sustentabilidade? Se assim é, tem um aspeto pedagógico: prepara os alunos para a vida social de adultos que os espera… E assim habilitam-se a ganhar “estatuto”.

E.B.2,3 GONÇALO NUNES

Departamento de Ciências Sociais e Humanas

EXPOSIÇÃO “OLHARES” Alunos pesquisaram 3 gerações ob a forma de exposição documental relacionada com a intergeracionalidade esteve patente, na E.B. S 2,3 Gonçalo Nunes, entre os dias 26 de abril e 4 de maio de 2012, uma exposição denominada “Olhares”.

Esta atividade inserida no âmbito do “Ano Europeu do Envelhecimento Ativo e da Solidariedade Intergeracional” conseguiu que cada aluno fizesse uma investigação documental fotográfica de um familiar, “balizada” de preferência, entre os anos 60 / 70 para que elaborasse um trabalho que teria, obrigatoriamente, de conter uma breve descrição dos familiares representados. Nesta recolha documental, os encarregados de educação tiveram um papel extremamente importante e fundamental uma vez que, não só ajudaram os seus educandos na recolha de fotografias, mas também, participaram nesta atividade , os professores dos grupos disciplinares de História e Geografia de Portugal e todos os alunos do 5.º ao 9.º anos de escolaridade. Muitos dos trabalhos apresentados “reuniram” três gerações. A intergeracionalidade foi uma realidade documentada e exposta.

ENSINO DE QUALIDADE

7 5


ASPEE (Associação de Pais e Encarregados de Educação)

8 4

Canto do Galo/junho2012

Magusto da ASPEE envolveu toda a escola

C

elebrar o S. Martinho é já uma tradição da ASPEE. Assim à semelhança dos outros anos, com a colaboração do Clube da Floresta, esta associação organizou o magusto sensibilizando para as tradições, valorizando o nosso património florestal e criando espaços de confraternização e convívio. Todos foram envolvidos, alunos, pais, professores e assistentes operacionais. O Clube da Floresta responsabilizou-se pela decoração e recolha das castanhas. Aos alunos foram pedidas castanhas. A ASPEE comprometeu-se a comprar os sumos e mais castanhas. A associação de pais ainda mandou assar as castanhas, elaborou um separador de livros e contratou um assador. Alunos, Pais, Assistentes Operacionais, Professores ajudaram na preparação da banca e na distribuição das castanhas. O evento foi animado com a boa disposição, e pela grande participação que envolveu. O assador, na entrada ia oferecendo castanhas a quem passava fazendo as delícias dos mais novos. Os alunos do Clube de Percussão animaram o intervalo. Decorreu com grande entusiasmo dos alunos e elogios da restante comunidade escolar. A quantidade de castanhas distribuídas pelos alunos foi razoável, o que nos deixou cheios de orgulho pelo trabalho realizado, tendo por isso valido a pena todo o empenho. A todos os que participaram de um modo geral, o nosso muito obrigado porque os nossos jovens merecem! Associação de Pais da Escola EB 2,3 Gonçalo Nunes

“Suporte Básico de Vida”

A

Associação de Pais e Encarregados de Educação da Escola E.B. 2,3 Gonçalo Nunes, em colaboração com o grupo de Educação Física, organizou uma ação de formação de “Suporte Básico de Vida” que decorreu no auditório da nossa escola no passado dia 16 de abril de 2012. Esta ação foi ministrada pelo Enf.º Rui Gonçalves e pela Enf.ª Aura Gonçalves e teve como destinatários alguns funcionários das diversas unidades educativas do nosso Agrupamento, bem como dos profissionais de Educação Física que trabalham neste estabelecimento de ensino.

POR UMA ESCOLA DE SUCESSO


Canto do Galo/junho2012

E.B.2,3 GONÇALO NUNES

A E.M.R.C.

no contexto curricular e escolar “Formar cidadãos intervenientes, capazes de defender as suas convicções e assumir as responsabilidades no desempenho do papel que lhes vai ser confiado, para a construção de uma sociedade melhor, é, também, uma preocupação subjacente à elaboração e operacionalização do nosso Projeto Educativo”.

C

omeço com esta citação para enquadrar sumariamente a disciplina de Educação Moral e Religiosa Católica (EMRC) no contexto curricular e escolar. O Ensino Religioso Escolar ocupa um lugar próprio num sistema que se quer educativo. Nada do que é próprio à pessoa será estranho à sua educação. Atendendo à importância de que se reveste a educação integral da pessoa humana, a Educação Moral e Religiosa, em linha com as convicções dos encarregados de educação ou dos alunos, é parte integrante do sistema educativo, uma vez que o enquadramento moral e religioso da vida é estruturante para o crescimento das crianças e dos jovens, constituindo um universo de referência a partir do qual se estrutura a personalidade e se adquire uma visão do mundo equilibrada e aberta ao diálogo com mundividências alternativas. Trata-se de uma opção, e a sua existência advém da opção dos encarregados de educação ou dos alunos. Sendo confessional é opcional: “disciplina de oferta obrigatória e de frequência voluntária”, de acordo com a última revisão curricular. “O desenvolvimento histórico nacional é claramente marcado pela

mundivisão cristã em geral, e católica em particular, nas suas diversas interações com outras visões e culturas ao longo dos tempos. Nesta perspetiva, o programa de EMRC estabelece pontos de contacto entre a cultura portuguesa, nas suas vertentes literária, patrimonial e artística e a mensagem cristã. De facto, a cultura portuguesa, nas suas mais variadas manifestações, reflete, em constante intertextualidade, as expressões simbólicas, rituais e doutrinais do Cristianismo. As crianças e jovens precisam, mais do que nunca, de um conhecimento sério do fenómeno religioso, tanto das suas potencialidades conflituais, exploradas por fanatismos radicais, como principalmente das suas possibilidades no sentido da construção de relações baseadas no entendimento e no encontro entre todos os seres humanos. Não é possível compreender muitos dos eventos internacionais sem uma clara referência ao religioso e às suas múltiplas manifestações.” http://www.educris.com A religião foi e é muitas vezes invocada como um fator de conflito e violência. Contudo é e deve ser um fator de aproximação das pessoas e dos povos. O ensino religioso deve promover a interiorização de valores que conduzam a uma ação

que defenda a concórdia e a paz entre os povos. Considero que é de evidente interesse para a educação das crianças e dos jovens a existência de uma disciplina que, embora mantendo o seu carácter facultativo dada a sua natureza confessional, tenha como objetivos fundamentais educar para a dimensão moral e religiosa e para a compreensão dos elementos mais profundos da cultura nacional, necessariamente aberta ao mundo. É baseada nestes príncípios que a disciplina é assumida nas escolas e no nosso agrupamento. É esta a opção educativa assumida por cerca de 90% dos nossos alunos. É esta opção que nos legitima e responsabiliza. José Carlos Brito

CANTO DO GALO

Ficha técnica Coordenação Professores: Fernando Maciel, Manuel Santos, Armindo Silva Redação

Clube de Jornalismo e Imagem Alunos e professores Escolas do 1º, 2º e 3º Ciclos Jardins de Infância Agrupamento de Escolas Gonçalo Nunes - Barcelos Colab. especial: Milena e Mafalda 8ºD Propriedade: Agrupamento de Escolas Gonçalo Nunes - Barcelos Tiragem: 3 000 ex.

Nº5 JUNHO 2012

Sabias que o 5º ano foi o ano de escolaridade que mais livros requisitou (58, 6%) num universo de mais de 2000 livros?

9 5


E.B.2,3 GONÇALO NUNES

10 4

O Planeta dos Macacos

Canto do Galo/junho2012

Pedro Eduardo 6ºG

E

ra uma vez um belo Mundo de fantasia chamado «O Mundo dos Macacos». Este Mundo era um belo lugar onde toda a gente era feliz, tinha belos oásis e era habitado por centenas e centenas de macacos! Eles eram os líderes e o homem, em pequena minoria, era controlado pelos seres superiores, os macacos. Nem os macacos, nem os homens poluíam e, apesar de os primatas serem líderes, todos viviam em harmonia e em igualdade, porque nem os macacos nem os homens se achavam superiores. Por ser um pequeno mundo, ninguém andava de carro, andava-se, sim, a pé, e quem não andava a pé, andava de bicicleta. Por causa disso, toda a gente fazia exercício físico e ninguém era obeso. Certo dia, o Planeta dos Macacos foi redescoberto pelos habitantes do longínquo Planeta Terra, que enviaram alguns deles para explorar, com mais afinco, o Planeta dos Macacos. Eles levaram carros, máquinas poluidoras, acabando por, eles próprios, poluírem aquele maravilhoso planeta. Chegou uma altura em que os macacos deram conta dos estragos e da poluição que os habitantes do Planeta Terra estavam a fazer e não gostaram disso. Quando tudo isto chegou aos ouvidos do Presidente Macacolas, este ordenou, imediatamente, que arranjassem o que destruíram, limpassem o que poluíram, e fossem expulsos. E foi assim que os Macacos e os Homens que habitavam naquele planeta maravilhoso descobriram como se comportam os Homens que viviam e ainda hoje vivem em planetas, como o Planeta Terra.

O meu melhor dia de férias

Ana Mota Barbosa 6ºD hegou o Natal, para mim o melhor dia das minhas férias. Vejo sempre a quadra natalícia como momentos de partilha, união e amizade entre amigos e familiares. Durante o dia, ajudei na preparação dos doces de Natal: rabanadas, mexidos, aletria, pão de ló e o maravilhoso bolo-rei. Via-se no rosto das pessoas uma alegria diferente do habitual. Depressa chegou a hora da ceia. Saboreámos o delicioso bacalhau e depois todas aquelas sobremesas a que não conseguimos resistir. Durante a noite, em frente à lareira, todos jogámos os tradicionais jogos de Natal: rapa, pinhão, cartas e dominó. A meia-noite chegou e com ela os presentes apareceram junto do pinheirinho, iluminado com luzes de várias cores. Foi uma grande azáfama a distribuição dos presentes, e não houve ninguém que ficasse sem presente. O Pai Natal presenteou mais as crianças do que os adultos, mas o mais importante foi a união familiar, a alegria e o entusiasmo presente em todas as pessoas neste grande dia de Natal. Gostei muito do meu melhor dia de férias – o Dia de Natal!

C

POR UMA ESCOLA DE SUCESSO


Canto do Galo/junho2012

E.B.2,3 GONÇALO NUNES

CLUBE DA FLORESTA “O AZEVINHO”

F

azendo parte do Bilhete de Identidade desta escola, o Clube da Floresta tem como principal objetivo dar resposta aos tempos livres dos alunos de uma forma cívica, saudável e em contacto com a natureza. Temos o privilégio de ter, desde 1995, um minizoo e, embora mais recente, uma estufa. A adesão dos alunos é significativa e a sua dedicação aos animais é bem demonstrativa do valor que esta valência tem para o nosso agrupamento. Estes espaços são, ao longo do ano letivo, visitados por crianças do nosso agrupamento da educação pré-escolar, bem como do 1.º ciclo. No início do ano escolar foram muitas as inscrições dos alunos para frequentar este clube. Durante o ano letivo permaneceram todas as semanas, em regime permanente, cerca de vinte alunos do 2º ciclo, destacando-se as turmas J, B e O do 5.º ano. Foram muitas as atividades desenvolvidos, destacando-se: - A comemoração do dia 5 de Outubro, - Dia do animal, tendo sido abertas as portas a outras escolas, de forma a poderem participar na exposição/ concurso de fotos de animais de estimação; - O dia vinte e um de março, com a realização e venda de arranjos de plantas, permitindo aos nossos alunos cultivar a relação com a comunidade educativa, o saber estar, criação de histórias sobre os animais, recolha e conhecimento de diversas sementes. O nascimento e crescimento dos animais, (coelhos, periquitos agapones…) tem sido um trabalho desafiante, pois um número considerável das nossa crianças e alunos nunca vivenciaram tal realidade. No minizoo temos diversos animais tais como; rolas turcas, rolas de diamante, pombas comuns, pombas de leque, agapones, periquitos, mandarins, bicos de lacre, faisões, patoreal, patos bravos, patos mudos, codornizes, galinha da índia (fraca), coelhos, peixes, cágados, caturras, entre outros. Estamos abertos para receber animais que o minizoo comporte. Os nossos alunos jamais esquecerão as experiências aqui vividas, pelo que a sua manutenção e desenvolvimento está nas nossas pretensões. Aproveito para deixar um agradecimento à direção por todo o apoio prestado, bem como aos encarregados de educação e ao Sr. Américo, pela colaboração na doação de animais. A coordenadora: Teresa Coturela

“A infância é o tempo de maior criatividade na vida de um ser humano” Piaget

11


12 4

E.B.2,3 GONÇALO NUNES

Canto do Galo/junho2012

Ser amigo é...

Escrita recreativa

…apoiar nos momentos fáceis e difíceis. …ser verdadeiro. …ajudar quando é preciso. …ouvir o outro com atenção. …ter um coração enorme. …amar o outro ignorando os seus defeitos. …dar amor e carinho. …partilhar. …ter alguém para brincar. …compreender. …emprestar algumas coisas a quem não as tem. …acreditarmos uns nos outros. …não pôr o outro de parte. …ser fiel. …sonharmos juntos. …é fazer o outro feliz. …é nunca perder a esperança. …é alegrar quem está triste. …é proteger. …pagar um lanche. …é dar. …é nunca o deixar para trás. …é jogar à bola com ele. 5ºK …é ajudá-lo quando ele se magoa.

O meu desejo...

O

…ajudar o outro. …partilhar. …ser solidário. …deixar brincar com as suas coisas. …nunca deixar o outro sentir-se sozinho. …ser verdadeiro. …brincar com o outro. …nunca dizer não, sabendo que o pode magoar. …dar o nosso amor. …sacrificar-se pelo outro. …dar aquilo que o amigo precisa. …ajudar uma pessoa num momento difícil. …gostar de uma pessoa que gosta de nós. …perceber o outro. …imaginar um mundo diferente para o amigo. …não julgar o outro por aquilo que ele é. …dar um bocado de nós. …saber ouvir. …estar em harmonia. …gostar de estar com alguém. …estar presente nos bons e nos maus momentos. …estar em união com o outro. …fazer o outro feliz. 5ºM …andar sempre de mãos dadas.

escrita recreativa

meu desejo é difícil de concretizar, aliás, muito difícil: quero ir aos jogos olímpicos de judo e ficar no pódio. Claro que tenho de treinar muito e chegar ao cinturão preto. Ficar no pódio, no primeiro ou segundo lugar, não só significava ir aos jogos olímpicos, como também ser o melhor português de todos os tempos no judo. E ganhar uma medalha não é para qualquer um! Tocar o hino nacional de Portugal e a bandeira subir aqueles ferros, é a melhor coisa que pode haver! Mas ainda falta muito…tenho de treinar para avançar de cinto, pois ainda estou no laranja e verde, depois vou para o verde, logo a seguir verde e azul, depois azul, castanho e, finalmente, chego ao preto. Este meu sonho tira-me o sono… Mas, apesar de ser difícil, tenho a certeza que me será possível realizá-lo. Não se admirem, por isso, se nos jogos olímpicos de 2020 eu estiver lá a competir. Gonçalo Rodrigues 5ºM

POR UMA ESCOLA DE SUCESSO


Canto do Galo/junho2012

E.B.2,3 GONÇALO NUNES

Textos

O meu primeiro dia de aulas Beatriz Figueiredo 6ºE

O

meu primeiro dia de aulas começou bem cedinho, às sete e um quarto certinhas. Acordei bem disposta, e ao sair do carro para ir para a escola, senti o meu coração bater mais depressa e muito apertadinho, pois as saudades dos amigos e dos professores eram muitas. Corri para a sala, vi toda a gente a falar muito contente. Finalmente a minha turma todinha! A primeira coisa de que me lembro de fazer foi perguntar a alguém em que lugar eu tinha ficado no concurso de Língua Portuguesa que tinha sido realizado no penúltimo dia de escola do ano anterior. No último dia eu não estive e não soube dos resultados. Tinha ficado em primeiro lugar! O primeirinho deles todos. Não sei porquê, mas abracei logo quem estava à minha frente e desatei a pular. Depois de toda esta euforia, eu e as minhas amigas conversamos sobre o que tínhamos feito, o que não fizemos, o que gostaríamos de ter feito e o que iríamos fazer durante este ano letivo. Dei-lhes umas pulseiras que tinha comprado nas férias. Senti-me bem por estar ali com elas. Depois vieram as apresentações. Gostei de todos os professores. Em casa, fiz a pasta o mais devagar que pude nessa noite e consegui apreciar calmamente e com cuidado todos os livros. Jantei, vi televisão e deitei-me. Adormeci a pensar no quanto eu adoro a escola e os meus amigos!...

Natal O natal é alegria É época de receber e oferecer Não te esqueças de ninguém Que seja importante no teu ser. O natal é família Todos juntos a conviver Gostamos de ouvir lendas Que eles têm para nos oferecer. Também gosto de prendinhas, Que no natal me dão. E gosto da minha família Porque vive em união.

Não podemos esquecer Que no natal nasceu Jesus. Que bom era ter paz no mundo, E no coração de todos muita luz. Que o natal não seja só palavras, Mas o que sentimos no coração. Sê solidário sempre, E dá aos outros muita animação. Maria José Machado 5ºC

A escola é fantástica Livros, lápis e cadernos Tanto material necessário. Começaram as aulas É importante o estudo diário. Se todos os dias eu me dedicar, Sei que vou ser recompensado Quando os testes receber, Pelo meu trabalho. A preguiça é inimiga da perfeição, Não adianta fazer tudo à pressa Pois, já se sabe, quem é trapalhão, No final recomeça! Ricardo Dourado 5ºC

A Escola Eu gosto da minha escola Ela é linda, é um amor. Um dia de lá sairei Tão fina como um doutor! Gosto das minhas amigas E vou gostar delas sempre. Quando se é amigo a sério É-se amigo eternamente! Os meus professores são bons Ensinam como ninguém. Vou recordá-los sempre, E agradecer-lhes também! Gabriela Monteiro, 5ºC

Concurso Língua Portuguesa - 5º Ano 3º lugar - Pedro Manuel Rodrigues Fernandes, 5º M

13 5


14 4

E.B.2,3 GONÇALO NUNES

O meu desejo... Sempre desejei ser escritor. É uma grande ambição, mas que espero alcançar, com muito esforço. Fascina-me toda a fantasia que envolve um livro infantil! Encanta-me a poesia, a forma como recitamos cada estrofe, cada verso, cada rima! Adoro o suspense dos policiais e a adrenalina dos livros de aventura! Gosto muito de um bom livro de comédia para rir, rir e rir até mais não poder. A imaginação é um aspeto muito importante para se ser escritor e, na minha opinião, cada livro deve ser tratado com todo o carinho que temos para dar! Pedro Manuel 5ºM

Quando tinha sete anos, sonhava vir a ser um jogador de futebol. Eu gostava de ir jogar para a rua, pois havia um grande campo de futebol, lá perto. Mas a minha mãe dizia: - O futebol é muito perigoso! A vontade de o concretizar era tanta, que queria ser muito famoso, ganhar muito dinheiro e o melhor…poder jogar futebol. A minha mãe não concordava mas o meu pai não se importava, pois ele também teve o seu sonho. Quando fiz os meus nove anos, a minha mãe deu-me uma mochila nova para a escola e o meu pai deu-me o que eu sempre sonhara ter: umas chuteiras com pitões, uma bola da liga dos campeões e um equipamento do F. C. Porto. Com isso, aprendi a jogar melhor e agora sou um craque no futebol. Acho que sempre vou concretizar o meu sonho…

Canto do Galo/junho2012

Escrita recreativa

O meu sonho Certa noite, tive um sonho que gostava que se tornasse realidade: ser jogador de futebol. O sonho era assim: Eu jogava no Gil Vicente e o meu treinador dizia que eu jogava muito bem. Numa noite de treino, a minha mãe foi ver o meu jogo. O treinador chamou-a e sugeriu-lhe que eu fosse para o Sporting. Quando a minha mãe me contou a novidade, eu pulei de alegria. Fui para lá e o meu novo treinador cumprimentou-me logo. No início, estava um bocado envergonhado, mas depois habituei-me e comecei logo a jogar bem. O melhor ainda estava para vir… Fui contratado pelo Barcelona para jogar nos sub-15. Só ia a casa de mês a mês, para ir visitar a minha mãe, a família e o meu cão. Depois, acordei e vi que tudo não passou de um sonho. Fiquei muito triste! A partir daí, esforço-me para que isso se torne realidade.

Mário Costa 5ºM

Rui Santos 5º K

A Catatua Duas catatuas Muito apaixonadas Na fotografia Foram apanhadas.

A crista bem alta Parece indicar Que a qualquer momento Se querem beijar.

D’olho arrebitado Conversam baixinho. Parecem felizes Lá no seu cantinho.

Mas muita atenção A este casal Porque a paixão Pode correr mal. Turma 5º K

POR UMA ESCOLA DE SUCESSO


Canto do Galo/junho2012

E.B.2,3 GONÇALO NUNES

Semana da Leitura

Cooperação e Solidariedade A

celebração da Semana de Leitura do presente ano, na sua 6ª edição, junta-se, mais uma vez, à comemoração da temática proposta pela Organização das Nações Unidas, centrando-se na Cooperação e Solidariedade”. Assim, a Semana da Leitura no nosso Agrupamento, na sua segunda edição de âmbito concelhio, decorreu na semana de 5 a 9 de março, com diversas e interessantes atividades de promoção do livro e dos hábitos de leitura, tal como o Plano Nacional de Leitura sugere. O desenvolvimento de atividades em torno da leitura e da promoção dos hábitos e do gosto pela leitura tem sido, por si só, uma causa social e cultural de todos, pelo que a leitura poderá ser uma força motriz que estimula a cooperação entre entidades muito diversas e que gera movimentos em torno de causas de solidariedade social fundamentais para as várias comunidades e para a população em geral. Assim entre outros objetivos importa salientar o despertar o gosto pelas artes (o teatro, a música, a literatura, a dança, entre outras); possibilitar o conhecimento de várias formas de comunicar; promover o contacto dos escritores com os seus leitores; formar leitores competentes; envolver a comunidade escolar e educativa no projeto “Nós, a Natureza e a Poesia”; aumentar os níveis das diversas literacias e proporcionar o espírito de partilha entre as crianças da educação Pré-Escolar e os alunos mais velhos do Agrupamento; promover o espírito de solidariedade entre as crianças e os idosos, em particular os utentes do Lar da Rainha Leonor da Santa Casa da Misericórdia de Barcelos. Foram ainda desenvolvidas parcerias com a Escola Secundária de Barcelos, Escola Integrada de Vila Cova, Escola Básica 2º e 3º ciclo de Manhente, Santa Casa da Misericórdia, Associações de Pais, familiares dos alunos, Departamento de Línguas, Departamento de Matemática e de Ciências Físicas e Naturais, Clube de teatro, Clube de percussão, Clube de dança e a livraria ‘Ler é Saber’.

A abertura oficial

A abertura oficial da semana da leitura, para além da direção do agrupamento contou com a presença do bibliotecário municipal, Dr Victor Pinho, da animadora social da Biblioteca Municipal, Alexandra Ferreira, “Danças na Escola” do Clube de Dança e das crianças da educação pré-escolar do nosso agrupamento que apresentaram o encantador “Momento das palavras”. Neste mesmo dia, foi aberta ao público, a exposição “Nós, a Natureza e a Poesia” e a Feira do livro da livraria “Ler é saber”. Ao longo da semana o clube de teatro apresentou vários “sketchs” aos utentes do lar da Santa Casa da Misericórdia. A EB1 Gonçalo Pereira brindou os mesmos utentes com um teatro de fantoches e as turmas do Curso de Educação e de Formação também participaram com a atividade “Segredos - Jardinagem e Horticultura/Floricultura”. As escritoras Palmira Martins e Manuela Ribeiro passaram pelo nosso agrupamento assim como a vereadora da educação e da cultura, Dra. Armandina Saleiro. No encerramento e após a visualização e avaliação das atividades realizadas ao longo da semana, houve um momento de leitura de poemas pelos alunos em diversos idiomas seguido de um espetáculo de luz e de cor e uma atuação musical por alunos do nosso agrupamento.

“A escola é o tempo de maior criatividade na vida de um ser humano” Piaget

15 5


16 4

E.B.2,3 GONÇALO NUNES

O meu desejo... Escrita recreativa

T

udo começou num dia quente de verão. Queria muito ter uma bateria! Como estava muito calor, fui tomar um banho para me refrescar. Vesti-me e sentei-me no sofá a ler. Para me concentrar melhor, peguei no comando da televisão para baixar o volume mas, em vez disso, mudei de canal. Estava uma banda a dar um concerto. Quando ouvi a bateria a tocar, fascinei-me. Queria ter uma igual àquela. Fui a correr chamar a minha mãe e, puxando-a pela mão, trouxe-a à sala para ela ver aquele grupo. A seguir, perguntei-lhe se me comprava uma bateria para eu tocar. Ela respondeu: - É muito cara! Logo depois, levou-me ao parque e lá encontrei um senhor que deixava as pessoas tocar bateria. Decidi experimentar e, no final, o senhor disse-me que tinha muito jeito para tocar aquele instrumento. Perguntou-me se eu queria ter aulas de bateria. Sem hesitar, respondi que sim. Dias depois, os meus pais compraram-me uma. Eu gostei muito de ter aprendido a tocar aquele instrumento e agora treino todos os dias. José Paulo 5º K

Canto do Galo/junho2012

Pombo de leque

C

erto dia, eu pedi à minha mãe que me comprasse uma bicicleta nova, porque eu gosto muito de andar de bicicleta. Mas, como elas são muito caras, a minha mãe disse que eu tinha de esperar, porque, naquele momento, ela não tinha dinheiro. Então, quando eu acordava todas as manhãs, ia à beira da minha mãe e dizia: - Mãe, eu quero uma bicicleta nova. - Quando eu puder, prometo que te compro a bicicleta - disse ela. E, no dia em que eu fiz nove anos, a minha mãe, o meu pai e o meu irmão deram-me o que eu tanto queria: uma bicicleta nova! Quando a recebi, quis logo andar nela e nem sequer quis abrir as outras prendas. E todas as minhas primas da minha idade, ou mais velhas do que eu, quiseram andar na bicicleta. E eu deixei. Ana Gabriela 5ºK

Nome Popular:

Pombo de Leque Nome Científico:

Columbia lívia Família:

Columbidae Origem:

África Dois casais de pombos Bem empoleirados Olhavam os campos Muito esverdeados. Com cauda de leque E bico curtinho Os pombos encantam Um qualquer vizinho. Símbolos de Paz E de harmonia D’ arrulho em arrulho Trazem alegria. 5º M

POR UMA ESCOLA DE SUCESSO


Canto do Galo/junho2012

E.B.2,3 GONÇALO NUNES

TEATRO RIVOLI

“Uma aventura de Ulisses” Maria João Portela 6ºG

N

o dia 16 de março de 2012, nós, os alunos de 6º ano da escola EB2,3 Gonçalo Nunes, fomos assistir a uma peça, no Teatro Rivoli, na cidade do Porto. Com partida às 14.30h, iniciámos a expedição de autocarro ao

A chuva A Joana previu… Uma tempestade vinha aí, Virou-se para a mãe e disse: - Mãe, é melhor sairmos daqui! Ela estava preocupada, Muita trovoada a retinir Continuava a falar com a mãe Até uma gota de chuva começar a cair. Começou a saltar, Começou a chorar, Começou a correr, Começou a gritar, Muita assustada, No quarto se foi esconder, Deitou-se na cama, Sem uma vez se mexer. Ela não comia, Ela não bebia, E nem sequer O seu corpo sentia.

Porto. A viagem parecia não terminar, pois estávamos todos ansiosos e divertidos. A minha turma estava tão contente que até cantou durante a viagem. Ainda antes de partirmos, já estávamos acompanhados pela nossa diretora de turma, por professores auxiliares e pela professora de Língua Portuguesa, pois tratava-se de uma atividade desta disciplina, relacionada com a obra estudada nas aulas “Ulisses”. Quando chegámos ao Porto, já ninguém conseguia esperar. Às 16:30 entrámos numa belíssima e enorme sala, onde o teatro decorreria, a sala do Teatro Rivoli. A peça “Uma aventura de Ulisses” era uma mistura da versão original escrita por Homero e a versão reescrita por Maria Alberta Menéres. A peça, apesar de se inspirar numa história muito antiga, as aventuras do herói grego, Ulisses, baseou-se numa versão atual, bastante divertida e cómica. Os atores, profissionais da Cultural Kids, protagonizaram excelentemente a peça, pois estava bem construída, e fora encenada pelo saudoso António Feio. Adorámos o ambiente, o convívio entre as várias turmas, a peça, e espero poder repetir esta experiência. Considero bastante positiva, da parte dos professores de Língua Portuguesa, a iniciativa de nos demostrarem perspetivas diferentes para conhecer uma obra.

Passada uma hora, A prevista chuva veio Estava tudo muito negro… Ficara tudo muito feio. Era uma chuva tão forte Que a velhinha casa caiu. A Joana ficou tão triste Que o seu coração se partiu. Passadas seis horas A chuva, enfim, começou a acalmar Mas a sua mãe estava morta E Joana, sozinha, começou a chorar. Mas a sua dolorosa lágrima Na face da sua mãe caiu, Olharam uma para a outra E a mãe abriu os olhinhos e sorriu. O coração da mãe Nunca mais bateu E a Joana então Soube que a mãe morreu. Não aguentando aquela dor, No rio se afogou, Mas depois, no céu, Sua mãe reencontrou.

Filipa Cunha 6º G

Sabias que o Maurício e o João (ambos do 7º B), e o Silá (8º C) representaram a nossa escola no Concurso de Leitura, na fase distrital em Braga?

17 5


18 4

E.B.2,3 GONÇALO NUNES

EducaçãoEspecial

EXPOSIÇÃO (A)BRAÇOS COM A CONVENÇÃO

Canto do Galo/junho2012 O nosso filme

A

Exposição (A) BRAÇOS COM A CONVENÇÃO encerrou um conjunto de atividades desenvolvidas, ao longo do ano, pelo Grupo Temático da Deficiência, integrado na Rede Social da Câmara Municipal de Barcelos. Este grupo é composto por todas as Instituições que apoiam pessoas com deficiência e todos os estabelecimentos de ensino do concelho, sendo a coordenadora do grupo disciplinar de educação especial a representante eleita dos agrupamentos de escolas do concelho. No dia 3 de dezembro, Dia Internacional da Pessoa com Deficiência, a Senhora Vereadora da Ação Social da Câmara Municipal de Barcelos, no decorrer da Caminhada “Pelo mesmo Pé de Igualdade”, inaugurou a Exposição na Sala Gótica. A atividade foi dinamizada pelas docentes Berta Costa e Leonor Pereira e teve a colaboração do docente Fernando Maciel.

Torneio Intergeracional de Boccia

N

o âmbito das comemorações do Ano Europeu do Envelhecimento Ativo e da Solidariedade Intergeracional, os Grupos Disciplinares de Educação Especial e Educação Física e Desporto scolar levaram a efeito a atividade programada no Plano Anual e Plurianual de Atividades, o Torneio Intergeracional de Boccia. A atividade realizou-se no dia 21 de março e teve a participação de cerca de 43 atletas de quatro instituições do concelho: Lar de Idosos da Stª. Casa da Misericórdia de Barcelos, utentes da Associação AVC, utentes do Centro de Atividades Ocupacionais da APAC e os alunos com NEE da EB2,3 Gonçalo Nunes. A arbitragem e o secretariado do Torneio foram assegurados por 18 alunos, 14 deles pertencentes à turma de Jardinagem e Espaços Verdes do CEF 1 e os restantes a turmas do 6º e 7º anos de escolaridade.

POR UMA ESCOLA DE SUCESSO


Canto do Galo/junho2012

E.B.2,3 GONÇALO NUNES

8º e 9º ano, dois dias, na capital

Alunos visitam monumentos importantes

O

s alunos de EMRC dos 8º e 9º anos tiveram a possibilidade de visitar diversos locais de interesse histórico e cultural de Lisboa num fim de semana de março… mesmo no final do 2º período. Esta visita de estudo acabou por ser culturalmente muito enriquecedora, embora no princípio fosse pensada mais para corresponder ao objetivo do projeto educativo de “contribuir para o desenvolvimento cívico do aluno, nas suas diversas vertentes”. Foram muitos os locais visitados na capital, onde se incluiram o Palácio de Belém, os Jerónimos, a Torre de Belém, museus, e no regresso a passagem pelo Jardim Oriental (Buddha Garden) que muito sensibilizou os alunos pela sua beleza. A noite em bungalows no Parque de Campismo foi mal dormida, tal como pretendiam! Mas quem não se recorda dessas casinhas em madeira no interior do pinhal, dificultando a vida aos professores que os queriam deitados e calmos cada um com seus melhores sonhos? Mas a excitação do momento afasta o sono e o dia seguinte é que paga!

Educação Ambiental na mira dos nossos alunos

N

o passado dia 1 de março, na companhia do professor Jorge Silva, os alunos da turma C do quinto ano, realizaram uma visita de estudo ao Centro de Educação Ambiental das Ribeiras de Gaia e à Reserva Natural Local do Estuário do Douro. Esta atividade teve como principais objetivos a visita à Expoanfíbios, permitir um conhecimento da biodiversidade e importância dos habitats húmidos, bem como sensibilizar a comunidade escolar para a preservação dos charcos enquanto reservatórios de biodiversidade, assim como dar a conhecer a importância dos rios, dos estuários e das espécies aí existentes. Nos vários terrários observados, puderam visualizar várias espécies de anfíbios: sapos, rãs, relas, salamandras, tritões e uma rã – de – unhas - africana, apanhada num rio local. Nos aquários piscícolas observaram a truta arco – íris, carpa, a boga, a enguia, o pimpão, a solha, os bordados, pardelhas, os peixes mosquitos, os esgana--gata e várias cobras, assim como um cágado comum. No último aquário estavam representadas algumas das ameaças a que estas espécies estão sujeitas, como por exemplo o lagostim de água doce, a poluição aquática, a destruição dos habitats e a introdução de espécies exóticas. Finalmente, visitaram o “museu”, onde observaram várias fotografias sobre as várias espécies de anfíbios, suas características e suas ameaças, onde todos ficaram a saber as diferenças entre sapos e rãs, entre salamandras e tritões. No regresso à escola, a turma fez uma paragem na Reserva Natural Local do Estuário do Douro e no sapal da baía de S. Paio, para observar as aves aquáticas. Preservar, Proteger e Divulgar as nossas espécies de uma forma consciente é tarefa de cada um e, cada vez mais, de todos. Utilizar a Natureza, respeitando-a e compreendendo as suas forças, sem a destruir, é um dever de todos. Concurso Língua Portuguesa - 5º Ano 1º lugar - José Paulo Rodrigues Azevedo, 5º K

ENSINO DE QUALIDADE

19 5


E.B.2,3 GONÇALO NUNES

20 4

Canto do Galo/junho2012

TEATRO

Alunos animaram atividades da Biblioteca E

m parceria com a Biblioteca Escolar, o Clube de teatro, orientado pelo professor Fernando Maciel, colaborou sempre que solicitado, desde que todo o grupo estivesse disponível. Divididos em três grupos, os 27 alunos inscritos, trabalharam durante o ano letivo para desenvolverem as suas capacidades nesta área da representação. Todos os alunos realizam jogos dramáticos, pequenas representações do quotidiano, jogos comportamentais, jogos sonoros, jogos corporais, jogos gestuais entre outros. Os vários grupos trabalharam a obra “O Rei Lambão” do escritor José Vaz”, “ O Macaco de Rabo Cortado” do escritor António Torrado, “Cenas da vida do quotidiano” criada pelo grupo, “ A Noite de Natal” de Sophia Melo Breyner, “A Lenda do Galo de Barcelos” em teatro de rua. A obra “Quem chama pela fada do galo preto” de Helena Osório “ foi representada no Auditório da Biblioteca Municipal para a escritora e para a ilustradora e reconhecida pintora Emília Nadal. Participaram na Semana da Leitura representando, na escola, para os idosos do Lar da Santa Casa da Misericórdia de Barcelos, alguns sketchs e deslocaram-se ao Lar para apresentar as peças “ O Macaco de Rabo Cortado” do escritor António Torrado, “Cenas da vida do quotidiano” criada pelo grupo.

De mãos dadas No dia 30 de março, em parceria com o Clube de Percussão orientado pelo professor Rui Fernandes, representaram no Lar da Santa Casa da Misericórdia de Barcelos, “A Lenda do Galo de Barcelos” em teatro de rua.

POR UMA ESCOLA DE SUCESSO


Canto do Galo/junho2012

E.B.2,3 GONÇALO NUNES

Corta-mato A

pesar da habitual chuva de inverno que tem banhado todas as provas de anos anteriores, este ano o Corta-mato do nosso agrupamento teve sol durante toda a manhã o que ajudou ao sucesso da atividade e ao agradável convívio que os pequenos atletas aguardam, no final das provas. O parque municipal coloriu-se com cerca de 700 alunos que sob a vigilância de professores, pais, assistentes operacionais, a segurança da P.S.P. e o apoio médico do B.V. Barcelos, realizaram 10 provas nos percursos indicados pela organização (grupo disciplinar de educação física). Associaram-se a esta iniciativa, o presidente da Junta da Freguesia de Barcelos, Sr. Alberto Martins, a presidente da Associação de Pais da E.B. 2,3 de Gonçalo Nunes, Dra. Aura Gonçalves, o diretor da Empresa Municipal de Desportos, Sr. Ilídio Morais e o atleta internacional José Rocha. Estiveram ainda presentes a presidente do Conselho Geral da Escola, professora Rosário Castro assim como o diretor do Agrupamento, o professor António Barros e toda a direção, professor Cassiano Silva, professor Alcino Silva, educadora Olinda Ribeiro e a professora Amélia Saraiva.

José Rocha (Maratona Clube Portugal) apadrinhou a atividade O atleta internacional que integrou a seleção nacional

em diversas competições nacionais e internacionais, contribuindo para lugares de pódio coletivo, do Atletismo português conquistou o 2º lugar no Campeonato de Estrada em 2010 realizado em Portugal. Medalha de Bronze na Taça da Europa nos 1000 metros em 2009. Medalha de Bronze no Camp. da Europa de Corta-Mato 2011 em Velenje em 11/12/2011 (Eslovénia).

Alunos com Necessidades Educativas Especiais sobem ao pódio Classificação

1º Flávio Mota - 9ºC 2º Diogo Silva - 6ºK

Classificações Masculino

Benjamins

1º Pedro Sá - 4ºD - Abade Neiva 2º André Miranda - 4ºD - Abade Neiva 3º José Vasconcelos - 4ºI - Aldão

Feminino

1º Jael Cohenl - 4ºF - António Fogaça 2º Joana Gonçalves - 4ºA - Gonç. Pereira 3º Sónia Miranda - 4ºD - Abade Neiva

Masculino

1º António Vilas Boas 2º Gonçalo Cardoso 3º Rafael Rodrigues

Feminino

1º Mónica Costa 2º Ana Cristina Mota 3º Mariana Neiva

Masculino

1º Leandro Campos 2º Flávio Silva 3º Ricardo Cardoso

Feminino

1º Diva Meira 2º Carla Silva 3º Sofia Barbosa

Masculino

1º Ilídio Costa 2º Nelson Sobral 3º Nelson Araújo

Feminino

1º Joana Vale 2º Helena Gonçalves 3º Liliana Cruz

Masculino

1º Miguel Miranda 2º Pedro Gomes 3º Bruno Gonçalves

Infantis A 5ºD 5ºG 5ºK 5ºG 5ºE 5ºD

Infantis B 6ºH 6ºE 6ºJ 6ºF 7ºA 7ºD

Iniciados 8ºD 8ºB 9ºC 8ºB 8ºB 9ºA

Juvenis 9ºC 9ºB JEV

Os Clubes da Escola Gonçalo Nunes são frequentados regularmente por mais de 250 alunos dos 2º e 3º ciclos que assim veem enriquecida a sua formação e desenvolvidas as suas capacidades em áreas que vão desde a música, ao ambiente, à percussão, às artes, à dança, ao teatro, até ao xadrez. Toda esta intervenção contribui para uma escola de qualidade.

21 5


E.B.2,3 GONÇALO NUNES

22 4

Canto do Galo/junho2012

Natal para todos

O

rganizada pelo Departamento de Expressões, realizou-se no dia 16 de dezembro, a habitual Festa de Natal. Nesta atividade participaram todos os grupos disciplinares que compõem esta estrutura educativa. Os alunos em sistema rotativo passaram por todas as atividades realizadas em vários locais da escola. Da Festa de Natal constou um espetáculo musical, a execução de postais de Natal, o Origami, Dança e decoração de um espaço com motivos alusivos à época natalícia pelos alunos da Educação Especial. Devido ao mau tempo os “Jogos Tradicionais” foram cancelados e substituidos por “Jogos sem Fronteiras”, que se realizaram, no interior do ginásio. Todos os objetivos propostos foram alcançados pois os alunos puderam pôr em prática as competências já adquiridas, desenvolveram a sua autonomia social, o seu relacionamento interpessoal, adquirindo assim regras e comportamentos socialmente adequados - objetivos de acordo com o Projeto Educativo na prioridade “Dinamismo e qualidade na ação na Escola”. O grupo disciplinar de Educação Musical, teve a seu cargo a organização de um espetáculo musical, apresentando uma selecção das canções como: Auto de Natal (5ºB); “Amazing Grace” (5º C / 5º O / 6º L / 6º H); “É por Ti” (5º A / 5º E / 5º F / 5º G / 5º J / 5º L); “Nasceu o Salvador” (5º D / 5º N / 6º F / 6º G); “Dança da Paz” (5º D / 5º N / 6º F / 6º G); “All I Want for Christmas” (7º C / 7º E / 8º B / 8º C / 9º C); “Hoje é dia de Natal” (6º A / 6º B / 6º I / 6º J / 6º K); “ Pai Natal” (5º A / 5º H / 5º I / 6º C / 6º M). No âmbito da disciplina de Dança, foram apresentadas diversas coreografias pelas turmas 8ºA,7ºD, 7ºB, dois Vídeo-clips as coreografias Bolero (Mariposa), KUDURO e Chá-Chá-Chá (Rabiosa). Quanto ao grupo disciplinar de Educação Visual e Tecnológica, este desenvolveu a atividade que consistiu na execução de “Postais de Natal”, utilizando a técnica do “esponjado” e a transcrição de uma mensagem de Natal elaborada pelos alunos. O grupo disciplinar de Educação Tecnológica preparou uma atividade dirigida à dobragem de papel - OROGAMI. Já o grupo disciplinar de Educação Especial participou com o objetivo de integrar os alunos com NEE nas atividades comuns da escola, numa época tão valorizada e vivenciada como é o Natal. Neste sentido ornamentaram a entrada principal da Escola com motivos natalícios e participaram na elaboração da Árvore de Natal da Escola.

POR UMA ESCOLA DE SUCESSO


Canto do Galo/junho2012

E.B.2,3 GONÇALO NUNES

António Vilas Boas

mais um campeão nacional na nossa escola

N

o Mega Nacional, encontro de atletismo que se disputou em Vagos nos dias 13 e 14 de abril e que contou com a participação de 880 atletas de todo o país, o aluno António Pedro Vilas Boas, do 5º D, alcançou a medalha de ouro na prova de 1000 metros infantis A masculinos, sagrando-se campeão nacional. Este nosso aluno já havia vencido a fase distrital, realizada em Guimarães no dia 17 de março, confirmando assim as suas excelentes qualidades atléticas.

Infantis A, da Gonçalo Nunes, com asas nos pés, brilharam no Corta-mato distrital

N

o passado dia 7 de fevereiro, uma comitiva da nossa Escola composta por 29 alunos e 2 professores, deslocou-se a Guimarães com vista a participar no Corta-mato distrital. Os nossos alunos participaram com grande dignidade neste evento desportivo, aberto a todas as escolas do distrito. Merecem destaque as excelentes classificações coletivas obtidas no escalão de Infantis A. Assim, a equipa de Infantis A masculinos obteve o 1º lugar coletivo entre as 65 escolas classificadas neste escalão. Da equipa da nossa escola faziam parte os alunos António Vilas Boas do 5º D; Rafael Rodrigues do 5º K; Fábio Costa do 5º A e Gonçalo Cardoso do 5º G. A formação de Infantis A femininas da nossa Escola subiu também ao pódio dos medalhados, ao classificar-se em 2º lugar entre 62 escolas participantes. Da nossa equipa faziam parte as alunas Ana Rita Linhares do 5º C; Mónica Costa do 5º G; Mariana Neiva do 5º D e Ana Cristina Costa do 5º E. Parabéns a todos os alunos participantes e aos seus professores!

Dara Crespo

é campeã regional de Boccia

A

aluna Dara Crespo, do 8º C, sagrou-se no passado dia 12 de maio, em Oliveira de Azeméis, campeã regional de Boccia por equipas – Divisão II. Esta nossa atleta formou equipa com os alunos João Abel Marques e José Manuel Teixeira da Escola Secundária de Maximinos. Com esta vitória, a Dara estará presente no Campeonato Nacional de Boccia do Desporto Escolar, a disputar na Amadora nos próximos dias 25 e 26 de maio. Parabéns Dara!

Dara Crespo, José Manuel Fernandes e João Marques

ENSINO DE QUALIDADE

23 5


E.B.2,3 GONÇALO NUNES

24 4

Canto do Galo/junho2012

Fertilizar as nossas raízes

C

om o objetivo de sensibilizar os alunos para o valor do artesanato e a ocupação de tempos livres de forma saudável, realizou-se no dia 1 de março, uma mostra do nosso artesanato como forma de dar a conhecer e promover, na escola, esta atividade local. Promovida pelo grupo disciplinar de Educação Tecnológica, esta mostra foi visitada por muitos alunos e professores, quer da nossa escola, quer de outras escolas e despertou interesse da comunicação local e regional. Estiveram presentes 12 artesãos ligados aos mais diversos materiais trabalhados no artesanato. Assim colaboraram com a nossa escola Avelino Oliveira, olaria; Mário José Coutinho, cerâmica; João Ferreira Gonçalves, figurado cerâmico; Júlia Ramalho, figurado cerâmico; Carlos Dias, trabalhos em grés; Manuel Macedo, figurado genuíno; João Rodrigues Torres Veiga, decoração/pintura em chacota e faiança; Manuel Araújo Ferreira, cestaria regional em vime; Vítor Manuel Gonçalves, figurado cerâmico; Fernando Soares, miniaturas em madeira; Mª Glória Jesus, bordados em crivo; Mª Elisabete Rodrigues Dias, bordados em crivo. O serviço educativo e de animação do Museu de Olaria de Barcelos assinalou a sua presença com uma atividade (teatro de sombras sobre a lenda do Galo e pintura de um galo em argila) direcionada aos nossos alunos. Mestres e alunos trocaram experiências sobre saberes tradicionais, exibindo também os seus trabalhos artísticos.

Os artesãos sentiram-se satisfeitos com o seu desempenho e o entusiasmo manifestado pelos alunos o que deixa transparecer que o artesanato está bem vivo e com a ajuda de todos poderá passar para a nova geração.

POR UMA ESCOLA DE SUCESSO


Canto do Galo/junho2012

E.B.2,3 GONÇALO NUNES

Departamento Curricular de Línguas

N

“Laços entre Gerações”

o âmbito das comemorações do “Ano europeu do envelhecimento ativo e da solidariedade intergeracional”, o Departamento Curricular de Línguas realizou uma exposição intitulada “Laços entre Gerações”, que esteve patente a toda comunidade escolar, durante cinco dias. Assim durante a semana de 23 a 27 de abril, foram expostos no polivalente da escola sede, testemunhos do património oral e escrito, de diferentes gerações, da autoria dos alunos e seus familiares cumprindo desta forma objetivos como: promover o diálogo com a comunidade educativa e uma intervenção de qualidade que potencie as capacidades individuais. Todos os trabalhos foram orientados pelos professores das diferentes disciplinas (Língua Portuguesa, Inglês, Francês e Espanhol), com os alunos de todas as turmas, do 5º ao 9º ano, a corresponderem com textos redigidos, nas quatro línguas, em colaboração com os seus familiares mais velhos. Este trabalho permitiu aos alunos desenvolver algumas competências importantes, tais como: redigir com correção enunciados para responder a diferentes propostas de trabalho; usar com precisão o repertório de termos relevantes para o assunto que está a ser tratado; combinar os enunciados numa organização textual com coesão e coerência; cuidar da apresentação final do texto escrito; utilizar técnicas específicas para selecionar, registar, organizar ou transmitir informação; escrever textos, por sua iniciativa, para expressar conhecimentos, experiências, sensibilidade e imaginário; utilizar com critério as potencialidades das tecnologias da informação e comunicação nos planos da produção, revisão e edição de texto; promover o espírito de solidariedade entre as crianças e os seus familiares, em particular os avós. O resultado foi um conjunto de trabalhos muito variado que despertou a curiosidade a quem visitou a exposição, contudo e apesar do convite escrito e individual a todos os encarregados de educação, para que visitassem a exposição, a afluência destes não foi significativa.

“Arte na Escola” À

conversa sobre “Arte na Escola”com Augusto Canedo foi uma atividade proposta pelo grupo de EVT e que decorreu no dia 23 de março. Direcionada para os alunos do 5º ano, os quais tiveram a oportunidade de interagir com dois artistas plásticos, Filipe Rodrigues e Augusto Canedo, este último, também docente nesta escola. Os alunos,posteriomente,visualizaram algumas pinturas dos dois artistas e assistiram a um filme com entrevistas de rua, feitas por alguns alunos sobre o tema “ O que é a Arte”. O objetivo desta atividade direcionava-se, essencialmente, para a necessidade de motivar os alunos e criar um espaço onde se promovesse o contacto com a arte. Concurso Língua Portuguesa - 5º Ano 2º lugar - Jessica Neiva Fernandes, 5º D

25 5


E.B.2,3 GONÇALO NUNES

26 4

Canto do Galo/junho2012

O simulacro foi um êxito

E

ram 12h00 quando a campainha da escola tocou de uma forma insistente como que a dizer que havia perigo. Alunos, professores e toda a comunidade escolar, alertados pelo toque, sairam da sala e deslocaram-se de forma ordeira para o centro do campo de futebol, local considerado como o mais seguro da escola, naquelas situações. Após o telefonema da escola, os Bombeiros V. de Barcelos apenas demoraram quatro minutos a colocarem-se na frente das instalações. No final e após uma troca de observações entre a direção e a corporação de bombeiros, o diretor do agrupamento, professor António Barros, realçou o êxito do simulacro e explicou quais os pontos fortes e fracos verificados na atividade.

CAMPANHA DE RECOLHA

LIVROS ESCOLARES USADOS N

o início era apenas uma proposta para socorrer alunos impossibilitados de comprar os livros escolares por dificuldades económicas. Depois essa ideia foi partilhada e vários alunos ofereceram os manuais de que não precisavam e cerca de 40 colegas dos 2º e 3º ciclos receberam os livros de que precisavam. Foi assim no início deste ano letivo. Espera-se que no próximo se repita de forma mais enquadrada e planificada. Assim haja quem dê corpo à ideia. Partilhar deve ser tão natural como respirar! Os livros recolhidos e que não correspondiam aos adotados na escola (foto) foram entregues à Associação Académica do IPCA no âmbito de uma campanha para apoio a crianças do Sweto, na África do Sul. Sabe-se lá quantas crianças sorriem agora com essa nossa dádiva! Esta iniciativa surgiu no seio do grupo disciplinar de EMRC (Educação Moral e Religiosa Católica) e foi inserida nas atividades do Departamento Curricular de Ciências Sociais e Humanas. Pretendeu-se também educar para a reutilização dos manuais escolares, valorizando a partilha como algo natural na vida de cada um.

POR UMA ESCOLA DE SUCESSO


Canto do Galo/junho2012

E.B. 2,3 GONÇALO NUNES

Centenário da República

Painel cerâmico embeleza entrada do 1ºpavilhão

N

o dia 17 de janeiro do corrente ano foi inaugurado o painel cerâmico comemorativo do Centenário da República Portuguesa. Colocado à entrada do primeiro pavilhão, este painel que materializa a imagem que acompanhou as diversas atividades realizadas no nosso agrupamento aquando das comemorações, foi elaborado pela turma do 9º C, no âmbito da disciplina de Educação Tecnológica, sob a orientação do professor José Luís Ferreira.

Concurso/Exposição Presépios Tradicionais

O

grupo disciplinar de EMRC promoveu e organizou, mais uma vez, um Concurso/Exposição de Presépios Tradicionais, que decorreu entre os dias 6 de dezembro e 6 de janeiro, na biblioteca da escola sede e contou com a participação de todas as turmas do 2º Ciclo. Este concurso teve como objetivos desenvolver a capacidade criativa, fomentar a utilização estética de diversos materiais, comemorar uma data significativa no imaginário sócio religioso e incentivar o gosto pelas artes manuais. Muitos pais se empenharam em colaborar com os seus filhos e nossos alunos. Esta disponibilidade muito nos alegrou. Foi uma forma concreta de promover a colaboração entre a escola e a família que tão cara é aos nossos discursos. Na primeira semana de janeiro a exposição dos presépios foi remontada no polivalente com a colaboração do professor Fernando Maciel. O resultado do concurso era o que menos interessava dada a época natalícia e os valores que se pretenderam salientar, mas mesmo assim parabéns ao 5ºK e ao 6ºE por terem sido consideradas as turmas vencedoras.

Qualquer encarregado de educação ou aluno do 1º ao 9º ano tem acesso em casa, pela Internet, ao horário, ocorrências, marcação dos testes, avaliação, faltas, etc.

27 5


E.B.2,3 GONÇALO NUNES

28 4

Canto do Galo/junho2012

Participação na Corrida de Estrada

R

ealizou-se, no passado dia 15 de novembro, durante a manhã, a Corrida de Estrada Concelhia de Barcelos, prova atlética destinada aos alunos das escolas deste concelho. No presente ano, a organização decidiu realizar a prova no Parque da Cidade. Trata-se de um espaço que os nossos alunos bem conhecem, já que é aí que têm decorrido os Corta-matos do nosso Agrupamento. A E.B. 2,3 Gonçalo Nunes fez-se representar com 35 alunos que, acompanhados por professores de Educação Física, saíram com a devida antecedência da Escola, deslocando-se a pé, de forma ordenada, para o Parque da Cidade. As condições climatéricas adversas, com chuva e vento fortes a predominarem no próprio dia e nos anteriores, influenciaram negativamente a adesão a esta prova. A representação da nossa Escola participou com grande dignidade nesta atividade. No escalão de Infantis A Femininos destacaram-se as alunas Mónica Costa (5ºG) e Ana Jesus (5ºB) que se classificaram em 2º e 7º lugar respetivamente. No mesmo escalão em Masculinos salienta-se o 9º lugar do aluno Fábio Costa (5ºB). Em Infantis B Femininos, Beatriz Gonçalves (6ºE), Diva Meira (6ºF), Sofia Barbosa (7ªD) e Beatriz Caravana (6ºE) foram 3ª, 6ª, 7ª e 11ª classificadas respetivamente. A participação nesta atividade tinha como objetivos, além de preparar a participação na Corrida de Estrada do Agrupamento e no Mega Km, incentivar o gosto pela prática da corrida e promover a aquisição de hábitos de vida saudáveis pela prática desportiva. Foi, ainda, uma excelente oportunidade para que alguns dos nossos alunos usassem os ensinamentos transmitidos durante as aulas de Educação Física, no domínio da corrida em esforço aeróbio, de forma a conseguirem adequar o ritmo da mesma às suas capacidades individuais. Com esta experiência e com o trabalho desenvolvido nesta área durante as aulas, estarão devidamente preparados para participarem no Corta-Mato do Agrupamento. FUTSAL - Infantis B masculinos

Venceram 1ª fase A

equipa de Futsal do escalão de Infantis B masculinos, sob a orientação do prof. Carlos Martins, consagrou-se campeã da série 1 - 1ª fase (EB 2,3 Abel Varzim, EB 2,3 Rosa Ramalho e EB 2,3 Vila Verde), estando atualmente a disputar a 2ª fase de qualificação inserida no grupo 1 (EB2,3 Gualtar, EB 2,3 Taíde e EB 2,3 de Apúlia). Alguns dos alunos da equipa de Futsal da escola EB 2,3 Gonçalo Nunes, participaram no torneio promovido pelo Sporting Clube de Portugal – “Tour do leão”, que decorreu no dia 8 de Abril (Domingo) na Academia do Sporting (Silva – Barcelos).

POR UMA ESCOLA DE SUCESSO


Canto do Galo/junho2012

E.B.2,3 GONÇALO NUNES

Departamento Matemática e Ciências Experimentais

14 de junho(Dia das Ciências) Laboratórios abrem portas a todos os alunos

O

s Laboratórios de Ciências Experimentais abrirão as suas portas a todos os alunos, no dia 14 de junho, das 14h às 17h, inserido no “ Dia das Ciências”. Serão expostos trabalhos realizados pelos alunos ao longo do ano letivo, bem como, os alunos poderão realizar/ observar algumas experiências simples, podendo, deste modo, manusear os materiais de laboratório e pôr em prática, uma vez mais, alguns dos conhecimentos já adquiridos, em Ciências Físico-Químicas. Esta iniciativa surgiu face ao interesse demonstrado pelos alunos, sempre que realizavam aulas experimentais durante o ano, de acordo com unidades temáticas, enriquecendo, assim, o seu saber, além de serem confrontados com a realidade. Este tipo de aulas são muito interessantes e motivadoras e os alunos adoram!

A Magia das Ciências No âmbito das ativididades propostas, o grupo disciplinar de Ciências Naturais do 3º Ciclo, tem vindo a realizar várias iniciativas, no sentido de envolver alunos e a Comunidade Educativa, dentro e fora da sala de aula. Assim, no 1º período, realizou-se uma “Mostra Pedagógica de Rochas e Minerais e respetivas aplicações”. O evento foi visitado por alunos, pais, familiares e professores da nossa escola e face ao impacto criado, a atividade repetiu-se no 3ºperíodo. É notório o entusiasmo dos alunos e a sua adesão a este tipo de iniciativas, mostrando-se bastante recetivos, interessados e muito participativos, com um enorme empenho, atenção, curiosidade e cooperação.

“Dádiva de sangue” Organizada pelos grupos disciplinares de Ciências Naturais(3ºCiclo) Ciências Físico-Químicas (3º Ciclo), e Ciências da Natureza (2º Ciclo), sob o lema: “ Uma Gota de Sangue pode mudar uma Vida”, em parceria com o Instituto Português do Sangue do Porto, esta iniciativa surgiu em sequência de uma anteriormente realizada, tendo tido uma grande adesão por parte da Comunidade Educativa. É de louvar a disponibilidade demonstrada pela população ao aderir a este tipo de eventos.

2ª Feira de Ciências Hands-on Science

Menção Honrosa para 16 alunos

Escola EB 2,3 de Gonçalo Nunes esteve presente na 2ª Feira de Ciências Hands-on Science, que decorreu no dia 11 de maio na Universidade do Minho. Os 16 jovens físicos e químicos, alunos do 9º ano, A Adriana, Ana Catarina, Ana Catarina Cunha, Diana, , Letícia, Liliana, Luís Miguel, Sérgio Filipe, Diogo Jorge,

Pedro Miguel, Ana Francisca, Raquel, João Pedro, Nelson, Sérgio e Valéria, foram reconhecidos entre cerca de 250 alunos. Os seus projetos intitulados:” Socorristas & Eletrões Voadores”, “Elevadores & Arquimedes Lda”, “A Casa da Luz” e “A Valsa dos Balões” na viagem de regresso fizeram-se acompanhar de uma Menção Honrosa na categoria 3º Ciclo Ensino Básico. Os estudos foram desenvolvidos nas aulas de Ciências Físico-Químicas, sob a orientação da professora Ana Manuel Ribeirinho.

As salas de estudo de História e Inglês também apoiam muitos alunos do 3º ciclo.

29 5


30 4

E.B.2,3 GONÇALO NUNES

Canto do Galo/junho2012

RTP na E.B. 2,3 Gonçalo Nunes

Mediador Municipal incentiva comunidade cigana à frequência escolar

N

o âmbito do protocolo de cooperação com o Alto Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural, a Câmara Municipal e a RTP deslocaram-se ao nosso agrupamento com o objetivo de incentivar a criação de iniciativas da sociedade civil que promovam o acesso das comunidades ciganas a serviços e equipamentos locais e a comunicação entre a comunidade cigana e a comunidade envolvente, com vista à promoção do diálogo intercultural e a prevenção e gestão de conflitos. Como está previsto, o Mediador é membro da comunidade cigana e tem como função ajudar aquelas comunidades na sua relação com a sociedade. O Município tem ainda de assegurar um plano de intervenção do Mediador e acompanhar a sua atividade. O nosso mini - zoo e as espécies cinegéticas

Codorniz (Coturnix) É

uma espécie cinegética pequena, muitas vezes é descrita como “uma pequena perdiz”, sendo aliás da mesma família desta espécie, é mais fácil ouvi-la do que avistá-la, devido ao seu comportamento. Levanta com bastante dificuldade, num voo curto e baixo. É uma ave muito pequena, com cerca de 18cm de comprimento e 35cm de envergadura (medida feita de asa a asa, abertas) e 80 a 150gramas de peso. Apresenta uma cor parda, em ambos os sexos, com o dorso e flancos listados. O macho apresenta a garganta com riscos negros, a fêmea apresenta a garganta amarelada, sem riscas e o peito muito manchado. O regime alimentar desta ave é essencialmente à base de matéria vegetal, grãos de cereais, gramíneas selvagens. Os juvenis estão também muito dependentes de insetos nas primeiras semanas de vida. A codorniz faz uma cavidade no chão, onde coloca de sete a doze ovos, cremes, com manchas castanhas. O seu período de incubação dura cerca de dezasseis a vinte e um dias. Geralmente faz uma postura por ano, embora possam acontecer duas, entre maio e junho. O habitat desta espécie ocorre em campos cultivados, searas, pastos, em espaços abertos e em bosques. A codorniz está sujeita a várias ameaças, nomeadamente: a modernização das práticas agrícolas, aos tratamentos químicos dos terrenos que provocam o abandono de certos locais e eliminam os insetos que constituem a dieta alimentar dos juvenis, a recolha de forragens que destrói os ninhos e as posturas, a alteração dos biótopos, o desaparecimento das culturas tradicionais em mosaico, a pressão excessiva e incontrolada da caça nas áreas de invernagem (Marrocos, Argélia, Tunísia, Egito) e à mudança de hábitos da ave. A ajuda de todos na conservação desta espécie e do seu habitat é imprescindível. Preservar, Proteger e Divulgar este nosso mini - zoo de uma forma consciente, passa pelo empenhamento de quem o gere, mas também é tarefa de cada um e, cada vez mais, de todos. PRESERVE ESTE “PARQUE”! Jorge Silva

POR UMA ESCOLA DE SUCESSO


Canto do Galo/junho2012

E.B.2,3 GONÇALO NUNES

Fado na E.B.1 Gonçalo Pereira

A

Biblioteca Escolar em parceria com a escola EB1 Gonçalo Pereira e em colaboração com a autarquia barcelense realizou no dia 9 de dezembro pelas 21h00, uma atividade denominada “Noite de Natal – Chá com letras e fado”. Nessa noite foi abordado o ilustre Gonçalo Pereira, pelo investigador e bibliotecário Dr. Vítor Pinho apelidando-o como um filantropo e mecenas da instrução primária. Vítor Pinho despertou, nos presentes, a curiosidade sobre a obra notável de Gonçalo Pereira mostrando e divulgando edifícios, terras e investimentos de um emigrante, em Barcelos. Seguidamente, procedeu-se à apresentação da obra “A lenda das Cruzes” resultado de pesquisas do ilustrador Carlos Basto com textos do escritor barcelense José Ilidio Torres. Os dois autores realçaram aspetos importantes da obra respondendo a todas as questões sobre a lenda das cruzes dinamizando e promovendo assim o livro e a leitura. Por último e porque na semana anterior o fado tinha sido declarado património imaterial da humanidade, assitiu-se a um momento de fado interpretado pela fadista barcelense Carla Cortez. Numa noite em que muitas foram as histórias abordadas sobre a cultura do nosso concelho, estiveram presentes professores, assistentes operacionais, encarregados de educação da escola EB1 Gonçalo Pereira e a direção da Associação de pais da EB1 Gonçalo Pereira (APEGO), assim como responsáveis pela cultura e ação social do nosso concelho, as vereadoras Drª Armandina Saleiro e Drª Ana Maria Silva, a assessora da cultura Drª Marta Maciel, o presidente da Junta de Freguesia de Barcelos Alberto Martins e a direção do Agrupamento de Escolas Gonçalo Nunes representada pelo Subdiretor Cassiano Silva, o adjunto do diretor Alcino Silva e o professor/assessor da direção José Luís. Os professores bibliotecários Fátima Macedo, Gracinda Cardoso e Fernando Maciel contaram com a colaboração da coordenadora Paula Correia, dos professores e dos assistentes operacionais da EB1 Gonçalo Pereira e do professor do grupo de educação musical Rui Fernandes, responsável pelo som durante toda a atividade. Inserida nesta atividade, a Biblioteca Escolar realizou, neste mesmo dia de manhã, uma apresentação da obra “A lenda das Cruzes” aos alunos do 2ºano, turma A. Nesta sessão, esteve presente o ilustrador/pintor da obra Carlos Basto, foram mostrados os desenhos originais do pintor e abordados vários temas da lenda das cruzes. O trabalho coletivo depois de assinado pelos pequenos “autores” assim como os desenhos originais do pintor ficaram expostos no átrio da escola para que pudessem ser observados na noite cultural.

Dignidade Dignidade é uma palavra simples com um complexo significado, é um mar de ideias exposto e encolhido numa vulgar palavra. Vulgar palavra como vulgar é a importância que atribuímos à dignidade de um Homem, vulgar sim, em comparação com a grandiosidade da vida. A verdade é que dignidade é isso mesmo, um valor inexplicável que poderá ser descrito como o facto de se estar tranquilo, livre, digno e merecedor, mas isso são meras frases feitas que o dicionário adotou, pois no fundo, dignidade é também o saber, o poder agir e falar, é um aglomerado perfeito de sentimentos positivos que fazem tranquilizar a alma e elevar o rosto. Isso sim é dignidade, é ter de mil razões a verdadeira e, saber elevá-la em cada passo. Dignidade é assumir o meu contributo para a felicidade dos outros. É não pensar só em mim e não partilhar as capacidades que possuo. É não abdicar de sonhar, não se render ao brilho do mundo que sempre é supérfluo e que a tantos ofusca.

Liliana 9ºA (E.M.R.C.)

“Nós não paramos de brincar porque envelhecemos, mas envelhecemos porque paramos de brincar” Oliver Nendel Holmes

31 5


E.B.1 GONÇALO PEREIRA

32 4

Canto do Galo/junho2012

Gil Vicente na E.B.1 Gonçalo Pereira

N

o dia seis do mês de janeiro de dois mil e doze, pelas catorze horas e trinta minutos recebemos, na nossa Escola, a visita de três jogadores do Clube de Futebol Barcelense: Gil Vicente. Foi para todos nós uma grande honra acolher o Sr. Presidente do prestigiado Clube e os jogadores que nos presentearam com fotografias, porta-chaves autografados e bilhetes para irmos ao jogo de domingo. Como era Dia de Reis, recebemos a visita dos alunos do Jardim de infância Avenida João Duarte que também cantaram os Reis aos jogadores. Foi um momento muito especial de confraternização. A nossa Escola contou com a presença de jornalistas e foi notícia em vários jornais, o que é para nós motivo de grande honra 4º A e orgulho. Eu sou o José O meu nome rima com café. Depois da escola Vou jogar à bola. Eu sou a Matilde O meu nome rima com Clotilde E o que eu gosto é de ser humilde. Eu sou a Margarida E sou muito divertida Gosto de ler e escrever E de muito aprender.

O meu nome rima com…

Eu sou a Débora Sou morena E tenho o cabelo Da cor de uma amora.

Sou o António Jorge E já sei ler e escrever Mas ainda tenho muito que aprender!

O meu nome rima com fogo Eu sou o Diogo Gosto de brincar E de estudar.

Eu sou o Dany Gosto muito de brincar Mas quando estou na escola É hora de estudar.

Sou o Francisco e gosto de comer um petisco

Eu sou a Mafalda Silva Que adora amigas, brincar e estudar O meu nome é Paulinho E a minha grande paixão É marcar um golinho No estádio do Dragão.

Eu sou o Tiago João Tenho um balão E fui ao circo ver um leão.

Os meus amigos da escola Também me chamam Gil Gostava de ir com eles visitar um canil.

Eu sou o Hugo Gosto do estudo E de judo. Eu sou o Amílcar Gosto de jogar E de andar de Jaguar.

O meu nome rima com pudim Eu sou o Joaquim e vou a Tadim Eu sou o Joaquim e vou ao Delfim.

Eu sou a Carolina Sou muito traquina E fiz um desenho na cartolina.

Eu sou o Mário e gostava de ter um canário.

Eu sou a Ana Filipa E quero uma tulipa. T. Coletivo 1º A Desenho Amílcar e Francisca coletivo 1ºA

Eu sou a Mariana e o meu nome rima com Ana Montana.

Eu sou o Vasco rimo com frasco e gosto de futebol. Eu chamo-me Afonso Gosto de cadernetas de animais. De escrever e matemática, De dinossauros e piratas. Eu sou a Maria Francisca Gosto muito de ler, escrever e de saber. Eu sou a Carlota Gosto muito de estudar E também de brincar. Eu sou a Ana Raquel Moro em Barcelos E gosto de andar no carrossel. O meu nome rima com alegria Sou morena de tez No meu olhar há magia Eu sou a Maria! Eu sou a Maria Inês Gosto muito de inglês e português.

desenhos: Carlota e Amílcar

POR UMA ESCOLA DE SUCESSO


Canto do Galo/junho2012

E.B.1 GONÇALO PEREIRA

Arte com Massa

Escola Gonçalo Pereira vence concurso

N

o mês de novembro, o 4.ºC da Escola EB1 Gonçalo Pereira decidiu participar no concurso das massas Milaneza que se chama: “arte com massas”. Fizemos um galo com massas coloridas da Milaneza para participar no concurso. Este ficou muito bonito, com corações, com outras formas geométricas e ainda um bonito chapéu de cozinheiro. Tivemos ajuda de alguns pais, e da Professora de Expressão Plástica; Dulce Vilas Boas, que foi muito simpática e trabalhadora. Foi um trabalho agradável e divertido, esperamos ter uma boa participação e que o nosso trabalho seja apreciado por todos. Também recuperamos uma receita muito antiga, chamada massa de cabidela, cuja composição é a seguinte:

Massa de Cabidela

Ingredientes (6 pessoas) - 1 galo “pica no chão” - Azeite q.b. - 1 cebola grande - 2 dentes de alho - 1 ramo de salsa - 1 folha de louro - 1 colher de sopa de vinagre - 3 colheres de sopa de vinho - Massa meada Milaneza - Sal q. b. - Pimenta q. b. Preparação Ao matar o galo, recolha o sangue e guarde-o numa tigela onde introduziu previamente o vinagre e o vinho, misturando bem para não coagular e tempere com uma pitada de sal. Numa caçarola deite o azeite, a cebola picada e o alho esmagado e leve a refogar. Quando a cebola ficar loura junte-lhe o galo partido em pedaços e tempere com sal, pimenta, salsa e louro. Tape o tacho e deixe refogar em fogo brando alguns minutos. Adicione água precisa para continuar a ferver. Quando a carne estiver cozida acrescente água que perfaça o triplo do volume da massa, deixe levantar fervura, retifique os temperos e junte-lhe a massa. Assim que a massa estiver cozida, mas não muito, adicione o sangue, mexa e deixe ferver mais dois minutos. 4.º C Vai a servir. Bom apetite! Có – có – ró - có - có… Sabes quem são os grandes leitores da nossa escola do presente ano lectivo? Paula Sousa, 5º M (48 livros), Ricardo Cardoso, 5º A (40 livros) e Pedro Fernandes, 5º M (38 livros).

33 5


34

E.B.1 PENEDOS/ E.B.1 VILA BOA

Canto do Galo/junho2012

Visita à Biblioteca

N

o dia 18 de janeiro fomos, com a nossa professora, visitar a Biblioteca da EB 2,3 Gonçalo Nunes. Estávamos muito curiosos para conhecermos melhor a biblioteca e sabermos como funciona. Quando lá chegamos, depois de uma longa caminhada, a professora Fátima estava à nossa espera. Depois de nos receber, mostrou-nos a biblioteca e explicou-nos como os livros estão organizados e que livros se podem requisitar. A professora Fátima lembrou-nos que numa biblioteca temos sempre que fazer silêncio.

Durante a visita o professor Maciel preparou-nos uma surpresa: a história O Segredo do Sol e da Lua de Graça Breia e Manuela Micaelo contada por uma menina do grupo de teatro, e a dramatização da história Cuidado com o Cão de Pedro Penizzotzo. Gostamos muito da dramatização do grupo de teatro. Foi muito divertida. No final da visita e das surpresas, regressamos à escola muito felizes por termos aprendido muitas coisas novas e divertidas. EB1 PENEDOS 2ºM

Produtos da Horta Na horta há morangos, Sempre vermelhos e fresquinhos. Quem os come em salada Diz que são muito docinhos.

Na nossa horta biológica Há legumes muito saudáveis, Que para a nossa alimentação, São indispensáveis. Crescem as cebolas, Que são ótimas para cozinhar, Mas um pouco desagradáveis Pois, ao descascar, fazem chorar.

Cresce o tomate também Que é vermelho e redondo E quem não o comer É muito, muito tonto. Também há as ervilhas Que parecem folhas verdinhas. Quem olha para elas, Diz que são muito tenrinhas.

Na horta há o pepino Que é verde e comprido, Dá para acompanhar Um almoço bem sortido. Também crescem as abóboras Alaranjadas e gigantes. Ficam muito bem Nas sopas dos restaurantes. Crescem muito bem As plantas para tempero; Hortelã, salsa, tomilho alecrim… E, se não os reconheces, é um desespero. E.B.1 Vila Boa 4ºH

POR UMA ESCOLA DE SUCESSO


Canto do Galo/junho2012

E.B.1 PENEDOS/ E.B.1 VILA BOA

A LENDA DE S.MARTINHO Gonçalo Alves - 2ºM

O CÃO

O Sob forte tempestade cavalgava S.Martinho...

Um mendigo, a tremer de frio cruza-se no seu caminho e pede-lhe esmola.

Com a espada, corta a sua capa a meio e partilha-a com o mendigo, seu amigo...

Feliz com a sua ação, retoma o seu caminho, apesar do temporal. Mas...

Matemática divertida Na casa da minha avó há galinhas, coelhos e porcos. Ao todo são dezasseis cabeças e quarenta e oito patas. Quantas galinhas, coelhos e porcos há na casa da minha avó? E.B.1 Vila Boa 4º H

Parando o cavalo, S.Martinho segura na mão do pobre...

...de repente, o sol brilhou, encheu a terra de luz e calor.

cão é um animal doméstico, um animal de estimação e um ser vivo. Ele é um animal mamífero. O seu corpo é coberto de pelos, tem quatro patas, focinho, duas orelhas, cauda, olhos e dentes afiados. Ele alimenta-se de ração, ossos e carne. É um animal que se desloca andando, correndo e saltando. A sua casa é uma casota. Existem muitas raças de cães, umas grandes e outras pequenas. Nós conhecemos o Caniche, o Chihuahua, o Pastor Alemão, o Pinscher, o Labrador e o Serra da Estrela. O cão é o melhor amigo do Homem. E.B.1 PENEDOS

Coletivo: 2ºM

SOLUÇÕES (P45)

Azeitona Pescada Música Baralho de cartas Estrada As plantas O ar A coelha A avelã A cesta

Concurso Língua Portuguesa - 6º Ano 1º lugar - Márcia Andreia Pereira Oliveira, 6º C

35


36

E.B.1 VILA BOA

Canto do Galo/junho2012

Pequenos Cientistas «O que acontecerá a um ovo cru, depois de mergulhado, durante alguns dias, em vinagre?» Material: - um ovo cru; - frasco de vidro transparente com tampa; - vinagre de vinho. Como fizemos: Colocamos o vinagre dentro do frasco seguindo-se o ovo e, por fim, fechamos o frasco com a tampa. Deixamos ficar durante uma semana. Formulação de hipóteses Será que o ovo: - partirá? - ficará mais duro? - ficará mole? - desaparecerá? - ficará sem casca? - mudará de cor? - ficará mais frágil? - perderá o cálcio? - ficará maior? - mudará de forma? - cheirará mal? - ficará estragado?

A minha escola Na minha escola há uma cadela, Com quem, às vezes, queremos brincar.

Ela nem sempre está sozinha, Poucas vezes se ouve ladrar. A escola é um lugar, Onde podemos brincar e aprender Lá temos de saber falar, Para não errar a escrever. No recreio vamos jogar, Futebol sem parar. Chegando a hora de tocar, Para a sala de aula vamos entrar.

Verificação da Experiência Após um período de oito dias verificamos que o ovo ficou: - maior; - sem casca, envolto por uma película; - mole; - mudou de cor, ficou transparente; - ficou mais frágil; - com a gema visível através da película; - sem cálcio na casca; Conclusão O vinagre retirou o cálcio da casca do ovo fazendo-a desaparecer e, por isso, ficou mole. O ovo ficou maior porque o vinagre penetrou pela casca, que era porosa, e aumentou o seu volume. 4º Ano G e H

Na hora de almoçar, Um bocado temos de esperar. Ao chegar a nossa vez, A comida vamos saborear. Na aula desportiva, Há muita animação. Quando jogamos à bola, Quase nos salta o coração. As nossas auxiliares, Estão sempre prontas a ajudar. Quando alguém se aleija, Vão-nos logo tratar. Na sala de aula Atentos temos de estar. Para mais tarde Tudo acertar. Daniela Coelho 4º H

POR UMA ESCOLA DE SUCESSO


Canto do Galo/junho2012

E.B.1 VILA BOA

Espantalho Joaquim

ES PA NT AL HO JO AQ UI M

ngraçado e divertido impático e formoso. ara os pássaros assustar qui, na horta a trabalhar. ada teme, nada o assusta! em uma boa amiga, cadela Nina a ajudar. egumes bons vão guardar! orta saudável vamos ter, s bons produtos vamos comer.

ulga todos por igual. uve tudo e nada diz, dora o seu trabalho. ue bonito espantalho! O que vejo m amigo para mim. da minha janela mperfeito e muito tosco, as bonito mesmo assim! Da minha janela vejo a paisagem 4º G de uma aldeia urbana em que o verde dos campos se transformou em prédios de todas as cores, uns já gastos pelo tempo, outros belos Na nossa escola há uma cadela, por serem recentes. Que só quer descansar, Lá ao longe, o monte espreita e, É muito peludinha se me fixar, reparo que é o cume de E não gosta de ladrar. Nossa Senhora da Franqueira. O céu está um pouco escuro a Ela é muito brincalhona contrastar com o alaranjado ao por E amiga de toda a gente. do sol. Quando está despenteada, A escola Gonçalo Nunes esconA coordenadora traz um pente. de-se entre os verdes cedros. A Nina abana a cauda Existem muitas árvores, umas Quando está muito feliz, A Nina gosta de comer nuas e outras ainda com folhas de Mas também não gosta Mas come sempre sozinha, várias cores, retratando uma paisaQue na sua vida metam o nariz. Pois quando ela tem fome, gem bela de Outono, intensificanAparece a comidinha. do-se ainda mais com as folhas que Eu gosto muito da Nina cobrem o chão. Cadela muito fofinha, A Nina pertence à escola Os cães e os meninos brincam na Quando está desanimada E gosta muito de crianças, relva e os gatos nas folhas secas. Vou fazer-lhe uma festinha. Prefere pessoas simpáticas E aprecia as nossas danças.

A NINA

Daniela Coelho 4ºH

Eduardo Monteiro 4ºH

Há clubes na nossa escola que vão desde a música, ao ambiente, à percussão, às artes, à dança, ao teatro, até ao xadrez.

37


E.B.1 ANTÓNIO FOGAÇA

38 4

Poeta nasceu há 149 anos N

o dia onze de maio, como vem sendo hábito, alunos, professores e assistentes operacionais desta unidade escolar, comemoraram o dia do aniversário do poeta António Fogaça. Por falta de transporte, a Educação Pré-escolar não pôde participar nesta atividade mas, comemorou a referida data no espaço onde estão instalados. Das turmas dos 3º e 4º anos, foram selecionados 9 alunos para dar informações, dramatizando a vida do poeta António Fogaça. Representavam um grande grupo de amigos que se encontravam no café “Andando à Roda” bastante frequentado por eles em Coimbra e, onde conversavam sobre a vida e a obra deste poeta barcelense. Para além dos outros alunos, professores e assistentes operacionais também esteve presente o senhor diretor do Agrupamento Gonçalo Nunes. Depois da encenação, a professora Marília declamou uns versos “ brincando com as palavras“ e finalizou-se a comemoração, cantando o hino da escola. Foi uma encenação fantástica e muito bem conseguida! Foi uma sessão curta, mas com muito significado para todos,“… separados fisicamente, mas muito unidos nas origens!”

Ato de Solidariedade

N

o dia 14 de dezembro, cada turma do 3º e 4º ano ofereceu um saco cheio de alimentos que angariou durante o mês. Os 5 sacos foram entregues, numa pequena cerimónia, à associação da Ação Social da Matriz que posteriormente os encaminharia para famílias pobres da Fonte de Baixo, zona periférica da escola. No domingo seguinte fomos convidados a estar presentes, na missa das 11h00, pois os sacos foram consagrados no ofertório.

Canto do Galo/junho2012

António Fogaça

Vida e obra do poeta António Fogaça, poeta, nascido em 11 de maio de 1863 em Vila Frescaínha de S. Martinho concelho de Barcelos. Morreu em 27 de novembro de 1888. Faleceu muito jovem com apenas 25 anos. Filho de um médico barcelense, Martinho António Gomes de Araújo e de Maria José do Carmo Machado Miranda Fogaça e tinha dois irmãos: João Carlos e Maria dos Prazeres. Escreveu o livro «Versos de Mocidade», sendo conhecido lírico de grande mérito. António Fogaça tinha voz rouca e franca, e cabeleira negra e encaracolada, belo e simpático riso, bigode e era magro. Tinha um temperamento sonhador, boémio e poeta romântico. Mas, a vida dele não foi sempre de momentos de ventura e prazer. Após a morte de toda a família ficou triste e num estado de perturbação nervosa. Com apenas 25 anos morre com a doença do tifo.

POR UMA ESCOLA DE SUCESSO


Canto do Galo/junho2012

E.B.1 ANTÓNIO FOGAÇA

“CAMINHADA SAUDÁVEL DA MOBILIDADE” A escola foi convidada a participar numa Caminhada Saudável da Mobilidade no dia 22 de setembro 2011, organizada pelo Cres e pelo Município de Barcelos. Aceitamos com todo o gosto e lá foram os alunos do 3º e 4º anos. Antes da caminhada o professor Luís fez o aquecimento no Largo da Porta Nova.

Festa de Natal

N

o dia 16 de dezembro de 2011, os alunos da Educação Pré-escolar e do 1º ciclo da Escola António Fogaça realizaram juntos a Festa de Natal no Jardim Rainha Santa Isabel. No decorrer deste convívio foi visualizado por todas as crianças a peça de teatro de marionetas “João, pé de feijão”, sendo seguido pela distribuição das prendas pelo Pai Natal e o canto de músicas natalícias. A prenda, este ano devido à crise, foi um mealheiro com uma mensagem oferecida pela associação de pais, para aprenderem a poupar. Este evento permitiu que as instalações do Infantário Rainha Santa Isabel acolhessem os alunos vindos das distintas unidades escolares onde estão inseridos e este convívio fosse um momento de reencontro, emoção e partilha. Foi emocionante o reencontro de todos os alunos!

“CANTAR OS REIS/JANEIRAS”

N

o dia 13 de janeiro, os alunos da Educação Pré-escolar e do 1º ciclo, cantaram os reis/janeiras à Câmara Municipal, ao Agrupamento e aos Lares da Santa Casa. Reuniram-se todos os alunos da Escola António Fogaça com a exceção dos 2ºs anos que se encontram na Escola de Aldão, por falta de meio de transporte. No turno da manhã, saíram à rua para realizar a atividade e antes de seguir para a Câmara, cantaram nas escadas da igreja do Senhor da Cruz e no meio da rua Direita. Depois tiveram que andar bem apressadinhos para cantar no Agrupamento, pois já eram horas dos meninos almoçarem. Da parte da tarde, não podíamos deixar de ir ao Lar de Stº André e ao Lar Nossa Senhora da Misericórdia. A atividade só foi possível porque a professora Júlia Soares, não sendo este ano professora na escola António Fogaça, esteve disponível, como sempre, compôs e ensaiou os alunos. Tivemos a ajuda preciosa do marido da professora de inglês, Marlene que acompanhou com o acordeão.

Sabes quem requisitou mais livros, por turma, este ano para leitura domiciliária? 1º lugar: 5º M (246 livros); 2º lugar: 6º J (192 livros) e 3º lugar: 5º A (126 livros)

39 5


E.B.1 ANTÓNIO FOGAÇA

40 4

“FESTA DE ENCERRAMENTO DO 2º PERÍODO”

D

e tarde foi o momento alto da festa! Na festa de encerramento do segundo período, os alunos do terceiro ano de escolaridade da turma G, interpretaram e teatralizaram a peça denominada ”Uma família,” de sua própria iniciativa sem qualquer orientação de um adulto.

Canto do Galo/junho2012

CONCURSO Dia mundial do animal

No concurso “ Dia Mundial do animal”, uma aluna do 3º G ganhou o 1º prémio. Entre as atuações houve a leitura de um conto realizado pela animadora da biblioteca da Câmara Municipal de Barcelos. Por último, e para surpresa dos alunos, os docentes do Jardim de Infância, os titulares do primeiro ciclo, em parceria com os docentes das AECs interpretaram “A fada Oriana”, de Sophia de Mello Breyner Andersen em marionetes.

(A)braços com a Convenção

PARABÉNS Este ano, os alunos do 3º e 4º ano, da escola António Fogaça, venderam perto de 500 calendários.

(Dia da Deficiência)

N

os dias 17 e 20 de outubro realizou-se uma palestra proferida pela professora da educação especial, Cristina Silva, intitulada “(A)braços com a Convenção”. Depois de ouvirem e refletirem os alunos elaboraram um desenho. Todos os desenhos foram

compilados e originaram um livro. Com os sólidos geométricos construíram uma maqueta que ficou em exposição no salão Gótico da Câmara Municipal de Barcelos desde o dia 3 a 9 de dezembro.

POR UMA ESCOLA DE SUCESSO


Canto do Galo/junho2012

U.A.E.M. E.B.1.PAÇO VELHO

A MULTIDEFICIÊNCIA NO CONTEXTO ESCOLAR O

s alunos com multideficiência apresentam combinações de acentuadas limitações, as quais põem em risco o seu desenvolvimento, levando-os a experienciar graves dificuldades no processo de aprendizagem e na participação nos diversos contextos em que estão inseridos: educativo, familiar e comunitário. Atendendo a que as dificuldades de desenvolvimento dos alunos com multideficiência decorrem não só da sua problemática, mas também da forma como são aceites e compensadas pelo meio ambiente, é necessária a prestação de apoios diferenciados e adaptados a esta forma específica de pensar e de aprender. Na Unidade de Apoio Especializado à Multideficiência (UAEM) o uso de um ambiente multissensorial permite estimular os sentidos primários tais como o toque, o paladar, a visão, o som, o cheiro, sem existir necessidade de recorrer às capacidades intelectuais mas sim às capacidades sensoriais dos alunos. Para além da área sensorial são trabalhadas de forma sistemática as áreas da cognição, comunicação, socialização, motricidade e autonomia. Partindo deste pressuposto, a Unidade de Apoio Especializado para Alunos com Multideficiência da EB1 de Paço Velho está apetrechada com recursos materiais e pedagógicos adaptados ao universo dos alunos que a frequentam e aos seus perfis de funcionalidade. Docentes de Educação Especial Carla Brito e Céu Vilas Boas

Concurso Língua Portuguesa - 6º Ano 2º lugar - Beatriz Gomes Figueiredo, 6º E

41 5


42

E.B.1 ALDÃO

O que é ser solidário?

Canto do Galo/junho2012

solidário é tentar curar os corações partidos de quem não conseguiu amar. – Ana Clara

ajudar quem nada tem. – Diana

- Ser solidário é oferecer coisas às pessoas que não têm dinheiro. Hugo Gabriel

- Ser solidário é ajudar uma pessoa se ele tiver algumas dificuldades – António

- Ser solidário é brincar com os outros. - Joana Margarida

- Ser solidário é ter respeito por todas as pessoas. – César

- Ser solidário é ajudar um idoso a passar a rua. - Daniela C.

- Ser solidário é ser compreensivo para com os outros, como por exemplo, quando estamos dentro de um autocarro ceder o lugar a pessoas mais idosas, grávidas ou deficientes. – Beatriz

- Para mim, ser solidário é ajudar aqueles que necessitam. - Sara

- Ser solidário é empenharmo-nos a

- Ser solidário é ajudar os outros nos momentos mais difíceis, é dar comida a quem nada tem para comer, é dar roupa a quem nada tem para vestir. – Zé Luís - Ser solidário é ir passear com as pessoas quando elas estão tristes. - Daniela Sofia - Ser solidário é sermos amigos, ajudarmo-nos uns aos outros, sermos simpáticos, oferecer coisas aos mais carenciados e termos esperança que tudo corra bem. – João Ferraz - Ser solidário é dar aos outros o que precisam, é ter a responsabilidade de querer ajudar as pessoas que necessitam. – Filipa - Ser solidário é ser responsável com as pessoas mais velhas ou mais novas. – João Tiago - Ser solidário é ajudar as crianças e adultos necessitados, com brinquedos e alimentos. – Maria - Ser solidário, é quando nós somos simpáticos e amigos para os outros ; ser solidário é querer ajudar um simples idoso que não consegue passar a rua; ser

- Ser solidário é ajudar os outros. - Diogo Miguel - Ser solidário é fazer algo amigável que possa ajudar os outros tal como dar comida para pessoas com necessidades ou ir perto de um amigo para conversar com ele quando esse mesmo estiver triste ou chateado. Pequenas ajudas da nossa parte são grandes ajudas para os mais carenciados. - Alexandra. - Para mim ser solidário é ajudar os outros no que mais necessitarem e dar de vez em quando uma moeda às instituições de caridade. Não se deve desperdiçar comida nem água, porque essas pessoas precisam de comer e de beber e não têm. - Lara - Ser solidário é ajudar os cegos a atravessar a rua. – Bárbara - Ser solidário é oferecer bens alimentares a quem mais necessita. – Júlio

mãe e filha falam da

Solidariedade Solidariedade Palavra que significa amar O ser humano, nosso irmão A quem vamos ajudar Com todo o nosso coração. Com um simples gesto Fazemos a diferença Ainda que simples e modesto Grande é a recompensa. Com um bonito ato de amor Que é o dom da partilha Semeamos a esperança De um mundo melhor. A mãe - Clara Oliveira A solidariedade É uma palavra difícil de pronunciar É uma palavra bonita E significa ajudar. A solidariedade Faz parte da nossa vida Temos de contribuir Nem que seja Com um saquinho de comida. Solidariedade É dar e receber Damos um pouco de nós A quem está a sofrer. A filha - Ana Clara 4ºI

- Ser solidário é ajudar as pessoas que estão sozinhas. - Jéssica - Ser solidário é ajudar as pessoas que estão numa cadeira de rodas. - Joana Patrícia. - Ser solidário é partilhar abrigo e comida com as pessoas que necessitam. – Diogo José

Maria 4ºI

POR UMA ESCOLA DE SUCESSO


Canto do Galo/junho2012

Escritora

E.B.1 ALDÃO

Manuela Mota Ribeiro

E

ste ano, na Semana da Leitura, tivemos a visita da escritora Manuela Mota Ribeiro. Quando ela entrou na escola, nós surpreendemo-la com uma canção da sua história: “Serafim está constipado”. Cantamos muito bem e afinados. A escritora contou-nos como deixou de exercer medicina para se dedicar somente à escrita de histórias, essencialmente para crianças. As suas histórias tratam de temas importantes relacionados com a alimentação, a amizade, a felicidade, o civismo… É uma pessoa muito simpática e comunicativa. Trouxe com ela algumas das personagens dos seus livros, feitas em madeira, e contou-nos algumas histórias relacionadas com a realização das mesmas. Nós adoramos conhecer Manuela Mota Ribeiro. Comprámos alguns dos seus livros, a professora leu alguns na sala de aula e também realizamos um cartaz sobre a história: “Rosinha, uma ursinha feliz”, que nos foi contada pela D. Ermelinda, na biblioteca. 4ºI

Jogos Matemáticos

A Quinta do Queimado vista pelos alunos do 1º G

N

N

8.º Campeonato Nacional

o dia 9 de março, três alunos da EB1/JI de Aldão ( a Beatriz, a Filipa e o Diogo Miguel), previamente selecionados na sala de aula, participaram no 8.º Campeonato Nacional de Jogos Matemáticos que este ano se realizou em Coimbra. A viagem realizou-se de autocarro e também participaram outras escolas do nosso agrupamento e do nosso concelho. 4ºI

Equipa de Aldão, Abade de Neiva e Bairro 1.º Maio

o dia dezanove de setembro de dois mil e onze, visitámos uma quinta perto da escola, juntamente com os meninos das outras turmas. A avó do Francisco da nossa turma explicounos muitas coisas que nós podíamos observar na quinta. Em primeiro lugar, vimos a tirar o leite às vacas e, em seguida, fomos ao estábulo ver as vacas a comer palha. Eram muitas, muitas vacas! Noutro estábulo observámos vitelos, coelhos, galinhas, pintainhos… Havia mesmo muitos animais e eram muito fofinhos! Também havia vários cães na quinta. Um era muito grande e estava preso. Continuámos a visita e fomos para o campo ver os homens a vindimar num trator. Eles deram-nos uvas docinhas e nós ficámos contentes. Quando acabámos de comer as uvas, fomos para um campo grande e apanhámos algumas espigas. De seguida, ofereceram-nos um lanche muito saboroso (merenda). Eram produtos da quinta: boroa com marmelada, doce de abóbora e fruta. Também havia manteiga, bolachas pequeninas e sumo. Terminado o lanche, regressámos à escola, mas nós queríamos estar lá mais tempo. Foi muito divertido. Adorámos a visita à quinta.

“Tudo o que devia saber na vida, aprendi no jardim de infância” - Robert Fulghum

43


44

E.B.1 ABADE DE NEIVA

Canto do Galo/junho2012

Anedotas

Ler é

Uma mamã, que estava à espera de bebé, perguntou ao filho: - Como vamos chamar o teu irmãozinho? - Pelo telefone, daah!

Aprender e crescer Sonhar sem parar! Ler é Tão divertido Como brincar com um amigo! Ler é Descobrir e conhecer O nosso mundo! Ler é Como comer chocolate… É uma delícia! Ler é… coletivo 2º D

A professora pergunta: - Tomás, qual é a cor desta bola? - É azul… - E a cor desta? - Ora, é verde! - E aquela ali? - É amarela, mas… Ó professora, tu não sabes as cores, ou QUÊ? - Papá, onde fica África? - Pergunta à tua mãe. Ela é que arruma tudo…

“De leitor a escritor” reconto do texto

“Uma aventura do capitão Mergulhão”

António Torrado, in coleção “Histórias A grande Aventura”

ra uma vez um capitão chamado Fernão Mergulhão que navegava no seu veleiro, com os seus marinheiros. Num E belo dia, viram uma ilha. Foram no bote até lá e repararam

que era uma ilha deserta, com rocha lisa e escorregadia, sem arbustos nem ervas. Quando desembarcaram, sentiram um tremor nas pernas, mas, apesar de sentirem medo, não o mostraram. Então, como a ilha não vinha assinalada no mapa, o Capitão Fernão Mergulhão decidiu dar-lhe o seu nome. Alguns marinheiros foram até ao veleiro buscar uma lápide onde esculpiram o nome do capitão. Quando eles tentavam fazer um buraco na ilha para colocar a lápide sentiram um tremor ainda maior que da primeira vez e caíram. Ao mesmo tempo ouviram um barulho muito estranho e assustaram-se. Gritaram que aquilo não era uma ilha, mas sim um monstro! Depressa fugiram para o bote e remaram até ao veleiro. Entretanto, aquele monstro deveria ter adormecido, senão teria provocado uma enorme tempestade que bote, veleiro e marinheiros, tudo seria engolido pelas ondas da sua raiva. E se eles fossem engolidos, não haveria alguém para contar esta história do Capitão Fernão Mergulhão …

2º D

- Diz-me mamã, tu tens uma boa memória visual? - Claro que sim. Porquê? - Porque eu parti o teu espelho! Sofia Martins 2º D

Andava uma velhinha na rua para trás e para a frente, olhando para o chão. Passou um polícia e perguntou-lhe: - Bom dia, perdeu alguma coisa? - Sim, sim, perdi um caramelo. - Deixe lá, compre outro. - Não posso, tenho lá a dentadura pendurada!... Ana Beatriz Martins 2º D

Na piscina, o João pergunta quem consegue atravessá-la sem molhar as pontas do cabelo. O Rui passou e disse: - Ganhei, ganhei! Então o João responde aos gritos: - Ei, isso não vale, és careca!... Bruna Barbosa 2º D

POR UMA ESCOLA DE SUCESSO


Canto do Galo/junho2012

E.B.1 ABADE DE NEIVA

45

As histórias da nossa turma

Charadas

Como fazem os elefantes para se disfarçarem? Solução: usam óculos escuros. Sofia Martins 2º D

Qual é a coisa, qual é ela que põe o mundo a dançar, tem notas, mas não é dinheiro?

Qual é o futuro da frase “Eu estou muito cansado”? Solução: Eu durmo. Ana Rita Roselho 2º D

Diogo Rodrigues Fátima Matos

Qual é a coisa, qual é ela, que antes de ser já era?

O que é, o que é Põe-se na mesa cortado Mas nunca se come? Qual é a coisa qual é ela que é feita para andar, mas não anda? Qual é a coisa qual é ela Não sai do sítio e precisa de água e de calor? Qual é a coisa, qual é ela Está à nossa volta e não o vemos?

Tem orelhas de coelho, Focinho de coelho, Rabo de coelho, E coelho não é? O que é? O que é?

Qual é a coisa semelhante entre uma banana e um pintainho? Solução: ambos saem da casca. Qual é a diferença entre um dentista e um professor? Solução: o dentista manda abrir a boca e o professor manda fechá-la.

2º D

Verde foi meu nascimento, Mas de luto me vesti. Para dar luz ao mundo Mil tormentos padeci!

Ave sou e não voo, Tenho lã e não sou carneiro, Nestas duas palavras, Disse o meu nome inteiro.

Guilherme Peralvas

diversão.Quando ouvimos estas histórias sentimos: alegria, tristeza, carinho, amor… Adoramos ter ouvido estas histórias magníficas, emocionantes e aventureiras, pois exploramos as mesmas através de: bandas desenhadas, trabalhos em plasticina, cartazes, marionetas, resumos, guiões de leitura, pesquisas e teatros. Nós queremos continuar a ler, a ouvir, aprender e a divertirmo-nos com as histórias. 3ºD

Adivinhas

Bruna Barbosa

D

urante este ano letivo, já ouvimos e trabalhamos numa grande variedade de histórias como: “As sementes de Macarrão”; O galo da velha Luciana”; “A girafa que comia estrelas“ “O Gato das Botas”; “Desculpa … por acaso és uma bruxa?” …Ao ouvi-las aprendemos coisas novas, e adoramos as suas ilustrações. Este ano conhecemos a escritora Palmira Martins que escreveu a história “O grilinho Tenor”, e que tanto nos encantou com a sua presença. Estas histórias fizeram-nos entrar no mundo da fantasia, imaginação e

Qual é a coisa, qual é ela Tem asa e não voa, Tem boca e não come? soluções (p35)

“As crianças aprendem o que vivem ” Low Nolte


E.B.1 ABADE DE NEIVA

46

Canto do Galo/junho2012

Semana da Leitura

Escritora Palmira Martins

N

o dia 8 de março, à tarde, a escritora Palmira Martins veio à escola de Abade de Neiva apresentar o seu livro “O Grilinho Tenor”. Nós recebemo-la com muitos aplausos e com uma canção, que cantamos com muito entusiasmo. Após as apresentações de todos, a escritora começou a contar a história do grilinho, acompanhada à viola, pelo seu marido. Contou a história de uma forma tão emocionante e divertida que todos ficamos muito atentos a ouvi-la! A seguir, ela leu a história escrita em poesia e respondeu a algumas perguntas que fizemos com muito humor e sempre bem disposta. Disse-nos que tem um baú mágico com muitas histórias escondidas e que qualquer dia destes sai outra… Depois, como forma de agradecimento pela sua visita, os alunos do 4º ano apresentaram uma dança coreografada do “Rei Leão”. Todos adoramos! Por fim, a escritora autografou os livros que alguns de nós compraram, enquanto todos juntos cantávamos a canção do grilinho. Nós gostamos muito de ter aqui a escritora Palmira Martins, que é muito simpática e divertida. Foi uma tarde inesquecível… Coletivo – 2º D Corta-Mato Escolar

1º lugar merecido

N

o dia 25 de Janeiro, os professores de Educação Física do nosso agrupamento organizaram o Corta-Mato Escolar. A nossa turma participou. Demos uma volta a pé para conhecer o trajeto. Logo que acabou a volta de reconhecimento, as raparigas começaram a correr, e de seguida os rapazes. No fim, foram entregues as medalhas. No escalão masculino obtivemos três: Pedro Sá, 1º lugar, André 2º e Miguel que ficou em 10º lugar. No feminino, uma medalha foi para a Sónia e para a Diana que ficaram em 3º e 4º lugar, respetivamente. Quanto a mim, dei o meu melhor. Alcancei o 21º lugar e estou orgulhosa pelo meu esforço. Foi uma manhã excitante e muito divertida. Adorei correr! A turma do 4º D chegou à escola muito alegre e a professora orgulhosa com o desempenho dos seus alunos. Beatriz Rios 4º D

POR UMA ESCOLA DE SUCESSO


Canto do Galo/junho2012

E.B.1 PAÇO VELHO

Visita de estudo a um Centro de Dia

N

a tarde do dia 28 de outubro, dia mundial da terceira idade, fizemos uma visita de estudo ao Centro de Dia de Vila Cova. O nosso objetivo era visitar e conviver com os idosos, partilhar atividades e conhecermos um pouco das suas ocupações diárias. Quando lá chegamos, fomos para uma sala de estar onde permaneciam vários idosos a fazer jogos e outros no computador. Noutra sala, estava um grupo de idosos a jogar à malha com um disco. Convidaram-nos para jogar e entramos no jogo apanhando os discos. Dois alunos entrevistaram alguns idosos para conhecerem melhor os motivos que os levaram para o Centro, assim como as suas ocupações e atividades. Depois seguimos para a sala multiusos, onde os alunos do 4º ano apresentaram uma peça de teatro chamada: “ O esqueleto”. Foi muito divertido! De seguida, os idosos cantaram algumas canções e o professor de música acompanhou com o seu acordeão. Finalizamos a visita com um lanche e regressamos à escola. Foi muito interessante e proveitosa a partilha de atividades e o contacto com os idosos, contribuindo assim para o diálogo entre gerações. 3º J

Um dia diferente

N

o dia dezasseis de maio, os alunos da EB1 de Paço Velho realizaram uma visita de estudo. Logo pela manhã, partiram de autocarro com destino a Viana do Castelo onde visitaram o Navio Hospital Gil Eannes, construído em 1955 com o objetivo de auxiliar a frota bacalhoeira portuguesa no mar. Após a visita ao navio, seguiram viagem até Vila Nova de Cerveira. Almoçaram no Parque do Castelinho, situado à beira rio, e desfrutaram da beleza da paisagem. No fim do almoço, visitaram o Aquamuseu do Rio Minho. A visita começou pela sala dos aquários onde os alunos ouviram com atenção as explicações do biólogo, Dr. Patrício, sobre os diversos peixes e aquários, que retratam alguns habitats do rio Minho, desde a sua nascente até à foz. Seguidamente, visitaram o lontrário e ficaram a conhecer as lontras Eureka e Einstein que a todos cumprimentaram com algumas brincadeiras. Para finalizar a visita, o Dr. Patrício mostrou aos alunos as alfaias, artes de pesca e embarcações utilizadas pelos pescadores para capturarem os peixes nas águas do rio Minho. 1.º H

A utilização das novas tecnologias também dá qualidade à nossa intervenção.

47


E.B.1 PONTES

Canto do Galo/junho2012

A menina do capuchinho vermelho, no século XXI.

E

ra uma vez a menina do capuchinho vermelho que viveu algum tempo no século XXI. O seu amigo João contou-lhe a sua história que a surpreendeu. Ela quis conhecer a sua casa. Quando foi à cidade, levada pelo João ficou espantada. Não conhecia a televisão, os carros, os supermercados, o vídeo da porta da casa da avó do João, o telemóvel, os prédios, o jardim zoológico. Tudo era uma grande novidade e muito diferente da floresta que a menina conhecia. Até apanhou um susto com um carro. Quase foram atropelados quando regressavam do supermercado. Admirou-se com tanto barulho e movimento. Achou que os carros eram mais perigosos que os lobos. Porém, ao entrar na casa da avó do João, o capuchinho vermelho ofereceu-lhe um pão-deló delicioso. A avó, para retribuir, levou-os a visitar uma reserva de lobos Ibéricos. Foram de jipe e a menina tremeu o caminho todo. Viu muitas árvores queimadas e outras cortadas até chegar à reserva. Assistiu à refeição dos animais e ainda se ofereceu para ser a madrinha de um lobo bebé. Depois desta experiência regressaram a casa e João perguntou à menina do capuchinho vermelho se queria lá dormir ou voltar para a sua história. Ela respondeu-lhe que gostava de trabalhar na reserva dos lobos, mas de vez em quando visitar a sua floresta e a sua família. Texto coletivo 4ºN

A Paz

48 4

A paz é a natureza Que brilha, que chora, que ri É uma árvore a florir E é o rosto Da criança Que a mãe conseguiu criar É o trabalho, a vida O vento, o dia A paz é a luz Que ilumina Os caminhos, a noite

E o sono da menina. Coletivo 4ºN

POR UMA ESCOLA DE SUCESSO


Canto do Galo/junho2012

Um burro dançarino O burro Cabernas Tem um microfone Quando abre a boca Parece um megafone E um dia num teatro Até tudo se espantou Com o que aconteceu Quando ele dançou Era tanta a mania Que, vejam só, Levantou a velha Maria Que ficou sem o nome Cotovia E o menino bebé Que se estava a rir Fez chichi no bidé E começou a dormir

E.B.1 PONTES

Quando o Cabernas Entrou a dançar Três irmãos fizeram troça E ficaram de pernas para o ar E foi um espanto geral Com tão boa coreografia Todos a dançar no arraial E meninos a estudar geografia Um homem da plateia Entretido a observar Estando a pensar na sereia Ficou todo a babar E o público, coitado, No meio destas loucuras Corria pelo palco A apanhar as partituras.

Os músicos de Bremen

4ºN

ra uma vez um burro, um gato, um cão e um galo E que estavam velhos. Por este motivo os seus donos maltratavam-nos.

O dono do burro queria vendê-lo, a dona do gato queria afogá-lo, o dono do cão queria matá-lo e o dono do galo queria cortar-lhe a cabeça. Muito tristes, os animais abatidos e cheios daquela vida resolveram partir para Bremen, à procura de uma vida melhor e com liberdade. Queriam ser músicos. No caminho para Bremen decidiram parar para passar a noite. O galo ficou no cimo de uma árvore e avistou uma luz vinda de uma cabana. Avisou os seus companheiros que se puseram novamente a caminho. Nessa cabana encontraram uma mesa cheia de iguarias e três ladrões sentados à mesa. Pensaram imediatamente numa estratégia para os expulsar de lá. Os quatro amigos fizeram uma pirâmide colocando-se uns em cima dos outros. De repente, o burro deu um coice à porta e os ladrões ficaram muito assustados e fugiram. Os animais cheios de fome devoraram as iguarias. Depois foram à procura de um sítio para dormir dentro da cabana. Os ladrões vendo tudo em silêncio voltaram à cabana e foram surpreendidos. Foram atacados pelos animais. Ficaram a pensar que na cabana havia bruxas, fantasmas, monstros... Com grande susto, nunca mais os ladrões voltaram àquele sítio. Os animais, felizes, amigos, unidos e ricos passaram a viver ali para sempre. Coletivo 4ºN Concurso Língua Portuguesa - 6º Ano 3º lugar - Juliano Cardoso Pereira, 6º D

49 5


50

J. I. AV. JOÃO DUARTE

A nossa sopa

C

Sopa saudável e piquenique

omo estamos a trabalhar a alimentação saudável no nosso jardim, pedimos aos nossos pais lanches saudáveis. Já fizemos uma salada de fruta, com fruta variada. No mês de janeiro decidimos fazer uma sopa. Fizemos uma lista dos legumes que gostaríamos de

Canto do Galo/junho2012

NATAL

N

por na sopa. Fomos ao supermercado, compramos tudo que fazia falta (couve, brócolos, abóbora, alho francês couve flor). A nossa educadora trouxe de casa o azeite e o sal porque só se põe um bocado. A auxiliar trouxe um fruto diferente que se chama chuchu verde. Descascamos, cortamos e lavamos os legumes metemos tudo na panela e pusemos a cozer. Quando estava bem cozida passamos com a varinha mágica. Ficou uma delícia, comemos tudo. Como estava bom tempo fizemos um piquenique no recreio, cada um fez a sua sandes, uns colocaram alface, atum, fiambre e queijo, outros só colocavam o que mais gostavam. Para terminar comemos gelatina de morango que fizemos de manhã. Foi um piquenique muito divertido e saudável.

o mês de dezembro andamos atarefados a preparar a festa de Natal! Escolhemos duas histórias para apresentar aos nossos pais na festa. Para o grupo C definiu-se o Auto-Natal e para o grupo A e B, fez-se a adaptação da história “Ninguém dá prendas ao Pai-Natal” de Ana Saldanha. Os dois textos foram adaptados e contados pela educadora Clara. Escolhemos a personagem que gostávamos de fazer. Os ensaios foram muito divertidos! A festa decorreu no dia 16 de dezembro, pelas 20.30 na Escola Gonçalo Nunes

com a presença dos nossos pais e familiares e tivemos a colaboração das nossas auxiliares, da Educadora Amélia da EE e da Educadora Olinda e dos funcionários da Escola Gonçalo Nunes. No fim dos teatros veio o Pai Natal visitar-nos…e era a sério! Ofereceu-nos uma prenda e um lanche e despediu-se com um OH OH OH!!! Foi uma festa muito divertida e os nossos pais adoraram!

POR UMA ESCOLA DE SUCESSO


Canto do Galo/junho2012

J. I. AV. JOÃO DUARTE

O CARNAVAL SAIU À RUA

N

o dia 17 de fevereiro fizemos um desfile de Carnaval e fomos até ao centro da cidade de Barcelos. Os nossos fatos eram pretos. Tinham duas asas e um rabo, feitos de plástico preto pintado com pintas de tinta muito coloridas. Tínhamos uma crista e um bico feitos com esponja. Parecíamos mesmo galos de Barcelos. Todos os meninos levavam um coração no peito feito em casa (pela mãe, avô, avó). Eram todos diferentes e muito bonitos. As educadoras e as auxiliares iam vestidas de rancho. Pareciam umas vendedeiras de galos de Barcelos. Saímos do jardim de infância a pé, par a par, a assobiar e a cantar a canção “O galo de Barcelos”. Passamos na escola Gonçalo Nunes, chegamos à escola Gonçalo Pereira e juntamo-nos com os meninos desta escola. Fomos até à rua direita, demos a volta e viemos até ao Largo da Porta Nova. Tiramos uma fotografia nas escadas da igreja do Sr. da Cruz e fomos lanchar sentados no chafariz e voltamos para o jardim de infância de autocarro. No desfile vimos muita gente da cidade e muitos meninos mascarados de muitas coisas. Este dia foi legal! Foi fixe, divertido e muito lindo. Gostamos muito do nosso Carnaval.

Os Sons do barro

O Museu de Olaria veio ao nosso Jardim fazer uma atividade muito interessante! Fazer música com instrumentos feitos de barro. Primeiro vimos um filme de como se faz a louça e os instrumentos de música de barro que se vendem na feira de Barcelos. A professora Ana tocou algumas canções infantis num instrumento que se chama ocarina e nós também pudemos experimentar outros: os sinos, os pratos, as bilhas, rouxinóis, pífaros. Fizemos uma bela orquestra e, bem afinados, espalhamos a magia da música pelo Jardim!

OS REIS Como é tradição, no nosso jardim fomos cantar os reis à comunidade. Decoramos as coroas, vestimos as capas, afinamos os instrumentos e ensaiamos uma canção. Fomos cantar à escola Gonçalo Nunes e à escola Gonçalo Pereira.

Nesta escola tivemos uma surpresa, estavam lá os jogadores do Gil Vicente que nos deram uma fotografia autografada e um porta-chaves. No sábado seguinte até aparecemos no Jornal Diário do Minho numa reportagem ao lado dos jogadores. Até nos sentimos mais importantes (ainda)! Também cantamos na Junta de Freguesia e na APAC onde todos gostaram de nos ouvir. Pelo caminho desejamos a todas as pessoas um BOM ANO! E aproveitamos para desejar também a todos os leitores do nosso jornal um Feliz 2012!

O Clube de Teatro tem sido muito dinâmico na dinamização de atividades, tendo realizado várias apresentações em instituições como a Biblioteca M. de Barcelos.

51


52

J. I. V.F. S.PEDRO

Canto do Galo/junho2012

Não faz mal ser diferente “Não faz mal ser diferente todos juntos descobrimos que somos todos amigos”

A Maria Castanha e o Manuel Castanha TRISTÃO e ALEGRÃO rimam com… grupo Q

CASTELÃO MELÃO JOÃO BALÃO CÃO ORELHÃO CALÇÃO VERÃO BIDÃO LEÃO ÃO-ÃO PÃO LEITÃO FEIJÃO S A PAT Ã O CAMARÃO CASACÃO PASTELÃO

Festejamos o magusto No dia de S. Martinho Comemos as castanhas E bebemos suminho.

POR UMA ESCOLA DE SUCESSO


Canto do Galo/junho2012

J. I. V.F. S.PEDRO

QUADRAS DO OUTONO QUADRAS DE INVERNO

O outono está a chegar

No outono caem as folhas

as folhas a voar

folhas de várias cores

de todas as cores

vem o vento e a chuva

que caem no pomar

e frutas de vários sabores

O inverno chegou está muito frio usamos cachecol e luvas e a chuva entra no rio

A chuva a cair o vento a soprar nós aqui sozinhos sem poder brincar

O inverno é frio, vestimos casacos quentes, congela o rio e batemos os dentes

a chuva cai no telhado a neve cai na rua e eu estou congelado que nem vejo a lua

ACRÓSTICO DE CARNAVAL

Poesia das canções

C- CARETAS COLORIDAS A-ALEGRES E FELIZES R- RIR E DANÇAR N-NINGUEM LEVA A MAL A-ANIMAR A FESTA V-VAMOS DE PALHAÇOS A- ALEGRIA E FANTASIA L- LINDOS FATOS

Os meninos de S. Pedro Gostam muito de cantar Escolheram estas canções Para o dia animar!

QUADRA DE CARNAVAL NA FESTA DO CARNAVAL ANDAMOS COM AS MÁSCARAS VESTIMOS DE FANTASIA NUM DIA ESPECIAL.

Cantam a canção das ” cores”, E “ O balão do João” “A loja do mestre André”… e muitas outras que estão no coração!

Grupo P e Q

“As crianças aprendem fazendo e pensando sobre o que fazem” Piaget

53


J. I. AV. Nª Srª FÁTIMA

54

Escovagem a seco

Canto do Galo/junho2012

Saúde Oral

O

s enfermeiros da Equipa de Saúde Escolar deslocaram-se a este Jardim de Infância em meados de outubro para falar sobre higiene oral (através da apresentação de um filme de desenhos animados em PowerPoint) e ao mesmo tempo exemplificar às crianças como se faz a escovagem dos dentes a seco. Até à presente data a escovagem diária dos dentes a seco está a corresponder às expectativas. A higienização do material de escovagem é feita diariamente em casa pelos pais, em virtude do Jardim de Infância não possuir condições físicas para o fazer. É uma atividade que já se encontra «enraízada» por parte das crianças e é realizada após o almoço, na sala de aulas.

Creme de Legumes DA partir desta recolha foi escolhido o tipo

urante as duas semanas, com a ajuda dos pais, as crianças recolheram receitas de sopa.

de sopa que iríamos confecionar e quais os legumes necessários para a sua elaboração. Foi também solicitada a colaboração do Centro Social de Arcozelo no sentido de emprestar alguns utensílios necessários à confeção desta sopa assim como proceder à sua cozedura nas instalações do Centro. A atividade começou com a apresentação de todos os legumes que iriam fazer parte da sopa e da sua nomenclatura (cor, forma tamanho, peso) assim como da sua proveniência. Continuou com o corte e lavagem dos mesmos e da sua introdução na panela onde iriam ser cozinhados, juntamente com água, elemento essencial, um pouco de sal e azeite. A finalizar, a sopa foi passada pela varinha mágica e saboreada por todos. Algumas das crianças repetiram a sopa duas e três vezes, demonstrando que foi um sucesso. No decorrer desta experiência diferente foram promovidos novos saberes, valorizaram-se hábitos de alimentação racional e regras de higiene e saúde alimentar. Esta atividade finalizou com o registo gráfico da mesma, elaborado pelas crianças.

POR UMA ESCOLA DE SUCESSO


Canto do Galo/junho2012

J. I. AV. Nª Srª FÁTIMA

Apresentação do livro

«O Grilinho Tenor»

N

o dia 18 de maio assistimos à apresentação do livro: «O Grilinho Tenor», da escritora Palmira Martins, juntamente com os meninos do Jardim de Infância das Calçadas. Todos estavam muito animados e a narração da história foi acompanhada com música de viola! Nós também tínhamos uma surpresa para a escritora; cantamos a canção do «grilinho Tenor» que a nossa educadora nos tinha ensinado! A escritora Palmira Martins adorou e disse que cantamos muito bem! Depois os livros que compramos foram autografados por ela, com dedicatórias amorosas! Mais tarde, no Jardim de Infância, colorimos imagens do Grilinho Tenor. SEMANA DA LEITURA

Os pais no Jardim de Infância

D

urante a semana da leitura fizemos muitas atividades no nosso Jardim de Infância! Fomos à EB1 do Bairro 1 º de Maio participar na apresentação do livro: «O Doce Canto da Sereia e outras histórias», da escritora Bernardete Costa, ouvimos histórias contadas pelos nossos familiares e pela nossa educadora, assistimos à dramatização da «História da Carochinha», apresentada pelos nossos amigos do 1º ano da EB1 1º de Maio, declamamos lengalengas e fizemos marcadores de livros para lhes oferecer. Além de tudo isto ainda fizemos muitos desenhos sobre estas atividades!

O nosso Carnaval

N

o dia 17 de fevereiro o nosso Jardim de Infância e a Escola do 1º ciclo do Bairro 1º de Maio fizeram um desfile de Carnaval pelas ruas de Arcozelo, durante o pe-ríodo da manhã. O dia estava muito bonito embora frio e as pessoas vieram para a rua ver o nosso desfile! A festa continuou na Escola do Bairro 1º de Maio com música e dança referentes à quadra carnavalesca!

Os Reis No dia 6 de janeiro, saímos para a rua para cantar os reis à comunidade envolvente ao nosso Jardim de Infância, em Arcozelo. Embora estivesse muito frio, foi uma manhã diferente e as crianças gostaram imenso, principalmente pelo convívio com familiares, com crianças mais velhas, com os professores da EB1 1º de Maio, com a direção e os funcionários do Centro Social de Arcozelo, comunidade em geral. Esta atividade iniciou-se no J.I, uns dias antes, com a elaboração de coroas, seleção e ensaio de uma canção alusiva a esta quadra.

O Clube de Percussão foi louvado por entidades oficiais por utilizar materiais reciclados na confeção dos instrumentos musicais utilizados -

“Lataquinhos”

55


56

E.B.1/J. I. ABADE DE NEIVA

1º Dia de aulas com

Canto do Galo/junho2012

RISO

O

1º dia de aulas foi muito divertido e acolhedor. A nossa professora recebeu-nos no polivalente e de seguida mostrounos a nossa sala. Quando lá chegamos, reparamos que a sala estava decorada com muitos balões coloridos, que depois nos foram oferecidos e levamos para casa. Depois das apresentações, fomos ver todos os espaços da escola. Para terminar esta manhã maravilhosa, tivemos uma sessão de “Riso”, onde o riso e a animação foram uma constante. Nesta atividade participaram também os alunos da pré e todas as professoras da escola. Estivemos todos muito animados e divertidos. Foi um bom dia! 1º C

Dia mundial da árvore

SEMANA mundial da árvore, na nossa escola, foi festejado forma muito divertida. As professoras ofe- DA LEITURA Odiade uma

receram-nos flores (petúnias e amores) s meninos do jardim de infância de Abade e terra. De seguida de Neiva gostaram muito de comemorar a plantamos as flores em garrafas de plás- “Semana da Leitura”, que foi bastante motivadora tico, que já estavam e envolvente. cortadas e presas No decorrer da semana foram realizadas várias umas às outras, e no final regamos. Foi muito interessante mexermos na terra, sujarmos as mãos e até a roupa. Foi saudável! Depois de todas as turmas plantarem as suas flores, construímos um jardim vertical, na parede da entrada da nossa escola. Para tal, tivemos a colaboração do pai do nosso colega Francisco Dinis, na montagem do jardim. A escola ficou ainda mais bonita e todos nós ficamos contentes por contribuir para proteger a natureza, plantando uma flor. Estamos todos orgulhosos do nosso trabalho. Durante esta atividade entoamos uma linda canção “A Floresta”, a qual dizia:

O

Hoje a floresta não é protegida Árvores amigas, tu tens de plantar Todos unidos podemos vencer E a floresta salvar E foi isso que fizemos! Plantamos uma flor com muita dedicação, alegria e diversão. 1ºC

atividades em conjunto com as crianças do 1º ciclo, assim como ao nível da sala de aula. A terminar a semana foram expostos no exterior da escola 6 painéis com uma história por turma. Jardim de Infância

POR UMA ESCOLA DE SUCESSO


Canto do Galo/junho2012

J. I. ABADE DE NEIVA

CHEGOU A PRIMAVERA… trouxe as flores, o cheiro e o amor. “Eu sou a primavera A estação das flores Enfeito a natureza e a escola Com as minhas lindas cores.”

T

odas as crianças da educação pré-escolar e do 1º ciclo fizeram um jardim vertical nas paredes da escola. Plantaram, em garrafas de plástico, petúnias e amores. Foi uma atividade bastante estimulante e motivadora uma vez que as crianças entenderam que se deve preservar a natureza. Nas salas do jardim de infância foi realizada a experiência da germinação do feijão.

A GERMINAÇÃO DE UM FEIJÃO”

E

ra uma vez um feijão que se deitou em cima de um bocado de algodão. Veio um menino e deitou-lhe água em cima. Apareceu o sol que deu luz ao feijão. Começaram a crescer raízes no feijão. Depois cresceu o caule e as folhas. E por fim, nasceram outros feijões.

O desporto escolar desenvolve-se nas modalidades de Boccia, BTT e Futsal

57 5


J. I. ALDÃO

58 4

Canto do Galo/junho2012

Época natalícia no Jardim de Infância de Aldão

E

nquadrada nesta época natalícia, todas as crianças do Jardim de Infância de Aldão realizaram, em conjunto com os seus Encarregados de Educação, a decoração de um Pinheiro de Natal. Desta tarefa resultaram trabalhos magní-

ficos por parte de todos os intervenientes, de muita imaginação e criatividade, através da “arte plástica”, ilustrando o culminar desta atividade com uma exposição dos mesmos. Realizaram, ainda, vários trabalhos de Natal: o presépio, decoração do pinheiro, decoração das salas e espaços exteriores, postal de Natal e prenda para a Família. Parabéns a todos, com o nosso agradecimento.

Teatro marionetas

“O Nabo Gigante”

N

o dia 23 de novembro as crianças do Jardim de infância de Aldão tiveram a oportunidade de ir ver o Teatro de marionetes: “ O Nabo Gigante” no Auditório da Biblioteca Municipal de Barcelos, em conjunto com todos os Jardins de infância do Agrupamento. Foi uma atividade diferente cheia de criatividade e humor no âmbito dos projetos em desenvolvimento: “De falante a leitor... um percurso de sedução, encantamento e autonomia” e “Educação para a saúde”. A história refletiu a importância do cultivo de produtos hortícolas e a sua utilidade na alimentação (sopa). Frisando a interajuda e a envolvência num trabalho colaborativo do arranque do nabo gigante, e por conseguinte a partilha da sopa por todos os participantes nesta aventura. O espetáculo foi muito interessante, proporcionou momentos divertidos, motivadores e interativos. A mensagem da história foi percebida pelas crianças, todas manifestaram muito agrado e no final todas fizeram o registo individual da história.

POR UMA ESCOLA DE SUCESSO


Viaje a Toledo

Yo soy así (Adaptación del poema de Gloria Fuertes)

Yo soy así Como me estáis viendo. Yo soy así, con pelo corto, con ojos castaños, con la nariz pequeña, con la boca pequeña, ¡Hola Matilde! Tal como prometido, te voy a contar todo sobre mi viaje a Toledo. Llegué a Toledo a las 12:00 y me fui a almorzar a un restaurante muy bonito y tradicional. Tuve la oportunidad de probar algunos platos típicos de la región, las Carcamusas y el Cocido de “tres vuelcos” que son muy sabrosos. Después, fui a visitar algunos de los monumentos de esta bella ciudad, como la Catedral Primada. Fue muy interesante subir a algunas de las torres en Toledo, que me permitieron descubrir desde las alturas los tejados de la catedral formando una cruz perfecta rodeada de aéreos arbotantes marcados por esbeltos pináculos. Después he visitado la mezquita Cristo de la Luz, la Iglesia de Santo Tomé y el Museo de Santa Cruz que nos permite saber más sobre la arqueología dedicada a las culturas romana, visigoda, árabe y mudéjar. Visité un museo con una importante muestra de pintura toledana de los siglos XVI-XVII y obras de artistas como El Greco. Cuando aún estaba en el museo conocí a un chico llamado Pedro que me mostró la ciudad mejor que nadie. Pasé la noche en un Hotel llamado Hotel San Juan de los Reyes que me ofreció un desayuno delicioso. Visité algunos monumentos más que no había visto, así como el Taller del Moro. Tuve mucha suerte porque ese día era el día de la Virgen del Sagrario, había muchos festejos y la música y la gente desfilaban por las calles en honor a la Virgen. Como me pediste, hice muchas fotos. Cuando llegue a Portugal, te contaré todos los detalles de este viaje inolvidable. Besos de tu amiga Milena. Trabajo realizado por Milena Rodrigues, 8ºD

con mucha garra, mi moda es no ir a la moda, mi guerra es no ir a la guerra. Soy más divertida que pacífica, más feliz que infeliz, mis ojos, mis ojos, más pequeños que grandes... Soy tímida y no lo parece, soy muy alegre y sí lo parece, soy delgada y sí lo parece, soy simpática y no lo parece, soy habladora y si lo parece, soy portuguesa y no lo parece. Soy así… Como me estáis leyendo. Sónia Silva, 9ºA


JUNTAS DE FREGUESIA APOIAM A EDUCAÇÃO

CANTO DO GALO Nº5 JUNHO 2012  

NOTICIAS, ATIVIDADES

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you