Issuu on Google+


QUEEN OF BABBLE GET‘S HITCHED! Meg Cabot Terceiro e ultimo livro da Série ―Queen of Babble‖.


A HISTÓRIA dos casamentos Nos tempos antigos, os casamentos eram um pouco mais casuais do que são hoje. Tribos rivais, a fim de aumentar a sua população, eram palco freqüentemente de ataques um contra o outro, com a única finalidade de aquisição de noivas. Isso era uma reivindicação, eles roubavam uma moça tribal um para o outro. Um grupo de ataque desse tipo é aquilo que seria considerado o seu noivo moderno e seus padrinhos. Só que, você sabe, eles não estariam usando smokings. Mais sim tangas. Às vezes, as moças em questão ficavam sabendo do grupo de ataque de antemão e não mostravam necessariamente alguma resistência. Mas isto não significa que houve mal-estar por parte de seus familiares e amigos. Dica para evitar um desastre no dia do seu casamento Sempre tenha mais presentes em sua lista do que convidados do casamento. Desta maneira você pode evitar receber o mesmo presente duas vezes daqueles que não poderão ir as festividades mas ainda serão capazes de encontrar algo encantador para enviar para você! LIZZIE NICHOLS DESIGNS


CAPITULO 1 Do que quer que as almas sejam feitas, a sua e a minha são iguais. Emily Brontë (18181848), romancista e poeta britânico Chaz, digo eu, cutucando o homem de terno que estava esparramado em minha cama. Você tem que sair daqui. Chaz abana minha mão pra longe como se fosse uma coisa irritante. Mãe, diz ele. Pare. Eu te disse, eu já tirei o lixo. Chaz. Eu cutuco ele um pouco mais. Eu digo. Acorda. Você tem que ir. Chaz acorda com um salto* Que onde estou? Ele olha por um instante ao redor (*em inglês ta start, por isso achei melhor colocar salto) da sala até que seu olhar desfocado finalmente pára em mim. Ah. Lizzie. Que horas são? Hora de ir, eu digo, agarrando seu braço e puxando-o. Vamos levante-se. Mas eu poderia muito bem estar puxando um elefante. Ele não vai ceder. O que está acontecendo? Chaz quer saber. Tenho que admitir,não é fácil ser tão cruel com ele. Ele parece absolutamente adorável em sua camisa smoking, com seu cabelo escuro em tufos todo eriçado e confuso sobre sua cabeça. Ele pisca para mim. Já de manhã? Ei porque você ainda está com suas roupas? Porque não aconteceu nada entre nós, eu disse aliviada por ser verdade. Quer dizer, coisas aconteceram. Mas a minha Spanx ainda está aqui, graças a Deus. Vamos lá, levantese você tem que ir. O que quer dizer, não aconteceu nada entre nós? Chaz parece ofendido. Como você pode dizer isso? Minha barba arranhou seu corpo todo.* (a tradução ficou meio esquisita e eu achei melhor ficar assim. Mas é mais ou menos isso: Isso é minha barba queimar você está vestindo.) Eu levanto a mão culposamente para o meu rosto. O quê? Oh meu Deus. Você está brincando, certo? Não, não estou brincando. Você está completamente irritada Um olhar de auto-satisfação se espalha em seu rosto quando ele estica os braços. Agora venha aqui e vamos continuar de onde paramos antes de ser tão rudemente despertados, prometo que não vou fazer nada contra você, embora devo admitir, será um pouco difícil e provavelmente irá exigir a punição na forma de uma surra se eu conseguir descobrir como obter essas coisas fora de você. Como é que você o chama? Ah, sim. Spanx. Ilumina-se Chaz. Muito apropriado. Mas eu já mergulhei para o banheiro e estou examinando meu rosto no espelho sobre a pia. Ele está totalmente certo. Toda a metade inferior do meu rosto, onde Chaz esfregou sua barba está rosa brilhante, como fizemos na traseira do táxi no nosso caminho para casa do casamento como um casal de adolescentes na noite passada. Oh Deus! Eu choro, cambaleando de volta para o quarto. Você acha que ele percebeu? Luke! Eu choro. Você acha que ele notou a marca de barba em toda a minha cara? Como assim perceber? Que Luke? Chaz diz. Ele está na França. Você precisa sair dessa. Ele não esta na França! Eu choro golpeando Chaz. Ele estava no andar de baixo. Era ele na porta. Na porta? Chaz para a sua tentativa de despir-me, e me olha da forma mais adorável e confusa que nunca. Não que eu tenha qualquer negócio com Chaz para perceber como é adorável. Luke na porta?


Não, não mais, digo eu, golpeando com as mãos fora mais uma vez. Mais ele vai voltar em meia hora. E isso é porque você tem que sair agora. Ele não sabe que você está aqui, e eu quero que continue assim, portanto deixe-me colocar isso gentilmente, favor desocupar as instalações. Espere um minuto, Chaz levanta uma sobrancelha escura. Espere só um minuto aqui. Você está honestamente tentando me dizer que você e o Sr. Romance estão ficando juntos de novo? Claro que estamos juntos de novo, eu digo lançando um olhar de urgência para o relógio. Vinte e cinco minutos! Luke estará de volta em vinte e cinco minutos! Ele foi ao Starbucks pegar uns cafés e uns Danishor*, seja lá qual for o Starbucks que funcione no ano novo. Que, por tudo que me importa, pode ser gordura de porco rançosa em embalagens plásticas. Que importa? Por que outra razão você acha que eu estou para aqui pedindo por favor pra você se levantar? Eu não quero que ele saiba que você passou a noite aqui e que você me arranhou com sua barba. Lizzie. Chaz está balançando a cabeça. Mas ele está colocando seu smoking. Graças a Deus. Ele não é um garoto. Você não pode protegê-lo para sempre. Ele vai ter q eu descobrir sobre nós em algum momento. Sinto um aperto no coração. Nós? Que nós? Chaz não há nada entre nós. O que quer dizer, não há nada entre nós? Ele olha dentro do bolso de sua jaqueta, evidentemente procurando sua carteira. Será que passamos ou não passamos a noite juntos? Sim, eu digo, com outro olhar irritado para o relógio. Vinte e quatro minutos! E eu tenho que lavar meu cabelo. Ele está cheio de confete por causa do casamento. E eu nem menciono a probabilidade de ter anéis de guaxinim em torno dos olhos por causa do rímel. Mas eu já lhe disse. Nada aconteceu. Nada? Chaz parece ferido. Lembro-me prendendo-a ternamente nos braços e beijandolhe debaixo de um céu cheio de estrelas cadentes. Você chama isso de nada? Aqueles eram os balões, eu lembro deles. Não eram estrelas. Tanto faz, eu pensei que tínhamos decidido começar a parte física do nosso relacionamento. Não. Você disse isso. Eu disse que ambos acabaram de sair de rupturas dolorosas e precisavam de tempo para cicatrizar. Chaz e corre a mão pelo cabelo, fazendo-o ficar ainda mais eriçado. Além disso, confete cai fora dele e para a minha colcha. Então, o que era o beijo que demos na cabine aproximadamente? Ele tem um ponto válido. Eu não tenho certeza do que todos os beijos que demos na cabine se tratavam. Ou porque eu gostei tanto, tanto. Mas eu sei uma coisa. E isso é que não vou e falar sobre isso. Não agora. Nós bebemos demais, eu explico, com outro olhar frenético para o relógio. Vinte e dois minutos! E eu tenho que secar o cabelo também! Estávamos em um casamento. Nós nos empolgamos. Empolgados? Chazs com seus olhos azuis pouco naturais e brilhantes na luz do sol de inverno de filtragem através de minhas novas cortinas de renda. Isso é o que você chama a minha mão no seu sutiã? Empolgados? Corro para a frente para colocar a mão sobre a sua boca. Nunca mais fale sobre isso de novo. Meu coração disparando em meu peito.


Não me diga mesmo, Chaz diz que por trás de minha mão, que você está dando a ele uma outra chance. Sim, ele fez o grande gesto romântico, voando de volta da França no dia de ano novo, ou sei lá como se diz. Mas, Lizzie o cora tem compromissofobia*. Ele nunca cumpriu com nada em sua vida. (*Medo de compromisso) Isso não é verdade, eu choro arrancando minha mão da boca de Chaz e mostrando-a pra ele. Olhe! Chaz olha no terceiro dedo da minha mão esquerda. Oh Deus, ele diz que depois de um minuto. Acho que vou ficar doente. Isso é uma coisa agradável para dizer, eu digo com zangada, para garota que seu melhor amigo propôs. Embora a verdade é que me sinto um pouco doente mesmo. Mas isso é de todo o champanhe da noite passada. Tem que ser. Lizzie. Chaz deitou de volta a minha cama e ficou olhando as rachaduras no meu teto. Tenho que lembrá-la que a menos de vinte e quatro horas atrás, vocês dois romperam? Que você saiu do apartamento que vocês dois estavam compartilhando precisamente porque ele disse que não poderia vê-la em seu futuro? Que você passou a maior parte da noite passada com a língua na minha garganta, porque vocês os dois deveriam se entregar completamente? Bem, eu digo, olhando para o corte-esmeralda de três quilates sentado em sua faixa de platina. Parece que para captar a luz apenas assim. Luke me disse que o certificado de autenticação da gema está a caminho. Ele mudou de idéia. Por que sua saída de casa o assustou, Chaz chora sentando-se novamente. É isso que você quer? Um cara que vem correndo de volta para você e propõe casamento apenas porque ele tem medo de ficar sozinho, ele preferia estar com uma menina que ele sabe o que é certo para ele do que decidir por si mesmo? Eu olho pra ele. Oh, eu digo. E você pensa que seria um par melhor Sim, Chaz diz. Agora que você mencionou, eu penso. Mas a verdade é que um macaco com um saco de papel sobre sua cabeça seria um namorado melhor para você do que Luke. Porque vocês dois são totalmente errados um para o outro. Você me deixa sem ar, Eu não posso mesmo acreditar estou tendo essa conversa. Luke era supostamente o seu melhor amigo! Ele é meu melhor amigo, Chaz diz. Eu conheço ele desde que tinha quatorze anos de idade. Eu provavelmente o conheço melhor do que ele conhece a si mesmo. Isso é o que me faz de forma inequívoca qualificado para dizer que Ele não está em posição de pedir permissão a ninguém para casar com ele agora, e nem você. O que quer dizer, e nem eu? Eu posso sentir as lágrimas transbordando ao longo das bordas dos meus cílios. Que é tão errado comigo? Não há nada errado com você Lizzie , Chaz diz em uma voz suave. É ótimo que você saiba o que quer, mas Luke não sabe, Você é uma estrela. E Luke não é o tipo de cara que fica atrás da estrela, ele próprio acha que é uma estrela. E você não pode ter duas estrelas em um relacionamento. Alguém tem que estar disposto a ser o menos brilhante parte do tempo.


Isso não é verdade, digo eu, enxugando os olhos com as costas de um dos meus pulsos. Luke é uma estrela. Ele vai ser um doutor. Ele está estudando para salvar vidas das crianças um dia. Chaz revira os olhos O dia Luke de Villiers torna-se realmente um médico, diz ele solenemente, é o dia em que eu mudarei para a cerveja clara. Para o bem(?). Eu olho para ele. Sai fora, eu digo, apontando para a porta. Basta sair. Chaz levanta-se imediatamente em seguida, olha como se lamentando. No entanto, quando ele recuperar o equilíbrio, diz ele, com toda a dignidade que ele pode parecer à reunião, You know what? Alegremente. Ele vai para fora do quarto e na sala de estar, encontra seu casaco no chão onde ele caiu na noite anterior. Ele escava a defender a cabeça um pouco woozily então se dirige para a porta. (?) Você está cometendo um grande erro, Lizzie, ele se vira para dizer quando ele pára ali, olhando um pouco surpreso me encontrando bem atrás dele. Não, eu atiro de volta, pressionando meu dedo indicador contra o esterno. Você está. Seu melhor amigo vai se casar. Você deve estar feliz por ele. E por mim. Só porque as coisas não deram certo para você e Shari... Shari? Chaz sacode a cabeça em confusão. Isto não tem nada a ver com Shari. Tem a ver com você e comigo. Você e eu? Eu solto um latido atordoado de riso. Não há você e eu. Isso é o que você pensa, Chaz diz, puxando seu casaco. E que se dane mas não vou esperar ao redor até você descobrir que a verdade. Tudo bem, eu digo. Eu não estou pedindo isso a você, estou? Não. Chaz está sorrindo, mas não é um sorriso feliz. Mas você estaria se você tivesse a menor idéia do que era bom para você. E com isso, ele arranca pela porta tempestuosamente, batendo-a fechada atrás dele com força suficiente para fazer com que as vidraças de chocalhassem. Então ele tinha ido. A HISTÓRIA DOS CASAMENTOS Uma vez que a noiva seqüestrada e seu noivo tinham certeza que escaparam da ira dos seus parentes, saiam desesperadamente à procura de um esconderijo nos arredores da aldeia de onde foi arrancada a noiva, eles tentam passar despercebidos por um tempo, para evitar represálias de sua família (ou qualquer marido possível já existente). Este era também o período durante o qual o noivo tentava cativar a sua nova companheira, eliminando qualquer desejo que ela poderia ter de escapar ou matá-lo durante o sono (uma prática que não era incomum em casamentos precoces deste tipo em que a noiva não era tão feliz com a situação como um noivo poderia esperar que ela fosse). Este período escondido poderia ser considerado o antecessor da lua de mel. Só que, provavelmente, era em uma caverna, e não em um resort Sandals. E ali definitivamente não tinha serviço de quarto.


DICA PARA EVITAR UM DESASTRE NO DIA DO SEU CASAMEN Nunca tente um novo produto de beleza, Deus me livre, não faça nenhum tratamento facial no dia ou dias que antecederem ao seu casamento. A última coisa que precisamos é de uma fuga por erupção na pele! Mantenha a sua rotina normal, e você brilhará como o anjo que você é. LIZZIE NICHOLS DESIGNS

CAPITULO 2 Duas almas, mas com um único pensamento, Dois corações que batem como um só. Franz Joseph von Münch-Bellinghausen (1806-1871), dramaturgo austríaco Eu pisco. Eu tenho que admitir: essa não foi a reação que eu esperava da primeira pessoa que eu contasse sobre o meu noivado com Luke. Eu esperava que Chaz tivesse algumas preocupações, com certeza. Quer dizer, é verdade que Luke e eu temos tido alguns problemas até recentemente. Tão recentemente como uma meia hora atrás, pra falar a verdade. Mas todos esses problemas se foram agora. Porque Luke me pediu em casamento. Esse foi o único obstáculo no caminho da nossa relação, o fato que ele não podia me ver em seu futuro. Mas tudo mudou agora. Ele me pediu em casamento! eu vai serei uma noiva! Lizzie Nichols, uma noiva afinal. E ok. É um pouco estranho que toda vez que eu penso sobre isso, eu sinto como se quisesse vomitar. Mas isso é apenas toda a emoção de ter noivado antes de qualquer refeição. Eu sempre fui um pouco suspeita de hipoglicemia. Assim como Nicole Richie. E de qualquer maneira, a sua culpa é toda do Chaz. Por que em vez de ficar feliz por mim, ele me diz um monte de absurdos quase como se ele estivesse com ciúmes? Só que isso não é possível. Porque Chaz não gosta de mim assim. Somos apenas amigos. Só brincamos um pouco noite passada. Mas tenho que admitir que foi bem agradável. Muito bom, realmente. Mas ambos estávamos altos. Bêbados, mesmo. Não significou nada. Foi como eu disse: "Ainda estávamos feridos das nossas separações e um procurou consolo em braços um do outro."


Mas isso não significa que havia mais nada acontecendo. Não é? Bem, não vou perder mais tempo me preocupando com isso. Luke estará aqui a qualquer momento. Tenho que me limpar antes que ele chegue. É suficiente ruim que ele tenha me pedido em casamento e que eu tenha aceitado ainda com bafo matinal. Não vou começar meu primeiro dia como uma noiva vestindo a mesma calcinha de ontem. No momento em que a campainha toca eu estou tão cheirosa e penteada como nunca estive na minha vida, graças ao maravilhoso mundo do chuveiro. Visto rapidamente um vestido de festa rosa chiffon Lorrie Deb, 1950 (perfeito para uma recém noiva, e futura restauradora profissional de vestidos de casamento certificada), e pronta para deixar entrar o homem a quem eu prometerei minha fidelidade. Eu me sinto mais leve que o ar enquanto faço o meu caminho para baixo dando passos duplos para a porta da frente do edifício (Eu tenho que consertar a campainha para funcionar novamente amanhã de manhã). ―Whoa, Luke diz após eu abrir a porta. Você está...‖ ―Como uma noiva deve ser?‖ Eu pergunto, pegando três camadas de chiffon, e uma de nylon da minha saia rodada e dando-lhe uma reverência brincalhona. ―Eu ia dizer quente, Luke diz. Ele triunfalmente segura um saco de Starbucks e uma grade de 6 Diet Coke para mim. ―Olha o que eu achei. Eu só tive que andar onze blocos para encontrar um lugar que foi aberto no dia de Ano Novo.‖ ―Oh, Luke! Você se lembrou!‖ Exceto, é claro, foi Chaz que disse a Luke quanto eu amo Diet Coke, em primeiro lugar. Isso é a única razão de Luke comprar para mim naquele dia, na aldeia de volta à França no verão passado. Porque Chaz disse-lhe que Diet Coke era o caminho para o meu coração. Mas isso não significa que eu minha alma gêmea é o Chaz, não é? Claro que não! Como eu poderia pensar algo tão bobo? Meus olhos se enchem de lágrimas. Realmente, Luke é o noivo mais prestativo em todo o mundo. Também o mais bonito, ali em seu casaco Hugo Boss, com seus longos cílios escuros e curvados e sem nem precisar de ajuda do curvex Shu Uemura. Ele parecia tão


bonito quando se ajoelhou naquele lugar exato na lama a meia hora atrás, tão esperançoso e nervoso. Como eu poderia ter dito alguma coisa além de sim quando ele propôs? Não que realmente eu fosse dizer não, na verdade isso sequer me ocorreu. Bem, exceto por alguns segundos, talvez. Para puni-lo por dizer que não me via em seu futuro. ―Eu só quero que você saiba que quando eu olho para o meu futuro, não vejo nada além de você.‖ Isso é o que Chaz havia sussurrado no meu ouvido em algum momento durante o casamento na noite passada. Então ele sussurrou ―E você não está mesmo usando Spanx.‖ Eu agito minha cabeça. Por que eu continuo pensando Chaz? Ele usa bonés de beisebol da Universidade de Michigan quase todo o tempo. Em público. Luke se magoa. ―O que foi‖ pergunta ele, ―Você não bebe mais Diet Coke. É isso? Eu posso comprar outra coisa. O que você quer? Diet Dr Pepper*?‖ (* um refrigerante) ―Não!‖ Eu tento rir jovialmente. Oh Deus. O que há de errado comigo? ―Claro que ainda bebo Diet Coke. Me desculpe. Uau, está muito frio aqui fora. Entre‖ Me movo para fora da porta para que ele possa entrar. ―Eu pensei que você nunca fosse perguntar.‖ Luke me dá um daqueles sorrisos que ainda deixam minhas pernas bambas. Ele pára na porta apenas o tempo suficiente para passar seus lábios no meu rosto, deixando-lhes prolongar por um momento no meu cabelo. ―É bom estar em casa, ele murmura antes de passar por mim. Que é onde você estiver. Eu sei disso agora.‖ Oh! Como é doce! E como Chaz pode acusar Luke de não saber o que ele quer? Ele sabe exatamente o que ele quer. Eu! Ele só demorou um pouco para perceber isso. Ele precisava de um empurrão. E o empurrão foi terminar com ele e sair do apartamento que dividíamos. ―Então este é o lugar novo, hein?‖ Lucas está olhando para o um pouco sujo e extremamente estreito corredor ―Ele fica melhor, eu digo.‖ ―Não é mal‖ Luke diz. ―Ele tem personalidade‖.


É verdade, digo a mim mesma enquanto eu sigo Luke, Mas eu não culpo Chaz. Não realmente. Ele é só nunca soube o que é a verdadeira felicidade, a felicidade romântica tão grande como o que Luke e eu temos. Então é claro que quando ele vê, ele olha para ela com desconfiança. Claro que ele dúvida das nossas chances de sucesso. Mas, quando ele nos vê juntos e o quanto estamos felizes, agora que estamos realmente e verdadeiramente comprometidos os outros mudar de idéia. Ele vai ver como ele estava errado ao dizer todas aquelas coisas horríveis. Chaz algum dia irá encontrar uma menina, a garota certa para ele que vai torná-lo tão feliz como eu sei fazer Luke feliz e ele a fará feliz como Luke me faz. E então tudo estará bem. Espere e verá. Basta pagar pra ver. ―Aqui estamos nós, eu digo quando chegamos a porta do meu apartamento novo, que empurro para abrir. Lar doce lar.‖ ―É ótimo‖. Luke diz com entusiasmo enquanto me segue para dentro. Eu sorri para ele. ―Você não tem que fingir que gosta. Eu sei que é horrível. Mas é meu. E assim que eu tiver tempo e algum dinheiro extra vou consertá-lo.‖ ―Não, Lizzie, é realmente ótimo. Luke guarda o saco da Starbucks e da Diet Coke e coloca os braços em volta de mim. É a sua cara. Totalmente excêntrico e totalmente encantador.‖ ―Espero que não seja como eu,, eu digo com um riso. Espero que eu não esteja coberta de manchas grandes, papel de parede rosa com chão cheio de resíduos, e rachaduras no meu teto.‖ ―Você sabe o que quero dizer, Luke diz, beijando meu pescoço. É único. Como você. Já cheira a você. Deus, eu não posso acreditar como quase eu te perdi. E nós estávamos separados por apenas, o quê? Uma semana?‖ ―É isso que você quer? Um cara que vem correndo de volta para você e propõe casamento apenas porque ele tem medo de ficar sozinho, ele preferia estar com uma menina que ele sabe o que é certo para ele do que decidir por si mesmo?‖ Deus! Saia da minha cabeça, Chaz Pendergast(?)! ―Algo assim‖, eu digo. O beijo no pescoço de Luke está ficando mais sério. Ou pelo menos mais perto do decote bateau do meu vestido.


Eu salto para longe e pego um dos Diet Coke. ―Então, a quem devemos ligar primeiro?‖ Pergunto brilhantemente. ―Ligar?‖ Os olhos de Luke, que tendem a ter um olhar sonhador sobre eles, mesmo quando ele está acordado, estão com as pálpebras pesadas pela combinação de jet lag e o sexo também. O desejo sexual, de qualquer maneira. ―Eu não estava pensando em chamar alguém, para dizer a verdade. Eu estava realmente pensando em experimentar a cama que eu vejo ali. E eu estava esperando você sair desse vestido e se juntar a mim‖. ―Luke, eu digo depois de primeiro tenho que me reabastecer com um bocado de cafeína e potássio. Temos de ligar para as pessoas e dizer-lhes as boas notícias.‖ Ah. Luke olha ansiosamente para a cama. ―Eu acho. Quero dizer Yeah. Provavelmente você está certa.‖ ―Aqui. Eu procuro no saco Starbucks e retiro o café que ele escolheu para si mesmo, junto com dois muffins. Beba isso. Vamos fazer uma lista. Devemos ligar para seus pais, é claro.‖ ―Claro‖, Luke diz, tomando um gole de café. ―E os meus. E minhas irmãs. Se bem, que eles estarão com os meus pais para O café da manhã de ano novo com a vovó, Então seremos capazes de avisá-los com uma chamada. Pego um bloco de notas que eu deixei na mesa da cozinha minúscula amarelo, enquanto Luke tira o casaco e afunda em uma das cadeiras amarelas. E eu tenho que ligar para Shari, é claro. E você deve provavelmente ligar para Chaz.‖ Luke pega o celular e está martelando números nele. Um número no exterior. São muitos números para ele estar ligando para o Chaz. ―O que você está fazendo?‖ Eu pergunto. ―Eu estou ligando para os meus pais‖, diz ele. ―Como você disse.‖ Eu pego o celular e fecho o flip. ―Hey, diz ele, olhando confuso. Por que você fez isso?‖ ―Eu acho que você deve ligar para o Chaz primeiro, eu digo. Você não?‖ ―Chaz?‖ Luke olha para mim como se eu tivesse sugerido que ele usasse heroína primeiro e em seguida, atirar a sua mãe. ―Por que eu chamo de Chaz primeiro?‖ ―Porque ele é seu melhor amigo‖, eu digo, escorregando na cadeira em frente dele. ―E


você não vai pedir para ele ser seu padrinho?‖ ―Eu não sei,‖ Luke diz, ainda olhando confuso. Ele deve estar com muito mais jet-lag do que eu pensava. Eu suponho. ―Não vai ser legal se você não lhe disser em primeiro lugar, eu digo. Você sabe, ele foi tão gentil comigo esta semana passada, enquanto você e eu estivemos separados. Ele me ajudou a mudar para cá e tudo. E a noite passada, ele até foi comigo para o casamento Higgins-MacDowell.‖ Luke olha tocado. ―Ele o fez? Isso foi muito legal da parte dele. Ele deve estar se sentindo melhor. Você sabe, depois a coisa toda com Shari virar lésbica.‖ ―Uh, eu digo. Yeah. Foi. Legal da parte dele, eu quero dizer. Isso é porque eu acho que você deveria chamá-lo primeiro. E agradecer-lhe. Por ser um bom amigo. E diga a ele o quanto sua amizade significa para você. Eu realmente acho que ele só precisa ouvir a sua voz.‖ ―Ok, Luke diz, abrindo o flip do celular para discar. Acho que você está certa.‖ Um segundo depois, Eu estou apertando meus dedos juntos e orando para que Chaz ainda esteja no metrô e que o sinal não pegue, Luke diz, ―Chaz? Hey, sou eu. Eu tenho uma notícia, homem. Você está sentado?‖ Eu pulo da minha cadeira, convencida de que vou vomitar o pouco da Diet Coke bebida, até agora, e corro para agarrar a borda da pia. É isso, eu acho. Chaz vai lhe dizer. Chaz vai dizer a Luke, que apenas doze horas atrás, sua mão estava no meu sutiã. E o noivado estará acabado. Provavelmente nem vou ficar com o anel. ―O quê? Sim, estou de volta. Eu estou na casa da Lizzie. Voltei esta manhã.‖ O que é o Chaz está fazendo? Ele sabe que Luke está de volta. Eu disse a ele que Luke voltou. Oh Deus. Apenas faça logo, para que possamos acabar com isso. ―Certo. Então você está sentado? Em um táxi? Onde você está indo em um táxi em plena manhã de ano novo? Você foi? Você viu? Quem era ela?‖ Pego a borda da pia. É isso. Eu vou vomitar. ―Como assim você não ai me dizer? Luke ri. Tudo bem, você é um seu cachorro. Tudo bem. Bem, aqui está a minha notícia: Eu perguntei Lizzie se ela aceitava se casar comigo. E ela disse que sim. E eu quero você para ser meu padrinho no casamento.‖ Eu fecho meus olhos. Esta é a parte onde Chaz diz a Luke que ele não pode ser o seu padrinho, porque ele acha que estamos cometendo o pior erro de toda a nossa vida.


E que, oh sim, ontem à noite ele estava com a língua na minha garganta. ―Obrigado! Luke está dizendo ao telefone com uma voz alegre. Uma voz demasiado alegre para ele estar respondendo à notícia de que a noite passada o seu melhor amigo e a noiva estavam se esfregando na parte de trás de um táxi. Sim, eu também. O quê? Lizzie? Claro, você pode conversar com Lizzie. Espere.‖ Eu me viro da pia a tempo de ver Luke atravessar a cozinha para entregar o telefone para mim. ―Ele quer falar com você, ele diz. Luke está radiante. Acho que ele quer te dar os parabéns pessoalmente‖ Eu pego o telefone, sentindo-me mais enjoada do que nunca. ―Olá?‖ ―Oi, Lizzie. Diz a profunda e grossa voz de Chaz em meu ouvido. Você estava esperando eu fosse despejar a verdade a Luke sobre o nosso caso ilícito pra ele desistisse dessa coisa toda, não é? Você não tem tanta sorte, eu estou com medo. Você se meteu nesta confusão, e você vai sair dela sozinha. Se você acha que vou para aparecer pra te salvar como uma espécie de príncipe em um cavalo, você está de pirada.‖ Eu deixei escapar uma risada totalmente falsa. ―Obrigado! Eu choro. Isso é tão agradável de sua parte.‖ Luke ainda me encara da cozinha. ―Sim, Chaz diz. Você sabe, quando você empacotou todas as suas coisas e tirou sua bunda do assento, pensei, finalmente. Uma mulher com alguma fibra moral. Mal sabia eu que tudo que ele precisava para ganhar você de volta era um anel de diamante grande e algumas lágrimas de crocodilo. Eu realmente esperava coisas maiores do que você, Lizzie. Diga-me uma coisa. Você vai esperar até que os convites tenham sido envidados antes de admitir para si mesmo que Luke é o último cara que você deveria passar o resto de sua vida com? Ou você vai fazer a coisa certa e dizer agora?‖ ―Grande, Chaz, eu digo, com outro riso falso. Foi bom falar com você também.‖ ―Isto é como assistir a um cordeiro sendo conduzido ao abate resmunga, Chaz. Se casar realmente tão importante para você? Apenas um maldito pedaço de papel.‖ ―Obrigado, Chaz, eu digo. Eu não tenho certeza quanto tempo eu posso manter o falso riso. Porque estou pronta para começar a derramar lágrimas de verdade. Muito obrigado.‖ ―Olha vou passar pra ele‖ Entrego o telefone para Luke. ―Ele que falar com você eu digo‖ Luke pega o telefone de mim. ―Ei, cara. Sim? Uh-huh.‖


Eu me afasto para o quarto, fechando o meu vestido para ir. Eu não posso acreditar em nada disso. Eu tenho o que parece que eu sempre quis: o homem dos meus sonhos propôs a mim. Eu vou me casar. Eu deveria estar feliz. Pare com isso, eu estou feliz, eu sou feliz. Talvez eu só não tenha me acostumado com a idéia ainda. ―O que está acontecendo?‖ Eu me viro e vejo Luke em pé na porta, com o celular fechado na mão. ―O que você está fazendo?‖ Luke quer saber. Seu olhar recai sobre o meu vestido, deitado em numa poça rosa no chão. ―Pensei que estávamos ligando para as pessoas para contar as novas.‖ ―Eu mudei de idéia‖, eu digo, levantando minha saia para mostrar a ele o que eu tenho por baixo dela. Que não é nada. Acho que gosto de sua idéia original. Quer se juntar a mim?‖* *(Eu não entendi direito essa parte, por isso modifiquei um pouco mas é quase a mesma coisa) Luke joga o celular sobre o ombro. ―Eu pensei que você nunca fosse perguntar‖, diz ele. E mergulha na cama comigo. Lucas e eu estamos fazendo alguns carinhos pós sexo. Ele é tão bom estar em seus braços que eu pensei seriamente eu o nunca teria de novo. ―Então, eu estava conversando com meu tio quando eu estava na França na semana passada‖, Lucas está dizendo. ―Umm-hmm?‖ Eu amo a maneira como ele cheira. Luke, eu quero dizer. Senti falta desse cheiro. Ser uma mulher forte e independente, tem suas desvantagens, as vezes a gente se senti mal em ser capacitada pra tudo. Mas não é fácil. Ou divertido. É muito mais agradável ficar na cama com esse homem, completamente nu. ―Você sabe, meu tio, Gerald?‖ Luke continua. ―Uh-huh, eu digo. Aquele que vive em Houston. E ofereceu-lhe trabalho com as empresas de sua nova filial em Paris.‖


―Certo, Luke diz. Thibodeaux, Davies, e Stern. É uma das mais exclusivas empresas de clientes privados de investimento no mundo.‖ ―Mmmm,‖ eu digo. Estou admirando a beleza dos bíceps de Luke, mesmo quando ele está totalmente relaxado, como ele é agora, é tão grande. E redondo. Acetinado e suave. É o lugar perfeito para eu descansar minha bochecha. É impossível pensar em nada melhor do que ficar descansando a bochecha em um cara quente com bíceps a mostra. Exceto que eu não me importo com isso. Porque ele está trabalhando em seu programa de bacharelado e assim que terminar as classes preparatórias ele pode começar a fazer medicina. ―Sim‖, Luke diz. ―Eu sei. Isso é o que é o porque a oferta de Gerald foi tão tentadora.‖ Eu não tenho escolha, mas levanto com relutância a cabeça da almofada acetinada que é o bíceps de Luke. ―Seu tio Gerald te fez uma oferta?‖ Eu tento manter a minha voz neutra. Como se eu não me importasse com o que estamos discutindo. La la la, não me importo um pouco sobre o estúpido tio Gerald metendo seu nariz nos assuntos do namorado sexy que dizer, meu noivo. ―Que tipo de oferta?‖ ―Que neste verão eu poderia trabalhar para ele, ajudando a fixar em Paris Thibodeaux, Davies, e Stern deixando-a instalada e funcionando.‖ ―Ah.‖ Eu coloco minha cabeça para baixo. ―Ao invés de ter aulas em seu programa preparatório para a escola de medicina?‖ Mas assim que eu encostei minha cabeça em seu braço Luke senta-se, sacudindo a cabeça para o travesseiro. ―A sua oferta é realmente fantástica, diz entusiasmado. Será por um período de apenas três meses. E receberei cerca de metade do salário de um ano do que eu costumava ganhar. Ele foi realmente generoso.‖ ―Uau,‖ eu digo, tentando afofar meu travesseiro até que fique tão confortável como o seu braço. ―Isso é generoso‖. ―Não direi que será fácil, pois não será,‖ diz Lucas. ―Quero dizer, serão dezessete, dezoito horas de trabalho por dia, o mais provável. Mas é uma oportunidade fantástica. E, claro, eu posso usar o apartamento da família.‖ ―Luke sua família tem sorte de ter todos esses lugares para se viver apenas aleatoriamente e vazios em todo o mundo. Apartamentos em Nova Iorque e Paris, uma casa em Houston, um castelo no sul da França‖


―E eu posso fazer as classes no outono. Diz Luke. Será apenas outro semestre anexado aos que eu já tenho à minha frente.‖ ―Oh, eu disse‖ ―E a melhor parte, Luke diz, inclinando-se para me abraçar com seus braços musculosos em toda a minha cintura, é que você pode vir comigo.‖ Eu pisco para ele. ―O quê?‖ ―Sim, Luke diz, dando-me um aperto. Eu pensei na coisa toda. Você pode vir comigo, para Paris. Será muito mais fácil coordenar o casamento no Château Mirac de lá do que seria daqui‖ ―Hum‖, eu digo. Eu não posso acreditar que ele está falando sério. ―Eu não posso simplesmente ir para Paris no verão, Luke.‖ ―Claro que você pode‖, Luke diz. Aparentemente, ele acha que sou a pessoa que está brincando. ―Eles lhe darão uma licença da loja. Eles têm de dar. Você vai se casar!‖ ―Sim,‖ eu digo. Mais uma licença significa duas semanas três, talvez. Mas não o verão todo.‖ ―Lizzie.‖ Luke olha decepcionado comigo. ―Você não sabe nada sobre o mundo dos negócios? Não deixe o Henri dizer-lhe o tempo de férias que você precisa. Você que diz a eles. Se eles realmente querem mantê-la, eles vão deixar você tirar o máximo de tempo que você quiser." ―Luke‖, digo eu, tentando descobrir como eu posso colocar isso sem ofendê-lo. ―Eu não quero ficar o verão inteiro fora. E eu definitivamente não quero gastá-lo com você em Paris.‖ Mas assim que as palavras saem da minha boca eu percebo que eu fiz de novo. Falei besteira. Deus, não importa o quão duro eu tente ser discreta, eu apenas nunca pareço ser capaz de dizer a coisa certa em torno desse cara. ―Na-não foi isso que eu quis dizer‖, gaguejo eu. Felizmente, Luke está rindo. ―Acho que nunca precisarei me preocupar se você está ou não sendo honesta comigo,‖ ele diz ―Eu sinto muito,‖ digo apressada. ―O que eu quis dizer foi... ―Você não quer passar o verão em Paris, diz ele. E você não tem que pedir desculpas. Eu


entendo. Você ama seu trabalho, e você quer estar aqui para ele. Isso é certo. A coisa é, a oferta de Gerald é realmente muito boa para eu recusar. Especialmente com o casamento para pagar. Olha, é tudo bem. Nós podemos fazer a mesma coisa de longa distância. Já vamos estar fazendo a coisa do apartamento separado‖, Ele me dá um sorriso maroto, porque eu já avisei a ele, antes de aceitar a sua proposta, que eu não voltaria para o seu apartamento até depois do casamento, mas apenas parece que o mais sensato a se fazer, devido as circunstancias. Acho que viver em países separados por um par de meses durante o verão não deve ser uma boa idéia. Eu mastigo meu lábio inferior. Eu estou louca? Eu provavelmente estou. Eu tenho esse cara fantástico que finalmente, me propôs e só na última hora eu não só recusei um convite para voltar a morar com ele, mas também para passar o verão em Paris com ele. Luke não é o tipo de cara que fica atrás da estrela, ele próprio acha que é uma estrela. E você não pode ter duas estrelas em um relacionamento. Alguém tem que estar disposto a ser o menos brilhante parte do tempo. Oh! Eu não posso acreditar! Até mesmo depois uma sessão de sexo quente eu não consegui exorcizar a voz de Chazs da minha cabeça! O que eu vou ter que fazer para conseguir tirar aquele cara de lá? ―Vamos lá‖, eu digo pegando meu celular, vamos ligar para as pessoas e contar-lhes as novidades agora‖ Luke parece divertido. ―Ah, agora você quer ligar para a sua família?‖ Melhor você acreditar. Nada parece que faz parar a voz do Chaz falando na minha cabeça. ―Vamos lá, eu digo, de marcação. Vai ser divertido. Vamos ligar para meus pais primeiro. Porque eu sou a noiva, então você tem que fazer o que eu digo. Olá, mamãe?‖ ―Não‖, diz uma voz infantil. ―Sou eu, Maggie.‖ ―Oh, Maggie, eu digo à minha sobrinha. Oi, é a sua tia Lizzie. Você poderia colocar a sua avó no telefone, por favor?‖ ―Ok‖, Maggie diz, e eu ouço ela arrastando o telefone pelo o chão, ela sai em busca da mãe. Eu posso ouvir as vozes de minhas irmãs e seus maridos no fundo e sei como eles gostam dos do tradicional café da manhã de Ano Novo da Família Nichols preparado por meus pais.


Apesar que gostar pode ser uma palavra forte. Talvez esteja mais para suportar isso. Eu posso ouvir minha irmã Rose e seu marido, Angelo, berrando algo sobre como ele já não come ovos, por causa dos hormônios, e minha irmã disparando que talvez ele poderia usar mais hormônio especialmente na cama. ―Quem está na linha?‖ vovó pega o telefone e atende. ―Oh, eu digo, decepcionado. Vovó. Oi. Sou eu, Lizzie. Eu só estava tentando chegar a mamãe‖ ―Ela está ocupada‖, vovó diz. Quem foi designado para ter certeza que ela bebesse apenas cerveja sem álcool aparentemente falhou em sua missão. Vovó está, como sempre, caindo pelas tabelas. ―Alguém tem que alimentar esta tripulação. Deus ajude uma de suas irmãs se ofereçam para sediar uma dessas coisas um dia para sujarmos a casa delas.‖ ―Huh,‖ eu digo, Luke está me dando um sorriso de encorajamento. ―Bem, eu tenho algumas novidades.‖ Talvez você poderia contar a todos.‖ ―Jesus Cristo‖, vovó diz. ―Você está grávida. Lizzie, eu lhe disse. Sempre use camisinha. Eu sei que os meninos não gostam deles, mas é como eu sempre digo: Sem camisinha, sem sexo. ―Uh, eu digo. Não, vovó, não é isso. Luke e eu estamos noivos.‖ ―Luke? Vovó soa como se estivesse engasgada com a bebida. Como assim? Você vai se casar com ele? Eu pensei que você tinha colocado o perdedor pra correr antes do Natal. Eu tusso e Luke dá outro sorriso tranqüilizador. ―Eles estão animados?‖ Ele sussurra. Dou-lhe um polegar para cima. ―Hum‖, vovó, eu digo. Mas agora nos reconciliamos. ―Pode chamar mamãe, por favor?‖ ―Não, eu não vou chamar a sua mãe, vovó diz. Confie em mim, estou fazendo um favor, Lizzie. Ela fez uma classe aeróbica aquática e uma classe scrapbooking* das fotos de ontem, além de todas as compras para o café da manhã, com nenhuma ajuda das suas irmãs. Esta notícia poderia matá-la.


(*Um livro de recortes) ―Vó‖. Eu sorrio para Lucas novamente. ―Se você não colocar mamãe no telefone, vou lhe dizer que você foi beber xerez na cozinha. E não tente negar isso. Porque eu posso dizer.‖ ―Você é uma ingrata‖, rosna Gran. ―O que você quer ficando noiva de qualquer maneira, Lizzie? Maridos não fazer nada, só lhe causam cãimbras. Acredite em mim, eu estava sobrecarregada com um por cinqüenta e cinco anos. Gostaria de saber o que sei agora, fuja enquanto você ainda pode.‖ ―Vovó‖, advirto. ―Vou chamá-la, posso ouvi-la la fora‖ Eu não posso deixar de notar que Luke já não está sorrindo. ―Vovó está apenas um pouco tonta.‖ Digo para tranqüilizá-lo. Luke olha para o relógio. ―Ainda é meio-dia.‖ ―Mas é feriado, eu indico‖. Jeesh*. Algumas pessoas podem ser tão exigentes. *(uma gíria) A recepção da minha mãe a notícia de que estou noiva é muito mais quente do que a de vovó. Ela grita e chora e chama o meu pai e pede para falar com Luke e o parabeniza e quer saber quando ele está indo conhecê-la. O que me lembra que é um pouco estranho Luke não conhecer minha família ainda. Eu já conheci toda a sua. Mas, oh bem. Eles se encontrarão em breve, eu acho. Mamãe quer dar uma festa de noivado e casamento e imediatamente oferece o quintal da família, uma sugestão que eu delicadamente descarto, dizendo: ―Bem, você vê. Não sei como dizer para ela que Luke já sugeriu se casar em sua propriedade rural familiar do século XVII, no sul da França, uma oferta que é muito difícil de recusar. Só que minha família nunca foi à Europa antes do mesmo modo que eles nunca estiveram em Nova York antes. Mas Luke diz que todas as coisas certas para eles no telefone, e é tão encantador e gracioso, como se meus pais fossem um rei e uma rainha e não um professor da Universidade de Michigan de ciclotron e uma dona de casa. Então está tudo bem, eu


acho, eu posso assisti-lo com orgulho. Muito refinado. ―Isto é como assistir a um cordeiro sendo conduzido para o abate. Se casar é realmente tão importante para você? Apenas um maldito pedaço de papel.‖(Chaz) Está bem, a sua vai ser bem depois de algumas chamadas telefônicas. E mais sexo.

Muito mais sexo. A HISTÓRIA DOS CASAMENTOS A declaração de união entre duas pessoas tem sido considerada por sociólogos como uma etapa importante no desenvolvimento da felicidade humana. Socialmente falando, um homem heterossexual que tenha se colocado junto de uma fêmea heterossexual é geralmente mais calmo e menos propenso à violência, e uma mulher casada é igualmente menos problemática. Era um benefício da prole de ter um pai e uma mãe nos tempos antigos, pelo menos, toda a tribo beneficiado da boa vontade gerada a partir de uma união feliz. Em outras palavras: os casamentos eram uma ocasião alegre e que trouxe menos de luta e aborrecimentos ao redor. Gostaria apenas de salientar que nenhum desses sociólogos veio aos casamentos das minhas irmãs. Obviamente.

DICAS PARA EVITAR UM DESASTRE NO DIA DO SEU CASAMENTO É a sua futura mãe e cunhada estão deixando você maluca fazendo planos pra você no seu dia especial? Há é uma maneira simples de tirá-las do caminho. Dê-lhe alguma coisa para fazer! Permitindo que sua família, especialmente os membros do sexo feminino participem nos preparativos para o grande dia, não só vai fazê-los sentir especiais, mas também vai tirar alguma da carga sobre seus ombros. Apenas certifique-se que você não lhes pedir para fazer alguma coisa muito importante.


Dessa forma, quando eles estragarem (como certamente farão) não importará tanto. LIZZIE NICHOLS DESIGNS CAPITULO 3 Feliz e três vezes felizes são aqueles que apreciam uma união ininterrupta, e cujo amor, é ininterrupto por quaisquer reclamações azedas, não se dissolve até o último dia de sua existência. Horace (65 A.C, 8 A.C.), Poeta romano lírico

―Olá, Monsieur Henri, por favor aguarde.‖ ―Olá, Monsieur Henri, por favor aguarde.‖ ―Olá, Monsieur Henri, por favor aguarde.‖ ―Olá, Monsieur Henri, como posso ajudá-lo?‖ ―Sim, ai é de Monsieur Henri vestidos de noiva?‖ A mulher do outro lado do telefone tinha pronunciado Henry, em vez de a pronúncia correta em francês do nome do meu patrão, que é En-ree. Mas isso eu posso perdoar. O que eu não posso perdoar é que ela masca chiclete. De todos os hábitos irritantes de uma noiva, mascar chiclete é o que me irrita mais.* *(Tinha uma parte no meio que eu não entendi e como não mudava o sentido da frase eu tirei. A seqüência original é essa: That I can forgive. What I cant forgive is that shes chewing gum. I can feel my toes curling. Of all the annoying personal habits a bride-tobeor anyone, reallycan have, gum-chewing is the one that aggravates me the most.) ―Sim,‖ é, digo eu, olhando para todas as luzes piscando no meu telefone. É uma coisa boa que eu tenha todos esses meses de trabalho na recepção de escritórios de advocacia Pendergast, Loughlin, e Flynn. Eu posso lidar com um quadro sobrecarregado como ninguém. E na manhã segunda-feira após o casamento de Ano Novo de Jill Eve Higginss e John MacDowell e que Anna Wintour (sim, a Anna Wintour, editora da Vogue de longa data) me ligou sobre a restauração do ancestral vestido de noiva MacDowell os telefones no Monsieur Henri não param no gancho. De todas as manhãs para Monsieur e Madame Henri se atrasarem ao vir de sua casa no


subúrbio de Nova Jersey, este teria sido o único que eu não teria escolhido. Estou apenas dizendo. ―Eu quero marcar uma hora para ver aquela garotinha‖, mascadora de chiclete diz. ―Como disse‖ Falo surpresa. Primeiro o chiclete, em seguida, uma referência para mim e ela só pode estar se referindo a mim. Eu sou a única empregada no Monsieur Henri que pode razoavelmente ser referido como uma garota, Madame Henri está na casa dos cinquenta então não é o que se pode chamar de garotinha. ―Você sabe", A mascadora diz. ―A garotinha que desenhou o vestido da ―Banha de Baleia‖‖ Banha de Baleia. O apelido da imprensa batizou a pobre Jill Higgins, porque ela trabalha no aquário do zoológico do Central Park. E porque se dignou a se apaixonar por um dos solteiros mais ricos de New York, e por que por acaso ela não tem um tamanho dois. ―Eu sinto muito‖, eu digo a mascadora de chiclete. ―A garotinha, a quem você está se referindo por acaso não é do tipo de pessoa que gosta de olhar para os outros devido ao seu peso.‖ A mascadora parece ter engolido seu chiclete. ―Mas...‖ ―E, além disso, acontece que a garotinha não gosta de ser chamada de garotinha.‖ ―Hum, me desculpe. A mascadora encaixa seu chiclete. Mas você tem alguma idéia de quem eu sou? Eu sou...‖ ―Não, e eu não me importo de saber. Adeus‖, eu digo, pressionando o botão de terminar a chamada. ―Monsieur Henri, como posso ajudá-lo?‖ ―Elizabeth? É você?‖ A mulher do outro lado da linha tem um forte sotaque francês e soa como se ela estivesse falando comigo de dentro de um túnel. Não, ele não é minha futura sogra, que é do Texas. Ela é Madame Henri. ―Madame, onde está você?‖ Pergunto, em francês, a língua que eu agora rotineiramente falo com meus empregadores, embora eu escondi o fato de que eu poderia falar, e entender eles diziam por meses. ―Está uma loucura aqui. Os telefones não param de tocar.‖ ―Elizabeth, eu sinto muito. Eu quis ligar mais cedo, mas o meu telefone celular não funciona aqui. Eu estive no hospital.‖


―O hospital?‖ As outras linhas continuam a tocar. Chamadores, impaciente por ter sido colocada em espera, que desligaram o telefone e ligam de volta. Dirijo-me longe do telefone. ―Está tudo bem? Espero que nada tenha acontecido com os meninos‖ ―Não, os meninos estão bem. É Jean, na verdade. ‖ Madame Henri em uma voz minúscula. Ela é uma mulher pequena, mas a única coisa sobre ela, que nunca é pequena antes parecia era a voz dela. Ela sempre teve um uma presença dominadora. Mas não agora. ―Ele não sentiu bem no café da manhã de ontem. Eu pensei que era apenas muito champanhe da noite anterior. Mas depois ele disse que seu braço estava doendo.‖ Eu suspiro. ―Madame!‖ ―Sim‖. Sua voz soa ainda menor. ―Ele teve um ataque cardíaco. Ele está programado para a cirurgia do desvio de emergência aqui no hospital hoje‖. Em seguida, com uma pitada de sua aspereza de idade, acrescenta ela, ―eu disse que ele trabalha muito duro! Eu disse que ele deveria ter mais tempo livre! Bem, agora ele está recebendo-o e veja como ele tem que gastar! Ele poderia ter tido isso em nossa casa na Provença. Mas não! Isso é o que acontece.‖ ―Oh, Madame.‖ Eu agito minha cabeça. ―Bem, eu tenho certeza que ele é em muito boas mãos‖ ― As melhores‖, Madame Henri diz simplesmente. ―Mas serão semanas antes que ele possa voltar ao trabalho. E eu também, pois quem você acha que vai ter que jogar babá para ele? Seus filhos? Bah! Eles são inúteis. Pior do que lixo.‖ Estou aliviada ao ouvi-la falando mal de seus filhos. Isso significa que a situação está longe de tão terrível quanto eu temia pela forma que ela soou. Se ela pode falar que as crianças são um lixo que, pelo que eu tenho observado são muito bonitos, as coisas estão bem. ―E a loja está fazendo o melhor negócio que já fez antes, Madame Henri continua. Tudo graças a você! E esta é a forma como recompensá-lo. Quando ele estiver bem novamente, ela acrescenta assunto sem rodeios, eu vou matá-lo.‖


―Não se preocupe com a loja, eu digo, mantendo o rosto virado longe de todas as luzes a piscando no telefone. Está tudo bem aqui.‖ ―Elizabeth,‖Madame Henri diz. ―Eu não sou uma tola. Eu posso ouvir o telefone tocando.‖ ―O telefone, eu admito, é um bocado de um problema no momento. Mas eu não posso resolver.‖ ― Faça o que você tem que fazer, Madame Henri diz, com um suspiro. Até mesmo contratar alguém.‖ Eu não posso ajudar a soltar um suspiro. O Henri é quase insana tacanha. Por uma boa razão, é claro. Até que comecei a trabalhar para eles, eles apenas fizeram um lucro. Na verdade, para os primeiros quatro meses que eu trabalhei para eles, eu fiz isso de graça, apenas para provar que eu d valer a pena o investimento eventual de meus trinta mil por ano e o aluguel apartamento de graça na loja. ―Madame, eu digo, não me atrevendo a acreditar no que eu acabei de ouvir. Tem certeza?‖ ―Eu não vejo escolha, Madame Henri diz com um suspiro. Você não pode fazer tudo sozinha. Nem os telefones e os vestidos. Quando eu puder ajudarei. Você vai ter que buscar ajuda. Isso é culpa do próprio Jean, acrescenta ela ríspida. E eu só lhe direi isso quando ele estiver fora do hospital, é claro. Assim não poderá reclamar‖ ―Não incomode ele sobre isso, Madame, eu digo. E você também não se preocupe com nada. Deixe comigo. Vou cuidar da loja. Vou cuidar de tudo.‖ Digo-lhe que me avise se há alguma coisa que eu possa fazer e também para me informar os quando seu marido sair da cirurgia. Então eu desligo olho todas as luzes piscando no telefone e ouço o toque estridente da linha de resposta. Tenho toda a confiança que eu posso lidar com isso. Eu realmente tenho. Só que seu eu não tenho a menor noção de como estou indo mesmo para começar. ―Olá, Monsieur Henri, por favor aguarde.‖ ―Olá, Monsieur Henri, por favor aguarde.‖ ―Olá, Monsieur Henri, por favor aguarde.‖


―Olá, Monsieur Henri, como posso...‖ ―Lizzie? Uma voz familiar mulher grita com voz rouca no meu ouvido, me cortando. Você não vai me colocar em espera. Sou eu, Tiffany.‖ Eu paro com meu dedo prestes as bater no botão ESPERA ―Tiffany Sawyer, a voz rouca continua impaciente. De Pendergast, Loughlin, e Flynn? O escritório que ambas trabalhávamos até que você foi demitida, lembra? Que, por sinal, foi na semana passada? Deus, o que está acontecendo com você? É você que vai passar a ser uma daquelas pessoas que ficam famosas e, em seguida, esquecem-se todo mundo? Porque se isso for o caso, você é uma idiota total.‖ Tiffany. Eu olho para o relógio de parede Henri. Seus quase dez horas, o que explica a rouquidão na voz dela. Tiffany, trabalha parte do tempo como modelo, parte do tempo como recepcionista num dos escritórios de advocacia dos pais do Chaz, que é onde eu a conheci, raramente acorda antes do meio-dia, graças a sua dura rotina de festas com o namorado fotógrafo casado, Raoul. ―O que você está fazendo acordada tão cedo?‖ ―Acordada?, Tiffany diz. Hoje é um dia depois de Ano Novo. A cidade estava morta ontem à noite. Mas isso é não é porque estou ligando. Você tem alguma idéia da merda que fez "Page Six" do Post de hoje?‖ ―Tiffany. Eu não posso tirar meus olhos todas as luzes piscando na espera. Eu sei que isto pode parecer difícil de acreditar, mas estou realmente trabalhando agora. O meu patrão teve um ataque cardíaco, e eu sou a única aqui, e eu não tenho tempo para...‖ ―Você. Você fez. Há história enorme sobre você, e uma foto de você e Jill Higgins em seu casamento, e sobre como você é uma promissora designer de vestidos de casamento para as estrelas, e como Anna Wintour, sim a fodona Anna Wintour, disse que seu vestido de Jill Higgins foi feito com muita destreza. Você tem alguma idéia do que isso significa?‖ A outra linha começa a tocar. ―Estou começando a ter uma boa idéia, eu digo.‖ Você é fodona, Tiffany grita no telefone. Você é a merda de uma fodona!‖


―Você sabe, eu digo. É que eu realmente não me sinto dessa maneira agora. Porque agora, eu não posso ter uma coisa feita, porque eu não tenho ninguém para responder meus telefones!‖ ― Jesus Cristo, você não tem que gritar, Tiffany diz. Você precisa de alguém para atender seus telefones? Eu atender seus telefones de merda." Eu pisco, certa de que eu não a ouvi corretamente. ―O quê? Não. Espere.‖ ―Vai ser bom mesmo. Onde está você de novo? Posso ficar até as uma só, porque você sabe que eu tenho Pendergast ás duas. Deus, eu queria poder sair daquele lugar. Mas os benefícios são tão bons. Tão logo Raoul se livre daquela troll de sua esposa e eu posso entrar no seu seguro, estou dando Roberta minhas duas semanas de antecedência. Deus, eu não posso esperar para ver sua cara quando eu faço. Mas eu posso conseguir alguém para te ajudar. O que Monique está fazendo hoje? Eu sei que ela foi expulsa da Chanel por explodir o quarto dos fundos. Mas...‖ ―Tiffany. Eu estou segurando a borda da minha mesa. Realmente. Eu não preciso de sua ajuda. Ou da de Monique. Quem quer que seja ela.‖ ―Ela é legal, Tiffany continua, ela está nos Narcóticos Anônimos agora. Foi assim que eu a conheci. cocaína é para putas.‖ ―Sei que não havia razão em dizer para Tiffany que não é suposto contratar membros dos Narcóticos Anônimos só de encontrá-los lá e ir a reuniões. Apenas entrará num ouvido e sairá pelo outro, como muito do que eu digo Tiffany.‖ ―Olhe, você disse que seu chefe teve um ataque cardíaco, certo? Tiffany continua. Bem ajudaremos até que ele esteja de volta em seus pés, ou não. Não aja como você não precisa de nós. Eu posso ouvir o maldito telefone tocar no fundo.‖ ―Hum, obrigado.‖ É simplesmente Como posso explicar que, se eu fosse parar em uma ilha deserta e Tiffany chegasse em um barco salva-vidas, eu não ia subir nele? Amá-la como uma irmã? Yeah. Confiar nela? Nem tanto. ―Eu não tenho o dinheiro para pagá-la. Quer dizer, não estamos exatamente fazendo enormes lucros ainda, e...‖ ―Do que estamos falando aqui? Tiffany quer saber. Vinte dólares por hora?‖ ―Vinte? Eu suspiro. Quem você acha que nós somos, UPS*? Eu ia chamar uma agência de empregos e oferecer dez‖


*(UPS - Multinacional americana que opera na área logística)

―Dez! Tiffany solta uma gargalhada. Não ganho dez dólares por hora desde que eu costumava tomar conta dos filhos vizinhos em Dakota do Norte. Mas, acrescenta, mais sóbria, eu acho que vale a pena se eu posso ter em minhas mãos um Lizzie Nichols original. Essas coisas vão ser quase impossível de conseguir a tempo Green Card de Raoul sair e ele poder finalmente se livrar do troll, eu sei. Assim como eu sei que vai querer Monique também. Seu namorado, Latrell, fez a propôs no Natal. Com um diamante de quatro quilates de Harry Winston. Latrell trabalha na indústria da música. O tom torna-se reverente. Ele trabalha com Kanye.‖ ―Olha, eu estarei ai em vinte minutos, Tiffany diz. Podemos discutir isso depois. Você quer um bolinho ou algo assim? Estou morrendo de fome. Vou pegar uns muffins no caminho. Fuckin Page Six! Dá pra acreditar? Oh meu Deus, Lizzie, isto vai ser tão legal. Você vai ser uma chefe melhor do que Roberta. Deus, eu a odeio. Bye, baby.‖ Tiffany bate o telefone. Eu fico olhando para o receptor, não sei o que aconteceu. Eu tinha resolvido o problema ou criado um maior ainda? Mensagens instantâneas de todos, em espera, com garantias de que a Srtª Nichols (está colocando como sua assistente, Stephanie. Eu sempre quis me chamar Stephanie) será chamá-los de volta quando um entregador de flores faz o seu caminho para a loja, mal consegue ver o pesado e enorme buquê de duas dúzias de rosas amarelas em um vaso de cristal que ele está segurando. ―Entrega de Lizzie Nichols‖, diz ele. ―Sou eu,‖ Eu choro, saltando para cima da mesa de Madame Henri e correndo para pegar as flores dele. Elas são tão pesadas que tenho que cambalear de volta à mesa com elas antes que eu possa assinar a entrega. Tão logo ele se foi, eu rasgo e abro o pequeno envelope as acompanham, esperando encontrar uma nota de Luke, agradecendo-me por concordar em ser sua noiva ou talvez de seus pais, acolhendo-me à família de Villiers. Estou chocado quando leio, em vez disso, o seguinte:


―Desculpem-me por minha atitude ruim no outro dia. Eu nunca fui uma pessoa matinal. Claro que estou feliz por vocês dois. Se você está feliz, Estou feliz. Parabéns. Você será uma bela noiva. Chaz‖ Estou tão chocada, eu tenho que sentar-me por alguns minutos e ignoro telefone para recuperar a compostura. Será que realmente significa isso? Chaz pode realmente achar tudo bem com o Luke e eu nos casando? E se ele acha, porque ainda me sinto um pouco como se fosse vomitar toda vez que eu penso sobre isso? Não sobre Chaz achar tudo bem, mas acerca de Luke e eu realmente nos casando? Oh, parece-me que ele está bem o suficiente com a idéia de nos casarmos. Ele não parece preocupar-se de olhar o meu anel de noivado. Mas quando eu realmente tento me retratar no casamento ainda mais estranhamente, o vestido não aparece minha mente, e o vômito sobe na parte de trás da minha garganta. Esse não é um bom sinal. Mas tremores pré-casamento são normais, certo? Todo mundo passa por eles. Talvez não no dia depois de ter ficado noivos. Mas estou apenas começando os meus provavelmente mais cedo do que com as outras pessoas. Eu sempre fui precoce dessa maneira. Minha mãe disse que eu reunia todos os meus materiais escolares e os distribuía para todos os meus bichinhos de pelúcia. E isso foi antes de eu começar pré-escolar. Os sinos tilintam na porta da frente, e Tiffany, usando óculos escuros (embora esteja em pleno inverno lá fora) e um macacão preto debaixo de sua pele de raposa nova (o que é totalmente falso, a propósito, ela lembra-me mais tarde.) entra e diz: ―Whoa. Quem foi que mandou esse mar de rosas?‖


Eu rapidamente escondo o cartão de Chaz no bolso do vestido Parnis Mollie de seda estou vestindo. ―Luke‖. Minto automaticamente. ―Luke? Tiffany tira fora seus óculos escuros e encara as rosas. Eu pensei que vocês tinham rompido.‖ ―Não mais.‖ Eu estendo a minha mão esquerda. ―Ficamos noivos‖. Tiffany agarra a minha mão. Ela não tem que olhar de soslaio em tudo para ver o meu diamante. ―Santa merda, Nichols. Esse diamante tem três quilates, pelo menos. Tiffanys*, certo?‖ *(Famosa joalheria de New York) ―Não‖ digo, ele trouxe de Paris‖. ―Cartier, Tiffany diz, claramente impressionada. Ainda melhor. Faixa da platina, esmeralda cortada. Esta coisa custou tanto quanto uma casa em Dakota do Norte. Ele pode ter agido como um idiota, acrescenta se referindo à máquina de costura que Luke me deu de Natal, que de uma forma indireta tornou-se o catalisador para a nossa realização queríamos coisas diferentes da vida, mas você tem que admitir. O cara se deu bem no final. Eu não estou certa sobre as rosas, porém. Escolha de cores interessantes. Amarelo significa que a amizade platônica, você sabe. Amizade platônica? Bem, isso é bom. Quero dizer, porque na verdade não são de Luke. Eles são de Chaz. E isso é tudo que eu quero de Chaz. Sua amizade, quer dizer. Platônico é bom. Bem, porque Luke e eu somos amigos, em primeiro lugar, eu gorjeio. Oh meu Deus, o que estou falando? Tiffany faz uma cara. ―Se Raoul algum dia me comprar rosas amarelas, diz ela, eu encherei seu bumbum de palmadas. Então, onde eu sento?‖ ―Tiffany, eu digo, começando um discurso que eu estive mentalmente ensaiando desde


que desliguei o telefone. Eu...‖ Está bom? Tiffany pergunta, se jogando na cadeira de Madame Henri, atrás da mesa com o telefone (que está tocando estridentemente) sobre ela. Aqui. Trouxe-lhe um croissant de chocolate. Eles estavam com falta de muffins. E uma Diet Coke. Eu sei como você adora. Eu pego o saco de papel branco que ela joga para mim. É realmente estranho como todo mundo acha que pode me trazer de Diet Coke e tudo ficará bem. Especialmente porque é verdade. ―Olá, Monsieur Henri, aqui é Tiffany, como posso ajudá-lo? Tiffany, não perde o ritmo, começa a pegar chamadas como se ela tivesse trabalhado no Monsieur Henri toda a sua vida. Nichols? Eu não tenho certeza. Espere um momento por favor.‖ Tiffany, coloca a chamada em espera. ―Você só fazer restaurações, ou você faz desenhos originais? Quer dizer, eu sei que você está fazendo um desenho original para mim, mas e para os plebeus?‖ ―Agora, eu digo, mastigando lentamente o final do croissant de chocolate, eu estou apenas fazendo a reabilitação e restauração‖ ―Entendi, onde posso registrar seus compromissos?‖ Eu aponto para o livro de couro preto anotações na mesa de Madame Henri. ―Mas, eu digo. Tiffany, temos de falar. Eu não posso...‖ Tiffany só olha para o livro de nomeação e bufa. ―High-tech‖, diz ela, em seguida, o abre, segura um lápis, e atinge o botão de espera. Apenas restaurações. Tudo bem. Eu tenho uma abertura na próxima semana as dez pras onze. Não? Por favor, mantenha...‖ Estou começando a pensar que contratar Tiffany pode não ser uma má idéia. Ela parece ter tudo sob controle. E isso é uma coisa boa. Uma coisa muito boa. Por agora. Talvez eu deva me preocupar sobre como vou realmente pagar-lhe mais tarde. Estou me preparando para ir para a sala de costura para olhar o que tenho que fazer, e


olho Tiffany trabalhando para mim e, oh yeah, a parte em que estou envolvida quando os sinos em cima da porta da frente tilintam mais uma vez, e meu olhar confuso recai sobre minha melhor amiga, Shari que vagueia na loja. ―Oh meu Deus, eu digo, quase deixando cair a minha lata de refrigerante enquanto eu correr para abraçá-la. Estou tão feliz que você veio.‖ ―Recebi sua mensagem, diz ela, dando Tiffany um olhar curioso. Eles disseram que você disse que era uma emergência. É melhor ter sido, para me fizer vir todo o caminho até a cidade. O que é tão importante que você tem de me dizer pessoalmente? E o que ela está fazendo aqui?‖ ―Vamos lá, eu digo, pegando Shari pela mão. Vou te contar lá em cima, no meu escritório. Tiffany, você pode lidar com as coisas aqui em baixo por dez minutos?‖ ―Tiffany levanta o polegar, enquanto diz: Maam, eu tenho certeza que sua filha é uma menina adorável, mas Nichols só faz restaurações. Se você tem um vestido para restaurar está no negócio. Se não, receio que vai ter que procurar outro lugar para o vestido de casamento de sua filha. Ah, é? Você come com a boca, MAAM?‖ ―O que, Shari pergunta novamente impaciente, ela está fazendo aqui? O que está acontecendo? Sério, Lizzie, esta melhor que seja importante. Tenho clientes que realmente pode estar morrendo enquanto falamos. E eu quero dizer literalmente.‖ Eu percebo que o discurso que eu tenho planejado para Shari, que sempre foi minha mais firme defensora, não está nem perto de ser eloqüente o bastante. Então, eu simplesmente me viraro e mostro-lhe o meu anel. ―Oh, Shari diz. Meu. Deus.‖

A História dos Casamentos Quando noivas não eram tomadas a força, em culturas antigas, elas eram vendidas ou trocadas por ouro, terra, ou mesmo animais (como uma vaca, você pode imaginar?). Por muitos séculos, era uma prática comum usar os casamentos de descendentes para unir as famílias de altas classes (sociais), mas não foi até os tempos medievais que as leis foram promulgadas exigindo qualquer tipo de ritual religioso para ser parte da cerimônia real (junto com a troca de bens e à assinatura de contratos). Foi também nessa época em que os dotes para se tornaram mais comuns, então não era apenas a linda noiva em si trazida para o casamento, mas algum dinheiro duro frio e talvez algumas dezenas de cabeça de gado também. Além do mais era esperado muitas vezes que a noiva entregasse o dinheiro para os sogros (mais sobre isso mais tarde).

DICA PARA EVITAR UM DESASTRE NO DIA DO SEU CASAMENTO


Os peritos jurídicos no na Pendergast, Loughlin, e Flynn concordam: os casamentos que funcionam melhor são aqueles em que ambas as partes estão unidas no coração e na conta bancária. Casais que compartilham suas finanças tendem a permanecer juntos por mais tempo. Inscreva-se para uma conta corrente conjunta, pelo menos para as despesas comuns, a menos que um de vocês tem uma quantidade excessiva de dívida ou outros problemas legais ou financeiros. Se este for o caso, o dono das dívidas deve procurar um advogado, possivelmente na Pendergast, Loughlin, e Flynn.

Capítulo 4 Não existe qualquer relação mais encantadora, simpática e charmosa, de comunhão ou companhia do que um bom casamento. Martinho Lutero (1483 - 1546), teólogo alemão Eu admito que esta não seja o tipo de reação que eu estava esperando. Na verdade, Shari tem muito mais em comum com seu ex-namorado Chaz do que ela provavelmente gostaria de saber. ´´ Eu não estou me precipitando em nada Shar,`` eu digo para ela. ´´Eu juro. Eu totalmente já tinha pensado nisto.`` ´´Você pensou``. Shari ainda está olhando para mim. Ela ainda não tirou seu casaco, mesmo quando eu me ofereci para pega-lo. A julgar pela sua linguagem corporal, braços cruzados sobre o peito, cabeça inclinada em um ângulo enquanto ela olha pra mim, pernas cruzadas, eu diria que ela está se sentindo irritada comigo, até mesmo francamente hostil. ´´Ele chegou em casa da França ontem de manhã. E ele propôs ontem de manhã?`` ´´Ss-sim`` ´´ E você disse sim logo depois que ele propôs? ´´ ´´Bem, sim?`` ´´ Então quando foi que você pensou a sobre o assunto?´´ ´´ Bem, desde então.`` Posso dizer qual o rumo desta conversa e eu pretendo encurtá-la. ´´Quero dizer, você percebe Shari, que ele não vive aqui e eu não vou deixar ele morar


comigo, e eu não vou voltar a morar com ele. Não mesmo, não vou cometer este erro novamente. Iremos morar em nossos próprios apartamentos até o casamento´´. ´´Que será?`` (Shari diz) Eu fico olhando para ela sobre as xícaras de chá que fiz para nós. ´´Que será o quê?`` ´´ Quando será, Lizzie?`` Shari pergunta. ´´Quando é que este casamento supostamente será?`` ´´Hum``, eu digo surpresa. ´´ Bem, provavelmente este Verão.`` ´´Certo``. Shari descruza os braços e as pernas. ´´Você está louca. Estou saindo. Adeus.`` Eu a puxo de volta antes que ela possa abandonar sua cadeira, no entanto. ´´Shari, vamos lá, eu digo. Não faça isso. Você não está sendo justa.`` ´´ Não estou sendo justa? Shari diz. Lizzie, qual é! Você passou ou não uma noite no meu sofá mês passado por causa daquele seu péssimo namorado, que arrancou seu coração para fora do teu peito e o esmigalhou quando ele disse que não podia te ver no seu futuro próximo, fato que ele poderia ter mencionado a propósito, antes de te pedir para morar com ele? E agora por qualquer fodido motivo, provavelmente porque ele ficou uma semana sem dormir com ninguém, ele decide: Oh, hei, eu acho que no final das contas eu posso ver a Lizzie no meu futuro apesar de tudo, joga um anel de diamante na tua cara e você fica toda: certo Luke... o que você quiser Luke... Bem, me desculpe eu não vou ficar sentada aqui assistindo você jogar a sua vida fora. Você merece mais, merece um cara que realmente te ame.`` Eu pisco para ela. A próxima coisa que eu sei, eu estou chorando. ´´Como você pode dizer isto? Eu pergunto com um soluço. ´´ Você sabe que o Luke não é assim. Você sabe.´´ Mas é tudo que eu consigo dizer, porque eu estou chorando tanto que fica difícil dizer qualquer outra coisa. Depois de um tempo, cansada de me ouvir fungar, Shari se levanta, dá a volta na mesa e coloca o braço ao meu redor. Lizzie, ela diz em uma voz mais macia do que a que ela usou antes. ´´Me desculpe. Eu não queria dizer isto. Eu só me preocupo de que a razão que você disse sim para o Luke é


porque você queria se casar tanto com ele, e depois você descobriu que ele não queria se casar com você, você seguiu em frente. E depois, ele repentinamente volta e quis casar com você depois de tudo, você pensou que tinha que dizer sim , porque você foi tão inflexível que isso é o que você queria o tempo todo. Mas você sabe Lizzie, está tudo bem se você mudar de idéia.´´ ´´ Eu não mudei´´ eu gritei ainda em lágrimas. ´´Por que eu faria isso?`` ´´Eu não sei, Shari diz com um encolher de ombros. Porque você cresceu um pouco desde mês passado, talvez? Eu estava lá, lembra? Eu vi você fazer isso. Mas olha se você realmente quer se casar com o Luke, então é claro que eu vou te apoiar. Se você quer se casar com Luke, então eu quero que você se case com Luke também.`` ´´ Não. Eu estou chorando tanto que é difícil falar claramente. Não, você odeia o Luke.´´ ´´Agora é você que está sendo irracional. Eu não odeio o Luke. Eu acho que ele tem muito a aprender sobre ser um homem. E, francamente, acho que você pode conseguir melhor. Mas,eu te apoiarei não importa quem você ame, da mesma forma que você me apoiou, desde que vocênão me vista com uma saia-balão verde limão que esteja combinando com as suas irmãs, coisa que você não vai fazer, ou vai?`` Shari pergunta desconfiada.. ´´ O quê?`` Eu forço uma risada enquanto enxugo minhas lágrimas. ´´Oh Deus, não. Você está brincando?`` Exceto que uma vez eu escolhera um vestido de dama de honra para a Shari, Dupioni* de seda, só que por algum motivo eu não o posso mais imaginá-lo na minha cabeça, antes de ficar noiva, tudo o que eu fazia era ficar sentada e planejar como seria meu casamento. * Não sei se é uma marca, ou uma característica do vestido.. E agora que estou realmente vou me casar, sempre que eu tento imaginar isso, minha cabeça fica em branco. ´´ Então, aonde é que vai ser? Shari quer saber. Château Mirac?`` ´´ Hum, eu digo. Talvez. Minha mãe quer fazê-lo em nosso quintal. `` Shari se anima. ´´Isto seria agradável. `` Reviro meus olhos. ´´Shari !`` ´´Bem, por que não?``


´´Faria muito mais sentido fazê-lo no Château. Aquele lugar foi praticamente construído para casamentos. E é lá que me apaixonei e tudo. E há o acréscimo em custos e benefícios de ser de graça.´´ ´´ Certo, Shari diz lentamente, exceto que é longe para a sua família e ainda há a questão da sua avó.`` ´´ O que tem a minha avó?`` ´´Bem, Shari diz se sentando novamente na cadeira. Ela tem ficado em casa por anos. Você realmente acha que ela está irá para o sul da França e retornará, para um casamento? ´´Claro, eu digo ficando vermelha. Por que não?`` ´´ Eu não sei, Shari diz. Ela é idosa, e...`` ´´E o quê?`` ´´E ela sofre de alcoolismo crônico, Lizzie. Credo, o que está acontecendo com você? Eu pensei que ser noiva te faria feliz, mas você está agindo como se não estivesse feliz. `` Eu seguro minha cabeça. ´´ Me desculpe, é que foi um dia ruim. Monsieur Henri teve um ataque cardíaco e colocará uma ponte de safena e vai estar fora por um tempo e eu estava no Page Six esta manhã por causa do casamento Higgins Jill e os telefones estavam fora do gancho e.. `` ´´ Oh, então é isso que a Tifanny está fazendo lá embaixo, Sahru diz, eu me perguntava`` Eu tomo um gole do meu chá. O frio cresceu na minha frente. ´´Eu provavelmente deveria voltar ao trabalho. Há um monte de noivas que precisam de vestidos de casamento restaurados, aparentemente.´´ ´´ E, provavelmente há um monte de vítimas de violência doméstica que precisam de ajuda para obter apoio da opinião pública e das ordens de proteção, Shari diz com um suspiro.`` Eu a olho do outro lado da mesa. ´´Como é que acabamos aqui? ``Eu pergunto. ´´Eu não sei, Shari diz agitando sua cabeça. Mas eu gosto de onde estou. Você gosta de onde você está?`` ´´ Eu acho que sim, eu digo, olhando para o meu anel. Pode demorar algum tempo para me acostumar, eu acho que eu posso ser melhor planejando o casamento de outras pessoas do que o meu próprio. Sempre que penso nisso, tenho vontade de vomitar`` ´´Certo. Shari aponta para mim. Isso não é um bom sinal. Lembre-se que eu disse, está


tudo bem em mudar de idéia.`` Eu dou-lhe um sorriso enjoado. ´´Eu sei, mas realmente eu o amo.`` ´´ Você o ama? Shari pergunta enquanto se levanta para ir. Ou você ama a idéia que você tem dele? (Or do you love the idea of him?) ´´ Deus, eu digo com um riso. Que tipo de pergunta é essa?`` ´´Para você? Eu acho que é uma questão pertinente. Você tem um histórico de se apaixonar por caras que não conhece.`` ´´Sim, mas, Shari, vá lá. Lukes não vai passar a ser gay ou um viciado em jogos de azar. Eu fiz alguns erros lamentáveis no departamento de cara. Quer dizer, eu vivia com Lucas, for crying out loud. Por seis meses. Eu acho que o conheço muito bem até agora. ´´ Certo, mas Shari, qual é, o Luke não vai virar gay ou se tornar um viciado em jogos. Eu cometi alguns erros lamentáveis no departamento de homens, mas eu vivi seis meses com o Luke, por deus, eu acho que o conheço muito bem agora.`` ´´ Sim, ela diz. Você pensa que sim, não pensa?Ainda assim, as pessoas podem surpreendê-la, não podem? Afinal, eu vivi com Chaz para quase tanto tempo quanto você viveu com Luke, e acabou que eu ..`` ´´Não diga isso.`` Eu levanto a mão para pará-la antes que ela possa dizer que a palavra lésbica. Não que eu me importe. É só que eu me esforço muito para não pensar naquela noite em Kathy Pennebakers quando tínhamos dezesseis anos. Eu cobiçava o Tim Daly do seriado de televisão Wings. Shari e Kathy, eu descobri depois de tudo, estavam desejando uma a outra. Deus, eu fui tão cega. Embora eu suponha o porquê delas não me contarem, a escola toda saberia do assunto em trinta segundos, é claro que eu manteria segredo se elas me dissessem. Mas de alguma forma eu nunca consigo manter minha boca fechada, apesar das minhas melhores intenções. ´´ Olha, não se preocupe, do jeito que estamos indo, será um noivado longo de qualquer forma. Luke tem que terminar os estudos, e seu tio quer que ele vá trabalhar para ele em Paris neste verão, e eu tenho cerca de cinco mil vestidos para terminar anter que eu possa levantar minha cabeça pra respirar. Eu não tenho pressa de me casar em breve.`` Shari me dá um abraço. ´´Esta é a minha menina.`` diz ela. Enquanto ela está me apertando é que eu percebo uma mancha esquisita no interior do meu cotovelo direito. Parece uma picada de mosquito, só que é lisa e não em relevo. E, além disto, é janeiro em Manhattan. Como eu poderia ter sido mordida por um mosquito?


Eu não penso mais sobre o assunto. Até que mais tarde eu percebo o que realmente é isto: Apenas o começo da ruína da minha vida. Só isso.

A História dos Casamentos

Nos tempos antigos, as noivas eram tradicionalmentes esperadas nas peregrinações no dia do pré-casamento em suas próprias aldeias para serem desposadas. Devido a possibilidade da noiva ser levada por ladrões, que esperavam roubar o dote (ou a própria noiva), a noiva fazia esta viagem acompanhada por donzelas armadas para defende-la e defender seu dote contra saqueadores. Assim nasceu the bridesmaidor*, para ser mais exata historicamente a serva guerreira. * Entendi que é a pessoa que defende a noiva em sua peregrinação, mas não saberia qual é a tradução exata para esta função no nosso idioma.

Dica para evitar um desastre no dia do casamento Damas de honra hoje em dia desempenham um papel bem diferente daquele exercido por suas antecessoras: ajudar a organizar o noivado, promover chás de panela (ou cozinha) para os convidados do casamento, até já ouvi falar de prestar serviço de babá ou de lavanderia para a noiva (eca). Não se esqueça das suas damas de honra no seu dia especial. Um presente especial, como um colar ou pulseira de prata demonstrará o quanto você apreciou seus esforços durante todo este processo, embora a cortesia humana seja fundamental para não se transformar em uma noivazilla* sobre elas. *Noivazilla é um trocadilho em inglês de noiva e godzilla. LIZZIE NICHOLS DESIGNS

Capítulo 5

Deve-se acreditar no casamento como na imortalidade da alma. Honoré de Balzac (1799 -1850), romancista e dramaturgo francês. Uma mascadora de chiclete está sentada na loja quando eu volto lá em baixo. Mesmo que minha conversa anterior com ela foi pelo telefone, eu sei que é ela. Eu reconheceria aquele estalo, crepitação e estouro em qualquer lugar. O que me choca é que eu também a reconheço de imediato, a partir do Access Hollywood e Inside Edition Entertainment Tonight e onde ela pode muitas vezes ser vista usando muito pouco sobre os tapetes vermelhos na estréia dos filmes nos quais ela não está estrelando, sua que ela não tem um talento real, pelo menos tendo sido


detectado até agora. Ava Gecks sua única reivindicação à fama, na verdade, é que sua família é proprietária de uma cadeia de lojas de departamento de desconto (Get it at Gecks), dizem que de valor superior a um bilhão de dólares. Ela própria tem um patrimônio pessoal de mais de trezentos milhões de dólares, graças a algumas ofertas para perfumes e algumas não muito afortunadas aparições em programas reality na televisão. O mais impressionante para mim de qualquer forma, é que acontece dela ser casada com um príncipe. Não é um príncipe como o Luke, que possui um titulo de seus antepassados na França, onde a aristocracia foi abolida há séculos, e não se manteve um controle de quem realmente era ou não da família real, e temos realmente apenas a palavra do pai do Luke quanto a isso, mas na Grécia, onde, mesmo que a família real não é reconhecida como o chefe de Estado, no entanto, ainda retém seus títulos reais e são convidados para as funções do Estado. De alguma forma, de alguma maneira, o príncipe grego Nikolaos Aleksandros conheceu e aparentemente se apaixonou e propôs a Ava Geck. É surreal vê-la sem ser no aparelho de televisão emoldurando seu rosto. Embora o grande guarda-costas com os braços cruzados ao lado dela, sem mencionar a pedra enorme em seu dedo anelar da mão esquerda e o Chihuahua tremendo rapidamente em seu colo, me fazem perceber que o que eu estou vendo é muito real. ´´Oh, hey,`` diz ela, com uma rápida olhada na Tiffany quando entro. ´´Esta é ela?`` Tiffany revira os olhos. ´´Eu já lhe disse, Ava. Ela não te verá sem uma hora marcada.`` Tiffany e Ava, aparentemente, já se familiarizaram . Parecem ser conhecidas de longa data. E, obviamente, não uma relação muito feliz. ´´ Hum,`` eu digo. ´´Oi. O que está acontecendo?`` ´´Sra Nicols`` Ava dá um salto com suas precárias botas roxa de camurça cano longo que acompanham a coxa, perturbando a Chihuahua que cai no tapete com um latido. Esta não parece ser sua preocupação como amante ( de cachorro) de qualquer forma. ´´ Eu estou, bem, me desculpe, estou aqui sem hora marcada. É só que eu vi a estória da pagina seis sobre você, e o que acontece é que eu moro em Los Angeles e estou em Nova Iorque, você sabe, estava fazendo uma participação especial no Pit Celebrity Fight na Times square para a Ball Drop* ? E eu tenho que voltar, mas eu vou me casar este verão e eu quero muito, muito, muito que você faça o meu vestido. * Ball drop literalmente significa bola cair...??? ´´ E eu já lhe disse, Tiffany diz por entre os dentes, que você não faz desenhos originais, apenas...``


´´ Eu sei que esta garota diz que você só faz restaurações, Ava diz, dando um olhar crítico em direção a Tiffany, mas eu me pergunto qual a dificuldade? Quer dizer, se eu trouxer algum vestido velho e hediondo te pedir para restaurá-lo, ou se você apenas, me fizer um novo? Por que você simplesmente não pode me fazer um novo? Certo? Porque isso é o que eu quero. Eu quero um vestido criado por alguém jovem e fresco. Não um vestido seco de idosa criado por alguém que possui quatro porcarias de loja na Madison Avenue. Sabe?`` Exceto que era meio difícil de dizer o que ela falava, entre todos os sons de mastigação. ´´Sra Nichols? Tiffany se levanta. Posso ter uma palavrinha com você no quarto dos fundos?` ´´Deus! Ava range os dentes*. Qual é o problema? Tenho dinheiro. Eu vou, tipo, te pagar.`` ´´Hum,`` eu digo a Ava. Noto que o Chihuahua está ficando pronto para levantar uma perna contra o vaso de hortênsia da Madame Henris. Eu mergulho para pegar o cão e colocá-lo suavemente de volta nos braços da agora confusa Ava Gecks. ´´Permita me apenas consultar minha, um, assistente aqui, para ver qual a programação para esta semana, e eu já retornarei.`` Ava parece aliviada. Pelo menos se isso é o que parece a partir da grande bolha rosa ela infla. ´´ Que seja,`` ela diz. Eu permito que Tiffany me arraste para o quarto dos fundos. ´´ Você não pode criar um vestido para ela, Tiffany sussurra assim que eu fecho a elaborada cortina de veludo preto. Ela é uma prostituta, narcótica vagabunda.`` ´´Deixe-me adivinhar, eu digo. Você a conheceu nos Narcóticos Anônimos.`` ´´Não, Tiffany diz. Mas ela é ainda uma prostituta narcótica vagabunda. Sério, Lizzie. Você a viu em Pit Celebrity Fight? Ela fez a Lil Kim chorar. Lil 'Kim. Você não pode. Você só não pode.`` ´´Ela é extremamente famosa, eu digo. Ela é uma zilhonária. E ela vai se casar com um príncipe. Você tem alguma idéia do tipo de imprensa, que vai isso vai gerar?`` ´´ Sim, Tiffany diz. Imprensa de prostituta, viciada, vagabunda. Acredite em mim, que não é o tipo de imprensa que você deseja.``


`` Tiffany, eu digo, lutando pela paciência. Você não entende. Neste ponto da minha carreira, toda a imprensa é boa imprensa. Eu realmente vou fazer o vestido.`` ´´Mas ela é repugnante, Tiffany insiste. Você viu a forma como ela tratou o cão? E o que são estas botas?`` ´´Tiffany, ela é obviamente muito perturbada. Ela precisa de nossa ajuda, não o nosso desprezo. Ela claramente não teve ninguém na vida dela para guiá-la com cuidado sobre o modo de agir como um ser humano decente. E ela realmente precisa disso agora mais do que nunca, ela vai se casar com um príncipe.Será um casamento real!`` ´´Na Grécia!!!`` Tiffany ressalta. ´´Tiffany! Como você pode dizer isso? A Grécia é o berço da civilização ocidental, o berço da democracia, ciência política, da literatura e da filosofia ocidentais, os Jogos Olímpicos.`` Um, Lizzie, você nunca provou homus? ´´Tiffany, eu a encaro. Eu vou fazer o vestido da Ava. Esteja você comigo ou não.`` Tiffany revira os olhos para o teto. ´´Será isso por causa do príncipe? Porque já que você se casará com um príncipe, você sente que tem a obrigação moral de ajudá-la, porque ela se casará com um príncipe?`` Eu ignoro isso. ´´ Tiffany temos a obrigação moral de ajudar essa pobre moça, porque se não, ninguém vai, e ela continuará fazendo burrices como retirar extensões do cabelo Lil Kims no Pit Celebrity Fight e ela nunca descobrirá seu verdadeiro potencial interior.`` ´´E você acha que pode ajudá-la a encontrá-lo?`` Tiffany zomba. ´´Sim, Tiffany,`` eu digo seriamente. ´´Sim, eu acho que posso.`` Só que a verdade é que eu não acho que eu posso. Eu sei que posso. ´´ Certo. Se você quiser jogar Dr. Dolittle com sua Eliza Higgins, Tiffany diz, é o seu funeral. Eu apenas farei o que você está me pagando para fazer: atender o telefone.`` ´´ É professor Higgins, eu a corrijo, e Eliza Doolittle. Professor Higgins é o cara que dá a flor menina londrina nos escombros (cena do filme My fair lady). Dr. Dolittle é o cara que podia falar com animais.`` ´´Certo, resmunga Tiffany. Eu posso dizer que este foi um dia ruim para parar de tomar meu Adderall.``


Eu removo a cortina de veludo preto e encontro Ava Geck analisando atentamente a boneca modelo ( aqueles bonecos que são expostos roupas nas lojas) vestindo uma di Bianchi sem ombros que eu adaptei com mangas para uma noiva, que quer se casar em uma sinagoga conservadora. ´´Eu gosto deste aqui,`` Ava diz, endireitando-se quando eu chego. Ela ainda está mascando o chiclete. ´´Você pode me fazer algo assim?`` Estou surpresa, agradavelmente surpresa. Para uma menina que mostrou sua calcinha tantas vezes na televisão, a sua escolha surpreendentemente modesta. ´´Acho que podemos chegar a algo que você irá gostar, eu digo. Algo um pouco mais parecido com você.`` Ava suspira, em seguida, bate palmas. A Chihuahua late animadamente e gira em círculos. Mesmo o guarda-costas durão dá um sorriso, um muito pequeno, mas um sorriso da mesma forma. ´´Oh, obrigada! Ava diz. Isto vai ser demais!`` ´´Sim, eu digo. Apenas um par de regras básicas, no entanto. Regra número um, quando você entrar na Chez Henri você tem que jogar o chiclete fora, quando você sair você pode mascar novamente.`` Eu estendo a minha mão na expectativa. Ava me olha assustada. ´´O quê?`` ´´Seu chiclete, eu digo. Chicletes não são permitidos no Chez Henri. Você será bem vinda na Vera Wang e mascar chiclete, mas não aqui. Não é civilizado andar por ai como uma vaca ruminando. Assim, você pode cuspi-lo ou sair.`` Ava, parecendo atordoada, cospe fora seu chiclete na minha mão. Eu o deixo cair em um lixo próximo, sendo que o Chihuahua rapidamente corre para inspecionar. ´´Regra número dois, eu digo, limpando minha mão em um lenço que puxo da caixa sobre a mesa da Tiffany. Você deve estar disponível para todos os testes, se você não tiver tempo disponível para aparecer, você deve ligar com uma hora de antecedência para nos avisar. Falhe nisto mais de uma vez e o seu contrato conosco será cancelado. Não é educado deixar as pessoas te esperando. Temos muitos clientes e poderemos reprogramar alguém no seu horário se soubermos com antecedência que você não será capaz de comparecer. Certo?`` Parecendo ainda atordoada, Ava concorda. O guarda-costas, eu percebo, ainda sorri, mas agora ele parece um pouco confuso. ´´Tudo bem, Ava, eu digo. Por que não você sobe no vestiário por aqui para que eu possa


tomar suas medidas?`` Ava se apressa para seguir as instruções, tropeçando um pouco sobre suas ridiculamente altas botas. É bem claro que hoje a manhã será muito longa.

A História do Casamento

As damas de honra, nos tempos antigos romanos foram as primeiras a usar vestidos idênticos, idênticos não só do de uma para a outra, mas para as noivas também. Isso foi uma tentativa de enganar os demônios de tomar a alma noivas antes de sua noite de núpcias. Qualquer mulher que protegesse três noivas dos espíritos malignos era considerada muito impura para se casar, depois de ter absorvido muita magia negra. Esta é a origem da expressão três vezes dama de honra, nunca uma noiva. Então eles não estavam inventando a coisa do três vezes dama de honra! E você achava que eles estavam falando sobre sua tia Judy.

Dica para evitar um desastre no dia do casamento Você ama seus amigos por causa da personalidade única deles. Bem, seus corpos são únicos também. Assim, Nõ exprima as damas de honra em vestidos idênticos. Elas irão odia-lo e se você realmente for sua amiga, você odiará o que elas odeiam. Escolha um formato que irá agradar a todas elas, e deixá-las escolher a cor do vestido de acordo com seu gosto, um que elas realmente irão usar novamente. Elas não estarão vestidas todas iguais, mas e daí. Você ama a elas e não a sua aparencia, certo? LIZZIE NICHOLS DESIGNS

Capítulo 6 Dois como vocês, uma velocidade que não pode ser separada, nem ser varrida separando uma da outra, uma vez que você concordou que a vida só é vida se para sempre estiverem juntos, de asa a asa e remo a remo. Robert Frost (1874 -1963), poeta americano O Luke prometeu vir e me fazer um jantar agradável por causa do dia que eu tive, a Madame Henri ligou apenas depois de cinco minutos para me informar que a cirurgia de seu marido ocorreu bem, mas na verdade tudo o que eu queria é tomar um banho quente, ler uma revista de moda e ir para a cama Só que como eu posso dizer isto para o Luke, que foi ao mercado e comprou dois sirloins


e os marinou (seu bacharelado pós de aulas de pré medicina só começam depois do dia de Martin Luther King), especialmente para mim? Então, quando me liga pouco antes das seis, com uma nota de desculpas em sua voz e diz: ´´Ouça,`` é tudo que posso fazer evitar bater os meus calcanhares de alegria. Ele está cancelando! Aleluia! E Olá, Vogue deste mês. ´´Tem um jogo do Michigan esta noite, diz ele. E Chaz realmente quer que eu assista com ele. Você sabe como ele é em relação aos Wolverines, e a verdade é que ele me pareceu um pouco deprimido no telefone quando me ligou para falar sobre isto.`` Chaz está deprimido? Isto é novidade para mim. Ele não me parecia nem um pouco deprimido quando ele estava com a mão no meu sutiã. Não que eu iria adicionar esta última parte em voz alta, claro. ´´ Bem, quero dizer é natural que ele esteja um pouco deprimido, Luke diz. Nós estamos para nos casar, e a namorada dele o deixou por outra mulher. Eu realmente achei que ele tinha outra pessoa, nunca o vi passar tanto tempo sem alguém antes.´´ ´´ A Shari só terminou com ele no dia de ação de graças, eu indico secamente``. Eu observo que há uma nova mancha vermelha na parte interna do cotovelo, onde a antiga se esvaiu. Então, não era uma picada de mosquito. O que será que era? Talvez uma alergia ao detergente estou usando? Mas eu não troquei de detergentes recentemente. ´´Para Chaz, um mês e meio é realmente uma seca, Luke diz. E agora, seu melhor amigo vai se casar com a garota mais bonitinha do mundo, não é a toa que ele está deprimido.´´ ´´Então você deve absolutamente ficar em casa e assistir basquete com ele, eu digo.`` Eu já estou fantasiando sobre a comida chinesa que eu vou pedir, frango Moo Shu com molho hoisin. Talvez eu até coma na banheira. ´´Bem, ai está a coisa,´´ diz Luke. Os jogos passam apenas por satélite. ´´Assistiremos no bar ORiordans Sports, que fica na esquina de sua casa, em Lexington. Então eu pensei quevocê quereria dar uma passada lá mais tarde.´´ ´´ Caramba, eu digo docemente, não há nada que eu queira mais do que sentar com você e com seu amigo depressivo e assistir esportes.`` ´´ Nós pediremos asinha de frango,`` Luke diz num esforço para me tentar. Isso é tão difícil resistir. ´´ Vamos, Luke diz em um tom mais sério. Chaz te ama e você sabe disso. Ele quer dizer parabéns pessoalmente. E te ver vai animá-lo. Você sabe o quanto ele gosta de te provocar sobre suas roupas estranhas. Além disso, se você não aparecer, eu não vou te-la visto o dia todo.``


Exceto, que temo que o Chaz me provoca não pela minha roupa. Não é que eu esteja a ponto de mencionar isso, de qualquer forma. ´´Luke, eu digo. O ponto de não estarmos morando juntos é que assim que nós podemos usar este tempo de nosso compromisso para explorar quem somos como indivíduos, de modo que quando estivermos juntos como um casal nos teremos uma idéia mais clara do que queremos juntos...`` ´´ Lizzie, Luke diz. Eu sei tudo isso. Eu estava lá quando você fez aquele pequeno discurso, lembra? Um cara só não pode ver a sua namorada? Eu suspiro, visões da minha noite divertida de fotos de alta moda e bolhas indo pelo ralo, literalmente. ´´Eu estarei lá mais ou menos as sete.`` O bar está lotado, mas felizmente não enfumaçado, desde que a cidade de Nova York, proibiu fumar em ambientes fechados e é bem rígido com isso. Acho Luke e Chaz em um banco abaixo uma das dezenas de televisores pendurado do teto e passando jogos de basquete de faculdade. Luke se levanta para me beijar. ´´ Olá. Chaz,`` eu vejo está vestindo um de seus tipicos (exceto quando ele está com suas roupas noturnas) boné de beisebol da Universidade de Michigan,o puxou para baixo sobre o seu cabelo. Ele está com barba por fazer e olhar um pouco áspero, até mais áspero que quando o vi na ultima vez, uma noite de muito champanhe. E muitas outras coisas também. ´´ Vamos`´, Luke diz para mim, sorrindo seu sorriso adorável. ´´Mostre a ele.`` Eu deslizo no banco ao lado de Luke, e estou tirando o meu casaco e desamarrando o meu lenço. Chaz está bebendo uma cerveja, seus olhos voltados no jogo acima da minha cabeça. ´´Luke,`` eu digo, ruborizando, embora eu não saiba o porquê. ´´ Não`` ´´ Vamos, Luke diz. Você sabe que você quer.`` Chaz desvia o olhar da televisão e o volta para mim. ´´Me mostrar o quê?`` Luke levanta a minha mão esquerda para mostrar ao Chaz o meu anel de noivado. Chaz solta um longo assobio baixo, embora, naturalmente, ele já o viu. ´´ Legal´´ ele diz. Luke agora sorri de orelha a orelha. ´´ Deixe-me te pegar uma bebida, ele diz para mim.vou rapidinho até o bar, uma vez que a garçonete leva uma eternidade. Vinho Branco?``


Eu aceno com a cabeça,. ´´Isso será ótimo.`` Eu me pergunto se preciso lembrá-lo de trazer gelo a parte. Detesto vinho branco quente, e eu nunca consigo beber o suficientemente rápido. Soa brega, mas ultimamente eu comecei a pedir o meu vinho branco com um copo de gelo ao lado. Além disso, dura mais e tem menos calorias desta maneira. ´´Estarei de volta em um flash,`` Luke diz que antes de eu ter uma chance de dizer qualquer coisa, enquanto eu deslizo para o deixar passar, então escorrego de volta para o banco que está desocupado. Oh bem, ele vai lembrar do gelo. Chaz levantou o seu olhar de volta para o jogo sobre a minha cabeça. Eu limpo minha garganta. ´´ Obrigada pelas rosas`´ , digo rapidamente, para acabar com isso antes de Luke retorne. ´´Você não tinha de fazer isso.`` ´´ Sim,`` Chaz diz brevemente, ainda sem olhar para mim. ´´ Eu tinha.`` ´´Bem,`` vejo que o Luke ainda está desesperadamente tentando chamar a atenção dos bartenders, assim eu coloco a mão sobre o Chaz. ´´Obrigada. Significou muito para mim. Você não tem idéia.`` Chaz olha para minha mão e então ele olha diretamente nos meus olhos. ´´Sim, ele diz. Eu acho que tenho uma idéia muito boa.`` Eu puxo minha mão, embora eu não saiba exatamente porquê. ´´ O que é que isso quer dizer?`` Eu pergunto. Chaz ri e pega sua cerveja. ´´Nada. Deus, por que você está tão defensiva ? Eu pensei que você e o Luke eram abençoadamente felizes.`` ´´Nós somos!`` Eu chio. ´´ Você não me parece muito deprimido,`` eu não posso me impedir de observar.Então eu imediatamente quero me matar. Ele parece estar quase a engasgando com o gole de cerveja que ele acabou engolido. ´´Deprimido?`´ ele ecoa quando se recuperou o suficiente para falar. ´´Quem disse que estou deprimido?`` Eu olho ao redor procurando uma pistola convenientemente carregada. Infelizmente, não encontro uma disponível, então eu não tenho escolha a não ser responder à pergunta.


´´Luke,`´ eu murmuro envergonhada. ´´Ele acha que você está deprimido porque ele vai se casar e você está sozinho.`` ´´Então, você não está deprimido?`` Eu pergunto, sentindo um pequeno vislumbre de esperança de que talvez o suicídio não seja necessário, só desta vez. Chaz me dá um olhar morto e diz: ´´ Porque, Lizzie. Eu sou um maníaco-depressivo, porque a menina que eu finalmente percebi que sempre fui apaixonado e que eu estava começando a pensar que poderia me amar, se comprometeu com o meu melhor amigo, que, francamente, não a merece. Isso responde a sua pergunta? Foi a coisa mais estranha, mas meu coração parece acelerar no meu peito, e por um segundo, eu não posso respirar, nem posso deixar de olhar para ele. Então eu percebo que ele está brincando. E eu sinto que meu rosto começa a queimar. Ele está brincando, claro que ele está brincando. Deus eu sou tão tola. ´´ Isto importa para você?`` Eu exijo, ignorando o seu sarcasmo. Eu estou furiosa comigo pór pensar que ele realmente quer disse que me amava, mas ainda mais, por me sentir tão mal por machucá-lo. Ele não pode ser ferido. Quero dizer, obviamente, ele pode. Mas não por mim. Nunca por mim. ´´ Você deve estar aliviado você escapou minha mira. Você não acredita mesmo no casamento. É apenas um pedaço de papel, certo? Isso é o que você disse, de qualquer maneira. ´´ Você entendeu isto certinho. Chaz tem recostou-se para assistir o jogo. Você quer um relacionamento feliz romântico? Não o arruíne se casando. `` Eu não posso acreditar que ele fala sério. ´´Desde quando você se sente desta maneira? Eu pergunto. Você nunca se sentiu assim sobre o casamento, quando você estava com Shari. Vocês dois foram a imagem de felicidade conjugal. Sem a parte conjugal. Mas você estava sempre fazendo tortas e fazendo o serviço de lavanderia e coisa tal. `` ´´Sim,`` Chaz diz, ainda não tirando os olhos para fora da tela da televisão, embora eu percebo ele apertando sua mandíbula.´´ Bem, ela me deixou, lembra? Por uma mulher. Acredite em mim, eu não vou cometer este erro novamente. O casamento é para otários.`` ´´Você não quer dizer isso. `` eu digo um pouco chocada com o tom amargo. ´´ Não quero? Ele dá um sorriso para a tela. Eu acho que sei o que estou falando. Meu pai é um advogado de divórcio, lembra?``


´´Mesmo assim ele está casado com sua mãe por quanto tempo, trinta anos?`` ´´Eu não posso acreditar eu ainda estou chateado pelo fato de ter sido sempre apaixonado por você, e que, considerando todos os beijos e caricias que estávamos fazendo na parte de trás do táxi que no Ano Novo, não era realmente de bom gosto. Eu estou ainda mais chateado com a forma como o meu coração reagiu à informação. Do que aquilo se tratou?`` E como, por um segundo, eu poderia realmente ter acreditado nele? Eu sei que sou uma menina ingênua Centro-Oeste. Mas eu realmente não tento agir como uma. A maior parte do tempo. Eu tento manter um perfil discreto, Chaz diz. O casamento feliz coisa dos meus pais realmente não combina com a minha persona. Você sabe recém solteiro com PhD em filosofia, vivendo sozinho em East Village-up, bebedor muito competente, esforçado e meio perigoso.`` Agora é a vez do meu sorriso. ´´ O quê? Chaz arrasta o olhar da tela da televisão e os olhos de mim. Você não acha que sou perigoso?`` ´´Não, com esse chapéu, eu digo.`` ´´Oh, que eu sou perigoso, Chaz me assegura. Mais perigoso do que Luke.`` ´´Eu não gosto do Luke porque ele é perigoso, eu digo.`` ´´Oh, certo, Chaz diz. Você gosta dele por quê? Por que ele é rico? Bonito? Suave? Pensativo? Tipo? Indo para salvar as crianças algum dia? `` ´´ Todas as alternativas acima, eu digo, pelo rico. Eu pretendo fazer o meu próprio dinheiro, obrigada, assim eu não preciso dele. Na verdade, aceitei a Ava Geck como cliente hoje.`` A prostituta, narcótica, vadia? Chaz me olha horrorizado. ´´ Por que todos a chamam disso ? Eu pergunto aborecida. Ninguém jamais a viu realmente usando drogas ou tendo relações sexuais em troca de dinheiro, e ainda todos a chamam de narcótica, vadia e puta.`` Eu não tenho que vê-la fazer isso, Chaz diz. Você já assistiu Pit Fight?


Agora é a minha vez de olhar horrorizada. ´´O que um bebedor árduo, trabalhador esforçado, filosofo com Phd, está fazendo assistindo Pit Celebrity Fight?`` Chaz ri .´´ É um ótimo programa, diz ele. Quero dizer, se você está sempre de bom humor para analisar um dos exemplos mais sombrios das profundezas do depravamento ao qual nós, como sociedade temos nos afundado, ou pelo menos as profundezas do depravamento ao qual a indústria do entretenimento está determinada a nos fazer pensar que nos estamos afundando.`` ´´Ei.`` Luke desliza pelo banco e me dá meu copo de vinho. ´´Pena que demorou tanto. Este lugar é um hospício. Há cinco jogos diferentes.`` Eu observo com uma ligeira sensação de decepção que ele esqueceu do gelo. Oh bem, nós saímos há apenas seis meses, depois de tudo. Ele não pode se lembrar de tudo. ´´Você esqueceu o gelo, Chaz diz. Luke, diga a sua namorada que ela não estará a frente do show bizz de vestidos de noiva, se ela aceitar prostitutas, narcóticas, vadias como cliente.`` Eu pisco, não sou capaz de acreditar que o Chaz se lembrou. ´´Gelo? Luke parece confuso. Espera . Quem é uma puta viciada vadia? ´´ Ninguém,`` digo, ao mesmo tempo que Chaz diz,´´ Ava Geck.`` ´´ Quem é Ava Geck? ``Luke quer saber. Chaz dá gargalhadas. Eu tomo um gole apressado do meu vinho, sabendo o que está vindo. ´´ Você já asssistiu televisão? Chaz pergunta ao Luke. Você costuma mesmo ler uma revista, além do The Wall Street Journal? Diga-me, porque eu realmente quero saber. Quando você está no escritório dos dentistas, você sempre, mesmo por acidente, pegar uma cópia da Us Weekly?`` ´´ Pare com isso,`` eu digo para Chaz. Estou começando a ficar irritada com ele agora. Mais irritada, talvez, do que a situação justifique. ´´ Só porque o Luke não sabe quem é Ava Geck..`` ´´ Todo mundo sabe que Ava é Geck,`` Chaz irrompe. ´´Quem é Ava Geck? `` Luke pergunta novamente. ´´ Ela é..`` Mas, de repente estou tão cansada, que nem mesmo posso terminar. Eu não posso agüentar, as vozes dos locutores das televisões e dos gritos dos torcedores e as palmas sempre que alguém da equipe marca um ponto no jogo, sem mencionar cara


bêbado sem-teto. Eu posso ver o balanço da placa na janela de vidro a poucos metros de distância , pedindo esmolas para quem passa pelo local. Mas o que eu realmente não posso suportar é a voz dentro da minha cabeça que voltou. É uma voz familiar. Deve ser. Porque é a voz do cara sentado em frente a mim usando um grande e amassado boné da Universidade de Michigan. Porque, Lizzie. Eu sou um maníaco-depressivo, porque a menina por quem eu finalmente percebi que sempre fui apaixonado e que eu estava começando a pensar que poderia me amar, se comprometeu com o meu melhor amigo, que, francamente, não a merece. Mas ao mesmo tempo eu ouço a mesma voz, dizendo: Você quer um relacionamento feliz romântico? Não o arruíne casando. Eu sei o que estou falando. ´´Você sabe o que mais? Eu digo, de repente, a minha própria voz apertando com emoções não derramadas. ´´ Isto foi divertido, mas estou muito cansada. Vocês se importam se eu encerrar a noite por aqui? Eu tenho um grande dia de amanhã, e eu acho que que vou começar cedo.`` ´´ Oh, que isso, Luke diz. Você acabou de chegar. Não vá ainda. O jogo apenas começou.`` Eu olho para Chaz.Seu rosto é impassível sob a aba do boné. Mas ele olha para mim. ´´Sim, Lizzie, diz ele. Não vá ainda. O jogo apenas começou.`` Que estranho, mas alguma coisa na forma em que ele me olhou , sem mencionar o tom de voz me diz que ele não estava falando do jogo da televisão. Não mesmo. ´´ Certo, eu vejo você depois,`` eu digo com minha voz aguda muito alta, enquanto eu empurro o Luke para fora do caminho na minha pressa de sair de lá. ´´ Eu te acompanho em casa, diz Luke um pouco confuso, mas eu rejeito a oferta um beijo rápido na bochecha e um sussurro. ´´ Não, obrigada, eu vou ficar bem, fique e se divirta,`` então eu rumo para a porta, onde eu fico ofegante em contato com o ar frio de Janeiro. ´´ Um trocado senhorita?`` O bêbado sem-teto segurando uma imunda e lascada xícara de café. Eu nem lhe respondo, é assim que é uma moradora exausta em Nova Iorque, eu nunca tenho um centavo para gastar mais, eu preciso de cada centavo que eu conseguir. Você tem idéia do quanto custa um serviço de lavanderia por aqui? ´´ Tudo bem,`` diz o mendigo ´´seja assim mesmo, puta!!``


Meus olhos se enchem de lágrimas. Eu não sou uma puta! Eu não sou uma puta! Não sou!! Não mais do que a Ava Geck é uma prostituta , viciada e vadia. Não mais do que o Chaz Pendergast está apaixonado por mim. Oh, por que ele tinha que dizer, afinal? Por que ele tem que ser tão cruel? Depois de ter ganho rosas tão bonitas eu estava pronta para perdoá-lo completamente por todas as coisas horríveis que ele disse ontem de manhã e agora ele tinha que dizer isso. Porque a menina por quem eu finalmente percebi que sempre fui apaixonado e que eu estava começando a pensar que poderia me amar. Ele estava apenas me provocando. Ele sempre me provoca, desde todo o tempo que eu o conheço. Então porque dói tanto desta vez? Você quer um relacionamento feliz romântico? Não o arruíne se casando. Mas se você não vai se casar, qual é o objetivo? A HISTÓRIA DOS CASAMENTOS A Era Elizabethiana trouxe-nos o florescimento da poesia, literatura, teatro e romance. Assim, não admira termos de agradecer a ela e a Inglaterra por muitas das nossas modernas tradições do casamento hoje em dia, incluindo a troca de anéis, a utilização de damas de honra, a troca de votos de casamento, mesmo bouquets de noiva. A maioria dos casamentos de classe superior ainda estavam organizados durante este tempo, muitas vezes desde o nascimento. Apenas as classes mais baixas tiveram o luxo de poder se casar por amor. Mas se não fosse assim, o que mais seria William Shakespeare teria para escrever? COMO EVITAR UM DESASTRE NO DIA DO SEU CASAMENTO Sua cunhada pode ter as crianças mais fofas no mundo e ela só poderia muito bem ter um ponto: Talvez eles deveriam ter um papel em seu casamento. Mas não deixe que ela intimide você em sacrificar uma de sua dama de honra, porta do aliança, ou as posições da menina da flor para seus filhos. Não perturbe um de seus amigos ou familiares, apenas para aplacar sua cunhada. Há muitas outras tarefas que seus filhos possam realizar em toda a cerimônia, como titular do livro de visitas ou jogador de confete. Use sua imaginação, e você será feliz. LIZZIE NICHOLS DESIGNS CAPITULO 7 Agora dêem as mãos e com as mãos os vossos corações.


William Shakespeare (15641616), dramaturgo e poeta Inglês ―Seu amigo Chaz soa como um porco‖ é a observação de Monique enquanto ela e Tiffany ouvem os detalhes sobre a minha noite e vovó (Mãe, como é habitual, não estava disponível), enquanto nós três estamos tendo um rápido almoço e compra de acessórios na loja no dia seguinte. ―Ela tem razão, Vovó, no meu celular, concorda. Quem ela é.‖ ―Ele não é realmente...‖, eu digo, parando com o meu sanduíche de galinha tandoori Così meio aos meus lábios. ―Quero dizer, em circunstâncias normais. Isso é o que é tão estranho a este respeito.‖ ―Bem, isso é, então‖, Monique diz com firmeza. Ela é um bocado bonita como escultura como Tiffany. Ao contrário da Tiffany, entretanto, Monique tem um sotaque britânico que a faz soar como um professor universitário cada vez que ela fala. Um professor universitário que fala muito sobre o quanto os homens são babacas, eu quero dizer. ―Isso o que?‖ Eu pergunto. Monique troca olhares com Tiffany. Tiffany concorda. ―Ele está apaixonado por você, é claro‖, diz Monique. ―Você nem mesmo o conhece‖, eu choro. ―Eu conheço‖, Tiffany diz que, enfiando um pedaço de sanduíche jamaicano em sua boca. ―E ele é totalmente.‖ ―Ela tem razão, Vovó diz. Eu sempre pensei que o menino queria colocar uma carga de carvão em sua máquina a vapor.‖ Eu quase cuspo fora o sanduíche de frango tandoori que estava na minha boca. ―Como você pode dizer isso? Eu choro. Ele é o melhor amigo de Luke! Ele é o exnamorado da minha melhore amiga!‖


Tiffany me olha fixamente. ―E daí?‖ Vovó soa impaciente. ―Dr. Quinn começa em dez minutos. Quanto tempo isso vai levar?‖ ―O..olhe, digo eu, pela primeira vez na minha vida realmente gaguejando para encontrar as palavras certas. Olhe. Eu tenho certeza que os homens caem de pernas para o ar para vocês duas o tempo todo. Quer dizer olha para você. Mas na vida real para as meninas reais, como eu, isso não acontece. Homens não sair por aí se apaixonando por mim. E certamente não sem incentivo.‖ ―Ah, e seu incentivo deixá-lo tocar em seus peitos em um táxi?‖ Monique pergunta. ―Você deixou ele passar a noite também‖, Tiffany ressalta. Eu coloquei meu dedo sobre o bocal do meu celular.‖ Desculpe-me, eu digo. Minha avó está ouvindo sobre isso.‖ ―Muito tarde, Vovó diz. Eu já ouvi. Isto é ainda melhor do que o Dr. Quinn.‖ ―Nós dois estávamos bêbados‖, eu insisto em minha própria defesa para o que tem de ser a milionésima vez. Estou lamentando querendo nunca ter aberto a boca sobre nada disso, não é uma sensação estranha. Estou particularmente arrependida por não ter desligado quando Vovó atendeu. ―Olhe, esqueça eu disse nada. Não foi nada.‖ Por que eu tive que abrir minha boca, especialmente para essas meninas? Eu não teria eu tivesse sido capaz de discutir isso com Shari. Se eu pudesse chamar Shari, dizer que o melhor amigo do meu noivo está apaixonado por mim. O que você acha? Nada disso estaria acontecendo. Mas eu não posso fazer isso. Porque o melhor amigo do meu noivo é seu ex-namorado. E eu não posso falar sobre o que aconteceu com o Chaz pra Shari. Porque tudo seria muito estranho. Mas Monique e Tiffany, não são substitutos adequados para Shari. Absolutamente. ―Que duram pouco, disse ele, Monique diz, sobre o jogo apenas começando? Esse som não gostou nada para mim. Será que para você, Tiff?‖ ―De jeito nenhum, José, Tiffany diz. Eu acho que ele é quente para o nosso formulário Lizzies Miss.‖


―Disse-lhe, Vovó canta.‖ ―Oh meu Deus, vocês. Eu agito minha cabeça. Ele não é assim. E mesmo se ele fosse eu não iria a lugar nenhum. Ele está completamente danificado com o que aconteceu com Shari. Ele diz que...‖ Nesse momento afortunadamente a porta da loja se abre, e Ava Geck vem caindo por ela, seu guarda-costas e Chihuahua no reboque. Ava tem um aspecto selvagem em seu rosto, como se ela estivesse sendo caçada. Ela está vestindo shorts curtos sobre meias arrastão, apesar de estar cerca de doze graus lá fora, e sua mandíbula estava se movendo rapidamente, exceto que ela não falava. Tiffany abre imperiosamente o livro à sua frente. ―O que você está fazendo aqui, Ava? ela exige. Sua próxima visita será daqui a quatro semanas.‖ ―Desculpe, Ava diz, ainda mascando. Ela cai sobre o divã ( que eu insisti que Madame Henri colocasse no canto mais distante, para as mães) com seu corpo escondido da vista por uma manequim vestida exibindo um vestido de princesa do 1950, completo, com uma volumosa saia de tule pontilhado de brilhantes que ocupa quase toda a janela de exibição. ―Estávamos no bairro olhando uns condomínios e de repente paparazzi! Podemos esconder por alguns minutos até que eles vão embora?‖ ―Espere um minuto Vovó‖, eu digo em meu celular. Vou até Ava e segure a minha mão expectativa. ―Você pode, eu digo.‖ Ainda agachado atrás da saia de tule, ela olha para a minha mão com uma expressão vazia no rosto. Então a compreensão chega. Ela cospe fora seu chiclete na minha mão. Vou até a lata de lixo debaixo da mesa em que Tiffany está sentada e o despejo, em seguida, me concentro em um tecido. ―Little Joey, eu digo para o guarda-costas, a quem eu fui formalmente apresentada durante a última visita de Ava. Há cortinas se você quiser abaixá-las‖. Little Joey cujo desmedido de trezentos quilos, cerca de sete pés de altura deixa claro que seu nome é irônico começa a puxar as cortinas black metal que eu comprei no alvo Manhattan quando eu restaurei o vestido de Jill Higginss, e ela também , Teve problemas com paparazzi.


―Por que você está procurando um apartamento em Manhattan, Ava?‖ Eu pergunto-lhe. ―Ele gosta mais daqui do que de Los Angeles‖, Ava diz, puxando-a tiritar de Chihuahua no colo. ―Exceto pelo o clima. Para uma coisa, você não tem que dirigir até chegar aos lugares descolados. O que é ótimo se você está perdido. E, por outro, ninguém lhe pede autógrafos, ou coisas do tipo normalmente. Quer dizer, as pessoas olham. Mas não te chateiam. Exceto, as adolescentes na H & M*. *(loja de departamento) Leva-nos um momento para digerir isto. Tiffany é a primeira a se recuperar. ―Então você está procurando um quarto ou um-dois-um quarto, ou o quê?‖ Tiffany pergunta. ―Ela está procurando por quatro quartos, três banheiros e uma cozinha, com pelo menos dois mil metros quadrados de terraço ao ar livre e exposição sul da faixa‖ Little Joey diz quando Ava apenas pisca desconcertada com a pergunta. Todos nós viramos a cabeça para olhar para Ava, aturdidos por esta informação, pois a meu conhecimento, nenhum pedaço de imóveis, como este existe na ilha de Manhattan (há menos de cinco milhões de dólares, pelo menos) ela simplesmente encolhe os ombros e diz, em seu voz de menina: ―Eu tenho a desordem afetiva sazonal. Ei, você tem mais nada para comer? Tudo que tive hoje é um PowerBar*, e estou, como, morrendo de fome.‖ *(Um doce) Eu dou a ela a outra metade do meu sanduíche de frango tandoori, mas ela faz uma cara. ―O que é que o material branco viscoso?‖ ela pergunta desconfiada. Isso faz com que Tiffany e Monique se derretam em um ataque de riso histérico de que está claro que não vão recuperar em breve. ―Molho tzatziki, eu digo. Ava, como você pode estar se casando com um príncipe grego e não saber o que é molho tzatziki?‖ ―Eu gosto dele, Ava diz, arrebatando o sanduíche fora do alcance de seu cachorro, cujo nome, ela nos informou no dia anterior, é Branca de Neve (a princesa da Disney), não sua comida de caipira.‖ ―Bem, eu digo. Você deveria tentar, pelo menos, antes de você decidir que não gosta da comida.‖ Ava encolhe os ombros e dá uma mordida, com sua boca ocupada, eu volto a Tiffany e Monique, que estão limpando os olhos de sua crise de riso. ―Sério, vocês, eu digo a eles, dirigindo a minha observação no telefone. Você acha que eu deveria tentar falar com ele? Luke acha que ele está deprimido. E se ele estiver certo? Talvez se eu falasse com ele sobre isso, ajudaria. Para provocar o encerramento, você sabe? Às vezes, quando as coisas estão a céu aberto, eles não incomodará as pessoas tanto.‖


―Isso vindo da menina que não pode guardar um segredo nem para salvar a sua vida,‖ Diz Tiffany com uma risada. Embora, sinceramente, eu não vejo o que é tão engraçado sobre essa observação. Também, não é verdade. Eu tenho mantido muitos segredos. Eu acho que não pode acontecer a qualquer momento. Mas estou certo que há alguns. ―O que estamos falando?‖ Ava quer saber. Ela s já devorou um quarto da metade do sanduíche que eu tinha dado a ela. Branca de Neve está ocupado com outro quarto. ―O melhor amigo do noivo da Lizzie é apaixonado por ela‖ Monique diz levemente. Ela é dividi seu muffuletta Vegetariano com Little Joey. ―E ela não sabe o que fazer sobre isso.‖ ―Reviro os olhos. Ele não é apaixonado por mim, eu digo. Ele...‖ ―Oh, isso é fácil, interrompe Ava, lambendo os dedos que Branca de Neve lambeu. Porque você apenas não fode com ele?‖ ―Quem é essa? Vovó pergunta sobre o telefone. Eu gosto dela.‖ Eu não tenho escolha, além de pegar minha Diet Coke e dizer, ― Ava, em primeiro lugar: Monique está errada.‖ ―Chaz não está apaixonado por mim. Somos apenas amigos. Em segundo lugar, você não deve estar dirigindo em qualquer lugar, a distância curta ou longa, se você está perdido. Eu quero que você saiba que eu pesquisei você no Google depois que eu cheguei em casa ontem à noite, e eu sei tudo sobre o seu DUI.* Você precisa ser mais cuidadosa. Com todo o seu dinheiro, por que você não apenas contrata um motorista? E por último, quando eu perceber que, como feministas, temos todo o direito de adotar qualquer tipo de linguagem que nós escolhemos, Mas dizer FOGE*, Ava, quando você está falando sobre fazer amor? Acho que você é melhor do que isso. Na verdade, eu sei que você é. Além disso, o que diria o príncipe Aleksandros?‖ Ava olha para mim com a mesma expressão em branco que usou quando eu estendi a mão para cuspir o chiclete. ―Ele diz foda mesmo mais do que eu‖, diz ela. Eu suspiro. ―Deixa apenas soltá-lo, eu digo para o cômodo e para o telefone em geral. Fingir que eu não disse nada. Especialmente para a mamãe. Ok, Vovó?‖ ―Diga o que você deve fazer, observa Little Joey, depois de tomar um gole delicada do Pêssego Diet Snapple ele é produzido a partir de um de seus bolsos enormes.


Não desejaria pegar esse cara sozinho, em uma sala escura. Abra uma garrafa de Hennessey. Tocar Vandross um pouco. Isso é como você tem o seu encerramento alguns egos.‖ ―Agora, Vovó diz com aprovação, alguém está falando finalmente algo sensato.‖ Eu escancaro meu celular. ―Isso...isso é absurdo, eu gaguejo. Acontece que eu sou profundamente... profundamente apaixonada pelo meu noivo.‖ Eu encosto sobre, Tiffany. Dirijo-me a ela para ajudar. ―Você viu Luke e eu juntos. Você passou o dia de Ação de Graças com a gente, lembra?‖ ―Certo, Tiffany diz, pensativamente. Mas eu acho que Little Joey poderia ter razão Lizzie. Eu acho que você quer que a gente diga que você deve ir falar com o Chaz. Quero dizer, por que mais você poderia ter mencionado isso?‖ ―Monique acena também. Verdade. Você parece querer dizer que você deve ir falar com Chaz sobre ele.‖ ―Eu acho que você gostava de ter a mão dele no seu sutiã e está esperando o inferno fazê-lo novamente,‖ Tiffany acrescenta. ―Eu arregalo os meus olhos para ela. Boundaries(?), digo eu, empurrando minha cabeça com urgência no Little Joey, que agora está sorrindo em sua garrafa Snapple. Ladies! Limites!‖ ―Isso é o que eu disse. Ava, me ignorando, transformou seu baby blues enorme para Tiffany. Ela deve apenas fodê-lo e tirá-lo do seu sistema. Isso é o que eu fiz quando eu encontrei-me com sentimentos por DJ Tippycat Pit no Celebrity Fight.‖ Eu pisco. Então eu digo com firmeza, ―Não vou fazer amor com o melhor amigo do meu noivo, Ava. Essa é uma sugestão totalmente ridícula. Mais uma coisa, eu nunca trairia a confiança Luke assim. E posso dizer-lhe que, se isso é como você lida com seus namorados friendsoror DJ Tippycatwell, você não ficará noiva por muito tempo. E outra coisa, eu sou apaixonada pelo meu namorado. Além de que, Chaz acontece a ser o ex-namorado da minha melhore amiga. ―Sim, mas não é como se ela fosse se importar, Tiffany diz em uma voz entediada. Vendo como ela é gay e está dormindo com uma mulher agora.‖


Ava suga a respiração. Little Joey parece tão satisfeito como se ele tivesse ganhado na loteria. Branca de Neve boceja e se enrola em uma pequena bola e vai dormir. Vovó diz, ―eu acho que mais tarde eu assisto o episódio de hoje do Dr. Quinn como o inferno você lida com isso?‖ ―Chaz ainda não acredita em casamento, eu as informo desesperadamente. Ele acha que não vale nada, que é só um pedaço de papel, e que o casamento realmente não significa nada‖ ―Ok, agora chegamos ao X da questão, Little Joey diz com uma voz satisfeita. Então é por isso que você está sentindo firmeza sobre o cara.‖ ―Claro, Monique diz, de olhos arregalados. Tudo faz sentido agora. O queuma mulher que faz a sua vida fazendo os sonhos de casamento das mulheres em realidade vai fazer com um homem que não acredita na instituição do casamento? É absurdo.‖ ―Ela pode sempre fazê-lo mudar de idéia, Ava diz, como se eu não estivesse na mesma na sala. É duro. Mas acontece.‖ ―Tiffany parece duvidosa. Eu não sei. Esta de um cara que tem doutorado em filosofia que estamos falando. Ele estuda o existencialismo e merda. Eu acho que deve ser difícil fazê-lo mudar suas meias, e muito menos sua mente.‖ ―Vamos apenas deixar esse assunto pra lá, certo? Eu pergunto com voz vacilante. Vamos falar sobre outra coisa‖ ―Nããão! Vovó grita tão alto que eu tenho que segurar o telefone longe da minha orelha.‖ ―Vamos falar sobre seu vestido, Ava, eu digo, ignorando vovó. Eu penso que você está indo um pouco mais conservador do que o habitual. Afinal, este é o seu casamento, e você está se casando em uma família real. Mas desde que a sua vai ser uma cerimônia de verão, eu estava pensando mangas tampado‖ ―Isso é chato pra mim, Vovó ameaça. Eu vou desligar.‖ ―Você é jovem e esbelta e pode sair com eles. E desde que seu noivo é da Grécia, eu estava pensando uma cintura império vai um pouco de grego. Aqui, deixe-me mostrar o que eu quero dizer.‖ O eco clique com o fim da ligação surpreendeu o meu ouvido. Eu o ignorei, fechando o meu celular e deixando-o de lado. Vou lidar com vovó mais tarde. Uma carga de carvão em minha máquina a vapor? Com dificuldade, eu finalmente joguei longe o tema da minha vida amorosa e mudei para o tema de minhas idéias para o vestido Ava, ela até parece gostar até que Tiffany dá um salto para fora da cadeira, após um olhar para o relógio de parede,


―Droga! Eu tenho que ir trabalhar. Quer dizer, o meu outro trabalho. Ok, vocês, não falar sobre qualquer coisa boa, enquanto eu estou fora. E, Lizzie, não se atreva a tomar quaisquer decisões sobre Chaz sem verificar comigo primeiro. Obviamente você não pode ser confiável sobre nada disso. Apenas, você sabe, ligue-me primeiro se algo de novo aparecer.‖ ―Eu não sei mesmo o que você está falando, eu digo com uma fungada. Como eu já disse antes e vou repetir eu amo meu namorado quer dizer, meu noivo e nada vai acontecer entre o seu melhor amigo e eu, porque não há nada acontecendo entre nós.‖ ―Certo, Tiffany diz com uma gargalhada, que ecoou por todos os outros na loja, com exceção de mim.‖ Depois de Tiffany anunciar que ainda havia paparazzi esperando na esquina, e que era melhor Ava continuar escondida, eu declaro que também tenho que ir para o trabalho fazer alguns esboços para vestir Ava, mais, há o Bianchi*, que eu estou determinada para terminar, para não mencionar as cargas de outros projetos para começar, dado o fato de que o meu chefe estará fora pelo menos nas próximas quatro a seis semanas, de acordo com sua esposa, que me telefonou para me dar notícias dos seus progressos. *(Provavelmente é um vestido, mais quando joguei no Google apareceu uma bicicleta) Mas em vez de desenhar ou de aprimorar o Bianchi, me vejo olhando para o espaço, querendo ou não acreditar o que os outros tinham dito que Chaz estava apaixonado por mim poderia ser verdade. ―Eu estou maníaco-depressivo, porque a garota que eu finalmente percebi que eu sempre fui apaixonado, e que eu estava começando a pensar que também poderia me amar, virou-se e pôs-se comprometido com meu melhor amigo, que, francamente, não merecem a ela.‖* *(Chaz só pra quem não lembra rsrsr) Certo. Ele disse isso. Mas ele só estava me provocando. E eu, como a tola o meio oeste simples que sou, tinha caído nessa. Por que meu coração qualse saltou pra fora do peito quando ele disse isso? Estou completamente e cem por cento, empenhada em Luke. Claro Chaz tinha dito que não viu nada além de mim no seu futuro e que eu não estava mesmo vestindo Spanx. Luke ainda não sabe que eu uso Spanx, ou mesmo sabe que ela é. Eu tenho conseguido manter um segredo bem guardado dele Como eu tenho mantido em segredo os cerca de vinte quilos eu consegui ganhar de volta desde que me mudei para Nova Iorque, um segredo muito mais complicado.


Trata-se de nunca virar as costas para ele, enquanto estou de roupa, e sempre deixá-lo ficar por cima durante o nosso, er, momentos íntimos, então ele não percebe minha barriga. Agradeço a Deus por existir a gravidade. Como vou ser capaz de manter essa imagem, eu não sei. Pode acabar por ser mais fácil desistir de sanduíches de frango tandoori, em troca de saladas e restrições. Deus poderia começar malhar. Mas eu quero ser uma noiva delgada. Ou, pelo menos, de menor dimensão do que sou agora. Mas onde vou encontrar tempo para malhar, agora que estou correndo na loja sozinha, não dá pra contar com Tiffany e Monique e será assim por pelo menos mais um mês e meio, talvez até mais, de acordo com Madame Henri, que explicou que por vezes quem passa pela recuperação da cirurgia pode ser difícil de prever e depende do indivíduo. Eu nem tenho tempo para planejar o meu próprio casamento, muito menos entrar em forma para ele. Engraçado como só de pensar nas palavras do meu casamento me faz sentir um pouco de aperto no peito. Sério, como se eu não pudesse respirar. E o que é com essa mancha vermelha coceira no interior do meu cotovelo, de repente? O que é isso? Porque é que continuam aparecendo e desaparecendo em seguida, apenas para reaparecer em um novo local, às vezes mais de uma? É isso ai meu Deus, é uma urticária? Não. Não pode ser. Eu não tinha urticária desde que eu estava no colégio, quando eu era encarregada dos trajes para Jesus Cristo Superstar, e o diretor queria que todos com boca sino. Isso foi antes de bocas sino estavam de volta em grande estilo, e eu percebi que ia ter de cortar e inserir painéis coloridos para as pernas das calças e setenta e cinco membros do elenco. Em um fim de semana. Eu desfaleci em tais condições que o Dr. Dennis, Sharis pai, teve que me dar uma injeção de prednisona. Oh meu Deus. Há outros no interior do meu cotovelo. Ah, não, por favor. Não me deixe passar por essa maldição no casamento com Luke como eu estava sobre as bocas sino. Por quê? Por que isso está acontecendo? Será que foi mamãe, e sua insistência em que o nosso quintal é um lugar tão bonito para ter um casamento como Château Mirac? Não pode ser a outra coisa, você sabe. Que Monique disse, sobre Chaz estar apaixonado por mim. Não é possivel ser isso. Não. Tem o negócio da minha mãe, e toda a idéia da minha família na propriedade da


família de Luke, e como eles poderiam agir quando chegar lá. Vovó, com ela bebendo, e Rose e Sarah, com suas brigas e pegando no meu pé e... Ah, sim, viu? Outra urticária. Bem ali no meu pulso. Eu sabia. É porque eu continuo vendo o marido de Rose, Angelo, na minha mente, vagando ao redor do palácio, querendo saber onde ele pode obter uma cerveja. E Vovó. Vovó, que vai até a Senhora de Villiers e pedindo-lhe que horas Dr. Quinn, Medicine Woman vai começar Oh Deus. Mais duas. Chaz dá um passo à frente quando o juiz de paz ou seja lá quem casa as pessoas na França pergunta se há alguém que tenha alguma razão para que este casal não deve se realizar, porque ele não acredita na instituição do casamento, é apenas um pedaço de papel Oh meu Deus! Outra no meu pulso! Certo. É isso. Isso é que é. Eu não vou pensar sobre o meu casamento ou Chaz novamente. O que aconteceu entre mim e Chaz, está feito, acabado, acabado. Qual seria o problema, então? Não há futuro para a nossa relação e mesmo que tivéssemos não adiantaria uma vez que ele não acredita no casamento. E eu sinto muito, mas me chamar um simplório, francamente! Não. Isso é tudo. Eu não estou indo ver ou falar com Chaz nunca mais e é melhor assim, para evitar a tentação, exceto que eu não preciso, porque ele é o melhor amigo do meu noivo e nosso padrinho, e que ficaria estranho se eu não falar com meu padrinho no meu próprio casamento. É isso. Eu estou resolvida com Chaz. E resolvida com o pensamento sobre o meu casamento. Por agora. Certo. Expire. Agora. Onde eu estava? Oh, certo. O Bianchi. Certo. Isso é o certo. Apenas jogar-me em meu trabalho. Isso é tudo que eu preciso fazer, e o tempo vai voar de tão rápido, eu não vou sequer perceber. Antes de perceber, será junho e prepararei o meu próprio dia do casamento.


Nada do que Chaz disse será capaz de arruiná-lo para mim Por então tudo será perfeito. Simplesmente perfeito. Exatamente como deve ser. Veja? Já me sinto melhor. E olha que isso. Nenhuma urticária nova. Ufa. Ótimo. Certo. Assim, ao trabalho. TRABALHO! A HISTÓRIA DOS CASAMENTOS Todo mundo sabe que uma noiva deve usar algo velho, algo novo, algo emprestado e algo azul. Mas quase ninguém sabe o porquê. Segundo a superstição antiga, algo velho garante a noiva que seus amigos serão fieis quando ela precisar deles depois que ela embarcar em sua nova vida com seu marido e sua família. A coisa nova é supostamente a promessa de sucesso nessa nova vida. O algo emprestado simboliza o amor de sua própria família para que ela possa ter com ela quando ela for morar com a família de seu novo marido. E o azul simboliza fidelidade e constância. A versão completa da rima passa a acrescentar que a noiva precisa também de um centavo no seu sapato. Este é para um táxi para casa se as coisas correram mal. COMO EVITAR UM DESASTRE NO DIA DO SEU CASAMENTO Você conhece o velho ditado que acontece quando você assume? Seguro morreu de velho*. Você deve garantir que todos que você convidou para o seu casamento conheçam seu caminho para a igreja e o salão da recepção. Inclua um mapa bem elaborado, legível, juntamente com o seu convite. Confie em mim, alguns de seus convidados estarão muito bêbados, sim, mesmo antes da cerimônia. *( o ditado era esse: ―You make an Ass of U and Me‖ mas como eu não entendi direito eu adaptei) LIZZIE NICHOLS DESIGNS CAPITULO 8 Para manter seu casamento repleto, Com o amor transbordando a xícara,


Sempre que você estiver errado, admita; Sempre que você estiver certo, cale a boca. Ogden Nash (19021971), poeta americano JUNHO, SEIS MESES DEPOIS ―Temos um novo toldo.‖ Aquela é a primeira coisa Monsieur Henri diz quando ele entra na loja. ―Bem, é claro que nós, eu digo com um riso. Você sabe disso. Sua esposa ajudou a escolhê-lo para fora.‖ Mas Monsieur Henri dá olhares sobre seus ombros, o toldo cor-de-rosa estendido sobre a entrada da sua loja. Madame Henri dá uma batida aguda no ombro do marido. ―Não seja ignorante, ela o aconselha em francês. Claro que é rosa. Mostrei-lhe as amostras. Você concordou com a cor mesmo.‖ ―Não. Monsieur Henri balança a cabeça. Não concordei com rosa‖ ―Jean, você fez, Madame Henri insiste. Lembre-se, você estava no jardim, e eu trouxe as amostras, e você disse que gostou do salmão.‖ ―Isso não é o salmão, Monsieur Henri insiste. Isso é rosa.‖ Ele olha para baixo, depois suspira. ―Meu Deus. O tapete também?‖ ―Isso não é rosa, eu corro para informá-lo. Isso é rosê. Praticamente bege.‖ ―O seu tapete está acompanhando o gosto das clientes, Tiffany diz defensivamente como ela se inclina sobre sua mesa para contemplar a nova parede a parede. Seu muito feminino.‖ Monsieur Henri olha para ela. ―O que, pergunta ele em Inglês, parecendo horrorizado, que está errado com seu cabelo?‖ Tiffany levanta a mão para dar um puxão em sua nova e ultra-curta franja. ―Você gosta? Chamam-lhe de corte-Ava. Depois de Ava comportada. Todo mundo está


fazendo.‖ Quando ela nota de sua expressão que ele claramente não compreende uma palavra ela está dizendo, ela acrescenta, ―Tudo que Lizzie está fazendo. Ela está totalmente civilizando ela. Ava era como um animal antes de Lizzie poras mãos sobre ela. Sério. Ela mal conseguia formular frases compreensíveis. E agora ela quase sempre se lembra de colocar a roupa de baixo. Bem, na maioria dos dias.‖ ―Leve-me embora, resmunga Monsieur Henri. Leve-me de volta a Nova Jersey,‖ ele diz para a esposa. ―Não, Jean, não seja ridículo‖, Madame Henri diz, tomando o braço do marido e levando-o para uma das cadeiras estofadas recentemente que fica do lado do café bar completamente abastecido. Monsieur Henri olhou para as cortinas de seda lisa e rosa com um suspiro. Ele não se recuperou tão rápido e completamente como qualquer um de nós esperava depois de sua cirurgia. Sua recuperação tem sido repleta de complicações, incluindo um caso de pneumonia dupla que tinha deixado ele de cama por uma semana extra, mas os poucos, e só agora, meses depois, ele está fazendo seus primeiros passos para voltar ao trabalho. ―Quando chegamos a essas cadeiras? Ele lamenta, observando o novo material que ele está sentado diante. E o que é esse cheiro?‖ ―Essas são as mesmas cadeiras velhas que você sempre teve, eu explico. Eu as recuperei. Elas estavam manchadas e feias. E aquele cheiro é de grão de café assado colombiano. Eu tenho uma máquina de cappuccino assim as mães podem ter algo para beber durante a prova das suas filhas.‖ ―Quanto é tudo isso me custou?‖ Monsieur Henri pergunta, olhando para as paredes recém pintadas (também em rosê), e os pacotes de vestido vintage padrão que eu pendurei em molduras douradas elaboradas. ―Vão vai custar nada, bode velho,‖ Madame Henri castiga seu marido, cutucando-o no ombro.


―Eu te disse. Graças a Lizzie, o negócio é quase um mil por cento mais lucrativo desde essa época no ano passado. Lembra de Jill Higgins no ano passado? Todas as mulheres da sociedade estão a enviar suas filhas para ter seus vestidos montados pelo mesmo lugar que fez o dela um destaque. O que há de errado com você? Você não escuta mais? Será que eles se esqueceram de limpar os seus ouvidos quando eles estavam limpando suas artérias?‖ Monsieur Henri levanta seus ombros. Ele perdeu muito peso desde sua cirurgia, ele parece quase como uma pessoa diferente. Ele lembra muito mais seus filhos agora, sendo longo e magro, como eles. Ao contrário deles, entretanto, ele está inteiramente cinza. ―Eu não entendo mais nada, diz ele com um suspiro. Deixe-me ver o livro. Lizzie apenas me dê o livro.‖ Estendo o livro nomeação venerável da Tiffany, apesar de sua insistência para mudar para um modo computadorizado de tomar compromissos, nós ficamos com a antiga agenda de Monsieur Henri. E agora estou contente. Sou capaz de entregá-lo a ele, satisfeita por poder fazer isso. ―Aqui está ele, eu digo. Tudo pronto para você.‖ Monsieur Henri grunhe e começa a folhear fortemente o livro. Sua esposa, entretanto, acena com a cabeça na direção da cortina que ainda separa a sala da frente da parte de trás (embora a cortina não seja mais negra, mas um belo brocado salmão). Eu segui atrás dela. ―Hola, Lizzie,‖ dizem as duas costureiras que se encontram ali, costurando para a saia de organza de uma cinta A menor renda da linha de mão, desde as cadeiras em que está sentado enquanto assistem a uma novela na televisão que eu comprei para elas. ―Marisol, Sylvia, eu digo. Você se lembra de Madame Henri, certo?‖ Marisol e Sylvia sorriem e acenam. Madame Henri acena de volta. ―Então vejo que aumentou a mão de obra,‖ ela diz em francês. ―As agulhas mais rápidas de Manhattan, eu respondo em sua língua nativa. Shari deu as melhores referências de trabalho.‖ ―Sim, Madame Henri diz. Bem, acho que quando dado a escolha entre ir para trás de seus maridos ou trabalhar para você, elas serão funcionárias entusiasmadas. Mas eu ainda não vejo porque você tinha que dizer-lhes sobre os impostos e benefícios. Você poderia tê-las muito mais barato.‖


Eu dou a Madame Henri um olhar reprovador. ―Madame...‖ ―Ela dá um balançar de ombros. Estou apenas dizendo‖ Um segundo depois, Tiffany, embora sem ser convidado, se junta a nós. ―Qual diabos é o meu defeito? Tiffany quer saber. Ele está olhando para o meu livro e gemendo.‖ ―Depressão pós-cirúrgico, Madame Henri diz em Inglês. Eu sinto muito devia ter avisado com antecedência.‖ ―Ele só tem um leve caso principalmente a sua contrariedade por não ser permitido comer todo o queijo que ele acha que deveria ser capaz, e fazer as coisas que ele era capaz de fazer sem desconforto.‖ ―Ele fica tão aborrecido de estar em casa todos os dias, eu pensei trazê-lo à loja, bem, eu pensei que ele pudesse recuperar-se, ao vê-la novamente.‖ ―Acho que eu estava errada. Você já fez um trabalho maravilhoso de executá-lo, enquanto nós estávamos fora, Lizzie. Realmente. Por favor não leve a mal as suas críticas.‖ ―Eu agito minha cabeça. É claro que não,‖ eu digo. ―O lugar está lindo, Madame Henri diz. Eu amo as flores frescas.‖ ―Oh, nós fizemos um acordo com a loja de flores na rua, eu digo, enfiando um fio de cabelo solto atrás da minha orelha. Eu os recomendo para as noivas que ainda não têm uma florista, e eles entregam um novo arranjo para a loja a cada semana‖ ―Brilhante, Madame Henri diz. E eu espero que você esteja recebendo um desconto sobre o seu próprio casamento. Ah, mas eu suponho que você e Luke vão se casar na França‖ ―Tiffany começa a rir, então, vendo a minha sobrancelha levantada, a risada torna-se uma tosse discreta. Madame Henri olha para mim. Ah, não, ela diz. Não me diga. Problemas no paraíso?‖ ―Claro que não, eu digo indignada. Estamos muito bem. É que Luke está tão ocupado com suas aulas, e eu aqui na loja, que não tivemos tempo de planejar nada‖


―Mas ela vai começar agora, Tiffany diz com firmeza. Especialmente porque, com a ajuda de Marisol e Sílvia, ela praticamente alcançou todos os vestidos de casamento para ser entregues em Junho. Certo, Lizzie?‖ ―Hum, eu digo, dando a Tiffany um olhar de advertência. Certo. Totalmente.‖ ―O que é isso? Monsieur Henri dá trovoadas a partir da sala exterior da loja. O que é isso?‖ ―Oh, Senhor, Madame Henri murmura, revirando os olhos. E agora?‖ ―Nós voltamos sob a cortina de brocado para encontrar Monsieur Henri em pé, segurando o livro de nomeação grudado no peito e com um olhar apoplético.‖ ―Jean! Madame Henri, corre pra ele mortalmente pálida sob a maquiagem elegante e de bom gosto. O que há de errado? É o seu coração?‖ ―Sim, o meu coração, Monsieur Henri chora. Eu acho que deve quebrar, porque me sinto traído. Diga-me estou a ver as coisas, por favor, ou se é verdade que Mademoiselle Nichols aqui está utilizando minha loja para vender sua linha de design próprio de vestido de noiva?‖ Eu fico olhando para ele, apertando a minha mandíbula. Eu nunca vi Monsieur Henri tão chateado. Eu vi ele perder a calma ao longo de muitos encontros com noivazillas de Long Island, rasgando seu trabalho cuidadoso além do abuso verbal. Mas isso é algo diferente. ―Eu só fez um par de vezes, eu gaguejo. Para alguns clientes selecionados, após o casamento Jill Higgins. Gerou um monte de publicidade positiva para a loja‖ ―Para a loja? Monsieur Henri ecoou. Ou para você?‖ ―Ah, Jean, mantenha a calma. Madame Henri parece irritada. Pare já com esse teatro! Você deveria ser grato a Mademoiselle Elizabeth, não gritar com ela. Se você não parar este absurdo, vou fazê-lo ir e sentar no carro, como eu costumava fazer com os meninos quando eles eram jovens.‖ ―Eu deveria mesmo voltar para o carro, Monsieur Henri diz, ombros cedendo novamente. Por mesmo eu deveria estar aqui? Ninguém precisa de mim‖ Meu coração incha com piedade para o homem mais velho ―Claro que precisamos de você, Monsieur, eu choro, vou colocar meus braços em torno dele. Eu estive correndo deste lugar sem você há meses. Sem um minuto para fazer uma pausa. Você sabia que eu não tenho único dia de folga nem aos domingos desde que você teve o seu ataque do coração?‖


―Sim, Tiffany diz. E ela quer se casar este verão. Assim como em ela terá algum tempo de férias para que ela possa começar a ficar pronta para isso? Ah, sim, ela é e vai precisar de tempo para uma lua de mel também.‖ Eu atiro-lhe um olhar irritado. Eu não preciso de qualquer lembrete sobre o quanto eu ainda tenho que fazer para me preparar para o meu casamento. ―A minha utilização não, Monsieur Henri diz com um suspiro. Não existe mais.‖ Meus braços ainda em torno de seu pescoço muito fino, olho em seus olhos. ―O que não existe mais, Monsieur Henri?‖ A paixão‖, diz ele com um suspiro, e lança o livro de nomeação de volta para mesa Tiffanys. Tiro meus braços para longe dele o contemplo. ―Claro que tem, eu falo com um olhar nervoso em direção de sua mulher. Este é apenas o seu primeiro dia de volta. Você vai sentir isso de novo quando você voltar para o ritmo de coisas‖. ―Não, Monsieur Henri diz. Seu olhar muito longe. Eu não me importo sobre vestidos de casamento mais. Há somente uma coisa que me interessa agora.‖ ―Sua esposa olha para o teto recentemente redesenhado. Isso de novo não.‖ ―Oh? Eu olho para Madame Henri. O que é monsieur?‖ ―Pétanque*, ele diz que ele olha pensativo para fora da placa-janela de vidro, a luz dourada do sol vertendo para Rua Setenta e oito.‖ *(É um jogo muito popular na França cujo o objetivo é arremessar uma bola o mais próximo possível do alvo. Me pareceu um jogo de bolinhas de gude gigante rsrs)

―Eu já lhe disse, Madame Henri responde. Isso não é uma profissão, Jean. É um hobby.‖ ―Seu marido sacode a cabeça. Eu tenho sessenta e cinco! Eu tenho uma ponte de safena! Eu não posso jogar um pouco de pétanque se eu quiser?‖ O telefone toca. Tiffany o atende ronrona,


―Monsieur Henri, como posso ajudá-lo? Eu sou a única que ouve a acrescentar, me tire deste manicômio‖ ―É isso. Madame Henri se inclina e apanha sua bolsa Prada. Estamos saindo. Eu pensei que nós poderíamos ter um dia agradável na cidade, talvez ter uma bela refeição. Mas você arruinou tudo.‖ ―Eu arruinei? Monsieur Henri chora. Eu não sou o único que insistiu na minha volta ao trabalho antes de eu estar emocionalmente preparado! Você sabe o que o meu fisioterapeuta diz. ‗Um dia de cada vez‘.‖ ―Vou mostrar-lhe o que é emocionalmente preparado, Madame Henri diz, agitando o punho pequeno para ele.‖ ―Mademoiselle Elizabeth.‖ Monsieur Henri dá-me um arco cortês, mas está claro que seus pensamentos estão em outro lugar talvez no seu conjunto pétanque de volta para casa em seu jardim de Nova Jersey, talvez. ―Lembre-se a vida é curta.‖ ―Cada momento que você tem é precioso. Valorize cada segundo. Não gaste-os fazendo qualquer coisa que você não ama. Se ser um profissional certificado restaurador vestido de casamento não é o seu sonho mas se projetá-los é, então, vá atrás desse sonho. A maneira que eu pretendo ir atrás do meu sonho é jogando pétanque a cada chance que tiver.‖ ―Jean! Madame Henri grita. Eu disse-te! Não comece!‖ ―Não comece você‖! troveja seu marido de volta. ―Mademoiselle Elizabeth até mais ver.‖ ―Hum, Até mais ver. Eu pisco após o casal ver o casal sair discutindo da loja, Madame Henri fazendo um movimento de mão para mim por trás de seu marido de volta, indicando que ela me ligará mais tarde.‖ Assim que o sino na porta da frente parou de tilintar Tiffany desliga o telefone e declara: ―Oh meu Deus, eu pensei que ele nunca fosse sair.‖ ―Pare, Tiff,‖ eu digo. Mas na verdade eu me sinto da mesma maneira. ―Isso é sério?‖, Tiffany diz.


―De onde é que ele saiu‖? Você trabalhou como um cachorro para ele. E para quê? Eu sei o quanto você ganha, Lizzie, lembra? Você está sendo roubada trabalhando aqui. Você deve fechar e abrir totalmente o seu próprio lugar.‖ ―Com que dinheiro? Eu alcanço o mini-frigorífico habilmente disfarçada como uma cabine de madeira e puxo uma Diet Coke. Além disso, eu devo muito ao Henri. E ele ainda não está se sentindo melhor. Você ouviu o que disse a esposa.‖ ―Bem, se ele voltar a trabalhar aqui, eu saio, Tiffany declara. Eu sério. Eu não estou sabendo lidar com aquele velho caquético cutucando em nosso negócio.‖ ―Tiffany, eu digo. Este é o lugar dele. É chamado Monsieur Henri. Ele é o proprietário, lembra?‖ ―Eu não me importo. Tiffany cruza os braços sobre o peito. Ele é um cara. Ele estraga totalmente o ambiente que nós estabelecemos.‖ Eu não queria admitir isso em voz alta, mas Tiffany em parte estava certa. Quer dizer, É uma loja de noivas, apesar de tudo. O que Monsieur Henri faria, ficando dobrado para fora da forma sobre uma cor de salmão toldo? Além disso, Madame Henri e eu gastamos um monte de tempo e dinheiro nesse toldo. Parece totalmente grande, uma espécie de Lulu Guinness* com Fauchon** loja de chocolates. Falando de em chocolate... *(Uma estilista) **(uma chocolateria) ―Vamos lá, Tiffany diz que, como de costume se recusando a deixar o assunto cair bem depois de eu ter cansado de falar. Você sabe que estou certa. E o que é com este tal de pétanque? O que é a pétanque?‖ ―É um jogo de boliche, eu explico, chamado boules ou boccia aqui, envolvendo uma pista de terra e uma pequena bola de metal‖ ―É só isso? Tiffany pergunta com desdém. Bem, o que ele vê de mais, então? Será que ele vai começar a vender equipamentos de pétanque aqui?‖ ―Não, estou certa de que ele...‖ ―O que você vai fazer, Lizzie? Ele vai estragar tudo pelo que você trabalhou tão duro. Tudo!‖


Outra coisa que Tiffany tem é uma tendência a ser dramática sobre as coisas. ―Monsieur Henri não vai estragar tudo.‖ ―Eu estou bastante segura.‖ Felizmente, meu celular toca, poupando-me de ter que discutir o assunto, pelo menos, com Tiffany. Vejo que é Luke e atendo ansiosamente. As coisas estão indo muito bem com ele também, além do fato de que ainda não escolhemos uma data para o nosso casamento, quero dizer. Ou um local para a cerimônia. Ou realmente ainda não falamos muito sobre isso. Ou de nada, na verdade. Ainda assim, vivendo em nossos próprios apartamentos separados está funcionando muito bem. Nós temos nosso próprio espaço, então nós não temos irritado os nervos um do outro, e estamos totalmente apreciando o tempo que passamos juntos. Por conseguinte, o sexo não poderia ser melhor. E, bem, talvez ele ainda não conhece a minha Spanx. E talvez eu continue a recusar-me a estar no topo quando fazemos amor. Ou virar as costas para ele quando estou nua. E, sim, toda hora Luke diz que quer passar a noite na casa dele, só para que ele possa estudar para um exame, fico convencida de que ele deve estar dormindo com outras meninas em suas aulas. E, sim, toda vez que ele diz que vai passar uma tarde de sábado estudando na biblioteca, tenho certeza que o que ele vai realmente fazer é ver alguma outra menina nas minhas costas, e só o que me impede de segui-lo até NYU para espioná-lo é que eu não tenho uma carteira de estudante para entrar na biblioteca. Mas você sabe. Tirando isso, as coisas estão em êxtase total! Claro que eu não tenho nenhuma razão para suspeitar, quase um ano em nosso relacionamento, eu ainda não posso acreditar que um cara tão surpreendente como Luke quer realmente alguma coisa com uma confusão neurótica como eu. E como Shari freqüentemente observa, é realmente surpreendente que uma mulher de negócio bem-sucedida e experiente como eu é tão insegura em sua vida romântica como eu. Mas eu culpo isso na minha obsessão com o Lifetime Television.* Do qual eu assisto muito mais agora que eu vivo sozinha e não há nenhum homem na casa pra gemer cada


vez que eu ligar. *(Um canal de TV) ―Oi, eu digo a Luke agora.‖ ―O que há de errado? , pergunta ele imediatamente.‖ ―Errado? Faço eco. Nada de errado. O que te faz pensar que algo está errado?‖ ―Porque eu sei que você. E você soa como se alguém te disse que Lilly Pulitzer* morreu.‖*(uma designer de moda) ―Oh, eu digo, baixando a minha voz para que Tiffany, que está pegando uma chamada, não possa ouvir. Bem, na verdade, Monsieur Henri passou pela loja há poucos minutos, e ele não estava muito feliz com algumas das mudanças que eu tenho feito desde que ele tem estado fora doente. Ele estava agindo meio estranho.‖ ―O quê? Luke diz adoravelmente indignado em meu nome. Você trabalhou feito louca para aquele cara. Esse lugar está fazendo o dobro de negócios agora por causa de você!‖ Muito mais do que isso, realmente, como Madame Henri mesmo disse. Mas eu não vou corrigi-lo. ―Bem, eu digo em seu lugar. De qualquer maneira. Eu tenho certeza que tudo vai ficar bem. Ele ainda está apenas ajustando à vida como um paciente com um marca-passo recente, você sabe.‖ ―Bem, ele tem alguma energia, Luke diz. Enfim, estou ligando com boas notícias. Algo que deve animá-la.‖ ―Sério? Eu não posso imaginar do que ele poderia estar falando. Sou toda ouvidos!‖ ―Hoje o meu último dia de aulas‖ ―É uma boa notícia‖, eu digo. Não sair mais sozinho para estudar! Não há mais viagens de fim de semana para a biblioteca! Não, é claro, que isso tenha me incomodado muito na época (exceto por pensar que poderia ser uma mulher) porque os fins de semana que Luke esteve estudando, eu estive ocupado trabalhando em vestidos de noiva. Na verdade, eu tipo estava contente dele ter sido tão preocupado com o seu trabalho escolar. Que tipo de pessoa quer ouvir, Oh, eu não posso, querido. Tenho que terminar o decote do vestido sereia nesta segundafeira toda vez que ele pede a sua noiva se ela pode viajar para o fim de semana?


Felizmente, isso nunca foi um problema com o Luke e eu. Porque ele nunca me pediu para viajar no fim de semana. Porque ele estava sempre ocupado demais. ―E eu pensei que em levá-la para jantar fora para comemorar, ele continua. Ir a algum lugar. Passamos tanto tempo pedindo comida em casa que eu não acho que eu agüento mais.‖ ―Isso soa divertido, eu digo entusiasmada. Posso apanhar o metro para encontrá-lo.‖ ―Isso é o que eu estava pensando, Luke diz. Podemos encontrar Chaz no local.‖ ―Meu coração afunda imediatamente. Não é isso que eu tinha em mente.‖ ―Chaz? Eu digo. Sério? Você convidou Chaz também?‖ Eu aperto meu maxilar. A verdade é que não estou exatamente feliz com a perspectiva de ver Chaz. Não, é claro, que não houve uma repetição de algo como o que aconteceu na parte de trás do táxi que a caminho de casa do casamento de Jill Higginss. Chaz não tem mesmo feito qualquer observação sobre aquela noite depois do que fez naquela noite há muito tempo no bar de esportes. Não, ele está sendo um perfeito cavalheiro. A teoria de Vovó, Tiffany e Monique de que ele está apaixonado por mim acabou por ter sido completamente falso. Porque se Chaz estava apaixonado por mim, bem, ele teve muita oportunidade de agir sobre esse impulso. E ele nunca fez. Nem sequer uma vez. Mas isso não significa que eu quero que ele de vela ao longo de uma das últimas noites eu tenho Luke para mim, antes de decolar para a França por três meses. Mas eu não menciono isso. Porque a última coisa que eu vou fazer é tentar acabar com a amizade entre o meu homem e seu melhor amigo. Como eu sei de todas as revistas de mulheres que eu já li, isso é uma grande roubada. ―Bem, é uma das suas últimas chances que eu vou ter para vê-lo, Luke diz, antes de ir para Paris para o verão. Eu não acho que você se importa. Você não se importa, não é? E eu pensei que seria uma boa oportunidade para nós conhecermos sua nova namorada.‖ Meu queixo cai. Literalmente. Eu meio que tenho que fechá-lo com a mão de volta no lugar antes de ser de falar novamente. ―O... o quê?‖ ―Eu sei, Luke diz com uma risada. Dá pra acreditar? E todos nós achando que ele nunca iria aprender a amar novamente depois de Shari.‖


Estou totalmente certa de que eu não ouvi Luke direito. Eu pergunto, furando um dedo no meu ouvido, Quando... Quando isso aconteceu? ―Oh, eu não sei. Aparentemente, eles já estivam se vendo por um bom tempo, mas estiveram em segredo porque ela está acima de posse no departamento de filosofia, e ele é apenas um assistente de ensino, e tecnicamente um aluno, mesmo que ele é um estudante de graduação e esse tipo de relação é proibida. E você sabe Chaz nunca foi exatamente um cara que revela seus romances. O nome dela é algo como Valência. Eu esqueci. Mas eu acho que ela é um verdadeiro nocaute. E inteligente. Bem, tem que ser para Chaz gostar dela.‖ Eu odeio ela. Eu penso. Eu odeio ela já. Eu também sinto uma necessidade extrema para apunhalar-me com alguma coisa. Há um par de tesouras costureiras situada nas proximidades. Eu penso sobre mergulhando-as em meu coração. Então eu penso sobre mergulhá-lo no coração Valencia. Realmente, eu me decidi, que seria muito melhor para todos. Eu. O mundo. Valência. Qualquer um com um nome como o Valência, que está de chefe do departamento de filosofia de uma grande universidade privada merece ter um par de tesouras costureiras mergulhou em seu coração. Ou não merece? ―Assim, Luke continua. O que você acha? Jantar? Apenas nós quatro?‖ ―Ótimo, eu digo. Isso soa bem.‖ Não vou pegar as tesouras de costureiras. Não realmente. Eu também não menciono que Luke e eu, quero dizer que nunca, nem mesmo uma vez, saiu como um casal com minha melhor amiga e sua namorada. Não que Luke teria feito objeção, eu tenho certeza. Só que Shari nunca manifestou o menor interesse em fazer isto. Eu meio que gostaria que ela fizesse. Mas seus convites são sempre expressamente para mim, e sozinha. Luke não está incluído. O que não é muito surpreendente, considerando-se quantas horas passei em seu sofá e de Pat, chorando por ele. Valência. Isso é um tipo de laranja? Sério. Estou tenho quase certeza que é. ―Ótimo! Luke diz. Então eu tenho reservas de Spotted Pig às oito e meia. Eu disse para Chaz encontrar a gente lá, em seguida, tomar um táxi para o West Village, em conjunto. Será que está bem pra você?‖


―Claro, eu digo.‖ The Spotted Pig! Isso é um dos mais elegantes restaurantes do Village! Eu deveria estar animada. Eu deveria estar se perguntando o que eu vou vestir. Em vez disso, tudo que estou perguntando é o que Valência estará vestindo. Ela estará mais bonita do que eu? Por que eu estou me preocupando? Eu não namoro Chaz. Como pode Chaz começaram a sair com alguém e eu nem saber disso? Ele está apaixonado por ela? Será que ele vai se casar com ela? Não, claro que não. Chaz não acredita em casamento. Talvez Valência vai fazê-lo acreditar em casamento. Com ela. Alguém com o nome de Valência deve ser capaz disso. Uma sabichona. É claro. Ele teria uma queda por uma sabichona. ―Ok, Luke diz. Te amo.‖ ―Te amo, eu digo e desligo.‖ Assim. Tiffany terminou seu próprio telefonema e está totalmente me olhando, com os olhos em fenda, como um gato. ―Sair com Chaz, hein?‖ Ignoro sua tentativa de jogar uma isca pra mim. ―Quem foi no telefone agora?

―Smirks Tiffany. Quem você acha?‖ Eu amplio meus próprios olhos. ―Ava? Pensei que tínhamos terminado. Eu pensei que ela tinha adorado. Ela deve estar a caminho da Grécia agora. O que ela poderia eventualmente querer?‖ ―Eu não sei, Tiffany diz. Ela não quer me dizer. Ela disse que só você poderia dizer. Ela disse que liga de volta.‖


―Ótimo, eu digo. Quero dizer, sarcasticamente. Não estou ansiosa por ouvir Ava Geck. Meu relacionamento com a herdeira melhorou bastante desde o nosso primeiro encontro, ela já não masca chiclete na minha presença e tem constantemente lembrado de usar calcinhas durante as últimas poucas reuniões. E ela parece ter beneficiado o nosso sentido de elegância da nossa loja de outras formas também, pois ela abandonou as extensões de cabelos loiros em favor de um pajem lisonjeiro e começou a vestir menos como uma prostituta. Mas há ainda está alguma especulação quanto à possibilidade ou não de seu casamento com o príncipe Aleksandros realmente acontecer. As probabilidades de Vegas são vinte e cinco para um que o casamento será cancelado. Eu pessoalmente acho que os dois vão estar bem. Portanto, o fato de que ela me ligar no último minuto não me preocupa. Bem só um pouco. Não mais do que o fato de Chaz ter uma namorada chamada Valência, no entanto. A namorada chamada Valência que é chefe de departamento. Ainda assim, Ava tem o meu número de telefone celular. Ela me ligará se ela precisar. ―Assim, Tiffany diz. Outra noite de romance com você, Príncipe Encantado*, e melhor amigo? Hey, então o que vai acontecer, Tiffany quer saber, quando o Príncipe Encantado viajar para a França, deixando você e o melhor amigo sozinho na cidade grande, durante o verão, muito quente?‖ *(no original está Loverboy então adaptei pra fazer um trocadilho com o título de Luke) ―Nada‖, digo eu, inclinando-se para pegar duas Diet Coke do frigobar para Sylvia e Marisol. ―Como você sabe perfeitamente bem. Chaz e eu somos apenas amigos.‖ ―Certo. Sorri Tiffany. Eu dou-lhe três semanas depois de Lucas viajar antes de vocês dois de atingir os lençóis.‖ ―Certo, eu digo. Você terá dinheiro a tempo? Porque se não eu tenho que fazer a folha de pagamento.‖


―Oooh, Tiffany diz que, pegando o telefone. Espere três dias três dias. Eu ligarei pra Monique e pra sua avó tenho certeza que elas querem colocar dinheiro nisso.‖ ―Não se incomode, eu digo. Chaz tem uma namorada. Seu nome é Valência.‖ Tiffany estreita os olhos.

―O que é isso, um tipo de laranja?‖ ―Ela tem um Ph.D. em filosofia, e é chefe de departamento na NYU. Tiffany bufa. ―Então? Será que ela faz ele rir?‖ ―Tiffany! Estou praticamente gritando. Que importa? Você está me escutando? Ele tem uma namorada! E eu estou noiva! Noiva de seu melhor amigo!‖ ― A quem você não ama,‖ Tiffany diz. Eu saio para fora da sala da frente, sem outra palavra. Não tenho necessidade de ouvir isso. Eu sei que Tiffany está errada. Eu amo meu noivo, e ele me ama. Claro, nós não podemos ter uma data definida ainda, e sim, tudo bem, ele nunca mais falou em casamento desde de Ano Novo, quando ligamos para as nossas famílias para lhes dizer. E sim, sempre que penso sobre isso, eu ainda tenho uma sensação de aperto no peito e começa a sair urticárias. Mas todas as noivas têm ataques nervosos. Olhe Ava Geck, em seu caminho para se casar com um príncipe, e me ligando, sua designer de vestido de casamento, de um avião privado a caminho da Grécia! É natural! Isso não significa que você está com o cara errado! Não significa que você não o ama. Especialmente quando o cara lhe diz há meses que ainda não acredita em casamento. Se isso não é o Sr. Errado, eu não sei quem é.

História do Casamento

Os casamentos nos tempos coloniais eram repletos de costumes, nenhum dos quais incluía anéis de noivado. Um casal que pretendia se casar iria fazê-lo, literalmente, o homem iria apresentar o seu objetivo com um lenço amarrado na qual continha várias


moedas. Se a mulher desatasse o nó, era visto como se ela aceitasse o compromisso. A petição de casamento era impressa e afixada em uma igreja ou capela, de forma que se alguém tivesse qualquer objeção ao casamento teria tempo de dizer o que quer que fosse, e o casal poderia se casar dentro de poucos dias. As mulheres que esperassem para se casar após os catorze eram basicamente consideradas solteironas. Mas considerando que a maioria deles viveu apenas cerca de trinta e cinco anos, isto não é muito surpreendente.

Dicas para evitar um desastre no dia do casamento Você quer que seus convidados de casamento se levantem rumo à pista de dança. Mas eles estão apenas sentados lá! Talvez porque o seu DJ não esteja tocando o que eles querem ouvir. Verifique se o seu DJ tem as seguintes músicas em sua lista, estas foram cientificamente comprovadas como sendo irresistíveis para (stodgiest) foliões por toda parte. Abba - Dancing Queen Prince - 1999 Gloria Gaynor - I Will Survive Dexys Midnight Runners - Come on Eileen Madonna - Holiday Deee-Lite - Groove Is in the Heart Kanye West – Gold Digger The Weather Girls - Its Raining Men The B-52s - Love Shack Village People - YMCA LIZZIE NICHOLS DESIGNS

Capítulo 9 Quando você encontrar alguém que saiba cozinhar e fazer trabalhos domésticos não hesite nenhum minuto: case-se com ele. Desconhecido Chaz está atrasado. Assim, como o Luke. Eu bati no apartamento do Chaz, mas ninguém respondeu. Estou sentada na varanda da frente de seu prédio, tendo cuidadosamente estendido um lenço que estava na minha bolsa de forma a não bagunçar a minha saia. E sim, eu levo lenços na bolsa. Esta cidade está suja e você nunca sabe quando você irá precisar de um. E eu estou esperando.É uma noite linda, à espera na varanda do East Village não é assim tão mal. Há um monte de gente na rua, algumas ainda na pressa de ir para casa depois do


trabalho, alguns passeando depois de um jantar cedo, alguns simplesmente vagando sem propósito aparente. Alguns deles me cumprimentam com um aceno ou um sorriso, mas a maioria caminham sem fazer contato visual, como a maioria dos nova-iorquinos, com medo de que, se você olhar na cara, lhes pedirão dinheiro. (Embora eu pareça uma semteto? Esta é um verdadeiro vestido de sol da Alfred Shaheen de 1950 , com um top de gola alta e uma saia rodada com uma crinolina. Que uma mulher sem-teto realmente estaria vestindo isso? Estou carregando um saco Halston vintage e calçando alpercatas plataforma também. Sem ofensa, mas estou muito bem para ser confundida com um sem-teto.) Um grupo de crianças começaram um jogo turbulento de stickball, bem no meio da rua, gritando ´´Carro`` toda vez que um táxi vira a esquina. Em uma janela de alguns andares acima, eu ouço ópera sendo explodida. E eu não posso deixar de pensar em mim mesma, indiferente de Valência seja qual for o nome dela, eu amo Nova York. Eu realmente o faço. Mas nem sempre. Foi triste por um tempo. Eu não pensei que conseguiria me firmar aqui, assim como Kathy Pennebaker de minha cidade natal, eu teria que voltar para Ann Arbor e acabar se casando com o meu queridinho da escola (exceto que ele é gay) e fazer compras no Kroger Sav-On com um casal de crianças com o nariz escorrendo. Não que este seja o pior destino que pode acontecer uma menina. É um destino perfeitamente bom na verdade. Exceto que a última vez eu vi a Kathy, ela estava comprando mais xarope para resfriado do que eu acho que alguém teria necessidade de usar normalmente, em uma situação cotidiana. ( ela disse isto porque nos EUA o xarope se consumido muito te deixa um pouco atordoada, meio dopada) Mas eu me estabeleci na cidade grande. Pelo menos em grande parte. Ah, claro, eu não posso me dar ao luxo de comer fora todas as noites, e eu tive que vir de trem até aqui e não de taxi. E eu não passei exatamente uma de verão nos Hamptons como tantos Nova Yorquinos solteiros da minha idade fazem, e eu não possuo um único item feito pela Prada. Mas algum dia eu vou (bem, não a coisa Hamptons, porque eu vi o que eles fazem lá pela MTV, e se embebedar com grandes quantidades de Bacardi e Coca-Cola e dormir com uma cara diferente a cada fim de semana não é para mim. E quem precisa Prada quando você pode ter vintage Lilly Pulitzer?). Mas eu quero dizer sobre o táxi e a coisa de comer fora. Eu comerei frango moo shu todas as noites! E pegarei táxis em todo lugar! Mas até lá, eu estou indo bem. E eu adoro isso aqui. Eu realmente adoro. Eu nunca, jamais quero ir embora.


E, de repente, três dos rapazes do jogo de stickball entram em discussão, e um menino muito menor tenta intervir, e um dos garotos maiores, diz, ´´ engula isso baixinho`` e empurra o menino mais novo, fazendo-o, eu grito indignada me levantando ´´ Hey!`` ´´Fique fora disso, senhora,`` diz o baixinho se levantando como um pião. ´´Eu posso lidar com isso.`` E ele retorna para discussão que seus amigos estão tendo, apenas para ser derrubado novamente. ´´Ei,`` eu digo, saindo fora do alpendre. ´´Se vocês crianças não puderem jogar bem juntos, eu vou chamas as suas mães!`` ´´ E elas vão te matar, uma voz de homem me informa, não as crianças, as mães.`` Eu me viro, e meu coração dá um golpe dentro do meu peito. Mas não é o Luke. Não é o meu noivo parado ali diante dos últimos raios dourados do sol poente, parecendo incrivelmente bonito de terno e gravata carvão amarelo. É o melhor amigo dele. Chaz é o único que faz meu coração bater assim. Eu não vou mesmo tentar descobrir o que era aquilo tudo.Estou tão nervosa, que eu falei a primeira coisa que veio à minha cabeça. ´´ Por que você está vestido assim?`` Pergunto-lhe, a minha voz soa áspera. Eu não sei por que eu pareço tão hostil. A culpa não é dele se meu coração reage dessa forma ao vêlo sem um boné de beisebol. Mas estou tão chocada com a minha reação física para a o jeito que ele está vestido, que não posso evitar soar como um menino de doze anos de idade que de repente, atravessa a puberdade. ´´ Festa do departamento, `` ele diz e coloca a mão no bolso retirando-lhe as chaves. Seu cabelo escuro está precisando de um corte, sempre caí sobre os seus olhos quando ele faz isso. Aproveito o fato de que ele não pode me ver e me foco em outros detalhes sobre ele, tal como o fato dele estar usando sapatos de couro italiano, que parecem ter custado uns quinhentos dólares, do estande da Lea o seu terno é requintado e com um corte dispendioso, enquadrando perfeitamente seus ombros largos. Ele parece totalmente fora de lugar na sua rua, que inclui um degradado lugar de apostas na esquina, uma loja de macarrão japonês em um edifício e um bar ao lado disso. Ele ali de pé em um terno assim? É como se de repente James Bond estivesse em um subúrbio ´´cul-de-sac.`` (não sei) ´´ Me desculpe, estou atrasado`` , diz ele, olhando para cima. Eu olho para longe no


segundo que o seu olhar encontra meu e sinto que minhas bochechas começam a queimar. Espero que ele não note. ´´ Você não esperou muito, esperou?`` ´´ Não,`` eu minto às pressas. ´´ Não mesmo.`` Oh Deus. O que está errado comigo? ´´Bem, pelo menos não está chovendo, Chaz diz. Venha e me deixe te servir uma bebida.`` Ele abre a porta exterior do vestíbulo do edifício, e eu o sigo enquanto ele pára para abrir sua caixa de correio e pegar sua correspondência. É estranho, mas estou me sentindo estranhamente tímida. Eu não tenho certeza se é por causa do incidente dos meus batimentos cardíacos,ou pelo fato de que eu sei sobre o Valência, ou se é porque o Chaz está olhando tão diferente do usual, mas me sinto quase como se estivesse com um estranho, e não um cara que conheci desde meu primeiro dia do primeiro ano da faculdade, que me fazia rir tanto sobre meus Cap n Crunch* na cafeteria Hall McCracken que o leite saia do meu nariz. * Cereal matinal ´´ Então o que está acontecendo com você?`` Chaz quer saber enquanto ele sobe as escadas para o lugar que ele compartilhava com a Shari, e agora vive sozinho. ``Parece que esta é a primeira vez que te vejo em anos, sem a antiga bola e a cadeia de reboque. `` ( esta ultima parte provavelmente é um ditado popular, ampliando o tempo que ele ficou sem vê-la) Porque eu estive assiduamente evitando vê-lo sem o Luke como proteção, para evitar exatamente o que acabou de acontecer com as batidas do meu coração de ocorrer novamente. Só que eu não digo isso em voz alta, claro. ´´ Oh,`` eu digo levianamente. O corredor de seu edifício, me parece mais industrial e depressivo que o meu. Apesar de que eu sou a única que usa o meu, por isso o meu não está cheio de menus de comida chinesa e jornais de imprensa alternativa. ``Bem, estive realmente ocupada. Trabalhando. Esta é a minha época de pico no trabalho, assim que as coisas têm sido loucas.`` ´´Eu imagino, Chaz diz. Nós chegamos a porta de sua casa de dois dormitórios e com um declive se alastrando pelo chão (se você pode chamar um quarto de uma alcova), e ele está destrancando os vários bloqueios da porta. ´ ´Segundo o Luke, você trabalha mais do que qualquer mulher em NY em Manhattan. Ele diz que quase nunca te vê. Ê com a coisa do teu próprio casamento para planejar e tudo, as coisas devem estar mais ocupadas para você do que nunca. ``


Onde está , estou imaginando, a Valência? Encontraremos com ela no restaurante? Ou será que ela nos encontrará aqui, no apartamento? Eu quero perguntar, mas ao mesmo tempo, eu não quero mencioná-la. Eu não posso nem mencionar o nome dela. Valência. Deus. Eu a odeio. ´´Esta sou eu,`` eu digo ao invés, ´´ ocupada,ocupada.`` Eu deixo escapar uma risada que soa como o relincho de um pônei. Chaz para de destrancar os bloqueios da porta. ´´ Desculpe-me, diz ele. Mas acabou de relinchar?`` ´´ Não,`` eu digo rapidamente. ´´ Meu erro, `` ele diz e volta a trabalhar nas trancas. Ele finalmente consegue abrir a porta e eu o sigo para dentro, satisfeita com as ondas de ar fresco que entram pelas suas muitas janelas. Ao contrário do apartamento da mãe do Luke, que assumiu uma espécie de qualidade fétida desde que eu me mudei ( a Sra. de Villiers finalmente começou a enviar uma agência de limpeza, depois de um fim de semana que visitou a cidade, comprovou que seu filho não poderia ser confiável para lidar com a responsabilidade de lavar a louça ou limpar o banheiro por conta própria), Chaz é super limpo, exceto pelas pilhas de livros e papéis empilhados por toda parte.Mas pelo menos são pilhas muito arrumadas. Então, o que você vai querer? Chaz pergunta, indo para a copa/cozinha (uma raridade em Manhattan, aparentemente, compensa o fato de que um dos quartos anunciados não é maior que um closed) e abrindo a geladeira. ´´ Eu tenho de tudo. Cerveja, vinho, refrigerante, vodka, gin, o suco, o que você quer?`` ´´O que você vai tomar? `` Eu pergunto, apoiando meu cotovelo contra a passagem, em que são equilibradas várias pilhas de livros da biblioteca. Ele pega um Corona de um engradado na prateleira de baixo e olha para mim interrogativamente. Balanço a cabeça e digo, ´´ Vinho branco seria bom.`` ´´ Saindo, diz ele, e pega uma garrafa de pinot grigio de dentro da porta do refrigerador. Já estava aberto. É provavelmente o que a Valência bebe. Aquela cadela. Ele só tem que puxar a tampa e servir. ´´ Então eu venho querendo te perguntar. O que você fez com a Ava Geck?`` Pego o copo que ele oferece para mim. ´´O que você quer dizer? Eu não fiz nada com ela.`` ´´Sim, você fez. Ela não é mais uma vagabunda. Ela não tem aparecido na capa da Us Weekly com um grande aviso de Censurado sob a sua virilha este mês.`` Eu sorrio e tomo um gole do meu vinho. ``Oh, eu digo. Isto.``


´´Sim.`` Chaz, para minha surpresa, coloca um copo de gelo próximo do meu cotovelo. Para ir com o meu vinho. Ele lembra. Ele lembrou que eu gosto do meu vinho branco com gelo separado. Digo a mim aquilo não significa nada, embora. Só porque o Luke nunca se lembra, e o Chaz sim, não significa nada. É o anel do Luke que eu estou usando no terceiro dedo minha mão esquerda, não do Chaz. Porque o Chaz nem acredita em anéis de noivado. Ou casamentos. ´´ Então o que você fez com ela? Chaz quer saber. Ela é chata agora.`` ´´´Ela não é chata, eu digo.`` Eu tento me manter falando com uma voz normal, assim ele não vai notar como eu estou perplexa pelo gelo. ´´Ela é elegante. E está de uma forma mais apropriada para alguém que está prestes a se casar com um príncipe. Estou certa de que seus pais estão satisfeitos. `` ´´ Eles podem estar, Chaz diz. Mas milhões de assinantes Us Weekly como eu não estão. Como você fez isso, afinal?`` ´´ Eu apenas sugeri que seria de seu melhor interesse se ela não fosse fotografada entrando e saindo de carros e barcos com as pernas totalmente abertas, eu digo.`` ´Como eu disse. Chaz diz dando os ombros. ``Maçante. Você pessoalmente roubou milhares, talvez milhões de adolescentes que passam seu tempo vasculhando a Internet à procura de vislumbres da depilação de Ava Geck a sua única chance de ver uma. Posso apenas dizer, em nome de todos eles, um obrigado coletivo e sarcástico. Muito obrigado mesmo.`` Eu levanto meu copo de vinho em sua direção. ´´ De nada, eles podem apenas aprender sobre depilação feminina, olhando para as Playboys de seus pais, da mesma forma que o resto de nós fez.`` ´´Oooh,`` Chaz diz, saindo da cozinha e indo na sala, em seguida, afundando em um dos sofás dourados, que foram deixados de lado do escritório de seu pai quando foi reformado. ´´Foi como você descobriu sobre isso? Isso está ficando interessante. Diga-me sobre isso. Como foi para você? Você e Shari costumavam olhar para as Playboys de seus pais juntas? Eu ri. Mesmo me enfurecendo como ele faz às vezes, o Chaz realmente pode ser engraçado. ´´ Falando de Shari, eu digo sentando-me um dos sofás. O que está acontecendo com você? Eu ouvi que você está saindo com alguém, `` e aqui vai, eu tomo um gole longo e


fortalecedor do meu vinho, esperando que ele me impeça de gaguejar mais´´ Namorando.`` ``As notícias correm rápido, Chaz diz. Sim, eu estou vendo alguém. Uma mulher do meu departamento, Valência Delgado. Ela nos encontrará hoje à noite no restaurante. Eu acho que você vai gostar dela.`` Uh, não, eu não. De onde vem este sentimento? Do mesmo lugar que os batimentos acelerados do meu coração vieram? O que está acontecendo comigo? Como poderia ter sido tão bom há apenas seis meses para começar a desmoronar agora, tão perto da linha de chegada ou o que seria a linha de chegada, se Luke e eu nunca tivéssemos realmente feito quaisquer planos de casamento? Por que estou enlouquecendo com esta tal de Valência Delgado? Só porque ela é por certo incrivelmente bonita, bem educada e chefe de departamento. Não como eu. O último livro que li foi Deus! Um romance de Agatha Christie deixou alguém na loja! O que alguém que está estudando para obter o seu doutorado de filosofia veria em alguém como eu? Mas por que isso importa? Eu não namoro o Chaz. Ele nem é mesmo o meu tipo! O meu tipo é um cara que realmente acredita em casamento. ´´Uau,`` eu digo, tentando soar indiferente, mas a verdade é que eu estou me consumindo de ansiedade a respeito de conhecer esta mulher. O que nem faz sentido. ´´ Isto é ótimo, eu estou muito feliz que você não está mais chateado com o que aconteceu com Shari.`` ´´ Na verdade, Chaz diz, Shari e eu estamos bem agora. Almoçamos no outro dia`` Espere. Estou tão surpresa, que eu o interrompo rapidamente. ´´Você e Shari almoçaram no outro dia?`` ´´ Sim. E a amiga dela Pat, diz ele. Ele estendeu a mão para desfazer o nó da gravata. Sua linda gravata de seda amarela, o que praticamente fez o meu coração parar. ´´Desculpe, ele diz que quando ele percebe a direção do meu olhar. Mas isso está me deixando louco. Eu tenho me trocar, colocar roupas normais. Você se importa?´´ Eu agito minha cabeça. ´´Vá em frente,`` eu digo. Então, ele desaparece no corredor, eu o chamo, porque eu não posso ficar sem saber mais, ´´você foi almoçar com sua exnamorada e com a atual namorada dela?`` ´´ Sim``Chaz diz com a voz abafada flutuando em minha direção de seu quarto. ´´ Só que a Pat realmente não é a nova namorada da Shari, certo? Elas estão juntas , o que, meio anos agora. Ou mais, na verdade.`` Estou tendo problemas para assimilar tudo isso. Eu despejo o gelo no meu vinho e olho


para uma pilha de papel de estudante acumulada na mesa de café na minha frente. ´´ Então vocês são como amigos agora? `` Eu pergunto. ´´ Nós sempre fomos amigos, Chaz responde. Tivemos um período em que não nos falamos tanto como estamos habituados. E, claro, já não fazemos um drama a respeito disto. `` Então, de qualquer maneira, Chaz diz, voltando para a sala. Ele veste um jeans e uma camiseta da Universidade de Michigan Wolverines . Um de seus muitos bonés está de volta em seu lugar habitual. Sei que deveria me sentir aliviada que ele tirou aquela elegante roupa que faz meu coração vibrar,mas estranhamente, tudo que eu sinto é confusão. Isto é principalmente porque ele parece tão bom para mim usando o boné de beisebol como tinha no início do processo. ´´ Ela parece bem, Chaz continua. Shari, eu quero dizer. E Pat é agradável. Para alguém que claramente me considera um dos opressores héteros masculino.`` Então, eu digo, não consigo parar. Eu tento. Eu realmente tento. Mas antes que eu possa manter a de boca fechada, as palavras estão derramando fora dela, eu daria qualquer coisa para colocar estas palavras de volta na minha boca. ´´ Eu sei que não é da minha conta, mas eu estava apenas imaginando se você disse a Valência a sua opinião sobre a coisa toda de casamento.`` ´´ Lizzie.`` Isso não é bom eu pensei, mas como de costume, as palavras apenas fluem da minha boca, como água de uma fonte. E nada pode evitá-las, nem mesmo eu. ´´ Porque realmente não é uma boa idéia enganá-la, eu tagarelo. Estou apenas avisando para o seu próprio bem, você sabe. Imagino que uma professora de filosofia, chefe de departamento e desprezada não é uma coisa bonita.`` ´´ Lizzie.`` Pela primeira vez na minha vida, algo na voz de outra pessoa faz com que eu me cale. Eu fecho a minha boca e o encaro. Seus olhos, por alguma razão, parecem mais azuis do que o normal. Seu olhar brilha de onde ele está me olhando por trás da passagem*. ( tipo um corredor) ´´ O quê? `` Eu pergunto, de repente, minha garganta seca. Sei que, pela intensidade de seu olhar, que de alguma forma nossa conversa passou de comum, no meu caso pelo menos, para uma conversa muito mais séria. E, incrivelmente, me sinto envermelhar até os cabelos, meu rosto em chamas como


asfalto quente, como fora antes quando vi que era o Chaz que estava vindo. Qualquer coisa, ao que me parece, poderia acontecer neste momento. O fato de que durante os últimos seis meses nós mal nos falamos, exceto educadamente, e sempre na presença de alguém (Luke). Ou o fato de que seis meses atrás, tínhamos nossas línguas abaixo da garganta um do outro. Será que ele vai trazer a tona uma dessas coisas? E em caso afirmativo, qual? Eu não tenho certeza do que eu tenho mais medo, de que ele saliente que eu o evitei tão assiduamente, tentei não ficar sozinha com ele para não repetirmos o que aconteceu na noite de Ano novo ou discutir o que realmente aconteceu na noite de Ano Novo. E se ele sai de trás do corredor e tenta reviver o que aconteceu na noite de Ano Novo? Será que vou tentar impedi-lo? Espere. Claro que eu vou. Não vou? Sim! Sim, claro que vou! Estou noiva! De o seu melhor amigo! Só que agora os olhos dele estão tão azuis que sinto como se pudesse nadar neles. ´´ Eu juro que não ia perguntar isso,`` o Chaz diz. Eu trago. Oh Deus. Aqui está. Tento não lembrar que meu coração acelerou quando o vi vindo em minha direção na rua. Eu juro que não sei mesmo o que aconteceu ali. Eu não estou apaixonada pelo Chaz. Eu não estou apaixonada pelo Chaz. ´´ Você está... `` Então eu pulo com o toque da campainha da porta da frente. Meu ombro tensos de tanto nervoso se relaxam. O que quer que ele fosse perguntar, ele evidentemente decide interromper, já que ele disse: `` Hum, falando no diabo.`` E ele sai para o corredor rumo ao zumbido de Luke, sem dizer outra palavra. Acho que estive apertando as almofadas do sofá. Lentamente eu libero meus dedos, bem como a respiração que estive segurando. Estou suando, como se tivesse corrido por uma milha. Não que eu já tivesse corrido uma milha. Mas, sinto como se tivesse. O que está acontecendo? Por que estou como um ataque de nervos? Isto é um jantar com meu namorado e seu melhor amigo. E a namorada do melhor amigo dele, a mulher que eu vou matar. Não há nada para se preocupar. O que está acontecendo comigo? E quando é que esta noite vai terminar assim eu posso ir para casa e me matar?

História do Casamento

Casamentos mais ao oeste na América pós-colonial tinham cerimônias curtas e festas mais intensas. Foi nessa época que o Shivaree, ou Charivari, tornou-se popular, uma tradição baseada em um velho costume francês, que incluía os convidados do casamento ficar abaixo da janela do quarto da noiva e noivo na primeira noite da sua lua de mel e


ficar batendo em panelas e cantando bêbados, supostamente para afastar maus espíritos, mas principalmente com a intenção de forçar o noivo a jogar dinheiro para fora a fim de fazê-los ir embora. Ocasionalmente, as festividades chegaram a tal ponto febril que o noivo seria puxado para fora da janela, e a noiva seria obrigado a pagar um resgate, se ela realmente quisesse desfrutar de sua lua de mel na companhia de seu novo marido. Eles não chamam o velho oeste de selvagem sem motivos.

Dica para evitar um desastre no dia do casamento Você precisa de um planejador do casamento? Enquanto eles muitas vezes podem te salvar oferecendo um pacote de descontos, nem toda noiva precisa de um. Se você está planejando um casamento grande, tem um trabalho exigente, ou não tem uma mãe ou irmã a quem delegar muitas tarefas envolvidas no planejamento de seu casamento de sonho, então contratar um planejador de casamento pode fazer sentido. Ache quem faz um planejamento de casamento como um trabalho de tempo integral, seguro e que tenha boas referências, e não se esqueça de perguntar quanto ela cobra (taxa horária, fixo ou uma percentagem do seu orçamento do casamento). Seu planejador de casamento não é seu melhor amigo, mas ela pode salvar a sua sanidade, sem mencionar a sua vida. LIZZIE NICHOLS DESIGNS

Capítulo 10 Um casamento de sucesso requer apaixonar-se muitas vezes, sempre com a mesma pessoa. Germaine Greer (b.1939), nascida na Austrália escritora feminista Estou tendo dificuldade em imaginar o Jim Halpert, do The Office jantando no Spotted Pig, ele supostamente veio aqui uma vez com a Karen. Eu sei que é só um programa de televisão e de ficção e tudo, mas esse lugar é super-moderno, e parte do que faz esse show tão cativante é que os personagens são tão tragicamente não- descolados. Mas há pessoas aqui com o tipo de óculos que se usa apenas nos países escandinavos e tatuagens por toda parte dos braços, eu ouvi um cara no bar dizendo para outro cara que ele acabou de receber uma admissão tardia na Universidade de Direito de Harvard e vi uma menina levantando a saia para mostrar seus amigos sua tanga nova. E ainda muita gente em pé lá fora fumando em suas calças de carga com a sua camuflagem cuidadosamente bagunçada, mas de verdade com os cabelos cheios de produtos e também checando seus e-mails nos seus BlackBerries. ´´Por que estamos aqui, me diga de novo?`` Chaz continua perguntando. Temos uma


mesa só porque alguém que o Luke conhece de suas aulas, uma garota Sophie conhece o cara que está arrumando os lugares para as pessoas hoje à noite. ´´ É supostamente para ser bom, Luke diz alegremente. Ah, olha. Timos (víscerassweetbreads).`` ´´Isso é coragem, Chaz diz. Eu tive que ficar lá fora por uma hora para se sentar em um banco em uma pequena mesa em um lugar que irá me servir vísceras. Poderíamos ter ido ao lugar polonês no meu bairro e comprar vísceras por cinco dólares e sem espera. E eu poderia estar sentado em uma cadeira e não em um banco.`` ´´Mas então você não teria visto a meninas de tanga,`` Valência aponta alegremente. ´´Verdade`` Chaz concorda. Eu atiro Valência um olhar reprovador. A culpa não é dela, é claro, de ser tão perfeita e bronzeada alta e magra, com cabelos lisos perfeitos e escuros amarrados em uma fivela chique de prata e em um lindo complemento para o seu vestidinho vermelho rubi sem mangas. Ela não tem culpa de ser inteligente e charmosa. Até mesmo suas unhas são perfeitas. Eu quero alcançá-la através da banqueta de veludo que estávamos sentados e agarrá-la por seu o cabelo perfeito e puxá-lo até que o rosto dela bata na mesa e depois continuar puxando e a arrastando por todo o restaurante até chegar na festa de despedida de solteiro da mesa ao lado da nossa (quando é que a cidade ficou tão cheia de festas de despedida de solteira que parece que você não poderia sair sem encontrar uma?) Eu a soltarei e direi para as solteiras , que por acaso ela é uma professora e chefe de departamento de uma grande privada. Então, talvez, quando elas tiverem terminado com ela, eu a devolva para o Chaz se ele ainda a quiser. Oh, espera por que eu pensei isso? Não, eu não pensei. Porque estou tão ocupada trocando mensagens de texto com a Ava Geck que não dá para pensar coisas desse tipo. Ava: Lizzie, onde você está? Eu: Estou no Spotted Pig, no West Village. Por quê? Ava: ESTOU INDO ATÉ AI. Eu: O quê? Ava, por que você não está na Grécia? Sem resposta. As chamadas para seu celular caem imediatamente no correio de voz. Não tenho certeza, mas o ESTOU INDO ATÉ AI dela significava que ela estava chegando ao restaurante. Conhecendo Ava, poderia facilmente ter significava que ela estava chegando,


literalmente, no auge da paixão, e também aconteceu dela estar me mandando mensagens. É algo que eu não colocaria no seu passado. ´´ Então, eu estou querendo perguntar uma coisa para vocês,`` Chaz diz assim que a garçonete traz a dúzia de ostras que Luke pediu. Eu não vou comer ostras hoje. Não porque eu não gosto deles, mas porque é junho e eu não quero correr o risco de pegar um surto de doença alimentar. Eu tenho vinte vestidos para terminar de vinte noivas nervosas, ou meu nome será lama nesta cidade. Quero dizer, o nome de Chez Henris. ´´ Manda, `` Luke diz. Ele está de bom humor, porque as aulas acabaram. Ele não está exatamente certo de que foi bem em suas provas, ele acha que pode ter reprovado na prova final de biologia., mas isso não parece o estar incomodando muito. Ele só está aliviado que as provas acabaram, e ele vai embarcar em um avião para Paris, em um par de dias. Se eu não estivesse me sentindo tão culpada pelo fato de que eu mal tive dois minutos para passar com ele o mês todo e não terei pelos próximos dois dias que ele está na cidade, eu ficaria um pouco aborrecida sobre o quão animado ele me parece por me deixar pelo verão inteiro. ´´ Então, vocês vão realmente marcar a data, ou este será apenas o maior noivado da história da humanidade? `` Chaz quer saber. Eu engasgo com o gole de vinho branco que acabei de tomar. Eu não posso acreditar que ele acabou de perguntar isto. Quer dizer, a sua refrescante, por um lado, que alguém está realmente perguntando ao Luke, ao invés de só eu questionar sobre o casamento. O Luke é sempre aquele que parece escapar a este tipo de questionamento e que também parece tão perfeitamente satisfeito com a forma como as coisas estão indo, ele vivendo em no prédio da tua mãe com porteiro na Quinta Avenida, e eu vivo na minha choupana sobre Timor Setenta e oito, onde eu tenho que atender a porta com um isqueiro e uma lata de spray de cabelo para o caso de seu estuprador e não a um homem de entrega, depois de tudo. E tudo bem, é verdade, eu ainda não posso sequer pensar em meu próprio casamento, sem urticarias aparecendo,oh Deus! Tem uma no interior do meu cotovelo agora! Mas ainda. Porque é que quando se trata do planejamento do casamento, as pessoas sempre perguntam a noiva como as coisas estão e nunca o noivo? Minha família vêem pegando no meu pé por meses. Eu ainda não ouvi um pio dos Villierses de sobre o assunto. Algum deles me dando chás de panela ou festas de noivado? Um, não. Pelo menos a minha família ofereceu.


Mesmo que eu tenha recusado a todos, pois estou muito ocupada com o trabalho para pensar sobre esse tipo de coisa. E eu pareço encher de urticarias com a simples menção da palavra compromisso. ´´Charles,`` Valência diz. Isso é outra coisa sobre o Valência. Ela chama Chaz de Charles. Ninguém chama Chaz de Charles. Exceto seus pais. Chaz não suporta seus pais. ´´Não, não, não tem problema, Luke diz que, depois de sorver abaixo um dos Caraquets. Claro que vamos definir uma data. Estávamos pensando setembro, certo, Lizzie?`` Eu olho para ele com espanto total. Esta é, literalmente, a primeira vez que ouvi isso. ´Estávamos?`` ´´ Bem, é quando tem uma vaga no horário de aluguel no Mirac, Luke diz. E não vai estar muito quente em setembro. E é quando a maioria dos amigos da minha família volta de suas férias de verão. Nós temos que ter certeza que eles poderão vir, porque eles são os que darão os melhores presentes.`` Ele pisca para mim. Eu continuo a olhar para ele. Eu não tenho idéia do que ele está falando. Quer dizer, eu faço, mas eu não posso acreditar. Ele está dizendo isso. Em voz alta. ´´ E isso deve te dar tempo de sobra para começar a planejar as coisas, ele continua. Três meses é tempo suficiente, certo?`` Eu olho para baixo. É incrível. Mas há outra ramificação de urticaria surgindo dentro do meu outro cotovelo. Eu não posso parar de olhar para os vergões vermelhos de irritação na iluminação do romântico restaurante. As paredes são vermelhas. Assim como vestido de Valencia. Assim como a minha urticaria . ´´Eu não sei. Eu acho. Mas você não tem que estar de volta para a escola?`` ´´ Posso perder o primeiro par de semanas de aulas, Luke diz com um encolher de ombros. Não é importante.`` Algo em seu tom de voz faz tirar os olhos das minhas urticarias, há duas novas e voltá-lo aos seu rosto. ´´Espere, eu digo. Você vai voltar para a escola no outono. Não vai, Luke?``


´´ É claro.`` luke sorri para mim, aquele sorriso, tão facilmente bonito que me encantou no momento que eu o conheci no trem de Sarlat. ´´ Lizzie não me parece muito bem. Está tudo certo com você?´´ ´´ Ela tem trabalhado muito, Chaz diz, falando pela primeira vez desde a sua pergunta muito indesejada. ´´Olhe para ela. Ela está com aqueles círculos escuros sob seus olhos.`` Eu coloco minhas mãos no meu rosto, horrorizada. ´´Eu não!`` ´´Charles,`` Valência diz novamente, sorrindo. Seus dentes são perfeitamente brancos. Eu me pergunto como ela tem tempo de ser professora , chefe de departamento e ainda usar fio dental. ´´Será que ela ainda dorme? `` Chaz pergunta. ´´ Ela é como uma máquina, Luke diz. Eu nunca vi ninguém trabalhar tão duro.`` ´´ Claro que estou trabalhando duro,`` eu digo, abrindo a minha bolsa e cavando através dela procurando o meu espelho compacto. ´´ É junho! O que você acha que acontece em junho? Isso é quando as pessoas se casam. As pessoas normais, eu quero dizer, que na verdade falam sobre quando vão que vai se casar, em vez de evitar o assunto como uma bomba relógio que tem de ser neutralizado da forma como fazemos, Luke. Eu estou trabalhando em vinte vestidos, tudo ao mesmo tempo. Eu estou tentando iniciar um nome para mim, você sabe. Sozinha, devo acrescentar, uma vez que o meu chefe ficou doente pelos últimos seis meses. E ter vocês dois me dizendo que tenho círculos sob os olhos e que eu trabalho muito difícil, não me ajuda em nada !!!!`` ´´Lizzie,`` Chaz diz. Posso vê-lo olhando para mim por trás do compacto, que estou segurando para verificar os círculos. ´´ Eu estou totalmente provocando você. Você está linda. Como sempre.`` ´´ Realmente, Lizzie,`` Luke diz. Ele pega uma outra ostra e engole sem mastigar. ´´O que aconteceu com seu senso de humor?`` ´´Ela é terrivelmente solipsista, não é?`` Ouço o murmúrio Valência, apesar de não saber o que ela quis dizer com aquilo. Tenho que procurar a palavra solipsista* mais tarde. Sinto-me o picar de lágrimas nos cantos dos meus olhos. Eu não sei o que está errado comigo. Mas eu sei que eu quero matar todos na mesa. Eu realmente quero. Começando com a Valência. ´´ E a única razão para eu não falar sobre o casamento, Luke continua, é que você sempre parece se estressar com isso toda vez que menciono, então eu nunca menciono. Eu sei que a sua família quer fazê-lo na casa dele. Eu também sei que você preferiria morrer, só


que não sabe como dizer isto a eles. Então eu achei melhor para mim deixá-la pensar em como dizer a eles sozinha. É isso. Não é que eu não quero mais casar com você, ou qualquer coisa assim, sua tolinha. `` Luke chega a perto e me arrasta para ele, e me beija em cima da minha cabeça. Eu mantenho meu olhar sobre a mesa. Tenho medo que se eu olhar para cima, todo mundo vai ver a lagrima da vergonha nos meus olhos. Eu não posso acreditar que eu queria matá-lo. Também que eu ainda meio que quero.. Eu não sei nem mesmo o porquê. Ou o que está errado comigo. Oh Deus. O que está errado comigo? ´´ Aw,`` Chaz diz sobre o beijo. ´´Isto é tão doce.`` ´´ Cala a boca, Chaz,`` digo eu, ainda não olhando para ninguém. ´´Sim, cala a boca, Chaz,`` Luke diz. Ele está sorrindo novamente e comendo outra ostra. ´´ Então, setembro, Valência diz. Isso é muito em breve, não é?`` ´´Eu não sei sobre setembro, digo eu, revirando minha bolsa novamente.Estou procurando o meu gloss. Eu tenho um par de vestidos, em setembro. Eu não sei se eu vou terminá-los e ainda deixar o meu vestido pronto.`` As palavras meu vestido deram uma guinada no meu estômago. Se tivesse qualquer coisa além do vinho nele, eu tenho certeza que teria vindo para cima. ´´ Lizzie,`` Luke diz com uma voz de alerta. ´´ Bem, o que você quer que eu faça, Luke?`` Pergunto, sabendo que eu pareço petulante, mas não me importo. ´´ Estou apenas dizendo, as coisas estão indo muito bem na loja e se continuar assim, setembro deverá ser um tempo bem ocupado para mim também.`` ´´Quando não é um tempo ocupado para você? Luke pergunta quer saber. Eu sinto como eu quase nunca a visse mais.`` `` Bem, você não está exatamente Sr. Disponibilidade, tendo um emprego em Paris para o verão,´´ eu digo . ´´ Ei, agora, crianças, Chaz diz, será que nas não podemos apenas nos entender?`` ´´ Eu aceitei aquele emprego por nós, Luke diz. Para pagar o nosso casamento.``


´´ Oh, bem, eu digo. Um casamento que faremos na tua casa, aparentemente. Que é um vinhedo. O álcool e o local já estão pagos. Quanto pode custar? Pare de usar o custo do casamento como uma desculpa do motivo pelo qual você está indo. `` Luke olha para mim. ´´Hey, diz ele, parecendo magoado. De onde veio isto? `` A verdade é que eu não tenho idéia. Eu realmente não sei . Só sei que as palavras estão lá fora, flutuando, já tinha dito. E não há nada que eu possa fazer para colocá-las de volta na minha boca. E eu não sinto realmente como se tivesse que me desculpar com eles neste momento. ´´ Alguma vez lhe ocorreu, eu exijo de vez, que eu poderia querer ter um casamento menores, que não necessitando de ter o meu noivo viajando o verão todo, trabalhando na França, para pagar por ele?`` ´´ É realmente isso que você quer, Lizzie?`` Luke pergunta, com um tom um pouco ácido. ``Porque eu acho que pode ser arranjado. Eu acho que sua mãe já disse que poderíamos nos casar no quintal da tua família, com suas irmãs brigando sobre quem pode fazer o modelo mais brega de gelatina, ou seja lá o que for, e sua avó desmaiando no gramado para o entretenimento.`` Por um segundo, como se toda a atividade do restaurante congelasse. Eu seguro a minha respiração. Então, Chaz geme, levando suas mãos para o seu rosto, `` Me diga que você não fez isso, cara.`` Mas Luke só me olha por cima da mesa, com sua expressão desafiadora. Ele não vai recuar. Eu estou, no entanto. Mas de repente, eu sei o que está acontecendo comigo. Eu sei exatamente o que está acontecendo comigo. E o que está acontecendo comigo é estou cheia. Não agüento mais. Pego minha bolsa, saio de trás da mesa, e digo:´´ Você não conhece a minha família. Porque em todo esse tempo, você ainda nem sequer se preocupou em ir para casa comigo para conhecê-los.`` Expressão Luke perdeu um pouco do ar desafiador. . ´´ Lizzie, diz ele. Olhe..``


´´ Não.`` Eu empurrei um dedo muito calejado em seu rosto. Eu não posso ter uma manicure bonita como Valência, mas eu aposto meus dedos criaram laços de renda do que a dela jamais o fez. Eu trabalhei muito por esses calos. E eu amaldiçoadamente orgulhosa deles.´´ Ninguém fala da minha avó. Especialmente esta pessoa sequer a conhece.`` ´´Lizzie, diz ele, com uma expressão contrita, Eu... `` `´Não, eu interrompo. Eu mal posso vê-lo, minha visão está tão nublada com lágrimas. Mas estou esperando que ele não perceba esta parte. ´´Se é assim que você se sente em relação a minha família, Luke, por que você não se casa com você mesmo? Uma vez que é só com você por quem você está tão obviamente apaixonado de qualquer forma.`` (desculpe não consegui uma frase melhor aqui) Ok, não foi a melhor das reviravoltas. Mas é tudo que pude pensar no calor do momento, com as lágrimas e tudo. Eu vejo Chaz levantar as sobrancelhas, tão surpreso quanto eu pelo meu desabafo. A Valência nem pode levantar os olhas de seu copo de vinho, ela está tão envergonhada de ser vista comigo. Mas eu não posso recuar agora. Eu não quero recuar. Em vez disso, começo a a andar para fora, ignorando Luke que se levanta e diz: ´´ Lizzie. Lizzie vamos lá.`` Felizmente, uma garçonete está carregando uma bandeja enorme de Cosmopolitans, na minha direção bloqueando o caminho do Luke, eu corro para baixo e saio em direção a Perry Street, onde uma limusine preta está passando , eu desacelero e continuo andando procurando um táxi para chamar. Enquanto eu olhava a limo passar, esperando ver um táxi disponível, uma das limos abaixa o vidro e ouço uma voz familiar chamando: ´´ Lizzie? Oh meu deus. E Ava Geck, vestindo um vestido tubinho de lantejoulas com o top rosa e calçando um par do que me parecem ser HosenLeder* de borracha branca, se inclinando para fora da janela e diz: ´´ Entre rápido, antes que alguém me veja.`` Ava, o que você está fazendo aqui? Eu não sou inconsciente do fato de que todo mundo já viu. Todos se reuniram em frente ao Spotted Pig pegou os seus BlackBerry e sussurrarão, Oh meu Deus! A Ava Geck! Você sabe, Get it at Gecks!* (slogan da loja do pai dela: Compre na Gecks!) ´´ Por que, pergunto eu, completamente confusa, você não está na Grécia, Ava?`` ´´ Vou te contar no carro, Ava diz. Por favor. Só entre.`` ´´Ava.`` Esfrego as lágrimas que ainda deslizavam nos cantos dos meus olhos. ´´O que


aconteceu? Você supostamente vai se casar amanhã.`` ´´ Eu sei, Ava diz. Entre logo, e eu vou explicar.`` ´´Lizzie!`` Eu lanço um olhar frenético sobre meu ombro e vejo Luke saindo da porta do Spotted Pig, ainda segurando o guardanapo em uma mão. Estou surpresa, eu realmente não pensei que ele fosse me seguir, mas não hesito nem um segundo mais. Eu abro a porta mais próxima da limusine da Ava e mergulho dentro ´´ Vá, eu grito para o motorista. Por favor, vá!`` ´´ Hey,`` Ava diz enquanto eu a atropelo com a minha pressa de sentar. ´´Aquele é o seu namorado, ele é fofo.`` ´´Sim, eu digo. Por favor, podemos ir? Tenho que sair daqui.`` ´´ Lizzie.`` Luke corre até a limo que ainda está com a janela aberta. ´´ Para onde você está indo?`` ´´ Por favor, vá,`` peço ao motorista da Ava, que surpreendemente faz exatamente isso. E logo o Luke, o Spotted Pig, e todos os descolados do lado de fora de lá, mandando textos ocupados com seus BlackBerries, são apenas pontinhos minúsculos ao longe. HISTÓRIAS DOS CASAMENTOS Os vitorianos foram os que levaram os casamentos e quase tudo para um nível completamente diferente. A Revolução Industrial provou que praticamente qualquer coisa poderia ser produzida em massa, e os comerciantes esclarecidos logo perceberam que poderiam convencer os seus clientes mais ricos de não se contentar com simples casa de bolos de casamento caseiros e vestido de noiva feito em casa! Agora, em vez de precisar de damas de honra para enganar os maus espíritos ou como guerreiros armados, a noiva moderna precisava deles para ajudar com os convites, a escolha do bolo, arranjos florais, seu vestido, e pechinchar com os astutos donos de lojas né? E assim o casamento como o conhecemos hoje nasceu. Aleluia ou maldições, conforme o caso. COMO EVITAR UM DESASTRE NO DIA DO SEU CASAMENTO Repartição dos custos do casamento, ou quem paga o quê (Lembre-se, este é o


tradicional. Hoje em dia casais mais modernos estão optando por pagar os seus próprios casamentos, as coisas estão mudando. Mas, até recentemente, a norma era a seguinte): A Noiva: Os presentes para a Madrinha, damas de honra, e anfitrião O vestido de casamento, véu e acessórios A aliança do noivo Almofada de flor-cesta para a dama de honra e o porta-aliança As acomodações do hotel para qualquer convidado que estará chegando de fora da cidade O Noivo: A licença de casamento Os presentes para os padrinhos O anel de noivado da noiva A aliança noivas Aluguel do smoking e acessórios As flores Corsages* para as mães / avós e para os padrinhos boutonnieres* *(São aquelas pulseiras de flores que os rapazes dão para as moças nos bailes de formatura nos EUA) **(Flores na lapela para os homens) Clérigo / taxa oficiante Limousine / serviço de transporte de e para o casamento e recepção As acomodações do hotel para qualquer padrinhos que estarão chegando de fora da cidade

Para a noiva e o noivo:


Fotos de casamento Acessórios diversos (casamento, copos, guardanapos / itens impressos) Cartões de agradecimento Qualquer acomodações de noite para si Seus mecanismos de lua de mel, a menos que algum parente ou amigo ofereça para pagar por ele como um presente de casamento Os pais do noivo: Vestido / terno e acessórios O jantar de ensaio Suas acomodações de hotel

As damas de honra:

Vestidos e acessórios Chuveiro do casamento* (não faço idéia)

Padrinhos:

Aluguel do smoking e acessórios Despedida de solteiro Os pais da daminha de honra / Porta aliança: Vestido, terno / aluguel de smoking e acessórios


As acomodações do hotel, se vier de fora da cidade Os pais da noiva:

Tudo o resto

LIZZIE NICHOLS DESIGNS CAPITULO 11 O casamento é a perfeição do amor que visam, ignorante do que é procurado. Ralph Waldo Emerson (18031882), ensaísta americano, poeta e líder do movimento transcendentalista ―Porque você e Luke estavam brigando? Ava quer saber.‖ Ela está embalada em um vestido apertado branco gelo, com suas coxas bronzeadas. Além Hosen o tubo alto e branco de borracha Leder, ela também está vestindo rosa botas plataforma camurça. Acho que eu deveria ser grato a ambos os peitos dela e virilha são completamente cobertos por uma vez, mas de borracha e suedein final de junho? Além de suspensórios de borracha e branco, ela também está vestindo botas de plataforma e camurça rosa. Acho que eu deveria ser grata por ambos os peitos dela e virilha estarem completamente cobertos dessa vez, mas de borracha e camurça no final de junho? ―Apenas coisas do casamento,‖ Eu menti para ela, embora eu saiba que eu deveria ser mais agradável e lhe dizer a verdade, pois ela bem, em certo sentido, me salvou. O problema é que eu não sei qual é exatamente a verdade. E eu realmente tenho preocupações mais importantes no momento. Como porque estou em uma limusine com Ava Geck. ―Ava, o que está fazendo aqui? Eu pergunto. Por que você não está na Grécia?‖


―Eu não poderia levar isso adiante com ele, Ava diz simplesmente, depois suspira e agarra o meu braço. Oh meu Deus! O que aconteceu com você? Lizzie Luke está batendo em você?‖ Eu olho para baixo pra urticária, que agora se espalha por todo o interior de ambos os meus braços. De certa forma, elas se assemelham a contusões. ―Não, eu digo com um riso, porque a idéia de Luke nunca me bater é tão absurda. Eu provavelmente poderia batê-lo claramente em Nova Jersey. Elas são só urticárias. Aparece uma a cada vez que eu penso sobre...você sabe.‖ ―Sexo anal?‖ Ava pergunta consentindo. ―Não, eu choro, puxando o meu braço de seu alcance. Meu casamento. E o que você quer dizer, você não poderia levar adiante? Quer dizer que você simplesmente cancelou seu casamento com o príncipe Aleksandros?‖ ―Isso é sobre ele.‖ Ava diz com um suspiro, batendo Branca de Neve na cabeça como o pobre cão treme na explosão gelada do ar condicionado da limusine. ―Eu estava apenas o embarcando no jatinho particular de papai, e de repente me bateu: Estou prestes a tornar-me esposa de alguém. Quer dizer você está me gozando? Tenho apenas vinte e três! Nem sequer fui ainda para a faculdade. O que estou fazendo, tornando-me esposa de alguém?‖ ―Então, eu pulei de volta para o carro e eu estive fazendo equitação desde então, tentando botar a cabeça no lugar.‖ Eu olho Ava, verdadeiramente tocada por suas palavras. Especialmente porque eu tenho vinte três também. ―Assim você decidiu ir para a faculdade? Ava, isso é tão legal!‖ ―Claro que não, eu não estou indo para a faculdade, Ava diz, olhando chocada. Você está brincando comigo? Eu só estou dizendo que há tantas coisas poderia fazer e ir para a faculdade não é a primeira da lista. Eu não estou jogando a minha vida ainda sobre algum cara, mesmo se ele é um príncipe. Eu tenho que fazer merda. Eu não sei o quê, mas eu estava pensando que eu poderia gravar um disco. Algo clássico, sabe? Como Hilary Duff.‖ ―Eu pisco para ela. Bem, sim. Sim, isso é definitivamente algo que você poderia fazer.‖ ―E eu nem tenho a minha própria linha de roupas, Ava continua. Meus pais possuem uma das maiores cadeias de desconto de lojas de departamentos do mundo, e eu não


tenho a minha própria linha de roupas ainda? Que diabos estou pensando?‖ ―Exatamente, eu digo. Que diabos você está pensando? Embora, Ava você pode fazer todas essas coisas e ainda ser casada, você sabe. Sei que o príncipe Aleksandros não iria tentar impedi-la. Não, se ele realmente a ama. Ele provavelmente vai ter orgulho de você.‖ ―Mas esse é o problema, Ava diz, olhando para baixo, para a infeliz Branca de Neve. Eu não acho que ele teria orgulho. Você sabe que parte disso é sua culpa, Lizzie. Eu ter que cancelar meu casamento, eu quero dizer.‖ ―Eu? Eu pasmo com ela, horrorizada. O que eu tenho a ver com isso?‖ ―Porque desde que me tenho vindo a você, e você foi me ajudando com minha imagem pública e outras coisas, Aleks não quer mais saber. Perdeu o interesse em mim. Como ele está sempre me perguntando por eu não saio mais sem calcinha. Acho que ele gostou quando eu fiz coisas assim. Porque seus pais completamente insanos. Eles eram totalmente contra ele se casar comigo, você sabe. Acho que só o fez gostar mais de mim. Mas agora que eu comecei a atuar com um pouco mais de classe, Eles têm sido muito mais agradáveis comigo. E isso fez Alek perder completamente o interesse.‖ Minha mandíbula se aperta. Embora eu ache que eu não deveria estar surpresa. Isso explica muito sobre as escolhas de Ava. Muito conservadoras quando se tratava de seu vestido de casamento. E porque ela veio a mim em primeiro lugar. Claro, ela poderia ter ido para a Vera Wang, mas essa foi uma pequena parte dela que ainda tinha-se revoltado um pouco. Tudo faz sentido. Ela queria agradar os pais do noivo, mantendo uma pequena parte de si mesma. Mas, ao fazer isso, parecia que ela se distanciava de seu noivo. Oops. ―Então você está cancelando, eu digo, com Aleksandros?‖ ―Isso é apenas ele, Ava diz em desgosto. Eu acho que ele nunca iria cancelar. Ele é covarde. Ele enfrenta seus pais ao se casar com uma vagabunda total. Mas ele nunca iria cancelar o casamento por merda nenhuma, porque isso iria fazê-lo ficar mal na imprensa.‖ Eu pego em seu ombro para dar um tapinha tranqüilizador. ―Ava, eu digo. Você não é uma vagabunda.‖


―Ah, eu sou totalmente, Ava diz assunto com naturalidade. Mas isso é certo. Eu prefiro ser uma puta do que um sem-pau hipócrita, como Alek. Eu estou apenas pesarosa sobre seu vestido.‖ ―Eu agito minha cabeça. Meu vestido?‖ ―O vestido de noiva bonito que você projetou para mim, Ava diz.‖ ― Oh, eu digo, rindo. Não se preocupe com isso! Eu tenho certeza vou encontrar alguém para comprá-lo. O vestido de noiva de Ava Gecks? Você está brincando? Provavelmente serei capaz de vendê-lo por uma fortuna no eBay.‖ Ava olha pra mim. ―Eu não vou devolvê-lo, diz ela. Essa coisa é minha. Eu estava pensando que talvez você poderia torná-lo mais curto, tingi-lo de púrpura, colocar algumas lantejoulas sobre ele, e eu poderia usá-lo para o MTV Video Music Awards em setembro. Dessa forma, milhares de pessoas vão vê-lo, e você ainda receberá a exposição que merece. Eu devo ter um monte de tempo no ar, porque estou dando a Viewers Choice VMA. Tippy me pediu para ir com ele porque ele ainda tem a ordem de restrição em sua esposa. Isso ia ser um problema antes que você sabe, sendo eu casada com Alek mas agora que não sou, deve ser tudo de bom.* * (ficou meio confuso aqui mais dá pra entender que ela ta falando em ir no premio de musica da MTV com um cara famoso né?)

―Oh, eu digo, surpresa. Hum certo. Eu poderia fazer isso. Não tem problema.‖ Impressionante. Ava parece muito mais feliz. A limusine fez o seu caminho através da cidade até Sexta Avenida, e agora estava serpenteando o nosso caminho pelo Central Park, um dos meus lugares favoritos em Manhattan, que eu certamente nunca pensei que percorreria através de limo. Foram deslizando casais tendo passado romântico de cavalo e passeios de carruagem, e passeios de triciclo menos românticos. Eu me pergunto se eles olham para as janelas de vidro escuro da limusine e tentam adivinhar quem é a celebridade dentro. Eu estou apostando que nenhum deles iria adivinhar que é Ava Geck e sua designer de vestidos de casamento. ―Então o que você vai fazer agora? Eu pergunto, consciente de que meu estômago está roncando um pouco.‖ Não há nada no carro além de vinho branco. Estou esperando Ava dizer que ela está me


deixando em casa para que eu possa conseguir alguma coisa para comer, ou que ela vai sugerir que nós duas podemos pegar alguma coisa em algum lugar. Eu não sei quanto tempo mais eu posso ir sem o sustento da variedade não-alcoólica. Ava pode ser capaz de ir por hora com apenas um PowerBar*, mas eu não sou esse tipo de garota. *(um doce) ―Hum, Ava diz. Yeah. Isso é porque eu estava tentando chegar até você.‖ ―Me animo. Você quer pegar um jantar? Você quer um sushi ou algo assim? Outra coisa que Tiffany, Monique e eu conseguimos fazer foi expandir os horizontes de jantar de Ava, de modo que ela agora come mais do que apenas um cheeseburger e barras de proteína. Ela tem, por conseguinte desenvolvido um amor quase patológica para o sushi o que não é realmente comum para alguém que nunca tentou isso antes. Ela conheceu qualidades viciantes. Há o Atlântico Grill direito sobre a Terceira Avenida. Ou Sushi do Gari‖ ―Não exatamente, Ava diz. Quer dizer, podemos pegar totalmente algo para comer, se quiser. Mas eu realmente preciso de um favor.‖ ―Ah, claro, eu digo. Qualquer coisa que você quer.‖ ―Oh Deus, Ava diz, sorrindo muito. Joey, ela disse que sim!‖ ―Little Joey, eu percebo tardiamente, está sentado no banco da frente ao lado do motorista, meio escondido pela tela de privacidade, que Ava abaixa para entregar esta notícia.‖ ―Oh, hey, Lizzie, ele fala através da vasta maioria dos assentos de couro e luzes de halogênias cintilantes no teto entre nós. Como você está?‖ ―Oi, Joey, eu respondo de volta um pouco hesitante, pois estou de repente percebendo que eu não tenho nenhuma idéia o que eu concordei. Hum, Ava?‖ ―O quê? ela responde um pouco distraído, depois de ter cavado o seu Sidekick*, em que ela está batendo com alguma urgência.‖ *(Aparelho celular) ―O que, exatamente, eu vou fazer por você?‖ ―Você está deixando-me ficar em seu lugar, é claro, Ava diz com alguma surpresa, nem mesmo olhando para cima da tela.‖ ―Eu fico olhando para ela. Meu lugar? Você quer dizer no meu apartamento?‖


―Bem, eu não posso ficar na minha casa, Ava diz, finalmente, olhando para cima.‖ Ava tem um condomínio, que está no East End Avenue, perto da casa do prefeito, Gracie Mansion, está a uma curta distância da minha (não que Ava seja de caminhadas). Ava escolheu para passar para o Upper East Side, para a consternação de muitos, porque é onde ela aconteceu para encontrar o condomínio respondesse aos exigentes padrões (os acima referidos quatro quartos, três banheiros e uma cozinha com pelo menos dois mil metros quadrados de terraço ao ar livre e exposição ao sul da faixa). Mas ela também caiu no amor com o próximo Carl Schurz Park, que fica ao lado do rio, e inclui uma pista de corrida que foi construído especialmente para cães de pequeno porte. ―Meu lugar é cheio de paparazzi, ela continua. Já que eu deixei Alek no altar. Em todos os hotéis também bem como em meus e amigos locais. Você é minha única esperança, Lizzie. Achei que você poderia ficar no Luke.‖ Eu estou balançando minha cabeça antes que as palavras saiam totalmente fora de sua boca. ―Não, eu digo. Não, eu não posso ficar no Luke‖. O pensamento me enche de pânico. Eu não quero ver Luke.Não novamente. Não em breve. ―Bem, Ava diz, olhando um pouco irritada. Agradável. Então eu fico em Luke, e ele pode ficar com você.‖ ―Não, eu digo, ainda balançando a cabeça. Você não pode ficar em na casa de Luke. Porque Luke e eu estava... estavamos em uma briga. Lembra? Lembre-se de como ele saiu correndo do restaurante depois de mim agora, e como eu fugi? E pedi para por favor dirigir? Lembre-se que...?‖ Meus olhos se enchem de lágrimas novamente com a memória. Oh Deus. O que está acontecendo comigo? ―É ela disse isso‖, Little Joey diz do assento da frente Ava tem uma espressão confusa no rosto tentando se lembrar. ―Oh yeah, diz ela. Bem. Eu apenas não posso ficar em seu apartamento com você, então? Será apenas por alguns dias. Até que tudo isso dissipe. Você mal saberá que eu estou lá. Branca de Neve e eu não ocupamos muito espaço.‖ Eu olho para Little Joey. Ava, observando a direção do meu olhar, ri.


―Oh, não se preocupe com ele, ela diz. Ele não vai ficar lá. Ele tem o seu próprio lugar no Queens.‖ Quero sugerir que o lugar de Joey no Queens pode ser o esconderijo ideal para Ava. Os paparazzi nunca pensariam em procurá-la lá. Mas então eu me lembro que ela disse, acerca de tudo isto é culpa minha. E assim, em vez disso, eu digo, ―Ava, meu apartamento tem apenas um quarto. Há só um banheiro. E isso não tem exposição sul. Acredite, não é luxuoso‖ ―Eu não me importo, eu estou acostumado a privação. Eu servi quarenta e oito horas em CRDF,você sabe,‖ Ava me garante, referindo-se ao Century Regional Detention Facility,* em Los Angeles, no qual ela ficou detida por dirigir alcoolizada. *(tipo a FEBEM) ―Meu apartamento não é tão ruim como prisão, digo, um pouco irritada.‖ ―Ah, eu sabia que você ia dizer sim, diz Ava, jogando os braços em volta de mim me dando um abraço, e parcialmente sufocando Branca de Neve no processo. Isto vai ser tão divertido! Como acampar ou algo assim! Bem no fim, e fazer as unhas, e me ver na TV, e ficar acordado a noite toda falando mal de nossos namorados. Sua briga com Luke torna tudo simplesmente perfeito!‖ Eu digo em voz estrangulada, uma vez que seu aperto mortal está cortando meu oxigênio, ―eu não posso ficar acordado a noite toda, Ava. Tenho vestidos que eu tenho que conseguir terminar.‖ Isso é ainda melhor! Ava gritos, liberando-me de repente. Eu posso ajudar! ―Ok, eu digo. Eu massageando meu pescoço onde ela apertou. Eu não posso acreditar que isto está acontecendo.‖ ―Estou tão animada, Ava declara. Vincent, vire para fazer o septuagésimo oitavo. Estavam ficando lá fora!‖ Mais cedo do que eu poderia ter imaginado possível, Ava Geck, seu Chihuahua, e sete de suas malas estão no meu apartamento, e seu guarda-costas está dizendo boa noite, enquanto assegura-me que amanhã nove da manhã vem para pegar Ava e levá-la para Nova York Saúde e Racquet Club para satisfazer seu treinador para o seu exercício. Ela está meu sofá que nós já estabelecemos que ela vai dormir na minha cama, e eu vou estar no sofá, graças à sua ciática e aos canais com o controle remoto, tentando ver se a


notícia de rompimento do casamento real que está no E! Eu deveria estar pedindo frango moo shu . Ava quer uma salada Caesar e fettuccine Alfredo da Sistina, que é um restaurante italiano quatro estrelas na Segunda Avenida que não entrega a domicilio exceto aparentemente para Ava. Estou no telefone com os restaurantes e maîtres quando a campainha do meu apartamento toca, fazendo com que Branca de Neve entre em uma cacofonia de ganidos e Ava solta um guincho animadamente, ―A comida chegou!‖ ―A comida não pode estar aqui, eu digo. Eu ainda estou em espera com Giuseppe.‖ Ava me joga um olhar apavorado. Ela tirou seu vestido de borracha e está em um moleton rosa de veludo. Embora tenha a palavra ―suculenta‖ escrito através de sua extremidade traseira, acho que isso preferível a do que ela realmente revelar sua traseira. E por isso estou permitindo a ela para vesti-la. Mas só dentro de casa. ―São os paparazzi! ela chora. Eles me encontraram! Já!‖ ― Não pode ser os paparazzi, eu digo. A menos que você tenha dito a alguém que você está aqui.‖ ― Só a minha mãe, Ava diz. E Tippy. E ele não iria contar a ninguém. Ele sabe o gosto de ser perseguido impiedosamente pela imprensa.‖ Eu ainda não tenho a menor idéia de quem é DJ Tippycat, mas tomo a palavra dela de que ele não iria entregá-la. Eu entrego-lhe o telefone e vou para o porteiro da parede e aperto o botão TALK. ―Quem é?‖ Pergunto com minha voz séria, que reservo apenas para atender o interfone. ―Lizzie, sou eu, diz Luke. Posso subir?‖ Fico olhando o porteiro como se tivesse cobras vivas saindo dele. Luke? Em toda a excitação com Ava, eu esqueci completamente a minha briga com ele. Ava no entanto não esqueceu. Ela pula ―É o Luke? ela pergunta, com os olhos brilhantes de largura. Você vai deixá-lo entrar? Eu posso me tornar totalmente invisível. Você não saberá que aqui. Vou me esconder no banheiro.‖ Eu continuo a olhar para o porteiro, sem saber o que fazer. Por um lado, eu ainda estou muito, muito brava com ele. No outro, bem é Luke. E eu o amo! Pelo menos eu acho.


Mas ele foi um grande idiota ―A menos que você queira derramar água sobre sua cabeça, "Ava oferece generosamente. Ela se levantou do sofá e foi até a janela, onde você pode olhar para baixo e ver quem está parado no caminho da porta, desde que não estejam se esconder debaixo do toldo quando está chovendo. ―Porque eu poderia perfeitamente fazer isso por você, se você me quiser. Ou fazer xixi. Eu poderia jogar xixi em cima dele. Não fui no banheiro ainda. Eu poderia fazer em um copo e despejá-lo‖ ―Tudo bem, eu digo rapidamente. Vou falar com ele lá fora. Vá em frente e peça a comida. Ava parece duvidosa. ―Tem certeza? Porque estive segurando o xixi todos os dias‖ ―Tenho certeza, eu digo. E você realmente não deve prendê-lo, Ava. Você poderia dar-se uma infecção urinária dessa maneira. Eu já volto.‖ Eu pego minhas chaves e corro para fora do apartamento e desço as escadas, um pouco desconfiada de deixar Ava à sua própria sorte no meu apartamento, mas também um pouco aliviada por ter um momento para mim. Mesmo que, no minuto seguinte, eu sei que estou indo ter que lidar com Luke. Quando eu desfaço os muitos bloqueios para a porta de fora e passo para a inclinar-me para a noite quente ao lado dele. ―Eu pensei que você me deixaria subir‖ ―Eu não posso, eu digo sem sorrir. Tenho companhia.‖ Luke olha surpreso. Eu estou contente por ver que ele não está sorrindo, tampouco. Pelo menos ele vai levar isso a sério. Muitas vezes, quando discutimos, ele parece pensar que a minha raiva é divertido, como se eu fosse gatinho chateado com alguém escondendo o rato de brinquedo. Eu não sou um gatinho. E eu estou cansada de ser tratado como um. ―Companhia? ele ecoa. Agora ele está sorrindo. O que, você e aquela garota da limo foram pegar alguns marinheiros enquanto você estava fora em um cruzeiro ou algo assim?‖ ― Não, eu digo, ainda sorrindo. Ava indo passar alguns dias na minha casa. Ela e o noivo romperam, e ela não pode voltar ao seu apartamento, porque está cheio de paparazzi.‖


O sorriso de Luke desaparece. ―Lizzie, diz ele. Jesus. Então, você vai apenas deixá-la ficar com você? Por que ela não pode ficar em um hotel?‖ ―Porque, eu paro e olho para ele. Você sabe o por que? Você se importa? Ela vai ficar comigo. Qual é o grande negócio?‖ ―O grande negócio, Lucas diz, é que ela é uma cliente. E você a está tratando como uma amiga. Você não pode começar o negócio misturada com sua vida pessoal, Lizzie. Este é exatamente o que nós estávamos falando sobre, de volta ao restaurante.‖ ―Oh, realmente, eu digo. Estou ignorando, com esforço, um homem que está caminhando com um galgo italiano em uma trela. O homem está fingindo que não ouvir a nossa conversa, mas ele está totalmente. Eu não me importo, realmente, exceto que o cão é distração. Ele é muito magro. Eu sei que ele nasceu assim, mas ainda bizarro. Como é que digerem o seu alimento com o estômago tão minúsculo? É só o meu problema com a bebida das avós ou têm a ver com o fato de e restaurar vestidos de casamento para a viver?‖ Luke estende a mão para agarrar os meus ombros em suas mãos e me dá uma sacudiada suave. ―Hey, ele diz em um tom mais suave do que ele usou até agora. Eu sinto muito sobre isso.. Ok? Eu sei que estava fora da linha, e peço desculpas. Eu tentei me desculpar lá no restaurante depois de perseguir e teria dito isso lá, mas você pulou em que limusine e foi embora. Se todo mundo em pé lá fora, não me dissessem que era com Ava Geck que você estava, eu teria bem, eu totalmente teria pensado que foi você tinha sido seqüestrada ou coisa parecida.‖ ―Não, eu não estava seqüestrada, Luke, digo eu, tentando não perceber como é bom sentir suas mãos na minha pele. Eu não posso deixar sensações como essa me distrair. Eu só quero...‖ O que estou dizendo? O que eu quero? Onde estou indo com isso? Por que o homem costuma levar seu cão e ir para outro lugar? Setenta e oitavo Street é realmente longa. O seu cão tem que fazer xixi logo ali na frente da minha loja? ―Lucas eu estive pensando... E a próxima coisa que eu sei, é que as palavras estão saindo da minha boca e eu sinceramente não me lembro de pensar antes de falar. Eles só saem da minha boca. Como o ar.


Ou vômito. ―Luke, eu me ouvir dizer. Eu acho que nós precisamos dar um tempo.‖ Ah. Meu. Deus.

A HISTÓRIA DOS CASAMENTOS Os primeiros convites de casamento impressos surgiram na Idade Média e foram feitos em caligrafia por monges, que foram encarregados de fazê-lo para a realeza. A gravação em chapas metálicas já tinha sido inventada e os convites vinham com uma folha de papel de seda com desenhos manchados em cima, essa impressão de manchas se tornou mais popular do que caligrafia. Este mesmo tipo de gravura é usado ainda hoje (e é por isso que você ainda recebe papel de seda com convites de casamento extravagante). O envelope tradicional duplo em que os convites de casamento são muitas vezes enviados decorre do fato de que, em tempos antigos, mensagens eram entregues através do cavalo, e ninguém queria que o convite chegasse sujo nas mãos dos destinatários. Então um mordomo recebia o convite, tirava o envelope exterior e o entregava limpo ao seu amo. Como é triste para nós pessoas modernas, não termos um mordomo-abridor-demensagens, para nos poupar de diariamente sujar as mãos com os germes dos envelopes! COMO EVITAR UM DESASTRE NO DIA DO SEU CASAMENTO Lembre-se de que seus convites de casamento nunca devem ser enviados na última hora, mas você não quer enviá-los para fora demasiado cedo, quer? O tempo ideal é algo entre oito semanas a um mês antes do dia do casamento real. Seis semanas de antecedência é perfeito. E por favor, nunca use uma impressora a laser e uma etiqueta de endereço em seus convites. Isso é considerado além do cafona. Escrito à mão e só! Sim, você pode contratar um estudante de engenharia com caligrafia impecável para esta tarefa. LIZZIE NICHOLS DESIGNS CAPITULO 12 Um bom casamento é aquele em que cada um nomeia o outro guardião da sua solidão. Rainer Maria Rilke (18751926), poeta alemão


Luke olha para mim. ―Você acha que nós precisamos de quê? , diz ele, apertando meus ombros. ―Oh!‖ Eu deixei o som de um assobio. Pelo menos eu acho que era eu. Eu percebo que não posso ter certeza de que sons estão saindo da minha boca mais. Isso é controlar o pouco que tenho. Eu afundo para o degrau mais alto e abraço meus joelhos ao meu peito. O homem com o cão, eu percebo, tem pressa de tomar distância. Aparentemente, ele já não está apreciando o show de uma menina em roupa vintage ficando bem louca na frente dele. ―Lizzie. Luke senta no degrau ao meu lado. O que quer dizer com você acha que nós precisamos dar um tempo?‖ ―Eu não sei, eu gemo em meus joelhos. Deus, o que está acontecendo comigo? ―Você está indo para a França por três meses, tipo assim nós daremos um tempo, quer queiramos ou não,‖ eu justifico. O que estou dizendo? O que está saindo da minha boca? Eu não quero terminar com Luke. Eu não. Eu amo Luke. Eu quero? ―É o justo‖, eu ouço-me dizer, embora em nenhum momento eu formule as palavras na minha cabeça, de antemão, ―eu sei que você me ama, Luke. Mas eu não me sinto como se você me respeitasse. Ou pelo menos não o meu trabalho. Você acha que é apenas um hobby. Que estou fazendo isso para me divertir até algo mais sério aparecer. Mas isso não verdade. Isto é realmente o que eu faço. O que eu quero fazer para o resto da minha vida.‖ Luke pisca para mim com seus lindos, olhos sonolentos. ― Lizzie, eu sei disso. E é claro que eu respeito o que você faz. Eu não sei o que jamais teria dado a impressão de que eu não respeito. Tudo o que eu quis dizer, quando eu falei sobre Ava, era que eu tenho trabalhado no mundo dos negócios a alguns anos, e nunca podemos deixar nossos clientes tirar vantagem de nós da maneira que eu acho que você às vezes deixa.‖ ―Não é o que você disse sobre Ava, eu explico. É a maneira que você simplesmente pensou que eu poderia sair com você para ir a Paris para o verão. Você sabe. Quando


você me pediu em casamento.‖ Luke olha para mim. ―Em janeiro passado? Você está trazendo algo que eu disse em janeiro? Agora?‖ ―Eu não. E talvez eu faça negócios de forma diferente do que você, eu indico. Mas eu não sou você. Ser diferentes não significa que está errado.‖ E minha boca continua. Por que, oh, por quê, ele simplesmente não vai e cala a minha boca? ―Eu não acho que você respeita muito a minha família também. Eu sei que eles não são tão sofisticados quanto sua família é. Mas você nunca nem mesmo os encontrou. Então, como você mesmo pode saber? E isso é outra coisa. Você está saindo comigo por um ano. Durante seis meses do ano em que estivemos noivos. E você nunca conheceu ninguém na minha família. Como você pode ainda fazer comentários como o que você fez hoje à noite‖ ―E eu peço desculpa desde já, Luke diz, movendo-se para colocar o braço em volta de mim. Eu sei o que sua avó lhe significa. Bem eu não sabia, mas Chaz realmente deixoume saber, lá no restaurante. Mas, Lizzie, você tem que admitir, que se queixa muito de suas irmãs. E sua avó também, todo mundo fala sobre seu problema de bebida. E você sabe que a única razão de eu não ter encontrado sua família é porque estive ocupado com a escola‖ ―Você poderia ter vindo comigo para casa no Natal, eu interrompo, em vez de ir para a França com sua família. Ou na primavera. Mas ao invés disso, você foi a Houston para ver sua mãe. E minha família não é rica como a sua. Eles não podem vir a Nova York para conhecê-lo sempre que for possível.‖ Eu olho para ele para ver como ele reage a isso. Ele não está olhando para mim, no entanto. Ele está olhando para o Honda Accord* estacionado na calçada em frente de nós. *(um carrão) ―Sim, ele diz com uma voz calma. Você está certa. Eu provavelmente deveria ter ido.‖ ―Porque minha família não importante para você,‖ eu digo. Eu não quero dizer isso. Mas gosto que as palavras estão sendo arrancada de mim. Como vovó, que um dia ficou completamente perdida na cozinha por causa do xerez e decidiu finalmente desentupir a tubulação da cozinha com as ferramentas do papai. O xerez lhe dera força sobre-humana, e ela conseguiu soltar a articulação no cano e remover todo esse lamaçal que havia sido preso dentro a mais de seis meses. Ele só começou a derramar para fora.


Assim como todo este lamaçal está escorrendo de mim. Lamaçal que provavelmente deveria ter saído de mim em janeiro passado. Mas está derramando tudo pra fora agora. Mesmo que eu não queira. Eu realmente não queria. Não no meu relacionamento agradável e limpo. Mas eu acho que isso faz parte do lamaçal. Coisas desse tipo têm que sair eventualmente. ―Isso não é verdade,‖ Lucas começa a protestar, mas eu o interrompo ―Não diga que você não teve tempo, eu digo. Se tivesse sido importante para você, você poderia ter feito tempo. Foi importante para mim, eu ir em frente. E é importante para eles. Eles me perguntam quando vão conhecê-lo. Seria bom se eles pudessem conhecê-lo antes do casamento.‖ Lucas abre a boca para dizer alguma coisa, mas eu o paro. ―Mas é tarde demais agora. Porque você está saindo para a França depois de amanhã, sem o meu consentimento, minha voz acrescenta impiedosamente. E se você quiser chamar assim ou não, estamos dando um tempo. Porque eu preciso pensar, Luke. Preciso pensar sobre o que está acontecendo aqui. O que estamos fazendo. O que eu estou fazendo.‖ ―Certo, ele diz.‖ E ele retira-lhe o braço em volta dos meus ombros. Nós nos sentamos por um momento em silêncio. Mas essa cidade não é silenciosa, é claro. Táxis rugem perto, e uma sirene soa mais na Terceira Avenida. Eu não tenho certeza, mas acho que eu ouço uma janela aberta sobre nossas cabeças. É Ava espionando. Espero que seja ela, de qualquer maneira. Há uma outra coisa que eu acho que ouvi no silêncio caindo tão pesado entre nós também: o som do meu coração quebrando. Quando eu volto para o apartamento no andar de cima, Ava está no sofá novamente, inocentemente, mudando os canais enquanto ainda está segurando o telefone a sua orelha. Ela olha para cima e sorri para mim quando eu entro, com Branca de Neve pulando em cima de mim entusiasmado. ― Então? , pergunta ela. Como foi?‖ ―Como se você não estivesse ouvindo‖, digo eu, soltando as minhas chaves na fruteira que eu continuo usando para esta finalidade na estante perto da porta.


―Eu não estava, Ava diz com uma fungada. Então, vendo minha expressão, ela diz: "Bem, bem, eu estava totalmente. Mas eu não consegui ouvir. Eu estava pronta para derramar suco de laranja na cabeça dele se você começasse a chorar, no entanto. E você? Eu não acho que você chorou.‖ ―Eu não chorei, eu digo, e pulo para o sofá ao lado dela. Branca de Neve até pula no meu colo, e eu a acaricio distraída. Estava dando um tempo.‖ ―Sério? Ava olha para mim, de olhos esbugalhados. O que significa isso?‖ ― Eu não sei. Eu dou os ombros. Eu só ouvia as palavras que saiam da minha boca, e eu fui com elas. Isso acontece comigo algumas vezes. Quer dizer o tempo todo.‖ O que eu fiz não faz qualquer sentido, qualquer um. Quero dizer, que eu tinha dito para Luke. O que eu tinha pensado, pedindo tempo? Eu amo Luke. Pelo menos tenho quase certeza que amo Luke. Eu sei que é amor de acordar de manhã, antes dele e apenas olhar para ele e seus cílios incríveis, descansando tão escuro quanto fuligem contra seus ossos da face. Eu amo como, quando ele está acordado, os olhos escuros ainda parecem tão sonolentos, como se tivessem a promessa de mil sonhos secretos. Acima de tudo, eu amo esse sonho, onde eu Lizzie Nichols, que nenhum menino na minha escola nunca sequer me chamou para sair, porque eu não era o tipo de garota que você chama no ensino médio, a menos que você fosse um gay não quisesse que ninguém soubesse é claro. Oh Sim. Eu esqueci. Garotos gays me chamaram pra sair. Muito. Eu sempre fui a menina gorda que meninos gay chamavam pra sair e fazer suas mães felizes. Então o que eu estava fazendo? O que eu estava fazendo dizendo esse cara esse cara que eu amo tanto e que, mais importante, ama-me de volta que eu queria dar um tempo? Estou louca? Por que eu não poderia, por uma vez na minha vida, ter mantido minha boca fechada? Mas as palavras só saíram, e uma vez que foram ditas, não posso pegá-las de volta. Bem, quero dizer, eu poderia pegar, mas... Eu não quero. E esse foi talvez a parte mais estranha de todas. ―Oh meu Deus, Ava suspira. Como ele lidou com isso?‖ ―Ele estava bem com ele, eu acho, eu digo.‖ Na verdade, talvez essa era a parte mais estranha de todas. Quero dizer, ele diz que entende que o meu trabalho tem que vir primeiro lugar agora, e que eu não tenho tempo


para planejar um casamento no momento. Mas ele ainda está indo para a França. Não é como ele se oferecesse para ficar. Mesmo depois que eu lhe disse que eu seria feliz com um casamento muito menor e que não custaria tanto, então ele não teria de ir trabalhar lá. Ele ainda vai. É errado que isso me incomode tanto? ―Ava faz uma cara. Os homens são todos tão idiotas.‖ ― Sim, ok. Você não está errada.‖ ―Deixe eu lhe perguntar uma coisa, eu digo. Eu olho para o telefone Ava está segurando a sua orelha. Você ainda está em espera na Sistina?‖ ―Oh, não, Ava diz. Eles trarão a comida em meia hora. Esta é a sua avó. Ela queria saber como gravar alguma temporada de uma série que passa no TiVo. Então eu disse-lhe como fazê-lo. É complicado, afinal de contas. Então, quando ela me disse o quanto ela gosta de Byron Sully* série Dr. Quinn, Medicine Woman, disse-lhe como fazer uma pesquisa com o nome do ator, de modo que qualquer coisa em que ele aparece será gravado. Ela parecia muito grata. Eu lhe disse que você estava lá embaixo com Luke, por isso ela disse que esperaria até que você voltasse. Você quer falar com ela?‖ *(um ator) Eu pego o telefone de Ava, sentindo-me mais atordoada do que nunca. Claro, eu digo. ―Olá? Eu sopro para o receptor.‖ Assim, com crepitações ouço a voz de Vovó no telefone. ―Você ainda está com o estúpido ainda?‖ Eu quase sufoco no meu próprio cuspe, eu estou tão chocado com a pergunta. ―O que disse?‖ ―Desculpe, Vovó diz. Por que você ainda não trocou esse estúpido pelo Chaz?‖ ―Porque, digo eu, horrorizada, acontece de eu estar noiva de seu melhor amigo.‖ ―Ela está perguntando sobre Chaz? Ava quer saber do sofá. Eu estava pensando a mesma coisa. Quer dizer, quando vocês dois ficarão juntos? Agora que você está dando um tempo?‖ ―Não é esse tipo de tempo, digo eu, irritada.‖ ―Bem, que tipo de tempo é? Ava quer saber. Quer dizer, se você não pode fud... quer dizer, fazer amor com outras pessoas, qual é o ponto?‖ Eu estou olhando fixamente para a tela da televisão. Ava está assistindo uma reprise antiga do Pit Celebrity Fight, em que Ava está lutando com Da Brat, no que parece ser um tatame ao ar livre de pudim. Dessa forma que podemos nos concentrar em nossos


objetivos profissionais, no momento, e não estar atolado em problemas românticos. ―Oh Deus, Vovó geme ao telefone.‖ ―Oh, Ava diz, brilhando. Como eu e Alek. Bem, como eu, eu quero dizer.‖ ―Exatamente, eu digo. Só que Luke e eu não terminamos, apenas demos um tempo.‖ ―Com quem é que eu estava falando? Vovó quer saber.‖ ―Com uma amiga minha. O nome dela é Ava.‖ ―Ela soa como Ava Geck, vovó diz com uma risada. Você sabe, a prostituta que fuma crack. O que Ava Geck está fazendo no seu apartamento?‖ ―Ela vai apenas ficar aqui por alguns dias, eu digo. A chamada em espera se acende. Eu digo, vovó, você pode esperar um segundo? Tem alguém na outra linha.‖ ―O que mais eu tenho que fazer? vovó quer saber.‖ Então eu atendo a outra chamada. ―Olá?‖ ―Lizzie? É Shari. Você está bem? Liguei logo que ouvi.‖ Eu pisco. Na tela da televisão, Da Brat pegou um punhado de cabelo dourado de Ava (aplique pelo menos) e está usando-o para arrastá-la através do pudim. ―Claro que estou bem, eu digo. Do que você está falando?‖ ―Eu só estava conversando com Chaz, Shari diz, e ele disse que você e Luke tinham terminado. Liguei logo depois que ele me disse. Eu pensei que você estaria chateada. Mas você parece terrivelmente calma sobre isso.‖ ―Porque nós não terminamos, eu digo entre os dentes. Estamos dando um tempo. Claro que estou calma sobre isso. Foi idéia minha.‖ ―Oh, Shari diz. Um tempo. Eu pensei que Chaz tinha dito um término. Ele falava tão rápido. Ele queria sair do telefone comigo para que ele pudesse falar com Luke‖ ―Oh, veja esta parte, Ava diz, apontando para a tela da televisão. Aqui é onde eu a faço comer. O pudim, quero dizer.‖ ―Quem é que está com você?‖ Shari pergunta. ―Ah é Geck Ava, eu digo. Quando Ava faz um movimento frenético e assustado pra mim, eu rolo os olhos e acrescento, Mas não conte a ninguém que ela está aqui. Ela está


se escondendo dos paparazzi. Ela abandonou o namorado príncipe grego, que ela deveria se casar neste fim de semana.‖ ―Santa merda!, Shari diz. E ela vai ficar no seu apartamento? Ela pode dar ao luxo de um buraco um pouco melhor?‖ ―Obrigado,‖ digo sarcasticamente. ―Bem, desculpe. Mas você sabe que é verdade. Então você está realmente tudo bem com essa coisa de tempo com Luke? Eu pensei que você estaria em histeria.‖ ―Eu estou realmente bem com ele, eu digo. Como eu disse, foi minha idéia. Eu pego a caixa de suco de laranja na cozinha. Todas as coisas que estavam guardadas a meses dentro de mim vieram a tona. Eu até disse a ele sobre minha Spanx.‖ Minhas bochechas ficam vermelhas ao lembrar.* *(Eu procurei tanto na parte que eu traduzi quanto na original e não vi em nenhum momento ela contando da Spanx ―aquelas cintas de redução de volume‖ para o Luke, então eu não sei se a tradução ta certa. Se alguém quiser dar uma olhada lá fiquem a vontade) Há um silêncio no final da linha. Em seguida, Shari diz, ―Lizzie. Você está me dizendo que seu noivo não sabia que você usava calcinha com controle de volume?‖ ―Não, eu digo, abrindo a porta da geladeira. Ele não soube. Não admira que ele não me respeite. O que há de respeitar? Eu sou uma fraude completa.‖ ―Oh, querida, Shari diz. Eu não acho que você é uma fraude. Apenas complicada.‖ ―Sou uma fraude sim Shari, digo eu, batendo a porta da geladeira com o pé. Uma grande, fraude que prefere gastar o tempo restaurando vestidos de casamentos dos outros do que com seu próprio noivo.‖ Não era pra falar essa última parte, também. O que isso diz sobre mim? Shari suspira. ―Eu penso que este tempo é uma boa idéia. Ambos podem passar o verão e por a cabeça no lugar, colocando as coisas em perspectiva. Ter algum espaço. Tem sido muito intenso estes doze meses desde que você conheceu naquele trem.‖ ―Certo, eu digo.‖ Eu sei que o que ela está dizendo faz sentido. Eu sei que o que eu acabei de dizer a Luke lá fora na varanda, faz sentido. Tudo faz sentido. Então, por que meu coração dói tanto, de repente?


―Eu tenho que ir, digo-lhe. Vovó está na outra linha. Minha voz arranha um pouco. Luke e eu terminamos de vez não foi?‖ ―Não, Lizzie, Shari diz. Não pra sempre. Quer dizer, eu não penso assim. Não necessariamente. Não, se você não quiser. Você quer?‖ ―Eu não sei, eu admito miseravelmente. Estou tão confusa.‖ Eu me lembro como ele me deu um beijo de despedida lá fora no alpendre. Era a minha imaginação ou foi como um beijo de alivio? Não alívio que estávamos terminando. Mas o alívio por estar um pouco mais perto de fazê-lo?‖ Isso tem que ter sido minha imaginação hiperativa. Luke que voltou e me pediu em casamento, depois de tudo. Eu terminei com ele da última vez, lembra-se? É ele que veio rastejando, implorando o meu perdão. Ele fez a mesma coisa novamente esta noite. Se ele quer terminar, por que ele continua voltando, toda vez que eu dou-lhe o que ele quer? Eu quero terminar com ele? Como foi que Shari disse a meses atrás nessa mesma cozinha? ―Eu só me preocupo de que a razão que você disse sim para o Luke é porque você queria se casar tanto com ele, e depois você descobriu que ele não queria se casar com você, você seguiu em frente. E depois, ele repentinamente volta e quis casar com você depois de tudo, você pensou que tinha que dizer sim , porque você foi tão inflexível que isso é o que você queria o tempo todo. Mas você sabe Lizzie, está tudo bem se você mudar de idéia.´´ Não. Era a outra coisa. Que eu amo a idéia que eu tenho de Luke, e não o Luke em si. Mas isso é ridículo. Não é? Quero dizer, como você pode amar a idéia de alguém, e não a própria pessoa? Claro que eu amo Luke. Eu amo que ele quer ser um médico e salvar as crianças, e eu adoro seus cílios, e que eles sempre parecem tão impecavelmente juntos, e cheira tão bem quando ele sai do chuveiro. Isso não são idéias. Essas coisas são reais. Não são? ―Brigas como esta, Shari continua, às vezes pode tornar os casais mais fortes. Isso quase sempre é uma coisa boa. Botar o que está incomodando pra fora e se abrir com a outra pessoa torna as coisa melhores, Chaz diz...‖ ―O quê? Eu pergunto, voltando ao presente, à menção do nome Chaz. O que Chaz disse? Eu não posso acreditar que ele ligou pra você. Desde quando é você e Chaz de repente ficaram tão íntimos?‖ ―Você sabe Chaz e eu sempre fomos amigos, Shari diz. Eu o amo como um amigo. E sempre amarei. E ele te adora, você sabe. Ele sempre adorou. Ele estava preocupado com


você. Ele diz que correu para fora no meio de um restaurante e saltou para limosine‖ ―Ava Gecks, eu digo.‖ Ava, na sala, olha para cima e me chama, ―Sério, você tem que assistir a esta parte. Isto é onde Tippy chega e começa a raspar as pernas! Com pudim!‖ ―Eu obedientemente levanto a cabeça de volta para a sala de estar. Realmente, eu digo ao telefone. Eu estava bem. Eu fiquei tão louca com Luke. Você sabe? Ele disse um monte de merda pra mim, e mesmo em frente Chaz e de sua nova namorada, Valência. Que é a Senhorita Perfeita. Você deveria vê-la, sem nenhuma celulite. Além disso, ela tem um Ph.D. Ela me chamou solipsista.‖ ―Ela chamou de quê?‖ ―Solipsista*.Falo novamente‖

*( Um solipsista é alguém que acredita que ele próprio é a única coisa que realmente existe, que as outras pessoas e o universo em geral só existem na sua imaginação, e que se ele deixasse de os imaginar estes também deixariam de existir.) ―Ela disse isso?‖ ―Na minha cara, eu digo, assentindo vigorosamente, apesar de Shari não poder me ver. Por quê? O que significa?‖ ―Hum. Eu não tenho certeza, Shari diz. Mas ela está mentindo. Olhe, me ligar de volta depois de falar com vovó. Pat e eu vamos fazer um churrasco no 4 de julho* e nós queremos que você venha.‖ *(Independência dos EUA) ―Sério? Estou comovida. Shari, Eu vou adorar ir‖ ― Ótimo. Vai ser fantástico. Nós temos o jardim para nós, você sabe, para o churrasco, e então nós também teremos direito ao telhado, para que todos possam ir lá para cima depois do anoitecer e ver os fogos de artifício. Tem uma bela vista. ―Oh, Shari, soa perfeito. Posso levar alguma coisa?‖ ―Apenas a sua cara adorável. Chaz está trazendo uma torta de morango ruibarbo*, e talvez uma torta de mirtilo*, também, se ele poder‖ *(Frutas típicas dos EUA)


―Espere. Eu não posso acreditar no que estou ouvindo. Você convidou Chaz?‖ ―Claro que eu convidei Chaz, Shari diz. Você não acha que eu iria deixar ele ficar sozinho no 4 de julho ou sair com a horrível Valencia como você mesma diz?‖ ―Não, eu digo, pensando que não havia nenhuma maneira, se Luke estivesse na cidade, ela não teria me convidado para o seu apartamento. Não se pensava que havia uma chance de eu levá-lo comigo. Nem em um milhão de anos. Eu apenas não soube que vocês estavam tão próximos.‖ ―Ei, eu não rompi com o cara, porque eu não gosto mais dele, Shari me lembra. Eu terminei com ele porque eu caí no amor por outro alguém. Ele é um grande cara. Eu só espero que ele encontre alguém que possa apreciá-lo, você sabe? Ele tem muito a oferecer.‖ ―Eu acho que ele já encontrou alguém,‖ eu digo com tristeza. Eu não mencionei o salto que meu coração deu no início da noite, quando o vi. Eu ainda não parei pra pensar sobre isso. Eu não tenho certeza se eu quero, tampouco. ―Quero dizer de alguém agradável, Shari diz. Não a vadia sem celulite do departamento de filosofia livre. Não lhe disse isto, mas há uma linda garota nova na minha sala que estou esperando para apresentá-la. Eu especificamente disse a ele para vir sozinho para que eu pudesse junta-los. Eu acho que eles se darão bem. Ela ama o basquete universitário também. Eu não acho que ela não se preocupa com bonés de beisebol. E eu sei que ela nunca usou a palavra solipsista na conversa.‖ Eu sinto como se Shari tivesse apenas empurrado uma faca no meu coração. Realmente. Meu melhor amigo. Eu mal posso respirar, na verdade, de tão ferido. ―Ela é bonita? Eu me ouço chiando. É surpreendentemente difícil falar com uma faca em meu peito.‖ ―O quê? Shari pergunta. Você acabou de me perguntar se ela é bonita?‖ ―Não, eu digo rapidamente. Eu perguntei se ela era espirituosa. Porque você sabe que Chaz só gosta de meninas espirituosas. Porque ele é tão inteligente.‖ Ah. Deus. O que está errado comigo? Como eu posso ficar preocupado com isso? Eu estou bem, possivelmente, provavelmente, rompendo com o meu noivo a longo prazo, o homem dos meus sonhos, agora mesmo. Por que eu estou mesmo dando um tempo. Por que eu me importo com o fato de Shari estar arrumando uma menina de seu escritório para Chaz? Eu estou noiva do melhor amigo de Chaz. Mesmo que estejamos dando um tempo.


―Isso é ótimo, eu digo com entusiasmo forçado.‖ ―Eu sei. De qualquer forma, te vejo na quarta, por volta das sete?‖ ―Vou estar lá,‖ eu digo, e depois de Shari me perguntar mais uma vez se estou bem, e eu garantir-lhe que eu acho que estou, apesar de ter certeza que não, nós nos despedimos e desligamos. ―Oh merda‖, eu digo, lembrando de vovó quando ouço sua respiração. ―Yeah. Sua voz irritada enche meu ouvido. Ainda aqui. Lembra-se de mim? A avó?‖ ―Eu sinto muito, eu digo. Isso foi Shari‖. ―Claro que foi, vovó diz em uma voz entediada. Você ainda não respondeu à minha pergunta. Por que você não pegou o cara* ainda?‖ *( no original está shtupped e eu não faço idéia do que significa, sugestões?) ―Eu respondi à sua pergunta, eu digo. Porque eu sou noiva de seu melhor amigo. E onde é que você aprende uma palavra como shtup?‖ ―TV, vovó diz, parecendo ferida. Onde mais? E o que interessa com quem você tem compromisso, vocês deram um tempo, está no seu direito.‖ ―Vó, digo cansado. Como você pode saber?‖ ―Porque estive viva muito mais tempo do que você. Agora, o que é que você vai fazer sobre isso?‖ ―Nada, vó, eu digo. Ele tem uma nova namorada. Ela é muito bonita e inteligente. Seu nome é Valência.‖ ―O que é isso um tipo de laranja?‖ ―Vovó, Você sabe o que eu quero dizer. Ela é perfeita para ele.‖ ―Então? Vovó soa ofendido. E você não é?‖ ―Não, vovó, eu digo miseravelmente. Eu não estou. Eu sou apenas sou eu‖ Eu não sei como prosseguir, realmente, ou mais o que dizer. Encontro-me, por uma das primeiras vezes na minha vida, sem palavras. Como eu posso explicar a ela apenas que Valência não é só tão perfeita para Chaz como para qualquer indivíduo, Enquanto eu, bem, não sou.


Vovó, porém, vem em meu socorro. ―Yeah, yeah, yeah, diz ela. Eu sei. Você é comprometida. Eu ouvi. Comprometido não é casado, você sabe. Você está comprometida mais não está morta. Ouça, eu tenho que ir. Meu programa já vai começar. Eu já vi isso antes. Eu vi tudo isso antes. Mas isso é uma das boas coisas sobre ficar velho. Eu não posso recordar como um único desses episódios malditos termina. Falo com você depois.‖ Ela desliga. Eu faço o mesmo e me viro para encontrar Ava olhando para mim com uma expressão ferida no rosto. ―Você está indo em algum lugar no 04 de julho?‖ ela pergunta, infelizmente. Leva-me um minuto para registrar o que ela está dizendo. Então eu balanço a cabeça. ―Apenas para um churrasco, eu digo. Na casa da minha melhor amiga. No Brooklyn. Quando Ava continua com o olhar aflito, eu adiciono, Ava você pode vir, se você quiser. Mas você não tem outros planos? Quer dizer, o 04 de julho é só na próxima semana. Você provavelmente terá obtido um melhor convite do que o meu. E, se Deus quiser, você já vai na sua casa.‖ ―Eu não sei, Ava diz. Talvez. Chaz vai estar lá?‖ ―Sim, eu digo devagar, perguntando onde ela que chegar.‖ ―Eu gostaria de ver esse cara, Ava diz. Você fala muito dele. Talvez eu apareça por lá. Oh, lá está ele! Ela aponta o dedo de manicure francesa para a tela.‖ E eu tenho o privilégio de contemplar, pela primeira vez, a DJ Tippycat. Ele é surpreendentemente normal, parecendo um pouco baixo, um pouco calvo e vestindo uma camisa com a palavra Wonderbread* escrito nela. Na verdade, se estivesse aqui Shari iria acusá-lo de ser um Nebbish.** *(Marca de pão de forma americano) **(não faço idéia) ―Uau, eu digo. Aquele é...‖ ―Eu sei, Ava diz com um suspiro. Ele não é quente?‖ E eu percebo que realmente que gosto não se discute. Pelo menos quando se trata de DJs. E, eu estou bastante segura, de príncipes. E Ph.D.s em filosofia.

A HISTÓRIA DOS CASAMENTOS Durante a época medieval, os casamentos representavam não só a união de duas pessoas, mas de duas famílias, ou mesmo dois países, era necessário para a noiva se vestir para impressionar, ou seja, mergulhar não apenas em jóias, mas nas mais caras peles e materiais que poderiam ser encontrados, pois ela devia representar sua linhagem nobre.


Assim, foram introduzidos aos vestidos de casamento das noivas das famílias mais ricas e poderosas, vestidos luxuosos com caudas tão compridas como um trem. Obviamente, aqueles nos degraus mais baixos da escala social, tentaram copiar os ricaços até que, bem, todos os vestidos de casamento eram longos e luxuosos. Não foi até a rainha Vitória escolher vestir branco para o seu casamento com o príncipe Albert que a cor se tornou a escolha mais popular para vestidos de casamento. Até então não era pensado para representar a pureza das noivas em branco, azul era! Mas ficou branco para noivas, desde então, e temos de agradecer os vitorianos para que juntamente com o conceito de evolução, a educação pública gratuita e não se esqueça de Jack, o Estripador! COMO EVITAR UM DESASTRE NO DIA DO SEU CASAMENTO Enquanto atrizes como Sarah Jessica Parker podem ser capazes de fugir com um vestido de noiva preto, um toque de branco para reconhecer a natureza especial do dia é geralmente apreciado. Se vestir de preto no dia do seu casamento seja realmente considerado má sorte. Embora isso não pareceu afetar Sarah (como descrito acima), realmente, por que arriscar? LIZZIE NICHOLS DESIGNS CAPITULO 13 Há três coisas em que duram: a fé, a esperança e o amor, o maior destes é o amor. I Coríntios 13:13 Eu acordei na manhã seguinte ao som de um suspiro horrorizado. Eu fiquei no sofá ignorando o crick no meu pescoço, provocado por ter passado a noite em um sofá menos confortável. Olho para a janela, onde Ava está de pé. ―O quê?‖ Eu exijo, à espera de encontrar um corpo morto, no mínimo. Mas tudo que eu vejo são algumas dezenas de paparazzi à espreita abaixo. Ava aponta um dedo trêmulo para eles. Eles ainda não a notaram na janela, pois eles estão encostados carros estacionados, fumando cigarros e bebendo café em copos de Starbucks*.


*(Uma rede de cafeterias) ―Como, exige Ava, numa voz áspera, eles me encontraram?‖ Eu olho para baixo e olho os fotógrafos com suas barbas e calças cargo e câmeras com suas múltiplas lentes. ―Como posso saber? Eu pergunto. Eu tento não soar tão esquisito como eu sinto. Eu não sou realmente uma pessoa da manhã, e menos ainda depois da minha noite no sofá. Eu não contei a ninguém que você estiva aqui.‖ ―Bem, Ava diz. Ela pegou Branca de Neve e se agarrando a ela contra o peito coberto com um pijama de seda. Eu certamente não contei a ninguém que eu estava aqui.‖ ―Little Joey? Eu pergunto.‖ ―Ava balança a cabeça. De jeito nenhum. Tem certeza de que você não disse a ninguém? Ava começou a correr sobre o apartamento, recolhendo suas coisas e enchendo-as de volta em suas sete malas tão rápido quanto ela pode fazê-lo com uma mão, uma vez que ela ainda estva agarrada com seu cão. Que tal Luke? Luke poderia ter contado a alguém? Pode ser que ele esteja com raiva de você por terminar com ele.‖ ―Não terminamos, eu lembro a ela. Eu lhe disse, estava apenas dando um tempo. Além disso, ele nem sequer sabe quem você é.‖ Percebo Ava morder o lábio inferior para fora uma fração de segundo, mas ela prefere ignorar este inoportuno de lembrar que nem todo mundo é viciado em Entertainment Google News.* *(Deve ser um canal de TV) ―Bem, e sua amiga Shari? , pergunta ela. Você disse a ela para não contar a ninguém que eu estava aqui, não disse?‖ ―Claro que eu disse, eu disse. Ela nunca diria uma palavra. E sobre o seu motorista da limusine? Ele teria contado a ninguém?‖ ―Absolutamente não. Todos eles assinam um acordo de confidencialidade com a empresa onde trabalham. Ele nunca disse uma única palavra, não se ele não queria perder o emprego. Ava pausa enquanto ela tecla números em seu telefone celular. E quanto a sua avó?‖ ―Eu imediatamente comecei a mastigar o meu lábio inferior. Vovó. Eu esqueci de dizer para vovó não contar a ninguém que Ava Geck estava em meu apartamento. Mas certamente ela não...‖


―Sim, Ava diz, olhando para longe de mim. Isso é o que eu imaginei. Alguém aitende do outro lado da linda. Joey? Ela diz ao telefone. Um código. Fomos comprometidos. Venha agora.‖ ―Mas ela não teria contado a ninguém, eu insisto, arrastando atrás de Ava quando ela vai para o banheiro. Quero dizer, vovó nem sabia ao certo que era você. E ela não teria conhecido para quem ligar. Ela não tem exatamente a TMZ* ou qualquer outro na discagem rápida!‖ ―Sim, Ava diz, olhando firmemente. Bem, ela se parece ter pegado rápido não foi‖? ―Me seguro para não estourar com ela. Você que pegou o telefone! Você é a única que lhe ensinou como programar a temporada para passar em seu TiVo!‖ Embora, que a culpa não é de Ava eu sei. É minha. Eu e minha boca grande. Como de costume. ―Ava, eu digo. Me desculpe. Eu sinto muito, muito mesmo‖ ―Deixa pra lá, Ava diz, com um encolher de ombros magros. Percebo que ela olha pra mim. Estou indo tomar uma ducha. Quando Joey chegar ele vai apertar a campainha três vezes rápido, em seguida, duas vezes, bem devagar, assim você saberá a sua ele. Ok?‖ ―Ok. Eu me sinto terrível. Ava‖ ―Basta deixá-lo entrar, Ava diz. Ok?‖ ―Aceno de novo, então saio do banheiro para que ela possa fechar a porta. Um segundo depois, eu ouço o barulho de água.‖ Eu não posso acreditar nisso. Que desastre! A integridade do Chez Henri foi totalmente comprometida. Sem mencionar a minha integridade pessoal. Não que eu tenha muita para começar. Ainda assim, eu não posso acreditar que vovó de todas as pessoas tenha sido quem chamou os paparazzi de Ava. Ela sequer sabe como fazê-lo. Mas o dano está feito, E obviamente eu tenho que saber. Eu tenho que saber se realmente foi culpa minha. Eu pego o telefone e ligo para casa dos meus pais. Vovó atende no primeiro toque. ―O quê? ela exige.‖ ―Vovó‖, eu digo. Eu manterei minha voz baixa, no caso de Ava ter acabado no chuveiro e estar de espionagem, como ela é muito acostumada a fazer.


―Quem é ? Fala vovó. Lizzie? Não tem ninguém aqui. Seu pai no trabalho, e sua mãe no Y(?). Suas irmãs só Deus sabe onde‖ ―Tudo bem, é com você que eu quero falar, afinal, eu digo. Você disse a alguém sobre Ava Geck ficar no meu apartamento?‖ ―Bem, bom dia para você também, vovó diz. Você já pegou o cara*? *(ela ta falando do Chaz, mas deu pra sacar né?) ―Vovó, eu sussurro. É sério. Você disse a alguém sobre Ava?‖ ―Claro que não, vovó diz, parecendo irritada. A quem eu diria? Ninguém fala comigo, exceto você. Sou uma avó muito velha e bêbada demais para alguém levar a sério‖ Sinto-me começar a relaxar. Não havia sido culpa minha, afinal. Pela primeira vez na minha vida, não havia sido eu. ―Embora, vovó diz, em um tom diferente, sua irmã Rose estava me espionando ontem à noite, enquanto eu estava falando com você.‖ Eu sinto meu sangue gelar. Se tivesse sido Sarah, Eu não estaria preocupada. Mas Rosa é uma história diferente. ―Você acha que você ouviu? Eu pergunto.‖ ―Eu sei que ela me ouviu, vovó diz. Ela perguntou um monte de coisas depois que eu desliguei, porque como eu estava perguntando sobre Ava Geck, e o que Ava Geck estava fazendo em seu apartamento. Eu apenas disse a ela o que eu sabia‖ Eu solto a pior maldição que eu conheço. Vovó sendo vovó, não me impressiona. ―Bem, ela diz. Você não pode culpá-la exatamente. Não é como se ela não precisasse de mais dinheiro, a forma como ela está estoura com seus cartões de crédito em roupas com o desconto que especialmente na TJ Maxx*. E o bundão do um marido dela foi despedido outra vez, e ele não é exatamente discreto para o contador de jóias da JCPenney**. Você devia ver as correntes de ouro que ele usava no pescoço na piscina no outro dia.‖ *(Uma loja de departamento)**(Uma loja chique) Eu fecho meus olhos, tentando chamar a força que eu preciso mas ganhando lágrimas no local. Rose está nadando em dívidas. Isso não significa que eu não quero subir em um avião para Ann Arbor e estrangulá-la.


―Se você ver a Rose hoje, vovó, eu digo, você pode dar-lhe um chute rápido no traseiro por mim?‖ ―Não se preocupe, vovó assegura-me, saboreando, como sempre, estar no meio de uma luta entre mim e uma das minhas irmãs. Vou lembrá-la da forma como a gordura em seus braços saltava fora daquele vestido sacana que ela usava para seu baile de formatura. Isso sempre a faz chorar. Como as malditas Cataratas do Niagara.‖ ―Obrigado,‖ digo eu, e desligando e começo a me sentir apenas um pouco melhor. Realmente, as coisas poderiam ficar ainda pior? E ainda assim elas ficam quando, meia hora depois, Ava emerge do meu banheiro procurando perfeitamente penteada em uma estampa animal roxo com sapados laranja brilhante, e encontra Little Joey e eu esperando por ela no sofá. ―Pronto? ela pergunta a ele, nem mesmo olhando para mim.‖ ―Ava, eu digo, saltando para cima. Eu sinto muito. Você estava certa. Quer dizer, eu disse à minha avó. Mas não foi culpa dela. Foi minha irmã‖ Ela aprova com a cabeça e me corta. Mas eu posso dizer de sua expressão que não está tudo bem. Longe de estar bem. ―Estamos indo agora. Certo, Joey?‖ ―Joey levanta seu corpo enorme do sofá. Certamente Senhorita Geck. Eu já peguei as malas.‖ ―Ava, eu digo, novamente.‖ ―Está tudo bem, Lizzie, Ava insiste.‖ Mas eu sei que não está. Nada está. Nada nunca mais vai estar pelo menos, entre mim e Ava novamente. Eu os assisti sair pelas janelas da sala. Os paparazzi jogaram fora seus cigarros, cuspiram o café e correram para a entrada da loja. Ava anda pela porta da frente do meu prédio com Little Joey como escudo dela fazendo o melhor que pode, usando os cotovelos e a barriga para forjar um caminho para que a limusine à espera. Ava sobe no interior, Little Joey segue, e saem a toda velocidade, os fotógrafos em perseguição. E então minha rua é calma novamente. Se não fosse pelas marcas em minha calçada e chumaço de cabelos loiros em minha pia, seria como se eles nunca estivessem aqui. Mas eu sei que eu não só acabei com um relacionamento com o cliente importante. Pior,


eu acabei com uma amizade. E honestamente, não tenho ninguém para culpar, além de mim mesmo. Assim como todas as outras confusões em minha vida no momento. Ótimo. Maravilha. *** Eu nunca tinha ido até o telhado de Shari e Pats antes, mas é como se eles tivessem construído um oásis no pequeno jardim lá. Em um conjunto de pau-brasil, cercado por caixas transbordando de flores estourando com gerânios, você pode ver o horizonte de Manhattan, levantando-se em toda a sua glória fora do East River*. Um ponto de vista incrível. E todo deles. *(o rio que corta a ilha de Manhattan) Bem, juntamente com todos os outros inquilinos na sua construção. E todos os outros telhados vizinhos ao longo da sua rua. Todos eles estão tendo 04 julho do mesmo jeito como a deles. Mas eles não estão prestes a deixar todos os alto-falantes estéreo para baixo. Shari, pelo menos, tem um monte de outras questões para se preocupar. ―Eu não posso acreditar que ele trouxe, Shari continua dizendo, lançando olhares escuros em direção a Chaz.‖ ―Eu disse que ele faria.‖ Eu tomo sorvete como não há nada mais a ser servido, o que não é verdadeiro, porque há também hambúrgueres, cachorros quentes, batatas fritas, cerca de dez diferentes tipos de salada de macarrão, e, claro, as duas tortas que Chaz trouxe. Mas de alguma forma, única coisa que me faz sentir melhor é sorvete. Tem sido uma semana longa. A semana loooooooonga. E a visão de Chaz sentado ali com o Valência, que está olhando fresco e sereno, apesar dos noventa graus de calor, em calças de linho branco e uma blusa preta que mostra o braço perfeitamente tonificado não está fazendo muito para me fazer sentir melhor. ―E cadê a menina?‖ Pergunto entre goles de refrigerante. ―O que você está falando?‖ Shari quer saber. ―A menina você está tentando juntar com Chaz. É ela?‖


Eu aponto para uma menina bonita que se juntou Chaz e Valência sobre o isopor com cerveja ambos sentados ao lado. ―Sim, Shari diz, olhando irritada. Veja como eles combinam? Eles seriam perfeitos um para o outro, mas ele trouxe aquela puta frígida com ele. E o que é Tiffany fazendo lá com eles? Ela está totalmente monopolizando a conversa, ao que parece.‖ Eu levo uma mordida enorme do meu sorvete. ―Eu não sei, eu digo, minha boca cheia demais para dizer mais. Felizmente.‖ Eu não menciono que Tiffany, que me trouxe no carro de seu noivo, Raoul, havia jurado para mim que ela estava indo para evitar que Chaz fizesse uma conexão romântica com a garota do escritório de Shari, porque ele era totalmente certo para mim (palavras dela). E, além disso, já tenho que dividir ele com essa senhora nome de laranja até demais. Eu não me incomodo lembrando-lhe pela milionésima vez que não me interessa com quem Chaz está porque realmente estou noiva de outra pessoa, mais ela só me ignora, como ela normalmente faz, e diz que estou em um pedido de tempo, e as pessoas que são felizes e envolvidos não tendem a pedir um desses. ―Hey, e como estará Ava Geck? Shari pergunta, distraindo-me dos meus pensamentos sombrios. Será que ela ainda está furiosa com você por sua saída para a imprensa?‖ Eu estremeci. A precipitação de Ava na situação acabou por ser pior do que eu poderia ter imaginado. Os Henris não tinham ficado muito felizes em ver a frente de sua loja em fotos em toda a imprensa na manhã seguinte, foi anunciado que o casamento real Ava Geck havia sido cancelado. Tentei convencê-los de que não havia publicidade ruim, mas eles não se convenceram. Eles não poderiam entender o que eu estava fazendo Ava passar a noite no meu apartamento em primeiro lugar. Assim como Luke que disse que não fui especialmente profissional ficando intima de uma cliente. Em retrospectiva, talvez eles estavam certos. Mas então, não foi minha culpa, Ava se convidou. ―Sim, eu digo. Ela não fala comigo.‖ Bem, ela é a única pessoa que conheço que não quer ser um membro da comitiva Lizzie Nichols estes dias. Shari aponta para o pequeno grupo de pessoas se reuniram em torno das tortas Chaz já a devorada . O noivo de Tiffany, Raoul, e Monique e seu noivo, Latrell, que trouxeram garrafas de champanhe e caixas de fogos e artifício com eles para contribuir para o clima de festa festivo. E para compensar o fato de que eles não haviam sido convidados. ―Ok, eu digo timidamente. Sei que quatro pessoas é muito. Mas todos eles realmente


queriam vir, eu digo. Shari a vista da queima de fogos daqui é fantástica e o fato de que o 04 de julho aconteceu de cair em uma quarta-feira este ano, tornando-se difícil de sair da cidade.‖ ―Eu não estou reclamando, Shari diz. É normal você ficar mais popular, talvez eu tenha que mudar para um lugar maior para acomodar todos os seus fãs a cada vez que você me visita.‖ ―Eu não sou popular, digo eu, envergonhada. Eu sou apenas...‖ ―Admita, Shari diz com um sorriso. Eles são como o mar em torno de você que é como uma ilha*. Como vão as coisas com o Luke, afinal? *(Não é bem isso que ela diz mas é esse o sentido, tipo que ela atrai as pessoas) ―Eu dou de ombros. Tudo bem, eu digo, falando em torno da colher de plástico vermelho pendurado minha boca. Quero dizer, assim como pode ser esperado, vendo ele está em Paris e eu estou aqui e estamos dando um tempo.‖ ―Shari aponta para o dedo anelar da mão esquerda. Você ainda está usando a aliança.‖ ―Bem, eu digo, neuroticamente melando meu rosto de sorvete, ainda estamos noivos. Ele age como tudo está bem.‖ ―Ooooh! Tiffany grita de repente, enquanto o céu se ilumina, começou!‖ Ouvimos uma explosão abafada, e a próxima coisa que eu sei, um cravo enorme de luz está explodindo no céu. ―Está faltando o acompanhamento musical!‖ Shari grita. Ela mergulha para o rádio, enquanto duas dezenas de pessoas olham para ela como se ela estivesse louca. Um segundo depois, Tiffany caminha até mim e diz: ―Ok, então aqui a RM‖ Eu viro o meu rosto para ela em confusão. ―O quê?‖ ―O R.M., diz ela. O Relatório da Missão? Quando eu aceno, ela continua, não olhe pra mim. Olhe para os fogos de artifício. Finja que estamos falando sobre os fogos de artifício. Seu nome é Mae Lin, e ela tem algum tipo como Mestrado em trabalho social ou algo assim. Ela mora em Alphabet City e ela ama o Buckeyesthats que é um time de basquete, e você está fudidamente morta.‖


Eu olho pra Tiffany. ―Tiff, eu digo enquanto o ‗boom‘ dos fogos de artifício ao longo do horizonte atrás de mim, eu lhe disse. Eu não me importo. Eu não gosto de Chaz dessa maneira.‖ ―Sim, certo, Tiffany diz com uma gargalhada rouca e toma um gole de seu champanhe. Corta essa! Se ele fosse o tipo de casar, você iria atrás dele na hora. Apenas admita.‖ Z100 está explodindo Born to Run*. A namorada de Shari, Pat, está dizendo: Não. Só não. Você está brincando com isso? Enquanto Shari diz: Querida, relaxa. *(creio eu que é uma banda e uma musica, essa parte ficou confusa) ―Aqui o que você faz, Tiffany diz, tomando a minha tigela de sorvete vazia de mim e colocando em uma mesa de piquenique perto. Vá lá, tanto Mae Lin quanto Valência saíram agora, não tem problema, elas desceram para se secar. Eu acidentalmente derramei minha garrafa de champanhe nelas quando fui dizer-lhe que as tortas eram boas.‖ ―Tiff.‖ Ela está me empurrando em direção a Chaz. Eu tranco meus joelhos, recusando-me a ceder. ―Não. Eu sou noiva. E você esqueceu o que você acabou de dizer sobre ele. Sobre o casamento. Lembra?‖ ―Deus! Tiffany dá-me outro empurrão. Por que você está sendo uma teimosa? Você pode mudá-lo! Eu sei que você pensa que os homens não mudam e, em geral, é verdade. Mas não neste caso. Com você. E ele. Acredite em mim. Eu sei. Vamos, Lizzie. Você está sempre ajudando outras pessoas. Por que você não me deixa ajudá-la de uma vez?‖ ―Porque você não está me ajudando,‖ digo entre os dentes cerrados. Tenho que levantar a voz um pouco, porque o boom da queima de fogos e o som estão muito altos. Vejo dois homens de pulseira de couro, olhando para nós com diversão. Eu viro as costas para eles. ―Eu lhe disse, Tiffany, Eu amo Luke, LUKE, não Chaz.‖


Eu quase acredito no que digo. Ao ponto que eu ainda consego me convencer de que não fazendo força, tentando não olhar para onde Chaz está sentando e pensando como ele conseguiu um bronzeado escuro tão cedo no verão, ou porque ele insiste em usar shorts cáqui. Eles estão tão indigno para o homem urbano. Embora que com pernas musculosas como a sua, ele pode, claro, usar qualquer coisa. ―Eu não acho que você ame, Tiffany insiste. E eu não posso garantir, mas eu não acho que Luke ame você, também. Ele não teria ido para a França ou concordado com a idéia estúpida fudida de um tempo como ele fez. Acho que vocês dois ficam apenas com medo de confessar que o que sentiam já não é o mesmo por um bom tempo já. Você teve um flerte de verão que durou um tempo, um tempo muito longo. Acredite em mim, Lizzie, eu sei o que amor real, e eu vejo ele ali perto do isopor de cerveja e com um fudido boné de beisebol. Agora vá lá‖ Tiffany empurra-me com uma força surpreendente, para uma pessoa tão fina assim, eu tropeço na minha sapatilha de rendas até chegar praticamente no isopor de cerveja. Eu teria caído dentro dele se Chaz não estendesse a mão e agarrasse meu braço. ―Hey, diz ele, olhando pra mim. Você está bem?‖ ―Sim, eu digo, ficando vermelho beterraba. Estou bem. Tiffany quer-me dizer-lhe que, hum. Ela gostou de suas tortas‖. Chaz olha para mim, levantando as sobrancelhas escuras. ―Ah, ele diz. Bem, isso é agradável.‖ ―Sim, digo eu, tentando recuperar a compostura. Eu também. Muito boas. As duas. ―O que eu sou?. O ser humano mais estúpido da face da terra? Ou será que só me sinto assim às vezes?‖ ―Grande, Chaz diz. Assim. Como o Tempo vai?‖ ―O tempo? Eu ecôo como uma idiota.‖ ―Sim, Chaz diz. O tempo que você e Luke estão dando‖. ―Oh, o tempo!‖ Atrás da cabeça de Chaz, fogos de artifício estão explodindo em formas surpreendentes, como maçãs e lábios vermelhos. E ele nem mesmo olha. Seu olhar está preso na minha cara. Espero que ele não veja que minha cara ainda está queimando de vergonha. ―Hum, muito bem... Luke realmente parece gostar mais de lá. É um monte de trabalho.


Mas então ele sabia que seria.‖ ―Bem, Chaz diz, pegando sua cerveja e tomando um gole, ele sempre teve uma queda por números.‖ ―Sim, eu digo. Bem, ele apenas está fazendo isso como um favor a seu tio.‖ ―Sim, Chaz diz. Certo.‖ Eu olho para ele bruscamente. ―O que você quer dizer com isso? Eu sibilo.‖ ―Como assim o que eu quero dizer? ele pergunta ele defensivamente. Eu não quero dizer nada. Eu só disse que você estava certa.‖ ―Você soa como se você estivesse sendo sarcástico, eu digo.‖ ―Bem, eu não estava sendo sarcástico, diz ele.‖ ―Você acha que ele estava desesperado para arrumar qualquer desculpa, digo eu, perdendo toda a coerência, de repente, como uma onda do mar de cristal, para deixar a cidade e ficar longe de mim. Porque eu o incomodo.‖ ―Oh meu Deus. Está acontecendo de novo. Minha boca, eu quero dizer. Estou soltando tudo. O que eu estou dizendo mesmo? Quer dizer, eu sei, é claro que eu estou a noites sem dormir, exausta de ajustar todos os dias as costuras com Sylvia e Marisol.‖ Mas por que eu estou falando isso pra Chaz, de todas as pessoas? Chaz parece estar se perguntando a mesma coisa. ―Qaunto vinho você já tomou?‖ Chaz pergunta, rindo com descrença. ―Nenhum, eu digo. Surpreendentemente, é verdade. Além disso, estou desejando calar a boca. Mas minha boca continua a mover sem mim, como de costume. E você está errado. Eu não o sufoco em tudo. Se alguma coisa acontece, é eu não prestar atenção suficiente para ele. O que desmente completamente o que você disse naquele dia.‖ ―Que dia?‖ Chaz pergunta, mais confuso do que nunca. ―O dia que eu lhe disse que ele propôs. Você disse que ele estava propondo apenas porque tanto medo de ficar sozinho, ele preferia estar com uma menina que sabe o melhor para ele do que ficar sozinho.‖ Cala. A. Boca. Lizzie.


―Chaz pisca para mim. Bem, ainda acho que é verdade.‖ Mas você não pode ter as duas coisas. À distância, os fogos ainda estão fora, em sucessão muito mais rápido do que antes. Boom. Boom. Boom. Cada explosão parece ser programada para sair com meu coração em vez do Bon Jovi canção que agora explode a partir do rádio em torno de nós. Estou em pé tão perto de Chaz que eu posso ver o seu peito subindo e descendo no mesmo ritmo na frente de sua camisa polo de mangas curtas. Eu quero colocar minhas mãos sobre o peito para ver se seu coração está batendo no mesmo ritmo que o meu também. ―Deus, o que há de errado comigo?‖ ―Ou estou sufocando ele, ou ele está com medo de ficar sem mim, eu deixar escapar vez. Qual é?‖ ―Certo está completamente insano agora, Chaz diz-me, ainda rindo um pouco. Você sabe disso, não é?‖ A verdade é, eu sei disso. Mas saber não ajuda. ―Você é seu melhor amigo, eu indico. Você o conhece mais tempo do que eu. E parece que você tem tantas opiniões sobre o nosso relacionamento. Ou pelo menos você tinha. Eu percebo que não falou mais sobre isso em um tempo porque esteve tão ocupado com Valência, mas eu suponho que você deve ter algumas novas teorias sobre o assunto. Vá em frente. Deixe-me ouvi-las.‖ ―Não agora, Chaz diz, olhando para mim com um sorriso só posso chamar sugestivo. Muitas pessoas ao redor. Por que você não vem para minha casa depois disso? Terei o prazer de dizer-lhe toda a teoria que eu conheço. E ilustrá-la, também.‖ O sorriso fez a minha respiração ficar presa na minha garganta. Não é que estou prestes a deixar que ele saiba disso. ―Oh, você gostaria não é? Eu exijo. Estou tão perto dele, agora que nossos rostos são apenas centímetros de distância. É essa a única maneira que você pode se relacionar com as mulheres? Como objetos sexuais?‖ ―Como você sabe perfeitamente bem, Chaz diz, olhando ofendido, não. Qual é o problema com você hoje? É sobre o Valência? Você está com inveja ou algo assim? Eu não acho que eu teria que lembrar que você é que é uma noiva.‖ ―Certo. E de seu melhor amigo.‖


―Seu noivo. Como você parecem sentir a necessidade de lembrar-se.‖ ―Pelo menos eu tenho um noivo, eu digo. Pelo menos eu não sou um aleijado emocional que tem medo de me comprometer com alguém só porque a garota que eu gostava acabou por gostar de meninas.‖ ―Ah, é? Chaz diz com os olhos azuis mais brilhantes do que qualquer dos fogos de artifício que explodiram no céu da noite até agora. Bem, pelo menos eu não consegui me comprometer com o primeiro cara que me pediu para casar com ele só porque estou no negócio de vestido de noiva e eu não poderia ficar vendo todos os meus clientes conseguir os anéis de diamante bonito em seus dedos e não ter um para mim.‖ ―Eu sugo minha respiração, indignada assim como meu celular vibra no bolso do meu vestido de sol riscado. Eu tenho que manter a coisa estúpida em todo o tempo esses dias por causa dos vestidos de noiva emergência. Ainda não tenho casamento agendado para hoje.‖ ―Isso, é tão falso. Acontece que eu amo Luke. E eu quero passar o resto da minha vida com ele.‖ ―Sim, zomba Chaz. Continue repetindo. Talvez algum dia você mesma começa a acreditar nisso.‖ ―Eu deslizo o telefone fora, pensando que talvez Luke está chamando embora seja quase duas horas da manhã na França e depois vejo que é minha mãe.‖ ―E eu acho, eu digo a Chaz, que você acha que você é muito melhor para mim do que ele é.‖ ―Vou te contar uma coisa, Chaz diz. Eu não seria suficientemente estúpido para ir para a França no verão e deixar uma garota como você em seu próprio país, cercada de caras como eu.‖ Atrapalhado por isso, eu atendo o telefone, quase pendurado sobre minha mãe na minha tentativa de responder à sua chamada.‖ ―Mãe? No fundo, os fogos de artifício estão alcançando seu ápice. Está chegando o grand finale. Eu não posso falar agora. Depois eu ligo de volta‖ ―Oh, Lizzie, querida, minha mãe interrompe. Eu sinto muito. Eu sei que você está na festa Shari. Falei com a mãe dela no início da semana, e mencionou que você iria a uma festa na Shari hoje e eu não quero desperdiçá-la para você. Mas eu queria te dizer antes que você ouça de outra pessoa:


Vovó morreu.‖ Os fogos são tão alto, eu não acho que eu ouvi-la corretamente. Eu coloquei um dedo no meu ouvido e gritei, ―O QUE?‖ ―Querida, VOVÓ MORREU HOJE. Você está me ouvindo? Eu só queria ter certeza de que você não ouvisse em sua secretária eletrônica. Docinho? Você está aí?‖ Acho que estou em choque. ―O que ela disse?‖ ―Lizzie? Chaz está olhando para mim com uma expressão engraçada no rosto. O que é?‖ ―Você está me ouvindo agora? Mamãe está pedindo no meu ouvido. Eu posso ouvir o barulho ai. Quando eu digo que sim, ela diz: Ah bom. Enfim, foi muito pacífica. Ela partiu em seu sono. Eu encontrei-a lá esta tarde, em sua cadeira. Ela deve ter cochilado assistindo Dr. Quinn. Você sabe que ela descobriu como gravá-lo. Ela tinha uma cerveja em uma mão, eu não sei como ela conseguiu segurá-la. Bem, nós tínhamos um churrasco de 04 de julho, ela deve ter surrupiado de qualquer maneira, eu só queria que você soubesse, estamos planejando um serviço memorial para este fim de semana. Eu sei como você está ocupada, mas espero que você seja capaz de vir. Você sabe como ela gostava de você. Sei que não é justo isso de favoritos com vocês meninas, mas você realmente sempre foi o que ela mais gostou de todos os netos‖ O mundo parece ter virado de pernas pro ar. De repente, eu não posso levantar-me mais. Eu sinto meus joelhos cederem, mas eu não caio, porque Chaz tem o seu braço em volta de mim e está me levando para o resfriador de cerveja, da qual ele fechou a tampa. Ele me senta, então afunda-se ao meu lado, um braço em volta dos meus ombros. ―Tente se segurar. Basta respirar.‖ ―Vovó está morta, eu digo a ele.‖ Eu não posso vê-lo muito bem. Então eu percebo é porque estou olhando para ele através de um véu de lágrimas. Eu estou chorando. ―Eu sinto muito, diz ele. Lizzie, Eu sinto muito mesmo.‖


―Ela estava assistindo Dr. Quinn, digo-lhe. Eu não sei porque. Mas é tudo em que eu consigo pensar. E bebendo cerveja.‖ ―Bem, ele diz. Se ela tinha que ir, essa é a maneira de que gostaria de fazê-lo.‖ Eu solto um soluço, a meio caminho entre um soluço e um riso. ―Lizzie? Mamãe fala no meu ouvido. Quem está com você?‖ ―Ch-Chaz, eu digo com outro soluço.‖ ―Oh, querida, disse a mamãe. Você está chorando? Eu não pensei que você estaria tão chateada. Vovó tinha noventa, você sabe. Não foi totalmente inesperado.‖ ―Foi pra mim‖, eu lamento. Sei vagamente que a queima dos fogos de artifício acabou, e que a sua crescido muito quieto, de repente. Sei, também, que as bolhas pálidas que eu posso ver através das minhas lágrimas são os rostos de todos na festa de Shari. E que eles estão todos voltados para mim. Eu luto para recuperar a compostura, chegando e tentando enxugar as lágrimas com as costas de meu pulso. Mas elas não vão parar. Elas apenas parecem vir mais rápidas. Chaz, parecendo perceber o problema, me puxa para um abraço. E de repente estou chorando contra o peito. ―Oh, mãe diz confortavelmente em meu ouvido. Eu estou segurando meu celular firmemente em uma mão, e na frente da camisa Chazs com a outra. Bom. Estou contente por Chaz está ai. Ele é um bom, velho amigo e vai cuidar de você.‖ Eu não mencionei que o meu bom, velho amigo, não cinco minutos atrás estava a fazer sugestões sobre as teorias lascivas que estava querendo me levar pro seu apartamento. Sim isso é tudo o que consegue me fazer calar a boca. Porque a verdade é que, até ela ligar, eu iria de bom grado aceitar o convite. ―Mãe, eu engasguei. Eu vou desligar agora.‖ ―Ok, querida, mamãe diz. Eu te amo.‖ E então eu tenho de desligar, e Chaz está dizendo, Shhh, no meu cabelo, e Tiffany vem perguntar o que está errado, e Shari está acariciando o meu braço e dizendo ―Oh, Lizzie. Vai dar tudo certo.‖


Mas não vai. Como é possível? Vovó se foi. E não pude dizer adeus.

História do Casamento Por que é que o terceiro dedo da mão esquerda é considerado o dedo anelar (do anel). Os antigos egípcios e os romanos acreditavam que uma veia desse dedo ia diretamente para o coração, por isso parecia a posição lógica para a colocação do símbolo do casamento. A ciência já provou isso não estava correto. Mas vive na tradição, e o dedo é ainda universalmente conhecido como o dedo anelar. E não é romântico pensar que nossos anéis de casamento estão ligados aos nossos corações? Bem, pelo menos por uma veia de sangue assustadora?

Dica para evitar um desastre no dia do casamento Pode parecer óbvio, mas teste as alianças tanto da noiva quanto do noivo nos dias que antecedem ao seu casamento. A última coisa que você quer durante a cerimônia de casamento é espremer um anel que não vai caber no dedo que inchou devido à ingestão compulsiva de última hora por causa dos nervos. LIZZIE NICHOLS DESIGNS

Capítulo 14 Vocês nasceram juntos e juntos ficarão para sempre, mas que haja espaços na sua união. E que os ventos dos céus dancem vocês. Kahlil Gibran (1883 - 1931), Artista libanês-americano, poeta e escritor ´´ Aqui tem outra, a minha irmã Rose diz, soltando um prato de caçarola em cima da mesa da cozinha na minha frente sem a menor cerimônia. Eu acho que é feijão verde. Verde ou alguma coisa, de qualquer maneira. `` Minha outra irmã, Sarah, olha para cima do notebook em que ela está gravando os nomes de todos que trouxeram algo para nós, para comermos, já que estamos supostamente tão consumido com pesar sobre a morte da vovó que nós não podemos cozinhar. Para alguns de nós, isso é realmente verdade. A mesa da cozinha está coberta com pratos da caçarola. ´´ De quem é este? Sarah quer saber.`` ´´ Eu não sei, Rose diz irritadamente enquanto ela escava sua bolsa, que ela deixou no balcão da cozinha ao lado da porta de vidro deslizante para o convés. Eu encontrei-o na


varanda da frente. Verifique o cartão, Nimrod.`` ´´ Vá se foder, Sarah diz, arrancando o cartão de cima do prato de caçarola.`` ´´Você beija o seu marido com a boca? Rose quer saber. Então ela solta um riso. Oh, certo. Ele deixou você. Então cadê o Luke afinal? Rose volta a sua atenção para mim. ´´ Não fale comigo, digo a Rose.`` Rose olha para Sarah. ´´ Qual o problema dela? Ela pergunta.`` ´´ Ela não falando com você, diz Sarah. Porque você ligou para os paparazzi a respeito da cliente dela. Lembrar? ´´ Ah, por favor, Rose diz com uma risada. Você não está brava ainda brava por isso , não é? Isso são águas passadas. Nossa avó está morta. Agora, vamos lá. Cadê o Luke? Seu noivo? Ele não vai vir para o funeral de nossa avó? Ele está muito ocupado com a escola ou o que quer que seja? Como de costume.`` ´´ Ele está na França, eu digo, por entre os dentes.`` ´´ Oh, França, Rose diz com outra risada. Certo. Por que não. França.`` ´´ Ele está, eu digo. Por que eu não posso argumentar com pessoas que eu jurei que nunca mais falaria novamente? Ele está ajudando um tio em um novo escritório de investimentos. Não que seja problema teu. Ele queria vir. Ele sente muito, mas não pode voltar agora. `` E alé disso nós demos um tempo. Eu não menciono isto para a Rose, que não merece nenhuma informação a respeito da minha vida pessoal. Mas é verdade. ´´Claro, Rose diz. Você sabe, todos começaram a se perguntar se esse cara o Luke ainda existe, ou se ele é só um cara quevocê inventou para nos fazer acreditar que finalmente tinha arranjado um namorado. Como se.`` Ainda rindo, Rose abre a porta de vidro deslizante e sai para o ar fresco à noite, não se preocupa em fechá-la, assim todos os mosquitos vêm zumbir aqui dentro. ´´ Eu a odeio também, Sarah me diz com tanta naturalidade, logo que Rose está fora do alcance de voz. Não DAE atenção a ela. Você não tem idéia de quanta sorte você tem por ter ido embora daqui. Sério.`` Eu estou sentado com os braços cruzados na frente do meu peito, segurando os meus cotovelos. Eu estava sentada desta forma desde que eu cheguei em casa. ´´Eu só não posso acreditar que ela realmente se foi, a vovó eu digo.`` A coisa era que eu sabia que ela estava velha, eu sabia. Eu nunca pensei que ela estava tão


velha. ´´ Bem, ela só morreu, Lizzie`` é o que pai da Shari tinha me dito quando perguntei como tinha acontecido, quando ele estava por lá para deixar um prato de cookies da senhora Denniss Heath há um tempinho atrás. ´´ Ela estava velha.`` Ei aia perguntar se haveria uma autópsia. Mas um olhar de advertência de minha mãe me calou. Ela não quer saber de pessoas falando em cortar a sua sogra na frete do meu pai. Eu acho que eu posso compreender. E tudo bem, Gran tinha noventa, depois de tudo. Acho que como ela morreu isnt nenhum grande mistério. Certo, a vovó tinha noventa anos no final da contas. Acho que a morte dela não foi nenhum mistério. Mas porquê agora? Quando eu mais preciso dela? Quero dizer, não sendo egoísta nem nada. Mas ela não poderia ter esperado um mês ou dois, para uma época em que eu não estaria tão confusa? Todos pareciam aliviados quando o Dr. Dennis me deu um pequeno frasco de comprimidos. ´´ Shari me pediu para prescrever-lhe estes, o pai da Shari disse incomodamente ao entregá-los. Eles te farão se sentir melhor. Agora, lembre-se de não beber álcool enquanto você os estiver tomando, Lizzie!`` Todos riram como o Dr. Dennis tivesse feito uma grande piada. E olhou para mim, esperando eu tomar uma das pílulas. O que eu pretendia, só para tirá-los minhas costas. Mas se eles acham que me dopando evitaria que eu fizesse perguntas difíceis como: se eles vão tocar a musica preferida da vovó, Highway to Hell* no funeral, ou ou não? Podem ficsar pensando pensar outra vez. Eu não vou ser tão passifica quanto a isso. A vovó ficar feliz com um passeio pela vida em uma neblina de álcool, mas eu não. * Estrada para o inferno Eu nunca. ´´Realmente, a Sarah começa. Você não acreditaria no que a cadela da Rose virou. Bem, não virou, porque ela sempre foi uma cadela. Mas ela está piorando com a idade. Você acha que a coisa com ela chamando o paparazzi na sua amiga é ruim? Basta esperar. Talvez seja a sua perimenopausa. Eu vi algo sobre isso na Oprah. Então, Chuck e eu estamos tendo alguns problemas? Ele não me deixou. Ele só esta dando um tempo para trabalhar com algumas coisas. Come se a Rose e o Angelo fossem tão perfeitos. Ele nem tem um emprego. Ela ainda o sustenta. `` ´´ Huh,`` eu digo. Eu ainda não posso acreditar na minha própria irmã acha que o meu noivo é falso. Eu nem me daria ao trabalho de inventar nada, para ela.


E, tudo bem , assim o Luke nem se ofereceu para voar de volta e me encontrar aqui para o funeral. Mas fui eu quem pediu um tempo. Talvez ele ache que não seria bemvindo. Isso é um pressuposto natural, certo? A culpa é minha, realmente. O pobre rapaz provavelmente acha que eu não o quero mais. Além disso, ele não tem qualquer avó vivo. Todos eles morreram quando ele era pequeno. Ele não sabe como é perder um avô quando adulto. Um avô que era tão próximo quanto a vovó. Não, o Luke não tem nem idéia de como é isso. Nem eu, na verdade. Estou passando por isso pela primeira vez. Sem os ombros do meu noivo para me apoiar. ´´ E você tem que ver o que ela está fazendo com seus filhos, Sarah continua. Você nunca viu crianças tão sobrecarregadas. Balé, sapateado, karatê, ginástica, francês, pelo amor de Cristo. Eles vivem em Michigan. Quando é que eles vão precisar de falar francês? Exceto talvez no seu casamento, se ele acontecer. Eles nunca têm um minuto para si, só para aerem crianças. Não me admira que eles sejam tão estranhos.`` Naquele minuto a Maggie, filha mais velha de Rose, entra no comodo no quarto, segurando um caderno de repórter, e um lápis equilibrado em uma mão. ´´ Licença , diz ela. Vou começar o meu próprio jornal. Você tem alguma notícia?`` Sarah e eu piscamos para ela. ´´ O quê? Eu digo.`` ``Notícias, Maggie grita. Vou começar o meu próprio jornal. Um jornal crianças. Eu preciso de algumas novidades para colocar nele. Você tem alguma notícia?`` ´´Sua bisavó acaba de morrer, pelo amor de Cristo, diz Sarah. Essa notícia não é o bastante para você?`` Maggie olha para mim.´´ Tia Lizzie, diz ela. Como você se sente sobre a morte da vovó?`` Lagrimas apontam nos meus olhos. Tento não chorar abertamente na frente de minha sobrinha, eu digo, ´´estou muito triste com isso. Eu vou sentir muito a falta dela. `` ´´ Posso te citar por isso? Maggie quer saber.`` ´´Sim, eu digo.`` ``Bom. Obrigada.`` Maggie vira e sai da sala sem dizer mais nada. ´´Vê? Sarah diz logo que ela se foi. Há algo de errado com aquela garota.`` Rose escolhe esse momento para reentrar na cozinha, cheirando a fumaça de cigarro. Ela


fecha a porta de vidro atrás dela e deixa cair um maço de cigarros e seu isqueiro de volta para sua bolsa. ´´Algo errado com aquela garota? , pergunta ela.`` ´´Sua filha, rosna Sarah. Maggie. Ela só veio aqui e anunciou que vai fazer um jornal e nos perguntou se tínhamos alguma notícia.`` ´´Pelo menos, Rose diz suavemente, tirando uma folha de alumínio em uma torta de pêssego que alguém trouxe e mergulhando uma colher nela, ela não é sem imaginação, idiota, metida como a filha de certas pessoas que eu conheço.`` Sarah suga a respiração, mas antes que ela possa dizer qualquer coisa, eu pergunto: ´´Então o que você fez com o dinheiro, Rose?`` Rose se vira para mim. ´´Desculpa?`` ´´O dinheiro que você ganhou por dizer que a Ava Geck estava escondida no meu apartamento. Eu fico olhando para ela. Em que você o gastou? Não poderia ter sido lipoaspiração para o seu braço, porque estão maiores do que nunca.`` Rose grita de indignação fazendo a coleção de porcelana chinesa da mamãe tilintar. Tomo isso como minha indicação de se levantar e sair. ´´ O que está acontecendo aí? Mamãe me pergunta enquanto entro a deriva na sala, onde ela e papai estão reunidos com o padre Jim, que conduzirá o funeral da vovó. ´´Nada, eu digo e caio no sofá ao lado dela. Só coisas de irmãs. `` Mãe dá ao padre Jim dá um sorriso de desculpas e diz, ´´Perdoe-me, continue padre.`` Eu me sento e ouço a conversa, mal capaz de registrar o que eles estão dizendo através da névoa miserável em que me afundei. Eu não posso me lembrar de ter me sentido tão mal. Eu quero morrer. Eu quero. Por que alguém apenas não me mata agora? Como todo mundo pode continuar a falar como se nada estivesse errado quando o fim do mundo, é agora? ´´ Bem, Pai, diz Jim. Eu estava pensando que uma missa seria um gesto amável.`` ´´Ah, uma missa, minha mãe diz, olhando para meu pai. Sim, isso seria lindo.`` Meu pai parece cético. ´´ Eu não sei, diz ele. Uma missa. Isso levará mais de uma hora.`` queria saber se o padre Jim percebeu que minha mãe chutou a canela do meu pai baixo da mesa do café. ´´Ow. O que eu quero dizer é que minha mãe não era uma mulher particularmente religiosa.``


Mesmo através da minha miséria, sou capaz de registrar o fato de que a vovó não era religiosa. Ela quereria um tributo a Byron Sully em seu funeral, não um tributo a Deus. Porque, para ela, Byron Sully era Deus. Eu me sinto um pouco melhor. Só um pouco. Porque estou começando a sentir algo além de tristeza. E isso é raiva. ´´ Isso só torna ainda mais importante, o padre Jim celebre uma missa. O comparecimento mães em nossa igreja foi, especialmente em seus últimos anos, esboçado na melhor das hipóteses. Mas eu sei, que se ela tivesse na plena posse das suas faculdades mentais, no final, é isso que ela escolheria.`` Ela estava em plena posse das suas faculdades mentais, eu quero gritar. Mais plena posse de suas faculdades do que qualquer um de vocês. ´´Agora o padre Jim continua. Sobre as seleções musicais.`` ´´ Sua canção favorita era Highway to Hell, me surpreendo por dizer.`` Minha mãe me encara. Pai começa a rir, mas pára quando a minha mãe transfere seus reflexos para ele. ´´ Er, padre Jim diz. Sim. Bem, seja como for, acho uma seleção mais tradicional tende a agradar aos paroquianos..`` ´´ Mas a canção favorita dela, eu interrompo.`` Eu não culpo a minha mãe por me encarar. Ela está certa. Por que eu estou interferindo? ´´ Ao mesmo tempo, certamente a vovó gostaria que escutássemos algumas de suas musicas preferidas em seu funeral.`` ´´ Bem, talvez não essa música, minha mãe diz, olhando aturdida. É sobre, bem, ir para o inferno, Lizzie.`` ´´ Talvez pudéssemos encontrar uma versão instrumental, meu pai diz pensativo.`` Mamãe me dá o olhar: olha o que você fez.. Então ela diz,´´ Lizzie, a Sra. Brand disse que passaria para entregar outro guisado de Brunswick. Você poderia esperar na varanda por ela? Ela torceu o tornozelo recentemente e eu não quero que ela saia sair do carro, segurando uma panela grande. Seria adoravel se você pudesse encontrar com ela na rua e pegar o guisado diretamente dela.`` Eu fico olhando para minha mãe como se ela tivesse perdido a cabeça.Só que ficou bem claro pela maneira que ela piscava, que ela estava falando sério, eu suspiro e me levanto do sofá. Estou quase fora de casa quando ouço, ´´ Sotto voce, padre Padre Jim, Lizzie e sua avó eram muito próximas, não estou certa de que tê-la aqui enquanto planejamos a cerimônia é realmente a melhor idéia. Lizzie sempre foi a mais emocional das minhas filhas.`` Lágrimas enchem meus olhos. Eu cambaleio para fora na noite escura para o alpendre,


ninguém está pensando na morte da vovó, afundo nos degraus e enterro minha cabeça no joelho.Emocional? Bem, esta sou eu. É emociona estar triste por que minha avó está morta? É emocional desejar que a pessoa que conduza a cerimônia seja alguém que a conheça,que talvez pudesse dizer algumas palavras sobre ela que pudesse realmente significar alguma coisa? É emocional se sentir uma estranha em minha própria família, como se essas pessoas que eu conheci por toda a minha vida , de repente não se preocupam com o que realmente importa? A vovó foi a única deles que alguma vez me disse algo que realment valesse a pena. Não que eu já tenha lhe dito isso. E agora ela se foi. E nunca terei a chance. Nunca terei a chance de falar com ela novamente. Não é de admirar que eu seja tão emocional. Deus. Talvez eu devesse tomar uma dessas pílulas que o Dr. Dennis me receitou depois de tudo. Eu posso senti-las, no bolso da minha calça jeans. Será que vão me fazer sentir menos emocional? Será que vão me fazer parar de sentir alguma coisa? Porque agora isso é o que eu realmente, realmente gostaria. Faróis acessos, e eu levanto a minha cabeça. Sra. Brand e seu ensopado de Brunswick. Eu limpo em meu rosto com meus pulsos. Eu não quero Senhora Brand quem quer que ela seja me veja nesta confusão tão profana. Mas o carro não volta para a garagem. Ele estaciona ao longo da rua. Está tão quente e úmido aqui fora, uma espécie de névoa se estabeleceu sobre a rua, eu olho para o lanterna vermelha através da névoa, respirando o ar do verão, tão familiar e tão estranho depois de tantos meses na cidade. O cheiro de grama cortada fresca, o ronco das cigarras, do chilrear dos insetos, estes são perfumes de verão e sons que são quase estranhos para mim agora, eu não os vivencio há tanto tempo. Alguém sai do carro estacionado. Mesmo que esteja bastante escuro lá fora e o nevoeiro esteja bem grosso, eu posso ver que não é uma mulher. É um homem, alto e de ombros largos. Eu me afasto, por meio do nevoeiro, no mar escuro do nosso quintal onde Rose e Sarah me forçaram a lavar com a mangueira a colcha de papai e mamãe naquela vez que a vovó estava tomando conta da gente e acabou vomitando xerez sobre ela todinha. Sim, aquilo não foi muito divertido. Mas antes do vômito a vovó tinha me contou a história sobre o trabalho na fábrica de munições durante a Segunda Guerra Mundial, enquanto Vovô tinha estado fora no combate aos nazistas na França (todos os homens de seu pelotão haviam morrido quando


encontraram garrafas de vinho em uma fazenda abandonada em Marselha e beberam delas, sem saber que tinham sido envenenados por simpatizantes do nazismo. Vovô, sendo um abstêmio, foi o único a sobreviver), e como ela e as outras meninas tinham pintado linhas pretas nas costas de suas pernas para fazer parecer que eles estavam usando meias com costuras quando saíram nas noites de sábado, porque toda a seda tinha sido usada para fazer pára-quedas. Isso é o tipo de coisa que deveríamos estar falando em seu funeral. Os tempos felizes. O incrível sacrifício que sua geração fez sem reclamar.. Não algumas estúpidas passagens bíblicas que não têm nada a ver com a vovó e nunca teve.ez. Percebo através do nevoeiro que o homem está caminhando em direção a nossa casa. Percebo também que ele tem a mesma forma e tamanho do meu noivo. Meu coração parece congelar dentro do meu peito. Mas o que o Luke estaria fazendo aqui? Eu digo, é verdade que a minha avó, o membro da minha família que eu mais me importava no mundo todo, e que eu talvez tenha percebido isso tarde demais, está morta. E é verdade que estou realmente decepcionada com ele por não ter feito nenhum esforço durante o nosso relacionamento em conhecer qualquer pessoa na minha família. Mas ele está na França. Ele não voaria até Ann Arbor só para o funeral. Nós estamos dando um tempo. E então, assim como os redemoinhos de névoa e quedas em volta, o homem se volta em direção da nossa casa, e eu vejo algo que faz com que o meu coração, que há pouco foi congelado, explodir no que se parece com um milhão de minúsculos pedaços de chamas, como fogos de artifício, apenas dentro do meu peito, no meio do céu da noite : ele está usando um boné de beisebol. Um segundo depois, eu estou de pé, e eu estou correndo. Eu estou correndo em direção a ele através do nevoeiro, e um segundo depois, eu derrapo bem de frete a ele. Ele pára também. Assim, ao que parece, o tempo também pára. Tudo que eu posso ouvir, naqueles poucos sons de batimentos cardíacos, é o som das cigarras. E a nossa respiração. ´´ O que você está fazendo aqui?`` Eu pergunto. Minha voz soa muito grave por alguma razão. ´´ O que você acha que eu estou fazendo aqui? Chaz retruca. Sua voz soa grave também, Eu vim ver como você está.`` Eu olho para a rua atrás dele. E não vejo mais ninguém na névoa.


´´Onde está a Valência?`` Eu pergunto. ´´ Foda-se a Valência,`` ele responde. ´´ Eu assumi que você já fez isto,`` eu digo. ´´ Você sabe de uma coisa? Chaz diz, voltando para o carro. Eu posso ir embora, se é isso o que você quer.`` Meu coração começa a dar pulos, eu dou um passo para frente e coloco a minha mão em seu braço. ´´ Não vá, eu digo. Me desculpe. Eu só,``e começo a soluçar. ´´ Oh, Chaz. As coisas estão tão confusas.`` ´´ Eu sei,`` ele diz. Eu não posso ver seus olhos porque eles estão escondidos na sobra da aba de seu boné de baseball. ´´ Não, eu digo, meus olhos cheios de lágrimas. Eu quero dizer, não é só o que aconteceu com minha avó. É muito mais que isto.`` E depois, do nada, acontece. Minha boca toma conta do me cérebro, e as palavras começam a fluir da minha boca antes que eu possa detê-las. ´´ É uma droga,`` me ouço dizendo com a mesma voz estranha e grave, ´´ porque eu acho que estou apaixonada pelo melhor amigo do meu noivo.`` ´´Então? Chaz dia sem pular uma batida de coração e soando completamente normal. ´´ Eu consigo fazer pior, eu estou apaixonado pela noiva do meu melhor amigo.`` Por um momento não há nenhum barulho. Nenhum de nós parece estar respirando e até as cigarras parecem ter ficado em silencio. Eu não tenho certeza que ouvi direito. A noiva de seu melhor amigo? Mas esta sou eu! Chaz que dizer que está apaixonado por mim! É isso que ele está fazendo na casa dos meus pais nesta noite nebulosa de verão. É por isso que ele está parado na minha frente com os braços paralelos ao seu corpo. Com as mãos abertas, nada a esconder, sem sarcasmo, sem mais observações cortantes, sem o Like, sem a Valência, sem mais nada. Somente nós. Tudo o que foi preciso foram alguns milhares de km de distância, o despojamento de nossas mais cruas emoções e a morte de uma das pessoas que eu mais amo no mundo;


Então, como se por alguma sugestão invisível, nós dois demos um passo a frente, até colidirmos nossos corações, e ele diz; ´´ Oof, e depois, Lizzie`` e eu jogo os meus braços ao redor de seu pescoço e puxo a sua cabeça para baixo, para que eu possa pressionar os meus lábios contra o dele. E depois nenhum de nós disse nada por um bom tempo.

História do Casamento

O primeiro registro de noiva foi criado pela loja Marshall Fields, em Chicago, em 1924. Foi criado em um esforço para ajudar os casais a manter uma lista de presentes de casamento que desejavam para suas famílias e foi absorvido em breve nas lojas de todo o mundo. O primeiro registro eletrônico ou on-line foi criado pela Target, em 1993. Quando o primeiro ex ciumento on-line decide zombar da noiva em sua escolha de talheres na frente de todas as suas colegas de trabalho não foi registrado.

Dica para evitar um desastre no dia do casamento Ninguém quer pensar que um casamento poderia ser cancelado. Mas essas coisas acontecem.É por isso que a etiqueta do casamento indica que presentes de casamento e de chás nunca devem ser usados antes que o casamento realmente ocorra. Dessa forma, se o casamento não se realizar, estas coisas podem ser facilmente devolvidas ao doador, como é a ação apropriada nesse caso. LIZZIE NICHOLS DESIGNS

Capítulo 15 Venha viver comigo e ser meu amor, E vamos provar alguns novos prazeres De areias douradas e riachos de cristal, Com linhas de seda e prata ganchos. John Donne (1572 - 1631), Poeta Inglês ´´Isto é tão errado,`` eu digo, enquanto me deito nua no peito do Chaz, também totalmente nu.


´´É por isso que parece tão bom? `` ele quer saber. ´´Se existe um inferno, digo eu, vamos direto para ele.`` ´´ Pelo vamos estar juntos, diz ele. E eu estou bastante seguro de que Elvis vai estar lá. E Einstein. Ele era um adúltero também, certo?`` Eu gemo e viro a cabeça percebo que estou olhando um mural na parede, de um castelo em um monte. Nem sequer é um mural muito bom. Mas eu não viro a cabeça novamente, pois na parede do outro lado é pior ainda, um mural de um cavaleiro montando um cavalo branco. Chaz está hospedado na pensão dos Cavaleiros, que tem janelas com vidros imitando diamante e uma torre para torná-lo parecido com um castelo. Quando lhe perguntei por que em nome de Deus ele escolheu para ficar na Pensão dos Cavalheiro de todos os hotéis em Ann Arbor, ele disse Lizzie. ´´ Como você pode me perguntar isso?`` ´´ E Shakespeare, Chaz diz agora. Ele era um adúltero. Assim, pelo menos, o inferno não vai ser chato.`` `` Eu não sou uma adúltera, eu digo. Eu não estou casada, eu estou apenas noiva. E nós estamos dando um tempo.`` ´´Será que você especificou os parâmetros do tempo? Chaz pergunta. Será que incluem sexo desenfreado como macacos com o melhor amigo de seu noivo?`` ´´ Pare com isso, eu digo. Você se aproveitou de mim quando eu estava em um estado de fraqueza emocional.`´ `` Eu ?`` Chaz começa a rir, os músculos de seu estômago fazem com que a minha cabeça se movimente de cima para baixo. `´´ Você me assediou na garagem dos pais. Eu estava indo de prestar os meus respeitos, e a próxima coisa que eu soube, era a sua língua na minha boca, e sua mão dentro das minhas calças. Eu estava tão assustado, quase que liguei para 911 para relatar uma predadora sexual à solta.`` ´´Sério, eu digo. O que vamos fazer agora?`` ´´ Eu posso pensar em algumas coisas,`` Chaz diz, levantando o lençol que nos estava cobrindo e olhando debaixo dele. ´´ Nós não podemos deixar a luxúria animal entrar no caminho da nossa amizade, eu digo.`` ´´Eu não quero ser seu amigo, Chaz diz com naturalidade. Parei de querer ser seu amigo c


noaminho de volta na noite do ultimo ano novo. Lembra?Você que tinha que estragar tudo ficando noiva de outra pessoa. Enquanto eu estava dormindo, devo acrescentar.`` Eu rolo de cima dele e me deito de costas, olhando para o teto, que é feito desse material hediondo que brilha nele. Há uma luz de sobrecarga que foi trabalhada de modo a parecer um lanterna antiga. Eu não estaria surpreendida ao saber que ele tem uma minicâmera e que ela gravou todos os nossos movimentos das últimas duas horas. A Pensão dos Cavalheiros parece que poderia ser esse tipo de hotel. O que torna o local perfeito para o meu caso de mau gosto com o o ex- namorado da minha melhor amiga e o melhor amigo do meu noivo. ´´ Você não acredita mesmo em casamento, eu lamento miseravelmente olhando para a câmera, se houver uma.`` ´´Bem, se eu acreditasse, eu certamente não me casaria com você, isso com certeza, Chaz diz. Você fica por aí violentando o meu melhor amigo enquanto eu estou na França e você está no funeral a sua avó. Você seria a pior esposa que já existiu.`` Eu me inclino para acertá-lo, mas ele dá uma volta por cima de mim, prendendo meus braços para baixo do lençol. Um segundo depois, ele está olhando profundamente nos meus olhos. ´´ Lizzie, diz ele, parecendo sério para variar. Você precisa parar se torturar a respeito disto. Você e o Luke já acabaram. Você nunca deveria ter dito sim, quando ele te pediu em casamento. Eu lhe disse que naquela manhã em seu apartamento. Se você tivesse me escutado, então, você poderia ter salvado todo mundo de muita mágoa. Especialmente eu. E você mesma.`` Eu olho para ele. ´´ Você acha que eu não sei disso?`` Eu pergunto. Mas você não agiu muito como um príncipe encantado naquela manhã, você sabe. Você poderia ter me dito que me amava naquela hora, você sabe.`` ´´ Eu me lembro que, número um, você nunca me deu a chance, que você já estava noiva de outra pessoa quando eu acordei, e que, o número dois, eu te disse que te amava, e você tomou como uma piada e saiu.`` Eu pisco. Então digo, indignada. ´´Você quer dizer no bar de esportes? Mas você estava tão desagradável! Eu não achei que você estava falado sério.`` Ele parece ferido. ´´ Eu expus a minha alma para você, e você pensou que eu eatava sendo desagradável! Que legal. `` .


´´ Sério, eu digo. Você foi horrível. Você não poderia possivelmente ter esperado que eu achasse que você realmente queria dizer uma palavra do que você disse.`` ´´ Eu estava mortalmente ferido! Chaz insiste. A mulher que eu amava, e a quem eu pensei que me amava em retorno, não minta você mesmo disse na noite de casamento da casamento Jill Higginss, que nós tentaríamos levar as coisas para outro nível, tinha acabado de se comprometer com outro cara.`` ´´Agora você está apenas sendo ridículo, eu digo. Concordando em levar as coisas a outro nível e dizer que estou apaixonado por você são duas coisas completamente diferentes.`` ´´ Se eu fui desagradável, como você disse, eu tinha o direito de ser, Chaz diz. Você estava agindo como uma louca. Ficando noiva de um cara que é tão completamente errado para você.`` ´´ Você não pareceu ter nenhuma objeção quando o Luke e eu ficamos juntos no verão passado, eu digo.`` ´´ Claro, eu não tinha objeções quanto a você dormir com ele, Chaz diz. Eu nunca pensei que você quereria se casar com o cara. Especialmente quando eu sabia perfeitamente bem que você não estava apaixonada por ele.`` Ainda presa embaixo de seu peso corporal e do lençol, eu só posso olhar para ele mais um pouco. ´´ Me desculpe, mas eu certamente estava.`` . ´´ Antes da noite de natal e do Grande Incidente da Máquina de Costura, talvez, Chaz diz. Mas não depois. É só que você levou algum tempo para admitir isso a si mesma.`` Eu pisco para ele, tentando descobrir se o que Ele está dizendo é verdade. Tem uma parte de mim que certeza não é. Mas há outra parte de mim que está assustadoramente certa de que é. ´´ Mas você finalmente admitiu que está apaixonada por mim agora, Chaz diz enquanto ele alcança o menu de serviço de quarto. Então, o que importa? Agora eu preciso de sustento. Tudo isso de cometer adultério torna um cavaleiro faminto. O que deveríamos comer? Nachos de Carne Suprema? Orooh, bacon e queijo cheddar e peles de batata com creme azedo.Que ótimas opções esta bom estabelecimento oferece oh, espera. Cream cheese e rodas de pino turca. Quem poderia resistir?`` ´´ Eu não posso dizer para ele, eu explodo.`` Chaz olha para mim. ´´Sobre o cream cheese e rodas pino turca?`` ´´ Não, eu digo, cutucando-o através do lençol. Saia de cima de mim, você pesa uma tonelada. Amavelmente, Chaz desliza de cima de mim. Luke. Ele nunca poderá saber.``


Chaz se inclina sobre um cotovelo, com a cabeça na mão. ´´ Eu posso entender o porque,`` diz ele, sobre mim, seus olhos azuis inexpressivos.´´ Quem come peru com cream cheese? Isso é uma combinação nojenta.`` ´´ Não, eu digo, me sentando. Sobre nós. Ele nunca pode saber sobre nós.`` O tom de voz do Chaz não muda. ´´ Você vai se casar com o Luke e me manter por perto como um brinquedinho (amante) ? Que coisa mais século vinte e um da tua parte.`` ´´ Eu ainda não sei o que vou fazer, eu digo. Como eu posso dizer, ele me ama.`` Chaz se volta para o menu. ´´ Lizzie, vamos apenas fazer o pedido. Nós não temos que decidir tudo esta noite. E eles param de servir as onze horas.`` Eu mordo o meu lábio inferior. ´´ Eu só, eu digo. Eu não sou muito boa nisso. Em ser má.`` ´´ Oh, eu não sei, Chaz diz com um sorriso. Eu acho que você fez um trabalho exemplar mais cedo.`` Me levanto do apartamento, pego o desconfortável travesseiro da Pousada dos Cavalheiros e o sufoco com ele. Ele ri e o puxa para longe de mim, então me arrasta de volta para baixo, no colchão. Nós quase não pedimos os nossos nachos com tempo suficiente antes das onze. ´´ Onde você estava ontem à noite? Sarah quer saber quando eu chego em casa na manhã seguinte.`` ´´ E estas roupas não são as mesmas que estava vestindo ontem? Rose pergunta penosamente.`` Seus olhos acendem um segundo depois, porém, quando Chaz me segue através da porta de tela. ´´Chaz!`` minha mãe diz, parecendo verdadeiramente encantada. ´´Que surpresa.`` ´´ Eu que o diga. Rose me atira um olhar tão afiado a laser, ele pode derreter aço. Quando você chegou à cidade, Chaz? Não nos diga ontem à noite?`` ´´ Que amável da tua parte ter vindo,`` mamãe diz, mamãe vai abraçar o Chaz. Tendo namorado a Shari por tanto tempo, ele é um velho um favorito da família. Bem, dos meus pais. Minhas irmãs não tem favoritos. Exceto entre os seus filhos.


´´ Claro que eu vim, Chaz diz, a minha mãe libera ele do abraço e meu pai anda com os óculos de leitura empoleirado no alto da cabeça e o jornal pendurado em seus dedos. ´´Eu era um grande fã da Sra. Nichols.`` ´´ Bem, minha mãe era uma figura, papai diz, balançado a mão de Chaz. É bom te ver.`` Rosa e Sarah, por sua vez, estão se matando de fofocar sobre o que até agora eu tentei encobrir. A barda do Chaz começou a ficar vizivel as dez da manhã, e qualquer beijo depois deste horário deixou sua marca. Consciente de seus olhares escandalizados e ainda assim encantada, eu vejo as novas doações, enviados pelos nossos vizinhos uma torta, e um arranjo floral enviado pelo dentista da vovó, enquanto Chaz aceita a oferta de café da mamãe acompanhado pelo bolo de café trazido pela Sra Huffman. Assim que eles ficaram fora de vista, a Rose dá dois passos rápidos em minha direção e sussura: ´´ Caaaadela``, no meu ouvido, enquanto dá um beliscão no meu bumbum enquanto ela vai para a cozinha encher sua xícara de café. Eu solto um uivo, ela sempre deu beliscões muito doloridos. Sarah então se move e sussurra, ´´Eu sempre o achei bonitinho. Você sabe, não, como tradicionalmente bonito, mas de altura, pelo menos. Um pouco demasiado cabeludo para mim, no entanto. Mas ele ainda não está na escola? Será que ele não tem um emprego? Como ele vai te sustentar sem um emprego? Você vai ter que sustenta-lo? Eu sou toda sobre ser uma feminista, mas não tão feminista. Olha o que aconteceu com a Rose.`` Meus olhos ainda estão cheios de lágrimas do beliscão de Rose. Eu tenho que me sentar porque eu não posso navegar pelos móveis da sala, que minha mãe reorganizou para dar espaço para todos os arranjos florais que foram chegando. A próxima coisa que eu sei,é que uma folha de papel foi empurrada em minhas mãos. ´´ Aqui, uma voz de criança diz.`´ ´´É o meu jornal. Quando minha visão limpa um pouco, vejo que a minha sobrinha Maggie está na minha frente. Isso custa uma moeda de dez centavos, por favor.`` Coloco a mão no meu bolso, encontro algum trocado e dou a Maggie uma moeda. Ela vai embora sem dizer obrigado. Eu olho para a folha de papel. É impresso em letra dezesseis pontilhadae disposta a parecer como a primeira página de um jornal real. Ela claramente teve ajuda de alguém com isso, uma vez que, estando na primeira série, ela apenas aprendeu a ler e escrever. O título, que é de vinte e seis pontos, grita, VOVÓ NICHOLS MORRE!! Abaixo disso, o artigo passa a descrever a morte da vovó em pormenor macabro, com


uma linha sobre como Elizabeth Nichols é citada como estando muito triste. ´´ Agora, Lizzie, a mãe diz, saindo da cozinha com Chaz no reboque, segurando uma caneca de café fumegante e um prato de bolo de café. Eu queria que você soubesse, nós selecionamos uma leitura para você fazer no funeral desta tarde.`` ´´Uma leitura? Eu olho para cima do papel. Que tipo de leitura?`` ´´Apenas uma passagem da Bíblia que o padre Jim escolheu, mamãe continua com Rose a deriva para fora da cozinha e toma um lugar ao lado do piano. Eu te trarei uma cópia para que possa praticar. Cada um de vocês meninas lerá uma.`` ´´ A Vovó nunca leu a Bíblia, eu digo, em sua vida.`` ´´ Bem, você não pode ter um funeral sem leituras bíblicas, diz Sarah.`` ´´E estas são passagens da Bíblia de muito bom gosto, querida, a mãe diz. Não se preocupe.`` ´´ Passagens de muito bom gosto`` , Chaz diz, colocando o seu prato de bolo de café em uma mesa do lado. Quando a mãe olha para ele, ele sorri e levanta a caneca de café para ela em uma saudação. ´´Grande café, Sra. Nichols!`` Minha mãe sorrindo diz: ´´Bem, obrigada Chaz.`` Estou muito miserável para sorrir. ´´Mãe, eu digo. Este funeral não tem nada haver com a vovó. Nós deveríamos ter uma celebração da vida dela. As coisas devem representar o que ela realmente amava.`` ´´ Como o quê?`` Mamãe diz com um ronco minúsculo. ´´ Dra Quinn e cerveja.`` ´´ Sim, eu digo. Exatamente.`` ´´Não seja ridícula, Lizzie,`` diz Rose. Ela lança um olhar para a porta da cozinha, para verificar se meu pai já voltou, aparentemente, ele ainda está ocupado pegando o seu próprio café e bolo para acompanhar. Ela deixa cair sua voz para um sussurro enquanto ela chia, ´´ A vovó nos fazia passar muita vergonha enquanto ela estava viva. Deixe que ela não nos faça passar vergonha na morte também.`` Eu arrega-lo os meus olhos e viro a cabeça para olhar o Chaz, que engasgou com um pouco do gole de café que ele tinha tomado ´´ Então, Chaz, o pai diz assim que ele entra na sala, seguido por Angelo, o marido de Rose, que está vestindo um terno preto, sem gravata e uma camisa preta desabotoada quase até mais que o meio do peito. Você ainda está na escola?``


´´Sim, senhor, Chaz diz. Tenho cerca de mais três anos de curso, então eu tenho que começar a escrever minha dissertação, e então tenho que defende-la. Espero que depoisde tudo eu seja capaz de encontrar um emprego e começar a ensinar. ´´Oh? Mãe abre espaço no sofá para papai para se sentar ao lado dela. E onde você está planejando encontrar uma posição? De volta aqui no Centro-Oeste? Eu sei como você se sente sobre os Wolverines. Ou fora do Leste? ´´ Não importa, Chaz diz com um encolher de ombros. Onde quer que a Lizzie esteja.`` Mamãe para a caneca de café a meio caminho de seus lábios, olhando como se ela não estivesse completamente certas de ter ouvido o Chaz corretamente. Rose restringe o olhar e o direciona incisivamente para o anel da minha mão esquerda, enquanto Angelo parece confuso. Sarah tosse. Papai só sorri afavelmente e diz: ´´Bem, isso é agradável, e coloca o resto do seu bolo de café em sua boca.`` ´´ Eu não entendo, Angelo diz. Pensei Lizzie estivesse noiva daquele cara Luke. Chaz, você não namorava uma amiga lésbica dela?`` ´´ Quem é Luke? Papai quer saber.`` ´´Oh, você se lembra, querido, mamãe diz. Nós conversamos com ele ao telefone. Aquele garoto amável que a Lizzie conheceu na França.`` ´´ Eu ainda estou noiva do Luke,eu digo rapidamente. As coisas estão apenas complicadas agora.`` ´´ Elas são sempre complicadas, diz Rose, levantando-se e pegando os pratos vazios de Chaz e papai. Que pena que a Vovó morreu, ela teria amado esta situação.`` E eu percebo, um pouco tardiamente, que Rose está certa. Não sobre a passagens da Bíblia, ela teria amado o que está acontecendo entre o Chaz e eu, e mais ela estaria torcendo por ele. Ela era a pessoa que sempre pensou Chaz era o meu namorado o tempo todo. E um pedaço de mim também, se a memória servir. A Vovó tinha razão. Sobre um monte de coisas, na verdade.

História do Casamento

Os primeiros anéis de casamento foram usados apenas pelas noivas, não pelos noivos. Isso porque as primeiras noivas eram consideradas como bens por seus maridos e, uma


vez rodeado (ou capturado), elas eram consideradas de propriedade de seus maridos. O anel ainda usado no quarto dedo da mão esquerda, o dedo com a veia que se pensava levar o coração foi um símbolo de propriedade dos maridos. Não foi até a Segunda Guerra Mundial, que de fato tornou popular a utilização do anel de casamento tanto para os homens como as mulheres, e não até a Guerra da Coréia que se tornou padrão. E por que disto? Por que, assim as mulheres poderiam ter certeza de que seus homens, quando longe de casa, se lembrariam que eles não estavam disponíveis!

Dica para evitar um desastre no dia do casamento Ao cancelar um casamento, é necessário, mas não obrigatório, enviar anúncios formais. Informar os amigos e familiares verbalmente que seus planos foram alterados também está bem. Se, no entanto, está adiando o casamento, é necessário enviar um cartão simples indicando a nova data e local do casamento. Se chamar todos os convidados em sua lista de dizer-lhes que seu casamento está cancelado é muito doloroso para você, indique alguém como o designer do vestido de casamento fazer isso para você. É para isso que estamos aqui! Bem, que os nossos recepcionistas estão aqui, de qualquer maneira. LIZZIE NICHOLS DESIGNS

Capítulo 16 Eu tenho espalhado os meus sonhos debaixo dos teus pés; Caminhe sutilmente porque você anda nos meus sonhos. W. B. Yeats (1865 - 1939), poeta e dramaturgo irlandês ´´ Querida, onde você estava? Pergunta mamãe, enquanto entro na igreja com o Chaz, atrasada. Esta foi uma manobra deliberada por parte do Chaz para me poupar do que ele declarou ser uma prática bárbara a visualização do corpo, que havia sido marcada para a hora antes do funeral. Infelizmente, eu descobri enquanto a minha mãe agarra a minha mão, que eles mantiveram o caixão aberto só para mim. ´´Depressa, diz ela, me puxando com urgência. Eles estão prestes a fechar.`` ´´ Uh, está tudo bem, eu digo. Estou bem.`` ´´Não, querida, mamãe diz. Você, mais do que ninguém, tem a necessidade de encerramento e de ver a Vovó em paz.`` ´´ Não, eu digo. Eu realmente não tenho não, mãe.``


Mas minha mãe, evidentemente, não acredita em mim, porque ela rme arranca da segurança e proteção do abraço de Chaz e me arrasta para o lado do caixão da Vovó, que está na parte de trás da igreja, à espera de ser levado para o seu lugar de honra na frente. A tampa está aberta, e Vovó me parece incrivelmente pequena e frágil e completamente diferente de seu jeito normal lá dentro. Eu olho horrorizada. ´´ Veja? Mãe diz em tom reconfortante, me puxando em direção a ela. Está tudo bem. Eles fizeram um trabalho incrível. Ela parece que ela está apenas dormindo.`` A Vovó não parece estar apenas dormindo. Ela parece um boneco de cera. Para constar, quem maquiou o rosto dela colocou muito rouge. E, ainda, eles a colocaram em um vestido azul com um corte muito elevado e com rendas, algo que ela nunca teria usado em vida e apertaram suas mãos sobre o peito junto a um rosário. Uma lata de Bud* teria sido inteiramente a mais adequada. (* cerveja) ´´ Você pode beijá-la e dizer adeus, se quiser, mamãe me diz suavemente.`` Eu não quero insultar ninguém, mas a verdade é que, eu preferiria beijar o DJ Tippycat. ´´ Não, eu digo. Está tudo bem.``. Maggie beijou, mamãe diz, parecendo um pouco ofendida. Eu olho em volta para minha sobrinha, esperando encontrá-la encolhida em um canto da igreja, balançando suavemente e dizendo a si mesma tudo está bem. Mas ela está mais pelas portas tentando encher uma garrafa de Snapple com água benta e dizendo a seus primos que não tem problema, ela bebe o tempo todo. ´´ Uh, eu falei para a mamãe. Estou bem assim. Realmente.`` Eu não ligo se a minha sobrinha, de seis anos de idade fez isso antes de mim, e eu não ligo se é a Vovó: De jeito nenhum vou beijar um corpo morto. ´´ Bem,`` minha mãe diz enquanto o atendente do funeral, obviamente fumegante sobre ter tido que esperar tanto tempo, toma esta dica como uma sugestão para abaixar a tampa do caixão.´´ Eu acho que é tarde demais.`` Mas de certa forma, eu percebo, que não é. Também que mamãe está certa. E que a meia hora Chaz passou dirigindo loucamente em torno da cidade, insistindo em que não chegar à igreja até que ele tivesse certeza de que o caixão estaria fechado, tinha sido para nada. Porque vendo a Vovó assim nesta concha vazia de um corpo, a estátua de seu auto anterior me deu uma forma de encerramento. Foi comprovado para mim que a essência da Vovó, que a fazia bem, a Vovó, realmente tinha ido.


E quando o atendente do funeral fechou o caixão, de repente eu não me sinto mais triste. Pelo menos, não tão triste. Porque não é a minha avó que está fechando dentro dessa caixa. Eu não sei onde está minha avó. Mas ela não está lá. E isto é um alivio enorme. Onde quer que ela esteja, eu sei que ela está finalmente livre. Eu gostaria de poder dizer o mesmo de mim. ´´ Vamos lá,`` minha mãe diz, pegando o braço de papai e puxando-o para longe da parede de boletins de igreja, que estava assiduamente estudando este tempo todo (Papai sempre foi impotente diante de panfletos). ´´Meninas.`` Ela estala seus dedos diante de Rose e Sarah, que estão tentando reunir suas proles. ´´ Já é tempo.`` E, como mágica, o Padre Jim aparece no altar com alguns meninos segurando velas e, então, todos nós sentamos em nossos lugares atrás do caixão, que é levado ao seu lugar de honra perante a congregação, quase nenhum deles eu reconheço, exceto Shari, cujo olhar se cruza com o meu, quando o Chaz me leva até o altar. Ela está com seus pais, e nesta hora eu percebo culposamente, que eu realmente deveria ter verificado o meu celular, que ficou vibrando raivosamente o dia todo, sem dúvida, com mensagens de Shari, me dizendo que ela havia chegado. Bem, eu sei disso agora. E ela sabe que eu sei. E ela sabe algo mais, a julgar pela expressão de seu rosto, eu tenho queimaduras causadas por ficar dando uns malhos e pior com o ex-namorado dela. Honestamente, eu não posso pensar nisso agora. Eu olho longe para outra direção, minhas bochechas pegando fogo e não decorrente da barba do Chaz, banco da frente com o resto da minha família enquanto o Padre Jim sobe diante do altar e a missa começa. Logo fica evidente que exatamente o que eu temia que iria acontecer: Isto não é o funeral de minha avó. É o funeral de alguém com o mesmo nome de minha avó. Mas poderia ser qualquer mulher com esse nome. Porque o Padre Jim não conhecia a minha avó. Ele não sabia que ela odiava tomate e mostarda. Ele não sabia que ela gostava de dramas de televisão e AC / DC. Ele não conhece nada sobre a Vovó. Ela não se importava com nada do que o Padre Jim está falando. Ela certamente nunca ia à igreja (exceto na véspera de Natal, para ver seus netos e bisnetos atuar na peça natalina, e mesmo assim ela mantinha um frasco em sua bolsa até que mamãe encontrou e o confiscou. E depois ela implorou para todos comprarem sua cerveja mais tarde). Não é que o serviço funerário esteja ruim, está bonito. As flores são bonitas e o sol


oblíquo através das janelas de vidro colorido do santuário, é adorável. O Padre Jim desprende um ar de sinceridade bem-humorada. É só que nada disso é parecido com a Vovó. Que a leitura Sarah fez, se levantou e leu a partir do Evangelho de Lucas? Nada a ver com a Vovó. Nada disso. Essa música agradável que o coro cantou? Não é algo que Vovó teria gostado. Mas isso não envergonha a Rose. E eu acho que deveria fazê-la feliz. Mas aquilo não diz nada sobre a pessoa cuja vida, nós supostamente estamos aqui para celebrar. É como se a figura de cera no interior do caixão, não é a Vovó. A Vovó, assim como Elvis, obviamente deixou o prédio há muito tempo. O que é bom para a Vovó. Mas que não é o jeito de se lembrar dela. Apenas não é. Mas como eu olho para o rosto de minha família ao meu redor, vejo que eles estão todos satisfeitos com a maneira como as coisas estão indo. E por que eles não estariam? Este é provavelmente o primeiro evento de família desde sempre, que a Vovó não arruína de algum modo. Ela não era exatamente a pessoa mais fácil de se conviver, com o que eu sei muito bem. Tão divertida como ela poderia ser as vezes ela aparecia na minha escola, dizendo que eu deveria urgentemente ir para casa, só para me levar ao cinema no meio do dia, porque alguns dos grandes sucesso de público tinha inicio naquele dia e ela queria ver antes que alguém o fizesse e contasse o final para ela? Ela também poderia ser uma enorme dor no traseiro. Eu devo saber pois eu arrumei muita bagunça causada por ela. E eu já ouvi os meus pais dizendo que eles reformariam o quarto da vovó uma sala de jogos para os netos. Eu posso compreender completamente os que ele querem fazer. Ainda. Só me parece que alguém pudesse dizer algo pessoal. Uma mão cai sobre as minhas, que estou apertando firmemente no meu colo, e eu olho para cima para ver Chaz sorrindo simpaticamente para mim, como se ele estivesse lendo meus pensamentos. Ele está vestindo um terno, o mesmo que ele estava usando naquele dia fora de seu prédio, quando o meu coração reagiu tão violentamente ao vê-lo. Ele deixou o boné para trás, no quarto do hotel. Inferno, ele nunca será tão bonito quanto o Luke, pelo menos, não da maneira convencional de que o resto da sociedade pensa de tão bonito. Ele não tem as pestanas compridas de Luke, e seus olhos escuros não são sonolentos. Mas meu coração bate mais rápido quando eu olho para ele. Estou perdida. Eu sei disso agora. Eu estou com sérios problemas, sérios problemas. E a pior parte é que, exceto pelo o problema, eu sei o que isso vai causar nas pessoas que eu gosto como a Shari e obvio o Luke, Mas eu não me importo.


De repente, a Rose está me cutucando e dizendo: ´´ É a tua vez, e percebo é a hora de eu tomar o meu lugar atrás da estante ao lado do altar. Eu deslizo minhas mãos das do Chaz e me levanto, consciente de seu sussurro: ´´Vai, campeã.`` Então, estou caminhando para o púlpito, a folha de papel com as palavras do Padre Jim e mãe tinham escolhido por mim a ler,com o Evangelho segundo João impresso nele e amassado nas minhas mãos ligeiramente suadas. Subo os degraus do púlpito e mexo com o microfone até o seu nível correto, e então eu olho para o mar de rostos diante de mim. Uau. Eu não tinha idéia de que a Vovó tinha tantos amigos. Então eu percebo que ela não tinha. Estes são amigos Papai e mamãe. Eu vejo o Dr. e Sra. Dennis, Shari e seus pais, e mesmo, no caminho de volta, os Pennebakers, pais de Kathys. Eu vejo o meu dentista da infância e, vergonhosamente, o meu ginecologista. Ótimo. O rosto que eu não vejo é o do meu noivo. Mas, está tudo bem. Porque estamos dando um tempo. E eu estou dormindo com seu melhor amigo, de qualquer maneira. ´´ Hum,`´ eu digo. Minha voz ecoa por toda a igreja, soando incrivelmente alta. Eu desdobro o pedaço de papel que mamãe me deu. Uma leitura do Santo Evangelho segundo João. O que a minha ginecologista está fazendo aqui? Quer dizer, é verdade que ela é a ginecologista de mamãe também. E talvez de Rose e Sarah também, por tudo o que sei. Mas ela sabia da Vovó? Foi ela a ginecologista da Vovó? A Vovó quis ir a uma ginecologista? Isso é totalmente estranho. Eu nunca pensei na vagina da minha avó antes. Eu não quero ficar pensando na vagina da minha avó. Não aqui, no seu funeral. Em uma igreja. Enquanto estou fazendo a leitura de uma Bíblia. ``Jesus disse aos discípulos:`` Uau, a minha voz soa alta. Por que estou lendo a respeito de Jesus? A Vovó não poderia ter se importado menos com Jesus. Quero dizer, se houver alguma justiça no mundo, ela está com Jesus agora, mas as possibilidades são dela estar com Elvis, como Chaz disse, no inferno. Quero dizer, se existe um inferno. E se Elvis foi lá, não estou dizendo que ele foi. O inferno provavelmente é muito mais interessante do que o céu. Menos chato. Aposto vovó preferiria estar no inferno. ´´ Não deixe seu coração ser incomodado.`` Eu prefiro estar no inferno. Quero dizer, se Elvis está lá. E Shakespeare. E Einstein. E a vovó. E Chaz.


Você sabe o que? Oh Deus. Todo mundo está olhando para mim. Mãe parece que está prestes a ter um enfarte. Oh bem. Ela não deveria ter me pedido para fazer uma leitura. Ela tinha que ter sabido que isto ia acontecer. ``Meu coração está perturbado, eu digo, olhando a folha com o Evangelho de João, escrito n ele. Está incomodado porque eu não acho que nada disso é o que minha avó teria realmente querido ouvir no seu funeral. Não me interpretem mal, eu acho que é muito bom,`` eu garanto ao Padre Jim, que está olhando assustado (embora eu não possa deixar de notar que os meninos do altar parecem satisfeitos com o rumo dos acontecimentos heterodoxo, sob suas vestes brancas, e seus tênis sujos). ). ´´ Eu apenas não acho que nada do que foi dito até agora tem realmente a ver com a minha avó. Por isso eu tomei a liberdade de preparar uma leitura alternativa mais cedo esta manhã. Do bolso do casaco preto vintage estou vestindo, eu puxo um outro pedaço de papel, no qual eu escrevi um conjunto de letras. Isto é de uma canção que eu sei que minha avó realmente gostava. Não se preocupe eu não vou cantá-la.`` Eu vejo as minhas irmãs visivelmente relaxarem. ´´ Mas eu acho que é importante que nós honramos a memória daqueles que nas perdemos simplesmente mencionamos algumas das coisas que eles realmente gostavam e isso é algo que eu sei vovó realmente gostava. Assim, Vovó isto é para você. Onde quer que esteja.`` E então, desdobro o pedaço de papel, eu leio: ´´ Em rumo a uma estrada de mão única`` Corro o risco de um breve olhar para cima. Percebo que a congregação reunida está olhando para mim, a maioria com a boca aberta. Minha mãe, em particular, parece atordoada. Papai, no entanto, tem um leve sorriso no rosto. Ele cresce quando leio esta parte seguinte: ´´Ninguém vai me fazer reduzir a velocidade, Estou na autoestrada para o inferno.`` Agora, alguns sorrisos mais aderiram o de meu Pai. Angelo está sorrindo também. E Chuck também. Mesmo Sarah deu um pequeno sorriso. Mas isso é basicamente tudo. Exceto por Chaz. Chaz está sorrindo amplamente. E me dá um polegar para cima. Eu sorrio de volta. ´´ Obrigada,`` digo modestamente aos paroquianos. E então eu desço do púlpito. ´´ Foi uma leitura muito interessante que você fez,`` minha ex-ginecologista, Dra. Lee, diz uma hora mais tarde, uma vez que o todos voltaram para casa dos meus pais para


refrescos após o funeral. ´´ Obrigada, eu digo.`` Estou segurando um prato de plástico, no qual eu empilhei vários tipos de cookies que eu pude encontrar. Graças ao número de amigos e vizinhos em causa que assaram muito nos últimos dias, este acaba sendo uma prato com muitos cookies. Eu não estou dividindo esses cookies com os outros. Eu estou comendo todos eles sozinha. ´´ De quem era a letra as música?`` Dra. Lee quer saber. ´´AC / DC, eu digo.`` ´´Ah, claro, o Dr. Lee diz. Como fui tola.`` Ela se afasta, e Chaz aparece para tomar seu lugar. Ele está segurando um prato de plástico contendo dois tipos diferentes de samosas, churrasco coreano, Satay de frango, macarrão frio e gergelim. Posso dizer que ele visitou a mesa com que os amigos de graduação do meu pai estão. ´´ Como você está?`` ele quer saber. ´´Ótima, eu digo. Minha ginecologista gostou.`` ´´ Então são dois, diz ele.`` ´´ Dois?`` ´´ Eu gostei dele, diz ele, roendo o frango Satay.`` ´´ Oh, eu digo. Certo. Papai gostou também. E Chuck e Angelo. E Sarah, eu acho.`` ´´ Então, cinco, Chaz diz. De duzentos. Nada mau.`` ´´ Então, quando você acha que nós podemos sair daqui?`` ´´ Eu ia te perguntar exatamente a mesma coisa.`` ´´ Vamos dar mais quinze minutos, eu digo. Minha mãe ainda não teve chance de me tinha uma chance de realmente me passar um sermão.`` ´´ Certo. E estamos esperando isso porquê?`` ´´ Para fazê-la sentir-se melhor?``


´´ Você é uma filha muito boa, Chaz diz. Eu já lhe disse que você está sexy nesta saia?`` ´´ Cerca de vinte vezes.`` ´´Você está sexy nesta saia.`` ´´ Vinte e uma.`` `` Você ficaria mais sexy sem ela. Você sabe como você ficaria ainda mais sexy? Com uma daquelas minúsculas toalha de banho da Pensão dos Cavalheiros.`` ´´ Vamos mudar para dez minutos,eu digo a ele.`` ´´ Eu vou ter certeza de que não tem ninguém bloqueando o carro de aluguel, diz ele e abandona seu prato de plástico.`` Nem passados dez segundos que ele foi embora, Sarah e Rose me encurralam no piano que todas as três de nós detestávamos ser forçadas a aprender a tocar (nenhuma de nós conseguiu aprender a tocar bem). ´´ Tudo bem, fale, diz Rose. Que é o negócio com o ex da Sharis ? E não tente negar , tem algo acontecendo. Você cheira de xampu de hotel barato.`` ´´ Ele não consegue tirar os olhos de você,`` está é a contribuição mais carinhosa da Sarah para a conversa. ´´ Eu não sei, eu digo a elas. Olha, eu não tenho tempo para isso. Eu tenho que ir, ouvir o sermão da mamãe. `` ´´ A mamãe está com uma enxaqueca, diz Rose. Ela está no quarto com uma toalha molhada sobre o rosto. Você já a matou. Então, só desista. O que você vai fazer com aquele cara Luke? Ele não é o melhor amigo do Chaz?`` ´´ Eles estvão lutar por você?`` Sarah quer saber. ste tem sido o seu sonho desde que assistiu West Side Story, que dois homens poderiam um dia lutar por ela. ´´ Eu realmente não quero falar sobre isso,`` eu digo, enfiando um biscoito de chocolate em toda a minha boca de modo que, não importa o que elas digam, eu não serei capaz de falar sobre isso. ´´Será que isso significa que você não vai se casar na França? Sarah quer saber. Porque eu ia ter augumas aulas de Frances no Y. Mas se eu não tiver que ter as aulas, me aviser. Porque tem caras mais bonitos nas aulas de italiano.``


´´ Se você acha que que a mamãe está morta agora, espere até ela descobrir que você não vai mais se casar com este cara, o Luke. Ela já disse a todos em sua classe scrapbooking que você está noiva de um príncipe. Isso vai totalmente acabar com ela. Eu me pergunto qual letra do AC / DC você vai ler em voz alta no funeral dela?`` Eu não posso falar, devido a todo o cookie na minha boca. Isto, penso eu, só pode ser uma coisa boa. ´´Lizzie?`` Viro a minha cabeça e vejo a Shari ali. Meu coração afunda. Não que não estou feliz em vê-la. Só não estou anciosa em vivenciar o que eu sei que vai acontecer em seguida. Eu engulo. ´´Oi, Shari, eu digo. Como vai você?`` ´´ Oh, muito bem, diz Shari, olhando minhas irmãs com desgosto. Fiquei me perguntando se eu poderia ter uma palavra com você a sós por um momento.`` ´´ Sem problema, eu digo.`` Mas é claro que tem problema. Eu posso dizer a partir da expressão no rosto Shari que não vou gostar de qualquer coisa que ela tenha a dizer. Eu a sigo até as escadas para o meu quarto antigo, que foi transformado em um quarto de hóspedes, no entanto, e afundo em minha velha cama, tentando evitar os olhares acusadores das bonecas Madame Alexander, que os parentes da minha mãe me enviaram ao longo dos anos. Jo March parece particularmente desapontada comigo, enquanto ela me encara da estante de livros infantis. ´´ Lizzie, diz Shari, fechando a porta atrás dela. O que você está fazendo?`` ´´ Eu não sei o que você quer dizer, eu digo, mantendo meu olhar nos meus pés.`` ´´ Sim, você sabe, diz Shari. Você está drogada com os comprimidos que meu pai te passou? Porque se você estiver, eu quero que você pare de tomá-los. Pensei que eles ajudariam, não fariam romper totalmente com a realidade. Quero dizer, dormir com Chaz? Você perdeu sua cabeça? E quanto ao?`` Lágrimas enchem meus olhos. Eu olho para cima, apenas para descobrir que a mãe de Jo, Marmee, está olhando para mim com um olhar ainda mais acusador do que o da filha. Por que, oh, por que o Vovô e a Vovó insistiram em me envia uma boneca Madame Alexander para cada aniversário e Natal, até que virou dezesseis? Há apenas tantas delas, todas olhando para nós. ´´ Não é assim, digo eu, a minha voz me surpreende. Eu nunca nem tomei estas pílulas.`` ´´ Então que diabos está acontecendo, Lizzie? Shari exige. Ela atravessa a sala em uma única etapa e se afunda na cama ao meu lado. Porque esta não é você. E não tente negar que isto está acontecendo, porque está bem evidente no teu rosto, com estas marcas de


barba. Quer dizer, não me interprete mal, eu sempre pensei que você e Chaz fariam um grande casal. Eu admito que a coisa toda Mae Lin foi para te deixar com ciúmes. Eu sabia que você nunca perceberia como o Chaz é ótimo, a não ser que você o visse com outra garota. Não uma metida como a Valência. Eu sabia o que ele sentia por você, era totalmente óbvio. Ele não falava de outra coisa, nenhum garoto fala tanto de uma garota a não ser que ele esteja louco por ela. O que ele admitiu para mim. Era sobre você que eu não tinha tanta certeza. Eu agito minha cabeça.´´ O que você quer dizer, Mae Lin foi sópara me fazer ciúmes? O que você está falando?`` ´´ Bem, funcionou, não funcionout? Você estava com ciúmes, certo? Eu não poderia acreditar como você foi lá e arrumou uma briga com o pobre garoto no minuto que a Mae Lin e a Valência desceram. Ele não tinha idéia do que estava acontecendo. Oh meu Deus, eu quase molhei a minha calça de tanto que eu ri.`` Agora, estou um pouco brava. Também um pouco atordoado pelo descaramento da Sharis. Ela tem sido minha melhor amiga desde sempre. Mas eu não tinha idéia de que ela era capaz deste tipo de duplicidade. ´´Shari, eu digo. Isso é muito mau. Você estava conspirando ao longo de todo este tempo para me arrumar com o seu ex, quando sabia perfeitamente bem que eu estou noiva? De seu melhor amigo? E você usou alguma pobre menina do seu escritório para fazer isso?`` ´´Ah, que seja, diz Shari, fazendo um gesto obsceno. Mae Lins namora um paramédico gostoso. Ela estava disposta a fingir. Mas eu nunca pensei que você realmente ai cair na cama com o cara antes de acabar com o seu noivo. No seu funeral de sua avó. O que você está fazendo? Você enlouqueceu de vez?`` Eu olho para ela. Estou quase certa que pareço tão acusadora e desaprovadora quanto as bonecas Madame Alexander acima de nossas cabeças. ´´ Para sua informação, eu digo, eu não estava com ciúmes de Mae Lin. E com quem eu durmo pelas costas de meu noivo e no funeral de minha avó, é problema meu. ´´ Bem, desculpe-me, diz Shari, parecendo ofendida. Eu só não quero ver você se machucar. Você ou o Chaz.`` ´´Oh, eu digo, deixei uma risada amarga escapar. Agora você está preocupada com os sentimentos do Chaz?`` ´´ Ei. Shari estreita os olhos em mim. Isso não é justo. Você sabe que eu o amava.`` ´´ Bem, eu digo. Assim como eu.``


´´ Ama? Shari quer saber. Bem, então por que você ainda usando a aliança de em seu dedo?`` ´´ Tenho algumas coisas que eu ainda preciso descobrir, eu admito, desconfortavelmente pressionando minha mão esquerda para o colchão de modo nenhuma de nós pode ver o meu dedo anelar. Eu não estou dizendo que tenho todas as respostas, Shari. Eu sinto que mal estou me agüentando, de fato. Mas eu sei que eu amo, e eu acho que eu sempre o amei.`` ´´ E quanto ao Luke? Shari questiona. ´´ Estou fazendo o melhor que posso, certo? O Luke está na França, eu digo. Eu vou esperar até ele voltar para descobrir o que acontecerá conosco. Nesse meio tempo, noivos não significa casados, você sabe, eu adiciono.`` Ou morto. Estou um pouca assustada ao me encontrar repetindo palavras da vovó. Mas que momento mais adequado de fazê-lo do que depois de seu enterro. Shari me olha como se ela estivesse me vendo pela primeira vez. Talvez em um jeito ela esteja. Ela sacode a cabeça e pergunta: ``Alguma vez você já procurou pelo significado de solipsista?`` ´´ Sim, eu digo indignada. E não é verdade. Eu não sou extremamente preocupada em ceder meus próprios sentimentos e desejos. Se eu fosse, nunca teria saído do apartamento do Luke da Quinta Avenida, e muito menos olharia duas vezes para o Chaz. Ele é um pobre estudante, enquanto o Luke um príncipe rico, lembra?`` Shari, para meu alívio, solta uma gargalhada. As bonecas Madame Alexander parecem assustadas. ´´ Isso é verdade, diz ela. E ela me alcança e pega a minha mão, aquela com o anel de noivado ainda no meu dedo. Oh, Lizzie. Tenha cuidado. Você está brincando com fogo aqui.`` ´´ Eu? Eu levanto minhas sobrancelhas. Você é a pessoa que acabou de admitir que contratou uma garota de seu escritório de propósito para flertar com Chaz para tentar me deixar com ciúmes!`` ´´ Mas eu pensei que você faria a coisa certa e romperia com o Luke antes,ia Shari chora. Não começar a dormir com Chaz durante o funeral de sua avó. Não que isso não seja uma homenagem a ela, ela se orgulharia. Ainda. Estou apenas preocupada com alguém se machucando. E eu estou com medo que seja você.`` Eu aperto a mão dela. ´´Eu sou uma menina grande agora, Share, eu digo. Eu posso cuidar de mim mesma.``


Mas,enquanto nós fizemos o percurso de volta para baixo, eu me questionei se isso era verdade. Posso? É verdade que eu estou vivendo a minha vida própria pela primeira. Estou me sustentando, lidando com meus negócios (bem praticamente), e em determinado momento de uma dúzia de pratos estão girando no ar de uma vez. Se eu deixar cair apenas um, a coisa toda vai virar uma confusão que ninguém iria acreditar Então o que estou fazendo, tendo este caso tórrido com o melhor amigo do meu noivo? E é tórrido, eu percebo quando entro na sala e o observo em pé lá esperando por mim, e meu coração bate em minhas costelas, como faz sempre que eu o vejo. Eu não vou escapar dessa ilesa. Nenhum de nós vai, eu sei. Mas quando Chaz levanta a cabeça e eu sinto que o choque elétrico que parece sempre passar por mim quando eu olho em sua direção e seu olhar encontra o meu e então eu percebo que eu não me importo. Eu não me importo o que está para acontecer. Enquanto nós pudermos estar juntos Por agora. Enquanto o agora durar. HISTÓRIA DOS CASAMENTOS Flores sempre desempenharam um papel importante em casamentos, desde os primórdios nas cerimônias de casamento na Grécia Antiga, onde eram usadas para fazer uma coroa para que a noiva usasse como uma dádiva da natureza. Coroas de flores e grinaldas eram freqüentemente usadas em cerimônias para unir os casais, em vez de alianças. Diferentes ervas e flores como as flores e os dentes de alho, freqüentemente eram usados para afastar os maus espíritos. Espíritos maus, é claro, não serão os únicos a ser repelidos se hoje as noivas começaram a carregar os dentes de alho. COMO EVITAR UM DESASTRE NO DIA DO SEU CASAMENTO É tradição dar aos convidados de seu casamento uma lembrancinha deste dia. Esta é uma prática de séculos que deriva do hábito francês de dar doces, ou amêndoas açucaradas, para clientes que estão de partida. Casais de hoje tendem a escolher velas ou, se você realmente tiver dinheiro em caixa, óculos de sol com strass. LIZZIE NICHOLS DESIGNS CAPITULO 17 Em todo o bolo de casamento, a esperança é a mais doce das ameixas. Douglas Jerrold (18031857), Inglês dramaturgo Eu estou em pé encostada à janela de vidro com vista para a aterrissagem e descolagem


de aviões na pista na minha frente. Chaz e eu pegamos um vôo comercial para fora de Ann Arbor e estamos esperando a nossa conexão para LaGuardia em Detroit. Eu só não tinha me preparado para um telefonema inesperado de Luke no meio das bebidas que Chaz e eu estávamos tomando no Fox Sports Bar enquanto aguardávamos o embarque. ―Como vai você? Luke queria saber. Eu sinto muito eu não poder estar lá para você, Lizzie. Sei que deve ter sido muito, muito duro. Mas você sabe que eu não poderia ficar longe do escritório. Tio Gerald realmente precisa de mim aqui.‖ Eu tive de deixar o bar e vaguear pelo saguão. Eu não poderia falar com Luke na frente de Chaz. ―Claro, eu disse. Eu sei. Está tudo bem.‖ Há trovões acima de minha cabeça ao longo do horizonte. Reafirmando o motivo que está causando o atraso de nosso vôo. Apenas uma meia hora até o momento. Mas quem sabe? Nós poderíamos ficar presos em Detroit durante a noite. E ainda de alguma forma o pensamento de ficar presa em Detroit ou qualquer lugar com Chaz não me incomoda. Em nada. Parece errado o fato de que eu estou falando com meu noivo no telefone e pensando o quanto eu não me importo de ficar presa em um aeroporto com seu melhor amigo. A quem eu pareço não poder parar de tocar. Cada vez que estou longe dele sinto algo semelhante a uma dor física até que eu possa voltar a seu lado e coloco minha mão no seu braço ou seu ombro toco ou deslizo meus dedos em seu corpo. Isso é totalmente bizarro, e algo que eu nunca tinha experimentado antes. Nem mesmo com Luke, o homem a quem estou envolvida. Rose está certa. Eu sou uma vagabunda. Mas eu nem estou perdida em pensamentos enquanto Luke fala. ―Você ainda está ai?‖ Eu me perdi completamente da conversa. Atrás de mim, uma das esteiras fazem bip-bipbip levando alguns passageiros idosos à sua porta, e ninguém vai sair do seu caminho. ―Eu, Lucas diz. Como você se sentiria sobre uma vinda a Paris para uma semana?‖ Eu agito minha cabeça como se houvesse uma abelha dentro dela. ―Eu? Eu pergunto. Você quer dizer?‖


―Isso. Eu quero um tempo do nosso tempo, diz ele.‖ ―Hum, eu digo. Você quer que eu vá visitá-lo? Em Paris?‖ ―Meu Deus! Ele sabe! Ele pode dizer sobre mim e Chaz! Eu não tinha mencionado que Chaz tinha ido até o funeral. E Chaz , obviamente, não havia falado de Luke desde que ele chegou. Isto é horrível. Luke vai terminar comigo agora, por telefone. Oh bem. Eu mereço. Sou uma pessoa horrível. Eu estou na estrada para o inferno. Mas tudo que Luke diz é: ―Eu tenho realmente apreciado meu tempo aqui. Eu sei que eu não devo dizer isso, considerando o que você acabou de passar. Mas a sua verdade. Eu esqueci o quanto eu amo Paris. E trabalhar com o tio Gerald tem sido grande. Eu estou realmente tendo uma explosão.‖ Abro os olhos. Aguardo. Isto não é terminar comigo. Este som não se parece com um término. ―Eu esqueci o quanto eu gosto de trabalhar no mundo dos negócios, Luke continua. É realmente fantástico. E eu acho que você iria amar também. Você sabe o que foi um grande momento que tivemos aqui no verão passado. É uma vergonha, você não ter podido vir comigo.‖ ―Bem, eu digo. Eu realmente não poderia ficar tanto tempo longe do trabalho. Cada palavra soa como estrangeiro em meus lábios. Só que estou falando em Inglês.‖ ―Claro, Luke diz. Eu sei. Seu trabalho é importante para você. Eu sei agora. Este tempo me ensinou isso. Realmente, Lizzie. Eu entendo.‖ Eu dou uma espiada em Chaz. Ele assistindo a televisão em cima da barra. Uma transmissão de um jogo de golfe. Com base em seus hábitos televisivos de volta no quarto de hotel, nas poucas vezes em que estava ligada realmente eu comecei a perceber que realmente não é qualquer esporte que Chaz costuma assistir. ―Você não está assustada, não é? Lucas pergunta. Quero dizer, estar gostando tanto daqui?‖ ―Por que isso me assustaria?‖ Eu pergunto. O que assustar é que estou dormindo com o melhor amigo do meu noivo, um cara que também acontece a ser ex-namorado da minha melhor amiga. Sim, minha melhor amiga que é uma lésbica agora. Isso é o que está me enlouquecendo.


Não que eu planeje falar isso para ele. ―Bem, isso é um alívio, Luke diz. Quer dizer, eu não desisti da escola médica ainda. Não completamente. Mas eu não tenho totalmente certeza, para mim, em Paris, bem, Paris é tão incrivelmente grande. Eu só acho que você realmente iria amá-la‖ Certo. Agora eu estou oficialmente assustada. Tenho de desligar o telefone. Tenho de desligar o telefone agora. ―Uh-oh, eles estão chamando o meu vôo, eu minto. Eu tenho que ir. Ligo pra você mais tarde, Luke.‖ ―Oh, bem, diz Luke. Te amo!‖ ―Também te amo,‖ eu digo e desligo. O que aconteceu? O que aconteceu lá? Eu não sei mesmo se eu posso lidar com isso. Corro por todo o saguão lotado e deslizo de volta para o meu banquinho no Fox Sports Bar, pego minha bebida e entorno. ―Mais devagar ai campeã, Chaz diz, observando-me com alguma apreensão. Eles têm mais vodka lá do que apenas o que está em que o vidro, você sabe.‖ Pousei o meu copo vazio de cabeça para baixo em cima do balcão. ―Ele quer que eu vá a Paris para vê-lo,‖ Eu digo para as beer nuts* que estão no chão do aeroporto. *(Uma marca de tira gostos americana) ―O bastardo, Chaz diz. A próxima coisa que você vai saber, É que ele vai marcar uma data para o casamento.‖ Eu levanto a cabeça e olhar para ele. Ele está com o boné de beisebol dos Wolverines e está adoravelmente sexy e amarrotado, como se ele apenas rolou para fora da cama. Que, na verdade, ele rolou. Comigo. A culpa sobre o que nós fizemos bate-me como faz uma centena de vezes por dia, mais uma vez. Eu deixo cair a minha cabeça de volta para o bar. Eu quero começar a soluçar. Eu realmente quero. Chaz passa sua grande mão na parte de trás do meu pescoço.


―Anime-se, ele diz. Poderia ser pior.‖ ―Como?‖ Exijo. ―Bem, ele diz que depois de parar um momento para pensar sobre isso. Pelo menos você não está grávida.‖ Isto não tem o efeito cômico que Chaz aparentemente esperava. ―Chaz, digo miseravelmente. Tudo o que disse na manhã após o casamento de Jill é verdade. Eu sei. Luke realmente me pediu para casar com ele só porque ele estava com medo de estar sozinho. Ele não se importa comigo. Quero dizer, ele se importa, mas não do jeito que você gosta de mim. Se ele se importasse, teria aparecido no funeral de vovó. Você apareceu. Mas, mesmo assim. Agora olhe para a bagunça que eu fiz. Eu tenho um noivo que eu não amo e que quer se casar comigo. E um amante que eu amo, mas que não quer se casar. Por que você não quer se casar, Chaz? Por quê?‖ ―Eu já lhe contei porquê, Chaz diz. E se você não me aceitar como sou, com defeitos e tudo, então talvez seja melhor você ficar com Luke. Ele oferece a você um anel, o bônus de banqueiros de investimento, e um lugar na Quinta Avenida. Você seria louca para não ir com ele. Tudo que eu tenho é um lugar no East Village e uma baixa remuneração salarial de assistente. Ah, sem o anel. Eu não sei o que você está fazendo partilhando esta tigela de castanha e cerveja comigo em primeiro lugar.‖ Eu olho para baixo para a tigela. O ponto é que eu não sei, mas eu ainda penso nas noites frias em que eu achava que eu nunca me casaria. A coisa louca é, com Chaz, eu não me preocupo. Quer dizer, o ponto é apenas para estar juntos. Quem se preocupa com um pedaço de papel de idiota? Espera? O que está acontecendo comigo? No que eu estou me transformando? Posso realmente estar virando esse tipo de garota? O tipo de garota que não se importa sobre com casamento? Acho que sim. Quer dizer, já sou o tipo de garota que trai o noivo com seu melhor amigo. Eu gemo em voz alta, de repente. ―Como posso fazer isso com ele? Como podemos fazer isso com ele? Eu cubro meu rosto com as mãos. Eu vou vomitar. Juro.‖ ―Por favor faça na lata de lixo que ali, Chaz diz. E pare de se culpar. Ele não tem sido exatamente um escoteiro enquanto vocês dois estão juntos.‖


Eu pisco para ele por entre os dedos. ―O que você está falando?‖ ―Nada. Você quer outra bebida? Eles só atrasaram o nosso vôo por uma hora. Acho que preciso de outra bebida. Ele sinaliza para o bartender. Esta jovem senhora gostaria de outro drink. Com vodka.‖ O garçom acena e tira meu copo velho para fazer uma nova bebida. ―Eu prefiro uma Diet Coke, eu falei com o barman. Eu baixo as minhas mãos e estou segurando o balcão em um esforço para me manter na posição vertical. Estou bebendo a vodka muito depressa e estou com a cabeça leve.‖ ― O que quer dizer com Luke não tem sido exatamente um escoteiro enquanto nós dois estamos juntos? Pergunto a Chaz.‖ ―Eu não te disse, nada. Olha, eu sempre quis perguntar-lhe. O que acontece com a cintaliga? ―O quê?‖ Eu fico olhando para ele com a visão embaçada pelo álcool. ―A coisa com a liga, Chaz diz. Em casamentos. Você sabe, quando o noivo tira a liga da coxa da noiva e joga para os caras.‖ ―Oh, eu digo. O barman entregou minha Diet Coke, e eu tomo um gole grata. Isso é dos tempos antigos, quando as pessoas no tribunal foram obrigados a seguir o casal recémcasado para o quarto após a cerimônia para certificar-se que o casamento seria consumado. Eles exigiam a liga das noivas como prova real de que o defloração tinha ocorrido. Uma vez que os camponeses gostam de imitar o comportamento da nobreza, tornou-se prática padrão para exigir que todas as noivas desistir de suas meias ou ligas após a cerimônia, por vezes, os convidados do casamento tomavam a liga pela força, por isso se tornou tradicional para o noivo tirá-la durante a recepção para que as pessoas não acompanhassem a noiva e o noivo de volta para seu quarto, e também para que os convidados do casamento ficassem fora dele.‖ ―Chaz faz uma cara. Agora, veja, ele diz. Isso já é razão suficiente para a instituição do casamento ser abolida.‖ Eu fico olhando para ele, a compreensão chegando. ―Você não é contra se casar, eu digo mas contra o casamento em geral‖ ―Verdade, Chaz diz. Mas você não pode ter um sem o outro.‖ ―Sim, claro que pode, eu digo com naturalidade. Mas não importa eu percebo. Não realmente. Não considerando os problemas que temos. Você realmente não se senti culpado sobre o que estamos fazendo?‖


Chaz termina o seu drink. ―Nem um pouco, diz ele. Eu fiz um monte de coisas terríveis na vida, Lizzie. Mas te amar não é um deles. Eu não sei o que é que vai acontecer quando Luke voltar no outono. Mas tenho a intenção de desfrutar da semana que me resta com você ao máximo. Porque, como eu sei do meu estudo da filosofia do tempo, o que vai acontecer no futuro é inevitável.‖ Eu pisco para ele. E a única coisa que posso pensar em dizer é: ―Qual é, então?‖ ―Qual é?‖ ele me pergunta. ―Qual é o próximo passo?‖ Estou realmente esperando que ele tenha a resposta. Porque eu me sinto completamente perdida. E com medo. Em o coração batendo, rápido e animado. A maneira que eu senti quando Shari e eu ficamos fora do plano de Michigan e estávamos na fila para os táxis no Aeroporto LaGuardia, sem saber o que íamos encontrar, quando chegamos em Manhattan. Eu não tenho a menor idéia de onde eu estava ou o que eu estava fazendo. Mas isso não significa eu estava no lugar errado, exatamente. Em seguida, Chaz sinaliza o garçom, ―Eu vou ter outra bebida. E eu sugiro que você faça o mesmo. Porque há uma senhora que eu conheço que merece ter sua memória brindada, e não a Diet Coke.‖ Eu dou-lhe um sorriso um pouco aguado. ―Eu não sou boa em não saber o que está para acontecer,‖ eu digo quando nossos drinks chegam e os elevamos num brinde. ―Você está brincando? Chaz diz. Isso é o que você tem de melhor. Você toma a estrada menos viajada e a transforma em ouro. Porque você acha que Luke ainda paira sobre você, com medo do mundo de fora? Você tem o toque mágico. E todo mundo sabe disso.‖ ―Eu não sei,‖ eu digo incerta. ―Lizzie. Por que você acha que foi você, de todas as pessoas da sua família, que sua avó


se ligou tão bem? Você, e mais ninguém? Você foi a única outra pessoa na sua família que, como ela, nunca iria aceitar um não como resposta, e só faz o que diabos você queria. Agora levante o seu copo.‖ Eu, mastigo o meu lábio inferior um pouco. ―Para Vovó, Chaz diz, tilintando a borda do copo ao meu. Uma bêbada agradável e como o whisky que quanto mais velho fica melhor.‖ ―Para vovó,‖ digo eu, lágrimas piscando de volta repentinas. Mas são lágrimas felizes. Porque finalmente alguém está dizendo que eu estive querendo dizer sobre vovó o tempo todo. Vovó, eu sei, aprovaria o que Chaz e eu estamos fazendo. O que quer que seja, exatamente. Eu ergo o meu copo. E eu bebo. ―Para Vovó.‖

A HISTÓRIA DOS CASAMENTOS Os primeiros brindes foram realizados por volta no século VI aC., Quando os gregos antigos derramavam o vinho para seus convidados do jantar de um jarro comunal. O anfitrião era a primeira pessoa a beber para mostrar aos seus convidados que não era o vinho envenenado (uma prática comum na época para livrar das garras da lei ou vizinhos incômodos). Mais tarde, o tilintar das taças em casamentos se tornou um método popular de manter os demônios longe do casal recém-casado. Em uma recepção tradicional moderna, o primeiro brinde é sempre para a noiva, geralmente feito pelo padrinho. O último brinde geralmente é o do pai da noiva. Depois de fazer um espetáculo choroso de si mesmo, a recepção pode começar oficialmente. Somente em uma recepção não-tradicional a noiva começa a dar seu próprio brinde, agradecendo a sua festa de casamento e os convidados (que, depois de se sentar e aturar tantos brindes, realmente merecem agradecimento).

COMO EVITAR UM DESASTRE NO DIA DO SEU CASAMENTO

Mantenha seus brindes curtos. Por favor, não ―cole‖ o texto de um papel. Um discurso curto é o desejo do casal feliz bem como dos convidados, tente não constranger o casal, ou mostrar como você é espirituoso.


Você também deve agradecer aos pais pela hospedagem do casamento. Levante o seu copo, peça a outras pessoas pra fazer o mesmo, os parabenize, então, leve sua bunda de volta para a cadeira, pelo amor de Deus, para o resto de nós podermos comer nosso frango frio com gosto de borracha. LIZZIE NICHOLS DESIGNS CAPITULO 18 A alguém profundamente lhe dá força. Ser amado por alguém profundamente lhe dá coragem. Lao Tzu, quarto século antes de Cristo., Filósofo taoísta Estou atrasada para o trabalho de manhã. Existe apenas uma explicação de como eu posso estar atrasada para o trabalho em um lugar que é precisamente dois andares abaixo de onde eu moro: Chaz. Acontece que há uma desvantagem para viver dois andares acima de onde você trabalha se você não quer que as pessoas que trabalham com você saibam que você está dormindo com o melhor amigo de seu noivo pelas costas dele, de qualquer maneira. Eu disse a Chaz que se ele queria passar a noite no meu apartamento, ele tinha que sair antes que alguém aparecesse na loja de manhã. Eu não poderia ter Tiffany e as outras meninas, vendo-o sair. O que significava que ele tinha que dar o fora de lá antes das nove, de preferência antes das oito e meia. Ele teria feito isso também, se não fosse por minha própria fraqueza insuportável quando se trata de homens que trazem café da manhã na cama. Essa é uma fraqueza que eu não sabia que eu tinha. Porque nenhum homem jamais me trouxe café na cama antes. E não era pedi que ele me trouxesse café na cama, nem pra nenhum outro, mas que ele se levantou antes de mim e deve ter feito isso super baixinho para não me acordar, e ido até a loja já que não havia nada a sério na minha geladeira e então fez ovos mexidos e bacon e torradas e trouxe-a em uma bandeja com uma única rosa vermelha em um vaso ao lado de uma Diet Coke gelada ainda na lata do jeito que eu gosto. Que menina não iria ter derretido? Então, eu estou um pouco atrasada quando eu finalmente chego lá embaixo para o trabalho. Surpreendida com um bom humor. Um altamente relaxado, mas ainda um pouco desorientado e confuso. Como se eu estivesse me sentindo assim desde que eu


beijei Chaz, mas quase como se eu tivesse tomado as pílulas que o pai Shari tinha me dado, em vez de jogá-las na privada, como se eu realmente fiz. O mundo parece diferente. Nem melhor, nem pior, apenas diferente. De repente, as coisas que costumavam me incomodar como homens que usam bonés em ambientes fechados, por exemplo, não me incomodam mais. Receava que um dia eu pudesse acabar comprando grandes quantidades de xarope* no supermercado de minha cidade natal como Kathy Pennebaker mais isso parece cada dia mais improvável. Em vez de comer obsessivamente de uma vez só, um saco inteiro de pipoca de queijo que eu comprei no aeroporto, eu comi apenas um punhado. *(Anna já explicou que xarope deixam as pessoas menos grogues lá nos EUA né) E eu não pensar mesmo sobre a compra de um Cinnabon.* *(Parece uma marca de ―cupcake‖ aqueles bolinhos recheados) Algo está acontecendo comigo. Até mesmo parei de usar o Spanx. Apenas não me importo mais com minhas gordurinhas. Talvez porque Chaz realmente gosta do meu corpo? Eu nunca preciso me preocupar em ficar por cima com ele, ou ter certeza que eu ando para trás para fora da sala quando estou nua para que minha bunda não dê show. Na verdade, estou muito certa que se eu fizesse isso, Chaz me perguntaria o que diabos eu estava fazendo, algo Luke nunca parecia notar. Ou questionar. Talvez isso é o que vem a ser uma prostituta. Quando você perde a sua moral, todas as suas inibições se vão também. De qualquer forma, eu não sou a primeira pessoa na loja. Sylvia e Marisol já estão lá, trabalhando com as rendas e tules do vestido Magnin & Co. 1950. Para uma noiva punky cuja mãe tinha usado ele e que queria espremer-la dentro. Levando em conta que ela é uma dimensão 12 e sua mãe tinha sido um tamanho 8. Mas da forma como Sylvia e Marisol começam a olhar, com a boca entreaberta, quando entro, não estou certo de que podemos lidar com muita coisa, muito menos adaptação um tamanho 12 do vestido Magnin para um 8. ―O quê?‖ Eu exijo, olhando de volta para elas. Elas sabem. Eu não sei como elas sabem, mas é óbvio que elas sabem. Eu devo estar usando uma grande letra V escarlate no meu peito. Ótimo. A chefe é uma vagabunda. Em uma hora, quando Tiffany chegar aqui, todos em


Manhattan (e em Dakota do Norte, que onde Tiffany é) saberão. Como posso lidar com isso? Nunca houve um artigo sobre isso na revista Fortune Small Business.* O que fazer quando todos os seus funcionários sabem que você está dormindo com o melhor amigo de seu noivo. Pelo menos eu acho que nunca li. Porra, eu sabia que eu deveria ter prestado mais atenção a revista e menos de Us Weekly.** *(Uma revista sobre negócio)**(jornal de fofoca) ―Está ficando muito bom‖, eu digo sobre o vestido, em que as duas mulheres estão trabalhando. Elas rasgaram todas as costuras, a partir da cintura do corpete e estão inserindo de rendas com lycra* em locais discretos. Sim, é isso. Talvez eu possa distraí-las por felicitar o seu trabalho! *( Ela falou um tipo de elástico no texto, eu botei lycra que fica mais fácil da gente entender) As duas mulheres trocam olhares. ―Fiquei triste ao ouvir sobre a sua avó, Lizzie,‖ Marisol diz. ―Sim, diz Sylvia. Eu também sinto muito.‖ Eu pisco para elas por um momento, depois percebo que elas não acham que sou uma vagabunda afinal! Elas só ficaram desconfortáveis por não saber o que dizer, porque eu acabei de voltar do funeral de minha avó. Deus! Sou tão idiota! ―Oh, eu digo, sorrindo. Muito obrigado. Ela teve uma vida boa e longa.‖ Eu estou me sentindo muito melhor sobre as coisas e menos desorientada, e recuperando o tempo perdido, incluindo mensagens de telefone, que havia acumulado demais, devido ao feriado de fim de semana, quando uma hora mais tarde Tiffany entra pela porta da frente, olha para mim, e diz, ―Ai, meu Deus. Você teve relações sexuais, esta manhã.‖ Eu quase engasgo com a minha segunda Diet Coke do dia que eu estava bebericando. ―O... o que? Eu choro, tentando não derramar coca em todo o catálogo de compromisso que tenho aberto na minha frente. O que você está falando? Não, eu não.‖ ―Ah, não tente mesmo, Tiffany diz. Você acha que eu não sei dizer só de olhar, quando você teve relações sexuais? E quem quer que tenha sido, ele é bom. Quem foi? Não pode ser Luke. Eu nunca vi você tão radiante antes. Ela para no meio da loja e me encara com olhos de coruja. Oh meu Deus, Lizzie. Você e Chaz‖ ―NÃO! Eu salto a partir da recepção e começo a acenar os braços para ela como uma


louca. Não, claro que não!‖ ―Puta merda.‖ Um sorriso lento começa a se espalhar em seu rosto. ―Você transou com o melhor amigo do seu noivo. Você é uma cadela.‖ ―Eu não, eu choro. Eu juro que não!‖ ―E agora você está tentando negar. Ainda sorrindo, Tiffany pega a bolsa Marc Jacobs e retira seu celular. Monique precisa ouvir sobre isso. Não Raoul precisa ouvir sobre isso. Na verdade, eu não posso pensar em uma pessoa que eu conheço que não precisa ouvir sobre isso. Essa é a notícia do ano. A Pequena Miss da Moral e bons Costumes conseguiu um pau dentro de suas calças neste fim de semana. Com o melhor amigo de seu noivo. Oh merda, e o ex da sua melhor amiga!‖ Tiffany ri de si mesma enquanto ela digita em seu celular. ―Ainda melhor! Cara, você está indo queimar no inferno de verdade!‖ Eu coloco a mão sobre o seu teclado. ―Tiffany, eu digo sinceramente. Por favor. Olhe para mim.‖ Tiffany olha para baixo de seu salto de 15 centímetros (com o calcanhar) e pisca os olhos pesadamente maquiados. ― O quê?‖ pergunta ela. Ela ainda sorrindo como um gato Cheshire.* *(O gato de Alice no pais das maravilhas) ―Não é o que você pensa,‖ eu digo. Agora tem um nó no estômago. Todos os deliciosos ovos e torradas e coisas que eu coloquei nele uma hora atrás estão prestes a voltar para cima. ―A coisa é...‖ ―Oh, o que? interrompe Tiffany sarcasticamente. Você aaaaama ele?‖ ―Sim,‖digo. Estou muito perto de vomitar Eu não sei o que fazer. Eu não quero jogar por cima da roupa bonita de Tiffany, mas eu não estou certa de quanto tempo eu posso segurar. Tiffany abaixa se celular, inclina-se para baixo até que o rosto é o nível com o meu, e diz,


claramente, ―Duh.‖ Então, ela se ajeita para cima, puxa seu teclado fora do meu alcance, e tagarela comigo enquanto seus dedos percorrem o teclado e sem nem olha pra mim diz: ―Jesus, Lizzie, você acha que nós não sabemos disso? Sinceramente acho que a única pessoa em toda a área do estado que não soube que você estava apaixonada por Charles Pendergast era você. Estava tão fudidamente óbvio que você gostava dele e que ele gostava de você que era apenas uma questão de tempo até que vocês fizesse algo sobre isso. E você sabe o quê? Estou feliz, porque eu já estava por aqui de Luke. Ele estava me dando nos nervos. O que é isso de passar o verão na França? Pelo amor de Deus, isso mostra o quanto ele está interessado. Eu não ligo se ele é um príncipe. Há coisas mais importantes do ser da realeza, você sabe. Como, por exemplo aparecer no funeral da sua avó! Não? Mas Chaz foi, certo? Foi lá? Foi lá que tudo isso aconteceu?‖ Quando eu aceno com a cabeça, zonza, ainda atordoada pela sua explosão, Tiffany continua, voltando sua atenção para seu celular. ―Veja? Eu sabia. Monique me deve cinqüenta dólares. De qualquer maneira. Eu posso dizer pelo seu rosto que você se culpa completamente pelo deslize. Sai dessa, Lizzie. Sim, Luke é um cara legal, e ele te ajudou quando você chegou e tudo mais, mais ele nunca esteve lá para você! Você está melhor com Chaz, que realmente a ama ninguém pode dizer ao contrário. Dava pra ver só pelo jeito que ele estava olhando para você naquele quatro de julho. A coisa é, ele é o negócio real.‖ Ela fecha, seu celular, a sua mensagem, aparentemente, entregue a todos do East Side, West Side, Brooklyn, Queens e acima de também. ―E isso é o tipo de cara que você precisa. Estou feliz que ele finalmente te pegou.‖ Eu olho para ela. Minha vontade de vomitar já passou. Eu estou tomada por um impulso novo de abraçá-la. Eu sei que é melhor controlar esse desejo, no entanto. Em vez disso, eu mesma me abraço, e digo em voz baixa, ―Obrigado, Tiffany. Isso foi estranho.‖ ―Posso imaginar, Tiffany diz, indo se sentar em sua cadeira. Quer dizer, o que deve ser


para você. Você não está acostumada a ser uma menina má.‖ Ela abre sua enorme bolsa e tira um croissant de chocolate, em seguida, entrega para mim com um cappuccino. ―Você não está realmente sendo tão ruim. Você sabe? Quer dizer, você e Luke não estão casados. Estão noivos. Mal estão noivos. Você nem mesmo definiu uma data. Na escala de 0 a 10 no quesito menina má você é no máximo 1.‖ ―E quanto a você? Eu pergunto‖ ―Eu? Tiffany morde seu croissant e mastiga pensativa. Bem, vamos ver. Raoul é casado, mas sua esposa o trocou pelo o seu personal trainer. A única razão de eles não se divorciarem é porque ele não tem o green card ainda. Tão logo ele recebe o que deve ser qualquer dia desses vai se divorciar e casar comigo. Mas estamos vivendo juntos. Assim, na escala de Menina Má, Eu sou como um quatro.‖ Eu nunca ouvi falar da escala de Menina Má antes de me colocar nela. Mas agora eu estou realmente interessada. ―E quanto a Ava?‖ Eu quero saber. ―Ava? Ah, vamos ver. Ela está dormindo com esse cara o DJ Tippycat, e ele é casado. Mas, de acordo com os tablóides, sua esposa correu atrás dele em um estacionamento com uma serra elétrica, assim ele tem uma ordem judicial contra ela. Isso só a coloca em cerca de cinco na escala de Menina Má.‖ ―Isso é mais do que você, eu digo, impressionada.‖ ―Verdade, Tiffany diz.Se bem que certa vez ele tentou tomar um grama de maconha em um avião. Ele levou em um dos animais empalhados de seus filho. Mas ainda. Oh meu Deus. Tenho que lembrar de dizer sobre você e Chaz para Ava. Ela vai ficar amarradona. Ela tinha cinqüenta apostado nele. Little Joey tem cem!‖ ―Por favor, eu digo, levantando a mão. Ava é um assunto delicado, já que ela ainda não está falando comigo desde a manhã em que acordamos para encontrar os paparazzi fora da loja. Podemos apenas mantê-la de fora agora? Há pessoas que eu não quero que descubram, como Luke por exemplo.‖ Tiffany pisca para mim. ―O que quer dizer? Claro que vamos dizer Luke.‖ Eu olho para baixo no anel que ainda estou usando na mão esquerda e não digo nada. ―Você está indo romper com Luke, Certo, Lizzie? Fala Tiffany. Certo, Lizzie? Porque, oh meu Deus, se você não está, você sabe qual o número que você vai para a escala de


Menina má? 10 diretamente pra dez. Você não pode ser de ambos esses caras ao mesmo tempo. Quem você pensa que é, afinal? Anne Heche?‖* *(atriz norte-americana) ―Eu sei, eu digo com um gemido. Mas não é justo, Luke vai sofrer tanto. Não por mim, mas a por Chaz. Quero dizer, ele é o seu melhor amigo‖ ―Isso é problema de Chaz, Tiffany diz. Não o seu. Vamos, Lizzie. Você não pode ter ambos. Bem, quero dizer, eu poderia. Mas você não pode. Você não iria ser capaz de lidar com ela. Basta olhar para você. Você está caindo aos pedaços como está, e um deles não está nem mesmo no mesmo continente, e não há nenhuma chance de você ser pega. Você vai ter de decidir. E, sim, um deles vai se machucar. Mas você deveria ter pensado nisso antes decidir se tornar uma menina má.‖ ―Eu não decidi me tornar uma Menina Má, eu insisto. Simplesmente aconteceu.‖ Tiffany balança a cabeça. ―Isso é o que todas dizem.‖ Naquele momento, os sinos sobre tilintam na porta da frente, e Monsieur Henri vem, seguido por sua esposa e outra mulher nunca vi antes. A mulher está vestindo uma jaqueta de verão e saia e está carregando uma maleta de negócios. Ela parece um pouco jovem demais para ser mãe da noiva, mas um pouco velha demais para ser o tipo de noiva que usa o tipo de vestidos em que nos especializamos. Não é necessário faixa etária ou qualquer coisa. Mas é verdade. ―Ah, Elizabeth, Monsieur Henri diz quando me vê. Você voltou, eu vejo. Ficamos muito tristes ao saber de sua perda.‖ ―Hum,‖ Eu digo. Não tenho visto Monsieur Henri desde a sua primeira última visita para a cidade depois de sua cirurgia cardíaca. Segundo a esposa, com quem tenho falado ao telefone várias vezes desde então, ele foi para trás em sua casa em Nova Jersey, melhorar em suas habilidades de petanca e assistir Judge Judy. Obrigado. ―Desculpe-me eu estava ausente por tanto tempo.‖ Eu estava realmente fora por quatro dias, apenas dois dos quais foram dias de trabalho efetivo. Mas eu não posso pensar em qualquer outra razão para Monsieur Henri voltar tão de repente, e com o que parecem ser os reforços. ―Não se preocupe, não se preocupe,‖


Monsieur Henri diz, acenando como se as minhas preocupações não fossem nada. ―Agora, Miss Lowenstein. Esta é a loja, como você pode ver. Deixe-me levá-lo para o quarto dos fundos.‖ ―Obrigado,‖ Miss Lowenstein, diz, dando-me o mais breve de sorrisos quando ela passa, logo atrás de Monsieur Henri. Eu giro meu olhar perplexo sobre Madame Henri, que mal me olha nos olhos. ―Oh, Elizabeth, ela diz olhando para o tapete. Eu mal sei o que dizer.‖ ―Oh, yeah, Tiffany diz, interrompendo enquanto estive a tomar um gole de seu cappuccino. Eu esqueci completamente de lhe dizer‖ A HISTÓRIA DOS CASAMENTOS Por muitos anos acreditava-se que o véu do casamento, que era tradicionalmente usado sobre o rosto, era usado para disfarçar a noiva, e, assim, protegê-la dos maus espíritos. Mas os historiadores mais recentes afirmam que, talvez, o véu serviu a um propósito mais prático: o de manter o noivo, no caso de um casamento arranjado, escondendo o rosto de sua noiva até depois que ele já estava comprometido. Sei que isto soa um pouco grosseiro, mas você já viu alguns dos retratos do século XII? COMO EVITAR UM DESASTRE NO DIA DO SEU CASAMENTO Certifique-se que a cor do seu véu corresponde do seu vestido! Nem todos os brancos são os mesmos. Nunca escolha um véu marfim para ir com um vestido de cor creme. Você poderia pensar que a diferença é pequena, mas acredite, ela vai aparecer nas fotos, e você percebe, e lentamente, ao longo dos anos, olhando para as fotos vai conduzi-la a loucura. Certifique-se de combinar a cor do seu vestido com a do seu véu. Esses são dois itens que você não quer misturar e comparar. LIZZIE NICHOLS DESIGNS CAPITULO 19 Casamento um livro cujo primeiro capítulo é escrito em poesia e os demais capítulos escritos em prosa. Beverley Nichols (1898-1983), escritor e dramaturgo Inglês ―Eu deveria ter dito a você,‖


Madame Henri diz miseravelmente enquanto ela despeja outro pacote de açúcar em seu café com leite. Estamos sentados em uma mesa na janela do Starbucks da esquina, e ela continua olhando nervosamente em direção as portas dos gabinetes de Goldmark Realty, através da qual seu marido desapareceu com Miss Lowenstein, Goldmarks autoproclamado agente de vendas superior. ―Mas foi tudo decidido assim de repente, e você já teve a má notícia sobre a sua avó e apenas não tive o coração de jogar sobre você essa notícia ruim também.‖ ―Eu entendo, eu digo.‖ Mas não verdade eu não entendo. Eu realmente não vejo como, depois de tudo o que eu fiz para a loja, todo meu trabalho duro nos últimos seis meses como eles podem fazer isso comigo. Quer dizer, eu o negócio é deles, depois de tudo, e eles têm o direito de vendê-lo se quiserem. Mas parece terrivelmente frio. Na escala de Menina Má, eu diria que eles estão em quinhentos. ―Assim ele realmente só quer sair?‖ ―Ele quer voltar para a França, Madame Henri diz sombriamente. É tão estranho. Todos estes anos, antes do ataque cardíaco, eu estava implorando-lhe para ter mais tempo livre, para passar mais tempo comigo em nossa casa na Provença, e ele não ouvia. Para ele, sempre foi trabalho, trabalho, trabalho. Então ele tem um ataque cardíaco, e de repente ele não quer trabalhar mais. Em nada. Tudo o que ele quer fazer é jogar petanca. Isso é tudo que eu ouço ele falar. Mesa disto petanca daquilo. Ele quer reformar a nossa casa em Avignon apenas jogar petanca até que ele morra. Ele já contatou seus velhos amigos ali seus companheiros de escola e formou uma equipe. Eles têm uma liga. Um campeonato de petanca. É loucura. Suponho que eu deveria estar feliz por ele encontrar algo que lhe interessa. Após a operação, eu pensava que ele não se interessaria mais por nada, nunca mais. Mas isto é obsessão.‖ Eu olho para baixo a Diet Coke que eu comprei, mas que sequer abri. Mal posso acreditar que isto está acontecendo. Como poderia o meu dia, que tinha começado tão bemsucedido, escoa pelo ralo tão rápido? ―Mas e os seus meninos? Eu pergunto. Quer dizer, não vão com vocês vão?‖ Eu não posso imaginar que Provence deteria as noitadas dos meninos em clubes. ―Oh, não, claro que não, Madame Henri diz. Não, e eles não querem vir conosco. Eles têm que ficar e terminar a escola. Mas isso é porque nós precisamos vender o edifício. Bem precisamos de algo que pagar por isso. Universidade de Nova York é tão cara. Ela


suspira. Sua maquiagem, geralmente tão cuidadosa e habilmente colocada, está manchada, um claro sinal de estresse ela está abatida. E depois também precisamos de algo para viver. Se não está fazendo nada além de jogar petanca todos dias. Eu poderia procurar um emprego, mas lá não tem muito mercado para uma mulher de meia idade que gerenciava uma loja de remodelação do vestido noiva.‖ Ela suspira de novo, e eu posso ver a dor que isso está causando a ela. ―Claro, eu digo. A ânsia de vômito que eu senti ao falar com Tiffany retorna mais cedo. E você não acha que pode conseguir por apenas da venda de sua casa em Nova Jersey?‖ ―Bem, esperamos conseguir uma bela quantia para ela, é claro, Madame Henri diz. Mas nem perto do que podemos obter para o edifício. Miss Lowenstein vai enviar mais de um inspetor e em seguida, obter uma avaliação, mas ela diz edifícios comparáveis nesta área estão vendendo por quatro a cinco milhões de dólares.‖ Eu quase engasguei com minha própria saliva. ―Quatro a cinco milhões de dólares? Quatro a cinco milhões? Então eu não tenho uma esperança de poder comprar a loja mesmo. Eu tinha certeza de que não poderia obter uma hipoteca para essa quantidade. Não se você está fazendo trinta mil por ano, e você tem exatamente dois mil dólares em sua conta poupança. Assim, Eu sou uma sem-teto e desempregada. Ótimo. Maravilha. ―É justo, eu digo, limpando minha garganta. A loja está indo muito bem. Muito bem. Em nenhum lugar perto de quatro a cinco milhões também. Mas eu não mencionei isso. E desde que você já possui seu lar na Provença, e você tem o dinheiro da venda de sua casa em Nova Jersey, parece apenas como...‖ ―Ah, Madame Henri diz. Ela procura outro lado da rua. Seu marido está saindo de Goldmark Realty e impaciente, olhando em volta para ela. Aqui está ele. Elizabeth, eu sei. Eu me sinto terrível. E estou fazendo o que posso para você. Eu posso falar com o Mauríce, se você desejar. Eu fico olhando para ela horrorizada. Maurice? O restaurador de vestidos de casamento rival que estava a tentando tirar os Henris fora do negócio, quando me contrataram‖ ―Um não tudo bem, eu digo em voz estrangulada.‖


―Eu vou falar com você em breve. Sim? Eu telefono. Adeus para agora. Ela me beijou em ambas as faces e se foi.‖ Eu sento ali, tentando descobrir o que aconteceu. Será que a esposa do meu patrão realmente apenas me disse que vai vender o negócio e me por para fora enquanto se mudam para exterior? Que eu perdi ambos um emprego e um lugar para viver? Pior, que eu vou ter que demitir o meu pessoal? Pra onde Sylvia e Marisol vão? Eu não tão preocupado com Tiffany e Monique. Elas vão encontrar algum pobre coitado para contratá-las para atender telefones em algum lugar. Mas e minhas costureiras? Como é que eu vou dar essa notícia para Shari? Eu prometi a ela que iria cuidar das duas. Oh meu Deus o meu dia pode piorar mais? Isto não pode estar acontecendo. É realmente possível. O que eu vou fazer? Suspirando, eu puxo o meu celular e olho para os meus contatos. Quem eu que vou chamar? Em tempos de crise no passado, eu tenho sempre chamado o número de casa. E tudo bem, geralmente eu queria falar com minha mãe. Mas era sempre vovó que atendia. Mesmo gostando ou não vovó geralmente me deu a única parte de conselho que quase sempre acabou me ajudando mais. Mas vovó não está mais aqui. Penso em ligar para Chaz. Mas este não é o problema de Chazs. É meu. Eu tennho que me sustentar sobre meus próprios pés, eu não posso sair correndo para o homem da minha vida cada vez que algo der errado. Além disso, eu sei o que Chaz vai dizer: Oh, você pode morar comigo. Não! Eu não posso deixar que isso aconteça! Eu tenho que resolver isso sozinha, sem um cara me ajudando. Além disso, isso é como eu acabei nessa confusão com Luke, quando fui morar com ele em caso de necessidade, quando Shari e eu não poderíamos encontrar um lugar juntas, e não porque morarmos juntos era o certo. De repente, meu celular toca e quando eu vejo quem está ligando estremeço com alívio.


―Oi,‖ eu digo, atendendo. ―Hey, Shari diz em tom suave que eu tenho começado a perceber as pessoas usam com os recém enlutados. Como vai você? Estou ligando numa hora ruim?‖ ―Não! É bom, eu digo. Eu realmente preciso de falar. E não no telefone.‖ Eu limpo minha garganta. Adquiri pigarro recentemente. Bem, quando você tem chorado tanto como eu tenho, eu acho que é apenas natural. ―Há algo que eu preciso lhe dizer. Você pode fazer uma pausa e me encontrar em algum lugar?‖ ―Claro, diz Shari, soando preocupada. Que tal numa casa de chá aqui perto do meu escritório?‖ O mesmo lugar onde Shari me contou tudo, a verdadeira razão por que ela estava terminando com Chaz. Muito apropriado. Te vejo lá em meia hora, eu digo e desligo, em seguida, saio correndo em direção ao metrô. Nesta altura do dia, um táxi seria mais rápido. Mas estou prestes a ficar desempregado. Eu preciso economizar cada centavo que tenho. Shari liga para dizer que vai se atrasar, claro. A crise no gabinete surge, e ela é a única, como de costume, que pode resolvê-la. Felizmente ela liga assim que eu saio do metrô, por isso sou capaz de usar minha sorte repentina do tempo para passear pelas calçadas. Seu escritório está à margem de Chinatown, e como eu vagar por aí, cegamente indo de janela em janela, eu me encontro andando lojas passado exibir vestidos de noiva. Alguns deles têm colares de mandarim e alternam a parte da frente, e ainda os manequins estão vestindo véus. Apesar do fato de que eles estão sendo vendidos nas lojas que ficam ao lado dos mercados de peixe ou de lojas de restaurante, os preços de vestidos estão lá em cima com os de Kleinfelds*. Eu ouvi duas mulheres em frente de uma janela falando em chinês rápido ao apontar um vestido especialmente lindo, e enquanto eu não posso compreender exatamente o que eles estão dizendo, o significado por trás das palavras é claro: oitocentos dólares para a bainha bonita branca com sobreposição de renda é muito para algo que qualquer costureira talentosa poderia fazer em casa por uma fração do preço.


*(Loja de departamento) Eu concordo com eles. Bridal gown shopping is a bitch.* *(Ela está dizendo que a loja de noivas é uma vadia ou cadela, ficou esquisito) Acho uma mesa no lugar de chá e acabo esperando apenas cinco minutos antes de Shari vir correndo pela porta com efusivas desculpas e correr para a cadeira minha frente antes de dizer gentilmente, ―Agora, Eu disse a todos no escritório que não posso ser incomodada. Eu desliguei meu celular e bip, e eu tenho todo o tempo do mundo. Então me diga. Como vai você? O que está acontecendo?‖ Eu fiquei tão surpresa que me desmanchei em lágrimas. Eu tento esconder o rosto com um guardanapo, mas os poucos alunos e desalinhados, o escritor os tipos de trabalho em seus laptops em mesas próximas só olham pra mim com aborrecimento. A garçonete, que se aproximava para tomar o nosso pedido, decide dar-nos um tempo e vai na direção oposta. Shari está tão chocado que não posso ajudar a rir um pouco. ―Lizzie, diz ela. O que é? É a sua avó? Eu sinto muito. Eu sei que sente a falta dela, mas ela morreu feliz, Lizzie, em seu sono com uma cerveja na mão. Ela está, provavelmente, no céu agora, assistindo Dr. Quinn todo o tempo. E cada único episódio tem Sully nele!‖ Balanço a cabeça de forma tão violenta que o meu cabelo cai para fora do rabo de cavalo desleixado em que eu tinha feito. Está difícil enxergar com minha face agora molhada. ―Nã...não é que, eu soluço.‖ ―O que é então? Shari quer saber. É Chaz? Ele fez alguma coisa para você se aborrecer? Eu vou matá-lo. Apenas diga uma palavra e eu vou cortar seu pinto fora‖ ―Não. Eu balanço a cabeça um pouco mais. Não é Chaz. Nem vovó‖ Ah. Shari acena com conhecimento de causa. Eu já entendi. Você disse a ele. Luke. Oh, Lizzie. Eu sinto muito. Mas, você sabe, foi melhor assim. Quer dizer, a verdade é que você está melhor sem ele. Eu nunca poderia suportá-lo. Ele era sempre tão perfeito. Você sabe o que estou falando?‖


Eu sento lá olhando para ela horrorizado. Eu não acho que eu poderia ter falado com ele nem se eu tentasse. ―Quero dizer, com o castelo e a boa aparência e a coisa de doutor e apartamento na Quinta Avenida, Shari continua. Havia algo quase assustador nisso. Como estrela da sorte em que ele nasceu? Então, quando ele fez aquilo com você no ultimo natal Sério, eu não podia acreditar quando você disse sim, quando ele pediu-lhe para casar com ele. Eu fingi que eu estava feliz por você, porque isso é o que melhores amigos fazem, mas agora, quando é que vai despejá-lo? Porque eu só quero comprar um bolo Carvel.‖ Quando ela percebe que estou olhando para ela sem ter dito uma palavra, ela explica, ―Para comemorar.‖ ―Shari, digo quando posso, finalmente, convocar a capacidade de falar. Eu não rompi com Luke.‖ Por sua vez Shari olhar para mim por um tempo. Finalmente, ela diz: Ah. Você ainda não fez? Eu agito minha cabeça. ―Então ela mastiga sobre o lábio inferior. Então, eu só realmente vou colocar o pé na minha boca. Eu tomo uma respiração profunda. Então eu solto. Porque de repente as lágrimas estão de volta. Só estou neste momento vou deixá-las vencer. Então digo, ―Shari. O Henris estão vendendo o prédio em que vivo e trabalho para mudar para a França. Estou perdendo meu emprego, meu apartamento, e, basicamente, minha vida. Além disso, mesmo que aparentemente ache que Luke é muito perfeito, eu não exatamente salto para esta conclusão, porque ao contrário de Chaz, pelo menos ele realmente queria casar comigo. Chaz mais enfaticamente não. Ainda assim, estou muito feliz que você está tão feliz por mim por livrar dele. Mas me desculpe se eu não sinto que tenho muito a comemorar agora. Principalmente com um bolo Carvel.‖


―Lizzie.‖ É a vez de Shari olhar horrorizada. Mas eu percebo que não posso sentar-me ali um segundo a mais. Eu tenho que sair. Eu tenho que ir. Eu empurro minha cadeira e levanto-me quando a garçonete está passando. Ela dá-me um olhar irritado, mas eu continuo indo em direção à porta.

―Lizzie, Shari grita depois de mim. Lizzie, qual é! desculpe. Você não pode simplesmente sair daqui assim! Volte aqui e fale comigo. Lizzie!‖ Mas eu continuo indo. Eu tenho que ir. Mesmo que minhas lágrimas estejam cegando-me e eu não posso ver onde estou indo.

História dos Casamentos A razão noivas permanecerem tradicionalmente à esquerda do noivo é que assim ele teria seu braço da espada (direita) livre para afastar de última hora qualquer uma que se denominasse cavalheiro que ainda podiam querer fazer alguma petição quanto ao casamento. É também por essa razão que originalmente ao padrinhos não permaneciam do lado do noivo e sim da noiva. homens não eram atendentes do lado dos noivos, mas as noivas. Eles deveriam defender a noiva da atenção indesejada de qualquer homem que não fosse o noivo. Infelizmente, a incidência de noivas fugindo com algum dos padrinhos tendiam a ser bastante elevada, por isso a posição do padrinho foi alterada para o lado do noivo, e a dama de honra foi indicada para a noiva para mantê-la casta. (Casamentos e festas de casamento) costumavam ser bem mais interessantes!

Dica para evitar um desastre no dia do casamento Não seja uma noivazilla! Sim, todo mundo vai ter uma opinião sobre quem você deveria contratar e qual flor você deveria escolher, o bolo, as fotos de seu casamento. Pegue os conselhos que você gosta, e educadamente ignore ou ria do resto. Não leve tudo tão a sério! E daí se o seu casamento não for tão grandioso / caro / belo / boêmio como o de sua prima Jacqueline? Não é um concurso! Sua sobre você se unir a outra pessoa para sempre. SUPERE ISTO... LIZZIE NICHOLS DESIGNS

Capítulo 20


Salve, amor conjugal, lei misteriosa; verdadeira fonte da felicidade humana. John Milton (1608 - 1674), Poeta Inglês. Meu celular não para de tocar. Eu sei quem é. Mas eu não vou atender Eu estou em pé na Av. Madison, entre as ruas setenta e sete e setenta e sexta. Estou olhando para as janelas de uma loja. Eu parei de chorar e agora posso ver claramente. Eu posso observar a cada centímetro dos metros e metros de seda branca cremosa e macias pétalas e rendas drapeadas no manequim na minha frente. Eu posso ver cada detalhe minucioso sobre a costura, tão bem feita que é quase invisível, a delicadeza das pérolas, o luxo da crinolina dura, o tule que detém a saia no lugar. O vestido é a perfeição personificada. Deve custar milhares de dólares. Dezenas de milhares, talvez. E, no entanto.E ainda acho que poderia chegar a algo bastante próximo que embora não fosse ser tão suntuoso faria a noiva que o usa-se o se sentir muito especial. Por uma fração do custo. Eu só estou dizendo. O que eu faço é barato sim, ok? Eu admito. Mas ainda sim muito bom. Pessoas gostam. Ava Geck gostou. Jill Higgins gostou. Centenas bem, tudo bem, dezenas de outras noivas têm gostado. Foi bom o suficiente para elas. Certo, talvez não fosse. Mas foi bom o suficiente para seu dia do casamento. Isso fez com que se sentissem especiais. As fez estarem bonitas. E a habilidade que se exige em trabalhar em algo não tão legal e transformá-lo em algo belo, não com muito custo, é tudo o que eu tenho. Eu percebo isso enquanto estou parada na calçada lotada, como o calor do verão batendo em cima de mim e ocupados nova-iorquinos caminham. A realidade é que, esta é toda a minha contribuição para o universo. É verdade. Shari ajuda as mulheres foram abusadas. Chaz vai ensinar filosofia, provavelmente para estudantes tão snotty(?) quanto ele. (Mas, ei. Isso é importante. Provavelmente.) Luke vai salvar as crianças ou ajudar as pessoas que já são ricas a ficam mais ricas, dependendo do que ele decidir. A Tiffany trabalha de modelo e atende telefones, e Ava Geck bem, Ava faz o que ela faz, enquanto o pequeno Joey a protege. Eu faço velhos vestidos de casamento ficarem bonitos novamente. Ás vezes eu crio novos. Por uma fração do que um vestido do estilista nas lojas da esquina, na Av. Madison cobraria para fazer isso. É uma coisa razoável de se fazer. Tem que ser. Porque é tudo o que eu faço.


E não há nada errado com isso. Certo? Meu telefone toca novamente. Desta vez, quando eu olho na tela, vejo que não é o Chaz, mas o Luke. Não é possível imaginar por que ele poderia estar me ligando, eu atendo. ´´Eu soube,`` ele diz com uma voz sombria depois de eu dizer Olá. Meu coração parece parar. Por um segundo, todos os sons da rua movimentada atrás de mim as buzinas, as sirenes, o chiar dos travões parecem desaparecer. Tudo que eu posso ouvir é a minha própria respiração. E isso parece superficial e irregular. ´´ Você soube? `` Consigo chiar. ´´Sobre o fechamento da loja? Sim, ele diz. Liguei para lá primeiro. Tiffany me disse. Lizzie, eu sinto muito.`` E meu coração começa a bater novamente. E todos os sons da cidade vêm flutuando lentamente para trás. ´´Oh, eu digo.`` Deus. Eu sou tão estúpida. Além disso, eu sou a pior garota má que já existiu na escala de garotas más, na história das garotas más. Certo. Sim. É terrível. Eu não sei o que vou fazer. Certo. Sim. É terrível. Eu não sei o que vou fazer. ´´Eu sei, Luke diz. Você esse mudará para Paris comigo.`` Estou tentando não ser atropelada por todas as pessoas que estão correndo pela calçada. A maior parte deles estão pisando em torno de mim. Mas de vez em quando, uma mãe aflita do Upper East Side em seu caminho para algum compromisso importante, tipo um almoço não me vê e quase esbarra seu carrinho de bebê em mim, e eu tenho que me mover. Isso aconteceu agora, e na confusão, acho que eu entendi errado o que o Luke disse. ´´ Me desculpe? Eu digo a ele. ´´ Eu sei o que você vai dizer, Lizzie.´´ Ele está a milhares de quilômetros de distância, mas ele soa como se estivesse de pé bem ao meu lado. Exceto que com as buzinas e ocasionais sirene da polícia na Av Madison, o que faz um pouco difícil de ouvi-lo. Eu coloquei meu dedo na minha orelha, só para ter certeza. ´´Mas só ouça um minuto, ele continua. Eu tentei a coisa da escola médica. Eu fiz. Você não pode dizer que eu não dei uma chance justa. Mas eu apenas não acho que sou talhado


para ela. Eu não posso, mas estudar por cinco ou seis anos mais. Eu não posso fazê-lo. Acho que vai me matar. Eu realmente acho.`` Eu vejo como uma jovem mãe, empurrando um recém-nascido, por perto, e uma criança com sete ou oito anos, saltando a seu lado, com uma casquinha de sorvete escorrendo por todo o lado, pelos braços e em sua camiseta. Sua mãe parece nem se importar. ´´ Oh, eu digo.`` ´´Mas desde que comecei a trabalhar para o tio Gerald Lizzie. As coisas tem sido ótimas. Eu amo isso. Realmente amo. Eu sei quando você me conheceu eu estava fazendo a mesma coisa, e eu disse que eu não gostava disso, e eu parecia infeliz, mas isso é diferente. Gerald me ofereceu o meu próprio departamento. Eu tenho pessoas trabalhando para mim.`` Luke parece muito entusiasmado. Sobre tudo. Ele parece o pai quando ele fala sobre o vinho. Ele parece jovem. Ele parece feliz. ´´ Só tem uma coisa?`` (Luke) ´´O que? Eu pergunto.`` ´´ É aqui, Luke diz. Em Paris. Eu teria que me mudar para Paris. Permanentemente.`` ´´Oh, eu digo.`` ´´Mas isso é porque quando eu ouvi o que aconteceu hoje na loja, ele vai no entusiasmo, eu pensei, na oportunidade perfeita. Você sem emprego e eu com uma ótima oferta, você pode vir para cá, para Paris. Você pode começar de novo, como estou fazendo. Você pode abrir uma nova loja aqui. Uma loja de noivas. Eu fui a uma um dia destes, e seus vestidos são mil vezes melhor. E muito mais acessíveis. Tudo aqui é tão caro. Tem uma demanda real para a moda a preços acessíveis. Isso é onde o seu nicho é, penso eu, Lizzie. Isso é o que você precisa fazer. Abra sua própria loja aqui em Paris. Uma loja que oferece alta costura para a bela garota comum, a preços que elas possam pagar. Para as noivas.`` ´´ Já tenho uma loja de noivas, eu digo, fungando. Em Nova York.`` ´´Eu sei, Luke diz. Mas a loja pertence a outra pessoa. E eles vão vendê-la. Estou falando de uma loja sua.`` ´´ Mas, eu digo, olhando para a janela de exposição na minha frente. Na França?`` ´´ Olha, Luke diz. Você fala francês. Minha família pode te emprestar-lhe uma renda inicial. Lizzie você não vê? Esta é uma oportunidade perfeita.``


´´ Mas.`` Eu olho para as pessoas correndo em todas as suas formas e cores diferentes, com os edifícios ao meu redor, para os táxis e ônibus e vans e caminhões de entrega zunindo, o sol oblíquo através das folhas de uma árvore próxima, crescendo, contra todas as probabilidades, por meio da calçada, à sombra dos arranha-céus ao redor de nós. Porque isso é o que Nova Iorque é, tudo. As árvores crescem para fora da calçada, na sombra, onde nenhuma árvore deveria crescer. E eu digo, ´´eu amo Nova York.`` ´´ Você amará Paris também, Luke diz. Você já esteve aqui, lembra? É igual a Nova York. Só que melhor. Mais limpa. Agradável.`` ´´ É tão longe, eu digo enquanto uma criança anda com um cão e não limpa sua sujeira, uma mulher com uma bolsa Channel grita com ele por causa disto. ´´ De quê, Lizzie? Luke pergunta. Sua avó? Ela está morta. Lembra? Mas não é na vovó que eu estou pensando.`` ´´ Eu não posso decidir agora, eu digo. Eu tenho que pensar sobre isso.`` ´´ Faça isto, Luke diz. Você pense sobre isto. Tome todo o tempo que você precisar. Mas eu acho que você deveria saber que eu aceitei o trabalho de meu tio me ofereceu.`` ´´ O quê?`` Eu acho que devo ter ouvido mal novamente. ´´ Vamos dar um jeito, Luke diz apressadamente. Se você decidir ficar em Nova York, teremos uma relação a longa distância por um tempo. As pessoas fazem isso, Lizzie. Faremos dar certo. Não se preocupe.`` Não se preocupe? Meu noivo a quem, é verdade, eu estou enganando me informa que ele vai se mudar definitivamente para outro país, mas que eu não devo preocupar? ´´ E se você precisa de um lugar para ficar, você sabe que pode sempre voltar para o lugar da minha mãe na Quinta (Avenida). Ela já disse que está tudo bem. Ela só precisará usar o local um fim de semana por mês, para você sabe.`` Ele quer lhe injeções mensais de Botox. Mas eu não digo isso em voz alta, uma vez que Luke não precisa de ser lembrado sobre isso. Eu estou aqui, de boca aberta de espanto, quando uma voz atrás de mim diz: ´´Hey.`` Eu me viro, assustada, e vejo um clarão de brim cáqui e de um boné de beisebol. ´´ Luke, eu digo ao telefone. Eu tenho que ir. Te ligo mais tarde, tudo bem?``


´´Ok, ele diz. Honestamente, Lizzie eu não quero que você se preocupe. Sobre nada disso. Eu vou cuidar disso. De você. Eu te amo.`` ´´ Eu v-você também, eu gaguejo. E desliguei. Então, eu exijo, que você está fazendo aqui?`` ´´ Em pé na frente da maior loja da Vera Wang? Chaz graceja. Oh, eu venho aqui quase todos os dias, na verdade. Eu gosto de experimentar alguns vestidos de mãe de noiva. Eles são tão suaves e furtivos contra a minha pele. Ele pisca para mim. Shari me ligou. O que você acha? E então eu liguei na loja quando você não atendia nenhuma das minhas ligações para o seu celular. A Tiffany disse que eu poderia te encontrar aqui. Ela diz que você gosta de vir aqui para limpar a sua cabeça. Ele olha para a janela de visualização. Eu posso ver o porquê. São tão brilhantes.`` Fico olhando a vitrine da loja também. Mas o que estou olhando realmente é o nosso reflexo, ele tão alto e esguio, com seu boné de beisebol da Universidade de Michigan empoleirado no topo de sua cabeça, e suas fortes pernas musculosas, tão curtida, diferentemente dos turistas que ocasionalmente passam por nós. E eu, ligeiramente murcha no meu vestido de verão por ter atravessado toda a cidade no calor do verão, o meu cabelo pendurado em uma bagunça suja do meu barrete, querendo basicamente morrer. Fornamos o mais estranho casal. Se for isso que nós somos. Eu não estou mesma certa disso. E, claro, por trás do nosso reflexo, está o belo e perfeito vestido de casamento Vera Wang da semana. Em um tamanho dois. (não sei fazer as conversões de tamanho de roupa) ´´ Eles vão fechar a loja, eu digo a para seu reflexo. O Henris. Vão fechá-lo. E se mudar para Provence.`` ´´ Eu sei. Tiffany me disse isso também. Ele encolhe os ombros, olhando irritantemente despreocupado. Então. O que você vai fazer?`` ´´ Eu não sei, eu grito com ele. O que você acha que eu estou aqui de pé tentando descobrir?`` Deus! Como posso estar apaixonada por ele? Como ele pode ser tão diferente de Luke, a quem eu pensei que eu amei por tanto tempo? Eu não quero que você se preocupe. Sobre nada disso. Eu vou cuidar disso. De você. Isso é o que Luke tinha a dizer. E tudo o que Chaz tem a dizer é: Então. O que você vai fazer? Então, novamente, sou a única que queria me manter sobre meus próprios pés. ´´Bem, você vai descobrir isso, Chaz diz agora, com outro encolher de ombros. Estou


faminto. Você já almoçou?`` Se eu já tinha almoçado? Isso tudo ele tem a dizer? ´´Como? Eu exijo. Como vou descobrir isso?`` Ele parece um pouco assustado com o meu desabafo. Assim como o entregador de comida chinesa, que passava com pressa. ´´ Eu não sei, Chaz diz. Você abrirá uma nova loja.`` ´´ Onde? Como? Com que dinheiro? `` Eu exijo, minha voz embargada. Porque isso é o que estou certa de que meu coração está fazendo. ´´Jesus, eu não sei, Lizzie. Você vai descobrir. Você sempre o faz. Isso é o que é tão surpreendente sobre você.`` Viro a minha cabeça e o olho, não para o seu reflexo, mas para ele. E eu percebo, como venho percebendo mais e mais por todo o verão e pelo ano todo, na verdade, o quanto eu estou apaixonada por ele. Isto é verdade, eu percebo. Não tem volta. Acho que eu apenas subi um degrau na escala de menina má. ´´ O Luke abandonou a escola de medicina, eu digo. Ele está trabalhando na empresa de seu tio, em Paris. Ele vai se mudar para Paris.`` ´´ Gee, Chaz diz sem emoção. Estou tão surpreso ao ouvir isso.`` Eu o encaro estarrecida. ´´ Você sabia? Ele já te disse?`` Ele encolhe o ombro mais uma vez.´´ Ele é o meu melhor amigo. Ele me diz tudo. O que você espera?`` ´´ Você me disse, digo eu, balançando a cabeça em descrença. Você me disse que nunca foi capaz de manter alguma coisa em sua vida. E eu pensei que você estava louco. Mas você estava certo. Você estava 100% certo.`` ´´ O Luke não é um cara mau, Chaz diz suavemente. Ele só é confuso.`` ´´ Bem, eu digo, deslizando o meu celular de volta na minha bolsa. Você vai me perguntar?`` ´´ Perguntar o quê?``


´´Se eu vou ir para para Paris com ele? Ele quer que eu, você sabe. Ele diz que sua família vai me emprestar o dinheiro para montar uma loja lá.`` ´´ Tenho certeza que eles vão. E não, não vou te perguntar.`` Eu defino meu maxilar. Para alguém que eu sou louca por, Chaz acontece de ser a pessoa mais irritante que eu já conheci. ´´ Por que não? Eu exijo. Você não quer que eu fique aqui em Nova York?`` ´´ Claro que sim, Chaz diz. Mas, como eu disse, o que acontece no futuro é já inevitável. Então eu vou aproveitar todo o tempo que me resta com você.`` ´´ Isso, eu digo com repugnância, é um monte de besteira.`` ´´ Bem, diz ele no mesmo tom sereno, isso é provavelmente verdade também. Do que você está com vontade? Eu estou com vontade de comida tailandesa. Você quer comida tailandesa? Não tem um bom lugar tailandês virando a esquina?`` ´´ Como você pode pensar sobre comida em um momento como este? Eu grito com ele. Você sabe, você tem alguma idéia de que cada vez que eu penso em casar com o Luke, eu fico cheia de urticária?`` Chaz levanta as sobrancelhas.´´ Isso, diz ele, não é um bom sinal. Quer dizer, para ele. E, eu imagino, para Paris.`` ´´É um sinal horrível, eu digo. O que você quis dizer em Detroit quando você disse que Luke não tinha sido exatamente um escoteiro durante todo o tempo que ele e eu temos saído?`` Chaz revira os olhos. ´´ Olha, diz ele. Eu não quero falar sobre isso na frente da loja da Vera Wang, ok? Vamos para casa. Podemos trocar estas roupas quentes e pegajosas e eu posso tomar um banho gelado e pedir alguma coisa tailandesa, e nos preparo uma gim e tônica e podemos beber enquanto nós discutimos os caprichos da vida e eu lhe faço uma massagem corporal completa.`` ´´Não, eu digo, resistindo quando ele coloca o braço em volta de mim. Chaz! Falo a sério. Isto é sério. Eu não quero... `` Mas eu nunca tive a chance de dizer a Chaz o que é que eu não quero fazer, porque naquele momento, duas mulheres que estavam passando por parar em frente à janela e olhar o vestido que eu estava admirando. ´´Veja, mãe, a mulher mais nova diz. Esse é o tipo de vestido que eu quero.``


´´Bem, continue sonhando, a mãe diz. Porque, um vestido deste custa uns vinte mil. Você tem uns vinte mil sobrando?`` ´´Não é justo, a menina insiste, batendo o pé com seus sapatos Steve Madden. Porque eu não posso ter o que eu quero? Só desta vez?`` ´´ Você pode, a mulher mais velha diz, se você quiser pagar por ele nós próximos trinta anos. É assim que você quer começar sua vida de casada?`` ´´ Não,`` diz a noiva, soando como se ela estivesse com beicinho. ´´ Eu não achei que quisesse. Então, supere isso. Estamos indo para Kleinfelds.`` ´´ Deus, a noiva diz enquanto sua mãe a arrasta para longe. Você é miserável. Se tivesse jeito, eu iria comprar o meu vestido de noiva na Gecks.`` A mãe e filha continuam se afastado, e me vejo olhando para elas com espanto. Cada único nervo que termina em meu corpo está formigando. Eu sinto como se eu estivesse pegando fogo. Uma loja que oferece alta costura para a bela garota comum, a preços que podem pagar. Para as noivas. ´´Oh meu Deus, Chaz, eu digo. Você ouviu isso?`` ´´O quê? Ele ainda tem o braço em volta de mim. A parte sobre o a massagem pelo corpo todo que eu vou lhe dar?`` Depois, eu abro a minha bolsa e começo a procurar pelo meu celular. ´´ Você ouviu o que ela disse?`` ´´ Sobre ir ao Kleinfelds? Sim. Hey, talvez seja lá que você conseguiria um emprego. É lá onde todo mundo vai comprar seus vestidos de casamento. É onde minha irmã foi. Não que isso ajudou. Ela ainda parecia comigo. Em um vestido de noiva. Pobre garota. Ela tentou cera e tudo.``

História do Casamento

Carregar a noiva acima do limite é uma tradição que remonta à antiga prática de capturar as noivas de tribos rivais ou aldeias. Refere-se também a um truque de que juntos não seriam afetados por possíveis espíritos malignos que pudessem estar ocultos na nova casa. Hoje, as noivas modernas podem achar a prática sexista ou muitas vezes extremamente alarmantes, considerando o estado de HMO* , muitos noivos podem machucar as costas na tentativa de levantá-las.


É, por estas razões, é uma tradição que está perdendo popularidade e pode seguramente ser ignorada no lugar de uma bruxa de cozinha. *HMO: Health Maintenance Organization, é um plano de saúde mais básico que existe...

Dica para evitar um desastre no dia do casamento Há um rumor de o valor do presente que você dá em um casamento como convidado deve ser aproximadamente igual ao montante dos custos da comida e vinho que são servidas na recepção. Isso é ridículo. Seu presente deve ser de bom gosto e nem sequer têm que vir a partir do registo de noiva, mas de qualquer maneira não tem que ser proporcional ao custo do que está sendo servido. Qualquer noiva que sugere o contrário merece a colher de pau que você lhe dá-lhe aplicada traseiro. LIZZIE NICHOLS DESIGNS

Capítulo 21 O amor é composto por uma única alma habitando dois corpos. Aristótles (384 A.C - 322 A.C .), Filosofo grego ´´ Vestidos de casamento? Ecos Ava, as sobrancelhas arrancadas cuidadosamente levantadas. Na Gecks?`` ´´ Por que não na Gecks?`` Estou sentada ao seu lado num banco de jardim do lado do pequeno cão que corre na Carl Schurz Park. A execução de pequeno cão é realmente uma levantada, cercada em partes ao longo do calçadão do East River, onde os pedestres podem parar e observar os cães pequenos como skitter após bolas de tênis lançadas por seus proprietários. Esta parece ser uma fonte de prazer especial para crianças, cujos pais os levantam ao longo da borda do palco, e que gritam de prazer cada vez que um Pomeranian ou pinscher miniatura vem dançando em sua direção geral. Ava, no entanto, está segurando o esgotado Branca de Neve no colo. O Chihuahua tem, aparentemente, depois de tanto correr muitas bolas de tênis que está é praticamente inconsciente de sua dona macia, de bronzeadas coxas,e do fato de que a tripulação do programa de reality, filmando a Ava para o piloto que ela espera fazer sucesso, os escravos de Ava estão fazendo notas. Eu não posso evitar olhar para as câmeras que pesam sobre mim, mesmo Ava me dizendo para não dar atenção a eles. ´´ Você não os vê mesmo depois de um tempo,`` ela diz, com um bocejo que, eu não posso deixar de notar, é mais élfico e charmoso pelo fato de seus lábios cheios estarem perfeitamente camuflados. Ava. É ainda mais difícil obter a sua atenção total do que o habitual devido ao fato de que


DJ Tippycat ainda está dentro da pista de correr com seu cachorro buldogue francês, e Ava se mantém desviando o olhar em direção a ele a cada cinco segundos. ´´Ouça-me. Você disse que queria fazer algo com sua vida. Lembra? Depois que você deu um fora no príncipe Aleksandros. Você tem que ter significado algo mais que apenas mais um reality show velho e cansativo. Bem, esta é sua chance. Não só para provar ao mundo que você é mais do que apenas uma bolha de cabeça de vento, mas para ajudar milhares de noivas que querem ter um vestido bonito, mas não podem comprar.`` A Ava não parece remotamente interessada. Ela olha através das lentes negras de seus enormes óculos de sol em um rebocador engasgado descendo o rio em frente de nós. Eu olho por cima do meu ombro para o Chaz, que está esperando por mim fora do alcance da câmera. Ele se recusou a assinar a autorização da equipe de filmagem exigidas para que eu pudesse falar com a Ava, enquanto ela estava sendo filmada, então ele tem que esperar lá fora até que eu tenha terminado. Ele não olha demasiado infeliz. Ele encontrou um vendedor de cachorro quente e está mastigando, comendo um com tudo, junto com um refrigerante, na sombra. ´´Eu não sei, Ava diz. O que eu sei sobre o design de vestidos de casamento?`` ´´ Você não tem que desenhar os vestidos, eu digo entre os dentes. Eu cuidarei dessa parte. Você só tem que dar suporte de marketing as roupas. E as Indústrias Geck têm de fornecer à mão de obra e materiais. Eu não estou falando exploração de trabalho ou materiais baratos. Estou falando de qualidade artesanal, costurados aqui, na América. Os vestidos tem que ser lindo e se e com bons tecidos. Mas nada no varejo pode custar mais de quatro centenas de dólares. Tudo isso só tem de ser concebido por mim e por você a comercialização Lizzie Nichols Ava Geck, linha nupcial.`` Ela se anima. ´´Ei. Eu meio que gosto do som disso.`` ´´ Eu achei que você gostaria, eu digo, olhando para a câmera desconfortavelmente, enquanto elas aparecem ao nosso redor. ´´ Lizzie e Ava, diz ela. Ou Ava e Lizzie?`` ´´ Seja o que for, eu digo.`` Eu não posso acreditar que ela realmente tenha gostado. Estou chocada que ela tenha atendido a minha chamada, e concordado em me ver. Eu não planejei muita coisa além da idéia inicial, não estava pensando em nada mais profunda do que isso. Ou funciona, eu acho. ´´ Isso é tão fofo, Ava grita com tanto entusiasmo que a Branca de Neve quase cai em seu colo. Podemos, tipo, fazer vestidos de dama de honra também?`` ´´ Eu não vejo por que não,`` eu digo. Uma das câmeras vem em um close-up. Estou perfeitamente consciente do fato de eu não passei pó no meu nariz o dia todo, e que estou suando copiosamente. Peço a Deus que esse show não passe nunca numa grande rede. Ou magnífico.


Por outro lado, se Ava aceitar o acordo, que ainda se importa? ´´E as meninas das flores? , pergunta ela.`` ´´ Claro, eu digo.`` ´´ E sobre roupas para cães, Ava diz. Quando DJ Tippycats se divorciar de sua esposa, queremos Branca de Neve e Delilah em nosso casamento.`` Eu olho para baixo a Branca de Neve, rezando para encontrar valor na minivinyl de Ava. Uma das câmeras dá zoons na virilha de Ava. Eu mudo a minha oração para uma diferente, uma para que ela esteja usando calcinha. ´´ Hum, eu digo. Certo. Podemos fazer uma linha de roupas de casamento para cães.`` ´´ Ok, Ava diz. Isso parece divertido. Ela me olha um pouco constrangida. Mas, se estamos trabalhando juntas Lizzie, eu preciso saber que não vamos ter o mesmo problema que tivemos antes? Teremos?`` Eu agito minha cabeça. ´´ Ava, eu juro pelo tumulo da minha avó, eu nunca fofocarei algo que eu não deva novamente. E saiba que desta vez eu realmente digo a sério.`` Realmente. ´´Ok, Ava diz alegremente. Deixe-me ligar para o papai.`` E ela pega o seu telefone celular. ´´ Espere. Eu fico olhando para ela. Você está vai fazer isso agora?`` ´´Sim, ela diz, a discando. Por que não?`` Um. Eu olho para o Chaz. Ele sorri para mim e me dá um polegar para cima. Nada. Siga em frente. Um segundo depois, a Ava retira o chiclete de sua boca murmurando ´´desculpe`` em minha direção e ela está dizendo, ´´ Papai? Sou eu. Sim, oi. Então, eu quero começar minha própria linha de vestidos de noiva na loja. O quê? O reality show? Oh, que seja, isso é tão dois mil e sete. Enfim, estou trabalhando com Lizzie, a menina que fez o meu vestido para o meu casamento com o Alek? Uh-huh. Sim, aquela que me entregou para os paparazzi. Mas aquilo não foi culpa dela realmente. Sua irmã fez isso, e ela é, uma vaca gorda. Eu sei. Enfim, ela quer bem, aqui, eu vou deixar que ela te dizer. Para meu espanto, Ava segura seu telefone rosa incrustado de rosa Swarovski na minha direção. Diga-lhe que a coisa sobre os vestidos bonitos para as meninas, a preços que possam pagar.``


Eu alcanço o telefone, minha boca fica instantaneamente seca. ´´Um, o-Olá? Sr. Geck?`` ´´Sim?`` A voz rouca de muitos anos de fumo de charuto, demandas, impaciente. Eu repito as belas palavras de Luke sobre a linha de vestidos de noivas a preços acessíveis do mesmo modo que eu expliquei a Ava alguns momentos atrás, sobre como a geck vai ficar responsável sobre a mão de obra e os materiais, mas que eles não poderiam parecer baratos. E eu seria responsável pelos desenhos e Ava seria responsável pelo marketing. E nesse momento, sentados ao sol junto ao rio, com os escravos de Ava, a equipe de filmagem foca em mim, e Henry Geck no telefone, e Chaz algumas dezenas de metros de distância, olhando para mim como um cão felpudo, eu tenh quase certeza de ter tido real experiência fora do corpo. É como se todas as vezes que eu já revelei um segredo, involuntariamente ou disse algo que eu não pretendia ou revelado uma intimidade queprovavelmente era melhor não ser dita, e fui chamada a exercer os meus poderes de charme, a fim de fazer as pazes, voltaram pra mim com um laser com a intensidade e o foco em um único ponto: o homem do outro lado do telefone. Eu não sou mais Lizzie Nichols, quase certificada profissional de reconstrução de vestidos vintage, noiva de Luke de Villiers, a quem (por sinal), ela está traindo com seu melhor amigo, no momento, provavelmente, um dois na Escala de Garotas Más, quase perdendo a sua casa, seu negócio, e sua vida. Eu sou Elizabeth Nichols, descolada e designer de traje de casamento, com um único desejo: fazer bonitos vestidos de noiva e dama de honra e de meninas de flores e roupas para cães disponíveis para as massas, a um preço razoável. De repente eu estou pegando fogo. Eu sou invencível. As câmeras giram da Ava para mim. Mesmo que, quando ela olha para mim, as coxas balançam e se distanciam, e tornase evidente que ela não está usando nada por baixo. E ela se depilou à La brasileira. (brazilian waxing) ´´ Bem, Sr. Geck diz quando termino e tomo uma pausa para respirar. Senhorita Nichols, devo dizer. Isso soa como uma idéia interessante. Eu certamente gostaria de ouvir mais. Por que você e Ava não vem para jantar hoje à noite e também falar um pouco mais? A coloque de volta no telefone.`` Eu entrego o telefone volta a Ava, sentindo me tonta. ´´Ele quer falar com você, eu digo.`` ´´Oh, ótimo, Ava diz. Oi, pai. Você gosta de idéia da Lizzie? Sim, eu sei, eu também. Certo. Oito? Sim, bem estarei lá. Ok, tchauzinho. Ela desliga e olha para mim. Ele quer que você traga alguns esboços. Você tem algum?`` Eu olho para ela, sentindo um pouco enjoada.Mas é uma náusea boa. É uma ótima


náusea, na verdade ´´Por volta das oito hoje a noite, eu digo um pouco incerta, vou ter.`` ´´ Você vai desenhar uma linha de vestidos de noiva para Gecks? Chaz pergunta enquanto nos apressamos pela Rua Setenta e oito, em direção Chez Henri. E Ava Geck vai fazer o quê, exatamente?`` ´´ Ser minha modelo barra representante corporativa, eu digo.`` ´´ A Gecks vai mesmo vender roupas bonitas? Chaz quer saber.`` ´´ Eles vão depois que começarem a vender as minhas, eu digo. Ava irá se certificar disso. Eles vão ter o nome dela nisso também.`` ´´ E você confia nela? Chaz soa duvidoso. Ava, eu quero dizer. Sem ofensa, Lizzie, mas... `` ´´ Se as próximas palavras que saírem da sua boca são vagabunda, narcótica vadia, você nunca mais porá os pés no meu apartamento de novo. Por não importa quanto tempo eu ainda tenha morando lá. ´´ Eu só estou dizendo, como uma outra pessoa que o nome eu não vou mencionar, a Ava não tem exatamente uma reputação de se envolver seriamente em questões profissionais. ( aqui tem uma outra frase que eu não entendi direito: Except where pudding wrestling is concerned.) ´´ Talvez porque ninguém tenha realmente dado a ela uma chance de provar a si mesma, eu digo defensivamente. Quero dizer, ela é uma herdeira. Quando foi que ela já teve que lutar por alguma coisa? Mas ela parece realmente séria sobre isso. As roupas de cães foram sua idéia.`` ´´ Oh yeah, Chaz diz, com uma risada, colocando o braço sobre meus ombros. Ela está séria sobre isso, certo.`` ´´ Chaz,`` digo eu, encostado nele. Eu não me importo que estou quente e suada ( assim como ele). Mesmo quando estou chateada com ele, como agora, eu não posso parar de tocá-lo. Sinto-me bem. ´´ As pessoas amam seus animais de estimação. Eles realmente querem que eles sejam uma parte do seu dia especial.`` ´´ Mas a idéia de possibilitar isso através da criação de mini smokings para os cãezinhos, não te deixa um pouquinho enjoada?`` ´´Não, eu digo com firmeza. Não, se isso vai salvar os empregos de todos na loja.`` ´´ E como é que você desenhar smokings para cãozinho na Gecks faz parte disto? Chaz quer saber.``


´´ Eu ainda não resolvi esta parte, eu digo enquanto andamos com pressa. Estou apenas dando um passo de cada vez. Primeiro eu começo a desenhar estes esboços. Em seguida, garanto o acordo em vigor. Em depois, eu começo essa parte.`` ´´ Você é incrível,`` Chaz diz. E há nenhum sinal de sarcasmo em seu tom agora. Ainda assim, eu o puxo para parar e estreito meus olhos com os ele. ´´Você está zombando de mim?`` Exijo desconfiada. ´´Absolutamente não, Chaz diz, olhando para mim com uma expressão perfeitamente séria em seu rosto. Ele tirou o braço de meus ombros, mas agora ele coloca ambas as mãos lá em vez disso. Eu disse antes que você é uma estrela, Lizzie Nichols. E eu humildemente rogo para me poder ser permitido engatar o meu vagão a sua estrela. Apenas me diga o que você precisa que eu faça para te ajudar, e eu vou fazê-lo.`` Eu pisco para ele e meus olhos se enchem de lágrimas repentinas. É ainda surpreendente o quão cega e idiota eu fui sido, recusando-me a ver o que estava logo ali na frente do meu rosto por tanto tempo. Que eu poderia ter sido tão feliz há seis meses, se eu tivesse admitido a mim mesma o que eu claramente sabia o tempo todo, que não era por Luke que eu estava apaixonada depois de tudo. Mas eu não digo nada disso ao Chaz. Não existe razão para dizer. Não agora. Porque eu já disse. Em vez disso, eu digo, ´´ Diet Coke.`` Ele aperta forte meus ombros.´´ Você precisa de Diet Coke? Para conseguir fazer os desenhos?`` Eu faço que sim com a cabeça. ´´ Feito, diz ele. Eu vou te trazer cada engradado da cidade.`` Então sua voz diminui, e vejo o seu olhar se foi também. Nós chegamos a Chez Henri, onde estou surpresa de encontrar, quando eu olho para a direção do olhar do Chaz, Shari sentada na varanda da frente. Ela se eleva sobre os pés quando ela me vê olhando para ela, a bolsa de cânhamo penduradas em seus dedos enquanto ela me olha. ´´ Bem, Chaz diz, soltando as mãos dos meus ombros. Isso é estranho.`` ´´ Oi, Shari,`` eu digo sem sorrir, ciente de que ela está perto o suficiente para ter ouvido cada palavra que dissemos uma para o outro.


´´Oi, Lizzie, diz ela. Protegendo os olhos do sol com uma mão, ela aperta os olhos para baixo, em nós e se inclina dizendo: Oi, Chaz. Eu preciso falar com um minuto de Lizzie.`` ´´ Este é um momento muito ruim, eu digo. Estou em uma espécie de um momento fulcral. Podemos falar mais tarde?`` ´´ Não, diz Shari e desce do alpendre. Olha. Eu realmente sinto muito sobre o que eu disse antes. Eu estava fora da linha.`` ´´ Você estava realmente tentando nos juntar esse tempo todo? Chaz quer saber.`` ´´Por favor, fique fora disso, Shari diz ele. Para mim, ela diz, Lizzie, você é minha melhor amiga em todo o mundo. Eu nunca faria nada para machucá-la. Eu nunca deveria ter dito aquilo sobre o bolo Carvel. Que foi de mau gosto, e eu lhe devo um pedido de desculpas.`` ´´ O bolo Carvel? Chaz quer saber.`` ´´ Eu sei que você não pretendia isso,`` digo a Shari, me sentindo arrependida de como a tratei. ´´ E eu não deveria ter fugido do café daquela forma. Eu sou uma idiota. Me desculpe também. Você me perdoa?`` ´´ Claro que sim, diz Shari, e me puxa para um abraço. Eu a aspiro, Shari cheira a loção de corpo de toranja e aroma de labrador e, em seguida, a deixo ir. ´´ E agora estou arrependida, mas eu realmente tenho que ir, eu digo. Eu tenho que criar uma linha de vestidos de noiva para Gecks.`` ´´ Gecks? Shari parece confusa. Eles vendem vestidos de noiva?`` ´´ Eles vendem agora, Chaz explica. Ou eles irão depois de ver desenhos da Lizzie. Lizzie e Ava Geck estão entrando no negócio juntas.`` ´´ Será que resta é realmente uma boa idéia?`` Shari pergunta, duvidosa. ´´ Por que todos me perguntam isso? Eu exijo. Sim, é uma idéia boa. Agora, tchau, eu tenho que trabalhar.`` Dou beijos nos dois, na bochecha de Shari e na boca de Chaz e corro para a loja para encontrar Monique lendo a ultima edição da revista Vogue. ´´Lizzie, diz ela, olhando para cima quando eu chego. Aí está você. Deus. Finalmente. Todos estão à sua procura, ao que me parece.`` ´´ Continue pegando mensagens,, eu digo. Eu tenho que começar um trabalho lá em


cima. Eu tirarei o resto do dia de folga.`` ´´ Mas, Lizzie, Monique diz, olhando desanimada. Você não sabe que... `` ´´ Sim, claro que sei sobre isso, eu digo. Estou fazendo o melhor posso para salvar a nossa pele. Portanto, mantenha todos os meus telefonemas, você vai?`` ´´ Tudo bem, Monique diz. Mas... `` ´´ Obrigada!`` Eu saio pela porta lateral e vou para o meu apartamento no andar de cima com pressa , aumento o ar condicionado, tiro meu vestido pegajoso e suado, pego a última Coca Diet da geladeira, é melhor o Chaz se apressar com a sua entrega para eu começar a trabalhar. A HISTÓRIA dos casamentos * Primeira vez que eu traduzo se tiver alguma coisa errada me desculpe! Você já se perguntou por que ele é chamado de "banho"? No final do século XIX, uma noiva convidaria seus amigos mais próximos e familiares para uma festa para aliviar a tensão antes do casamento. Todos trariam pequenos presentes simbólicos que seriam colocados em um guarda-chuva de cabeça para baixo ou guarda-sol. Este seria, então, virados na noiva, e os presentes a "regariam" para dar sorte. Como essa tradição encantadora transformado as monstruosidades que hoje conhecemos como chuveiros é um mistério das idades. Dica para evitar um desastre dia do casamento Banheiros. Ninguém quer pensar ou falar sobre elas... Até que não haja um número suficiente deles, ou eles estão transbordando... Durante a sua recepção. Sabemos que tem muita coisa em sua mente, mas quando você escolher um lugar para a sua recepção, certifique-se levar em conta as pequenas coisas... Como se seus convidados estão indo. Porque eles vão ter que fazer em alguma hora. Você vai ser o único a dizer-lhes para mantê-lo? LIZZIE NICHOLS DESIGNS™ CAPITULO 22 O casamento é a mãe do mundo e preserva reinos, e enche as cidades e igrejas, e mesmo céu. Jeremy Taylor (1613-1667), clérigo Inglês Estou em estado de choque avançados, quando eu sair da limusine do Geck, pouco antes da meia-noite que eu não aviso na primeira vez que as luzes estão no hall do prédio da Henris quando eu tropeço através da porta. Eu não deixá-los em quando eu saí, porque eu estava em pânico tanto sobre os meus desenhos, alguns dos quais ainda eram apenas semi-acabados, eu esqueci completamente. Mas eles estão agora. Quem poderia ter mudado-los? Não é um ladrão, com certeza. Por


que ele pretende anunciar a sua presença no mundo? Poderia ser Chaz? Ele tem uma chave, claro. Mas Chaz jamais sobe sabendo que eu não estou lá. Especialmente quando eu disse claramente que eu o chamaria quando eu estivesse pronto para vê-lo. Ele não é o tipo de entra sem aviso prévio. E, enquanto Sylvia e Marisol estavam trabalhando até tarde, elas nunca trabalharam até tão tarde, chamo-as mas elas não me escutam. Otimo. Esta é a uma desvantagem de morar sozinho. A parte que eu poderia a qualquer momento, ser assassinada, e ninguém no prédio pode ouvir meus gritos. Porque eu sou a única no meu prédio. Seguro as minhas chaves para que cada uma projete-se em cada de junta, minha mão agora lembrando Wolverine dos X-Men, eu começo a subir as escadas, o meu corpo tenso me esticando para ouvir a respiração pesada ou raspagem das garras de Freddy Krueger, como se ele me esperasse para me estrangular no último andar. Mas eu não ouço nada. O corredor é silencioso. Talvez eu estou imaginando coisas. Talvez, no excitamento da noite, eu liguei as luzes antes que eu sai. Eu estou quase me convencendo enquanto eu destravo a porta do meu apartamento, abro, e encontro um homem estranho no meu sofá da sala de visitas. Eu soltei um grito bastante alto para acordar os mortos. ―Jesus,‖ Luke grita, rindo. ―Lizzie! Sou eu!‖ É. É Lucas. Lucas, meu noivo. Quem é supostamente estava em Paris, França. Só que ele não está em Paris, França. Ele está em pé na minha sala. "Surpresa!", Grita ele. Oh, eu estou surpresa, tudo bem. Estou muito, muito surpresa. Só não tão surpresa quanto Lucas poderia ter ficado, se eu não voltasse para casa sozinha. E isso é mera sorte que eu não fiz. "O que você está fazendo aqui?" Eu não posso ajudar estourando. "Eu me senti tão terrível sobre tudo o que estava passando", diz Lucas, vindo em minha direção. "Eu ouvi o tio Gerald tinha reservando uma viagem para a cidade para uma reunião, então agarrei a minha chance." Ele parece muito bonito em seu terno de linho cor creme, com gravata azul pálido, e seu bronzeado e piscando os dentes brancos. É quase como se fosse outra espécie de Chaz. Mas não é uma espécie que eu gostaria de ter. Mais. Não posso deixar de dar um passo rápido para trás como Lucas se aproxima de mim. "Uau", eu digo. "Uma carta privada! Como ... de luxo! " (* eu não entendi bem essa frase mas é mais o menos ela elogiando como ele viajou) "Sim", diz Luke, dando mais um passo em direção a mim. "Eu cheguei aqui em seis horas. Tempo total de viagem. Da França! Dá pra acreditar? " "Isso é incrível." Vou dar um passo para trás. Se continuar assim, logo eu vou estar no corredor novamente.


"Eu sei", diz Luke com outro de seus deslumbrantes sorrisos. "Não é?" Lucas toma outro passo em frente, e eu estou preso com minhas costas contra a porta. Ele fios um braço em volta da minha cintura e se inclina para me beijar. Eu tenho que usar cada milímetro de auto-contenção em meu poder para manter meu rosto longe dele. E então seus lábios estão nos meus lábios, aqueles que eu costumava amar tanto e ele está me beijando. E eu sinto ... nada. Nada! Como posso não sentir nada? Eu costumava adorar este homem! Eu fiz amor em um tonel de vinho com este homem! Eu não queria nada, mas na terra, do que me casar com esse homem e ter seus bebês e estar com ele para o resto da minha vida. Mas eu acho que há mais de uma relação do que fazer amor em barris de vinho. Como fazer a pessoa rir demais até o leite sai do seu nariz. E estar lá quando ela realmente, realmente precisa de você. Eu acho que é assim, depois de não tê-lo visto por quase um mês, quando o Luke me beija, eu sou capaz de sentir nada. Luke levanta a cabeça e olha para mim com os olhos meio-cobertos, aqueles olhos que eu sempre achei tão sonhador, com os incrivelmente longos, cílios escuros. "Esta tudo bem"? Ele quer saber. "Claro!" Eu choro. "Tudo bem. Por que não seria?" "Eu não sei", diz Lucas. "Você parece nervosa... com alguma coisa." "Oh," eu disse, rindo como uma hiena. Estou ciente de que suas mãos estão em meus quadris. Meus quadris que não estão modelados por Spanx. Acho que esta é a primeira vez. Desde o Verão passado, de qualquer maneira. Quero dizer, ele tocou meus quadris sem Spanx, eu despida na cama. Deitada em decúbito ventral. "Eu estou. Acabei de vir de uma reunião com o Gecks‖. "O que?" Luke parece confuso. "The Gecks. Você sabe, *Get it at Geck‘s?‖ (*slogan da loja) "Oh", diz Luke. Mas posso dizer que ele não tem idéia do que estou falando. "E como foi isso?" "Foi ótimo", eu digo. Eu ainda não posso acreditar. De repente, meu nervosismo é esquecido em minha emoção sobre contar a minha noite incrível. "Lucas, você nem sabe ... sua ideia de uma oferta de vestidos de noivas bonitos a preços que possam pagar, foi brilhante. Uma idéia brilhante. Ava Geck e sua família inteira e eu, nós vamos entrar no


negócio juntos. Meus desenhos, a sua compressão nos negócios. Nós vamos dar a todas noivas americanas bonitas, vestidos de bons que elas podem pagar. Não só as noivas também. As damas de honra, a mãe da noiva, meninas da flor, cachorros vai ser enorme. " Luke ri, principalmente no meu entusiasmo, eu acho. É bem claro que ele não tem idéia do que estou falando. Eu acho que ele nunca sequer ouviu falar de Geck's. Bem, sua família provavelmente nunca comprou lá em suas vidas. Talvez sua mãe mandasse sua governanta lá para comprar os materiais de limpeza. Mas, como um noivo leal, ele age como se soubesse sobre o que estou falando. "Lizzie", diz ele. "Isso é ótimo! Estou tão orgulhoso de você!‖ "Obrigado", digo. "Isso tudo simplesmente aconteceu. Tudo agora. Eu ... eu ainda estou um pouco chocada, eu acho. É exatamente o que eu sempre quis, Luke. Ele vai resolver tudo. Mr. Geck me fez uma oferta, você não pode mesmo acreditar quanto ". "Bem, isso é ainda melhor", diz Luke, sorrindo mais amplamente. "Nós dois podemos voar de volta para Paris em grande estilo, então!" Eu fico olhando para ele. E percebo que preciso me sentar. Rápido. Oh Deus. Como posso fazer isso? Eu não posso-Eu não posso fazer isso. Eu não sou uma garota má. Eu não sou! E ainda, desde a semana passada, é exatamente como eu tenho agindo. Talvez no fundo sou uma Menina Má. De qualquer forma, é tempo de pagar o preço pelas minhas ações. "Sim," digo, encabeçando para o sofá, onde eu afundo para baixo antes que os meus joelhos podem afivelar debaixo de mim. "Escuta. Sobre isso". "Uh-oh," Luke diz. O sorriso desapareceu. "Não estou gostando do tom de sua voz agora mesmo, Lizzie. Devo me espantar? Porque de repente eu estou espantado". Eu olho para ele, seu rosto lindo, perfeito. Não posso deixar de abanar a cabeça. ―Luke‖ digo em voz séria ―Se aproxime‖ Ele estende suas mãos em um gesto Quem eu? ―O que?‖ "Sério, eu disse. "Fale realmente comigo. Pela primeira vez. Eu sei que você é o Mr. Legal e Agradável e tudo mais. Mas isso não foi o pior beijo que demos? "


Ele deixa cair suas mãos. E repentinamente ele deixa a pretensão também. E eu percebo que não devia nada a ninguém. "Tudo bem", diz ele em um tom completamente diferente, vindo do sofá até a mim. É como se todos os ossos passaram de seu corpo. Eu posso ver que o cansaço do vôo finalmente o abateu. "Yeah. Estou contente por ter dito alguma coisa. Deus ... Lizzie ... Eu pensei que era eu. " O alívio que surge através de mim é como um pulso elétrico. Me deixo caiu ao seu lado como uma boneca de pano. Eu acho que deve me sentir quase tão esgotado como ele é e eu não tenho viajado milhares de quilômetros para chegar até aqui. ―Não é você,‖ digo. É horrível estar recorrendo a um clichê tão usado como este. Mas neste determinado caso, realmente é verdadeiro. ―Sou eu.‖ "Não, Lizzie", diz Luke. "Não é você." "Não", eu garanto. "Realmente sou eu." Mas eu não vou dizer a ele sobre Chaz. Não se tudo der certo, ele nunca vai saber sobre Chaz. Pelo menos, não até um período de luto adequado para o nosso relacionamento passar, durante o qual Luke possa encontrar uma fabulosa nova namorada, talvez alguém como a Valencia, um tamanho 2 que vai caber no vestido de noiva Vera Wang que eu vi na vitrine hoje e que vai levá-lo a esquecer tudo sobre mim. "Eu acho que eu... eu te empurrei para um compromisso muito que você não estava pronto para ter", eu digo. "Não", diz ele corajosamente. "Isso não é verdade. É só... nós estamos apenas em lugares tão diferentes em nossas vidas agora. Jesus, Lizzie, até terminamos em diferentes continentes. Como poderíamos ter esperado para fazer este trabalho?‖ Eu posso realmente pensar de muitas maneiras nós poderíamos ter feito o trabalho. Mas, considerando, é claro que nenhum de nós quer fazê-lo funcionar mais, parece melhor deixar assim. Então, em vez eu digo: "Bem, nós ainda podemos ser amigos, certo?" ―Sempre,‖ Luke diz, tentando parecer triste. Mas posso ver tal alívio nos seus olhos marrons sonolentos, é quase cômico. É o mesmo alívio que eu tinha sentido naquela noite antes que ele tivesse partido para a França, quando eu lhe tinha dito para darmos um tempo.


Eu sei exatamente como ele se sente. Como isto é possível? Como poderíamos desembaraçar-nos do presente sem sequer uma palavra com raiva ou até mesmo uma lágrima? É possível que nós sejamos apenas... bem, adultos? "Aqui", eu digo. "Eu quero ter certeza de que tenha isto de volta." E eu tiro o diamante que vem pesando meu dedo anelar esquerdo durante tantos meses. Ele escorrega tão facilmente, é quase assustador. "Não", diz Luke, olhando um pouco em pânico, colocando a mão para me parar. "Lizzie não. Eu quero você fique com ele.‖ "Luke, eu não posso", digo. "Realmente," diz Luke, olhando completamente em pânico. Eu não estou imaginando. "Eu não quero isso. O que vou fazer com ele?‖ "Eu não sei", eu digo. Eu não entendo isso. Por que ele não tomá-lo? "Venda-o. Luke, estou quebrando o nosso compromisso. Não posso ficar com ele. " "Não, eu sou a causa do nosso término", Luke insiste. "Eu não posso ficar. Você pode vendê-lo.‖ O alívio está indo dos seus olhos. Agora vejo o terror genuíno crescer lá. Ele realmente não quer o anel. Alguma coisa, eu posso dizer, está errada. Muito errada. E a nossa separação estava indo tão bem até agora. "Ok", digo suavemente, deslizando o anel em algumas revistas sobre a mesa de café, desde a visão do que parece perturbá-lo tanto. "Vou mantê-lo." O alívio arrasta-se de volta no seu rosto. ―Bom,‖ ele diz, visivelmente descansando novamente. ―Bom. Quero que você o tenha.‖ Hum ... ok. Que tipo de homem quer que manter o anel de sua ex? Especialmente um anel que custou tanto como o meu deve ter custado. (Okey. Vinte e dois mil. Tiffany olhou um dia no site da Cartier. Ela estava entediada.) Eu vou te dizer que tipo de cara: um cara com uma consciência culpada. Isso é o tipo. Mas certamente não. Não Luke. Não meu doce, lindo, amado Luke, quem eu tratei injustamente tão cruelmente traindo com o seu melhor amigo na pensão doa Cavaleiros


quando eu fui para casa para o funeral da minha avó. (Que, por acaso, Luke não voou de volta para casa. Mas voou para casa quando eu perdi meus trabalho e apartamento. Mesmo que eu tenha ficado mais abatida pela perda da Vó. Você pode sempre começar outro trabalho e encontrar outro lugar para viver. Mas você nunca pode substituir sua avó.) Lucas jamais faria qualquer coisa para ele ter uma consciência culpada. Ele é exatamente o que Shari o acusa de ser perfeito demais. Claro, eu pensei que ele poderia estar me traindo todas as noites que ele passou a estudar em casa e as tardes ele estava na biblioteca, quando ele disse que não queria me ver. Mas isso foi apenas minha imaginação hiperativa. Eu sou a única com uma consciência culpada nesta relação. Luke boceja, então olha culpado. Mas somente sobre sua rudeza. ―Oh meu Deus,‖ ele diz. ―Desculpe-me...‖ "Você deve estar exausto", eu digo. "Você deveria ir. Eu poderia deixar você ficar aqui, mas...‖ Mas nós apenas terminamos. Eu não tenho que falar. Luke entende a mensagem. "Não", diz Luke, levantando-se. "Desculpe. Eu vou para o apartamento da minha mãe. Deus, isso parece tão estranho. É estranho, não é? É estranho?‖ "É estranho", asseguro-lhe, de pé também. Simplesmente não é tão estranho quanto ele sabe. "Mas eu acho que é bom. É uma coisa boa.‖ "Eu espero que sim", diz Luke. E, ele me da um abraço de despedida na minha porta, e olha para baixo, e vejo que há lágrimas reais recolhidas nos profundos olhos castanhos dele. Não, realmente. Elas estão pairando, como os minúsculos cristais Swarovski que pontilham o telefone de Ava Geck's (só não rosa) sobre as bordas das suas pestanas tremendamente longas. Como se eu não me sentisse culpada o suficiente. Agora eu o fiz chorar. "Você sabe que eu sempre vou te amar, não é, Lizzie?" Lucas pergunta. "É claro", eu digo. Embora eu estou pensando, Oh, meu Deus. Isto é assim ... são aqueles realmente lágrimas? lágrimas reais? Por que eu não choro? Devo chorar? Acho que sim, eu sou a garota. Oh Deus, eu deveria estar chorando. Mas eu não sinto vontade de chorar. Porque eu não amo ele mais, porque eu estou apaixonada por Chaz? Eu não


deveria chorar por aquilo que poderia ter sido, para os filhos de Luke que eu nunca vou ter agora? É isso por causa da urticária? É duro chorar por um cara que me deu tantas urticárias, eu acho. E porque ele desistiu da escola médica a ser um banqueiro de investimentos. Se ele tivesse continuado com a coisa de médico, eu estaria chorando, com certeza. Eu acho. Então Luke me dá um último abraço afetuoso, beijos em cima da minha cabeça, e sai. Assim que eu o ouço ele fechar a porta da frente, e eu vê ele andando lentamente na minha rua pela janela da frente, eu pego meu celular. "Vem aqui agora", eu digo para ele. "Isto é um encontro?" Chaz responde, parecendo satisfeito. "Você nunca vai adivinhar quem estava aqui", eu digo. ―Vendo como você estava no Gecks esta noite,‖ diz, ―eu estou indo tomar uma suposição selvagem e dizer… Neil Diamond?‖ ―Luke,‖ eu digo, apertando meu telefone tão firmemente que meus dedos ferem. ―Compartilhou uma viagem de Paris até aqui com seu tio. E nós apenas terminamos.‖ "Eu estou a caminho", diz Chaz, com nenhuma pitada de humor em sua voz. CAPITULO 23 Vamos comemorar a ocasião com vinho e palavras doces. Titus Maccius Plautus (254-184 a. C.), dramaturgo romano Ele está no meu apartamento em quinze minutos. É assombroso a que velocidade um táxi pode viajar setenta blocos à parte superior da cidade ao longo da Primeira Avenida depois da meia-noite. "Eu quero saber tudo", diz ele, jogando sua mochila, nós ainda não evoluirmos ao ponto em que qualquer um de nós tem um armário no apartamento do outro, estamos ainda no sofá. "Mas primeiro... como foi com os pais de Ava?" "Oh, Chaz..." E a próxima coisa que eu sei, é que estou em seus braços, e eu não sei como descrever isso. É completamente diferente de estar nos braços do meu ex-noivo. Em vez de sentir


autoconsciente e estranha e desajeitada, como na maneira que eu tinha ficado quando Luke me abraçou um pouco atrás, eu me sinto segura e confortada e, mais importante de tudo,completamente e incondicionalmente amada, quando os braços Chaz estão em torno de mim . Eu fecho meus olhos, deixando seu calor me envolver, e de repente as lágrimas que não tinha estado lá com Luke aparecem. "Uau," Chaz diz com um riso suave, beijando meu rosto. "Foi tão ruim assim? Eles não gostaram de seus desenhos? Como poderiam não gostar deles? Eu sempre amei suas mulheres palitos. Você colocou cartolas sobre elas? Eu adoro quando você coloca cartolas sobre elas.‖ "N-não", eu gaguejo, balançando a cabeça enquanto ele agarra minha cintura. "E-eles amaram a cartola! Bem, quer dizer, eu não coloquei cartolas em qualquer um deles. Mas eles adoraram os desenhos.‖ "Eles gostaram? Então qual é o problema?‖ "E-eu, estou apenas feliz!" É verdade. Eu me sinto tão feliz, ali sala de jantar, com os braços do Chaz em torno de mim, e agora que não estou mais comprometida, meu status na escala de Garota Má estão de volta para o negativo, eu acho que meu coração pode explodir. "Então, a Gecks estão comprando seus projetos", diz Chaz. Eu aceno. "Eu estou no comando do projeto e no controle de qualidade. Ava está fazendo o marketing. Seu pai está cuidando de tudo. Chaz... acho que isso poderia ser realmente grande. Não vai ser um lixo. Não é verdade. Porque Ava estar super-investido. Porque o nome dela vai estar nele. Ela está realmente levando a sério. Eu nunca a vi tomar a sério. Ela está sendo ajudada por esse cara Tippycat DJ, e ele acaba de fechar um grande negócio com a Syracuse. Seu nome verdadeiro é Joshua Rubenstein. Ele estava lá hoje à noite também. " Chaz parece impressionado. "E sobre a loja? Tiffany e Monique e Sylvia e Marisol?‖ Eu mastigo meus lábios. "Eu tenho um plano para elas também", eu digo. "Mas... ele vai envolver alguém para conduzir". ―Conduzir‖? ele repete. "Conduzir para onde"? "Para Nova Jersey", digo, pegando sua mão e puxando-o para o sofá. "Mas primeiro... Chaz, sério... e não brincando. Apenas me diga. Eu preciso saber. O que você quis dizer quando disse que Lucas não era um ―escoteiro‖ enquanto estávamos namorando? Porque quando nós terminamos agora... ele insistiu em manter o meu presente. "Debruço-me e pego o anel de onde eu tenho escondido debaixo de uma revista People. "Chaz, este é um anel caro. Por que ele insiste em deixar comigo a menos que se sentisse super culpado


sobre algo? Em? Não faz nenhum sentido.‖ Chaz olha para o anel e balança a cabeça. "Deus", diz ele. "Eu não posso acreditar que ele não pegou de volta. Ele chorou?‖ "Quando nós terminamos?" Eu olho para ele com surpresa. "Sim, ele chorou, um pouco. Como você sabia?‖ Chaz inspira profundamente. Então solta tudo numa rajada. "Luke não é exatamente o Sr. Inocência em todo tempo que você dois saíam, bem" Chaz levanta o seu olhar fixo do anel e o tranca sobre o meu. "Você realmente pensou que ele estudava todas essas noites que ele disse que ele estava na biblioteca? Porque isso não é o que ele fazia". Pisco. "Eu sabia!," digo. "Shari estava certa! Ele realmente era demais perfeito. Havia algo horripilante sobre ele". Então adiciono, "Espera. Você não estar fazendo isto para me sentir melhor sobre o que nós temos estado fazendo…" "Melhor?" Repete Chaz. ―Inferno, todo esse tempo, eu tenho medo de dizer a você. Eu achei que você ia ter um colapso nervoso, se você descobrisse.‖ ―Se isto é uma piada‖ Eu ameaço, ainda não tenho certeza se devo ou não eu acreditar nele ―Para me fazer sentir menos como um dois na escala de Bad Girl, não é realmente muito engraçado..." "Eu não estou brincando", diz Chaz gravemente. "E eu não sei o que uma escala é Bad Girl. Era aquela menina Sophie, de sua turma, tudo bem? O único que sabia era o cara que nos trouxe de um Jogo de Spotted Pig naquela noite. Ele estava fazendo isso por atrás de suas costas todo o semestre passado. Você devia ter a visto. Você teria a jogado fora. Usava Juicy Couture coisa que você odeia. E o que era aqueles óculos de sol gigantes com Dolce & Gabbana escrito do lado? " Sacudo a minha cabeça. "Não", eu digo. "Boa tentativa. Mas você nunca manteria um segredo como esse por todo esse tempo. Você teria me dito.‖ "Na verdade", diz Chaz, soando muito sério, para variar, "Eu não poderia te dizer, Liz. Como eu poderia ter dito a você sobre Lucas dormindo com outra mulher atrás de suas costas quando você ainda estava apaixonada por ele ou pelo menos quando eu pensei que você ainda estivesse apaixonada por ele? Como olharia para você? Considere a minha posição, está amando você, e te querer para mim. Se eu tivesse chegado a você antes de


eu realmente, uhm, conseguido conquistá-la, como eu, aparentemente, conseguir agora, e sugeri-lhe que seu noivo estava dormindo por atrás de suas costas, o que, exatamente, você teria feito? Sim, você pode ter terminado com Luke, e sim, você poderia ter dormido comigo. Mas como eu ia saber que não seria sido apenas alguma vingança para depois de alguma maneira você perdoar Luke o que ele fez para você? " Eu pisco para ele. A coisa é, eu acredito nele. Principalmente por causa dos detalhes ele não conseguiria inventar esse coisa de Dolce&Gabbana. Chaz não sabe nada sobre desenhistas pelo calção que ele está vestindo. Mas também por causa da maneira incrivelmente grosseira que ele o usa. O que ele estava realmente dizendo é incrível. Mas, dada a sua franqueza, só poderia ser verdade. "Isso não é o que eu queria", Chaz continua. Não há uma pitada de sarcasmo ou riso em sua voz agora. Seus olhos azuis parecem quase doía. "Essa é a última coisa que eu queria. Desde muito tempo, desde antes do Ano Novo, desde o dia que eu ajudei a você a se mudar para esse apartamento, eu queria te contar. Essa é a verdade. Mas eu queria você para sempre, Lizzie.E eu não queria ficar com você desse jeito, como uma vingança, uma forma de prejudicar Luke. Então ... sim, eu não lhe disse. Até agora. Então me processe ". Então, os seus ombros se curvam, e ele puxa rapidamente o seu telefone celular. ―Além disso. Eu posso lhe provar.‖ A próxima coisa que eu sei, ele apertou um botão em seu teclado. Um segundo depois, ele está dizendo: "Luke?" ―Chaz,‖ eu grito. ―Não...‖ Mas é tarde demais. "Oh, hey, cara", diz Chaz conversando, com o telefone. "Oh, desculpe, eu te acordei? Ah, não? Você está na cidade? O que você está fazendo na cidade?‖ Eu não posso acreditar que isso está acontecendo. Eu caiu de volta no sofá, as minhas mãos sobre meus olhos. Eu não posso assistir. ―Oh, você fez? Realmente? Oh sim? Oh, ela fez? Oh, realmente. Oh, isto é bem ruim.‖ Chaz se senta e me empurra, mas não tiro as minhas mãos dos meus olhos. Finalmente, depois de muitos "realmente", ouço Chaz dizer, ―Sim, assim, se você e Lizzie terminaram, adivinho que as coisas estão realmente esquentando com Sophie.‖ Chaz deve ter colocado o telefone próximo ao meu ouvido, porque eu ouço a voz de Luke dizendo: "Bem, você sabe, eu vou estar me mudando para a França, então eu não


acho que vou estar vendo muito a Sophie. Mas você sabe que há esta mulher fantástica que eu tenho visto no meu novo escritório, aquela que eu estava te falando, Marie ... " Tiro as minhas mãos dos meus olhos e somente olho para ele. A expressão de Chaz é uma mistura atraente de inquietude — que as minhas sensações são prejudicadas — e começo a rir. É difícil não ver o humor na situação. Não é como se eu me importasse com o que Luke esteva fazendo por atrás das minhas costas. Eu só espero que ele, como eu, tenha utilizado um preservativo. Quando ele vê que eu estou sorrindo muito, Chaz coloca o telefone de volta para sua orelha e diz: "Uh, Luke? Então, se você e Lizzie não estão se vendo mais, eu estava me perguntando ... Como você se sentiria se eu a convidasse para sair? Porque, você sabe, eu acho que ela é uma grande garota, e eu tenho sorte de sempre... " Mesmo de onde estou sentada, de três metros de distância, posso ouvir a voz de Luke secamente cortando Chaz. O sorriso do Chaz cresce mais amplo. "Oh", diz ele, com seus olhos azuis cintilantes olhando para mim. "Você não acha que seria uma boa idéia? Por quê? Você se acha um deus do sexo que só você deve ter todas as melhores garotas para si, mesmo depois de você acabar com elas, é isso?‖ Rindo, eu suspiro, "Chaz, não!" E luto para tirar o telefone do alcance dele. "Não?" Chaz está dizendo ao telefone, mesmo quando ele apertando seu braço em volta da minha cintura e luta comigo ruidosamente enquanto andava. "Ah, porque ela está em um estado muito frágil neste momento? Eu não acho que ela é tão frágil como você pode pensar.‖ ―Que barulho foi aquele?‖ Luke pergunta. ―Ah, eu acho que foi apenas... o meu vizinho de cima. Sim, ele só trouxe para casa outro travesti daquele bar da rua. Hey, Johnny ", Chaz tem o telefone longe do rosto e grita para as paredes enquanto me faz cócegas sem piedade, enquanto eu tento não explodir de tanto rir," Isto é chamado de abstinência! Você devia tentar Johnny! Oops, Lucas, eu tenho que ir, ele está vomitando no corredor. Sim, ele está deslizando em torno de seu próprio vômito. Eu te ligo mais tarde ". Chaz desliga, joga o celular longe, então mergulha em cima de mim, enterrando seu rosto no meu pescoço. Eu mal posso respirar é difícil rindo tanto. E eu percebi uma coisa: eu nunca tive um momento tão bom na minha vida inteira. Que é muito a dizer, considerando o dia que tive. HISTÓRIA DOS CASAMENTOS Qualquer pessoa familiarizada com os romances históricos sabe que qualquer jovem noiva fugia para a Escócia na Europa do século XIX (até então as meninas menores de


dezoito anos podiam se casar sem a permissão de seus pais). Mesmo Jane Elizabeth Bennet em "Orgulho e Preconceito de Jane Austen se desespera quando descobre que sua volúvel irmã Lydia não fugiria para Gretna Green com seu amante Wickham, pois significava que ele não tinha intenção de casar com ela. A Escócia é ainda um destino popular do casamento para os americanos, e muitos pacotes de viagens para essa finalidade são vendidos. Embora se deva tomar cuidado na hora de preencher a papelada necessária antes de ir, pois a noiva ou convidados poderiam encontrar-se na mesma situação ruim da infeliz Lydia. COMO EVITAR UM DESASTRE NO DIA DO SEU CASAMENTO Fugir para casar não significa necessariamente que o casal tem de perder a diversão de presentes de casamento! Os pais ou outros parentes e casais ou amigos podem ainda optar por uma recepção para eles após o seu regresso. Eles podem até mesmo ainda registrar os presentes e estar dentro dos limites do bom gosto e etiqueta. Com casamentos ficando cada vez mais caros nos dias de hoje, alguns pais estão cada vez mais, levando em conta pagar suas filhas para fugir. Todos deveriam ter a mesma sorte. NICHOLS DESIGNS LIZZIE CAPITULO 24 Não há nada mais nobre ou mais admirável do que quando duas pessoas que vêem o olho no olho manter a casa como marido e mulher, confundindo seus inimigos e deliciar os seus amigos. Homero (século VIII B.C.), Poeta grego

Acho Monsieur Henri em seu quintal, na manhã seguinte, justamente onde sua esposa disse que ele estaria: praticando em sua pista caseira de petanca. Ele parece surpreso em me ver. Bem, eu não suponho que ele receba visitantes de Manhattan freqüentemente no quintal de sua casa no subúrbio de New Jersey Especialmente quando ele ainda está em seu roupão de veludo.


―Elizabeth!‖, grita ele, soltando a bola de petanca na poeira e correndo para fechar o roupão. Ele lança um olhar indignado com sua esposa, chegando atrás de nós com uma bandeja de chá gelado. ―Perdão, Jean, diz ela. Mas se você me perguntar, ela não está nem um pouco arrependida. Elizabeth telefonou esta manhã para dizer que estava vindo com alguma coisa importante para discutir com a gente. Eu te chamei. Mas eu suponho que você não me ouviu.‖ Monsieur Henri olha o relógio aturdido, enquanto sua esposa coloca a bandeja sobre a mesa metal pequena sob a pérgula coberta de rosas no final de sua pista de petanca, em seguida, ocupa um lugar no banco ao lado. Sempre um homem grande, seu marido perdeu muito peso desde a sua cirurgia. Mas ele ainda está suando no calor do verão, mesmo na sombra do caramanchão. Ele olha para os três copos de chá gelado diante dele. ―Bom, ele diz. Acho que eu posso fazer uma pausa. Por um momento.‖ ―Isso seria ótimo,‖ eu digo. Eu dou um olhar em direção à casa. Chaz está dirigindo ao redor do bairro, ele me garantiu que ele voltará dentro de meia hora para me pegar no carro, nós alugamos de Avis naquela manhã. Acabei de cruzar a shoppings, disse ele. Vou buscar uma tanga de Victorias Secret*. Eu nunca vi você em uma tanga. Ou qualquer coisa da Victorias Secret, por falar nisso. *(Marca famosa de Langeries) Há uma razão para isso, eu disse a ele. Eu tomo um assento no banco ao lado de Madame Henri, depois de cuidadosamente dobrar minha saia vintage Lilly Pulitzer debaixo de mim, esperando até que Monsieur Henri se acomodasse cuidadosamente na cadeira à nossa frente antes de eu falar. ―Eu sinto muito incomodá-lo aqui em sua casa, Monsieur Henri, eu digo. Mas sobre a eu edifício...‖ ―Estou muito triste sobre você ter que encontrar outro emprego e um apartamento, mas, como dissemos, podemos interceder por você junto a Maurice você sabe que eu tenho as melhores referências eu não tenho problemas em te encontrar um emprego mas não ficarei satisfeito com isso. Realmente, não é um pedido muito atrativo. Eu estou surpreso com você, devo dizer. Agora, Elizabeth, Monsieur Henri diz com carinho caloroso como ele pega um dos copos de chá gelado e gira em torno do galho de hortelã que sua esposa


jogou nela. Eu realmente não acho que há nada mais podemos dizer sobre isso. Foram anúncio com Gold mark, e isso é isso.‖ ―Na verdade,‖ eu digo, pegando o meu próprio copo de chá gelado tendo prazer de ver que a minha mão não estava trêmula ao segurá-lo. Uma evolução Lizzie! ―Eu não estou aqui para implorar por meu trabalho, Monsieur Henri. Eu já tenho outro emprego. Eu estou aqui para fazer uma oferta pelo seu prédio.‖ Monsieur Henri quase deixa cair o copo que estava girando. Madame Henri engasga um pouco com a boca cheia de chá gelado que estava tomando. ―Perdão, o que disse Elizabeth?‖ Ela tosse. ―Eu sei que eu deveria ter feito isso através de seu corretor de imóveis, eu digo rapidamente. Mas a coisa é, eu não tenho todo o dinheiro. Ainda. Mas eu terei. Em breve. E o resto eu posso pagar à medida que avançamos, mas terá de ser por um período de alguns anos. Eu sei que não é exatamente o que você estava esperando, mas eu inclinome para a frente, falando com os dois em voz baixa e urgentes, pelo fato de que, em algum lugar fora vista, um cortador de grama ganha vida e um pássaro começa um lamurioso melodioso som, mas ainda a vantagem vender para mim, ao contrário de um estranho, é que você não vai estar pagando todas as taxas da corretora.‖ ―Nós podemos cortar o intermediário completamente, e você estará salvando a si mesmo centenas de milhares de dólares. Eu estou disposta a fazer uma oferta agora, aqui, hoje, sem inspeção, sem nada, de quatro milhões e meio de dólares.‖ ―E antes que você diga que você acha que o prédio vale mais, eu digo, o cortando ambos quando eu os ouço inalar, permitam-me salientar que eu vivo e trabalho lá. Eu não preciso de uma inspeção, porque eu sei o quanto o local precisa de reforma. Eu já conheço as rachaduras, e os canos entupidos, já chamei o exterminador de ratos no porão mais vezes do que eu posso contar. E eu estou fazendo a minha oferta para você agora, hoje, com a minha garantia de que terá o montante total daqui a cinco anos a partir de hoje. Eu assinarei qualquer coisa que você quiser para garantir isso.‖ ―Tudo que eu peço é que você lembre-se de onde vocês dois estavam quando eu atravessei a porta a um ano atrás. E onde vocês estão agora.‖ Eu me inclino contra o banco e tomo um gole longo do meu chá gelado. Mesmo para uma boa locutora, estou gasta, depois de ter dado um discurso longo. Eu olho os dois e eles olham para mim com dificuldade.


Então Madame Henri olha para o marido. ―As taxas do corretor são muito altas,‖ ela diz em francês. Mesmo que ambos saibam perfeitamente que falo sua língua nativa, mais ou menos fluentemente, ainda usam essa língua para quando eles não querem que eu ouça o que eles estão dizendo, por força do hábito. ―Nós poderíamos economizar muito dinheiro.‖ ―Mas teríamos que esperar pelo dinheiro, o marido diz com petulância. Você ouviu ela falar.‖ ―Então? Demanda sua esposa. O que você está pensando em comprar? Um iate?‖ ― Talvez, Monsieur Henri diz com um grunhido.‖ ― Você ouviu o que disse o inspetor, Madame Henri diz. Sobre as infiltrações e o amianto* no prédio‖ *(substancia tóxica) ―Ele também disse que, se deixamos sozinho, ele não seria um problema. Todos os tubos em Manhattan são revestidos com amianto.‖ Eu escuto isso sem pestanejar. Eu já sei sobre o amianto. O encanador me disse isso meses atrás. Eu planejava usá-lo como alavanca se recusassem a minha oferta. ―Vai custar milhares de dólares para conseguir retirá-lo, Madame Henri continua. Talvez dezenas de milhares. Deseja esse aborrecimento?‖ ―Não, Monsieur Henri diz amuado.‖ ―Desta forma, a esposa diz essa transação pode ser feita em uma tarde. Nós nem mesmo teremos que pagar para retirar nossas coisas! Ela pode mantê-las!‖ Monsieur Henri ilumina com isso. ―Eh! Eu não acho isso! Mas onde ela vai conseguir todo esse dinheiro? Nem em trinta


anos.‖ ―Quem sabe? sua esposa pergunta com um encolher de ombros gaulês. A avó morreu, talvez seja dela?‖

―Pergunte-lhe, Monsieur Henri diz.‖ Então eles se voltam para mim. E Madame Henri pergunta em Inglês, ―Vocês ouviu tudo?‖ ―Claro, eu digo irritada. Eu não sou surda. E falo francês. Lembra-se?‖ ―Eu sei. Madame Henri sacode a cabeça. O dinheiro é da sua avó?‖ ―Não, eu digo. É de um negócio que eu fiz ontem à noite com a Geck Industries. Eu criarei uma linha de roupas de casamento para suas lojas de desconto.‖ Monsieur Henri parece confuso. ―Mas se você está indo trabalhar para Geck, então por que você ainda deseja a loja?‖ ―Porque eu ainda farei vestidos para meus clientes, eu disse. Independente de Geck. Além disso, sua loja é minha loja, Lá é a minha casa‖ Sinto-me ridícula, mas quando eu digo as lágrimas enchem meus olhos. E ainda é verdade. Aquele apartamento minúsculo que eu pretendo inteiramente renovar é o lugar onde eu conheci alguns dos mais altos e baixos da minha vida. Eu não posso deixá-lo escapar de mim. Eu não. Não sem uma luta. Madame Henri piscar algumas vezes. Então ela olha para o marido. Ele arqueia as sobrancelhas. ―Bem, Monsieur Henri diz. Nesse caso acho que temos que vender o prédio a Elizabeth. Você não concorda, chérie?‖ ―Madame Henri quebra face em um enorme sorriso.‖


―Concordo, ela diz.‖ Dessa forma, meia hora mais tarde, eu acabo bebendo champagne no sol do meio-dia com Madame Henri em seu quintal, enquanto os pássaros gorjeiam em torno de nós, e seu marido mostra a Chaz, que voltou de sua odisséia no shopping, como para jogar petanca, um esporte em que, logo se torna aparente, ele é excelente

Quase tão excelente como convencer os meus ex-patrões em vender-me o seu local de trabalho.

História Do Casamento

É importante lembrar que muitos dos casamentos mais suntuosos e dispendiosos da história nem sempre levaram à felicidade romântica. Olhe Henrique VIII e suas muitas esposas; príncipe Charles e a princesa Diana e, claro, a sempre otimista, mas sem sorte no amor Miss Elizabeth Taylor. Não importa quão grande ou pequeno o seu casamento seja, o que é crucial é que você se casará com a pessoa certa, alguém que te ame por quem você é,e não por saber se você pode ou não fornecer-lhe um herdeiro do sexo masculino, quanto dinheiro você tem, e se você fica ou não bem em um traje de banho. O amor é uma coisa esplendorosa, é verdade. Mas não há nada mais importante do que ter certeza que seu parceiro de vida é alguém que pode te fazer rir quando você está se sentindo para baixo, vai te trazer torrada com canela quando você está se sentindo doente, e está disposto a compartilhar o controle remoto.

Dica Para Evitar um Desastre No Dia do Casamento Quando os convidados se forem, todos os presentes desembrulhados e deixados de lado, e a última nota de agradecimento escrita por fim, você pode se sentir um pouquinho deprimida. Isso é normal! Afinal, você acabou de vivenciar o tempo mais feliz de sua vida,o seu único (espero) casamento! É natural que você se sinta um pouco triste por ter acabado. Mas tenha em mente você está prestes a embarcar na viagem mais maravilhosa e alegre, a de casada por uma vida inteira! Ainda assim, não tem problema para colocar o seu vestido de noiva em cada momento, mesmo que seja apenas para assistir TV. Todo mundo faz isso.


Realmente. LIZZIE NICHOLS DESIGNS

Capítulo 25 Ele é a metade de um homem abençoado, Deixou de ser concluída por ela; E ela é a excelência justa dividida, Cuja plenitude da perfeição está nele. William Shakespeare (1564 - 1616), Poeta Inglês e Dramaturgo Seis meses depois. ¨Oh, você é a noiva mais linda do mundo!¨ ¨Não, eu não sou, a Tiffany me assegura. Eu estou gorda.¨ ¨ Tiffany, e digo severamente. Você está grávida de quatro meses, deve parecer gorda.¨ ¨É estranho que isso ainda me assuste? Monique pergunta a ninguém em particular. O fato de Tiffany se tornar mãe, eu quero dizer? Será que não assusta a mais ninguém. Shari levanta a mão, juntamente com Sylvia e Marisol. Tiffany as encara. ¨Eu odeio todas vocês, diz ela.¨ ¨O fato bom de Tiffany se tornar mãe, continua Monique, é que ela se transformou em uma pessoa tão doce, carinhosa.¨ ¨Este vestido é que está me fazendo parecer gorda,¨ Tiffany diz para seu reflexo no espelho de moldura dourada de longa-metragem na frente dela. ¨Não, não está, digo eu, indignada, ofendida. Você está grávida. Isso é o que está fazendo você parecer gorda.¨ ¨Este é um vestido de gorda, Tiffany diz, fazendo biquinho. Você desenhou uma porra de um vestido de gorda para a porra do meu casamento.¨


¨Você sabe o que é impressionante,¨ diz Shari, deslizando um Dud de leite na boca, da caixa que ela já havia comprado para o show que ela vinha antecipando para este dia. Quando noivas se casam. Especialmente noivas grávidas. Sylvia e Marisol fazendo barulho tsk-tska e alarido sobre a Tiffany, afofando o completamente original vestido de não gorda que eu desenhei para ela. ¨Eu não projetei um vestido de gorda para você, Tiffany, eu digo, restringindo-me com um esforço de estrangulá-la. E isso não é uma coisa muito legal para se dizer à pessoa que é responsável por pagar-lhe suficiente para que você possa trabalhar a tempo parcial para mim e, finalmente, sair do trabalho que você odiou no Pendergast, Loughlin, e Flynn.¨ Tiffany apenas encara o meu reflexo.¨ Então? Eu só vou parar de trabalhar para você em cinco meses, assim eu posso ficar em casa com Raoul Junior.¨ ¨É um menino?¨ Marisol pergunta animadamente. ¨Quem sabe? Tiffany brilhos em sua reflexão. O que seja. ¨ ¨Sério, diz Shari, levando outro Dud leite em sua boca. Isto é melhor do que American Gladiator.¨ (programa de televisão Gladiador Americano seria a tradução) ¨Você pode pagar uma babá, Tiffany, eu digo a ela, dando-lhe um puxão na saia que talvez seja um pouco mais forte do que o necessário. Você não tem que parar. E eu escolhi um plano de saúde que dá todas as senhoras os quatro meses de licença de maternidade pagos, lembra? Agora, eu projetei este vestido para você, pessoalmente, com uma cintura imperial linda e um decote e uma chapel train* que, aliás, é totalmente inadequado para o seu casamento com Raoul no cartório da cidade e Raoul, mesmo que iremos comemorar mais tarde no Tavern on the Green, e disfarcei a sua barriga completamente. Ninguém pode vê-la. Como você se atreve a chama de vestido de gorda?¨ ( Uma carecteristica da roupa que eu não sei, desconheço) A Tiffany olha para a caixa de Milk Duds* da Shari. ¨ Você vai me dar um desses? , pergunta ela. Ou o quê?¨ ( doce da Hersheys de chocolate e caramelo – bem gostoso) ¨Não, ela não vai, eu informo. Você não vai comer chocolate com este vestido que eu me matei para fazer ao longo de semanas.¨ ¨Nós nos matamos, Marisol me corrige. Fiquei até duas da madrugada ontem para terminar os detalher de cristais.¨ ¨Certo, eu digo. Que nós nos escravizamos mais ainda.¨


¨Seja como for, Tiffany diz novamente, revirando os olhos lindamente confeccionados. Como se não fosse ter uma imitação disponível no Gecks na próxima semana para duas centenas de dólares.¨ ¨Não haverá! Eu digo. Eu te disse! Éum modelo Lizzie Nichols original! Nunca terá nada parecido na Gecks. Eu digo, haverá ser algo similar. Mas a varejo custando US$ 399.¨ Tiffany lança sua cabeça até madeixas recém-enroladas. ¨Eu sabia que, diz ela com outro rolar do olhos.¨ ¨ Os carros estão aqui, Monique diz em uma voz entediada.¨ ¨ Tudo bem, vamos lá, eu digo rapidamente. Ou nos atrasaremos.¨ E nós todas tropamos para o ar fresco do inverno, passando o toldo novo rosa com as palavras Designs Lizzie Nichols estampadas nele, por escrito,em arabesco branco, e nos dividindo em dois grupo para as limusines que Raoul pediu para nós, eu cuidadosamente dobrando o vestido da Tiffany, em seguida, entrando no carro atrás dela com Shari. ¨Obrigada por ter vindo, eu digo-lhe grata.¨ ¨ Você está brincando comigo? Shari diz, derramando mais Duds de leite em sua boca. Eu poderia não perder isso no mundo. Então o que aconteceu? O sujeito finalmente conseguiu seu green card?¨* ( * Green Card – visto permanente) ¨E bem na hora. Cinco meses mais, e ele seria ser pai antes de estar legalmente no país.¨ ¨ Isso tem que ser o mais rápido divórcio na história da humanidade.¨ ¨Bem, a ex-sra Raoul teve uma resolução muito pesada por acomodar o INS*, eu explico. Você sabe, sem mencionar a parte sobre como eles não viviam juntos como marido e mulher há anos.¨ (*INS – Serviço de imigração e naturalização) ¨ Isso é tão romântico, Shari diz com um suspiro, aconchegando-se em bancos de couro. ¨ Quando chegamos ao One Centre Street*, eu salto do carro e corro para ter certeza de que a Tiffany sairia sem danificar o vestido que nós todas trabalhamos tão duro. Ela consegue fazer isso, embora ela não é exatamente graciosa sobre isso. Graças a um esforço conjunto, a levamos até o corredor onde o Pat Menand, que se apressou durante sua hora de almoço espera. (* endereço do cartório)


Toda a minha ansiedade acaba tendo valido a pena quando eu vejo o olhar do Raoul fixo em sua esposa pela primeira vez em seu vestido de casamento. Lágrimas enchem seus olhos e eu fico tão comovida quando ele pega a mão da Tiffany e sussurra ¨Amor, você está linda¨, que eu tenho que desviar o meu olhar. ¨Eu sei,¨ Tiffany sussurra de volta. Acho que ela não acha que ela está tão gorda, afinal. Um braço desliza em torno de minha cintura, e um segundo depois, um homem em um terno cinza de carvão está beijando meu pescoço. ¨ Ei, Chaz diz. Você fez bem.¨ ¨Obrigada. Eu rio. Sim, realmente. Eu rio. Isso é o que Chaz faz comigo. ¨Você gosta do trabalho da fita em torno do decote? Pensei que era um toque agradável. Eu vou fazer isso com a nova linha de vestidos das floristas que vamos introduzir nos próximos anos para a linha resort.¨ ¨Vão vender como pão quente, diz ele.¨ Ele está usando a gravata amarela que eu amo, em honra da ocasião. Meus joelhos estão derretendo. A visão de Chaz de terno e gravata amarela especial que ainda tem o poder de me transformar em manteiga em um fogão quente. Eu me pergunto se isso algum dia vai mudar. Eu tenho um sentimento de que não. Um funcionário entediado acabou chamado o nome da Tiffany e do Raouls, e estávamos nos preparando para entrar na pequena capela com eles, quando há uma comoção no corredor como um grito de voz familiar, ¨Aguarde! Espere¨m por mim! ¨Oh Deus, Shari geme. Quem convidou ela?¨ Eu mordo meu lábio inferior. ¨Hum eu poderia ter mencionado que a Tiffany no cartório hoje, tipo bem agora.¨ ¨Oh meu Deus, Lizzie, Tiffany me encara. Você nunca vai aprender a manter sua boca fechada?¨ Antes que eu tenha uma chance de responder, no entanto, rajadas de Ava, vestindo um terno decente (com chapéu pillbox) e segurando o braço de seu marido, Joshua Rubenstein, conhecido como DJ Tippycat, seguidos, como sempre, pelo Little Joey. ¨Me desculpem por atrasar, Ava diz, com toda a realeza da sua recém-adquirida posição como presidente responsável pela comercialização que as Industrias de Geck lhe deu. Nós ficamos presos no trânsito a caminho do heliporto.


Tiffany ä encara, mas Raul diz amavelmente, ¨estou feliz que vocês conseguiram vir.¨ Em seguida, o funcionário chama o seu nome novamente, e nós todos os seguimos para a cerimônia misericordiosamente breve, mas significativa. Só foi quando o Latrell estourou a champanhe, e os parabéns foram trocados de todos os lados, e nós fomos avisados para sairmos da capela para darmos espaço ao próximo casal, e que o Raoul nos instruiu para retornarmos para os carros alugados que ele provideciou para nos levar de volta a Taverna on the Green, que Chaz me pega pelo braço e me puxa para um canto próximo a uma fonte de água e um lousa de avisos de anúncios pessoais de funcionários do escritório. Lá, ele me mostra uma coisa que ele tem escondida em um bolso interno de seu terno. ¨Você sabe o que é isso? ¨ pergunta ele com um brilho suspeito brilhante em seus olhos de safira. Eu olho para o envelope branco liso. ¨Isso é a escritura do meu prédio? Pergunto ansiosamente. Você vai paga-la com a sua herança secreta, e eu não devo algum dinheiro com isso?¨ Chaz parece decepcionado. ¨Não. É isso que você quer que eu faça? Eu pensei que você queria fazer tudo sozinha, estar em seus próprios pés, e todas essas coisas que você disse no verão passado?¨ ¨ Hum, sim, eu digo, tentar esconder a minha decepção. Eu quero. Totalmente. Então, o que é isso?¨ Chaz abre o envelope e tira o papel dobrado dentro. É um panfleto do escritório do secretário Municipal da Cidade de Nova York escrito em cima. Sob ela, diz, O Que Você Precisa Saber Para Solicitar Uma Licença De Casamento. ¨Sim, Chaz diz quando eu viro o meu olhar espantado para ele. Eu peguei um. E antes que você vomite, você pode dizer não. Eu não vou ficar louco ou ofendido, nem nada. Eu não me importo se nós nunca nos casarmos. Não é importante para mim mesmo. Eu amo você e só você, e eu sempre amarei. Nenhum pedaço de papel que vai mudar isso. Eu só sei que costumava ser importante para você, e se ainda é, nós podemos fazê-lo. E isso pode ser uma maneira que podemos fazer sem que você fique coberta de urticárias e que eu York. Nós poderíamos apenas preencher o requerimento agora, voltar amanhã, tem um período de vinte e quatro horas de espera fazê-lo. Nós não temos que contar a ninguém. Eu só pensei, você sabe, já que estava aqui de qualquer maneira, nós poderíamos ir lá rapidamente e eu escrevi nossos nomes no final da lista quando eu cheguei aqui, o escritório de aplicação é lá em baixo. Está tudo bem, temos tempo, nós somos tipo o numero noventa na lista ou algo assim, enquanto isso todo mundo está entrando nos carros para irem a Taverna on the Greene nós os encontramos lá. E


ninguém vai saber. Nós ficaremos da mesma forma. Só que nos casaremos. Amanhã. Ou qualquer dia. São válidas por bom para sessenta dias. As licenças, quero dizer.¨ Eu ainda estou olhando para os panfletos que ele está segurando. ¨Você está me pedindo em casamento? É tudo o que consigo dizer. ¨Se você quiser, Chaz diz. Você não precisa. E eu não estou falando dessas grandes monstruosidades coisas que têm os seus clientes, com uma fonte do fondue de chocolate e a dança da galinha. Eu não quero isso. Eu nunca vou querer isso, você entende? Minha irmã tinha isso, e foi... Ele estremece. É claro que ele está começando a perder o rumo. Eu coloco uma mão firme em seu braço, ele continua,.. seus pais provavelmente vão querer ter isso para você, e eu estou lhe dizendo agora, eu vou fugir. Vou correr tão longe e tão rápido que eu puder longe disso. Eu voltarei para você, à noite, quando for seguro. Mas eu vou me esconder durante o dia, aonde eles não poderão me achar; Mesmo que tiver que ir para os pântanos. Eu sei que não há qualquer pântano no Michigan, mas...¨ Eu dou uma leve sacudida nele. ¨ Chaz, eu digo. Está tudo bem. Eu não quero isso também, ok? Eu gosto da sua idéia. Fazendo dessa maneira, só você e eu amanhã aqui. Ninguém mais. Porque isso é o que é realmente casar, certo? Apenas nós. Ninguém mais.¨ ¨ Ninguém mais, diz Chaz. Porque somos os únicos que importam. Quer dizer, eu acho que nós podemos dizeras pessoas algum dia.¨ ¨ Algum dia, eu concordo. Quando parecer certo. Nós podemos apenas mencioná-lo. Como, a propósito nós nos casamos. Apesar de que eles provavelmente vão ficar bravos por não os termos convidados.¨ ¨Eu não me importo, Chaz diz. Você se importa?¨ ¨Eu não ligo, eu digo. Nós não temos nem que contar, se não quisermos.¨ ¨Eu provavelmente deveria mencionar a Luke que nós vamos ter um encontro antes, diz Chaz. Para tipo de amortecer o impacto. Posso contar que nos casamos em alguns anos. Embora ele está namorando seriamente com umas quatro garotas em Paris agora. Eu não sei porque ele ainda pensa que eu sair com você é uma idéia tão ruim.¨ ¨Ah, eu digo. Eu ainda não posso consigo evocar qualquer animosidade contra Luke. Eu ainda tenho seu anel de noivado para dar a minha própria filha, se eu tiver uma. Ou a minha sobrinha Maggie, de quem espero coisas boas. Ele é tão bonito.¨ ¨ Bonito, o caramba, Chaz diz. Deixe-me ver seus braços.¨ Fofo, minha bunda, Chaz diz. Deixe-me ver o seu braço.


Obediente eu arregaço as mangas do terno Ann Lilli vintage de lã cor de rosa que estou vestindo. Nós olhamos todo o interior do meu cotovelo. ¨Nenhuma urticária, Chaz diz.¨ ¨Isso é um bom sinal. Você sente vontade de vomitar?¨ Chaz balança a cabeça. ¨Não.¨ ¨Estou me sentimento otimista quanto a isso, e sobre o número da lista. Noventa. Essa era a idade da Vovó quando morreu. Ambos parecem presentes de cima. Como se talvez, talvez alguém estivesse cuidando de nós, alguém que ter ter certeza de que esta não é a estrada para o inferno depois de tudo.¨( trocadilho da música do funeral) ¨Ou que talvez seja, na verdade. Talvez porque seja um bom lugar para estar.¨ Chaz e eu olhamos para o panfleto na mão. É dividido em perguntas mais freqüentes, que incluem, um exame pré-nupcial físico ou exame de sangue antes da cerimônia é necessário? (Resposta: Não) e dois primos em primeiro grau podem se casar legalmente no estado de Nova York? (Resposta: Sim) e Posso utilizar a licença de casamento em outro estado? (Resposta: Não). Tudo parece tão legal.* (* no sentido de ser legalmente organizado, de acordo com a lei, seriamente reconhecido pelo Estado) ¨Você realmente quer fazer isso? Chaz pergunta. ¨Eu acho que sim, eu digo. Mas você uma vez disse que eu seria uma esposa horrível.¨ ¨Eu, tipo mudei de opinião quanto a isso, diz Chaz. Eu acho que você será uma esposa spiffy* agora. ¨Spiffy? Eu sorrio para ele. Você realmente disse isso?¨ Ele sorri de volta. ¨Eu acho que eu disse.¨ Eu sorrio ainda mais.¨ Você promete me amar e me obedecer ?¨ ¨Eu já o faço, Chaz ressalta. Especialmente a parte obedecer. Na cama, quando você fica picante com chicotes e correntes.¨ ¨Então, eu digo seriamente, Charles Pendergast oTerceiro, terei prazer em me casar com você.¨


¨Vocês, gritos Tiffany da porta através da qual todo mundo está de acomodado. Vocês vem ou não?¨ ¨Nós já vamos, Chaz diz a eles. Ele me cutuca. Hey, eu não acho que eles me ouviram. Você tem a boca grande. Diga-lhes para não nos esperar. ¨Eu não. Eu digo contentemente. Eu acho que finalmente aprendi como manter esta boca grande fechada.¨ FIM!


Fisgada