Issuu on Google+

ATO EM DEFESA DO PROGRAMA MAIS MÉDICOS Agosto/2013


Brasil precisa de médicos Médicos/mil habitantes

Brasil

1,8

Argentina Uruguai Portugal Espanha Reino Unido Austrália Itália Alemanha

3,2 3,7 3,9 4

2

2,7 3 3,5 3,6


22 estados estão abaixo da média nacional 5 menos de 1 médico por mil habitantes - AC, AP, MA, PA e PI

• Clique para editar os estilos do texto me – Segundo nível – Terceiro nível • Quarto nível – Quinto nível

Brasil: 1,83 médicos/mil habitantes 700 municípios não têm

sequer 1 médico residindo no município


Comparação da composição etária Médicos: Brasil, 2000 e 2010

A pirâmide etária teve a base alargada pelo aumento do número de jovens em atuação, principalmente mulheres. Em 2010, o centro da pirâmide (40-60 anos) revela-se mais estreito em relação à sua base (↓ vagas nas décadas de 70 e 80). Demanda por médicos aumentará nos próximos anos em função de maior participação de mulheres e do aumento de aposentados na população médica. Fonte: EPSM a partir do Censo Demográfico do IBGE 2000 e 2010 do IBGE.


Mercado de Trabalho - Evolução da entrada e saída de médicos, 2000 a 2011 – Brasil 20000 18000 16000 14000 12000 Nº de 10000 médicos 8000 6000 4000 2000 0 2000

2001

2002

2003

2004

2005

2006

2007

2008

2009

2010

2011

A entrada de médicos no mercado de trabalho aumentou na última década, tanto quanto a saída do sistema (aposentadorias, mortes, etc.). Entre 2005 e 2010 houve diminuição no saldo de entradas e saída. Fonte: CFM, Pesquisa Demografia Médica no Brasil, 2013.


Relação de inscritos em vestibular, por vaga de medicina. Brasil, 1993 a 2011 41,3 32,65 29,2831,5829,0728,6230,48 27,9629,0426,1826,08 25,4725,22

1993

1995

1997

1999

2001

2003

32,91

21,4 19,8422,4221,6923,16

2005

2007

2009

2011

O número de vagas de graduação aumentou de 7.800 (1993) para 16.852 (2011). O gráfico mostra que a maior oferta de formação da medicina foi acompanhado pelo aumento da demanda correspondente, não havendo desperdício. Não há perspectiva de que haja saturação do mercado nos próximos anos. Em 2011 aproximadamente 700 mil jovens aspiraram o sonho de ser médicos Fonte: EPSM a partir do Censo da Educação Superior do INEP/MEC


Evolução do percentual de vagas ociosas na graduação - Brasil, 1991-2010

Desde 2002, Medicina é o único entre os cursos da área da saúde que não tem vagas de graduação ociosas. Fonte: Estação de Pesquisa de Sinais de Mercado (EPSM/NESCON/FM/UFMG) a partir do Censo Escolar Superior do INEP.

7


Relação de ingressantes em cursos de medicina por 10.000 habitantes - 2011 PAÍS

ARGENTINA PORTUGAL INGLATERRA ESPANHA AUSTRÁLIA CANADÁ BRASIL

FONTES DE REFERÊNCIA PARA A EDUCAÇÃO MÉDICA

INGRESSANTES EM 2011

POPULAÇÃO 2011

INGRESSANTES por 10 MIL HABITANTES

Ministério da Saúde Ministério da Saúde HEFCE – Conselho para Educação Superior da Inglaterra Faculdade de Medicina Reitores Médicos da Austrália Associação das Faculdades de Medicina do Canadá

13404 1.700

40.100.000 10.562.178

3,2 1,6

7.871

53.000.000

1,5

7.000 3.035 (2012)

46.700.000 21.727.158

1,5 1,4

2.829

33.476.688

0,8

16.482 (censo 2011)

192.379.287

0,8

Ministério da Educação MEC

Se o Brasil tivesse a mesma relação de ingressantes por 10 mil habitantes que a Argentina, seriam 62,3 mil ingressantes em 2011. Adotando a relação da Espanha e Inglaterra seriam 29,5 mil ingressantes.


Brasil precisa de médicos Nos últimos 10 anos,

146 mil postos de 1º emprego formal, contra 93 mil formados. Até 2014, investimentos federais em UPA e UBS:

35 mil novos postos de trabalho

9


Percentual de cursos por graduação em saúde. Brasil, 2000 – 2010.


Variação percentual de concluintes por curso de graduação em saúde no Brasil, período 2000 a 2010.


Pleno emprego e condições favoráveis de trabalho Entre 48 carreiras de nível superior, a medicina ocupa o primeiro lugar em rankings de melhores salários, jornada de trabalho, taxa de ocupação e cobertura de previdência.

Perfil da carreira medicina:  salário de R$ 8.459,45 (o mais alto das carreiras avaliadas);  trabalham 41,94 horas semanais;  97,07% de taxa de ocupação;  93,38% de cobertura previdenciária.  O salário médio do médico em 2012 era de R$ 8.443,94 47,3% maior que em 2009. Fonte: IPEA, 2013


Evolução do salario médio real* praticado no mercado formal, segundo profissões de saúde selecionadas. Brasil, 1999 a 2011

A medicina foi a profissão que teve maior evolução do salário médio real entre as profissões de saúde Fonte: Estação de Pesquisa de Sinais de Mercado (EPSM/NESCON/FM/UFMG) a partir da RAIS. * Calculado a partir da remuneração média anual, dos vínculos ativos em 31/12 no mercado formal, a preços constantes – IPCA.


Hospitais sofrem com a falta de especialistas Pesquisa em públicos e privados aponta dificuldade de obter especialistas

      

Pediatria Neurologia Anestesiologia Neurocirurgia Clínica médica Radiologia Cardiologia

      

* somente hospitais públicos ** somente hospitais privados

14

UTI pediátrica* Nefrologia* Psiquiatria* Intensivista** Ginecologia** Ortopedia** Cirurgia Geral**


O Brasil possui 350.866 leitos disponíveis no SUS

Considerando a população usuária exclusiva do SUS, 10 estados estão abaixo da média recomendada da OMS, de 2-3 leitos por mil habitantes.


Equipamentos de saúde aumentam mais que médicos nos últimos 5 anos Região Norte: Concentra o maior déficit de médicos no país em comparação com a quantidade de equipamentos de saúde

Crescimento nos últimos 5 anos 72,3% 44,5% Nº de equipamentos de saúde por médico

13,4%

17,3%

de 3,0 a 4 4,1 a 5 5,1 a 6 6,1 a 7

Médicos

Leitos Estabelecimento Equipamentos hospitalares s Médicos de Saúde

Maio 2008

259.898

496.597

176.495

753.936

Maio 2013

294.798

582.461

254.998

1.299.191

Fonte: Data-SUS, compilado pelo Jornal Estado de S. Paulo, 14/07/2013


Mais Hospitais e Unidades de Saúde R$ 7,4 bilhões em execução Hospitais - 818 em obras - R$ 1,4 bi  Equipamentos - 2.459 - R$ 1,8 bi UPA 24h – 877 - R$ 1,4 bi  276 em funcionamento precisando de + médicos  601 em obras Unidades Básicas de Saúde – 16 mil – R$ 2,4 bi  3.197 em funcionamento precisando de + médicos  12.593 em obras  Equipamentos - 4.991 – R$ 415 milhões 17


Mais Hospitais e Unidades de Saúde

Mais R$ 7,5 bilhões de investimentos Unidade Básica de Saúde - 17,8 mil (MS)  Construção de 6 mil – R$ 2,7 bi  Reforma e ampliação de 11,8 mil – R$ 2,2 bi UPA 24h (MS)  Construção de mais 225 - R$ 630 milhões Novos hospitais universitários – 14 – R$ 2 bi (MEC) PPP – Parceria Público Privada - para gestão e ampliação do número de hospitais

18


Mais Formação - Região Norte

Graduação em medicina 1.231 novas vagas

Residência médica 1.291 novas vagas

19


Mais Formação - Região Nordeste Graduação em medicina 4.237 novas vagas Residência Médica 4.132 novas vagas

20


Mais Formação - Região Centro-Oeste Graduação em medicina 1.274 novas vagas Residência Médica 934 novas vagas

21


Mais Formação - Região Sudeste Graduação em medicina 3.185 novas vagas Residência médica 5.177 novas vagas

Região Metropolitana de SP: Diadema, Guarulhos, Mogi das Cruzes, Osasco, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul e São Paulo

22


Mais Formação - Região Sul Graduação em Medicina 1.520 novas vagas Residência Médica 838 novas vagas

23


Chamada nacional de médicos  Edital: chamada para médicos brasileiros para trabalharem na atenção básica  Local de trabalho: periferias de grandes cidades, municípios de interior e regiões Norte e Nordeste.  Bolsa: R$ 10 mil + ajuda de custo integralmente pagas pelo Ministério da Saúde  Duração: até 3 anos, com curso de especialização por universidades públicas 24


Implantar o segundo ciclo no curso de medicina Graduação Primeiro Ciclo

Pós- Graduação Segundo Ciclo

Treinamento prático supervisionado

25


Países

1

EUA

2

África do Sul

3

Cuba

6 anos

2 anos de estágio obrigatório

4

6 anos

2 anos de medicina geral 1 ano (Estágio Clínico)

6

Portugal Bélgica Coréia do Sul

5-7 anos

7

México

6-7 anos

8

5 anos

2 de estágio compulsório

9

Reino Unido Rússia

5 anos

2 de estágio compulsório

10

Suécia

5 anos e meio

1 ano e meio de estágio compulsório

7

11

6 anos

1 de estágio compulsório

12

Grécia Chile

5 anos

13

França

6 anos

2 de estágio compulsório 1 ano Medicina Geral (antes do treinamento da especialidade)

7 7

5

Graduação 8 anos ( 4 college + 4 escola médica)   7 anos

7 anos

 

Total de anos 8

1 estágio compulsório

1 ano (Estágio Clínico) 1 ano (Serviço Civil Obrigatório)

8 8 8 8 6a8 7 a8 7 7

7


Atuação dos médicos estrangeiros no mundo % de médicos que se graduaram no exterior Inglaterra: 37% EUA: 25% Austrália: 22% Canadá: 17% Brasil: 1,79% 27


Entrada de médicos formados no exterior Brasil, 2000 a 2012 Registro de médicos formados no exterior

830

201

00 0 2

724

668

Início do Revalida

548 390

371

340

387

402

238

238 121

01 0 2

02 0 2

03 0 2

04 0 2

05 0 2

06 0 2

07 0 2

08 0 2

09 0 2

10 0 2

11 0 2

12 0 2

O exame nacional Revalida não aumentou o acesso de estrangeiros ao mercado brasileiro. Fonte: CFM, Pesquisa Demografia Médica no Brasil, 2013. * No ano de 2012, computados registros até julho


Dados de IMG (International Medical Graduates) dos EUA, 2007

Número de médicos EUA Número de IMG nos EUA % de IMG nos EUA % de IMGs em programas de residência % de IMGs em Atenção Básica % de IMGs na clínica médica % de IMGs na academia Fontes: AMA-IMG Section Governing Council, 2010.

941,304 243,457 (de 127 países) 26 27,8 58 73,0 14


Médicos estrangeiros para vagas não preenchidas por médicos brasileiros

Critérios  Ter habilitação para o exercício da medicina no país de origem  Possuir conhecimento em língua portuguesa  Ser proveniente de um país com mais médicos/1.000 habitantes que o Brasil 30


Condições de atuação no Programa Mais Médicos

 Duração do Projeto: 3 anos, com a posibilidade de prorrogação por igual período.  Registro profissional: Caráter provisório vinculado ao exercício de atividades na atenção básica, exclusivamente, na localidade selecionada.  Título: Ao final do aperfeiçoamento e mediante avaliação positiva será outorgado o título de Especialista em Atenção Primária no sistema de saúde brasileiro.  Visto: Será concedido visto de caráter especial, com vigência de 3 anos, com possibilidade de renovação por igual período para o participante, sua/seu companheira(o) e dependentes legais.  Registro de Trabalho: Serão fornecidas carteiras de trabalho à(a) sua/seu companheira(o) e dependentes legais, se necessário.


Condições de atuação no Programa Mais Médicos

 Deslocamento: passagens aéreas serão fornecidas ao médico brasileiro e estrangeiro e a até dois de seus dependentes legais (incluindo companheiro e companheira). Os dependentes somente poderão dirigir-se à cidade do médico após o período de imersão (os primeiros 21 dias do programa)

 Bolsa: Médico: R$ 10.000, mais alimentação e moradia  Previdência Social:

Exigir-se-á dos médicos brasileiros vinculação ao Regime Geral da Previdência Social. Aos médicos estrangeiros, será oferecida vinculação especial, respeitando aos acordos internacionais de seguridade social


Bolsas de ajuda de custo, por região de atuação Faixa 1: Amazônia Legal, região de fronteira e áreas indígenas: 3 bolsas de ajuda de custo de R$ 10.000 Faixa 2: Municípios do Nordeste, Centro-Oeste e Vale do Jequitinhonha-MG: 2 bolsas de ajuda de custo de R$ 10.000 Faixa 3: Capitais, regiões metropolitanas e municípios que não fazem parte das faixas 1 e 2: 1 bolsa de ajuda de custo de R$ 10.000 70% inicial e 30% com 180 dias


Acompanhamento e avaliação por universidades públicas  Acolhimento e avaliação por 3 semanas em universidades públicas brasileiras  Avaliação e supervisão permanente por universidades públicas e secretarias estaduais e municipais de saúde  Autorização para exercer a medicina EXCLUSIVAMENTE na atenção básica nas regiões do Programa

34


Modulo de Acolhimento e Avaliação Políticas de Saúde no Brasil Transição Demográfica e Epidemiológica

Estrutura

Redes Prioritárias e Modelos Assistenciais

Atenção Primária e ESF no SUS

Vigilância em Saúde Programas da Atenção Primária


Estrutura 1 tutor

Oficinas anuais de capacitação para os supervisores

oriundo de universidade pública

10 supervisores

 Orientação presencial: visita trimestral  Orientação à distância:

oriundos de univ. pública, hosp. de ensino certificados, escolas de saúde e/ou programas de residência de medicina de família e comunidade

100 médicos

(máx. 10 médicos/supervisor)

 Teleconferência com supervisores:  20 horas semanais  + emergências  Supervisão presencial: visitas mensais nos primeiros três meses e trimestrais até o final  Supervisão à distância:  Teleconferência com médicos:  20 horas semanais  + emergências

01 referência regional para cada 50 médicos, contratada pelo MS/SGTES Coordenações estaduais descentralizadas, organizadas pela SES/COSEMS/MS


Sistema de Inscrição Contínua http://maismedicos.saude.gov.br

Ciclos de 45 dias para novas adesões (Agosto/Setembro) Para tirar dúvidas: maismedicos@saude.gov.br


ara editar os estilos do texto mestre

do nível

nível

o nível uinto nível

Brasil sairá de 374 mil para 600 mil médicos até 2026

 11,5 mil novas vagas de graduação  12,4 mil novas bolsas de formação de especialistas  médicos para periferia e

interior


1 mês de inscrições – Adesão dos Municípios

15.460

vagas solicitadas Critérios para alocação de médicos

Capacidade instalada Equipes de Saúde na Família sem médicos Potencial de expansão da Atenção Básica Áreas do país com maior necessidade


1º mês Mais Médicos – Inscrições registro profissional no Brasil 18.450 médicos inscritos 16.530 com registro no Brasil 1.096

2.379 médicos fizeram 3.981

homologaram participação até 13/8

a escolha dos municípios

médicos finalizaram o cadastro

1.851

Foram alocados nos municípios

938

homologaram participação até 6/8


1º mês Mais Médicos – Inscrições registro profissional fora do Brasil

1.920

com registro profissional fora do Brasil

522

721 fizeram

a escolha dos municípios

homologaram participação


Balanço final 1º mês inscrições médicos

1.618 médicos homologaram participação no programa (10% da demanda solicitada pelos municípios)

779 878


Balanço final – Registro profissional no Brasil

68% (1.096) dos médicos têm registro profissional no Brasil

531

565


Perfil dos médicos brasileiros

• 58% homens • 42% mulheres • 71% se formaram nos últimos 10 anos


Balanço final – Registro profissional fora do Brasil

32% (522) dos médicos têm registro profissional fora do Brasil, sendo 164 brasileiros que se formaram em outros países

248 313


Perfil dos médicos com registro fora do Brasil

• 32 países de atuação • 63% são homens • 37% são mulheres

 

• 72% se formaram nos últimos 10 anos


Balanço final 1º mês inscrições municípios 579 municípios e 18 DSEI selecionados (16% dos municípios inscritos)

310 municípios com 20% ou mais em situação de extrema pobreza (52%)

195 capitais e

regiões metropolitanas

74 municípios do grupo G100

18 DSEIs


Balanço final 1º mês inscrições municípios Dos 3.511 municípios que aderiram, 703 não foram selecionados por nenhum médico.

Dos 579 municípios que tiveram médicos alocados:

• 96% (557) estão recebendo recursos para construção, reforma e ampliação de Unidades Básicas de Saúde

• 95% (551) participam do Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ)


Balanço final 1º mês inscrições municípios Distribuição total de médicos por município


Região Norte médicos por estado

328 municípios aderiram e pediram 1.764 médicos 78 (24%) municípios atendidos e 15 DSEIs

28

44

88 41

262 médicos homologaram

28

participação no programa, sendo 169 brasileiros e 93 com registro profissional fora do Brasil

10

23


Região Nordeste 1.179 municípios ofereceram 4.822 vagas

médicos por estado 46

261 (22%) municípios atendidos e 1 DSEI

117 26

19 144

547 médicos homologaram

participação no programa, sendo 433 brasileiros e 115 com registro profissional fora do Brasil

84

43 51 17


Região Centro-Oeste médicos por estado

281 municípios ofereceram 1.101 vagas 36 (13%) municípios atendidos e 2 DSEIs 158 médicos homologaram

participação no programa, sendo 115 brasileiros e 43 com registro profissional fora do Brasil

15 15 103 25


Região Sudeste médicos por estado

917 municípios ofereceram 4.978 vagas 101 (11%) municípios atendidos

101 66

372 médicos homologaram

participação no programa, sendo

251 brasileiros e 121 com

registro profissional fora do Brasil

134 71


Região Sul médicos por estado

806 municípios ofereceram 2.795 vagas

98

103 (13%) municípios

63

atendidos

280 médicos homologaram

participação no programa, sendo

128 brasileiros e 152 com registro profissional fora do Brasil

119


Próximos passos 14 de agosto

Publicação da lista final de brasileiros e estrangeiros da 1ª seleção de médicos do Programa

15 de agosto e 18 de agosto Data final para emissão das passagens para o deslocamento dos estrangeiros e brasileiros, respectivamente


Próximos passos 19 de agosto

Videoconferência com gestores municipais para divulgação das orientações de acolhimento dos médicos

De 23 a 25 de agosto

Chegada dos médicos estrangeiros ao Brasil e início do curso de acolhimento


PrĂłximos passos Setembro Ao chegarem ao Brasil, os mĂŠdicos estrangeiros se concentrarĂŁo inicialmente em oito capitais


Próximos passos Acolhimento dos médicos estrangeiros • Carga horária: 120 horas • Conteúdo: legislação, funcionamento e atribuições do Sistema Único de Saúde (SUS), especialmente na atenção básica. Os profissionais que vão atuar em áreas indígenas (DSEI) terão, ainda, aulas complementares específicas sobre saúde indígena • Avaliação: testes de conhecimentos linguísticos e de comunicação na prática médica no Brasil  


Próximos passos 2º mês de seleção do programa Mais Médicos • 16 de agosto: publicação do edital • 19 de agosto: abertura das inscrições de municípios e médicos brasileiros e estrangeiros

• 1º de outubro: chegada dos médicos aos municípios  



3 ato mais médicos