Page 156

Fabiano Baleia O fogo O menino Um halo cor de leite O vento O vento Admiradores

castigou caçou queimou imitava cercava sacudia desfez cercaram

o filho. um preá. a palhoça. o pai. a lua. as árvores. as nuvens. a atriz.

Tanto o sujeito quanto o objeto podem ser expressos por pronomes: Ele castigou o filho. Ele castigou-o. Todos o abandonavam. Ela despertou-os. Ela sacrificara o papagaio. Ela o sacrificara. Noutro tipo de construção, em que se usa o verbo ser (às vezes estar ou ficar) e um particípio, o objeto-paciente transforma-se em sujeito, e o agente-sujeito passa a ser precedido da preposição por (mais raramente de), e então diz-se que a oração está na voz PASSIVA: SUJEITO-AGENTE Vidas Secas A palhoça A lua As árvores O papagaio A atriz

AÇÃO foi escrito foi destruída estava cercada eram sacudidas fora sacrificado ficou cercada

OBJETO DIRETO-PACIENTE por Graciliano Ramos. pelo fogo. de um halo cor de leite. pelo vento. por ela. de admiradores.

Muitas vezes, se não houver interesse nisso, na oração passiva não se declara o agente: A palhoça foi destruída. As árvores eram sacudidas. O filho foi castigado.

Profile for Carlos Duarte

Adriano da Gama Kury - Para falar e escrever melhor o português  

oi.

Adriano da Gama Kury - Para falar e escrever melhor o português  

oi.

Advertisement