Issuu on Google+

9 de Maio de 2013

5

Iniciativa custa cerca de 22 mil euros

António Gomes Costa antoniocosta@oregional.pt

“Não acabem com estes passeios pois já não vivemos sem eles”. Era este um dos muitos desabafos de alguns populares que participaram, ontem, dia 8, no passeio anual dos idosos, organizado pela Junta de Freguesia de S. João da Madeira, com a colaboração do município, minutos antes de partirem. Os mais de mil participantes não escondiam a enorme satisfação de ter chegado o dia do tão esperado passeio, instituído há alguns anos, para mostrar a solidariedade dos órgãos autárquicos aos sanjoanenses com mais de 60 anos e todos os reformados, independentemente da idade. E, porque tudo foi pensado ao pormenor para que nada faltasse, uma equipa dos Bombeiros Voluntários da cidade fez um acompanhamento atento, sempre disponíveis para intervirem, caso fossem solicitados. Os populares foram distribuídos pelos 20 autocarros necessários para o efeito, aos quais se juntou ainda o da Junta de Freguesia. Este ano, tiveram como destino a cidade de Valença do Minho, localizada bem na fronteira com Espanha,

No passado dia 3 de Maio, foi finalmente colocado um sino na Capela do Parrinho. Após a ansiosa espera e a contribuição de um grande número de pessoas, o sino, feito em cobre, com um peso de 315 Kg, foi colocado no cimo da torre da capela. Esta capela será inaugurada ainda este mês e tem a supervisão de Joaquim Alves.

separada apenas pelo Rio Minho. Trata-se de uma cidade dominada pela fortaleza de duas torres e muralha dupla, rica na beleza de várias igrejas, como aquela que recebeu os sanjoanenses: Igreja Colegiada de Santo Estêvão (séc. XIII), onde a celebração eucarística se realizou. Durante a missa, que foi acompanhada pelo Coro da Capela de Santo António e pelo grupo dos clarins da Fanfarra dos Bombeiros, Domingos Milheiro voltou a abordar a importância da vivência cristã, de a transportar na vida e tentar fazer dela “uma virtude”. O abade salientou que este tempo pascal deve servir para “pensar para se viver ressuscitado numa vida nova” já que “todos esperamos com urgência boas notícias”. O Pároco de S. João da Madeira, Domingos Milheiro, reconheceu, à nossa reportagem, que se trata de uma iniciativa “estimuladora” de convívio, considerando que os problemas maiores dos cidadãos na terceira idade em S. João da Madeira passam pela “falta de saúde e a ausência da família”, o que resulta, por sua vez, na ausência de motivação para a vida. “Quando nos unimos vivemos melhor”. Domingos Milheiro valorizou ainda a importância destes encontros que, em sua opinião “permitem conhecer novas cidades, novas pes-

soas e proporcionar um momento de oração, como comunidade paroquial”. Já passava das 13h quando o grupo chegou à Quinta do Cruzeiro, em Vila Praia de Âncora, local escolhido para o almoço. Ali foram recebidos por Carlos Coelho, presidente da Junta de Freguesia, Ricardo Figueiredo, presidente da Câmara Municipal de S. João da Madeira, que se estreou nestas andanças, por vereadores e comissário da PSP. Uma vez mais, o repasto foi pensado no seu requinte, onde não faltaram entradas da região, pratos típicos, bolo comemorativo e muitas iguarias do Alto Minho. Carlos Coelho lembrou que esta é uma das iniciativas que “mais prazer dá ao executivo e consideramos ser muito importante dar continuidade”, pois proporciona “momentos de grande felicidade, agradecermos aos sanjoaneses seniores o trabalho que tiveram e desenvolveram ao longo de toda a sua vida em prol da cidade”. Este passeio, segundo o autarca, custa aos cofres da Junta de Freguesia cerca de 25 mil euros, sendo que 50 por cento são comparticipados pela autarquia.

Câmara para apoiar em tudo o que for possível O presidente da Câmara Municipal, Ricardo Oliveira

ÂNGELO OLIVEIRA

Quebrando o esquecimento, o desprezo e a solidão com que muitos sanjoanenses convivem no dia a dia, mais de mil cidadãos seniores distribuíram-se, ontem, bem cedo, nos 20 autocarros necessários para os transportarem até ao centro histórico de Valença do Minho. Uma iniciativa que custou aos cofres da Junta de Freguesia cerca de 22 mil euros, sendo que 50 por cento são comparticipados pela Câmara. Uma coisa os idosos têm a certeza: “os passeios são muito importantes para todos nós” e solicitam para que o mesmo “não acabe”.

ÂNGELO OLIVEIRA

“Não acabem com o passeio dos idosos”

Figueiredo, destaca “a energia, alegria, afecto e calor humano” que os seniores sanjoanenses transmitem, sublinhando que este passeio é para continuar e que representa “um agradecimento e reconhecimento do município por tudo o que fizeram e continuam a fazer por S. João da Madeira”. O autarca salienta que o passeio sénior “é um bom exemplo da boa cooperação entre a Câmara Municipal e a Junta de Freguesia”, e acrescenta

que essa “é uma mais-valia muito importante”, que “tem mesmo de continuar a ser assim”. Ricardo Figueiredo realça que os mais idosos “são um grupo prioritário na acção da autarquia, em particular os mais desfavorecidos”, lembrando que muitos deles viram as pensões reduzidas pelo Estado “após uma vida de trabalho e até de sacrifício”. Aos seniores sanjoanenses, deixa ainda a mensagem de que “podem contar” com a sua acção e de toda a Câmara Municipal para os “apoiar em tudo o que for possível”. Ernesto Teixeira, 72 anos não escondia a felicidade por ter chegado o dia de mais um passeio. “É uma das

poucas oportunidades que muitas pessoas presentes neste convívio tem de sair de casa e de conviver”. Consciente das dificuldades em que o país vive, reconhece o “esforço há muito feito pela Junta de Freguesia e Autarquia em manter viva esta tradição e todos somos gratos por isso”. David Gomes teme, aos 82 anos, que o novo presidente não possa dar continuidade no futuro a este investimento em parceria com a Junta de Freguesia. “É das poucas coisas boas que temos. Isto tira-nos da rotina do dia-a-dia e da melancolia” e, mesmo sendo só pessoas de S. João da Madeira, não nos conhecemos todos uns aos outros e “isto aproxima-nos”.


9oregional5