Issuu on Google+

*

Ano 5

*

n° 204

EDITOR-COORDENADOR | Adalberto Meireles

NINA NEVES

SUPLEMENTO INFANTIL DE A TARDE. NÃO PODE SER VENDIDO SEPARADAMENTE

Salvador, SÁBADO, 5 de setembro de 2009

Impávido colosso

Esta expressão, que significa “gigante corajoso”, está no Hino Nacional, cantado nas escolas. Você conhece a letra? Páginas 4 e 5

*

Maria Clara Castro, 7, canta o hino em posição de amor e respeito à pátria


4e5

4e5

Salvador, SÁBADO, 5 de setembro de 2009

FERNANDO AMORIM | AG. A TARDE

A música do Brasil

O hino que representa o País pode ganhar um dia para ser cantado nas escolas. Conheça a história dessa música e o que ela representa para os brasileiros

nina.neves@grupoatarde.com.br

Ouviram do Ipiranga as margens plááácidas... É assim que começa nosso hino. Mas qual é o verso seguinte? Foi para garantir que os estudantes saibam todas as estrofes que o deputado federal Lincoln Portela (MG) criou um projeto de lei que obriga as escolas brasileiras a tocarem o hino uma vez por semana. Já existe uma lei para cantar o hino. O que muda é que agora vai ter um dia certo de fazer isso. Para Lincoln, “a lei ajuda os alunos a respeitarem os símbolos do País“. É assim que pensa Felipe Bispo, 10, da Escola Municipal Maria Quitéria. “Todos deviam saber cantar para respeitar“. Para ajudar a aprender, Luan Negreiro, 11, da Escola Municipal Joir Brasileiro, acha que “no fundo do cadernos podia ter a letra“. Michele dos Santos, 11, contou que a prima teve o dever de casa de escrever o hino. E quem sabe cantar entende o que a música diz? Ela é mesmo cheia de palavras difíceis. Maria Clara Castro, 7, da Escola Girassol, pesquisou na internet . ”Achei algumas

HINOS

No próximo dia 7 (segunda-feira) é comemorada a Independência do Brasil. Neste dia, há desfiles em muitas cidades do País. As pessoas vão às ruas e cantam o hino nacional.

Se pudessem criar outro hino, o destes estudantes seria assim:

“Tem coisas boas, tem coisas ruins No Brasil tudo é assim. Direito é direito, conviver e conviver, quem mora no Brasil sente prazer.” Rosana do Amor Divino, da Escola Municipal Joir Brasileiro

“O Brasil quer

palavras com a explicação do lado“. João Vítor Silva, 10, da mesma escola, não entende tudo, mas compreende o sentido geral. Maria Vitória Domingos, 10, do Colégio Sacramentinas também sabe disso. “Tem a ver com a independência“. Seu colega, André Duarte, 10, acha a música do hino linda. “Ela mostra amor pelo País. Sinto emoção quando ouço“. A HISTÓRIA – O hino é a música de uma nação. O brasileiro não foi feito de uma vez só. A música veio antes, criação do maestro Francisco Manuel da Silva, em 1831. Quase cem anos depois, o presidente Epitácio Pessoa juntou esta música com a letra do poeta Francisco Manuel da Silva.

ser livre de verdade Não queremos escravidão, mas igualdade. Quando o sol da independência iluminar Nós vamos adorar e comemorar” Ana Clara, do Colégio Sacramentinas

“O nosso Brasil tem muita história triste e feliz O mais importante é a felicidade do nosso Brasil, que não tem palavras pra dizer” Halana Mirella Santos, da Escola Municipal Joir Brasileiro

“Brasil, o sonho

Maria e André perto da bandeira do Brasil

lindo de um mundo igual, sem limites e profundo Em força, raça e garra, irmandade Vencemos, conquistamos liberdade” João Pedro Marques, do Colégio Sacramentinas

FERNANDO AMORIM | AG. A TARDE

NINA NEVES

Luan e Michele cantam o hino na Escola Joir Brasileiro

Para entender melhor Mario Fausto Neto é estudante de letras. Foi ele que nos ajudou a entender o hino. Para isso, colocou todos os versos na ordem direta, (sujeito, predicado e complementos). Por exemplo: “Ouviram do Ipiranga as margens plácidas / De um povo heróico o brado retumbante“ vira “As margens plácidas do Iripanga ouviram o brado retumbante de um povo heróico“. Depois ele ensinou o que as palavras mais difíceis significam. Você

também pode aprender isso na brincadeira da próxima página. Sugestão de Mário: peça à professora para brincar disso na aula de português. QUANDO TOCA – Onde mais se ouve o hino? “No jogo!“, lembra Lucas Santos, 9, da Mª Quitéria. Quando o hino toca nos jogos, ligamos o amor pelo País ao esporte. Algumas competiçõe foram feitas para desviar o foco do sentimento de nacionalismo das guerras da época para o esporte.

Decorar a letra não é aprender O historiador Ricardo Marques contou que é preciso ter um olhar crítico para este tema. Ele lembrou que, para algumas pessoas, esta música é associada aos anos em que o Brasil foi governado por uma ditadura (1964– 1985). Generais eram presidentes e controlavam a liberdade das pessoas. “Naquela época, o hino era uma forma de mostrar respeito e submissão não

só ao País, mas ao governo também“. Para esta lei funcionar, ele acredita que os professores de história e português têm que trabalhar juntos. Assim, os alunos podem entender as palavras e o contexto histórico em que foi feita a música. A professora Ana Jaguaracy Moraes quer trabalhar o hino trazendo-o para a realidade. ”Vou lembrar que ele conta uma história“.


Ouviram do Ipiranga