Page 7

a praticá-lo. Foi na antiga patinagem do Dramático, ali ao pé do hipódromo, que aprendi, com o velho Xavier, a jogar hóquei e também dei os meus primeiros passos de dança, nos bailaricos de sábado à noite, que levariam a voos mais altos na Choupana, na Canoa, na Ronda, no eterno Van Gogo. Foi na Marginal que pedalei livre (e arriscadamente, já na altura) de bicicleta, infringindo as proibições dos meus pais, e que, mais tarde, numa fantástica Cucciolo, levei a passear algumas meninas mais atrevidas. Foi num arraial da Parada que, pela primeira e única vez, ousei fazer uma pega de caras a um novilho que, na altura, mais me parecia um enorme búfalo. Foi em Cascais que assisti aos melhores festivais de jazz, do esplendor de Villas - Boas à capacidade de continuação de Duarte Mendonça. E é em Cascais que continuo a colher e alimentar boas recordações. Levando os meus netos a ver as ondas no Cabo Raso ou a plantar árvores na Quinta do Pisão de Baixo, visitando o Centro Cultural e as suas exposições, deliciando-me com Paula Rego no seu lindo museu, recordando Duarte Pinto Coelho e a sua coleção de loiças, assistindo aos espetáculos de Carlos Avilez, participando nalgumas galas do Casino, apoiando, sempre que posso, as iniciativas de José Carlos Pinto Coelho na Quinta da Marinha, onde resido há mais de 40 anos, comendo nalguns dos melhores restaurantes do mundo. Sou devedor de Cascais e, definitivamente, não quero a reestruturação da minha dívida… Este conjunto de recordações - e tantas ficaram por referir - é uma razão forte e mais do que suficiente para reforçar e explicar o prazer com que aceitei presidir à Comissão de Honra dos 650 Anos da vila de Cascais.

7

Francisco Pinto Balsemão

Presidente da Comissão de Honra das Comemorações dos 650 Anos da Vila de Cascais

PROGRAMAÇÃO 650 ANOS VILA DE CASCAIS 2014  
PROGRAMAÇÃO 650 ANOS VILA DE CASCAIS 2014  
Advertisement