Issuu on Google+

ON TV TUDO SOBRE A TERCEIRA TEMPORADA DA SÉRIE ENTREVISTAS BASTIDORES PRÓXIMA TEMPORADA E MUITO MAIS!

THE

WALKING DEAD


pág 4 - editorial pág 5 - não há tanta gente para morrer pág 6/7 - entrevista com o elenco pág 8/9/10/11 - entrevista com Laurie Holden pág 12/13 - infográfico pág 14 - agradecimentos


Essa revista é um exercício desenvolvido pela professora Cláudia Bordin, para a disciplina de Tecnologias Digitais Para Projetos Gráficos da Univesidade Tecnológina Federal do Paraná (UTFPR). A revista traz em seu conteúdo entrevistas, bastidores e algumas curiosidades sobre a série de televisão, desenvolvida por Frank Darabont, baseada na série de quadrinhos The Walking Dead, Robert Kirkman, Tony Moore e Charlie Adlard. A exibição original da série é feita pela emissora de televisão americana AMC. No Brasil, a tranmissão é feita pelo canal fechado FOX,e pelo canal aberto BAND. Realizando esse projeto, espero ter conseguido realizar de forma coerente todos os conteúdos propostos pelo exercício. Procurei explorar ao máximo a edição de imagens e a diagramação correta, criando alguns grids. Foi um grande aprendizado e gostaria de agradecer a professora Claudia Bordin pela oportunidade de realizar um projeto como esse.

Carlos Pereira

DIRETORIA DIREÇÃO GERAL: CARLOS PEREIRA DEREÇÃO CRIATIVA: CARLOS PEREIRA JORNALISTA RESPONSÁVEL: CARLOS PEREIRA FOTOGRAFIA: CARLOS PEREIRA CAPA E DIAGRAMAÇÃO: CARLOS PEREIRA PROJETO GRÁFICO: CARLOS PEREIRA PUBLICAÇÃO: EDITORA UTFPR


e t n e g a t n a t a h Nao para MORRER “Vamos à guerra” – Rick Grimes.

T

he Walking Dead está chegando ao final. Temos ainda três episódios antes de nos despedirmos de Rick e seu grupo por alguns meses. E a história vai ser resolver. Ou não. Até agora, as relações entre os personagens, tanto em Woodbury quanto na prisão, têm sido mostradas de forma crua, seus medos, anseios, rotinas e segredos. Os conflitos veem crescendo, a mediação feita por Andrea na tentativa de solucionar a rixa entre Rick e o Governador não funcionou, e tudo parece estar culminando num grande banho de sangue. É claro, talvez não seja a terrível chacina que imaginamos, afinal, ao menos entre o pessoal da prisão, não sobraram muitos para morrer nessa contenda. Quem você acha que ficará para trás, reduzido a um escudo humano

como Axel? Aposto em Hershel, Merle, talvez Beth, Judith e algumas das pessoas que estão com Tyresse. Afinal, pelo preview do episódio 14, Andrea vai leva-los para o lado de Rick. E aí está algo curioso, não? O fato de Hershel ter se dado tão bem com Milton, assim como a empatia entre Daryl e Martinez. Talvez quanto tudo acabar, alguns dos habitantes de Woodbury acabem se integrando ao grupo. Com tantas mortes até agora, a trupe de Rick se reduziu drasticamente, e precisa engrossar suas fileiras ou simplesmente desaparecerá. Agora é esperar para conferir como o final chegará, se banhado em sangue, ou com alguma fuga desesperada, dispersando mais uma vez o grupo. E ainda, quem permanecerá para continuar nessa luta pela sobrevivência, porque depois da luta e das mortes, vem a reconstrução.


E o futuro?

Elenco de ‘The Walking Dead’ fala sobre o que podemos esperar para o restante da 3ª temporada. Se os previews são algo em que podemos confiar, o episódio desta semana de “The Walking Dead” finalmente vai apresentar o tão esperado confronto entre Rick Grimes de Andrew Lincoln e o Governador de David Morrissey. “Há um confronto por vir” disse Andrew ao Access Hollywood sexta-feira passado no evento PaleyFest 2013 em homenagem à série. “Os autores têm feito um ótimo trabalho com voltas e reviravoltas que você não imaginaria.” David também sugere que o confronto não acontecerá de uma forma que o público pudesse prever. “Eu acho que o principal a se dizer sobre isso é que a série na última metade da temporada foi cheia de surpresas, reviravoltas e mais voltas e eu acho que as pessoas foram surpreendidas de uma forma boa com o modo como a série se desenvolve, e ela vai continuar este caminho”, disse David ao Access em Janeiro, quando perguntado sobre o confronto. “Então o encontro que eu imagino que vocês estejam esperando pode ir um pouco além disso ou ter algo de diferente, de qualquer maneira. Não será exatamente o encontro que vocês estão esperando.” Para Andrea, que está atualmente em Woodbury e dormindo com o inimigo, ela deve retornar a suas raízes pré-apocalipse zumbi para tentar ajudar ambos os grupos, após sua tentativa falha de assassinar o Governador. Deixe-me explicar, elas estava dormindo com o inimigo (Episódio 311) porque ela está trabalhando infiltrada. Ela não dormiu com ele porque era tipo ‘Oh, você é tão bonito, e eu estou tendo um momento de fraqueza” explicou Laurie Holden ao Access no tapete vermelho do PaleyFest. “Ela realmente pensou que poderia fazer o que Carol sugeriu a ela, – e essa era sua intenção – mas Andrea nunca

matou um ser humano antes e é muito diferente pensar que você pode matar alguém a sangue frio e então realmente avançar em alguém que está dormindo e rasgar sua garganta. Então eu acho que você verá em episódios futuros que ela vai tentar apaziguar as coisas do modo que ela conhece. Ela era uma advogada antes do apocalipse.” Michonne certamente parecia ter finalmente assumido uma posição no grupo depois de ir à busca de suprimentos com Rick e Carl no episódio da semana passada, “Clear”, e para manter essa posição avançando lentamente no caminho para se tornar um membro pleno do acampamento de Rick, Danai Gurira disse que sua personagem vai precisar trabalhar em si mesma.

“Eu acho que conquistar seu espaço no grupo se trata

muito de trabalhar em si mesma,” disse Danai para o Access. “(Por muito tempo,) ela esteve sozinha, desenvolveu suas próprias habilidades de sobrevivência, das quais ela é muito dependente. Ela aprendeu a viver sem apego humano, exceto quando acolheu Andrea, então a ideia de ter que se abrir para um grupo, – e ela sabe que é lá onde ela deve estar – é uma trajetória em abraçar algo de seu verdadeiro eu antigo, quem ela era antes do apocalipse, porque ela se tornou uma garota bem diferente. Mas agora se trata de ser aquela mulher formidável, além de também voltar àquela mulher que ela era antes e acreditar que é seguro para ela ou que vale a pena deixar esta outra parte dela de lado.” E será que o Merle encontrou um amigo em Hershel? Perguntado se eles se tornarão companheiros – de sorte – depois de compartilharem uma passagem da Bíblia no episódio 311, Scott Wilson, que interpreta Hershel, sugeriu que Merle pode não ser bem recebido no aconchego de sua prisão por muito mais tempo.


Andrea continuará em Woodbury? Como Milton reagirá ao saber dos planos do Governador? O produtor executivo decompõe o episódio na autópsia semanal do ONTV (Aviso: Este artig contém spoilers do último espisódio de The Walking Dead, “Arrow on the Doorpost”, da AMC.) Depois dos ataques a Woodbruy e à prisão, Rick e o Governador finalmente se encontraram no The Walking Dead de domingo. Durante o episódio de domingo, Rick (Andrew Lincoln), Hershel (Scott Wilson) e Daryl (Norman Reedus) fizeram uma jornada até Woodbury para seguir a sugestão de Andrea de que era possível um acordo de paz entre as duas comunidades. Em vez disso, o que Rick encontrou foi um homem obcecado por vingança contra a mulher que matou sua filha zumbi, Penny, e o deixou com uma cicatriz e um tapa-olho para o resto da vida. A decisão do Governador (David Morrissey) não condiz com Andrea (Laurie Holden), que foi rejeitada – junto com sua noção de paz – quase instantaneamente, fazendo -a questionar sobre seu futuro no círculo de Philip. Depois de voltar de Woodbury, Rick optou por contar ao seu grupo que o Governador apenas quer guerra – protegendo Michonne (Danai Gurira) do fato de que ela é o centro da vingança do líder de Woodbury. “ONTV” esteve com o produtor executivo Robert Kirkman, em cujas histórias em quadrinho o drama zumbi da AMC foi baseado, para conseguir um furo sobre o que a negociação de paz fracassada significa para cada um conforme a

série chega em seus últimos três episódios da temporada. ONTV: Como Andrea reagira por ter sido rejeitada pelo Governador e seu plano de paz descartado imediatamente? Robert Kirkman: Ela realmente está em uma situação difícil na qual sue relacionamento com o Governador – da perspectiva dela – se deteriorou completamente; ela está começando a ver as rachaduras se formarem. Ela tem um pouco de vantagem no fato deles terem esse relacionamento e que isso permite a ela trabalhar contra ele e tentar salvar as pessoas de Woodbury. ONTV: Andrea questiona o que ela está fazendo em Woodbury e descobre que o Governador agrediu Maggie. Por que ela não aceita a proposta de Hershel para voltar para o grupo? Kirkman: Está é uma decisão muito difícil para ela tomar, mas ela está evolvida na ideia de Woodbury. Apesar de tudo que o Governador fez, ela vê que esta comunidade tem valor e boas pessoas. Por mais que ela queira salvar a vida das pessoas na prisão, é igualmente importante para ela não assistir a essas pobres pessoas sendo levadas para a guerra sem motivo. Ela tem muito interesse em manter essas pessoas a salvo. Isto é o que a prende lá. ONTV: Andrea também não disse a Milton que o Governador descartou completamente sua tentativa de paz e quer apenas que Rick se renda. Por quê? Kirkman: A este ponto ela não sabe em quem confiar. Ela gosta de Milton (Dallas Roberts) e poderia possivelmente vê-lo como um aliado – mas ela ainda está relutando com o que fazer nesta situação, e ainda está descobrindo algumas coisas. Ela manterá tudo em segredo a este ponto.


Laurie Holden (Andrea) fala sobre a série e seus momentos finais Em uma entrevista ao site ET Online, Laurie Holden, a Andrea, falou sobre a estadia da personagem em Woodburry, o tempo que passou na cama com o Governador e o que isso vai significar quando Rick entrar na cidade. Sobre o Governador, Laurie comentou que o público não anda muito feliz com o relacionamento entre os dois, mas acrescenta: “Andrea não vê nada errado com a cidade, ela não viu as cabeças no tanque, ou Penny, ou Glenn e Maggie sendo torturados. A única coisa estranha foram as lutas, mas o Governador explicou-se bem. Quanto a ele, ela só vê o que ele quer que ela veja, e o que ela vê é um homem que construiu um local seguro para as pessoas serem felizes”. Agora que está no núcleo Woodburry, ela não tem tido muito contato com os atores do núcleo da Prisão: “no início foi difícil aceitar que não estaria mais com o grupo original, mas estamos explorando novas terras”. Ela comenta também que, a princípio, não sabiam se daria certo, mas a utilização desses elementos marcantes dos gibis – Woodburry, O Governador, as Batalhas, as experiências – tem funcionado.

A chegada de Rick, Michonne, Daryl e Oscar vai tornar tudo mais interessante, segundo Laurie. “Eu estou animada para ver esses dois mundos colidindo, e em algum ponto Andrea deverá escolher com quem vai ficar”. O próximo episódio é o mid-season finale, e ela adianta que esse episódio vai fazer com que as pessoas tenham vontade de jogar a televisão pela janela; “Queria pedir desculpas desde já, porque é horrível fazer vocês esperarem até que a série volte para saber o que acontece”. Sobre a morte de personagens importantes, ela diz que “todos amam seus trabalho, ninguém que deixar o show, mas ninguém está seguro”. Laurie termina entrevista dizendo: “talvez não haja mais nada para fazer com a Andrea, ela já passou por tudo que tinha que passar; ela estava deprimida, depois isolada, depois enraivecida, depois guerreira e agora ela se apaixonou. Eu vejo tudo isso com um grande presente”. O episódio “Made to Suffer” vai ao ar hoje na televisão americana e terça-feira na Fox Brasil, a série retorna só em fevereiro.


A atriz Laurie Holden, que interpretava a personagem Andrea no seriado The Walking Dead até o episódio 16, quando foi atacada pelo Milton zombie, presos num sala de tortura-interrogatório. Sou do time “eu esperava mais”, mas não importa. A personagem que vinha conquistando desafetos, críticas e até ameaças de morte, créditos distorcidos muito bem dados à atuação da atriz que apesar das controvérsias deixará saudade no elenco do seriado e em alguns fãs. Lourie, numa entrevista para ONTV, falou sobre seus momentos finais e o alternativo “final feliz” que ela criou para os fãs. Que capítulo final! Você teve alguma inspiração para o momento final da Andrea? Não, mas o que estava escrito… as exatas palavras que foram faladas pareciam absolutamente perfeitas. Foi tudo tão orgânico e verdadeiro para a personagem e eu me senti muito grata pela interação, que foi o de mais importante no coração dela, foi finalmente falado e compartilhado. Como você se sentiu sobre o destino de Andrea? Eu nunca a vi como vitima… eu a via como casualidade da guerra. Andrea teve uma tumultuada jornada na primeira temporada, mas no final do dia, tantas coisas positivas desabrochavam; as pessoas em Woodbury escaparam e encontraram um santuário e nenhuma das pessoas da prisão foram mortas.

Andrea gastou seus últimos momentos falando sobre o motivo dela não ter matado o Governado quando teve a chance. Você é ativista, conseguiu se identificar com o dilema? Absolutamente, 100% porcento. Veja, eu acredito que é triste e até depressivo que essa mulher tenha se metido numa situação tão ruim e terminado num ponto em que tenha perdido a vida. É obviamente uma tragédia, mas eu verdadeiramente acredito que a morte da Andrea não foi em vão. Ela morreu brigando pelas pessoas. Ela acreditava na humanidade e no final do dia, é só isso o que importa. As vezes um perde para que um grupo se favoreça. E eu estou feliz que tenha sido ela e nenhuma das pessoas que ela ama e se importava. O que você pensa sobre o arco da sua personagem no seriado? Foi uma incrível jornada; o fato de que aquela mulher foi no início uma suicida e tinha nenhuma expectativa da vida, tornou-se capaz de crescer, evoluir e emergir não somente como sobrevivente mas como líder. Isso foi um incrível de um presente pra mim, como artista. Eu me senti abençoada de ter filmado as três temporadas. Estou verdadeiramente orgulhosa da jornada dessa mulher; eu amei quem ela se tornou e o que ela representou para o fim do mundo. Após perder todos e tudo, ela nunca perdeu o coração.


Quais artefatos ou lembranças você guarda do seu período no seriado? Eu tenho recebido as mais incríveis artes para as pessoas do mundo todo. As mais belas litografias e esculturas – é tocante a criatividade das pessoas. Eu gostaria de ter uma arma, mas eu não acho que esse tipo de coisa seja permitida no avião. Se você pudesse ter dado um conselho para Andera no começo da temporada, qual seria? Andrea nunca deveria ter permitido Michonne sair por aqueles portões. Ela deveria ter pressionado mais, Michonne estava dançando entre os problemas e não dando a Andrea a completa história. Se Andrea soubesse que ali existia todo tipo de ameaça, ela teria dado fugido na hora daquele lugar com a sua melhor amiga. Mas o que foi feito, está feito. Eu apenas gostaria que elas tivessem se comunicado melhor. Andrea amava a Michonne de todo o seu coração, parte o meu coração que elas tenham se separado. Andrea teve um amontoado de cenas românticas ao longo do seriado. Qual segredo para conseguir? Certo, antes de mais nada, não é necessário uma jogada! Eu achei hilário os outros atores terem desejado tanto cenas românticas. Era como “Caras, vocês tem de aparecer no set e na frente de todos os seus amigos e colegas, ainda na frente de milhões de pessoas que vão assistir isso”. Não é, exatamente, mais um dia fácil no trabalho. David Morrissey é um cavalheiro e amável, ainda trabalhei com os melhores profissionais, mas é uma coisa estranha estar íntimo e nu na frente de outras pessoas. Isso é louco! No seu perfil no twitter, você postou uma foto estrangulando David Morrissey. Você considerou alguma vez sumir com ele, para o personagem dele não ter como acabar com o seu? Eu realmente acho que aquilo seria o melhor “final feliz.” Mas já que não foi bem essa a escolhida pra ser a última, aquela foi a minha maneira atrevida de dar um final para eles. O Governador está bem acima de qualquer tipo de redenção.


CURIOSIDADE Laurie Holden (Andrea) recebeu ameaças de morte de fãs de The Walking Dead Em uma entrevista na última edição da Entertainmente Weekly, Norman Reedus (Daryl Dixon) revelou algo que aconteceu com a atriz Laurie Holden (Andrea) durante a segunda temporada da série. Após sua personagem ter dado um tiro de raspão em Daryl Dixon ao confundi -lo com um zumbi no 5º episódio, Laurie Holden começou a receber ameaças de morte de espectadores da série. “Ela apareceu um dia no set morrendo de medo: ‘Tem gente querendo me matar!’ Eu disse, ‘Ah, fala sério.’. E novamente no dia seguinte: ‘Norman, estou aterrorizada. Tem gente ameaçando a minha vida!’”, disse Norman Reedus. Para contornar a situação, a produtora executiva Gale Anne Hurd pediu a Reedus que tirasse uma foto com Laurie Holden dizendo “Ei, somos amigos. Não sejam maus com ela, ela está somente atuando.” Foi exatamente o que Reedus fez. O ator tirou fotos com Laurie Holden e as divulgou para que os fãs de The Walking Dead soubesse que ela é apenas uma atriz interpretando a personagem Andrea.


NOME: Carlos Pereira Estudante de Desgin Grรกfico na Universidade Tecnolรณgica Federal do Paranรก (UTFPR) Trabalha na empresa: Multicoisas EMAIL: carlospereira777@hotmail.com SITE: www.facebook.com/carlosbeside

REFERรŠNCIAS WWW.THEWALKINGDEAD.COM.BR www.amctv.com/shows/the-walking-dead pt.wikipedia.org/wiki/The_Walking_Dead wallpapers.fansshare.com www.scifinow.co.uk corpseloot.com www.gothic.net



ONTV