Issuu on Google+

www.correiodovaledoriogrande.com.br Passos, Correio do Vale do Rio Grande, edição 61 de 12 a 19 de abril de 2014

Tia Cenira acusa Cássio Soares; Alex Bueno defende o deputado Sinrural faz reunião para discutir SINAGRO 2014

Cerca de 20 pessoas, entre diretores do Sinrural, organzadores e empresários do setor agropecuário, participaram na última quartafeira, 9/4, de uma reunião no anfiteatro Nelson Jorge, a partir das 18:30h, para discutir a realização da 6ª edição da SINAGRO. Algumas decisões já foram tomadas,

como a mudança da data, que passou de agosto (5 a 8) para os 30 de julho a 01 de agosto. Outros assuntos, como a mudança do local de exposição e montagem de estandes, serão discutidos novamente em reunião que acontecerá na próxima quarta-feira, 16/4. Página 03

Governo anuncia etapas da estadualização

Na última sessão da Câmara, 7/4, a discussão jurídica que acontece em torno de ações que o grupo do deputado Cássio Soares faz contra o prefeito Ataíde, seu vice Ademir e outras pessoas do lado do prefeito, como a própria Tia Cenira(PR), ecoou na Câmara de vereadores. Ela disse que Cássio está agindo fora do contexto eleitoral com o único propósito de ver o

grupo que apoia assumir o poder. Também as ações do deputado e secretário e afirmou que ele não teve forças para fazer com a FESP fosse estadualizada antes das eleições, deixando que a fundação só seja estadualizada em 3 de novembro. O vereador Alex Bueno (PSD), aliado de Cássio Soares, foi o contraponto da argumentação de Tia Cenira. Ele disse que Passos

poderia estar muito pior sem Cássio Soares e afirmou que o deputado fez muito pela cidade. Alex destacou ações do parlamentar em apoio a saúde, educação e área social. Quanto a FESP ressaltou que Soares afirmara em Belo Horizonte que não era o pai da criança, mas que o mérito pela conquista da estadualização é de todos. Páginas 6 e 7

O governo de Minas, através da Secretaria de Ciências Tecnologia e Ensino Superior, divulgou, por anexo ao decreto, como serão as etapas de estadualização da três últimas fundações que serão absorvidas pela UEMGUniversidade do Estado de Minas Gerais. Antes disso o secretário Narcio Rodrigues

afirmou que fundação de Passos apresentara um balanço com um passivo de R$27 milhões, mas que este valor foi contatado ser de R$46 milhões. Este pode ter sido um dos motivos pelo que a FESP será a última a ser encampada em 3 de novembro. Páginas 4 e 5


De 12 a 19 de abril

Charge

Opinião UNIVERSIDADE PÚBLICA E O ADIAMENTO DA GRATUIDADE

Jairo Roberto da Silva Aconteceu o que era esperado. O Governador Anastasia, numa canetada histórica, decretou a incorporação da FESP à Universidade do Estado de Minas Gerais. Vale dizer: a FESP foi estadualizada. Temos ou teremos uma Universidade Pública aberta, democrática, gratuita, ministrando um ensino de qualidade. O único senão que também era esperado foi o adiamento do início da gratuidade; no caso da FESP, 3 de novembro de 2.014. Menos mal. O ideal e o esperado seria a decretação da gratuidade imediatamente. O prazo de sete meses é pouco para quem esperou por mais de vinte anos e muito para quem terá que pagar até lá, com enorme sacrifício. O momento enseja algumas reflexões e considerações sobre o que teria levado o Governo a escalonar a gratuidade, de sorte que a FESP fosse a última das três a receber os benefícios da gratuidade para os seus alunos. A segunda questão, decorrente da primeira, é: que participação teria o Governo na gestão da FESP no período que antecede o início da gratuidade ? A questão não é tão simples quanto se cuida e parece. O balanço da FESP referente ao ano base de 2.013, publicado na Folha da Manhã de sábado, dia 5 de abril de 2.014, após a assinatura do decreto de estadualização, mostra alguns dados e aspectos interessantes que busco nas lições de Estrutura e Análise de Balanço que aprendi e ensinei na vetusta Escola Técnica de Comércio São José. 1. O significativo aumento do passivo circulante (curto prazo) de R$ 5.178.000.00 para R$ 11.464.677,00. Uma diferença para maior de R$ 6.286.677,00. 2. O aumento, também expressivo do passivo não circulante (a longo prazo), de R$ 2.547.652,00 para R$ 7.170.104,00, uma variação, para mais de R$ 5.222.452,00. O endividamento da FESP que

era de R$ 7.725.660,00 em 31 de dezembro de 2012 saltou para R$ 19.234.781,00, em 31 de dezembro de 2013: 3.A justificativa para tal aumento está estampada na variação de seu imobilizado que passou por um processo de reavaliação ou atualização contábil, fato que explica o aumento do patrimônio social da FESP de R$25 para R$ 49 milhões; 4. Outro dado que merece registro é o déficit (prejuízo) na ordem de 1,4 milhões, explicado pelo pagamento de despesas de financiamento ( juros ) no ano de 2.013, em média mais de R$ 100.000,00 mensais. A despeito dos elevados financiamentos contraídos que comprometem o patrimônio da instituição e repercutem em sua estabilidade financeira, a questão poderia ser considerada razoável não fosse a ocorrência de fatores como: a) o conhecimento de informações privilegiadas e ,mais do que isso, a participação de seu gestor principal nas ações do governo quanto ao projeto de estadualização da instituição, iniciadas em 2011; b) o impacto da situação econômico-financeira da entidade na definição dos critérios para a estadualização, inclusive do prazo de início da gratuidade; c) a necessidade do acompanhamento pelo Governo do Estado dos atos de gestão praticados pelos gestores da FESP , no período que medeia a assinatura do decreto de estadualização e o início da gratuidade (3/11/2014), levando-se em conta a responsabilização dos gestores das Fundações absorvidas prevista na Lei 20.807. Por todas essas razões e outras mais, fica no ar a pergunta: Quais os motivos que levaram o Governo a decretar o início da gratuidade para 3 de novembro de 2014, o derradeiro prazo entre as demais fundações absorvidas? Jairo Roberto da Silva, advogado, Presidente da FESP de 1986/1988 e 2000/2003, entre outros cargos.

Rolou na semana Circulando Continua movimentada a agenda de Rodrigo Pacheco na busca de contatos dentro do PMDB para que seu nome seja aprovado como candidato a deputado federal pelo partido. Neste fim de semana, sábado, esteve em Carmo do Rio Claro, quando se reuniu com mais de 80 lideranças, à beira (quase) do lago de Furnas. Domingando Rodrigo Pacheco pretende passar o fim de semana em Passos, quando mais uma vez estará se reunindo com familiares, como sempre faz questão de reencontra-los na região do Carmelo. Ele deixou a cidade aos 16 anos e foi estudar em Belo Horizonte. Formado, hoje é dono de um dos mais conceituados escritórios da capital mineira. “Nunca esqueci minha terra natal e sempre procurei encontrar uma forma de ajudar minha cidade e região. A política pode significar essa possibilidade e, por isso, estou com muita disposição para enfrentá-la”, disse acrescentando que espera ter a aprovação de seus companheiros do PMDB na hora das convenções em junho.

18 de abril É a data em que o governo deve nomear um curador para acompanhar os últimos preparativos para a definitiva encampação da FESP pela UEMG. Deve ser nesse dia que a ficha vai cair na cabeça de muita gente que se julgava quase dona do pedaço. Não será surpresa se alguns mais graduados permaneçam, de certo para ver a caravana passar e uivarem comendo do pó que um dia lhes fora mel. É o destino não é? Enquanto a caravana passa os cães uivam e tomem poeira nos olhos e gargantas. Sob Judice Um erro de estratégia já colocou a cidade sob judice. Buscando assumir a prefeitura pelo tapetão, o que é legítimo. O grupo do deputado Cássio Soares pode estar batendo a massa do bolo de Ataíde, o que pode provocar ainda mais seu crescimento, que segundo pesquisa divulgada pela prefeitura mostra o prefeito muito bem avaliado. No TRE Recursos quanto as sentenças são ajuizadas no TRE com muita agilidade, como já aconteceu numa primeira vez. Agora, antes

mesmo da sentença ser publicada os advogados já foram acionados para impetrar mandado solicitando liminar para que Ataíde e Ademir permaneçam no cargo até o julgamento do mérito. Mobilizando O sindicato dos servidores de Passos – Sempre – tem duas paralisações marcadas para os dias 24 e 30 de abril. É um sinal de radicalização com a prefeitura. A presidente diz que tem oficio com a pauta da categoria desde de novembro e que não recebeu nenhum comunicado da prefeitura até agora. Surpreendeu A assembleia feita sexta, dia 11, surpreendeu, porque estava marcada para acontecer dentro da sede do Sempre, bem acanhada. Por isso teve que ser levada para a rua, para abrigar os 300 participantes. Eles decidiram que se não forem atendidos pela administração param por tempo indeterminado, a partir de 12 de maio. A paralização proposta é para ser geral, em todos os setores. Apenas 30% dos serviços essenciais serão mantidos, como saúde e coleta de lixo.

Expediente Correio do Vale do Rio Grande

(www.correiodovaledoriogrande.com.br) É uma publicação da Agência de Publicidade Silva & Mota. - CNPJ:15.170.527/0001-31 - Endereço: Rua João Pinheiro 505 – Centro 3522-4138 - E-mail: correiodovaledoriogrande@gmail.com - Diretora: Lilian Shorreyla -

Telefone: 035


De 12 a 19 de abril

Reunião define nova data para a 6ª SINAGRO Reunião convocada pelo presidente do Sindicato Rural, Leonardo Medeiros, realizada 9 de abril, no anfiteatro Nelson Jorge Maia, a partir das 18:30h, discutiu a organização e também a definição da data de realização do evento. “Chamamos os empresários e parceiros, porque era um compromisso que tínhamos assumido na edição passada e também porque queremos definir as ações levando em conta o que cada um tem a dizer”, disse Leonardo Medeiros. Participaram 20 pessoas, entre dirigentes do Sindicato, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal, IFSULDEMINAS, organizadores e empresá-rios do ramo agropecuário. Durante o encontro surgiram propostas quanto a data de realização

do evento inicialmente previsto para acontecer de 6 a 8 de agosto deste ano. Esta data, por proposta acolhida na reunião, foi mudada para os dias 30 de julho a 1º de agosto. Os empresários argumen-taram pela aglomeração de todos os expositores e chegaram a sugerir o uso da arena de rodeios e shows para abrigar máquinas, implementos e estandes. “Vamos levantar o custo e apresentar aos empresários e, juntos com eles, definir o melhor local para locar aos que aderirem ao evento”, disse Anselmo Figueiredo, responsável pela comercialização dos espaços da feira, que tem todo o parque como referência. O levantamento de custos será apresentado aos empresários na próxima quarta-feira, a partir das 17h. Eles terão dois estudos

para avaliar. Um é o que usualmente se usa, com a área onde normalmente ficam o parque de diversão e outro que leva em conta os espaços da arena. “Vamos mostrar os estudos e deixar que decidam pelo local que acharem melhor”, explica Anselmo. A forma de atrair o produtor para o evento foi bastante discutida. Ideias como a possibilidade de sorteio de loterias da Caixa Econômica Federal, mini-fábrica de iogurtes e queijos, convite aos alunos da zona rural para que levem seus pais à SINAGRO, foram algumas delas. Palestras, com foco no mercado de leite e qualidade, café e questões ambientais, também foram sugeridas, com o diretor do IFSULDEMINAS, João Paulo de Toledo Gomes, propondo trazer uma carreta

Reunião com empresários e organizadores da Sinagro que ensina a produção de café de qualidade, já aceita pelos presentes. “Espero que na próxima reunião mais empresários compareçam e pensem na SINAGRO como um espaço único, onde, com o apoio do Sinrural, possam oferecer aos produtores rurais preços diferenciados

e aproveitar linhas de crédito, com mais agilidade, que os bancos tenham como ofertar”, comentou Leonardo Medeiros. A próxima reunião está marcada para o dia 16 deste mês, às 17h, no anfiteatro Jorge Nelson Maia e está aberto a todos que queiram participar.

Ataíde e Ademir perdem mandato em ação de 1ª instância A justiça eleitoral, em 1ª instância, cassa o mandato do prefeito Ataíde Vilela e do seu vice Ademir José da Silva. A decisão do Juiz Eleitoral Flavio Barros é baseada em denuncia de abuso econômico e tem como argumento os relatos feitos pela Coligação Passos Pra Frente, que concorreu à prefeitura com Renatinho Ourives, que faz parte do grupo liderado pelo deputado es-

tadual Cássio Soares. O juiz é o mesmo que cassou mandato dos dois há pouco dias por captação ilícita de recursos do prefeito e vice. Ataíde e Ademir recorreram ao TRE e conseguiram liminar para se manterem no cargo. Ainda não foi publicada a decisão judicial em 1ª instância, mas a assessoria de comunicação da prefeitura já divulgou nota, informan-

do que os advogados estão tomando providências para recorrer ao TRE. Eis a nota na íntegra “Em relação à cassação do prefeito Ataíde Vilela e do vice-prefeito Ademir José da Silva pela Justiça Eleitoral de Passos, informamos que os advogados estão preparando recursos para suspender a sentença até que seja feito o julgamento do mérito no Tribunal Regional Eleitoral de

Minas Gerais (TRE-MG). Observamos que se trata de uma sentença de primeira instância em processo semelhante ao que foi julgado duas semanas atrás, versando sobre os mesmos fatos, ressalvando uma única diferença em relação ao objeto da ação. No primeiro processo a alegação era de suposta captação ilícita de recursos para campanha eleitoral, no segundo, a alegação é de suposto

abuso de poder econômico pelos então candidatos. Conforme ocorreu em relação à sentença do processo anterior, os advogados acreditam que terão o pedido de liminar deferido, suspendendo, assim, os efeitos da decisão da justiça local e mantendo o prefeito e o vice em seus cargos até o julgamento do recurso pela instância superior da Justiça Eleitoral de Minas Gerais.


De 12 a 19 de abril

Nárcio Rodrigues afirma que c u s t e io d a F E S P é de R$ 4 7 mi O deputado federal Nárcio Rodrigues, em entrevista coletiva, logo após a assinatura do decreto que definiu o cronograma de estadualização das três últimas fundações optantes por serem parte da UEMG, disse que a incorporação está sendo feita com cuidado e que o governo precisa saber a real situação de cada uma delas para enfim finalizar o processo. Ele citou nominalmente, para ilustrar, a FESP. “Apresentaram, num primeiro, um custeio de R$27 milhões, depois apareceu um valor de R$46 milhões”. O que disse Nárcio, que é o secretário de Ciências Tecnologia e Ensino Superior, confirma o que o Correio do Vale do Rio Grande já noticiado, quando divulgou que a prestação de contas da fundação diferia bastante do que o governo encontrara. “Isso aqui não é brincadeira”, afirmou, dizendo que o governador Antonio Anastasia cumpriu o compromisso de estadualizar a FESP, como disse em sua visita a cidade em novembro de 2013. “A lei faculta a estadualização até o fim

de 2014. Estamos fazendo antes”, destacou.

o dia 03 de novembro, depois o ensino será grátis.

O decreto que define a estadualização da FESP (absorção completa) é o de número 46.479. Ele tem o mesmo teor de outros dois referente a Ituiutaba e Divinoplis. São três etapas até chegar a completa absorção, conforme documento divulgado pela SECTES.

Na 2ª etapa está prevista a absorção das atividades de ensino, pesquisa e extensão das fundações pela UEMG e transferência do corpo discente para esta Universidade;

Na 1ª etapa será criada uma comissão especial encarregada de levantar a situação atual da FESP. Esta comissão será nomeada até 18 de abril e deverá apresentar um diagnóstico até 31 de setembro. São providências preparatórias para a absorção das atividades de ensino, pesquisa e extensão da Fundação Associada pela UEMG. O documento esclarece que funcionários permanecerão no cargo até que o processo se finde, mesma após a absorção completa, enquanto não houver concurso para o preenchimento dos cargos. Os alunos vão pagar mensalidade até

Na 3ª etapa está prevista a liquidação da personalidade jurídica fundacional.. Na 2ª etapa, prevista para acontecer no dia 3 de novembro, “cumpridas as providências preparatórias à absorção pela Comissão Especial e tomadas as medidas administrativas necessárias, ficam transferidas à UEMG as atividades de ensino pesquisa e extensão, assim como os alunos regularmente matriculados”, na prática a absorção da FESP pela UEMG. “Por força da absorção, fica assegurado aosalunos de graduação regularmente matriculados o ensino público e gratuito”. Ainda dentro dessa etapa, aí com previsão para acontecer até 26 de fevereiro

Dr. Jairo Roberto e Márcio Maia em momento hisórico

de 2015. A “rescisão dos contratos de trabalho dos professores e empregados administrativos. Em interesse daqueles professores e empregados administrativos, as designações e contratações serão firmados após a rescisão do contrato de trabalho com a Fundação e terão vigência até 31 de dezembro de 2015”, como consta do documento da SECTES. A 3ª etapa vai depender da aprovação da Assembleia Legislativa de Minas Gerais e a discussão será aberta em 2015. Ela pre-

vê a “liquidação Patrimonial, com a observância da transferência de bens e direitos à UEMG, bem como o passivo consolidado ao ESTADO.Enquanto estiver em curso o processo de extinção da personalidade jurídica fundacional, o planejamento, gestão das atividades administrativas e financeiras ficarão a cargo da UEMG e da Fundação, em regime de colaboração”. Finalmente a ALEMG vai votar o “registro do ato de extinção da personalidade jurídica da Fundação absorvida”, no caso também a FESP e as outras duas.


De 12 a 19 de abril

Acompanhe as normas dos decretos de estadualização das fundações ENTENDA A NORMA Decretos nºs 46.478, 46.477, e 46.479, de 3 de abril de 2014, publicados em 4 de abril de 2014, que regulamentam a absorção, pela UEMG, das atividades de ensino, pesquisa e extensão da Fundação Educacional de Ituiutaba – FEIT, da Fundação Educacional de Divinópolis – FUNEDI e da Fundação de Ensino Superior de Passos – FESP, respectivamente, nos termos da Lei nº 20.807, de 26/7/2013. O PORQUÊ DA NORMA As fundações educacionais de ensino superior de Ituiutaba, Divinópolis e Passos foram constituídas pelo próprio Estado de Minas Gerais, por lei, entre os anos de 1960 e 1970, mas sua manutenção era custeada por mensalidades pagas pelos alunos. Embora a absorção dessas fundações educacionais pelo Estado estivesse prevista na Constituição mineira desde sua promulgação, em 1989, obstáculos de ordem financeira e administrativa impediram a concretização do projeto.

Como solução intermediária à absorção, essas fundações já haviam sido reconhecidas como entidades associadas à UEMG, com alguns incentivos institucionais. A Lei nº 20.807, de 2013, autoriza a absorção das fundações associadas pela UEMG e estabelece o processo para tal providência. Ao término do procedimento administrativo que ora se inicia no âmbito do Poder Executivo, aquelas entidades não mais existirão, seu patrimônio será transferido à UEMG e seus débitos serão transferidos ao Estado de Minas Gerais. Desse modo, ao final, haverá apenas uma pessoa jurídica, a UEMG, autarquia estadual. O QUE OS DECRETOS REGULAMENTAM Os decretos regulamentam a Lei n. 20.807/2013, estabelecendo etapas para que o processo de absorção das fundações educacionais FEIT, FUNEDI E FESP aconteça dentro dos critérios e do prazo de dezembro de 2014, estabelecidos pelos artigos 11 e 12 da referida Lei. PONTOS IMPORTANTES

É oportuno registrar que, durante o processo de absorção, os empregados das fundações permanecerão nos cargos até que ocorra a rescisão trabalhista competente. Após a rescisão do contrato de trabalho dos docentes e empregados administrativos da Fundação, esses funcionários poderão permanecer na instituição de forma provisória até a realização de concurso público, todos com remuneração similar à praticada na UEMG. No tocante ao corpo discente, é imprescindível que o aluno esteja regularmente matriculado para que tenha direito à transferência para a UEMG. A mensalidade devida pelos alunos às fundações associadas deverá ser paga normalmente até a data estipulada para a plena absorção de cada fundação para que o ensino se torne gratuito. Por fim, com o propósito de facilitar o controle governamental e social do processo de absorção, os decretos instituem, pelo art. 5º, uma Comissão Especial (governamental) para dar início à etapa das Providências Preparatórias estipuladas pelo art.

2º. Esta comissão trabalhará com o acompanhamento da Comissão Interinstitucional composta por representantes de órgãos competentes – as próprias fundações associadas e entidades de representação de professores e alunos – para acompanhar o processo da tomada das providências administrativas. Tal medida possibilitará o acompanhamento do processo de absorção com maior transparência. ETAPAS PREVISTAS ATÉ A

ABSORÇÃO PLENA 1 Providências preparatórias para a absorção das atividades de ensino, pesquisa e extensão da Fundação Associada pela UEMG; 2 Absorção das atividades de ensino, pesquisa e extensão das fundações pela UEMG e transferência do corpo discente para esta Universidade; 3 Liquidação da personalidade jurídica fundacional.


De 12 a 19 de abril

Tia Cenira abre baterias contra Cássio entrar em competição, porque para mim as eleições acabaram em 07 de outubro de 2012. (...) Quando o Ataíde perdeu para o Hernani ele soube esperar quatro anos para voltar. Quando o Hernani perdeu as eleições para o Ataíde o Hernani soube esperar quatro anos para voltar. A vida é assim”.

Tia Cenira na tribuna da Câmara de Vereadores de Passos

A reunião da Câmara de vereadores de Passos da ultima segunda-feira, 07 de abril, caminhava tranquila, sem grandes projetos em discussão. O destaque ficou para o grande expediente, quando os vereadores têm até quinze minutos para uso da palavra, da tribuna do legislativo. A repercussão maior era sobre a estadualização das FESP, como destacou o vereador José Roberto Bernardes, por exemplo. O falecimento da mãe do vereador Luis Carlos Junior (Dentinho) e do filho do vereador Reinaldo de Oliveira (Nardão) também serviram de tema e todos se solidarizaram com os dois. Dentinho, que preside a casa legislativa de Passos, não compareceu. Já Nardão marcou presença. A vereadora Tia Cenira subiu a tribuna e abriu suas baterias contra o deputado Cássio Soares, em razão de processos que

tramitam na justiça eleitoral, que envolvem seu nome com denúncias de privilégios em empréstimos que ela teria pegado na antiga Crediacip. Ela nega. “Fiz um empréstimo para pagar cirurgia de minha filha e isso só diz respeito a mim e minha família”, disse. Ela esclareceu que fez “um acordo, como muitas outras pessoas fizeram para pagar a dívida e é isto que estou fazendo”, afirmou. A vereadora disse que o próprio Cássio Soares teve procedimento semelhante. “Ele também fechou acordo para pagar um empréstimo”, relatou. Em seguida a vereadora começou a apontar o que considera mal desempenho de Cássio Soares, acompanhe a seguir. Estadualização da FESP: “Estive em Belo Horizonte por ocasião da estaduali-

zação da FESP (três de abril). Fiz questão disso, porque enquanto presidente convoquei uma reunião para discutir a estadualização. Foi importante para Márcio Maia, Dr. Jairo Roberto, que começaram esse processo, ouvir o governador Antonio Anastasia dizer, para a FESP estadualizada: ‘caso encerrado’. Pude ver nos olhos dos dois a emoção pela conquista”. Desrespeito: “Nós temos um grupo, da qual nobre deputado Cássio Soares faz parte que está desrespeitando a população. Sabem por quê? Porque o prefeito atual e seu vice foram eleitos pelo voto direto da população, que foram as urnas para ter eles lá. Foi um desrespeito com aquele cidadão que quer ver o nosso cidade crescer (ação judicial proposta pelo grupo de Cássio Soares). (...) Quem não sabe perder não deve

Desunião: “Tem muita gente que votou nele para deputado estadual que está indignada com a atuação desse deputado.(...) O que ele trouxe para nós? Desunião, porque se nós estivéssemos unidos a FESP não estaria para ser estadualizada só em novembro. Se tivéssemos liderança forte no estado, por que não a estadualização em três de junho? Quem está unido vence, quem não está não vence não. É vergonhoso saber que nós temos um deputado e que ocupou uma secretaria deixar a nossa FESP só para novembro”. As obras de Cássio: “Aí eu abro o jornal e vejo lá as obras que Cássio fez. Fez não gente. São obras do governo do Estado. Dele mesmo R$1 milhão de emendas parlamentares e olha lá o Travessia. O restante vem o secretário de saúde e anuncia recursos para o hospital e o deputado assume como ação dele. Depois vem recursos para reforma de escolas. Eu mesmo tive a ajuda de um deputado para reformar uma escola, a secretaria de educação do estado enviou ofício

creditando a ele essa reforma e o pai da criança é outro. Isso é uma vergonha. Mas a população vai saber, porque essa vereadora tem três processos movido contra ela por esse grupo da qual o deputado Cássio Soares faz parte. Eu vou bater de porta em porta para mostrar para o povo o que este deputado faz com a gente”. Provas: “Um dos processos se refere a minha participação de um evento no bairro Santo Antonio num evento que teve lá. Acusaram-me de estar fazendo campanha extemporânea e fui lá como presidente da Câmara. Campanha faz esse deputado que vive fazendo festinhas, distribuindo guaranás. Eu tenho as fotos, está tudo guardado”. No Voto: “Eu quero falar para o deputado Cássio Soares que ele estivesse aqui, pra gente debater frente a frente. Eu gostaria de ser candidata à deputada estadual, porque eu ia mostrar para ele que é no voto que a gente ganha. Mas em consideração ao meu partido e ao Dr José Orlando Tuta, que eu respeito, eu vou estar com meu partido se a opção for pelo Tuta como candidato a deputado estadual. E vou fazer esse candidato ganhar porque não estou sozinho, tenho um grupo comigo, que é mesmo que apoia o prefeito Ataíde. E nós queremos um deputado que respeite a nossa cidade”.


De 12 a 19 de abril

Alex Bueno sobe a tribuna e rebate Tia Cenira Logo após o uso da palavra pela vereadora Tia Cenira (PR) o vereador Alex Bueno subiu à tribuna e, no uso da palavra, teceu comentários sobre discurso da vereadora líder do prefeito na Câmara. Acompanhe trechos do pronunciamento do vereador Alex Bueno. Estadualização da FESP: “Eu fui aluno da FESP, paguei minhas mensalidades, me formei. Posso afirmar que não sou o pai dessa criança, mas com muito orgulho acompanhei o dia histórico da estadualização e tenho certeza que no dia 3 de novembro a FESP será estadualizada”. Incoerência: “É incoerência nossa apoiar candidatos a deputado estadual e federal que não sejam da terra”. Respeito: “Eu respeito muito uma pessoa que admiro, pela qual entrei na vida pública, e que já é deputado estadual, o Cássio Soares, que candidato novamente. A federal temos dois nomes: Renato Andrade, que em tão pouco tempo mostrou serviço em prol de Passos e Rodrigo Pacheco que é pré-candidato a deputado federal”. Recursos: “Dos quatro vereadores que fizeram questão

de colocar agradecimento ao deputado Cássio Soares, e eu sou um deles, afirmo e comprovo que participei sim da solicitação da Escola Caetano Machado, no valor de R$970 mil e também para a Sociedade São Vicente de Paulo, no valor de R$70 mil”. Deputado Cássio Soares: “Depois de dois anos como secretário de Desenvolvimento Social, o deputado Cássio Soares volta a assembleia legislativa para continuar trabalhando por Passos e região”, Obras de Cássio: “O trabalho do deputado Cássio resultou no programa Travessia, R$ 2 milhões, Hospital Viva a Vida, quase R$4 milhões,apoio às escolas, R$6 milhões,ajuda para a Santa Casa, cerca de R$ 3 milhões, sete ambulâncias e uma Van. Se não fosse pelo Cássio a nossa cidade poderia estar pior” Cássio e a FESP: “Vou repetir o que Cássio disse sobre a FESP: ele não é o pai da criança. Esse processo foi deflagrado lá atrás, há muitos anos e tem o envolvimento de todos os políticos, inclusive dos senhores que estão aqui. O mérito é de todos. Reconheço o trabalho do senhor prefeito, mas tenho que tirar o chapéu para

Alex Bueno na tribuna da Câmara de Vereadores de Passos o trabalho do Cássio”. Disputa eleitoral: “Estamos iniciando uma disputa eleitoral. Faço parte do grupo de Cássio Soares, por ser do PSD, mas posso garantir que não tive acesso a processo e acompanhei tudo pela imprensa. Desavenças e provas realmente têm. O processo caminha e está em liminar. Torço para que o prefeito faço um bom governo. Muitas coisas ele tem feito, mas há

muito por fazer. Mas se tudo o prefeito Ataíde for julgado e condenado ele está desrespeitando 26 mil eleitores que votaram nele. Nós reconhecemos a eleição de Ataíde. Renatinho perdeu a eleição. Mas sobre o processo continua e a justiça vai decidir, porque liminares existem muitas por aí, como em Piumhi, Carmo do Rio Claro, mas quem vai julgar o mérito é a justiça. O processo é eleitoral e o jurídico da coligação resolveu atuar. Estou

com o deputado Cássio Soares. Vou apoia-lo, porque na política aprendi muito com ele. Agora se tivéssemos a coragem de nos unirmos, todos os políticos, a nossa cidade não estaria como está. Fiz duas tentativas de aproximar Cássio e Ataíde e para o bem da cidade essas picuinhas, essas desavenças, esses imbróglio teriam que ser superadas. Finalizo dizendo que o deputado Cássio Soares deixa um legado de atitudes”.


De 12 a 19 de abril

ANEEL DEFINE REAJUSTE DAS TARIFAS DA CEMIG Agência Nacional de Energia Elétrica – Aneel definiu o índice médio de 16,33% para o reajuste das tarifas de energia da Cemig, que passou a vigorar terça-feira (8/4). O aumento para o consumidor residencial é de 14,24%. Para os consumidores atendidos em baixa tensão o reajuste médio será de 15,78%. O reajuste total para o consumidor somente vai ser percebido a partir da fatura de maio. Isso porque as datas de leitura das contas de energia são distribuídas ao longo do mês. Assim, em abril, os consumidores pagarão uma parte do consumo ocorrido antes de 8 de abril ainda conforme a tarifa antiga e a outra parcela do consumo já com o reajuste da tarifa. Cálculo da fatura Do valor cobrado na fa-

tura, apenas 25,8% ficam na Cemig Distribuição e se destinam a remunerar o investimento, cobrir a depreciação e o custeio da Concessionária. Os demais 74,2% são repassados para cobrir a compra da energia (39,8%), encargos setoriais (4,9%) e encargos de transmissão (3,5%), ICMS (21%) e Pasep/Cofins (5%), que são custos repassados aos governos estadual, federal e outros agentes do setor elétrico. O principal aumento de custos em 2014 foi o gasto com a compra de energia, em função da utilização das usinas termoelétricas desde o ano passado. O preço da energia dessas usinas é praticamente o dobro das usinas de fonte hidráulica. Somente esse componente é responsável por 7,80% do reajuste. Tributos na fatura Conforme determina

a

Constituição Federal, a Cemig é obrigada a realizar a cobrança de tributos diretamente na conta do consumidor e repassá-los às autoridades competentes. Os tributos PIS/Pasep e Cofins são exemplos de contribuições cobradas diretamente na fatura, destinadas a manter programas sociais do governo federal. O ICMS, um tributo estadual, é cobrado diretamente na fatura do consumidor e repassado integralmente ao governo estadual. Entretanto, no caso de Minas Gerais, os consumidores residenciais com consumo até 90 kWh/mês, cerca de 2,4 milhões de famílias, são isentos desse tributo. Também é cobrada a Contribuição para Custeio do Serviço de Iluminação Pública (CIP), cujos valores são definidos pelas prefeituras. A Cemig apenas arrecada a taxa de iluminação pública e

a repassa para o município, que é o responsável pelos serviços de projeto, implantação, expansão, operação e manutenção das instalações de iluminação pública. Consumidores de baixa renda Nos 774 municípios de

Minas Gerais onde a Cemig distribui energia, mais de 660 mil consumidores são rurais e cerca de um milhão são classificados como de baixa renda. Esses clientes são beneficiados por um subsídio, pagando valor inferior ao custo da energia consumida.


De 12 a 19 de abril

Nutrição Taís Horta Vilela, especial para o Correio do Vale do Rio Grande

Diabetes- crianças Se o seu filho é diabético, é provável que se preocupe em elaborar um plano alimentar especifico para diabetes tipo 1. Na prática, o plano alimentar do seu filho não deverá ser diferente daquele que uma criança saudável deveria fazer. O mais importante a considerar nestes casos é uma dieta equilibrada e variada. Uma criança saudável devem fazer uma dieta rica nos mais variados nutrientes tais como proteínas, hidratos de carbono, fibras, vitaminas e alguns lípidos saudáveis para que possam crescer de forma saudável. Qualquer dieta para diabetes está relacionada com a contagem de hidratos de carbono. Nas crianças diabéticas isso não será diferente. Desde há muito se sabe que de todos os nutrientes, são os hidratos de carbono que mais contribuem para o aumento dos níveis de açúcar no sangue. Tendo isto em conta, será fundamental gerir a dieta alimentar em função dos hidratos de carbono presentes em cada um dos alimentos adequados para diabetes. Por exemplo, para controlar o nível de açúcar de sangue, alimentos ricos em fibras tal como verduras e cereais devem ser

incluídos em seu plano alimentar. Enquanto pais de uma criança diabética, deverá ter o máximo de atenção ao planejamento das refeições do seu filho, nomeadamente no que respeita à quantidade de hidratos de carbono presentes na alimentação dos diabéticos em cada uma das refeições. Tal como já foi referido anteriormente, a dieta ideal para um diabético deverá conter mais fibras e menos hidratos de carbono. Por exemplo, os pacientes com diabetes tipo 1 irão perceber que a quantidade de hidratos de carbono que ingerem, irá determinar invariavelmente a dose de insulina que terão de administrar. Outro aspecto importante a considerar é que os pais deverão ter o cuidado de monitorizar os hidratos de carbono consumidos pois estes invariavelmente acabam por se transformar em açúcar presente em circulação. Depois de digeridos, os hidratos de carbono, demoram, em média cerca de 2 horas a chegar à corrente sanguínea. Assim sendo, os pais deverão monitorizar a glicemia dos seus filhos antes e depois deste intervalo de tempo (2 horas) para assegurar que está

tudo ok. Se as medições de glicemia estiverem fora dos intervalos considerados normais, os pais deverão fazer ajustes às quantidades de hidratos de carbono ou insulina que estão a ser introduzidos no organismo. Os pais devem estar conscientes que as respostas ao consumo de hidratos de carbono pode ir variando de alguma forma. Como pai, o mais importante é que se assegure que a dieta definida para o seu filho é seguida à risca. Mas o que significa seguir um plano alimentar à risca? Seguir um plano alimentar significa cumprir os horários e frequência das refeições, não alterar as

quantidades de hidratos de carbono e nos casos de ser insulino-dependente, manter as doses de insulina recomendada pelo médico do seu filho. Será ainda conveniente recorrer aos serviços de um nutricionista. O profissional irá criar um plano alimentar adequado à doença do seu filho tendo em conta ainda as necessidades nutricionais especificas da respectiva faixa etária, assegurando desta forma um crescimento saudável. Em conclusão, um plano de dieta para crianças diabéticas é uma parte essencial das suas metas de tratamento. Eles não apenas ajudam a controlar a diabe-

tes, mas também reduz a severidade ou intensidade de sintomas. Consequentemente, isto ajuda-os desenvolver aptidão física e crescimento emotivo e social. É aconselhável para os pais assegurar que o nível de açúcar de sangue é mantido em níveis normais. Em general, e como é recomendado pela Federação Internacional de Diabetes, crianças sofrendo de diabetes tipo 1 devem sempre tomar a sua dosagem prescrita de insulina, comer uma dieta equilibrada, estar envolvido em atividades aeróbicas, e ser seguido e observado por profissionais adequados para que seja instituido um plano de nutrição adequada .


De 12 a 19 de abril

Variedades Passatempo

Receitas

PALAVRAS CRUZADAS DIRETAS

www.coquetel.com.br Herói de romances policiais do brasileiro Garcia-Roza Nuvem como a de Órion

Cidade que Descortês homenageia Brigitte Bardot com estátua e memorial (RJ)

Acompanhante do cavaleiro medieval

“(?) Hora”, jornal Página (abrev.)

© Revistas COQUETEL

Lesão por Esforço Repetitivo (sigla)

Inimigo do PapaLéguas (TV)

Cor do uniforme de integrantes do Exército brasileiro Cantora de “Nua” e “Encostar na Tua” Susana Vieira, atriz Em presença de

Boi, girafa Cada e antílope página da agenda (Zool.) “Metade”, em “hemisfério” Tem

“Da Lama ao (?)”, sucesso da banda Nação Zumbi

Arroz de bacalhau com brócolis (Arroz malandrinho)

Mandar Sociedade Anônima (abrev.) E, em inglês Mercador ambulante (bras.)

(?) Vargas: durou de 1930 a 1945 (BR) Grupo de jogadores de um time Entidade como o WWF (sigla)

Gastam Órgão regional Umberto (?), da Justiça Eleitoral escritor

Mapa, em inglês Santa (?): Vaticano

2 ½, 2 3 2 1 ½

Resultado provisório, em números (pop.) Bom, em inglês Tipo de iluminação debaixo de carro que é proibida no Brasil

(?) livre, modalidade de César Cielo A opção Nilton Travesso, positiva diretor de Hamlet de TV (Lit.)

Informação no painel do aeroporto Pomposos Treinador (de animais)

xícaras de arroz; kg de bacalhau; cebolas; dentes de alho; tomates; folha de louro; brócolis; Azeite a gosto.

Antiguidade (abrev.)

Modo de fazer

3/and — map. 4/good. 6/búzios. 7/plantel. 16/inspetor espinosa.

123

Solução P I O N V O S A ES

I N E S P H E T P O E R

R E B U L C U D E Z E R M I O R D S S U I A M A M I L A N T P A R G N E O T O L E N D E S T

R A

DO

C C O S A I R O O S V T A E E N A R A N D S CA T E RO E M E L I C I A L O N I A N T A A R

ES

BANCO

Ingredientes

Letrasímbolo do itálico

Fazer um estrugido (refogado) com azeite, cebola picada, alho picado e uma folha de louro. Depois de aloirar a cebola, junta-se o tomate picado sem pele. Deixar apurar, juntar o bacalhau em pedaços pequenos (a gosto) e cozinhá-lo por 15 minutos. Colocar a água em quantidade dobrada daquela utilizada para fazer um arroz comum. Tempera-se com sal e pimenta a gosto e junta-se o arroz. Deixar cozinhar em fogo baixo por uns 15 minutos aproximadamente. Quando ainda estiver com bastante caldo, juntam-se os ramos de brócolis ninja (escaldado) ou ervilha torta (escaldada). Deixar o arroz “malandrinho” (com bastante caldo). É importante não deixar o arroz secar. Apague o fogo quando ainda tiver um pouco de caldo na panela. Deve-se servir imediatamente. Dica: o bacalhau pode ser substituído por polvo e camarão. O brócolis, por cenouras ou outros legumes.


De 12 a 19 de abril

Correio Literário

Registro Social

Um poema de Victor Sosa

Doze homenageados em reunião especial

Ritornelos: I Se te decapitassem. E de tua tíbia testa ardente jorro. Já seja lava na alvorada ou núbil ônix. Um em tua derme látego. Se alguém ou algo, digo. Se em pleno coice teu crânio corcoveia. Pelo ar se eleve aleivoso em giro como Júpiter. Satélites. Salitres. Atacamas. E tua voz tão queda nas alturas. Se o sabre samurai em zás de sopro te em profilaxia traqueia. Manaria perene um pólen puro. Abrasaria selvas. Abadias. De coalho teus deltoides. Se o feixe de velas alçasse massa gris entre as traves estelares. Teu corpo ao lodo turvo. Teus trepanados tímpanos absortos. Abdicando punhais. Se transpira com que voz desde o jejuno. E tua cabeça tocha. Helicoidal esteira de foice em rubro. Viva segando vida. Desmontada dentadura indômita. Se a anorexia do neutrino te autofagia. Onde tua morte então. Se – é só suposição – te decapitassem.

Victor Sosa nasceu no Uruguai, em 1956, e vive no México. Atualmente reside em São Paulo, onde está traduzindo para o espanhol a poesia de Haroldo de Campos. “Ritornelo I” faz parte do livro Oroboro (Lumme Editor), obra que reúne sua poesia completa, até agora, e que será lançado no Brasil em março. O poema foi traduzido por Luiz Roberto Guedes.

Uma reunião especial muito concorrida na noite de quinta-feira (10 de abril) marcou a homenagem da Câmara Municipal de Passos a 12 personalidades. Nove delas foram agraciadas com o título honorário de Cidadão Passense, entre as quais o secretário especial do governador, José Emílio Afonso Silva, e três foram condecoradas com a medalha do Mérito Legislativo. Cerca de 200 pessoas, entre autoridades, muitas lideranças e familiares dos homenageados prestigiaram a cerimônia, presidida pelo presidente da Câmara, vereador Luis Carlos do Souto Júnior (Dentinho/PSDB), que convidou para compor a mesa dos trabalhos o suplente de deputado federal Renato Andrade e o prefeito de Miraí – José Ronaldo Milani. A cidade de Miraí, localizada

na Zona da Mata, é terra de um dos agraciados da noite, o assessor José Emílio. Receberam o título honorário de Cidadão Passense: Alessandro José de Araújo Melo, Antonio Adão Anastáscio, Antonio Joel de Abreu, Júlio Mattar da Silva, Marcos Antonio Bononi, Paulo Costa Junqueira, Valéria das Graças Lima e Walter Fonseca Júnior. Foram homenageados com a medalha do Mérito Legislativo: Ana Paula de Fátima Coelho, João Reis Soares e José Lourival Maia. O assessor José Emílio, que trabalhou com os ex-governadores Aécio Neves e Antonio Anastasia e que agora trabalha com o governador Alberto Coelho, falou em nome dos homenageados, destacando sua satisfação em estar em Passos para homenagem tão importante.


De 12 a 19 de abril

Esporte

Atlético e Cruzeiro chegam à final em alta e com ‘armas’ prontas A final do Campeonato Mineiro entre Atlético-MG e Cruzeiro chega neste domingo ainda em aberta depois do empate por 0 a 0 no primeiro jogo, no Independência. Mesmo com a vantagem para o time celeste, que poderá empatar novamente para ser campeão, os rivais chegam em alta e com força equiparada. Apesar de não contar com o lateral Marcos Rocha, vetado por contusão muscular, o Atlético chegará ao jogo deste domingo, no Mineirão, mais reforçado em comparação ao primeiro duelo, quando ficou sem jogadores como Ronaldinho Gaúcho, Fernandinho e Neto Berola. Eles retornam a equipe neste final de semana e ampliam as opções de Paulo Autuori. O goleiro Victor, que não esteve em campo na quinta-feira, contra o Zamora, pela Libertadores, também volta ao time. O Cruzeiro vem embalado pelo triunfo sobre o Real Garcilaso, por 3 a 0, que garantiu

mais baixa na equipe e de maior pressão. Ronaldinho Gaúcho ainda não rendeu o esperado em 2014, com apenas um gol marcado, em cobrança de pênalti, e dois passes para gols. Apesar do clima de desconfiança em cima do atleta, a expectativa é de que o armador repita o poder que tem de decisão quando faz jogos decisivos. a classificação para as oitavas de final da Libertadores depois de ficar em situação complicada no torneio. Além disso, o técnico Marcelo Oliveira chega com o time completo para a decisão e com jogadores importantes em crescimento. O UOL Esporte levantou as armas dos dois rivais mineiros para conquistarem o título do Campeonato Mineiro. No Atlético, as atenções ficarão voltadas para o quarteto de ataque. Pelo lado do Cruzeiro, se a defesa não levar gols, o título vai para a Toca da Raposa.

Leonardo Silva Atual capitão atleticano depois da lesão de Réver, Leonardo Silva é arma forte do Atlético defensivamente. Nos dois jogos que fez contra o Cruzeiro em 2014, ao lado de Otamendi, não sofreram gols. O camisa três, porém, é esperança também ofensivamente, já que tem ao longo da sua passagem pelo alvinegro mineiro a marca de fazer gols decisivos, como aconteceu na campanha do título da Libertadores de 2013.

Diego Tardelli Ainda devendo melhores atuações com a camisa atleticana neste ano, tanto no Campeonato Mineiro como na Libertadores, DiegoTardelli aparece como grande arma ofensiva do time. O atacante apresenta bom retrospecto contra o Cruzeiro e já revelou que tem motivação extra quando enfrenta o maior rival. Ronaldinho Gaúcho O camisa dez atleticano é quem vive momento de

Guilherme Guilherme é quem chega para o clássico mineiro vivendo o melhor momento. O atleta tem sido decisivo na função de Ronaldinho Gaúcho, dando assistência e chamando a responsabilidade. Ele tem sido elogiado pelo torcedor atleticano, que crê no seu bom momento para levar o time ao título. “Não me lembro de ter jogado um clássico na condição que estou hoje, me sinto bem pela condição que estou”, disse o jogador.


61ª edição